You are on page 1of 60

0

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
1

Secretaria de Estado da Educação de Sergipe / SEED. Divisão de Educação Especial /


DIEESP. Apostila do Curso de Iniciação a LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais –
Módulo I. Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e Atendimento às
Pessoas com Surdez / CAS. Sergipe: 2017, 7ª ed.

DESENHO E ILUSTRAÇÕES CEDIDAS


Francisco Sandro Quintela de Melo
Tálita Cavalcanti Pergentino dos Anjos

ORGANIZAÇÃO
Equipe do CAS - Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e Atendimento às Pessoas com
Surdez (2017)
Tálita Cavalcanti Pergentino dos Anjos – Coordenadora
Camila Araújo Teles – Técnica
Sirleide Ferreira da Cruz – Técnica
Antônio Rúbio Andrade de Carvalho – Instrutor de Libras
Presley Rhodney Pereira Santos – Instrutor de Libras
Cinthia Magno Santos Leão – Tradutora e Intérprete de Libras
Edicarlos Santos da Conceição – Tradutor e Intérprete de Libras
Karine Oliveira Meneses Santos – Tradutora e Intérprete de Libras
Nauã Vieira Melo – Tradutora e Intérprete de Libras

COLABORADORES (2017)
Profissionais das Diretorias Regionais de Educação
Amilton dos Santos Júnior – Instrutor de Libras
Leonardo de Jesus Lima – Instrutor de Libras
Luaracele Santos Santana – Tradutora e Intérprete de Libras
Mara Rúbia Andrade de Carvalho – Instrutora de Libras
Pablo Ramon Lima de Barros – Instrutor de Libras
Sâmara Timóteo de Jesus – Instrutora de Libras

COLABORADORES DAS EDIÇÕES ANTERIORES


Alda Valéria Santos de Melo – Técnica Pedagógica
Ana Paula Andrade de Melo – Técnica Pedagógica
Carlos Magno Azevedo Silva – Instrutor de Libras
Cezar Augusto Gonçalves de Oliveira – Instrutor de Libras
Edilaine de Oliveira Andrade – Instrutora de Libras
Everton dos Santos Silva – Instrutor de Libras
Francisco de Assis Oliveira Vital Júnior - Técnico
Islene Prata – Intérprete de Libras
Jane Cleide Salgueira de Jesus – Intérprete de Libras
Joseneide Nunes dos santos – Técnica Pedagógica
Josevania Santos Conceição Jesus – Intérprete de Libras
Lais Helena Bispo de Oliveira – Instrutora de Libras
Tânia Mara dos Santos Sampaio – Instrutora de Libras
Vanessa Alves de Jesus – Instrutora de Libras
Zélia Maranhão Maia Neta – Intérprete de Libras

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
2

ÍNDICE

MÓDULO I
1. Alfabeto Manual da Libras .................................................................................................. 03
2. Nomes Próprios ................................................................................................................... 04
3. Numerais ............................................................................................................................ 07
Numerais Cardinais ............................................................................................................. 07
Numerais para Quantidades ............................................................................................... 08
Numerais Ordinais............................................................................................................... 08
4. Soletração de Nomes .......................................................................................................... 10
Nomes Próprios ................................................................................................................... 10
Sinal Soletrado .................................................................................................................... 10
5. Saudações e Cumprimentos................................................................................................ 12
6. Pronomes e Expressões Interrogativas ............................................................................... 15
7. Dias da Semana ................................................................................................................... 18
8. Advérbios de Tempo ........................................................................................................... 19
Vocabulário ......................................................................................................................... 19
9. Calendário, Dia, Mês e Ano ................................................................................................. 20
Vocabulário ......................................................................................................................... 21
Vocabulário: Relacionado à Vida Diária .............................................................................. 22
10. Singular e Plural ................................................................................................................... 24
11. Animais ................................................................................................................................ 26
Vocabulário ......................................................................................................................... 32
12. Pronomes Possessivos ......................................................................................................... 34
13. Sala de aula e material escolar ............................................................................................. 35
14. Pronomes Pessoais .............................................................................................................. 41
15. Pronomes Demonstrativos e Advérbios de Lugar ............................................................... 43
16. Conteúdos Teóricos............................................................................................................. 46
Dicas .................................................................................................................................... 46
As Línguas de Sinais............................................................................................................. 48
A Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS ................................................................................. 49
Os Cincos Parâmetros ......................................................................................................... 50
Configuração de Mãos ........................................................................................................ 51
Deficiência Auditiva e Surdez .............................................................................................. 53
Referências ................................................................................................................................. 58
CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez
Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
3

1. ALFABETO MANUAL DA LIBRAS

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
4

2. NOMES PRÓPRIOS
De acordo com os estudos de Tânia Amara Felipe “O sinal pessoal é o nome próprio, o
“nome de batismo” de uma pessoa que é membro de uma comunidade Surda 1. Este sinal
geralmente pode” (FELIPE, p31):

A – Representar iconicamente uma característica da pessoa. Por exemplo:

CABELO-ENCARACOLADO CORTE-CANTO-OLHO CACHO-CABELO


(Tânia) (Présley) (Rúbio)

B – Representar a profissão de uma pessoa e uma característica. Por exemplo:

PROFESSOR@ MAGR@

C – Representar um número que a pessoa tem na caderneta de sua turma de escola, ou a


primeira letra do nome da pessoa. Por exemplo:

6 (Nelson) PAULA

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
5

1 A palavra surdo(a) vem grafada com S maiúsculo quando indicar que se trata de uma pessoa que luta por seus direitos

políticos, lingüísticos e culturais.

