You are on page 1of 15

COMEÇANDO DO ZERO

Direito Eleitoral – Aula 06


João Paulo Oliveira

INTRODUÇÃO AO DIREITO ELEITORAL

1. (FCC - TRT - 20ª REGIÃO (SE) - Técnico Judiciário - Área AdministrativA) No tocante aos direitos políti-
cos, o atributo de quem preenche as condições do direito de ser votado é classificado como capacidade
eleitoral:

A) passiva.
B) ativa.
C) plena.
D) genérica
E) originária.

2. (AL/GO) Ao julgar o Recurso Extraordinário Eleitoral n. 633.703, em 23 de março de 2011, o Supremo


Tribunal Federal entendeu que a Lei Complementar n. 135/2010 (Lei da Ficha LimpA) não deveria ser
aplicada às eleições de 2010 por desrespeitar o art. 16 da Constituição Federal de 1988. Considerando o
princípio da anualidade,

A) a emenda constitucional que altera o processo eleitoral possui aplicação imediata.


B) a lei que altera o processo eleitoral, assim que publicada, ingressa imediatamente no ordenamento jurídico
pátrio, inocorrendo a vacatio legis.
C) a lei que altera o processo eleitoral entra em vigor um ano após sua publicação, não tendo efeito no período da
vacatio legis.
D) a incidência da anualidade em relação à lei que altere o processo eleitoral dependerá de ponderação no caso
concreto, por tratar-se de um princípio.

JUSTIÇA ELEITORAL

3. (CONSULPLAN – TRE/MG) A Justiça Eleitoral é composta por distintos órgãos, os quais pos-
suem composição e atribuições específicas. As atribuições do Corregedor Geral da Justiça Eleitoral sã
cas. As atribuições do Corregedor Geral da Justiça Eleitoral são fixadas pelo:

A) Tribunal Superior Eleitoral.


B) Supremo Tribunal Federal.
C) Superior Tribunal de Justiça.
D) Presidente do Tribunal Superior Eleitoral.

4. (CONSULPLAN – TRE/MG)
Os Tribunais Regionais Eleitorais possuem competência originária determinada pelo Código Eleitoral, den
tre as quais encontram-se o registro e o cancelamento do registro das candidaturas a:

A) Prefeito.
B) Vereador.
C) Conselheiro.
D) Governador.

5. (AL/GO) A Justiça Eleitoral é o ramo do Poder Judiciário criado em 1932, responsável por todos os tra-
balhos eleitorais – do alistamento à proclamação dos eleitos. Nos termos de sua organização, composição
e competências, a:

A) Justiça Eleitoral desempenha, além da função jurisdicional, as funções administrativa, normativa e consultiva.
B) Justiça Eleitoral não tem magistrados investidos de forma permanente em sua jurisdição, que é exercida por
juízes de direito designados pelo período máximo de 2 (dois) anos.
C) Justiça Eleitoral é especializada em razão da matéria, motivo pelo qual o STF e o STJ não detêm competência
de julgamento em temática eleitoral.
D) Junta Eleitoral é um órgão colegiado da Justiça Eleitoral de duração permanente, com competência exclusiva e
limitada para apuração das eleições.

www.cers.com.br 1
COMEÇANDO DO ZERO
Direito Eleitoral – Aula 06
João Paulo Oliveira

6. (CESPE - TRE-ES - Analista Judiciário - Área Administrativa - Específicos) Um vereador que seja
advogado não pode ser nomeado ministro do TSE para uma das vagas destinadas a tais profissio-
nais.

7. (CESPE - TRE-ES - Técnico Judiciário - Área Administrativa - Específicos) Compete, privativamente, ao


TSE autorizar a contagem dos votos pelas mesas receptoras nos estados em que essa providência for
solicitada pelo tribunal regional respectivo.

8. (CESPE - TRE-BA - Analista Judiciário - TaquigrafiA) Compete privativamente ao TSE julgar os conflitos
de competência de juízes de determinado estado.

9. (CESPE - TRE-ES - Técnico Judiciário - Área Administrativa - Específicos) Compete, privativamente, aos
TREs indicar ao TSE as zonas eleitorais ou seções em que a contagem dos votos deva ser feita pela mesa
receptora

10. (CESPE - TRE-ES - Técnico Judiciário - Área Administrativa - Específicos) Compete aos TREs remeter ao TSE
cópias das atas dos trabalhos relativos às apurações e diplomações a seu cargo, desde que requisitadas pela
corte superior.

11. (CESPE - TRE-ES - Técnico Judiciário - Área Administrativa - Específicos) Compete ao juiz eleitoral
resolver as impugnações e demais incidentes verificados durante os trabalhos de contagem e apuração
dos votos.

12. (CESPE - TRE-ES - Analista Judiciário - Área Judiciária - Específicos) Na ausência do chefe do car-
tório eleitoral, as atribuições da escrivania de zona eleitoral podem ser exercidas por outro servidor
designado pelo chefe do cartório, desde que esse servidor não seja membro de diretório part idário,
candidato a cargo eletivo, seu cônjuge ou parente consanguíneo ou afim até o segundo grau

13. (CESPE - TRE-BA - Analista Judiciário - TaquigrafiA) As juntas eleitorais não são órgãos da jus-
tiça eleitoral, constituindo-se mera divisão regional realizada pelo juiz, que a preside.

14. (CESPE - TRE-MT - Analista Judiciário - Área AdministrativA) Segundo as regras estabelecidas na Lei
n.º 4.737/1965, compete aos juízes eleitorais:

A) julgar os crimes eleitorais, sendo os crimes comuns, ainda que conexos, julgados pela justiça comum.
B) constituir as juntas eleitorais e designar sua sede e jurisdição.
C) ordenar o registro e a cassação do registro dos candidatos aos cargos eletivos municipais.
D) processar e julgar outros juízes eleitorais que tenham cometido crimes eleitorais em sua jurisdição.
E) processar e julgar o registro dos diretórios estaduais e municipais de partidos políticos.

15. (CESPE - TRE-MT - Técnico Judiciário - Área AdministrativA) A jurisdição de cada uma das zonas eleito-
rais cabe a um juiz de direito em efetivo exercício, diz o Código Eleitoral. A respeito das funções, das res-
ponsabilidades e da competência do juiz eleitoral, assinale a opção correta.

