You are on page 1of 28
RESUMAÇO MEDICINA LEGAL Medicina Legal A Medicina Legal é uma especialidade concomitantemente médica e jurídica que
RESUMAÇO MEDICINA LEGAL
Medicina Legal
A Medicina Legal é uma especialidade concomitantemente médica e jurídica que utiliza
conhecimentos técnico-científicos da medicina para o esclarecimento de fatos de interesse
da justiça.
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Medicina_legal
Divisão
• Antropologia forense - Procede ao estudo da identidade e identificação, como a
datiloscopia, papiloscopia, iridologia, exame de DNA, etc., estabelecendo critérios para a
determinação e identidade de um esqueleto ;
Traumatologia forense - Estudo das lesões;
• Asfixiologia forense - analisa as formas acidentais ou criminosas das asfixias, sob o
prisma médico e jurídico (esganadura, estrangulamento, afogamento, soterramento, etc.)
• Sexologia forense - Trata da Erotologia, Himenologia e Obstetrícia forense, analisando
a sexualidade em seu tríplice aspecto quanto aos efeitos sociais: normalidade, patológico e
criminológico;
Tanatologia - Estudo da morte e do morto;
Toxicologia - Estudo das substâncias cáusticas, venenosas e tóxicas.
Psicologia e Psiquiatria forenses - Estudo das doenças mentais.
• Criminologia – estuda as causas e o desenvolvimento do crime;
1
• Vitimologia - estudo da participação da vítima nos crimes; • Infortunística - estudo das circunstâncias
Vitimologia - estudo da participação da vítima nos crimes;
Infortunística - estudo das circunstâncias que afetam o trabalho, como seus acidentes,
doenças profissionais.
• Química forense - estudo de materiais como tintura, vidros, solos, metais, plásticos,
explosivos e derivados do petróleo.
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Medicina_legal
1.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão:
PC-SPProva:
Auxiliar
de
Necrópsia
Em relação à Medicina Legal, é correto afirmar que
a)
é a ciência aplicada aos fatos que ocorrem somente após a morte do ser humano.
b)
o estudo das doenças mentais não faz parte das disciplinas da Medicina Legal.
c)
não é especialidade médica, mas sim, uma carreira policial
d)
Tanatologia e Medicina Legal são sinônimos.
e)
é a aplicação dos conhecimentos médicos aos problemas judiciais.
TANATOLOGIA- estuda a morte e o morto e suas repercussões na esfera jurídico-social;
VITIMOLOGIA- estuda a vítima, principalmente o comportamento da vítima por ocasião
do delito;
INFORTUNÍSTICA- estuda os acidentes e as doenças de trabalho, bem como
doençasprofissionais, no que se refere à perícia, higiene e insalubridade laborativas;
2
TRAUMATOLOGIA- estuda as lesões corporais sob o ponto de vista jurídico e asenergias causadoras do dano,
TRAUMATOLOGIA- estuda as lesões corporais sob o ponto de vista jurídico e asenergias
causadoras do dano, englobando no estudo o diagnóstico, prognóstico e suas consequências
legais;
CRIMINALÍSTICA- estuda a dinâmica do crime, investigando de forma técnica, os indícios
materiais do crime, seu valor e sua interpretação nos elementos constitutivos do corpo de
delito.
2.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
Dentro das diversas áreas da Medicina Legal, pode-se dizer que a pesquisa da reação de
natureza vital nas vítimas é abordada de modo mais específico na
a)
Tanatologia.
b)
Vitimologia.
c)
Infortunística.
d)
Traumatologia.
e)
Criminalística.
Canais de Havers
Canais de Havers são uma série de tubos estreitos dentro dos ossos por onde passam
vasos sanguíneos e células nervosas. São formados por lamelas concêntricas de fibras
colágenas. São encontrados na região mais compacta do osso da diáfise óssea (meio de
ossos longos). Podem ser vistos no centro de ósteons em cortes histológicos dos ossos.
