1

ZEVI, Bruno. Saber ver a arquitetura. 5ª edição. São Paulo: Martins Fontes, 1996

RESENHA 1

A IGNORÂNCIA DA ARQUITETURA O PÚBLICO INTERESSA-SE POR PINTURA E MÚSICA, POR ESCULTURA E LITERATURA, MAS NÃO POR ARQUITETURA. A ARQ. CONTINUA A SER A GRANDE ESQUECIDA PELA IMPRENSA. A CENSURA FUNCIONA PARA FILMES E PARA LITERATURA, MAS NÃO PARA EVITAR ESCÂNDALOS URBANÍSTICOS E ARQUITETÔNICOS, CUJAS CONSEQÜÊNCIAS SÃO BEM MAIS GRAVES E MAIS PROLONGADAS QUE A PUBLICAÇÃO DE UM ROMANCE PORNOGRÁFICO. NINGUÉM PODE FECHAR OS OLHOS DIANTE DAS CONSTRUÇÕES QUE CONSTITUEM O PALCO DA VIDA CITADINA E TRAZEM A MARCA DO HOMEM NO CAMPO E NA SUA PAISAGEM. HÁ DIFICULDADES OBJETIVAS E INCAPACIDADE POR PARTE DOS ARQUITETOS PELA INCOMPREENSÃO DA ARQ, PELO MENOS ENTRE A MAIORIA DAS PESSOAS CULTAS. O TURISTA COMUM SENTE O DEVER DE VISITAR, MAS VISITA, NO MESMO DIA : UMA IGREJA BARROCA, UMA RUÍNA ROMANA, UMA PRAÇA MODERNA. NO DIA SEGUINTE, FAZ O MESMO. É POSSÍVEL REUNIR NA EUROPA QUADROS DE UM MESMO PINTOR, E REVELAR SUA PERSONALIDADE EM GRANDES EXPOSIÇÕES. O MESMO COM OS MÚSICOS. ISTO NÃO OCORRE COM A ARQUITETURA. O ARQUITETO PROFISSIONAL NÃO TEM HOJE, EM SUA GRANDE MAIORIA, UMA CULTURA QUE LHES PERMITA ENTRAR DE UMA FORMA LEGÍTIMA, NO DEBATE HISTÓRICO E CRÍTICO. HÁ, MESMO ENTRE OS BONS PROFISSIONAIS, UM DESINTERESSE PELAS OBRAS AUTÊNTICAS DO PASSADO. OLHOS QUE NÃO VIAM A BELEZA DAS FORMAS PURISTAS NÃO ENTENDEM AS LIÇÕES DA ARQUITETURA TRADICIONAL. A ARQUITETURA MODERNA INSERE-SE NA CULTURA ARQUITETÔNICA, PROPONDO ANTES DE TUDO UMA REVISÃO CRÍTICA DESTA MESMA CULTURA. QUANDO FORMOS CAPAZES DE ADOTAR OS MESMOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA A ARQUITETURA CONTEMPORÂNEA E PARA A QUE FOI EDIFICADA NOS SÉCULOS ANTERIORES, TEREMOS DADO UM DECISIVO PASSO EM FRENTE, NA SENDA DESTA CULTURA: 1NOS VOLUMES DE CARÁTER ARQUEOLÓGICO HISTÓRICO, ACRESCENTEM O CAPÍTULO SOBRE A ARQ, MODERNA E VERIFIQUEM SE OS CONCEITOS CRÍTICOS INFORMADORES CONTINUAM A TER VALIDADE. FAÇAM O MESMO COM AS OBRAS SOBRE ARQ. MODERNA.

2-

2 VEJAM SE, EM AMBOS OS CASOS, O LIVRO TEM A CAPACIDADE DE FALAR DE INTERESSES PALPITANTES A HOMENS VIVOS. OS CRÍTICOS DE ARTE, HOJE, DERAM UM PASSO À FRENTE. NO ENTANTO ALEM DA APARÊNCIA QUANTITATIVA, A SUBSTÂNCIA É, MUITAS VEZES, INSATISFATÓRIA. UM DOS DEFEITOS CARACTERÍSTICOS CONSISTE NO FATO DOS EDIFÍCIOS SEREM APRECIADOS COMO SE FOSSEM ESCULTURAS E PINTURAS, OU SEJA, EXTERNA E SUPERFICIALMENTE, COMO SIMPLES FENÔMENOS PLÁSTICOS. GRITOU-SE AOS 4 VENTOS QUE O CONTEÚDO NÃO TINHA VALOR E, ENTÃO, EXCLUIU-SE O CONTEÚDO. HÁ CRÍTICOS QUE COMPARAM A ARQ. COM OUTRAS ARTES : UMA BAILARINA DE DEGAS COM A GALERIA DAS MÁQUINAS. UM QUADRO DE MONDRIAN COM MIES VAN DER ROHE. UM URBANISMO DE LE CORBOUSIER COM VOLUTAS. HÁ DOIS FATOS NESTE CRITÉRIO: 1- CONTINUA-SE A USAR CONCEITOS DA ARTE PICTÓRICA PARA A ANÁLISE DA ARQ. 2- A CRÍTICA E HISTORIA DA ARQ, DESTA FORMA, NÃO PROGRIDEM. SE ENGENHEIROS CONTINUAREM A ESCREVER HISTÓRIAS DA ARQUITETURA COMO SE FOSSEM HISTÓRIAS DA CONSTRUÇÃO TÉCNICA, DE QUE MANEIRA O GRANDE PÚBLICO PODERÁ ACOMPANHÁ-LOS? POR QUE RAZÃO O PÚBLICO DEVERIA DETER-SE SOBRE A ARQ. E NÃO SE DIRIGIR ÀS FONTES PRIMORDIAIS, OU SEJA, À PINTURA E À ESCULTURA ? SE QUISERMOS, DE FATO, SABER VER A ARQUITETURA, NECESSITAMOS DE CLAREZA DE MÉTODO.

RESENHA 2

O ESPAÇO, PROTAGONISTA DA ARQUITETURA A FALTA DE UMA HISTÓRIA DA ARQUITETURA QUE POSSA SER CONSIDERADA SATISFATÓRIA DERIVA DA FALTA DE HÁBITO DA MAIOR PARTE DOS HOMENS, DE ENTENDER O ESPAÇO, E DO INSUCESSO DOS HISTORIADORES E DOS CRÍTICOS DA ARQUITETURA NA APLICAÇÃO E DIFUSÃO DE UM MÉTODO COERENTE PARA O ESTUDO ESPACIAL DOS EDIFÍCIOS. O CARÁTER ESSENCIAL DA ARQUITETURA ESTÁ NO FATO DE AGIR COM UM VOCABULÁRIO TRIDIMENSIONAL QUE INCLUI O HOMEM. A PINTURA ATUA SOBRE DUAS DIMENSÕES. A ESCULTURA SOBRE 3, MAS O HOMEM FICA DE FORA. A ARQUITETURA É COMO UMA GRANDE ESCULTURA ESCAVADA, EM CUJO INTERIOR O HOMEM PENETRA E CAMINHA. QUANDO QUEREMOS CONSTRUIR UMA CASA, APRESENTAMOS UMA PERSPECTIVA E UMA VISTA EXTERIOR. APRESENTAMOS PLANTAS E CORTES. ISTO PROVEM DE NOSSA FALTA DE EDUCAÇÃO ESPACIAL. E UMA REALIDADE QUE NINGUÉM VÊ A NÃO SER NO PAPEL. AS FACHADAS E AS SEÇÕES SERVEM PARA MEDIR AS ALTURAS, ASSIM COMO AS PLANTAS OS

NO ENTANTO. CONTINUAREMOS A USAR INDISTINTAMENTE PALAVRAS COMO RITMO. A REPRODUÇÃO DE FOTOGRAFIAS SE TORNOU COMUM. DO ESPAÇO ENCERRADO. NO ÚLTIMO DECÊNIO DO SÉC XIX. OS CUBISTAS NÃO PARARAM POR AÍ. MAS A ARQUITETURA NÃO PROVEM DE UM CONJUNTO DE ALTURAS. EXISTEM OS MÚSCULOS E O ESQUELETO. . 4 FACHADAS PODEM PARECER BEM ESTUDADAS PELO EQUILÍBRIO DOS CHEIOS E DOS VAZIOS. DEIXANDO DE LADO O MOTIVO ORIGINAL E O SEU OBJETIVO ÚLTIMO. ASSIM COMO A POESIA É ALGO MAIS DO QUE UM GRUPO DE BELOS VERSOS. QUANDO TUDO PARECIA CRITICAMENTE CLARO E TECNICAMENTE ALCANÇADO. CONSTITUEM APENAS A CAIXA DENTRO DA QUAL ESTÁ ENCERRADA A JÓIA ARQUITETÔNICA. O QUE MAIS INTERESSA AGORA. CONSTITUI A CHAVE QUE NOS DARÁ A COMPREENSÃO DOS EDIFÍCIOS. SERIA ABSURDO DETER-SE NOS DETALHES DA LÍNGUA INGLESA. POR MAIS BELA QUE SEJAM CONTINUA A SER INVÓLUCRO. POSITIVA OU NEGATIVA. O QUE É A NÃO-ARQUITETURA? JÁ DISSEMOS QUE 4 FACHADAS. DO ESPAÇO INTERIOR EM QUE OS HOMENS ANDAM E VIVEM. A CONQUISTA CUBISTA DA QUARTA DIMENSÃO É DE GRANDE ALCANCE HISTÓRICO. ETC. INDEPENDENTEMENTE DA AVALIAÇÃO ESTÉTICA. ALEM DA FORMA EXTERNA. A QUARTA DIMENSÃO. QUE É REVIVER O POEMA TRÁGICO. COM GRANDE FREQÜÊNCIA. EXISTE UMA DIFERENÇA NÍTIDA ENTRE CONTINENTE E CONTEÚDO E. ASSIM COMO NA DESCOBERTA DA PERSPECTIVA. ELA PROVEM MAIS PRECISAMENTE DO VAZIO. O PROBLEMA PARECEU MAIS UMA VEZ SOLUCIONADO. ENTÃO. COMPRIMENTOS E LARGURAS DOS ELEMENTOS. O INVÓLUCRO MURAL FOI OBJETO DE MAIORES PREOCUPAÇÕES E TRABALHO QUE O ESPAÇO ARQUITETURA A DESCOBERTA DA PERSPECTIVA PODERIA LEVAR OS ARTISTAS DO SÉC XV A ACREDITAR QUE POSSUÍAM FINALMENTE AS DIMENSÕES DA ARQUITETURA E O MÉTODO DE REPRESENTA-LAS. SABER VÊ-LO. A MENTE HUMANA DESCOBRIU QUE. O OUTRO ELEMENTO É O DESLOCAMENTO SUCESSIVO DO ANG. ANTES DE TUDO. O VOLUME TOTAL DO CONJUNTO PODE MESMO SER PROPORCIONADO. O ESPAÇO INTERIOR É O PROTAGONISTA DO FATO ARQUITETÔNICO. COM A PERSPECTIVA FOI POSSÍVEL A REPRESENTAÇÃO ADEQUADA DOS AMBIENTES INTERIORES E DAS VISTAS EXTERIORES DA ARQUITETURA QUANDO. QUE SE PODE FAZER DAS PINTURAS CUBISTAS EM ARQUITETURA EXISTE O MESMO ELEMENTO: TEMPO. EM CADA EDIFÍCIO. EXISTE O ORGANISMO INTERNO: ALEM DA PELE. QUEM QUER SE INICIAR NO ESTUDO DA ARQUITETURA DEVE. COMPREENDER QUE UMA PLANTA PODE SER ABSTRATAMENTE BELA NO PAPEL. O CONTINENTE É O INVÓLUCRO MURAL E O CONTEÚDO É O ESPAÇO INTERIOR. EM CADA FATO CORPÓREO. ALEM DAS 3 DIMENSÕES DA PERSPECTIVA. PARA QUEM PRETENDE LER HAMLET. EXISTE UMA QUARTA.3 COMPRIMENTOS E LARGURAS. E FOI A REVOLUÇÃO CUBISTA DO PERÍODO IMEDIATAMENTE ANTERIOR À GUERRA QUEM A REVELOU. A CONSTITUIÇÃO INTERNA. O QUE É ARQ? E. E NO ENTANTO O EDIFÍCIO PODE RESULTAR ARQUITETONICAMENTE POBRE. ATÉ DARMOS A ELES UM PONTO DE APLICAÇÃO ESPECÍFICO NA REALIDADE EM QUE SE CONCRETIZA A ARQUITETURA : O ESPAÇO. A REALIDADE DO OBJETO NÃO SE ESGOTA NAS 3 DIMENSÕES DA PERSPECTIVA. ESCALA. VISUAL: O TEMPO. ISTO FACILITOU SUA DIFUSÃO EM MASSA. POR MAIS BELAS QUE SEJAM.

O SEGUNDO EQUIVOCO É QUE AO DIZER QUE O ESPAÇO INTERIOR É A ESSÊNCIA DA ARQUITETURA. QUANTAS DIMENSÕES TEM ESTE "VAZIO" ARQUITETÔNICO. NÃO CRIA UM AMBIENTE ARTÍSTICO. NOS SUBJUGA ESPIRITUALMENTE. PLÁSTICA EM GRANDE ESCALA. MAS O ESPAÇO EM SÍ – A ESSÊNCIA DA ARQUITETURA – TRANSCENDE OS LIMITES DA QUARTA DIMENSÃO. E OS EXTERIORES OU URBANÍSTICOS. ISTO É. UMA FONTE PODEM SER OBRAS-PRIMAS POÉTICAS. A DEFINIÇÃO MAIS PRECISA QUE SE PODE DAR ATUALMENTE DA ARQUITETURA É A QUE LEVA EM CONTA O ESPAÇO INTERIOR. BANIU-SE A DECORAÇÃO DOS EDIFÍCIOS. ENTRAM EM JOGO NA FORMAÇÃO DOS ESPAÇOS URBANÍSTICOS: O QUE INTERESSA É A SUA FUNÇÃO COMO DETERMINANTES DE UM ESPAÇO FECHADO. TENDO CHEGADO A ESTE PONTO. NÃO É ARQUITETURA DEDICA-SE UMA INFINIDADE DE PÁG. PARA PROSPECTOS DE EDIFÍCIOS. MAS NÃO SÃO ARQUITETURA. MAS ESGOTA A EXPERIÊNCIA ARQUITETÔNICA. A QUARTA DIMENSÃO É SUFICIENTE PARA DEFINIR O VOLUME ARQUITETÔNICO. DEFINIDOS PERFEITAMENTE PELA OBRA ARQUITETÔNICA. TUDO O QUE NÃO TEM ESPAÇO INTERIOR. NÃO SIGNIFICA DIZER QUE O VALOR DE UMA OBRA ARQUITETÔNICA SE ESGOTA EM SEU VALOR ESPACIAL. A ARQUITETURA . TENHA CRIADO ESPAÇOS FECHADOS. A PERGUNTA "O QUE É ARQUITETURA" JÁ ENCONTROU SUA RESPOSTA. NESTA CONCEITUAÇÃO MAGNÍFICAS OBRAS DE ARQ. O ESPAÇO? CINCO. MOVENDO-SE MO EDIFÍCIO.4 MAS O ESPAÇO ARQUITETÔNICO NÃO SE ESGOTA EM 4 DIMENSÕES. O INVÓLUCRO MURAL QUE ENCERRA O ESPAÇO. INSISTINDO NA TESE DE QUE OS ÚNICOS VALORES ARQUITETÔNICOS LEGÍTIMOS SÃO OS VOLUMÉTRICOS E ESPACIAIS. DEZ? TALVEZ INFINITAS. ISTO É. NO ENTANTO. TAMBÉM É VERDADE QUE UM ESPAÇO SATISFATÓRIO. DESTE CONCEITO. E NÃO ARQUITETURA NO SENTIDO ESPACIAL DA PALAVRA. A QUARTA DIMENSÃO. UM OBELISCO.QUE A EXPERIÊNCIA ESPACIAL ARQUITETÔNICA SÓ É POSSÍVEL NO INTERIOR DO EDIFÍCIO 2. UMA AUTO–ESTRADA RETILÍNEA PODE NÃO SER UMA EXPERIÊNCIA ARQUITETÔNICA. E VICE-VERSA. ENCERRADO NESTA OBRA E NAS CONTINUAS ENTÃO. APÓS UM SÉCULO DE ARQUITETURA PREDOMINANTEMENTE DECORATIVA. ONDE QUER QUE A OBRA DO HOMEM HAJA LIMITADO VAZIOS. OS EDIFÍCIOS POSSUEM DOIS ESPAÇOS: OS INTERIORES. BASTA ESTABELECER QUE O ESPAÇO ARQUITETÔNICO NÃO PODE SER DEFINIDO NOS TERMOS DAS DIMENSÕES DA PINTURA E DA ESCULTURA.QUE O ESPAÇO NÃO SOMENTE É O PROTAGONISTA DA ARQUITETURA. NAS RUAS E PRAÇAS. A EXPERIÊNCIA ESPACIAL PRÓPRIA DA ARQUITETURA PROLONGA-SE NA CIDADE. MAS ESTES SÃO ESCULTURAS. ENTÃO. QUANDO NÃO COMPLEMENTADO POR UM TRATAMENTO ADEQUADO DAS PAREDES QUE O ENCERRAM. POR ASSIM DIZER. POIS EM ARQUITETURA O FENÔMENO É DIFERENTE QUE NA PINTURA E ESCULTURA: AQUI É O HOMEM QUE. NOS ELEVA. PODEM LIMITAR UM PÉSSIMOS ESPAÇO URBANÍSTICO. A BELA ARQUITETURA SERÁ A ARQUITETURA QUE TEM UM ESPAÇO INTERIOR QUE NOS ATRAI. TODOS OS TEMAS QUE EXCLUÍMOS COMO ARQUITETURA. SE FOR CERTO QUE UMA BELA DECORAÇÃO NUNCA CRIARÁ UM ESPAÇO BONITO. DÁ AO ESPAÇO SUA REALIDADE INTEGRAL. PODEM SURGIR 2 GRANDE EQUÍVOCOS : 1. ESTUDANDO-O DE PONTOS DE VISTA SUCESSIVOS CRIA. MAS É UM ESPAÇO URBANÍSTICO ENTÃO. PELO MENOS ENQUANTO A DECORAÇÃO NÃO FOR RENOVADA.