A) É atribuição do juiz eleitoral expedir o diploma dos eleitos nos pleitos municipais.
B) Compete ao juiz eleitoral fornecer ao eleitor que não votou, mas justificou a ausência, certificado que o
isente das sanções.
C) Incumbe ao juiz eleitoral designar e nomear os integrantes das juntas eleitorais.
D) É da competência do juiz eleitoral designar a sede da junta eleitoral.
E) Cabe ao juiz eleitoral conceder licenças e férias aos servidores da justiça eleitoral.

16. (FCC - TRE-TO - Analista Judiciário - Área AdministrativA) A requisição de força federal necessária ao
cumprimento de decisão do Tribunal Regional Eleitoral compete ao:

A) próprio Tribunal Regional Eleitoral.


B) Tribunal Superior Eleitoral.
C) Presidente do respectivo Tribunal Regional Eleitoral.
D) Governador do respectivo Estado.

www.cers.com.br 2
COMEÇANDO DO ZERO
Direito Eleitoral – Aula 06
João Paulo Oliveira

E) Procurador Regional Eleitoral.

17. (FCC - TRE-RN - Analista Judiciário - Área JudiciáriA) Embora integrante do Poder Judiciário, a
Justiça Eleitoral possui algumas peculiaridades quando comparada com os demais ramos do Judiciá-
rio. Em tal sentido, são peculiaridades da Justiça Eleitoral:

A) Existência de procedimentos específicos; quadro próprio e permanente de juízes; exercício de função consulti-
va.
B) Princípio da temporalidade em relação ao quadro de juízes; exercício de função essencialmente adm i-
nistrativa e eventualmente jurisdicional; exigência de contraditório.
C) Existência de procedimentos específicos; capacidade interpretativa mediante Resoluções; função juris-
dicional.
D) Exercício de função consultiva; princípio da temporalidade em relação ao quadro de juízes; capacidade inter-
pretativa mediante Resoluções.
E) Exercício de função essencialmente administrativa e eventualmente jurisdicional; exigência de contraditório;
quadro próprio e permanente de juízes.

18. ( FCC - TRE-AC - Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Eleitoral / Competência dos Órgãos da
Justiça Eleitoral;)
Nos municípios em que houver mais de uma Junta Eleitoral, a expedição dos diplomas aos eleitos para os cargos
municipais será feita:

A) pelo Tribunal Regional Eleitoral.


B) pela Junta Eleitoral que for presidida pelo Juiz Eleitoral mais antigo.
C) pela Junta Eleitoral que tiver apurado maior número de votos.
D) pelo Tribunal Superior Eleitoral.
E) pelo Corregedor Regional Eleitoral.

19. (CESPE) Para que os governos se sucedam pacificamente, deve ser racionalmente estruturada uma
técnica que assegure a normal apuração da vontade popular, com rigorosa probidade. Três sistemas se
apresentam para realizar essa operação: o da verificação de poderes, a cargo dos órgãos legislativos; o
sistema eclético de um tribunal misto, com composição dúplice — política e jurisdicional; e o do controle
por um tribunal eleitoral, tipicamente judiciário.
Fávila Ribeiro. Direito eleitoral. Rio de Janeiro: Forense, 1997.

A partir dessas informações, é correto afirmar que, no caso brasileiro,

A) é facultada aos tribunais eleitorais a subdivisão em câmaras ou turmas, para deliberação de caráter administra-
tivo, normativo ou jurisdicional.
B) para o bom cumprimento de suas finalidades, é competência da justiça eleitoral impugnar o registro de candi-
datos.
C) são competências da justiça eleitoral, entre outras: o registro e a cassação dos partidos, bem como a fiscaliza-
ção de suas atividades financeiras; a organização do processo eleitoral; e o fornecimento de transporte e alimen-
tação para eleitores das áreas rurais.
D) a justiça eleitoral dispõe de um quadro misto de magistrados: uma parte integra um quadro próprio perma-
nente, enquanto a outra é originada, periodicamente, de outros órgãos judiciários.
E) vigora o sistema eclético de um tribunal misto, com composiçãodúplice, política e jurisdicional.

ALISTAMENTO ELEITORAL

20. ( FCC - TRE-AC - Técnico Judiciário - Área Administrativa / Direito Eleitoral / Alistamento;) A respeito
do alistamento eleitoral, considere:

I. Os estrangeiros.
II. Os maiores de setenta anos.
III. Os maiores de 16 e menores de 18 anos.
IV. Os maiores de 14 e menores de 16 anos.
Podem alistar-se como eleitores os indicados APENAS nos itens

www.cers.com.br 3
COMEÇANDO DO ZERO
Direito Eleitoral – Aula 06
João Paulo Oliveira

A) I e II.
B) I, III e IV.
C) I, II e IV.
D) II e III.
E) II, III e IV.

21. (FCC - TRE-AL - Técnico Judiciário - Área AdministrativA) O alistamento eleitoral e o voto são facultati-
vos para os:

A) maiores de dezoito anos.


B) funcionários da Justiça Eleitoral.
C) candidatos a cargos eletivos nas eleições majoritárias.
D) candidatos a cargos eletivos nas eleições proporcionais.
E) analfabetos.

22. (FCC - TRE-RN - Técnico Judiciário - Área AdministrativA) O alistamento eleitoral é um requisito
indispensável para o exercício do voto, consistindo no procedimento pelo qual o cidadão qualifica -
se perante a Justiça Eleitoral e se insere como membro do eleitorado nacional. O alis tamento pode
ou deve ser realizado:

A) facultativamente para os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos, ainda que completem os dezesseis
anos no ano em que se realizarem as eleições, desde que até a data do pleito.
B) facultativamente no caso dos conscritos e analfabetos.
C) ex officio, isto é, por impulso próprio do órgão estatal.
D) facultativamente no caso de pessoa portadora de deficiência, quando reste comprovado que o cumprimento
das obrigações eleitorais relativas ao alistamento é impossível ou demasiadamente oneroso.
E) obrigatoriamente pelos que se encontrem fora do país.

