You are on page 1of 5

10 Principais Doenças Causadas por Vírus

A gripe é uma infecção viral muito comum, especialmente, durante determinadas épocas do ano,
que são na realidade denominadas temporada de gripe.

Há vacinas contra gripe disponíveis, que devem ser atualizadas todos os anos. Os médicos sugerem
que os indivíduos de risco sejam vacinados – crianças, portadores de doenças crônicas, gestantes e
idosos.

O problema é que a vacina da gripe protege contra um número pequeno de estirpes, e quando a
temporada de gripe atinge estas estirpes pode não ser as mais comuns que seguem ao redor.

O resfriado comum é um dos mais abundantes quando se trata de infecções virais. Este é um grupo
de vírus que não há vacina que possa prevenir a pessoa de pegar um resfriado.

Lavar as mãos frequentemente e evitar aqueles que estão doentes são as melhores formas de evitar
pegar um resfriado. O vírus é transportado por via aérea, então, até respirar o mesmo ar que uma
pessoa infectada pode fazer adoecer.

3) Vírus de Coxsackie

Esta infecção viral é muito comum em crianças de 5 anos ou menos e pode se espalhar rapidamente,
porque é muito contagiosa. Normalmente, este vírus apresenta sintomas muito sutis e, em alguns
casos, nem isso. Mas pode causar sérios problemas em casos raros e exigirá tratamento médico. A
febre alta pode ser um sinal da infecção, e também podem feridas ou bolhas na boca ou garganta.

O vírus HIV é um dos mais graves, porque leva a AIDS, que pode causar morte. A infecção pode
acontecer através do contato de alguns fluidos corporais com uma pessoa infectada, como, por
exemplo, sêmen, sangue, secreções vaginais e o leite materno. Não há cura ou vacina para este
vírus, afeta muito o sistema imunológico.

Varicela/Catapora e Herpes-Zoster

As duas doenças são causadas pelo vírus herpes zoster. Ela acontece mais tarde depois que o vírus
se torna reativado no corpo por alguma razão.

A catapora costumava ser uma doença comum na infância, mas com uma vacina disponível, esta
infecção não acontece tão frequentemente em crianças ou adultos. Não há vacina para herpes-
zoster.

6) Sarampo

O sarampo não é tão comum como costumava ser, graças a uma vacina que é dada para crianças
como parte de suas doses de imunização regulares.
Esta infecção viral é caracterizada por pequenas saliências vermelhas que aparecem no tronco, e
algumas vezes no rosto. Este vírus é mais comum em países, onde a vacina não é rotineiramente
dada.

7) Raiva

Infelizmente, a raiva está se tornando mais comum pelo mundo, à medida que mais morcegos e
animais selvagens seguem em contato com pessoas e animais domésticos.

Há uma vacina para este vírus, mas isso pode ser caro, então não é comumente dada, exceto para
riscos específicos ou para fazer mais dos anticorpos. Esta infecção viral é normalmente transmitida
através de uma mordida de um animal infectado e, geralmente, não é contagiosa.

8) Pneumonia

Pneumonia pode ser viral ou bacteriana. Há um número de diferentes tipos de vírus que pode entrar
no sistema respiratório e pulmões e causar pneumonia.

Os antibióticos não funcionarão se um vírus causa a pneumonia, sendo a hospitalização e


medicamentos necessários para ajudar a limpar os pulmões. Além disso, muito líquido e descanso
são essenciais para que o corpo possa combater o vírus.

9) Febres Hemorrágicas Virais

Estas infecções virais estão entre algumas das mais assustadoras ao redor. Elas incluem o vírus
temido Ebola, e causam sangramento pesado e ruptura celular por todo o corpo.

Estes vírus têm uma taxa muito alta de mortalidade e são muito contagiosos quando aparecem.
Felizmente, até agora eles não surgem com muita frequência.

10) Vírus do Papiloma Humano

infecção com o vírus do papiloma humano, chamado HPV, afeta milhões de brasileiros e pessoas em
outros países. É uma doença sexualmente transmissível viral muito comum.

