You are on page 1of 211

VERACEL CELULOSE S.A.

RIMA – RELATÓRIO DE IMPACTO AMBIENTAL

AMPLIAÇÃO DA FÁBRICA E BASE FLORESTAL NOS MUNICÍPIOS DE


BELMONTE, CANAVIEIRAS, ENCRUZILHADA, EUNÁPOLIS, GUARATINGA,
ITABELA, ITAGIMIRIM, ITAPEBI, ITAPETINGA, ITARANTIM, MACARANI,
MAIQUINIQUE, MASCOTE, PORTO SEGURO, POTIRAGUÁ, SANTA
CRUZ DE CABRÁLIA, SANTA LUZIA E INDÚSTRIA DE CELULOSE
NO MUNICÍPIO DE EUNÁPOLIS E BELMONTE, NA BAHIA

RESOLUÇÃO CEPRAM Nº 3.961 DE 2009

Relatório Técnico

CPM RT 097/11

Abril/11 Rev. 00

CEPEMAR – Serviços de Consultoria em Meio Ambiente Ltda


Av. Carlos Moreira Lima, 90, Bento Ferreira, CEP 29050-650 – Vitória – ES
PABX: (27) 2121-6500 – FAX: (27) 2121-6528
E-mail: cepemar@cepemar.com
Conteúdo
1. O QUE É ESTE RELATÓRIO DE IMPACTO AMBIENTAL? .................. 001

2. EM QUANTO TEMPO SERÁ EXECUTADO O PROJETO? .................... 002

3. COMO É FEITA A CELULOSE? .............................................................. 005

4. ONDE O PROJETO SERÁ IMPLANTADO? ............................................ 009

5. VERACEL USA TECNOLOGIA EM FAVOR DO MEIO AMBIENTE ...... 015

6. EM QUAIS ÁREAS HAVERÁ INFLUÊNCIA DO PROJETO? ................ 017

7. QUAL A RELAÇÃO DO PROJETO COM AS POLÍTICAS, OS


PLANOS E OS PROGRAMAS DO GOVERNO? ..................................... 022

8. QUAL O DIAGÓSTICO AMBIENTAL DAS ÁREAS


INFLUENCIADAS PELO PROJETO? ...................................................... 028

9. QUAIS IMPACTOS O PROJETO CAUSARÁ E AS


MEDIDAS PROPOSTAS? ........................................................................ 179

10. QUAIS PROGRAMAS E PLANOS SERÃO DESENVOLVIDOS


PARA REDUZIR OU ELIMINAR OS IMPACTOS DA VERACEL?.......... 195

11. EQUIPE TÉCNICA .................................................................................... 206


 

1. O QUE É ESTE RELATÓRIO DE IMPACTO AMBIENTAL?


Esta publicação consiste no Relatório de Impacto Ambiental (RIMA), produzido pela
Veracel Celulose S.A., por meio das empresas Cepemar Consultoria em Meio Ambiente e
Cosmos Engenharia, para o empreendimento de Ampliação da fábrica da Veracel
Celulose S.A. nos municípios de Eunápolis e Belmonte e de sua área de plantio de
eucalipto nos municípios de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis, Guaratinga,
Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga, Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz Cabrália e Santa Luzia, no Estado da Bahia.

Este relatório apresenta os resultados dos vários estudos feitos por profissionais de
diversas áreas para a empresa obter a Licença de Localização do projeto. Inicialmente,
conforme prevê a lei, foi feito o Estudo de Impacto Ambiental (EIA), uma pesquisa ampla
que é a fonte de informações para a produção do RIMA, um documento mais objetivo e
simplificado, direcionado para a população com interesse no projeto. Ambos, EIA e RIMA,
são exigidos pela legislação brasileira.

O principal objetivo da Veracel é a produção de celulose branqueada de fibra curta, a


partir de eucalipto e por meio do processo sulfato (kraft) e do branqueamento sem uso de
cloro molecular (gás cloro) - ECF. Atualmente, a Veracel está licenciada para uma
produção de 1,2 milhão de toneladas por ano, a maior parte vendida ao exterior, e tem
uma área própria licenciada de plantio de eucalipto de 96 mil hectares e mais 23 mil
hectares por meio do Programa Produtor Florestal, além de áreas de preservação
permanente, de reserva legal e outras protegidas adicionalmente, que envolvem mais de
105 mil hectares em terras próprias.

A celulose é uma fibra de origem natural, parecida com o algodão, produzida por diversos
tipos de plantas. A madeira é, na verdade, composta por muitas fibras de celulose
"coladas" uma às outras por uma substância chamada lignina. A fábrica vai separar as
fibras de celulose da lignina e de outras substâncias presentes nos troncos de eucalipto.
A celulose é utilizada, principalmente, para a produção de papel e papelão. As fibras de
celulose são misturadas a alguns produtos químicos, e essa mistura é prensada e seca
por grandes máquinas, adquirindo a forma de folhas de papel ou placas de papelão.

O novo objetivo é aumentar a produção de celulose de fibra curta em mais 1,5 milhão de
toneladas secas ao ar por ano (tsa/ano). Para tanto, será necessário aumentar a área de
plantio de eucalipto existente em 107 mil hectares (plantio próprio e/ou arrendado e em
parceria com Produtores Florestais no Sul e Extremo Sul da Bahia). Isso será possível
com a ampliação da Veracel, nova fábrica com essa capacidade de produção maior que a
atual, que será localizada ao lado da unidade já existente nos municípios de Eunápolis e
Belmonte, na Bahia. Essa quantidade de celulose produzida vai atender à demanda do
mercado de produção de papel.

CPM RT 097/11 1 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

O conteúdo que será apresentado identifica o projeto de ampliação da Veracel, mostra a


sua compatibilidade com políticas, planos e programas governamentais, delimita a sua
área de influência, e aponta o diagnóstico ambiental e os impactos reais e possíveis. Este
RIMA também apresenta medidas de redução e compensação dos efeitos da construção
e operação da ampliação da Veracel e os projetos de controle e monitoramento.

O RIMA atende todas as exigências do Conselho Estadual de Meio Ambiente (CEPRAM)


e do Instituto de Meio Ambiente (IMA) do Estado da Bahia, órgãos responsáveis pelo
licenciamento ambiental da ampliação das atividades da Veracel Celulose. Esse RIMA
também atende a legislação aplicável e o rigor técnico necessário.

2. EM QUANTO TEMPO SERÁ EXECUTADO O PROJETO?


O cronograma de implantação dos plantios de eucalipto se inicia imediatamente após a
obtenção da licença de implantação a ser concedida pelo Instituto do Meio Ambiente -
IMA. O cronograma é mostrado no cronograma abaixo.

Cronograma de realização dos plantios de eucalipto, melhorias de estrada e atividade de


colheita florestal.
ANOS
ATIVIDADES
1 2 3 4 5 ...
Implantação dos plantios florestais na área de expansão (92.000 ha)
Obras de melhoria das estradas
Atividades de colheita florestal da área de expansão (92.000 ha)

A ampliação da fábrica da Veracel será feita em quatro anos após a obtenção da licença
ambiental para instalação, conforme cronograma abaixo:

CPM RT 097/11 2 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

CRONOGRAMA DE AMPLIAÇÃO DA FÁBRICA DA VERACEL CELULOSE

Etapas / Meses 1 a 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48

Planejamento

Montagem dos Canteiros

Terraplenagem
Escavações para
emissário e captação
Fundações

Alvenaria
Montagem de
equipamentos

Comissionamento e testes

Desmobilização

Partida

Tanto para fazer a ampliação da fábrica da Veracel Celulose S.A.quanto da sua área
de plantio de eucalipto na Bahia algumas atividades terão que ser realizadas.
Inicialmente, será feito o detalhamento do projeto para posterior mobilização de mão de
obra e equipamentos. A seguir, a área começa a ser preparada, com execução de
terraplenagem (movimentação de terras para ajuste do relevo do terreno), aterro,
reaproveitamento interno de solo em reaterros, formação de taludes (inclinação
encontrada em encosta para garantir estabilidade do aterro) e estoque de terra para o
paisagismo da área.

Haverá também necessidade de movimentação de terras para construção de uma adutora


e um emissário.

Adutora - canal que transporta água desde a captação, no rio Jequitinhonha, levando
para tratamento e depois para cada setor onde será utilizada.
Emissário - tubulação para encaminhar os efluentes tratados da fábrica até o ponto de
lançamento no rio Jequitinhonha.

CPM RT 097/11 3 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Sistema de emissários subaquáticos de lançamento de


efluente da fábrica no rio Jequitinhonha.

De forma geral, os passos seguintes serão a construção de canteiros temporários de


obras, a construção civil e montagem dos equipamentos da indústria, a pintura e,
finalmente, o comissionamento, os testes e a partida. A finalização será feita com a etapa
de retirada dos canteiros, limpeza e paisagismo.

Comissionamento - etapa final da construção de uma indústria. Os trabalhadores


verificam se os equipamentos foram bem montados e testam tudo, garantindo que a
fábrica funcione como planejado.
 

Após o início da operação, está prevista com a ampliação da Veracel a geração de 2.880
empregos permanentes a mais na região. Sendo cerca de 250 empregos nas operações
industriais, 2600 empregos nas operações florestais e cerca de 30 empregos em
atividades administrativas. Atualmente, a Veracel gera 3.205 empregos permanentes
(Fonte: Veracel, dez/2010). Isso significa que, com a ampliação da Veracel, haverá um
aumento de quase de 90% no quadro atual de empregos. Durante a construção da
fábrica, serão gerados em torno de 8.000 empregos ao longo de 48 meses.

CPM RT 097/11 4 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

3 COMO É FEITA A CELULOSE?


FÁBRICA - PROCESSO INDUSTRIAL

O processo de fabricação de celulose da ampliação da Veracel será similar ou mais


avançado do que o que acontece na atual Veracel. Será feito por meio da transformação
da madeira de eucalipto em material fibroso, passando pelos estágios de produção de
cavacos, cozimento, branqueamento e secagem.
Conheça como é feito o processo de produção de celulose

Tudo começa na área de manuseio de toras de madeira, onde a matéria-prima é recebida


em caminhões. As toras são descarregadas no pátio de toras para estocagem ou levadas
aos picadores para serem transformadas em cavacos, que são transportados por correias
até os equipamentos chamados digestores, onde cavacos e licor branco forte (soda
cáustica e sulfeto de sódio) são colocados continuamente pela parte superior para fazer o
cozimento.

CPM RT 097/11 5 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Digestores – funcionam como grandes panelas de pressão onde são misturados


madeira e produtos químicos, acelerando o cozimento da madeira para separar as
fibras de celulose industrial
 

Durante o cozimento, ocorre uma ação química que separa a fibra da madeira. As fibras
separadas são a celulose industrial. Ainda dentro do digestor, acontece uma lavagem
para retirar o “caldo” do cozimento, chamada de licor preto fraco, que é usado como
combustível na caldeira de recuperação. A celulose é retirada do digestor e levada a outra
operação de lavagem nos difusores, aumentando sua pureza.

Caldeira de recuperação – Equipamento utilizado para queima de subprodutos do


processo e dos gases que não podem ser aproveitados.
Difusores – equipamento utilizado para lavagem da celulose e retirar impurezas sólidas 

Em seguida, a celulose é levada para a etapa chamada branqueamento, com a finalidade


de retirar o pequeno e difícil percentual remanescente de lignina para que a celulose
adquira a sua coloração natural. Ao final do branqueamento, a celulose está diluída em
água, necessitando secá-la para melhor acondicioná-la. Para isso, é enviada para a etapa
de secagem (retirada de água), que é realizada em um grande equipamento secador,
utilizando ar quente. A etapa final do processo consiste no corte da folha de celulose em
formatos exigidos pelos compradores (67 x 92 centímetros). Em seguida, essas folhas
são empilhadas, vão para prensagem, amarração e embalagem, formando os fardos de
celulose.

Branqueamento – Etapa da produção da celulose que retira os compostos que dão cor
escura à polpa, tornando ela branca.
Algumas características que dão qualidade à celulose:
Brancura: Quanto mais branca a celulose maior a qualidade dela e maior a aceitação
pelos compradores. Quanto mais branca, mais nobre a celulose.
Pureza: É uma característica que demonstra que a celulose está livre de outros
materiais como areia, borracha, plástico, entre outras coisas. 

Essa operação é contínua. Por ano são 355 dias de operação e dez dias de parada
programada, para manutenção geral.

CPM RT 097/11 6 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

O consumo de água previsto para fábrica atual e futura será de 9.216 metros cúbicos por
hora (m3/h), que serão retirados do rio Jequitinhonha, um total que representa,
aproximadamente, 2,5 % do volume total de água do rio no período de estiagem. A
captação é feita abaixo do ponto de lançamento dos efluentes industriais tratados, o que
demonstra a confiança da empresa em seu sistema de tratamento de efluentes.

A fábrica devolverá ao rio cerca de 90% do volume de água captada em forma de efluente
industrial tratado. Ou seja, somente 10% serão perdidos na evaporação e consumidos na
produção de celulose. Ainda estão previstos projetos de reaproveitamento das águas de
selagem e da chuva, que poderão ser usadas em caso de incêndio, rega de jardins e
lavagem das ruas da fábrica, e a implantação de sistemas para diminuição das perdas de
água de resfriamento, após tratada.

Águas de selagem – líquido usado para lubrificação e esfriamento das bombas


hidráulicas. 

PLANTIO – Processo Florestal

O eucalipto é a matéria-prima do processo de produção de celulose da Veracel. A base


florestal para atender a produção de celulose será proveniente de eucalipto produzido em
fazendas próprias e arrendadas localizadas no sul do Estado da Bahia, e em parceria com
os produtores florestais da região. O consumo previsto para a fábrica atual e futura é de
9.450.000 metros cúbicos de madeira sem casca por ano.

As operações de plantio de eucalipto são divididas em implantação e manutenção. Para


isso é necessária a produção de mudas, que são produzidas pelo método de
miniestaquia, em viveiro próprio, localizado em Eunápolis, com capacidade para produzir
até 24 milhões de mudas por ano. Eventualmente, a Veracel adquire mudas de terceiros.

Essas mudas são levadas para o campo e plantadas. No plantio a Veracel utiliza uma
prática conhecida como cultivo mínimo. Com essa prática, consegue-se a implantação da
nova base florestal com a menor interferência possível do solo, mantendo-o protegido
contra a erosão, mantendo sua umidade e evitando assoreamento dos cursos d’água. As
principais atividades de implantação são o combate à formiga, o preparo do solo, o plantio
e a irrigação. Em seguida temos a manutenção da floresta, que consiste em um conjunto
de atividades realizadas para garantir o crescimento e a produtividade florestal, como
controle de pragas daninhas e doenças, adubação, prevenção constante de incêndios,
entre outros. Essas atividades são realizadas de acordo com a necessidade detectada
durante os monitoramentos.

Em média, sete anos após o plantio, as árvores estão prontas para serem colhidas. Elas
são colhidas por máquinas específicas, que favorecem a sustentabilidade florestal, pois a
biomassa residual (cascas, galhos e folhas) fica retida no campo, protegendo e
CPM RT 097/11 7 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

melhorando as características físicas e nutricionais do solo. Em seguida, a madeira é


colocada sobre os caminhões e transportada até a fábrica. O tronco que ficou plantado
pode ser manejado por talhadia (condução de brotação), ou ser eliminado, plantando uma
nova muda (reforma).

Conheça algumas das atividades de colheita florestal.

Corte de eucalipto. Plantio

Descascamento após o corte Empilhamento da madeira

CPM RT 097/11 8 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Conheça o ciclo de produção florestal

4 ONDE O PROJETO SERÁ IMPLANTADO?


Desde 2003, quando o projeto da fábrica da Veracel foi licenciado para instalação nos
municípios de Eunápolis e Belmonte já se previa uma nova expansão. Por isso, toda a
infraestrutura de apoio industrial, meio ambiente e logística foi programada para um
conjunto industrial mais amplo no mesmo local, já prevendo a construção da nova fábrica
da Veracel.

Para avaliar a ampliação, optou-se por não separar indústria de área de plantio. Elas
estão interligadas e uma depende da outra. Assim, as possibilidades de localização
também levaram isso em conta, chegando-se a cinco alternativas na época da instalação
de atual Veracel. A mais adequada foi a que permite a localização das fábricas próximas
ao rio Jequitinhonha. A disponibilidade de água é uma característica fundamental para a
sustentabilidade do empreendimento, no que diz respeito à unidade industrial. Além disso,
o rio também é o mais adequado para a diluição segura dos efluentes da produção depois
de tratados. A vazão de qualquer outro rio da região não seria suficiente para atender as
necessidades industriais, caso fosse escolhido.
CPM RT 097/11 9 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

No local, grande parte da terraplanagem já está pronta e o sistema de drenagem pluvial


instalado. O trecho já utilizado para passagem da adutora e dos emissários existentes
também comportará as tubulações da nova fábrica. Nesta área escolhida para a
implantação da adutora e do emissário haverá necessidade de pouca movimentação de
solo e retirada de vegetação, e os efluentes sanitários gerados na fase da obra poderão
ser tratados na estação existente.

Grande parte das estradas de acesso prontas é suficiente para atender o volume de
caminhões transportadores de matéria-prima, produtos e trabalhadores da Veracel (atual
e ampliação). As linhas de transmissão de energia elétrica externa instaladas são também
suficientes para atender as duas fábricas. A proximidade das duas fábricas também
favorece a ligação entre as linhas e minimiza custos.

Facilitando o transporte dos colaboradores, a fábrica fica a 50 quilômetros de Eunápolis, a


40 km de Mundo Novo, a 25 km de Itapebi, a 35 km de Itagimirim, a 17 km de
Barrolândia/Belmonte, a 25 km de Ponto Central/Santa Cruz Cabrália, a 60 km de Santa
Cruz de Cabrália, e a 80 km de Porto Seguro, municípios onde mora a totalidade dos
empregados da empresa atualmente.

Diante de todos os fatores relatados, conclui-se que a melhor localização para a


ampliação da fábrica da Veracel é ao lado da atual.

Na análise das alternativas de locais para a ampliação do plantio de eucalipto, foram


considerados aspectos técnicos, ambientais, econômicos e sociais.

Os Municípios do sul da Bahia foram combinados em três grupos, formando alternativas


que são apresentadas no quadro abaixo:

Distância
Nº de Área total de
Municípios Média da
municípios plantio
fábrica
92.000 hectares
Belmonte, Canavieiras, Eunápolis, Guaratinga, Itabela, de plantio próprio
Alternativa
10 Itagimirim, Itapebi, Mascote, Porto Seguro e Santa Cruz 15.000 hectares 50 km
01
Cabrália de produtores
florestais
92.000 hectares
Belmonte, Canavieiras, Eunápolis, Guaratinga, Itabela,
de plantio próprio
Alternativa Itagimirim, Itapebi, Mascote, Porto Seguro, Santa Cruz
17 15.000 hectares 75 km
02 Cabrália Encruzilhada, Macarani, Maiquinique, Itapetinga,
de produtores
Itarantim, Potiraguá e Santa Luzia
florestais
92.000 hectares
Belmonte, Canavieiras, Eunápolis, Guaratinga, Itabela, de plantio próprio
Alternativa
12 Itagimirim, Itapebi, Mascote, Porto Seguro, Santa Cruz 15.000 hectares 60 km
03
Cabrália, Itamaraju e Prado de produtores
florestais

CPM RT 097/11 10 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

De forma geral, na alternativa 01 a área de plantio ocorre nos dez municípios onde a
Veracel já tem eucalipto. Na alternativa 02 amplia-se o número de municípios onde ocorre
o plantio de dez para 17, aumentando a distribuição dele nos municípios baianos. Na
alternativa 03 aumenta-se a área plantada nos municípios onde ela já ocorre e está é
ampliada em mais dois municípios (Prado e Itamarajú).

Alternativa 1

CPM RT 097/11 11 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Alternativa 2

CPM RT 097/11 12 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Alternativa 3

CPM RT 097/11 13 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Para saber qual alternativa seria a melhor, foram avaliados quatro conjuntos de critérios
com diferentes pesos, como apresentados no quadro.

Peso Exemplos de Critérios


• adaptação das plantas à região
Critérios técnicos 5
• produtividade
• distância média dos plantios até a fábrica
Critérios econômicos 4 • quantidade de terras disponíveis
• infraestrutura e mão de obra que os locais oferecem
• possíveis impactos sobre áreas com diversidade ecológica
• condições ambientais
• vegetação nativa, os animais que vivem na área
Critérios ambientais 7
• possíveis impactos sobre recursos hídricos
• interferência em áreas que podem servir para agricultura
• possível conflito pelo uso da água e solo
• níveis de renda e empregos formais
• arrecadação de impostos pelos municípios
• a capacitação profissional e escolaridade da população
• distribuição de terras
• agricultura familiar (representatividade)
Critérios sociais 10
• distribuição de benefícios aos municípios
• presença de comunidades indígenas e quilombolas
• nível de desenvolvimento municipal
• potencial turístico
• possíveis impactos sobre os bens culturais, históricos e arqueológicos

Ao final, a opção que teve maior pontuação global foi a alternativa 02. Apesar de não ser
a melhor segundo os critérios técnicos e econômicos, uma vez que aumenta os custos
com transporte de madeira e infraestrutura, tem menor produtividade pelas condições
edafoclimáticas (solo e clima), ela é a opção preferencial por ter maiores vantagens
ambiental e social.

Por isso, a alternativa indicada pelo Estudo Ambiental foi a que inclui os seguintes
municípios: Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis, Guaratinga, Itabela,
Itagimirim, Itapebi, Itapetinga, Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto Seguro,
Potiraguá, Santa Cruz Cabrália e Santa Luzia.

CPM RT 097/11 14 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

No quadro abaixo, são apresentadas as áreas a serem plantadas em cada um dos


municípios da alternativa 02.

Áreas
Áreas Futuras
Municípios Atuais + Futuras
(ha) (ha)
Belmonte 11.154 30.000
Canavieiras 13.874 15.000
Encruzilhada 5.000 5.000
Eunápolis 0 22.362
Guaratinga 27.854 35.000
Itabela 11.167 17.000
Itagimirim 4.448 16.000
Itapebi 18.219 19.000
Itapetinga 10.000 10.000
Itarantim 15.000 15.000
Macarani 10.000 10.000
Maiquinique 4.000 4.000
Mascote 10.097 14.000
Porto Seguro 20.766 35.000
Potiraguá 5.000 5.000
Santa Cruz Cabrália 0 25.224
Santa Luzia 2.999 3.000
TOTAL 169.578 280.586

5 VERACEL USA TECNOLOGIA EM FAVOR DO MEIO AMBIENTE


TECNOLOGIAS INDUSTRIAIS
A tecnologia escolhida para a Veracel (atual e ampliação) é baseada na contínua melhoria
da eficiência ecológica da empresa, que consiste no uso das melhores tecnologias
disponíveis na fabricação de celulose e das melhores práticas e equipamentos de controle
ambiental.

O cozimento da madeira, descrito anteriormente, é feito por meio do processo Kraft, que é
a mistura das substâncias químicas de sulfeto de sódio e soda cáustica à temperatura de
150º C. Tal tecnologia é a mais utilizada no mundo inteiro por produzir uma celulose de
melhor qualidade com menor impacto ambiental .

O processo Kraft permite recuperar os químicos utilizados no cozimento e reutilizar


resíduos para gerar vapor e energia elétrica que é usada para abastecer a fábrica. A
recuperação funciona assim: o licor preto gerado no cozimento da madeira é separado
das fibras de celulose e enviado para o sistema de recuperação. Esse licor passa por um
processo de evaporação do seu excesso de água, possibilitando sua queima na caldeira.
A queima desse licor, já concentrado, possibilita a recuperação dos reagentes químicos
CPM RT 097/11 15 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

que retornam ao cozimento, tornando o processo ambientalmente viável. A queima do


licor possibilita também a geração de energia elétrica e vapor suficiente para suprir toda a
fábrica.

A tecnologia adotada no processo de branqueamento é conhecida como ECF (Elementar


Chlorine Free), ou seja, livre de cloro molecular (gás cloro). Essa tecnologia permite uma
celulose branqueada de elevada pureza sem prejuízo de outras características da fibra e
reduz a níveis bem baixos a geração de compostos de cloro ligados à matéria orgânica,
conhecidos como organoclorados. Esse melhor desempenho ambiental fez com que tal
processo se destacasse nesse ramo industrial em nível mundial. Atualmente, é a principal
tecnologia adotada pelas novas fábricas, e as antigas foram se adequando ao processo
ECF.

Outras melhorias já implementadas e que se estenderão para a ampliação da Veracel


são: reuso de condensados, sistema de recuperação de perdas, cozimento estendido,
deslignificação com oxigênio, e uso da caldeira de recuperação para tratamento de odor.
Paralelamente, existe na empresa uma Central de Tratamento de Resíduos Sólidos, que
será ampliada para praticar cada vez mais a reciclagem e reduzir a necessidade de áreas
reservadas para aterro industrial.

Aterro industrial – área construída para a destinação final dos rejeitos da indústria de
forma ambientalmente segura.  

Em relação à geração e ao uso de energia, a Veracel continuará sendo referência


mundial, pois os combustíveis que são usados na geração de energia são oriundos de
resíduos do processo de fabricação de celulose, onde cerca de 90% do vapor e energia
elétrica produzidos vêm da queima do licor preto, e cerca de 10% vêm da queima de
biomassa de eucalipto, ou seja, 100% têm origem nas fontes não fósseis (renováveis).
Além disso, o excesso de energia produzida é vendida ao mercado.

Fontes não fósseis – os combustíveis de fontes não fósseis são aqueles que menos
contribuem para o aquecimento global. 

TECNOLOGIAS FLORESTAIS

O manejo florestal desenvolvido pela Veracel adota conceitos, técnicas e procedimentos


que permitem a sustentabilidade do empreendimento, com base em pesquisas em
tecnologia florestal e ambiental, definição de unidades de manejo operacional,
planejamento de uso e ocupação do solo, proteção e manutenção de sua produtividade.
Quanto à prevenção de impactos que possam ser causados pelas diferentes operações
florestais nas bacias hidrográficas, a Veracel adota uma série de práticas como
descascamento da madeira no campo para reter a biomassa residual da colheita (folhas,
CPM RT 097/11 16 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

galhos finos e cascas), como forma de proteger e melhorar as características físicas e


nutricionais do solo, o cultivo mínimo do solo, uso preferencial de produtos biológicos e
químicos de baixa toxicidade e baixo poder residual, para controle de pragas e doenças,
sempre baseado em monitoramento, aplicação de tecnologia em fertilização, com uso de
adubos e corretivos do solo, estabelecimento de reservas legais por bacia hidrográfica,
priorizando a formação de corredores ecológicos, planejamento de colheita visando
minimizar a compactação do solo em função de suas características físicas e umidade.

6 EM QUAIS ÁREAS HAVERÁ INFLUÊNCIA DA VERACEL (ATUAL E


AMPLIAÇÃO)?
A Área de Influência (AI) são os locais afetados direta ou indiretamente pelos impactos
causados durante o planejamento, a construção e a operação do empreendimento. Elas
são definidas a partir de análises das características dos meios físico, biótico e
socioeconômico (que sofrem ação do empreendimento).

A Área de Influência é dividida em:


Área Diretamente Afetada (ADA) – é a área realmente modificada pelas ações de um
empreendimento.
Área de Influência Direta (AID) – região onde os impactos incidem diretamente como
resultados das ações de construção e operação do empreendimento. Esses impactos
podem acontecer sobre solo, água e ar, sobre as forma de uso e ocupação do solo, o
dia a dia das comunidades e sobre a vegetação e os animais.
Área de Influência Indireta (AII) – região onde os impactos acontecem de forma
indireta. São resultados das ações de construção e operação do empreendimento
como na AID. 

Com base nessas definições foram avaliadas quais seriam as áreas de influência da
expansão dos empreendimentos industrial e do plantio de eucalipto sobre os meios físico,
biótico e socioeconômico, considerando os vários impactos possíveis sobre cada meio.
Como resultado dessas avaliações, encontraram-se os possíveis impactos mais
abrangentes relacionados à implantação e operação da nova fábrica e à expansão do
plantio de eucalipto.

Esses impactos e suas áreas de influência mais abrangentes sobre cada meio serão
apresentados a seguir.

