You are on page 1of 9

O “MISTÉRIO” DA INIQUIDADE

Vítor Quinta
Março 2010

“Porque já o mistério da injustiça opera”


“For the mystery of iniquity doth already work”
2. Tessalonicenses 2:7a

Optámos por transcrever esta breve passagem da carta de Paulo dirigida à


comunidade de crentes em Tessalónica em duas línguas. O propósito é demonstrar, de
forma clara, que quando Paulo nos fala em injustiça está a apontar-nos o conceito de
iniquidade. O mesmo é dizer:

• pecado, como nos diz em 1.João 5:17 – “Toda a iniquidade é pecado”. Ora,
como sabemos também, iniquidade significa transgressão da Lei de YHWH, a
Torá dada a Israel através do Seu servo Moisés.
• sem Lei (anomia, no grego); sem Torá (oposição à Lei de YHWH); por outras
palavras, “o mistério da iniquidade” traduz todo o esforço de Satanás e seus
servidores para torcerem ou tentarem anular a eterna Lei do Altíssimo, o que
será mais visível nos últimos dias, nos dias do anti-Cristo do tempo do fim, o
tempo da apostasia completa de muitos.

O oposto de injustiça/iniquidade/pecado, é justiça/obediência. A melhor ilustração que


podemos encontrar sobre o efeito que a prática da justiça opera nos fiéis, através da
obediência a toda a vontade de Deus contida nos Seus preceitos eternos, está
reflectida nas palavras que foram pronunciadas em relação ao modo de vida dos pais
de João, o Batista, e que se encontram em Lucas 1:5-6 – “Existiu, no tempo de
Herodes, rei da Judeia, um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias, e
cuja mulher era das filhas de Arão; e o seu nome era Isabel [prima de Maria, mãe
de Yeshua]. E eram ambos justos perante Deus, andando sem repreensão em
todos os mandamentos e preceitos do Senhor”. Na realidade, só pode ser
considerado justo aos olhos do Altíssimo aquele(s) que vivem em obediência à Sua Lei
eterna, i.e. aquele(s) que pratica(m) a justiça de Deus.

Ora, também sabemos que o mistério da iniquidade (ou da injustiça) começou a operar
muito cedo, desde os tempos de Nimrod e Babel. Depois, com maior ênfase, a partir da
morte dos apóstolos de Yeshua, quando muitos dos chamados “pais da igreja”, que
não foram mais do que religiosos eivados das filosofias gregas, começaram a distorcer
a verdade e a afastar-se da raiz dos ensinamentos hebraicos…que rejeitaram. Por
desejo de hegemonia, vaidade e domínio sobre o povo de Deus, passaram a rejeitar
todo o ensinamento que tivesse alguma coisa a ver com os ensinamentos hebraicos.
Esta tendência apareceu cedo, mas acentuou-se a partir do século IV, desde
Constantino, quando a igreja se “casou” com o poder terreno e o bispo de Roma
chamou a si o domínio sobre as restantes congregações e bispados. Tal teve maior
expressão nas conclusões do Concílio de Nicéia, no ano 325 d.C.

Nos nossos dias, a grande maioria dos que professam o cristianismo cresceram sem
qualquer entendimento e estudo do conteúdo das Escrituras e do que verdadeiramente
significa “a Lei de YHWH”, aquela que O Altíssimo entregou a Israel através de Moisés
no Monte do Sinai. E, a menos que se arrependam da sua condição de ignorância e
voltem para a “instrução/ensino” de YHWH – a Sua Torá, abandonando todo o
conhecimento herdado da filosofia greco-romana e passando a abraçar os conceitos
hebraicos (as “veredas antigas” – Jeremias 6:16; 18:15), não entrarão no Reino de
Deus.

