You are on page 1of 34

ANCESTRALIDADE

1. Na tradição a capoeira não tem graduação?

R. Nenhum mestre antigo usava graduação.

2. Como era conferido o título ao capoeirista?

R. Na cultura popular não tem um título determinado.

3. Como o título era empregado na comunidade?

R. O título era utilizado de acordo com tempo


exercido no trabalho que realizava. Qualificava o ofício
do trabalhador.

4. Antigamente se vendia ou comprava graduação?

R. Não havia comércio, posto que não existia qualquer


tipo de graduação.

5. Na Capoeira Angola tinha graduação?

R. Não. Em nenhuma forma da prática da capoeira tinha


graduação.

6. Na Capoeira Regional tinha graduação?

R. Não. Na Capoeira Regional haviam os lenços que


eram utilizados apenas e tão somente como distinção nos
momentos das festas.

7. Nas rodas os capoeiristas usavam graduação?

R. Não. As rodas eram feitas em ocasiões e festas de


largos.

8. Quando a primeira graduação foi utilizada?


1
R. A primeira graduação a ser utilizada foi através
do Mestre Carlos Sena, na década de 1952, na Bahia.

ASPECTOS POSITIVOS

9. Qual o aspecto positivo que a graduação trouxe a capoeira?

R. Na prática a graduação serve apenas para segurar a


calça do capoeirista.

10. Quais as atividades da sociedade que a graduação é utilizada de forma


ostensiva?

R. A graduação só é utilizada de maneira ostensiva no


meio militar, paramilitar e em algumas artes marciais.
Por exemplo, no Box, Kung Fu, Sumô etc, não têm nenhum
sistema de graduação.

ASPECTOS NEGATIVOS

11. Quais os aspectos negativos que a graduação trouxe a capoeira?

R. Vários. A graduação é uma atividade que trouxe


uma quantidade considerável de problemas negativos à
capoeira.

12. Quais os problemas que podemos mencionar como verdadeiramente


negativos na capoeira?

R. Sem dúvidas destacamos: o comércio, diversidade,


apadrinhamento, interesse particular, qualificação,
vaidade, violência, agressividade, modismo,
desvirtuamento etc.

ASPECTOS PSICOLÓGICOS

2
13. O uso da graduação não altera conduta e o caráter do capoeirista?

R. Não. A graduação até acentua quem tem algum tipo


de desvio de comportamento.

14. O uso da graduação melhora o aspecto psicológico do capoeirista?

R. De certo modo sim, mas temos casos de vários


capoeiristas que se suicidaram com o uso da própria
graduação da capoeira.

15. A graduação melhora a autoestima do capoeirista?

R. Uma atividade física saudável pode proporcionar


melhora na autoestima, no entanto, os exemplos que temos
é de que vários capoeiristas, por não atingirem uma
determinada graduação e outros, por serem promovidos e
não terem sucesso como capoeiristas fiquem em estado
lastimável de depressão.

ASPECTOS PRÁTICOS

16. Nas competições têm graduações?

R. Não. Na competição a graduação não serve para


nada.

17. Quando precisar usar a capoeira em defesa própria a graduação é


indispensável?

R. Não. No momento de auto defesa não há tempo para


pensar em graduação.

18. Para jogar capoeira não há necessidade de graduação?

R. Não. A graduação não joga capoeira.

3
19. A graduação é uma coisa boa na capoeira?

R. Não. Depois de mais de 62 (sessenta e dois anos)


de uso não atingiu o objetivo pretendido. Padronizar a
capoeira.

20. A graduação serve para organizar a capoeira?

R. Não. Pelo contrário, serviu para desorganizar o


que estava organizado popularmente.

21. A graduação na capoeira jamais será unificada?

R. Sim. Nas atividades da capoeira nunca houve


unanimidade.

22. Existe alguma lei que estabelece obrigatoriedade para uso de graduação?

R. Não. No nosso ordenamento jurídico não existe


nenhuma norma que estabeleça o uso de graduação na
capoeira.

23. Existe alguma lei que proíbe o uso de graduação?

R. Não. Nenhuma norma proíbe o uso da graduação na


capoeira.

24. Existe alguma lei orientando para captação de verbas na graduação?

R. Não existe nenhum amparo legal orientando nesse


sentido.

25. Na roda de rua tem graduação ou uniforme?

R. Não. Nas rodas de ruas não existe graduação nem


uniforme. As rodas de ruas organizadas por alguns grupos
exige-se o uso de graduação e uniforme, no entanto, esses
critérios não se aplicam nas rodas de ruas tradicionais.

4
26. A Graduação dá experiência?

R. Não. O que dá experiência ao capoeirista é o


tempo, dedicação e vivências nas rodas de capoeiras. Só
ter a graduação não traz experiência.

27. É fácil justificar o uso da graduação na capoeira?

R. Não. Não temos nenhum motivo positivo para


justificar o uso da graduação na capoeira.

28. E os grupos que usam graduação é possível justificar?

R. Sim. Pois cada grupo usa e justifica a graduação


como melhor convém as lideranças, no entanto o resultado
não se aplica em geral na capoeira.