23. (FCC - TRE-AM - Analista Judiciário - Área AdministrativA) João completou 18 anos de idade;
Juan é brasileiro naturalizado; Pedro tem 15 anos de idade e completar á 16 anos na data do pleito;
Paulo era analfabeto, mas deixou de sê-lo; e Manuel é português e está trabalhando numa empresa
no Brasil. É facultativo o alistamento eleitoral de:

A) Juan e Paulo.
B) Juan e Manuel.
C) Juan e Pedro.
D) Paulo.
E) Pedro.

24. (FCC - TRE-AM - Analista Judiciário - Tecnologia da Informação) A respeito do alistamento eleitoral, é INCOR-
RETO afirmar que:

A) o brasileiro naturalizado que não se alistar até um ano depois de adquirida a nacionalidade brasileira incorrerá
em multa imposta pelo juiz eleitoral e cobrada no ato da inscrição eleitoral.
B) é facultado o alistamento, no ano em que se realizarem eleições, do menor que completar 16 anos até a data
do pleito, inclusive.
C) o brasileiro nato que não se alistar até os 19 anos incorrerá em multa imposta pelo juiz eleitoral e cobrada no
ato da inscrição eleitoral.
D) o alistamento eleitoral do analfabeto é facultativo.
E) do despacho que deferir o requerimento de alistamento eleitoral não cabe recurso.

25. (FCC - TRE-RS - Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Eleitoral / Alistamento;)
A respeito do alistamento e do título eleitoral, considere:

I. A certidão de nascimento ou casamento extraída do Registro Civil não é documento hábil para fins de alistamen-
to.
II. O título eleitoral prova, a qualquer tempo, a quitação do eleitor para com a Justiça Eleitoral.

www.cers.com.br 4
COMEÇANDO DO ZERO
Direito Eleitoral – Aula 06
João Paulo Oliveira

III. Nas hipóteses de alistamento, transferência, revisão e segunda via, a data de emissão do título será a de pre-
enchimento do requerimento.

Está correto o que se afirma SOMENTE em:

A) III.
B) I e II.
C) I e III.
D) II e III.
E) II.

26. (FCC - TRE-TO - Analista Judiciário - Área JudiciáriA) De acordo com a Resolução do TSE nº
21.538/2003, no título de eleitor, os dois últimos alg arismos correspondem:

A) à unidade da federação de origem da inscrição.


B) à cidade a que pertence o título eleitoral.
C) ao código da residência do titular.
D) aos dígitos verificadores.
E) ao código do Tribunal que autorizou a expedição

27. (FCC - TRE-RS - Técnico Judiciário - Área Administrativa / Direito Eleitoral / Transferência;) NÃO se
inclui dentre as exigências para que seja admitida a transferência do eleitor:

A) Recebimento do pedido no cartório eleitoral do novo domicílio no prazo estabelecido pela legislação vigente.
B) Concordância expressa do partido político em cujos candidatos costuma votar.
C) Transcurso de pelo menos um ano do alistamento ou da última transferência.
D) Residência mínima de três meses no novo domicílio, declarada sob as penas da lei, pelo próprio candidato.
E) Prova de quitação com a Justiça Eleitoral.

28. (FCC - TRE-RS - Analista Judiciário - Área Administrativa / Direito Eleitoral / Partidos Políticos;)
A respeito da fiscalização exercida pelos partidos políticos no que concerne ao alistamento, à emissão e
entrega de títulos eleitorais, à transferência, revisão e segunda via, é correto afirmar que NÃO poderão:

A) examinar, mesmo sem perturbação dos serviços e na presença dos servidores designados, os documentos relati-
vos aos pedidos de transferência, revisão de segunda via e revisão de eleitorado.
B) ser mantidos mais de um delegado de cada partido atuando simultaneamente na mesma zona eleitoral.
C) assumir a defesa do eleitor cuja exclusão esteja sendo promovida.
D) examinar, mesmo sem perturbação dos serviços e na presença dos servidores designados, os documentos relati-
vos aos pedidos de alistamento eleitoral.
E) requerer a exclusão de qualquer eleitor inscrito irregularmente.

29. (FCC - TRE-AL - Analista Judiciário - Engenharia Civil / Direito Eleitoral / Do Cancelamento e da exclu-
são;)
NÃO é causa de exclusão do eleitor:

A) a pluralidade de inscrição.
B) a suspensão dos direitos políticos.
C) a perda dos direitos políticos.
D) deixar de votar em duas eleições consecutivas.
E) o seu falecimento.

30. (FCC - TRE-AC - Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Eleitoral / Do Cancelamento e da exclu-
são;)
A respeito do cancelamento e da exclusão de eleitores, pode-se afirmar que:

A) a decisão do juiz eleitoral é irrecorrível.


B) cessada a causa do cancelamento, o interessado não poderá requerer a sua qualificação e inscrição.
C) durante o processo e até a exclusão pode o eleitor votar validamente.

www.cers.com.br 5
COMEÇANDO DO ZERO
Direito Eleitoral – Aula 06
João Paulo Oliveira

D) a suspensão dos direitos políticos não é causa de cancelamento.


E) a exclusão de eleitor não pode ser determinada ex officio pelo Juiz Eleitoral, dependendo de requerimento de
partido ou candidato.

31. (FCC - TRE-TO - Técnico Judiciário - Área AdministrativA) De acordo com a Resolução do TSE
21.538/2003, nas zonas eleitorais em que o total de transferência de eleitores ocorridas no ano em curso
seja dez por cento superior ao do ano anterior, a determinação, de ofício, da revisão e correição dessas
zonas eleitorais cabe ao:

A) Juiz Eleitoral.
B) Procurador-Geral Eleitoral.
C) Procurador Regional Eleitoral.
D) Tribunal Superior Eleitoral.
E) Tribunal Regional Eleitoral

32. (FCC - TRE-RN - Técnico Judiciário - Área AdministrativA) O procedimento de revisão do eleitorado
tem por finalidade:

A) a verificação de fraudes no alistamento de uma zona eleitoral ou município, resultando, quando confirmada a
existência de qualquer fraude, no cancelamento de ofício das inscrições eleitorais irregulares.
B) a verificação de fraudes no alistamento de uma zona eleitoral ou município, resultando, quando provada a frau-
de em proporção comprometedora, no cancelamento de ofício das inscrições eleitorais irregulares.
C) a contabilização do eleitorado em uma zona eleitoral ou município, sendo sempre realizado no ano ant e-
rior às eleições.
D) a contabilização do eleitorado em uma zona eleitoral ou município, sendo sempre realizado no mesmo ano em
que realizadas as eleições.
E) a verificação de fraudes no alistamento de uma zona eleitoral ou município, resultando, quando provada a frau-
de em proporção de no mínimo 20% (vinte por cento) do eleitorado, no cancelamento de ofício das inscrições
eleitorais irregulares.

