You are on page 1of 3

Programas JA

A cadeira vazia
OBJETIVO DO PROGRAMA:
ORIENTAR A JUVENTUDE E ADULTOS A NÃO DEIXAREM A CADEIRA VAZIA, ISTO É, SER RESPONSÁVEL EM
TODOS OS MOMENTOS DA VIDA.

ORDEM DO PROGRAMA

1.ABERTURA

2.HINO

3.ORAÇÃO

4.MENS. MUSICAL

5.CONCURSO BÍBLICO

6.MENS. MUSICAL

7.TEMA CENTRAL - A CADEIRA VAZIA - ENCENAÇÃO

8.ENCERRAMENTO

9.HINO

10.ORAÇÃO

TEMA - ENCENAÇÃO

PERSONAGENS: 1.narrador 2.Eduardo...3.professor 4.patrão 5.zeladora 6.dir. de jovens

7.secretária 8.pastor

Grandes e funestas consequências são as que recaem sobre o jovem que em qualquer setor de sua atividade, deixa
por um momento sua cadeira vazia. Quantas desavenças! Quantas decepções! Tudo acontece, simplesmente porque
em algum momento abandonou sua cadeira vazia, como soldado o seu posto e, recebe o castigo. Ei-lo no colégio
sofrendo as primeiras consequências de sua falta!

1-CENA

Professor: Não é possível, Eduardo! Você está entregando a prova em branco?

Eduardo: Professor, eu não sei o ponto que caiu.

Professor: Ah! meu filho, exatamente no dia em que dei esse ponto a sua cadeira estava vazia.

Eduardo: Mas professor, o Sr. não poderia me dar uma nova oportunidade? Eu vou perder o ano.

Professor: Não posso meu caro jovem. Se assim procedesse, seria injusto para com os demais colegas que
compareceram no dia em que você esteve ausente. Conforme-se, meu filho, com o que você escolheu.

2.CENA

Patrão: Bom dia! Escute Eduardo, sinto muito em dizer-lhe, mas não posso mais mantê-lo como empregado em minha
firma.

Eduardo: Mas não é possível! O Sr. não pode fazer isso comigo!

Patrão: Bem, eu não queria fazer isso, mas sou obrigado, pois você já deixou por duas vezes a sua cadeira vazia, sem
23/09/2010 http://www.especialidades.org
Programas JA

A cadeira vazia
dar a menor satisfação. E ontem, quando eu mais precisava de você, outra vez encontrei-a vazia outra vez.

Eduardo: Patrão, eu prometo que não falto mais. Reconsidere o meu caso.

Patrão: Ainda que eu quisesse não poderia pois, já coloquei outro em seu lugar.

Narrador; Mais uma decepção, e desta vez, pondo em perigo o seu bem estar material. Porém é na igreja que a sua
cadeira vazia começa a pesar mais. Faltou em todos os trabalhos no sábado. sua classe na Escola sabatina deixou de
ser vencedora porque a sua cadeira estava vazia. No JA seu grupo foi derrotado porque a sua cadeira estava vazia. A
secretária ao abrir a caixinha das pedras de tropeço, leu em voz alta o nome da pedra de tropeço que ali havia restado,
significando que uma cadeira havia permanecido vazia: a de Eduardo. Prejudicou os relatórios da Igreja, irritando, os
outros jovens que querem vencer e não podem por sua causa, e a si próprio. Uma semana é suficiente para que se lhe
revele a conseqüência do seu indiferentismo. Passa a semana preocupado, confuso, decepcionado. Sexta feira foi à
Igreja para o ensaio do coral, e qual não foi a sua surpresa quando, em lá chegando, a zeladora lhe diz;

3.CENA - NA PORTA DA IGREJA

Zeladora: O coral foi representar nossa Igreja no aniversário da Cidade.

Eduardo: Eu também sou corista. E como não fiquei sabendo?

Zeladora: Bem, meu filho, talvez a sua cadeira tenha ficado vazia no último ensaio e você não soube do programa.

Narrador: Desanimado, despede-se da zeladora e cabisbaixo dirige-se para sua casa onde iria encontrar a tristeza,
enquanto os demais, numa festa espiritual, se regozijavam louvando a Deus. Sábado pela manhã, foi a Escola
Sabatina. Tudo está diferente para ele. Sente-se constrangido, tristonho, desapontado, não obstante a disposição de
todos em cumprimentá-lo. No programa JA o ambiente o acabrunha! Todos estão alegres! Todos cantam! E ele
continua triste, receoso, como se alguma dívida tivesse para saldar. Em dado momento o diretor dos jovens vai à frente
e diz:

4.CENA

Dir. Jovens: Meus irmãos, já preparamos tudo para o piquenique a Santos, no próximo domingo. Sairemos daqui às 7h.
da manhã.

Narrador: Eduardo não se contém e pede uma explicação.

Eduardo: O Sr. dir. pode dar-me uma informação sobre esse piquenique?

Dir. Jovens: Pois não! No sábado próximo passado combinamos em fazer um piquenique a Santos e já arrumamos
condução, porém, não há mais lugar. Se a sua cadeira não estivesse vazia no sábado passado, hoje, o irmão era um
dos passageiros.

Narrador: Que decepção! Não podia imaginar tal coisa! Não poder participar de um piquenique, simplesmente por haver
faltado uma vez? Ele não podia conceber tal idéia! Após os trabalhos retira-se desesperado para casa, desde já
pensando que, enquanto estaria curtindo o efeito do seu desinteresse, da sua irresponsabilidade, os outros estariam
passeando, brincando e distraindo-se no passeio.

Finda-se a semana (que semana), após dias de pesar e intranqüilidade volta à Igreja, desta vez propenso a se resignar
aos fatos conseqüentes do seu abandono aos trabalhos. Assiste a escola Sabatina, ora animado, ora pensativo, e aos
poucos começa a sentir novamente os seus pés no chão, isto é, andando na fraternidade cristã. Entretanto, para
completar o cerco da sua decepção no trabalho dos jovens, a secretária anuncia uma grande surpresa: a entrega dos
certificados aos participantes do curso para líderes de classe bíblica.

Não se contém o jovem Eduardo, e indaga à secretária

Eduardo: Quando foi realizado o curso?

Secretária: O curso foi realizado na semana precedida pelo sábado em que você deixou sua cadeira vazia.

Narrador: Eduardo sai de repente, chora emocionado e arrependido. Procura o pastor

OBS: MENSAGEM MUSICAL

23/09/2010 http://www.especialidades.org
Programas JA

A cadeira vazia
5.CENA

Eduardo: Pastor, eu não suporto mais! Estou desesperado!

Pastor: O que há meu filho?

Eduardo: Só porque faltei num dos sábados anteriores, não cantei no coral, não fui ao piquenique, não recebi meu
certificado do curso para classe bíblica. Todos olham e me censuram. Vivo nestes últimos dias acabrunhado,
preocupado, sem consolo algum, e ainda para o maior sofrimento moral, fui reprovado no colégio e perdi o meu
emprego.

Pastor: Ah! Meu caro jovem. A cadeira vazia trás sérias e graves consequências. Enquanto Judas andou com Jesus,
sem abandonar a sua cadeira, foi excelente, tudo era paz e alegria, mas uma só vez que deixou sua cadeira vazia foi o
suficiente para trair o Mestre.

Eduardo: Eu sei, pastor, que eu errei e por isso me encontro desesperado.

Pastor: Esqueça-se do que se passou. Faça um acordo com Deus, peça perdão a Ele por ter deixado a sua cadeira
vazia e Deus limpara do seu coração toda tristeza e todo o remorso, e prometa não abandonar o seu posto.

Eduardo: (Estendendo a mão para o pastor) Obrigado, pastor, pela instrução. Nunca mais deixarei minha cadeira vazia.

Narrador: E assim foi tomada a decisão pelo jovem. Nunca mais deixou sua cadeira vazia, a não ser por motivo
imperioso.

Fonte: Site pessoal do Pastor Flávio - autor do Livro Seja um Vencedor

23/09/2010 http://www.especialidades.org