Existem comunicações menores e mais transversais entre os canais de Havers chamadas
de Canais de Volkmann com a mesma função de nutrir, mineralizar e enervar o osso.
Os canais de Harvers no homem são elípticos, irregulares, mais largos e em menor número
que nos animais. Nesses são circulares, estreitos e numerosos
3
https://pt.wikipedia.org/wiki/Canais_de_Havers https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Histologia/epitelio17.php 3. Ano: 2014 Banca: VUNESP Órgão: PC-SPProva: Médico legista A identificação médico-legal da espécie
https://pt.wikipedia.org/wiki/Canais_de_Havers
https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Histologia/epitelio17.php
3.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
A identificação médico-legal da espécie animal com a análise do osso é feita, classicamente,
com a análise
a)
da densitometria.
b)
do canal medular.
c)
dos canais de Havers.
d)
das características da medula óssea.
e)
da proporção entre osteócitos e osteoclastos.
4
Terceiros Grandes Molares,( dentes do sisso ou do juízo) presentes somente na Segunda dentição, surgem dos
Terceiros Grandes Molares,( dentes do sisso ou do juízo) presentes somente na Segunda
dentição, surgem dos 15 anos até os 28 anos idade, tendo como surgimento médio (maior
frequência) os 18 anos.
Fonte:
Livro Medicina Legal de Genival Veloso de França, 9ª edição, editora Guanabara
Koogan
4.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
Na odontologia médico-legal, o terceiro grande molar pode contribuir na identificação de um
indivíduo, em média, a partir de
a)
20 anos de idade, na segunda dentição.
b)
36 meses de idade, na primeira dentição.
c)
10 anos de idade, na segunda dentição.
d)
15 anos de idade, na segunda dentição.
e)
18 meses de idade, na primeira dentição.
Toda morte violenta deve ser objeto de necropsia, a cargo dos peritos do IML.
5.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Perito criminal
Homem de 25 anos de idade, internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), em coma
há 5 meses por trauma craniencefálico secundário a atropelamento, morre por
tromboembolia pulmonar decorrente da estase sanguínea pela imobilidade prolongada.
A natureza
da morte
e
a instituição
que
deverá emitir
a declaração de
óbito
são,
respectivamente:
a)
violenta; Instituto Médico Legal.
b)
natural; Instituto Médico Legal.
5
c) violenta; hospital de internação. d) natural; Serviço de Verificação de Óbitos. e) violenta; Serviço de
c)
violenta; hospital de internação.
d)
natural; Serviço de Verificação de Óbitos.
e)
violenta; Serviço de Verificação de Óbitos.
O Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) foi criado pelo
Ministério da Saúde em 1975 para a obtenção regular de dados
sobre mortalidade. O documento-padrão do SIM é a Declaração
de óbito (DO) que atesta se a morte foi natural (doença) ou não-
natural (causas externas, ex.: homicídio, suicídio, acidente ou morte suspeita).
No caso de morte não-natural (causas externas) em localidade com IML
(Instituto Médico Legal) o DO será feito pelo médico legista e nas localidades
sem IML será feito por qualquer médico da localidade, investido pela
autoridade judicial ou policial, na função de perito legista eventual (ad hoc).
6.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
Segundo normatização do Ministério da Saúde, a necropsia de vítima de morte suspeita ou
violenta deve ser realizada por médico legista no Instituto Médico Legal (IML). Na hipótese
de não haver IML na localidade em questão, recomenda-se que a declaração de óbito seja
emitida da seguinte forma:
a)
o corpo deverá ser transportado para a cidade mais próxima que disponha de IML.
b)
o médico legista da localidade mais próxima deverá ir até o local para emitir a declaração
de óbito.
c)
excepcionalmente, por qualquer médico do SUS local.
d)
neste caso, qualquer médico pode emitir a declaração de óbito como “morte sem
assistência médica”.
e)
poderá ser emitida por um médico não legista da localidade, desde que investido pela
autoridade judicial ou policial como perito eventual (ad hoc).