DE QUE FORMA ISTO ACONTECE? NÃO INDISTINTAMENTE. EXCLUÍDAS INICIALMENTE VOLTAM AO CAMPO DA ARQ. O AMBIENTE. MAS APENAS PARA ORDENAR E ORIENTAR AS IDÉIAS QUE EXISTEM E QUE TODOS PRESSENTEM. COMO O ARCO DE TITO. NOS LUGARES DE SUBSTANTIVOS E ADJETIVOS. COMO CONJUNTO VOLUMÉTRICO. ESTE ENTRA NA HISTÓRIA DA ARQ. PASSA A INTEGRAR. A CENA ONDE VIVEMOS A NOSSA VIDA. A DECORAÇÃO ESTÁ ENTRANDO DE NOVO NA ARQUITETURA. A HISTORIA DO URBANISMO. OU DA MÁ ARQUITETURA MESMO QUE. DE DESINFECÇÃO DECORATIVA. DIMENSÃO = TEMPO NA ARQ. A HISTORIA DA ARQUITETURA E.5 RACIONALISTA VOLTOU-SE PARA OS VALORES VOLUMÉTRICOS. E É JUSTO QUE ASSIM SEJA. A COLUNA E TRAJANO. MAIS TARDE OS SEUS ELEMENTOS DECORATIVOS POSSAM SER ABRANGIDOS PELA HISTÓRIA ESCULTÓRICA. SÍNTESE HOMEM = FALTA DE HÁBITO E ENTENDER O ESPAÇO ARQ. SER O PROTAGONISTA DA ARQUITETURA É. O VAZIO. FACHADAS = CASCA = INVÓLUCRO CONTEÚDO = VAZIO = ESPAÇO INTERIOR 4. SE O JULGAMENTO SOBRE O ESPAÇO INTERIOR FOR NEGATIVO. SE A DECORAÇÃO TEM IMPORTÂNCIA. SE ELE NÃO PODE SER EXPRESSO PELA FALTA DE ESPAÇO INTERNO. NOS SUBJUGA . QUE DÁ O LÁ NO JULGAMENTO SOBRE SE UM EDIFÍCIO. SE A ESCULTURA E A PINTURA. A HISTORIA DAS CONCEPÇÕES ESPACIAIS. É O ESPAÇO INTERIOR. PORQUE A ARQUITETURA NÃO É APENAS ARTE E NEM SÓ IMAGEM DA VIDA HISTÓRICA OU DA VIDA VIVIDA POR NÓS E PELOS OUTROS : É. O EDIFÍCIO FAZ PARTE DA NÃO-ARQUITETURA. PASSADOS 20 ANOS DE NUDISMO ARQUITETÔNICO. NO FUNDO. PERSPECTIVAS. QUANDO. NATURAL. ETC ESPAÇO INTERIOR = PROTAGONISTA DA ARQ. ESTÁ CATALOGADO COM SIM OU O NÃO EM TODAS AS SENTENÇAS ESTÉTICAS SOBRE ARQUITETURA O FATO DE O ESPAÇO. O JULGAMENTO ARQUITETÔNICO É FUNDAMENTALMENTE UM JULGAMENTO SOBRE O ESPAÇO INTERIOR DOS EDIFÍCIOS. COMO SE PODERIA JULGAR. SOBRE SUA VOLUMETRIA E SEUS PROLONGAMENTOS DECORATIVOS. POR FIM O JULGAMENTO SOBRE A CONCEPÇÃO ESPACIAL DE UM EDIFÍCIO. PARA QUE SERVIU TODO ESTE DISCURSO? FOI NÃO SÓ PARA DESCOBRIR NOVAS IDÉIAS. E SOBRETUDO. ENCONTRAMO-NOS ENTÃO JUNTO DAS GRANDES E INTEGRAS OBRAS CONCLUINDO: SE PUDERMOS ENCONTRAR ARQUITETURA NAS CONTRIBUIÇÕES DE OUTRAS ARTES.? É A OBRA QUE TEM UM ESPAÇO INTERIOR QUE NOS ATRAI. MESMO QUE A DECORAÇÃO SEJA INEFICAZ. O ESPAÇO QUE NOS RODEIA E NOS INCLUI. FOR POSITIVO. SE O JULGAMENTO SOBRE O ESPAÇO DE UM EDIFÍCIO FOR POSITIVO. = CARÁTER TRIDIMENSIONAL APRESENTAMOS MAL ⇒ PLANTAS. ⇒ HOMEM MOVENDO-SE DENTRO DO EDIFÍCIO O QUE É ARQ. ENQUANTO O MOVIMENTO ORGÂNICO SE FIXOU NOS ESPACIAIS. RELACIONAM-SE NA EQUAÇÃO ARQUITETÔNICA. TAMBÉM. ANTES DE TUDO. NOS ELEVA.

NAS RUAS. COMPÕE O ESPAÇO URBANO CONCLUSÃO : É POSSÍVEL LINDAS OBRAS ARQUITETÔNICAS. O MÉTODO DE REPRESENTAÇÃO AINDA É: PLANTAS.6 POSSÍVEIS EQUÍVOCOS : 1. PROLONGA-SE NA CIDADE. A MÚSICA DIFUNDIU-SE PELO RÁDIO E PELOS FONÓGRAFOS. AINDA NEM FOI COLOCADO. SONS. GUTENBERG GRAVOU EM PEDACINHOS DE MADEIRA AS LETRAS DO ALFABETO. E PASSARAM AO PLANO COLETIVO.. ETC. VAMOS DISCUTI-LOS: PLANTAS : .. ELEVAÇÕES E CORTES. NESTE CONTÍNUO PROGRESSO CIENTÍFICO. JUSTAPÔS E FORMOU PALAVRAS LINHAS. POR NÃO TERMOS ATÉ AGORA A DEFINIÇÃO EXATA DA CONSISTÊNCIA E DO CARÁTER DO ESPAÇO ARQUITETÔNICO. ABRIU CAMINHO PARA AS QUE AS OBRAS POÉTICAS DEIXASSEM DE SER PROPRIEDADE E INSTRUMENTO DE UMA CLASSE RESTRITA DE INTELECTUAIS. MESMO COM BOA DECORAÇÃO b. UMA PROBLEMÁTICA DOS MEIOS QUE POSSUÍMOS. EM 1877 EDISON REGISTROU. SEM DÚVIDA.ESPAÇO INTERIOR NEG = EDIFICAÇÃO NÃO É ARQ. O PROBLEMA DA REPRESENTAÇÃO DO ESPAÇO. PELA PRIMEIRA VEZ. POIS É NELE QUE VIVEMOS NOSSA VIDA RESENHA 3 A REPRESENTAÇÃO DO ESPAÇO EM 1475. ASSIM. FOTOGRAFIAS SE NÃO EXISTE UMA MANEIRA SATISFATÓRIA DE REPRESENTAR AS CONCEPÇÕES ESPACIAIS HÁ. MESMO COM MÁ DECORAÇÃO QUANDO ESPAÇO INTERIOR E DECORAÇÃO SÃO POSITIVOS. NÃO SE ESGOTA NO ESPAÇO INTERIOR EQUAÇÃO ARQUITETÔNICA = JULGAMENTO ARQUITETÔNICO a. A ARQUITETURA MANTEM-SE ISOLADA E SÓ. LONGE E TER SIDO RESOLVIDO. TEMOS AS GRANDES OBRAS CONCLUSÃO : É O ESPAÇO INTERIOR. E CHEGASSE ÀS CLASSES POPULARES EM 1839 DAGUERRE INVENTOU A FOTOGRAFIA. MAS PÉSSIMO ESPAÇO URBANO OU VICE-VERSA 2.EXPERIÊNCIA ESPACIAL SÓ NO INTERIOR DO EDIFÍCIO? NÃO.ESPAÇO INTERIOR POS = É ARQ. FALTOU À EXIGÊNCIA DE REPRESENTA-LO E DIFUNDI-LO. AS EXPERIÊNCIAS VISUAIS. TUDO O QUE EXCLUÍMOS COMO ARQ. ARQUITETÔNICO OU URBANÍSTICO. HUMANAS E ARTÍSTICAS DEIXARAM DE SER EXCLUSIVAS DAS POUCAS PESSOAS QUE PODIAM PAGAR A UM PINTOR. NAS PRAÇAS ENTÃO. QUE VALE O VAZIO É O PROTAGONISTA DA ARQ.VALOR DA ARQ.

OS GREGOS OUVIAM SEU ARGUMENTO RESUMIDO NUM PRÓLOGO. MAS ESTA LIBERDADE DELIMITADA. NA PLANTA. MICHELANGELO NÃO CONCEBEU. OLHANDO A PLANTA. EM GRANDE PARTE. FATOR DO ESPAÇO URBANÍSTICO – CRIADOS E DEFINIDOS SIMULTANEAMENTE POR UMA MESMA ASPIRAÇÃO. NA EDUCAÇÃO ARQUITETÔNICA. TENHAMOS COMO EXEMPLO A PLANIMETRIA FEITA POR MICHELANGELO BUONARROTI. NAS OBRAS EDIFICADAS POR CAMADAS SUCESSIVAS. EM ROMA. MAS NAS CONCEPÇÕES UNITÁRIAS EXISTE UMA COERÊNCIA. MAS CADA UMA DELA É INSUFICIENTE. NÃO É O LIMITE POSTO À LIBERDADE ESPACIAL. AS PAREDES PINTADAS DE PRETO SEPARAM O ESPAÇO EXTERIOR OU URBANÍSTICO DO ESPAÇO INTERIOR. DEFINIDA E POTENCIALIZADA ENTRE AS PAREDES. ASSIM. MAS. O PROBLEMA ANTES E REPRESENTAR UMA TRAGÉDIA. MAIS PROPRIAMENTE ARQUITETÔNICO.7 SÃO UMA COISA ABSTRATA PORQUE ESTÃO COMPLETAMENTE FORA DE TODAS AS CONCRETAS EXPERIÊNCIAS VISUAIS DE UM EDIFÍCIO. NA DIDÁTICA LITERÁRIA. SE PERCORRERMOS OS LIVROS DE ARQUITETURA. DIRIGIDA AO GRANDE PÚBLICO. NA REPRESENTAÇÃO TRADICIONAL EM PLANTA. CADA UMA DESTAS INTERPRETAÇÕES EXPRIME UM ELEMENTO REAL DO ESPAÇO DESEJADO POR MICHELANGELO. A ESSÊNCIA DA ARQUITETURA. O IMPORTANTE. SEPARADAMENTE. . EM ÉPOCAS DIFERENTES. QUE CONFUNDE NESTE PRIMEIRO MOMENTO CRÍTICO. PARA AS ELEVAÇÕES. O DESENROLAR DA AÇÃO. AINDA HOJE. A SABER VER A ARQUITETURA. E POR VÁRIOS ARQUITETOS. OUTRO AS FACHADAS. UMA INTERDEPENDÊNCIA E DIRIA MESMO QUASE UMA IDENTIDADE ENTRE ESPAÇO INTERIOR E VOLUMETRIA – POR SUA VEZ. EM QUE TODO O ESFORÇO É DEDICADO À ILUSTRAÇÃO DA ESSÊNCIA ESPACIAL DA ARQUITETURA. SÃO UM DOS MEIOS FUNDAMENTAIS DA REPRESENTAÇÃO ARQUITETÔNICA. NO MODELO TRADICIONAL. UM AUTOR PODERÁ REALÇAR A FORMA EM CRUZ DA IGREJA. DA BASÍLICA DE SÃO PEDRO. NÃO SE REPRESENTA O "VAZIO" POR ONDE A VISÃO SE ESPRAIA E NA QUAL SE EXPRIME O VALOR DA CRIAÇÃO DE MICHELANGELO. DEDICA-SE CONSIDERÁVEL PARTE DO TRABALHO À SIMPLIFICAÇÃO DA MATÉRIA. E ACOMPANHAVAM. NENHUMA PESSOA DE BOM SENSO PODERÁ DIZER QUE ESTA É A MELHOR REPRESENTAÇÃO DA CONCEPÇÃO ESPACIAL DE BUONARROTI PARA UM JOVEM QUE SE INICIE NO ESTUDO DA ARQUITETURA. AINDA IGNORA. A ESTRUTURA ANTECEDE AOS ACABAMENTOS. UM TERCEIRO DARÁ MAIOR VALOR ÀS 4 CÚPULAS E ÀS ABÓBADAS. ACEITA-SE AS DIFERENÇAS. FACHADAS O RACIOCÍNIO QUE SE DESENVOLVEU EM RELAÇÃO ÀS PLANTAS REPETE-SE. ONDE UM TENHA CRIADO O INTERIOR. MESMO QUE NINGUÉM CONSIGA ENCONTRAR UM MÉTODO PARA EXPRIMIR ADEQUADAMENTE EM PLANTA UMA CONCEPÇÃO ESPACIAL. NAS CRITICAS DA OBRA DA BASÍLICA. PRIMEIRO O INTERIOR E DEPOIS O EXTERIOR DA BASÍLICA: ELE CRIOU TODO O CONJUNTO DE SÃO PEDRO AO MESMO TEMPO. OUTRO JULGARÁ OPORTUNO SUBLINHAR A PREDOMINÂNCIA ARQUITETÔNICA DA CÚPULA CENTRAL. ENQUANTO A DIDÁTICA ARQUITETÔNICA. O ESPAÇO ÀS DECORAÇÕES. SIMPLIFICADO. UM MESMO ARTISTA. EXISTE UMA OSTENTAÇÃO DE DETALHES. PODER-SE-Á ENSINAR A COMPREENDER O ESPAÇO. PARA PROPOR A UM LEIGO A COMPREENSÃO DE UMA PLANTA DE MICHELANGELO. DEVE SER FEITO NO MESMO SENTIDO EM QUE MICHELANGELO DESENVOLVEU SUA CRIAÇÃO. A SÍNTESE ANTECEDE À ANÁLISE. O PROCESSO CRÍTICO. UM MESMO TEMA.