D – Sinais de pessoas famosas.

ALBERT EINSTEIN ANGÉLICA

CHARLIE CHAPLIN DIDI

FAUSTÃO NEYMAR

SILVIO SANTOS RODALDINHO GAÚCHO

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
6

RONALDO XUXA

E – Sinais de personagens.

BRANCA DE NEVE CASCÃO

CEBOLINHA CHAPEUZINHO VERMENHO

EMÍLIA MAGALI

MÔNICA PINÓQUIO

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
7

EXERCÍCIO
A - ME@ NOME _______. SE@ NOME?
B - ME@ NOME _______. SE@ SINAL?

A - ME@ SINAL _______. SE@ SINAL?


B - ME@ SINAL _______.
3. NUMERAIS
As línguas podem ter formas diferentes para apresentar os numerais quando
utilizados como cardinais, ordinais, quantidade, medida, idade, dias da semana ou mês, horas e
valores monetários. Isso também acontece na Libras. Nesta unidade e nas seguintes, serão
apresentados os numerais em relação às situações mencionadas acima.
É erro o uso de determinada configuração de mãos para o número cardinal sendo
utilizada em um contexto onde o numeral é ordinal ou quantidade, por exemplo: o NUMERAL
CARDINAL 1 é diferente da QUANTIDADE 1, como em LIVRO 1, que é diferente de PRIMEIRO-
LUGAR que é diferente do numeral PRIMEIRO, que é diferente de MÊS-1.

Numerais Cardinais

0 1 2 3 4

5 6 7 8 9

EXERCÍCIO

1) VOCÊ IDADE?
R:________________
2) SE@ CASA O-U APARTAMENTO NÚMERO?
R: ________________
2) SE@ SAPATO NÚMERO?
R: ________________
CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez
Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
8

4) SE@ CELULAR NÚMERO?


R: ________________
5) SE@ CALÇA NÚMERO?
R: _______________
6) SE@ CASA C-E-P NÚMERO?
R: _______________
Numerais para Quantidades

EXERCÍCIOS

1) VOCÊ TER FILH@ QUANT@?


R: EU TER ________________
2) VOCÊ TER CARRO QUANT@?
R: EU TER ________________
3) VOCÊ TER CANETA QUANT@?
R: EU TER ________________
4) VOCÊ TER CASA QUANT@?
R: EU TER ________________
5) VOCÊ TER AMIG@ QUANT@?
R: EU TER ________________

Numerais Ordinais

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
9

1º 2º 3º 4º

5º 6º 7º 8º 9º
EXERCÍCIO

1) Observe a figura e responda de acordo com o que foi informado, utilizando os numerais
ordinais.

A) __________ E) __________
B) __________ F) __________
C) __________ G) __________
D) __________ H) __________

DIÁLOGO EM LIBRAS – 1

A) O-I, TUDO-BEM?
B) BEM. SAUDADE VOCÊ SUMIR.

A) PORQUE CASA MUDAR!


B) AH! CASA O-U APARTAMENTO?

A) APARTAMENTO.
B) NÚMERO ANDAR QUAL?

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
10

A) ANDAR 6º, VOCÊ?


B) EU CASA.

A) AH! AMIG@ 3SAVISAR1S VOCÊ PROVA PASSAR 1º–LUGAR?


B) NÃO. PASSAR 2º–LUGAR.

A) LEGAL, PARABÉNS!
B) OBRIGAD@!
4. SOLETRAÇÃO DE NOMES

Nomes Próprios

1. M – A – R – I – A 6. J – O – S – É 11. C – A – R – L – O – S

2. E – V – A 7. H – É – L – I – O 12. Z – É – L – I – A

3. I – Ê – D – A 8. M – I – L – Y 13. W – I – L – L – Y

4. G – U – G – A 9. J – H – O – N 14. J – O – Ã – O

5. X – U – X – A 10. K – Á – T – I – A 15. R – A – Q – U – E – L

Sinal Soletrado

1. P-A-I 4. S-O-L 7. B-E-M

2. D-I-A 5. C-O-M-O 8. V-I-U

3. V-A-I 6. V-O-U 9. M-A-L

EXERCÍCIO

O professor digitará palavras em LIBRAS e o aluno deve marcar a ordem em que elas aparecem:

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
11

___ A-M-I-L-T-O-N ___F-A-B-I-A-N-A ___T-A-T-I-A-N-A ___H-E-I-T-O-R


___ H-I-L-T-O-N ___ S-Â-M-A-R-A ___ A-I-L-T-O-N ___F-Á-B-I-O
___ K-A-M-I-L-A ___G-U-E-D-E-S ___G-I-S-E-L-E ___P-A-B-L-O
___T-H-A-I-N-A ___Q-U-E-N-I ___K-A-L-I-N-E ___Q-U-E-Z-I-A

DATILOLOGIA

Assinale os pares dos nomes de acordo com a ordem da sequência apresentada pelo professor.

( ) D-I-E-G-O / D-I-O-G-O
( ) D-I-V-A / D-I-A-N-A
( ) D-A-N-I-E-L / D-A-N-Y
( ) D-A-N-I-L-O / D-A-M-I-Ã-O
( ) D-A-I- S-Y / D-A-L-V-O
( ) D-I-L-A / D-I-L-M-A

DITADO VISUAL EM LIBRAS


A _________________ H _________________
B _________________ I _________________
C _________________ J _________________
D _________________ K _________________
E _________________ L _________________
F _________________ M _________________
G _________________ N _________________

EXERCÍCIO

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
12

Complete as frases de acordo com o que for apresentado.