29. Com o fim da graduação, uma série de condutas inadequadas vão acabar
de imediato.

30. E os grupos que usam graduação são possíveis justificar?

S. Sim. Pois cada grupo usa e justifica a graduação


como melhor convêm as lideranças, no entanto o resultado
não se aplica em geral na capoeira.

31. Nas escolas, colégios, faculdades e universidades têm algum sistema de


graduação ostensiva?

R. Não. Em nenhum estabelecimento de ensino


convencional tem graduação ostensiva para nenhuma função.

32. Para se ter respeito, há necessidade de graduação?

R. Não. Respeito se adquire através da conduta e


postura pessoal e não com graduação na cintura.

33. Hierarquia não é graduação?


5
R. Não. Hierarquia é uma posição em todo sistema
organizado e graduação nem sempre existe num sistema
organizado.

34. Quem será prejudicado com o fim da graduação na capoeira.

R. Ninguém será prejudicado. Nem o aluno que será


graduado, nem a liderança que concede a graduação.

35. Vou ter dificuldade para explicar o fim da graduação na capoeira?

R. Não. Muito simples responder, com apenas 6


palavras justifico: graduação não é tradição na capoeira.

36. É possível continuar praticando uma atividade, que não sei explicar qual o
benefício que justifica o seu uso.

R. Penso que não é adequado continuar com a graduação


na capoeira, sem um fundamento convincente aos
capoeiristas e sociedade.

37. Porque introduzimos a graduação na capoeira?

R. A intenção inicial era organizar a capoeira, no


entanto isto não ocorreu, pelo contrário vemos hoje a
capoeira cada dia mais confusa e conflituosa.

38. A capoeira Angola tem problema de graduação?

R. Não. A Capoeira Angola mantém a tradição. Os


angoleiros, sutilmente, sem nenhum problema de graduação
permanecem como um movimento de resistência a graduação.

39. Nas entidades de ensino tem graduação?

R. Não. Todos os alunos aprendem nas escolas e nas


escolas não têm graduação para nenhuma função.
6
40. Para o capoeirista ser respeitado precisa de graduação?

R. Não. Respeito se adquire com a conduta e postura


pessoal.

41. O que mais dificulta o fim da graduação na capoeira?

R. Os argumentos e fundamentos pessoais, sem


consistência, sem razão e vaidade pessoal das lideranças.

42. Quem será prejudicado com o fim da graduação?

R. Ninguém será prejudicado. Não existe nenhum


benefício prático na capoeira.

43. Sem a graduação a capoeira perde a confiança da sociedade?

R. Não. Pelo contrário haverá mais confiança do


capoeirista quando responder sobre não ter graduação na
capoeira.

44. Qual o benefício que a graduação proporciona à capoeira?

R. Nenhum. É impossível continuar praticando uma


atividade, que não sabemos explicar qual o benefício que
justifica o seu uso.

45. A capoeira nasceu com graduação?

R. Não.

46. Como fica quem usa graduação sem nenhum benefício à capoeira?

R. Com certeza não faz o melhor para a capoeira.

7
47. Porque não seguimos os exemplos existentes em algumas artes marciais?

R. Já estamos praticando graduação há mais de 62


anos, e não temos motivos consistentes para continuar
usando graduação. Vamos ficar muito tempo sem
convencimento para definir uma única forma de graduação,
como é o caso das artes marciais.

48. Qual foi motivo para introduzir a graduação na capoeira?

R. O principal motivo era organizar a capoeira e essa


organização depois de 62 anos não aconteceu. Pelo
contrário ficou mais desorganizada e conflituosa a
capoeira.

49. Quem ganha com o fim da graduação?

R. A capoeira com certeza. Considerando a Capoeira


Angola, a Capoeira Regional, que não têm uma graduação
ostensiva no dia-a-dia, nada muda, os outros seguimentos
simplesmente tiram as incontáveis formas de graduação.

50. Por que não continuamos usando a graduação?

R. Porque não se mostrou eficiente para organizar a


capoeira. Logo não vou continuar praticando uma atividade
se não sei os benefícios que ela proporciona.

51. Temos motivos padronizados na graduação da capoeira.

R. Não. Pelo contrário temos a confusão total na


graduação da capoeira.

52. As Graduações utilizadas no geral da capoeira são fundamentadas?

R. Sim. Todas são fundamentadas de acordo com o


pensamento de cada liderança, eis o grande problema,
todas as lideranças são taxativas que os seus sistemas
são os mais fundamentados e melhores.

8
53. Quando vamos procurar um local para ministrar aulas de capoeira
levamos a graduação como prova de conhecimento.

R. Não. Levamos sempre documentos impressos.


(Currículo, certificados diplomas e referências)

54. Para que servem as funções e títulos?

R. Servem para comprovar taxativamente o nosso


trabalho e formação.

55. Como vamos fazer as festas de batizado, troca de graduação e formatura?

R. Faremos as festas como todas entidades de ensino


fazem, com respeito, solene, importante e marcante.
Entregando no lugar da graduação o certificado de
conclusão ou o título que o capoeirista for merecedor
pelos seus méritos.

56. O que é a Graduação na Capoeira.

R. São as várias formas que usamos para graduar o


capoeirista, com o objetivo de organizar a capoeira.