33. (FCC - TRE-AP - Analista Judiciário - Área JudiciáriA)


De acordo com a Resolução TSE no 21.538/2003, no que concerne à revisão do eleitorado, considere:

I. Compete ao Tribunal Superior Eleitoral ordenar a revisão do eleitorado quando houver denúncia fundamentada
de fraude no alistamento de uma zona ou município, após realizada correição e provada a fraude em proporção
comprometedora.
II. O Tribunal Superior Eleitoral determinará, de ofício, a revisão ou correição das zonas eleitorais sempre
que o eleitorado for superior ao dobro da população entre dez e quinze anos, somada à idade superior a
setenta anos do território daquele município.
III. A revisão do eleitorado deverá ser sempre presidida pelo juiz eleitoral da zona submetida à revisão, que dará
início aos procedimentos revisionais no prazo máximo de 30 dias, contados da aprovação da revisão pelo tribunal
competente.

Está correto o que se afirma SOMENTE em:

A) I e II.
B) II e III.
C) I e III.
D) I.
E) III

34. (CESPE - TRE-ES - Analista Judiciário - Área Administrativa - Específicos) Qualquer eleitor pode reque-
rer a exclusão de outro eleitor em razão de este ter deixado de votar em três eleições consecutivas sem as
devidas justificativas ou o pagamento de respectivas multas.

35. (CESPE - TRE-ES - Analista Judiciário - Área Administrativa - Específicos) No caso de algum cidadão
maior de dezoito anos ser privado temporária ou definitivamente dos direitos políticos, a autoridade

www.cers.com.br 6
COMEÇANDO DO ZERO
Direito Eleitoral – Aula 06
João Paulo Oliveira

responsável pela imputação da pena deve providenciar a comunicação do fato ao juiz eleitoral ou ao
TRE da circunscrição em que o delito tenha sido praticado.

ELEGIBILIDADE

36. (FUMARC - Prefeitura de Nova Lima - MG - Procurador Municipal) Sobre os direitos políticos assegura-
dos pela Constituição da República, pode-se afirmar, EXCETO:

A) Não podem alistar-se como eleitores os estrangeiros e, durante o período do serviço militar obrigatório, os conscri-
tos.
B) O Presidente da República, os Governadores de Estado e do Distrito Federal, os Prefeitos e quem os ho u-
ver sucedido, ou substituído no curso dos mandatos poderão ser reeleitos para um único período subseque n-
te.
C) O voto é obrigatório para os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos que tenham se alistado.
D) Para concorrerem a outros cargos, o Presidente da República, os Governadores de E stado e do Distrito
Federal e os Prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos até seis meses antes do pleito

37. (FCC - MPE-CE - Promotor de JustiçA) São condições de elegibilidade para o cargo de Vice- Go-
vernador de Estado:

A) nacionalidade brasileira, pleno exercício dos direitos políticos, alistamento eleitoral, domicílio eleitoral
na circunscrição, filiação partidária e idade mínima de trinta anos.
B) naturalidade brasileira, pleno exercício dos direitos políticos, domicílio eleitoral na ci rcunscrição, filiação
partidária e idade mínima de trinta anos.
C) nacionalidade brasileira, pleno exercício dos direitos políticos, alistamento eleitoral, domicílio eleitoral
no território nacional, filiação partidária e idade mínima de trinta e cinco anos.
D) nacionalidade brasileira, pleno exercício dos direitos políticos, alistamento eleitoral , domicílio eleitoral
na circunscrição e idade mínima de vinte e cinco anos.
E) naturalidade brasileira, pleno exercício dos direitos políticos, alistamento eleitoral, fili ação partidária e
idade mínima de trinta e cinco anos.

38. (FCC - TRE-AL - Técnico Judiciário - Área AdministrativA) Para concorrer a cargo eletivo, o eleitor de-
verá estar filiado ao respectivo partido, pelo menos,

A) no primeiro dia útil do ano em que se realizarem as eleições.


B) seis meses antes da data fixada para as eleições majoritárias.
C) um ano antes da data fixada para as eleições, majoritárias ou proporcionais.
D) três meses antes da data fixada para as eleições proporcionais.
E) até o dia da convenção para escolha de candidatos.

39. (CESPE - TRE-MT - Analista Judiciário - Área AdministrativA) Com relação às regras atinentes às con-
dições de elegibilidade, assinale a opção correta.

A) A legislação eleitoral estabelece regras para cassação, perda e suspensão dos direitos políticos, e, em qual-
quer dos casos, impõe ao cidadão punido a condição de inelegibilidade.
B) A filiação partidária não é considerada condição de elegibilidade. Assim, se no ano eleitoral um candidato pedir
a desfiliação do partido ao qual é filiado, poderá concorrer como candidato autônomo.
C) Na legislação pátria, não há previsão de inelegibilidade por parentesco e, por isso, o cônjuge do prefeito pode
candidatar-se a qualquer cargo, sem a necessidade de renúncia nos seis meses que antecedem ao pleito.
D) A previsão legal de idade mínima para candidatar-se refere-se apenas aos cargos de presidente e vice-
presidente da República, caso em que o candidato deve ter, no mínimo, 35 anos de idade.
E) O brasileiro naturalizado pode candidatar-se ao Senado Federal, mas não poderá presidi-lo.

www.cers.com.br 7
COMEÇANDO DO ZERO
Direito Eleitoral – Aula 06
João Paulo Oliveira

DAS INELEGIBILIDADES

40. (AL/GO) As condições de elegibilidade e as causas de inelegibilidade não se confundem, sendo


possível sustentar, de acordo com a Constituição Federal e demais atos normativos que tratam do tema,
que:

A) a desaprovação das contas da campanha eleitoral impede a quitação eleitoral do candidato, faltando-lhe con-
dição de elegibilidade.
B) o membro do Ministério Público, que ingressou na carreira após a emenda 45/2004, deve licenciar-se até seis
meses antes do pleito no qual pretenda concorrer à vaga em Assembleia Legislativa.
C) o Dirigente de Seção da OAB que pretenda se lançar candidato a Governador deve deixar o posto quatro
meses antes das eleições.
D) as hipóteses de inelegibilidade previstas na Constituição podem ser ampliadas por lei ordinária, sendo vedada
a restrição de direitos políticos por Resolução do TSE.