A) EL@ NOME ___________.


B) ME@ ___________ 36.
C) EL@ TER CASA ____.
D) EU TER ___________ 2.
E) EL@ TER CANETA ____.
F) ME@ TI@ NOME ___________.
5. SAUDAÇÕES E CUMPRIMENTOS

Em todas as línguas há o ritual da saudação. Dependendo do contexto, esse


cumprimento será mais formal ou informal e geralmente é complementado por gestos. A Libras
tem também sinais específicos para cada uma dessas situações. Assim pode-se utilizar os
seguintes sinais: BOM DIA, BOA TARDE, BOA NOITE, OI, TUDO BEM, TUDO BOM, ADEUS,
TCHAU, MAIS OU MENOS, MAL, acompanhados ou não de gestos de cumprimento:

BOM DIA BOA TARDE

BOA NOITE O-I TUDO-BEM?

TUDO-BOM? MAL BEM MAIS-OU-MENOS


CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez
Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
13

ADEUS / TCHAU / ATÉ-LOGO

EXERCÍCIO

Identifique os sinais representados abaixo:

_____________ ______________________ _____________ _____________

____________ _____________________ ____________ _____________

______________________ _________________________

DITADO VISUAL EM LIBRAS

A _________________ H _________________

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
14

B _________________ I _________________
C _________________ J _________________
D _________________ K _________________
E _________________ L _________________
F _________________ M _________________
G _________________ N _________________

DIÁLOGO EM LIBRAS – 2

A) BOA TARDE! VOCÊ SURD@?


B) BOA TARDE! SIM, EU SURD@. TAMBÉM VOCÊ SURD@?

A) NÃO! EU OUVINTE, INTÉRPRETE LÍNGUA-DE-SINAIS.


B) BOM! SE@ NOME?

A) ME@ NOME _____________ . SE@ NOME?


B) ME@ NOME _____________ . SE@ SINAL?

A) EU SINAL ____. SE@ SINAL?


B) EU SINAL_______________. NÓS-2 VAMOS CONVERSAR FORA?

A) DESCULPAR, EU PRECISAR IR AULA DEPOIS EU VOLTAR, VOCÊ ESPERAR AQUI.


O-K?
B) O-K EU ESPERAR.

EXERCÍCIO

Identifique os sinais representados abaixo:

______________________ ________________ _____________ ________________

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
15

______________________ _________________________

6. PRONOMES E EXPRESSÕES INTERROGATIVAS

QUEM? Q-U-M? (Quem?)

CARA QUEM? (Quem é?) QUEM PESSOA (Quem é?)

CARA QUEM PRÓPRI@ (De quem é?) ONDE? QUAL?

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
16

O-QUÊ? QUANTO? POR QUÊ?

DIÁLOGO EM LIBRAS – 3

A) O-I, TUDO-BEM?
B) O-I,BEM.

A) VOCÊ CONHECER EL@?


B) CONHECER-NÃO, QUEM-É EL@?

A) VOCÊ APRESENTAR EL@ (Cumprimento: aperto de mãos)


B) BO@ DIA, VOCÊ NOME?

C) BO@ DIA. ME@ NOME ______________. VOCÊ NOME?


B) ME@ NOME ______________. VOCÊ SINAL?
C) ME@ SINAL. VOCÊ SINAL?

B) ME@ SINAL. VOCÊ MORAR AQUI ARARA^CAJU?


C) NÃO, EU MORAR ITABAIANA.

B) AH! EU PRAZER CONHECER VOCÊ!


C) EU TAMBÉM PRAZER VOCÊ.

A) TCHAU.
B) TCHAU.
C) TCHAU.

EXERCÍCIO

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
17

Identifique os sinais representados abaixo:

______________________ ________________ _____________

____________________ _____________

EXERCÍCIO
Enumere as frases de acordo com a ordem em que o professor apresentar em Libras:

( ) CARRO,CARA QUEM PRÓPRI@?


( ) PESSOA, CARA QUEM?
( ) TELEFONE, QUEM PESSOA?
( ) COMER O-QUÊ?
( ) PAPEL QUANT@?
( ) VOCÊ FALTAR POR QUÊ?
( ) CASA SE@ ONDE?
( ) CORTAR-CABELO POR QUÊ?
( ) NOME PROFESSOR QUAL?
( ) BOLSA CARA QUEM PRÓPRI@?

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
18

7. DIAS DA SEMANA

SEMANA SEGUNDA TERÇA QUARTA

QUINTA SEXTA SÁBADO DOMINGO

EXERCÍCIOS
Complete as frases de acordo com o sinal que o professor apresentar em Libras:

1) EU ESTUDAR _______________ , ______________.

2) EU PASSEAR _______________.

3) EU VIAJAR _______________.
CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez
Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
19

4) VOCÊ NAMORAR _______________.

5) VOCÊ MALHAR _______________.

6) VOCÊ TRABALHAR _______________ ATÉ _______________.

