You are on page 1of 74

Texturas do Sentimento

2

Poesia

Texturas
do
Sentimento

José Cláudio Guimarães

.

Ele não nasceu hoje com este livro. você consegue fazer a única pergunta que lhe ocorre: que po- eta é esse? No entanto. Nessa hora. E a partir dessa leitura o autor surgirá para você. pois confia nos dizeres que o arrastam feito correnteza. Algu- mas portas se abriram por conta de palavras mágicas escritas com a força da suavidade. o poeta sempre existiu. não há um simples questionamento na pergunta. Você quer saber de que matéria-prima ele foi feito. O que você tem em mãos é um registro poético. Você quer saber qual é a fonte. Mas houve uma invasão permitida. a reação só pode ser de entrega. Você vai ler. E no meio da entrega você não se pergunta para onde vai. Esse é o arrebatamento. Você simplesmente permanece no movimento. Você começa a ler e gosta. Sílvio Ferreira Leite Escritor e poeta . É o mesmo arrebatamento que nos deixa mais leves e mais humanos. cuja origem se perde nos mistérios das noites enluaradas e nas declarações de amor que povoam o universo do sentir. Quando o poeta envolve você com a textura do sentimento. Aconteceu de modo sutil. Você não tem como recuar. Pois bem. Deixe-se arrebatar. APRESENTAÇÃO Deixe-se arrebatar! De repente surge o livro de um autor que você não conhece. Você sente que de alguma forma aquela pessoa conseguiu penetrar em um recanto de sua alma. O nome dele é José Cláudio Guimarães. O poeta tocou seu coração e você deixou que ele fluísse para dentro do seu mundo. Você não quer saber exatamente de onde ele veio. mas determinado. Você continua a ler e se encanta.

ISBN 978-1532925801 .SP Editora Campos do Jordão. José Cláudio Campos do Jordão . Catalogação na Publicação (CIP) Ficha Catalográfica feita pela Editora Texturas do Sentimento . 2014 74 p. Edição Digital Guimarães.1a.

Às gerações que vieram e às que ainda virão. ao meu netinho Davi. . aos meus filhos Gabriel e Cibele.

Texturas do Sentimento .

Como chegou um dia. ao despertar. Penetre o meu peito rasgado E anestesie o meu coração. Misture-se ao ar que respiro E entorpeça os meus sentidos. Ofusque os meus olhos Como neblina no sol da manhã. amor etéreo! Vá assim. de mansinho. Traga torpor à minha mente E faça-me ouvir o som do nada. Não quero vê-lo partir.. Ainda terei na boca O gosto amargo da saudade. Texturas do Sentimento AMOR ETÉREO Vá. amor etéreo. Esfrie minhas mãos com o seu éter E torne-as insensíveis ao toque do adeus. 9 .. Vá. Saia de mansinho e me deixe dormindo! Mesmo sabendo que.

Mesmo perdidas. E você. Texturas do Sentimento AMO E NÃO NEGO O meu olhar. Mesmo contida. Mesmo sabendo. Os meus pensamentos. O meu coração. A minha saudade. Ainda contém Saudades suas. Ainda encontram As minhas poesias. Mesmo dispersos. Mesmo doente. Ainda resiste E segue batendo. 10 . Mesmo no vazio. Ainda concentram A sua essência. Ainda insiste E faz que não vê. As minhas palavras. Ainda transborda Muitas lembranças.

  11 . Gotejam na minha alma Adoçando o fluido Que alimenta o meu ser. Quase materno. Os teus beijos doces Como o mais puro mel. Teu abraço apertado Com ternura de anjo Sempre me acolhe. Como se atendesse O meu último desejo. Texturas do Sentimento   AMOR PURO. Teu amor é puro. QUASE MATERNO Essa tua meiguice Renova meu sentimento A cada encontro. Quero sempre sentir Essa tua meiguice E esse amor Sempre puro. Quase materno.

N ossa estrela da manhã O scilando em pleno dia I luminando o próprio sol T eimando com a natureza E provando o impossível. 12 . Texturas do Sentimento BOA NOITE B om seria se o novo dia O usasse ser diferente A manhecendo com a Lua. Durma hoje pensando No amanhã inusitado.

Pois só eu os tenho. Pois só tu os tem. Adeus tu darás aos teus. Tens também os teus E os guarda para ti. Texturas do Sentimento A DEUS Tenho meus valores E os guardo para mim. Viverás com os teus.   13 . Morrerei pelos meus. A Deus levarei os meus.

