You are on page 1of 20

Ano 2 Nº 15 - 2018

5 8 14
Venha e 4 navios, Jogando
ajude! 4 décadas limpo
Inscrições abertas • Início das aulas: 28 de Janeiro
5 Venha e ajude!

6 Restauração do ministério, vê fruto

7 Com fome e sede pela verdade

8 Quatro navios, quatro décadas

11 Jogos, experimentos e histórias da Bíblia

12 Da Argentina à África

14 Jogando limpo

16 Ore

18 Doe

19 Vá

3
Você pode ser a chave
para levar crianças
do mercado
de cigarros para
a sala de aula.

Ore. Contribua. Se envolva.

www.om.org.br/trabalhosodaescola
trabalhosodaescola@om.org
4
Por OM Internacional - Tradução de Rodrigo Mendes - Revisão Alana Romão

M
urat*, um crente turco, cuncisão pelo professor religioso. seu amigo as visitam em suas casas.
ministra no centro da Tur- Garotas adolescentes enfrentam um Durante uma visita, Murat comparti-
quia entre refugiados de perigo muito real de estupro e viola- lhou a Palavra de Deus e distribuiu
vários grupos de pessoas. Ele vê mui- ção. alguns cartões de supermercado pré-
tos, inclusive que falam árabe, procu- pagos. Murat falou depois com um
rando ansiosamente saber mais. Sem Como visitante regular, Murat cons- rapaz, contou-lhe sobre Jesus e expli-
equipe, seu alcance é constantemen- truiu amizades e conquistou a confi- cou quem era João Batista. O homem
te limitado. ança das pessoas. Ele é ajudado por ouviu atentamente, depois quis orar e
um refugiado local caldeu que se tor- aceitar Jesus. Ele ficou muito grato
Durante uma visita a cinco cidades nou crente e foi batizado. Infelizmen- por ter uma Bíblia em árabe. Por favor,
em março, Murat visitou famílias cal- te, seus filhos não vão à escola e ele e a ore para que mais pessoas encontrem
deias do Iraque que buscaram refúgio família esperam ansiosamente um Jesus de uma forma poderosa.
na Turquia. Cem anos atrás, seus visto para outro país.
ancestrais tinham que fugir da perse- Em cinco dias Murat distribuiu 400
guição religiosa na Turquia. Depois de Em duas das cinco cidades, Murat visi- Bíblias! Pense em quanto poderia ser
décadas pacíficas no Iraque, eles ta uma sala de reuniões onde os refu- feito se Murat tivesse mais pessoas se
agora se encontram de volta à Turquia giados de língua farsi e os crentes tur- juntando a ele para compartilhar a
depois de fugirem do ISIS. cos têm comunhão. Nas outras cida- carga de trabalho. Há uma necessida-
des ainda não há uma irmandade de urgente, em especial, das famílias
Devido à discriminação étnica, os local, então quando Murat chega as de trabalhadores que falam árabe em
homens não conseguem encontrar pessoas se reúnem em uma casa. Às cada uma das cinco cidades que
trabalho regular. Quando o fazem, vezes, há duas reuniões por dia na Murat visita. Murat visitou essas
recebem pouca remuneração sem um mesma casa, com 60 a 70 pessoas em cinco cidades por quatro anos sem
salário acordado. cada reunião! Cada um deles quer colegas de trabalho. A colheita é abun-
ouvir e eles escutam atentamente a dante, mas os trabalhadores são pou-
Se eles questionarem essa prática não Palavra de Deus. Eles pedem a Murat: cos!
serão empregados novamente. Em "Por favor, venha com mais frequên-
razão dos custos, muitas vezes ape- cia, mesmo sem os vales de compras *Nome alterado por segurança
nas uma criança da família pode fre- que você traz!”
quentar a escola. A Turquia conta com uma
Há também famílias Yazidi que família brasileira atuando.
Os meninos são ameaçados de cir- ouvem a mensagem quando Murat e

