You are on page 1of 57

Módulo II

Contabilidade Básica:
primeiros passos
Contas.cnt

Renato Santos Chaves

1 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves

www.contas.cnt.br

2 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves

Contabilidade Básica: primeiros passos / Renato
Santos Chaves. 1. ed. – Teresina, 2015.
ISBN 978-85-916768-1-1
1. Contabilidade. 2. Contabilidade Básica. 3.
Contabilidade Geral. 4. Cursos. 5. Concursos.

Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei nº 9.610
de 19/2/1998.
© Copyright 2015, Contas.cnt
<www.contas.cnt.br>

www.contas.cnt.br

3 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves

Neste Módulo você estudará:

1) Escrituração Contábil
2) Razonetes e Balancetes
3) Depreciação, Amortização e Exaustão
4) Operações com Mercadorias
5) Fatos que alteram os valores das operações com mercadorias
6) Tributação nas operações com mercadorias (IPI, ICMS, PIS/COFINS)
7) Tópicos Especiais (Operações com seguros; Financiamentos
bancários a curto prazo – Duplicatas descontadas e Encargos
financeiros a transcorrer)

www.contas.cnt.br

4 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves

Módulo II
Aula 1 – Escrituração

Nesta primeira aula do Módulo II vamos ter contato com uma técnica
contábil denominada “escrituração”.

Todos os fatos contábeis, isto é, aqueles eventos que provocam
alterações na situação patrimonial de uma entidade, devem ser registrados,
lançados, enfim, escriturados, de forma cronológica, como um registro num
diário. Aliás, diário é o nome de um dos livros mais importantes da
contabilidade.

Ressalte-se que alguns atos contábeis, passíveis de se tornarem fatos
contábeis, também devem ser registrados em conta de controle, de acordo
com a disposição dessas contas no plano de contas da entidade.

A escrituração deve ser baseada no Plano de Contas específico da
entidade, que deve atender às suas necessidades de registro dos atos e fatos
contábeis. Lembrando que estudamos o Plano de Contas na Aula 6 do Módulo
I.

A técnica de escrituração deve obedecer a preceitos mínimos previstos
em normas emitidas pelo Conselho Federal de Contabilidade, conforme será
exposto nesta aula.

Em outras palavras, a escrituração deve historiar os fatos que ocorrem
na contabilidade e na gestão de uma entidade, tudo de acordo e com suporte
na documentação que dá respaldo a esses fatos (recibos, notas fiscais,
contratos etc.).

Os registros contábeis devem ser escriturados pelo Método das
Partidas Dobradas, isto é, o registro de cada fato envolve pelo menos um
elemento que será debitado e pelo menos um elemento que será creditado.

Pelo exposto acima, para todo débito deve haver pelo menos um crédito
e vice-versa. Não há débito sem crédito, conforme vimos na Aula 5 do Módulo I
(Mecanismos de Débito e Crédito).

O Método das Partidas Dobradas foi desenvolvido pelo frade
franciscano Luca Pacioli, em 1494, em Veneza, na Itália.

Vamos estudar agora os principias livros de escrituração contábil.

www.contas.cnt.br

ou seja. clareza e referência ao documento probante. 3) Conta credora. 4) Histórico que represente a essência econômica da transação ou o código de histórico padronizado. 6) Informação que permita identificar. neste caso baseado em tabela auxiliar inclusa em livro próprio. Exemplo: www.br . Para a prática e melhor didática. todos os registros que integram um mesmo lançamento contábil. em ordem cronológica. Livro Razão: Neste livro são registrados os movimentos individualizados de todas as contas. substituiremos o livro razão por Razonetes ou Contas em T. a data em que o fato contábil ocorreu.contas. todas as operações ocorridas. Elementos Mínimos da Escrituração Conforme as normas contábeis.5 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Livros Obrigatórios Livro Diário: Neste livro são lançadas.cnt. e quaisquer outros fatos que provoquem variações patrimoniais. 2) Conta devedora. de forma unívoca. 5) Valor do registro contábil. com individualização. a escrituração deve conter no mínimo as seguintes informações: 1) Data do registro contábil. conforme será visto na Aula 2 deste Módulo.

000.000.00 D – Duplicatas a Receber --------. Exemplo: D – Veículos ------------.000.R$ 35.contas.000.R$ 25.00 3ª fórmula: quando aparecem no lançamento mais de uma conta debitada e apenas uma conta creditada (mais de um débito e um só crédito).R$ 10. Existem quatro fórmulas de lançamento que você deve ter em mente: 1ª fórmula: quando aparecem no lançamento uma conta debitada e uma conta creditada (um débito e um crédito).00 4ª fórmula: quando aparecem no lançamento mais de uma conta debitada e mais de uma conta creditada (mais de um débito e mais de um crédito) .00 C – a Duplicatas a Pagar ------------------.R$ 40. www.R$ 60.6 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Fórmulas de Lançamento Lançamento é o meio pelo qual se processa a Escrituração. Exemplo: D – Diversos C – a Diversos D – Móveis e Utensílios D – Veículos C – a Caixa C – a Duplicatas a Pagar Observação: Exemplos de lançamentos contábeis nos livros Diário e Razão (Razonetes) encontram-se no Vídeo desta aula. Exemplo: D – Diversos C – a Móveis e Utensílios ----------------------.000.00 C – a Diversos C – a Caixa ------------------------------------.br .000.R$ 100.cnt.000.00 2ª fórmula: quando aparecem no lançamento uma conta debitada e mais de uma conta creditada (um débito e mais de um crédito). Exemplo: D – Imóveis C – a Caixa -----.00 D – Caixa -----------------------------.R$ 50.

ou seja. www. borrões.330/11 – ITG 2000 – Escrituração Contábil. na sua falta. entrelinhas. conta devedora. 5. exceto nos casos em que uma autoridade reguladora assim o requeira. 6. Normas Brasileiras de Contabilidade ITG 2000 – Escrituração Contábil Objetivo 1. c) em ordem cronológica de dia. esta Interpretação não estabelece o nível de detalhe ou mesmo sugere um plano de contas a ser observado. mês e ano. por meio de qualquer processo. A escrituração em forma contábil de que trata o item anterior deve conter. no mínimo: a) data do registro contábil. b) conta credora. Esta Interpretação estabelece critérios e procedimentos a serem adotados pela entidade para a escrituração contábil de seus fatos patrimoniais. de 18/3/2011. Alcance 2. em elementos que comprovem ou evidenciem fatos contábeis. se houver.7 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves A título de esclarecimento sobre a técnica de escrituração. Esta Interpretação deve ser adotada por todas as entidades. bem como a guarda e a manutenção da documentação e de arquivos contábeis e a responsabilidade do profissional da contabilidade. c) histórico que represente a essência econômica da transação ou o código de histórico padronizado. transcrevemos a Resolução CFC nº 1. não devem necessariamente observar um padrão pré-definido. observadas as exigências da legislação e de outras normas aplicáveis.br . rasuras ou emendas. b) em forma contábil. a data em que o fato contábil ocorreu. d) com ausência de espaços em branco. Nesse sentido. d) valor do registro contábil.contas. Formalidades da escrituração contábil 3. neste caso baseado em tabela auxiliar inclusa em livro próprio. independente da natureza e do porte. O detalhamento dos registros contábeis é diretamente proporcional à complexidade das operações da entidade e dos requisitos de informação a ela aplicáveis e. e e) com base em documentos de origem externa ou interna ou.cnt. na elaboração da escrituração contábil. O nível de detalhamento da escrituração contábil deve estar alinhado às necessidades de informação de seus usuários. 4. A escrituração contábil deve ser realizada com observância aos Princípios de Contabilidade. A escrituração contábil deve ser executada: a) em idioma e em moeda corrente nacionais.

cnt. desde que permanentes e uniformes. devendo constar o significado dos códigos e/ou abreviaturas no Livro Diário ou em registro especial revestido das formalidades extrínsecas de que tratam os itens 9 e 10. devem revestir-se de formalidades extrínsecas. O registro contábil deve conter o número de identificação do lançamento em ordem sequencial relacionado ao respectivo documento de origem externa ou interna ou. c) conterem termo de abertura e de encerramento assinados pelo titular ou representante legal da entidade e pelo profissional da contabilidade regularmente habilitado no Conselho Regional de Contabilidade. b) serem autenticados no registro público competente. em ordem cronológica. As demonstrações contábeis devem ser transcritas no Livro Diário. 15. Admite-se o uso de códigos e/ou abreviaturas. de forma unívoca.contas. nos históricos dos lançamentos. completando- se com as assinaturas do titular ou de representante legal da entidade e do profissional da contabilidade legalmente habilitado. No Livro Diário devem ser lançadas. www. 7. 13. A escrituração contábil e a emissão de relatórios.br . deve ser adotado o registro “Balancetes Diários e Balanços”. entre eles o Livro Diário e o Livro Razão. Livro diário e livro razão 14. devem revestir-se de formalidades extrínsecas. 9. tais como: a) serem encadernados. em forma digital. entre eles o Livro Diário e o Livro Razão. todas as operações ocorridas. e quaisquer outros fatos que provoquem variações patrimoniais. com individualização. peças. b) terem suas folhas numeradas sequencialmente. clareza e referência ao documento probante. Os livros contábeis obrigatórios. em forma não digital. todos os registros que integram um mesmo lançamento contábil. demonstrativos e demonstrações contábeis são de atribuição e de responsabilidade exclusivas do profissional da contabilidade legalmente habilitado. análises. em elementos que comprovem ou evidenciem fatos contábeis. 11. tais como: a) serem assinados digitalmente pela entidade e pelo profissional da contabilidade regularmente habilitado. 8. A terminologia utilizada no registro contábil deve expressar a essência econômica da transação. Quando o Livro Diário e o Livro Razão forem gerados por processo que utilize fichas ou folhas soltas. 10. na sua falta.8 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves e) informação que permita identificar. Os livros contábeis obrigatórios. 12.