Mas não me lembro por que Nem me lembro quando. Texturas do Sentimento PEDI O QUE PERDI Sim. Sim. 14 . Só sei que pedi. Por onde ou para onde. eu pedi para amar. Mas não me lembro por que Nem me lembro quando. Não me lembro por que. Sim. Mas não me lembro por que Nem me lembro quando. eu pedi para viver. Só sei que pedi. eu pedi para voltar. Por quem ou com quem. Só sei que pedi O que hoje tenho E que um dia perdi. Nem me lembro quando. Em outros tempos. Se em outra vida.

E ao ver que seus olhos Fitavam os meus Com o mesmo desejo. A nossa razão Com toda certeza Cortaria o desejo.. Seus lábios nos meus. Foi quando meus olhos Romperam o medo E pediram aos seus Um sinal qualquer.. mais uma vez. decidi Que não partiria Sem antes sentir.   15 . Texturas do Sentimento PRIMEIRO BEIJO Mais uma noite E. Breve que fosse. Nossos lábios se acharam E mudos sentiram O primeiro beijo. Suave que fosse. Porém.

Texturas do Sentimento 16 .

Buscava a melodia Tão suave quanto. Pois a sua voz. 17 . Era o que mais tocava O meu coração. Doce e suave. A verdadeira música Tentava existir E resistir. Naquele momento. Mas não conseguia. Texturas do Sentimento MÚSICA DO CORAÇÃO A sua voz. Ao fundo. E ambas flutuavam No pequeno espaço Entre a sua boca E o meu ouvido. Doce e suave.

Texturas do Sentimento DOCE PLÁGIO Oi. mãe. Do “não venha tarde”. Do “se cuide” E das tuas bênçãos. Publicamente.. Nem me fale! Poemas de mãe. Doces plágios!   18 . Eu só queria Registrar. Do “durma com Deus”... Do “vá com Deus”. Que sinto falta Do teu “bom-dia”..

Eras frágil e não sabias. A tornar-te um ser vencível. A ser o que sempre fostes. Mas deu-te certa candura Na maneira de olhar a vida. A fragilidade ensinou-te A precisar de amor e afeto. Das tuas alegres passagens Que antecederam as cinzas. A velhice tirou-te a memória. Como frágeis serão meus filhos. Como frágeis foram teus pais. sabia O que agora sei. Lembra-me o fogo da vida. Antes de partires daqui. Embora nunca soubestes.   19 . Nem eu. nove de fevereiro. Texturas do Sentimento   COMO NOSSO PAI Quarta. te confesso.

Texturas do Sentimento OLHOS DAS ALMAS Embaralhas as cartas E tiras o que queres. Tu sabes. Eu me calo E as almas choram. Eu não vejo. Não enxergas. Tu escreves. Mas as almas leem. Mas as almas veem. Eu não leio. Contas aos outros E falas o que queres. Tu falas. Eu não ouço. Choras aos outros O que não tens. Mas as almas ouvem. Escreves cartas Para quem queres.   20 .

Texturas do Sentimento DESTRUIDOR DE SONHOS Eu me rendo. Por mais que meus olhos rejeitem Ou perturbem minha alma aflita. Mas se o remorso bater à tua porta. Seguirei os traços da tua escrita. desígnio malvado! Se prometeres ser complacente. Eu me entrego. pouco me importa. Noite após noite. destino insistente! Entrego a minha vida de sonhos Ao teu caminhar persistente. sentir.   21 . Que minou as minhas forças. dia após dia. Quero o meu livre-arbítrio de volta. Prometo deixar os desejos de lado. Mesmo que tarde. ouvir e sonhar. Curvo-me à tua cruel valentia. Um pouco da vida ainda vai me restar Para amar.

o destino. E o amor assumido Sentiam desejos Em momento de encanto. Trocavam beijos. Em comunhão Já mostrou-se cansado Com a paixão. Feita inteira Gravou os momentos De madeira. A chuva caía E houve a promessa. Eterna companhia. Entre prazeres Como o anel esquecido. Um anel dourado. Nos sentimentos.. E doces dizeres. Perto do asfalto. No seu telhado Que o anel lhe faria Avermelhado. Texturas do Sentimento DESTINO E PROMESSA Era uma casinha. 22 . Só ele e ela. Num adeus repentino. Sem nada gravado.. De teto alto. E mansa escorria Feita sem pressa. Desse anel dourado. Foi deixado num canto. Dentro dela Mas hoje.