6
Cadeia de Custódia é um processo de documentar a história cronológica da evidência, esse processo visa
Cadeia de Custódia é um processo de documentar a história
cronológica da evidência, esse processo visa a garantir o
rastreamento das evidências utilizadas em processos judiciais,
registrar quem teve acesso ou realizou o manuseio desta
evidência. Se faz necessária em todas as atividades profissionais onde possa
ocorrer situações que resultem em processos judiciais. A perícia criminal,
publicado pela SENASP em 2013, diz que:
"CADEIA DE CUSTÓDIA: sistemática de procedimentos que visa à preservação
do valor probatório da prova pericial caracterizada."
https://pt.wikipedia.org/wiki/Cadeia_de_cust%C3%B3dia
7.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
Entende-se por “cadeia de custódia”
a)
o exame médico legal realizado no criminoso durante sua transferência.
b)
o registro de todos os custos que o criminoso acarreta para o Estado.
c)
a prisão domiciliar.
d)
o local onde fica armazenada a prova pericial, antes de chegar ao seu destino final.
e)
os documentos de registro de todas as etapas pelas quais passa o material a ser
periciado.
CP - Decreto Lei nº 2.848 de 07 de Dezembro de 1940
Art. 129. Ofender a integridade corporal ou a saúde de outrem:
Pena - detenção, de três meses a um ano.
7
Lesão corporal de natureza grave § 1º Se resulta: I - Incapacidade para as ocupações habituais,
Lesão corporal de natureza grave
§ 1º Se resulta:
I - Incapacidade para as ocupações habituais, por mais de trinta dias;
II - perigo de vida;
III - debilidade permanente de membro, sentido ou função;
IV - aceleração de parto:
Pena - reclusão, de um a cinco anos.
§ 2º Se resulta:
I - Incapacidade permanente para o trabalho;
II - enfermidade incuravel;
III - perda ou inutilização do membro, sentido ou função;
IV - deformidade permanente;
V - aborto:
Pena - reclusão, de dois a oito anos.
8
8. Ano: 2014 Banca: VUNESP Órgão: PC-SPProva: Auxiliar de Necrópsia José agride João com uma agulha
8.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão:
PC-SPProva:
Auxiliar
de
Necrópsia
José agride João com uma agulha de seringa contendo sangue contaminado por HIV. A
ferida puntiforme acarretada pela agulha cicatriza-se em 5 dias, porém João torna-se
portador do HIV. Em relação à lesão corporal provocada, é correto afirmar que
a)
do ponto de vista médico-legal, pode ser desconsiderada, em razão do pequeno
tamanho da lesão e de sua rápida cicatrização.
b)
é de natureza grave, pela enfermidade incurável representada pela infecção por HIV.
c)
é de natureza gravíssima, pela enfermidade incurável representada pela infecção por
HIV.
d)
é de natureza leve, já que a ferida cicatrizou-se em 5 dias.
e)
doenças infectocontagiosas não fazem parte dos itens que definem a natureza da lesão.
É de propriedade do paciente de forma permanente as
informações que possam ser objeto da necessidade de ordem
social ou outro profissional que venha a tê-lo na sua relação,
dentro da conveniência que a informação possa merecer. Do
médico e da instituição, apenas o direito de guarda."
Fonte: Genival Veloso França, Medicina Legal, 2013.
9.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
Nos exames ou necropsias periciais, com relação ao prontuário médico, pode-se afirmar que
a)
o médico legista deve evitar consultar os registros médico-hospitalares para evitar que
seu raciocínio pericial seja induzido pelas informações nele contidas.
b)
é de propriedade exclusiva do hospital ou unidade de atendimento onde o paciente foi
socorrido, podendo ou não ser liberada cópia ao médico legista, caso seja solicitada.
9
c) todos os dados contidos no prontuário pertencem à vítima, podendo ser solicitada cópia pelo médico
c)
todos os dados contidos no prontuário pertencem à vítima, podendo ser solicitada cópia
pelo médico legista, se houver necessidade, mediante autorização da vítima ou do seu
familiar.
d)
na realidade, pertence ao paciente e poderá ser consultado apenas nas perícias de
vítima viva, com sua prévia autorização.
e)
embora pertença ao hospital ou unidade de atendimento, deve ser liberada cópia ao
médico legista, sempre que for solicitado.
