You are on page 1of 8

Edição 4 | Ano 10  Out/Nov/Dez 2014 – Edição Nacional  Distribuição gratuita  ISSN 2175-1080 | www.abneuro.

org

o sucesso do XXVi
Joaquim Brasil Neto, coordenador dos Departamentos Científicos,
também elogiou a horizontalidade da programação. “Tivemos dis-
cussão diversificada, contemplando diferentes aspectos da Neuro-

congresso Brasileiro
logia. Pela primeira vez em uma reunião científica da especialidade
abordamos a questão do traumatismo craniano crônico, antes só es-
tudada em congressos de Neurocirurgia.”

de Neurologia NEurocoPA
Não foi apenas o teor científico que ganhou espaço no Congresso.
Em 12 de novembro, aconteceu a primeira edição da NEUROCOPA,
uma gincana neurológica. Em um momento de descontração, foram
organizadas diversas brincadeiras, como um quiz com questões desde
história da Neurologia até nomes de filmes, músicas e livros relaciona-
dos à especialidade.
A atividade, inédita no Brasil, foi inspirada nos jogos realizados pela
American Academy of Neurology (AAN). A coruja, mesmo símbolo uti-
lizado pela ABN, foi a mascote da competição.

NEurossoNoLogiA
O Congresso Brasileiro de Neurologia sediou o III Teste de Certifica-
ção em Neurossonologia.
A ação foi uma parceria entre o Departamento Científico de Neuros-
sonologia da ABN e o Capítulo Latino-Americano do Neurosonology
Research Group (NSRG), filiado à World Federation of Neurology (WFN).
O processo foi composto de duas fases: prova teórica e prova prática.
Na primeira fase, os candidatos responderam a um teste de múltiplas
De 9 a 12 de novembro, a Expo Unimed Curitiba foi palco da 26a escolhas com questões relacionadas a diversos aspectos do exame
edição do Congresso Brasileiro de Neurologia. A vasta programação vascular. Em seguida, avaliou-se a capacidade de realização do exame
científica orbitou ao redor do tema “Novas fronteiras em Neurologia”. completo da circulação intracraniana.
Quatro mil especialistas compareceram ao encontro científico, que
ainda contou com a participação de 400 palestrantes, sendo 26 estran-
geiros. As aulas, conferências, mesas-redondas e discussões de casos
clínicos foram distribuídas em 14 salas.
Segundo Elza Dias Tosta da Silva, a então presidente da ABN, o re-
sultado superou as melhores expectativas. “Foi um sucesso não so-
mente pelo número recorde de inscrições, mas pela infraestrutura
oferecida e pela qualidade científica excepcional. Dispusemos de
salas lotadas o tempo todo e alto grau de profissionalismo dos neu-
rologistas, que apresentaram palestras atualizadas.”
Entre os temas abordados estavam as inovações no manejo terapêutico
de epilepsia, cefaleia, esclerose múltipla, doença de Alzheimer, transtorno
do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), distúrbios de movimen-
to, síndrome de Tourette, e doenças cerebrovasculares neurodegenerati-
vas, neurogenéticas, neuroimunológicas e vasculares do encéfalo.
“A Comissão Organizadora teve o cuidado de representar todas as
especialidades e áreas de atuação na pauta científica. O Congresso foi
excelente oportunidade de transferência de conhecimentos, o que,
seguramente, trará melhorias no atendimento aos pacientes”, ressalta
a então presidente da ABN.

veJa tamBÉm
academia tem regionais Norte e
novo presidente Nordeste disseminam
e diretores atualização científica
Página 2 Página 6
Expediente gestão

Diretoria Executiva da ABN


Rubens José Gagliardi
Eleita a Diretoria da ABN para
As eleições para a renovação da Diretoria da ABN terminaram em 10 de
Presidente
novembro, com importante participação dos associados. A novidade do plei-
to foi a implantação do sistema de votação online, que trouxe praticidade e
Luiz Henrique Martins Castro tornou o processo mais acessível aos associados.
Secretário-geral O novo presidente para a gestão 2014-2018 é Rubens José Gagliardi. Com-
pletam a Diretoria Luiz Henrique Martins Castro (secretário-geral), Fernando
Fernando Morgadinho Santos Coelho Morgadinho Santos Coelho (primeiro-secretário), Márcia Maiumi Fukujima
Primeiro-secretário (tesoureira-geral) e Tarso Adoni (primeiro-tesoureiro).