. Eu ainda volitando No orgasmo estratosférico. Formando imagens brancas Retocadas de dourado.. Chão prateado do espaço. 23 . Fiquei sentado em Vênus. Texturas do Sentimento ENTRE O CÉU E A TERRA Traços do teu lindo rosto Ficaram nas nuvens do céu. Após o nosso amor de ontem. E os traços do teu rosto Já refletiam no espelho Rosto de nova maquiagem. Depois que lá me deixastes. Como somos diferentes.

. 24 . Concorde. Espero que.. Texturas do Sentimento A SAUDADE QUE VOA O bom da saudade É ver a ânsia de voltar Embarcando de avião.

Entenda. Não fale. Ensaie. Intua. Deslize.. Emane.. 25 . Antes de fazê-lo. Sussurre. Texturas do Sentimento   NÃO! ENTENDA! Não corra. Não vá. Não toque.... Não! Espere. Não beije. Não pense. É apenas uma forma De sentir o amor..

com mil batimentos. Estopim dos meus desmazelos. Nitroglicerina das tuas vaidades. Me acendo em teu velho ciúme E explodo nos meus sentimentos.   26 . Na fórmula de farto azedume. Salitre das minhas inverdades. E imerso. Texturas do Sentimento UNABOMBER Faço pólvora dos teus apelos.

O coração que ama Só profetiza bonanças. 27 . Quando se enfurece. Escala montanhas. Texturas do Sentimento CONTRAPONTOS Vento sutil e suave Balança folhas. Onde o amor vê E o ódio prevê. Se move em tornados E alimenta furacões. Leva nuvens brancas A passear no céu. Traz as nuvens negras Das tempestades. Contrapontos.

Texturas do Sentimento 28 .

Aflora.Texturas do Sentimento MAREMOTO Flui a paixão Sob tua pele Em fortes ondas. Arrebenta aqui fora E invade o meu ser! 29 . Maremoto interno. Sem praia deserta Pra te arrefecer.

E os meus pensamentos. O corpo. Texturas do Sentimento FORA DO CORPO Os ruídos da rua E o clarão da janela Despertam o meu reviver. Entre as portas abertas Que o sonho(?) deixou Ao sair de mansinho. No velho enredo.. 30 . Procuram sem medo. sem querer. Resgata o meu ser Em movimentos Desconexos e lentos. Extrair o segredo Do novo caminho..

Espelho meu. Descubro-me. Espelho da carne. Encontro nos outros Minha inspiração.. Fazendo lá Não sei o quê.. Procurando valores Que não são meus. afinal. Para transformá-los Na mais pura poesia. Texturas do Sentimento ESPELHO TEU. Espelho da alma. Aquilo que sou. ESPELHO MEU Ando quilômetros Com o pensamento Por todos os cantos. Vendo nos outros. Existe alguém Mais cego do que eu?   31 .

Entre dentro do espelho E se abrace apertado Como um velho amigo Que há muito não se vê. Se ficarmos apenas olhando Para o nosso rosto cansado. Embora perto de sua memória. Não mais poderá ser tocado E muito menos retocado. Pois o passado. Pois nossos males interiores Cruzarão conosco o oceano. Texturas do Sentimento ABRACE-SE Não adianta ir para a China. mesmo recente. Contando marcas no espelho. Enfrentarão mil tormentas. Revivendo dores de cicatrizes. Também não adianta ficar. os nossos tormentos. E nós. E vençam juntos Os seus reflexos!   32 . Não adianta querer voltar.

Não me agradeça. “Eu bem que tentei”. Sem remorsos. Eu apenas lhe dei um motivo Pra que eu também Pudesse entender A sua frieza Sem remorsos. Eu apenas lhe dei um motivo Pra que você Apagasse o passado Da sua lembrança Sem remorsos. Não me agradeça. Não me agradeça. Eu apenas lhe dei um motivo Pra que amanhã Você possa dizer. Eu apenas lhe dei um motivo Pra que hoje Sua indiferença Encontrasse uma razão Sem remorsos. 33 . Texturas do Sentimento NÃO ME AGRADEÇA Não me agradeça.

Texturas do Sentimento

CINCO SENTIDOS

Hoje vi o amanhecer...