CPM RT 097/11 17 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Áreas de influência das fábricas da Veracel (atual e ampliação):


Meio físico:
A fábrica atual da Veracel possui baixíssimas emissões de odor. Na futura fábrica serão adotadas
tecnologias de controle atmosférico, no mínimo, similares às atuais. Em operação normal, o odor pode ser
percebido mais frequentemente em algumas áreas do processo industrial, tais como evaporação e
cozimento. Para definição da área diretamente afetada, extrapolou-se essa possibilidade de sentir o cheiro
da fábrica para o contorno da cerca das fábricas atual e futura.
Meio biótico:
Os efluentes gerados no processo industrial, ricos em matéria orgânica, são tratados em sistemas
biológicos de alta eficiência de remoção de poluentes (cerca de 98 % de remoção de matéria orgânica),
denominados lodos ativados e depois de tratados são lançados no rio Jequitinhonha por meio de
emissários, que favorecem a sua rápida mistura ao rio. Para a nova fábrica serão adotados novos
sistemas de tratamento com tecnologias de lodos ativados similares ou melhores do que os atuais. A
captação de água é feita por meio de canal artificial construído no rio Jequitinhonha e que será
aproveitado para a nova fábrica, sem necessidade de novas obras civis no rio.
Área
Para definição da área diretamente afetada sobre o meio biótico, considerou-se como possível impacto de
Diretamente
maior abrangência o trecho do rio entre os pontos de lançamento de efluentes tratados e a captação de
Afetada (ADA)
água, incluindo a percepção de ruído pela fauna terrestre nos limites das áreas reservadas para
construção da nova fábrica, do emissário e da captação.
Meio socioeconômico:
As comunidades mais próximas da fábrica são Barrolândia (17 km) no município de Belmonte, Ponto
Central (25 km) no município de Cabrália, Mundo Novo (40 km) no município de Eunápolis, e as cidades
de Itabebi (25 km), Itagimirim (35 km), Eunápolis (50 km), Santa Cruz Cabrália (60 km) e Porto Seguro (80
km). Também foram identificadas algumas casas de propriedades rurais próximas à fábrica e no entorno
do emissário e da captação de água no rio Jequitinhonha, bem como a movimentação de veículos nas
vias de tráfego que dão acesso à fábrica. Desse modo, as áreas próximas à fábrica no raio menor do que
15km foram identificadas como pouco habitadas.
Para definição da área diretamente afetada sobre o meio socioeconômico, considerou-se como possível
impacto de maior abrangência sobre o cotidiano dos moradores do entorno da fábrica: o aumento do
tráfego de caminhões com matéria-prima, produtos químicos e celulose, e de ônibus/veículos leves no
trecho da BA 275, que dá acesso às portarias da fábrica.
Meio físico:
Para definição da AID considerou-se como possível impacto de maior abrangência sobre o meio físico a
pequena probabilidade, identificada nos estudos de alteração da qualidade do ar, de alguém sentir o
cheiro fora do raio que contorna a fábrica e dentro do raio de 25 km do seu entorno, quando em operação
normal.
Meio biótico:
Área de Para a definição da AID considerou-se como possível impacto de maior abrangência sobre o meio biótico
Influência Direta o trecho de 14 km do rio Jequitinhonha , a partir do ponto de lançamento de efluente tratado, incluindo a
(AID) percepção de ruído pela fauna terrestre no raio de 2,5 km no entorno da fábrica e nos raios de 400 metros
no entorno do emissário e da captação.
Meio socioeconômico:
Para a definição da AID considerou-se como possível impacto de maior abrangência sobre o meio
socioeconômico a chegada e movimentação dos colaboradores atraídos pela expansão do
empreendimento para os municípios de Eunápolis, Itagimirim, Itapebi, Belmonte, Santa Cruz Cabrália e
Porto Seguro e os seus deslocamentos pelas rodovias que dão acesso à fábrica.
Meio físico:
Para a definição da AII considerou-se como possível impacto de maior abrangência sobre o meio físico a
alteração na qualidade do ar momentânea, devido à geração de odor em situações de distúrbios
operacionais, no raio de 40 km no entorno da fábrica e a alteração na qualidade da água no trecho do rio
Jequitinhonha, após 14 km do ponto de lançamento de efluente tratado até a sua foz.
Meio biótico:
Área de Para a definição da AII considerou-se como possível impacto de maior abrangência sobre o meio biótico a
Influência alteração na qualidade da água no trecho do rio Jequitinhonha, após 14 km do ponto de lançamento de
Indireta (AII) efluente tratado até a sua foz, incluindo a alteração no ruído de fundo da região no raio de 2,5km no
entorno da fábrica e nos raios de 400 metros no entorno da captação e do emissário.
Meio socioeconômico:
Para a definição da AII considerou-se como possível impacto de maior abrangência sobre o meio
socioeconômico as operações de plantio de eucalipto nos municípios de Guaratinga, Itabela, Canavieiras,
Mascote, Santa Luzia, Itapetinga, Potiraguá, Itarantim, Maiquinique, Macarani, Encruzilhada e de
municípios adjacentes sobre o cotidiano das pessoas.

CPM RT 097/11 18 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Áreas de influência para o me


eio físico e biótico

CPM RT 097/11
1 19 RIMA – Relatório de Imp pacto Ambiental
Abril/11  ação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
Amplia
de Belmonte,
B Canavvieiras, Encruzilhaada, Eunápolis,
Guuaratinga, Itabela
a, Itagimirim, Itap
pebi, Itapetinga,
Ita
arantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Pottiraguá, Santa Crruz de Cabrália,
Santa L
Luzia E Indústria de Celulose no
Município de E
Eunápolis e Belm monte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nºº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Áreas de influência meio socio


oeconômicco

CPM RT 097/11
1 20 RIMA – Relatório de Imp pacto Ambiental
Abril/11  ação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
Amplia
de Belmonte,
B Canavvieiras, Encruzilhaada, Eunápolis,
Guuaratinga, Itabela
a, Itagimirim, Itap
pebi, Itapetinga,
Ita
arantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Pottiraguá, Santa Crruz de Cabrália,
Santa L
Luzia E Indústria de Celulose no
Município de E
Eunápolis e Belm monte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nºº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Áreas de influência
a da base florestal da
d Verace
el:

Meio físiico, biótico e so


ocioeconômico o: é a área tota
al dos município os. Na
Área Diretamente Afetada prática, para implantaçção da Base Florestal do emp preendimento, será utilizada
(ADA) e Áreea de Influênc
cia apenas uma parte dessse território mu unicipal. Mas, como
c a localiza
ação das
Direta (AID)) fazendas pode ser em qualquer local do município, ficou demarca ado todo seu
o.
território
Meio físiico e biótico: Faixa de contorrno de 10 km – assim como é feito com as
Zonas de Amortecimen nto das Unidad des de Conservvação, que são o
ecossisttemas ambientalmente mais sensíveis.
s
Meio soccioeconômico: Estudando o meio m socioecon nômico foi considerada que
Área de Inflluência Indiretta a AII é composta
c peloss territórios dos
s municípios addjacentes a AID D.
(AII) A AII é formada
fo por: Una, Arataca, Camacã,
C Pau Brasil,
B Itaju do CColônia,
Itororó, Itambé,
I Ribeirã
ão do Largo, Vitória da Conqu uista, Cândido Sales (BA);
Águas Vermelhas,
V Divisa Alegre, Ped dra Azul, Divisóópolis, Mata Ve erde,
Bandeira a, Jordânia, Saalto da Divisa, Santa
S Maria doo Salto, Santo Antônio do
Jacinto(M MG); e Jucuruççu, Itamaraju e Prado (BA).

Áreas de influência
a dos meios físico e biótico

CPM RT 097/11
1 21 RIMA – Relatório de Imp pacto Ambiental
Abril/11  ação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
Amplia
de Belmonte,
B Canavvieiras, Encruzilhaada, Eunápolis,
Guuaratinga, Itabela
a, Itagimirim, Itap
pebi, Itapetinga,
Ita
arantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Pottiraguá, Santa Crruz de Cabrália,
Santa L
Luzia E Indústria de Celulose no
Município de E
Eunápolis e Belm monte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nºº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Áreas de influência
a para o meio
m socio
oeconômic
co

7 QU
UAL A RELAÇÃ ÃO DO PROJEETO COM AS P
POLÍTICAS, OS
S
PL
LANOS E OS PRO
OGRAMA
AS DO GOVERNO
G O?
A ampliaçção da fábrica da Veeracel Celu
ulose S.A. e de sua área
á de plaantio aconntecerá emm
uma área a contemp plada por políticas, planos e programa as dos go overnos municipais,
m
estadual e federal. Assim,
A é necessário
n um estudoo de possííveis confliitos ou incentivos do
o
empreend dimento a estas
e açõees:

CPM RT 097/11
1 22 RIMA – Relatório de Imp pacto Ambiental
Abril/11  ação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
Amplia
de Belmonte,
B Canavvieiras, Encruzilhaada, Eunápolis,
Guuaratinga, Itabela
a, Itagimirim, Itap
pebi, Itapetinga,
Ita
arantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Pottiraguá, Santa Crruz de Cabrália,
Santa L
Luzia E Indústria de Celulose no
Município de E
Eunápolis e Belm monte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nºº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Política de Desenvolvimento Produtivo – PDP: coordenada pelo Ministério do


Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, tem como objetivo a expansão da
economia brasileira. Os programas para consolidar e expandir a liderança do país no
mercado mundial estão voltados para o incentivo aos seguintes sistemas produtivos:
celulose e papel, siderugia, mineração, bioetanol, petróleo e gás natural e petroquímica,
complexo aeronáutico e carnes.A ampliação da Veracel vai ao encontro dos interesses
do governo para o desenvolvimento estratégico do Brasil, , já que gerará renda, empregos
e divisas para o país.

Programa Especial de Exportação – PEE: coordenado pelo Ministério do


Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, tem como objetivo aumentar a
exportação brasileira. A ampliação da Veracel está de acordo com os objetivos do PEE, já
que o destino da maior parte da produção de celulose é a exportação.

Programa de Desenvolvimento Industrial com Adensamento das Cadeias


Produtivas e Integração das Pequenas e Médias Empresas: seu objetivo é aumentar a
participação da produção industrial dos municípios do interior no Produto Interno Bruto
(PIB) industrial baiano de 15% para 17%. A expansão da Veracel nos municípios do sul e
extremo sul da Bahia irá contribuir siginficativamente para o processo de desconcentração
espacial da produção industrial do estado e, consequentemente, do PIB baiano. Um bom
exemplo disto é a experiência e os resultados da implantação do primeiro projeto da
empresa nessa região. Com efeito, em apenas três anos, o PIB de Eunápolis triplicou em
valores correntes, ao passar de R$ 352,7 milhões em 2003 para R$ 1,03 bilhão em 2007.
Esse desempenho fez com que se ampliasse significativamente a participação do PIB de
Eunápolis no PIB estadual – de 0,58% para 0,94% durante o referido período. O
município também melhorou sua posição no ranking estadual ao passar da 21ª para a 18ª
maior economia do estado da Bahia.

Programa de Biodiesel da Bahia (Probiodiesel Bahia) e Programa Estadual de


Bionergia: de responsabilidade da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, tem
como objetivo produzir um combustível proveniente de matéria-prima 100% renovável e
utilizá-lo na produção energética estadual e nacional. Devido á localização da produção
de oleaginosas, dos planos de expansão e da localização das usinas autorizadas para a
produção de biodiesel, é possível entender que não há maior relação entre os programas
e o empreendimento.

Programa de Aceleração do Crescimento – PAC: iniciativa do governo federal com


objetivo de acelerar o desenvolvimento sustentável do país por meio de parcerias entre o
setor público e o investidor privado, para estimular a eficiência produtiva dos principais
setores da economia, impulsionar a modernização tecnológica, acelerar o crescimento de
áreas já em expansão, além de ativar setores deprimidos e aumentar a competitividade
brasileira. As obras de infra-estrutura do PAC, como saneamento, reforma e construção
de rodovias, ampliação de aeroportos etc, previstas para o sul e o extremo sul da Bahia
contribuirão para a expansão da Veracel na região e atrairá outros investimentos. Em
contrapartida a Veracel contribuirá para o desenvolvimento da região e do país.

CPM RT 097/11 23 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Plano de Aceleração do Desenvolvimento e Diversificação da Região Cacaueira -


PAC do Cacau: iniciativa dos governos federal e estadual que conta com recursos para a
recuperação da lavoura cacaueira e da economia como um todo, por meio da
diversificação de culturas e introdução de novas tecnologias. A expansão da área de
plantio da Veracel poderá competir com o plano. Em função disso, será proposto acordo
com os gestores do PAC do Cacau para evitar que a Veracel compre terras em áreas
estratégicas para a recuperação do cacau e diversificação da agricultura.

Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar - Pronaf: coordenado


pela Secretaria da Agricultura Familiar (SAF), do Ministério do Desenvolvimento Agrário
(MDA), tem como objetivo promover o desenvolvimento sustentável para os agricultores
familiares por meio do aumento e da diversificação da produção. Atualmente, a Veracel
desenvolve o Projeto AgroVida, que estimula a produção de alimentos em 64 hectares,
envolvendo 25 famílias, moradoras de Ponto Central. Em 2011, o projeto será ampliado
para mais três localidades, que somarão ao todo 105 hectares. Para continuar apoiando a
causa, a Veracel irá evitar expandir o plantio para áreas de agricultura familiar, e vai
apoiar o Plano de Aquisição de Alimentos (PAA) desenvolvido pelo Ministério do
Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Pronaf Florestal: desenvolvido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário em parceria


com o Ministério do Meio Ambiente, tem como objetivo principal estimular os agricultores
familiares à prática de sistema de agricultura com florestas nativas ou exóticas, voltado
para a recuperação de áreas de preservação permanente e estimular o reflorestamento
com fins comerciais. A relação do empreendimento com o programa poderá ser por meio
de ações da Veracel para transferência de tecnologia de produção de mudas de espécies
nativas, de eucalipto e de recuperação de áreas degradadas para o pequeno produtor
rural e para os agricultores do Programa Produtor Florestal.

Programa Agricultor Florestal: incentivado pela Secretaria de Meio Ambiente do Estado


da Bahia (Sema) em parceria com o Pronaf, incentiva a recomposição florestal e a
utilização racional dos recursos florestais, permitindo o uso sustentável e reduzindo a
supressão da floresta nativa. A Veracel desenvolve um Programa de Produtor Florestal na
região, convidando e incentivando produtores rurais a realizarem o plantio de eucalipto
como nova fonte de renda e uso múltiplo da propriedade.

Programa Mata Verde: iniciativa da Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma


Agrária do Estado da Bahia (Seagri), objetiva promover a recuperação da cultura do
cacau, a diversificação, a verticalização e o incremento da produção de hortigranjeiros por
meio de oferta de sementes e mudas, assistência técnica, implantação de agroindústrias
e acesso dinâmico ao crédito para os agricultores familiares e inter-relação com o turismo
rural. A Veracel implantará seu empreendimento exclusivamente em áreas antropizadas
(já alteradas pelo homem). Assim, não competirá com áreas já tradicionalmente agrícolas.
Quanto à renovação do cacau, com exceção de Belmonte, Canavieiras, Mascote e Santa
Luzia, os 13 demais municípios que compõem a alternativa escolhida não têm tradição
cacaueira. No caso do dendê e cravo, tradicionais no Baixo Sul, não há nenhum dos
municípios tradicionalmente produtor entre os 17 da alternativa escolhida para expansão,
CPM RT 097/11 24 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

com exceção de Belmonte para o dendê. A produção de flores, que a Bahia produz
somente 20% de seu consumo, também não é típica dos 17 municípios.

Programa do Leite – Proleite: coordenado pela Secretaria de Agricultura, Irrigação e


Reforma Agrária do Estado da Bahia (Seagri), tem como objetivo proporcionar apoio
técnico e financeiro aos pecuaristas, cooperativas e associações legalmente constituídas,
para a consolidação das bacias leiteiras do estado, por meio da aquisição de matrizes
puras registradas ou mestiças, com potencial mínimo de produção de dois mil quilos de
leite por lactação e realização de investimentos dirigidos exclusivamente à formação de
infraestrutura moderna e capaz de aumentar a produtividade, a melhoria genética do
rebanho e a competitividade do agronegócio da atividade leiteira na Bahia.

Como a Veracel irá expandir sua área de plantio predominantemente em áreas de pasto,
competirá por terras destinadas ao aumento da produção leiteira, visto que a região
pretendida para expansão florestal é utilizada pela pecuária extensiva.

Por outro lado, a implantação bem sucedida do PROLEITE, com utilização de vacas
leiteiras de alta produtividade, poderá reduzir em cinco a seis vezes a demanda por áreas
de pasto para a mesma produção. Tal fato poderá contrabalançar plenamente a
competitividade por terras aptas para a pecuária leiteira pelo projeto Veracel II.

Como sinergia potencial entre este programa e o empreendimento, principalmente no


Programa de Produtores Florestais, pode-se vislumbrar a possibilidade de consórcio da
pecuária leiteira (bem como a de corte) com o plantio de eucalipto. A Veracel incentivará a
formação desse consórcio no processo de expansão florestal.

Programa de Revitalização do Mamão: conduzido pela Seagri, pretende aumentar em


50% a área plantada de mamão e exportar pelo menos 50% da produção da Bahia. Como
Porto Seguro, Belmonte, Itabela, Eunápolis e Santa Cruz Cabrália estão entre os 14
maiores produtores de mamão do Estado e integram a área de atuação da Veracel,
poderá existir competição por terras e, consequentemente, aumento dos preços. Por outro
lado, a Veracel apresenta uma proposta de limitação do uso das terras agricultáveis dos
municípios para o plantio de eucalipto, que reduzirá a competição pelo uso da terra com
outras culturas. Adicionalmente, incentivará a prática da formação de consórcios de
agricultura com plantio de eucalipto no seu programa produtor florestal.

CPM RT 097/11 25 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

II Plano Nacional de Reforma Agrária – PNRA: coordenado pelo governo federal, busca
promover transformações na estrutura agrária brasileira. A Veracel se propõe a consultar
o o Incra para verificar se a propriedade a ser adquirida está incluída no Plano Nacional
de Reforma Agrária com a finalidade de evitar a competição por terras especialmente nos
municípios em que há demanda por reforma agrária.

Programa de Transferência de Renda – Bolsa Família - PBF : gerido pelo Ministério do


Desenvolvimento Social e Combate à Fome, integra a estratégia Fome Zero e tem o
objetivo de assegurar o direito humano à alimentação, contribuindo para a erradicação da
extrema pobreza e conquista da cidadania. As novas oportunidades de emprego, trabalho
e renda que serão criadas pela ampliação da Veracel contribuirão para diminuir a pobreza
na sua área de influência.

Agenda Bahia do Trabalho Decente - dentre os objetivos do programa destacam-se


ações de geração de trabalho e renda, segurança e saúde no trabalho, combate à
discriminação, qualificação profissional e melhores condições de trabalho. A ampliação da
Veracel, além de gerar empregos, adota a política de condições de trabalho dignas,
seguras e legais com seus trabalhadores e junto aos seus fornecedores e prestadores de
serviço, concordando plenamente com a Agenda.

Programa Ressocialização: Direito do Preso - integrante do Plano Plurianual 2008-


2011, tem como objetivo desenvolver ações de educação, profissionalização, trabalho,
saúde e assistência social que possibilitem a reintegração da pessoa privada de liberdade
na sociedade. Para a Área de Influência do empreendimento, está prevista a implantação
de centrais de apoio e acompanhamento de penas alternativas nos Territórios de
Identidade Extremo Sul e Litoral Sul. A Veracel poderá estabelecer parceria com o Estado
para avaliar oportunidades de ressocialização de presos em suas atividades.

Plano de Educação Profissional da Bahia - aposta no trabalho como princípio educativo


e prevê investimentos em práticas pedagógicas dinâmicas e inovadoras, na atualização
das matrizes curriculares e na formação de gestores, professores e técnicos das unidades
de educação profissional. A Veracel poderá absorver os formandos dos cursos técnicos e
profissionalizantes e se constituir num espaço para aprendizagem em campo e de ela
mesma continuar promovendo vários cursos profissionalizantes.

Plano Nacional Sobre Mudança do Clima e Fórum Baiano de Mudanças Climáticas


Globais e de Biodiversidade – instituídos, respectivamente, pelo governo federal e
estadual, pretendem realizar ações para reduzir as emissões de gases de efeito estufa
geradas no Brasil, conservar a diversidade biológica do planeta e apoiar estudos
relacionados às mudanças climáticas. Essas medidas também são incentivadas pela
Veracel por meio da redução da concentração do CO2 na atmosfera, pelo sequestro de
carbono na área plantada que representa 99% do que é emitido pelas operações da
empresa (da produção de 99% de energia limpa), e da substituição do uso de carretas por
barcaças marítimas até o Portocel, no Espírito Santo, por exemplo.
Programa Floresta Bahia Global - promove ações de recuperação da cobertura vegetal
dos biomas baianos e a redução da emissão de gases de efeito estufa das atividades
CPM RT 097/11 26 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

humanas. A Veracel desenvolve vários projetos que visam à proteção da floresta, cuja
área ocupa hoje mais de 105 mil hectares, metade das terras da empresa. Desses, cerca
de 9 mil hectares de mata preservada são Áreas de Alto Valor de Conservação, incluindo
a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Estação Veracel. Além disso, a
Veracel mantém o Programa Mata Atlântica – PMA, cujo objetivo é estabelecer corredores
ecológicos, que vão possibilitar a conexão entre os fragmentos de Mata Atlântica da
região, indispensáveis para a preservação da fauna e da flora desse bioma.

Programa Corredores Ecológicos - Corredor Central da Mata Atlântica - objetiva


reduzir a fragmentação da vegetação, mantendo ou restaurando a paisagem e facilitando
o fluxo genético entre os animais. O Corredor Central da Mata Atlântica (CCMA) tem
como meta contribuir para a manutenção da biodiversidade da Mata Atlântica. A base
florestal do empreendimento será formada em áreas anteriormente degradadas e manterá
o sistema de mosaico atualmente adotado pela Veracel, no qual os plantios são
intercalados por áreas de vegetação nativa. A Veracel dispõe de Plano de Manejo para a
área plantada e as áreas protegidas atuais, devendo ocorrer o mesmo com as áreas da
expansão.

Fotografia aérea dos mosaicos de paisagem com corredores ecológicos formados.

Planos Diretores de Desenvolvimento Municipal – visa à ampliação do


desenvolvimento municipal, o que a Veracel já promove e continuará fazendo ao procurar
criar mecanismos de distribuição igualitária dos efeitos positivos do empreendimento entre
os municípios envolvidos.
CPM RT 097/11 27 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Zoneamento Ecológico, Econômico. – é um instrumento estratégico para o


ordenamento territorial que possibilita associar crescimento econômico com equilíbrio
ambiental. O objetivo é promover o desenvolvimento de forma sustentável, planejada e
compatível com as potencialidades do patrimônio ambiental e sociocultural de
determinado espaço geográfico. A partir da aprovação do Zoneamento Ecológico,
Econômico, que está em andamento no Estado da Bahia, o uso e ocupação dos novos
projetos seguirão as orientações e as diretrizes do mesmo

8 QUAIS AS CARACTERÍSTICAS DAS ÁREAS INFLUENCIADAS


PELO PROJETO?

Neste capítulo vamos falar sobre as características das áreas influenciadas pelo projeto.
Para conhecer esses aspectos foram estudados o clima, a Geologia, o relevo, os solos e
as águas (meio físico); as plantas, os animais e as Unidades de Conservação da região
(meio biótico) e a sociedade, os serviços públicos e a economia (meio socioeconômico).

Meio biótico

Durante a avaliação da área de estudo foram encontradas espécies de plantas e animais


que só existem na região, raras e ameaçadas de extinção, indicadoras da qualidade
ambiental e de interesse econômico e científico. Devido à grande variedade de espécies,
foram destacadas aqui apenas as que apareceram em quantidade mais significativa.

Nas regiões sul e extremo sul da Bahia, onde se localizam as atuais áreas da Veracel
Celulose S.A. e as áreas que receberão a ampliação dos plantios de eucalipto, encontra-
se a Floresta Atlântica, que se destaca como um local de megadiversidade. Com base
nisso, essa área foi incluída no Corredor Central da Mata Atlântica. Hoje, estima-se que a
cobertura florestal do extremo sul representa cerca de 11,4% da área total representada
por fragmentos de Floresta Secundária em estágios inicial, médio e avançado de
sucessão ecológica, além de poucos fragmentos em estágio primário representados por
parte dos parques nacionais (Parna) do Descobrimento, Pau Brasil, Monte Pascoal,
RPPN Estação Veracel, Parque Nacional do Alto Cariri e outros fragmentos florestais
importantes por sua área física e estado de conservação (Alto Cariri, Fazenda Taquara,
Fazenda Macadâmia, Florestas do litoral de Belmonte e Cabrália entre outras).

CPM RT 097/11 28 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Floresta Secundária - floresta que no passado sofreu corte raso e que se encontra
naturalmente recuperada. Na Mata Atlântica, essas florestas têm árvores de até 30
metros de altura.
Sucessão ecológica - os ambientes de solo exposto e rochas passam pelo
desenvolvimento de plantas ao longo do tempo. Em seguida são os animais que
aproveitam da presença da vegetação para se abrigarem. Com o tempo, o porte das
plantas e dos animais vai aumentando até chegar num ambiente em equilíbrio. Essa
sequência de acontecimentos chamamos de sucessão ecológica.

Corredor Central da Mata Atlântica – faixa que compreende o Estado do Espírito Santo e
parte do sul da Bahia onde foi identificado alto valor ecológico e vem recebendo iniciativas
de conservação.

Fragmento de floresta secundária em estágio avançado de regeneração.

Nas áreas de influência do empreendimento Veracel, foi constatada a presença das


formações florestais da Mata Atlântica como Floresta Ombrófila Densa, Floresta
Estacional Semidecidual e Floresta Estacional Decidual.

Floresta Ombrófila Densa - tem como principais características as altas temperaturas e o


alto índice de chuvas bem distribuídas durante o ano, praticamente sem períodos de
seca. As folhas das árvores são geralmente largas e estão sempre verdes.
Floresta Estacional Semidecidual – a vegetação é caracterizada pela perda de folhas em
20 a 50% do conjunto da floresta, devido à seca provocada pelo frio intenso do inverno,
com temperaturas médias inferiores a 15ºC.
Floresta Estacional Decidual - também chamada Floresta Estacional Caducidófila, é um
ecossistema do bioma Mata Atlântica. Ocorre em grandes altitudes e baixa temperatura.
Esse ecossistema é caracterizado por duas estações, uma seca e outra chuvosa, a
primeira mais prolongada, ao contrário da floresta tropical que não mantém estação seca.

CPM RT 097/11 29 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Floresta Ombrófila Densa em estágio médio de regeneração,


margem da rodovia BA 001 – Belmonte.

Vegetação da floresta estacional semidecidual. No período mais


seco pode-se observar queda de parte das folhas.

A região sul da Bahia foi praticamente toda ocupada por Floresta Ombrófila Densa, sendo
atualmente ocupada por outras formas de cobertura do solo. A Floresta Ombrófila se
destaca como moradia de espécies conhecidas comercialmente pelo alto potencial
madeireiro, como pau-brasil. Hoje essa planta só é encontrada em poucas áreas como a
Estação Ecológica do Pau Brasil, RPPN Estação Veracel, e em algumas fazendas de
cacau da região acima dos rios Jequitinhonha e Pardo. A Floresta Ombrófila Densa foi
subdividida em Floresta Primária e Floresta Secundária.

CPM RT 097/11 30 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

A vegetação de Floresta Primária tem grande diversidade biológica, sofreu poucas ações
do homem e não teve suas características originais mudadas. São considerados como
fragmentos florestais com vegetação primária aqueles que, apesar de já terem passado
por alguma atividade de extração (corte de madeira) mantêm suas características e
diversidade biológica.

Fragmento de floresta primária, RPPN Estação Veracel, localizada


nos municípios de Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália.

São importantes fragmentos florestais que ainda mantêm as características de Florestas


Primárias a RPPN Estação Veracel (Porto Seguro – BA), os Parques Nacionais do Pau
Brasil (Porto Seguro – BA), do Monte Pascoal (Porto Seguro – BA) e do Descobrimento
(Prado – BA), a área do alto Cariri (Guaratinga – BA estendendo-se até Minas Gerais), a
Fazenda Taquara (Belmonte), a Serra do Limoeiro (Itapebi), a Fazenda Macadâmia
(Santa Cruz Cabrália), a região entre Belmonte e Santa Cruz Cabrália (com vários
fragmentos florestais maiores que mil hectares) e a Mata da Japara (parte da reserva
indígena da Aldeia Velha – Porto Seguro).

Já a vegetação secundária ou em regeneração é aquela resultante de processos naturais


de sucessão, após retirada total ou parcial da vegetação primária pelo homem ou causas
naturais, podendo ocorrer árvores remanescentes da vegetação primária. Esse é hoje o
tipo de vegetação dominante na região estudada, pois a grande maioria dos fragmentos
presentes já passou por alguma atividade extrativista muito intensa, principalmente
extração madeireira.

CPM RT 097/11 31 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Na área de estudo também foram encontradas áreas de mussununga ou campinaranas,


restinga, manguezais, banhados, brejos e várzeas.

Mussununga - área de solo muito pobre em nutrientes necessários para o crescimento


das plantas e que ficam alagadas em época de chuva. A presença da planta assa-peixe é
característica.
Restinga - vegetação típica do litoral, de solo arenoso e rica em plantas como bromélias e
cactos, resistentes ao sol.
Manguezais - ficam em terrenos lamacentos do litoral, especialmente nas
desembocaduras dos rios. Trata-se de um ecossistema rico, onde se reproduzem as
plantas e os animais que vivem no mar e no rio. De lá são retirados caranguejos, ostras,
mariscos e camarões.
Banhados, brejos e várzeas - são formadas nas áreas que sofrem cheias dos rios nas
épocas chuvosas ou então nas depressões alagáveis todos os anos. Os brejos possuem
vegetação típica, composta por espécies de taboa.

Vegetação de mussununga/ Vegetação típica de Comunidades


Campinarana, município de Belmonte - Bahia. Aluviais no município de Belmonte – Bahia.

Na área de influência, se destacam as árvores de Óleo Comumbá (floresta ombrófila


densa e mussununga), arbusto de Fedegoso (vegetação secundária – floresta estacional)
e a planta herbácea Arapati (floresta ombrófila densa). Os estudos também mostraram a
presença de algumas espécies raras como mamão-do-mato, pau-de-cotia, jaboticaba, ipê-
amarelo, oiti-mirim, jenipapo-da-mata, angico-branco, jatobá.

Uma espécie é considerada rara quando seus representantes estão apenas em uma
pequena área, quando ocorrem sob condições específicas e/ou quando há poucos
representantes da população em um local.

CPM RT 097/11 32 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Foi registrada também a ocorrência de 18 espécies ameaçadas de extinção. Entre elas,


estão Pau-brasil, Louro-sassafrás, Laelia-da-baía, Bromélia-gigante, Cactus-cabeça-de-
frade e Jacarandá-da-baía. Na Área de Influência Indireta (AII), além das espécies já
citadas, também estão em risco de extinção as Caiapiá-grande, Murta, Orquídeas,
Avenca, entre outras.

