You are on page 1of 19

PUCRS

INSTITUTO DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA


CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GERIATRIA E GERONTOLOGIA
DISCIPLINA: METODOLOGIA DA PESQUISA
PROFESSORA: VALDEMARINA BIDONE DE AZEVEDO E SOUZA

ORIENTAÇÃO METODOLÓGICA PARA A ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA E


DO ARTIGO

APRESENTAÇÃO

As orientações apresentadas neste documento formam o conjunto de


referências metodológicas para a elaboração, orientação e avaliação da monografia
e do artigo que constituirá parte desta.
O presente documento foi elaborado com base principalmente nas diretrizes
metodológicas estabelecidas pela Faculdade de Direito/PUCRS1, não apresentando
todos os detalhes acerca da formatação. Sempre que o aluno necessite obter mais
informações sobre formatação deverá buscar resposta em livros atualizados de
metodologia científica ou no site da Biblioteca Central da PUCRS. Todos os livros,
artigos, legislação e demais documentos consultados deverão ser referenciados
durante a elaboração do texto e, após, na forma de referências bibliográficas (ao
final do artigo e ao final da monografia), utilizando-se as normas VANCOUVER,
inclusive aqueles que tratam das questões de metodologia da pesquisa,
fundamentando a origem de suas opções, resguardando-se de possíveis críticas na
avaliação do trabalho.

1. DEFINIÇÃO DO TEMA

O trabalho de conclusão do Curso de Especialização em Geriatria e


Gerontologia consiste numa monografia cujo corpo principal será formado por um
artigo científico, que constitui trabalho intelectual, resultado de uma pesquisa
científica (de revisão bibliográfica ou com coleta de dados da realidade) em que o
aluno partirá da escolha de um tema específico bem delimitado.

2. ESTRUTURA DA MONOGRAFIA

A estrutura da MONOGRAFIA é formada por elementos pré-textuais, textuais


e pós-textuais.

a) Elementos Pré-textuais
Capa: elemento obrigatório e, no padrão estabelecido pela PUCRS, contendo no
espaço central, na seguinte ordem, os elementos apresentados a seguir.
- Nome do Instituto responsável pela coordenação do Curso no alto, em
letras maiúsculas, em negrito e centralizado, seguido do nome do Curso.
- Nome do Autor: um “enter” de espaço entre o nome do Instituto e o nome
do autor, centralizado, em negrito e com a primeira letra maiúscula e as
seguintes minúsculas.
- Título da Monografia: um “enter” de espaço entre o nome do autor e o
título da monografia, centralizado, em negrito e em letra maiúscula.
- Local e Ano: um “enter” de espaço entre o título da monografia e o local e
a data, centralizados, em negrito e com a primeira letra maiúscula seguida
de minúsculas.
- Espaço entre linhas dos elementos que formam a capa deve ser de 1,5.

Folha de Rosto: elemento obrigatório, devendo conter os seguintes elementos, na


ordem a seguir apresentada.
- Nome do autor: na primeira linha da página, respeitando a margem
superior de 3 cm, centralizado e em negrito.
- Título da monografia a 11 cm da borda superior (considerando os 3 cm da
margem superior), centralizado, em negrito e em letras maiúsculas. O
título da monografia deve expressar com clareza o tema abordado e sua
delimitação.
- Indicação da natureza do trabalho (Monografia) a 17 cm da borda superior
(considerando os 3 cm da margem superior) e a 8 cm da borda esquerda
(considerando os 3 cm da margem esquerda), espaço simples entre as
linhas, texto justificado. Em seguida deve ser especificado o objetivo do
trabalho, utilizando-se a seguinte frase: Cumprimento de requisito parcial
para a conclusão do Curso de Especialização em Geriatria e Gerontologia.
- Nome do Orientador: dois “enter” de espaço e com a indicação de sua
maior titulação.
- Local e ano de entrega: ao final da página, na última linha, em negrito.