Ouvi pássaros cantando,
O balançar da folhagem.
Senti cheiro de café,
Das folhas de eucalipto.
Vi a bruma se dissipando,
O Sol amarelecendo o céu.
Senti arrepios com a brisa fria,
Com a grama úmida nos pés.
E, distraído,
Surpreendido por um beijo,
Senti, no gosto da sua boca,
O quinto sentido que faltava.

34

Texturas do Sentimento

FÊNIX E O POETA

Pássaros e ninhos voaram
Em ventos descomedidos,
Deixando os poetas perdidos,
Entre “penas” que restaram.

Porém, mesmo aturdidos,
Quando os ventos cessaram,
Sentiram-se persuadidos
Por mãos que lhes acenaram.

Das cinzas,(re)nasceram,
Do solo, (re)voaram.

35

Texturas do Sentimento

FRAGRÂNCIA DO ENVELHECER

Envelhecemos.
O corpo sente,
Mas a vivência
Envolve o coração
Como o carvalho
Faz com o vinho rubro,
Que se encorpa imerso
Em suave fragrância.

Nos entorpece,
Nos deixa felizes,
Amantes vorazes,
E muitas vezes
Afoga as mágoas
Das desilusões.

Feche os olhos,
Sinta o buquê
E beba na fonte...

Mas aprecie
Com moderação!

36

Quero teus loucos gemidos Pedindo o que sempre foi teu. Teus lábios umedecidos. Dando o que sempre foi meu Entre corpos comprimidos. Texturas do Sentimento ÊXTASE Quero deixar-te sem fala. A única coisa que peço É o cessar da nossa razão. Teus seios endurecidos E teus entremeios molhados. Entregue pelo fascínio Desta paixão sem escala. E no clímax da paixão. Quero teus olhos fechados.   37 . Num êxtase sem recesso. Sem o menor raciocínio.

eu posso voar! 38 .. Que cerceia o meu voo E aprisiona minha alma. Sim. Queria poder pôr o sol Quando bem entendesse E conhecer as mil noites Dos quatro cantos da Terra. Poder vigiar o tempo. Assistir tempestades de longe. Todas elas no mesmo dia. Mergulhar em suas bonanças. E em meio a esse delírio. Texturas do Sentimento LIBERTA! Escravo é o que sou Deste velho corpo denso. paro e descubro..

por certo. Das experiências vividas. Sem jamais descartar A experiência da dor. Deve ter o coração aberto Para o conhecimento velado. Do transcendente passado. Sua essência de amor Guardará cada valor Até o seu despertar. Se um dia olharmos a flor.   39 . Alegrias e mágoas sofridas Pelo espírito reencarnado. Não será o agudo espinho Que barrará no caminho O sentimento interior. Texturas do Sentimento ESSÊNCIA DO NOSSO EU Nossa essência. Tentando sentir seu calor Ao tocá-la devagarinho.

Texturas do Sentimento 40 .

Num disfarce Perfeito! Eu e você? Quem sabe? Ao nascer do Sol Fugiremos. Eu me cubro De água. Texturas do Sentimento CIRCUNSTÂNCIAS Noite escura Ao relento. Cada um Para o seu lado. Em gotas. Pois somos fiéis Um ao outro. Quando nos vemos Na nitidez Do dia. Sem sol. A bruma Se move Lentamente Ao encontro De perfis Estáticos. Sem vento. 41 .

Repulsa e afinidade. Texturas do Sentimento DESPERDÍCIO DE INSPIRAÇÃO Poema aramado Todo cercado Com arame farpado. Paz e ansiedade.. Do dom da inspiração!   42 . Ódio e amizade. Lentidão e velocidade.. A poesia com maldade.... Presença e saudade. Imaginação fértil. Lerdeza e agilidade. na verdade.. Maldade erétil Mentira e verdade. Decisão e ambiguidade. Momento e eternidade. Desperdício. . Instinto réptil. Preguiça e vontade. Diabo e trindade. É extrema distorção Do amor da criação.

Se a criança nascia.. O dia surgia E o poeta escrevia. A flor florescia. Eterna busca que não se aquieta. Junto ao teu dom maior de poeta. . 43 . Texturas do Sentimento   ESSÊNCIA DAS RAZÕES Queres saber a razão das partidas Daqueles que um dia aqui estiveram? Queres saber por que cessam as vidas. Que traz a essência dentro de si.. Sem levar em conta o bem que fizeram? Tuas respostas estão dentro de ti. Nos poemas feitos aqui e ali. Nascerão outros versos de pura poesia. Que não estavam amadurecidas... Da mão do poeta na morte de um dia.