5
A
Por OM Internacional - Tradução de Rodrigo Mendes - Revisão Eunice L. Amaro
OM reiniciou seu trabalho ram níveis mais altos de educação. sem por ela, ela poderia ser curada.
em uma cidade no norte do Por causa disso, Adil ficava muito tími-
Paquistão depois de um do e com medo de ler a Bíblia na fren- A equipe orava regularmente com
intervalo de vários anos. Durante os te dos outros. A equipe da OM enco- Irum por sua amiga. Duas semanas
10 anos anteriores do ministério na rajou-o a ler a Bíblia em casa e disse- depois, Irum entrou, animadamente,
cidade, a equipe enfrentou inúmeros lhe que Deus o ajudaria a ganhar con- na igreja, e atualizou a equipe, dizen-
desafios em seus esforços para alcan- fiança. Eles também lhe disseram que do que depois do exame médico, sua
çar o povo pashtun. De acordo com o não importava se ele pudesse ler a amiga estava livre do câncer. Ela dis-
Projeto Joshua, o povo pashtun é um Bíblia na frente de outros estudantes se: “Minha amiga está feliz por Deus
dos povos menos alcançados pelo ou não. ter respondido às nossas orações e
evangelho em todo o mundo. À medi- sua fé ter aumentado”. A equipe lou-
da que a equipe da OM vivia entre as Depois disso, ele relaxou e foi incenti- vou a Deus e incentivou Irum a com-
pessoas e procurava compartilhar vado. Agora, ele é um membro regular partilhar o plano de salvação de Deus
sobre Jesus, eles enfrentaram avisos do grupo de estudo da Bíblia e até com sua amiga também. Os membros
e ameaças de grupos para interrom- chega antes dos outros. Ele agrade- da equipe agora estão preparando
per todas as atividades do evangelho. ceu à equipe por sua motivação. Adil Irum para compartilhar sua fé.
Depois disso, o ministério parou. Ago- disse: “Agora estou confortável
ra, com uma nova visão, a equipe da durante o estudo e consciente do que Louve a Deus pela equipe que está ser-
OM formou pequenos grupos de dis- estudo. Comecei a ler a Bíblia em casa vindo, apaixonadamente, nessa
cipulado nas igrejas locais e está trei- e muito em breve poderei ler a Bíblia região e pelas oportunidades de com-
nando os crentes para serem discípu- na frente dos outros.” partilhar o evangelho entre os pash-
los de Cristo e se empenharem em tuns menos atingidos. Ore pela classe
orar pelos menos alcançados. Em outra área, há 75 homens e mulhe- de estudo da Bíblia e pelos participan-
res reunindo-se, semanalmente, para tes do movimento de oração para
Cerca de 70 jovens, entre homens e aprender com a palavra de Deus. A encontrar Deus e ter relações íntimas
mulheres, fazem parte dos grupos de equipe se reúne para orar em uma com Ele para uma grande mudança
discipulado. Um deles é Adil*, um igreja local. Irum*, uma enfermeira, nessa região.
jovem de 18 anos que trabalha em pediu à equipe que orasse por sua
uma oficina de motores como mecâni- colega e amiga. Ela disse que os médi- *Nome alterado por motivo de segurança
co. Seu maior nível de educação era o cos haviam diagnosticado câncer em
ensino médio. Outros estudantes do sua amiga. Ela estava preocupada,
grupo de estudo da Bíblia completa- mas tinha fé que, se os cristãos oras-