57. Qual o motivo que fez a graduação não ser entendido pela sociedade?

R. A sociedade não compreende tantas variedades nas


graduações. Nenhuma atividade organizada tem tantas
formas de graduar. É uma questão de bom senso. Se não
funcionou até agora, não vai funcionar no futuro.

58. A graduação na capoeira tem um material padrão?

R. Não. As cores, como o material ajudam a


confundir a graduação, psto que, sequer temos um material
padronizado para confeccionar a graduação. Bem diferente
das artes márcias que têm graduação.

59. Os fundamentos e as justificativas não são suficientes para manter a


graduação na capoeira?

9
R. Não. São tantos argumentos e justificativas para o
uso da graduação, que só tumultua, pois todos os dias se
cria uma nova graduação na capoeira.

60. Não vamos ter um sistema de avaliação para os capoeiristas?

R. Sim. Devemos ter um currículo padrão e isto não


quer dizer que devemos ter graduação. Precisamos sim de
documentos que comprovem a conclusão de curso e título e
não graduação na cintura.

10
ASPECTOS DESPORTIVOS

61. As Associações, Ligas, Federações, Confederações são obrigadas a criarem


graduações?

R. Não. A legislação não obriga as entidades de


organização desportiva estabelecer qualquer tipo de
graduação. As entidades são orientadas para organizar a
modalidade.

62. No desporto tem graduação?

R. Não. O praticante ou é atleta de competição ou não


é atleta.

63. Nas várias formas de competições na capoeira têm graduação.

R. Não. Todas as competições de capoeira são feitas


sem categorias por graduações.

64. Falar em categorias de pesos não é graduação?

R. Não. Categoria quer dizer limitação a alguma


exigência da competição aos atletas. Graduação quer dizer
nível hierárquico numa determinada atividade.

65. A graduação qualifica o praticante de capoeira?

R. Não. Se graduação qualificasse as pessoas nós já estaríamos pelo


menos nas olimpíadas e, no entanto, nas olimpíadas nem graduação tem.

66. A graduação tem alguma utilidade numa competição?

R. Não. A graduação não tem nenhuma serventia em nenhuma


competição de grande expressão.

11
67. Quem vai sair perdendo com o fim da graduação?

R. Ninguém. Só perde quem vive da venda de graduação.

68. O que justifica o uso de graduação?

R. Nada. Não temos um único motivo que justifica ou


ampara o uso de graduação na capoeira.

69. Existe alguma norma para captação de verbas para graduação.

R. Não existe nenhuma legislação específica para esta


finalidade.

70. Os grupos que vendem as graduações vão perder dinheiro?

R. Não. Os valores das graduações podem ser incluídos


nas taxas de matrículas, mensalidades, festas, eventos,
cursos, certificados, diplomas etc. Só não vai existir o
argumento que vendi ou que comprei a minha graduação, o
que é mais confortável para quem vive da capoeira, e não
quer ter o nome envolvido com a venda de graduação

12
ASPECTOS JURÍDICOS

71. Existe alguma lei que estabelece graduação na capoeira.

R. Não. No nosso ordenamento jurídico não existe


legislação que estabeleça qualquer sistema de graduação.

Vejamos o Amparo Legal


Lei Rouanet

A Lei Rouanet estabelece as condições de incentivo aos artistas ou empresas que não
têm recursos para executar os seus projetos em diversas as áreas de atuação como:
shows, CDs, teatros, exposições, audiovisual etc, captando fundos de empresas que
queiram colaborar na cultura do país e estejam aptas para tanto e com isso poderão
deduzir esse aporte no Imposto de Renda.

LEI Nº 8.313, DE 23 DE DEZEMBRO DE 1991

Art. 3° Para cumprimento das finalidades expressas no art. 1° desta lei, os projetos
culturais em cujo favor serão captados e canalizados os recursos do Pronac atenderão,
pelo menos, um dos seguintes objetivos:

III - preservação e difusão do patrimônio artístico, cultural e histórico, mediante:

d) proteção do folclore, do artesanato e das tradições populares nacionais;

A luz da legislação vigente vamos observar os aspectos jurídicos, que já estamos


condicionados.

A Constituição Federal nos artigos 216 e 217, estabelece os aspectos cultural e


desportivo da capoeira.

Logo, desnecessários os PLs (Projetos de Lei) que vêm sendo alardeados na


atualidade.

LEI Nº 12.288, DE 20 DE JULHO DE 2010 - Estatuto da Igualdade Racial estabelece.


Capítulo II

Do Direito à Educação, à Cultura, ao Esporte e ao Lazer

Seção III
13
Da Cultura

Art. 20. O poder público garantirá o registro e a proteção da capoeira, em todas


as suas modalidades, como bem de natureza imaterial e de formação da
identidade cultural brasileira, nos termos do art. 216 da Constituição Federal.

Parágrafo único. O poder público buscará garantir, por meio dos atos
normativos necessários, a preservação dos elementos formadores tradicionais
da capoeira nas suas relações internacionais.

Seção IV

Do Esporte e Lazer

Art. 21. O poder público fomentará o pleno acesso da população negra às práticas
desportivas, consolidando o esporte e o lazer como direitos sociais.

Art. 22. A capoeira é reconhecida como desporto de criação nacional, nos termos do art.
217 da Constituição Federal.