Texturas do Sentimento QUEM SABE? Eu sabia. Já o sábio. Tu sabias. Não sei. 44 . Nós sabíamos.

Texturas do Sentimento   ORGULHO DE POETA Inconsciente coletivo. Fazer poema Está na maneira Como organizamos O que extraímos Da fonte universal. Energia impregnada E ondas sonoras Que pairam no ar. Meros plágios De um único autor. Registro akáshico. Orgulho de quê? 45 .

Razões aperfeiçoadas. Não fazíamos o que queríamos. Filhos e pais.   46 . Pais e filhos... Texturas do Sentimento MEU TEMPO ERRA DIFERENTE Falamos hoje o que ouvíamos. Experiências impostas Com fraturas expostas. Teimosias perpetuadas. Mas tudo o que conseguíamos Envolvia certa competência Com um toque de inocência. Mas parte do que nos diziam Caiu por terra com a vivência E o crescimento da ciência.

47 .Texturas do Sentimento ANO NOVO Que o amor Nos seja pleno. Ostensivo. E a felicidade Ávida Como a vida Nos tem sido.

É de ver-se no espelho Encarando seu parelho E aumentando seu quilate. Numa breve reflexão Do teu êxodo em vida. Feliz Páscoa! Irmãos. Ateus. De livrar os velhos cegos Que vagam na escuridão. Texturas do Sentimento PÁSCOA Não é dia de coelho Ou ovos de chocolate. Judeus.   48 . Cristãos. Da madrasta escravidão Imposta pelos seus egos Em busca de nutrição. Verás terra prometida Na tua ressurreição.

. Maria.... Jesus. E endereços ocultos. a esperança. Sem e-mails animados Com céus estrelados “Aquela caixa dourada. Sem ter de comprar Por fim. Paro e penso um instante. Ponho a caixa e vejo dentro Tudo o que foi guardado. José. foi diferente. Este ano.. O cenário quase inteiro.. o celeiro. 49 .... Em taça de cristaleira. Com fita prateada Ainda está na estante?” Sem a ceia costumeira Com frango recheado Pego-a com cuidado. Belchior e Baltazar?” Sem missas e cultos De sermões seriados. Que chegou de repente O amor incondicional E se esqueceu de avisar. Sem sinos tocando. neste ano. Vou tirando ligeiro. De bacon entremeado E espumante gelado Vou até a mesa de centro.. “Onde foi mesmo que pus Um Natal diferente. Ponteira de cristal E luzinhas piscando. Acho que finalmente.. De uma simples criança. Aquele último presente Do distante parente A peça principal. Gaspar. Sem ter de montar Aquele presépio com luz. Sem árvore de Natal Com neve artificial.. Os animais. Texturas do Sentimento MEU PRESÉPIO Eu queria.

Se mesmo assim achar que errou. 50 . Enquanto isso. Ajudarei a consertar depois. apenas venha.. E sinta nós dois.. Texturas do Sentimento   APENAS VENHA Se eu fosse você. viria correndo E esqueceria essa preocupação tola De não mais ceder a quem te seduz. Ninguém ama sem querer Ou é amada sem perceber.

Ver de novo o Sol se pôr. Texturas do Sentimento QUEBRANTO Ah. Luto contra um quebranto Que já secou o meu pranto De tanto chorar minha dor. Na paz do teu acalanto. Envolto num velho manto De lã cheirando a bolor. Pois hoje aqui no meu canto. eu queria tanto. 51 ...

Texturas do Sentimento 52 .

Que se incorporam à essência do meu ser. Quero perceber. Sobre os teus questionamentos da vida. E as palavras que saem do meu coração Sempre a levam. Antes que molhem teu rosto. Antes mesmo de ouvir o som da minha voz. um dia. sem disfarces. Quero ter a capacidade De unir sentimentos dispersos E transformá-los nas tuas verdades. mas não me pertence. 53 . dos meus olhos. Sou uma energia viva Carregada de sonhos. Sobre as tuas descobertas precoces e tardias. Quando eu disser que te amo. Que me habita. Verás a verdade chegando Na velocidade da luz. O que escrevo flui dessa essência. O teu olhar pedindo o meu abraço E as tuas primeiras lágrimas Molhando os meus ombros. Que a poesia foi apenas um pretexto Para que eu pudesse escrever a história da tua vida. ao primeiro sinal de tristeza. Texturas do Sentimento PRETENSO POETA Não sou poeta. vivências e emoções. Quero escrever sobre os teus sonhos e vitórias. E notarás.

