You are on page 1of 2

Disciplina: Linguística Textual

Modelo de Prova: INTERATIVAS


Tipo de Prova: 2CH
Versão da Prova: 2
Código da Prova: 89114

Resposta
Questão Gabarito Comentado
correta

A paráfrase reafirma o sentido de um texto ou mesmo de apenas uma


passagem. Isso acontece porque ela mantém o sentido original, isto é, a
1 C
ideia central da informação. As mudanças são apenas do plano da
expressão textual, mas não do conteúdo.

Como o próprio nome sugere, no texto, nenhum elemento semântico pode


contradizer um conteúdo anterior manifestado ou pressuposto. As
2 E
ocorrências precisam ser compatíveis, mesmo quando elas não estão ali
explícitas, mas possam ser inferidas.

Qualquer falante de língua portuguesa sabe se um determinado texto é uma


telenovela ou uma bula de remédio, se é uma receita de um bolo ou uma
conversa espontânea entre amigos, se é uma canção ou um manual técnico
da máquina de lavar louça. Esse conhecimento é apreendido durante a
3 D nossa vida pela experiência linguística. O texto é, então, a forma que nós,
sujeitos, encontramos para colocar a língua em funcionamento em nosso
contexto discursivo. Os gêneros são as formas da língua funcionar que nós
elaboramos e construímos em formas de texto e eles cumprem uma função
social.

Ambos os “mas” são usados de formas diferentes no texto e recebem


sentidos diferentes. O primeiro “mas” apresenta uma ideia de contraste, e o
4 D
segundo de “adição”. Ele não apresenta uma noção de temporalidade e tem
uma posição flexível dentro da frase.

A linguística textual teve três grandes fases, as quais podem ser dividas
tanto pelo ponto de vista cronológico como conceitual. São elas: I) análise
transfrástica; II) gramática textuais; III) teoria ou linguística dos textos. Para
5 A
Koch (1997), uma das principais pesquisadoras brasileiras na área, esses
momentos podem ser percebidos não apenas em uma divisão conceitual
mas também cronológica dentro da historiografia da LT.

O texto passa a ser concebido, no final dos anos 1970, somente dentro de
uma situação real de interação verbal, isso quer dizer que, ao invés de
analisar estruturas isoladas, a LT passa a ter como foco o texto em seu uso,
6 B o que ocasiona algumas alterações nos conceitos de textos tidos até então.
De um produto acabado, ele passa a ser visto como um processo em
construção que só se realiza por meio dos aspectos sociocognitivos,
interacionais e comunicacionais.

As conjunções adversativas, por sua própria natureza, acrescentam uma


7 C nova informação ao que já se sabe. Exemplo: Está ocorrendo o evento de
Linguística na USP, porém choveu e não pudemos comparecer.

A sentença “Embora o Carnaval só termine na semana que vem, o mercado


de trabalho não para de abrir novas vagas” expressa uma ideia de
concessão. O “embora” tem o papel de indicar a não implicação das ideias.
Trata-se de uma ideia concessiva, pois sabemos que o “país do Carnaval” só
Trata-se de uma ideia concessiva, pois sabemos que o “país do Carnaval” só
8 B
começa o seu calendário anual após o evento. O Carnaval ainda não acabou
e, MESMO ASSIM (contra todas as expectativas dos economistas), o
mercado de trabalho não para de abrir novas vagas, pois a economia está a
todo vapor.

“Mesmo” tem uma ideia de concessão, que parte da lógica de “embora x,


temos a”, que é o contrário de uma ideia de implicação “porque x, então a”.
9 B
As outras alternativas não apresentam o uso correto dos conectivos e, por
isso, não podem ser consideradas como certas.

Para Leffa (1996, p. 10):


“ler é, na sua essência, olhar para uma coisa e ver outra. A leitura não se dá
por acesso direto à realidade, mas
10 A
por intermediação de outros elementos da realidade”, o que significa que
não temos acesso ao sentido de forma direta. É preciso mobilizar outros
elementos para que possamos chegar a ele.