8. ADVÉRBIOS DE TEMPO

HOJE AGORA JÁ

ONTEM ANTEONTEM AMANHÃ

AMANHÃ DEPOIS PASSAD@ FUTUR@


(Depois de amanhã)

VOCABULÁRIO

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
20

MANHÃ TARDE NOITE MADRUGADA

9. CALENDÁRIO, DIA, MÊS E ANO

CALENDÁRIO D-I-A MÊS ANO

JANEIRO (“J”) FEVEREIRO (“F”) M-Ç (Março) ABRIL (“A”)

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
21

M-A-I-O JUNHO (U+U) J-L (Julho) A-G (Agosto)

SETEMBRO OUTUBRO (“O”) NOVEMBRO (“N”) DEZEMBRO (NOEL)

VOCABULÁRIO

FERIADO FÉRIAS

FOLGA

EXERCÍCIOS

Responda abaixo:

1) AGORA MÊS QUAL? 4) MÊS PRIMEIRO ANO QUAL?


R: __________________________ R: ____________________________
2) VOCÊ NASCER ANO QUAL? 5) MÊS DIA SURDO QUAL?
R: ____________________________ R: ____________________________
3) SE@ ANIVERSÁRIO MÊS QUAL? 6) D-I-A NATAL QUAL?
R: ____________________________ R: ____________________________
CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez
Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
22

7) D-I-A CRIANÇA QUAL? 9) D-I-A PROFESSOR QUAL?


R: ____________________________ R: ____________________________
8) MÊS CARNAVAL QUAL? 10) MÊS NAMORADO QUAL?
R: ____________________________ R: ____________________________

VOCABULÁRIO: Sinais Relacionados à Vida Diária

ACORDAR CHOVEIRO^ENSABOAR (Banho)

TOMAR-CAFÉ ESTUDAR

COMER^MEIO-DIA (Almoçar) PASSEAR

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
23

LANCHAR COMER^NOITE (Jantar)

ASSISTIR TV (TV^ASSISTIR) REZAR E ORAR

DORMIR
EXERCÍCIOS

Responda abaixo:

A) VOCÊ TRABALHAR MANHÃ, TARDE, NOITE?


R:________________________________________

B) VOCÊ GOSTAR PASSEAR MANHÃ, TARDE, NOITE?


R:________________________________________

C) VOCÊ DORMIR MADRUGADA?


R:________________________________________

D) VOCÊ ESTUDAR MANHÃ, TARDE, NOITE?


R:________________________________________

E) CURSO LIBRAS MANHÃ, TARDE, NOITE?


R:________________________________________

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
24

DIÁLOGO EM LIBRAS – 4

A) O-I? VAMOS PASSEAR AMANHÃ TARDE?


B) O-I! VAMOS. ONDE?

A) PRAÇA O-L-I-M-P-I-O C-A-M-P-O-S.


B) LEGAL! GOSTAR LÁ.

A) DESCULPA, PRECISAR SAIR, DORMIR CEDO.


B) POR QUE DORMIR CEDO?

A) PORQUE PRECISAR ESTUDAR MANHÃ.


B) HUM! AMANHÃ TARDE ENCONTRAR LÁ. O-K!

10. SINGULAR E PLURAL

SINGULAR: Sinais para Quantidade

A) Pessoa

1 GAROT@ 1 GAROT@ 1 HOMEM 1 MULHER

B) Animal

1 CACHORR@ 1 GAT@ 1 PÁSSARO 1 MACAC@


CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez
Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
25

C) Objeto

1 COMPUTADOR 1 MESA 1 CADEIRA 1 SAPATO

PLURAL: Quantificador – MUIT@

MUIT@ ANIMAL MUIT@ COISA PESSOA MUIT@

Sinais que incorporam o plural

1 ÁRVORE ÁRVORE+

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
26

1 CASA CASA+

1 CARRO VEÍCULO +

11. ANIMAIS

ANIMAIS (ANIMAL^VÁRIOS) ABELHA

ÁGUIA AVESTRUZ

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
27

ARANHA ARARA

BALEIA BEIJA-FLOR

BOI / VACA BORBOLETA

BURRO CABRA

CACHORRO CAMELO
CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez
Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
28

CANGURU CARACOL

CARANGUEJO CAVALO

COBRA COELHO

CORUJA ELEFANTE

ESCORPIÃO FOCA

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
29

GALINHA GATO

GIRAFA GOLFINHO

GORILA HIPOPÓTAMO

JABUTI JACARÉ

JAVALI LAGARTIXA

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
30

LEÃO LOBO

MACACO MICO/SAGUI (MACACO^PEQUENO)

MOSQUITO MORCEGO

NAJA PANDA

ONÇA

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
31

PAPAGAIO PATO

PEIXE PERU

RATO RINOCERONTE

PAVÃO PORCO

PORCO SAPO
CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez
Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
32

TATU URSO

URSO POLAR (URSO^BRANCO) ZEBRA (CAVALO^LISTRA)

VOCABULÁRIO

MACHO FÊMEA

DIÁLOGO EM LIBRAS – 5

A) VOCÊ CONHECER Z-O-O?


B) SIM. CONHECER.

A) EU ONTEM VIZITAR. VER LEÃO, COBRA, PAVÃO.


B) EU IR ANO PASSADO. GOSTAR MAIS ARARA, MACACO, JAVALI.

A) VOCÊ TER CACHORR@, O-U GAT@?


B) CACHORR@.
CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez
Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
33

A) CACHORR@ QUANT@?
B) CACHORR@ 2.

A) MACHO O-U FÊMEA QUAL?


B) MACHO 2.