Ocorrência da espécie de bromélia (Vriesia procera) Ocorrência da espécie de orquídea (Brassavola sp.)
na área de estágio médio de regeneração de floresta na área de estágio médio de regeneração de floresta
ombrófila densa, presente na área de influência direta ombrófila densa, presente na área de influência direta
da Veracel Celulose, município de Santa Cruz da Veracel Celulose, município de Porto Seguro,
Cabrália, Bahia. Bahia.

Foram encontradas no local também espécies de importância econômica como


madeireiras, frutíferas, medicinais, ornamentais e outros usos (fibras, tinturas, etc.). As
espécies que podem ter sua madeira vendida que foram encontradas na Área de
Influência são Aroeira-do-sertão, Pau-brasil, Jacarandá-da-bahia, Braúna, Jequitibá-rosa,
Angelim-pedra, Peroba-do-campo, Sapucaia e Cerejeira.

Já as espécies que podem ter seus frutos vendidos são Cajá-mirim, Cajarana, Seriguela,
Jenipapo, Caju, Mangaba, Jabuticaba, entre outras. Na localidade há grande oferta de
espécies que são utilizadas pelas comunidades locais e populações ribeirinhas para cura
de doenças. Com base nas pesquisas, foram listadas as espécies de Pau-ferro
(problemas de asma), São-joão (poder adstringente), Copaíba (cicatrizante, anti-
inflamatório, tratamento de bronquites e doenças de pele), Braúna-do-sertão (uso da
casca para distúrbios do sistema nervoso), Amescla (problemas respiratórios, sinusites,
gripes e resfriados), Cobi (diurética e laxativa).

Outras espécies servem para fins decorativos, como os tipos de ipê amarelo, branco,
felpudo, roxo; Pata-de-vaca, Pau-ferro, Bougainvillea, orquídeas e bromélias.

CPM RT 097/11 33 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

A presença de algumas espécies, animais ou vegetais em determinadas regiões permite


saber se as condições ambientais daquele local estão adequadas ou não. De acordo com
as espécies florestais encontradas na área de estudo, entende-se que a região tem áreas
bem conservadas, presença de recursos hídricos (umidade do solo), boa qualidade do ar
e fragmentos florestais em desenvolvimento para estágios mais maduros. As seguintes
espécies fazem parte desse ecossistema: Palmito-juçara, Cipó-escada-de-macaco,
Barba-de-velho , Braúna e Jequitibá-rosa.

Na área há grande quantidade de bromélias, espécies presentes nas áreas de restinga


arbustiva (principalmente a bromélia-amarela) e também nas áreas dos fragmentos
florestais com grande importância para sobrevivência de várias espécies de anfíbios e
répteis, por sua capacidade de armazenamento de água nos “copos” formados na base
de suas folhas. Várias espécies de anfíbios e répteis passam boa parte de suas vidas nos
“copos” formados pelas folhas das bromélias.

Para identificação das espécies de animais presentes, foram feitas incursões aos vários
municípios da área de influência. O estudo revelou o total de 83 espécies de anfíbios
distribuídas entre doze famílias, sendo 39 espécies endêmicas da Mata Atlântica da Bahia
que se distribuem geralmente desde o norte Espírito Santo até o Estado de Sergipe.

Anfíbios - sapos, pererecas e rãs, por exemplo. São animais que dependem da água pelo
menos durante uma fase do seu ciclo de vida. Por isso, eles têm grande sensibilidade às
alterações ambientais, sendo excelentes indicadores da qualidade ambiental.

Espécie de anfíbio encontrada na região:


Typhlops brongersmianus.

CPM RT 097/11 34 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Espécies de anfíbios encontradas na região

Os répteis da região são representados por 99 espécies distribuídas entre 19 famílias.


Dessas, uma espécie está incluída na Lista Oficial de Animais Ameaçadas de Extinção do
 
Ibama e 35 são próprias da Mata Atlântica, sendo 11 de trechos relativamente pequenos
do domínio desse bioma entre o Espírito Santo e Pernambuco. Esse grupo está
 
representado na região da seguinte forma: duas espécies de tartarugas aquáticas, seis de
cobra-de-duas-cabeças, duas de crocodilianos, 24 de lagartos e 64 de serpentes.

Répteis - animais vertebrados (tem ossos) tetrápodes (quatro patas) e ectotérmicos, ou


seja, não possuem temperatura corporal constante.

Espécie conhecida como “lagartinho-do-folhiço”


(Leposoma scincoides).

CPM RT 097/11 35 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Em relação às aves, foram listadas 612 espécies, que corresponde a 34% de todas as
aves registradas para o país e 90% do número de espécies listadas para toda a extensão
da Mata Atlântica. Foram encontradas 126 espécies próprias ou de distribuição restrita, o
que representa quase 60% de todas as listadas para os estados do domínio da Mata
Atlântica. Ao mesmo tempo, também há grande número de espécies ameaçadas, devido
ao alto grau de endemismo da região e das condições ambientais e pressões feitas pelo
homem.

Endemismo – acontece quando uma espécie ou um grupo de espécies é restrito a uma


região bem definida.

Espécie de ave encontrada na região: Rhopornis


ardesiacus (Gravatazeiro)

Na área também ocorrem cerca de 129 espécies de mamíferos. O grupo de mamíferos


que mais ocorre na região são os morcegos (62 espécies); esquilo, ratos, cutia, paca e
capivara (25 espécies); cachorros-do-mato, quatis, guaxinins, lontra, furão e gatos (16
espécies) e macacos (9 espécies).

Cerca de 17% das espécies de mamíferos com ocorrência provável na área estão sob
ameaça de extinção. Na área do empreendimento estão registradas 37 espécies alvo de
caçadores. A caça já levou espécies a se tornarem extintas em algumas sub-regiões (ex.:
Anta na região sul) e ameaça seriamente outras regiões.

CPM RT 097/11 36 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Exemplar de Tapirus terrestris (anta)


Exemplar de Puma concolor (suçuarana)
encontrado na região

Exemplar de Cerdocyon thous (Raposa-caranguejeira,


raposa, Cachorro-do-mato, graxaim, guaraxaim)

Os resultados apresentados mostram a enorme importância da região para a conservação


da fauna da Mata Atlântica regional. Ainda persiste na área uma grande riqueza de
espécies ameaçadas de extinção e/ou com distribuição restrita, além de abrigar espécies
já extintas em outras regiões. Na área de influência do empreendimento, 56% das
espécies de anfíbios registradas são próprias da Mata Atlântica. A região tem seis áreas
importantes para conservação das aves, locais internacionalmente reconhecidos como
fundamentais para esse fim. A área abriga representantes das espécies oficialmente
ameaçadas de extinção.

CPM RT 097/11 37 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Os dados utilizados para a caracterização da qualidade da água e da parte biológica do


rio Jequitinhonha são originados do monitoramento rotineiro realizada pela empresa
desde 2002.

Nas análises das águas do rio Jequitinhonha foram encontradas espécies comuns aos
rios brasileiros. Peixes e suas larvas e ovos, plâncton (plantas e animais microscópicos
presentes na água) e bentos (animais que vivem no fundo dos rios ou aderidos a
vegetação das margens dos rios), revelaram valores de qualidade e quantidade
compatíveis com este tipo de rio, e similares a outros do estado da Bahia.

Destaca-se que os pontos localizados depois da chegada do efluente tratado da Veracel


não apresentaram diferenças estatísticas em relação ao ponto localizado antes da
chegada do efluente, o que permite concluir que a qualidade da água e a parte biológica
não sofreram alterações com a operação da empresa.

Detalhe da amostragem da ictiofauna com redes de


malha.

Meio físico

O conjunto das áreas dos 17 municípios da ampliação da área plantada da Veracel ocupa
uma faixa que se estende desde o litoral até uma região mais central da região sul da
Bahia. A localidade tem relevo de plano a suave com leve declínio até o Oceano Atlântico.
A fábrica está localizada próxima à costa, em uma região de clima tropical.

Em geral, o período de mais chuva na região acontece nos meses de outubro, novembro
e dezembro. Já o período mais seco fica entre os meses de inverno (junho, julho, agosto)
e no início da primavera.

CPM RT 097/11 38 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Os ventos médios mensais próximos à região da Veracel são relativamente de baixa


intensidade. Os ventos mais fortes acontecem do fim do inverno até meados do verão
(entre julho e dezembro). Nos meses de novembro a fevereiro, há a tendência de uma
predominância da componente de nordeste, enquanto que nos meses de abril a agosto
aparece uma contribuição da componente de sudeste.

Em pesquisa realizada de setembro de 2004 a março de 2005, antes da operação da


fábrica da Veracel, para conhecer a qualidade do ar da região foi constatado que o padrão
anual para Partículas Totais em Suspensão (PTS) foi ultrapassado em Itapebi, Ponto
Central, Barrolândia e Itagimirim, sendo a maior concentração registrada em Barrolândia.
Já o padrão anual para Material Particulado Inalável (PI) foi ultrapassado em Itapebi.
Provavelmente, essas ocorrências estão relacionadas ao tráfego de veículos em vias não
pavimentadas, lembrando que a pesquisa foi feita antes da operação da fábrica.

Partículas Totais em Suspensão - representa materiais sólidos e líquidos em suspensão


na atmosfera, como poeira, pó e fuligem.
Material Particulado Inalável – é composto pelas partículas em suspensão no ar que
entram nas vias aéreas superiores.

O barulho emitido pela fábrica também foi estudado em seis locais localizados no seu
entorno , além de quatro na sua cerca limítrofe e dois no conjunto de emissário e
captação. Na cerca da fábrica os níveis de ruído medidos estão dentro dos limites
recomendados pela Norma Brasileira (NBR – 10151) e nas instalações do emissário e
captação é recomendável o uso de protetores auditivos. As medições realizadas em
fragmentos de mata Atlântica e de eucalipto apresentaram alguns valores um pouco
acima daqueles recomendados para áreas de sítios e fazendas, no entanto trata-se de um
ruído do próprio ambiente (ruído de fundo), compatíveis com os valores encontrados em
áreas mais distantes como na Estação Veracel (Reserva Particular do Patrimônio Natural
de propriedade da empresa e localizada a cerca de 60 km da fábrica). Esses valores
normais do ponto de vista ambiental.

Na região do empreendimento foram encontrados diversos tipos de solo, que se


misturam: argissolos, chernossolos, latossolos, cambissolos, gleissolo gáplico,
organossolos, espondossolo, nitossolo e neossolo. Além desses, há em menor extensão
solos de coloração escura, áreas encharcadas (baixadas), rasos, areias, dos leitos dos
rios, mangue, orgânicos e rochas. A capacidade de erosão foi avaliada como média na
maioria dos municípios, principalmente nas áreas localizadas no centro e oeste. Por outro
lado, cerca de 46% da área tem declividade entre 0 a 8%, ou seja, são planas. Assim, a
possibilidade de erosão é nula ou baixa. Em boa parte da área, há baixa fertilidade natural
e capacidade de absorver água. Devemos lembrar, entretanto, que grande parte das
áreas ocupadas por esses solos estão em áreas de preservação permanente. Dessa
forma, são impedidos de utilização.

CPM RT 097/11 39 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Na região sul e extremo-sul as chuvas são bem distribuídas ao longo do ano todo, aliadas
às baixas fertilidades dos solos na maior parte da região, são fatores limitantes à
agricultura, uma vez que há predomínio de lavouras permanentes (café e mamão,
principalmente) na maior parte dos municípios, possivelmente possibilitada pelo superávit
hídrico e médias de temperatura. O predomínio de áreas de baixa a média erodibilidade é
também favorável ao desenvolvimento das lavouras permanentes, enquanto a baixa e
média fertilidade verificada na maior parte da região não representa um fator limitante
para este tipo de atividade. O predomínio de relevo plano a suave também propicia o
desenvolvimento de atividades agropecuárias. Há uma regularidade de chuvas e
temperaturas médias são propícias também à colonização predominante por Floresta
Ombrófila Densa. As planícies quaternárias propiciam desenvolvimento de restingas nos
terrenos arenosos e manguezais em regiões de influência fluviomarinha nos municípios
de Canavieiras, Belmonte, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália.

Na região sudeste, o relevo é mais acidentado, verifica-se o predomínio de áreas de


erodibilidade média e alta. O uso do solo apresentado é fruto de pluviosidade baixa
(acentuado déficit hídrico) e presença de solos de baixa a média fertilidade. Macarani e
Maiquinique apresentam solo de média a alta fertilidade, mas pluviosidade semelhante
aos demais municípios. Potiragá se destaca por apresentar média pluviosidade e solos de
fertilidade média a alta, porém são frequentes afloramentos rochosos em seu território e
ainda assim a atividade predoimnante é de pecuária extensiva. Em Encruzilhada o baixo
gradiente de altitudes beneficia as atividades agropecuárias (significativas para a região).
O município de Itapetinga apresentar fertilidade baixa.

Desde 2002, a Veracel monitora periodicamente o rio Jequitinhonha de acordo com o que
foi estabelecido no plano de monitoramento aprovado pelo IMA, uma vez que o rio lhe
fornece água e recebe o efluente tratado da fábrica.

Os níveis de oxigenação das águas monitoradas são bons. . Os resultados obtidos para
os três pontos de monitoramento estiveram dentro dos limites da legislação (Resolução
CONAMA 357/2005) para os parâmetros de qualidade de água, exceto Alumínio e Ferro,
em função das características do solo da região, e Cor e Turdidez em função das cheias
do rio. A Temperatura da água está em torno de 27ºC em todo o percurso e o
monitoramento também mostrou que as vazões mínimas têm estado entre 90 e 120 m³/s
no período de seca.

Para caracterizar a qualidade da água disponível na região, atualmente, de influência dos


plantios de eucalipto, foram utilizados dados do monitoramento rotineiro destes, realizado
em 13 estações distribuídas em sete rios, sendo estes o Buranhém, Frades, Ronca
D´água, Caraíva, Santo Antônio, Santa Cruz e São José do Salsa. ,. Os resultados
mostram que em alguns rios os parâmetros estão acima dos limites legais, sendo estes
a D.B.O., Fósforo Total e Cor Real. No que diz respeito aos agrotóxicos, nenhum valor
ficou acima dos limites preconizados pela legislação vigente.

CPM RT 097/11 40 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

D.B.O. - significa Demanda Bioquímica de Oxigênio, ou seja, é a quantidade de oxigênio


necessária para estabilizar a matéria orgânica. O método de tratamento com reator UASB
+ filtro biológico promove uma diminuição de até 90% do nível de DBO. Quanto menor o
nível de DBO, menos poluente é o efluente.

Para a avaliação das novas áreas pretendidas para expansão florestal foi aumentado o
número de pontos de monitoramento de qualidade de água, totalizando 40 pontos de
amostragem, distribuídos por toda a Área de Influência Direta do empreendimento.

Como resultado, foi observada em grande maioria dos pontos uma qualidade de água
Boa, segundo o Índice de Qualidade de Água (IQA - CETESB), tanto para abastecimento,
quanto para a preservação da vida aquática. Dos 40 pontos amostrados, apenas cinco
tiveram IQA classificado como Aceitável, sendo estes amostrados nos rios Catolé,
Frades, Caraíva e no Córrego d’ água. O rio Córrego d’água apresentou contaminação
por esgoto doméstico, advindo das localidades próximas a este curso d´água.

Unidades de Conservação

Hoje existem na Área de Influência da Veracel quatro Unidades de Conservação de


Proteção integral, sendo três Parques Nacionais (Parna) e uma Reserva da Vida Silvestre
(Revis) do Rio dos Frades, todas públicas e administradas pelo Governo Federal.
Também existem seis Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) e três Áreas
de Proteção Ambiental (APAs). Entre as RPPNs, uma é de propriedade da Veracel
Celulose, a RPPN Estação Veracel (a maior RPPN de mata atlântica do Brasil). Confira
tabela abaixo:

Parque Nacional do Pau Brasil


Parques Nacionais (Parna) Parque Nacional do Monte Pascoal
Parque Nacional do Alto Cariri
Reserva da Vida Silvestre (Revis) Reserva da Vida Silvestre do Rio do Frade
RPPN Fazenda Pindorama
RPPN Estação Veracel
RPPN Portal Curupira
Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs)
RPPN Manona
RPPN Fazenda Itacira
RPPN Rio Jardim
APA Santo Antônio
Áreas de Proteção Ambiental (APAs) APA Coroa Vermelha
APA Caraíva – Trancoso

CPM RT 097/11 41 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

APA Santo Antônio, Municípios de Santa Cruz


Área de restinga da REVIS do Rio dos Frades.
Cabrália e Belmonte.

APA Coroa vermelha, Porto Seguro. APA Caraíva Trancoso, limite sul rio Caraíva.

CPM RT 097/11 42 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Meio socieconômico

A ocupação histórica da Área Influenciada pelo Projeto

A área influenciada pelo projeto está localizada nos municípios que pertencem
originariamente às Capitanias de Porto Seguro, Bahia de Todos os Santos e São Jorge
dos Ilhéus. Esta área demorou a ser ocupada por causa de várias dificuldades durante o
século XVI (16). Dentre os principais motivos, estavam o tipo de relevo que dificultava a
entrada de estrangeiros e ajudava aos índios a protegerem seus territórios.

Ficando isolada por causa da Mata Atlântica de um lado, pelo oceano Atlântico de outro e
pelas grandes distâncias entre os territórios, essas cidades tiveram dificuldade para seu
desenvolvimento mesmo com o passar dos anos. Apenas a cidade de Belmonte, que fica
mais ao norte, teve chances de se desenvolver, no final do século XIX e início do século
XX, por causa do cultivo de cacau (lavoura cacaueira), do crescimento da exploração de
diamante e por servir de interligação com o mar para as ocupações interioranas vindas do
nordeste de Mina Gerais através do rio Jequitinhonha.

A ocupação do interior aconteceu por causa da atividade pecuária realizada ao longo do


rio São Francisco e chegou à região pelo território mineiro. No início do século XX, a
construção da ferrovia de Nanuque, em Minas Gerais, que levava a Caravelas foi a
primeira grande ligação entre duas cidades.Por ser atrasada e isolada, sua população era
pobre e morava em locais precários e com muita improvisação.

Mas a construção da BR-116 (Rio-Bahia), no início daquela década, ligou os centros


interiores de Vitória da Conquista, Governador Valadares e Teófilo Otoni aos grandes
centros nacionais. E com isso, começava um processo mais intenso de ocupação
interiorana sobre a região, com a expansão da pecuária a partir dessas cidades em
direção ao litoral. Nessa mesma época, o pólo madeireiro do Espírito Santo começa a dar
sinais de esgotamento e começou a precisar da madeira das florestas da região.

A exploração da madeira e as frentes de expansão da pecuária se mostraram em


sintonia, porque era preciso limpar as florestas para a ampliação dos campos de pecuária.
Além disso, os novos meios de transporte ajudaram o início de um novo ciclo econômico
mais próspero. A exploração madeireira e de pecuária, no entanto, não ajudaram as
cidades a se desenvolverem, porque a nova economia exigia estruturas de apoio que
esses locais não tinham.

Na década de 1970, foi construída a rodovia BR-101, que corta a região longitudinalmente
a leste da BR-116 e por dentro da mata, ligando as cidades próximas e o resto do país.
Durante a implantação da rodovia, aconteceu uma grande movimentação na região por
causa dos trabalhadores e começaram a aparecer núcleos de ocupação, que mais tarde
deram origem as cidades como Teixeira de Freitas, Itabela, Eunápolis, Itagimirim e
Itapebi.

CPM RT 097/11 43 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Em 1972, o asfaltamento da rodovia BR-101 abriu o caminho para a nova colonização da


região, já que todo o sistema de transportes na região passou a ser rodoviário.
Consequentemente, as pequenas localidades, situadas ao longo da rodovia, conheceram
um crescimento surpreendente, especialmente os povoados de Teixeira de Freitas e
Eunápolis.

Eunápolis, Itamaraju, Itabela, Itagimirim, Teixeira de Freitas e Posto da Mata foram


transformados em polos madeireiros, com implantação de algumas serrarias, que por sua
vez atraíram novos serviços e atividades. Junto com o desenvolvimento, crescia também
o desmatamento que passou a ser uma grande ameaça à Mata Atlântica nativa do local,
como pode ser visto na figura a seguir.

Fonte: CEPLAC
Evolução do Desmatamento na Região Sul da Bahia.

Ocupação Histórica e atividades realizadas na área de influência do Projeto

A estrada também permitiu o desenvolvimento da pecuária em toda a região. Nanuque,


em Minas Gerais, virou área de engorda da pecuária; e Vitória da Conquista, na região
Sudoeste da Bahia, tornou-se bacia leiteira, com a chegada de grandes fábricas de
laticínios, como a Nestlé, em Itabuna, e leite Itambé, na cidade de mesmo nome.

Outros novos cultivos também começaram a surgir no campo, principalmente o do


mamão, ocupando espaços de pequenas plantações anteriores. Esse crescimento, no
entanto, gerou lutas pela terra em toda a região, envolvendo grilagens, invasões, conflitos
com indígenas etc. Mais recentemente, a região assiste ao reflorestamento por florestas
de eucalipto que vem apontando como a nova expressão da monocultura na região.

Além disso, o desenvolvimento do turismo no litoral vem transformando Porto Seguro e


Santa Cruz Cabrália. Toda a costa foi rapidamente transformada, com supervalorização
do solo para implantação de loteamentos de veraneio, com uma intensa reprodução de
infraestrutura para o turismo interno e internacional.

Diferença entre área rural e urbana e o êxodo rural na região


CPM RT 097/11 44 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Para conhecer a população da área de influência estudada, temos que entender como ela
é formada. A região onde a Veracel vai ampliar seus negócios é conhecida por ter sofrido
com o êxodo rural, ou seja, a saída de pessoas do campo para a cidade. Esse fenômeno,
muitas vezes, é relacionado à instalação da fábrica e base florestal da empresa. No
entanto, de acordo com os dados a seguir, veremos que não é verdade.

De acordo com dados do último Censo Demográfico realizado no Brasil, vivemos em um


País urbano, onde 82% da população vive nas cidades. A atual definição de “cidade” vem
da época do Estado Novo. Foi o Decreto-Lei 311, de 1938, que transformou em cidades
todas as sedes municipais existentes, independentemente de suas características
estruturais e funcionais. O que continua até hoje definindo a área urbana do município é a
Lei do Perímetro Urbano, de competência exclusiva municipal, que serve tanto para
questões urbanísticas quanto tributárias. A área urbana é definida como a “área interna ao
perímetro urbano de uma cidade ou vila, definida por lei municipal. Já a área rural é
definida por diferença, como “área externa ao perímetro urbano”.

Ou seja, uma simples alteração na legislação municipal pode facilmente transformar


significativos contingentes de população rural em urbana, sem que, efetivamente, grande
parte dos habitantes tenha saído do campo para a cidade. Logo, a taxa de urbanização é
artificialmente aumentada e a população rural diminuída, o que induz a idéia de que
houve uma saída do homem do campo para as cidades. Muitas vezes esse é um artifício
para aumentar a arrecadação de IPTU e acaba aumentando a taxa de urbanização das
regiões. Usando essa metodologia, até populações indígenas ou guardas florestais de
áreas de preservação são considerados urbanos.

Com essa diferença de definições, alguns municípios foram criados na área de interesse
do projeto. Ou seja, os municípios “antigos” perderam população para os recém-criados.
Exemplo disso foi a criação do município de Eunápolis a partir dos municípios de Porto
Seguro e Santa Cruz Cabrália. Outro fator que levou a diminuição da população rural na
localidade foram as variações das Leis de Perímetros Urbanos que ampliaram as áreas
urbanas, o número de distritos, vilas e setores censitários de vários municípios da Área de
Interesse do Projeto. Na região, a área que sofre conseqüências mais visíveis foi
Mascote.

Outro ponto que devemos lembrar é que em alguns municípios onde a plantação da
Veracel é maior, como é o caso de Belmonte, Eunápolis e Porto Seguro, houve
crescimento da população rural entre os anos de 2000 e 2007. Como conclusão pode-se
dizer que, de acordo com os dados oficiais acima discutidos, não se pode afirmar que
houve um êxodo rural na Área de Interesse do Projeto nem que a Veracel possa ter sido a
responsável pelo que teria ocorrido.

Na Bahia, assim como no Brasil, as últimas décadas foram marcadas por uma aceleração
do processo de urbanização com a redução do pessoas morando em áreas rurais. Isso
aconteceu principalmente por causa da concentração das atividades econômicas em
determinados espaços geográficos.
CPM RT 097/11 45 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Em Eunápolis merece destaque o fato de que entre 2000 e 2007 a população rural
aumentou sua participação tanto em termos absolutos quanto relativos. Com efeito, a
população campesina (do campo) cresceu de 4.959 pessoas em 2000 para 5.842
habitantes em 2007 e aumentou sua participação de 5,9% para 6,3% durante a década.
No município de Belmonte, o processo de urbanização vem ocorrendo lentamente à
medida que o grau de urbanização que era de 49,2% em 1991 evoluiu para 53,9% em
2000 e praticamente ficou estável ao perfazer 54,0% em 2007. Diante deste contexto, o
município de Belmonte ainda contava com uma população rural de 9.805 habitantes em
2007. Já em Santa Cruz Cabrália, o processo de urbanização foi intensificado durante
esta década uma vez que o contingente de população recenseada em áreas urbanas
cresceu de 13.527 para 17.099 habitantes entre 2000 e 2007. Durante o mesmo período,
o grau de urbanização evoluiu de 56,6% para 70,2%.

Apesar do conjunto da área em estudo no extremo sul ter apresentado crescimento da


população durante a década de 1990, merece destaque o fato de em oito municípios, seis
deles apresentaram redução de população rural enquanto que em apenas dois (Porto
Seguro e Santa Cruz Cabrália) ocorreu crescimento. Neste sentido, a evolução desses
dois municípios foi determinante para que a área conjuntamente apresenta-se incremento
de residentes campesinos entre 1991 e 2000 – em Porto Seguro o aumento foi de 4.756
pessoas mediante uma taxa de 3,97% ao ano e em Santa Cruz Cabrália alcançou 7.023
pessoas (taxa de 13,41% ao ano).

Dentre os dez municípios que mais apresentaram contração de população rural durante a
década de 1990, se destacam:

ƒ Mascote (taxa média de -15,15% ao ano)


ƒ Itapebi (-6,39% ao ano)
ƒ Itagimirim (-4,90% ao ano)
ƒ Eunápolis (-3,77% ao ano)
ƒ Belmonte (-2,14% ao ano)

Já em Itabela (-0,57%) e Guaratinga (-1,43%) o declínio foi menos expressivo. A


exceção de Belmonte, todos os demais municípios que sofreram perda de população rural
apresentaram crescimento da população urbana entre 1991 e 2000 o que – numa análise
simplista e corriqueira – poderia sugerir um processo de êxodo rural, inclusive no âmbito
do próprio município. Entretanto, conforme já foi falado é preciso levar em conta as
mudanças territoriais e administrativas ocorridas nos municípios que influenciam na
enumeração das populações urbana e rural, para que, efetivamente possa isolar o efeito
dessas mudanças quando da análise da dinâmica demográfica em si.

No município de Mascote, a população rural apresentou uma espetacular redução durante


a década de 1990, mediante uma taxa média de –15,15% ao ano, ao passar de 18.605
habitantes em 1991 para 4.240 em 2000. Por outro lado, a população urbana registrou
uma inusitada taxa de crescimento de 25,16% ao ano ao passar de 1.573 para 11.853
habitantes durante o mesmo período. Como conseqüência, o grau de urbanização evoluiu
de 7,8% em 1991 para 73,7% em 2000. Diferentemente do que sugere uma tradicional
CPM RT 097/11 46 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

leitura dos dados e conclusão de intenso êxodo rural, a grande maioria dos habitantes
não mudou de residência entre os levantamentos censitários. Com efeito, entre os
levantamentos censitários de 1991 e 2000, constata-se que os povoados de São João do
Paraíso, Teixeira do Progresso e Pimenta - pertencentes à sede municipal - foram
transformados em distritos no ano de 1999. Desse modo, essas alterações ocorridas na
estrutura territorial-administrativa do município entre os levantamentos censitários de
1991 e 2000 terminaram influenciando o processo de enumeração das populações urbana
e rural de Mascote, já que as populações dessas localidades contribuíam em 1991 para a
população rural do município (já que eram povoados) e no Censo 2000 uma significativa
parte dela passou a contribuir na população urbana, por ocasião da criação dos distritos e
a conseqüente constituição das vilas – que são consideradas áreas urbanas.

Diante desse contexto, tal alteração contribuiu para aumentar a população urbana do
município e reduzir a população rural entre os recenseamentos. Somente na recém-
criada vila de São João do Paraíso a população alcançava 8.307 habitantes em 2000.
Além disso, cabe ainda lembrar que o total de população recenseada em 2000 nessas
três novas vilas (urbanizada, por conseguinte) era de 10.108 habitantes – valor
praticamente idêntico ao aumento de 10.280 habitantes observados na população urbana
do município entre 1991 e 2000.

No caso de Mascote, portanto, é possível inferir que frente a contração total de população
rural de 14.365 habitantes observada entre 1991 e 2000, aproximadamente um
contingente de aproximadamente 10.000 foi decorrente da criação dos novos distritos.
Nessa perspectiva, a redução de população rural que poderia ser atribuída à dinâmica
demográfica passaria a ser algo em torno de 4.000 habitantes e não mais de 14.365
pessoas. A repercussão sobre a taxa de crescimento seria ainda mais expressiva; a
magnitude de -15,15% ao ano passaria para -2,85% ao ano ao se desconsiderar o
contingente (aproximado) de população rural que passou a ser recenseada como urbana
por conta da transformação dos povoados em distritos.