41. (CONSULPLAN – TRE/MG) “G é governador do estado Y e pretende candidatarse ao Senado.” Nesse


caso, de acordo com as normas constantes da Constituição Federal, deverá:

A) permanecer no cargo até o final do pleito.


B) permanecer no cargo até um mês antes do pleito.
C) renunciar ao mandato até três meses antes do pleito.
D) renunciar ao mandato até seis meses antes do pleito.

42. (FCC - MPE-CE - Promotor de JustiçA) Um militar integrante das Forças Armadas e em atividade desde
janeiro de 2003, estando com 27 anos de idade, casado com uma Vereadora do Município em que reside,
pretende candidatar-se a Prefeito desse Município no pleito de 2012. Nessa hipótese, o interessado:

A) será inelegível para o cargo pretendido, na medida em que não possuirá a idade mínima para tanto exigida
constitucionalmente.
B) será inelegível para o cargo pretendido, pois sua cônjuge é detentora de mandato eletivo na circunscrição para
a qual tem a intenção de candidatar-se à chefia do Executivo.
C) será inelegível para o cargo pretendido, pois os militares são inalistáveis.
D) preencherá as condições de elegibilidade para o cargo pretendido, desde que seja agregado pela autoridade
militar superior e, se eleito, passe para a inatividade.
E) preencherá as condições de elegibilidade para o cargo pretendido, desde que se afaste da atividade militar.

43. (CESPE - TRE-MT - Analista Judiciário - Área JudiciáriA) (AdaptadA) Acerca das condições de
elegibilidade e das causas de inelegibilidade, assinale a opção correta.

A) São inelegíveis para qualquer cargo o governador e o vicegovernador de estado e do Distrito Federal (DF), o
prefeito e o vice-prefeito que perderem seus cargos eletivos por infringência a dispositivo da constituição estadual,
da lei orgânica do DF ou da lei orgânica do município, para as eleições que se realizarem durante o período re-
manescente e nos oito anos subsequentes ao término do mandato para o qual tenham sido eleitos.
B) Para concorrerem a outros cargos, o presidente da República, os governadores de estado e do DF e os prefei-
tos não precisam renunciar aos respectivos mandatos.
C) São inelegíveis os candidatos que tenham contra sua pessoa representação julgada procedente pela justiça
eleitoral, ainda que aguardando julgamento de recurso no TSE, em processo de apuração de abuso do poder
econômico ou político, para a eleição na qual concorrem ou tenham sido diplomados, bem como para as que se
realizarem nos três anos seguintes.
D) É condição de elegibilidade para o candidato ao cargo de governador ter idade mínima de 35 anos.
E) Para concorrerem a outros cargos, os deputados federais e senadores devem sempre renunciar aos respecti-
vos mandatos até seis meses antes do pleito.

44. (CESPE - TRE-ES - Analista Judiciário - Área Judiciária - Específicos) Eventual representação julgada
procedente pela Justiça Eleitoral, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão colegiado em
processo de apuração de abuso do poder econômico ou político, não tem o condão de atingir candidato já
diplomado.

www.cers.com.br 8
COMEÇANDO DO ZERO
Direito Eleitoral – Aula 06
João Paulo Oliveira

45. (CESPE - TRE-ES - Analista Judiciário - Área Judiciária - Específicos) Tanto a simulação quanto o desfa-
zimento de vínculo conjugal ou de união estável com o intuito de evitar caracterização de inelegibilidade,
assim reconhecidos por órgão judicial colegiado, geram o reconhecimento de inelegibilidade para qualquer
cargo.

46. (CESPE - TRE-ES - Analista Judiciário - Área Judiciária - Específicos) O recurso administrativo
interposto contra decisão sancionatória de órgão profissional competente que tenha reconhecido a
exclusão do exercício profissional de pretenso candidato, em decorrência de infração ético-
profissional por ele cometida, afasta a inelegibilidade do candidato por tal motivo

47. (FCC - TRE-AP - Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Eleitoral / Desincompatibilização;)
É de 4 meses o prazo de desincompatibilização para candidatar-se ao cargo de Prefeito Municipal de quem
é:

A) proprietário de emissora radiofônica.


B) auditor de finanças públicas.
C) diretor e vice-diretor de escola pública.
D) presidente de partido político.
E) assessor especial de Ministro.

48. (FCC - MPE-PE - Promotor de JustiçA) A respeito da inelegibilidade, considere:

I. É de 6 meses o prazo para desincompatibilização para candidatarem-se Presidente da República dos que tenham
ocupado cargo ou função de direção em entidades representativas de classe, mantidas parcialmente por contribui-
ções impostas pelo poder público.
II. É de 6 meses o prazo para desincompatibilização para candidatarem-se Presidente da República dos membros
do Tribunal de Contas da União.
III. É de 4 meses o prazo para desincompatibilização para candidatarem-se Presidente da República dos que tenham
exercido em qualquer dos poderes da União, cargo ou função de nomeação do Presidente da República, sujeito à
aprovação prévia do Senado Federal.
IV. É de 3 meses o prazo para desincompatibilização para candidatarem-se Presidente da República dos servido-
res públicos, estatutários ou não, dos órgãos ou entidades da administração direta ou indireta da União.

Está correto o que se afirma SOMENTE em:

A) I e III.
B) I e IV.
C) II e IV.
D) I, II e III.