EXERCÍCIO

Identifique os sinais representados abaixo:

__________________ __________________ __________________

DITADO VISUAL EM LIBRAS


A _________________ E _________________ I _________________
B _________________ F _________________ J _________________
C _________________ G _________________ K _________________
D _________________ H _________________ L _________________

CRUZADINHA

^
CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez
Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
34

12. PRONOMES POSSESSIVOS


“Os pronomes possessivos, como os pessoais e demonstrativos, também não
possuem marca para gênero e estão relacionados às pessoas do discurso e não à coisa possuída,
como acontece em português” (FELIPE, p. 41):

ME@ SE@ DEL@

“Para a primeira pessoa: ME@, pode haver duas configurações de mão: uma é a mão
aberta com os dedos juntos, que bate levemente no peito do emissor; a outra é a configuração
da mão em P com o dedo médio batendo no peito – MEU-PRÓPRIO. Para as segunda e terceira
pessoas, a mão tem esta segunda configuração em P, mas o movimento é em direção à pessoa
com que se fala (Segunda pessoa) ou está sendo mencionada (terceira pessoa).
Não há sinal específico para os pronomes possessivos no dual, trial, quatrial e plural
(grupo), nestas situações são usados os pronomes pessoais correspondentes. Exemplo: NÓS
FILH@ “nosso (a) filho (a)” (FELIPE, p. 41).

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
35

DIÁLOGO EM LIBRAS – 6

A) BOM DIA? TUDO BEM?


B) BOM DIA. BEM.

A) ESS@ CELULAR SE@?


B) NÃO. CELULAR DEL@.

A) AH! VOCÊ TER CELULAR?


B) SIM. ME@ NÚMERO 98102-7436. SE@ QUAL?

A) 98958-6095.
B) O-K. JÁ ANOTAR SE@.

A) OBRIGAD@. TCHAU!
B) POR-NADA. TCHAU.

13. SALA DE AULA E MATERIAL ESCOLAR

LIVRO^ANOTAR (Agenda) APAGADOR

APONTADOR PORTA-ABRIR^PRATELEIRA (Armário)

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
36

BORRACHA CADEIRA LIVRO^ESCREVER (Caderno)

CANETA CANETA CLIPS

CADEIRA^ESTUDAR (Carteira) COLA

COMPUTADOR CORRETIVO

DUREX DICIONÁRIO ESTOJO

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
37

ESTANTE GIZ

GRAMPEADOR IMPRESSORA

LÁPIS LÁPIS COR LAPISEIRA

LIVRO LUGAR LIXO (Lixeira)

MALA E MALETA MARCADOR-PARA-QUADRO-BRANCO

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
38

MESA MOCHILA

NOTEBOOK

PAPEL PASTA PORTA

PROJETOR QUADRO

RESMA-DE-PAPEL RÉGUA TESOURA

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
39

DIÁLOGO EM LIBRAS – 7

A) O-I. BOM DIA?


B) BOM DIA. PRECISO COMPRAR MATERIAL ESCOLAR.

A) O-QUÊ VOCÊ PRECISAR?


B) PRECISAR CADERNO, CANETA, LÁPIS, BORRACHA, RÉGUA.

A) CERTO. (pega o material) AQUI SE@ MATERIAL ESCOLAR.


B) OBRIGAD@. AQUI LOJA TER TAMBÉM MOCHILA, NOTEBOOK?

A) DESCULP@. AQUI TER-NÃO.


B) O-K. OBRIGADA.

EXERCÍCIO

Identifique os sinais e as respectivas quantidades e anote em seu caderno.

Exemplo:

01. LIVRO 4 11. ____________________ ______

02. __________________ _______ 12. ____________________ ______

03. __________________ _______ 13. ____________________ ______

04. __________________ _______ 14. ____________________ ______

05. __________________ _______ 15. ____________________ ______

06. __________________ _______ 16. ____________________ ______

07. __________________ _______ 17. ____________________ ______

08. __________________ _______ 18. ____________________ ______

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
40

09. __________________ _______ 19. ____________________ ______

10. __________________ _______ 20. ____________________ ______

CRUZADINHA

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
41

14. PRONOMES PESSOAIS


CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez
Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
42

Primeira pessoa do singular: EU

EU

Segunda pessoa do singular: VOCÊ Terceira pessoa do singular:EL@

VOCÊ EL@

Primeira pessoa do plural: NÓS-2, NÓS-3, NÓS-4, NÓS-TOD@

NÓS-2 (EU-VOCÊ) NÓS-2 (EU-EL@) NÓS-3

NÓS-4 NÓS/NÓS-TOD@ NÓS-TOD@ GRUPO


Segunda pessoa do plural: VOCÊ-2, VOCÊ-3, VOCÊ-4, VOCÊ-TOD@,
VOCÊ-TOD@ GRUPO

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
43

VOCÊ-2 VOCÊ-3 VOCÊ-4

VOCÊ-TOD@ VOCÊ-TOD@ GRUPO

Terceira pessoa do plural: EL@-2, EL@-3, EL@-4, EL@-TOD@, EL@-


TOD@ GRUPO

EL@-2 EL@-3 EL@-4

EL@-TOD@ EL@-TOD@ GRUPO

15. PRONOMES DEMONSTRATIVOS E ADVÉRBIOS DE


LUGAR
CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez
Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
44

A) Pronomes Pessoais
EU (olhando para o receptor/apontando para o peito: 1º pessoa)
VOCÊ (olhando para o receptor/apontando para o receptor: 2ª pessoa)
EL@ (olhando para o receptor/apontando para o sujeito de quem se fala: 3ª pessoa)