Márcia Maiumi Fukujima Novo presidente fala de


Tesoureira-geral suas expectativas e metas
Rubens José Gagliardi já assumiu a Pre-
Tarso Adoni sidência da ABN. Ele traz em sua bagagem
Primeiro-tesoureiro experiência e muitas realizações: já foi pri-
meiro-tesoureiro, tesoureiro-geral e vice-pre-
Aureo Dias de Oliveira sidente da ABN, presidente do Departamento
Gerente administrativo e financeiro Científico de Doenças Cerebrovasculares, de
Neurologia Intervencionista e Terapia Inten-
Simone Regina Osti siva em Neurologia, além de membro da Co-
Assistente administrativo pleno missão de Planejamento e Desenvolvimento.
Confira a seguir suas expectativas e planos
Lidiane Soares Lima para a gestão que agora se inicia.
Assistente administrativo pleno
Qual a sensação de assumir a presidência da ABN?
Primeiro, agradeço a confiança de todos os colegas. Estou plenamente cons-
Academia Brasileira de Neurologia
ciente da responsabilidade e da importância do cargo, e me proponho, conforme
Rua Vergueiro, 1.353 – 14o andar – sala 1.404 referido na Assembleia Geral da ABN, a cumprir todas as normas da Academia
São Paulo, SP – CEP 04101-000 com ética, lealdade e a maior dedicação possível. Em decorrência de minha ex-
Telefax: (11) 5084-9463 ou 5083-3876 tensa vivência na ABN, tenho conhecimento de sua estrutura e funcionamento, o
www.abneuro.org que permite adequado desenvolvimento da gestão e demais ações necessárias
academia@abneuro.org ao fortalecimento da especialidade e à valorização dos neurologistas.

Comissão de Comunicação Como planeja fortalecer a ABN e atrair novos sócios?


e Editoração São dois pontos entrelaçados. A ideia é deixar a Academia cada vez mais
Fernando Morgadinho Santos Coelho representativa da especialidade. Para tanto, buscaremos aumentar o número
Coordenador de sócios, aproximando os colegas distantes e verificando como podemos
Tarso Adoni integrá-los de fato. Vamos divulgar o que a Academia oferece, suas vantagens
Suplente e diversos benefícios, além de importante veia científica. Também tenho um
Denis Bernardi Bichuetti projeto especial, aliás, um sonho desde que assumi a vice-presidência, que é
Marcelo Cedrinho Ciciarelli a implantação de uma nova categoria de sócio voltada ao estudante. Vamos
prestigiar e abrir portas aos acadêmicos.
Jornalista responsável
Chico Damaso – MTB 17.358/SP O que podemos adiantar desse projeto?
Antigamente, o acadêmico não tinha espaço definido na Academia, por isso
Diagramação instituímos a categoria de Membro Discente. É voltada ao estudante de Medicina
e de áreas correlatas, sem custo, porém com direitos mais restritos, evidentemen-
Giselle de Aguiar Pires
te. Ainda assim, ele recebe todos os boletins, tem acesso ao site ABNeuro, e con-
segue desconto no Congresso
Comercial Brasileiro de Neurologia. Desse
Editora Omni Farma Ltda.
Rua Capitão Otávio Machado, 410
Vamos atuar fortemente modo, atraímos futuros médicos
para a especialidade. Utilizamos
São Paulo, SP – CEP 04718-000
PABX: (11) 5181-6169
na defesa profissional. essa fórmula também no De-
partamento de Neurologia da
atendimento@editoraomnifarma.com.br Queremos conhecer todas as Associação Paulista de Medicina
(APM), com sucesso. A mesma
ISSN 2175-1080 demandas dos neurologistas estratégia ocorre no Congresso
Americano de Neurologia, que
Publicação dirigida a profissional de saúde para lutar por elas é fantástico, com estímulo ao

2
gestão

a o período 2014-2016
gresso local, e estaremos o tempo inteiro apoiando, assim como
encaminharemos com atenção as demandas às regiões Centro-
-Oeste, Sul e Sudeste.