21. 22. Os registros auxiliares. que apoiam ou componham a escrituração. livros. deve ter registros contábeis que permitam a identificação das transações de cada uma dessas unidades. A opção por escrituração descentralizada fica a critério da entidade. devem obedecer aos preceitos gerais da escrituração contábil. A documentação contábil é hábil quando revestida das características intrínsecas ou extrínsecas essenciais. A escrituração de todas as unidades deve integrar um único sistema contábil. Na escrituração descentralizada. 18. agência. devem ser numerados mecânica ou tipograficamente e encadernados em forma de livro. os formulários de folhas soltas. definidas na legislação. sendo atribuição do profissional de contabilidade a comunicação formal dessas exigências à entidade. e que optar por sistema de escrituração descentralizado. papéis. 28. devem ser eliminadas quando da elaboração das demonstrações contábeis da entidade. As contas recíprocas relativas às transações entre matriz e unidades. As despesas e as receitas que não possam ser atribuídas às unidades devem ser registradas na matriz e distribuídas para as unidades de acordo com critérios da administração da entidade.cnt. Documentação contábil 26.9 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves 16.br . não há necessidade de impressão e encadernação em forma de livro. A entidade que tiver unidade operacional ou de negócios. 23. Em caso de escrituração contábil em forma digital. www. Documentação contábil é aquela que comprova os fatos que originam lançamentos na escrituração da entidade e compreende todos os documentos. devendo ser submetidos ao registro público competente. Escrituração contábil de filial 20. 27. No caso da entidade adotar processo eletrônico ou mecanizado para a sua escrituração contábil. de origem interna ou externa. 19. 17. Os documentos em papel podem ser digitalizados e armazenados em meio magnético. sucursal ou assemelhada. porém o arquivo magnético autenticado pelo registro público competente deve ser mantido pela entidade. registros e outras peças. quer como filial. A entidade é responsável pelo registro público de livros contábeis em órgão competente e por averbações exigidas pela legislação de recuperação judicial. bem como entre estas.contas. na técnica-contábil ou aceitas pelos “usos e costumes”. desde que assinados pelo responsável pela entidade e pelo profissional da contabilidade regularmente habilitado. quando adotados. 24. deve ser observado o mesmo grau de detalhamento dos registros contábeis da matriz.

Lançamento de complementação é aquele que vem posteriormente complementar. 35.contas. Os lançamentos realizados fora da época devida devem consignar. e c) complementação. as datas efetivas das ocorrências e a razão do registro extemporâneo. o histórico do lançamento deve precisar o motivo da retificação. por meio da transposição do registro para a conta adequada. 33. Exceto quando de uso mandatório por ato de órgão regulador. Nos casos em que não forem utilizadas. Lançamento de transferência é aquele que promove a regularização de conta indevidamente debitada ou creditada. a escrituração das contas de compensação não é obrigatória. www.cnt. anulando-o totalmente. aumentando ou reduzindo o valor anteriormente registrado. Contas de compensação constituem sistema próprio para controle e registro dos fatos relevantes que resultam em assunção de direitos e obrigações da entidade cujos efeitos materializar-se-ão no futuro e que possam se traduzir em modificações no patrimônio da entidade. 34. Em qualquer das formas citadas no item 31. b) transferência. Retificação de lançamento é o processo técnico de correção de registro realizado com erro na escrituração contábil da entidade e pode ser feito por meio de: a) estorno. a entidade deve assegurar-se que possui outros mecanismos que permitam acumular as informações que de outra maneira estariam controladas nas contas de compensação.10 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Contas de compensação 29. a data e a localização do lançamento de origem. nos seus históricos. 32. 30.br . O estorno consiste em lançamento inverso àquele feito erroneamente. Retificação de lançamento contábil 31. 36.

000. com a sinalização se débito (D) ou crédito (C).00 Livro Razão No exemplo acima. Nesta aula.contas. configurando uma versão simplificada do livro Razão.00 C 30. na forma do Razão. a conta de contrapartida. Os razonetes são uma versão simplificada do livro razão.000.R$ 30. Lembrando que o livro razão é aquele que apresenta a escrituração individualizada de cada uma das contas que compõem que o Plano de Contas de uma entidade. Os lançamentos contábeis. Isoladamente. CONTA: CAIXA DATA OPERAÇÕES / CONTRAPARTIDA DÉBITO CRÉDITO D/C SALDO 10/3/20x5 a Capital 30. de forma simplificada.00 Histórico: Integralização do Capital em dinheiro. especificamente quanto aos livros contábeis obrigatórios. Toda movimentação ocorrida nessas contas deve ser registrada. seriam: D – Caixa C – a Capital -------------. já tecemos rápidos comentários sobre o Razonete na Aula 4 – Contas – do Módulo I. no valor de R$ 30.00 Livro Razão CONTA: CAPITAL DATA OPERAÇÕES / CONTRAPARTIDA DÉBITO CRÉDITO D/C SALDO 10/3/20x5 de Caixa 30. de acordo com a data. cada conta (caixa e capital) recebeu o registro específico.000. a descrição da operação. aos elementos dos lançamentos. vamos estudar os razonetes.000.cnt. e.000. temos a representação das contas “Caixa” e “Capital”. também denominados Gráfico em T ou Conta T.br . bem como a forma de retificação do lançamento contábil. ou seja. obtivemos conhecimentos sobre as regras de escrituração contábil.11 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Módulo II Aula 2 – Razonetes e Balancetes Na aula anterior. podemos perceber que ocorreu a integralização do capital em dinheiro. Registro: Nº 001/2015 www. Na operação acima.00 D 30.00. por fim. Inclusive.000. o saldo da conta. o valor do débito ou do crédito.

Assim. na contabilidade. sendo o lado esquerdo o lado do débito e o lado direito o do crédito. ou dos razonetes. uma vez que propicia a visão geral da contabilização.br . de acordo com sua natureza devedora ou credora. nos razonetes. cada conta será representada por um T. cada débito deve corresponder a um crédito de igual valor. A soma da coluna do saldo devedor deve ser igual à soma do saldo credor.cnt. vamos utilizar os razonetes para exemplificar os lançamentos e a apuração do saldo das contas. com seus saldos devedores ou credores. da seguinte forma: Quanto ao balancete.12 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Para fins didáticos. www. Deve-se transferir os saldos das contas dos razonetes diretamente para o balancete. pois. No exemplo da integralização do capital em dinheiro.contas. este pode ser definido como uma relação de contas extraídas do livro Razão. podemos ter a seguinte representação das contas “Caixa” e “Capital”.

000. a prazo.000. de material de expediente (estoque).000.00 em dinheiro.00.00 C – Capital Social -------------------------------------------. 1) Integralização do Capital Social de R$ 50.00.R$ 30. sendo R$ 10.00 pagos à vista em dinheiro e R$ 20.R$ 5. no valor de R$ 8.cnt.000.R$ 25. R$ 25.000.R$ 8.00 2) D – Material de Expediente (Estoque) --.000.000.13 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves BALANCETE DE VERIFICAÇÃO SALDO Nº CONTA/RUBRICA DEVEDOR CREDOR Balancete de Verificação Vejamos um exemplo simplificado de fatos administrativos.00 3) D – Veículos ------.00 C – Caixa ------------------------------------------.R$ 10.00 D – Equipamentos ------------. seus lançamentos nos razonetes e posterior apresentação no balancete de verificação.R$ 50. sendo R$ 20.00.000.000. a prazo.br .R$ 20.00 em Equipamentos e R$ 5.000.R$ 20.00 D – Material de Expediente ---. 2) Aquisição.00 C – Contas a Pagar -----------------------------.00 C – Fornecedores ----------------------------------------------. 3) Aquisição de um veículo por R$ 30.000. Contabilização (Escrituração simplificada) 1) D – Caixa -----------------------.000.000.000.000.000.00 em material de expediente.contas.R$ 8.00.000.00 Lançamentos nos Razonetes www.

br .cnt.14 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves www.contas.

www.000. abra um razonete para cada conta e faça os lançamentos nos mesmos. a prazo.00.00.br . elabore o Balancete de Verificação. sendo R$ 30.000.cnt.000.00 Exercício de Fixação Separe três folhas do seu caderno e faça o seguinte exercício prático: Na primeira folha realize os lançamentos (escrituração) de débito e crédito dos fatos contábeis a seguir descritos.000.00 003 Material de Expediente 13.00 em dinheiro.000.00 007 Capital Social 50.000.00 005 Fornecedores 8.00 002 Equipamentos 25. de material de expediente (estoque).000.00 78.00 em material de expediente.15 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Apresentação do saldo das contas no Balancete de Verificação BALANCETE DE VERIFICAÇÃO SALDO Nº CONTA/RUBRICA DEVEDOR CREDOR 001 Caixa 10.00 pagos à vista em dinheiro e R$ 30.000. no valor de R$ 20.00 004 Veículos 30. 2) Aquisição.00.00 em Equipamentos e R$ 15.00. Na terceira folha. Na segunda folha. 3) Aquisição de um veículo por R$ 60. sendo R$ 30.000. Fatos Contábeis: 1) Integralização do Capital Social de R$ 80.000.000.000.000.00 006 Contas a Pagar 20.00 TOTAL 78. a prazo.contas.000.000.000. R$ 35.000.

com razoável segurança. b) Valor depreciável. obter por um ativo no fim de sua vida útil econômica. e) Vida útil econômica: o período de tempo definido ou estimado tecnicamente. traduzindo-se como a redução de valor de bens tangíveis. em determinada data. enquanto ciência que tem por objeto o patrimônio. este capítulo trata de critérios e procedimentos contábeis para o reconhecimento das despesas de depreciação. florestais e outros recursos esgotáveis. vamos conhecer algumas definições importantes sobre valor contábil: a) Valor bruto contábil: o valor do bem registrado na contabilidade. Assim. de modo que o patrimônio represente tanto quantitativa quanto qualitativamente as mutações ocorridas no decorrer do tempo. d) Valor residual: o montante líquido que a entidade espera. deve registrar esses fatos (de deterioração/perda de valor) de tempos em tempos. amortização e exaustão. Nesse sentido. deduzido da correspondente depreciação. direitos e obrigações. amortização e exaustão. perda da capacidade de produção ou mesmo perda de valor.br . www.cnt. direitos de propriedade e bens intangíveis.16 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Módulo II Aula 3 – Depreciação. em uma determinada data. e a redução de recursos minerais. sem a dedução da correspondente depreciação. a contabilidade. conforme estudamos o tema na Aula 3 do Módulo I deste curso Contabilidade Básica. amortizável e exaurível: o valor original de um ativo deduzido do seu valor residual. O patrimônio sofre deterioração ou. Amortização e Exaustão Sabemos que o patrimônio compõe-se de bens. Pois bem. c) Valor líquido contábil: o valor do bem registrado na Contabilidade. durante o qual se espera obter fluxos de benefícios futuros de um ativo. Antes de adentrarmos no conhecimento sobre os métodos de cálculo da depreciação. amortização ou exaustão acumulada. em outras palavras. amortização ou exaustão acumulada. deduzidos os gastos esperados para sua alienação.contas.