6
Com fome e sede pela verdade
Por Simon Marijani - Tradução de Rodrigo Mendes - Revisão Eunice L. Amaro

Um olhar superficial sobre a paisa- nhada com Cristo. Ele, no entanto,
gem aberta do Zimbábue, frequente- O homem das roupas, no entanto, encontrou desafios, pois não tinha
mente, revela homens de barba longa tinha mais surpresas. As pessoas que Bíblias para dar a cada crente, para
e cabeça raspada, sentados em frente vieram a Cristo mostraram uma fome que estudasse por si mesmos. Foi
à mulher com lenço na cabeça, usando profunda e uma ânsia por mais. "Eu quando o pastor Tafara se lembrou de
roupas brancas compridas. Conheci- não podia acreditar, porque, de que sua paixão havia sido gerada
dos como Vapostori (Apóstolos), os repente, eu tive uma grande multidão durante uma campanha da OM, quan-
encontros são de grupos pseudocris- de pessoas olhando para mim", expli- do havia se aproximado da OM para
tãos, que misturam crenças africanas cou ele. Isso levou o pastor Tafara a ajudar com Bíblias. Ele também pediu
tradicionais com ensinamentos bíbli- investigar, mais profundamente, as aos missionários da OM que viessem
cos selecionados - a maioria deles vidas das pessoas. Ele descobriu que a ensinar habilidades de compartilha-
extraídos do Antigo Testamento. maioria deles eram membros anterio- mento de palavras para os novos cren-
res de seitas vapostori e tinham sido tes, para que alcançassem seus ami-
Quando o pastor Tafara* participou impedidos de ler a Bíblia por si mes- gos que permaneciam na seita vapos-
de uma campanha da OM, em um redu- mos, porque seus ex-líderes alegavam tori. A OM ajudou a fornecer 14 Bíbli-
to de vapostori no Zimbábue, mal comunhão direta com Deus. “(As pes- as e 12 fitas de áudio, para aqueles
sabia que estaria alcançando cada vez soas) faziam tudo que seus ex-líderes que não sabem ler, e outros materiais,
mais grupos. Em uma visita familiar, lhes pediam que fizessem, porque para ajudar o pastor Tafara a continu-
em outra área, Tafara aproveitou a acreditavam que era Deus quem ar ajudando os novos crentes.
oportunidade para pregar em uma havia falado!”, narrou o pastor Tafara,
reunião evangelística, e quarenta e como se estivesse com uma profunda *Nomes alterados por motivos de segurança
duas pessoas indicaram que queriam dor.
seguir a Cristo! "Eu esperava resis-
tência, mas as pessoas vieram a Cristo Pastor Tafara, então, começou uma
em quantidade", disse o Pastor Tafara igreja com o grupo e resolveu ajudar
jovialmente. as pessoas a crescerem em sua cami-

7
Quatro navios,
quatro décadas de história
Por OM Internacional - Tradução de Rodrigo Mendes - Revisão Eunice L. Amaro

O
Capitão Tom Dyer (EUA) faz anos, na Marinha dos Estados Unidos, Tom se juntou ao navio em 1980, em
parte da organização, há 38 mas ficou intrigado quando ouviu, Hong Kong. Em sua primeira viagem,
anos , e se ofereceu como pela primeira vez, sobre o navio Logos estava indo para a Tailândia.
voluntário em todos os quatro navios voluntário Logos. Tendo, inicialmen- "Na viagem, encontramos dois barcos
que operaram como navios de livros. te, se comprometido a servir a bordo de refugiados vietnamitas cujos pas-
Ele foi treinado e serviu, por alguns por seis meses, o jovem marinheiro sageiros resgatamos ao longo de dois

8
dias", disse ele. o Logos encalhou na costa da Argenti-
na e toda a tripulação teve que aban- Com o Logos II e o Doulos tendo che-
Passando do Logos para seu navio donar o navio. Misericordiosamente, gado ao fim de sua vida útil, em 2010,
irmão, Doulos , em 1983, Tom visitou ninguém foi ferido no naufrágio. Tom o capitão Tom voltou como capitão do
o Oriente Médio, onde trabalhou no e sua jovem família retornaram aos Logos Hope. Desde então, tem sido o
departamento de convés. Ele perma- EUA. capitão para curtos períodos. Refle-
neceu no Doulos até o final de 1984 e tindo sobre suas experiências de
passou nas qualificações para se tor- Em setembro de 1988, houve um cha- quase 40 anos com a organização, o
nar um Chief Mate. Ele também inici- mado para retornar ao Doulos, desta Capitão Tom disse: “Em muitos aspec-
ou um relacionamento com uma cole- vez como capitão. Pouco tempo depo- tos, o trabalho não mudou: a feira de
ga de tripulação, Maggie (EUA). is, os Dyer foram transferidos para livros é quase a mesma de 30 anos
um novo navio, o Logos II - o substitu- atrás, exceto que agora é dentro do
Tom e Maggie se casaram em janeiro to do Logos, financiado por doações navio. A feira de livros e o café do
de 1985 e voltaram para o Logos em de todo o mundo. O navio foi reforma- Logos Hope são bem planejados; é
junho, no Caribe, com Tom atuando do em Amsterdã, onde a filha do capi- uma ótima oportunidade para se
como Chief Mate. Seu primeiro filho, tão Tom e Maggie, Esther, nasceu em conectar com as pessoas lá embaixo.”
Tommy, nasceu em 1986, o mesmo 1989. A família continuou sua aventu-
ano em que Tom (Sênior) obteve sua ra marítima no Logos II até o nasci-
licença de capitão. Em 4 de janeiro de mento de seu filho mais novo, Caleb,
1988, apenas seis semanas após o nas- quando decidiram criar a família em
cimento de seu segundo filho, Joshua, terra.