§ 1º A atividade de capoeirista será reconhecida em todas as modalidades em que a


capoeira se manifesta, seja como esporte, luta, dança ou música, sendo livre o exercício
em todo o território nacional.

§ 2º É facultado o ensino da capoeira nas instituições públicas e privadas


peloscapoeiristas e mestres tradicionais, pública e formalmente reconhecidos.

Logo, desnecessários os PLs (Projetos de Lei) que vêm sendo alardeados na


atualidade.

Estamos lutando por uma causa que já existe há séculos no Brasil, e agora, vem sendo
enfrentada e regulada pela demanda do mercado de todo o mundo.

A própria comunidade deve se organizar e estabelecer critérios capazes de ordenar a


formação do capoeirista.

A sociedade saberá valorizar e reconhecer a capacidade do seu próprio povo.

Logo, considero necessário, que os capoeiristas se organizem com as suas lideranças,


para buscarem outras frentes de interesses, que tragam benefícios diretos nos aspectos
cultural, profissional e social.

Mais um tema que vem reforçar a os aspectos jurídicos da capoeira.

14
Observem, que já temos várias leis que encaminham e orientam às condições
necessárias a fim de viabilizar o seu projeto com a prática da capoeira, não importando
qual o seu seguimento de atuação.

Agora vejamos:

A Lei Rouanet estabelece as condições de incentivo aos artistas ou empresas que não
têm recursos para executar os seus projetos em diversas as áreas de atuação como:
shows, CDs, teatros, exposições, audiovisual etc, captando fundos de empresas que
queiram colaborar na cultura do país e estejam aptas para tanto e com isso poderão
deduzir esse aporte no Imposto de Renda.

Entendo como salutar, que façamos um movimento para reivindicar outras frentes de
conquistas ao capoeirista.

Não é demais lembrar o que a UNESCO reconheceu a Roda de Capoeira e não o


capoeirista isoladamente.

O capoeirista, como todos que compõem uma roda de capoeira foram reconhecidos
genericamente. Pense nisso!

Lei nº 9.615 (Lei Pelé)


Finalmente, a Lei nº 12.395 de 2011 modificou a Lei nº 9.615 e incluiu a Confederação
Brasileira de Clubes (CBC) no Sistema Nacional do Desporto, que congrega “as pessoas
físicas e jurídicas de direito privado, com ou sem fins lucrativos, encarregadas da
coordenação, administração, normatização, apoio e prática do desporto, bem como as
incumbidas da Justiça Desportiva”.

Assim, a Confederação Brasileira de Clubes passou a ter direito a receber recursos. A Lei
nº 9.615, em seu capítulo VIII, art. 56, § 10 (que também foi incluído pela Lei nº 12.395,
de 2011), determina que “os recursos financeiros de que trata o inciso VIII serão
repassados à Confederação Brasileira de Clubes - CBC e destinados única e
exclusivamente para a formação de atletas olímpicos e paraolímpicos, devendo ser
observado o conjunto de normas aplicáveis à celebração de convênios pela União.”

Art. 4o O Sistema Brasileiro do Desporto compreende:

§ 2o A organização desportiva do País, fundada na liberdade de associação, integra


o patrimônio cultural brasileiro e é considerada de elevado interesse social, inclusive para
os fins do disposto nos incisos I e III do art. 5o da Lei Complementar no 75, de 20 de maio
de 1993. (Redação dada pela Lei nº 10.672, de 2003)

§ 3o Poderão ser incluídas no Sistema Brasileiro de Desporto as pessoas jurídicas


que desenvolvam práticas não-formais, promovam a cultura e as ciências do desporto e
formem e aprimorem especialistas.

Art. 7o Os recursos do Ministério do Esporte terão a seguinte


destinação: (Redação dada pela Lei nº 10.672, de 2003)

15
I - desporto educacional;

II - desporto de rendimento, nos casos de participação de entidades nacionais de


administração do desporto em competições internacionais, bem como as competições
brasileiras dos desportos de criação nacional;

III - desporto de criação nacional;

Art. 13. O Sistema Nacional do Desporto tem por finalidade promover e aprimorar as
práticas desportivas de rendimento.

Parágrafo único. O Sistema Nacional do Desporto congrega as pessoas físicas e


jurídicas de direito privado, com ou sem fins lucrativos, encarregadas da coordenação,
administração, normatização, apoio e prática do desporto, bem como as incumbidas da
Justiça Desportiva e, especialmente: (Redação dada pela Lei nº 12.395, de 2011).

III - as entidades nacionais de administração do desporto;

IV - as entidades regionais de administração do desporto;

V - as ligas regionais e nacionais;

Art. 14. O Comitê Olímpico Brasileiro - COB, o Comitê Paraolímpico Brasileiro - CPB
e as entidades nacionais de administração do desporto, que lhes são filiadas ou
vinculadas, constituem subsistema específico do Sistema Nacional do
Desporto. (Redação dada pela Lei nº 12.395, de 2011).

Art. 15. Ao Comitê Olímpico Brasileiro-COB, entidade jurídica de direito privado,


compete representar o País nos eventos olímpicos, pan-americanos e outros de igual
natureza, no Comitê Olímpico Internacional e nos movimentos olímpicos internacionais, e
fomentar o movimento olímpico no território nacional, em conformidade com as
disposições da Constituição Federal, bem como com as disposições estatutárias e
regulamentares do Comitê Olímpico Internacional e da Carta Olímpica.