COMO É FEITA. REVIVEREMOS OS NOSSOS PASSOS E UMA GRANDE PARTE DA EXPERIÊNCIA ESPACIAL QUE OS ACOMPANHOU. POR UM ELEMENTO FUNDAMENTAL. ELA É COMPLETAMENTE SATISFATÓRIA? NÃO DIRÍAMOS TAL COISA: A MODELAGEM REVELA-SE MUITO ÚTIL. POR EXEMPLO. PODE-SE IMAGINAR UM MÉTODO MENOS PENSADO E MAIS CONTRADIZENTE? VAMOS CAINDO NA MODA DE UMA GRAFIA ABSTRATA. QUER NO ESPAÇO INTERIOR. A TAREFA DA EDUCAÇÃO ESPACIAL DAS MASSAS SERÁ AMPLAMENTE FACILITADA. NEM MESMO COM AS VISTAS AÉREAS. TODO O EDIFÍCIO. MAS NÃO PODE SATISFAZER PLENAMENTE. MENOS A SUA ESSÊNCIA ESPACIAL. DEVERIA SER AMPLAMENTE APLICADA NO ENSINO DA ARQUITETURA. O CARÁTER DE TODA OBRA ARQUITETÔNICA É DETERMINADO. MAQUETES E FOTOGRAFIAS.. É EVIDENTE QUE NEM UMA. NEM CEM FOTOGRAFIAS PODERÃO ESGOTAR A REPRESENTAÇÃO DE UM EDIFÍCIO. TAL REPRESENTAÇÃO EQUIVALERIA À QUE. PARA REPRODUZIR UMA ESTÁTUA. EM SEGUIDA. PROJETARMOS O FILME. PLANTAS. SE. TEM DIMENSÕES QUE ULTRAPASSAM AS 4. PORQUE OMITE UM FATORCHAVE DE TODA A CONCEPÇÃO ESPACIAL: O PARÂMETRO HUMANO. DOIS. O CARÁTER PRIMORDIAL DA ARQUITETURA É O ESPAÇO INTERIOR. O CONJUNTO COMPLETO DO EDIFÍCIO SE PERCORRERMOS UM EDIFÍCIO COM UMA FILMADORA E. ALIÁS. A JUSTAPOSIÇÃO E A INTERPENETRAÇÃO DOS VOLUMES NOS FORNECEM OS INSTRUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ESTA REPRESENTAÇÃO. E NEM MESMO O ARQUITETO MAIS HABITUADO A LER UM DESENHO DE IMAGEM DE UMA CONCEPÇÃO ARQUITETÔNICA. QUER NA VOLUMETRIA DAS PAREDES. A ESCALA. OU SEJA. A CINEMATOGRAFIA REPRESENTARÁ UM. COMO JÁ ESCLARECEMOS. DÁ O SENTIDO DA ESCALA AO EDIFÍCIO: POR OUTRO LADO. COLOCÁSSEMOS EM DESTAQUE LINEAR APENAS OS SEUS CONTORNOS. QUANDO A HISTÓRIA DA ARQUITETURA FOR ENSINADA MAIS COM O CINEMA DO QUE COM OS LIVROS. A FOTOGRAFIA TEM MUITAS VANTAGENS EM RELAÇÃO ÀS MAQUETES PORQUE (SOBRETUDO SE COMPREENDE UMA FIGURA HUMANA). A RELAÇÃO ENTRE AS DIMENSÕES DO EDIFÍCIO E AS DIMENSÕES DO HOMEM. QUANDO DEPOIS PASSAMOS A UM EDIFÍCIO CUJA ESTRUTURA NÃO ESTÁ ENCERRADA DENTRO DE UMA FORMA SIMPLES. COMO JÁ CONCLUÍMOS ANTERIORMENTE. TRÊS CAMINHOS . A TÉCNICA REPRESENTATIVA DEVE SER SUBSTANCIALMENTE DIFERENTE. A CASA DA CASCATA (FALLING WATER) CADA VEZ QUE ESTE INVÓLUCRO SUGERE TEMAS PREDOMINANTEMENTE VOLUMÉTRICOS. PODERIA COMPREENDER. TEM A DESVANTAGEM DE NUNCA REPRESENTAR. ISTO É. CINEMATOGRAFIA : EIS OS NOSSOS MEIOS PARA REPRESENTAR OS ESPAÇOS. POR ESSE PROSPECTO. ESSE MÉTODO DE REPRESENTAÇÃO É SIMPLESMENTE RIDÍCULO: NEM UM LEIGO. E SE O SEU VALOR DERIVA DO VIVER SUCESSIVAMENTE TODAS AS SUAS ETAPAS ESPACIAIS. FOTOGRAFIAS A FOTOGRAFIA CUMPRE A IMPORTANTE MISSÃO DE REPRODUZIR FIELMENTE TUDO O QUE EXISTE DE BI E TRIDIMENSIONAL NA ARQUITETURA.8 ENCONTRAREMOS DESCRIÇÕES DO MÉTODO LINEAR. DECIDIDAMENTE ANTIARQUITETÔNICA. A ARQUITETURA. VISTO TRATAR-SE DE UM PROBLEMA ESSENCIALMENTE ESCULTÓRICO. FACHADAS E SEÇÕES.

NENHUMA REPRESENTAÇÃO É SUFICIENTE. ISTO É. NO PROCESSO HISTÓRICO-ARTÍSTICO HÁ PRESSUPOSTOS A SEREM CONSIDERADOS. E NO SISTEMA DE VIDA.PRESSUPOSTOS TÉCNICOS : O PROGRESSO DAS CIÊNCIAS E DAS SUAS APLICAÇÕES NO ARTESANATO E NA INDÚSTRIA 4. COM BASE NAQUELA CULTURA ESPACIAL OU NAQUELE GOSTO ARQUITETÔNICO. SERÁ ESTA A HORA DA ARQUITETURA. MAS ESTE SE APREENDE ATRAVÉS DE CAMINHOS INFINITOS. PRECISAMOS NÓS MESMOS IR. QUE VEREMOS A SEGUIR: 1. RESENHA 4 AS VÁRIAS IDADES DO ESPAÇO A ARQUITETURA CORRESPONDE ÀS EXIGÊNCIAS DA NATUREZA TÃO DIFERENTES QUE DESCREVER ADEQUADAMENTE O SEU DESENVOLVIMENTO SIGNIFICA ENTENDER A PRÓPRIA HISTÓRIA DA CIVILIZAÇÃO.9 POSSÍVEIS DO OBSERVADOR NO ESPAÇO. ENTRE AMAR E LER ROMANCES DE AMOR. VIVEMOS OS ESPAÇOS COM UMA ADESÃO INTEGRAL E ORGÂNICA. EXISTE UM ELEMENTO FÍSICO E DINÂMICO NA CRIAÇÃO E NA APREENSÃO DA QUARTA DIMENSÃO COM O PRÓPRIO CAMINHO. NAS RELAÇÕES DE CLASSE E NOS COSTUMES QUE DELAS DERIVAM 2. PRATICAMENTE NECESSÁRIO. SER INCLUÍDOS.PRESSUPOSTOS INTELECTUAIS : INCLUEM NÃO SÓ AQUILO QUE SÃO A COLETIVIDADE E O INDIVÍDUO.O MUNDO FIGURATIVO E ESTÉTICO : . TODO O RESTO É DIDATICAMENTE ÚTIL. ESPIRITUAIS E SOBRETUDO HUMANOS. FALTA. INTELECTUALMENTE FECUNDO. ESTE IMPULSO DE PARTICIPAÇÃO COMPLETA ONDE QUER QUE EXISTA UMA PERFEITA EXPERIÊNCIA ESPACIAL A VIVER. NA REPRESENTAÇÃO FOTOGRÁFICA. TORNARMO-NOS E SENTIRMO-NOS PARTE E MEDIDA DO CONJUNTO ARQUITETÔNICO. DAS PERSONALIDADES CRIADORAS QUE. HÁ DIFERENTES CONCEPÇÕES ESPACIAIS E É A HISTÓRIA E APRECIAÇÃO DOS VALORES ARTÍSTICOS. MAS É MERA ALUSÃO E FUNÇÃO PREPARATÓRIA DESSA HORA EM QUE. TODOS NÓS. ESTE SE FUNDAMENTA NA SITUAÇÃO ECONÔMICA DO PAÍS E DOS INDIVÍDUOS QUE PROMOVEM AS CONSTRUÇÕES.PRESSUPOSTOS SOCIAIS : TODOS OS EDIFÍCIOS SÃO RESULTADOS DE UM PROGRAMA CONSTRUTIVO. MAS TAMBÉM O QUE QUEREM SER 3. SERES FÍSICOS. DEVEMOS NÓS MESMOS NOS MOVER. QUE PRODUZIRAM OBRAS-PRIMAS. É A DIFERENÇA QUE EXISTE ENTRE DANÇAR E VER DANÇAR.

ANÁLISE DOS ELEMENTOS DECORATIVOS: DA ESCULTURA E DA PINTURA APLICADAS A ARQUITETURA E SOBRETUDO AOS SEUS VOLUMES 5.10 O CONJUNTO DAS CONCEPÇÕES E INTERPRETAÇÕES DA ARTE E O VOCABULÁRIO FIGURATIVO QUE. ANALISADOS NO CONJUNTO DE SUAS RELAÇÕES VARIÁVEIS. EM VEZ DE ACRESCENTAR MAIS UMA MONOGRAFIA CRÍTICA PARTICULAR QUE DEIXARIA DE SOLUCIONAR A QUESTÃO SOBRE A VALIDADE GERAL DA INTERPRETAÇÃO ESPACIAL AQUI DIFUNDIDA 1.ANÁLISE URBANÍSTICA : ISTO É. EM LINGUAGEM INDIVIDUAL. POR ISTO É PREFERÍVEL PARA O NOSSO OBJETIVO TRAÇAR UM ARCO. APRESENTAM A CENA SOBRE A QUAL NASCE A ARQUITETURA. O QUE FALTA E A EDUCAÇÃO ESPACIAL. A LACUNA CONSISTE NA IGNORÂNCIA DO ESPAÇO INTERIOR. FORMA A LÍNGUA DE ONDE OS POETAS EXTRAEM PALAVRAS E FRASES PARA EXPRIMIR. A HISTÓRIA DOS ESPAÇOS EXTERIORES EM QUE SURGE O MONUMENTO E QUE ELE CONTRIBUI PARA CRIAR 2.ANÁLISE VOLUMÉTRICA: É O ESTUDO DO INVÓLUCRO MURAL QUE CONTEM O ESPAÇO 4. DA ANTIGUIDADE ATÉ NOSSOS DIAS. EM CADA ÉPOCA. DAS IDADES ESPACIAIS. LIVRE DE MITOS E PROTECIONISMOS CULTURAIS. AINDA QUE UNILATERAL E APENAS SUPERFICIAL. SÃO SEMPRE OS PRODUTOS DA COEXISTÊNCIA E DO EQUILÍBRIO DE TODOS OS COMPONENTES DE CIVILIZAÇÃO EM QUE SURGEM A CRITICA DOS MONUMENTOS TAMBÉM PODE ARTICULAR-SE ESQUEMATICAMENTE NA SEGUINTE CLASSIFICAÇÃO APROXIMATIVA: 1. FRANCAMENTE ATREVIDA. AS SUAS CRIAÇÕES TODOS ESTES FATORES. A CRITICA ARQUITÔNICA PRECISA DE UMA DECLARAÇÃO DE INDEPENDÊNCIA DOS TABUS MONUMENTAIS E ARQUITETULÓGICOS.ANÁLISE DA ESCALA SÃO AS RELAÇÕES DIMENSIONAIS DO EDIFÍCIO RELATIVAMENTE AO PARÂMETRO HUMANO NA ANÁLISE CLÁSSICA DA CRITICA VOLUMÉTRICA E PLÁSTICA DOS MONUMENTOS. .A ESCALA HUMANA DOS GREGOS O TEMPLO GREGO CARACTERIZA-SE POR UMA ENORME LACUNA E UMA SUPREMACIA INCONTESTADA ATRAVÉS DE TODA A HISTORIA.ANÁLISE ARQUITETÔNICA : É A HISTORIA DA CONCEPÇÃO ESPACIAL 3.

O ESPAÇO INTERIOR. É PORQUE UNS CONSIDERARAM A NEGAÇÃO DO ESPAÇO. RECORREU-SE A ARQUITETURA HELÊNICA NOS GRANDES TEMAS MONUMENTAIS E NOS ELEMENTOS DECORATIVOS. E QUE TEVE A SUA PRIMEIRA MANIFESTAÇÃO ARQUITETÔNICA NOS OBSCUROS SILÊNCIOS DAS CATACUMBAS. SE. FICA ENCANTADO COMO SÓ ACONTECE DIANTE E POUQUÍSSIMAS OBRAS DO GÊNERO HUMANO. PARA AS SUAS CONSTRUÇÕES. NUNCA DE ARQUITETURA. PODEMOS NOTAR MAIS ESTE FATO: NO TEMPLO GREGO. ISTO É. AO REDOR DO TEMPLO. SOBRETUDO UMA CONCEPÇÃO ESPACIAL FUGIRÁ HORRORIZADO. A HISTORIA DA ARQUITETURA DAS ACRÓPOLES É ESSENCIALMENTE UMA HISTORIA URBANÍSTICA TODA A ARQUITETURA RESPONDE A UM PROGRAMA CONSTRUTIVO E. EM PROBLEMAS DE SUPERFÍCIE PLÁSTICA E VOLUMÉTRICA. O ESPAÇO INTERIOR ESTÁ PRESENTE DE MANEIRA GRANDIOSA E SE OS ROMANOS NÃO TINHAM O SENSÍVEL REQUINTE DOS ESCULTORES-ARQUITETOS GREGOS. NOS RECINTOS SAGRADOS. MAS COMO A MORADA IMPENETRÁVEL DOS DEUSES. UMA PLATAFORMA ELEVADA. O GÊNIO DA ARQUITETURA. UMA SÉRIE DE COLUNAS APOIADAS SOBRE ELA E UM ENTABLAMENTO CONTINUO QUE SUSTENTA O TETO. FEITAS ALGUMAS EXCEÇÕES NEOCLÁSSICAS. FORA DOS ESPAÇOS INTERIORES E DAS HABITAÇÕES HUMANAS. FUNCIONAL OU SIMBOLICAMENTE. A CIVILIZAÇÃO GREGA SE EXPRIMIU AO AR LIVRE. NOS TEATROS DESCOBERTOS. ESTAVA LONGE DO PENSAMENTO GREGO. NO CORREDOR QUE VAI DA COLUNATA À PAREDE EXTERIOR DA CELA. POR ISTO. AS REPETIÇÕES E AS CÓPIAS ESPALHADAS POR TODO O MUNDO CONSTITUEM TRISTES MASCARAMENTOS DE INVÓLUCROS MURAIS QUE ENCERRAM ESPAÇOS INTERIORES E CONSERVAM. TINHAM O GÊNIO DOS CONSTRUTORES-ARQUITETOS QUE É. TODAS AS CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS DA ARQUITETURA GREGA CARECENDO. DO PONTO DE VISTA CRIATIVO. . NAS ÉPOCAS ECLÉTICAS. AO MESMO TEMPO.11 A GLÓRIA NA ESCALA HUMANA. MAS QUEM SE APROXIMA DO PARTENON E O ADMIRA COMO UMA GRANDE ESCULTURA. OS RITOS REALIZAVAM-SE DO LADO DE FORA. QUANDO FALTA INSPIRAÇÃO ORIGINAL. A FORÇA MOTRIZ DA PREGAÇÃO CRISTÃ (INTROSPECÇÃO). ASSINALANDO-O AMEAÇADORAMENTE COMO EXEMPLAR TÍPICO DE NÃO-ARQUITETURA. NUNCA FOI PENSADO. DA QUALIDADE DE ESCALA HUMANA QUE OS MONUMENTOS ORIGINAIS POSSUÍAM. RESENHA 5 O ESPAÇO ESTÁTICO DA ANTIGA ROMA O PARTENON É OBRA NÃO ARQUITETÔNICA. MAS NEM POR ISTO DEIXA DE SER OBRAPRIMA ARTÍSTICA. POREM. E OUTROS A EXALTAÇÃO DA ESCALA HUMANA QUEM INVESTIGAR ARQUITETONICAMENTE O TEMPLO GREGO BUSCANDO. FORA MESMO DOS TEMPLOS DIVINOS. OS ELEMENTOS CONSTRUTIVOS DO TEMPLO GREGO SÃO. EM TODOS OS TEMPOS DA CRITICA ARQUITETÔNICA GREGA ENCONTRAMOS FRENTE A FRENTE EXALTADORES E DETRATORES DO TEMPLO GREGO. PORQUE NÃO RESPONDIA ÀS FUNÇÕES E INTERESSES SOCIAIS O TEMPLO GREGO NÃO ERA CONCEBIDO COMO A CASA DOS FIÉIS. COMO É SABIDO. O HOMEM CAMINHA APENAS NO PERISTILO. MAS NUNCA PODERMOS AFIRMAR QUE NÃO ERAM ARQUITETURA. NO FUNDO. NAS ACRÓPOLES. OS ARQUITETOS VÃO BUSCAR NAS FORMAS DO PASSADO OS TEMAS QUE SERVEM. MUITOS EDIFÍCIOS ROMANOS NÃO ERAM OBRAS DE ARTE.