B) Pronomes Demonstrativos / Advérbio de Lugar


EST@ / AQUI (olhando para a coisa/ lugar apontado, perto da 1ª pessoa)
ESS@ / AÍ (olhando para a coisa / lugar apontado, perto da 2ª pessoa)
AQUEL@ / LÁ (olhando para a coisa / lugar distante apontado)

Pronomes Demonstrativos Pessoa do Discurso Advérbio de lugar

EST@ EU AQUI

ESS@ VOCÊ AÍ

AQUEL@ EL@ LÁ

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
45

1ª PESSOA 2ª PESSOA 3ª PESSOA

Masculino ESTE Masculino ESSE Masculino AQUELE

Feminino ESTA Feminino ESSA Feminino AQUELA

Neutro ISTO Neutro ISTO Neutro AQUILO

DIÁLOGO EM LIBRAS – 7

A) O-I? TUDO BEM?


B) O-I. BEM.

A) EU ESQUECER ESTOJO ME@, CASA LÁ. VOCÊ TER CANETA PRET@?

B) TER-NÃO. SÓ AZUL. QUERER?

A) QUERER-NÃO. PODER 2SEMPRESTAR1S LÁPIS, BORRACHA?


B) SIM. 1SDAR2S.

A) OBRIGAD@.
B) POR-NADA.

EXERCÍCIO
CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez
Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
46

A) LIVRO ONDE?
R- _______________________________

B) CANETA ONDE?
R- _______________________________

C) BANHEIRO ONDE?
R- _______________________________

D) S-A-L-A ONDE?
R- _______________________________

E) PAPEL ONDE?
R- _______________________________

F) COMPUTADOR ONDE?
R- _______________________________

G) MESA ONDE?
R- _______________________________

H) AR-FRI@ ONDE?
R- _______________________________

I) VENTILADOR ONDE?
R- _______________________________

J) CADEIRA ONDE?
R- _______________________________

K) JANELA ONDE?
R- _______________________________

L) PORTA ONDE?
R- _______________________________

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
47

16. CONTEÚDOS TEÓRICOS

DICAS PARA QUANDO VOCÊ ENCONTRAR UMA PESSOA COM


SURDEZ / DEFICIÊNCIA AUDITIVA

Não é correto dizer que alguém é surdo-mudo. Muitas pessoas surdas não falam
porque não aprenderam a falar. Muitas fazem a leitura labial, outras não.
Quando quiser falar com uma pessoa surda, se ela não estiver prestando atenção em
você, acene para ela ou toque, levemente, em seu braço.
Quando estiver conversando com uma pessoa surda, fale de maneira clara,
pronunciando bem as palavras, mas não exagere.
Use um tom normal de voz, a não ser que lhe peçam para falar mais alto. Gritar nunca
adianta.
Fale diretamente com a pessoa, não de lado ou atrás dela.
Faça com que a sua boca esteja bem visível. Gesticular ou segurar algo em frente à
boca torna impossível a leitura labial. Usar bigode também atrapalha.
Seja expressivo ao falar. Como as pessoas surdas não podem ouvir mudanças sutis de
tom de voz que indicam sentimentos de alegria, tristeza, sarcasmo ou seriedade, as expressões
faciais, os gestos e o movimento do seu corpo serão excelentes indicações do que você quer
dizer.
Enquanto estiver conversando, mantenha sempre contato visual, se você desviar o
olhar, a pessoa surda pode achar que a conversa terminou.
Nem sempre a pessoa surda tem uma boa dicção. Se tiver dificuldade para
compreender o que ela está dizendo, não se acanhe em pedir para que repita.
Se for necessário, comunique-se através de bilhetes. O importante é se comunicar. O
método não é tão importante.
Quando a pessoa surda estiver acompanhada de um intérprete, dirija-se à pessoa
surda, não ao intérprete.
Aprenda a Língua Brasileira de Sinais.

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
48

Orientações:
Evite falar durante as aulas: Tente “esquecer” sua língua oral-auditiva quando estiver
formulando frases em LIBRAS.
Use escrita ou expressões corporais para se expressar: Comunique-se através da
datilologia, da escrita, ou tente utilizar expressões corporais e faciais a partir de um contexto.
Não tenha receio de errar: Na comunicação sempre o erro está presente, mas o
contexto ajuda a perceber a intenção comunicativa.
Sempre fixe o olhar na face do emissor da mensagem: É preciso estar atento ao
sentido dos sinais no contexto onde estão colocados.
Comunique-se com seus colegas de classe em LIBRAS: mesmo em horário extra-classe
ou em outros contextos, assim pode sempre exercitar-se.
Envolva-se com as comunidades surdas. O envolvimento com a cultura e os usuários é
importantíssimo; é preciso buscar um convívio para poder interagir e ter um melhor desempenho
linguístico.