No município de Itapebi as informações dos censos demográficos demonstraram que a


população rural reduziu de 4.682 para 2.584 habitantes entre 1991 e 2000 mediante uma
taxa média de -6,39% ao ano. Em contrapartida, a população urbana aumentou de 6.396
para 8.542 habitantes por intermédio de uma taxa de 3,27% ao ano durante o mesmo
período. Com base nas informações fornecidas pela Base Operacional do IBGE na Bahia,
observa-se que o número de setores urbanos da cidade de Itabebi mais do que dobrou ao
passar de quatro no ano de 1996 para nove no ano de 2000. Isso significa dizer que o
perímetro urbano foi alterado entre os levantamentos censitários fazendo com a área
urbana avançasse e penetrasse em áreas anteriormente classificadas como rurais. Como
conseqüência, contingentes populacionais que foram enumerados em áreas rurais no ano
de 1991 passaram a ser consideradas residentes urbanos em 2000. De fato, as
informações desagregadas por distrito apontam que boa parte da redução da população
rural de Itapebi (2.098 habitantes) ocorreu no distrito-sede, cuja contração foi de 1.600
pessoas ao passar de 3.924 para 2.324 habitantes entre 1991 e 2000. Já a população da
cidade foi acrescida em 2.245 pessoas ao evoluir de 5.690 para 7.935.

CPM RT 097/11 47 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

O restante de redução da população rural do município de Itapebi ocorreu no distrito de


Caiubi uma vez que a mesma declinou de 758 para 260 habitantes entre 1991 e 2000. Em
função do fato de que a população urbana de Caiubi também sofreu redução (de 706 para
607 habitantes) é possível afirmar que os campesinos deste distrito migraram para o
distrito-sede do município e/ou para outros municípios. Conjuntamente, a população do
Distrito de Caiubi diminuiu de 1.464 para 867 pessoas entre 1991 e 2000.

No caso do município de Eunápolis, os dados apontaram que a população rural foi


reduzida a uma taxa de -3,77% ao ano durante a década de 1990 pelo fato de ter
declinado de 7.005 para 4.959 habitantes entre 1991 e 2000. As informações da Base
Operacional do IBGE indicam que entre 1996 e 2000 o número de setores urbanos de
Eunápolis cresceu de 63 para 78, ou seja, 15 novos setores que indicam a expansão do
perímetro urbano para áreas rurais. Durante esse mesmo período, a população urbana do
município foi acrescida em 23.784 habitantes ao evoluir de 63.540 em 1991 para 87.324
pessoas mediante um ritmo de 2,47% ao ano. Frente a esse contexto, constata-se que a
redução da população rural de Eunápolis entre os censos de 1991 e 2000 foi influenciada
pela expansão do perímetro urbano que fez com que contingentes de residentes que
foram recenseados em 1991 na área rural passassem a ser, em 2000, contados como
moradores da área urbana.

Tratando-se do município de Belmonte, a população rural sofreu redução de 1.984


habitantes ao passar de 11.210 residentes campesinos em 1991 para 9.226 no ano 2000
por intermédio de uma taxa média anual de -2,14. Vale ressaltar que a magnitude da
contração da população rural de Belmonte foi bastante influenciada pelo distrito de Boca
do Córrego cujo contingente populacional rural diminuiu em 1.431 pessoas ao passar de
4.245 para 2.814 habitantes entre 1991 e 2000. No distrito-sede a contração foi de 690
habitantes enquanto que no distrito de Mogiquiçaba (no qual se insere o distrito de
Barrolândia) o número de residentes na área rural aumentou em 137 pessoas ao passar
de 5.512 para 5.649 habitantes durante o período em análise.

Nos municípios de Santa Cruz Cabrália e Porto Seguro a população rural aumentou
significativamente – a um ritmo de 13,41% e 3,97% ao ano respectivamente – durante a
década de 1990, estimulada pelo expressivo crescimento populacional vivenciado por
esses municípios em função do franco desenvolvimento, sobretudo, do setor turístico e
terciário.

Direcionando-se a análise para a década de 2000, em Eunápolis merece destaque o fato


de que entre 2000 e 2007 a população rural voltou a apresentar crescimento. Com efeito,
a população campesina cresceu de 4.959 pessoas em 2000 para 6.109 habitantes em
2007, mediante uma taxa média de 3,18% ao ano. O crescimento da população rural de
Eunápolis durante esse período (1.150 pessoas) guarda associação direta com a
atratividade exercida e oportunidades de trabalho e renda criadas nos mais diversos
segmentos da economia local e regional, pela implantação e operação da unidade fabril
de celulose da Veracel.

CPM RT 097/11 48 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

No município de Belmonte a população rural reverte a tendência de declínio vivenciada


durante a década de 1990 (-2,14% ao ano) e passa a crescer durante a atual década ao
evoluir de 9.226 para 9.940 habitantes entre 2000 e 2007 – o correspondente a um
incremento de 714 pessoas e taxa de crescimento de 1,12% ao ano. Vale salientar que
esse incremento de residentes rurais observado em Belmonte foi decisivamente
influenciado pelo crescimento populacional experimentado pelo Povoado de Barrolândia
(+634 pessoas) ao passar de 3.936 habitantes em 2000 para 4.570 em 2007. O
dinamismo demográfico de Barrolândia, por sua vez, foi diretamente influenciado pela
implantação e operação da unidade industrial da Veracel, em função, sobretudo, da
localização espacial do povoado que se constitui no aglomerado populacional mais
próximo da fábrica – cerca de 16 km de distância.

Em Santa Cruz Cabrália a população rural sofreu uma significativa diminuição (-3.019
habitantes) ao declinar de 10.361 para 7.342 pessoas entre 2000 e 2007 segundo uma
taxa de -5,04% ao ano. Em contrapartida, a população urbana aumentou de 13.527 para
17.768 habitantes (+4.241) a um ritmo anual de 4,18%.

O município de Guaratinga manteve a tendência de perdas populacionais na área rural na


medida em que entre 2000 e 2007 a população declinou de 14.302 para 12.382
habitantes (-1.920 pessoas) a uma taxa de -2,14% ao ano. Em decorrência do fato de que
a população urbana cresceu em apenas 222 moradores, inferi-se que o município além de
apresentar perdas populacionais por emigração, vivenciou um processo de correntes
migratórias de moradores da área rural para outros municípios. Com efeito, somente o
município de Eunápolis recebeu 680 migrantes de Guaratinga entre 2000 e 2007, sendo
que 95 residiam no campo. Já Porto seguro, abrigou 562 pessoas no total – 413
moradores da zona urbana e 149 da zona rural.

No município de Itabela, o dinamismo de declínio da população campesina (-830


habitantes) através de uma taxa de -1,90% ao ano entre 2000 e 2007, foi também
bastante influenciado pelas migrações intermunicipais. De fato, a população urbana foi
ampliada em apenas 414 pessoas, refletindo que parte da população rural migrou para
outros municípios. Os microdados da Contagem da População 2007 corroboram essa
hipótese. Somente o município de Porto Seguro recebeu entre 2000 e 2007 um
contingente de 859 migrantes de Itabela, sendo que 317 residiam no ano de 2000 na zona
rural.
No caso de Itapebi, observa-se que a população rural foi diminuída em 615 habitantes
mediante uma significativa de -4,00% ao ano durante o período 2000/2007 ao passo em
que a urbana foi acrescida de 1.009 pessoas segundo uma taxa de 1,69% ao ano. A
contração da população campesina em Itapebi parece estar associada a estagnação
econômica vivenciada pelo município. Com efeito, enquanto que entre 2004 e 2006 o PIB
estadual e a Região Extremo Sul cresceram 22,1% em termos nominais, o PIB municipal
de Itapebi apresentou diminuição de 20,1%. Vale ressaltar que de todos os 21 municípios

Em novembro de 2010 o IBGE divulgou os primeiros resultados do Censo 2010, que


mostrou uma prévia do conjunto básico de informações do recenseamento – dados
populacionais gerais e número de domicílios. Nos municípios inseridos no extremo sul do
CPM RT 097/11 49 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Estado da Bahia, apenas Guaratinga, Itagimirim e Itapebi apresentaram perdas


populacionais entre 2000 e 2010, ainda que mediante taxas pequenas (-0,91%, -0,83% e -
0,58% ao ano, respectivamente). Faz-se necessário destacar que esses municípios desde
a década de 1990 já vinham apresentando redução absoluta de população – casos de
Guaratinga (-0,50% ano entre 1991 e 2000) e Itagimirim (-0,23%) – ou praticamente
estavam paradas – caso de Itapebi, já que a taxa de crescimento foi de apenas 0,05%
entre 1991 e 2000. Em Guaratinga e Itagimirim constata-se que os ritmos de perdas
populacionais além de continuarem, também aumentaram.

Entre os municípios que apresentaram crescimento entre 2000 e 2010, os destaques


ficaram por conta de Porto Seguro e Eunápolis, que apresentaram taxas expressivas e
bastante acima da média estadual, além de romperem a barreira dos 100 mil habitantes.
Em Porto Seguro, a população evoluiu de 95.721 pessoas em 2000 para 126.770 em
2010, mediante uma significativa taxa de 2,85% ao ano. Apesar do arrefecimento (como
era de se esperar) em relação a espetacular taxa experimentada durante os anos 1990 –
11,95% ao ano – o município continua atraindo população por conta, sobretudo, da sua
consolidação como um dos principais destinos turísticos do país e dos novos
empreendimentos implantados.

No caso de Eunápolis, a população residente cresceu de 84.120 para 100.246 habitantes


entre 2000 e 2010, perfazendo um incremento absoluto de 16.126 habitantes em dez
anos. A taxa de crescimento durante o referido período foi de 1,77% ao ano. A
atratividade de Eunápolis está bastante associada ao surgimento de novos negócios e
oportunidades de trabalho decorrentes da implantação da moderna indústria de celulose a
partir da segunda metade da década de 2000.

O município de Belmonte apresentou uma ligeira expansão populacional ao passar de


20.032 habitantes em 2000 para 21.838 habitantes em 2010, mediante uma taxa de
0,87% ao ano. Nesse sentido, o município reverteu a tendência de perda populacional em
relação à década anterior, já que a taxa experimentada entre 1991 e 2000 foi de -1,07%
ao ano. Em Santa Cruz Cabrália a taxa de crescimento demográfico arrefeceu
significativamente ao passar de 15,49% ao ano entre 1991/2000 para 0,93% ao ano entre
2000/2010. Após crescer significativamente durante a década de 1990 por conta
principalmente pelo transbordamento do crescimento experimentado pelo município de
Porto Seguro, o ritmo de expansão da população durante os anos 2000 em Cabrália
acompanhou a desaceleração experimentada em Porto Seguro, ainda que num patamar
bastante menor. Já em Itabela, o ritmo de crescimento também desacelerou – de 2,37%
ao ano entre 1991 e 2000 para 0,99% ao ano entre 2000 e 2010.

Tratando-se da distribuição da população por situação do domicílio, o Censo 2010


demonstrou que a população brasileira passou a ser mais urbanizada que há 10 anos: em
2000, 81,3% dos brasileiros viviam em áreas urbanas e atualmente são 84,0%. No Estado
da Bahia, o grau de urbanização evoluiu de 67,1% em 2000 para 72,1% em 2010. Apesar
dessa evolução, um expressivo contingente de 3.916.214 habitantes residem em áreas
rurais.

CPM RT 097/11 50 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

É importante enfatizar que, diferentemente das abordagens anteriores, algumas análises


acerca da evolução da população urbana e rural ficarão comprometidas, uma vez que o
IBGE ainda não disponibilizou às informações referentes às mudanças territoriais-
administrativas que ocorreram entre 2000 e 2010 e que influenciam na distribuição da
população por situação do domicílio – transformação de povoados em distritos, ampliação
do perímetro urbano e redefinição de áreas em litígio entre municípios.

As informações preliminares do Censo 2010 demonstram que, entre os anos de 2000 e


2010, Belmonte, Eunápolis, Itabela e Porto Seguro, localizados na região do Extremo sul
do estado apresentaram crescimento da população rural. No município de Belmonte, a
população rural reverteu a tendência de declínio vivenciada durante a década de 1990 e
se expandiu de 9.226 para 10.412 habitantes entre 2000 e 2010, perfazendo um
incremento absoluto de 1.186 pessoas. Frente a esses resultados, a população rural
cresceu mediante uma taxa média de 1,22% ao ano durante a década de 2000 e a
proporção de pessoas residentes em áreas rurais aumentou de 46,7% em 2000 para
47,7% em 2010.

Em Eunápolis, também ocorreu uma reversão da tendência de declínio da população rural


experimentada durante os anos 1990. Com efeito, a população campesina evoluiu de
4.959 para 6.804 habitantes entre 2000 e 2010, totalizando um aumento de 1.845
pessoas. Tal crescimento foi bastante contundente já que o ritmo foi de 3,21% ao ano – o
segundo maior da área em estudo e totalmente distinto da tendência estadual, que
apresentou contração da população campesina. Diante desse desempenho, o percentual
de pessoas residindo em áreas rurais aumentou de 5,9% em 2000 para 6,8% em 2010.

O crescimento das populações rurais de Belmonte e Eunápolis pode estar diretamente


associado ao novo dinamismo econômico impulsionado pela implantação da indústria de
celulose na área em estudo a partir da segunda metade da década de 2000. No caso de
Belmonte, é bem provável que parte do incremento tenha ocorrido no povoado de
Barrolândia, localidade mais próxima da fábrica da Veracel.

No caso de Porto Seguro, merece destaque a intensidade do crescimento populacional


rural que foi de 3,48% ao ano entre 2000 e 2010 – o maior entre os municípios da área
em estudo. Durante o referido período a população campesina passou de 16.102 para
22.680 habitantes, propiciando um significativo incremento de 6.578 habitantes em dez
anos. Possivelmente parte desse crescimento deve ter ocorrido nas localidades de Arraial
D’Ajuda, Trancoso e Caraíva – sobretudo entre os dois primeiros, que se consolidaram
como zonas de expansão residencial e intensificação das atividades turísticas durante a
década de 2000. Diante dessas análises, pode-se observar que não há um processo que
possa ser chamado de êxodo rural na área em estudo.

CPM RT 097/11 51 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Os primeiros resultados do Censo 2010 e as tendências recentes do crescimento


demográfico

Após a divulgação dos primeiros resultados do Censo 2010, conheça agora o crescimento
da população total residente nos últimos dez anos. Tratando-se da distribuição da
população por situação do domicílio, o Censo 2010 demonstrou que a população
brasileira passou a ser mais urbanizada que há 10 anos: em 2000, 81,3% dos brasileiros
viviam em áreas urbanas e atualmente são 84,0%.

No estado da Bahia, o grau de urbanização evoluiu de 67,1% em 2000 para 72,1% em


2010. Apesar dessa evolução, um expressivo contingente de 3.916.214 habitantes reside
em áreas rurais.

As informações do Censo 2010 demonstram que, entre os anos de 2000 e 2010, apenas
quatro municípios apresentaram crescimento da população rural, sendo que todos fazem
parte da região Extremo Sul do estado e do bloco de municípios onde a Veracel já atua:
Belmonte, Eunápolis, Itabela e Porto Seguro.

No município de Belmonte, a população rural reverteu a tendência de declínio vivenciada


durante a década de 1990 e se expandiu de 9.226 para 10.412 habitantes entre 2000 e
2010, tendo um aumento absoluto de 1.186 pessoas. Frente a esses resultados, a
população rural cresceu mediante uma taxa média de 1,22% ao ano durante a década de
2000 e a proporção de pessoas residentes em áreas rurais aumentou de 46,7% em 2000
para 47,7% em 2010.

Em Eunápolis, também ocorreu uma reversão da tendência de declínio da população rural


experimentada durante os anos 1990. Com efeito, a população campesina evoluiu de
4.959 para 6.804 habitantes entre 2000 e 2010, totalizando um aumento de 1.845
pessoas. Tal crescimento foi bastante decisivo, já que o ritmo foi de 3,21% ao ano – o
segundo maior da AID e totalmente distinto da tendência estadual, que apresentou
contração da população rural. Diante desse desempenho, o percentual de pessoas
residindo em áreas rurais em Eunápolis aumentou de 5,9%, em 2000, para 6,8%, em
2010.
O crescimento das populações rurais de Belmonte e Eunápolis pode estar diretamente
associado ao novo dinamismo econômico impulsionado pela implantação da indústria de
celulose na AID a partir do início da década de 2000. No caso de Belmonte, é bem
provável que parte do aumento tenha acontecido no povoado de Barrolândia, localidade
mais próxima da fábrica da Veracel.

Quanto a Porto Seguro, merece destaque a intensidade do crescimento populacional


rural, que foi de 3,48% ao ano entre 2000 e 2010 – o maior entre os municípios da AID.
Durante o referido período a população campesina passou de 16.102 para 22.680
habitantes, propiciando um significativo incremento de 6.578 habitantes em dez anos.
Possivelmente parte desse crescimento deve ter ocorrido nas localidades de Arraial
d’Ajuda, Trancoso e Caraíva – sobretudo entre os dois primeiros, que se tornaram áreas
residenciais e de atividades turísticas durante a década de 2000.
CPM RT 097/11 52 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

População total e taxa média geométrica de crescimento anual dos municípios da AID -
1991-2010

TAXA MÉDIA GEOMÉTRICA


POPULAÇÃO TOTAL
MUNICÍPIOS DE CRESCIMENTO (% AO ANO)
1991 2000 2010 1991/2000 2000/2010
Região Extremo Sul
Belmonte 22.070 20.032 21.838 -1,07 0,87
Eunápolis 70.545 84.120 100.246 1,97 1,77
Guaratinga 25.441 24.319 22.195 -0,50 -0,91
Itabela 20.848 25.746 28.399 2,37 0,99
Itagimirim 7.887 7.728 7.110 -0,23 -0,83
Itapebi 11.078 11.126 10.497 0,05 -0,58
Porto Seguro 34.661 95.721 126.770 11,95 2,85
Santa Cruz Cabrália 6.535 23.888 26.198 15,49 0,93
Região Litoral Sul
Canavieiras 33.019 35.322 32.331 0,75 -0,88
Mascote 20.178 16.093 14.640 -2,48 -0,94
Santa Luzia 16.319 15.503 13.332 -0,57 -1,50
Região Sudoeste
Encruzilhada 21.362 32.924 23.786 4,92 -3,20
Itapetinga 53.476 57.931 68.314 0,89 1,66
Itarantim 17.216 16.923 18.548 -0,19 0,92
Macarani 14.057 14.594 17.088 0,42 1,59
Maiquinique 7.833 7.326 8.782 -0,74 1,83
Potiraguá 10.389 14.579 9.829 3,84 -3,87
Fonte: IBGE - Censos Demográficos 1991, 2000, 2010.

Quem mora na área de influência, o que elas fazem e quais serviços estão
disponíveis na região?

Para conhecer a população que vive nos municípios em questão, foram utilizados dados
da Contagem da População de 2007. Isso porque as informações do Censo 2000 estão
distantes da realidade atual da economia e do mercado de trabalho da região; e os dados
do Censo 2010 não estavam ainda disponíveis no momento da realização do Estudo de
Impacto Ambiental.

Na região estudada, os municípios com maior população foram Porto Seguro (114.459
habitantes), Eunápolis (93.984 pessoas) e Itapetinga (63.243 habitantes). E os que tinham
a população com menos de 10 mil habitantes, ou seja, de porte pequeno, foram Itagimirim
(7.049 pessoas) e Maiquinique (8.324 habitantes).

CPM RT 097/11 53 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

A agropecuária gerava apenas 14.287 empregos formais, o correspondente a 13,4% do


total de vínculos empregatícios. Por outro lado, a Administração Pública respondia pela
geração de 28.921 empregos, o correspondente a 27,1% do total. Esse setor tem a pior
remuneração. Variava de R$ 506,76 em Encruzilhada até R$ 616,58 em Porto Seguro.
Desse modo, os salários pagos no setor agropecuário giravam em torno de 1,1 a 1,3
salário mínimo.

Por causa da força do setor agropecuário, a participação da indústria na geração de


trabalho era bastante baixa na maioria dos municípios em estudo e tinha maior presença
em Itapetinga (23,8%) e Maiquinique (11,0%). O setor de construção tinha importância em
Itagimirim e Porto Seguro, ao utilizar 14,3% e 10,0%, respectivamente, da força de
trabalho ocupada no mercado.

A atividade pesqueira, por causa da proximidade com o mar e dos mangues, é favorecida
em Canavieiras, Belmonte, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália. Muitas famílias têm
nessa atividade o seu principal meio de sobrevivência. De um modo geral, a pesca ainda
é feita pela forma artesanal.

O nível de alfabetização entre as pessoas de 15 a 19 anos é maior nos municípios de


Itapetinga e Eunápolis, com taxas de 95,14% e 94,35%, respectivamente. As pessoas
com idade a partir de 55 anos, em especial de 70 ou mais anos, têm taxas de
alfabetização menores, como foi visto em Encruzilhada, que apresenta taxa de 16,62% de
alfabetização entre as pessoas de 70 ou mais anos.

O analfabetismo geral da Bahia é de 21,64%. E os municípios da área estudada também


têm índices bem parecidos. Porém municípios como Encruzilhada (38,55%), Guaratinga
(35,78%), Itapebi (34,04%), Macarani (32,68%), Mascote (33,06%), Potiraguá (32,93%) e
Santa Luzia (32,38%) estão muito acima e correspondem em torno de um terço da
população.

A rede de ensino existente nos 17 municípios, de acordo com informações do Ministério


da Educação e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep), conta
com um total de 1.115 estabelecimentos de ensino, sendo 411 de ensino infantil, o que
representa 36,86% do total, 643 estabelecimentos de ensino fundamental (57,67%) e 61
estabelecimentos de ensino médio (5,47%). Na rede de ensino, estão matriculados
158.826 alunos, e a maioria cursa o ensino fundamental (69,62%). O ensino médio
aparece em seguida, com 16,22% dos alunos matriculados, e o ensino infantil responde
por 14,16% das matrículas. De acordo com informações do Ministério da Educação, na
AID existem quatro municípios que contam com instituições que ministram cursos de nível
superior presencial: Eunápolis, Itapetinga, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália.

Em relação à infraestrutura dos serviços básicos, apenas Belmonte, Canavieiras,


Eunápolis, Itapetinga, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália possuem sistema de
esgotamento sanitário. Desses, em Belmonte, Itapetinga e Porto Seguro, o sistema de
esgotamento sanitário atende aos distritos sede e localidades; nos outros municípios,

CPM RT 097/11 54 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

atende apenas à sede. No entanto, mais de 90% dos domicílios localizados na área
urbana são atendidos pelo sistema de abastecimento de água.

O município de Belmonte possui um aterro sanitário convencional, com cerca de 61% do


lixo coletado por empresas privadas e/ou públicas, porém há grande número de casas
que queimam seus resíduos (22%).

Já Encruzilhada e Canavieiras apresentam um número parecido de casas que jogam lixo


no Lixão. O município de Encruzilhada se destaca com os piores índices de serviço de
coleta, com somente 28% dos resíduos coletados por empresas privadas e/ou públicas,
apresentando os maiores índices de resíduos queimados e jogados em terrenos baldios
com 34% para ambos. Canavieiras, apesar do alto índice de resíduos coletados por
empresas, com 67%, apresenta um dos mais baixos índices de resíduos coletados. Porto
Seguro é o que apresenta a maior quantidade de resíduos coletados, com 150 toneladas
por dia, por causa do turismo.

A energia consumida na região vem da Linha de Transmissão do Sistema Integrado, com


diversas fontes de geração, mas que tem como principais geradores as usinas de Paulo
Afonso, no norte da Bahia, Funil, no Sudoeste, Itapebi, no Extremo Sul, além de sobras
de grandes empresas industriais, como a Veracel. Vale lembrar que o município de
Eunápolis conta com uma importante subestação da CHESF - Companhia Hidrelétrica do
Vale do São Francisco.

Na área foi identificada bastante pobreza (famílias que tem renda mensal de no máximo
meio salário mínimo per capita). Em 2000, diversos municípios eram pobres, ou seja, com
várias famílias vivendo abaixo da linha da pobreza. Das 133.879 famílias existentes nos
17 municípios, cerca de 64.664 estava abaixo da linha de pobreza, isto é, 48,3%. Essa
proporção era a mesma da média da Bahia (48,1%).

Em 12 dos 17 municípios, mais da metade das famílias estavam situadas abaixo da


referida linha de pobreza. Segundo esse critério, o município de Mascote era o que
apresentava maiores níveis de pobreza (64,9% das famílias). Porto Seguro é o local com
índice mais baixo (38,0%) de toda a área estudada.

Mesmo diante da indisponibilidade dos dados do Censo 2010 é possível inferir que, a
despeito da melhoria das condições de vida observadas no país ao longo da década de
2000, os níveis de pobreza ainda são elevados na área de influência direta. Com efeito, o
Programa Bolsa Família contemplava em dezembro de 2009 um contingente total de
62.286 famílias, enquanto que o Benefício de Prestação Continuada (BPC) também
assumia grande relevância ao beneficiar 20.683 pessoas, sendo 12.197 pessoas idosas e
8.486 pessoas com deficiência.

Segundo a Fundação Nacional de Saúde (Funasa), a partir de informações do mês de


julho de 2009, existem indígenas em 3 dos 17 municípios da área de ampliação da
Veracel – Belmonte, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália, com um total de 8.824 pessoas
morando em aldeias indígenas, sendo 8.817 indígenas e sete não indígenas.
CPM RT 097/11 55 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

A distribuição por município revela que 89 indígenas (1,01%) habitam a aldeia Patiburi no
município de Belmonte e pertencem à etnia Tupinambá. Com cinco aldeias – Velha, Barra
Velha, Boca da Mata, Imbiriba e Meio da Mata, todas da etnia Pataxó, Porto Seguro
abriga 3.890 indígenas e um não indígena, com 3.900 pessoas vivendo em aldeias.

O maior contingente indígena está abrigado em duas aldeias – Coroa Vermelha e Mata
Medonha, em Santa Cruz Cabrália, onde residem 4.835 pessoas, sendo 4.829 indígenas
e seis não indígenas. Observa-se que a população indígena residente em Santa Cruz
Cabrália pertence às etnias Atikum, Pataxó e Tupiniquim, com ampla maioria da etnia
Pataxó, que participa com 99,77% do total.

Comunidade indígena Patiburi Tupinambá. Uma das comunidades que vivem na área de influência do
empreendimento

Como vimos, a pesca artesanal ou de subsistência (feita para conseguir o próprio


alimento) é uma atividade forte na área estudada. Devido às suas técnicas simples, a
atividade é feita em locais próximos à costa. Levantamentos realizados pelo IBGE em
2000, indicam que o número de pescadores atingia o total de 2.700 na área de influência
CPM RT 097/11 56 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

do projeto de ampliação da Veracel. Essa população estava distribuída em 13 dos 17


municípios que compõem a área de influência do projeto. Ou seja, apenas em
Encruzilhada, Itarantim, Maiquinique e Santa Luzia não foram identificadas pessoas cuja
atividade principal era a pesca.

Os municípios litorâneos de Belmonte, Canavieiras, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália


concentram 88,04% dos profissionais da pesca, sendo que somente Canavieiras abriga
43,30% de toda essa população.

Número de pessoas potencialmente em idade ativa, de 16 a 64 anos - Municípios da AID


- 2007

POPULAÇÃO EM IDADE
%
MUNICÍPIOS POTENCIALMENTE ATIVA
TOTAL DA ÁREA
DE 16 A 64 ANOS DE IDADE
Porto Seguro 71.234 21,9
Eunápolis 59.879 18,4
Itapetinga 40.594 12,5
Canavieiras 21.387 6,6
Itabela 15.243 4,7
Santa Cruz Cabrália 15.067 4,6
Guaratinga 13.625 4,2
Encruzilhada 13.568 4,2
Belmonte 12.546 3,9
Itarantim 11.063 3,4
Macarani 9.883 3,0
Mascote 9.741 3,0
Santa Luzia 8.960 2,8
Itapebi 6.819 2,1
Potiraguá 6.307 1,9
Maiquinique 5.057 1,6
Itagimirim 4.268 1,3
TOTAL 352.241 100,0

Movimentos de migração

Muitas pessoas que vivem na região vieram de outros lugares do estado e do País. Essas
pessoas são chamadas de emigrantes, quando saem de sua localidade de origem e
imigrantes quando chegam a outro local. Os dados censitários feitos a cada cinco anos
permitem avaliar e medir a intensidade e origem/destino da migração durante um período
próximo à data de realização do censo, assim como a representatividade dessa em
relação à população residente.

Foi observado que o município de Eunápolis recebeu 9.770 imigrantes durante o


qüinqüênio compreendido entre 1995 e 2000, enquanto que 10.630 habitantes emigraram
(saíram) do município, proporcionando um saldo migratório de menos 860 pessoas
durante o período em questão.
CPM RT 097/11 57 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Do total de imigrantes (que chegaram) de Eunápolis, cerca 3.769 pessoas (38,5% do


total) veio de outros estados, como São Paulo (1.090 pessoas) e Minas Gerais (840
pessoas). Já entre os imigrantes intra-estaduais (total de 5.991 pessoas), os principais
fluxos eram provenientes de Porto Seguro (586), Guaratinga (471), Itabuna (362) e
Belmonte (331 pessoas).

Tratando-se dos emigrantes (que saíram) de Eunápolis, um contingente de 4.294 pessoas


(40,0% do total) passou a residir em outros estados. Os principais locais de destino eram
São Paulo (1.211 pessoas), Espírito Santo (1.188 pessoas) e Minas Gerais (1.009
pessoas). Considerando-se as correntes intra-estaduais que totalizavam 6.336 pessoas,
os principais municípios baianos de destino dos emigrantes de Eunápolis eram Porto
Seguro (2.220 pessoas) e Santa Cruz Cabrália (777 pessoas), ou seja, para municípios
vizinhos.