A datiloscopia trata da identificação e exame das impressões
digitais e se divide em datiloscopia civil (que identifica pessoas
para fins civis, como expedição de documentos, etc.) e
datiloscopia criminal (que identifica pessoas indiciadas em
inquéritos, acusadas em processos ou em crimes).
Há quatro tipos de impressões digitais:
- Arco: é o datilograma geralmente adéltico, formado por linhas que
atravessam o campo digital, apresentando em sua trajetória formas mais ou
menos paralelas abauladas ou alterações características.
- Presilha interna ou alça ulnar: é o datilograma com um delta à direita do
observador, apresentando linhas que, partindo da esquerda, curvam-se e
voltam ou tendem a voltar ao lado de origem, formando laçadas.
- Presilha externa ou alça radial: é o datilograma com um delta à esquerda
do observador, apresentando linhas que, partindo da direita, curvam-se e
voltam ou tendem a voltar ao lado de origem, formando laçadas.
- Verticilo: é o datilograma com um delta à direita e outro à esquerda do
observador, tendo pelo menos uma linha livre e curva à frente de cada
delta.
10
Tipos fundamentais de impressões digitais Fonte: https://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/aula- pratica-sobre-papiloscopia.htm Vucetich criou o seu próprio sistema de arquivamento
Tipos fundamentais de impressões digitais
Fonte:
https://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/aula-
pratica-sobre-papiloscopia.htm
Vucetich criou o seu próprio sistema de arquivamento e identificação, que
foi implantado pela polícia de La Plata em 1891, e é utilizado ainda hoje.
10.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
A figura refere-se à impressão digital de indivíduo cujas características, segundo o Sistema
Datiloscópico de
Vucetich, correspondem ao tipo
11
a) presilha interna. b) presilha externa. c) verticilo. d) arco. e) núcleo. O Corpúsculo de Barr
a)
presilha interna.
b)
presilha externa.
c)
verticilo.
d)
arco.
e)
núcleo.
O Corpúsculo de Barr ou Cromatina sexual é encontrado em
indivíduos do sexo feminino, genótipo XX dos genes sexuais,
visível nas células somáticas durante a intérfase. O corpúsculo
de barr é compensação natural para a dupla carga genética dos
indivíduos femininos da espécie humana. Um dos cromossomos X fica
espiralizado, ou seja, inativo, fazendo com que só um dos alelos x se
manifeste. Essa espiralização é aleatória nas células do organismo, porém o
cromossomo X que por acaso possuir alguma anomalia será preferencialmente
inativado. Nos indivíduos masculinos da espécie humana, genótipo XY, não há
corpúsculo de Barr ou cromatina sexual, pois somente se manifesta um
cromossomo X.
A importância da cromatina sexual está no fato de através dela diferenciarmos as células
masculinas das femininas e também identificarmos a ocorrência de síndromes ou anomalias
cromossômicas sexuais.
11.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
A presença do corpúsculo de Barr tem sua aplicação na identificação do
a)
espermatozoide.
b)
líquido amniótico.
c)
sexo cromatínico.
d)
material hemático.
e)
DNA mitocondrial.
12
TRAUMATOLOGIA FORENSE Conceito: é o estudo das lesões corporais resultantes de traumatismos de ordem material ou
TRAUMATOLOGIA FORENSE
Conceito: é o estudo das lesões corporais resultantes de
traumatismos de ordem material ou moral, danoso ao corpo ou à
saúde física ou mental .