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
49

AS LÍNGUAS DE SINAIS

Em 24 de abril de 2002 foi sancionada a Lei nº 10.436 que dispõe sobre a Língua
Brasileira de Sinais e dá outras providências. Esta Lei oficializa a Língua de Sinais nos municípios,
estados e a nível Federal.
Em Sergipe temos a Lei n° 7.317, de 19 de dezembro de 2011 que dispõe sobre o uso
da Língua Brasileira de Sinais – Libras, no Estado de Sergipe, e dá providências correlatas.
Devemos considerar que as Línguas de Sinais são línguas naturais das comunidades
surdas, constituindo línguas completas e com estrutura independente das línguas orais.
As Línguas de Sinais expressam sentidos ou significações que podem facilmente serem
captadas e decodificadas pela visão.
Sugerimos que busquem contato com as Associações ou Federações de Surdos para a
formação, prática e conhecimento em língua de sinais.
Devemos considerar que a Língua de Sinais tem regras gramaticais próprias e que esta
favorece aos surdos o acesso a qualquer tipo de conceito e conhecimento existentes na
sociedade.
Temos que observar que a Língua de Sinais é uma das razões de ser da escola de
surdos, assim como existem escolas em outras línguas (Espanhol, Inglês...).
Precisamos reconhecer a língua de sinais como língua da educação do surdo, já que é
expressão da(s) cultura(s) surda(s) – Língua e cultura não indissociadas.
Considerando que a Língua de Sinais é própria da comunidade surda e que ela garante
que o ensino seja exclusivo dos instrutores surdos, faz-se necessário que estes profissionais sejam
capacitados para o ensino da mesma, com formação específica.
Devemos respeitar o uso da escrita pelo surdo com sua estrutura gramatical
diferenciada. A cultura surda merece ser registrada e traduzida para outra língua observando sua
evolução cultural da comunidade surda sendo que esta se dá a partir do registro escrito, da
filmagem, de fotos, desenhos que são meios que possibilitam o acúmulo do conhecimento.
As Línguas de Sinais utilizam a modalidade visual-gestual, e não oral auditiva como as
línguas orais. Elas não são universais, cada uma delas tem sua própria estrutura gramatical.
Assim, como as pessoas ouvintes em países diferentes falam diferentes línguas,
também as pessoas surdas por toda parte do mundo, que estão inseridas em “Culturas Surdas”,
possuem suas próprias línguas, existindo portanto, muitas Línguas de Sinais diferentes.

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
50

Exemplo:
• Libras ou LSB – Língua de Sinais Brasileira
• LSF – Língua de Sinais Francesa
• LGP – Língua Gestual Portuguesa
• ASL – Língua Americana de Sinais
• LSA – Lengua de Señas Argentina
• LSUK – Língua de Sinais Urubus-Kaapor, citando apenas algumas.

A LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS – LIBRAS

É a língua natural da comunidade surda utilizada no Brasil com sua estrutura e


gramática próprias utilizadas para a comunicação.
As pessoas acreditam que as línguas de sinais são somente conjuntos de gestos que
interpretam as línguas orais. Todavia, as línguas de sinais aumentam seus vocabulários com
novos sinais introduzidos pelas comunidades surdas em resposta às mudanças culturais e
tecnológicas, assim a cada necessidade surge um novo sinal desde que se torne aceito, sendo
utilizado pela comunidade.
A Libras, como toda língua de sinais, é uma língua de modalidade gestual-visual que
utiliza, como canal ou meio de comunicação, movimentos gestuais e expressões faciais que são
percebidos pela visão; portanto, diferencia da Língua Portuguesa, uma língua de modalidade oral-
auditiva, que utiliza, como canal ou meio de comunicação, sons articulados que são percebidos
pelos ouvidos. Mas as diferenças não estão somente na utilização de canais diferentes, estão
também nas estruturas gramaticais de cada língua.
A Língua de Sinais não é composta somente pelo alfabeto manual e sequer por
palavras soltas, ela é composta de sinais com significados que dentro de um contexto podem
traduzir toda e qualquer situação.

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
51

OS CINCOS PARÂMETROS

A) CONFIGURAÇÃO DE MÃOS
São as formas das mãos que podem ser usadas na datilologia (Alfabeto Manual) ou
outras formas feitas por uma ou pelas duas mãos do emissor ou sinalizador.
Quando o sinal é feito com duas mãos pode ter a mesma configuração de mão ou configuração
diferente.

B) PONTO DE ARTICULAÇÃO
É o lugar onde a mão predominante, pode estar tocando alguma parte do corpo ou
estar em um espaço neutro vertical (do meio do corpo até a cabeça) e horizontal (à frente do
emissor).

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
52

C) MOVIMENTO
Os sinais podem ter ou não ter um movimento: TRABALHAR, SENTAR.

D) ORIENTAÇÃO
Os sinais podem ter uma direção. Exemplos: ÁGUA, ATRASAR, ONTEM.

E) EXPRESSÃO FACIAL E CORPORAL


Muitos sinais, além dos quatro parâmetros mencionados acima, em sua configuração,
têm como traço diferenciador também a expressão facial e/ ou corporal.

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
53

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
54

DEFICIÊNCIA AUDITIVA e SURDEZ

CONCEITOS

Deficiência Auditiva – É a diminuição da capacidade de percepção normal dos sons.


Surdez – considera-se pessoa surda aquela que, por ter perda auditiva, compreende e
interage com o mundo por meio de experiências visuais, manifestando sua cultura
principalmente pelo uso da Língua Brasileira de Sinais – Libras.

CARACTERIZAÇÃO QUANTO A PERDA AUDITIVA

Surdez leve – 40 dB, o aluno é desatento, apresenta dificuldade na leitura e/ou escrita;
Surdez moderada – até 70 dB, o aluno tem discriminação auditiva em ambientes ruidosos.
Surdez severa – até 90 dB, o aluno percebe apenas sons fortes, pode chegar até quatro
anos sem aprender a falar;
Surdez profunda – mais de 90 dB, não identifica a voz humana, impedindo assim de
adquirir a linguagem oral.