Poderão argumentar alguns (como de resto o fazem): “a Lei é para os judeus”. Não é
verdade, pois a Lei é universal (para todos os povos) e já era guardada pelos fiéis
antes de existir a descendência de Abraão (Génesis 26:5). Ela é uma peça central da
fé daqueles que foram enxertados na boa oliveira que é Israel, como nos é ensinado
em Romanos 11. Responde Paulo em Romanos 9:4-5 – “Que são israelitas, dos
quais é a adopção de filhos, e a glória, e as alianças, e a lei, e o culto, e as
promessas; dos quais são os pais, e dos quais é Cristo segundo a carne, o qual
é sobre todos, Deus bendito eternamente. Amém”. Todos os que fomos enxertados
na “boa oliveira”, que é a Israel de Deus, cuja raiz é Cristo, passámos a ser filhos de
Israel e, herdeiros conforme a promessa dada a Abraão, como nos é ensinado em
Gálatas 3:27-29 – “Porque todos quantos fostes baptizados em Cristo já vos
revestistes de Cristo. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não
há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de
Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa”.

Desde os tempos antigos Deus lamentou a falta de entendimento e de obediência do


Seu povo à Sua Lei, aos Seus ensinamentos e conselhos: Salmo 81:13 – “Oh! se o
meu povo me tivesse ouvido! se Israel andasse nos meus caminhos!” O Senhor
YHWH esclarece a razão porque sobrevieram castigos tão grandes sobre Israel ao

2
longo do tempo: Jeremias 16:10-11 – “E será que, quando anunciares a este povo
todas estas palavras, e eles te disserem: Por que pronuncia YHWH sobre nós
todo este grande mal? E qual é a nossa iniquidade, e qual é o nosso pecado, que
cometemos contra YHWH nosso Deus? Então lhes dirás: Porquanto vossos pais
me deixaram, diz YHWH, e se foram após outros deuses, e os serviram, e se
inclinaram diante deles, e a mim me deixaram, e a minha lei não a guardaram”.
Ora Deus não muda: Ele É O mesmo ontem, hoje e eternamente. Do mesmo modo a
Sua Lei não foi abrogada (anulada), como O próprio Yeshua confirmou.

“Errais, não conhecendo as Escrituras” disse Yeshua aos responsáveis do Seu


tempo que não souberam ver Nele O Cristo há muito anunciado e não souberam
reconhecer o tempo da sua visitação (por YHWH). Assim estão muitos responsáveis
religiosos dos nossos dias que, ao rejeitarem a Sua Lei eterna (ou parte dela) estão a
rejeitar também O Autor dessa mesma Lei. Estão a rejeitar a Lei que deveria reger as
suas vidas para que fossem abençoados, como Israel o era quando andava em
obediência ao seu Deus.

Vivemos num mundo curioso, mas virado de pernas para o ar em todos os campos da
vida em sociedade. Onde deveria haver respeito aos preceitos de Deus e obediência
baseada no amor a Deus e ao próximo, há completa falta de ambos. E isto é obra de
Satanás e da fraqueza humana que se deixou inquinar pelos artifícios desviantes de
Satanás. O homem tem toda a culpa neste processo de abandono da verdade. Ser-lhe-
á exigido o pagamento de uma factura para a qual não tem recursos, pois recusou o
único meio de saldar essa dívida: o sangue gracioso do Senhor Yeshua.

No campo religioso, que é primordialmente aquele que nos interessa analisar nesta
tribuna de liberdade e de verdade bíblica, fala-se muitas vezes em falsos profetas,
naqueles que, falando em nome do Cristo Yeshua, se desviam dos Seus ensinamentos
e desviam outros da verdade que Esse mesmo Cristo veio ensinar há 2.000 anos atrás.

E, o que é curioso, é que nenhum desses falsos profetas que abundam no chamado
“cristianismo” dos nossos dias, ou no meio evangélico em geral, se vê a si próprio
como um falso profeta, apesar de negar a Cristo quando nega a Sua Lei eterna. São
prevaricadores contumazes e condutores cegos. E nem têm consciência da sua
condição. Por isso Pedro lhes diz que eles são como “Estes são fontes sem água,
nuvens levadas pela força do vento, para os quais a escuridão das trevas
eternamente se reserva” – 2.Pedro 2:17.

E porquê? Porque falam em nome de um “cristo” que não é Aquele que nos é revelado
nas Escrituras e nos escritos apostólicos, e que em tudo foi obediente aos preceitos de
Seu Pai: O verdadeiro Filho do Altíssimo, Senhor Yeshua.