Vejamos cada um deles. ocasionada pelos seguintes fatores: a) Deterioração física. www. no Resultado do Exercício. foi determinado o valor residual de R$ 600. Não é exigido que todos os bens sejam avaliados pelo mesmo método. vamos estudar os métodos de depreciação. conforme a política da entidade. e c) Obsolescência. assim. b) Desgastes com uso.00. Depreciação É o declínio do potencial de geração de serviços por ativos de longa duração (bens).00 e valor depreciável de R$ 2. o da soma dos dígitos e o de unidades produzidas.cnt. 1) Método das cotas constantes. a taxa de depreciação ao ano é de 20%. Dentre os métodos.00. Dito isto.000. amortização e exaustão. Vários métodos de depreciação podem ser utilizados para alocar de forma sistemática o valor depreciável de um ativo ao longo da sua vida útil.br . O valor bruto contábil é R$ 2.contas. A vida útil do bem é de cinco anos. A depreciação será calculada anualmente.17 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves O valor da parcela de depreciação. destacam-se o da linha reta (ou cotas constantes).600. reconhecida como despesa. amortização e/ou exaustão deve ser representada no Balanço Patrimonial como conta redutora do respectivo ativo e.

800.400.200. a taxa de depreciação ao ano é de 10%. assim.600.00 Método das unidades produzidas O valor bruto contábil é R$ 2.00 = 666.00 1.br .00 1.00 600. www.33 1. assim.00 e valor depreciável de R$ 2.00 = 266.600.00 800. foi determinado o valor residual de R$ 600.67 666.00 1.33 5 1/15*2000.00 3 3/15*2000. conforme a política da entidade.00 4 2/15*2000.18 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Depreciação Depreciação Ano Valor Líquido Contábil R$ R$ Acumulada R$ 1 400. foi determinado o valor residual de R$ 600.400.00.200.00 5 400.00 1. sendo 500 unidades ao ano. A depreciação será calculada anualmente.600.00 2 400.00 1.000. Depreciação Valor Líquido Ano Depreciação R$ Acumulada R$ Contábil R$ 1 5/15*2000. conforme a política da entidade.000.000.000 unidades.00 e valor depreciável de R$ 2.00.cnt.600.00 Valor Residual = 600. a taxa de depreciação ao ano é de 20%.000.00 Valor Residual = 600.33 2.00 = 533.33 2 4/15*2000.contas. A vida útil do bem é de cinco anos.00 = 400.00.00 400.00 1.00 1.67 733.00 2.00 = 133. A vida útil do bem é determinada pela capacidade de produção que é igual a 5.67 1933.000. A depreciação será calculada anualmente.00 3 400. (5 anos = 1+2+3+4+5 = 15).00 Método da soma dos dígitos O valor bruto contábil é R$ 2.67 1.200.00 4 400.00 1.00 2.000.00 600.866.00.

00 600.00 4 200.00 1.00 2 200.400.00 2.000.00 9 200.00 5 200. florestais e outros recursos naturais esgotáveis.00 1.00 1.00 600.00 1.00 1.00 2.00 7 200.00 1.000. a Amortização é usada para Bens imateriais (intangíveis). Direitos Autorais etc.800.400.00 3 200.00 1. como Marcas e Patentes. O cálculo da quota de Amortização é semelhante ao da quota de Depreciação.00 1. destaca-se o da linha reta (ou cotas constantes). Enquanto a Depreciação é usada para os Bens materiais (tangíveis).00 1.00 200.00 10 200.00 1.contas.00 400. Dentre os métodos.cnt.600.400.200.00 Amortização É a redução do valor aplicado na aquisição de direitos de propriedade e quaisquer outros. Vários métodos de amortização podem ser utilizados para alocar de forma sistemática o valor amortizável de um ativo ao longo da sua vida útil.600. Exaustão É a redução do valor.00 2. www.br .00 8 200. decorrente da exploração. com existência ou exercício de duração limitada.19 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Depreciação Valor Líquido Ano Depreciação R$ Acumulada R$ Contábil R$ 1 200.000. inclusive ativos intangíveis.00 800. o da soma dos dígitos e o de unidades produzidas.800.200.200.00 6 200.00 2. dos recursos minerais.00 Valor Residual = 600. ou cujo objeto sejam bens de utilização por prazo legal ou contratualmente limitado.00 800. apresentado acima.000.

Exemplo: Jazida (extração de minério) a) Valor contábil da jazida = R$ 50.000.Uma entidade pública registrou um veículo para compor seu ativo imobilizado pelo custo de aquisição de R$78.000 t c) Extração de minério nesse exercício = 10. é o método de unidades produzidas (extraídas). Vida Útil = 5 anos (20% ao ano).000.00. No ato da contabilização.000.00. a) A depreciação anual é no valor de R$4.000.contas.000. o Método das Cotas Constantes foi escolhido para apropriação da depreciação. d) O valor depreciável do veículo será de R$78.br .00) Exercício proposto e resolvido (Exame de Suficiência 2014.00 b) Estimativa total de minérios da jazida (possança) = R$ 100. b) A depreciação mensal é no valor de R$1.00.00 = R$ 5.00 ao mês.00 Valor Residual = R$ 21. B.00 ao ano.00. Contábil – V. a entidade determinou que esse veículo terá um valor residual de R$ 21.400/12 = R$ 950.00 (V.000.000.000.000. assinale a opção CORRETA. Residual).cnt.000 t Cálculo da despesa de exaustão: 10. c) O valor depreciável do veículo será de R$57.00 e uma vida útil de cinco anos. que deve ser utilizado para fins contábeis.000.00.  R$ 11.000 t / 100.20 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves O método de cálculo de exaustão.400. Valor Depreciável = R$ 57.00. Resposta = Letra C www.00 = R$ 11.200. Resolução: Valor Bruto Contábil = R$ 78.000.1/CFC) .000.000 t = 10%  ( 10% X R$ 50.300.000. Diante dessas informações.  20% de R$ 57.000.

21 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Módulo II Aula 4 – Operações com Mercadorias As empresas comerciais trabalham com compra e venda de mercadorias. encontrar o valor do CMV. adquire para revenda. saber como se chega ao resultado com mercadorias e sua apuração extracontábil (matemática) e contábil (por meio de lançamentos). devemos. inicialmente.00 e o valor do Estoque Final (EF) é igual a R$ 5. já que trata de identificar o resultado com mercadorias. precisam controlar seus estoques para saber se estão dando lucro ou prejuízo nas suas operações. além de identificar os tributos sobre compras e vendas. Imagine a seguinte situação: uma empresa.000. temos que o Estoque Inicial (EI) é igual a zero. metade do que foi comprado. inicialmente. Neste primeiro contato com o tema. www. Para isto.00. Pergunta-se: a) qual foi o resultado com mercadorias? b) qual foi o custo das mercadorias vendidas? c) quanto de mercadoria ficou em estoque? Bom.00. o controle do estoque. Passados alguns dias.contas. o valor das Compras (C) foi de R$ 10. conforme a informação. O tema operações com mercadorias é de suma importância no estudo da contabilidade básica.00. o lucro bruto. mercadorias no valor de R$ 10. pois foi vendido. vende metade das mercadorias adquiridas por R$ 15.br . ao iniciar suas operações. temos que compreender as seguintes equações: Resultado Com Mercadorias (RCM) = Vendas – Custo das Mercadorias Vendidas (CMV) Custo das Mercadorias Vendidas (CMV) = Estoque Inicial + Compras – Estoque Final No problema proposto.000.000.000. Para chegarmos às respostas das perguntas acima. os custos das mercadorias vendidas. Vamos. vamos desenvolver o conhecimento sem nos preocuparmos com os tributos incidentes sobre compras e vendas de mercadorias. Assim.cnt.

principalmente Vendas. por meio de fichas ou sistema informatizado. No caso de empresas comerciais.000.00 c) Estoque Final (EF) = R$ 5. faz-se uma contagem física das mercadorias existentes naquela data.000. CMV = EI + C – EF  (CMV = 0 +10.000). Pela diferença do total das mercadorias disponíveis para venda e o resultado do inventário (estoque final). temos as seguintes respostas: a) RCM = R$ 10.cnt.00 b) CMV = R$ 5. em períodos específicos. ressaltamos que no nosso exemplo inicial. Pela apuração contábil (lançamentos contábeis). temos dois tipos de inventário: Inventário Periódico: utilizado principalmente pelas pequenas empresas. www. encontra-se o CMV nesse período. Inventário Permanente: utilizado principalmente pelas médias e grandes empresas.00 Ressaltamos que a apresentação desses valores.contas.22 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Dessa forma.000 – 5. as empresas devem recorrer ao inventário.000). Conforme dissemos anteriormente. para fins didáticos. permanentemente. para se levantar o CMV. A apuração realizada acima diz-se matemática ou extracontábil. quanto à entrada e saída de mercadorias. Quando se quer conhecer o Custo das Mercadorias Vendidas. Antes de falarmos do inventário. pode-se saber o CMV do período.br . consiste no entendimento inicial da demonstração contábil denominada Demonstração do Resultado do Exercício (DRE). Inventário é a relação ou rol de mercadorias ou bens. o estoque deve ser conhecido por meio do inventário. Custo das Mercadorias Vendidas e Resultado Com Mercadorias. No momento que se quiser. Na prática. podemos encontrar o Custo das Mercadorias Vendidas (CMV) de duas formas: a) pelo inventário periódico e b) pelo inventário permanente. O estoque é controlado continuamente.000)  (RCM = 10.000)  (CMV = 5.000. partimos do valor dado do CMV. A apuração realizada com base no inventário periódico ou no inventário permanente denomina-se apuração contábil.000 – 5. Respondendo às alíneas acima. Com essa informação temos que RCM = Vendas (V) – CMV  (RCM = 15.

UEPS e Preço Médio. os métodos PEPS. realiza compra à vista. utilizando a conta mista.00. quanto para representar/contabilizar as Vendas de Mercadorias (conta de resultado). UESPS e Custo Médio Móvel. em 1º de janeiro X1. www. Sabendo-se que em 28 de fevereiro de X1 o inventário de mercadorias aponta estoque de R$ 3. ainda. Em 20 de fevereiro de X1 realiza vendas no valor de R$ 20. em 5 de fevereiro de X1. que funcionará como estoque (conta patrimonial).00. podemos encontrar o Custo das Mercadorias Vendidas utilizando o método da Conta Mista ou o método da Conta Desdobrada. se inventário periódico ou inventário permanente.23 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves De acordo com o tipo de controle utilizado.cnt. teremos métodos de apuração.00.000. que possui estoque de mercadorias de R$ 5. Alguns métodos são utilizados para o controle do inventário permanente.000. como o PEPS.000.br .contas. Conta Mista Neste método. Exemplo: Uma empresa.000. Apuração do CMV no Inventário Periódico Pelo sistema do inventário periódico. utilizamos a conta “Mercadorias” para representar/registrar tanto as Compras de Mercadorias. a conta desdobrada e. no valor de R$ 8. apure o valor do Resultado Com Mercadorias (RCM).00.