A DEFICIÊNCIA AUDITIVA PODE SER CLASSIFICADA COMO

Condutiva – quando o problema se localiza no ouvido externo e médio;


Mista – quando o problema se localiza no ouvido médio e interno;
Neurossensorial – quando se origina no ouvido interno e no nervo auditivo.

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
55

AS CAUSAS
A deficiência auditiva pode ser congênita ou adquirida.
Dividem-se em causas:
Pré-natais: desordens genéticas, hereditárias, doenças infecto-contagiosas, relativas
à consangüinidade;
Peri-natais: pré-maturidade, pós-maturidade, fórceps, infecção hospitalar;
Pós-natais: meningite, sarampo, caxumba, traumatismo craniano, sífilis, exposição
contínua a ruídos.

APARELHOS DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAL – AASI


Os aparelhos de surdez servem para captar e ampliar sons, mas não suficiente para
permitir a compreensão de fala pelos portadores de surdez profunda.
Tipos de aparelhos:

Retroauricular

Intra auricular

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
56

IMPLANTE COCLEAR

O implante coclear é um dispositivo eletrônico de alta tecnologia, também conhecido


como ouvido biônico , que estimula eletricamente as fibras nervosas remanescentes, permitindo a
transmissão do sinal elétrico para o nervo auditivo, afim de, ser decodificado pelo córtex cerebral.

EXAME DE OUVIDO
Emissões Oto Acústica – EOA (Exame da Orelhinha);
Imitância Acústica ou Impedanciomatria – deve ser realizado sempre. É rápido e indolor;
BERA – Audiometria do Tronco Cerebral;
Audiometria – exame subjetivo, utilizado em crianças que já compreendem aos comandos
apresentados pelo examinador, é realizado apresentando-se um estímulo sonoro em cada
orelha separadamente em várias intensidades.

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
57

ORIENTAÇÕES GERAIS

CARGA HORÁRIA DO CURSO:


 O curso tem carga horária de 60 horas.

HORÁRIO DAS AULAS:


 As aulas podem ser ministradas em 3h/aula ou 4h/aula.

AVALIAÇÃO:
 Ao final do curso o cursista será avaliado.
 A avaliação abordará três tópicos:
o Compreensão da LIBRAS;
o Conhecimento Teórico e
o Expressão em LIBRAS.
 A média mínima para aprovação é 7,0 (sete).

CERTIFICAÇÃO:
 Para ter direito a certificação o cursista terá que atender aos seguintes
requisitos: freqüência mínima de 80% e média igual ou superior a 7,0 (sete).

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
58

REGRAS

O CURSITA DEVE:
 Tentar “esquecer” sua língua oral-auditiva quando estiver formulando frases
em LIBRAS;
 Usar a escrita ou expressões corporais para se expressar;
 Comunicar-se através da datilologia, da escrita, ou tente utilizar expressões
corporais e faciais a partir de um contexto;
 Comunicar-se com seus colegas de classe em LIBRAS, mesmo em horário
extra-classe ou em outros contextos, assim pode sempre se exercitar;
 Envolver-se com as comunidades surdas. O envolvimento com a cultura e os
usuários é importantíssimo; é preciso buscar um convívio para poder
interagir e ter um melhor desempenho lingüístico;
 Tiras as dúvidas com o Instrutor de Libras (não com os colegas de classe nem
com o Intérprete de Libras). Não leve a dúvida para casa;
 Apresentar atestado médico ou declaração do trabalho em caso de
necessidade de faltar ao curso por motivo de doença ou trabalho, lembrando
que o referido documento não retira a falta.

O CURSITA NÃO PODE:


 Falar durante as aulas;
 Trazer acompanhantes para aula (filhos, namorado, amigos...) pois perde em
aprendizagem e atrapalha o colega;
 Sair durante as aulas. Exemplo: tomar cafezinho, ir ao banheiro, etc., pois
perde conteúdo e atrapalha a atenção da turma. Faça isso no intervalo;
 Utilizar roupas inadequadas para o ambiente do curso, observe a roupa que
virão para aula, ela não pode chamar mais atenção do que o conteúdo (saia
ou vestidos curtos, blusas decotadas ou curtas e bermudas e camisetas no
caso dos homens). Lembre-se que é uma língua visual;
 Utilizar celular durante as aulas, nem para chamadas nem para mensagens
de texto. Se possível desligar o CELULAR. Em caso de emergência, deixe o
celular no silencioso;
 Não filmar as aulas.

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364
59

REFERÊNCIAS

FELIPE, Tanya A. LIBRAS em Contexto: Livro do Estudante. Brasília: Ministério da


Educação, Secretaria de Educação Especial, 2005. 6ª ed.
Dicionário Enciclopédico Ilustrado Trílingüe da Língua de Sinais Brasileira, VOLUME I:
Sinais de A a L / por Fernando César Capovilla, Walkiria Duarte Raphael (editores);
[ilustrações Silvana Marques]. – 3.ed. – São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo,
2008.
Dicionário Enciclopédico Ilustrado Trílingüe da Língua de Sinais Brasileira, VOLUME II:
Sinais de M a Z / por Fernando César Capovilla, Walkiria Duarte Raphael (editores);
[ilustrações Silvana Marques]. – 3.ed. – São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo,
2008.

CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez


Rua Gutemberg Chagas, nº 169 – DIA – Aracaju – SE – Telefone: 3194-3364

Related Interests