Isto não deve constituir surpresa, pois Yeshua disse-nos antecipadamente em Mateus
24:11 – “E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos”. A estes,
chamou-lhes “condutores cegos”.

3
Muitos continuam hoje a usar os escritos de Paulo (um fiel obreiro do Senhor que, pela
fé e pela graça que sobre ele foram derramadas do Alto, andou em estrita obediência à
Lei de YHWH, à Sua Torá), para os distorcer, negando a perenidade da Lei do Senhor,
e a sua validade para os fiéis de todos os tempos. Segundo 2.Pedro 3:16 – “Falando
disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de
entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras
Escrituras, para sua própria perdição”. O apóstolo Pedro não poderia ser mais claro
acerca dos métodos que estes usariam…para sua própria destruição e daqueles que
acreditam nos seus ensinamentos.

Muitos dizem:
• Cristo “cumpriu” a Lei por nós (já não é preciso guardar a Lei), ou
• “A Lei e os profetas “duraram” até João”, como se encontra em Mateus 11:13;
Lucas 16:16. A palavra “duraram” foi acrescentada pelo tradutor, distorcendo
assim a Palavra de Deus. O que esta passagem nos quer transmitir é que “até
João existiram a Lei e os profetas” para anunciarem a vinda do Reino de Deus,
dando a sua visão profética do que estava para vir. Porém, em aditamento a
estes testemunhos antigos, veio João, o Batista, e depois Yeshua e os Seus
apóstolos, para anunciarem a proximidade do Reino ou, até, que o Reino de
Deus estava entre nós: ver verso 31; João 5:46; Romanos 3:21, como também
nos é dito em Mateus 3:1-2 por João e depois por Yeshua em Mateus 4:17;
Marcos 1:15, tendo como resultado que todos fazem força para entrar no Reino
dos céus: Mateus 11:12. Se na realidade a Lei e os profetas tivessem vigorado
só até João, o Batista, onde caberiam então os ensinamentos de Yeshua e dos
Seus apóstolos que são, todos eles, posteriores a João, o Batista? Como se vê
é fácil desmontar este erro. E as profecias que ainda não foram cumpridas,
como, por exemplo, as dos últimos dias de Daniel? Também estas ficariam
anuladas? De maneira nenhuma, como diria Paulo.
• Etc., etc.

A contrapor a este tipo de argumentos errados, Paulo responde-lhes desta forma


categórica em Romanos 3:31 – “Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira
nenhuma, antes estabelecemos a lei”. Permanecendo na carta aos Romanos
reparemos, com atenção, no que Paulo nos diz em Romanos 2:13 – “Porque os que
ouvem a lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser
justificados”. Estas palavras corroboram o que lemos em Lucas 1:5-6.

“Aquele que tem os meus mandamentos (e, como sabemos, Yeshua veio magnificar
a Lei do Pai, cumprindo-a exemplarmente na Sua vida terrena) e os guarda esse é o
que me ama”, diz-nos Yeshua em Mateus 14:21.

Não nos esqueçamos de um ponto capital nesta matéria: o “mistério da iniquidade” terá
como consequência a morte, pois “o salário do pecado é a morte”. Se este “mistério”
da iniquidade já operava no tempo de Paulo, que diremos então hoje?

4
Outra questão que deve ser equacionada, pois liga-se a todo este tema da iniquidade
mas em oposição a esta, é a questão da “graça de Deus”. A “graça de Deus” com a
qual os responsáveis religiosos dos nossos dias enchem a boca nas suas pregações
inflamadas, ao mesmo tempo que negam a validade da Lei/Torá de YHWH (ou parte
dela, como já se disse), ditará a morte daqueles que os seguem, pois seguem os seus
discursos vãos (vazios de conteúdo de verdade – muitos ficam só pela rama), negando
a eficácia da graça de Deus que é a obediência à Lei/Torá de YHWH e ao Seu Cristo.
De resto, conhecemos que a “graça de Deus” é a Torá viva, isto é, ela é,
simultaneamente, Yeshua e a Torá, Tito 2:11 – “Porque a graça de Deus
[Yeshua/Torá] se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens”.

Paulo também nos revela em Romanos 6:1-2 – “Que diremos pois?