A OM Navios conta com 13 missionários brasileiros atuando.

Quer receber a OM
em sua igreja?
Nós cremos que a igreja local é a esperança para o mundo. É o meio escolhido por Jesus
para trazer o Seu Reino para a terra.

Por essa razão, nós da OM escolhemos estabelecer parcerias com igrejas que tenham a
mesma mentalidade para nos aliarmos a elas e capacitá-las a cumprir a visão que Deus
tem lhes dado.

O nosso desejo é ver igrejas desenvolvendo discipulados focados em missões e para
isso, nós vamos usar o nosso melhor - nossos recursos, conhecimento e experiências -
para ajudar as igrejas a cumprire sua visão e sua missão enquanto nos unimos em
Cristo para levar o Seu Reino aos povos menos alcançados do mundo.

Interessado? Entre em contato.
info.br@om.org

9
Conferência

De 08 a 14 de Novembro

10
Jogos, experimentos e histórias da Bíblia
Por OM Internacional - Tradução de Rodrigo Mendes - Revisão Eunice L. Amaro

J
á não é tão fácil compartilhar a em pouco tempo, diferentes habilida- cial para o melhor líder da escola.
fé nas escolas públicas na Euro- des, desde esportes até construção /
pa, conforme descobriu a equi- arquitetura, habilidades sociais ou “Eu adorei jogar hóquei de jornal. Eu
pe da OM na Romênia. Então, quando herança cultural.” nunca joguei esse jogo antes. Foi tão
encontraram uma porta aberta em divertido! Espero que no próximo ano
uma escola da aldeia em Rau de Mori, A escola foi transformada em uma possamos jogar boliche de jornal tam-
eles aproveitaram a oportunidade. "instalação olímpica", e 10 equipes bém.”, disse uma das crianças da quin-
Neste ano, 120 crianças e seus pro- competiram entre si em diversos ta série entusiasmada.
fessores participaram do programa jogos e atividades. No final dos dois
de dois dias KidsGames (KG). dias, cada criança recebeu um diplo- "A única coisa de que eu não gostei no
ma de participação, e as três melhores KidsGames foi que meu time não ven-
“Este é o terceiro ano em que a equipe equipes vencedoras receberam meda- ceu", brincou outro garoto da quinta
da OM vem a nossa escola. Nos dois lhas - e muitos aplausos. série.
primeiros anos, só tivemos um dia “Você não pode imaginar as condi-
para as competições, mas as crianças “Cada equipe tinha crianças em todas ções que algumas dessas crianças têm
adoraram tanto que este ano quería- as faixas etárias. Os alunos do oitavo em suas casas. A primeira vez que os
mos ter dois dias de KidsGames. Em ano foram os líderes dos grupos e foi visitei para conhecer suas famílias foi
todos os anos em que recebemos o incrível ver como, em apenas dois chocante para mim. As casas parecem
KidsGames, nossa escola recebeu um dias, eles desenvolveram tanto suas prestes a cair sobre elas”, comparti-
prêmio especial do diretor de ensino habilidades de liderança”, disse um lhou uma professora de jardim de
do condado pelas melhores ativida- OMer. “Alguns deles não tinham ideia infância. “Quando não estão na esco-
des de ensino fora do currículo nacio- de que eles eram líderes natos e que la, precisam trabalhar nos campos
nal”, disse um dos professores da esco- podiam fazer um ótimo trabalho para ajudar suas famílias a ganhar
la. “Este ano até a prefeitura enviou nesse papel. Foi uma experiência para dinheiro para comprar comida. Fico
um fotógrafo / jornalista para passar abrir os olhos deles e ficamos felizes tão feliz quando os vejo rindo e se
os dois dias conosco na escola e escre- em treiná-los e ensiná-los a assumir a divertindo com o KG, é como se eles
ver artigos sobre as atividades. O pro- responsabilidade de liderar suas equi- se esquecessem por um momento de
grama KidsGames é bem complexo e pes e levá-las ao pódio.” No final dos todos os problemas em casa.”
criativo, e as crianças desenvolvem, jogos, a OM ofereceu um prêmio espe-