000)  CMV = 10.000.000)  RCM = 10. já que esta é uma conta patrimonial de natureza devedora. uma vez que representa a entrada de recursos pela venda à vista de mercadorias.000.24 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Contabilização: 1) Compra à vista de mercadorias (5/fev) D – Mercadorias C – Caixa ----------------. Como estamos efetuando a contabilização dos fatos contábeis pelo método da conta mista. facilitando encontrar o valor do CMV e do RCM.000 RCM = Vendas – CMV  (RCM = 20. foi registrada no lançamento 1. inicialmente.00. A contrapartida desse lançamento foi a saída (crédito) da conta caixa (R$ 8.000. Neste momento.000. Observe-se que esta conta mercadorias é mista. ou seja. Já o saldo da conta caixa restou devedor em R$ 12.000. pois registrou tanto valores de contas patrimoniais (compras de mercadorias). a compra de mercadorias por R$ 8. que é uma conta de resultado.00). www.cnt.R$ 8.00. Dessa forma. pela aplicação da fórmula do RCM. o saldo de estoque final.00. Na sequência.000. em conformidade os lançamentos acima. verificamos que a Conta Mercadorias já apresentou. como valore de contas de resultado (receita de vendas). Temos que ajustar a conta mercadorias. representando que que as entradas foram maiores que as saídas de recursos financeiros. encontramos o valor de R$ 10.00 na conta mercadorias. não é possível que esta conta apresente saldo credor.contas.000 Observações: Este exercício já trouxe dados sobre o valor do estoque inicial e do estoque final. a receita de vendas.00. encontramos saldo credor de R$ 7.br .R$ 20.000 – 10.000.00 2) Venda à vista de mercadorias (20/fev) D – Caixa C – Mercadorias ---------------. Confrontando os valores registrados. foi registrada também na conta mercadorias pelo valor de R$ 20.00 Apuração Matemática (Extracontábil) CMV = EI + C – EF  (CMV = 5.000. A contrapartida desse lançamento é um débito na conta caixa.000 – 3.000 + 8.

A nosso ver.000.cnt. realiza compra à vista. Vamos. seguindo o mesmo comando do exemplo anterior. em 5 de fevereiro de X1. apure o valor do Resultado Com Mercadorias (RCM).00.00. Resultado com Mercadorias (RCM) e Custo das Mercadorias Vendidas (CMV).00. para fazer o ajuste necessário. já que cada uma das contas a serem utilizadas serão destacadas especificamente. no valor de R$ 8. Compras.00. Que é o valor do Resultado Com Mercadorias (RCM).000. Conta Desdobrada Os lançamentos deverão ocorrer em contas desdobradas. www.00.000. agora sim.00. É o que vamos ver nos lançamentos a seguir. Sabendo-se que em 28 de fevereiro de X1 o inventário de mercadorias aponta estoque de R$ 3. Em 20 de fevereiro de X1 realiza vendas no valor de R$ 20. Estes são.000. os lançamentos utilizando-se o método da conta mista. que possui estoque de mercadorias de R$ 5. analisar a questão. Exemplo: Uma empresa. em 1º de janeiro X1.contas.000. que é de R$ 3. contas específicas de Mercadorias em Estoque. ou seja. Vendas.000. o método da conta desdobrada é mais fácil de visualizar.br .25 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Como sabemos o valor do estoque final. portanto. a conta mercadorias tem que ser debitada em R$ 10.

00 D – Custo das mercadorias Vendidas C – Estoque de Mercadorias ---------------. a inclusão da conta “Compras”.00 * Transferência do saldo da conta “Compras” para “Estoque de Mercadorias”. Contudo. nestes lançamentos.R$ 8. O próximo passo é registrar o Resultado Com Mercadorias. transferir o valor da conta “Compras” para a conta “Estoque de Mercadorias”.contas. Devemos. a opção da conta “Compras” é para detalhar o quanto de mercadoria foi adquirido no período.R$ 10. Poderíamos simplificar e utilizar somente a conta “Estoque de Mercadorias” para registrar todos os movimentos. Neste exemplo simplificado.000. D – Estoque de Mercadorias C – Compras -----------------------------.br . conforme explanado acima no lançamento destacado em verde. são necessários dois lançamentos: um evidenciando a venda (Receita de Vendas) e outro evidenciando o Custo das Mercadorias Vendidas.00 Observações: Percebemos.00 2) Venda à vista de mercadorias (20/fev) D – Caixa C – Receita de Vendas ---------------. Já na venda de mercadorias.cnt.26 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Contabilização: 1) Compra à vista de mercadorias (5/fev) D – Compras C – Caixa ----------------.R$ 8. A contabilização da apuração do Resultado com Mercadorias é simples.000.000. posteriormente.R$ 20. Vejamos: www.000. esse resultado vai coincidir com o Resultado do Exercício.

No Brasil.00.00 D – Resultado com Mercadorias C – Custo das mercadorias Vendidas ---------------.br . ainda. Primeiro que Sai”.000. e exemplificar com uma questão prática. Primeiro que Sai” ou simplesmente PEPS. quanto das mercadorias estocadas na empresa. A qualquer momento é possível saber o custo dos estoques.cnt. Existem métodos para a apuração dos estoques pelo inventário permanente.R$ 10. Existem. www. UEPS e Custo Médio.000. apresenta o valor de R$ 10. tanto das mercadorias vendidas.contas. a legislação tributária considera regular a apuração pelo método denominado “Primeiro que Entra. ou UEPS. Veja como ficam os razonetes: Apuração do CMV no Inventário Permanente As empresas maiores contam com sistema de controle de estoque.R$ 20.27 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves 3) Apuração do Resultado com Mercadorias D – Receita de Vendas C – Resultado com Mercadorias ---------------. confrontando o saldo debitado e o saldo creditado. Não é permitida a apuração pelo método “Último que Entra. acima mencionados.00 O Resultado com Mercadorias. os métodos do Custo Específico e do Custo Médio.000. Vamos estudar os métodos PEPS.

00. em 15 de fevereiro. o estoque apresentará valores mais recentes e itens mais novos. em 25 de março.00).660. Assim. cuja soma foi de R$ 1.cnt.00 – R$ 1. 100 unidades de mercadorias. Também é possível observar que foram vendidas 120 unidades de mercadorias e o Custo das Mercadorias Vendidas (CMV) corresponde a R$ 1.br . Foram adquiridas. Quanto à Receita de Vendas. 160 unidades de mercadorias. primeiro que sai) Isto quer dizer que a mercadoria que primeiro entra em estoque é.00 (R$ 2. ao valor de R$ 10. O Estoque Final.00 (40 X19. ENTRADA SAÍDA SALDO Data Valor Valor Valor Quantidade Total Quantidade Total Quantidade Total Unitário Unitário Unitário 15/2 100 10.00 1000 100 10 1000 100 10 1000 20/2 60 11. Dessa forma.00 660 60 11 660 20 10 200 10/3 80 10 800 60 11 660 20 10 200 25/3 40 11 440 20 11 220 Soma 160 1660 120 1220 40 11 440 Método PEPS Podemos observar da ficha acima que não existia Estoque Inicial.00).00.contas. a R$ 11.500. também. em regra. temos duas vendas.75) e outra venda em 25 de março ao valor total de R$ 760. que pode ser formatada em uma planilha eletrônica (excel) ou em um sistema informatizado. cada.28 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Método PEPS (Primeiro que entra. ao valor total de R$ 1.260.220. representado na coluna do saldo. o Estoque Final. verificamos que o Resultado com Mercadorias (RCM) é igual a R$ 1. Com isso.75 cada uma e. adquire mais 60 unidades. Em 10 março vende 80 unidades a R$ 18. Vamos montar uma ficha de estoque.00.00.220. corresponde a 40 unidade de mercadorias. podemos encontrá-la diretamente do comando do caso prático. a primeira a sair do estoque. Em 20 de fevereiro. em 15 e 20 de fevereiro.00 cada uma. Vamos calcular. Uma em 10 de março.260. ao final destes fatos. www. Vejamos um caso prático: uma empresa compra. ao custo de R$ 440.040. a Receita de Vendas e o RCM (Resultado com Mercadorias). vende mais 40 unidades a R$ 19. a Receita de Vendas é igual a R$ 2.00 cada. Finalizando a análise.00. o CMV (Custo das Mercadorias Vendidas). conforme análise do valor total de saída.00 (80 X 18.

primeiro que sai) Pelo método UEPS.00. encontraremos os custos em estoque com valores mais antigos. Vamos ver na prática. tendem a ter ser seus valores mais altos no decorrer do período. as mercadorias adquiridas mais recentemente. pois. o valor atual do estoque está baseado nas compras mais recentes. utilizando os mesmos dados apresentados no método PEPS. mais 20 unidades que entraram primeiro. o que gera uma tributação maior. as mercadorias últimas a entrar no estoque. com valor unitário de R$ 10. um menor resultado bruto. pelo método PEPS. no confronto com as Receitas de Vendas. A coluna saldo vai apresentar o custo em estoque do momento.00.br . mais benéfica ao Estado. já que apresentará um CMV menor e. uma menor base tributária e uma menor arrecadação de tributos para o Estado. as mercadorias mais antigas apresentarão valores mais baixos. ENTRADA SAÍDA SALDO Data Valor Valor Valor Quantidade Total Quantidade Total Quantidade Total Unitário Unitário Unitário 15/2 100 10. conforme mencionado acima. com valores mais elevados. por consequência. apresentariam valores maiores e. pela lógica descrita acima. O total dessa saída foi de R$ 860.00 1000 100 10 1000 100 10 1000 20/2 60 11. o saldo apresenta 80 unidades. enquanto que o Custo das Mercadorias Vendidas está baseado nas compras mais antigas. Método UEPS (Último que entra.contas.00. totalizando R$ 800. www.29 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Em conclusão. num ambiente inflacionário. pelo processo inflacionário.00 660 60 11 660 60 11 660 10/3 80 10 800 20 10 200 25/3 40 10 400 40 10 400 Soma 160 1660 120 1260 40 10 400 Método UEPS Na coluna da saída podemos identificar que a venda de 80 unidades de mercadoria consumiu 60 unidades adquiridas mais recentemente. A tese é a de que as compras recentes.cnt. não aceito pelo fisco. Já o Custo das Mercadorias Vendidas apresentará um valor mais recente e. o que diminui a base de tributação. por consequência. Este é o método aceito pelo fisco. Após a primeira venda (10/março). isto é. Assim. um maior resultado bruto. em tese com valores mais baixos.