estudante, como a concessão de bolsas de estudo e outras van- O que os sócios podem contar como serviços e benefícios?
tagens. Caminharemos no mesmo sentido. Assim, ampliamos o Além da orientação jurídica, oferecemos o acesso à Rede Infor-
número de participantes na Academia e a fortalecemos. mática de Medicina Avançada (RIMA), um portal de informações
de grande relevância na área médica, cursos e outras publica-
Quais são as propostas da nova Diretoria para a área ções. Assumimos agora os Arquivos de Neuropsiquiatria, publica-
científica? ção que seguirá com total independência editorial, sem quais-
Um de nossos focos é fortalecer a divulgação científica, incluin- quer interferências da Diretoria da Academia no que tange à
do, também, uma seção de divulgação científica no ABNews. escolha de temas e trabalhos. Todos os sócios também recebem
Continuaremos buscando a excelência no Congresso e nos de- gratuitamente a revista via correio, periódico que hoje possui im-
mais eventos da ABN, sempre com a meta de melhorá-los perma- pacto 1.06, muito bom para publicação nacional. Temos ainda os
nentemente. Também usaremos ferramentas online e aplicativos Congressos, com qualidade espetacular, nos quais os associados
para democratizar o acesso ao conhecimento de ponta. têm descontos e condições especiais garantidos, assim como
nas atividades apoiadas pela Academia, como os Congressos
E em defesa profissional, quais são os planos? Paulista de Neurologia e Norte-Nordeste.
Esse é um ponto de extrema relevância. Antes acreditava-se
não fazer parte das funções da Academia, somente do Sin- Podemos esperar novidades para a Comissão de Ética?
dicato, da Associação Médica Brasileira (AMB). Mas hoje essa Em nossa gestão, vamos priorizar o fortalecimento e a estrutu-
ideia mudou. Vamos atuar fortemente nesse campo e estimu- ração da Comissão de Ética. Ela funciona muito bem atualmente,
lar a participação dos associados. Queremos conhecer todas com a participação de cinco membros, todos do mais alto gaba-
as demandas dos neurologistas para lutar por elas. Estaremos rito. Presidida obrigatoriamente por um ex-presidente da ABN,
engajados com a APM e a AMB na luta por honorários justos tem como atual coordenador Lineu César Werneck. Criaremos
e melhorias nas condições de exercício da Medicina. Aliás, é um regimento para que os pareceres não sejam eventualmente
bom lembrar que nosso sócio já tem a seu dispor orientação questionados como subjetivos. Com normas claras, resguarda-
jurídica, outro serviço da maior relevância. mos os associados e damos mais segurança à Comissão.

Os departamentos terão destaque na nova gestão? Que mensagem gostaria de deixar aos associados?
Realizamos uma reunião em Curitiba (PR), no período do Con- Quero frisar que a Academia está aberta a todos os sócios, as-
gresso Brasileiro de Neurologia, e fiz questão de buscar aproxi- sim como esperamos colaboração e contribuição em todos os
mação com os departamentos eleitos. Os departamentos cien- sentidos, seja com ideias, queixas e propostas em prol de nossa
tíficos são de extrema importância. Exaltei o papel deles, suas especialidade e de uma atuação de qualidade. Aproveito a opor-
obrigações e o que a Academia oferece para auxiliá-los, além de tunidade para desejar a todos um Feliz Natal e um excelente 2015.
focar na educação continuada promovida por eles.

Quais os planos para os Capítulos Regionais? Aproveito a oportunidade


Não podemos deixar de lado os Capítulos. Estamos engaja-
dos, também, pelo fortalecimento de todos, com a promoção para desejar a todos um Feliz
de reuniões científicas locais, apoiadas pela Academia. O Norte
e o Nordeste realizarão evento importante em 2015, seu Con- Natal e um excelente Ano Novo

2015 com boas novas para associados


A nova Diretoria da ABN vai envidar todos os esforços pos- ças. O entendimento é que o ABNews deve ser uma pu-
síveis e imagináveis para fortalecer a especialidade, aproxi- blicação viva, pulsante, que reflita os anseios dos associa-
mar os já associados, além conquistar e fidelizar outros es- dos. Já na primeira edição de 2015, nosso boletim oficial
pecialistas. Focada nessa meta, já começou a trabalhar para ganhará seções bem interessantes para a divulgação de
tornar a ABN mais vibrante e participativa, uma espécie de consensos (guidelines), informes culturais, reportagens com
segunda casa do neurologista brasileiro. aspirantes e eméritos, entrevistas com autores de estudos
A primeira grande mudança começou logo após a posse importantes e defesa profissional, entre outras.
e tem data marcada para ser apresentada a você: início de O neurologista aspirante terá outra boa surpresa. A cada
março de 2015. Falamos da reformulação do ABNews, que edição o ABNews sorteará um jovem neurologista para vir
passará por transformação gráfica, ganhando nova marca e à sede da Academia em São Paulo, com direito a participar
modernizando sua estrutura visual, tornando-o mais dinâ- da reunião de Diretoria e a conhecer serviços de ponta e
mico, atraente e de fácil leitura. também um laboratório de excelência. Aguarde! As novi-
A linha editorial também passará por relevantes mudan- dades não pararão por aí.