§ 1o Caberá ao Comitê Olímpico Brasileiro-COB representar o olimpismo brasileiro


junto aos poderes públicos.

§ 3o Ao Comitê Olímpico Brasileiro-COB são concedidos os direitos e benefícios


conferidos em lei às entidades nacionais de administração do desporto.

Art. 16. As entidades de prática desportiva e as entidades de administração do


desporto, bem como as ligas de que trata o art. 20, são pessoas jurídicas de direito
privado, com organização e funcionamento autônomo, e terão as competências definidas
em seus estatutos ou contratos sociais. (Redação dada pela Lei nº 13.155, de 2015)

16
17
CONSCIENTIZAÇÃO

Com as perguntas e respostas já elaboradas e respondidas, temos consciência que:

72. vai ter discussão em vão para ter uma graduação única.

73. é impossível unificar.

74. cada um quer fundamentar a graduação de acordo com o seu interesse.

75. nenhuma competição tem graduação.

76. na competição o capoeirista é um atleta e que o melhor vence.

77. não tem nenhuma lei obrigando que se faça uma graduação.

78. os Mestres Bimba, Pastinha, Traíra etc, não usavam graduação.

79. não existe padrão nas centenas de graduações.

80. as graduações é uma "Torre de Babel", cada um diz o que quer, com as próprias
justificativas, sem nenhuma base de qualquer ordem.

81. os grandes grupos não vão mudar e os pequenos grupos são irredutíveis.

Assim concluímos que estamos perdendo tempo por uma causa inglória, que é mais
inteligente acabar com as graduações na capoeira.

18
CONCLUSÃO

Diante das perguntas, respostas e conscientização sobre a graduação


na capoeira, concluímos que:

82. é melhor seguir a tradição.

83. Nenhum mestre antigo usava graduação.

84. O título era pela atuação na comunidade.

85. Não se vendia, nem comprava título.

86. Graduação só serve para segurar a calça.

87. Graduação não tem conduta nem caráter

88. Na hora da necessidade não existe graduação.

89. Nas competições a graduação pouco ou nada importa.

90. Não tem nenhum motivo de fato que justifique o uso de graduação.

91. É mais fácil acabar com a graduação, do que se chegar a um entendimento para
unificar.

92. É mais inteligente acabar com as graduações

93. Todo mundo vai ganhar.

94. Não vai haver mais venda de graduação.

95. Não vai haver mais graduação de influência.

96. Não vai haver mais graduação inadequada.

97. Não vai haver mais a expressão, promoveu sem condições.

98. Não vai haver mais conflito entre os grupos, sob o argumento que foi para o outro
grupo só para pegar uma graduação.

99. Não vai haver mais a vaidade para ser graduado de qualquer maneira.

100. Não vai haver mais, ninguém se sacrificando por não ter sido promovido.

19
101. Não vai haver mais a indústria da graduação.

102. Não vai haver mais conflito de graduação entre os grupos.

103. Precisamos ter consciência da inutilidade do uso de graduação.

104. É necessário refletir sobre o que fazemos desnecessariamente.

105. É fato que a graduação não ajudou em nada a capoeira.

106. A capoeira continua dividida e agora mais ainda.

107. Não sabemos, sequer, quantos sistemas de graduação temos. E cada dia aumenta mais.

108. São tantos motivos, que não faz sentido continuar com graduação na capoeira.

109. Estamos perdendo tempo por uma causa inglória.

110. É mais inteligente acabar com as graduações?

111. Não adianta acertar formação se não temos argumentos sólidos para usar
graduação.

112. O que temos sobre graduação é o interesse individual e dos grupos.

113. A resposta em geral é sempre a mesma, a graduação serve para organizar o


trabalho. No entanto, em 62 anos de prática isso não ocorreu.

114. Não vou continuar praticando uma atividade que só serve para confundir o povo.

115. Chega de tentar explicar o que não tem explicação.

116. Não vejo nenhum motivo de fato que justifique o uso de graduação

117. Só vemos graduação ostensiva nas artes marciais orientais e em algumas


atividades da sociedade, como militar ou paramilitares e ponto final.

118. Para organizar qualquer coisa, não há necessidade de graduação.

119. se graduação fosse bom tudo no mundo teria graduação.

120. Podem continuar com a graduação que quiserem, mas a graduação na capoeira
jamais será unificada.

121. A graduação só veio para criar problemas na capoeira.

20
122. é impossível continuar praticando uma atividade, que não sei explicar qual o
benefício que justifica o seu uso.

123. A capoeira nasceu e se criou sem graduação.

124. Quem coloca graduação sem nenhum benefício à capoeira, em todos aspectos,
não faz o melhor para a capoeira.

125. Vamos procurar uma forma mais consistente, com base, conceito e fundamento
para conclusão de curso e títulos.

126. Uma vez por ano faço exame teórico, prático e a solenidade para a entrega do
certificado de curso, mudando o aluno de categoria. Simples assim.