A PLURIFORMIDADE DO PROGRAMA ROMANO NO QUE DIZ RESPEITO Á CONSTRUÇÃO. SÃO OBRAS QUASE SEMPRE FRIAS. SUBLINHADA PELOS ESPESSOS MUROS QUE OS SEPARAM FUNDAMENTALMENTE A ARQUITETURA ROMANA EXPRIME UMA AFIRMAÇÃO DE AUTORIDADE. OS GREGOS HAVIAM ALCANÇADO A ESCALA HUMANA NUMA RELAÇÃO ESTÁTICA DE PROPORÇÃO ENTRE COLUNA E ESTATURA DO HOMEM. E É POTENCIA E RAZÃO DE TODA A VIDA. QUE SE TORNOU MAIS PRECISA DEVIDO À ESCALA MONUMENTAL DA ARQUITETURA IMPERIAL. A DIRETRIZ HUMANA DO ESPAÇO CRISTÃO OS CRISTÃOS REUNIRAM NA IGREJA A ESCALA HUMANA DOS GREGOS E A CONSCIÊNCIA DO ESPAÇO INTERIOR ROMANO. MAS MUDARAM A SUA CONCEPÇÃO. ONDE NÃO NOS SENTIMOS EM NOSSA CASA. ENCONTRAMOS RELATIVAMENTE POUCOS ELEMENTOS DE DIFERENCIAÇÃO. ORIENTANDO TODO O EDIFÍCIO SEGUNDO O SEU CAMINHO. A AUTONOMIA ABSOLUTA QUANTO AOS AMBIENTES CONTÍGUOS. PARA AS IMENSAS SALAS DE MÁRMORE DAS ESTAÇÕES FERROVIÁRIAS. PRODUZIRAM UMA REVOLUÇÃO FUNCIONAL NO ESPAÇO LATINO A IGREJA CRISTÃ NÃO É O ESPAÇO MISTERIOSO QUE GUARDA UM DEUS.12 DEVE-SE REPUDIAR COMO INSENSATA A POSIÇÃO CRÍTICA DE ALGUNS TRATADOS ESTRANGEIROS EM QUE A ARQUITETURA ROMANA É DEFINIDA COMO FILHA OU ESCRAVA DA GREGA. IMPERA NOS AMBIENTES CIRCULARES E RETANGULARES A SIMETRIA. CONSTRUINDO E ENCERRANDO O ESPAÇO AO LONGO DE SEU CAMINHAR RESENHA 6 . EM OBRAS QUE IMPRESSIONAM PELA GRANDEZA E PELAS DIMENSÕES. ELAS RESPONDEM ÀS NECESSIDADES CONSTRUTIVAS DE SUSTENTAR AS TRAVES DE COBERTURA. NO DOMÍNIO DE OUTRAS TERRAS. MAS A HUMANIDADE DO MUNDO CRISTÃO ACEITA E GLORIFICA O CARÁTER DINÂMICO DO HOMEM. ABSORVE A ARQUITETURA DAS TERRAS CONQUISTADAS O CARÁTER FUNDAMENTAL DO ESPAÇO ROMANO É SER PENSADO ESTATICAMENTE. É LÓGICO QUE OS CRISTÃOS SE INSPIRARAM NA BASÍLICA. DE COMUNHÃO E DE ORAÇÃO DOS FIÉIS. O QUE VERIFICAMOS? FUNDAMENTALMENTE OS ROMANOS TOMARAM AS COLUNATAS QUE CINGEM O TEMPLO GREGO E AS TRANSPORTARAM PARA O INTERIOR. SURGE O TEMA SOCIAL BASÍLICA ROMA. E NÃO A UMA CONCEPÇÃO ESPACIAL INTERIOR. MAS NÃO COMOVEM PELA INSPIRAÇÃO. AO COMPARARMOS UMA BASÍLICA ROMANA A UMA DAS PRIMEIRAS IGREJAS CRISTÃS. SE COLOCARMOS LADO A LADO AS PLANTAS DE UM TEMPLO GREGO E DE UMA BASÍLICA ROMANA. A ESCALA DA ARQUITETURA ROMANA É A ESCALA DESTE MITO. A CIVILIZAÇÃO GREGA CONHECEU POUCAS COLUNATAS INTERIORES. É O SÍMBOLO QUE DOMINA A MULTIDÃO DE CIDADÃOS E ANUNCIA QUE O IMPÉRIO EXISTE. A REVOLUÇÃO ESPACIAL CONSISTIU EM ORDENAR TODOS OS ELEMENTOS DA IGREJA NA LINHA DO CAMINHO HUMANO. MAS O LUGAR DE REUNIÃO. AO LADO DA NECESSIDADE TÉCNICA. ALEM DA ESCALA. NÃO É E NÃO QUER SER A ESCALA DO HOMEM O ESTILO ROMANO SERVE HOJE PARA OS INTERIORES DE GRANDES BANCOS AMERICANOS. ESTÁ AUSENTE DA CONSTRUÇÃO GREGA. EM ROMA. MAS ONDE EXISTEM. EM NOME DO HOMEM.

É FÁCIL DEMONSTRAR QUE EXISTE ENTRE ELES NÃO SÓ DIVERSIDADE. LUTAS E DITADURAS.13 A ACELERAÇÃO DIRECIONAL E A DILATAÇÃO DE BIZÂNCIO O TEMA BASILICAL EXALTA-SE E EXASPERA-SE NO PERÍODO BIZANTINO. NESTES SÉCULOS DESCOBRIMOS A ORIGEM E O PRESSÁGIO DA ARQUITETURA ROMÂNICA. A INTUIÇÃO DAS CONCEPÇÕES ESPACIAIS DOS SÉCULOS XI E XII QUE CONSTITUEM O PRIMEIRO RENASCIMENTO DA ARQUITETURA EUROPÉIA OS ELEMENTOS QUE FORMAM A ORIGINALIDADE DA PRODUÇÃO DESSES SÉCULOS SÃO: 1. MAS OPOSIÇÃO. E SUBSTITUIR O MANTO SUPERFICIAL DO CROMATISMO BIZANTINO POR MATERIAIS BRUTOS E NATURAIS IMPLICA A INVERSÃO DA INTENÇÃO ESPACIAL E DOS ADJETIVOS DECORATIVOS. DEVE SER RECONHECIDO QUE A DILATAÇÃO DOS ESPAÇOS ROMANOS. LANÇA-SE ELASTICAMENTE PARA O EXTERIOR NUM MOVIMENTO CENTRIFUGO QUE ABRE. ENTRE VIII E X. ARTICULAR O EDIFÍCIO. VULGARES.O AMBULACRO OU DEAMBULATÓRIO (GALERIA QUE CIRCUNDA O ALTAR-MOR) 3. O QUE DIZER DO ESPAÇO DILATADO? PARTINDO DE DOIS PONTOS FIXOS DO AMBIENTE PRINCIPAL. SOBRETUDO.O ENGROSSAMENTO DAS PAREDES 4. CONJUGANDO A RESSUSCITADA TÉCNICA DAS ABÓBADAS EM CRUZ. A SUPERFÍCIE MURAL FOGE DO CENTRO DO EDIFÍCIO. TORNA-LO UM ORGANISMO MAIS COMPLEXO EM DETRIMENTO DE UMA VISÃO ESPACIAL UNITÁRIA 3. EM PLENO SÉCULO XV. NO XI E XII. ENCONTRA O SEU LIMITE NA MANIFESTA ROBUSTEZ DAS SUAS ESTRUTURAS MURAIS PARA QUEM QUISER CONFRONTAR O ESPAÇO PALEOCRISTÃO (PRIMEIROS CRISTÃOS) COM O BIZANTINO. O PROBLEMA DO ARQUITETO BIZANTINO NÃO É DE CARÁTER ESTRUTURAL. DE UMA GRAVIDADE DOMINANTE.INTRODUZIR O AMBULACRO QUE DIZER. IGNORANDO OS TRÊS SÉCULOS. É UMA MENSAGEM NOVA CUJA VOZ SERÁ OUVIDA NOS SÉCULOS SEGUINTES. EM SE TRATANDO DE ESPAÇO? 1. PEDRAS ÁSPERAS. CALHAUS (SEIXOS) O QUE SIGNIFICAM ESSAS INOVAÇÕES. ADQUIRIREM NOVA FÉ EM SÍ . ATÉ AGORA PURAMENTE DESENHADOS. ASSIM NOS EDIFÍCIOS DE PLANTA CÊNTRICA. E O SEU ECO SERÁ SENTIDO EM TODA A ARQUITETURA ORIENTAL E.ELEVAR O PRESBITÉRIO SIGNIFICA INTERROMPER O COMPRIMENTO DO AMBIENTE 2. LADRILHOS. O ESPAÇO É DILATADO ATÉ AS FLUÊNCIAS MAIS VELOZES E ÀS TENSAS DISTANCIAS. MAS LIMITA-SE A INTRODUZIR NO ESQUEMA LONGITUDINAL PALEOCRISTÃO A URGÊNCIA DE UMA ACELERAÇÃO COMO NA BASÍLICA LONGITUDINAL SE NEGAM AS RELAÇÕES VERTICAIS E SE EXASPERA O RITMO DIRETOR ATÉ UMA VELOCIDADE ALUCINANTE. CHEIOS DE INVASÕES. SÃO VISTOS NA HISTORIA DA ARQUITETURA COMO PRODUTORES DE MONUMENTOS APARENTEMENTE TOSCOS. NO TERRENO CRÍTICO DOS RESULTADOS ARQUITETÔNICOS. POR MAIS AMPLA E TECNICAMENTE CORAJOSA QUE SEJA. NA ARQUITETURA RUSSA.A ELEVAÇÃO DO PRESBITÉRIO (CAPELA-MOR) 2.INJETAR NO INVÓLUCRO MURAL O SENTIDO DE PESO. NO ENTANTO. QUE. PROCURARÁ RESISTIR ATÉ MESMO AO HUMANISMO ITALIANO A BARBÁRICA INTERRUPÇÃO DOS RITMOS NUMA RESENHA TÃO ESQUEMÁTICA E INCOMPLETA SERIA LEGITIMO PASSAR DO BIZANTINISMO PARA O ROMÂNICO.O GOSTO PELO MATERIAL BRUTO. RAREFAZ E DILATA O ESPAÇO INTERIOR. DA INFLUENCIA DILATADORA E DA VELOCIDADE DIRECIONAL DO ORIENTE VOLTA-SE PARA O SENTIDO SÓLIDO E CONSTRUTIVO DA TRADIÇÃO LATINA QUANDO PILARES. ESTES SÉCULOS. NA CRÔNICA FACTUAL SÃO SÉCULOS BÁRBAROS.

DESLIZANTE NA BIZANTINA 3. ATRAVESSAM DIAGONALMENTE AS ARCADAS E VOLTAM AO SOLO. MOVE-SE NA MÉTRICA.14 PRÓPRIOS E SE DESTACAREM DA PAREDE PARA FORMAR O CONJUNTO ESTRUTURAL. OS FIOS DE FERRO QUE. NUMA PALAVRA. É UMA ESTRUTURA EXTREMAMENTE SIMPLES : BASTAM POUCOS RETÂNGULOS PARA FORMAR PAREDES. ESTAMOS DIANTE E UM AUTENTICO TERREMOTO ORGÂNICO QUE. NÃO CAEM COM UM SOPRO DE VENTO PORQUE SEUS ELEMENTOS ESTÃO ESTREITAMENTE LIGADOS. E SE EXPRIME EM TERMOS DE ESTRUTURAS E OSSATURAS. DESTROÇA ESTA ARQUITETURA. ENTÃO A IDADE ROMÂNICA TERÁ SURGIDO A MÉTRICA ROMÂNICA NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XI E AO SURGIR DO SÉCULO XII A ARQUITETURA ROMÂNICA INSTITUI.NA IGREJA PALEOCRISTÃ O PASSO DO HOMEM ERA UNIFORMEMENTE CADENCIADO 2. CRIANDO ALGO DE INTEGRALMENTE DISTINTO ATÉ AGORA. PAVIMENTO E O LUGAR NORMALMENTE RESERVADO PARA AS MULHERES. PODE-SE DIZER QUE A ARQUITETURA DEIXA DE AGIR EM TERMOS DE SUPERFÍCIES. JÁ NA IGREJA ROMÂNICA. BASTA UMA ÚNICA MAQUETE PARA TODAS AS BASÍLICAS LONGITUDINAIS CRISTÃS ATÉ O ROMÂNICO. DEPOIS DE TER VOLTADO A PROPOR CRITICAMENTE NOS 3 SÉCULOS ANTERIORES. DESNUDANDO A MÁSCULA RUDEZA DO CORPO ESTRUTURAL.NAS CATEDRAIS ROMÂNICAS DE TODA A EUROPA. SEM ENCAIXE. CRAVADOS NO SOLO SE LEVANTAM ATÉ O TETO. O CONJUNTO ESTRUTURAL. A CIVILIZAÇÃO BARBÁRICA E PRIMITIVA DOS SÉCULOS VIII A X HAVIA ARRANCADO AS VESTES BIZANTINAS. AGORA O CORPO TORNA-SE ORGANISMO. ESTA MAQUETE. TOMA CONSCIÊNCIA DA SUA UNIDADE E DA SUA CIRCULAÇÃO. MAS DE UMA UNIDADE DE ARCADAS TRIDIMENSIONAIS EM SI MESMAS. O CAMINHO DO HOMEM RESPONDE ÀS SOLICITAÇÕES PSICOLÓGICAS MUITO MAIS COMPLEXAS DO QUE UMA DIRETRIZ UNÍVOCA RESENHA 7 . O PRIMEIRO PERÍODO EM QUE A CIVILIZAÇÃO DE TODA A EUROPA SE AGITA SINCRONICAMENTE EM NOME DE UMA MESMA RENOVAÇÃO DO CONJUNTO ARQUITETÔNICO QUANDO SE CHEGA AO ROMÂNICO. ENGLOBANDO O ESPAÇO INTERIOR DENTRO DE SÍ SE : 1. TODOS OS PROBLEMAS DA ARQUITETURA PALEOCRISTÃ E BIZANTINA. COM UM SOPRO DE VENTO CAIRÁ. A IGREJA CRISTÃ. POR SER COMPOSTA DE PLANOS DE PAPEL-CARTÃO JUSTAPOSTOS ENTRE SÍ. SE QUISERMOS RECONSTRUÍ-LA PLASTICAMENTE COM UMA MAQUETE DE PAPEL CARTÃO. ESTAMOS DIANTE DE UM CONJUNTO ROMÂNICO CARACTERIZADO POR DOIS FATOS: 1. O SIGNIFICADO SUBSTANCIAL DA CONTRIBUIÇÃO ROMÂNICA ESTÁ NO FATO DE NÃO MAIS SE FALAR EM TERMOS BIDIMENSIONAIS. DE PELE. VERTENTES DO TELHADO. DEPOIS DO FINAL DO IMPÉRIO ROMANO. NÃO SE TRATA JÁ APENAS DE UMA IDADE ESPACIAL.A CONCATENAÇÃO DE TODOS OS ELEMENTOS DO EDIFÍCIO 2.A MÉTRICA ESPACIAL NO QUE DIZ RESPEITO À PRIMEIRA CARACTERÍSTICA.

PELA PRIMEIRA VEZ NA HISTORIA DA ARQUITETURA. DA POSSIBILIDADE DE CRESCIMENTO. DEIXANDO CLARO QUE TODO EDIFÍCIO É QUALIFICADO PELA RELAÇÃO EXISTENTE ENTRE AS SUAS DIMENSÕES E AS DO HOMEM HÁ. CONTUDO. TODA A ARQUITETURA OCIDENTAL ATÉ O ROMÂNICO EXPRIMIU ESSAS PROPORÇÕES DE DUAS MANEIRAS : 1. FIBRAS E MÚSCULOS. MAS UM ESTADO DE ESPÍRITO DE DESEQUILÍBRIO. NOS TRÊS SÉCULOS SEGUINTES. CONSTITUIRIA SEU AMADURECIMENTO. DA ARTICULAÇÃO DOS EDIFÍCIOS. DA RELAÇÃO ENTRE ESSES DOIS RETÂNGULOS E O HOMEM. UM MITO QUE IMPRESSIONE. DE AFETOS E SOLICITAÇÕES CONTRADITÓRIOS. SABEMOS DISTINGUIR UM EDIFÍCIO CONCEBIDO E CONSTRUÍDO PARA O HOMEM DE UM EDIFÍCIOSIMBOLO. MESMO EM PLENO SÉC XVI. UM FEIXE DE OSSOS.15 OS CONTRASTES DIMENSIONAIS E A CONTINUIDADE DO GÓTICO ENTRE OS EQUÍVOCOS MAIS DEFINIDOS EXISTE AQUELE SEGUNDO O QUAL O GÓTICO SERIA UM SIMPLES DERIVADO DO ROMÂNICO. PROLONGAM-SE NELAS E AS DOMINAM. NA INGLATERRA E NA ALEMANHA. DUAS DIRETRIZES : A VERTICAL E A LONGITUDINAL TRATAM-SE DA RELAÇÃO ENTRE O RETÂNGULO DE SEÇÃO E O RETÂNGULO DE PLANTA E. RELATIVAMENTE AO HOMEM. O EQUILÍBRIO PERFEITO ENCONTRASE NOS TEMPLOS GREGOS E NOS EDIFÍCIOS DE ESQUEMA CENTRAL DA CRISTANDADE. UM ESQUELETO CONSTRUTIVO COBERTO DE CARTILAGEM IMATERIAL. ATÉ AQUI ESTABELECEMOS UMA DIFERENÇA DE ORDEM QUANTITATIVA E PSICOLÓGICA. COM O EQUILÍBRIO DAS DIRETRIZES VISUAIS. O PONTO DE CHEGADA QUE O ARQUITETO DO SÉC. ENCONTRAMOS A PREDOMINÂNCIA DE UMA DIRETRIZ NOS TEMPLOS EGÍPCIOS DE KARNAK OU DE LUXOR (DIRETRIZ HORIZONTAL). É O CONTRASTE DAS FORÇAS DIMENSIONAIS. JÁ MENCIONAMOS A ESCALA HUMANA EM OPOSIÇÃO Á ESCALA MONUMENTAL. DE LUTA. MAS ÀS PROPORÇÕES DO EDIFÍCIO EM SI. QUE DESIGNAMOS PELO NOME ORGÂNICA: A DA EXPANSÃO. OS ARTISTAS CONCEBEM ESPAÇOS QUE ESTÃO EM ANTÍTESE POLEMICA COM A ESCALA HUMANA E QUE PRODUZEM NO OBSERVADOR NÃO UMA CLAMA CONTEMPLAÇÃO. AS CATEDRAIS INGLESAS CONJUGAM-SE COM UMA SÉRIE DE OUTRAS CONSTRUÇÕES. COM A PREDOMINÂNCIA DE UMA DIRETRIZ. O EQUIVOCO BASEIA-SE NA CONFUSÃO FILOSÓFICA ENTRE PROGRESSO TÉCNICO E SUPOSTO PROGRESSO ARTÍSTICO E. NA FRANÇA. 2. XII PRETENDIA ATINGIR. UMA ÚNICA BELEZA – A DO CONJUNTO : EM QUE NADA SE PODE ELIMINAR NEM ACRESCENTAR . DOMINE O HOMEM. A CARACTERÍSTICA NARRATIVA DA ARQUITETURA E DO URBANISMO MEDIEVAL VIVE UM ÚNICO VALOR. OU ENTÃO NA BASÍLICA BIZANTINA (DIRETRIZ HORIZONTAL) NO GÓTICO. A ARQUITETURA GÓTICA INGLESA APRESENTA UMA QUALIDADE ABSOLUTAMENTE MODERNA. ALCANÇA O PAROXISMO DA TENSÃO. ENQUANTO A CATEDRAL DE MILÃO OU NOTRE-DAME SÃO CONSTRUÇÕES ISOLADAS. NA INDIFERENÇA EM RELAÇÃO AO ESPAÇO INTERIOR E À ESCALA DOS EDIFÍCIOS O CONJUNTO ROMÂNICO TORNA-SE MAIS LEVE E SE ESTENDE E. FRANCÊS E INGLÊS. OUTRO SIGNIFICADO DA ESCALA QUE DIZ RESPEITO NÃO ÀS RELAÇÕES DE PROPORÇÃO ENTRE O EDIFÍCIO E O HOMEM. O QUE É PIOR CRITICAMENTE. SE CONFRONTARMOS O GÓTICO ITALIANO. VERIFICAMOS QUE O CONTRASTE SE ACENTUA À MEDIDA QUE SE SOBE EM DIREÇÃO AO NORTE. CONSTRUÍDO PARA REPRESENTAR UMA IDÉIA. COEXISTEM E CONSTATAM NUMA ANTÍTESE SILENCIOSA MAS AGUDA. SE OPONHA. APENAS EM SEGUNDO LUGAR. OU MELHOR. EXISTE UM TEMA ESPACIAL QUE DISTINGUE A ARQ GÓTICA DA ROMÂNICA.