3
gestão

com a palavra, os novos diretores


sEcrEtário-gErAL cação com os sócios. “A ABN deve continuar abrindo canais para
O novo secretário-geral é Luiz Henrique Martins Castro, que ouvir seus membros, buscando direcionar ações para concretizar
ocupou a função de primeiro-tesoureiro entre 2010 e 2014. Gra- as reais necessidades dos neurologistas. Suporte e auxílio à edu-
duado e doutorado em Medicina pela Faculdade de Medicina cação continuada assim como assessorias jurídica e científica são
da Universidade de São Paulo (FMUSP), possui especializações premissas a serem sempre contempladas.”
em Neurologia do Comportamento pela Harvard University e Como objetivo a longo prazo, a meta é elaborar um balanço
em Terapia Intensiva em Neurologia pelo St. Elizabeth’s Hospital da gestão e elencar os desafios da especialidade. “Ao término do
(Boston, Estados Unidos), pós-doutorado em Epilepsia e Neurofi- mandato, deveremos visualizar a interface das demandas dos as-
siologia Clínica pelo Comprehensive Epilepsy Center do Colum- sociados em um contexto sustentável da sociedade e ciência. A
bia Presbyterian Medical Center (Nova York, Estados Unidos), e elaboração de um plano diretor, observando as tendências da
livre-docência em Neurologia Clínica pela FMUSP. especialidade, será igualmente essencial.”
Atualmente, é professor assistente, chefe da Enfermaria de
Neurologia, chefe de Clínica da Divisão de Neurologia Clínica, tEsourEirA-gErAL
chefe do Grupo de Epilepsia da Divisão de Neurologia Cínica e Márcia Maiumi Fukujima, integrante da Executiva da ABN na
orientador do curso de Pós-Graduação em Neurologia da FMUSP. gestão 2010-2014 na função de primeira-secretária, assume
Também exerce a função de revisor de projetos e periódicos in- como tesoureira-geral na gestão 2014-2016. Mestre e doutora
ternacionais e nacionais para a Fundação de Amparo à Pesquisa em Medicina (Neurologia) pela UNIFESP, atualmente é gestora
do Estado de São Paulo (FAPESP). do Hospital Estadual de Diadema e médica do Setor de Urgên-
De acordo com Castro, a Diretoria Executiva da ABN seguirá cias Neurológicas da UNIFESP.
trabalhando de forma integrada, principalmente em “educação Pelo fato de a Tesouraria ser o órgão responsável pela saúde
continuada, defesa profissional, aferição de qualidade e creden- financeira da ABN, Maiumi diz que todas as decisões serão to-
ciamentos dos programas de residência em Neurologia, aplica- madas em conjunto com os demais dirigentes. “A gestão da Aca-
ção das provas de título de especialista em Neurologia, além de demia bastante já é moderna, pois a Executiva sempre trabalha
cumprir sua responsabilidade de estender o conhecimento à de forma integrada com assessorias, comissões e delegações.
sociedade, por meio de campanhas de conscientização e entre- Contamos com a presteza do Conselho Fiscal e de Patrimônio da
vistas de porta-vozes à imprensa leiga”. ABN, também eleito pelos votos dos associados, e de auditoria
Ressalta ainda que a Diretoria sempre busca alinhar suas ações fiscal externa. Todas as contas são devidamente verificadas e os
à evolução da especialidade: “A Neurologia se renovou muito nos gastos, comprovados. É um processo sadio e bastante rigoroso.”
últimos anos. Costumo dizer que nas décadas de 1970 e 1980, Na nova gestão, a intenção é manter e aprimorar alguns projetos
nossa especialidade era quase que contemplativa. Hoje dispo- já desenvolvidos, além de abrir outras frentes. “Visamos a melhorar
mos de grande arsenal de medicamentos, talvez dos mais am- gradativamente todos os setores da Academia. Uma meta relevan-
plos da Medicina. A tecnologia também avançou no que diz res- te é dedicar ainda mais esforços às campanhas de conscientização
peito a diagnósticos por imagem. Assim sendo, temos de apoiar ao público leigo e à atualização científica do neurologista.”
os Departamentos Científicos no desenvolvimento de projetos,
cursos e eventos”. PrimEiro-tEsourEiro
Também está no planejamento da Diretoria a publicação de Tarso Adoni, recém-empossado como primeiro-tesoureiro da
recomendações da ABN, elaboradas em parceria com os De- ABN, possui graduação em Medicina pela UNESP e doutorado
partamentos Científicos, que congregam informações sobre em Neurologia pela FMUSP. Desempenha as funções de chefe
abordagens clínicas e modalidades de tratamento para doenças do Serviço de Neurologia e coordenador da Residência Médica
neurológicas e manutenção do acesso à plataforma Rede Infor- em Neurologia do Hospital Estadual Heliópolis, e diretor técnico
mática de Medicina Avançada (RIMA). do Centro de Referência no Tratamento da Esclerose Múltipla e
Doenças Relacionadas do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo
PrimEiro-sEcrEtário (SP). Ainda atende como médico assistente do Departamento de
O primeiro-secretário da ABN (2014-2016), Fernando Mor- Neurologia da FMUSP, com atuação no Grupo de Interconsultas
gadinho Santos Coelho, graduou-se em Medicina pela Uni- em Neurologia e no Ambulatório de Encefalopatias Imunome-
versidade Federal do Espírito Santo (UFES). É neurologista, es- diadas e Síndromes Paraneoplásicas do Hospital das Clínicas.
pecialista em Medicina do Sono, mestre em Ciências Médicas Neste seu primeiro mandato, pretende, inicialmente, se familia-
e Biológicas e doutor em Ciências Médicas e Biológicas pela rizar com os meandros do funcionamento da Diretoria. A ideia é
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Possui pós-dou- trabalhar junto com os colegas pelo fortalecimento da ABN como
torado em Neurologia/Medicina do Sono pela Universidade instituição representativa dos neurologistas perante a sociedade,
de Toronto (Canadá). Atualmente é professor adjunto I de Me- os Conselhos Regionais e o Conselho Federal de Medicina. “É mis-
dicina/Neurologia da UNIFESP. ter que a Academia prossiga com suas iniciativas de esclarecimen-
O diálogo com a gestão anterior é fundamental para a realiza- to de temas polêmicos ou cientificamente não respaldados, que
ção de um bom mandato, na avaliação de Morgadinho: “A troca podem interferir na prática diária do neurologista. Também é es-
de informações será essencial, pois assim poupamos gastos, ra- sencial a ABN fiscalizar e chancelar a qualidade dos novos neurolo-
cionalizamos processos e ganhamos tempo”. gistas por meio da prova de título de especialista, que, aliás, é uma
Ele também defenda o aprofundamento contínuo da comuni- certificação respeitadíssima pela coletividade e no meio médico.”

