You are on page 1of 7

04 de Setembro, 2018

XP Research & XP Análise Política

Visão dos Investidores — Mercados pós-eleição (Ago/2018)


Realizamos entrevistas com 281 investidores institucionais sobre eleições e mercados
entre os dias 28 e 31 de agosto. Com as discussões cada vez mais intensas, buscamos
entender quais cenários, para bolsa, juros e dólar, seriam os mais prováveis em caso de
vitória de determinados candidatos.

Os resultados não refletem a opinião da XP.

A nossa amostra contou com as principais instituições do mercado financeiro brasileiro.


Nossos respondentes foram gestores de recursos, economistas, consultorias, entre outros.
Seguem os destaques:
• 95% esperam que Alckmin, se eleito, aprove uma reforma da previdência em 2019. Na
outra ponta, 64% esperam que se eleitos Lula/Haddad não aprovem uma reforma da
previdência no próximo ano;
• Entre os que esperam que cada candidato aprove a reforma da previdência, a de
Alckmin seria a que duraria mais tempo, quase 9 anos. Por outro lado, a reforma
eventualmente aprovada por Lula/Haddad duraria menos de 4 anos antes que
fossem necessárias novas medidas;
• 82% estão preocupados ou muito preocupados com as eleições no Brasil, tanto
quanto nos levantamentos de junho, quando o Ibovespa estava em 77 mil pontos e o
BRL em 3,77, e julho, quando o Ibovespa estava em 72 mil pontos e o BRL em 3,88;
• A probabilidade de elevação de juros em 2018 e 2019 não apresentou grande
alteração em relação aos levantamentos anteriores;

Se ____ ganhar, qual a chance da REFORMA DA


PREVIDÊNCIA ser aprovada em 2019?
100%
5%
90%
24%
33%
80%

70% 62% NÃO


64%
60%

50%
95%
40%
76% Victor Scalet
68%
30% Análise Política

20% SIM
38% 36% Bruna Cricci
Research
10%

0%
Alckmin Bolsonaro Marina Ciro Lula/Haddad

Relatório XP
04 de Setembro, 2018

Entre aqueles que disseram esperar que ____


aprove a reforma da previdência, depois de
quantos anos seria necessária uma nova reforma?
8.7

7.5

6.1
Anos

4.4
3.6

Alckmin Bolsonaro Marina Ciro Lula/Haddad

Se você tivesse que ficar comprado em


ativos brasileiros, quão preocupado com
eleições você estaria?
100% 1% 1% 3%
12% 18% 15%
80%
36%
38% 35%
60%

40%

51% 47%
20% 42%

0%
06/jun/18 03/jul/18 31/ago/18

Muito Preocupado Preocupado Um Pouco Preocupado Nada Preocupado

2
04 de Setembro, 2018

Qual é a probabilidade de alta de juros


em 2018?
1% 1% 3%
100% 1%
6% 8% 7%
90% 3% 3%
7% 10%
8%
80%
10% 9%
16%
70% 4%

60%
26% 31%
50%
40%
66%
30%
20% 42% 39%
10%
0%
06/jun/18 03/jul/18 31/ago/18

0%-20% 20%-40% 40%-50% 50% 50%-60% 60%-80% 80%-100%

Qual é a probabilidade de alta de


juros em 2019?
100%
90%
30%
80% 38% 37%
70%
60% 18%
50% 25%
11% 29%
40%
10% 8%
30% 8%
11% 9%
20% 8%
8%
18% 9%
10% 10%
7%
0% 1% 2% 4%
06/jun/18 03/jul/18 31/ago/18

0%-20% 20%-40% 40%-50% 50% 50%-60% 60%-80% 80%-100%

3
04 de Setembro, 2018

Dividimos a nossa entrevista para que cada respondente apontasse qual cenário ele enxergava para bolsa e
dólar, caso determinado candidato saísse vencedor na disputa de 2018. Consideramos o patamar da Ibovespa
de 76 mil pontos, e o câmbio de R$/US$ 4,14.