127. Não vendo corda, nada, o aluno recebe o certificado que lhe é de direito.

128. A nossa intenção é falar com propriedade sobre o que praticamos como é o caso
da graduação.

129. Depois que divulgar quem quiser continuar com graduação e por convencimento
próprio, mas sem base de fundamentação.

130. Com todo respeito e por tudo que já foi exposto até agora e nos diversos
argumentos na tentativa de achar um benefício para graduação, só reforça a minha
consciência de que devemos acabar com a graduação na capoeira.

131. Quando trazemos apenas um tema para reflexão, já se tem a concepção pronta de
que apesar de não ter fundamento nem benefício não vou mudar.

132. Acabando com a graduação estaremos dando o primeiro passo seguro, para
organizar com base a capoeira.

133. Vamos começar tirando a graduação e, concomitante, fazer uma Reforma na


capoeira em várias atividades que não tem tradição, base, fundamento e
justificativa.

21
AÇÃO - Sugestão para a capoeira melhorar:
Com as perguntas, respostas, conscientização e conclusão sobre a
graduação na capoeira, concluímos que:
134. Acabar com todo e qualquer sistema de graduação.

135. Sem graduação tudo pode melhorar na capoeira.

136. Elaborar um padrão curricular mundial, para fins de conclusão de curso. Como se faz
em todos os seguimentos.

137. Entregar o certificado ou diploma de conclusão de curso em solenidade como já são


feitas.

138. As festas de capoeira continuaram existindo, mas ao invés de entregar corda, cordel,
cordão, lenço, corrente etc, vai ter a entrega de um certificado, ou diploma, que o
interessado vai utilizar em caso de necessidade curricular.

139. Acabar com batizado, sem graduação não há necessidade de batismo.

140. Todos os praticantes serão capoeiristas.

141. Os títulos ficam a cargo das comunidades.

142. Ter uma entidade nova de fato nas ações.

143. Criar mais uma entidade com as mesmas atividades das demais, não vale a pena.

144. Só vale a pena se for para reformular várias atividades sem argumentos lógicos e
de fácil compreensão.

145. Acabar com a graduação.

146. Estabelecer um currículo padrão nacional.

147. Estabelecer um uniforme padrão nacional.

148. Um sistema de competição simples, para que todos possam saber quem foi o
vencedor.

149. Um Conselho Nacional

150. Uma previdência

151. Um código de ética

152. Um fundo financeiro


22
153. Uma diretoria eleita por todos os capoeiristas, para ter representatividade mundial.

23
OPINIÃO
154. Observe que um assunto tão relevante na capoeira e temos apenas algumas
observações a respeito.

155. Vamos continuar ouvindo os nossos pares, para concluir o pensamento sobre a
graduação na capoeira.

156. Penso que podemos mudar estudar um modelo melhor para a capoeira ser mais
respeitada.

157. O desafio foi citar só um benefício da graduação na capoeira.

158. Na minha humilde e convicta opinião.

159. Entendo como oportuno o congresso, não podemos continuar falando de uma
atividade que não temos respostas para o que fazemos.

160. Isso não pode ser adequado para continuarmos na capoeira.

161. Na verdade a graduação deve ser extinta para o bem da capoeira.

162. Precisamos pensar e utilizar outras formas para conclusão de curso e formação.

163. Penso que a capoeira precisa caminhar com mais fundamento.

164. Sou favorável que a capoeira caminhe com definições e conceitos elementares.

165. Até hoje ouvimos a máxima: " capoeira é isso aí e muito mais"

166. Ou definimos e conceituamos capoeira ou vamos ficar como estamos.

167. Pense e reflita!

168. Vamos procurar uma forma mais consistente, com Base, conceito e fundamento
para conclusão de curso e títulos.

169. Boa vontade meu povo e vamos acabar com a graduação na capoeira já!

170. Só por isso, já justifica acabar com a graduação na capoeira.

171. Precisamos discutir em alto nível, somos pessoas esclarecidas e com argumentos
suficientes para melhorar o que fazemos com respeito ao contraditório.

172. Se você citar um benefício à capoeira, ganha R$ 100,00 na hora.

173. O debate é bom, a fim de conscientização dos capoeiristas.

174. E digo mais, precisamos avançar no debate pois vamos esclarecer o povo

175. Precisamos definir e conceituar algumas atividades na capoeira.


24
SUGESTÃO

176. O certificado de conclusão de curso.

177. Veja bem continuo fazendo o que sempre fiz na capoeira, e você também só não
faço mais troca de corda.

178. Uma vez por ano faço exame teórico, prático e a solenidade para a entrega do
certificado de curso, mudando o aluno de categoria.

179. Veja como é simples.

180. Que acha dessa prática?

181. Sugestão de uniforme

182. O título a comunidade reconhece meu amigo.

183. Precisamos acabar já com a graduação.

184. Sem graduação, faremos as festas como todas entidades de ensino fazem,
com respeito, solene, importante e marcante.

185. Vamos receber o certificado de conclusão ou o título que sou merecedor pelos
meus méritos.

186. Os alunos quando forem entrando na capoeira, já vão entendo que receberão um
certificado por conclusão de curso.

187. Como é desde que iniciam na rede de ensino.

188. Sem problema de qualquer tipo de graduação.

189. Chegou a hora da Capoeira fundamentar, sem romantismo as suas atividades.

190. Não vendo nada, o a

191. luno recebe o que lhe é de direito.