Folha de Aprovação: elemento obrigatório, que vem logo após a folha de rosto,
contendo os seguintes elementos na ordem a seguir indicada.
- Nome do Autor: na primeira linha da página, (respeitando a margem
superior de 3 cm), centralizado e em negrito.
- Título da monografia: após dois “enter” e depois do nome do autor,
centralizado, em negrito e letras maiúsculas,
- Indicação da natureza do trabalho: após dois “enter”, depois do título, no
mesmo formato da folha de rosto e contendo os mesmos elementos.
- Data de Aprovação: após dois “enter” depois da descrição da natureza,
deve ser colocada a frase, centralizada: Aprovada em ____de ______ de
_____. Os espaços do dia e mês devem ser deixados em branco para
serem colocados após a avaliação.
- Espaço para a assinatura dos membros avaliadores: após dois “enter”
depois da data de aprovação deve ser colocada a expressão “Membros
Examinadores:”, centralizada e seguida de três linhas contínuas para a
posterior assinatura dos membros examinadores. As linhas também são
centralizadas e separadas por três “enter”. Esse espaço deve conter o
nome, a titulação e a assinatura dos examinadores, bem como a
instituição a qual pertencem.

Dedicatória: elemento opcional na monografia em que o pesquisador presta


homenagem a alguém, localizada após folha de aprovação. Devem ser evitados
chavões sentimentais. Deve ser escrita na parte inferior, com margem à esquerda de
4 cm, em fonte tamanho 12.
Agradecimentos: Elemento opcional na monografia em que o pesquisador
agradece a quem colaborou na realização do trabalho, em fonte tamanho 12, com
espaço 1,5 entre linhas e alinhamento justificado. O título agradecimentos, em
negrito e logo abaixo da margem superior de 3 cm2.

Epígrafe: elemento opcional que consiste numa citação relacionada ao conteúdo do


trabalho e seguida da indicação da autoria. Deve ser escrita no final da página e
alinhada à direita em fonte tamanho 12 na monografia. No artigo deve ser escrita
após o nome do autor2. Não se usa o título Epígrafe.

Resumo em português: é obrigatório e na monografia o título deve ser escrito em


letra maiúscula, fonte tamanho 12, negrito e centralizado, a 8 cm superior, mais três
espaçamentos. No artigo o título é escrito junto à margem esquerda, seguido de dois
pontos e do texto em bloco. É um texto justificado com, no máximo, 500 palavras,
em espaço simples, fonte tamanho 10, que deve conter um resumo do trabalho
seguido, logo abaixo, de palavras-chave que indicam os principais conteúdos
abordados. O resumo deve dar destaque ao objetivo, abordagem teórica, método,
resultados e conclusões do trabalho. Esta mesma orientação é válida para a
elaboração do resumo do artigo, que constitui parte da monografia.

Palavras-chave: escritas ao final do resumo e após 2 enter, em negrito, fonte


tamanho 10, indicando os principais conteúdos de que tratam a monografia e o
artigo, separadas por hífen e, no máximo, em número de 6.

Resumo em língua estrangeira: é elemento opcional na monografia e no artigo


constará quando solicitado pelo periódico em que será publicado; deve vir na folha
subseqüente ao resumo na língua portuguesa, no mesmo formato e com a indicação
das palavras-chave, sendo uma versão do resumo na língua vernácula. (idem para o
abstract do artigo que constitui parte da monografia)

Lista de figuras: são desenhos, gravuras, fotografias, esquemas, gráficos, quadros


entre outros que são numerados em ordem crescente e consecutiva em que
aparecem no texto, com indicação da página onde se encontram. No interior do texto
a identificação das figuras aparece na parte inferior, em fonte tamanho 10 precedida
do indicativo correspondente (desenho, quadro...), seguida do número de ocorrência
em algarismo arábico e ordem consecutiva, do título ou legenda explicativa e da
fonte de origem (se não for da autoria do autor), com espaço simples entre linhas. As
figuras são inseridas no texto o mais próximo possível do trecho a que se referem2.

