A ESCALA DE SIGNIFICADO DO DINHEIRO Há quase dois mil anos atrás, certo homem ao escrever uma carta fez a seguinte

observação:
“Assim, tendo sustento e com que nos cobrir, estaremos contentes com estas coisas. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda sorte de coisas prejudiciais...”. (Carta a 1ºTimoteo Cap.06 Vers. Oito e 10.).

Valores e Dinheiro: um estudo transcultural das relações entre prioridades de valores e significado do dinheiro para indivíduos, tese de Alice da Silva Moreira, que tem por objetivo tentar relacionar os descritos psico-simbolicos a todos os aspectos e comportamentos que envolvem o dinheiro e o necessário para prover a compreensão de um objeto tão complexo e multifacetado. O procedimento geral desta pesquisa foi organizado em quatro fases: 1) Coleta de dados empíricos, através de entrevistas com grupos heterogêneos de sujeitos brasileiros, que permitiu acessar a perspectiva do senso comum sobre o significado do dinheiro. 2) Organização dos dados: Consistiu na produção de quadros de categorias, através de um procedimento com participação de juizes, que permitiu selecionar itens representativos para compor o instrumento. 3) Esquema Fatorial Hipotético: Compreensão teórica dos dados a partir de um esquema referencial compreensivo das ciências sociais, que permitiu definir o Esquema Fatorial Hipotético a ser testado empiricamente. 4) A Validação do instrumento, através de aplicação a amostra ampla e heterogênea no Brasil, que permitiu encontrar uma estrutura fatorial com razoável confiabilidade. AS DEFINIÇÕES DOS COMPONENTES FICARAM COMO SEGUE: PRAZER: “Afirmação de crenças e sentimentos positivos relacionados ao dinheiro. Conseqüências positivas atribuídas ao dinheiro, tais como: prazer, felicidade, bem-estar psicológico, auto-estima, esperança e harmonia nas relações interpessoais”. 1

PODER: “Afirmação da crença de que o dinheiro é a fonte de autoridade, prestigio e reconhecimento social, assegurando uma situação privilegiada a quem o possui, e permitindo burlar normas sociais”. CONFLITO: “Significado negativo atribuído ao dinheiro no contexto das relações interpessoais cotidianas. Afirmação da crença de que o dinheiro provoca desconfiança, conflitos, desavenças, mortes, falsidade, neurose e oportunismo”. DESAPEGO: “Afirmação de crenças e comportamentos envolvendo uma oposição entre dinheiro e espiritualidade, e a necessidade de dar mais importância aos valores de solidariedade e generosidade que aos bens materiais”. SOFRIMENTO: “Significado negativo atribuído ao dinheiro no nível da subjetividade envolvendo fortes emoções carregadas por sofrimento e aspectos de desequilíbrio emocional, tais como: angustia, depressão, frustração e impotência”. PROGRESSO: “Significado positivo atribuído ao dinheiro em relação ao contexto social mais amplo, como promotor de progresso para as sociedades e a humanidade como um todo. Afirmação da crença de que o dinheiro é capaz de resolver problemas sociais e construir um mundo melhor”. DESIGUALDADE: “Significado negativo atribuído ao dinheiro como fonte de desigualdade social, segregação e preconceito. Afirmação da crença de que o dinheiro cria uma forte demarcação no espaço social, dificultando o acesso de quem não o possui a lugares e pessoas”. CULTURA: “Significado positivo atribuído ao dinheiro como promotor do desenvolvimento cultural em geral. Disposição pessoal de investir dinheiro no desenvolvimento das ciências, artes, cultura e tecnologia”. ESTABILIDADE: “Significado positivo atribuído ao dinheiro como fonte de estabilidade e segurança. Afirmação de crenças e comportamentos envolvendo a importância de ter as necessidades básicas asseguradas e estabilidade financeira”. A DESCRIÇÃO DESTES PERFIS NA ESCALA DO SIGNIFICADO DO DINHEIRO Foi realizado um primeiro teste com a ESD, para tentar discriminar perfis diferenciados de significado do dinheiro, partindo do pressuposto de que o Brasil apresenta grande 2