Permaneceremos no pecado [na iniquidade, na desobediência, na rebeldia para
com a Lei/Torá de YHWH], para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós, que
estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele?”, existir uma total
oposição entre graça e pecado/iniquidade/desobediência/rebeldia. A “graça de Deus” é
bem visível desde Génesis, na vida de todos aqueles que, ao longo de todos os
tempos, andaram em obediência perante os preceitos do Altíssimo. Tomemos o
exemplo de Noé, que “achou graça” aos olhos de YHWH.

De resto, vale a pena perguntar: pode a graça de Deus ser derramada sobre aqueles
que andam em desobediência à vontade do Altíssimo contida na Sua Lei? A resposta é
óbvia: Não!

Por isso Yeshua dirá aos rebeldes no dia do Seu juízo: Mateus 7:21-24 – “Nem todo o
que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a
vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor,
Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos
demónios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi
abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a
iniquidade. Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica,
assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha”.
Todos eles conhecem bem estas palavras de condenação, mas nenhum se revê nesta
situação. Recusam-se a “ouvir” e “praticar” os conselhos de Deus.

Como nos ensina o aposto Tiago em Tiago 1:22, 25 – “E sede cumpridores da


palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos…Aquele,
porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade [a Lei eterna de YHWH
dada por Moisés], e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecediço, mas
fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito”. Dúvidas? Só se for na
mente daqueles que torcem as palavras de Paulo e as Escrituras para sua própria
perdição. Esta “lei perfeita da liberdade” é aquela com a qual todo o ser humano será
julgado pelo Justo Juiz.

Estes seres humanos estão destinados à destruição, pois preferiram a mentira à


verdade. Os que praticam a iniquidade (transgressores da Lei de YHWH) serão

5
destruídos para sempre: Salmos 92:7; 101:8; Provérbios 10:29; 21:15. Desvanecem-se
em seus discursos vãos. Isaías 30:9 lembra-nos: “Porque este é um povo rebelde,
filhos mentirosos, filhos que não querem ouvir a lei de YHWH”. Eis o busílis da
questão. Como também Paulo escreveu em 1.Timóteo 1:8-10 – “Sabemos, porém,
que a lei é boa, se alguém dela usa legitimamente; sabendo isto, que a lei não é
feita para o justo [porque esse já vive por ela], mas para os injustos e
obstinados, para os ímpios e pecadores, para os profanos e irreligiosos, para os
parricidas e matricidas, para os homicidas, para os devassos, para os sodomitas,
para os roubadores de homens, para os mentirosos, para os perjuros, e para o
que for contrário à sã doutrina [para que o injusto se arrependa, ou seja
condenado por ela, caso não haja arrependimento]. A estes mentirosos está
reservado o fogo da destruição da segunda morte como nos é dito em Apocalipse 21:8.

Aqueles que dizem que O conhecem e não guardam os Seus mandamentos são
mentirosos: 1.João 2:3-7 – “E nisto sabemos que o conhecemos [a Yeshua]: se
guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda
os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade. Mas qualquer que
guarda a sua palavra [a Sua Lei eterna], o amor de Deus está nele
verdadeiramente aperfeiçoado; nisto conhecemos que estamos nele. Aquele que
diz que está nele, também deve andar como ele andou. Irmãos, não vos escrevo
mandamento novo, mas o mandamento antigo, que desde o princípio tivestes.
Este mandamento antigo é a palavra [a Lei/Torá] que desde o princípio ouvistes”.
Notemos assim que todos os que ensinam que a Lei (ou parte dela) não é para
cumprir, tal como Deus a instituiu para que nos vá bem, é mentiroso! E, o destino de
todos os mentirosos é a destruição – a segunda morte.