Câmbio
Os destaques em relação a câmbio são em um cenário no qual o ex-governador Ciro Gomes (PDT) seria
vencedor das eleições de 2018, os investidores apontam um desfecho com câmbio mais depreciado, com 87%
indicando que o câmbio brasileiro se desvalorizaria para um patamar superior a R$/US$ 4,40. Por outro lado, o
cenário que os investidores enxergam o câmbio mais apreciado, é no cenário no qual o ex–governador Geraldo
Alckmin (PSDB) seria vencedor das eleições, em que 22% dos investidores indicam que o câmbio atingiria o
patamar de R$/US$ 3,40 ou menos. No caso de Jair Bolsonaro (PSL), candidato que apresenta maior intenção de
votos no cenário sem Lula, investidores apresentam divergências de opiniões, com 32% indicando que o câmbio
ficaria no patamar de R$/US$ 3,60—3,80 e 32% em R$/US$ 3,80-4,00.
Ciro Gomes Fernando Haddad

Geraldo Alckmin Jair Bolsonaro

Marina Silva

4
04 de Setembro, 2018

Bolsa
Na parte de bolsa, o desfecho mais negativo para a bolsa segundo os investidores é o cenário no qual o ex-
prefeito Fernando Haddad (PT) é eleito, no qual 31% apontam que o Ibovespa recuaria para baixo de 50 mil
pontos. Já o cenário entendido como melhor desfecho para o índice, é o que o ex–governador Geraldo Alckmin
(PSDB) é o vencedor das eleições de 2018, em que 90% entendem que o Ibovespa avançaria para acima de 85 mil
pontos. No caso de Jair Bolsonaro (PSL), candidato que apresenta maior intenção de votos no cenário sem Lula,
investidores apresentam divergências de opiniões, com 51% indicando que o Ibovespa ficaria abaixo de 85 mil
pontos, e 49% que ficaria acima de 85 mil pontos.

Ciro Gomes Fernando Haddad

Geraldo Alckmin Jair Bolsonaro

Marina Silva

5
04 de Setembro, 2018

Taxa Selic
Os destaques referentes à Taxa Selic, o cenário em que os investidores enxergam uma maior taxa de juros é o
que o ex-governador Ciro Gomes (PDT) é vencedor das eleições de 2018, onde 39% indicam que a Selic seria 10%
ou mais, e 38% acreditam que essa taxa também é a mais provável no caso de Haddad ser o vencedor das
eleições. Já no cenário de Marina Silva, Jair Bolsonaro e Geraldo Alckmin, a maior parte dos investidores
acreditam que a Selic ficará entre 7,5- 8%, o que está em linha com a mediana do FOCUS de 2019 (8%).

Ciro Gomes Fernando Haddad

Geraldo Alckmin Jair Bolsonaro

Marina Silva

6
04 de Setembro, 2018

Disclaimer

Este material foi preparado pelo time de análise política da XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”)
e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º da Instrução CVM nº 598, de 3 de
maio de 2018 (“ICVM 598/18”).

Esta entrevista, não se trata de enquete, sondagem ou pesquisa relacionado ao processo eleitoral, prevista no
art. 33 da Lei nº 9.504 de 30 de setembro 1997 (“Lei nº 9.504/97”), e sim de mero levantamento de opiniões
relacionadas a aprovação de projetos legislativos e/ou cenários para bolsa de valores, dólar ou juros, sem
controle de amostra, o qual não utiliza método científico para a sua realização, dependendo, apenas, da
participação espontânea do interessado.

A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a
integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. As opiniões expressas neste material refletem
exclusivamente a opinião atual dos entrevistados e não representam a opinião da XP Investimentos. Este texto
está sujeito a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou
alterar este texto e de informar o leitor.

O responsável pela elaboração deste texto certifica que as informações expressas nele refletem, de forma única
e exclusiva, as opiniões dos entrevistados, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em
relação a XP Investimentos. A XP Investimentos e/ou qualquer outra empresa de seu grupo econômico não se
responsabilizam por quaisquer opiniões aqui contidas e ainda decisões, de investimento ou de outra forma, que
forem tomadas com base nas informações aqui divulgadas.

Por fim, a XP Investimentos alerta que o uso das informações apresentadas neste material, para atuar no
mercado de valores mobiliários brasileiro, antes da divulgação pública, pode caracterizar prática não equitativa,
em violação à Instrução CVM nº 8, de 15 de outubro de 1979 (“ICVM 8/79”).