diversidade econômico-cultural interna e que esta diversidade poderia ter alguma influencia sobre o significado do dinheiro. O interessante que a pesquisa deixou claro que á algumas diferenças em enorme escala, porem ficou definida assim: Estabilidade foi o componente de significado mais forte na ESD. Em seguida vem a Desigualdade onde atingiu um nível maior no sul e sudeste do país. Como terceiro componente aparece o progresso que sofreu alterações maiores em relação ao sudeste do Brasil. Em quarto lugar nesta ordem geral ficou a cultura, em destaque apenas o nordeste do país que o classificou em quinto na ESD. O próximo e quinto componente foi o conflito, em lugares onde a economia está estabilizada e flui mais dinheiro, o nível de significância foi menor. Desapego ocupou o sexto lugar na ESD geral, onde destacamos o norte e nordeste do país onde obtiveram as médias mais altas. Poder foi o sétimo na ordem geral, neste caso o sul vê menos o dinheiro como fonte de poder social, uma idéia um pouco mais forte no sudeste. O prazer ocupou o penúltimo lugar em todas as regiões e no Brasil como um todo, exceto para os sulistas. E em ultimo lugar na ordem, e sem exceções ficou o sofrimento, indicando a tendência a discordar levemente que o dinheiro gera sofrimento. OS PREDITORES DA ESCALA DO SIGNIFICADO DO DINHEIRO As variáveis relacionadas à escala do significado do dinheiro foram divididas em grupos, para avaliar a suma importância do dinheiro. Foram utilizadas as seguintes situações/preditores: -Idade, -Renda Familiar e números de dependentes, -Escolaridade, -Sexo, -Regiões Demográficas e -Tipos de ocupações.

3

O grau de importância dos preditores que obtiveram maior significância é: ESTABILIDADE, DESIGUALDADE e principalmente PODER. Estes componentes estão relacionados ao predito por renda familiar mais baixa que tem como fonte à economia per capita, porém as diferenças geográficas mostram que em determinadas regiões brasileiras, no nordeste principalmente, este componente não tem o mesmo grau de importância quanto na região sudeste do país, que mostram a importância do PROGRESSO. Este componente está relacionado com o nível de escolaridade, e desapego no caso do sexo feminino. O componente Cultural apresenta menor significado para pessoas que tem o nível de escolaridade e cargos de importância nas organizações, não que este aspecto seja considerado inferior aos outros, porém a pesquisa mostra que pessoas que já tem um nível de escolaridade, entendem que o significado do dinheiro gera CONFLITOS que por sua vez, gera a busca do PODER, esquecendo do PRAZER e causando SOFRIMENTO. Depois de entendermos como o dinheiro é significativo em uma dimensão macro como no país, iremos analisar a partir de agora em uma dimensão menor, pois esta mesma pesquisa foi realizada no Centro Universitário Positivo, somente com os alunos do curso de Ciências Contábeis no período noturno, para respondermos a seguinte questão: Qual é o significado do dinheiro atribuído pelos alunos do curso de Ciências Contábeis do Unicenp? Para entendermos como isto se daria, usamos com a devida autorização de Alice da Silva Moreira, sua tese desenvolvida e apresentada ao curso de doutorado do programa de pós-graduação do instituto de psicologia da universidade de Brasília, com o seguinte tema: Valores e Dinheiro: um estudo transcultural das relações entre prioridades de valores e significado do dinheiro para indivíduos. PESQUISA E CONCLUSÃO DO TRABALHO

4

A pesquisa foi realizada entre os dias 16 a 20 de junho de 2005, aplicadas pelos alunos do 1º ano de Ciências Contábeis com base na ESD (Escala de Significados do Dinheiro), obtivemos os seguintes dados resultantes frente a analise do gráfico geral dos alunos de contábeis, segundo a escala gráfica, em primeiro lugar se destaca de maneira geral a estabilidade, assim podemos deduzir que a maioria dos alunos esta a procura de estabilidade financeira, em um nítido contraste notamos que a maioria aponta como conseqüência a desigualdade por não obter estabilidade. Notamos que os acadêmicos do curso não demonstram interesse em aplicar seus recursos em cultura e ciência, digno de nota ao concordar levemente que o dinheiro traz prazer. Ainda sobre os resultados gráficos, de uma forma geral o acadêmico concorda com a pesquisa geral realizada no país discordando fortemente que o dinheiro traz sofrimento, porém neste caso a maioria concorda que o dinheiro gera conflitos. De maneira geral o progresso é encarado como uma conseqüência, de maneira diferente a tendência da maioria dos acadêmicos releva a questão do desapego financeiro, em seguida e por ultimo temos o poder, segundo a pesquisa a impressão que temos dos acadêmicos é a mesma do país, ou seja, o dinheiro não é responsável por aquisição de poder, e sim apenas um status social como sensação de poder, ou até mesmo, a pessoa adquire poder de outras formas. A pesquisa revela que de uma maneira geral e de acordo com o escritor citado no inicio do texto tem razão, pois, na opinião dos acadêmicos a falta de estabilidade provoca desigualdades e por fim conflitos sejam eles pessoais ou macro econômicos em relação ao país ou ao mundo, e que encaram o dinheiro como a solução para seus problemas e que ele não acarreta nenhum sofrimento. (artigo não publicado: alunos do curso de ciências contábeis: Unicenp, 2005. Orientação Profa. Dra. Myrle Zanatta).

5