49. (FCC - TJ-GO - Juiz / Direito Eleitoral / Desincompatibilização;)


É de quatro meses o prazo para desincompatibilização, para candidatarem-se aos cargos de Presidente e
Vice- Presidente da República, dentre outros, dos que:

A) estejam exercendo as funções de membros dos Tribunais de Contas da União, dos Estados e do Distrito Fede-
ral, bem como a de Diretor Geral do Departamento de Polícia Federal.
B) estejam exercendo os cargos de Presidente, Diretor e Superintendente de Autarquias e Empresas Públicas.
C) tiverem competência para aplicar multas relacionadas com as atividades de lançamento, arrecadação ou fisca-
lização de impostos, taxas e contribuições de caráter obrigatório.
D) estejam exercendo nos Estados ou no Distrito Federal cargo ou função de nomeação pelo Presidente da Re-
pública, sujeito à aprovação prévia do Senado Federal.
E) estejam ocupando cargo ou função de direção, administração ou representação em entidades representativas de
classe, mantidas com recursos arrecadados ou repassados pela Previdência Social.

50. (FCC - TRE-SP - Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Eleitoral / Desincompatibilização;)
Petrus, professor efetivo da rede estadual de ensino, e Paulus, diretor de entidade representativa de classe
mantida parcialmente com contribuições impostas pelo Poder Público, pretendem candidatar-se a Deputado
Estadual. Tício, Delegado de Polícia pretende candidatar-se a Prefeito do Município onde exerce suas funções.

www.cers.com.br 9
COMEÇANDO DO ZERO
Direito Eleitoral – Aula 06
João Paulo Oliveira

Petrus, Paulus e Tício devem afastar-se de seus cargos, respectivamente, até:

A) 3 meses antes das eleições.


B) 6 meses, 4 meses e 3 meses antes das eleições.
C) 3 meses, 4 meses e 4 meses antes das eleições.
D) 3 meses, 3 meses e 4 meses antes das eleições.
E) 4 meses, 6 meses e 3 meses antes das eleições.

SISTEMAS ELEITORAIS

51. ( FCC - TRE-AC - Técnico Judiciário - Área Administrativa / Direito Eleitoral / Das eleições; )
Adotar-se-á o princípio majoritário, dentre outras, na eleição direta para:

A) a Câmara dos Deputados e Assembleias Legislativas.


B) o Senado Federal, para Prefeito e Vice-Prefeito.
C) as Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais.
D) o Senado Federal e para a Câmara dos Deputados.
E) as Câmaras Municipais, para Prefeito e Vice-Prefeito.

52. ( FCC - TRE-AC - Técnico Judiciário - Área Administrativa / Direito Eleitoral / Das eleições; )
Serão realizadas simultaneamente as eleições para:

A) Prefeito, Vice-Prefeito e Vereador.


B) Senador, Deputado Federal, Deputado Estadual e Vereador.
C) Governador e Vice-Governador de Estado e do Distrito Federal, Prefeito e Vice-Prefeito.
D) Presidente e Vice-Presidente da República, Governador e Vice-Governador de Estado e do Distrito Federal,
Prefeito e Vice-Prefeito.
E) Senador, Deputado Federal, Deputado Estadual, Prefeito, Vice-Prefeito e Vereador.

53. (FCC - TRE-AC - Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Eleitoral / Representação proporci-
onal;)
A respeito da representação proporcional, é correto afirmar:

A) Os lugares não preenchidos com a aplicação dos quocientes partidários serão livremente distribuídos pela Jus-
tiça Eleitoral.
B) Se nenhum partido ou coligação alcançar o quociente eleitoral, serão convocadas novas eleições.
C) Determina-se para cada coligação o quociente partidário, dividindo-se pelos lugares a preencher o número de
votos válidos dados sob a mesma coligação de legendas, desprezada a fração.
D) Determina-se para cada partido o quociente partidário, dividindo-se pelos lugares a preencher o número de
votos válidos dados sob a mesma legenda, desprezada a fração.
E) Determina-se o quociente eleitoral dividindo-se o número de votos válidos apurados pelo de lugares a preen-
cher em cada circunscrição eleitoral, desprezada a fração se igual ou inferior a meio, equivalente a um, se superi-
or.

54. (CESPE - TRE-MT - Técnico Judiciário - Área AdministrativA) Em uma eleição ocorrida no Brasil na
década de 60 do século passado, Jânio Quadros, candidato a presidente da República por certo partido,
elegeu-se, mas teve como vice-presidente João Goulart, candidato por uma aliança oposta àquela que
elegeu o presidente. No atual sistema eleitoral brasileiro, tal situação:

A) seria possível, porque a justiça eleitoral acabou com a verticalização.


B) seria possível, porque a justiça eleitoral não obriga a fidelidade partidária do eleitor.
C) seria impossível, porque a eleição do presidente importa a do candidato a vice-presidente com ele registrado.
D) seria impossível, porque um candidato a presidente com mais apelo ajuda a eleição do candidato a vice-
presidente ligado a ele.
E) seria impossível, porque a fidelidade partidária engloba também os candidatos majoritários

www.cers.com.br 10
COMEÇANDO DO ZERO
Direito Eleitoral – Aula 06
João Paulo Oliveira

55. (CESPE) As eleições para prefeitos, vice-prefeitos e vereadores aproximam-se. Em determinado mu-
nicípio, de acordo com a última pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na data
das eleições, haverá pouco menos de vinte e seis mil eleitores alistados. Considerando que a presente
situação hipotética se concretize, assinale a opção correta.

A) Os partidos de candidatos a vereadores têm a prerrogativa de coligarem-se para o registro de candidatos co-
muns, desde que pelo menos três partidos queiram fazê-lo.
B) As eleições para prefeitos e vice-prefeitos têm de ser obrigatoriamente realizadas na mesma data. Entretanto,
não estão vinculadas ao sufrágio simultâneo para a escolha dos vereadores.
C) Ao final da apuração, serão considerados vencedores das eleições aqueles candidatos a prefeito e vice-
prefeito que auferirem a maioria dos votos válidos, desconsiderando-se os brancos e nulos, desde que ao menos
50% mais um dos eleitores alistados exerçam efetivamente o ato de votar.
D) Nas eleições para prefeito e vice-prefeito do referido município, o número de eleitores alistados em nada inter-
fere no procedimento eleitoral, sendo que, se o prefeito obtiver a maioria dos votos entre seus concorrentes, rep-
resentará, de modo irretratável, sua eleição e a do vice-prefeito com ele registrado.
E) Para concorrer às eleições, os vereadores deverão possuir domicílio eleitoral e filiação partidária deferida na
respectiva circunscrição há pelo menos seis meses antes das eleições.