Este vírus pode causar câncer cervical em mulheres que são infectadas no início da vida, há centenas
de estirpes e uma vacina recente tem sido recomendada para todas as adolescentes, pois protegerá
contra as estirpes mais comuns e mais perigosas do HPV.
Os medicamentos capazes de extinguir uma infecção viral são chamados de antivirais, como os vírus
podem se aproveitar de vias metabólicas de seu hospedeiro é muito difícil encontrar fármacos que
ajam de maneira específica para o combate a estes agentes, além disso o modo de ação destas
drogas ainda não é completamente compreendido, porém a maioria das drogas disponíveis
atualmente estão relacionadas com a inibição da síntese ou na regulação viral do de seus ácidos
nucleicos dentro dos hospedeiros.

Dentre os mecanismos para o tratamento de infecções virais temos o Bloqueio da ligação do vírus,
Inibição da síntese de DNA/RNA, Inibição da síntese proteica, Inibição de juntamento, Inibição da
liberação de vírus, Inibição de vírus não encapsulado e o Estímulo Imunológico.

Os antivirais são classificados de acordo com sua forma de ação, dentre os principais fármacos
podemos citar:

Inibidores nucleosídicos da transcriptase reversa: inibem a enzima transcriptase por incorporação à


cadeia de DNA do vírus tornando-a defeituosa e impedindo sua duplicação. Os principais fármacos
desta lista são o Abacavir, Didanosina, Estavudina, Lamivudina, zidovudina e tenofovir.
Inibidores não nucleosídicos: também inibem a enzima transcriptase se incorporando a cadeia de
DNA do vírus. Exemplo: Efavirenz, Etravirina e Nevirapina.

Inibidores da protease: para o vírus se tornar infeccioso é necessário que ele produza novas
proteínas virais e estes inibidores bloqueiam a protease interferindo em sua ação e inibindo a
produção de novos vírus HIV. Como exemplo de inibidores da proteases temos: Darunavir,
Fosamprenavir, Indinavir, Ritonavir, Saquinavir ,Tipranavir e Lopinavir.

Inibidores da DNA-polimerase: inibe a síntese do DNA viral e interrompe o alongamento de sua


cadeia, o aciclovir, penciclovir, foscarnete e o cidoforvir são exemplos dessa classe.

Inibidores da fusão do HIV: estes impedem o vírus de se ligar e entrar nos linfócitos do típo CD4.
Exemplo: Enfuvirtida e Maraviroc

Imunomoduladores: Os fármacos desta classe ativam cascatas de sinalização que levam à produção
de proteínas antivirais, dentre estas a proteinocinase R, que impede o mecanismo de tradução nas
células infectadas pelos vírus. Exemplos: Intérferons, Palivisumabe e Imunoglobulina.

Inibidores da liberação e desmontagem viral: Inibem a neuraminidase do vírus da influenza,


fazendo com que os vírions recém-sintetizados permaneçam fixados à célula hospedeira. Exemplos:
Zanamivir , Oseltamivir, Rimantadina e Amantadina.

os fármacos antivirais atuam através dos seguintes mecanismos:

a) Inibição da transcrição do genoma viral:

-inibidores da DNA polimerase;

-inibidores da transcriptase reversa;

-inibidores da protease.

b) Inibição da penetração na célula do hospedeiro.

7. Inibidores do DNA polimerase:

Cidofovir

Penciclovir

Foscarnete

Aciclovir

8. Inibidores da transcriptase reversa:

Zidovudina

Didanosina

Zalcitabine

Efavirenz
9. Inibidores dos eventos pós-tradução- inibidores da protease:

Saquinavir

Indinavir

10. Inibidores da penetração na célula do hospedeiro:

Amantadina

Ribavirina

Oseltamivir

11. Quadro resumo da aplicação clínica dos antivirais.

12. Referências Bibliográficas 1. RANG, H. P. et al. Farmacologia. 4 edição. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 2001; 2. KATZUNG, B. G. Farmacologia: Básica & Clinica. 9 edição. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 2006; 3. CRAIG, C. R.; STITZEL, R. E. Farmacologia Moderna. 6 edição. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 2005; 4. GOLAN, D. E. et al. Princípios de Farmacologia: A Base Fisiopatológica
da Farmacoterapia. 2 edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009;