38 415. o valor unitário do estoque é encontrado a partir da divisão do valor total do custo do estoque pela quantidade de itens.00 1.38 830.000.38¹ 1660 10/3 80 10.00 660 160 10.00 1.38 830.00 www.00.38 415.60 1.00.00 2. Método do Custo Médio Segundo este método. Nesse caso.40 80 10. Vejamos o exemplo já citado. A Receita de Vendas é de R$ 2.260. totalizando R$ 400. nesse caso.20 Soma 160 1660 120 1245.014. Na tabela abaixo.220. O estoque final.00.00. o estoque é avaliado pelo valor médio do custo do estoque existente.30 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves A segunda venda.260.00 RCM 1.260. ocorrida em 25/março.00 e o Resultado com Mercadorias (RCM) será de R$ 1. há saída de 40 unidades ao custo unitário de R$ 10.260.cnt.00.br .20 Método Custo Médio 1 – R$ 1660/160 = R$ 10. apresenta o valor de R$ 1. temos os valores comprados de cada um dos métodos.38 No caso do Custo Médio.00 CMV 1.40 1. aplicando o método do custo médio: ENTRADA SAÍDA SALDO Data Valor Valor Valor Quantidade Total Quantidade Total Quantidade Total Unitário Unitário Unitário 15/2 100 10.040.contas. o valor médio de cada unidade em estoque se altera pela compra de outras unidades por um preço diferente.20 40 10. também denominado “média ponderável móvel”. Perceba a diferença entre os valores obtidos pelos dois métodos: PEPS Custo Médio UEPS Receita de Vendas 2. obtido da coluna saída. o CMV de R$ 1.260.00 2.260. fica com um custo de R$ R$ 400.00.60 40 10.260.245.000. O Custo das Mercadorias Vendidas.00 1000 100 10 1000 20/2 60 11.40 25/3 40 10.38 415.

a empresa preocupa-se com seu estoque inicial. conforme o gráfico abaixo. há a venda dos produtos. depois compra produtos para revendas. alguns produtos podem ser devolvidos ou mesmo serem adquiridos com desconto. Esses fatos podem ser devoluções e abatimentos. confrontando a receita de vendas com o custo das mercadorias vendidas. na composição do seu estoque para posterior venda. Em derradeiro momento há a apuração do resultado do exercício. que tem por objetivo a venda de produtos. O ciclo operacional de uma empresa. Assim. Em seguida. concentra-se.contas. que pode ser inclusive zerado. www. descontos comerciais.31 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Módulo II Aula 5 – Fatos que alteram valores de Compras e Vendas Diversos fatos podem alterar os valores das compras e vendas afetando o custo das mercadorias. resumidamente.cnt. Nessa compra. o que também pode ser influenciada pela devolução ou concessão de descontos.br . gastos com transportes e descontos financeiros.

contas.00.00. possua estoque inicial de mercadorias no valor de R$ 5. vamos supor que uma empresa. tanto na compra quanto na venda das mercadorias.R$ 2. gerando as mercadorias disponíveis no período.00 de abatimento. Em razão de avarias.br .R$ 250. após a soma com o saldo do Estoque Inicial. (15/3/20X5) Lançamento de Compra das Mercadorias D – Estoque de mercadorias C – Caixa (ou Clientes) -----------------. Vamos verificar a contabilização desses fatos (devoluções e abatimentos).000. A título de exemplo. Ocorre que em razão de problemas nas mercadorias.350. devolveu R$ 400.000. recebeu em devolução mercadorias no valor de R$ 500.00. pode-se devolver ou conceder/receber abatimento sobre o valor da mercadoria.00 e concedeu abatimento no valor de R$ 300. pela qualidade ou outra característica que possa ser negativa.00. Em 20/3/20X5 vendeu mercadorias por R$ 5.000.cnt.00 Lançamentos no caso de Devolução (na compra): D – Caixa (ou Fornecedores) C – Estoque de Mercadorias (Devoluções de Compras) ----------. Considerando as informações acima. veja como fica a contabilização dos fatos.00.000.R$ 400.32 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves  Devoluções e Abatimentos Quando há alguma discrepância nas mercadorias.00 Os valores de devoluções e abatimentos sobre compras devem ser subtraídos de compras brutas.00 de mercadorias e obteve R$ 250. www. em 10/3/20X5. Em 15/3/20X5 comprou mercadorias pelo valor de R$ 2.00 Lançamentos no caso de Abatimento (na compra): D – Caixa (ou Fornecedores) C – Estoque de Mercadorias (Abatimento sobre Compras) ----------. O estoque final de mercadorias corresponde a R$ 4.

) Devoluções -----------------.R$ 400.000.R$ 5.00 Lançamentos no caso de Abatimento (na venda): D – Receita de Vendas (Abatimento sobre Vendas) C – Caixa (ou Clientes) ----------.R$ 250.350.200.) Devoluções -----------------.R$ 2.00 ( + ) Compras --------------------. considerando as operações conjuntas de compra e venda desta empresa.33 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves (20/3/20X5) Lançamentos de Venda de Mercadorias: D – Caixa (ou Clientes) C – Receita de Vendas ----------. Assim.R$ 300.00 ( .00 ( .cnt.00 ( .00 ( .) Abatimentos ----------------.000.R$ 5.000.R$ 4.R$ 500.00 ( .00 ( .00 Importante notar que os saldos das contas de devoluções ou abatimentos serão confrontados com o saldo das vendas a fim de se apurar o valor das vendas líquidas.00 ( = ) Mercadorias Disponíveis no Período ----.000.00 Lançamentos no caso de Devolução (na venda): D – Receita de Vendas (Devoluções de Vendas) C – Caixa (ou Clientes) ----------.contas.R$ 4.000.350.200.R$ 5.00 * A Demonstração do Resultado do Exercício será estudada mais detidamente no Módulo III deste Curso Contabilidade Básica.) Abatimentos ----------------.) Estoque Final --------------.R$ 6.R$ 2.R$ 300.00 ( = ) Vendas Líquidas ----------.R$ 500.) CMV Estoque Inicial -------------.00 ( = ) CMV -------------------------. www.00 ( = ) Resultado c/ Mercadorias (Lucro Bruto) = R$ 2. teríamos a seguinte representação na Demonstração do Resultado do Exercício: * Demonstração do Resultado do Exercício Vendas ----------------------------.br .

000. representando R$ 1.00. como dissemos. é registrado posteriormente.R$ 1. com vencimento em 30/10/20x1. por exemplo. poderá obter um desconto de 10%. se a Empresa Alfa deve a fornecedores o valor de R$ 10. O procedimento de registro contábil pode ser o mesmo exemplificado quanto a devoluções e abatimentos.34 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves  Descontos Comerciais São concedidos pelo vendedor a favor do comprador. Os descontos comerciais são contratados no ato da venda. baixa qualidade etc.00 C – Diversos C – Caixa/Bancos ----------------------------.000.cnt. Vejamos. como fica a contabilização desse desconto obtido ou desconto financeiro ativo ou receita de desconto: D – Fornecedores --. Assim.000. como avaria. Podemos mencionar duas espécies de descontos financeiros: os obtidos e os concedidos.000. também denominados descontos financeiros ativos ou receita de descontos são descontos obtidos na liquidação antecipada de obrigações.  Descontos Financeiros São prêmios oferecidos em razão de pagamentos e/ou recebimentos de dívidas (obrigações) ou valores a receber (direitos).contas. o abatimento.R$ 10. de alguma discrepância na mercadoria.00. agora. Diferem do abatimento.00 C – Descontos Financeiros Obtidos -----. após a venda.000. Os descontos financeiros obtidos. ao antecipar esse pagamento para o dia 15. por que este.R$ 9. em razão.br .00 www.

R$ 800. poderá conceder um desconto de 10%. por exemplo.contas. a débito da conta de Apuração. do seguinte modo: D – Descontos Financeiros Obtidos C – Apuração do Resultado do Exercício (ARE) --.R$ 800.200. agora. Nesse caso.00.000. ao receber esse valor antecipadamente no dia 15. também denominados descontos financeiros passivos ou despesa de descontos são descontos concedidos no recebimento antecipado de direitos.R$ 7.00 A conta Descontos Financeiros Concedidos (Despesa Financeira) deverá ser encerrada. quando da apuração do resultado do exercício.R$ 1. cujo prazo final para recebimento é 25/10/20x1.00 D – Caixa/Bancos --------------------------------------.000. como fica a contabilização desse desconto concedido ou desconto financeiro passivo ou despesa de desconto: D – Diversos C – Duplicatas a Receber --. se a Empresa Alfa tem Contas a Receber (de Clientes) de R$ 8.R$ 8.35 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves A conta Descontos Financeiros Obtidos (Receita Financeira) deverá ser encerrada.br .000. do seguinte modo: D – Apuração do Resultado do Exercício (ARE) C – Descontos Financeiros Concedidos ---------. quando da apuração do resultado do exercício.00 Já os descontos financeiros concedidos.00 www. Vejamos.00.cnt. a crédito da conta de Apuração.00 C – Descontos Financeiros Concedidos ------------. representando R$ 800.

no valor de R$ 8. pois o custo real de uma mercadoria adquirida é composto por gastos necessários à colocação do produto em condições de vendas.50 (R$ 1. o total da compra é R$ 1.00.00 e não apenas R$ 50.00. e paga-se fretes e seguros para alocar a mercadoria em estoque. se uma empresa adquire 100 unidades de determinada mercadoria ao valor unitário de R$ 10. por exemplo. o custo real dessa mercadoria será R$ 58. por R$ 50.000.R$ 150.contas.00.00. Portanto. “gastos com transportes e outros”. devem-se observar esses gastos que interferem no custo real da mercadoria e que será refletido quando da venda da mesma. www.R$ 1. isto é. Porém. tem gastos com fretes.000. A empresa acima apresentará no seu registro de estoque 100 unidades ao custo unitário de R$ 11. quando se adquire uma mercadoria.000. se ainda assim.00/100).000.00. esse valor deve ser alocado no custo do estoque. No caso.00 C – Caixa ou Fornecedores --------------------------.00.000.00. Assim.150.R$ 1.cnt.150.36 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves  Gastos com Transportes e Outros Deve-se ter muita atenção neste ponto.00 D – Custo de Frete ------------------.000. digamos no valor de R$ 150. do seguinte modo: D – Compra de Mercadorias ---.br .