REGISTRO DE CANDIDATOS

56. (FCC - TRE-AC - Técnico Judiciário - Área Administrativa / Direito Eleitoral / Convenções Partid á-
rias;)
A respeito das convenções para a escolha de candidatos, considere:

I. Se a convenção partidária de nível inferior se opuser, na deliberação sobre coligações, às diretrizes legitima-
mente estabelecidas pelo órgão de direção nacional, nos termos do respectivo estatuto, poderá esse órgão anular
a deliberação e os atos dela decorrentes.
II. Para concorrer às eleições o candidato deverá possuir domicílio eleitoral na respectiva circunscrição pelo prazo de,
pelo menos, seis meses antes do pleito.
III. A escolha dos candidatos pelos partidos e a deliberação sobre coligações deverão ser feitas no período de 20 de
julho a 05 de agosto do ano em que se realizarem eleições.

Está correto o que se afirma APENAS em:

A) I.
B) I e II.
C) I e III.
D) II.
E) II e III.

57. (FCC - TRE-TO - Analista Judiciário - Área AdministrativA) Tício pretende candidatar-se a Deputado
Estadual e completará a idade mínima constitucional de 21 anos no ano em que se realizam as eleições.
Nesse caso, Tício só terá o registro de sua candidatura deferido e só poderá concorrer ao pleito se com-
pletar 21 anos até a data:

A) do registro da candidatura.
B) da posse.
C) da convenção partidária.
D) da proclamação dos eleitos.
E) da diplomação.

58. (FCC - TRE-AC - Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Eleitoral / Do registro de Candid a-
tos;)
A respeito da substituição de candidatos, é INCORRETO afirmar que:

A) a escolha do substituto far-se-á na forma estabelecida no estatuto do partido a que pertencer o substituído.
B) nas eleições proporcionais, a substituição só se efetivará se o novo pedido for aprese ntado até sessenta
dias antes do pleito.

www.cers.com.br 11
COMEÇANDO DO ZERO
Direito Eleitoral – Aula 06
João Paulo Oliveira

C) é vedado ao partido ou coligação substituir candidato que tiver o seu registro indeferido ou cancelado.
D) o registro deverá ser requerido até dez dias contados do fato ou da notificação ao partido da decisão judicial
que deu origem à substituição.
E) é facultado ao partido ou coligação substituir candidato que for considerado inelegível, renunciar ou falecer
após o termo final do prazo do registro.

59. ( FCC - TRE-AC - Técnico Judiciário - Área Administrativa / Direito Eleitoral / Registro de Candi-
datura - adaptadA)
A respeito do registro de candidatos, é INCORRETO afirmar que:

A) o pedido de registro deve ser instruído, dentre outros documentos, com declaração de bens, assinada
pelo candidato.
B) cada partido ou coligação, preencherá o mínimo de 30% e o máximo de 70% para candidaturas de cada sexo,
do número de vagas a que têm direito na forma da lei.
C) a idade mínima constitucionalmente estabelecida como condição de elegibilidade é verificada tendo por refe-
rência a data da posse, salvo quando a idade prevista for de 18 anos.
D) os partidos e coligações solicitarão à Justiça Eleitoral o registro de seus candidatos até as dezenove horas
do dia 5 de julho do ano em que se realizarem as eleições.
E) as propostas defendidas pelo candidato a Prefeito, Governador de Estado e Presidente da República não de-
vem instruir o pedido de registro de sua candidatura a esses cargos.

60. (FCC - TRE-TO - Analista Judiciário - Área AdministrativA) Se o registro do candidato estiver sub judi-
ce, ele:

A) poderá efetuar todos os atos relativos à campanha eleitoral, enquanto estiver sob essa condição.
B) não poderá utilizar o horário gratuito na televisão.
C) não poderá utilizar o horário gratuito no rádio.
D) não terá seu nome mantido na urna eletrônica enquanto estiver sob essa condição.
E) os votos a ele atribuídos não terão validade se não ocorrer o deferimento do seu registro até a proclamação do
resultado das eleições.

PROPAGANDA POLÍTICA

61. (FCC - TRE-RN - Analista Judiciário - Área JudiciáriA) A propaganda eleitoral difere da propaganda
partidária, sendo ambas espécies do gênero propaganda política. As coincidências e/ou distinções entre
as duas espécies de propaganda são:

A) A propaganda partidária e a eleitoral coincidem em relação aos objetivos, uma vez que ambas visam à promo-
ção pessoal de filiados aos partidos, no intuito de alcançar o maior número possível de votos no pleito eleitoral. A
propaganda eleitoral se realiza em momentos pré-eleitorais, enquanto a partidária tem constância permanente.
São regulamentadas por instrumentos normativos diversos.
B) A propaganda eleitoral tem como objetivo primordial o alcance do maior número de votos no pleito, enquanto a
partidária visa à cooptação de militantes e simpatizantes para o partido político. A propaganda eleitoral e partidária
tem período de veiculação concomitante, em períodos predeterminados pela lei. Ambas são regulamentadas de
forma preponderante pela Lei nº 9504/97 (Lei Eleitoral).
C) A propaganda partidária e a eleitoral coincidem em relação aos objetivos, uma vez que ambas visam à promo-
ção pessoal de filiados aos partidos, no intuito de alcançar o maior número possível de votos no pleito eleitoral. A
propaganda eleitoral e partidária tem período de veiculação concomitante, em períodos predeterminados pela lei.
São regulamentadas por instrumentos normativos diversos.
D) A propaganda eleitoral tem como objetivo primordial o alcance do maior número de votos no pleito, enquanto a
partidária visa à cooptação de militantes e simpatizantes para o partido político. A propaganda eleitoral se realiza
em momentos pré-eleitorais, enquanto a partidária tem constância permanente. São regulamentadas de forma
preponderante pela Lei nº 9504/97.
E) A propaganda eleitoral tem como objetivo primordial o alcance do maior número de votos no pleito, enquanto a
partidária visa à cooptação de militantes e simpatizantes para o partido político. A propaganda eleitoral se realiza
em momentos pré-eleitorais, enquanto a partidária tem constância permanente. São regulamentadas por instru-
mentos normativos diversos.

