You are on page 1of 4

"A montanha"

Roteiro por Ianah Maia

Argumento por Francisco Nery

Versão 03/06/2013 ianah.maia@gmail.com


Ianah Maia & Francisco Nery (81) 9980 7846
2013
CENA 1 - EXT - PÉ DA MONTANHA - DIA
VEMOS UM CASAL PELAS COSTAS. ESTÃO LADO A LADO, MAS SÓ
CONSEGUIMOS VER METADE DO CORPO DE CADA UM (OS QUADRIS, AS
MÃOS E UM POUCO DOS BRAÇOS). AO FUNDO, O PÉ DE UMA MONTANHA
COM UMA TRILHA IRREGULAR QUE MAL PODE SER PERCEBIDA, MAS
INDICA UM CAMINHO A SER PERCORRIDO MONTANHA ACIMA. A
MONTANHA NÃO TEM FORMA E NEM COR ESTÁVEL. SE MODIFICA
CONSTANTE E SUAVEMENTE.
ELE tem o olhar determinado e fixo nesse caminho. O encara
por uns instantes, como que aceitando o desafio que virá
pela frente.
Vemos a boca DELA, que se comprime por uns instantes. ELA
engole seco e suspira com ansiedade.

Vemos novamente o detalhe de seus braços. ELE segura firme a


mão dela e começa a caminhar.

CENA 2 - EXT - MONTANHA - DIA

O CASAL CAMINHA MONTANHA ACIMA. A MONTANHA É MULTICOLORIDA,


E SUAS CORES SÃO UM POUCO QUENTES. O DIA ESTÁ BONITO.
ELA está um pouco relutante, olha desconfiada pro caminho e
pra ELE. ELE caminha firmemente, puxando ELA pela mão. ELA
olha para trás, mas continua a caminhar com ELE.

ELE tem a pisada firme, ELA nem tanto.


O chão é firme e fácil de caminhar, mas ELA escorrega numa
pedrinha, ELE a segura e continua a caminhar. O chão se
torna maleável por alguns segundos, dificultando a caminhada
dos dois, mas volta a ser estável logo em seguida,
facilitando a caminhada, que continua constante.
ELA para e puxa ELE com as duas mãos. ELE pára e a espera. A
paisagem muda, o chão vira gelo e congela os pés dos dois.
Notamos aqui que o tempo parou, pois dois pássaros que
voavam, estão igualmente congelados e parados no ar.
ELA então fecha os olhos e decide voltar a caminhar. O
cenário volta a ser o que era: cores quentes, sugerindo um
ambiente caloroso.

ELE não mais a puxa, só segura em sua mão. ELA caminha um


pouco mais decidida, mas seu semblante não demonstra
determinação.

(CONTINUED)
CONTINUED: 2.

A caminhada continua. O chão e o ambiente se modificam e


voltam ao normal em seguida. Se tornando dificultoso por uns
instantes (chão lembrando areia movediça, céu escurecendo,
vento forte, etc) voltando logo a ser favorável a seguir
(chão firme, dia claro e bonito, pássaros, etc.)

Subitamente um relâmpago toma a cena e a paisagem se


modifica: está escuro, chove forte e ELE está sozinho,
subindo o caminho íngreme com dificuldade por conta da lama
e da enxurrada que desce a montanha. Um outro relâmpago
dispara no ambiente e agora ELA é quem caminha só e com
dificuldade na chuva.
Um outro relâmpago, e estamos de volta à paisagem normal,
dia belo e montanha colorida.
Com o cenário favorável, um vento forte passa pelos dois
montanha abaixo. Os cabelos DELA seguem o movimento do
vento, passando pelo seu rosto e a fazendo novamente olhar
pra trás.
Aqui novamente o tempo pára. Vemos o rosto DELA observando o
caminho percorrido, seu rosto não está muito expressivo.
Seus cabelos voam irregulares e lentamente. Seus pensamentos
e lembranças são explicitados com desenhos simbólicos que
surgem em seus cabelos esvoaçantes.
A mão DELE puxa a DELA. O tempo volta ao normal e as
passadas dos dois seguem firmes na caminhada. As cores aqui
estão mais vivas.
O pé DELE dá um passo. A montanha está estável. Pela
primeira vez, nenhuma mudança no ambiente. O pé DELA dá um
passo. A estabilidade se mantém. ELE sorri. ELA suspira e
sorri. O caminho está mais plano agora.
ELE solta a mão dela, sobe uma pedra que forma um degrau
alto, ajuda ela a subir e então podemos ver que eles estão
no topo da montanha.

CENA 3 - EXT - TOPO DA MONTANHA - DIA


A PAISAGEM É DESLUMBRANTE. DALI VEMOS QUE UM ESPAÇO IMENSO
SEPARA ESTA MONTANHA DE OUTRAS MAIS DISTANTES. UMA NÉVOA
SUAVE PAIRA NESTE ESPAÇO. O VENTO É CONSTANTE, MAS NÃO MUITO
FORTE. O SOL AQUECE OS CORPOS DOS DOIS QUE ADMIRAM A
PAISAGEM.
ELE pega na mão dela e se aproxima da borda da montanha. ELA
dá dois ou três passos com ele nessa direção, mas se
desvencilha dele e recua, encolhendo os braços.
O medo impera seu semblante, assim como a certeza de que ELA

(CONTINUED)
CONTINUED: 3.

não vai mais com ele. ELE olha um pouco triste para ela, mas
não hesita. Fecha os olhos, ergue a cabeça, abre os braços e
se joga na imensidão.
Dos seus braços, formam-se duas ASAS. E com elas ele voa em
direção ao sol, nos ofuscando e deixando tudo branco.
FIM.

Related Interests