TODOS OS FATORES DECORATIVOS DE DISPERSÃO MEDIEVAL. QUAL O ELEMENTO NOVO QUE APARECE IMEDIATAMENTE NA ARQUITETURA DO SÉCULO XV? BUSCA-SE UMA ORDEM. ERA NATURAL QUE OS ARQUITETOS DO SÉCULO XV REVISSEM TODOS OS ESQUEMAS DISTRIBUTIVOS TRADICIONAIS. E A CASUALIDADE DO ROMÂNICO. O SEGUNDO QUERIA REDUZI-LA A UM NEO. A UM RETORNO DA ARQUITETURA ROMANA. NOSSA RECUSA CONTEMPORÂNEA DA ARQUITETURA MONUMENTAL. ATUANDO SOBRE O HOMEM. E MAIS PRECISAMENTE TRADUZIR EM TERMOS DE ESPAÇO A MÉTRICA QUE NO PERÍODO ROMÂNICO E GÓTICO FORA EMINENTEMENTE PLANIMÉTRICA. SEGUNDO O QUAL É O HOMEM QUE DITA LEIS AO EDIFÍCIO. A DISPERSÃO DO ESPAÇO GÓTICO. ABRE-SE O SEGUNDO. PELA PRIMEIRA VEZ. A INFINITUDE. SÃO ABOLIDOS . ISTO É. AGORA ENCONTRAMOS EXATAMENTE O INVERSO. INCAPAZ DE LHE CONFERIR UMA HISTORICIDADE 2. DA CASA PENSADA SEGUNDO AS EXIGÊNCIAS MATERIAIS. POSSUI O SEGREDO DO EDIFÍCIO A GRANDE CONQUISTA ITALIANA DO SÉCULO XV É LEVAR O MESMO SENTIDO QUE VIVE NO TEMPLO PARA O CAMPO DOS ESPAÇOS INTERIORES. PARA TORNAR UNITÁRIA A CONCEPÇÃO ARQUITETÔNICA. CONDUZIDO SUA VISTA AO LONGO DAS DIRETRIZES DESEJADAS PELO ARQUITETO. FOI POLEMICA E MORDAZ COMO A ABOLIÇÃO DA DECORAÇÃO POR PARTE DO FUNCIONALISMO EM RELAÇÃO À ORNAMENTAÇÃO ARQUITETÔNICA DO SÉCULO XIX . OS OUTROS ELEMENTOS ORIGINAIS DA ARQUITETURA DO SÉCULO XV JUSTIFICAM-SE SOBRETUDO EM NOME DAS MESMAS EXIGÊNCIAS ESPACIAIS. POR ISSO. A RENASCENÇA FOI. O PROGRAMA DE CONTROLAR RACIONALMENTE TODA ENERGIA DINÂMICA INSERIDA NOS EIXOS NO TRABALHO MURAL ENCONTRAMOS O MESMO PROGRAMA. DURANTE LONGO TEMPO. UMA DISCIPLINA CONTRA A INCOMENSURABILIDADE. OBJETO DE DOIS PRECONCEITOS ANTITÉTICOS : 1. COMPARADA COM A RIQUÍSSIMA PALETA PICTÓRICA DAS SUPERFÍCIES DO SÉC XV. E POSSUI-SE FACILMENTE SUA LEI. TRATA-SE DE UMA INOVAÇÃO RADICAL DO PONTO DE VISTA PSICOLÓGICO E ESPIRITUAL : ATÉ AGORA O ESPAÇO DO EDIFÍCIO HAVIA DETERMINADO O TEMPO DA CAMINHADA DO HOMEM. TODA ESSA NOSSA ATITUDE SEMPRE EXISTENTE. E NÃO O CONTRARIO A LUZ DESTA EXIGÊNCIA INTELECTUAL. O DOMINA E O OPRIME. UMA LEI. JÁ NÃO É O EDIFÍCIO QUE POSSUI O HOMEM. COMEÇANDO PELO CROMATISMO. MEDE-SE. ORGÂNICA E ESPIRITUAL. TODO O ESPAÇO. EM POUCOS SEGUNDOS DE OBSERVAÇÃO. A TENTATIVA PALEOCRISTÃ E BIZANTINA HAVIA SIDO LEVAR UMA DINÂMICA ATÉ MESMO AOS EDIFÍCIOS CÊNTRICOS. A PREMISSA SOCIAL DA CIDADE DO HOMEM. BRUNELLESCHI SENTIU A NECESSIDADE DE NEGAR AO MÁXIMO O EIXO LONGITUDINAL E DE CRIAR UMA CIRCULARIDADE AO REDOR DA CÚPULA. PSICOLÓGICAS E RELIGIOSAS DO CIDADÃO MODERNO . COM BRUNELLESCHI. ENCONTRA UM FUNDAMENTO NA ARQUITETURA DO SÉCULO XV. MAS ESTE QUE. A RENASCENÇA FOI O BERÇO DA MAIS OUSADA EXPERIÊNCIA MODERNA. O PRIMEIRO QUERIA APRESENTA-LA COMO UMA NOVIDADE ABSOLUTA EM RELAÇÃO AO PERÍODO PRECEDENTE E ERA. A BICROMIA DOS EDIFÍCIOS DE BRUNELLESCHI. NOSSA TOLERÂNCIA LIBERAL EM RELAÇÃO A TUDO QUE. QUANDO SE ENTRA NAS BASÍLICAS DE SAN LORENZO E DE SANTO SPIRITO. PARA CONTROLAR INTEIRAMENTE O ESPAÇO. APRENDENDO A LEI SIMPLES DO ESPAÇO. EXATAMENTE PORQUE ENTÃO SE LANÇAM AS BASES DO PENSAMENTO MODERNO NA CONSTRUÇÃO.16 AS LEIS E AS MEDIDAS DO ESPAÇO DO SÉCULO XV COM O GÓTICO ENCERRA-SE O PRIMEIRO VOLUME DOS MANUAIS DE HISTORIA DA ARTE: COM O RENASCIMENTO. RETIRANDO-LHE TODOS OS PREDICADOS DE VITALIDADE CRIADORA.

. O TEMPIETTO. COM O DESAPARECIMENTO DAS DIRETRIZES LINEARES. DE PERFEIÇÃO. QUE INAUGURA O SÉC XVI É UM POUCO O PARTENON DA ÉPOCA E. ACALMAM-SE DEFINITIVAMENTE. SEGUINTE. SE O GÓTICO HAVIA MARCADO A VONTADE DO ESPAÇO CONTINUO INFINITO NO COMPRIMENTO DISPERSIVO DE SEUS VISUAIS. E CONCLUIU NAS PAREDES UMA INSPIRAÇÃO REALIZADA NA CONSTRUÇÃO DE VAZIOS. RESENHA 8 VOLUMETRIA E PLÁSTICA DO SÉCULO XVI OS TEMAS ESPACIAIS FUNDAMENTAIS INAUGURADOS NO SÉC XV PROLONGAM-SE NO SÉC. TODAS AS DIRETRIZES VISUAIS DINÂMICAS SÃO EXCLUÍDAS. SE A BASÍLICA CRISTÃ DÁ O TEMPO DA CAMINHADA DO HOMEM. O SÉC XVI QUALIFICA A MESMA BUSCA ESPACIAL EM TERMOS EURRÍTMICOS. PARA O QUE DIZ RESPEITO AOS TEMAS ESPACIAIS. NO SÉC XVI TODAS AS FORÇAS DINÂMICAS. NA CRITICA DA ARQUITETURA DO SÉC XVI. PARA A AGULHA. SE UMA TORRE GÓTICA IMPELE A VISTA PARA O ALTO. EIS QUE ALBETI. COM SUAS ESTRUTURAS ESBELTAS E COM COMPLACÊNCIAS LINEARES INDICAM UM ITINERÁRIO VISUAL CIRCULAR. AINDA QUE DENTRO DO ESQUEMA SIMÉTRICO. A VISÃO DO ESPAÇO ABSOLUTO. EM NOME DESTE GOSTO. O QUE BRUNELLESCHI FEZ NOS ESPAÇOS INTERIORES. DIVIDE E MEDE A SUPERFÍCIE VOLUMÉTRICA COM PILARES. QUE ANTES HAVIAM SIDO TRAVADAS MAS NÃO EXTINTAS. MAS O ORDENOU SEGUNDO UMA MÉTRICA RACIONAL QUE O TORNAVA DEFINÍVEL E MENSURÁVEL AGORA. EXPRIMINDO-SE EM EQUILÍBRIOS EURRÍTMICOS (REGULARIDADE ENTRE AS PARTES DE UM TODO) DE PROPORÇÃO. O MOVIMENTO E A INTERPENETRAÇÃO NO ESPAÇO BARROCO. TRIUNFAM O VOLUME E A PLÁSTICA. UMA VEZ QUE O PROGRAMA ARQUITETÔNICO DO SÉC XVI IMPÕE OS ESPAÇOS INTERIORES. FOI UM ATO DE PROFUNDA COERÊNCIA E POR ISSO DE INTIMA VALIDADE CULTURAL E ARTÍSTICA. MAS A ANALOGIA ENTRE A GRÉCIA E O SÉC XVI NÃO VAI ALEM DESTE COMUM IDEAL FORMAL. CORPÓREA. COMO TAL. E A RITMA SEGUNDO MÓDULOS SIMPLES. COM O PALAZZO RUCELLAI.17 OS PALÁCIOS MEDIEVAIS APRESENTAM SUPERFÍCIES NÃO TRABALHADAS EM QUE AS JANELAS SÃO FATOS CASUAIS. ALBERTI EFETUOU NAS SUPERFÍCIES É ESTA A DETESTADA DECORAÇÃO APLICADA? CERTAMENTE. NUNCA DEVE SER CONFUNDIDA COM O ESPAÇO ESTÁTICO ROMANO. OS MOTIVOS CULTURAIS E ARQUEOLÓGICOS PREDOMINAM EM TERMOS IDEOLÓGICOS NO SÉC XVI. O CARÁTER DA ARQUITETURA DO SÉC XVI CONCRETIZA-SE COMO NUM NOVO SENTIDO DE VOLUMETRIA. É BASTANTE FÁCIL CAIR EM ERRO: ESSA VONTADE ESTÁTICA. SE A PRIMEIRA RENASCENÇA NÃO CHEGOU A FECHAR O ESPAÇO. SE NOS PLAGIÁRIOS SE TORNOU INÉRCIA DE ACADEMISMO. INSERIDAS SEM ORDEM COMPOSITIVA. TRATA-SE DE UMA DECORAÇÃO APLICADA QUE. NO SÉCULO XV RESPONDEU AO TEMA ESPACIAL DA ÉPOCA. O SÉC XVI DESENVOLVE A ASPIRAÇÃO CÊNTRICA DO SÉC XV. SE O PALÁCIO E O PÁTIO DO SÉC XV. POSSUI TODOS OS EFEITOS E QUALIDADES DA OBRA PRIMA HELÊNICA. DO EQUILÍBRIO ESTÁTICO E FORMAL DAS MASSAS. FACILMENTE PERCEPTÍVEL DE TODOS OS ÂNGULOS VISUAIS.

COLOCADO EM CRISE O INVÓLUCRO MURAL. ISTO É. É UM CONQUISTAR ESPACIAL NA MEDIDA EM QUE REPRESENTA ESPAÇO. MAS HAVIA ABERTO CAMINHO PARA O ESPAÇO BARROCO. NA URBANÍSTICA. O MOVIMENTO BARROCO NÃO É CONQUISTA ESPACIAL. A PEQUENA VILLA BURGUESA. O ARTISTA DETEVE-SE. MAS CRIA UMA NOVA CONCEPÇÃO ESPACIAL. CRIA NOVOS BAIRROS PERIFÉRICOS. A EXIGÊNCIA SOCIAL QUE JÁ NÃO COLOCA À ARQUITETURA TEMAS DE AULAS E MONUMENTAIS. O BARROCO É A LIBERAÇÃO ESPACIAL. E AINDA AGORA VASTOS SETORES DA OPINIÃO PÚBLICA SE DETÉM. O SÉC XIX. DAS CONVENÇÕES. MAS NÃO OS INSTRUMENTOS. MAS O ALTEROU. NÃO UTILIZAMOS A PALAVRA "BARROCO" NO SENTIDO GENÉRICO DE REVOLTA MORAL. VALIA-SE DE INDICAÇÕES DE PERSPECTIVAS AFIRMADAS ATRAVÉS DO JOGO LINEAR. COM RELAÇÃO AO INVÓLUCRO ARQUITETÔNICO. PELO MENOS. XIX. DA GEOMETRIA ELEMENTAR E DA ESTATICIDADE. ESCLARECEU OS PROBLEMAS E PROPÔS AS PRIMEIRAS SOLUÇÕES PARA A CIDADE MODERNA A "PLANTA LIVRE" E O ESPAÇO ORGÂNICO DA IDADE MODERNA AS CARACTERÍSTICAS DO ESPAÇO MODERNO: ELE SE FUNDAMENTA NA "PLANTA LIVRE". NO MAIOR DRAMA DA HISTÓRIA ARQUITETÔNICA: NOS VOLUMES E PAREDES. É EXATAMENTE QUANDO O BARROCO NÃO SE LIMITA A COMENTAR COM NOVO GOSTO ESQUEMAS ANTIGOS. MAS NO PROPRIAMENTE ARQUITETÔNICO. ENCONTRAMOS O PERÍODO NEOCLÁSSICO E O ECLETISMO DO SÉC. ISTO É.18 MICHELANGELO NÃO INICIA O PERÍODO BARROCO. DA HABITAÇÃO . ISTO É. O MOVIMENTO DO ESPAÇO BARROCO NADA TEM EM COMUM COM O DINAMISMO GÓTICO. NO BARROCO. MICHELANGELO ESCULTOR NÃO PODE ABANDONAR O ESPAÇO QUINHENTISTA EM NOME DE UM NOVO TEMA. ONDE POR MUITO TEMPO A CRITICA. ESTE VIVIA O CONTRASTE ENTRE DUAS DIRETRIZES VISUAIS E BIDIMENSIONALMENTE. O SÉC XIX DEFRONTA-SE COM PROBLEMAS DO ESPAÇO URBANO. IRROMPE PARA ALEM DOS MUROS ANTIGOS. COM TODOS OS SEUS NUMEROSOS REVIVALS. MAS O DINAMISMO BARROCO SEGUE TODA EXPERIÊNCIA PLÁSTICA E VOLUMÉTRICA DO SÉC XVI : RECUSA SEUS IDEAIS. ENTRETANTO. ESPACIAL. UM DOS PONTOS PRINCIPAIS DO PROGRAMA ARQUITETÔNICO DO FINAL DO SEC XIX E DO COMEÇO DO SÉC XX. REPRESENTA EM SUA GENERALIDADE A FALÊNCIA TOTAL DO ESPAÇO INTERIOR E POR ISTO DA ARQUITETURA. FORMULA OS TEMAS SOCIAIS DA URBANÍSTICA NO SENTIDO MODERNO DA PALAVRA. TODO O MURO SE ONDULA E DOBRA PARA CRIAR UM NOVO ESPAÇO. SUBVERTEU-LHE. COMO AINDA REPETEM TANTOS MANUAIS DE HISTÓRIA DA ARTE. O SÉC XIX APRESENTA VARIAÇÕES DE GOSTO. MAS O PROBLEMA DA CASA PARA A FAMÍLIA MÉDIA. VOLUMETRIA E ELEMENTOS DECORATIVOS EM AÇÃO RESENHA 9 O ESPAÇO URBANÍSTICO DO SÉC XIX APÓS O FINAL DA ÉPOCA BARROCA. PRECISAMENTE QUANDO É MAIOR. É A LIBERTAÇÃO MENTAL DAS REGRAS DOS TRATADISTAS. ISTO É. É UMA ÉPOCA DE MEDIOCRIDADE INVENTIVA E DE ESTERILIDADE POÉTICA. UMA LINHA GÓTICA OBRIGA A VISTA A DESLIZAR SOBRE A SUPERFÍCIE E POR ISSO TIRA SOLIDEZ AO MURO. DO PONTO DE VISTA DOS ESPAÇOS INTERIORES. E CONSTRÓI A CIDADE JARDIM. É LIBERTAÇÃO A SIMETRIA E DA ANTÍTESE ENTRE ESPAÇOS INTERIOR E EXTERIOR. A VERDADEIRA REDENÇÃO DO SÉC XIX REALIZA-SE NOS ESPAÇOS EXTERIORES. MAS NUNCA NOVAS CONCEPÇÕES. TENTOU REFREAR O DESASTRE URBANÍSTICO. EM QUE O MAIS DETERIORADO ROMANTISMO LITERÁRIO SE CASA COM A CIÊNCIA ARQUEOLÓGICA.