11
Alguns jogos foram puramente para rar o que aconteceu nos experimen- como os ovos [reagem] quando os gira-
diversão, enquanto outros foram tos com o nosso dia a dia”, disse um mos. Além disso, se tivermos um copo
baseados na Bíblia. No segundo dia, a Omer. de água, veremos que o ovo cozido
equipe da OM compartilhou a histó- afundará. Se adicionarmos sal à água,
ria bíblica de Noé e, depois, alguns Os experimentos também proporcio- o ovo irá flutuar. É assim com Jesus: se
jogos interessantes sobre os oceanos. naram um lugar para a entrada espiri- tivermos Jesus em nossa vida, pode-
tual. “Por exemplo, usamos ovos crus remos flutuar, mas, se não, afundare-
“Minha parte favorita de todo o pro- e cozidos para comparar as pessoas. mos. Foi muito interessante para as
grama era que tínhamos uma 'esta- Do lado de fora não podemos julgar as crianças fazerem essas analogias e
ção' especial onde podíamos fazer um pessoas, porque somos todos iguais. aprenderem de maneira prática como
'clube de ciências'. Aqui fizemos algu- O que nos diferencia um do outro é o Jesus pode fazer parte da nossa vida”.
mas experiências e pudemos compa- modo como nos comportamos, assim

Por Kristen Torres-Toro - Tradução de Rodrigo Mendes - Revisão Eunice L. Amaro

12
13
Jogando limpo
Por Nicole James
Tradução de Rodrigo Mendes
Revisão Eunice L. Amaro

14
15
POVO SAN
Acredita-se que o povo San sejam os primeiros habitantes da parte sul da África. Comumente conhecidos como os "homens do
bosque", o povo San tem cerca de 100 mil pessoas e está distribuído em pequenos grupos em todo o Botsuana, Namíbia, Angola,
Zâmbia, Zimbábue e África do Sul. Eles têm um idioma notavelmente complexo, caracterizada por sons de estalidos.
- A OM no Zimbábue e em Angola tem trabalhado para o alcance deste povo. Ore pelas igrejas locais que tem sido
mobilizadas para orar e agir em evangelismo a este povo.
- Ore por quebrantamento espiritual. Que os San passem a conhecer e adorar o único Deus verdadeiro, e que muitas
comunidades de seguidores de Jesus sejam plantadas entre eles!

PA S H T U N S
A terra natal dos 50 milhões de Pashtuns se estende do sudeste do Afeganistão até o canto noroeste do Paquistão. Apenas uma
pequena parte de sua comunidade é radical, a grande maioria dos Pashtuns é hospitaleira, corajosa e simples. A maior barreira
para o evangelho é o medo. Embora milhares de Pashtuns tenham rejeitado o islamismo em particular, o medo os faz relutantes em
dar um passo à frente.
- Ore pelos pequenos grupos de crentes neste povo. Que eles sejam ousados em fé para compartilhar o evangelho ao seu
próximo.
- Ore por esclarecimento. Pashtuns tem uma visão distorcida sobre os cristãos. Que eles tenham acesso a informações
verdadeiras sobre o Evangelho e a vida em Cristo e sejam alcançados pelo entendimento vindo do Espírito.

FULANI
Os Fulani são um povo semi-nômade, com cerca de 40 milhões de pessoas em 19 países na região do Sahel e da África Ocidental.
Praticamente todos os Fulani são muçulmanos. De forma geral, os Fulani são responsáveis por introduzir e disseminar o Islã em
grande parte da África Ocidental. O presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, é de etnia fulani.
- Seu estilo de vida nômade significa que os Fulani viajam e levam consigo sua religião e fé. Ore para que eles tenham um
encontro com a verdade para que o evangelho viaje com eles.
- Em geral, outras comunidades lutam para aceitar os Fulani e as tensões são altas. Os militantes fulanis perseguem
severamente os cristãos em algumas regiões. Ore pelos crentes locais para que tenham um coração de compaixão por
esta tribo menos alcançada.