Lista de tabelas: são elementos com informações estatísticas numerados em ordem


crescente e consecutiva em que aparecem no texto, com indicação da página. No
interior do texto a identificação das figuras aparece na parte superior, em fonte
tamanho 10 precedida da palavra Tabela, seguida do número de ocorrência em
algarismo arábico e ordem consecutiva. As fontes citadas e notas eventuais
aparecem na parte inferior da tabela, em fonte tamanho 10 e com espaço simples
entre linhas. As tabelas são inseridas no texto o mais próximo possível do trecho a
que se referem e, se continuarem em outra página, será escrito, ao final da página e
alinhado à direita, “cont.” o mesmo ocorrendo no início da página seguinte e com o
título referido no início. Linhas horizontais e verticais separam os títulos das colunas;
linhas horizontais fecham a tabela. Nas divisões internas e à direita e à esquerda da
tabela nenhuma linha deve ser usada2.

Lista de abreviaturas e/ou siglas: escritas em ordem alfabética, com respectivas


significações em fonte tamanho 12. Quando aparecem pela primeira vez no texto, é
preciso inicialmente escrevê-la por extenso, seguido de sua abreviatura entre
parênteses. Após a primeira referência, pode ser citada apenas a abreviatura ou
sigla2.

Sumário: apresenta a enumeração dos capítulos e suas seções e subseções da


monografia, na ordem em que sucedem, com a indicação das respectivas páginas.
Os elementos pré-textuais não constam no sumário. Logo após a margem superior
se escreve o título SUMÁRIO em negrito e centralizado. Em seguida, apresenta-se
os indicativos numéricos de cada capítulo e suas seções e subseções alinhados à
esquerda e interligados por pontos à indicação das páginas em que se encontram,
que são escritas alinhadas à direita. É escrito em fonte tamanho 12 e espaço 1,5
entre linhas. Artigos não apresentam sumário2.
Seções primárias em letra maiúscula e negrito, as secundárias em letra maiúscula e
negrito (itálico opcional) e as terciárias com a primeira letra maiúscula e as demais
em minúscula e negrito.

b) Elementos Textuais
Introdução: inicia a parte escrita da monografia. Ela situa o leitor quanto à
abordagem dada ao tema, numa visão sintética da pesquisa, sem, no entanto,
antecipar seu desenvolvimento nem a conclusão do trabalho, para que o leitor seja
motivado para continuar buscando as argumentações e resultados3. É importante
que seja especificado, nessa parte do texto:
- a delimitação do tema,
- a problemática que será tratada,
- objetivos pretendidos,
- a(s) hipótese(s) ou premissas do autor,
- identificação da teoria de base utilizada,
- breve caracterização do estudo e da metodologia adotada (se for o caso),
- descrição da estrutura da monografia (organização dos capítulos da
monografia, fazendo uma referência breve quanto ao conteúdo abordado
em cada um em suas diferentes seções e subseções)4. No artigo é feita
referência ao conteúdo contido em cada seção ou subseção constitutiva.
O número das páginas da monografia em algarismos arábicos começa a
aparecer na segunda página da Introdução.
A introdução é mais facilmente elaborada após a redação dos capítulos e das
considerações finais ou conclusões, pois é após esta fase que o autor/pesquisador
terá uma visão do conjunto da monografia e da distribuição dos capítulos5.

Títulos de Desenvolvimento: São as partes em que se desenvolve o conteúdo da


temática proposta (capítulos com suas seções e subseções). Esse conteúdo é
ordenado por títulos e subtítulos (seções e subseções), compreendendo, na
monografia cuja parte central é constituída por um artigo:

Capítulo 1 (com título sugestivo do eixo principal da abordagem utilizada)