192. A formscao e ad misitracao de cada grupo poderá ser mantida de acordo com o
regulamento interno.

193. E fim da graduação já!

25
194. Fim da graduação e novos estudos para implantação de um sistema padrão para
conclusão de cursos e títulos para todos.

195. Na pesquisa feita em vários grupos de WhatsApp, do dia XX/09/2017 a 20/09/2017,


recebemos várias manifestações justificando que o uso da graduação na capoeira:

196. Será que a graduação não ajudou a dividir mais ainda a capoeira?

197. E o capoeirista ao aderir a um sistema de graduação está certo?

198. Pensar e questionar o que estamos fazendo são deveres nossos.

199. O que pretendo é ter respostas às necessidades da Capoeira.

200. Funções na capoeira, monitor, instrutor, formado

201. Como se sentiria os alunos que não têm graduação.

202. O questionamento deve ser feito se eles gostariam de usar uma graduação que
não ajudou a capoeira nos últimos 60 anos.

203. Será que eles vão querem continuar usando uma graduação que não serviu para
organizar a capoeira, pelo contrário confundiu mais ainda, o que antes era tão
simples?

204. Quando tirar a graduação os alunos novos já vão ter respostas imediato, porque
não usam graduação.

205. Ao contrário com graduação vão alegar alguma coisa que não tem resultado
prático.

26
CONSIDERAÇÕES - Considerando que:
206. Quando isso ocorre não passamos confiança aos nossos simpatizantes.

207. No meu entendimento é um tema que carece reflexão.

208. Sempre se ouve que os Mestres antigos não souberam organizar a capoeira.

209. Graduação Infantil – fazer uma sugestão

210. Não existe lei que reconheça a graduação de ninguém.

211. Não existe nenhum lei obrigando a implementação da graduação na capoeira E


NEM PARA TIRAR.

212. Para quê usar uma graduação se não temos motivos práticos para continuar
usando?

213. Que não serve para nada na prática da Capoeira.

214. Estamos de cordel, cordão, corda, corrente, lenço, Gola etc.

215. Arte marcial tem uma graduação padrão há muito tempo.

216. Até o material da confecção da faixa é padronizado.

217. O que não acontece com a capoeira.

218. Estamos há mais de 50 anos usando graduação, e só conseguimos dividir cada dia
mais a capoeira.

219. Nem nas federações conseguimos padronizar.

220. Sou trouxe problemas.

221. Veja, para responder uma única pergunta sobre graduação vamos ficar procurando
resposta.

222. Não há necessidade de graduação para se ter hierarquia.

223. Se este argumento fosse verdadeiro todos os seguimentos da sociedade utilizariam

224. Informa - a graduação só informa dentro do próprio grupo. Numa roda não informa
nada além das cores e tipos

225. Forma de reconhecer - só reconhece no âmbito do próprio grupo, nos demais


grupos não se reconhece nada.

226. Identificar - somente dentro do próprio trabalho. Em

227. Âmbito amplo não identifica nada é uma confusão só.

228. Trouxe benefícios localizados e setoriais.

229. Quem utiliza graduação são os militares, artes marciais orientais, paramilitares e
mais ninguém.
230. Perguntou temos que responder sem titubear

27
QUESTIONAMENTO

231. Quem prefere continuar usando a graduação a não usar graduação

232. Será que os Mestres antigos estavam errados quando não utilizaram de
graduação?

233. A questão é se a graduação é uma prática boa para a capoeira.

234. Não é a questão de acreditar ou não acreditar, ser ou não mestre, quero entender
por que usamos graduação, já que temos tanta dificuldade para cita um benefício
que a graduação oferece.

235. A quem interessa uma capoeira com base e fundamentos?

236. Só a quem quer razão para valorizar a capoeira e o capoeirista.

237. Ora, veja bem, o que queremos realmente com a capoeira?

238. Melhorar ou deixa como está para ver como vai ficar?

239. Como se sabe que a pessoa é motorista?

240. Como se sabe quem é engenheiro, médico, advogado, professor, mecânico,


pedreiro etc.

28
POSICIONAMENTO/Argumentos

241. A graduação é uma forma de *hierarquizar* a modalidade.

242. Ela conta a história do capoeirista, ela informa para o público praticante ou não o
quanto de tempo foi investido dentro da capoeira. Não é verdade. O público não
sabe de nada.

243. É uma forma de reconhecer o que foi construído com mérito do capoeirista. Não é
verdade. Milhares recebem a graduação e somem. O reconhecimento é feito no
dia-a-dia. Quem vai na academia sabe quem merece reconhecimento. Não precisa
de graduação, para reconhecer nada. É uma forma também de organizar e
identificar pessoas aptas a ensinar.