ou seja.cnt. O ICMS é considerado. ICMS. Duas observações devem ficar bem claras: 1) Se o comprador de uma mercadoria não for contribuinte do ICMS.contas. O ICMS é o imposto mais comum entre as operações realizadas pelas empresas comerciais. o valor do imposto não fará parte do custo da www. isto é. Alertamos que não vamos estudar em profundidade as características dos tributos aqui mencionados. o IPI e o PIS/Cofins. podendo ter ICMS a recuperar ou ICMS a recolher. Essa sistemática de apuração do ICMS refletirá no custo das mercadorias adquiridas e vendidas. ainda que as operações e as prestações se iniciem no exterior. IPI e Pis/Cofins: ICMS Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação.37 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Módulo II Aula 6 – Tributação nas operações mercantis (IPI. compensa o tributo pago nas compras em confronto com o ICMS sobre vendas. pois seu valor está incluído no valor das mercadorias constantes da Nota Fiscal. a partir da apreensão dos conhecimentos aqui disseminados. 2) Se o comprador da mercadoria é contribuinte do ICMS (comerciante). as características gerais do ICMS. o que será apurado ao final de um período. Vejamos. o comerciante. Assim. o imposto fará parte do custo mercadoria. aplicar e dominar a lógica dos lançamentos e efeitos dos tributos acima mencionados no patrimônio de uma entidade. pois são tratados mais especificamente na disciplina Contabilidade Tributária.br . É considerado imposto não cumulativo. é possível compreender. PIS/COFINS) Os principais tributos envolvidos nas transações com mercadorias (compras e vendas) são o ICMS. imposto por dentro. No entanto. agora. também. A instituição do ICMS é de competência estadual. o contribuinte do ICMS. se esse adquirente não tem ânimo de comerciante. o valor pago em uma operação (pelo contribuinte desse imposto) é compensado do valor do imposto a pagar na operação subsequente.

pelo Comerciante intermediário. Veja o gráfico abaixo: www. Já na venda.contas. A lógica é que o intermediário (Comerciante) pagou esse imposto na aquisição. como fica a apuração do ICMS dessa empresa? Resolução: De forma bem prática e direta nós teremos as seguintes situações: a) Nas compras: Como a empresa é contribuinte do ICMS.cnt. conforme vimos acima. Considerando somente estes fatos contábeis. deve-se expurgar do custo das mercadorias o valor desse imposto e lançá-lo em conta de “direito”. Vejamos agora um caso prático de apuração do ICMS.000. O Comerciante.38 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves mercadoria. deve apurar se tem ICMS a compensar ou ICMS a recolher. ao Vendedor. à vista.00 com incidência do ICMS de 12%. o Comprador final. em 1º de maio. intermediário da transação. conforme mencionado acima. passível de ser abatido do ICMS da operação seguinte (ICMS a Recolher).br . Uma empresa comercial adquire à vista. Nesse caso. mercadorias pelo valor de R$ 10. aplica-se a regra da não cumulatividade ou da compensação do ICMS. No dia 15 de maio vende. pagará o imposto a esse Comerciante. o total de mercadorias por R$ 30.000.00 incidindo ICMS de 17%.

vamos apurar a Conta ICMS. o comerciante possui contas patrimoniais de ICMS (ICMS a Recuperar ou ICMS a Recolher).100.800.000.00 de ICMS a Compensar. www.00.000. encontramos o saldo de R$ 3.00 D – Custo das Mercadorias Vendidas C – Estoque de Mercadorias -----------------------.200.00.000.00 Apuração da Conta ICMS Nas operações de compras e vendas acima. o custo da mercadoria adquirida é de R$ 8. para apuração do ICMS a Recolher. Neste caso.00. conforme segue: D – Caixa C – Receita de Vendas ------------------------------------------. Logo. o terceiro.00. Dois para apuração de vendas e custos e.00 C – Caixa -------------------------------------------------------------.800.900. temos 12% X R$ 10.contas.R$ 10.R$ 5. aqui três lançamentos.200. Assim. Neste momento.R$ 8.100.800. agora. fazendo-se o confronto das contas.39 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Fazendo-se os cálculos.00 D – ICMS s/ Vendas (Despesa) C – ICMS a Recolher -------------------------.200.200. aplicando-se a subtração R$ 10. o lançamento contábil deste fato: D – Estoque de Mercadorias ---------. e conforme demonstrado no gráfico. teremos.R$ 8.R$ 30.00 b) Nas vendas: No dia 15 de maio a empresa vende o total das mercadorias por R$ 30. tem saldo de R$ 1. incidindo 17% de ICMS.00. A conta ICMS a Recuperar (ou a Compensar).R$ 1. Vejamos.00.000.br .000. Já a conta ICMS a Recolher tem saldo de R$ 5.00 D – ICMS a Compensar ---------------.00 – R$ 1.00 = R$ 1.cnt.

www.000 X 10% = 500. não constitui despesa nem receita. O IPI é considerado um imposto por fora. Logo o IPI é igual a R$ 500. O controle do IPI é efetuado por meio de contas patrimoniais. o valor do imposto pode ser recuperado ou abatido na operação seguinte.cnt.500. isto é.00. no caso de empresas comerciais ou que não tenham fins industriais. o imposto será considerado como custo da mercadoria.00 e alíquota do IPI (10%). Exemplo: Valor Bruto da Mercadoria: R$ 5. Quando o IPI for considerado não recuperável. É recuperável quando a transação for feita por uma indústria. seguindo o mesmo raciocínio que apresentamos na contabilização do ICMS. Pode ser recuperável ou não. Fazendo-se o cálculo teremos: 5.40 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves IPI O Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) é um imposto de competência federal incidente sobre operações de empresas industriais ou de transformação. consideradas industriais. O IPI.contas. pois o seu valor é calculado sobre o valor bruto da mercadoria.00.00 e o total da Nota Fiscal é R$ 5.br .000. contrariamente ao que vimos na apuração do ICMS.

cnt. IPI + ICMS A título de esclarecimento.br . variando conforme seus contribuintes sejam pessoas jurídicas de direito privado. Segundo a Receita Federal do Brasil. em geral. www. Nesse caso. sindicatos e templos. IPI e descontos incondicionais em operações cujos impostos são recuperáveis.contas. 065% para o PIS e de 3% para o COFINS no regime de incidência cumulativa. de competência federal. público ou contribuintes especiais. devendo-se observar se é possível a recuperação ou não da Contribuição. a empresa tem como finalidade tanto a industrialização quanto a comercialização das mercadorias. tais como instituições de educação e de assistência social sem fins lucrativos. vamos abordar fatos contábeis que apresentam operações concomitantes tanto de ICMS. As alíquotas são. incidente sobre a Receita Bruta de Vendas e Serviços. COFINS significa Contribuição para Financiamento da Seguridade Social. sendo contribuinte do IPI e do ICMS.41 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves PIS/COFINS PIS significa Programa de Integração Social. estas duas contribuições possuem regras bastante similares. A contabilização do PIS/COFINS obedece à mesma lógica da contabilização do ICMS. incidente também sobre a Receita Bruta de Vendas e Serviços.

Valor Bruto -------------------------. A partir daí aplica-se a alíquota do ICMS.00 ICMS (17%) ------------------------.000.00 (-) Desconto Incondicional -----.00 (-) Desconto Incondicional -----.00 = Total da Nota Fiscal ----------. O Desconto incondicional não interfere na base de cálculo do IPI.R$ 4. ICMS (17%) e Desconto Incondicional. ou seja. Valor Bruto -------------------------. www. ou seja.R$ 10.000. ICMS (17%) e Desconto Incondicional. 2) Venda de Mercadoria com incidência do IPI (10%).R$ 32.R$ 10.00 Observações: O IPI incide sobre o valor total bruto da mercadoria.R$ 3.000.R$ 1.contas. O Desconto incondicional não interfere na base de cálculo do IPI.00) + IPI (10%) -------------------------.42 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves 1) Compra de Mercadoria com incidência do IPI (10%).564.000. subtrai esse valor.R$ 1.R$ (800.00 Observações: O IPI incide sobre o valor total bruto da mercadoria.930. Não entra na base de cálculo do ICMS o valor do IPI. subtrai esse valor.00 = Total da Nota Fiscal ----------.R$ (1. Já a base de cálculo do ICMS considera o desconto incondicional.00) + IPI (10%) --------------------------.br .00 ICMS (17%) -------------------------. Já a base de cálculo do ICMS considera o desconto incondicional.200. A partir daí aplica-se a alíquota do ICMS.R$ 30.cnt. Não entra na base de cálculo do ICMS o valor do IPI.000.000.

00 de ICMS. a empresa não tinha estoque de produtos e durante o ano de 2013 as seguintes transações de compra e venda de mercadorias foram realizadas: 1.000. em reais.00. duas questões solicitadas em concursos públicos.000.880.00 e.00.320.43 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Resolução de Questões Vamos abordar.00 de IPI e R$ 12. (B) 21.A. Compra de mercadorias no valor total de R$ 115. (D) 3.00 de ICMS incidente sobre a venda. A empresa vendeu 60% do estoque total disponível pelo preço de R$ 74. agora.cnt.320. 2.00. (A) 12.000.200. já está incluído o valor de R$ 8. Vamos resolver passo a passo a questão?! www.00. (C) 5.br . atua na compra e venda de produtos populares e é contribuinte unicamente do ICMS. A empresa Comercializadora de Bugigangas S. explicando como deve ser a resolução das mesmas: Questão 1 (Concurso Auditor Fiscal da Fazenda Estadual – Piauí – FCC/2015) 43. (E) 3. O valor do Resultado Bruto com Vendas apresentado na Demonstração do Resultado de 2013 foi.00. estando incluídos neste preço os valores de R$ 15.000. neste preço.000. No início do ano de 2013.880.contas.00.

somar o valor do IPI com o que restou do saldo do estoque.00  Agora somamos R$ 88. já que esta empresa não irá recuperar este imposto no futuro.00 X 12% (ICMS) = R$ 12.000.000. resta-nos encontrar o custo de aquisição do estoque. Assim. conforme o comando da questão.00 = R$ 103.00? Vejamos o cálculo direto: R$ 115. Como ficariam os cálculos levando em consideração o valor da nota fiscal de R$ 115.00.cnt. Mas isto fica fácil neste caso por que o valor do ICMS foi dado. poderíamos simplesmente subtrair R$ 115. seria: R$ 115. em resumo. Temos a informação de que o estoque inicial é igual a zero. Agora o cálculo indireto (como deve ser): R$ 115.00 (ICMS) = R$ 88.000. verificamos que o pedido é que encontremos o Resultado Bruto com Vendas. como a empresa é contribuinte apenas do ICMS. inicialmente. Dito isto. www.00 – R$ 12.br .00.00? Bastaria aplicar 12% sobre R$ 115.00  R$ 100. na Demonstração do Resultado do Exercício (DRE).00 = R$ 101.000.44 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Resolução: 1º Passo: Observando a questão.000.XXXX (-) Custo das Mercadorias Vendidas ----.000.00.XXXXX 2º Passo: Vamos encontrar o custo das mercadorias compradas.00  R$ 100.000.00 = R$ 103.000. já vimos exemplos da mesma na Aula 5 do Módulo II.000.00 X 12% (ICMS) = R$ 13.000 + R$ 15.00 + R$ 15. temos que fazer os seguintes cálculos: R$ 115.000.000.000.000 – R$ 15.000 + R$ 15.00.(xxx) (=) Resultado Bruto com Vendas --------.00 (IPI) = R$ 100. Assim. livre do ICMS. Assim.800. o pedido.(xxxx) (=) Vendas Líquidas ------------------------.00 =  Agora somamos R$ 88.000.contas.000.00 – R$ 15. Porém.000  R$ 88. o custo do estoque.00. é que façamos o seguinte cálculo: Receita de Venda --------------------------. o valor do IPI da base de cálculo do ICMS e.200.000.000.000.000.00  R$ 100.000.00 com IPI de R$ 15.00 (IPI) = R$ 100. Devemos observar que.00 = R$ 88. Agora vejamos a seguinte situação.00 – R$ 13.000.00. O ICMS é dado em percentual de 12%.000. de forma direta (que não é o correto). ao final. temos que excluir.000. Embora ainda não tenhamos estudado especificamente a DRE.000.000.000.00 = R$ 103.800. Isso por que o IPI não entra para a base de cálculo do ICMS.00 – R$ 12.00 – R$ 12. o valor do IPI entra para o custo da mercadoria. Observação importante: à primeira vista.XXXX (-) ICMS S/Vendas --------------------------.