Olhemos agora para o comportamento de YHWH quando vier o tempo da aflição


destes falsos mestres: Provérbios 1:24-31 – “Entretanto, porque eu [O EU SOU,
YHWH] clamei e recusastes; e estendi a minha mão e não houve quem desse
atenção, antes rejeitastes todo o meu conselho, e não quisestes a minha
repreensão, também de minha parte eu me rirei na vossa perdição e zombarei,
em vindo o vosso temor. Vindo o vosso temor como a assolação, e vindo a vossa
perdição como uma tormenta, sobrevirá a vós aperto e angústia. Então clamarão
a mim, mas eu não responderei; de madrugada me buscarão, porém não me
acharão. Porquanto odiaram o conhecimento [a Minha Lei]; e não preferiram o
temor de YHWH: Não aceitaram o meu conselho [a Minha Lei]; e desprezaram
toda a minha repreensão. Portanto comerão do fruto do seu caminho, e fartar-se-
ão dos seus próprios conselhos”. Este mesmo livro de Provérbios que fala também,
com exaltação, da grandeza da sabedoria de YHWH – a Sua Lei, a Sua Torá eterna.

A repreensão/correcção do Senhor manifesta-se de Génesis a Apocalipse. Só os


obstinados e de dura cerviz (condutores cegos) não entendem. YHWH, através dos
Seus profetas mandou “selar a Lei entre os Seus discípulos” e disse-lhes mais, que “se
eles não falassem segundo esta Palavra – a Lei e o testemunho, é porque não havia
luz/verdade neles; nunca veriam a Alva”, ”Isaías 8:16, 20.

6
Lembremos ainda as palavras de David no Salmo 19:7-11 – “A lei de YHWH é
perfeita, e refrigera a alma; o testemunho de YHWH é fiel, e dá sabedoria aos
símplices. Os preceitos de YHWH são rectos e alegram o coração; o
mandamento de YHWH é puro, e ilumina os olhos. O temor de YHWH é limpo, e
permanece eternamente; os juízos de YHWH são verdadeiros e justos
juntamente. Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e
mais doces do que o mel e o licor dos favos. Também por eles é admoestado o
teu servo; e em os guardar há grande recompensa”. Estas palavras são eternas,
pois foram inspiradas pelo Espírito de YHWH.

Mas, será que a fraqueza da Igreja não provém disto mesmo? Da nossa falta de
aplicação nas coisas de Deus? Da nossa falta de entrega? Selámos um compromisso
individual no baptismo, mas depois pensámos que já tínhamos feito tudo. Errado. A
nossa vida cristã de entrega começou naquele momento. Senão, corremos o risco de
voltar a cair. Se Deus não tomar conta de nós (pela nossa entrega), então o diabo
cuidará de nós (devido à nossa negligência para com Deus).

Exemplo: Deus estabeleceu as Suas festas anuais, aos tempos por Ele determinados e
por estatuto perpétuo (Levítico 23). Que fazem muitos? Assobiam para o lado, como se
a Palavra da Justiça não fosse para os tempos actuais ou como se os estatutos de
Deus não tivessem importância para as suas vidas e para a sua salvação! Tornam-se
negligentes – são maus servos! Mesmo alguns que já hoje aceitam celebrar as Festas
Santas de YHWH e vêem nelas o Plano de Deus para a humanidade, chegam ao
ponto de marcar as datas das celebrações através de um calendário judaico errado.
Errado porque não respeita as determinações de YHWH, e os Seus sinais como o
aparecimento da Lua Nova em conjunto com o anúncio da maturação da cevada em
Israel, quando esta se encontra no estado de Abib (maturação). Erram na marcação
das Solenidades de YHWH devido à sua teimosia, teimosia essa que lhes pode sair
muito cara, pois demonstram que continuam “agarrados” às tradições e preceitos dos
homens. O diabo cegou-lhes o entendimento! Não têm conhecimento da Palavra de
YHWH, como nos aponta em Oséias 4:6 – “O meu povo foi destruído, porque lhe
faltou o conhecimento [da Lei de YHWH; porque se desviaram dos Seus
preceitos]; porque tu rejeitaste o conhecimento [a minha Lei/Torá], também eu te
rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste
da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos”. Deus repreende e
castiga aqueles a quem ama. O pior é se o homem na sua auto-suficiência não quer
ouvir a Palavra de Deus e acaba por rejeitar a Sua repreensão.