PA Q U I S TÃ O
A OM reiniciou seu trabalho em uma cidade no norte do Paquistão depois de um intervalo de vários anos. Durante os 10 anos
anteriores do ministério na cidade, a equipe enfrentou inúmeros desafios em seus esforços para alcançar o povo.
- Louve a Deus pela equipe que está servindo, apaixonadamente, nessa região e pelas oportunidades de compartilhar o
evangelho entre os menos alcançados;
- Ore pelos grupos de estudo da Bíblia e pelos participantes dos encontros de oração. Que eles possam ter um encontro
real com Deus e que Ele permita e faça uma grande mudança nesta região.

16
M I N I S T É R I O D O NAV I O
Obrigado por orar pelo Logos Hope, atualmente no Panamá.
- Ore pela conferência de pastores acontecendo hoje, a bordo do Logos Hope. O objetivo é mobilizar líderes e pastores
para agirem em relação aos povos não alcançados.
- Agradeça pela calorosa acolhida do vice-presidente de El Salvador e do prefeito de Acajutla na abertura oficial do Logos
Hope.

A Família Hansen atua na Base do Brasil.
- Louve a Deus conosco por todos que tem investido um tempo para orar por
eles, muitos nãos os conhecem pessoalmente, mas o Senhor conhece e são
motivo de gratidão;
- Agradeça pelas portas que Deus tem aberto e por todo o cuidado dEle;
- Ore pela saúde física da mãe da Cynthia, nestes últimos dias foram muitas idas
ao hospital, e ainda não há o diagnóstico do problema;
- Ore por todo o processo de saída para o campo transcultural, eles têm menos
de 1 ano para organizar tudo;
- Ore pelo aprendizado do novo idioma. Já estudam há 1 mês e tem sido um
grande desafio.

A OM é uma organização voluntária, portanto, nenhum dos missionários trabalhando na OM recebem algum salário da
Instituição, nem mesmo aqueles que atuam doando seus dons profissionais na Base. Todo o sustento que recebem vem de
ofertas, de suas igrejas e de pessoas que se comprometem como seus mantenedores.

- Ore pelo sustento dos missionários atuando internacionalmente. Recentemente algumas igrejas e mantenedores
brasileiros cancelaram seu apoio a alguns missionários, mencionando a crise econômica atual do país.

- Ore pelo sustento dos missionários que atuam na Base. Como nem todos entendem sua atuação como um trabalho
missionário, alguns tem tido dificuldade de levantar sustento suficiente de forma regular.

- Agradeça conosco o sustento que Deus tem provido.

* Diretor(a) Financeiro;
* Administrador(a);
* Jornalista;
* Web Designer;
* Assistente de Marketing e Comunicações;
* Coordenador(a) de Mídias Sociais;
* Professor(a) de Inglês.
**Quer receber nossos pedidos de oração por e-mail? Inscreva-se em nossa lista de oração através do link http://eepurl.com/cLWj_j
ou nos envie um e-mail em comunicacao.br@om.org

17
Abaixo temos algumas sugestões de valores. Suas contribuições podem ser feitas através de cartão
de crédito, boletos bancários, depósitos bancários ou transferências bancárias.
Tomar a decisão de doar é significativo.
A OM usa as suas contribuições
prudentemente e
estrategicamente para levar
o Evangelho de Jesus Cristo
ao redor do mundo através de
iniciativas evangelisticas, de plantação de igreja e de auxílio e desenvolvimento.

Para doação online acesse: http://www.om.org.br/contribua
Ou entre em contato conosco:
Telefone (12) 3945-0040
E-mail: finance.br@om.org

18
Para mais informações sobre missões de curto-prazo acesse: http://www.om.org.br/curto-prazo
Para oportunidades de longo prazo acesse: http://www.om.org.br/ha-vagas

* Diretor(a) Financeiro;
* Administrador(a);
* Jornalista;
* Web Designer;
* Assistente de Marketing e Comunicações;
* Coordenador(a) de Mídias Sociais;
* Professor(a) de Inglês.

Sustento: A OM é uma organização voluntária. Como tal, todos os trabalhadores devem levantar seu próprio apoio financeiro.
Mais informações entre em contato conosco: info.br@om.org

19