Texturas do Sentimento CRETINA ROTINA LATINA Nasce a manhã. Sinto uma vontade imensa De voltar meia hora no tempo. abro os olhos E. Dos “bons-dias” aos “tudo bem”. Fazem com que eu ganhe a rua Sem saber como cheguei a ela. Os pensamentos se espreguiçam Sem o peso da responsabilidade Sobre os ombros que ainda dormem. E do “estacionar” ao “entrar”. E cai a noite. com eles. Sem nem mesmo lembrar Da marca da pasta de dentes.. Ações programadas à força. sem lembranças. Do fast-food ao bicarbonato. Pela mesmice do cotidiano.. Até quando eu ainda dormia E minha alma vagava livre. Visito os cantos do quarto.. Sem memória. A mente se engata nos sentidos E minha seletividade auditiva Extrai do uníssono O barulho das correntes humanas Que se arrastam como o próprio dia.. Dos cafés aos comentários. Das cobranças às desculpas. Da reunião das 9 às 9 reuniões. sem levantar-me. Do segundo tempo aos acréscimos. Mas justo em cima de mim? 54 . Até que um durma e o outro chegue.

já preparada. Dotada de pura inocência. Vai somando experiência E ganhando competência Pra nunca ser comprovada? Minha mente. Tem outra questão bem ousada: De que vale a consciência E uma vida bem acertada. Quero morrer neste verso De conteúdo extroverso Imerso na sua essência. Mas acho muito perverso Esse seu modo reverso De programar a vivência. Peço a sua clemência E pergunto. 55 . talvez enganada. Num corpo já sem consistência? Peço então à providência Com certa antecedência: Após a minha vivência Neste mundo adverso. Se no meio da jornada Sofre a mente. Texturas do Sentimento ÚLTIMO DESEJO Desculpe a irreverência Com o criador do universo. por desconhecimento: A criança que vem animada.

Nada encobre tua fragrância. Tudo me lembra o teu cheiro. Do meu roseiral inteiro! 56 . Texturas do Sentimento   FRAGRÂNCIA DAS TUAS RAÍZES Nas raízes da tua rosa Sinto um gostoso perfume Junto ao odor de curtume Da terra que te fez formosa. Nem mesmo a exuberância.

quanta displicência! Tenha a santa paciência!   57 .. Ela não para de chamar. Digo. Poeta. que estou ocupado? Deixa de ser criança! A gente só percebe A besteira que falou. Perdendo a inocência. Quando a inspiração Deixa de ser criança E cresce sozinha. Perguntando como criança: − Por que não escuta agora? E o nosso pensamento De resposta automática: − Não vê que sou culpado.. Quando estamos ocupados Nos escondendo da vida. Texturas do Sentimento SANTA PACIÊNCIA! Impaciente essa inspiração Que fica cutucando a gente.

Texturas do Sentimento INSTINTOS CONTIDOS Abrigos em nossas mentes Hospedam velados instintos Como se fossem indigentes. Mas a vida nos fez tão cegos. Que a força dos nossos egos Os deixa sempre invisíveis. 58 . Expondo suas bocas desdentadas E lábios marcados por feridas. velhos e famintos. Com vozes roucas e cansadas. Surdos. Impulsos que se dissimulam Nos limites da estreita razão São mãos débeis que tremulam Esmolando pedaços de pão. mudos e insensíveis. Balbuciam palavras repetidas. Pobres.

Cavalga o meu desejo E me segura forte no teu. Mais que um mero lampejo. Que saberei não cansar. Pois no crepitar do ensejo. Monta meu corpo em pelo E pode dele fazê-lo O que o amor imaginar. 59 . Almejo o eterno apogeu. Texturas do Sentimento ETERNO APOGEU Sufoca-me com teu zelo.