Imigrantes com 5 anos e mais de idade por categoria segundo os municípios de


residência, nos municípios da AID - 1995-2000

CATEGORIAS DE MIGRANTES
MUNICÍPIOS Imigrantes Imigrantes Intra- Imigrantes
Total
Interestaduais estaduais Internacionais
Extremo Sul
Belmonte 198 984 0 1.182
Eunápolis 3.769 5.991 10 9.770
Guaratinga 277 898 0 1.174
Itabela 660 2.242 0 2.903
Itagimirim 511 528 4 1.043
Itapebi 215 1.255 0 1.470
Porto Seguro 5.923 20.966 305 27.195
Santa Cruz Cabrália 1.464 4.638 41 6.143
Litoral Sul
Canavieiras 907 2.456 0 3.363
Mascote 299 1.058 0 1.357
Santa Luzia 340 1.237 12 1.588

CPM RT 097/11 58 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Imigrantes com 5 anos e mais de idade por categoria segundo os municípios de


residência, nos municípios da AID, 1995-2000. (Continuação).
CATEGORIAS DE MIGRANTES
MUNICÍPIOS Imigrantes Imigrantes Intra- Imigrantes
Total
Interestaduais estaduais Internacionais
Sudoeste
Encruzilhada 779 921 0 1.701
Itapetinga 2.421 3.590 0 6.011
Itarantim 207 609 0 816
Macarani 436 611 0 1.048
Maiquinique 187 286 0 473
Potiraguá 157 533 9 699
Fonte: IBGE - Microdados do Censo 2000.

Em Santa Cruz Cabrália a migração exerceu um papel fundamental no vertiginoso


crescimento populacional observado no município entre 1991 e 2000 – de 6.535 para
23.888 pessoas, mediante um ritmo de 15,5% ao ano. De fato, o saldo migratório durante
a segunda metade da década de 1990 foi de 5.211 pessoas, uma vez que o número de
imigrantes (6.143) superou em muito ao de emigrantes (932).

As informações do Censo 2000 também confirmaram a importância da migração para o


expressivo crescimento populacional observado no município de Porto Seguro durante a
década de 1990 – a um ritmo de cerca de 12,0% ao ano. Com efeito, entre 1995 e 2000, o
município recebeu 27.195 imigrantes, enquanto que 9.103 pessoas deixaram o município,
perfazendo um saldo migratório positivo de 18.092 pessoas.

No município de Belmonte, a componente migratória contribuiu decisivamente para a


perda populacional vivenciada durante a década de 1990, ocasião na qual a população
reduziu de 22.070 para 20.032 habitantes entre 1991 e 2000. Durante o período de 1995-
2000 o número de emigrantes (3.214) superou o de imigrantes (1.182) proporcionando um
saldo migratório de -2.032 pessoas. Os principais fluxos de emigrantes de Belmonte eram
direcionados para dentro do próprio estado (2.463 pessoas ou 76,6% do total).

Emigrantes interestaduais e intra-estaduais com 5 anos e mais segundo os municípios de


residência nos municípios da AID, 1995-2000.
1995-2000
MUNICÍPIOS Emigrantes intra- TOTAL
Emigrantes Interestaduais
Estaduais
Extremo Sul
Belmonte 751 2.463 3.214
Eunápolis 4.294 6.336 10.630
Guaratinga 1.347 2.217 3.564
Itabela 1.147 2.572 3.719
Itagimirim 304 1.017 1.321
Itapebi 452 1.461 1.913
Porto Seguro 5.018 4.086 9.103
Santa Cruz Cabrália 310 622 932

CPM RT 097/11 59 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Emigrantes interestaduais e intra-estaduais com 5 anos e mais segundo os municípios de


residência nos municípios da AID, 1995-2000 (continuação)

1995-2000
MUNICÍPIOS Emigrantes intra- TOTAL
Emigrantes Interestaduais
Estaduais
Litoral Sul
Canavieiras 1.984 2.769 4.753
Mascote 411 1.605 2.017
Santa Luzia 714 1.838 2.552
Sudoeste
Encruzilhada 667 602 1.269
Itapetinga 2.743 4.011 6.754
Itarantim 883 890 1.773
Macarani 715 1.117 1.832
Maiquinique 311 512 823
Potiraguá 379 1.014 1.393
Fonte: IBGE - Microdados do Censo 2000.

As informações da Contagem da População 2007 permitem observar algumas tendências


da migração durante os sete primeiros anos da década de 2000, ou seja, entre o período
2000/2007. Entretanto, os dados permitem analisar apenas o os fluxos de imigração para
os municípios, já que a avaliação sobre a emigração é impossibilitada pelo fato da
Contagem da População 2007 ter deixado de fora a grande maioria dos municípios com
mais de 170 mil habitantes, conforme já mencionado anteriormente. Vale ressaltar que
exatamente esses grandes centros urbanos, que não foram recenseados, são grandes
pólos receptores de migrantes.

Segundo os dados é possível constatar que os municípios de Porto Seguro e Eunápolis


receberam expressivos fluxos migratórios durante o período compreendido entre 2000 e
2007.

No caso de Porto Seguro foram 19.367 novos habitantes que passaram a residir no
município, sendo que os principais fluxos de migrantes foram oriundos do próprio Estado
da Bahia – 13.172 imigrantes intra-estaduais, o correspondente a 68,0% do total. Os
imigrantes provenientes de outras unidades da federação do país (interestaduais)
totalizaram 5.838 pessoas (30,1% do total). Tratando-se dos imigrantes internacionais, um
conjunto de 357 estrangeiros (1,8% do total) fixou residência em Porto Seguro. Ainda que
tenha arrefecido em comparação com a década de 1990, o município continuou
recebendo migrantes em função, sobretudo, da continuidade do desenvolvimento das
atividades turísticas com destaque para os novos empreendimentos surgidos nos distritos
de Arraial D’ajuda e Trancoso.

CPM RT 097/11 60 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

O município de Eunápolis recebeu 12.058 novos migrantes entre 2000 e 2007, sendo que
dois terços (7.797 pessoas ou 66,2% do total) migraram de outros municípios baianos e
um terço (4.045 indivíduos ou 33,5% do total) se deslocaram de outras unidades
federativas. A imigração internacional foi pouco representativa – 34 pessoas, apenas
0,3% do total. A atratividade do município de Eunápolis durante esse período esteve
bastante associada a implantação da unidade fabril da Veracel e todos os outros
empreendimentos direta e indiretamente associados, que impulsionou a economia
municipal e regional.

Imigrantes com 5 anos e mais de idade por categoria segundo os municípios de


residência nos municípios da AID, 2000-2007

CATEGORIAS DE MIGRANTES
MUNICÍPIOS Imigrantes Imigrantes Intra- Imigrantes
Total
Interestaduais estaduais Internacionais
Extremo Sul
Belmonte 394 947 4 1.345
Eunápolis 4.045 7.979 34 12.058
Guaratinga 830 1.133 3 1.966
Itabela 720 2.277 6 3.003
Itagimirim 291 629 1 921
Itapebi 147 476 0 623
Porto Seguro 5.838 13.172 357 19.367
Santa Cruz Cabrália 798 2.455 54 3.307
Litoral Sul
Canavieiras 872 1.506 24 2.402
Mascote 112 729 1 842
Santa Luzia 308 1.282 0 1.590
Sudoeste
Encruzilhada 647 739 0 1.386
Itapetinga 1.956 3.613 18 5.587
Itarantim 508 806 0 1.314
Macarani 548 507 1 1.056
Maiquinique 381 471 0 852
Potiraguá 61 431 0 492
Fonte: IBGE – Microdados da Contagem da População de 2007.

Em Belmonte, os dados da Contagem da População indicavam que 1.345 pessoas


fixaram residência durante o período 2000/2007. Uma proporção de 70,4% dos imigrantes
foi oriunda de municípios da Bahia e 29,3% de outros estados brasileiros.

Seguindo a tendência de Porto Seguro no que diz respeito ao desenvolvimento das


atividades turísticas, o município de Santa Cruz Cabrália também continuou a receber
significativos fluxos de migrantes (3.307 pessoas), sendo que a maior proporção (74,2%)
foi de imigrantes intra-estaduais, seguida pela imigração interestadual (24,1%) e
internacional (1,8% do total).

CPM RT 097/11 61 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

É importante ressaltar que parte da migração associada aos municípios de Belmonte e


Santa Cruz Cabrália está relacionada à implantação da indústria de celulose na região, na
medida em que diversos trabalhadores (e seus familiares) fixaram residência nestes
municípios, inclusive nos povoados de Barrolândia e Ponto Central que se localizam
próximos à unidade fabril. O mesmo pode se dizer de Porto Seguro que também passou a
ser local de residência de muitos trabalhadores que vieram de outras regiões da Bahia e
de outros estados do país.

Distribuição % dos Imigrantes com 5 anos e mais de idade por categoria, segundo os
municípios de residência - Municípios da AID - 2000-2007

CATEGORIAS DE MIGRANTES
MUNICÍPIOS Imigrantes Imigrantes Intra- Imigrantes
Total
Interestaduais estaduais Internacionais
Extremo Sul
Belmonte 29,3 70,4 0,3 100,0
Eunápolis 33,5 66,2 0,3 100,0
Guaratinga 42,2 57,6 0,2 100,0
Itabela 24,0 75,8 0,2 100,0
Itagimirim 31,6 68,3 0,1 100,0
Itapebi 23,6 76,4 - 100,0
Porto Seguro 30,1 68,0 1,8 100,0
Santa Cruz Cabrália 24,1 74,2 1,6 100,0
Litoral Sul
Canavieiras 36,3 62,7 1,0 100,0
Mascote 13,3 86,6 0,1 100,0
Santa Luzia 19,4 80,6 - 100,0
Sudoeste
Encruzilhada 46,7 53,3 - 100,0
Itapetinga 35,0 64,7 0,3 100,0
Itarantim 38,7 61,3 - 100,0
Macarani 51,9 48,0 0,1 100,0
Maiquinique 44,7 55,3 - 100,0
Potiraguá 12,4 87,6 - 100,0
Fonte: IBGE – Microdados da Contagem da População 2007.

Tratando-se dos municípios da região Sudoeste o destaque na absorção de imigrantes


ficava por conta de Itapetinga por conta da sua centralidade. Entre 2000 e 2007 um
contingente de 5.587 pessoas fixou residência no município, sendo que 64,7% dos
imigrantes residiam anteriormente em outras áreas do Estado da Bahia enquanto que
35,0% moravam em outros estados.

Diante da magnitude e importância dos fluxos imigratórios nos municípios de Eunápolis e


Porto Seguro, serão analisados a seguir - com base nos microdados da Contagem da
População 2007 – os principais locais de origem dos imigrantes que fixaram residência
nesses dois municípios.

CPM RT 097/11 62 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

No âmbito da imigração interestadual, as informações apontam que os estados da região


Sudeste eram os grandes emissores de migrantes, respondendo por cerca de 85,0% da
imigração interestadual para Eunápolis e por 78,0% no caso de Porto Seguro. Os estados
de São Paulo e Minas Gerais eram responsáveis por mais da metade (56,0%) da
imigração entre 2000 e 2007.

Imigrantes interestaduais com 5 anos e mais de idade por Unidade da Federação de


origem, que fixaram residência nos municípios de Eunápolis e Porto Seguro - 2000-2007

Eunápolis Porto Seguro


UF de Origem Número de % UF de Origem Número de %
Imigrantes Imigrantes
São Paulo 1.236 30,6 São Paulo 1.968 33,7
Minas Gerais 1.042 25,8 Minas Gerais 1.303 22,3
Espírito Santo 954 23,6 Espírito Santo 722 12,4
Rio de Janeiro 199 4,9 Rio de Janeiro 557 9,5
Pará 153 3,8 Rio Grande do Sul 150 2,6
Pernambuco 47 1,2 Goiás 135 2,3
Paraná 45 1,1 Paraná 126 2,2
Distrito Federal 39 1,0 Distrito Federal 119 2,0
Rondônia 38 0,9 Pará 110 1,9
Alagoas 38 0,9 Rondônia 76 1,3
Ceará 35 0,9 Sergipe 76 1,3
Rio Grande do Sul 31 0,8 Pernambuco 75 1,3
Outras UFs 188 4,6 Outras UFs 421 7,2
Total 4.045 100,0 Total 5.838 100,0
Fonte: IBGE – Microdados da Contagem da População 2007.

Acerca dos principais municípios emissores de imigrantes interestaduais para Eunápolis,


se destacavam São Paulo (659 pessoas), Belo Horizonte (271), Vitória (242) e Salto da
Divisa/MG (153 indivíduos). Em Porto Seguro, os imigrantes de outros estados eram
predominantemente oriundos de São Paulo (1.108 pessoas), Belo Horizonte (431), Rio de
Janeiro (382) e Vitória (250).

Já se considerando as correntes imigratórias intraestaduais os dados evidenciam que


Eunápolis recebeu 1.359 migrantes oriundos de Porto Seguro – o equivalente a 17,0% da
imigração interna. Em seguida, figuravam pessoas anteriormente residentes em
Guaratinga (680 ou 8,5%), Itabuna (565), Teixeira de Freitas (454) e Salvador (391).

Em Porto Seguro, os imigrantes de outros municípios baianos eram predominantemente


provenientes de Eunápolis – 2.070 pessoas ou 15,7% do total, de Camacan (940
indivíduos ou 7,1%), Itabela (859), Itabuna (732), Itamaraju (612) e Salvador (611).

CPM RT 097/11 63 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Diante disso, pode-se entender que em relação à migração interna os fluxos imigratórios
para Eunápolis e Porto Seguro entre 2000 e 2007 foram principalmente vindos dos
municípios da própria região Extremo Sul, seguido por outros provenientes de municípios
localizados no Litoral Sul e pela capital baiana.

Imigrantes intraestaduais com 5 anos e mais de idade por município de origem, que
fixaram residência nos municípios de Eunápolis e Porto Seguro - 2000-2007.

Eunápolis Porto Seguro


Município Número de % Município Número de %
de Origem Imigrantes de Origem Imigrantes
Porto Seguro 1.359 17,0 Eunápolis 2.070 15,7
Guaratinga 680 8,5 Camacan 940 7,1
Itabuna 565 7,1 Itabela 859 6,5
Teixeira de Freitas 454 5,7 Itabuna 732 5,6
Itamaraju 416 5,2 Itamaraju 612 4,6
Salvador 391 4,9 Salvador 611 4,6
Itabela 359 4,5 Guaratinga 562 4,3
Belmonte 349 4,4 Ilhéus 517 3,9
Camacan 290 3,6 Mascote 503 3,8
Mascote 242 3,0 Santa Cruz Cabrália 376 2,9
Itapebi 216 2,7 Teixeira de Freitas 374 2,8
Santa Cruz Cabrália 215 2,7 Canavieiras 312 2,4
Canavieiras 210 2,6 Belmonte 308 2,3
Ilhéus 195 2,4 Santa Luzia 250 1,9
Itagimirim 192 2,4 Pau Brasil 205 1,6
Vitória da Conquista 126 1,6 Una 196 1,5
Pau Brasil 94 1,2 Arataca 164 1,2
Potiraguá 82 1,0 Vitória da Conquista 140 1,1
Outros municípios 1.544 19,4 Outros municípios 3.441 26,1
Total 7.979 100,0 Total 13.172 100,0
Fonte: IBGE – Microdados da Contagem da População 2007.

Os Serviços Públicos na área influenciada pelo projeto Educação

Vamos conhecer agora o sistema educacional da região, a partir da infraestrutura


implantada, cursos oferecidos e análise dos indicadores disponíveis acerca do
funcionamento e medição da qualidade do ensino ofertado na Área de Influência Direta do
empreendimento da Veracel (AID).

CPM RT 097/11 64 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Índice de alfabetização por faixa etária

A taxa de alfabetização por faixa etária leva em conta a população com faixa etária de 5 a
9 anos de idade, muito embora, para efeito do presente estudo, seja mais importante os
segmentos que estão aptos a ingressar no mercado de trabalho ou próximo disso, isto é,
a partir dos 15 anos.

De forma geral é possível afirmar que os segmentos etários de mais elevada taxa de
alfabetização são aqueles compreendidos entre 10 e 24 anos, ou seja, de 10 a 14, de 15
a 19 e de 20 a 24 anos, sendo que os municípios de Itapetinga e Eunápolis apresentam
os melhores desempenhos, com taxas de 95,14% e 94,35% respectivamente, no
segmento etário de 15 a 19 anos.

Por outro lado, é possível observar que os segmentos etários a partir de 55 anos, em
especial de 70 e mais anos, têm taxas de alfabetização menores, a exemplo do município
de Encruzilhada, que apresenta taxa de 16,62% de alfabetização do segmento etário de
70 e mais anos.

É importante salientar que os segmentos etários de maior inserção no mercado de


trabalho, que compreende o intervalo entre 20 e 44 anos de idade, em geral apresentam
taxas de alfabetização acima de 50,0%.

Taxa de analfabetismo da população residente de 10 anos e mais

Numa comparação direta com a taxa de analfabetismo geral do estado da Bahia


(21,64%), verifica-se que apenas os municípios de Eunápolis (18,68%), Itapetinga
(19,88%) e Porto Seguro (17,42%) têm taxas de analfabetismo menores que a taxa média
do estado da Bahia. Dessa maneira, percebe-se que todos os demais municípios têm
taxas de analfabetismo mais elevadas e, em alguns casos, como Encruzilhada (38,55%),
Guaratinga (35,78%), Itapebi (34,04%), Macarani (32,68%), Mascote (33,06%), Potiraguá
(32,93%) e Santa Luzia (32,38%) estão muito acima e situam-se em torno de 1/3 da
população desses municípios. Cabe ainda destacar que o município de Santa Cruz
Cabrália (22,22%) tem uma taxa muito próxima da média do Estado da Bahia.

No que se refere à taxa de analfabetismo da população urbana, nota-se que apenas os


municípios de Porto Seguro (13,93%) e Santa Cruz Cabrália têm taxas menores que a
média do estado da Bahia, que é de 14,78%. O conjunto de municípios da AID que tem
taxa de analfabetismo rural menor que a média do estado de Bahia (36,32%) é maior,
uma vez que neste estão incluídos sete municípios, a exemplo de Itabela (34,38%),
Itapetinga (34,63%), Itarantim (33,28%), Maiquinique (36,12%), Porto Seguro (35,90%),
Santa Cruz Cabrália (33,54%) e Santa Luzia (35,66%).

CPM RT 097/11 65 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

No entanto, os municípios como Itapebi (47,82%), Mascote (44,53%), Itagimirim (44,36%)


e Macarani (42,95%) estão bem acima da média do Estado.

A rede de ensino existente nos 17 municípios que compõem a AID, de acordo com
informações do Ministério da Educação e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas
Anísio Teixeira – INEP, conta com um total de 1.115 estabelecimentos de ensino, sendo
411 de ensino infantil, o que representa 36,86% do total, 643 estabelecimentos de ensino
fundamental (57,67%) e 61 estabelecimentos de ensino médio (5,47%).

No que diz respeito ao número de alunos matriculados, verifica-se que a rede de ensino
da AID abriga 158.826 alunos, com maior concentração no ensino fundamental (69,62%),
o ensino médio aparece em seguida com 16,22% dos alunos matriculados e o ensino
infantil responde por 14,16% das matrículas.

Em relação aos docentes que atuam na rede de ensino da área, verifica-se que perfazem
um total de 6.657, com maior concentração no ensino fundamental (68,21%). No ensino
médio são 1.128 docentes (16,94%), e no ensino infantil, 988 docentes, o que representa
14,84% do total de docentes em atuação na AID.

Número total de estabelecimentos, matrículas e docentes por curso no ano de 2008 - Municípios
da AID

CURSOS ESTABELECIMENTOS % MATRÍCULAS % DOCENTES %


Infantil 411 36,86 22.487 14,16 988 14,84
Fundamental 643 57,67 110.573 69,62 4.541 68,21
Médio 61 5,47 25.766 16,22 1.128 16,94
TOTAL 1.115 100,00 158.826 100,00 6.657 100,00
Fonte: MEC/INEP/SEC - 2008.

No conjunto dos municípios em estudo verifica-se que Porto Seguro, localizado na região
Extremo Sul, é aquele que tem o maior número de estabelecimentos de ensino que
oferecem educação infantil. O município conta com 75 estabelecimentos do total de 411
da rede de estabelecimentos de ensino infantil, o que perfaz 18,25% do total. Os
municípios de Canavieiras e Eunápolis, localizados na região Sul e Extremo Sul
respectivamente, também têm importantes participações, o primeiro com 14,84% e o
segundo com 10,46% dos estabelecimentos de educação infantil existentes na AID. No
âmbito dos municípios da região Sudoeste, apenas Itapetinga tem participação importante
no contexto da educação infantil, uma vez que conta com 9,25% dos estabelecimentos
existentes no conjunto dos 17 municípios da AID.

Em relação ao número de alunos matriculados, percebe-se que Eunápolis tem 4.062


estudantes de ensino infantil, perfazendo 18,06% dos alunos matriculados no conjunto da
área. Porto Seguro com 17,59% de participação e 3.955 alunos de ensino infantil aparece
logo a seguir. Itapetinga com participação de 12,68% e total de 2.851 alunos matriculados
vem em seguida.

CPM RT 097/11 66 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

No que diz respeito ao número de docentes do ensino infantil, verifica-se que Eunápolis
também tem maior participação com 189 docentes (19,13%). Porto Seguro, também no
Extremo Sul, tem 16,50% de participação, com um total de 163 docentes no ensino
infantil. Itapetinga no Sudoeste (9,31%) e Canavieiras no Litoral Sul com 8,70% também
têm importantes participações no contexto do número de docentes na educação infantil.

No âmbito do ensino fundamental, verifica-se que a área conta com 643


estabelecimentos. Destes, 113 estão em Porto Seguro, que tem participação de 17,57%.
Canavieiras, localizado na região Litoral Sul, tem participação de 10,26% e Eunápolis,
com 59 estabelecimentos, abrange com 9,18% do total.

O quadro se modifica em relação ao número de alunos matriculados, uma vez que


Eunápolis assume a segunda posição, com 17,34% de participação e 19.174 alunos
matriculados, ficando Itapetinga com a terceira posição (10,94%). Também em número de
alunos matriculados, o município de Porto Seguro ocupa a primeira posição no conjunto
de municípios da AID, com 24.489 estudantes do ensino fundamental e 22,15% de
participação.

Quanto ao número de docentes, verifica-se que Porto Seguro mantém o maior quadro
com 804 professores e participação de 17,71%. Eunápolis aparece logo a seguir com 771
docentes (16,98%) e Itapetinga tem 416 professores e participação de 9,16%. Em
contrapartida, Maiquinique, com apenas 88 docentes, tem o menor em atuação no ensino
fundamental, apresentando uma participação de 1,94% no conjunto dos municípios da
AID.

O ensino médio apresenta a menor rede de estabelecimentos em relação aos demais


níveis de ensino – infantil e fundamental, congregando 61 estabelecimentos. Em relação à
distribuição por município, verifica-se que Porto Seguro agrega 26,23%, Eunápolis
22,95% e Itapetinga 13,11% perfazendo, os três, 62,29% do total de estabelecimentos de
nível médio da área. Por outro lado, percebe-se que em municípios como Encruzilhada,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itarantim, Maiquinique e Macarani, o ensino médio conta
com apenas um estabelecimento.

No que concerne ao número de alunos matriculados, verifica-se que Porto Seguro tem
6.185 alunos matriculados (24,00%), Eunápolis 4.348 (16,87%) e Itapetinga 2.989
(11,60%). Também em relação ao número de alunos, esses três municípios concentram
mais de 52,47% das matrículas.

Com 57,62% do número de docentes, os municípios de Eunápolis, Porto Seguro e


Itapetinga são os principais empregadores de professores na AID.

Os municípios de Eunápolis (5,21) e Itapetinga (4,91) são os únicos municípios da AID


que têm médias de anos de estudo da população de 10 anos ou mais de idade acima
daquela apresentada pelo conjunto do estado da Bahia (4,88).

CPM RT 097/11 67 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

No sentido oposto aparecem os municípios de Encruzilhada (2,73), Guaratinga (3,05),


Itapebi (3,22), Mascote (3,25), Macarani (3,27) e Maiquinique (3,39) de média de anos de
estudo da população de 10 anos ou mais.

Taxa de analfabetismo da população de 15 anos ou mais

Define-se esta taxa como sendo a porcentagem de pessoas com 15 anos e mais,
residentes em determinado espaço geográfico, que não sabem ler nem escrever pelo
menos um bilhete simples no idioma que conhecem, em relação à população residente
com a mesma faixa etária. A taxa de analfabetismo geralmente é utilizada como um dos
indicadores de avaliação da situação de desenvolvimento socioeconômico da população
em seu aspecto educacional, sendo que essa faixa etária (população de 15 anos ou mais)
coincide com a População em Idade Ativa – PIA, daí ser um fator essencial na
determinação do grau de escolarização da população que pode ser utilizada como mão-
de-obra no contexto estudado.

Ensino Fundamental

Taxas de Aprovação

A caracterização do sistema de ensino fundamental regional com base nos indicadores de


aprovação, reprovação e abandono aponta para determinados atributos e peculiaridades
dos municípios que compõem a AID.

Inicialmente, com base nos atributos, é possível dividir os municípios analisados em dois
grupos principais. O primeiro diz respeito aos seis municípios que no período analisado
apresentaram taxa de aprovação mais elevada que a média do Estado da Bahia (66,2%).
Este grupo é composto pelos municípios de Belmonte (69,0%), Encruzilhada (68,0%),
Eunápolis (69,9%), Guaratinga (74,4%), Porto Seguro (71,6%) e Santa Cruz Cabrália
(74,0%). O segundo grupo é mais extenso e formado pelos municípios que têm taxa de
aprovação menor que a média do Estado da Bahia, a exemplo de Canavieiras (61,7%)
Itabela (57,4%), Itagimirim (53,0%), Itapebi (55,9%), Itarantim (49,9%), Macarani (65,4%),
Maiquinique (26,0%), Mascote (58,7%), Potiraguá (56,9%) e Santa Luzia (59,9%).

A peculiaridade fica por conta do município de Itapetinga, que tem taxa igual àquela
registrada pela média do Estado da Bahia. Cabe ainda ressaltar o fraco desempenho do
município de Maiquinique, com uma taxa de aprovação da ordem de 26,0%, muito aquém
da média do estado e também das taxas registradas pelos municípios da AID.

CPM RT 097/11 68 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Taxas de Reprovação

As taxas de reprovação no ensino fundamental revelam um desempenho do conjunto de


municípios da AID melhor que a média do Estado da Bahia (18,9%). Verifica-se que
apenas três municípios – Canavieiras (23,1%), Itapetinga (19,7%) e Itarantim (23,6%),
têm taxa de reprovação maior que a média o estado. Todos os demais 14 municípios têm
taxa de reprovação abaixo da média do estado. Inclusive é possível destacar os
municípios de Macarani, que apresentou uma taxa de reprovação de 8,70%, portanto
abaixo da metade daquela apresentada pelo conjunto do estado da Bahia. Também em
municípios como Santa Cruz Cabrália (9,70%) e Guaratinga (11,1%) a taxa de reprovação
destoa bastante daquela apresentada pelo conjunto do estado da Bahia.

Taxas de Abandono Escolar

O maior problema enfrentado pelo sistema de ensino fundamental na AID configura-se


como sendo o abandono escolar. Em relação a essa taxa, verifica-se que 12 dos 17
municípios têm taxas mais elevadas que a média do Estado da Bahia (14,9%). Apenas
nos municípios de Belmonte (13,4%), Eunápolis (14,7%), Guaratinga (14,5%), Itapetinga
(14,1%) e Porto Seguro (10,5%) as taxas de abandono são menos elevadas que a média
do estado da Bahia. Porto Seguro, portanto, se apresenta como o grande destaque
positivo em relação à taxa de abandono. No lado oposto é possível identificar o município
de Maiquinique (55,2%) como exemplo negativo. Itagimirim com 30,3% também tem um
péssimo desempenho no item referente ao abandono escolar.

É possível relacionar o melhor desempenho do município de Porto Seguro à existência de


uma rede de ensino fundamental melhor estruturada, como também às possibilidades de
acesso ao mercado de trabalho em funções tipicamente urbanas e que exigem melhor
qualificação. Esse fato pode ser observado também em municípios como Eunápolis e
Itapetinga.

Ensino Médio

Taxas de Aprovação

No ensino médio a realidade é um tanto quanto diversa daquela diagnosticada no ensino


fundamental. A começar pelas taxas de aprovação que são mais elevadas no conjunto da
AID, como também no contexto do Estado da Bahia (68,9%). Dos 17 municípios que
compõem a AID, verifica-se que nove têm taxa de aprovação menor que a média do
estado da Bahia. No subconjunto de municípios com taxa de aprovação mais elevada que
a média do estado, verifica-se que estão todos acima de 72% e que em alguns superam
os 80%, a exemplo de Encruzilhada (81,7%), Macarani (85,3%), Mascote (85,4%) e
Potiraguá (88,2%). Contudo, a taxa de aprovação no município de Maiquinique (33,9%)
destoa do conjunto dos municípios da AID e fica muito abaixo da taxa média de
aprovação do Estado da Bahia.