contas. A questão fala que a empresa vendeu 60% do estoque total disponível.00 – R$ 8. ao final.45 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Portanto. então. Aquela significa obrigação. A conta ICMS a Recolher deve ser confrontada com a conta ICMS a Recuperar ou a Compensar.00. já incluso ICMS de R$ 8. Voltando ao caso em análise. O valor do ICMS sobre Vendas deve ser subtraído do valor da Receita de Vendas. de obrigação (Passivo).R$ 8.00. esta.00 (Estoque Disponível) = R$ 61.120.880. em transações futuras. 3º Passo: De posse do custo do estoque (R$ 103.(8.3. vamos. confrontar com o custo das mercadorias vendidas para encontrar o Resultado Bruto.320. teríamos.880.00 é considerado despesa do período e será identificado como ICMS sobre Vendas (ICMS s/ Vendas).00 (-) ICMS S/Vendas ------------------------------.00.00 (-) Custo das Mercadorias Vendidas -------.00. direito. Esse ICMS de R$ 8.000.320. posteriormente.120. resultado do cálculo de R$ 74. 4º Passo: Vamos encontrar agora o Custo das Mercadorias Vendidas (CMV) e confrontá-lo com as Vendas Líquidas do ICMS.00 Perceba que a conta ICMS sobre Vendas é uma conta de resultado. já que ambas são contas patrimoniais.(61. Assim. Já a conta ICMS a Recolher é uma conta patrimonial.br .00 = R$ 3. é que se faz a apuração do ICMS para saber se a empresa tem ICMS a compensar ou a recuperar. o cálculo seria 60% X R$ 103. Temos a informação de que ocorreu venda no valor de R$ 74. pois é uma despesa. Assim.800. ou ICMS a Recolher.00 (ICMS s/Vendas).000.00) (=) Vendas Líquidas -----------------------------.000.000. muito cuidado no cálculo dos custos quando a questão envolver impostos recuperáveis e não-recuperáveis. Outro ponto a destacar é como ficaria este lançamento do ICMS s/Vendas: D – ICMS s/ Vendas (Despesa) C – ICMS a Recolher --------------------.000.800.880. Vejamos a DRE: Receita de Venda -------------------------------.cnt. calcular as vendas e.800. R$ 65.00).00. agora. Veja o quadro da DRE acima. que significa o Resultado Bruto com Vendas.00) (=) Resultado Bruto com Vendas ------------. Fazendo-se o confronto.00 Resposta: Letra “D”.74. www.00 – R$ 61.880.120. verificamos que resta o valor de R$ 65.800.65.

00. se for avaliado a UEPS.cnt. As operações de compra e venda foram tributadas com ICMS de 10%.500. b) R$ 1.00.388.br .data 05/10 . se for avaliado a PEPS. em outubro de 2001.46 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Questão 2 (Concurso Analista de Finanças e Controle da Secretaria Federal de Controle Interno [AFC/SFC] – ESAF/2002) 08) Abaixo está demonstrado o fluxo de entradas e saídas da mercadoria Alfa da empresa Beta.00 .data 03/10 .data 02/10 . e) R$ 1.00 .800.00. www.contas. d) R$ 1.530. no caso o ICMS.70 e com base no fluxo demonstrado acima.vendas 300 unidades preço de fatura R$ 1.00 .data 10/10 . se for avaliado a PEPS.00.vendas 400 unidades preço de fatura R$ 1.00 .data 16/10 Sabendo-se que o estoque em primeiro de outubro constava de 100 unidades ao custo unitário de R$ 2.00 . gostaria de chamar atenção para alguns detalhes importantes.200. c) R$ 1. pode-se dizer que o estoque de mercadorias em 31/10/01 terá o valor de: a) R$ 1.compras 600 unidades preço de fatura R$ 1. bem como a contabilização de impostos. se for avaliado a Preço Médio.vendas 300 unidades preço de fatura R$ 1.00.080.compras 200 unidades preço de fatura R$ 800. Primeiramente você deve notar que esta questão aborda conhecimentos sobre controle de estoques.data 15/10 .800.compras 500 unidades preço de fatura R$ 2. Resolução: Antes da resolução da presente questão.00 . se for avaliado a Preço Médio.440.600.500. .

o que poderia prejudicar a resolução de outras questões até mais fáceis e diretas. quanto à contabilização do ICMS. UEPS. Outro ponto a destacar é que essa questão foi produzida em 2002. www. o valor do custo das compras já está livre do ICMS. o tempo para a resolução da questão seria ainda maior. A característica das questões produzidas pela ESAF gira em torno mais do trabalho braçal (cálculos). a compra ocorrida em 02/10. senão testar os métodos. o valor do ICMS deve ser retirado do valor do custo da mercadoria. Assim. Não há outra saída. Dessa forma. já que a questão quer saber qual é o estoque de mercadoria em 31/10/01.800. conforme comando da questão. você deve atentar para as datas dos fatos contábeis. não seguindo a sequência apresentada na questão. portanto. Assim. FGV e Cespe. Voltando para a questão em si. testando- se os métodos de controle de estoque (PEPS. Optando-se por primeiramente fazer os cálculos pelo método PEPS. os métodos PEPS e UEPS e verificar qual deles responde à questão. Vamos às planilhas de controle dos custos de estoque. uma vez que exige vários cálculos. caso você fizesse os cálculos pelo Preço Médio. o custo dessas mercadorias é representado pelo valor de 1620 (1800 – 10% de 1800). trata-se de uma empresa contribuinte do ICMS.contas. Ainda assim. ou seja.cnt. na sequência. em seguida. Nos cálculos que apresentamos nas tabelas abaixo. a exemplo da FCC. é o fato de que devemos nos preocupar com o ICMS apenas no cômputo da compra.br . é necessário observar que tal imposto tanto incide na compra quanto na venda. Outro ponto que merece atenção. de início já excluiríamos as alternativas “a”. Veja que. “d” e “e”. Perceba que esta é uma questão produzida pela Escola de Administração Fazendária (ESAF). Pelo menos essa era a realidade dessa banca nos anos 2000. no final do período. vamos abordar. na planilha de custos esse valor já está expurgado de 10% do ICMS. em razão do fator tempo. percebendo que há uma compra e. No mais. cuja linha de raciocínio pode ser solicitada a qualquer momento por qualquer uma das bancas mais importantes da atualidade. a questão é trabalhosa.47 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Em seguida. uma venda. é uma questão atual. A título de exemplo. Custo Médio). de 600 unidades por 1.

cnt.50 1800 UEPS DATA FATO QUANTIDADE CUSTO DO ESTOQUE 1º/10 Estoque Inicial 100 270 2/10 Compra 600 1620 3/10 Venda (400) X 2.70 270 200 X 4.70 (810) Estoque Parcial 300 810 5/10 Compra 200 720 10/10 Venda (300) X 2. www.70 270 31/10 Estoque Final 100 X 2.70 540 5/10 Compra 200 720 (200) X 2.48 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves PEPS DATA FATO QUANTIDADE CUSTO DO ESTOQUE 1º/10 Estoque Inicial 100 270 2/10 Compra 600 1620 (100) X 2.70 (270) 100 X 2.70 270 Estoque Parcial 100 X 2.contas.br .70 (810) Estoque Parcial 200 720 15/10 Compra 500 2250 (200) X 3.50 900 Total 1440 Resposta: Letra “C”.70 270 15/10 Compra 500 2250 16/10 Venda (300) X 4.60 (720) 16/10 Venda (100) X 4.50 (1350) 100 X 2.70 (720) 10/10 Venda (100) X 2.50 (450) 31/10 Estoque Final 400 X 4.70 (1080) 100 X 2.70 270 Estoque Parcial 200 X 2.70 (270) 3/10 Venda (300) X 2.

00 Outras obrigações a pagar (Seguros a pagar) 8. sendo 30% pago à vista e 70% a prazo.000.400.600.00 Prêmios de seguros a apropriar (Despesas de 1.br . Como exemplo temos os prêmios de seguros pagos antecipadamente. por um período de 12 meses. em 1º de março de 20X0. pelo valor de R$ 12. pelo período de um ano ou exercício. por exemplo. a) Qual a despesa mensal a ser reconhecida na apuração do resultado? b) Qual a despesa incorrida com seguros até 31/12/20X0? Vejamos os lançamentos contábeis: I – Quando da contratação da apólice Contas Débito Crédito Prêmios de seguros a apropriar (Despesas de 12.000. porém.49 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Módulo II Aula 7 – Tópicos Especiais Nesta aula vamos tratar de alguns tópicos específicos a fim de esclarecer fatos que impactam o patrimônio contábil.00 II – Quando do reconhecimento da despesa (1º de abril e meses seguintes) Contas Débito Crédito Despesas com seguros 1.cnt.contas. por exemplo.00 períodos seguintes) Disponibilidades 3. a cobertura do seguro perdurará.000. podemos ter: Uma empresa contratou um seguro para veículos.00.000.00 períodos seguintes) www. O pagamento do prêmio de seguros não representa inicialmente uma despesa. Despesas Antecipadas Despesas antecipadas são aplicações de recursos em despesas (pagamentos) cujos benefícios ou prestação de serviços à empresa ocorrerão em momento posterior. já que a cobertura do seguro somente incorrerá mês a mês até completar o período de um ano contratado. Assim.