Terra. Dá-nos luz e discernimento! O jovem Enamorado. Dá à alma que agoniza A paz da espiritualidade. o libertador. A Justiça nos faz entender Que no peso de cada ação A balança deve pender Para o lado da razão. Texturas do Sentimento OS 22 ARCANOS O Mago da natureza Exibe em forma de jogo. Que corta o laço materno. Seu destino é a liberdade. sábio Sumo Sacerdote. A influente Sacerdotisa. Seu desejo. na verdade. Oh. Antes que o mal nos derrote. E ensinam que a fome e a dor São sofrimentos passageiros. Símbolo da imortalidade. Repousados sobre a mesa. água. Busca o amor açorado. Para que seja eterno. A vontade de seu condutor. 60 . Imperatriz e Imperador Geram e criam seus herdeiros. Grande voz do conhecimento. ar e fogo. O Carro conduz.

Texturas do Sentimento O Ermitão se isola do mundo Para rever o seu próprio eu. A Temperança realizadora É a força da purificação. E num mergulho profundo Percebe o que não percebeu. A alquimia que sintetiza O poder da transformação. A Morte nos faz renascer Com a purificação do fogo. Que do passado retira A herança da geração. O Diabo traz o oculto. Que perturba a nossa mente. É caminho de labirintos Sem saída para encontrar. Para um confronto adulto Com o que nos faz impotente. A Roda da Fortuna gira Como um ser em evolução. A Força dos nossos instintos. 61 . É quando a fé se confronta Com a grande transição. Pois das cinzas vamos crescer Para a nova etapa do jogo. Que nos faz agir sem pensar. O Enforcado nos aponta O sentido da iniciação.

O Mundo é o fim da jornada. É a vida com esplendor. senão. O Louco segue adiante. O fim da busca incessante. ao contrário. A Lua nos faz mergulhar Nas profundezas da dor. É toda leveza do amor. O Julgamento é necessário No confronto de valores. A Estrela é inspiração. É a premiação almejada. É o espírito em ascensão. Um cavaleiro errante Movido pela aventura. Na qual não estamos sozinhos. Para voltar a crescer. 62 . Quebra a estrutura do ser. E descobrir ao chorar A nossa força interior. O Sol ilumina os caminhos Da jornada espiritual. Que une os lados distantes. Na sua eterna procura. Pois. Rompe com as relações. Texturas do Sentimento A Torre destrói padrões. De nada valeram as dores. Como num grande ritual.

Texturas do Sentimento 63 .

Boca que fala. Braço que abraça.. Corpo que anda. Às vezes mal passada. Mãos que se afagam. Olho clínico.. Corpos que se unem... Boca que canta. Uma carne temperada.. Mão que tira. mais do que tudo. Mão que dá. Braços que se dão.... Bocas que se beijam. Texturas do Sentimento   CARNE Somos carne. Braço que apoia. Olho mágico. Mas recheada de emoções!   64 . Olhos que se olham.. Corpo que cai....

. Já meio cansado De carregar emoções Em doses alternadas. Das fortes às sutis. Das fatais às banais. Texturas do Sentimento PURÊ(ZA) DE CORAÇÃO Meu coração. Mais parece uma batata.. Ficou tão diferente Do de antigamente. Que não há tomógrafo Que consiga mostrar Seus novos contornos Ou mesmo registrar Cardiograficamente Essas alterações. Mas em forma de purê! 65 . Perdeu aquele formato Dos desenhos de criança.

66 . tomarei mais dez.. Até às nove . Após sete doses De um oito anos. Texturas do Sentimento CONTAGEM Um quarto. São três horas E quatro minutos. . À meia luz.. Os cinco sentidos Unem-se ao sexto. Um só desejo Em dois corpos...

Sua saída da festança. não sei. Fazer amor? Como? Pensei! Como é que eles fariam? Que materiais usariam? Quais ferramentas. com voz de tenor. Durante uma festa na vila. quando pequeno. Pra poder ficar escutando O que o velho tava falando Pra bela mulher do Alberto E acabei presenciando Um fato que não era certo. Texturas do Sentimento O QUE É FAZER AMOR? Uma vez. O senhor falava pra ela Que no final da novela Depois do patrocinador Iria pra casa dela Pra beijá-la e fazer amor. Baixinho. Um senhor que tava na fila Da barraca do Nazareno Olhou pra dona Priscila E fez um gesto obsceno. Sem que fosse descoberto. Muito abelhudo. Nove meses se passaram E um bebê me fez entender O que esse senhor foi fazer Na casa em que se encontraram. Fez nascer uma criança E um par de chifres no Alberto. 67 . fui lá perto.