Os que rejeitam a repreensão ficam entregues aos seus próprios conselhos. Se não se
deixam guiar pelo Espírito Santo de YHWH, então Deus os abandona aos seus
próprios caminhos; então o diabo tomará conta deles. Mesmo muito antes de Yeshua
nos ter dito para circuncidarmos o nosso coração, já O mesmo Senhor nos dizia em
Deuteronómio 10:16 – “Circuncidai, pois, o prepúcio do vosso coração [mente;
centro do seu raciocínio e decisões], e não mais endureçais a vossa cerviz”. Eis
o grande problema do homem.

7
Todos teremos que comparecer perante o tribunal de Cristo, e todos havemos de ser
julgados pela Lei perfeita da liberdade, precisamente aquela que temos por dever
guardar nos nossos corações e por ela viver. E o julgamento de Deus começa pela
Sua própria casa. Leiam e inspirem-se nos 176 versículos do Salmo 119! O homem
viverá de TODA a palavra que sai da boca de Deus!

Não poderíamos encerrar este estudo sem relembrar as palavras de Yeshua que se
encontram em Mateus 5:17-19 – “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas:
não vim abrogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e
a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja
cumprido. Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que
seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus;
aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos
céus”. Se O Senhor Yeshua faz estas afirmações tão claras, como pode o homem
ignorá-las? Ao fazê-lo, está a ditar a sua própria condenação.

Esta Lei eterna estando já hoje gravada no coração dos fiéis (como virá a estar no
coração de todos os que viverem no Milénio de Cristo – Jeremias 31:31-33; Hebreus
8:10; 10:16) é, conjuntamente com o Sábado santo (o 7º dia), o sinal que identifica o
povo do Altíssimo desde o princípio dos tempos até que tudo se cumpra.

Hoje vemos o resultado dos esforços de Satanás em confundir o homem, levando-o a


que se desvie da santa e justa Lei de YHWH. Nem a própria Palavra parece convencer
alguns (muitos) que a Lei está totalmente em vigor e que Yeshua não a veio abrogar –
nem mesmo as palavras de Yeshua os convence. Pior para eles.

O tempo em que o “mistério da iniquidade” se manifestará de forma mais forte e


notória, é precisamente nos dias actuais e nos vindouros, quando muitos abandonam a
fé e a sã doutrina dos profetas, de Yeshua e dos apóstolos de Yeshua. Ou que torcem
as palavras destes servos do Altíssimo para sua própria perdição. Em breve se
manifestará o anti-Cristo do tempo do fim, aquele que é apelidado na Bíblia como
“homem do pecado”. Esses serão dias de apostasia total. Paulatinamente, os
mandamentos de YHWH têm vindo a ser erradicados das congregações e dos
corações dos crentes. A sua fé esfria a olhos vistos. O reinado do anti-Cristo (o homem
que é contra a Lei de YHWH), pautar-se-á por um recrudescimento da apostasia. Este
será um reinado breve mas fatal para muitos.

Como se disse antes, a animosidade contra a Torá dada por Deus, tem sido manifesta
sobretudo nestes últimos 2.000 anos. Esta animosidade (o “mistério da iniquidade”)
culminará em novas perseguições dos fiéis que viverem nos tempos do fim, tal como
sucedeu com as perseguições que ocorreram ao longo destes dois milénios e que
levou à tortura e à morte muitos milhões de fiéis. Muitos não reputaram a sua vida por
valiosa porque viviam pela fé nas promessas de Yeshua e da Palavra de YHWH numa
pátria celestial vindoura, vivendo assim pela obediência.

Vejamos o que o apóstolo Paulo nos ensina em Romanos 8:10 – “E, se Cristo está
em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado [da desobediência

8
à Lei], mas o espírito vive por causa da justiça [na fé de Yeshua e na vivência da
Lei de YHWH]”, de forma a que cheguemos assim, à estatura de varão perfeito, à
imagem de Yeshua, pelo que ambicionamos vir a estar entre a grande multidão dos
salvos, aqueles que adquiram “a paciência dos santos; aqui estão os que guardam
os mandamentos de Deus e a fé em Jesus”.

“Nunca vos conheci!”, Dirá Yeshua, O Justo Juiz, aos que se deixarem

enredar nas malhas do “mistério da iniquidade” promovido por Satanás.

Arrependamo-nos, pois!

-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-