CPM RT 097/11 69 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Taxas de Reprovação e de Abandono

Em relação à reprovação no ensino médio, verifica-se que existe uma série de municípios
com taxas inferiores à média do estado da Bahia (10,2%), a exemplo de Encruzilhada
1,7%, Eunápolis (7,6%), Itabela (4,1%), Itagimirim (0,8%), Itapebi (3,4%), Macarani
(1,8%), Mascote (3,0%), Potiraguá (0,3%), Santa Cruz Cabrália (1,8%) e Santa Luzia
(9,6%). Entretanto, percebe-se que em muitos casos essa taxa menor vem acompanhada
de baixa taxa de aprovação e de elevadas taxas de abandono, como no município de
Maiquinique, em que a taxa de abandono no ensino médio no ano de 2005 atingiu
incríveis 65,8%. Em Santa Cruz Cabrália a taxa de abandono também é bastante elevada
(33,6%)..

Cursos Profissionalizantes

A AIDs conta com duas instituições de ensino que ministram cursos profissionalizantes.
Os cursos profissionalizantes oferecidos por essas instituições têm como pré-requisitos
para acesso a conclusão do ensino fundamental para acesso aos cursos integrados e
término do ensino médio para ingresso nos chamados cursos subseqüentes.

PROEJA

Serão oferecidas 120 vagas para o curso de Produção de Alimentos no PROEJA


(Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na
Modalidade de Educação de Jovens e Adultos). O público-alvo do curso são jovens e
adultos que tenham completado a 4ª série do Ensino Fundamental I e queiram concluir o
Ensino Fundamental (5ª a 8ª série) com Educação Profissional e que tenham 18 (dezoito)
anos completos no ato da inscrição.

Ensino superior

De acordo com informações do Ministério da Educação, na AID existem quatro municípios


que contam com instituições que ministram cursos de nível superior presencial: Eunápolis,
Itapetinga, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália

Disponibilidade de transporte escolar

Os municípios devem fornecer, de forma obrigatória, transporte escolar aos alunos do


ensino infantil e classes de alfabetização, bem como do ensino fundamental, quando este
for necessário ao acesso dos mesmos aos estabelecimentos de ensino, notadamente no
deslocamento das localidades rurais, quase sempre carentes ou desprovidas de
transporte coletivo, além das carências socioeconômicas da população da AID.

CPM RT 097/11 70 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Na região, a precariedade do transporte escolar tem contribuído de forma decisiva para a


dificuldade de acesso dos jovens em idade escolar, ao tempo em que reforça os
elementos condicionadores do processo de evasão escolar, significativamente elevado
em alguns municípios da AID.

Saúde pública

Indicadores de morbimortalidade

Os indicadores de mortalidade revelam certa variação entre os municípios que compõem


a Área de Influência Direta do empreendimento (AID) da Veracel, variando de 2,3 por
1.000 habitantes no município de Guaratinga a 6,4 por 1.000 habitantes em Itapetinga em
2008. Em municípios como Eunápolis e Porto Seguro, que em números absolutos
apresentam a maior quantidade de óbitos, esse indicador atinge 5,4 óbitos por 1.000
habitantes em Eunápolis e 4,5 em Porto Seguro.

No item referente ao percentual de mortes por causas mal definidas, verifica-se que o
município de Encruzilhada é aquele que apresenta o pior indicador com 44,3% do total de
óbitos enquadrado nessa categoria. No outro extremo encontra-se o município de
Eunápolis com 1,5%. Entre os municípios com rede de saúde mais estruturada, Eunápolis
apresenta um indicador de 1,5% dos óbitos por causas mal definidas, Porto Seguro 11,8%
e Itapetinga obtém o pior resultado, com 25,8% dos óbitos enquadrados nessa categoria.

No que diz respeito ao Coeficiente de Mortalidade Infantil Proporcional, que indica o


percentual de mortes infantis em relação ao total de mortes, verifica-se que há uma
variação de 2,1% em Canavieiras para 12,1% em Maiquinique. Com respeito ao
percentual de mortes infantis por causas mal definidas, nota-se que o município de
Potiraguá apresenta o mais elevado percentual, com 50,0%.

Em relação ao importante indicador que revela o Índice de Mortalidade Infantil por 1.000
nascidos vivos, o município de Canavieiras é aquele mais bem situado, com 6,1 óbitos por
1.000 nascidos vivos, seguido de Itarantim, que tem 7,9 óbitos por 1000 nascidos vivos.

Nota-se que no conjunto de municípios há uma tendência à existência de taxas de


mortalidade infantil abaixo das metas definidas pelas Nações Unidas. Entretanto, vale
ressaltar ainda que a taxa de mortalidade infantil observada no município de Santa Luzia
(37,9), na região Litoral Sul, está acima da meta de 33 por 1000 nascidos vivos,
estipulada pela Cúpula Mundial das Nações Unidas pela Criança para o ano 2000.

De acordo com informações da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (SESAB) para o


ano de 2008, as principais causas de óbitos são as doenças do aparelho circulatório, cuja
expressão se apresenta de forma diferenciada no conjunto de municípios da AID,
variando de 41,84%, no município de Belmonte, a 11,94%, no município de Santa Luzia,
em relação ao total de óbitos. Entretanto, verifica-se que também em municípios
importantes, como Eunápolis (33,21%) e Porto Seguro (18,60%), as doenças do aparelho
circulatório ganham importante expressão.
CPM RT 097/11 71 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

As causas externas de morbidade e mortalidade aparecem como o segundo motivador de


óbito no conjunto dos municípios da AID. Em Porto Seguro atinge 31,49% do número de
total de óbitos, e em Eunápolis chega a 18,98%. O município de Porto Seguro é o que
apresenta maior percentual.

Outro elemento que se apresenta como importante indicador da qualidade dos serviços
disponibilizados, e efetivamente prestados pela rede de saúde pública na AID, está
relacionado ao percentual de óbitos por causas mal definidas, que em Encruzilhada, na
região sudoeste, chega a 44,32% o que demonstra a fragilidade do sistema de saúde
local. No Litoral Sul, os óbitos por causas mal definidas atingem 36,73% no município de
Mascote e 35,82% em Santa Luzia, em Itapetinga 25,83%. No sentido oposto, verifica-se
que em Eunápolis, localizado na região Extremo Sul, atinge apenas 1,52% do total de
óbitos e em Maiquinique, na região Sudoeste, 3,03%.

São apresentadas a seguir as informações da Secretaria de Saúde para os casos


notificados (número e coeficiente de incidência por 100.000 hab.) de algumas doenças de
notificação obrigatória, para os anos de 2008 e 2009.

Essas informações da Secretaria Estadual de Saúde dão conta da existência da dengue


como uma enfermidade de alta prevalência no contexto dos municípios da área. Foram
1.957 casos de dengue no ano de 2008, número que aumentou para 9.114 casos no ano
de 2009. Superou o número da ocorrência de esquistossomose, que era o agravo de
maior prevalência nos anos anteriores.

Em municípios como Eunápolis, Itapetinga, Porto Seguro, Itarantim e Guaratinga a


ocorrência de dengue é bastante elevada. Em Eunápolis, houve um considerável aumento
de 2008 para 2009, quando a doença passou de 357 casos, com coeficiente de incidência
por 100.000 habitantes da ordem de 363,6, para 2.384 casos em 2009 e coeficiente de
incidência de 2.394,7 por 100.000 habitantes. O município com número mais elevado de
casos na AID no período analisado foi Porto Seguro, que em 2008 registrou 932, com um
coeficiente de incidência de 773,7 por 100.000 habitantes em 2008, enquanto que em
2009 foram registrados 3.119 casos, com um coeficiente de incidência de 2.596,5 por
100.000 habitantes.

Em Itapetinga, o coeficiente de incidência de dengue atingiu 421,8 por 100.000 habitantes


no ano de 2008, mas experimentou um considerável aumento em 2009, evoluindo para
1.668,0 por 100.000 habitantes. No município de Maiquinique, o único da AID onde não
houve registro da doença em 2008, em 2009 foram notificados 241 casos, com coeficiente
de incidência de 2.723,8 por 100.000 habitantes.

O município de Itarantim apresentou 7 casos em 2008 e coeficiente de incidência de 38,3


por 100.000 habitantes e passou para 526 casos e coeficiente de 2.862,6 no ano de 2009,
o mais alto coeficiente em toda a AID. Um dado positivo que chama bastante atenção são
os registros relacionados à varicela, popularmente conhecida como catapora. Em grande
parte dos municípios no ano de 2008 e no ano seguinte não houve registro da doença.

CPM RT 097/11 72 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Os acidentes com animais peçonhentos, a tuberculose e o atendimento antirrábico,


perpassam de forma marcante todos os municípios da AID. Existem outros agravos à
saúde que se apresentam de forma mais intensa em determinados municípios, estando
mais diretamente relacionados às suas estruturas ambiental, sociocultural e econômica.

Com exceção do município de Maiquinique, foram registrados casos de meningite em


todos os demais municípios no período estudado. Os acidentes com animais
peçonhentos, diretamente relacionados à natureza das atividades econômicas da área,
predominantemente agrosilvopastoris, atingem todos os municípios e configuram-se como
importante elemento a ser analisado no contexto de cada município e na AID como um
todo.

Como é a infraestrutura e os serviços do sistema de saúde na AID?

Na maioria dos municípios da AID os estabelecimentos de saúde estão voltados ao


atendimento relacionado à atenção básica, com isso, os atendimentos com maior
complexidade são direcionados para os municípios de Eunápolis, Porto Seguro e
Itapetinga. Já os municípios fora da AID, a exemplo de Teixeira de Freitas, Ilhéus,
Itabuna, Vitória da Conquista e até Salvador são considerados como referências para os
atendimentos de maiores complexidades.

Cerca de 35,48% dos estabelecimentos de saúde são representados por consultórios


isolados (sala isolada destinada à prestação de assistência médica ou odontológica ou de
outros profissionais de saúde de nível superior). Outros 27,26 % são centros de saúde
/unidades básicas de saúde. Os pólos referenciais de atendimento, que são Porto Seguro
e Eunápolis, contam com atendimento de Unidades Móveis de Atendimento. Os
municípios de Eunápolis e Porto Seguro respondem por quase metade (49,35%) dos
estabelecimentos de saúde existentes na AID.

Segundo informações coletadas em campo para este trabalho (base do SAMU / Porto
Seguro), está em andamento um processo de regionalização, que abrange os municípios
de Belmonte e Santa Cruz Cabrália, o que inclui a disponibilização de uma ambulância
para cada município e mais uma para Porto Seguro, que hoje conta com uma ambulância
avançada e duas básicas, totalizando quatro ambulâncias para o município.

CPM RT 097/11 73 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Tipos de estabelecimentos de saúde da AID – 2010

Estabelecimentos Nº %
Centro de saúde/unidade básica de saúde 169 27,26
Central de regulação de serviços de saúde 11 1,77
Centro de Atenção Psicossocial 13 2,10
Clinica especializada/ambulatório especializado 68 10,97
Consultório isolado 220 35,48
Centro de Apoio a Saúde da Família 1 0,16
Farmácia Medic Excepcional e Prog Farmácia Popular 1 0,16
Hospital Dia 2 0,32
Hospital especializado 2 0,32
Hospital geral 20 3,23
Policlínica 14 2,26
Posto de Saúde 25 4,03
Pronto socorro geral 3 0,48
Policlínica 14 2,26
Unidade de Atenção à Saúde Indígena 2 0,32
Unidade de serviço de apoio de diagnose e terapia 48 7,74
Unidade de vigilância em saúde 16 2,58
Unid Mista - atend 24h: atenção básica, intern/urg 2 0,32
Unidade móvel de nível pré -hosp-urgência/emergência 2 0,32
Unidade móvel terrestre 1 0,16
TOTAL 620 100,00
Fonte: Ministério da Saúde - Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde do Brasil
CNES -2010.

CPM RT 097/11 74 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Número de estabelecimentos de saúde por município da AID – 2010

Municípios Nº %
Belmonte 20 3,23
Canavieiras 31 5,00
Encruzilhada 16 2,58
Eunápolis 143 23,06
Guaratinga 14 2,26
Itabela 24 3,87
Itagimirim 7 1,13
Itapebi 12 1,94
Itapetinga 98 15,81
Itarantim 24 3,87
Macarani 17 2,74
Maiquinique 5 0,81
Mascote 7 1,13
Porto Seguro 163 26,29
Potiraguá 10 1,61
Santa Cruz Cabrália 20 3,23
Santa Luzia 9 1,45
TOTAL 620 100,00
Fonte: Ministério da Saúde - Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde do Brasil
CNES -2010.

Nos municípios da AID são os seguintes percentuais dos estabelecimentos de saúde que
estão voltados para atendimento básico, que são Centros de Saúde / Unidade de Saúde:
Belmonte 40,00%, Canavieiras 41,94%, Encruzilhada 56,25%, Guaratinga 50,00%, Itabela
41,67%, Itagimirim 42,36%, Itapebi 33,33%.

No município de Eunápolis 41,96% dos estabelecimentos são consultórios isolados,


17,48% são clínicas especializadas/ambulatório especializados.

CPM RT 097/11 75 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Tipos de estabelecimentos de saúde por município da AID - 2010.

MUNICÍPIOS
Estabelecimentos
Belmonte Canavieiras Encruzilhada Eunápolis Guaratinga Itabela Itagimirim Itapebi
Centro de saúde/unidade
8 13 9 24 7 10 3 4
básica de saúde
Centro de Apoio a Saúde da
1 - - - - - - -
Família
Central de regulação de
- - - 1 2 1 1 1
serviços de saúde
Clinica
especializada/ambulatório - 4 - 25 - 4 - 1
especializado
Consultório isolado 3 7 3 60 - 1 1 1
Centro de Atenção
1 1 1 3 - 1 - -
Psicossocial
Farmácia Medic Excepcional e
- - - 1 - - - -
Prog Farmácia Popular
Hospital especializado - - - 1 - - - -
Hospital Dia - - - - - - - 1
Hospital geral 2 1 1 4 1 1 1 -
Policlínica - 1 - 6 - 2 - -
Posto de Saúde 1 - 1 - 3 - - 2
Pronto Socorro Geral 1 - - - - - - -
Unidade de serviço de apoio
2 2 - 15 - 3 - 1
de diagnose e terapia
Unidade de vigilância em
saúde 1 1 1 2 1 1 1 1
Unid Mista - atend 24h:
atenção básica, intern/urg - 1 - - - - - -
Unidade móvel de nível pré -
hosp-urgência/emergência - - - 1 - - - -
Total 20 31 16 143 14 24 7 12
Fonte: Ministério da Saúde - Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde do Brasil - CNES -2010.

No município de Itapetinga observa-se que 44,90% dos estabelecimentos de saúde são


consultórios isolados, seguidos de 18,37% de clinicas especializadas/ambulatórios
especializados. Em Itarantim, 58,33% dos estabelecimentos são postos de saúde e
centros de saúde/unidade básica de saúde. Em Macarani 29,41% são centros de
saúde/unidade básica de saúde, 23,53% consultório isolado.

O município de Maiquinique é o que conta com o menor número de estabelecimentos de


saúde da AID - 5 (0,81%). Sendo que 40% são centros de saúde/unidade básica de
saúde. No município de Mascote 100% são centros de saúde/unidade básica de saúde e
postos de saúde. Quando se necessita de atendimento com maior nível de especialização
os pacientes são encaminhados para Camacan ou Itabuna. O município de Mascote tem
pacto com os dois municípios, para onde os casos mais graves são encaminhados.

CPM RT 097/11 76 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Em Porto Seguro, 52,76% dos estabelecimentos de saúde são consultórios isolados,


31,29 % são centros são centros de saúde/unidade básica de saúde e postos de saúde.
Nos municípios de Potiraguá e Santa Cruz Cabrália 50,00% dos estabelecimentos são
constituídos de centros de saúde/unidade básica de saúde, enquanto que em Santa Luzia
tais estabelecimentos perfazem 55,56% do total.

Estabelecimentos de saúde por município da AID - 2010.

MUNICÍPIOS

Estabelecimentos Santa
Porto Santa
Itapetinga Itarantim Macarani Maiquinique Mascote Potiraguá Cruz
Seguro Luzia
Cabrália
Centro de saúde/unidade
13 6 5 2 6 39 5 10 5
básica de saúde
Centro de Apoio a Saúde
2 - - - - 1 - 2 -
da Família
Central de regulação de
2 - 1 - - 2 - 1 -
serviços de saúde
Clinica
especializada/ambulatório 18 3 1 1 - 8 1 2 -
especializado
Consultório isolado 44 5 4 - - 86 1 3 1
Centro de Atenção
2 1 1 1 - 2 1 1 -
Psicossocial
Farmácia Medic
Excepcional e Prog 1 - - - - - - - -
Farmácia Popular
Hospital especializado 1 - - - - - - - -
Hospital Dia 4 - - - - 1 - - -
Hospital geral 1 8 3 - - 4 1 - 1
Policlínica - - - - - 2 - - -
Posto de Saúde 9 - 1 1 1 12 - - 1
Pronto Socorro Geral 1 1 1 - - 1 1 1 1
Unidade de serviço de
apoio de diagnose e - - - - - 1 - - -
terapia
Unidade de vigilância em
- - - - - 1 - - -
saúde
Unid Mista - atend 24h:
- - - - - 1 - - -
atenção básica, intern/urg
Unidade móvel de nível
pré -hosp- - - - - - 2 - - -
urgência/emergência
Total 98 24 17 5 7 163 10 20 9
Fonte: Ministério da Saúde - Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde do Brasil - CNES -2010.

CPM RT 097/11 77 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Hospitais e leitos hospitalares

De acordo com informações do DATASUS, a rede de hospitais da AID é composta de 21


estabelecimentos, sendo que o município de Eunápolis concentra 19,05% do total,
enquanto que os municípios de Belmonte, Itapetinga e Porto Seguro têm participação de
9,52% cada um. Os demais municípios que contavam com hospitais tinham apenas uma
unidade cada um, com participação de cada município de 4,76%. Ainda de acordo com
informações do DATASUS, em municípios como Mascote e Santa Luzia não existem
hospitais.

Em relação ao número de leitos hospitalares, observa-se que os mesmos somam 1.049,


distribuídos em 15 municípios. Verifica-se também que Eunápolis (26,41%), Itapetinga
(20,88%) e Porto Seguro (12,39%) também lideram o ranking de municípios da AID
quanto ao assunto.

Foram inauguradas no mês de julho de 2010 as novas instalações do Hospital Regional


de Eunápolis (HRE), após investimentos de R$ 4 milhões na reforma e ampliação da
unidade e mais R$ 1,2 milhão na aquisição de equipamentos modernos. Os investimentos
foram feitos pelo estado da Bahia e pela Veracel.

O HRE passou a contar com 98 leitos, ganhou mais três salas de cirurgia, uma
maternidade-berçário de alto risco e raios-X de alta resolução. Começa agora a
preparação para a segunda etapa da reforma, que prevê a implantação de 12 leitos de
UTI e uma ala de pediatria.

Número total de hospitais e leitos hospitalares, por município da AID – 2010

MUNICÍPIOS HOSPITAIS % LEITOS %


Belmonte 2 9,52 57 5,43
Canavieiras 1 4,76 95 9,06
Encruzilhada 1 4,76 49 4,67
Eunápolis 4 19,05 277 26,41
Guaratinga 1 4,76 32 3,05
Itabela 1 4,76 39 3,72
Itagimirim 1 4,76 21 2,00
Itapebi 1 4,76 11 1,05
Itapetinga 2 9,52 219 20,88
Itarantim 1 4,76 30 2,86
Macarani 1 4,76 32 3,05
Maiquinique 1 4,76 14 1,33
Mascote - 0,00 - 0,00
Porto Seguro 2 9,52 130 12,39

CPM RT 097/11 78 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Número total de hospitais e leitos hospitalares, por município da AID – 2010.


(Continuação)

MUNICÍPIOS HOSPITAIS % LEITOS %


Potiraguá 1 4,76 21 2,00
Santa Cruz Cabrália 1 4,76 22 2,10
Santa Luzia - 0,00 - 0,00!
TOTAL 21 100,00 1.049 100,00
Fonte: DATASUS - 2010.

A distribuição de leitos hospitalares por especialidades revela que aqueles de clínica


médica são os que aparecem em maior quantidade, representando 29,55% dos leitos
disponibilizados. Em seguida, aparecem os leitos cirúrgicos, com 28,31% de participação.
Os leitos pediátricos (22,21%) e obstétricos (18,88%) também aparecem com destaque
nos municípios de Eunápolis e Santa Cruz Cabrália. Os leitos de outras especialidades
representam 0,48%. Os leitos de hospital/dia só estão disponíveis no município de
Eunápolis e representam 0,57%.

Vale salientar que 15,44% dos leitos não são credenciados ao SUS - Sistema Único de
Saúde. São 10 leitos em Canavieiras, 118 leitos em Eunápolis, 20 leitos em Itapetinga e
14 leitos em Porto Seguro

A distribuição de hospitais e leitos por município e segundo especialidades médicas


aponta para a concentração de hospitais e leitos nos municípios de Eunápolis, Itapetinga
e Porto Seguro. Eunápolis, com 4 hospitais e 277 leitos, aparece como o município com
maior número de leitos. O município de Itapetinga conta com 3 hospitais e 219 leitos e
Porto Seguro, com 2 hospitais e 130 leitos.

No que se refere à relação de leitos de internação por 1000 habitantes, verifica-se que o
município de Itapetinga é aquele que tem a maior disponibilidade, com 3,3 leitos por 1000
habitantes. Em Itagimirim a relação é de 2,9 leitos por 1000 habitantes e em Eunápolis 2,8
por 1000. Verifica-se ainda que em Itagimirim todos os leitos existentes são
disponibilizados para o Sistema Único de Saúde – SUS, o que teoricamente facilita o
acesso da população local.

CPM RT 097/11 79 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Comparação entre os resultados das pesquisas de assistência médico-sanitária de


2005 e 2009

Uma comparação entre os resultados das pesquisas de 2005 e 2009 aponta os seguintes
aspectos, que merecem ser destacados:

ƒ Em primeiro lugar, que houve relevante evolução no número de estabelecimentos de


saúde na AID, uma vez que passou de 227 estabelecimentos em 2005 para 317 em
2009 com evolução da ordem de 39,75%;

ƒ Os estabelecimentos de saúde sob administração das prefeituras passaram de 154


para 196, com incremento da ordem de 27,27%.

ƒ Os estabelecimentos privados passaram de 70 para 116, com acréscimo de 65,71%;

ƒ Observa-se que no período compreendido entre 2005 e 2009 foram implantados 2


estabelecimentos de saúde sob administração do Estado e da União, um para cada
esfera administrativa;

ƒ Os municípios de Eunápolis (21,77%), Porto Seguro (17,98%) e Itapetinga (11,98%) se


mantêm como aqueles que apresentam melhor infraestrutura de saúde no conjunto de
municípios da AID do projeto de ampliação da Veracel;

ƒ A disponibilidade de leitos para internação cresceu apenas 5,92% no período 2005-


2009, tendo passado de 1.047 para 1.091 leitos. Verifica-se que os leitos têm maior
concentração nos municípios de Itapetinga (24,55%), Eunápolis (23,12%) e Porto
Seguro (11,65%), sendo estes responsáveis por 59,32% do total de leitos.

ƒ Verifica-se ainda que o município de Itapetinga assumiu a liderança no número de


leitos ofertados, antes (2005) pertencente ao município de Eunápolis;

ƒ Os leitos de internação sob administração pública, que em 2005 eram 551, caíram para
476 em 2009, enquanto que os leitos administrados pela iniciativa privada passaram de
496 para 633, com aumento de 27,62%;

ƒ Os leitos administrados pela iniciativa privada e conveniados ao Sistema Único de


Saúde – SUS passaram de 416 em 2005 para 563 em 2009, com incremento de
35,33%.

CPM RT 097/11 80 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Programa de Saúde da Família - PSF

Os dados do Sistema de Informações de Atenção Básica – SIAB, revelam a existência de


municípios, a exemplo de Itabela (104,5%) e Potiraguá (107,5%), em que a cobertura do
Programa de Saúde da Família – PSF é superior a 100,00%, fato que pode estar
relacionado à inserção de famílias que vivem nas áreas limítrofes e que terminam por
receber atenção dos serviços prestados pelo município vizinho.

No outro extremo estão os municípios de Maiquinique (38,9%), Encruzilhada (54,8%),


Itapetinga (55,5%) e Itapebi (56,2%). O município de Itagimirim já conta com cobertura de
98,5% da população, no que se refere ao Programa de Saúde da Família – PSF. Em
Itarantim pé de 89,3% e Canavieiras 88,4%. Vale ressaltar que o município de Eunápolis
(69,6%) não tem bom desempenho no que concerne à cobertura do PSF.

Características dos domicílios cobertos pelo Programa de Saúde da Família - PSF

As informações disponibilizadas pelo Ministério da Saúde, através do Sistema de


Informação de Atenção Básica – SIAB, referentes ao mês de dezembro de 2009, dão
conta das condições de existência das famílias atendidas no âmbito do Programa de
Saúde da Família – PSF.

Das 136.130 famílias da AID atendidas pelo PSF, 81,28% dos seus domicílios contam
com serviços de abastecimento de água através de rede de distribuição geral; 82,95%
contam com coleta de lixo; 53,42% contam com rede de esgoto; 37,07% contam com
fossas e 9,51%, que correspondem a 12.943 famílias, lançam o esgoto a céu aberto.

No que se refere à tipologia das habitações, 88,15% contam com casas construídas com
tijolos. Quanto ao consumo de água, 75,53% utilizam água filtrada, enquanto que, vale
salientar, 18.324 famílias consomem água sem tratamento, o que corresponde a 13,50%
das famílias atendidas pelo programa.

De acordo com o SIAB, a cobertura dos serviços de abastecimento de água através de


rede de distribuição geral, o que caracteriza a existência de sistemas de captação,
tratamento e distribuição de água, tem uma variação de 63,08% no município de Santa
Cruz Cabrália a 98,82% no município de Itapetinga. Itapebi com 95,90% e Maiquinique
com 96,09% são exemplos de municípios com cobertura de abastecimento de água
próximo ao ideal.

Se, por um lado, existem municípios com um percentual expressivo de atendimento de


seus domicílios por sistemas de abastecimento de água estruturados - considerando os
que são atendidos pelo PSF, infelizmente esse não é o quadro geral, uma vez que ainda
existem alguns municípios em que o percentual de domicílios abastecidos por água de
poço ou nascentes ainda é expressivo, a exemplo de Santa Cruz Cabrália, em que
35,16% dos domicílios ainda dependem dessa foram de abastecimento de água, fato que
se repete em Santa Luzia (29,81%), Eunápolis (28,34%), Encruzilhada (27,17%) e Itabela
(22,27%).
CPM RT 097/11 81 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

No contexto dos domicílios atendidos pelo Programa de Saúde da Família – PSF verifica-
se que a coleta de lixo ganha sua expressão máxima no município de Itapetinga, no qual
95,28% dos domicílios atendidos pelo PSF contam com coleta de lixo direta. O município
de Itagimirim (93,95%) e Porto Seguro (93,06%) são dois outros exemplos de boa
cobertura por parte dos serviços de limpeza pública. No sentido oposto, em função da
precariedade dos serviços de limpeza e coleta de resíduos sólidos, estão os municípios
de Encruzilhada e Guaratinga, respectivamente com 55,93% e 60,36% dos domicílios
com atendimento de coleta de lixo, o que resulta em 33,45% dos domicílios de Guaratinga
e 26,07% de Encruzilhada, cobertos pelo PSF, fazem a disposição de lixo a céu aberto.
Santa Luzia é outro exemplo negativo, em função de ter 20,18% dos seus domicílios com
disposição a céu aberto.

No que se refere ao atendimento por rede de esgoto, verifica-se que os municípios de


Itapetinga (96,11%) e Itagimirim (86,43%) têm os melhores indicadores de atendimento
dos domicílios cobertos pelo Programa de Saúde da Família. Os municípios de Macarani
(83,79%), Maiquinique (82,17%) e Potiraguá (81,20%) também se apresentam com um
bom desempenho no que se refere aos serviços de esgotamento sanitário por rede geral.

Os municípios de Itabela (3,54%), Itapebi (4,26%) e Encruzilhada (13,46%) são exemplos


da falta de rede geral de coleta de esgoto. No caso de Itabela a situação é menos
preocupante, pois a carência de rede geral é suprida por fossas (89,24%) e apenas 7,22%
dos domicílios atendidos pelo PSF descartam seus efluentes a céu aberto, situação
semelhante àquela encontrada no município de Itapebi, em que 86,67% descartam os
efluentes domésticos em fossas e apenas 9,07% a céu aberto. O caso mais grave é
aquele vivenciado no município de Encruzilhada, onde 27,34% dos domicílios atendidos
pelo PSF vertem seus efluentes a céu aberto.

No que se refere aos padrões construtivos das casas referenciadas pelos domicílios
atendidos pelo PSF, verifica-se que o tijolo aparece como material predominante. O
exemplo mais representativo é o município de Itapetinga, em que 96,97% das casas são
feitas do material supramencionado, fato que se repete de maneira semelhante em
Maiquinique (96,82%), Porto Seguro (95,08%) e Macarani (95,84%). Em relação ao
material construtivo, talvez seja o município de Santa Luzia (53,58%) o único que destoa
do padrão construtivo que utiliza tijolo.

Dentre os demais materiais destacam-se a madeira e taipa. No caso da construção


baseada em madeira destacam-se os municípios de Santa Luzia (44,09%), Mascote
(29,80%), Potiraguá (18,21%), Belmonte (17,87%) e Canavieiras (17,83%). Em relação à
taipa percebe-se que o seu uso, na AID, ocorre em menor escala que a madeira. Itarantim
(8,77%) é o caso mais destacado de uso da taipa, o que somado às habitações de taipa
sem revestimento (4,62%), chega-se a 11,50% dos domicílios atendidos pelo PSF.