Classificação:
1- Agentes mecânicos (instrumentos)
2- Agentes físicos
3- Agentes químicos
4- Agentes físico-químicos
5- Agentes biológicos (contágios)
6- Agentes mistos
1-Agentes mecânicos ou instrumentais: denominam-se como conjuntos de objetos, agidos
de uma mesma maneira, produzem lesões semelhantes, sendo divididos em:
a)
Instrumento perfurante -
só perfuram - agulha, alfinete, picador de gelo
b)
Instrumento cortante -
só cortam - navalha, lâmina de barbear
c)
Instrumento contundente -
não corta, não perfura - cassetete, martelo
d)
Instrumento perfuro-cortante -
faca, punhal, lima de serrilheiro
e)
Instrumento corto-contundente -
machado, arcada dentária
f)
Instrumento perfuro-contundete - projétil de arma de fogo
MEIOS MECÂNICOS/AGENTES
-
LESÃO /FERIDA
-
Perfurante -
Puntiforme ou punctória
-
Cortante -
Cortante
-
Contundente -
Contusa
-
Perfurocortante -
Perfurocortante
-
Perfurocontundente -
Perfurocontusa
-
Cortocontundente -
Cortocontusa
http://drluizfernandopereira.blogspot.com.br/2011/10/traumatologia-forense.html
13
12. Ano: 2014 Banca: VUNESP Órgão: PC-SPProva: Médico legista A figura a seguir refere-se à lesão
12.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
A figura a seguir refere-se à lesão produzida no pescoço da vítima por um estilete.
É correto afirmar que tal agente e lesão são denominados, respectivamente, de:
a)
perfurante e perfurante.
b)
pontual e perfurante.
c)
perfurante e punctória.
d)
punctório e pontual.
e)
pontual e punctória.
13.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
A lesão caracteristicamente causada pelo projétil de arma de fogo é
a)
pérfuro-contusa.
b)
pérfuro-incisa.
c)
contusa.
d)
incisa.
e)
perfurante.
14
A Balística Forense é uma disciplina que faz parte da criminalística e tem como objetivo estudar
A Balística Forense é uma disciplina que faz parte da criminalística e tem como
objetivo estudar as armas de fogo, sua munição e os efeitos dos
tiros por elas produzidos, sempre que tiverem relacionados com
infrações penais, visando esclarecer e provar de maneira técnica
a sua ocorrência.
A balística forense é universalmente utilizada para a análise e a
identificação das armas de fogo, dos projéteis e dos explosivos, em particular
para a criminalística a balística é importante no conhecimento e
reconhecimento das armas de fogo; dos projéteis e dos cartuchos vazios; dos
explosivos, formadores da munição; do confronto do projétil com a arma que
efetuou o disparo.
Na balística forense, para armas de fogo, existem dois métodos de
identificação: identificação direta e a identificação indireta. Na identificação
direta ou imediata, o exame é ralizado nela própria, ou seja, das suas
características e peculiaridades distintivas. Já na identificação indireta ocorre
o exame é feito através de estudo comparativo de características deixadas
pela arma nos elementos de sua munição. Na identificação indireta, usam-se
métodos comparativos macro e microscópicos nas deformações verificadas
nos elementos da munição da arma questionada ou suspeita.
14.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
Na balística forense, os elementos utilizados na identificação direta da arma de fogo são:
a)
tipo, calibre, deformidade impressa no estojo.
b)
brasões, número de série e deformidade do estojo.
c)
fabricante, deformidade da espoleta, calibre.
d)
escudos, tipo, deformidade na espoleta.
e)
tipo, calibre, número de série.
15
Sinal de Devergie - Posição de boxeador, assumida pelos cadáveres vítimas de queimaduras graves e carbonização.
Sinal de Devergie - Posição de boxeador, assumida pelos
cadáveres vítimas de queimaduras graves e carbonização.
Sinal de Chambert - Bolhas ou flictemas que aparecem nas
queimaduras de 2º grau.
Sinal de Montalti - presença de fuligem ao longo das vias respiratórias.
15.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
Nas mortes por calor (queimaduras), o sinal de Montalti corresponde à(às)
a)
coleção hemática no espaço extradural.
b)
posição de boxer ou boxeador da vítima de carbonização.
c)
flictenas simulando bolhas da putrefação.
d)
presença de fuligem nas vias aéreas.
e)
disjunção dos ossos do crânio simulando fratura.