4
literatUra MÉDiCa

tratado de
Neurologia da
Academia Brasileira
de Neurologia
Tratado de Neurologia é uma obra inteiramente produzida
pela ABN, com conteúdo referente à especialidade e total
sintonia com a realidade brasileira. Editado e organizado por
Joaquim Pereira Brasil Neto e Osvaldo M. Takayanagui, reúne
contribuições dos mais renomados médicos, pesquisadores
e professores de Neurologia de conceituadas instituições uni-
versitárias e de saúde do Brasil.
É voltado para residentes e profissionais recém-formados
que buscam obter o título de especialista na área. Também
é fonte de consulta para médicos especializados em Neuro-
logia, com textos claros e didáticos, dos conceitos básicos
fundamentais à prática neurológica de qualidade – sempre
apoiados em evidências científicas.
Brasil Neto considera muito importante para os especialistas
nacionais contar com uma publicação que traz contribuições de
vivência científica de renomados professores de todas as regiões doença em pacientes brasileiros. Existem vários tratados interna-
do País: “Quando se tem traduções, sempre há dificuldades téc- cionais, mas o mérito deste é o de destacar as peculiaridades das
nicas, por mais que sejam revisadas. Nossos especialistas estão doenças neurológicas na nossa população”.
entre os melhores do mundo, principalmente em algumas do- Entre os assuntos de destaque, o livro aborda doenças infec-
enças tropicais, como a de Chagas. São assim os mais indicados ciosas no sistema nervoso com incidência maior no Brasil e na
para fonte de consulta”. América Latina, e traz um capítulo sobre acidente vascular cere-
Takayanagui acrescenta: “O livro ressalta as características da bral, com visão global sem esquecer as particularidades locais.

Prêmio Jabuti destaca


nossos especialistas
A Câmara Brasileira do Livro (CBL) realizou, em 18 de novembro, a en-
trega do Prêmio Jabuti, a mais tradicion al honraria da literatura brasi-
leira. A ABN tem a honra de parabenizar os colegas neurologistas que
participaram da elaboração da obra Medicina Intensiva: Fundamentos e
Prática (Ed. Atheneu), obra que conquistou a terceira posição na catego-
ria de Ciências da Saúde.
Editado pelo médico cardiologista Dante Senra, teve a colaboração dos
representantes da ABN Rubens José Gagliardi (presidente), Sidney Gomes
(ex-delegado junto ao Conselho de Especialidades da Associação Médica
Brasileira – AMB), Getúlio Daré Rabello (ex-delegado suplente junto ao Con-
selho de Especialidades da AMB), e Carmem Lisa Jorge, membro titular.
Em seus dois volumes, que contemplam 21 seções e 156 capítulos, a obra
aborda desde a organização até o gerenciamento da Terapia Intensiva, le-
vando em consideração todas as áreas de atuação voltadas à assistência ao
paciente grave, incluindo os aspectos emocionais dos doentes e de seus fa-
miliares, os cuidados de enfermagem, e a questão da terminalidade da vida.

5
giro pelo brasil

Regionais Norte e
“Quanto mais o indivíduo conhece sobre a doença, mais pode
buscar diagnóstico precocemente, o que é fundamental para o
sucesso do tratamento”, informa a presidente do Capítulo Regio-