www.cers.com.br 12
COMEÇANDO DO ZERO
Direito Eleitoral – Aula 06
João Paulo Oliveira

62. ( FCC - TRE-RS - Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Eleitoral / Propaganda Eleitoral -
adaptadA)
Considera-se propaganda eleitoral antecipada a:

A) divulgação de debates legislativos, desde que não mencione a possível candidatura, ou se faça pedido de vo-
tos ou de apoio eleitoral.
B) realização de prévias partidárias e sua divulgação pelos instrumentos de comunicação intrapartidária.
C) participação de pré-candidatos em entrevistas no rádio, na televisão e na internet, inclusive com a exposição
de plataformas e projetos políticos, desde que não haja pedido de votos e tratamento isonômico.
D) divulgação de atos de parlamentares, mencionando a possível candidatura, com pedido de votos.
E) realização de encontros, seminários ou congressos, em ambiente fechado e ààe ssasnàpàe sà partidos
políticos, para tratar de alianças partidárias visando às eleições.

63. (FCC - TJ-PE - Juiz) A propaganda:

A) de candidatos a cargos eletivos somente é permitida após o registro da respectiva candidatura junto à Justiça Eleitoral.
B) política mediante radiodifusão, televisão, comícios ou reuniões públicas, qualquer que seja, é vedada desde
setenta e duas horas antes até vinte e quatro horas depois da eleição.
C) de instigação à desobediência coletiva ao cumprimento da lei de ordem pública é permitida.
D) partidária ou eleitoral, em recinto aberto, depende de licença da polícia.
E) partidária que implique oferecimento, promessa ou solicitação de dinheiro, dádiva, rifa, sorteio ou vantagem de qual-
quer natureza não será tolerada.

64. ( FCC - TRE-RS - Técnico Judiciário - Área Administrativa / Direito Eleitoral / Propaganda Eleitoral;)
A veiculação de propaganda eleitoral em bens particulares:

A) deve ser espontânea, mas não gratuita, podendo ser paga pelos partidos políticos, desde que incluída
nas suas prestações de contas.
B) é expressamente vedada por lei, por prejudicar a igualdade entre os candidatos.
C) deve ser espontânea e gratuita, sendo vedado qualquer tipo de pagamento em troca de espaço para
essa finalidade.
D) deve ser espontânea, mas não gratuita, podendo ser paga pelos candidatos, desde que incluída nas
suas prestações de contas.
E) é permitida livremente, com ou sem pagamento, de forma es pontânea ou provocada, em virtude do direi-
to de propriedade.

65. ( FCC - TRE-RS - Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Eleitoral / Propaganda Eleitoral;)
É permitida na campanha eleitoral:

A) o uso de alto-falantes e amplificadores de som ou a promoção de comício ou carreata no dia da eleição.


B) a distribuição de cestas básicas a eleitores, por comitê, candidato, ou com a sua autor ização.
C) a propaganda eleitoral por meio de outdoors, com local e espaço dividido entre os pa rtidos políticos.
D) a realização de showmício para a promoção de candidatos, bem como a apresentação, remunerada ou
não, de artistas com a finalidade de animar comício.
E) a realização de carreata até as vinte e duas horas do dia que antecede a eleição.

66. (FCC - TRE-RS - Analista Judiciário - Área Administrativa / Direito Eleitoral / Propaganda Eleitoral;)
A respeito da propaganda eleitoral em geral, é correto afirmar:

A) É permitida a propaganda através de outdoors, cabendo aos partidos políticos e coligações a distribuição entre seus
candidatos, dos espaços que lhes couberem.
B) A realização de qualquer ato de propaganda eleitoral em recinto aberto depende de licença da polícia e de
comunicação à Justiça Eleitoral.
C) A realização de comícios é permitida em qualquer horário e local, não podendo sofrer qualquer restrição.
D) É vedada, no dia das eleições, a manifestação mesmo individual e silenciosa da preferência do eleitor por par-
tido político, coligação ou candidato, revelada exclusivamente pelo uso de bandeiras, broches, dísticos e adesivos.
E) A propaganda exercida nos termos da legislação eleitoral não poderá ser objeto de multa nem cerceada sob
alegação do exercício do poder de polícia.

www.cers.com.br 13
COMEÇANDO DO ZERO
Direito Eleitoral – Aula 06
João Paulo Oliveira

67. (FCC - TRE-RS - Técnico Judiciário - Área Administrativa / Direito Eleitoral / Propaganda Eleitoral;)
É permitida a veiculação de propaganda na internet,

A) em sítios oficiais.
B) em sítios de pessoas jurídicas, com fins lucrativos.
C) por meio de mensagem eletrônica para endereços cadastrados gratuitamente pelo candidato, partido ou coligação.
D) em sítios hospedados por órgãos ou entidades da administração pública direta ou indireta da União.
E) em sítios de pessoas jurídicas, sem fins lucrativos.

www.cers.com.br 14
COMEÇANDO DO ZERO
Direito Eleitoral – Aula 06
João Paulo Oliveira

GABARITO: 34 – ERRADO
35 – CERTO
1–A 36 – C
2–B 37 – A
3–A 38 – C
4–D 39 – E
5–A 40 – C
6 – ERRADO 41 – D
7 – ERRADO 42 – E
8 – CERTO 43 – A
9 – ERRADO 44 – CERTO
10 – CERTO 45 – ERRADO
11 – CERTO 46 – CERTO
12 – CERTO 47 – B
13 – CERTO 48 – C
14 – C 49 – E
15 – B 50 – C
16 – B 51 – B
17 – D 52 – A
18 – B 53 – E
19 – C 54 – C
20 – D 55 – D
21 – E 56 – C
22 – A 57 – B
23 – E 58 – C
24 – E 59 – E
25 – A 60 – A
26 – D 61 – E
27 – B 62 – D
28 – B 63 – E
29 – D 64 – C
30 – C 65 – E
31 – D 66 – E
32 – B 67 – C
33 – B

www.cers.com.br 15