A DIVISÃO DE PAREDES INTERNA CRIA A POSSIBILIDADE DE CONJUGAR OS AMBIENTES. PARTINDO DE UM NÚCLEO CENTRAL E PROJETANDO OS VAZIOS EM TODAS AS DIREÇÕES. A ARQUITETURA FUNCIONAL RESPONDEU. DE UNIR ENTRE SÍ OS MÚLTIPLOS CUBOS DO SÉC XIX. ENCERRA O ESPAÇO EM QUATRO PAREDES DE JANELAS CONTINUAS. TRADUZINDO-O NOS TERMOS DO ATUAL PROGRAMA ARQUITETÔNICO. MAS PELO PROGRESSO NATURAL DO PENSAMENTO CIENTIFICO.19 OPERÁRIA E CAMPONESA ATÉ AGORA FRACIONADA EM PEQUENOS E SUFOCANTES CUBOS JUSTAPOSTOS. AS DUAS GRANDES CORRENTES ESPACIAIS DA ARQUITETURA MODERNA SÃO : • O FUNCIONALISMO (LE CORBUSIER) E • O MOVIMENTO ORGÂNICO (FRANK LOYD WRIGHT). A PLANTA LIVRE É O RESULTADO DE UMA CONQUISTA QUE SE EXPRIME EM TERMOS ESPACIAIS. TAMBÉM DA RENASCENÇA. DE PASSAR DO PLANO ESTÁTICO DA CASA ANTIGA PARA O LIVRE E ELÁSTICO DO EDIFÍCIO MODERNO. FUNCIONAL NÃO SÓ COM RELAÇÃO Á TÉCNICA E À UTILIDADE. NA AMÉRICA E NA EUROPA. FORMAS VOLUMÉTRICAS ELEMENTARES. ÀS EXIGÊNCIAS MECÂNICAS E DA CIVILIZAÇÃO INDUSTRIAL. PORTANTO: • O DESEJO GÓTICO DA CONTINUIDADE ESPACIAL E DO ESTUDO MINUCIOSO DA ARQUITETURA. • RETOMA A MÉTRICA ESPACIAL DA RENASCENÇA EM EDIFÍCIOS INDUSTRIAIS E COLETIVOS. MAS À PSICOLOGIA DO HOMEM A ARQUITETURA ABRE-SE HOJE E HUMANIZA-SE. POR CONSIDERAÇÕES FUNCIONAIS QUE SE SUPERAM EM MAGNÍFICAS IMAGENS POÉTICAS. MAS FORMADAS POR FINAS PAREDES MÓVEIS. UM QUADRADO REGULARMENTE RITMADO POR PILARES. COM A "CASA DE TODOS" PADRONIZADA E ANÔNIMA. O ESPAÇO MODERNO REASSUME. LE CORBUSIER COMEÇA COM UMA PLANTA ESTRUTURAL. TENDO EM COMUM O TEMA PLANTA LIVRE. ISTO É. SE O PROBLEMA DO URBANISMO E DAS MASSAS PROLETÁRIAS EMPENHOU: . NAS QUAIS A MASSA DAS PAREDES BARROCA É SUBSTITUÍDA POR DIVISÓRIAS MUITO MAIS LEVES. QUE PERMITE CONCENTRAR OS ELEMENTOS DE RESISTÊNCIA ESTÁTICA EM FINÍSSIMO ESQUELETO ESTRUTURAL. TUDO ISTO SE REALIZA EM LIBERDADE ABSOLUTA MAS DENTRO DE UM PRECISO ESQUEMA ESTEREOMÉTRICO (CÁLCULO DOS VOLUMES DOS SÓLIDOS) PARA WRIGHT. AS DIVISÕES NÃO SÃO ESTÁTICAS. A ARQUITETURA ORGÂNICA RESPONDE ÁS EXIGÊNCIAS FUNCIONAIS MAIS COMPLEXAS. EXPLORANDO ACERTADAMENTE A NOVA TÉCNICA PARA REALIZAR COM EXTREMO APEGO E AUDÁCIA AS SUAS INTUIÇÕES ARTÍSTICAS. BEM COMO. PORTANTO. O GOSTO PELAS DIVISÕES MODULARES. ESSAS CORRENTES ENTENDEM O ESPAÇO DE FORMA DIFERENTE: • APENAS RACIONALMENTE NO FUNCIONALISMO E • ORGANICAMENTE E COM PLENA HUMANIDADE NO MOVIMENTO ORGÂNICO. MATERIALIZAM AS CONDIÇÕES DE EXECUÇÃO PARA A TEORIA DA "PLANTA LIVRE" A ARQUITETURA MODERNA REPRODUZ O SONHO GÓTICO NO ESPAÇO E. QUE SE TORNARAM AGORA PAREDES DE VIDRO. O CONTATO ABSOLUTO ENTRE OS ESPAÇOS INTERIOR E EXTERIOR. NÃO POR ARBITRARIEDADE ROMÂNTICA. A ASPIRAÇÃO À CONTINUIDADE ESPECIAL TEM UMA VITALIDADE MUITO MAIS EXPANSIVA: SUA ARQUITETURA CENTRALIZA-SE NA PALPITANTE REALIDADE DOS ESPAÇOS INTERIOR E NEGA. E A NOVA TÉCNICA CONSTRUTIVA DO AÇO E DO CONCRETO. ESTABELECE COM OS AMPLOS VITRAIS. COMO CONSEQÜÊNCIA DE UMA REFLEXÃO SOCIAL: • RETOMA TODA A EXPERIÊNCIA BARROCA DAS PAREDES ONDULADAS E DO MOVIMENTO VOLUMÉTRICO.

LANÇA O APELO DE UMA CENA FÍSICA INTEGRADA. SE DISTINGUE DO AUTÔMATO. O ESPAÇO ORGÂNICO É RICO EM MOVIMENTO. PARA UMA URBANÍSTICA E UMA ARQUITETURA QUE SEJAM SINAL E PROMESSA. O PROBLEMA DA ARQUITETURA É TAMBÉM UM PROBLEMA QUALITATIVO. É LEI DA CULTURA ARQUITETÔNICA ORGÂNICA A ESCALA HUMANA. ISTO É. PARA A NOSSA CIVILIZAÇÃO. DE CRIAR ESPAÇOS BELOS EM SI E REPRESENTATIVOS DA VIDA ORGÂNICA DOS SERES QUE NESSE ESPAÇO VIVEM. DE FATO. ILUSÕES DE PERSPECTIVAS. QUE POSSUI UMA FORÇA E UMA SUGESTÃO NÃO INFERIORES AOS MOVIMENTOS RELIGIOSOS E ESPIRITUAIS QUE INSPIRARAM A CRIAÇÃO DOS ESPAÇOS NAS ÉPOCAS DO PASSADO. QUE GUIA E INSPIRA A URBANÍSTICA E A ARQUITETURA MODERNA. QUADRO – A IDADE DO ESPAÇO N. COLETIVA E INDIVIDUAL. ESSA INSTANCIA SOCIAL. O REPÚDIO DE TODA A ARQUITETURA QUE SE SOBREPÕE AO HOMEM OU QUE É INDEPENDENTE DELE.20 • • OS FUNCIONALISTAS PARA RESOLVER PROBLEMAS QUANTITATIVOS. É. NA ERA ATÔMICA E EM NOME DE UM MAIS ALEGRE E FÉRTIL DESTINO DO HOMEM. UM GRANDE MOVIMENTO RELIGIOSO. É UM MOVIMENTO QUE. 01 IDADES CARACTERÍSTICAS MARCANTES ESCALA HUMANA NO EXTERIOR SEM ESPAÇO INTERIOR GREGA 02 ROMANA 03 CRISTÃ ESPAÇO ESTÁTICO ARQUITETURA COMO SÍMBOLO DO IMPÉRIO DIRETRIZES HUMANAS COM: • ESCALA HUMANA DOS GREGOS • ESPAÇO INTERIOR DOS ROMANOS 04 BIZANTINA 05 ROMÂNICA 06 GÓTICA CONTRASTES BIDIMENSIONAIS : • VERTICALIDADE • LONGITUDINALIDADE ESTRUTURAS E OSSATURAS ESPAÇO DILATADO 07 RENASCENTISTA 08 BARROCA • • ESPAÇO DINÂMICO : VOLUMETRIA PLÁSTICA MÉTRICA ESPACIAL . INDICAÇÕES DIRECIONAIS. UMA PERSONALIDADE E UMA MENSAGEM ESPIRITUAL. OU PELO MENOS CONFORTO. EM SUA ORIGEM FUNCIONALISTA E EM SUA EVOLUÇÃO ORGÂNICA. EM VIVAS E GENIAIS INVENÇÕES. A ARQUITETURA ORGÂNICA SABE QUE SE O HOMEM TEM UMA DIGNIDADE.

CONTOS E PÁGINAS DE ARQUITETOS. O EQUIVOCO CONSISTE NA GENERALIZAÇÃO. AINDA QUE A MAIS IMPORTANTE? PARA RESPONDER A TAIS QUESITOS SERÁ OPORTUNO EXPOR BREVEMENTE AS PRINCIPAIS INTERPRETAÇÕES CORRENTES QUE. MAS DE QUE A NATUREZA NÃO SE SERVE. EM QUE RELAÇÃO A INTERPRETAÇÃO ESPACIAL SE ENCONTRA RELATIVAMENTE ÀS OUTRAS INTERPRETAÇÕES DA ARQUITETURA? INCLUIU-AS TODAS. PODE-SE DIZER QUE SE TRATA DE UMA INTERPRETAÇÃO? NÃO. OU É UMA SIMPLES INTERPRETAÇÃO ENTRE MUITAS. SE ENQUADRAM SUBSTANCIALMENTE EM TRÊS GRANDES CATEGORIAS : . É NECESSÁRIO QUE AS ROMPA. AO CONTRARIO. OS ESTETAS. DE UMA MECÂNICA E DE UMA ÓPTICA NECESSARIAMENTE IMPLÍCITAS NA ORDEM NATURAL. ROMANCES. EVIDENTEMENTE QUE É UM EQUIVOCO. PARA QUE UMA INTERPRETAÇÃO TENHA SENTIDO. COMO VEREMOS. ESTÁ SEMPRE DE FORA E. A INTERPRETAÇÃO TÉCNICA É. CONSISTE NO FATO DE UMA GRANDE PARTE DAS MAIS GENIAIS INSTITUIÇÕES SOBRE A ARQUITETURA SE ENCONTRAR ESPALHADA EM LIVROS DE FILOSOFIA. APLICÁVEL A TODOS OS MONUMENTOS DA ARQUITETURA SE. POEMAS. OS FILÓSOFOS. O HOMEM CAMINHA E AGE NO EXTERIOR DE TODAS AS COISAS. O ÚNICO PRIVILÉGIO DA ARQUITETURA. É NECESSÁRIO QUE A PARTE INFERIOR DE UM EDIFÍCIO MOSTRE UMA CONSISTÊNCIA MAIOR QUE A PARTE ALTA. IGREJAS OU INTERIORES. SE SE DISSESSE QUE A CATEDRAL DE WELLS TORNOU-SE POSSÍVEL TAMBÉM GRAÇAS À NOVA TÉCNICA CONSTRUTIVA AFIRMAR-SE-IA ALGO EXATO. MAS CONSTRUIR UM MUNDO INTERIOR QUE MEDE O ESPAÇO E A LUZ SEGUNDO AS LEIS DE UMA GEOMETRIA. OS VOLUMES EXTERIORES E SEUS PERFIS INTRODUZEM UM ELEMENTO NOVO E EXCLUSIVAMENTE HUMANO NO HORIZONTE DAS FORMAS NATURAIS. SE CONSULTARMOS OS HISTORIADORES. SEGUNDO A QUAL PARA SE OBTER UMA SENSAÇÃO DE SOLIDEZ.21 09 NEOCLÁSSICA FALÊNCIA DO ESPAÇO INTERIOR SOLUÇÕES URBANÍSTICAS 10 MODERNA • • "PLANTA LIVRE" ARQUITETURA FUNCIONALISTA ARQUITETURA ORGÂNICA RESENHA 10 AS INTERPRETAÇÕES DA ARQUITETURA A MAIOR DIFICULDADE QUE SE ENCONTRA AO COMPILAR UMA HISTÓRIA DA CRÍTICA ARQUITETÔNICA. SE CONSIDERAR TESE A VERDADE ESTÁTICA. PARA PASSAR PARA ALEM DAS SUPERFÍCIES. À QUAL NÃO ESTÃO SUJEITOS A ARQUITETURA MODERNA COM SEUS VOLUMES SUSPENSOS. ESTÉTICA GERAL. SEM DÚVIDA. ENTRE TODAS AS ARTES. ELA CRIA SEU PRÓPRIO UNIVERSO. RESUME EM SI ALGUMAS DAS OUTRAS. ENCONTRAREMOS CONTINUAMENTE OBSERVAÇÕES AGUDAS E PRECISAS : "A PROFUNDA ORIGINALIDADE DA ARQUITETURA COMO TAL RESIDE NA MASSA INTERIOR. ELA DEVE ILUMINAR UM ASPECTO PERMANENTE DA ARQUITETURA. FAZER SURGIR UMA NORMA POÉTICA PARTICULAR COM VALOR DE PRINCIPIO. DANDO UMA FORMA DEFINIDA A ESTE ESPAÇO OCO. UMA INTERPRETAÇÃO AUTENTICA. EXPERIMENTAL. DESENVOLVIDO SOBRE EXEMPLOS CONCRETOS. QUER CRIE HABITAÇÕES. POR ISSO. NÃO É HOSPEDAR UMA CAVIDADE CÔMODA E RODEÁ-LA DE DEFESAS. O MÉTODO DE UMA HISTORIA VIVA DA CRITICA ARQUITETÔNICA DEVERÁ SER UM MÉTODO EMPÍRICO. CONSIDERANDO BEM. A QUE SUA CONFORMIDADE OU SEU ACORDO MELHOR CALCULADO ACRESCENTAM SEMPRE ALGO INESPERADO: POR OUTRO LADO. A MARAVILHA MAIS ESTRANHA É TER CONCEBIDO E CRIADO UMA ESPÉCIE DE REVERSO DO ESPAÇO.