CPM RT 097/11 82 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Em relação ao consumo de água tratada (filtrada, fervida, clorada) verifica-se que parcela
significativa utiliza a primeira forma – água filtrada. No município de Maiquinique, os
domicílios que utilizam água filtrada somam 98,07%. Em Itarantim, o percentual atinge
92,60%, em Macarani 91,28%, sendo esses, portanto, os mais significativos em termos de
consumo de água filtrada. Em relação à utilização de água fervida, verifica-se que o
município de Eunápolis é aquele que tem participação mais expressiva (18,17%). No que
se refere à utilização de água clorada, o destaque cabe ao município de Belmonte
(34,65%), seguido de Potiraguá (20,34%) e Santa Luzia (17,11%).

Vale ressaltar que ainda há um número expressivo de domicílios atendidos pelo PSF nos
municípios que compõem a AID que consomem água sem nenhum tratamento. Em
Itabela, os que consomem água sem tratamento representam 27,69%, em Guaratinga
20,76%, em Canavieiras 16,68%, em Santa Luzia 16,62%, em Itagimirim 16,42% e vários
outros que têm menor participação, mas que mesmo assim representam um percentual
expressivo.

A energia elétrica se apresenta como o principal serviço de consumo coletivo no conjunto


de municípios que compõem a AID. No município de Mascote, o serviço de energia
elétrica está presente em 99,37% dos domicílios atendidos pelo Programa de Saúde da
Família. Em Itapetinga o serviço atinge 97,36% dos domicílios, em Maiquinique 96,92%.
Em Itagimirim atinge 96,07% dos domicílios, e em Porto Seguro 95,85%. Santa Luzia é o
município que apresenta a menor cobertura por serviços de abastecimento de energia
elétrica, com 77,24% dos domicílios atendidos pelo Programa de Saúde da Família,
cobertos por rede pública de energia elétrica.

Quais sãos os principais causadores de endemias e zoonoses?

Pelo que foi visto no diagnóstico da Saúde Pública dos municípios da AID, o Aedes
aegypti como principal responsável pela transmissão da dengue na AID. Em seguida, em
nível de importância, pode-se citar o caramujo Biomphalaria glabrata, hospedeiro
intermediário do Schistosoma mansoni, é o mais importante vetor de endemias. No que
diz respeito às zoonoses, chama atenção dentre as ocorrências médicas de registro
obrigatório na AID os elevados percentuais de atendimento antirrábico e, em menor
escala, os acidentes com animais peçonhentos. Vale salientar que entre os anos de 2008
e 2009 houve 11.704 doenças transmitidas por mosquitos, a exemplo de malária, dengue
e leishmaniose.

CPM RT 097/11 83 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Quais são os serviços de saúde pública que devem sofrer os maiores impactos com
o empreendimento?

Em função da dinâmica demográfica ocorrida ao longo dos últimos anos nos municípios
do entorno da unidade industrial da Veracel (Eunápolis, Belmonte, Porto Seguro e Santa
Cruz Cabrália), bem como da melhor infraestrutura de saúde disponível no município de
Eunápolis, que funciona como pólo de referência nessa área, é possível que a rede de
saúde deste município deva sofrer os maiores impactos, seja no que diz respeito à
absorção das demandas, como também de novos investimentos, notadamente da
iniciativa privada, como tem acontecido nos últimos anos, como foi o caso do grande
investimento da Veracel no hospital de Eunápolis. Em seguida, a rede de saúde de Porto
Seguro, a terceira mais bem aparelhada da AID, também poderá absorver parte das
demandas adicionais referentes aos serviços de saúde.

Se considerarmos os serviços de Saneamento Básico como componentes preventivos da


Saúde Pública, o Projeto Veracel II apresenta, na etapa de construção da fábrica de
celulose, uma característica que poderá sobrecarregar os sistemas de abastecimento de
água, esgotamento sanitário e limpeza pública dos municípios do entorno: o elevado
contingente de trabalhadores de construção civil e de montagem industrial. Especial
atenção deverá ser dada às situações de Barrolândia e de Ponto Central, núcleos
urbanos (pequenos) mais próximos da fábrica da Veracel, assim como a cidade de
Itagimirim.

Considerando-se a localização pretendida para a implantação da nova fábrica de celulose


(ao lado da fábrica já existente) e a localização dos Canteiros de Obra durante a
implantação da fábrica atual, é de se esperar que a demanda por abastecimento de água,
esgotamento sanitário e varrição, coleta, transporte e disposição final de lixo seja bastante
elevada nas localidades mais próximas ao local da fábrica ou aquelas que venham a
fornecer apoio de serviços urbanos. As localidades que atendem a estes requisitos são as
de Barrolândia e Ponto Central, ambas no município de Belmonte, e as sedes municipais
de Itagimirim, Eunápolis, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália.

Tendo em vista o cenário previsto, deverão ser viabilizados esquemas alternativos para o
atendimento da demanda adicional destes serviços de Saneamento Básico em
Barrolândia, Ponto Central e na cidade de Itagimirim. Eunápolis, Porto Seguro e Santa
Cruz Cabrália certamente poderão absorver a demanda adicional representada pela
construção da nova fábrica de celulose. A primeira destas três últimas cidades, devido à
estrutura dos seus serviços, e as duas últimas por já contar com seus sistemas
dimensionados para atendimento aos picos de demanda do turismo. Contudo, nos casos
de Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália, há que se observar que os serviços de
Saneamento Básico operam certamente próximo às suas capacidades máximas nos
períodos de alta estação turística (do Natal até o Carnaval e durante os meses de junho e
julho). De forma análoga, nestes períodos os sistemas de Saneamento Básico deverão
ser reforçados por estratégias alternativas.

CPM RT 097/11 84 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Contudo, a depender da configuração física e tecnológica (porte e utilização de sistemas


de abastecimento de água, esgotamento sanitário e coleta e transporte de lixo que
poderão ser construídos pela Veracel) e da distribuição geográfica alojamentos dos
trabalhadores, bem como da utilização da infraestrutura do parque de hotelaria já
existente nos municípios de Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália e Eunápolis, a demanda
adicional sobre os sistemas de saneamento ambiental dos municípios do entorno da
fábrica de celulose da Veracel poderá ser reduzida.

Dessa forma, a maior demanda por serviços de saúde pública deve se concentrar nas
cidades do entorno da fábrica da Veracel, considerando um raio de cerca de 100 km.
Entretanto, deve ser mais intenso nos municípios de Belmonte, Itapebi, Itagimirim
Eunápolis, Santa Cruz Cabrália e Porto Seguro, notadamente Eunápolis e Porto Seguro,
em função da existência de rede de saúde pública mais estruturada, muito embora esteja
aquém do padrão desejado para suprir as demandas atuais, o que deve se agravar como
o aumento da procura por serviços de saúde decorrente do afluxo de pessoas em busca
de trabalho.

Como consequência, as unidades de saúde administradas pelo poder público, a exemplo


dos hospitais de Eunápolis e Porto Seguro, devem sofrer os maiores impactos em função
do aumento da demanda, o que pode contribuir para a degradação da qualidade dos
serviços de saúde prestados por essas instituições.

Serviços de saneamento básico

As ações de saneamento são séries de medidas prévias que garantem a adequada


ocupação do solo urbano. Abrangem desde o abastecimento de água, o cuidado com a
destinação de resíduos sólidos, o esgotamento sanitário, garantindo, assim, o controle de
vetores e focos de doenças transmissíveis, e a melhoria das condições de habitação e da
educação sanitária e ambiental.

Os investimentos em saneamento, principalmente no tratamento de esgoto e disposição


final de resíduos sólidos, são de suma importância para diminuir a incidência de doenças
e internações hospitalares e evita o comprometimento dos recursos hídricos da região.

Todas as sedes municipais dispõem de serviço de abastecimento de água com sistema


isolado de abastecimento. Nos municípios de Belmonte, Itapetinga, Mascote, Porto
Seguro e Potiraguá, além da sede, o serviço de abastecimento de água atende também a
outras localidades do município. À exceção de Itapetinga e Macarani que possuem
serviço próprio de abastecimento de água (SAAE – Serviço Autônomo de Água e Esgoto),
todos os outros municípios são atendidos pelo serviço da Embasa – Empresa Baiana de
água e Esgoto e, apenas no município de Macarani a concessão para prestação de
serviço de água está vencida, nos outros municípios a concessão está vigente.

CPM RT 097/11 85 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Quanto ao esgotamento sanitário apenas os municípios de Belmonte, Canavieiras,


Eunápolis, Itapetinga, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália possuem sistema de
esgotamento sanitário. Destes municípios, Belmonte, Itapetinga e Porto Seguro, o sistema
de esgotamento sanitário atende aos distritos sede e localidades, nos outros municípios,
atende apenas à sede.

Sistema de abastecimento de água


A figura abaixo demonstra o percentual da população urbana e população total de cada
município que vive em domicílios com abastecimento adequado de água. Considera-se
adequado o abastecimento através de rede geral com canalização interna ou através de
poço ou nascente com canalização interna.
  120%

100%
80%
60%
40%
20%
0%

Índice de atendimento urbano de água (%) Índice de atendimento total de água (%)

Percentagem da população urbana e população total atendidas com


abastecimento de água na AID, 2005.

Observa-se que para 76% dos municípios em estudo, o índice de atendimento urbano de
água é superior à 90%, ou seja, mais de 90% dos domicílios localizados na área urbana
são atendidos pelo sistema abastecimento de água. Estes índices demonstram uma
condição similar aos índices de abastecimento de água para domicílios urbanos do Brasil,
do Nordeste e da Bahia, segundo a SEI - Superintendência de Estudos Econômicos e
Sociais da Bahia.

CPM RT 097/11 86 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Percentual da população urbana e população total de cada município da


AID que vive em domicílios com abastecimento adequado de água, 2005.
Fonte: IBGE, PNAD (2005), apud SEI (2008).

Apenas para o município de Encruzilhada os dados divulgados pelo SNIS com relação ao
abastecimento urbano de água foram desconsiderados nesta análise, por apresentarem
incoerência com dados divulgados no ano 2000.

Comparando os índices de atendimento urbano de água e os índices de atendimento total


para cada município, observamos que, para a maioria dos municípios, exceto Itapetinga,
os índices de atendimento urbanos são superiores ao atendimento total de água. Isso
indica que o percentual de abastecimento de água nas áreas rurais é muito inferior ao
percentual de abastecimento de água nas áreas urbanas. Essa discrepância no
atendimento de água entre as áreas urbanas e rurais fica ainda mais evidente nos
municípios de Guaratinga e Santa Cruz Cabrália e Santa Luzia, conforme ilustrado na
Figura 946 abaixo.

CPM RT 097/11 87 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

120%
100%
80%
60%
40%
20%
0%

Índice de atendimento urbano de água (%) Índice de atendimento total de água (%)

Percentagem da população urbana e população total da AID atendidascom abastecimento de água, 2008 e 2009.

Analisando a evolução da quantidade de ligações de água ativas no período de 2004 a


2008 na Figura seguinte, observamos que, à exceção dos municípios de Eunápolis e
Porto Seguro, houve apenas um discreto aumento no número de ligações ativas neste
período de 4 (quatro) anos. Em Eunápolis e Porto Seguro, o crescimento mais
significativo ocorreu entre 2004 e 2006.

25.000
22.500
20.000
17.500
15.000
12.500
10.000
7.500
5.000
2.500
0

Ano 2004 Ano 2006 Ano 2008

Evolução da quantidade de ligações ativas de água na AID, 2004 a 2008.


CPM RT 097/11 88 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Considerando a qualidade da água de abastecimento, apenas nos municípios de


Canavieiras, Itapetinga, Mascote e Santa Luzia a água produzida nas ETA’s do município,
atende aos parâmetros estabelecidos pelo Ministério da Saúde, por meio da Portaria N.º
518 de 2004, que define os padrões de potabilidade para abastecimento de água. Nos
outros municípios da AID do empreendimento, a água de abastecimento atende
parcialmente ao disposto nesta Portaria.

A tabela abaixo apresenta o resultado do diagnóstico realizado pela Agência Nacional de


Águas - ANA, divulgado no Atlas de Abastecimento Urbano de Água, onde foi avaliada a
situação o abastecimento urbano de água no cenário de 2015. Em 53% dos municípios da
AID será necessária a ampliação do sistema para atender a demanda de água em 2015,
para 18% dos municípios, o manancial atualmente utilizado para o abastecimento, não irá
comportar a demanda de água no cenário de 2015 e por isso requer uma nova fonte de
abastecimento (novo manancial). Nos municípios de Itagimirim, Itapetinga, Maiquinique e
Santa Luzia, que representam 29% do numero de municípios da AID, a situação do
abastecimento foi considerada satisfatória para o cenário de 2015.

Situação da demanda de água dos municípios da AID, considerando o cenário de 2015.


DEMANDA URBANA
MUNICÍPIO SITUAÇÃO DO ABASTECIMENTO
(CENÁRIO 2015)
Belmonte 35 L/s Requer ampliação de sistema
Canavieiras 83 L/s Requer ampliação de sistema
Encruzilhada 47 L/s Requer novo manancial
Eunápolis 301 L/s Requer ampliação de sistema
Guaratinga 36 L/s Requer ampliação de sistema
Itabela 74 L/s Requer ampliação de sistema
Itagimirim 17 L/s Abastecimento satisfatório
Itapebi 24 L/s Requer ampliação de sistema
Itapetinga 180 L/s Abastecimento satisfatório
Itarantim 37 L/s Abastecimento satisfatório
Macarani 32 L/s Requer ampliação de sistema
Maiquinique 14 L/s Abastecimento satisfatório
Mascote 30 L/s Requer novo manancial
Porto Seguro 494 L/s Requer novo manancial
Potiraguá 36 L/s Requer ampliação de sistema
Santa Cruz Cabrália 97 L/s Requer ampliação de sistema
Santa Luzia 27 L/s Abastecimento satisfatório
Fonte: ANA/Atlas de Abastecimento Urbano de Água (2009).

CPM RT 097/11 89 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Sistema de esgotamento sanitário

Para analisar as condições de saneamento básico, é fundamental o estudo do sistema de


esgotamento sanitário, visto que estes sistemas, quando inadequados ou inexistentes,
interferem nas condições de higiene e saúde de uma população, causam danos ao
ambiente, altera a qualidade da água, contribuindo para a contaminação dos mananciais
e, consequentemente, comprometendo o abastecimento de água.

A área em estudo, representada pelos 17 municípios de AID do empreendimento, ainda é


deficiente com relação ao atendimento de esgotamento sanitário. A maioria dos
municípios, 65%, ainda não possui sistema de esgotamento sanitário. Entre os municípios
que são atendidos (Belmonte, Canavieiras, Eunápolis, Itapetinga, Porto Seguro e Santa
Cruz Cabrália) apenas em Belmonte, Itapetinga e Porto Seguro, o sistema de
esgotamento de estende além da sede do município, ainda assim, em Itapetinga, apenas
18% do esgoto coletado passa por tratamento e, em Eunápolis apenas 3% da população
é atendida.

Analisando as figuras abaixo fica evidente a deficiência de esgotamento sanitário na área


de estudo. O município que apresenta maior percentual de atendimento ao serviço é
Itapetinga, entretanto, entre os municípios que possuem esse sistema, Itapetinga também
é o município que apresenta maior deficiência no tratamento do esgoto coletado.

100
90
80
70
60
50
40
30
20
10
0

Índice de atendimento total de esgotamento (%)

Índice de atendimento total de esgotamento sanitário – Municípios da AID.

CPM RT 097/11 90 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

120

100

80

60

40

20

Índice de coleta de esgoto (%) Índice de tratamento de esgoto (%)

Índice de coleta e tratamento de esgoto - Municípios da AID.

Apesar dos baixos índices de atendimento total do sistema de esgotamento sanitário


encontrados para a AID do empreendimento, vale ressaltar que estes resultados não
destoam dos observados no estado da Bahia e no Nordeste, que apresentam,
respectivamente, 29,5% e 20,7% das residências contendo ligação à rede coletora. Com
fossa séptica, foram classificadas 21,4% dos domicílios baianos e 26,0% dos nordestinos.

Saneamento e doenças

É bem conhecido o papel do Saneamento Básico na redução das doenças de veiculação


hídrica. O fornecimento de água em quantidade adequada, de boa qualidade e a
existência de sistemas de coleta, transporte e tratamento dos esgotos sanitários reduz
significativamente a ocorrência de tais tipos de doenças. Por outro lado, em algumas
circunstâncias, a implantação de sistemas de abastecimento de água sem a respectiva
construção de sistemas de esgotamento sanitário pode ensejar a criação de situações de
poluição hídrica, o que pode levar à ocorrência de doenças de veiculação hídrica em
níveis até maiores que aqueles observados antes da implantação dos sistemas de
abastecimento de água potável.

CPM RT 097/11 91 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

A análise dos casos notificados (número e coeficiente de incidência por 100.000 hab.) de
algumas doenças de notificação obrigatória, segundo o ano de ocorrência, nos municípios
da AID do empreendimento nos anos de 2005 e 2006, contidos no item de Saúde Pública
deste EIA revela dados preocupantes quanto à ocorrência da esquistossomose, uma das
mais importantes doenças de veiculação hídrica.

As informações da Secretaria de Saúde do estado da Bahia (SESAB/SUVISA/DIS/SIM)


mostram a esquistossomose como uma enfermidade de alta prevalência nos municípios
da AID. Foram notificados 2.469 casos em 2005, cifra que elevou-se para 2.585 em 2006.

Dentre as doenças de notificação obrigatória, a esquistossomose foi aquela que se


apresentou dentre os maiores coeficientes de incidência em 2005 e/ou 2006 nos
municípios de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis, Guaratinga, Itabela,
Itagimirim, Itapebi, Macarani, Mascote, Porto Seguro, Potiraguá, Santa Cruz Cabrália e
Santa Luzia. Ou seja, dentre os 17 municípios da AID, em 14 deles a esquistossomose
aparece entre as doenças com os maiores coeficientes de incidência, sendo que em
cerca da metade destes municípios é aquela que apresenta os maiores números.

As figuras a seguir seguintes mostram os casos notificados e os coeficientes de incidência


da esquistossomose por município para os anos de 2005 e 2006.

Trata-se, portanto, de um sério problema de Saúde Pública, diretamente associado à


precariedade dos serviços de Saneamento Básico, mais especificamente ao esgotamento
sanitário.

Em municípios como Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis e Guaratinga a


ocorrência de esquistossomose é bastante elevada. No primeiro caso (Belmonte), houve
um considerável aumento de 2005 para 2006 quando passou de 235 casos, com
coeficiente de incidência por 100.000 habitantes da ordem de 1.253,0 para 428 casos em
2006 e coeficiente de incidência de 2.310,3 por 100.000 habitantes, o mais elevado da
área em estudo no período analisado.

Em Guaratinga, o coeficiente de incidência de esquistossomose atingiu 2.087,6 por


100.000 habitantes no ano de 2005, mas experimentou uma considerável redução em
2006, caindo para 1.460,0 por 100.000 habitantes.

No município de Encruzilhada, diferente do que ocorreu em Guaratinga, houve um


recrudescimento do número de casos de esquistossomose de 2005 para 2006, uma vez
que passou de 519 casos e coeficiente de incidência de 1.292,1 por 100.000 habitantes
em 2005 para 771 casos em 2006 com coeficiente de 1.859,3 por 100.000 habitantes.

O município de Canavieiras apresentou 190 casos em 2005 e coeficiente de incidência de


516,8 por 100.000 habitantes e passou para 321 casos e coeficiente de 867, com
tendência de crescimento.

CPM RT 097/11 92 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Em Eunápolis, importante município da área de influência direta, ocorreu uma pequena


queda, pois de 324 casos de esquistossomose no ano de 2005 (coeficiente de 349,8 por
100.000 habitantes), passou para 316 casos em 2006 (coeficiente de incidência de 335,6
por 100.000), com pequeno declínio.

2500

2000

1500

1000

500

ESQUISTOSSOMOSE  ‐ COEFICIENTE  DE INCIDÊNCIA  POR 100.000 HAB ‐ AID, 2005

Esquistossomose - Coeficiente de Incidência por 100.000 hab - AID, 2005

2500

2000

1500

1000

500

ESQUISTOSSOMOSE  ‐ COEFICIENTE  DE INCIDÊNCIA  POR 100.000 HAB ‐ AID, 2005

Esquistossomose - Coeficiente de Incidência por 100.000 hab - AID, 2006

CPM RT 097/11 93 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Além da esquistossomose ser, por si mesma, uma grave afecção da saúde, ela pode ser
tomada como indicadora de outras doenças de veiculação hídrica. Assim sendo, diante do
quadro acima descrito tem-se um grave problema de saúde pública na AID do
empreendimento, decorrente das seguintes causas principais:

ƒ Geração de maior volume de esgotos domésticos pelo excelente atendimento dos


sistemas de abastecimento de água, notadamente nas sedes municipais;

ƒ Muito pequena cobertura dos sistemas de esgotamento sanitário;

ƒ Precariedade das habitações e de suas instalações sanitárias, principalmente nas


periferias das sedes e nas zonas rurais dos municípios;

ƒ Precariedade dos demais elementos infra-estruturais, tais como drenagem de águas


pluviais e pavimentação das vias públicas, principalmente nas periferias das sedes e nas
zonas rurais dos municípios;

ƒ Baixo nível de informação sobre a prevenção de doenças de veiculação hídrica.

A análise dos dados dos domicílios da AID atendidos pelo Programa de Saúde da Família
mostra existência de situações que propiciam a disseminação de doenças de veiculação
hídrica e ajudam a explicar as altas incidências da esquistossomose e demais doenças de
veiculação hídrica, a saber:
ƒ Percentuais significativos de residências abastecidas com água in natura ou sem boa
qualidade;

ƒ Muito baixos percentuais de cobertura dos sistemas de esgotamento sanitário;

ƒ Existência de elevado percentual de residências com fossas (geralmente negras) como


forma de disposição dos esgotos sanitários;

ƒ Baixíssimos percentuais de residências que consomem água desinfetada ou fervida,


além de percentuais significativos de residências com consumo de água sem tratamento.

Como é o serviço de coleta e disposição final dos resíduos sólidos?

A área de influência direta – AID do empreendimento abrange 17 municípios,


apresentando um serviço de coleta e disposição dos resíduos sólidos diferenciados entre
si. O município de Belmonte possui um Aterro Sanitário Convencional, com cerca de 61%
do lixo coletado por empresas privadas e/ou públicas, porém em Censo foi constatado
um alto índice de domicílios que queimam seus resíduos em relação a outros municípios
da AID, com cerca de 22%.

CPM RT 097/11 94 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Já os municípios de Encruzilhada e Canavieiras apresentam um índice similar de


domicílios possuindo como destino dos resíduos o Lixão. O município de Encruzilhada se
destaca com os piores índices de serviço de coleta, com somente 28% dos resíduos
coletados por empresas privadas e/ou públicas, apresentando os maiores indicies de
resíduos queimados e jogados em terrenos baldios com 34% para ambos. O município
de Canavieiras apesar do alto índice de resíduos coletados por empresas com 67%,
apresenta um dos mais baixos indicies de resíduos coletados (T/dia).

Os municípios de Porto Seguro, Eunápolis e Itapetinga são os municípios que apresentam


os maiores índices de domicílios respectivamente. Porém Eunápolis ainda não possui
aterro sanitário adequado, fazendo uso de Lixões, o que o diferencia de Porto Seguro e
Itapetinga que possuem Aterro Sanitário Convencional. Dentre estes municípios, Porto
seguro é o que apresenta a maior quantidade de resíduos coletados com 150 T/dia, fator
associado turismo.

Os municípios de Guaratinga, Itabela Itarantim, Macarani, Mascote, Santa Cruz de


Cabralia e Santa Luzia, apresentam quantidade de domicílios similares com forma de
disposição do lixo coletado Lixão, onde somente Macarani possui um Aterro Simplificado.
Em relação aos indicies de domicílios com acesso ao serviço de coleta de lixo Guaratinga
e Santa Luzia apresentam os menores índices com 37% e 42% respectivamente, com os
maiores indicies de resíduos queimados e jogados em terrenos baldios com 34% e 28%
respectivamente.

Os municípios de Itagimirim, Itapebi, Maiquinique e Potiraguá são os que apresentam a


menor quantidade de domicílios em relação aos demais municípios da AID. Com altos
indicies de resíduos queimados. Itagimirim e Potiraguá apesar da baixa quantidade de
domicílios apresentam um alto indicie de lixo coletado (T/dia) com 12 e 18 toneladas ao
dia respectivamente. Já Itapebi e Maiquinique se destacam pelo alto índice de resíduos
destinados a terrenos baldios com 25% e 16% respectivamente.

Em atendimento ao Termo de Ajustamento de Conduta firmado com o Ministério Público


Estadual, a Prefeitura Municipal de Itagimirim e a Veracel, esta empresa desenvolveu os
projetos executivos de Recuperação Ambiental do Lixão e do Aterro Simplificado para o
município. A Veracel já apresentou estes projetos ao Ministério Público Estadual e à
Prefeitura. A contratação das obras para implantação destes projetos está em fase de
licitação pela Veracel.

CPM RT 097/11 95 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

25.000

20.000

15.000

10.000

5.000

Total de domicílios Coleta por empresa pública ou privada

Relação entre o total de domicílios da AID do empreendimento e o total de domicílios atendidos pelo serviço de
coleta de lixo. Ano 2000.

CPM RT 097/11 96 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

95
90
85
80
75
70
65
60
55
50
(%)

45
40
35
30
25
20
15
10
5
0

Domicílios nos quais é queimado (%) Domicílios nos quais é enterrado (%)
Domicílios nos quais é jogado em terreno baldio ou logradouro (%) Domicílios nos quais é jogado em rio, lago ou mar (%)
Domicílios com acesso ao serviço de coleta de lixo (%) Domicílios onde tem outro destino (%)

Destino final dos resíduos sólidos – Municípios da AID, 2000.

Estimativas da oferta de mão-de-obra na AID

Segundo os dados da Contagem da População 2007, o conjunto da região em estudo


contava com 325.241 pessoas em idade potencial de trabalhar (16 a 64 anos de idade).

Em função do porte populacional, os municípios de Porto Seguro (21,9% do total),


Eunápolis (18,4%) e Itapetinga (12,5%) abrigavam os maiores contingentes de população
em idade potencialmente ativa. Mesmo os municípios com menores proporções de
pessoas em idade potencial de trabalhar, a exemplo de Itagimirim (1,3%) e Maiquinique
(1,6%), apresentavam contingentes expressivos do ponto de vista quantitativo – 4.268 e
5.057 pessoas, respectivamente.

CPM RT 097/11 97 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Número de pessoas potencialmente em idade ativa, de 16 a 64 anos - Municípios da AID


– 2007

POPULAÇÃO EM IDADE
%
MUNICÍPIOS POTENCIALMENTE ATIVA
TOTAL DA ÁREA
DE 16 A 64 ANOS DE IDADE
Porto Seguro 71.234 21,9
Eunápolis 59.879 18,4
Itapetinga 40.594 12,5
Canavieiras 21.387 6,6
Itabela 15.243 4,7
Santa Cruz Cabrália 15.067 4,6
Guaratinga 13.625 4,2
Encruzilhada 13.568 4,2
Belmonte 12.546 3,9
Itarantim 11.063 3,4
Macarani 9.883 3,0
Mascote 9.741 3,0
Santa Luzia 8.960 2,8
Itapebi 6.819 2,1
Potiraguá 6.307 1,9
Maiquinique 5.057 1,6
Itagimirim 4.268 1,3
TOTAL 352.241 100,0
Fonte: IBGE - Microdados da Contagem da População - 2007.

Considerando-se que entre a população em idade potencial de trabalhar há segmentos


que não estão inseridos no mercado de trabalho – estudantes, aposentados, mulheres
classificados como inativas pelo conceito de trabalho (donas de casa), dentre outros – se
faz necessária uma aproximação mais refinada.

Com esse intuito, mesmo diante das limitações, será procedida uma estimativa para a
região com base nos indicadores laborais referentes ao conjunto do Estado da Bahia.
Segundo os microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do
IBGE, a proporção da população potencialmente ativa (de 16 a 64 anos de idade) que
estava economicamente ativa, ou seja, inserida no mercado de trabalho no ano de 2007,
era de 74,8%. Tratando-se da procura por trabalho, a taxa de desocupação era de 8,2%
da População Economicamente Ativa (PEA). Aplicando-se esses indicadores referentes à
média do Estado para a região em estudo, obtêm-se os seguintes resultados: do
contingente de 352.241 pessoas em idade potencialmente ativa, cerca de 263.476
pessoas fariam parte da PEA e 21.605 estariam na condição de desocupadas (sem
trabalho).

CPM RT 097/11 98 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Do ponto de vista do perfil profissional da mão de obra, parte das atividades demandas
pelo empreendimento, sobretudo na fase de operação, exige qualificação específica que
nem sempre é encontrada na região. Diante dessa necessidade, a Veracel vem
promovendo cursos de qualificação profissional para a população economicamente ativa
regional, com o intuito de absorver, cada vez mais, trabalhadores da região. A maioria dos
cursos é oferecida em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial
(SENAI), o que assegura a qualidade dos mesmos.

Dentre os cursos oferecidos, se destacam o curso para Formação de Operadores de


Máquinas Florestais e Técnico em Celulose. Mediante investimentos da ordem de R$ 10,8
milhões, já foram formados na região 342 Operadores de Máquinas Florestais. No ano de
2008, a nova turma de Técnicos em Celulose, composta por 200 pessoas, demandou
investimentos de R$ 2,5 milhões. Vale ressaltar que as vagas para os cursos são
oferecidas nos mais diversos municípios da área de atuação da empresa.

Como resultado desta iniciativa, frente ao contingente de novas oportunidades de trabalho


demandas pela empresa no ano de 2009, cerca de 82,0% foram preenchidas por
profissionais da região e 18,0% internamente.