SINAIS PARTICULARES DO AFOGAMENTO:
A)
SINAIS EXTERNOS:
-
baixa temperatura da pele;
-cogumelo de espuma;
-pele anserina ou "pele de galinha" (sinal de Bernt);
-retração do mamilo, do saco escrotal e do pênis;
-maceração da derme;
16
-macha verde da putrefação; -cabeça de negro de Lecha-Marzo; -lesões causadas por animais aquáticos e embarcações
-macha verde da putrefação;
-cabeça de negro de Lecha-Marzo;
-lesões causadas por animais aquáticos e embarcações
-dentes rosados;
-cor da face (lívida ou azulada);
-queda fácil dos pelos nos que permaneceram durante algum tempo submersos;
-destruição frequente das partes moles e cartilaginosas, como boca, supercílios, pálpebras,
globos oculares, nariz e pavilhões auditivos, por animais da fauna aquática, como peixes,
siris e outros crustáceos;
-projeção da língua além das arcadas dentárias é frequente no início da putrefação;
-presença de erosões das polpas digitais e entre os dedos e, sob as unhas, de lama ou
grãos de areia e, nos lábios, de corpos estranhos inerentes à massa líquida onde ocorreu a
submersão; -lesões de arrasto (Simonin).
-tonalidade vermelho-clara dos livores cadavéricos;
-putrefação;
-SINAIS INTERNOS:
-presença de líquido nas vias respiratórias;
-presença de corpos estranhos nas vias respiratórias;
-alterações e lesões dos pulmões;
-diluição do sangue
-equimoses mais comuns: manchas de Paltauf, mais comuns que as de Tardieu, em
decorrência da rotura dasparedes dos alvéolos e capilares sanguíneos;
17
-presença de líquido no interior do sistema digestivo; HEMORRAGIAS CRANIANAS: a) temporal (sinal de Niles); b)
-presença de líquido no interior do sistema digestivo;
HEMORRAGIAS CRANIANAS:
a)
temporal (sinal de Niles);
b)
etmoidal (Vargas- Alvarado); -lesões nos pulmões;
-presença de líquido no ouvido médio.
16.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
Assinale a alternativa que contém sinais mais comumente encontrados nas vítimas de
afogamento.
a)
Manchas de Tardieu, cogumelo de espuma e máscara equimótica.
b)
Manchas de Paltauf, maceração da pele e cogumelo de espuma.
c)
Máscara equimótica, manchas de Paltauf, pele anserina.
d)
Hipóstases claras, manchas de Tardieu e cianose ungueal.
e)
Lesões por animais aquáticos, cianose ungueal e hipóstases escuras.
18
19
19
Fonte: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/2483775/mod_resource/content/1/PARTE%202% 20-%20SUM%C3%81RIO%20-%20ASFIXIOLOGIA.pdf 20
Fonte:
https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/2483775/mod_resource/content/1/PARTE%202%
20-%20SUM%C3%81RIO%20-%20ASFIXIOLOGIA.pdf
20
Fonte: http://grupocienciascriminais.blogspot.com.br/2014/10/medicinalegal- enforcamento.html 21
Fonte:
http://grupocienciascriminais.blogspot.com.br/2014/10/medicinalegal-
enforcamento.html
21
Para fixar: Sulco de enforcamento: -Frequentemente apergaminhada -Oblíquo ascendente -Acima da cartilagem tireóidea -Geralmente único -Interrompido
Para fixar:
Sulco de enforcamento:
-Frequentemente apergaminhada
-Oblíquo ascendente
-Acima da cartilagem tireóidea
-Geralmente único
-Interrompido no nível do nó
Sulco de Estrangulamento
-Raramente apergaminhada
-Horizontal
-Abaixo da cartilagem tireóidea
-Múltiplo
-Continuo
17.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
São características do sulco cervical nas asfixias por enforcamento e estrangulamento,
respectivamente:
a)
geralmente único / frequentemente múltiplo.
b)
raramente apergaminhado / frequentemente apergaminhado.
c)
horizontal / oblíquo.
d)
contínuo / descontínuo.
e)
abaixo da cartilagem tireoide / acima da cartilagem tireoide.
As reações agudas ao uso da cocaína :
Uso da cocaína possibilita a ocorrência de crises hipertensivas fatais e hemorragia
cerebral como;
paradas cardíacas por arritmias e infarto do miocárdio. Além disso, é comum a
ocorrência de endocardite nos usuários.
22
Pode ocorrer trambose durante o uso da cocaína, no entanto, não é um sintoma ligado à
Pode ocorrer trambose durante o uso da cocaína, no entanto, não é um sintoma ligado
à morte súbita.
São comuns hipertensão arterial, lesões vasculares e suas consequências .
a presença de alcaloides, de natureza entorpecente, nas vísceras é comum. Sua
manipulação e aferição de dosagem pode constatar se a quantidade seria capaz de
produzir a morte.
A cocaína age tanto sobre o sistema nervoso periférico, quanto no sistema nervoso
central.
18.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
Com relação ao uso crônico da cocaína, especialmente em jovens, pode-se afirmar que
a)
eventos cardiovasculares são raramente observados pelo uso da droga.
b)
a morte súbita geralmente decorre de fenômenos tromboembólicos durante a injeção
da droga.
c)
hipertensão arterial, lesões vasculares e suas consequências são relativamente comuns
nesses indivíduos.
d)
não costuma deixar nenhum substrato morfológico nas vísceras, sendo um achado
exclusivo do exame toxico- lógico.
e)
o órgão alvo de ação da droga é unicamente o Sistema Nervoso Central.
23
24
24
19. Ano: 2014 Banca: VUNESP Órgão: PC-SPProva: Médico legista A figura seguinte refere-se à lesão encontrada
19.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
A figura seguinte refere-se à lesão encontrada na carótida comum de vítima de suicídio por
enforcamento.
25
Observa-se, no terço médio, o destacamento da túnica externa das outras túnicas do vaso, que corresponde
Observa-se, no terço médio, o destacamento da túnica externa das outras túnicas do vaso,
que corresponde ao sinal de
a)
Friedberg.
b)
Amussat.
c)
Lesser.
d)
Ziemke.
e)
Étienne Martin.
Art. 129 - Ofender a
integridade corporal ou a saúde de outrem:
Pena - detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano.
Lesão corporal de natureza grave
§ 1º - Se resulta:
I - incapacidade para as ocupações habituais, por mais de 30 (trinta) dias;
II - perigo de vida;
III – debilidade permanente de membro, sentido ou função;
IV - aceleração de parto:
26
Pena - reclusão, de 1 (um) a 5 (cinco) anos. Lesão corporal de natureza gravíssima (esta
Pena - reclusão, de 1 (um) a 5 (cinco) anos.
Lesão corporal de natureza gravíssima (esta expressão não está no código)
§ 2º - Se resulta:
I - incapacidade permanente para o trabalho;II - enfermidade incurável;III - perda ou inutilização de
membro,
sentido ou função;IV - deformidade permanente;
V - aborto:
Pena - reclusão, de 2 (dois) a 8 (oito) anos.
20.
Ano: 2014
Banca: VUNESP
Órgão: PC-SPProva: Médico legista
Criança de 10 anos, vítima frequente de maus tratos pelos pais, durante um dos episódios,
levou um tapa sobre uma de suas orelhas, o que levou à ruptura do tímpano, com déficit
auditivo homolateral. Trata-se de lesão corporal
a)
leve, pois não houve deformidade externa, apenas lesão interna, sem perda total da
função.
b)
grave, pois houve debilidade permanente da função auditiva.
c)
gravíssima, pois houve debilidade permanente da função auditiva.
d)
somente poderá ser classificada na dependência do grau de prejuízo às suas funções
rotineiras.
e)
somente poderá ser classificada se houver prejuízo à sua profissão, na sua maioridade,
com perdas financeiras.
27
28
28