00. mas ainda não utilizados. temos 10 meses X R$ 1. d) assinaturas e anuidades a apropriar. b) bilhetes de passagens adquiridos. No Plano de Contas.000.00. dependendo do prazo de realização das despesas.000. “custos a amortizar” (conta devedora). c) comissões comerciais pagas relativas a benefícios ainda não usufruídos. até a conclusão da cobertura do seguro. Assim. a exemplo de “desconto de duplicatas” (conta credora).br . “encargos financeiros a transcorrer” (conta devedora).contas. “desconto de notas promissórias” (conta credora). Essa despesa é proporcional no tempo. A despesa anual será de 1º de março a 31 de dezembro.00. Devemos ter atenção no tratamento de algumas contas pertinentes a esta rubrica.cnt. e) outros custos e despesas pagos antecipadamente.50 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves A despesa mensal a ser reconhecida na apuração do resultado é de R$ 1. Logo. a despesa incorrida com seguros até 31/12/20X0 é de R$ 10. São também exemplos de despesas antecipadas: a) aluguéis já pagos relativos a períodos de utilização do imóvel posteriores à data de encerramento do Balanço. a conta “Despesas Antecipadas” é classificada no Ativo Circulante ou Ativo Não Circulante – Realizável a Longo Prazo. Financiamentos Bancários As operações de empréstimos e financiamentos estão atreladas às necessidades de caixa das empresas para a manutenção ou expansão de suas atividades. mês a mês. O Plano de Contas apresenta a seguinte composição quanto às contas mencionadas: No Passivo Circulante No Passivo Não Circulante Financiamentos bancários a curto prazo Empréstimos e financiamentos a Longo Prazo Desconto de duplicatas Credores por financiamento Desconto de notas promissórias Títulos a pagar Títulos a Pagar Custos a amortizar (conta devedora) Encargos financeiros a transcorrer (conta Custos a amortizar (conta devedora) devedora) Encargos financeiros a transcorrer (conta devedora) Devemos ter bastante atenção nas características das contas que vamos analisar a seguir: www.000.

000.00 IV – Quando da apropriação dos encargos financeiros restantes.redutora do Passivo) Duplicatas Descontadas 10. Contas Débito Crédito Duplicatas a Receber (Clientes) 10.000.00 como juros. R$ 300. Duplicatas Descontadas.00 .cnt. O desconto de duplicatas tem como essência uma operação de financiamento com vistas a financiar seu capital giro. A empresa deverá registrar as Duplicatas Descontadas no Passivo Circulante (conta credora). descontadas em banco 60 dias antes do seu vencimento.00 Encargos financeiros a transcorrer 500.00 Encargos financeiros a transcorrer 500.000. Contas Débito Crédito Despesas financeiras 500.00 II – Quando do desconto das duplicatas em instituição financeira e recebimento do valor líquido Contas Débito Crédito Bancos 9.00 foram retidos como despesas bancárias e R$ 700. Caso o cliente não efetue o pagamento da sua dívida (duplicatas). contra a conta de Bancos. Foram recebidos R$ 9.00 III – Quando da apropriação dos encargos financeiros 30 dias após o desconto.00.00 Receita de Vendas 10.br .00 Encargos Financeiros a Transcorrer (conta devedora 1.000.000.000.51 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Desconto de Duplicatas As empresas podem recorrer às instituições financeiras para captar recursos utilizando-se de títulos emitidos por elas próprias contra clientes. Contas Débito Crédito Despesas financeiras 500.000. a exemplo de duplicatas. na conta Encargos Financeiros a Transcorrer.00. o banco cobrará a dívida da própria empresa que então registrará a baixa do passivo. Vejamos um exemplo: uma empresa possui Duplicatas a Receber no valor de R$ 10. Trata-se de um desconto que nada mais é que um recebimento antecipado de um título de crédito. sendo que os encargos financeiros cobrados pelo banco serão classificados no Balanço como redução do passivo correspondente (conta devedora – redutora do Passivo). Os registros contábeis seriam: I – Quando da realização de venda a um cliente com emissão de duplicata.contas.00 www.

mas não as atualizações monetárias ou variações cambiais de empréstimos. Exemplo: Títulos a Receber (Empréstimos Feitos a Terceiros) Receitas Financeiras a Transcorrer Contas Débito Crédito Empréstimos a Receber 12.000.contas.52 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves V – Quando da liquidação do título pelo cliente.000. A contabilização dos juros a receber deve seguir o regime de competência. www. Quanto às Receitas Financeiras a Transcorrer.00 Receita Financeira a Transcorrer (conta credora) 2.00 Caixa 10.00 Títulos a Receber São valores que a empresa tem a receber originadas de Renegociação de Contas a Receber com Clientes.00 Clientes 10.000.00 Receita Financeira (Juros) 2. ou seja.000. A contrapartida é registrada em Receita Financeira. Empréstimos a Receber de Terceiros. as quais são registradas separadamente nas Variações Monetárias (Manual de Contabilidade Societária. e Receitas Financeiras a Transcorrer (conta credora). de acordo com o reconhecimento ou realização desse juro em função do tempo transcorrido (pro rata temporis).000. estas representam “juros a receber” decorrentes de diversas operações nas quais os juros não sejam agregados aos próprios títulos a receber. de Devedores por Venda de item do seu Ativo Permanente.00 Reconhecimento da Receita Financeira (Juros a Receber) Contas Débito Crédito Receita Financeira a Transcorrer 2. além de outros tipos de receitas ou despesas. p. como as oriundas de aplicações temporárias em títulos. 599).000.br . Contas Débito Crédito Duplicatas Descontadas 10.cnt.000. Nas despesas financeiras (ou receitas) só se incluem os juros. os descontos e a atualização monetária prefixada.00 O que são receitas e despesas financeiras? No título receitas e despesas financeiras são incluídos os juros.

00.br .00 despesas) www.00. de natureza credora.00 Outras Receitas Operacionais (ou recuperação de 1.000.000. Recebimento de Clientes Contas Débito Crédito Caixa 50.cnt. as “contas a receber” representam um dos mais importantes ativos do seu patrimônio. deve-se reverter seu saldo com reconhecimento no resultado.00 que deviam. retratados na conta clientes/duplicatas a receber.R$ 1.000.(R$ 1.00. São valores a receber decorrentes de vendas a prazo de mercadorias e serviços a clientes.000.000.contas. A constituição da PECLD tem como contrapartida contas de despesas operacionais (Despesas de Vendas). não havendo perda alguma. que ajusta o saldo da conta Contas a Receber ou Duplicatas a Receber. Nesse sentido. ou oriundos de outras transações.000.R$ 50. No Balanço: Contas a Receber -------------------.00 Reversão da PECLD Contas Débito Crédito PECLD 1. Nesse caso. Vejamos um exemplo e as possíveis hipóteses quando do pagamento pelos clientes:  Contas a Receber de Clientes no valor R$ 50.53 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Perdas Estimadas em Créditos de Liquidação Duvidosa Nas transações normais de uma empresa.000.000. deve ser feita a estimativa de perdas em contas a receber. Ocorre que nem todo cliente vai adimplir sua obrigação.00) Hipóteses: I – Clientes pagaram R$ 50. valor que representa a incerteza no recebimento dos valores.00 Contas a Receber 50. como a PECLD não foram utilizadas.000. Essa conta denominada Perdas Estimadas em Créditos de Liquidação Duvidosa (PECLD) é uma conta retificadora. PECLD no valor de R$ 1. D – Despesas Operacionais C – PECLD ----------------------------.000.00 (-) PECLD -----------------------------.

000.000.00 www. A PECLD foi exatamente a diferença que se deixou de pagar.54 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves II – Clientes pagaram R$ 49.00. A PECLD foi insuficiente em relação à perda ocorrida no valor de R$ 4.000.000.000.00 Contas a Receber 1.000.00 Realização da PECLD Contas Débito Crédito PECLD 1.00.00.00 dos R$ 50. Recebimento de Clientes Contas Débito Crédito Caixa 45.000.00 Contas a Receber 45. uma perda complementar de R$ 4.cnt.00 III – Clientes pagaram R$ 45.000. absorvendo integralmente a perda ocorrida.00 dos R$ 50. no valor de R$ 1.000.000.00 Contas a Receber 49.00 Contas a Receber 1.00 Contas a Receber 4.contas.00 Realização da PECLD Contas Débito Crédito PECLD 1. adicionalmente. Nesse caso.000.00 que deviam.00 que deviam.00 Reconhecimento das perdas adicionais com Clientes Contas Débito Crédito Perdas com incobráveis 4. Recebimento de Clientes Contas Débito Crédito Caixa 49.000.000.br .000.000.000.000. A perda estimada foi realizada integralmente. deverá ser reconhecida.

impostos e contribuições a recolher. reservas de lucros. duplicatas a receber.cnt. receitas financeiras a transcorrer. fornecedores. O desconto de duplicatas (duplicatas descontadas) tem como essência uma operação de financiamento com vistas a financiar seu capital de giro.00 Contas a Pagar 3. Os juros serão permutativos com o valor a mais registrado em Contas a Pagar.A conta “duplicatas descontadas” representa uma aplicação de recursos. portanto. duplicatas descontadas.00 Caixa 2. 50% do valor total for pago à vista e o restante for financiado com juros. Vejamos os lançamentos: Contas Débito Crédito Despesas Financeiras $$$$ Encargos financeiros a transcorrer (Juros) $$$$ www.contas.00 89 – Assertiva CORRETA. teremos os seguintes lançamentos: Contas Débito Crédito Estoque 5. Contas a Pagar. tem-se um fato contábil misto. Gabarito Comentado: 87 – Assertiva ERRADA. Assim. 88 . respectivamente.Se. encargos financeiros a transcorrer. teremos. A Conta Estoque representará um fato permutativo com a conta Contas a Pagar e a conta Caixa.000. imobilizado. aplicações financeiras. Teremos as contas Caixa. relativos às seguintes contas: Caixa.00 Encargos financeiros a transcorrer (Juros) 500. empréstimos e financiamentos. Estoques e Juros (Encargos Financeiros a Transcorrer).000. estoques. Vamos colocar em números para resolver a questão por meio de lançamentos.00. capital social. os saldos das contas “encargos financeiros a transcorrer” e “receitas financeiras a transcorrer” serão reduzidos mediante lançamentos feitos em contas de despesas financeiras e de receitas financeiras. nesta operação.br . somente um fato contábil permutativo. 87 .Por ocasião das competências mensais. Supondo que o total de estoque seja de R$ 5.00 com juros financiados de R$ 500.000. 88 – Assertiva ERRADA. 89 .500. em uma compra de materiais para estoque.55 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Exercício (Concurso Auditor CGE-PI/2015 – CESPE/UNB) Julgue os itens subsequentes.

cnt.contas.br .56 Contabilidade Básica | Renato Santos Chaves Contas Débito Crédito Receitas Financeiras a Transcorrer $$$$ Receitas Financeiras (Juros) $$$$ www.