You are on page 1of 2

Texto: Gênesis 22.

1-19
Título: A doutrina da Providência Divina

Introdução

Conta se uma estória de um rapaz que desejava conhecer o seu pai, para
isso com muito custo comprou uma passagem de navio, que duraria cerca
de dez dias de viagem e como era a sua primeira vez, sua mãe arrumou
uma sacola grande e colocou dentro dela muitos pães com salame uma vez
que o rapaz não teria dinheiro para comprar almoço e janta no navio.
Estando de viagem, seu alimento diário era pão com salame e água.
Durante dias via as pessoas se fartarem de comerem no restaurante dentro
do navio e ele comendo apenas pão salame e água.
Já no oitavo dia não suportando mais aquela situação, pediu ajuda a um
dos passageiros e contou a sua situação. Aquele senhor lhe pediu o bilhete
de passagem para ver e lhe disse: “meu jovem, a sua passagem lhe garante
todas as refeições diárias sem custo a mais”.
Deus cuida do seu povo em todo tempo; Ele pensou em todos os detalhes
ao criar este universo. Ele não somente criou, mas a Bíblia também fala de
Deus mantendo e preservando a sua criação inclusive nós seres humanos.
Apesar de Deus amar a criação como um todo, Ele tem um amor especial
por nós, e no texto que lê-mos nesta noite, pode-se ver a Divina
Providência estampada na caminha de Fé de nosso pai Abraão.
A primeira coisa que devemos considerar sobre a providência é que:
1. A Providência Divina torna-se clara em tempo de provação (v.1-14)
Não é a toa que Abraão é o Pai da Fé. Quando Deus lhe pediu o seu único
filho ele não esitou. Abraão era como qualquer um de nós, por certo a
exigência de Deus abalou a sua estrutura, mas não sua Fé.
Deus provou a Abraão, colou a sua fé no fogo da provação. Não pense
que Deus agirá diferente conosco, caminhar com Cristo exige fé e
obediência; a vontade de Cristo deve prevalecer sobre as minhas vaidades.
Meus planos e projetos devem se curvarem para planos e projetos de Deus.
Deus quer que confiemos na Sua Providência, isto no seu cuidado por nós,
mas para isso, afim de que cresçamos, Ele fará em nós algo semelhante que
fez em Abraão, provação, teste.
A uma diferença entre provação divina e tentação. A tentação é carnal e
satânica, o objetivo é nos fazer pecar. Já a provação divina tem como
propósito nos santificar, conhecer o poder de Cristo e consequentemente
confiar mais e mais em Cristo.
Muitos crentes não conseguem ver as mãos de Deus nas provações; em
trabalho que perdemos, um negócio que não deu certo, um atrito, uma
perca estimável. Mas é assim que o Apostolo Paulo diz aos irmãos romanos
8.28: “... que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que, o
amam,...”
Abraão conhecia a Deus o suficiente para crer que mesmo sacrificando o
seu filho, Deus o traria de volta para cumprir a sua promessa de através de
Isaque lhe dar um numerosa descendência.