DEPOIS DA REVOLUÇÃO ACABOU SENDO DESTRUÍDO EM NOME DO IDEAL CLÁSSICO. PORQUE EM 490 ATENAS VENCERA A BATALHA DE MARATONA E HOUVERAM OUTROS FEITOS. EM 1933. DEPOIS. OU CONSEQUENTEMENTE. C. EM 1453. A IMIGRAÇÃO DOS ARQUITETOS MODERNOS ALEMÃES PARA A INGLATERRA É A RAZÃO PELA QUAL O MOVIMENTO FUNCIONALISTA SE DESENVOLVE NO PAIS POR QUE MOTIVO A ARQUITETURA MODERNA NA ITÁLIA NÃO PODE COMPARAR-SE COM AS ESCOLAS FRANCESAS E ALEMÃS ANTES DE HITLER? PORQUE NA ITÁLIA O REGIME POLÍTICO FAVORECIA A CORRENTE RETÓRICO-MONUMENTAL MAIS DO QUE A DIREÇÃO RACIONALISTA. CIENTÍFICA. APÓS TREZENTOS ANOS DE AGULHAS GÓTICAS E CAMPANÁRIOS. V A . O MODO PELA QUAL SURGE A HISTÓRIA : • • A REFORMA PROTESTANTE MARCA A MORTE DA ARQUITETURA GÓTICA NA INGLATERRA E O ADVENTO DA RENASCENÇA O NEOPLATONISMO REFLETE-SE NA ARQUITETURA DA ÉPOCA HELENÍSTICA. OS TURCOS TOMARAM CONSTANTINOPLA E UM VASTO NUMERO DE ARTISTAS BIZANTINOS EMIGRA PARA EUROPA E INGLATERRA. A ATUAÇÃO ARQUITETÔNICA COMO SE EXPLICA O ÍMPETO CONSTRUTIVO GÓTICO NA FRANÇA E NA INGLATERRA? COM O ADVENTO DO NACIONALISMO E O FERVOR DAS CRUZADAS. FILOSÓFICO-RELIGIOSA. POR QUE? PORQUE O ISOLACIONISMO DA POLÍTICA EXTERNA INGLESA CORRESPONDE AO AMADURECIMENTO DE UM PERÍODO ARTÍSTICO GENUINAMENTE BRITÂNICO. A INTERPRETAÇÃO POLÍTICA DIZ RESPEITO ÁS CAUSAS DAS CORRENTES ARQUITETÔNICAS. O GÓTICO PERPENDICULAR CONSTITUI UM ESTILO INGLÊS QUE NÃO TEM PARALELO NO CONTINENTE.. PRIMEIRO A AFIRMAÇÃO POLÍTICA. E EIS QUE. MATERIALISTA. TÉCNICA ) AS FISIOPSICOLÓGICAS AS FORMALISTAS A INTERPRETAÇÃO POLÍTICA QUAL A ÉPOCA ÁUREA DA ARQUITETURA GREGA? O SÉC. UM FATO POLÍTICO ( ALIANÇA DA ITÁLIA COM ALEMANHA) PRODUZ A MEGALOMANIA CLASSICISTA COMO SE VÊ.22 • • • AS QUE SE RELACIONAM COM O CONTEÚDO ( POLÍTICA. SE RENASCENÇA QUER DIZER PROTESTANTISMO. VOLTAM A SURGIR NO SOLO BRITÂNICO AS PRIMEIRAS CÚPULAS A REAÇÃO CONTRA A ARQUITETURA ROCOCÓ TEM TAMBÉM UMA RAIZ POLÍTICA : O ROCOCÓ FORA O ESTILO DO SALÃO ARISTOCRÁTICO E. E EXPLICA SUA REVOLTA CONTRA A DETERMINAÇÃO VOLUMÉTRICA E PLÁSTICA DO TEMPLO GREGO. TRAZEM CONSIGO A EXPERIÊNCIA SECULAR DAS CÚPULAS ORIENTAIS. RESENHA 11 A INTERPRETAÇÃO FILOSÓFICA-RELIGIOSA A ARQUITETURA É O ASPECTO VISUAL DA HISTÓRIA. • . NA ESCOLA DE PIACENTINI. OS NAZISTAS TOMAM O PODER NA ALEMANHA E ISSO DETERMINA O FIM DA BAUHAUS. COMO TAL. ECONÔMICO-SOCIAL. É NATURAL QUE A IGREJA DE ROMA SE REVOLTE E ESTIMULE A ARQUITETURA BARROCA.

A QUE CORRESPONDE O CLASSICISMO QUINHENTISTA? A UM PROCESSO DE ESTABILIZAÇÃO ECONÔMICA EM QUE ENCONTRAMOS UMA OLIGARQUIA DA TERRA QUE MANTÉM TODOS OS PRIVILÉGIOS FEUDAIS SEM AS RESPONSABILIDADES SOCIAIS IMPLÍCITAS NA ECONOMIA MEDIEVAL. SEGUNDO PRECISAS DIMENSÕES MENSURÁVEIS. A EXIGÊNCIA DO CONFORTO SÃO CARACTERÍSTICAS DE TODAS AS ÉPOCAS ECLÉTICAS. APRESENTAM-SE OS DOIS ASPECTOS DA CIVILIZAÇÃO INDUSTRIAL : O ROMANTISMO DIRIGIDO AO PASSADO.. O FUTURISMO E SEUS DERIVADOS A INTERPRETAÇÃO ECONÔMICO-SOCIAL A ARQUITETURA É A AUTOBIOGRAFIA DO SISTEMA ECONÔMICO E DAS INSTITUIÇÕES SOCIAIS • O QUE É ARQUITETURA MEDIEVAL ? ELA ENCONTRA SEUS FUNDAMENTOS NA ECONOMIA AGRÍCOLA DA ALDEIA. E O MECANICISMO DIRIGIDO AO FUTURO. NO SISTEMA DE CO-PARTICIPAÇÃO E DAS CORPORAÇÕES E NAS NECESSIDADES PRÁTICAS DA DEFESA. ESTÁTICAS E SEVERAS. EM SUAS FORMAS MAIS PESADAS. POR ISSO. A HABILIDADE MIMÉTICA. ENTRE O MITO E A ARTE. NÃO TERIAM SURGIDO O CUBISMO. ACOMPANHA A SENSIBILIDADE ESPACIAL GREGA SEM A CONVERGÊNCIA DAS DUAS ENTIDADES ESPAÇO E TEMPO. O INGLÊS DO FINAL DO SÉCULO XVIII E O AMERICANO DA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX. NÃO EXISTE DIFERENÇA FUNDAMENTAL ENTRE O ECLETISMO DOS SÉCULOS I E II D. A CURIOSIDADE EXÓTICA. DO DESLOCAMENTO DA ECONOMIA DA HERDADE PARA O MAR. UMA SEMI-ESFERA APOIADA NUM TAMBOR DE COLUNAS EQUIDISTANTES NÃO É SÍMBOLO DE UMA LEI SOBERANA SOBRE A IGUALDADE DOS CIDADÃOS? E OS ARRANHA-CÉUS DE NOVA YORK NÃO SÃO SÍMBOLO DE UM INDIVIDUALISMO SATÂNICO. EIS PORQUE QUANDO NA HISTORIA SE APRESENTAM CONDIÇÕES ECONÔMICAS SEMELHANTES ENCONTRAMOS UM PARALELISMO ENTRE AS FORMAS ARQUITETÔNICAS. QUE LANÇAM NA SOMBRA TODA A ARQUITETURA CIRCUNDANTE? RESENHA 12 . O QUE É ECLETISMO ? A ARQUITETURA DA EXPANSÃO INDUSTRIAL. • • • • A INTERPRETAÇÃO ECONÔMICO-SOCIAL TEM TAMBÉM AS SUAS APLICAÇÕES SIMBOLISTAS. O CLASSICISMO É A ARQUITETURA DO PERÍODO ECONÔMICO CHAMADO IMPERIALISMO : É "ARQUITETURA DE COMPENSAÇÃO : OFERECE PEDRAS GRANDILOQUENTES A UM POVO A QUEM SE SUBTRAIU PÃO. O NEOPLASTICISMO. A CÚPULA DO CAPITÓLIO DE WASHINGTON.23 A INTERPRETAÇÃO CIENTÍFICA • • A GEOMETRIA EUCLIDIANA. SOL E TUDO O QUE É DIGNO DO HOMEM". O CONSTRUTIVISMO. QUANDO SURGE O CONTRASTE ENTRE A UTILIDADE E A VIDA. DO PODER DOS TRUSTES. DECLARADA PELOS MATEMÁTICOS MODERNOS E SEM A CONTRIBUIÇÃO DE EINSTEIN AO CONCEITO DE SIMULTANEIDADE. O QUE É A ARQUITETURA DA RENASCENÇA? O PRODUTO DA DISSOLUÇÃO DA ALDEIA MEDIEVAL. DA CONSEQÜENTE RUPTURA DA CONSCIÊNCIA COMUNAL QUE SE VERIFICA PELA FORMAÇÃO DAS CLASSES ECONÔMICAS.C. CONFIGURANDO O SER SENSÍVEL.

APÓS DESCOBERTOS OS TEXTOS DE VITRÚVIO • O NEO-HELENISMO SURGE NA INGLATERRA QUANDO EM 1800 É TRANSPORTADA PARA O MUSEU BRITÂNICO DE LONDRES COLEÇÃO DE FRAGMENTOS ARQUITETÔNICOS DESTA ÉPOCA • NASCE O NEOCLÁSSICO DEPOIS 1750. TUDO PELO PESO DA NEVE. ASSÍRIA E PERSA JUSTIFICA-SE PELO USO DOS TIJOLOS E TERRACOTA A MADEIRA QUALIFICA A ARQUITETURA ESCANDINAVA F L WRITHT. NA INGLATERRA E NA NORUEGA=ACENTUADA INCLINAÇÃO. ONDE O CLASSICISMO ESTÁ MAIS PRESENTE REGRAS DA ARQUITETURA. A COR DA ARQUITETURA BABILÔNICA. • O NEOGÓTICO DA INGLATERRA DEPOIS DE 1850 OCORRE PELA DECISÃO DE RECONSTRUIR EM ESTILO PERPENDICULAR AO PARLAMENTO INGLÊS NA INTERPRETAÇÃO RACIAL. FALAM DO CONCRETO E DO AÇO O GÓTICO RESISTIU MAIS NOS PAÍSES DO NORTE QUE NOS DO SUL. NA GRÉCIA = LEVES INCLINAÇÕES. MAS QUAL A FINALIDADE DO TAJ MAHAL?. QUANDO AS ESCAVAÇÕES DESCOBREM POMPÉIA E HERCULANO. SÓ POSSÍVEL PELA MOLEZA DO MÁRMORE. DENOMINOU-O : A NATUREZA DOS MATERIAIS QUANDO CRÍTICOS DEFENDEM A ARQUITETURA MODERNA. SEGUNDO RUSKIN : • TERRENO PLANO = ARQUITETURA FUNCIONALISTA • ONDE ESTIVER CONSERVADA A VEGETAÇÃO NATURAL = PITORESCA • CÉU SERENO = ARQUITETURA HORIZONTAL • CÉU NUBLADO = LINEARISMO VERTICAL INTERPRETAÇÃO UTILITARISTA = TODO EDIFÍCIO DEVE RESPONDER AO SEU OBJETIVO. AS LINHAS VERTICAIS SÃO AS MAIS EFICAZES NO USO DA LUZ COMO INSTRUMENTO ARQUITETÔNICO. POR ISTO. SENÃO A DE UM PURO E ETERNO TRIBUTO DE UM HOMEM À ESPOSA? ENTÃO. QUANDO ESCREVEU SEU LIVRO. POREM SEM O REQUINTADO MODELAR HELÊNICO. E A ARQUITETURA REAGE AO ROCOCÓ. ESTE É O MESMO MOTIVO PELO QUAL NO NORTE HÁ MAIS ARQUITETURA ROMÂNTICA QUE NO SUL.24 AS INTERPRETAÇÕES MATERIALISTAS AS FORMAS QUE A ARQUITETURA PODE TOMAR SE EXPLICA ATRAVÉS DAS CONDIÇÕES GEOGRÁFICAS E GEOLÓGICAS DOS LUGARES ONDE SURGEM OS MONUMENTOS : • • • • • NO TEMPLO GREGO NÃO HÁ ESPAÇO INTERIOR PORQUE AS CERIMÔNIAS RELIGIOSAS DECORREM AO AR LIVRE NO EGITO = TELHADOS PLANOS. A INTERPRETAÇÃO UTILITARISTA POSSUI SENTIDO SOMENTE SE ALARGAR SEUS HORIZONTES PARA O CAMPO PSICOLÓGICO E ESPIRITUAL INVESTIGAÇÕES ARQUEOLÓGICAS E SUAS CONSEQÜÊNCIAS : • A RENASCENÇA ITALIANA NASCE DEPOIS DE 1416. • A COLUNA E O CAPITEL GREGO REPETIRIAM AS FORMAS DOS FEIXES DE RAMOS DO ANTIGO TEMPLO • AS ÁRVORES DA ESCANDINÁVIA CRESCEM SEGUNDO LINHAS CURVAS E POR ISSO SUGEREM NA IMITAÇÃO UMA ARQUITETURA MENOS ANGULOSA DO QUE A DO CONCRETO E DO AÇO. . A TEORIA É DE QUE: • A ARQUITETURA LOCAL REPRODUZ A SILHUETA DO HOMEM LOCAL. POIS NO NORTE O SOL É MAIS BAIXO E SEUS RAIOS MAIS TANGENCIAIS. NO EGITO O GRANITO PERMITE ESTÁTUAS E DECORAÇÃO EM GRANDE ESCALA.

DO DESPRENDIMENTO. QUANDO HÁ SÉCULOS O MATERIAL UTILIZADO JÁ ERA A PEDRA. DIZEM QUE NÃO BASTA UM EDIFÍCIO APRESENTAR UMA EFETIVA SOLIDEZ ESTRUTURAL : ELE DEVE TAMBÉM DEMONSTRAR UMA SOLIDEZ APARENTE. DESDE OS MAIS ANTIGOS TRATADISTAS. AS CURVAS HESITAÇÕES. DO ÊXTASE E DA EMOÇÃO. • LINHAS RETAS E CURVAS = RETAS SIGNIFICAM DECISÃO. REPETINDO FORMAS DA CONSTRUÇÃO METÁLICA POR QUE O MOTOR DO CARRO ESTÁ NA FRENTE.25 A INTERPRETAÇÃO TÉCNICA A HISTORIA DA CONSTRUÇÃO É PARTE IMPORTANTE DA HISTÓRIA DE UM MONUMENTO. RIGIDEZ E FORÇA. NASCIDA DA POLÊMICA CONTRA "A ARTE PELA ARTE". EM SEU DUPLO SIGNIFICADO UTILITÁRIO E TECNICISTA. • A ORDEM GREGA OBTÉM SEUS PERFIS DOS ELEMENTOS DE MADEIRA DO TEMPLO ARCAICO E OS TRADUZEM EM MÁRMORE • AS ATUAIS CONSTRUÇÕES DE CONCRETO LIMITAM-SE EM COLUNAS E TRAVES. INSÍGNIA DA NÃO-ARTE TRADICIONALISTA. ILUDE ACERCA DE SEU COMPRIMENTO. MUITAS VEZES. DO INTELECTUAL • LINHA VERTICAL = É O SÍMBOLO DO INFINITO. RESENHA 13 AS INTERPRETAÇÕES FISIOPSICOLÓGICAS SÃO "ESTADOS DE ESPÍRITOS" PRODUZIDAS POR "ESTILOS ARQUITETÔNICOS": • EGITO = IDADE DO MEDO • GRÉCIA = IDADE DA GRAÇA • ROMA = IDADE DA FORÇA E POMPOSIDADE • PROTOCRISTÃO IDADE DA PIEDADE E DO AMOR • GÓTICO = IDADE DA ASPIRAÇÃO • RENASCENÇA = IDADE DA ELEGÂNCIA • REVIVALS = IDADE DA MEMÓRIA A EMOÇÃO ARTÍSTICA CONSISTE NA IDENTIFICAÇÃO DO ESPECTADOR COM AS FORMAS. É POR ISTO SÍMBOLO DO SUBLIME. FLEXIBILIDADE OU VALORES DECORATIVOS • HELICOIDAL = É O SÍMBOLO DO ASCENDER. A PRODUÇÃO ARQUITETÔNICA. NA APOLOGIA DO MUNDO INDUSTRIAL MODERNO E DOS FINS IMANENTES E SOCIAIS DA ARQUITETURA. NUNCA ENCONTRA OBSTÁCULOS E LIMITES. DA LIBERTAÇÃO DA MATÉRIA TERRENA • O CUBO = REPRESENTA A INTEGRIDADE • O CIRCULO = DÁ A SENSAÇÃO DE EQUILIBRIO . TEM POR ISSO RAZÃO OS MODERNISTAS QUE JULGAM QUE A UMA NOVA TÉCNICA DEVE SEGUIR-SE UMA NOVA SENSIBILIDADE ESTRUTURAL A INTERPRETAÇÃO FUNCIONALISTA. ASSISTIMOS AO PROCESSO INVERSO : AS FORMAS REPETEM UMA TÉCNICA JÁ SUPERADA PELOS FATOS. E POR ISTO NO FATO DE A ARQUITETURA TRANSCREVER OS ESTADOS DE ESPÍRITO NAS FORMAS DE CONSTRUÇÃO. A DESPEITO DOS PROBLEMAS E TRANSMISSÃO ÀS RODAS TRASEIRAS? ISSO DERIVA DO HÁBITO DE VER A FORÇA MOTRIZ DOS CAVALOS À FRENTE DO CONDUTOR OS MANUAIS DE COMPOSIÇÃO ARQUITETÔNICA ESTABELECERAM UMA DISTINÇÃO ENTRE CONSTRUÇÃO REAL E CONSTRUÇÃO APARENTE. POR EXEMPLO : • NAS FORMAS EGÍPCIAS HÁ A APARÊNCIA DE RAMOS PRIMITIVOS. É FRUTO DE UMA INIBIÇÃO MENTAL QUE. HUMANIZANDO-AS E ANIMANDO-AS • LINHA HORIZONTAL = DÁ O SENTIDO DO RACIONAL. ERRADO É SUPOR QUE AS FORMAS ARQUITETÔNICAS SERIAM DETERMINADAS PELAS TÉCNICAS CONSTRUTIVAS. NÃO FEZ MAIS DO QUE ESCOLHER O OUTRO TERMO DESTE BINÔMIO – ARTE E TÉCNICA – EM QUE SE QUIS DESINTEGRAR.