• descrição clara da situação-problema escolhida como objeto de estudo,
apontando os pontos críticos da situação estudada e a perspectiva de
abordagem;
• explanação sobre os objetivos do estudo e apresentação das hipóteses
(suposta resposta ao problema investigado);
• explanação sobre a relevância do problema abordado, justificando a
escolha do tema em relação à contribuição do estudo para a área da
Geriatria e Gerontologia e o caráter inovador (se for o caso);
• contextualização da problemática investigada (contexto global e local);
• fundamentação teórica e pressupostos conceituais.
- a fundamentação teórica é utilizada para a apresentação e discussão de
idéias de autores com credibilidade no mundo acadêmico e das principais
pesquisas desenvolvidas na área, apresentando-se seus pontos de
convergência e de divergência de forma articulada com a situação–problema
investigada e uma apreciação crítica sobre as idéias, assumindo-se uma
posição.
- a apresentação dos pressupostos conceituais implica dizer o que
significam os principais conceitos que integram o problema investigado e suas
hipóteses, que darão sustentação às argumentações utilizadas no
desenvolvimento do artigo. “É preciso levar em consideração a divergência
relativa a certas palavras e expressões, cujos significados são discutíveis de
acordo com as teorias, áreas do conhecimento, etc.” É preciso também
considerar que as definições de dicionários têm como preocupação principal
com o uso cotidiano das palavras e não com teorias científicas, não sendo
suficientemente elaboradas para especificar fenômenos e ajudar a discriminá-
los na observação da realidade6.
• detalhamento da metodologia utilizada:
- caracterização da pesquisa: identificação da abordagem (qualitativa ou
quantitativa ou quanti/qualitativa) e do tipo de pesquisa utilizada (ver
classificação e caracterização no material de apoio da disciplina);
caracterização da população e/ou amostra;
- justificativa da escolha da metodologia;
- definição operacional das variáveis ou categorias, com a indicação dos
indicadores ou descritores (processo de construção teórica); conjunto
inter-relacionado de elementos que detalham informações necessárias
para a definição de sentidos que a constituição das categorias de análise
e interpretação da realidade, do fenômeno estudado. Têm finalidade
explicativa e não descritiva, buscando dar sentido ao observável
(indicador)8, às manifestações singulares (descritor);
- identificação do tipo de triangulação utilizada (uso articulado de métodos
de coleta de dados, de fontes de dados, de forma de análise dos dados,
de diferentes teorias para interpretar os dados).
No caso de uso da estratégia metodológica Estudo de Caso consultar o autor
Robert Yin e de pesquisa bibliográfica, ver material de apoio.

Capítulo 2
a) artigo elaborado (com título sugestivo do eixo principal da abordagem
utilizada).

Capítulo 3 (capítulo a ser elaborado sempre que o orientador assim indicar,


como complementação da metodologia descrita no artigo, visando uma
descrição detalhada e transparência nos procedimentos de análise; com título
sugestivo do eixo principal da abordagem utilizada).
a) descrição da coleta de dados e dos instrumentos utilizados para coleta
de dados
b) apresentação detalhada de dados
c) detalhamento da análise
d) detalhamento da discussão dos resultados.

Principais cuidados:
- elaborar, em cada item que compõe o desenvolvimento, um parágrafo
introdutório, parágrafos de desenvolvimento e um parágrafo de
fechamento, fazendo, este último, uma ligação com o item posterior;
- finalizar o desenvolvimento com uma síntese dos pontos mais importantes
apresentados e analisados em suas diferentes partes
- identificar, ao longo do texto, as fontes bibliográficas conforme norma
VANCOUVER.

Considerações conclusivas: É a parte da monografia e do artigo em que são


apresentadas as sínteses conclusivas ou apresentados os resultados da pesquisa
(se for o caso).
A confirmação ou não da(s) hipótese(s) ou premissas é explorada,
destacando a importância das conclusões parciais no alcance da conclusão geral.
Na monografia estas considerações serão de ordem abrangente e específica,
incluindo conclusões que articulem as conclusões que constam no artigo ao contexto
global e suas implicações para a realidade mais ampla.

c) Elementos Pós-Textuais
Referências Bibliográficas: Elemento obrigatório em que são referenciadas todas
as fontes citadas na monografia (idem no nível de artigo).
O espaço entre linhas é simples, mas entre uma referência e outra é dado um
espaço correspondente a um “enter”.
As referências devem ser apresentadas na ordem em que aparecem no texto,
sendo indicadas por numeração em ordem crescente, indicando inicialmente o último
sobrenome do autor com letra em maiúscula somente no início e as iniciais do nome
e demais sobrenomes em letra maiúscula.
Cada obra de autor assume um único número. No decorrer do texto, as
referências devem ser indicadas colocando-se o número correspondente ao autor
em sobrescrito.
A utilização de nota de rodapé é opcional (espaço simples e fonte tamanho
10).