Texturas do Sentimento .

frustrado. “Ver de novo a Lua nascendo. Alegre como a criança Já com saudades da vida. E muito desapontado.” Retoma seu voo. Lá de baixo. Mas continua a viagem Curtindo. E vai atrás da recompensa. logo pensa. Texturas do Sentimento A VOLTA DO POETA Um poeta morre de velhice De repente. Posso ver jogo de bola E fica prestando atenção. De ver-se logo no espaço. Que dá seu primeiro passo. Em busca do céu esperado Contando cometas descendo Ou de uma bela paragem. sentado no chão. Faz a volta apressado. só areia amarela? Sem ter de pensar em trabalho. Na frente do pobre coitado. se consola: Sua fonte de inspiração. Vista da Terra. “Sem os desejos da carne. Passa pertinho da Lua. Até a próxima encarnação. menos densa. Dá adeus à terra densa. Para um pouco. E ficar olhando pra cima E daqui. leva um susto E vai para o céu apressado.” 69 . Despede-se do cachorro Isso é uma estrela cadente. À sombra de um belo carvalho Mais poética. Pois acha que seria tolice Um cometa passa justo Ver seu corpo sendo enterrado. que diferença! “Escrever poemas com rima A Lua é muito mais bela. Voa rápido na esperança De maneira decidida. Sua luz é mais intensa Voando por cima do morro. E curtir meu desencarne”. Mesmo morto. E é quase atropelado. E atende os desejos da gente. flutua.

Decrépito e contraventor. Segundo o guarda Tião Da guarita aqui do lado. Beijar no muro encostado. Olhar como assanhado. Me faria ser multado Sem direito a revisão. Morre de tesão por ela. Que até já fizemos amor. Não seria só pecador. E segundo o padre Sião Da igreja aqui do lado. Texturas do Sentimento   O PECADO MORA AO LADO Olhar pra você é pecado. 70 . E teria de sair da cidade. Nem com bom advogado Eu sairia da prisão. Eu seria excomungado Sem direito a remissão. Pois o padre é tio dela. Segundo o Zé Escrivão Da cadeia aqui do lado. Se eu contasse a verdade. E o guarda aqui do lado Embora seja casado. O Tião seu namorado.

laço. Sem computador e televisão. Sem nem pensar na segunda. Se neste domingo perfeito. sem cansaço. E mato o palhaço..... 71 . Texturas do Sentimento MATO E PALHOÇA Cá estou. Caço. Algum candidato a prefeito Promover um estardalhaço Aqui no meu doce regaço. Sem Fórmula Um ou Faustão. Longe dessa política imunda.

Texturas do Sentimento 72 .

Tem a igual e triste sina Da outra que se assemelha. qual é fêmea? A que é univitelina. Prefiro as muitas surpresas De uma alma inesperada. Quando uma a outra abraça. 73 . Fruto da mesma centelha. Pra mim é prova autêntica Do mais puro narcisismo. Pois alma de igual pra igual É pra um tipo de gente Que gosta da vida sem sal. por favor. À procura de um amor. Qual é macho. Texturas do Sentimento   Heresia à alma gêmea Não há coisa mais sem graça Que namoro de alma gêmea. Se achar a minha vagando. Beijar sua gêmea idêntica Não demonstra romantismo. Diga que já estou amando E fique com ela. Do que todas as certezas Da gêmea predestinada. Quero a minha diferente.

Agora. incentivado por parentes e amigos.” Contato: petrusfalcin@gmail. O que escrevo flui dessa essência. nasceu em Santos e mora há 15 anos em Campos do Jordão.. encorajo todos aqueles que escrevem a fazerem o mes- mo. Apenas tenta man- ter a necessária humildade que os mantém em sintonia com a fonte inspiradora “Não sou poeta. decidiu fazer esta pequena coletânea poética. Não se preocupem. em nossas almas. sem disfarces. José Cláudio Guimarães é publicitário. mas não me pertence. e as palavras que saem do meu coração.com © 2016 . Somos meros cana- lizadores conscientes da Fonte Única Universal. Escreve crôni- cas e poemas desde 1999 com o pseu- dônimo Petrus Falcin e jamais pensou em publicá-los. vivências e emoções que se incorporam à essência do meu ser. com este livro. nada é assim tão nosso.. sempre a levam. Por isso. Sou uma energia viva carregada de sonhos. que me habita. Essa concepção do processo de inspiração não desmerece os poetas e nem os transforma em médiuns inconscientes. Todos somos poetas em nossas essências.José Cláudio Guimarães .