PODEROSA OU FLUÍDA. A INTERPRETAÇÃO FORMALISTA • • • A UNIDADE = O PROPÓSITO DE TODOS OS ARTISTAS É EXPRIMIR EM SEU TRABALHO UMA ÚNICA IDÉIA. SEM EIXOS. É PRECISO EVITAR EQUÍVOCOS: SE O HOMEM É O PADRÃO DE TODAS AS COISAS. TENSA OU RELAXADA. FRENETICAMENTE TENSOS. DO NAUSEABUNDO. EM HUMANIZA-LO. • UMA SUPERFÍCIE SERÁ VULGAR. ELEGANTES E FESTIVOS. A TEORIA DA SIMPATIA DESESTRUTUROU ESSE PRECONCEITO. NO ENTANTO. ENTRE VOLUMES E MASSAS PROPORÇÃO = É O MEIO PELO QUAL SE SUBDIVIDE UM EDIFÍCIO PARA ATINGIR AS QUALIDADES DA UNIDADE. UM PONTO FOCAL QUE PRENDA A VISTA CONTRASTE = PARA QUE UM EDIFÍCIO SEJA "VIVO". DOCES E REQUINTADAMENTE FEMININOS. CONCLUSIVA • A ELIPSE = NUNCA PERMITE QUE A VISTA REPOUSE A INTERPRETAÇÃO DAS FORMAS GEOMÉTRICAS É SÍMBOLO DE DINAMISMO E MOVIMENTO CONTÍNUO. DO BALANCE. HAVERÁ SIMETRIA SE DE UM LADO ESTIVEREM SOBREPOSTOS EM CONE E DO OUTRO SIMPLESMENTE ALINHADOS. DO CONTRASTE DA HARMONIA E DO RITMO ESCALA = É O ELEMENTO ESSENCIAL NA APRECIAÇÃO ARQUITETÔNICA. COM RELAÇÃO A UM PLANO. É NECESSÁRIO QUE DE UM LADO E DO OUTRO EXISTAM MASSAS DO MESMO "PESO" NO CASO DOS PESOS SEREM DISPOSTOS IGUALMENTE SOBRE DOIS PRATOS DE UMA BALANÇA.26 • A ESFERA E AS CÚPULAS SEMI-ESFÉRICAS = REPRESENTA A PERFEIÇÃO. COMO NOS EXEMPLOS : • UMA LINHA SERÁ OUSADA OU INSIGNIFICANTE. DA ÊNFASE. NUMA INCONSCIENTE SIMBIOSE EM QUE O NOSSO CORPO TENDE A REPETIR O MOVIMENTO DA ARQUITETURA. OU A FORÇA (ROMA) OU O ÊXTASE (GÓTICO). ALEGRES OU TERRÍVEIS. FORTE E DRAMÁTICA • OS VOLUMES SERÃO MACIÇOS. INSÍPIDA E MUDA. ENTRE VAZIOS E CHEIOS. ARTICULADOS E SÓLIDOS. ENTRE FORMAS CORTANTES E FORMAS VAGAS. A LEI FINAL. DE CARÁTER AXIAL EQUILÍBRIO OU BALANCE = É A SIMETRIA NA ARQUITETURA AFORMAL. TAMBÉM É ABSURDO ESTABELECER UMA ESCALA SEM PROPORÇÕES. CHEIA DE ELEMENTOS ECLÉTICOS OU AMPLA E SERENA. O • • • • . É NECESSÁRIO QUE SUA VITALIDADE SEJA EXPRESSA PELO CONTRASTE ENTRE LINHAS VERTICAIS E HORIZONTAIS. REPRESENTAVA A CALMA (GRÉCIA). A CRITICA DA ARQUITETURA CONSISTE NA CAPACIDADE DE TRANSFERIR O PRÓPRIO ESPÍRITO PARA O EDIFÍCIO. NAS INTERPRETAÇÕES : • DAS PROPORÇÕES = EXISTEM PROPORÇÕES ARQUITETÔNICAS BELAS POR SÍ SÓS • GEOMÉTRICO-MATEMÁTICAS = OS AUTORES MAIS SENSATOS LIMITAM-SE A CONSTATAR A GEOMETRIA LATENTE EM MUITAS COMPOSIÇÕES ARQUITETÔNICAS • ANTROPOMÓRFICA = JUSTIFICAVA AS ORDENS PELA SUA CONSONÂNCIA COM O CORPO HUMANO NUMA DAS TEORIAS. FLEXÍVEIS E CORTESMENTE CONVIDATIVOS. MESMO INVISÍVEL. ESTABELECER-SE UMA PROPORÇÃO SEM ESTABELECER UMA ESCALA É ABSURDO. E A BALANÇA ESTIVER EM EQUILÍBRIO ÊNFASE OU ACENTUAÇÃO = TODA COMPOSIÇÃO TEM NECESSIDADE DE UM CENTRO DE INTERESSE VISUAL. SORRINDO ESCARNIADAMENTE DO SENTIDO DE INSTABILIDADE HUMANA AS ESTÉTICAS ANTIGAS AFIRMAVAM QUE A ARQUITETURA ERA A ARTE QUE SABIA OFERECER A MAIS RESTRITA GAMA DE EMOÇÕES. DE UMA CIÊNCIA DO BELO É SEMPRE FÁCIL PASSAR PARA UMA REGRA DO BELO. COLOCADO NA PARTE CENTRAL DE UM EDIFÍCIO. FAZE-LO FALAR. ATRIBUINDO À ARQUITETURA TODAS AS EXPRESSÕES DO HOMEM : INCLUINDO O SENTIDO DA FARSA E DO CÔMICO. ALEGRES E VARIADOS. COMPOR É O CONTRÁRIO DE JUSTAPOR A SIMETRIA = É O EQUILÍBRIO DOS EDIFÍCIOS FORMAIS. VIBRAR COM ELE. PODEROSOS E AUSTEROS.

EXPRESSÃO OU CARÁTER = UM EDIFÍCIO DEVE EXPRIMIR O QUE É. COMO UM HOMEM DEVE EXPRIMIR O QUE É. O RESULTADO É UM OPACO ALARIDO QUE LEMBRA COM SAUDADE AS CONVERSAS EDUCADAS. PSICOLÓGICA ESPIRITUAL QUE DECORRE NELES . OS EDIFÍCIOS QUE TEM UMA FALSA MASCARA. QUE TEM NECESSIDADE DE AFIRMAR SUA PRÓPRIA PERSONALIDADE. E O PROPÓSITO DE SUA VIDA. URBANIDADE = É A QUALIDADE QUE FALTA AOS IMITADORES ATUAIS DO CLÁSSICO. QUEREM SE IMPOR. E ESTA PROPRIEDADE VALE MUITO MAIS QUE A VERDADE ESTRUTURAL. QUAL O CONTEÚDO DA ARQUITETURA? QUAL O CONTEÚDO DOS ESPAÇOS ? • SÃO OS HOMENS QUE VIVEM OS ESPAÇOS • SÃO AS AÇÕES QUE NELES SE EXTERIORIZAM • É A VIDA FÍSICA. E QUE ACABAM SENDO IRRITANTES. ÀS MASSAS MURAIS E À DECORAÇÃO. AOS MANÍACOS QUE PRECISAM CHAMAR A ATENÇÃO. QUANDO NOSSOS PEDANTES TRADICIONALISTAS PERGUNTAM SE É PROIBIDO FAZER UMA CASA NO ESTILO ANTIGO. DE UMA MANEIRA ESPONTÂNEA. AOS EGOCÊNTRICOS. ÚTEIS E AGRADÁVEIS NOS EDIFÍCIOS DO SÉCULO XIX ESTILO = É A LÍNGUA OU LINGÜÍSTICA DO DESENHO. ASSIM COMO ENTRE OS EDIFÍCIOS EXISTEM OS MENTIROSOS PROFISSIONAIS. E TODAS AS ESPECIFICAÇÕES MAIS SUTIS DE SÍMBOLOS VISUAIS – APESAR SE SUA IMENSA UTILIDADE. SEGUNDO O MODO COMO O ACOMPANHAM • O VALOR ESPACIAL ESTÁ INTERESSADO NESTES MESMOS ELEMENTOS QUE DIZEM RESPEITO AO VALOR UTILITÁRIO. EXPRIME-O SIMPLESMENTE NA LÍNGUA CORRENTE • • • • • RESENHA 14 DA INTERPRETAÇÃO ESPACIAL LINHAS. CAVIDADES ATMOSFÉRICAS. SUPERFÍCIES. GRITAM. MAS ISSO SE REFERE AOS VOLUMES. QUER SEJA MONUMENTAL. CHAMAM A ATENÇÃO. AOS VAZIOS. NA ARQUITETURA COMERCIAL MODERNA TODOS. ESCALA SIGNIFICA "DIMENSÃO RELATIVA AO HOMEM" . E NÃO DIMENSÃO DO HOMEM. ISTO É. MASSAS E VALORES PICTÓRICOS. DESVINCULADO A CRITICA DOS PRECEITOS TRADICIONAIS – NÃO BASTAM PARA FAZER COMPREENDER A PROFUNDA DIFERENÇA EXISTENTE ENTRE UMA OBRA DE ARTE E OUTRA E. QUER FUNCIONAL VERDADE = DEVER SER OS EDIFÍCIOS VERDADEIROS OU FALSOS ? DEVEM SER SINCEROS? A VERDADE. A BELEZA DE UM EDIFÍCIO ERA CONSIDERADA COMPLETAMENTE INDEPENDENTE DE SEU VALOR SOCIAL. SOMBRAS E LUZ. O SEU PROPÓSITO. E QUANTO AO ESPAÇO? CONCLUSÕES DE SCOTT : • O VALOR PRÓPRIO. ALEM DISSO. E NINGUÉM SE DISPÕE A OUVI-LOS. QUE MENCIONAMOS NO CAPITULO PRECEDENTE. INTELIGENTES E ESTÚPIDOS. PROPRIEDADE = A PROPRIEDADE DE UM PAVIMENTO É PODER ANDAR SOBRE ELE. E EXISTEM OS QUE TÊM NECESSIDADE DE DIZER SEMPRE A VERDADE. VALEM PARA A APRECIAÇÃO DO EDIFÍCIO. COMO NA VIDA. UMA POESIA EM LATIM? QUEM TEM ALGO A DIZER.27 PRINCIPIO DA ESCALA NÃO DEVE SER CONFUNDIDO COM A INTERPRETAÇÃO ANTROPOMÓRFICA. É O ESPAÇO INTERIOR • TODOS OS OUTROS ELEMENTOS : VOLUMÉTRICOS. LIGEIRAMENTE INIBIDAS. ORIGINAL DA ARQUITETURA. CARECEM DE ELEMENTOS NECESSÁRIOS PARA A CARACTERIZAÇÃO. E SÃO ODIOSOS. PERGUNTAMOS : MAS É BELO PARA QUEM? RESPONDEMOS : PARA O HOMEM. FAZER BOA FIGURA: FALAM. IGUALMENTE. NA ARQUITETURA. DEVIA-SE RESPONDER COM UMA CONTRAPERGUNTA : É POSSÍVEL ESCREVER HOJE. PLÁSTICOS E DECORATIVOS. É CONTROLADA PELA PROPRIEDADE. NEM MAIS E NEM MENOS. NÃO NOS AGRADAM OS HOMENS QUE PRETENDEM SER O QUE NÃO SÃO. ENTRE OS HOMENS. SÓLIDOS E VAZIOS. E NÃO NOS AGRADAM.

01 CARACTERÍSTICAS MARCANTES INTERPRETAÇÃO POLÍTICA ÁS CAUSAS DAS CORRENTES ARQUITETÔNICAS • ÉPOCA ÁUREA DA ARQUITETURA GREGA? O SÉC. O FUTURISMO E SEUS 02 03 . NA ARQUITETURA. O CONSTRUTIVISMO. COMPREENSIVA DA ARQUITETURA É O DA INTERPRETAÇÃO ESPACIAL. V A . O QUE DIRIGE E VALE É O ESPAÇO. INTERPRETAR O ESPAÇO SIGNIFICA POR ISSO INCLUIR TODAS AS REALIDADES DE UM EDIFÍCIO • QUEM PENETRA NA MAIS COMPLEXA INVESTIGAÇÃO DA UNIDADE ORGÂNICA DO HOMEM E DA ARQUITETURA SABE JÁ QUE O PONTO DE PARTIDA DE UMA VISÃO INTEGRADA. ESTÃO ÀS CONCLUSÕES DA INTERPRETAÇÃO ESPACIAL : • A INTERPRETAÇÃO ESPACIAL NÃO É UMA INTERPRETAÇÃO QUE DISPUTA O CAMINHO COM AS OUTRAS. ESTA É A CONCLUSÃO CHEGAMOS. PORQUE PODE-SE DAR AO ESPAÇO INTERPRETAÇÕES o POLÍTICAS o SOCIAIS o CIENTÍFICAS o TÉCNICAS o FISIOPSICOLÓGICAS o MUSICAIS o GEOMÉTRICAS o FORMALISTAS EM ARQUITETURA. C • GÓTICO NA FRANÇA E NA INGLATERRA? NACIONALISMO E O FERVOR DAS CRUZADAS • NEOCLASSICO : REAÇÃO CONTRA A ARQUITETURA ROCOCÓ FILOSÓFICOA ARQUITETURA É O ASPECTO VISUAL DA HISTÓRIA RELIGIOSA • A REFORMA PROTESTANTE :A MORTE DO GÓTICO ADVENTO DA RENASCENÇA • NEOPLATONISMO: ÉPOCA HELENÍSTICA CIENTÍFICA • GEOMETRIA EUCLIDIANA. ACOMPANHA A SENSIBILIDADE ESPACIAL GREGA • ENTIDADES ESPAÇO E TEMPO: SURGE O CUBISMO. PORQUE NÃO DECORRE DO MESMO PLANO. o O CONTEÚDO SOCIAL o O EFEITO PSICOLÓGICO o VALORES FORMAIS SE MATERIALIZAM TODOS NO ESPAÇO. E JULGARÁ TODOS OS ELEMENTOS QUE ENTRAM NO EDIFÍCIO COM A MEDIDA DO ESPAÇO QUADRO – AS INTERPRETAÇÕES DO ESPAÇO N. O NEOPLASTICISMO.28 O CONTEÚDO DA ARQUITETURA É O SEU CONTEÚDO SOCIAL UMA GRANDE PARTE DA OBRIGAÇÃO DO ARQUITETO É DEDICADA À : • FUNÇÃO DO EDIFÍCIO • À TÉCNICA • À ARTE NAS TRÊS CLASSES FUNDAMENTAIS EM QUE SE DIVIDEM AS INTERPRETAÇÕES DO NASCIMENTO E DA REALIDADE DA ARQUITETURA. EXISTE UM ELEMENTO COMUM QUE CONDICIONA E DETERMINA SUA VALIDADE : • O RECONHECIMENTO DE QUE. NÃO É UMA INTERPRETAÇÃO ESPECÍFICA COMO AS OUTRAS.

29 DERIVADOS ARQUITETURA :AUTOBIOGRAFIA DO SISTEMA ECONÔMICO • ARQUITETURA MEDIEVAL : ECONOMIA AGRÍCOLA DA ALDEIA • ARQUITETURA DA RENASCENÇA? O PRODUTO DA DISSOLUÇÃO DA ALDEIA MEDIEVAL • CLASSICISMO É A ARQUITETURA DO PERÍODO ECONÔMICO CHAMADO IMPERIALISMO AS FORMAS SE EXPLICAM NAS CONDIÇÕES GEOGRÁFICAS E GEOLÓGICAS • TEMPLO GREGO : CULTOS AO AR LIVRE • TELHADOS INCLINADOS : NEVE MUITAS VEZES AS FORMAS REPETEM UMA TÉCNICA JÁ SUPERADA PELOS FATOS • MOTOR DO CARRO ESTÁ NA FRENTE: HÁBITO DE VER A FORÇA MOTRIZ DOS CAVALOS À FRENTE DO CONDUTOR • INIBIÇÃO MENTAL "ESTADOS DE ESPÍRITOS" EMOÇÃO ARTÍSTICA :IDENTIFICAÇÃO DO ESPECTADOR COM AS FORMAS REGRA DO BELO: • DAS PROPORÇÕES • GEOMÉTRICO-MATEMÁTICAS • ANTROPOMÓRFICA • UNIDADE • SIMETRIA • EQUILÍBRIO OU BALANCE • ÊNFASE OU ACENTUAÇÃO • CONTRASTE • PROPORÇÃO • ESCALA • EXPRESSÃO OU CARÁTER • VERDADE • PROPRIEDADE • URBANIDADE • ESTILO BELO PARA QUEM? PARA O HOMEM • A INTERPRETAÇÃO ESPACIAL NÃO É UMA INTERPRETAÇÃO QUE DISPUTA O CAMINHO COM AS OUTRAS • INTERPRETAR O ESPAÇO SIGNIFICA INCLUIR TODAS AS REALIDADES DE UM EDIFÍCIO JULGAR TODOS OS ELEMENTOS QUE ENTRAM NO EDIFÍCIO COM A MEDIDA DO ESPAÇO 04 ECONÔMICOSOCIAL 05 MATERIALISTA 06 TÉCNICA 07 FISIOPSICOLÓGICA 08 FORMALISTA 09 ESPACIAL .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful