You are on page 1of 1

1

ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA – RESUMO

O que é Administração Estratégica? Decisões e ações administrativas, realizadas com base na análise situacional, que
contribuem para adaptar a organização ao seu ambiente e definir suas condições competitivas.

Etapas: 1. Análise ambiente externo e interno – Qual a situação atual da empresa? Avaliar a empresa, condições do
setor e pressões competitivas, desempenho atual, posição de mercado, pontos fortes e fracos, missão, visão, valores e
objetivos; 2. Formulação da estratégia – Para onde a empresa precisa ir e de que modo chegar lá? Escolher a direção a seguir;
3. Implementação e controle da estratégia – Elaborar e executar ações para deslocar a empresa na direção desejada.

Gestão corporativa (responsáveis pela AE): Conselho de administração – supervisão e empenho para que o processo
da gestão seja realizado de maneira a beneficiar os stakeholders; Principal dirigente da empresa – lidera a elaboração e
acompanha a implementação do plano estratégico; Diretores e gerentes funcionais (mkt, produção, rh, finanças) – participam
na elaboração, implantação e execução da estratégia empresarial; Supervisores/Coordenadores – tem papel específico na
operacionalização da estratégia.

Análise estratégica/Diagnóstico estratégico: Monitoramento do ambiente interno e externo para identificar e refletir
sobre oportunidades e ameaças (externo), os pontos fortes e fracos (interno) atuais e futuros que podem influenciar a
capacidade da organização atingir seus objetivos.

Por quê Análise do Ambiente? Os gestores devem pensar na empresa de fora para dentro e manter a empresa muito
próxima dos acontecimentos externos; as empresas existem dentro de uma rede complexa de forças ou condições externas
que não tem controle, que estão em constantes mudanças e geram oportunidades de vantagens sobre os concorrentes e/ou
riscos para suas operações; preparar a empresa e os gestores para formulação da estratégia e para reavaliá-la periodicamente,
de acordo com as condições do ambiente externo.

Atividades de Análise do Ambiente: Escaneamento – identificar os primeiros sinais de mudanças e tendências


ambientais; Monitoramento – detectar o significado por meio da observação constante das mudanças e tendências ambientais
(ex: poder de compra da classe média caiu mesmo ou mudou o comportamento de consumo?); Previsão – fazer projeções de
resultados antecipados (ex: prever o tempo exigido pelas mudanças tecnológicas – indústria 4.0); Avaliação – determinar o
momento e a importância das mudanças e tendências ambientais para as estratégias das empresas (ex: será que o Uber vai
substituir o Taxi?).

Ambiente geral (macro ambiente): Fatores/condições/segmentos relevantes que estão no exterior da empresa e sobre
os quais a organização não tem nenhum controle. Forças econômicas – inflação, taxa de juros, variação cambial, PIB, taxa de
emprego; Forças tecnológicas – telecomunicações, robótica, informática; Força sociocultural – atitudes, valores, crenças,
costumes que são a base de uma sociedade e direcionam as demais forças; Forças político-legais – eleições, regulamentações,
legislação, política, decisões governamentais; Forças meio ambiente – poluição, desmatamento, solo; Forças globais – blocos
econômicos, acordos internacionais.

Análise da concorrência: Objetivos futuros – como as nossas metas se comparam? Qual a probabilidade ao risco?;
Estratégias atuais – como estamos concorrendo? A estratégia suporta mudanças na estrutura competitiva?; Suposições – o
que os concorrentes supõem sobre si próprio e sobre o setor?; Capacidade – quais nossos pontos fortes e fracos? Qual a
probabilidade de estar certo?  se perguntar: o que os concorrentes terão no futuro? Que vantagens temos em relação aos
concorrentes? De que forma mudaremos o relacionamento com nossos concorrentes?

Processo de análise da concorrência: Benchmark competitivo (diagnóstico competitivo) – processo de medir e


comparar as estratégias e operações da empresa com as das outras empresas de ponta em suas atividades, dentro ou fora de
seu setor. Seu objetivo é identificar as melhores práticas alheias que podem ser adotadas, adaptadas ou melhoradas para
impulsionar o desempenho; Inteligência competitiva – é coleta e análise sistemática de informações públicas sobre os
concorrentes para que a utilize na tomada de decisões; Escolha dos concorrentes – baseada no grupo estratégico (conjunto
de concorrentes no setor que possuem abordagens competitivas e posições de mercado similares).