Apêndice: elemento opcional na monografia constituído por texto escrito pelo autor
com o objetivo de complementar a argumentação. É escrito em fonte tamanho 12,
alinhamento justificado, espaço 1,5 entre linhas e indicado por letras maiúsculas
consecutivas (APÊNDICE A, APÊNDICE B...)2.

Anexo: elemento opcional na monografia constituído por texto não escrito pelo autor
com o objetivo de complementação do trabalho. É escrito em fonte tamanho 12,
alinhamento justificado, espaço 1,5 entre linhas e indicado por letras maiúsculas
consecutivas (ANEXO A, ANEXO B...)2.

3. CITAÇÕES, USO DE COLCHETES E NOTAS DE RODAPÉ

Citações Direta e Indireta: As citações podem ser feitas de forma direta ou indireta
Citação direta é aquela em que o autor do artigo utilizará um trecho literal de um
autor para sustentar ou reforçar seus argumentos. No caso da citação direta de até
três linhas, esta deve estar encerrada entre aspas duplas, no próprio corpo do texto.
Exemplo:
Já no caso de crise na área da saúde, é preciso considerar o complexo de
crise planetária, “mostrando que todos os seres humanos, confrontados de agora em
diante aos mesmos problemas de vida e de morte, partilham um destino comum”1
As citações diretas com mais de três linhas devem ser destacadas com recuo
de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que a do texto utilizado (ARIAL 10) e
sem as aspas.

Exemplo:
Esta idéia só é desenvolvida a partir da constatação de que existe uma crise
gerada na incompreensão, sendo uma alternativa a proposta nas palavras de Morin1:

Devemos relacionar a ética da compreensão entre as pessoas com a ética


planetária, que pede a mundialização da compreensão. A única verdadeira
mundialização que estaria a serviço do gênero humano é a compreensão,
da solidariedade intelectual e moral da humanidade. [...] Compreender é
também aprender a reaprender incessantemente.

Citação indireta: a idéia de determinado autor é transcrita para o trabalho, sem que
suas palavras sejam utilizadas literalmente É também chamada de livre ou
paráfrase. Nesse caso, a indicação da fonte é tão necessária quanto nas citações
diretas, já que a idéia transcrita é originária de uma secundária e não do próprio
acadêmico autor do artigo.
Exemplo:
Como defende Edgar Morin1, organizador do Paradigma do Pensamento
Complexo: é preciso desenvolver a compreensão de que a realidade constitui uma
totalidade e que esta totalidade e suas partes constituem
(antagônicos/complementares/concorrentes), ao interagirem, transformam-se e são
transformadas ao transformarem-se mutuamente, por meio de movimentos
recursivos em que causas geram efeitos, que retroagem sobre estas causas,
modificando-as, gerando novos efeitos... (princípios dialógico, hologramático e
recursivo).

Em citações retiradas da Internet: aplicam-se as mesmas regras, indicando a


data de acesso à rede.

Uso de colchetes: elementos auxiliares utilizados nas citações textuais (diretas) e


referências bibliográficas.
Aparecem imediatamente antes da primeira e depois da palavra que
encerram, indicando nas citações diretas a omissão de parte do texto, incluindo
três pontos entre os colchetes. Também é usado neste tipo de citação para: marcar
o advérbio latim sic, que fora da citação este advérbio vai entre parênteses, e para
introduzir esclarecimentos quando a citação está incompleta.
Exemplos:
Como afirma Edgar Morin2 em sua obra: [...] impõem-se às sociedades
reputadas como democráticas a necessidade de regenerar a democracia [...]. A
regeneração democrática supões a regeneração do civismo, supõe a regeneração
da solidariedade e da responsabilidade [...].
Nas referências bibliográficas os colchetes são utilizados para incluir a
tradução do título imediatamente após o título original, quando a obra não foi
traduzida e para fazer constar os dados da tradução e para registrar uma data de
publicação aproximada, quando nenhuma data puder ser determinada.
Os colchetes também são usados quando há necessidade de parênteses
entre parênteses.
Exemplo:
A mudança na formação pode levar a construção de uma metodologia de
ensino híbrida (entendida, por muitos, como quimera [do grego khimaira], animal
mitológico grego com corpo de leão, cabeça de cabra e rabo de serpente)3.