Nordeste disseminam
nal de Pernambuco, Maria Lúcia Brito.
Está em andamento um projeto de interiorização das ações
de saúde em Neurologia com parceria de setores da Secretaria

atualização científica
da Saúde, como Farmácia. As programações serão levadas às
regiões mais remotas do estado, como Petrolina, Garanhuns e
Jaboatão dos Guararapes.
O Capítulo Regional de Pernambuco também manifesta in-
Os Capítulos Regionais são de suma importância para a Neurolo- teresse na organização da Associação de Neurociências Norte-
gia do Brasil. Suas contribuições e ações serão destacadas em série, -Nordeste, para dar ênfase aos cursos de educação continuada,
que se inicia, nos veículos de comunicação da ABN. Os Capítulos bem como valorizar os especialistas.
da Bahia, de Pernambuco e do Pará são os primeiros reportados,
abordando, entre outros assuntos, os esforços para proporcionar Pará
aos locais mais distantes do País a integração com os especialistas, a Criado em 14 de maio de 1998, o Capítulo Regional do Pará
capilarização dos conhecimentos e a boa assistência aos cidadãos. conquistou sede própria há um ano e meio. “Ter nosso próprio
polo é fruto do intenso trabalho dos médicos paraenses e do
Bahia apoio da ABN”, destaca o neurologista Hideraldo Luís Souza Ca-
Com 26 anos de existência e 120 associados, a Sociedade de beça, presidente da entidade.
Neurologia da Bahia (SNB) representa a ABN em todo o estado, Atualmente com 23 associados, o Capítulo Regional do Pará
difundindo conhecimento de excelência e respaldando os espe- tem presença marcante em diversos municípios do Norte brasi-
cialistas. Naturalmente, há ainda certa dificuldade, uma vez que leiro, como nos estados do Maranhão, Amapá e, claro, no próprio
a maior parte dos eventos acontece em Salvador. Por isso, uma Pará. Focado na educação continuada, apoia fóruns de discus-
política de interiorização já é delineada: “Estamos com projeto de sões médicas, assim como ações para defesa profissional.
realizar reuniões em diversas cidades do estado a partir de mar- Há um trabalho próximo às ligas acadêmicas de Neurologia,
ço de 2015, uma vez que nem sempre os representantes conse- de Neurocirurgia, de Transplantes, e de Urgência e Emergência.
guem se locomover até a capital”, informa Aroldo Luiz da Silva Mensalmente ocorre a Reunião de Neurologia, com a presença
Bacellar, presidente do Capítulo Regional da Bahia. de especialistas, residentes, acadêmicos e radiologistas.
Outro problema é a carência de patrocínio, o que já impediu a A Região Norte compreende 7 estados e a Floresta Amazônica.
realização da Jornada de Neurologia da Bahia. Para vencer esse Por se tratar de área extensa, é um dos grandes desafios do Ca-
desafio, de acordo com Bacellar, existe a intenção de ampliar o pítulo, pois o número de profissionais para atender a população
Capítulo. Uma ideia é a inclusão de todas as especialidades que é escasso, o que também dificulta uma educação continuada
lidam com pacientes neurológicos, como Fisioterapia e Fonoau- eficaz e uma assistência adequada aos pacientes.
diologia. “Não queremos só sedes na Bahia, em Pernambuco e Uma das grandes conquistas recentes é o apoio do Capítulo à
no Pará. Já discutimos a criação da Associação de Neurociências residência médica em Neurologia, iniciada há um ano, da Univer-
Norte-Nordeste, o que fortaleceria nossos projetos e facilitaria sidade Estadual do Pará e Hospital Ophir Loyola, além do apoio
com os custos, principalmente”, explica. do Departamento de Neuroinfecção e Neuroimunologia da ABN.
A maioria das atividades desenvolvidas é de cunho acadêmi-
co, com foco em reuniões científicas e estudos de casos clínicos.
Existe uma parceria com a Universidade Federal da Bahia para re-
alização de pesquisas, além de serviços de residência médica. Há
sempre investimentos em informação para a população sobre
temas diversos, como Alzheimer, AVC, Esclerose Múltipla, Epilep-
sia e Esclerose Lateral Amiotrófica, por exemplo.

Pernambuco
Fundado em 6 de outubro de 1992, o Capítulo Regional de Per-
nambuco busca integrar os associados à ABN. Conta com aproxima-
damente 50 participantes frequentes em suas reuniões científicas,
realizadas bimestralmente. Nesses encontros, são debatidos assuntos
relevantes da Neurologia, como demências, esclerose lateral amiotró-
fica, epilepsia, neuropatias periféricas e doenças cerebrovasculares.
Em conjunto com a ABN, destacam-se as atividades no interior
pernambucano, com apoio das Escolas Médicas, Secretaria de
Saúde e equipes de Saúde da Família e Indígenas. São encontros
em municípios periféricos, cujo número de neurologistas e clínicos
é bastante reduzido, para identificação e prevenção de doenças
específicas, razão pela qual envolvem equipes multidisciplinares.
Para a conscientização da população, a Regional realiza entre-
vistas nas mídias locais durante as campanhas, além de promo-
ver mutirões em shoppings de Recife, por exemplo com a distri-
buição de folhetos informativos no Dia da Epilepsia.

