You are on page 1of 3

PUBLICADO EM SESSÃO

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO MATO GROSSO
SECRETARIA JUDICIÁRIA

ACÓRDÃO N. 19396

PROCESSO N0183477/2010 - CLASSE Rcand


REGISTRO DE CANDIDATURA - RRC - CANDIDATO - CARGO - DEPUTADO FEDERAL
REQUERENTE: Coligação MATO GROSSO EM PRIMEIRO LUGAR II (PT / PMDB /
PR/PRB) FRANCISCO ANIS FAIAD
CANDIDATO: EDILSON PEREIRA NERY, CARGO DEPUTADO FEDERAL, NÚMERO 1331
RELATOR: EXMO. SR. DR. SAMUEL FRANCO DALIA JÚNIOR

ELEIÇÕES 2010. CARGO DE DEPUTADO ESTADUAL.


PEDIDO DE REGISTRO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL.
AUSÊNCIA DE PROVA DE DESINCOMPATIBILIZAÇÃO.
INDEFERIMENTO.

A não comprovação da desincompatibilização constitui


causa inelegibilidade, impondo o indeferimento do
registro de candidatura.

Acordam os Excelentíssimos Senhores Juízes do


Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso, em sessão do dia 05/08/2010, à
unanimidade, indeferir o registro de candidatura, nos termos das notas
taquigráficas.

Cuiabá, 05 de agosto de 2010.

Desembargador RUI
Presidente do TR 7MT, em exercício

~ ~~
Doutor SA ~L F~ALI~ JÚNIOR
Relator
TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MATO GROSSO
, SEÇÃO DE TAQUIGRAFIA

NOTAS TAQUIGRÁFICAS

L(05.08.10)

PROCESSO NO 1834-77/2010 - CLASSE Rcand


RELATOR: DR. SAMUEL FRANCO DALIA JÚNIOR

RELATÓRIO

DR. SAMUEL FRANCO DALIA JÚNIOR (RELATOR)


Trata-se de requerimento de registro de candidatura. (RRC) de
EDILSON PEREIRA NERY, postulante ao cargo de Deputado Federal pela Coligação
"Mato Grosso em Primeiro Lugar lI", nos termos da Lei n. 9.504/1997 e Resolução TSE
n. 23.221/2010.
Instado, em 17/07/2010, pela Secretaria Judiciária desta Corte a
apresentar o comprovante de desincompatibilização por ser funcionário dos Correios,
uma vez que no RRC informou ocupar cargo ou função na administração pública, o
mesmo quedou-se inerte.
A Procuradoria Regional Eleitoral, constatando que a declaração de
bens não foi assinada pelo requerente, manifesta-se pelo indeferimento o do registro
de candidatura (fls. 41).
É o sucinto relatório.
Em mesa para julgamento (art. 47, caput, da Resolução TSE nO
23.221/2010).

DR. THIAGO LEMOS DE ANDRADE (PRE)


Ratifico o Parecer.

VOTOS

DR. SAMUEL FRANCO DALIA JUNIOR (RELATOR)


A matéria é simples e não merece maiores delongas.
Extra'i-se dos autos que EDILSON PEREIRA NERY deixou de
atender a exigências contidas nas Resoluções TSE 23.221/2010 e TRE/MT 628/2010,
omitindo-se, mesmo após intimado, a comprovar sua desincompatibilização como
servidor da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, uma vez que o RRC informa
que o mesmo ocupa cargo ou função pública (fls. 02), o que causa de inelegibilidade
prevista na Lei Complementar n. 64/1990 (Art. 1°, 11, alínea "I").
Quanto a ausência de assinatura do candidato na declaração de
bens, determinei a intimação do mesmo par que em 48 horas sanasse a irregularidade.
Da mesma forma, o candidato quedou-se inerte.
Portanto, à vista da ausência de requisitos indispensáveis a análise
da não incidência ou do afastamento de causa de inelegibilidade e a inércia do
candidato a suprir a irregularidade apontada pelo Ministério Público Eleitoral, INDEFIRO
o registro de candidatura de EDILSON PEREIRA NERY ao cargo de Deputado Federal.
É como voto.
TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MATO GROSSO
, SEÇÃO DE TAQUIGRAFIA

DES. MÁRCIO VIDAL; DR. SAMIR HAMMOUD; DR. CÉSAR AUGUSTO


BEARSI; DR. SEBASTIÃO DE ARRUDA ALMEIDA e DR. JORGE LUIZ TADEU
RODRIGUES.
TODOS de acordo com o Relator.

.,