Notas de rodapé: são de dois tipos: de referência e explicativas. As primeiras são


usadas utilizando-se o sistema numérico das citações; as segundas são usadas para
a inserção de comentários ou explicações sobre determinados trechos do texto,
escritas em fonte tamanho 10 e com espaço simples entrelinhas e alinhamento
justificado.

4. ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A FORMATAÇÃO

a) Fonte e Tamanho da Fonte


A fonte deverá ser Arial por facilitar a leitura do texto. O tamanho da letra deverá ser
12 ao longo do texto.

b) Tamanho do Papel
O tamanho do papel deverá ser o A4 (21cm x 29,7cm), digitado em uma só face da
folha, na cor branca e entregue uma cópia em papel e uma cópia por e-mail.

c) Paginação
As primeiras páginas da monografia imediatamente a partir da capa DEVEM SER
CONTADAS, MAS NÃO NUMERADAS. A numeração é colocada a partir da
segunda página da parte textual Introdução, em algarismos arábicos, no canto
superior direito da folha, a 2 cm da borda superior, ficando o último algarismo a 2 cm
da borda direita.
A primeira página dos artigos científicos deve ser contada, mas não numerada. A
numeração é colocada a partir da segunda página da parte textual em algarismos
arábicos, no canto superior direito da folha, a 2 cm da borda superior, ficando o
último algarismo a 2 cm da borda direita da folha.
Observação: Em monografias que tenham artigos como partes constituintes a
numeração destes deverá obedecer ao estabelecido para a monografia.
d) Margens Gerais
A margem superior e a lateral esquerda serão de 3 cm, já a margem lateral direita e
a inferior serão de 2cm.

e) Títulos e Subtítulos (seções ou subseções)


Adota-se a numeração progressiva para as seções do texto. Os títulos das seções
primárias (capítulos), que abrem páginas e não são numeradas, por serem as
principais divisões de um texto, serão em letra maiúscula e em negrito. O indicativo
numérico de uma seção precede seu título, alinhado à esquerda, separado por um
espaço de caractere, sem utilização de ponto. Nas seções de um trabalho devem ser
utilizados algarismos arábicos, sem subdividir demasiadamente as seções, não
ultrapassando quatro divisões. O indicativo numérico de uma subseção precede seu
título, separados os numerais que o compõem por ponto. Os títulos sem indicativo
numérico na monografia tais como sumário, introdução, referências, apêndice(s) e
anexo(s) devem ser centralizados. No artigo é facultado numerar a introdução,
alinhando-se, então, o título à esquerda.

f) Margens dos títulos (seções)


Na monografia, os títulos sem indicativo numérico, deverão ficar a 8 cm da borda
superior do papel e centralizados.

g) Espaços
Entre as linhas do texto: espaço 1,5.
Entre parágrafos do texto: um espaço 1,5.
Entre título e texto: dois espaços 1,5.
Entre título e subtítulo: dois espaços 1,5.
Entre subtítulo e o texto: um espaço 1,5.
Entre as linhas das notas de rodapé: espaço simples.
Entre as linhas das citações diretas ou textuais: espaço simples, reentrada de
parágrafo de 4 cm e o recuo de parágrafo é 1,5 e tamanho da fonte 10.
Antes das citações diretas ou textuais (entre texto e citação): deve se deixar uma
linha em branco (espaço 1,5).
Depois das citações diretas ou textuais recuadas (entre citação e texto): deve se
deixar uma linha em branco (espaço 1,5).
Nas referências bibliográficas o espaço é simples entre as linhas da mesma
referência e entre uma referência e outra.

h) Início dos parágrafos: A primeira linha de cada parágrafo deve ter uma entrada
de 1,5 cm.