244. Não é verdade. Todo mundo ensina sem graduação e não é preciso se identificar
para ser professor de nada.

245. Serve para organizar a capoeira.

246. Serve para estabelecer a hierarquia na capoeira.

247. Serve para orientar quem chega na roda de capoeira.

248. Serve para o aluno ter parâmetro dos objetivos que deve conquistar na prática da
capoeira.

249. Serve para valorizar o aluno na capoeira.

250. Serve para estabelecer o uso do uniforme.

251. Que a graduação que usa não vai tirar de jeito nenhum, porque foi o mestre que
deu para ele.

252. Quem não estiver satisfeito que deixe de usar.

253. Não abro mão da minha graduação.

254. Que é legal, porque as artes marciais usam e é bom a capoeira ter.

255. Que sei quanto tempo vou ficar para trocar de graduação.

256. Que vou mostrar a minha família que estou avançando na capoeira.

257. Que melhora a autoestima do aluno

29
258. Quando chego numa roda sei quem é quem na roda.

259. Que não vende graduação

260. Que é rigoroso para graduar

261. Que cobra pela graduação, mas é um valor pequeno.

262. Quem não faz comércio da graduação

263. Que na gradua por amizade.

264. Que é contra quem vende a graduação

265. Que a festa da graduação é um momento de grande emoção.

266. Que tem poucos formados e mestres

267. Que tem capoeirista que nem merece a graduação que usa.

268. Que tem capoeirista que merece ter uma graduação mais alta.

269. Que não sabe porque ainda não foi promovido.

270. Como é que pode ficar tanto tempo na mesma graduação.

271. Que tem capoeirista que vai para outro grupo receber uma graduação mais alta.

272. Que em determinado grupo é fácil receber a graduação.

273. Que não vai para outro grupo para não ser rebaixado de graduação.

274. Esse Grau de conhecimento e/ou poder, tanto na educação formal quanto na
sabedoria popular, são representados por Títulos, os quais, em geral, são
representados socialmente por símbolos...

275. Nao estamnos falando em títulos e sim em graduação. Nao e verdade, os militares,
artes marciais dentre outros sao os que possuem símbolos

276.

277. Na educação formal, esses Títulos têm como símbolos, por exemplo, as Becas nos
dias da formatura, os certificados, os anéis, as carteiras de identificação
profissional, etc...

30
278. No caso da Sabedoria popular, em geral, esses Títulos são Simbolizados,
geralmente, pela Indumentária e/ou Adereços colados nas mesmas ou em alguma
parte do corpo...

279. Na Capoeira, por exemplo, na sua grande maioria, com variações entre estilos e
linhagens, esses Títulos são simbolizados pelas Indumentárias, cordas, cordões,
lenços, etc...

280. Dessa forma, entendo que, a Graduação define o Grau de conhecimento, o Título,
da nome a esse Grau, e, o Símbolo, é a representação social desse Grau de
conhecimento...

281. Reconheça, a aberrante comercialização, que infelizmente, as vezes existe em


torno das Graduações

282. Contribui para a divisão e distribuição dos conteúdos pedagógicos da Capoeira por
etapas, gradual e gradativo.

283. Nao e verdade so se aplica para atender os interesses de cada grupo.

284.

285. Facilitando a organização do processo de ensino aprendizagem da capoeira;

286. Ao aluno, facilita tornar-se mais consciente e perceptivo, para entender o caminho
já percorrido, e o quanto tem pela frente à percorrer. Tornando-se também um fator
de estímulo;

287. Ajuda na identificação e informação no seio da Comunidade Capoeirística, sobre o


Grau de conhecimento dos seus membros, facilitando nos Eventos, escolher a
quem, e como nos dirigirmos, para a troca de experiências, de acordo com as
nossas necessidades e interesses;

288. Ainda nos Eventos, facilita o respeito à hierarquia em dois sentidos:

289. Que o Capoeira mais Graduado respeite o menos Graduado, compartilhando com
este, um Jogo compatível com o Grau de conhecimento deste;

290. Que o Capoeira menos Graduado, embora sem restringir a liberdade de soltar o
seu Jogo, tenha a consciência e o respeito de que está Jogando com um Capoeira
mais Graduado;

291. Um outro fator é que já vamos pra mais de meio século das Graduações, e
os Batizados se tornaram uma Tradição Festiva na Capoeira, o que contribui para
aglutinar a Comunidade Capoeirística e divulgar a capoeira;
31
32
OUTROS

292. Temos invenções, nos instrumentos, Nos toques, Nos estilos, Nas competições
etc.

293. Não é só na graduação que temos falta de fundamentação.

294. Estamos começando pela graduação, mas temos outros temas, que não sabemos
responder também, e que precisam ser estudados pelos capoeiristas.

295. Lamentável, mas, se pensarmos com razão em fatos concretos, não tenho dúvida.
Fim da graduação já!

296. A capoeira está igual ao Brasil, ou muda já, ou vamos ficar mais 500 anos errando
e o que é pior sem argumento sequer, para embasar a graduação.

297. E como diz na Bahia: " já acabou tarde"

298. Basta você procurar a resposta na sociedade.

1. A Capoeira Iuna tem um sistema de graduação, criado e fundamentado por mim.

2. Não sou contra graduação.

3. Eu não mudei de opinião.

299. Vou expor o meu pensamento a respeito com fundamentos e razão, sem
saudosismo, para acabar com a graduação na capoeira.

Graduação

1 - ato de graduar.
2 - Divisão em grau ou grados.
3 - Escala.
4 - Grau de convexidade das lentes, óculos, etc.
5 - Posição social.
6 - Honras de posto (sem os seus proventos).

Fonte. Dicionário Aurélio

33
34