6
balanço

Os avanços da ABN, por quem a viveu por dentro


Após oito anos, Gilmar Fernandes do Prado,
secretário-geral, e Mônica Santoro Haddad, tesou-
reira, deixam seus cargos na Diretoria Executiva. O
saldo é muito positivo, segundo ambos, e há uma
série de conquistas concretas a comemorar.
“Foi um tempo significativo, de muito trabalho,
atividades constantes. Sem dúvida, empregamos
dedicação e empenho para que a ABN alcançasse
seu status atual. Para ter uma ideia, em 2008 ha-
via 1.290 sócios e hoje são 2.785 membros ativos,
demonstrando que nossos esforços foram válidos”,
destaca Prado.
Para Mônica, sua participação como diretora exe-
cutiva trouxe oportunidade de ampliar a visão sobre
a especialidade, seus desafios e dificuldades. “Pude
refletir e debater com os neurologistas sobre como
superar as demandas que o exercício atual da Medi-
cina e de nossa especialidade impõem. Esse diálogo
me fez crescer pessoal e profissionalmente.”
Gilmar Fernandes do Prado Mônica Santoro Haddad
Ações
Prado elogia a união do grupo, atuando sempre em prol dos coordenar os trabalhos burocráticos. “Entre os feitos, temos a ins-
interesses da especialidade, em continuidade aos projetos já tituição da votação via internet, a maior democratização de nos-
iniciados em gestões anteriores. “Tivemos atuação forte na Co- sa instituição, que permite aos neurologistas de qualquer região,
missão Nacional de Residência Médica da Associação Médica que não podem participar do Congresso Brasileiro, fazer valer
Brasileira (AMB). Conseguimos a adição de um ano opcional para seu voto”, ressalta Prado.
residência médica em Neurologia e em Neurofisiologia Clínica. Hoje existe a possibilidade de o Congresso Brasileiro passar a
Tudo para aprofundar o conhecimento e tornar o residente ain- ser anual, aumentando as chances de atualização científica de
da mais capacitado.” excelência aos especialistas de todo o território nacional.
Ainda no aspecto do ensino, houve a formalização da Medi-
cina do Sono como área de atuação da Neurologia, validando o Desafios
título de Neurofisiologia Clínica para certificação na AMB. Entre os desafios, o secretário-geral cita a ideia de alocar neu-
Prado ainda destaca que a Neurologia possui importante inter- rologistas em todos os estados em quantidade suficiente, supe-
face com outras especialidades e requer postura interdisciplinar. rando a concentração maior nas regiões Sul e Sudeste do País.
Assim, demais profissionais da saúde e até mesmo alunos já po- A meta é obter estrutura adequada para atuar em regiões mais
dem se associar à ABN. distantes, com respaldo dos canais de educação continuada da
Nesse sentido, Mônica aponta o estímulo e o apoio aos Depar- ABN, para disseminar a boa assistência.
tamentos Científicos, bem como o estabelecimento de vínculos Mônica pondera ser preciso manter o alto nível de conheci-
com outras sociedades neurológicas, incluindo as de subespe- mento e atualização que a adequada prática da Neurologia exi-
cialidades nacionais e associações internacionais, estimulando o ge, incorporando conhecimentos de impacto direto na prática
respeito pela Neurologia brasileira no cenário mundial. clínica. Outro ponto é relacionar-se de forma ética e cooperati-
va com áreas diversas da Medicina e outras especialidades, de
Administrativo modo que some ao manejo dos pacientes.
Uma das ações conjuntas da Secretaria Geral e da Tesouraria
foi a instauração de parcerias éticas com patrocinadores, privile- Mensagem
giando os interesses da ABN e sua independência em termos de “Fica a saudade de participar dessa grande quantidade de
opinião e posicionamento científico. processos e realizações em prol de uma Neurologia de quali-
“Especificamente no campo financeiro, consolidamos a audi- dade. Contribuir de alguma forma para a especialidade no de-
toria externa de contas anuais, com assembleias para aprovação correr dos últimos oito anos foi gratificante. Com suporte das
dessas contas. Participamos da aquisição da nova sede, em am- equipes administrativa e executiva, que permitiu as mudanças
biente mais funcional, moderno e seguro. Criamos regulamentos e implantações atuais da ABN, abrimos caminhos para novida-
para controle de contas, trabalhando com nossos funcionários e des”, afirma Prado.
assessorias contábil e jurídica. Entregaremos a Tesouraria aos co- “Agradeço aos associados pela confiança e, especialmente, aos
legas que nos sucederão com um valor patrimonial sólido, o que colegas que, como eu, exercem ou exerceram cargos eletivos na
possibilitará manter os projetos e realizar o que mais julgarem ABN, de forma voluntária. Com eles, aprendi o grande valor do
pertinente”, pondera Mônica. trabalho conjunto pelo bem maior e compartilhei alegrias e vitó-
O Estatuto e o Regimento Interno da ABN passaram por mu- rias. O envolvimento e o comprometimento com a sociedade é
danças relevantes, permitindo funcionamento mais adequado. necessário para o enfrentamento dos complexos desafios de ser
A ABN adotou a figura de um gerente técnico, não médico, para médico no Brasil em pleno século 21”, conclui Mônica.