5. ESCRITA DOS NUMERAIS

a) Números que constam com mais de uma palavra: escrever com algarismos.
Exemplo: Foram registradas 375 ocorrências de extorsão mediante seqüestro pelas
policiais civis em 2003.
b) Números formados por apenas uma palavra: escrever com letras.
Exemplo: Duzentos inscritos no processo seletivo do Curso de Atualização em
Segurança Pública foram matriculados.
c) Quando numa mesma série são citadas duas ou mais quantidades e alguma delas
deve ser escrita com algarismos, todas seguirão este critério.
Exemplo: O Curso Preparatório para candidatos aprovados consta de 10 créditos,
distribuídos em disciplinas de 2 créditos e de 1 crédito.
d) Números que indicam percentuais seguidos do símbolo: escreve-se com
algarismos.
Exemplo: Dos aprovados, 30% foram nomeados.
e) Números que indicam percentuais, quando em vez de símbolo se usa sua
denominação em letras: escreve-se com letras.
Exemplo: Vinte por cento dos candidatos aprovados apresentaram excelente
desempenho nas provas.
f) Número indicando horas: escrever com algarismos.
Exemplos: O curso será de 150 horas.
Início do curso: 12h30min
g) Indicação horária tradicional: escrever com letras
Exemplo: O seminário introdutório foi ao meio-dia e meia.
h) Indicação de idade e períodos: escrever com letras.
Exemplos: Uma história de cento e noventa anos de concursos públicos, levou ao
estabelecimento de cinco meses para concluir o Curso.
i) Quantidades exatas: escrever com algarismos
Exemplo: O Curso conta com 27 professores.
j) Quantidades aproximadas: escrever em algarismos
Exemplo: Mais de 10000 ocorrências de atentado violento ao pudor foram
registradas pelas policias civis no Brasil no ano 2003.
l) Números com fração decimal: escrever com algarismos.
Exemplo: No Brasil, 7,8 milhões....
m) Números fracionários em tabelas, e operações matemáticas: escrever com
algarismos.
Exemplo: Das vagas preenchidas 24/5...
n) Números fracionários em geral e partitivos: escrever com letras
Exemplos: Uma maioria de três quartos dos aprovados decidiu...
A metade da população carcerária....
o) Dias e anos em datas sem ponto e sem espaço entre os milhares e as centenas:
escrever com algarismos
Exemplo: Em 4 de junho de 2006 foi publicado...
p) Datas e acontecimentos históricos: escrever com letras
Exemplos: O Primeiro de Maio é o dia......
A Segunda Guerra Mundial teve conseqüências..........
q) Número de capítulo, de seção: escrever em algarismos
Exemplo: Na monografia a caracterização do estudo aparece no Capítulo 2...
r) Intervalos numéricos: escrever os algarismos completos.
Exemplo: 2001-2006
s) Números romanos: são usados em letra maiúscula para indicar séculos, ordem
dos nomes de reis e papas, precedendo títulos de congressos, simpósios, feiras,
jornadas..., volumes de uma obra2.

6. REFERÊNCIAS

O título “Referências” diz respeito à listagem das obras citadas no corpo do


trabalho. As obras devem ser listadas em espaço simples, separando-as por espaço
1,5, obedecendo a ordem numérica em que aparecem no texto. São digitadas em
fonte tamanho 10.

Formas de referenciar: buscar orientação e exemplos no site http//www.pucrs.br,


clicando em Biblioteca Central.

7. UTILIZAÇÃO DE EXPRESSÕES LATINAS:


Expressões latinas poderão ser utilizadas e devem seguir as orientações abaixo.
a) A primeira citação de uma obra deve ter sua referência completa.
b) As subseqüentes citações da mesma obra podem ser referenciadas de forma
abreviada, utilizando-se as expressões latinas:
Apud – citado por, conforme, segundo
Idem – mesmo autor
Ibidem – na mesma obra
Op.cit. – obra citada
1) A expressão Apud é utilizada quando se necessita citar a idéia de um autor (obra
não disponível) apresentada em obra de outro autor (obra em utilização). É preciso
evitar o uso excessivo de apud.
2) A expressão Op.cit. serve para evitar a repetição de toda a referência de uma
obra que já foi citada anteriormente, em página(s) anterior(es) da monografia.
3) As expressões Idem e Ibidem servem também para evitar a repetição de toda a
referência de obra utilizada anteriormente.
a) a expressão idem é utilizada quando ao se usar duas ou mais obras de um
mesmo autor, na mesma página. Neste caso, a expressão idem serve para substituir
o nome do autor na nota seguinte, porém a nova obra deve ser referenciada.
b) A expressão Ibidem é utilizada quando se quer referenciar uma outra idéia do
autor cuja obra está sendo utilizada e foi citada na nota de rodapé imediatamente
anterior, o que significa: na mesma página. A expressão substitui o nome do autor e
da obra.
Observação: Não há obrigatoriedade da utilização das expressões supracitadas.

ERRATA
A errata será acrescida ao texto caso, antes da impressão final e da defesa oral,
sejam detectadas correções necessárias. Será apresentada ao orientador e aos
componentes da Banca em folha avulsa em fonte 11, nela constando as correções
importantes a serem feitas no trabalho. No alto da margem superior, escreve-se o
título ERRATA, em letra maiúscula e centralizado. Abaixo em uma linha, somente
com a inicial maiúscula indica-se os títulos em que constam as correções a serem
feitas, indicando-se a página e a linha acrescendo-se as expressões: Onde se
lê................................, Leia-se............................................... A correção a ser feita é
indicada em negrito7.

Referências Bibliográficas:

1. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Faculdade de Direito.


Diretrizes para elaboração de TCC. Disponível em: http//www.pucrs.br/uni/po/direito.
Acesso em 31 de janeiro de 2007.
2. Arnavat AR, Dueñas GG. Como elaborar e apresentar teses e trabalhos de
pesquisa. Porto Alegre: ARTMED; 2006.
3. Kerscher M, Kerscher SA. Monografia: como fazer. Rio de Janeiro: Thex; 1998.
4. Traldi MC, Dias R. Monografia passo a passo. Campinas: Alínea; 2004.
5. Thomson A. Manual de orientação para preparo de monografia. Rio de Janeiro:
Forense Universitária; 1991.
6. Rudio FV. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis: Vozes; 1986.
7. Beson LC. Guia prático de monografias, dissertações e teses: elaboração e
apresentação. Campinas: Alínea; 2005.
8. Rey FLG. Pesquisa qualitativa em Psicologia. São Paulo: Pioneira/Thomson;
2002.
PERGUNTAS NORTEADORAS PARA A ELABORAÇÃO DO ARTIGO

Perguntas antes de iniciar a elaboração


1. O que sei sobre o tema?
2. Por que escrever sobre este tema?
3. Como encontrar as informações que necessito?
4. Que premissas ou fatos são importantes para organizar o texto?
5. Que tese defendo?
6. Que hipóteses são possíveis?

Perguntas durante a elaboração/exploração do referencial teórico


1. De que tratam os textos dos autores?
2. Quais suas idéias são as mais importantes? Por que penso que estas idéias
são importantes?
3. Como estão ordenadas as idéias do autor? Quais os argumentos usados para
defender suas idéias?
4. As idéias mais importantes dos textos dos autores coincidem? Em que
aspectos? Se complementam? Em que aspectos? Divergem? Em que
aspectos? Por que penso desta forma?
5. Estou de acordo com os autores? Por quê?
6. Discordo de autores? Por quê?
7. Como posso complementar as idéias de autores?

Perguntas após a elaboração inicial


1. Como conseguir que o leitor veja as coisas do meu ponto de vista?
2. Tornei suficientemente explícito o ponto de partida (hipóteses, premissas,
fatos) que orienta a argumentação?
3. Como conseguir que o leitor chegue às conclusões que considero
importantes?
4. Até que ponto está bem fundamentado meu ponto de vista? Por que defendo
este posicionamento?
5. Como reagirá o leitor ao ler o que escrevi?
6. Que argumentos contrários podem surgir e contestar o que escrevo?
7. Qual o benefício para o leitor se aceitar meu ponto de vista?
8. O que poderia mudar no texto para despertar maior interesse e aceitação do
leitor? É preciso organizar o texto de outra maneira? Utilizar palavras mais
precisas? Definir melhor os termos utilizados? Ilustrar com exemplos? Usar
imagens ou dados estatísticos? Relacionar melhor as idéias?
9. O que mais posso escrever?