7
CUrtas

ABN alerta o Brasil no


Bem Estar, da rede globo
No mundo, a cada 6 segundos uma pessoa morre em decorrên-
cia de acidente vascular cerebral (AVC). No Brasil, essa é a primeira
causa de morte e incapacidade. Para tentar reverter esse quadro,
desde 2010, a Organização Mundial de AVC (World Stroke Organi-
zation – WSO) realizou atividades de conscientização no Dia Mun-
dial do AVC, celebrado em 29 de outubro. Neste ano, o foco foi a
grande incidência de AVC na população feminina.
A campanha do Dia Mundial do AVC teve, em sua quarta edi-
ção, o slogan “Eu sou Mulher. O AVC me Afeta”. A ABN, ao lado
de parceiros como a Sociedade Brasileira de Doenças Cerebro-
vasculares (SBDC), a Rede Brasil AVC e a Associação Brasil AVC,
promoveu, em outubro e novembro, eventos presenciais em 70
cidades brasileiras, além de divulgação de informações sobre
prevenção e tratamento na internet e imprensa. Um dos des-
taques da campanha foi a participação da ABN no especial da
Rede Globo, Bem Estar Global, exibido para todo o País, direto de
Porto Alegre, levando orientação à comunidade.
Segundo Sheila Cristina Ouriques Martins, presidente do De-
Prêmio responsabilidade
partamento Científico de Doenças Cerebrovasculares, Neurolo-
gia Intervencionista e Terapia Intensiva em Neurologia da ABN
e coordenadora da Rede Nacional de Atendimento ao AVC do
social da Academia
Ministério da Saúde, a escolha do enfoque da edição deste ano Valorizar, reconhecer e incentivar as iniciativas de apoio aos
foi motivada pela prevalência da doença em pacientes femini- pacientes neurológicos é a meta da ABN ao instituir o Prêmio
nas, uma vez que, de acordo com levantamento da WSO, uma Responsabilidade Social – ABN. Divulgado e homologado oficial-
em cada cinco mulheres terá um episódio de AVC em sua vida, mente durante o XIX Congresso, terá sua primeira outorga em
comparativamente a um em cada seis homens. “As mulheres 2016, em Belo Horizonte (MG), durante a solenidade de abertura
possuem fatores de risco específicos, como gravidez, diabetes da próxima edição do encontro nacional.
gestacional, pré-eclâmpsia, puerpério (fase pós-parto), terapia “A partir de agora, vamos definir as regras e as condições me-
de reposição hormonal após menopausa e uso de pílulas anti- ritórias para a premiação. No site da Academia estarão todas as
concepcionais. Além disso, são as principais cuidadoras dos ho- informações, além de como se inscrever. É um reconhecimen-
mens que tiveram AVC.” to importante às pessoas, entidades e empresas envolvidas na
proteção de pessoas com necessidades neurológicas especiais”,
destaca Acary Souza Bulle de Oliveira, coordenador da Comissão
de Prêmios da ABN.
Os vencedores serão destacados bienalmente sempre durante
o Congresso Brasileiro. Um dos intuitos é difundir a responsabili-
dade social na área neurológica, em todas as representações da
sociedade, assim como identificar formatos inovadores e eficien-
tes de parcerias com a comunidade.
Para participar, o projeto pode ocorrer em qualquer parte do
Brasil e em diversos campos, como agricultura, ambiente, cultu-
ra, desenvolvimento local, educação, habitação, inclusão social,
saúde, e desenvolvimento de medicamento ou de equipamento,
sempre com o foco na especialidade. “Assim, procuramos estabe-
lecer a saúde em Neurologia, que se divide em bem-estar físico,
mental e espiritual. É uma forma de estimular uma sociedade mais
pró-ativa e programas em prol dos pacientes”, comenta Oliveira.
O Prêmio contemplará quatro categorias: o Certificado de Res-
ponsabilidade Social, a Medalha de Responsabilidade Social, o
Troféu de Responsabilidade Social – Destaque ABN, e o Diploma
Mérito Social. Saiba mais em www.abneuro.org.br.

Remetente: Academia Brasileira de Neurologia Uso exclusivo do Correio


Rua Vergueiro, 1.353 – sala 1.404 – Torre Norte
Ausente Endereço insuficiente Data da reintegração
Vila Mariana – CEP 04101-000 – São Paulo, SP
Telefax: (11) 5084-9463 ou 5083-3876 – www.abneuro.org – academia@abneuro.org Falecido Não existe o nº indicado Rubrica do carteiro

Recusado Desconhecido

8 Mudou-se Outro (especificar) _________

FECHAMENTO AUTORIZADO PODE SER ABERTO PELA ECT