Frente a esse contexto, a mão-de-obra será predominantemente contratada na região, a


exceção dos raros casos em que as especificidades técnicas de determinadas ocupações
demandem a contratação de profissionais cuja qualificação específica não há
disponibilidade na região.

Quantos empregos diretos estão previstos na fase da implantação da unidade


industrial?

O pico do contingente operário de 8.000 profissionais é atingido no 40o mês do início de


implantação do empreendimento (14o mês de construção da unidade industrial). Esse pico
engloba os profissionais da construção civil, bem como da montagem eletromecânica.
Empregos diretos na fase de implantação e operação da ampliação da Veracel

EMPREGOS DIRETOS NA FASE DE OPERAÇÃO

VCC I * VCC II VCC I + II

TERCEIRO ANO 5 PRÓPRIO + TERCEIRO


PRÓPRIO TOTAL ANO 1 ANO 2 ANO 3 ANO 4
PERMANENTE EM DIANTE PERMANENTE (ANO 1)

INDUSTRIAL 212 483 695 252 252 252 252 252 947

FLORESTAL 378 1617 1995 2601 2523 2255 2374 2133 4596

CORPORATIVO 98 417 515 29 28 25 25 24 544

TOTAL 688 2517 3205 2882 2803 2532 2651 2409 6087

Empregos diretos na fase de implantação e operação da ampliação da Veracel.

CPM RT 097/11 99 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Quantos empregos indiretos serão gerados?

No trabalho “De Portas Abertas para o Desenvolvimento Sustentável”, elaborado para a


Veracel em 2007, a Fundação Getúlio Vargas (FGV), aplicando a metodologia de
Leontief, estimou que, “em 2006, para cada real de valor adicionado pela Veracel, tenham
sido gerados outros R$ 0,87 em toda a economia brasileira”. Esse efeito concentra-se
particularmente no extremo sul da Bahia, onde a empresa tem suas atividades. Isso
significa um adicional de renda gerada de R$ 451 milhões, desde o manejo florestal às
atividades de transportes da celulose da Veracel, passando por diversas atividades
laterais de sua cadeia produtiva. Essa renda, somada à que a própria Veracel gerou,
atingiu R$ 967 milhões em 2006”.

No mesmo estudo a FGV identificou os setores econômicos mais beneficiados com as


atividades da Veracel, segundo o Gráfico abaixo, como sendo o florestal, os transportes e
o comércio, presentes em todas as etapas da cadeia produtiva e de serviços do Veracel I.
Considerando-se que o Projeto Veracel II tem tipologia idêntica ao Projeto Veracel I, com
exceção da produção de celulose, que é 50% maior, o mesmo comportamento dos
impactos positivos na economia é esperado para sua ampliação, porém com maior
magnitude.

Setores econômicos e renda indireta gerada na cadeia produtiva do Projeto Veracel I


Fonte: De Portas Abertas para o Desenvolvimento Sustentável - FGV, 2007.

CPM RT 097/11 100 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Ainda segundo a FGV, “seguindo o mesmo raciocínio aplicado na geração de renda, além
dos 741 empregos diretos da Veracel, suas atividades sustentaram mais 29,6 mil postos
de trabalho nos demais setores de atividade da economia brasileira, totalizando 30,4 mil
empregos no ano de 2006”.

Os empregos indiretos gerados pela Veracel na economia brasileira foram gerados,


segundo o gráfico acima, nos seguintes setores econômicos: siderurgia, comunicações,
químicos diversos, serviços de utilidade, aluguel e administração pública, instituições
financeiras, elementos químicos, extração de petróleo e gás, serviços prestados às
empresas, máquinas e tratores, refino do petróleo, comércio, transportes e florestal.
Dentre estes setores, a maioria dos empregos indiretos foi gerada nos setores de
atividade econômica florestal, comércio, transportes e serviços prestados às empresas.

Como é a economia na AID? Agropecuária, indústria, comércio e serviços

A economia dos municípios da Área de Influência Direta apresenta diferentes perfis


econômicos, em função do grau de desenvolvimento setorial. Nesse sentido, municípios
com atividades econômicas mais incipientes apresentam um alto nível de dependência da
atividade governamental, em linguagem macroeconômica tratada como Administração
Pública (APU), transformando-os em municípios nos quais o setor de atividade
predominantemente é o de serviços. Ressalta-se, portanto, que o segmento econômico
da Administração Pública apresenta um peso bastante expressivo nas economias
municipais. Nesse sentido, observa-se que entre os municípios estudados, aquele no qual
a APU apresenta a maior representatividade é o de Santa Luzia, com uma participação de
45,4% e, aquele com a menor participação é o município de Itapebi.

Pode-se perceber que na Área de Influência Direta o setor de serviços assume a


liderança, sendo seguido pelo setor industrial, a exceção da região Litoral Sul, onde os
serviços são seguidos pela agropecuária, tendo por último o setor industrial.

Em termos municipais, nota-se a importância da agropecuária nos municípios de


Encruzilhada, Belmonte e Guaratinga, assim como, a relevância do setor industrial nos
municípios de Eunápolis, basicamente pela presença da empresa Veracel, produtora de
celulose, e, em Itapebi, pela presença da usina hidrelétrica de Itapebi. Nos demais, o
setor de serviços que congrega um vasto leque de atividades econômicas, que inclui o
comércio, os transportes, as comunicações, os serviços de apoio ao turismo, os serviços
prestados às empresas e às famílias, entre outros, apresenta preponderância econômica.

CPM RT 097/11 101 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Indústria

Subárea da Região Sudoeste

Na subárea da região Sudoeste da Área de Influência Direta do empreendimento, o


destaque fica por conta do município de Itapetinga, que abriga que uma importante
unidade industrial da empresa Calçados Azaléia. Implantada em 1998 mediante um
investimento de R$ 117 milhões, a empresa produz diversos tipos de produtos a exemplo
de tênis, sandálias, chinelos, palmilhas, solados de borracha e chapas de EVA. Estima-se
que o número de postos de trabalho gerados de forma direta e indireta gire em torno de
15 mil.

Outro destaque na região Sudoeste é a presença do Mafrip Matadouro Frigorífico Rio


Pardo S.A. pertencente ao Grupo Bertin. Localizado no município de Itapetinga, o
matadouro, voltado para o abate de bovinos, é um dos maiores do Norte/Nordeste do
país. A empresa ocupa cerca de 500 trabalhadores.

Nos municípios de Macarani, Potiraguá, Itarantim e Maiquinique, as principais unidades


industriais pertencem aos segmentos de laticínios e/ou ao setor mineral. No município de
Encruzilhada, o destaque fica por conta da Agroindústria e Exportação Café Bahia S.A.,
voltada para o beneficiamento do café.

Subárea da Região Litoral Sul

Na região Litoral Sul da Área de Influência Direta, os destaques na indústria ficam por
conta da extração mineral (granito) e fabricação de produtos cerâmicos (bloco e telha) em
Santa Luzia; a fabricação de laticínios e da carne de charque em Canavieiras e da
extração de calcário/dolomita e beneficiamento associado em Mascote.

Subárea da Região Extremo Sul

Na subárea da região Extremo Sul, o grande destaque no setor industrial é a Veracel


Celulose, no município de Eunápolis.

O Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) indicava, no ano de 2008, a existência de


163 empresas vinculadas à indústria de transformação no município de Eunápolis. Em
Porto Seguro, o número era de 147 empresas e de apenas 11 em Belmonte.

A indústria da construção civil vem crescendo em Porto Seguro – acompanhando o


incremento das atividades turísticas –, na medida em que entre 2006 e 2008 o número de
empresas evoluiu de 95 para 151. Neste contexto, merece destaque a Construtora Saita,
fundada há 23 anos e que conta atualmente com cerca de 120 funcionários.

CPM RT 097/11 102 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

No município de Santa Cruz Cabrália, o destaque fica por conta da empresa Santa Cruz
Açúcar e Álcool Ltda. (Usina Santa Cruz), voltada para a produção de álcool etílico anidro
e hidratado.

Comércio e serviços

O setor terciário possui grande representatividade na maioria dos municípios em estudo.

Em função do perfil de suas economias e da relação de complementaridade, os


municípios de Eunápolis e Porto Seguro apresentam expressivos contingentes de
estabelecimentos empresariais no setor terciário.

Com base nas informações do CEMPRE, Eunápolis possuía, no ano de 2008, 1.963
estabelecimentos empresariais que desenvolviam suas atividades no setor terciário, o
equivalente a 88,8% do total de empresas do município. O setor de Comércio: reparação
de veículos automotores e motocicletas era o de maior relevância em Eunápolis, e
abrigava em 2008 um contingente de 1.308 empresas – o correspondente a 59,1% do
tecido empresarial local.

No terciário do município de Porto Seguro, além da importância do setor de Comércio:


reparação de veículos automotores e motocicletas (1.717 empresas em 2008, o
equivalente a 16,9% do total de 3.663), o setor de alojamento e alimentação era relevante
(691 empresas), em função das atividades turísticas.

Belmonte sedia o Terminal Marítimo de Belmonte (TMB), da Veracel, responsável pelos


serviços de transporte marítimo da celulose produzida na fábrica da empresa na zona
rural de Eunápolis. O TMB emprega cerca de 70 trabalhadores e expede a celulose da
Veracel para o porto especializado de Barra do Riacho, no Espírito Santo, da FIBRIA, de
onde o produto é exportado.

Geração de emprego e nível tecnológico por setor

Para analisar a geração de emprego e nível tecnológico por setor foram consideradas as
três ocupações que mais geraram novos empregos durante o período de janeiro de 2003
a dezembro de 2009. Tais ocupações, além de refletirem o processo de geração de
emprego ao longo de um período de seis anos, permitem também analisar, por
aproximação, o nível tecnológico por segmento econômico.

Conforme falamos anteriormente, a grande maioria dos municípios possui um mercado de


trabalho pouco estruturado, cujo emprego formal é extremamente dependente da
Administração Pública. Diante de tal característica estrutural, de um modo geral, a
geração de emprego formal é restrita e não apresenta níveis tecnológicos elevados.

CPM RT 097/11 103 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Segundo os dados do Cadastro Geral de Empregos e Desempregados, observa-se que,


na grande maioria dos municípios da Área de Influência Direta, a geração de emprego ao
longo dos seis anos da série em análise (entre 2003 e 2009) foi predominantemente
marcada por ocupações tradicionais e sem vínculo direto aos setores tecnológicos
modernos.

Nos municípios de Itapetinga, Itarantim. Macarani, Maiquinique e Potiraguá as ocupações


que mais têm gerado empregos estão diretamente associadas à indústria calçadista.

Em Itapetinga, os destaques ficaram por conta de 6.882 novos empregos surgidos entre
2003 e 2009 na ocupação de trabalhador polivalente da confecção de calçados e 306
vagas na ocupação de acabador de calçados, conforme informações dispostas na tabela
seguinte.

A ocupação de trabalhador polivalente da confecção de calçados também foi a que mais


gerou empregos, entre 2003 e 2009, nos municípios de Itarantim (145 postos), Macarani
(212), Maiquinique (206) e Potiraguá (225 postos). Em Macarani, também foram abertas
95 vagas para preparador de solas e palmilhas.

Já no município de Encruzilhada, a geração de emprego por nível tecnológico esteve


bastante associada as tradicionais ocupações do setor agropecuário, na medida em que
foram criadas 549 vagas na ocupação de trabalhador da cultura de café, 180 para
trabalhador agropecuário em geral e 80 empregos para trabalhador volante da agricultura.

Afora a geração de emprego na indústria calçadista e no setor agropecuário, mereciam


destaque a abertura de 17 novas vagas para a ocupação de trabalhador de tratamento do
leite e fabricação de laticínios e afins no município de Maiquinique, 18 empregos para
vendedor em comércio atacadista em Itarantim e 9 postos para vendedor em comércio
varejista e Potiraguá, além de 38 novos empregos para professor da educação de jovens
e adultos no ensino fundamental (primeira a quarta série) em Macarani.

Nos municípios inseridos no Extremo Sul do estado, a geração de emprego apresentava


uma maior variabilidade ocupacional, ainda que as ocupações fossem
predominantemente tradicionais, ou seja, sem maiores níveis tecnológicos.

Em Belmonte, os maiores contingentes de novos empregos surgidos entre 2003 e 2009


estiveram relacionadas às ocupações tradicionais da construção civil – 164 vagas para
servente de obras e 125 para trabalhador de serviços de manutenção de edifícios e
logradouros.

No município de Porto Seguro, a construção civil também fomentava a geração de


emprego, já que a ocupação que mais abriu vagas entre os anos de 2003 e 2009 foi a de
trabalhador na manutenção de edificações. Esse desempenho está diretamente
associado ao surgimento de novos empreendimentos turísticos e imobiliários no
município.

CPM RT 097/11 104 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Já em Eunápolis, as novas demandas da dinâmica do mercado de trabalho local fizeram


com que a ocupação de auxiliar de escritório, em geral fosse a mais expressiva entre
2003 e 2009, mediante a criação de 395 empregos. Pelo seu caráter geral, essa
ocupação é intimamente associada ao surgimento de novos negócios e guarda relação
direta com o novo dinamismo econômico impulsionado pela instalação da indústria de
celulose e de várias de suas empresas parceiras no município.

A segunda ocupação que mais gerou emprego em Eunápolis durante os anos de 2003 e
2009, foi a de embalador, a mão, por intermédio da criação de 255 vagas. Essa ocupação
também assumiu relevância em Itabela, sendo a terceira mais representativa em função
da abertura de 135 vagas, atrás apenas dos postos para trabalhador agropecuário em
geral (com 470 vínculos empregatícios) e trabalhador da cultura de café (com 206
postos).

Em Santa Cruz Cabrália, a geração de novos empregos foi liderada pela atividade de
produção de álcool, na medida em que as principais ocupações geradas foram as de
trabalhador da cultura da cana de açúcar (290 empregos) e de xaropeiro (85 vagas).

O setor agropecuário era o responsável pelas três ocupações que mais geraram emprego
no município de Guaratinga entre 2003 e 2009 – trabalhador volante da agricultura (119
empregos), trabalhador da pecuária (bovinos de corte) (42 vagas) e trabalhador
agropecuário em geral (26 postos).

Nos municípios de Itagimirim e Itapebi o processo de geração de emprego formal foi


bastante reduzido, já que as principais ocupações geraram no máximo 24 novas vagas.
Em Itapebi, além das 24 vagas para trabalhador agropecuário em geral, também
assumiam representatividade local os 22 postos de motorista de carro de passeio e 16 de
carpinteiro de obras. Já em Itagimirim, as ocupações principais foram: trabalhador da
pecuária (bovinos de corte) com 17 postos, armazenista (12 empregos) e carregador
(armazém) com 12 vagas.

Tratando-se dos municípios inseridos no Litoral Sul do estado, as informações do CAGED


demonstram que entre 2003 e 2009 a geração de emprego predominou em ocupações de
baixo nível tecnológico, predominantemente nos setores da construção civil e
agropecuário.

Em Canavieiras, a ocupação mais geradora de empregos foi a de servente de obras (201


vínculos), seguida pela de pedreiro (36 postos) e de carpinteiro (35 vagas) – todas
diretamente associadas ao setor da construção civil.

No município de Mascote, o destaque também ficou por conta da ocupação de servente


de obras (mediante a criação de 41 empregos), seguida pela de trabalhador da pecuária
(bovinos de leite) com 8 postos e pela de motorista de carro de passeio (6 postos).

Por fim, em Santa Luzia o destaque ficava por conta das vagas criadas para trabalhador
na manutenção de edificações (25). Em seguida, figuravam a ocupação de trabalhador
CPM RT 097/11 105 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

agropecuário em geral (12 empregos) e a de repositor de mercadorias (3 postos de


trabalho).

Empregos formais e sua estrutura por setor de atividade econômica

A análise da estrutura de empregos e salários na Área de Influência Direta será realizada


com base nas informações provenientes da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS)
do Ministério do Trabalho e Emprego. Segundo as mais recentes informações da RAIS
disponíveis, o conjunto dos 17 municípios da Área de Influência Direta possuía 80.539
vínculos empregatícios formais em 31 de dezembro de 2009, de acordo com os dados da
tabela seguinte. Pela sua centralidade econômica, os municípios de Porto Seguro (20.173
vínculos), Itapetinga (19.427) e Eunápolis (18.673) respondiam juntos por 72,4% do total
de empregos formais da área.

Os setores da Administração Pública (com 21.623 empregos ou 26,8% do total) e da


Indústria de Transformação (19.472 ou 24,2%) respondiam pela metade (51,0%) do total
de vínculos empregatícios referente ao total dos municípios. Os Serviços figuravam em
seguida ao contar com 21.623 postos (20,4%), acompanhado pelo Comércio (18,0%) e
pela Agropecuária (6.292 empregos formalizados ou 7,8% do total).

Nos municípios de pequeno porte observa-se uma exígua presença de empregos formais.
Ademais, além do pouco contingente existente, a grande maioria dos vínculos é gerada
pela Administração Pública, particularmente pelas prefeituras.

Em nove dos 17 municípios em análise, ou seja, em mais da metade, a Administração


Pública respondia por mais de 50,0% dos vínculos empregatícios formalizados:

ƒ Santa Luzia (73,7%)


ƒ Mascote (71,4%)
ƒ Itapebi (69,9%)
ƒ Guaratinga (65,1%)
ƒ Encruzilhada (64,8%)
ƒ Itagimirim (63,5%)
ƒ Canavieiras (59,5%)
ƒ Potiraguá (58,2%)
ƒ Belmonte (50,5%)

Vale destacar que desse conjunto, em seis municípios a Administração Pública gerava
mais de 60,0% dos empregos formalizados, sendo que em Santa Luzia (73,7%), Mascote
(71,4%) e Itapebi (69,9%) a representatividade chegava a mais de 70,0%.

Em Belmonte, o emprego público era igualmente expressivo: frente ao contingente de


1.643 vínculos formais, um contingente de 829 (o correspondente a 50,5% do total) era
gerado pela Administração Pública, no ano de 2009.

CPM RT 097/11 106 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Conforme já explicitado, o setor agropecuário – com apenas 7,8% de contribuição no


emprego formal total da área em estudo – era pouco representativo. Entretanto, em
alguns municípios assumia importância acima da média, a exemplo de Itabela (28,7% do
total), Encruzilhada (23,4%), Belmonte (21,7%) e Itagimirim (21,2%).

No município de Eunápolis a Agropecuária contava com 1.319 empregos, o


correspondente a 7,1% do total. Já em Santa Cruz Cabrália, o setor agropecuário gerava
262 postos de trabalho (8,5% do total).

Tratando-se do setor secundário, a Indústria de Transformação é um segmento


importante na estruturação do mercado formal de trabalho da Área de Influência Direta do
empreendimento (24,2% dos empregos totais).

Em alguns municípios, a participação da Indústria de Transformação era bastante


expressiva, a exemplo de Itapetinga – com 13.286 vínculos, o equivalente a 68,4% do
total, Maiquinique (40,9%), Macarani (38,4%) e Potiraguá (31,7%). A grande maioria
desses empregos é gerada no segmento calçadista, em função da presença da empresa
Azaléia, que conta com diversas filiais na região Sudoeste do Estado da Bahia. Com
efeito, a ocupação de trabalhador polivalente da confecção de calçados respondia por um
expressivo contingente de empregos formais nos municípios, a exemplo de:

ƒ Itapetinga – 10.713 empregos (80,6% do total da indústria de transformação e 55,1%


do total municipal)
ƒ Macarani – 658 empregos (88,0% do total da indústria de transformação e 33,8% do
total municipal)
ƒ Maiquinique – 320 empregos (80,8% do total da indústria de transformação e 33,0% do
total municipal)
ƒ Potiraguá – 323 empregos (94,4% do total da indústria de transformação e 29,9% do
total municipal).

A Indústria de Transformação também possuía significância no município de Santa Cruz


Cabrália, ao gerar 732 empregos formais, o correspondente a 23,4% do total municipal no
ano de 2009. A maior parte deste contingente estava associado ao segmento de
fabricação de álcool, em função da presença da Usina Santa Cruz, localizada próximo ao
povoado de Ponto Central. De fato, a ocupação que mais possuía postos formalizados era
a de trabalhador da cultura de cana de açúcar, com 473 vínculos (15,3% do total),
conforme tabela abaixo.

No município de Eunápolis, a Indústria de Transformação gerava 1.943 vagas e respondia


por 10,4% do mercado de trabalho formal. O emprego formal industrial é capitaneado pelo
segmento de produção de celulose, em função da presença da Veracel.
Do ponto de vista das relações de trabalho formais, a Construção Civil era pouco
expressiva na área objeto de análise, uma vez que o contingente de 1.800 postos
correspondia apenas a 2,2% do total. A maior representatividade deste setor era
observada nos municípios de Belmonte (5,5% do emprego total) e em Itabela (5,0%).

CPM RT 097/11 107 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Número de empregos formais em 31 de dezembro Segundo setor de atividade


econômica, Municípios da Área de Influência Direta, 2009.
Setores de Belmonte Eunápolis Guaratinga
Atividade Econômica Total % Total % Total %
Extrativa Mineral 11 0,7 9 0,0 0 0,0
Indústria de Transformação 142 8,6 1.943 10,4 31 2,0
Serviços Industriais de Utilidade Pública 19 1,2 38 0,2 0 0,0
Construção Civil 91 5,5 740 4,0 15 1,0
Comércio 148 9,0 6.001 32,1 194 12,3
Serviços 46 2,8 4.809 25,8 75 4,8
Administração Pública 829 50,5 3.814 20,4 1.027 65,1
Agropecuária 357 21,7 1.319 7,1 235 14,9
Total 1.643 100,0 18.673 100,0 1.577 100,0
Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego - Relação Anual de Informações Sociais, 2009.

Número de empregos formais em 31 de dezembro Segundo setor de atividade


econômica, Municípios da Área de Influência Direta, 2009. Continuação.
Setores de Itabela Itagimirim Itapebi
Atividade Econômica Total % Total % Total %
Extrativa Mineral 0 0,0 0 0,0 33 3,7
Indústria de Transformação 432 14,8 2 0,3 5 0,6
Serviços Industriais de Utilidade Pública 0 0,0 0 0,0 7 0,8
Construção Civil 145 5,0 1 0,1 31 3,5
Comércio 464 15,9 54 7,9 53 5,9
Serviços 110 3,8 48 7,0 10 1,1
Administração Pública 937 32,0 434 63,5 627 69,9
Agropecuária 839 28,7 145 21,2 131 14,6
Total 2.927 100,0 684 10,0 897 100,0
Setores de Porto Seguro Santa Cruz Cabrália TOTAL GERAL
Atividade Econômica Total % Total % Total %
Extrativa Mineral 0 0,0 0 0,0 270 0,3
Indústria de Transformação 826 4,1 732 23,6 19.472 24,2
Serviços Industriais de Utilidade Pública 14 0,1 0 0,0 187 0,2
Construção Civil 404 2,0 118 3,8 1.800 2,2
Comércio 4.395 21,8 331 10,7 14.467 18,0
Serviços 9.319 46,2 372 12,0 16.428 20,4
Administração Pública 4.299 21,3 1.285 41,5 21.623 26,8
Agropecuária 916 4,5 262 8,5 6.292 7,8
Total 20.173 100,0 3.100 100,0 80.539 100,0
Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego - Relação Anual de Informações Sociais, 2009.

O setor de Comércio absorvia um significativo número de trabalhadores em alguns


municípios, sobretudo naqueles com maior centralidade e polarização econômica. Em
Eunápolis, gerava 6.001 postos com carteira de trabalho assinada e respondia
isoladamente por cerca de um terço do emprego formal municipal (32,1%), se constituindo
no setor mais preponderante.

CPM RT 097/11 108 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

A atividade de Comércio também era expressiva em Porto Seguro mediante o estoque de


4.395 empregos (21,8% do total). Em Canavieiras, o setor contava com 473 vagas – o
equivalente a 20,2% dos vínculos formais. Já em Guaratinga, respondia por 12,3% do
total (194 vagas).

Ainda no setor terciário, os Serviços desempenhavam um papel importante na estrutura


do mercado formal laboral. No município de Porto Seguro, geravam um expressivo
contingente de 9.319 empregos no ano de 2009, que respondia por uma significativa
proporção de 46,2% dos vínculos empregatícios existentes. Esse desempenho está muito
associado às vagas criadas no segmento de alojamento (hotéis, pousadas e similares) e
alimentação, em função do franco desenvolvimento das atividades turísticas.

Em Eunápolis, os Serviços eram igualmente expressivos na estrutura de emprego na


medida em que os 4.809 postos correspondiam a cerca de um quarto (25,8%) do estoque
de empregos existente.

Quais são as ocupações que mais empregam na AID?

Ainda com base nos dados da RAIS de 2009 será procedida uma análise das ocupações
que apresentam os maiores estoques de vínculos empregatícios na área de influência
direta, ou seja, aquelas que são mais empregadoras.

No caso do município de Encruzilhada, as principais ocupações que mais geravam


empregos estavam relacionadas ao setor de Administração Pública dada a
preponderância do mesmo: faxineiro (239 empregos ou 16,3% do total), professor da
educação de jovens e adultos do ensino fundamental (primeira a quarta série) – 157
vagas ou 10,7% – e Professor de nível médio no ensino fundamental (150 postos).
Também assumiam relevância as ocupações de Trabalhador da cultura de café (99
empregos) e trabalhador agropecuário em geral – 6,7% e 5,5% do total, respectivamente,
segundo tabela abaixo.

Conforme já mencionado antes, a ocupação de trabalhador polivalente da confecção de


calçados era, disparadamente, a mais representativa nos municípios de Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique e Potiraguá. Nestes municípios também era significante
a ocupação de professor. Merecia destaque ainda a ocupação de trabalhador da pecuária
bovina (corte) em Itarantim (184 postos ou 10,6% do total), Macarani (135 ou 6,9%),
Potiraguá (56 ou 5,2%) e Maiquinique (36 ou 3,7% do total).

Tratando-se dos municípios inseridos no Extremo Sul do Estado da Bahia, se destacava a


ocupação de vendedor de comércio varejista em Porto Seguro – 1.224 empregos ou 6,1%
do total – e em Eunápolis, mediante a existência de 1.088 postos (5,8% do total).

Em Porto Seguro, três ocupações diretamente associadas às atividades turísticas se


destacavam entre as principais: cozinheiro geral com 855 empregos (4,2% do total),
garçom, com 770 vínculos empregatícios (3,8% do total) e camareiro de hotel (641 vagas
ou 3,2%).
CPM RT 097/11 109 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

No município de Eunápolis, ainda mereciam destaques os significativos contingentes de


empregos existentes para as funções de auxiliar de escritório, em geral (902 postos ou
4,8%) e de assistente administrativo (715 vagas ou 3,8%). Em função das atividades de
silvicultura direcionadas para a indústria de celulose, a ocupação de trabalhador de
extração florestal, em geral gerava 622 empregos em dezembro de 2009, o
correspondente a 3,3% do emprego formal municipal.

Já em Itabela, a ocupação de serrador de madeira era a terceira mais representativa ao


contar com 180 vínculos (6,1% do total), atrás apenas das funções de dirigente do serviço
público municipal (922 empregos, o equivalente a 31,5%) e trabalhador agropecuário em
geral (414 ou 14,1%).

Já no âmbito dos municípios do Litoral Sul, em Canavieiras a ocupação mais


predominante era de assistente administrativo (410 postos ou 17,5% do total). Além das
funções vinculadas à administração pública, vale mencionar a de auxiliar de escritório, em
geral (94 vínculos ou 4,0%).

Em Mascote, predominavam as funções de professor e servente de obras. Tratando-se de


Santa Luzia, além da ocupação de professor de língua portuguesa do ensino fundamental
(234 vínculos ou 24,5%) se destacavam as de guarda civil municipal (70 vagas ou 7,3%
do total) e de cozinheiro geral (67) e, no setor privado, a ocupação de trabalhador da
cultura de cacau (46 postos ou 4,8% do total).

Quanto recebe um profissional na região?

A remuneração média mensal do emprego formal, em 31 de dezembro de 2009, variava


de um mínimo de R$ 563,62 em Santa Luzia até o máximo de R$ 1.088,10 em Eunápolis
– apenas nesse município o valor superava os R$ 1.000,00. Frente a esse contexto, em
todos os municípios, os salários pagos, em média, eram superiores a um salário mínimo.

Tratando-se dos salários pagos por setor de atividade econômica, observam-se algumas
particularidades que merecem destaque. Na Administração Pública, setor que mais
emprega no mercado formal em diversos municípios, a remuneração média mais baixa
era observada em Maiquinique (R$ 547,09) ao passo em que a mais elevada era
encontrada em Eunápolis (R$ 1.199,97). Os valores médios também eram superiores a
R$ 1.000,00 em Porto Seguro (R$ 1.182,29) e Santa Cruz Cabrália (R$ 1.166,36).

A Agropecuária caracterizavam-se por apresentar, de um modo geral, os menores níveis


de remuneração. Variava de R$ 506,76 no município de Encruzilhada até R$ 616,58 em
Porto Seguro. Desse modo, os salários pagos no setor agropecuário giravam em torno de
1,1 a 1,3 salário mínimo.

No caso da Indústria de Transformação nos municípios da região Sudoeste, os padrões


de remuneração não eram tão elevados e pouco superava o valor do salário mínimo em
CPM RT 097/11 110 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

dezembro de 2009 (R$ 465,00). Esse padrão é bastante determinado pelo tipo de
Indústria de Transformação que responde pela maioria das vagas do setor na região em
estudo, isto é, a indústria calçadista. Com efeito, entre os cinco municípios com unidades
fabris desse segmento, as remunerações oscilavam de 1,3 salário mínimo (em
Maiquinique) até 1,5 salário mínimo (em Itapetinga).

Por exemplo, a remuneração média correspondente ao significativo estoque de 10.713


vínculos empregatícios existentes na ocupação de trabalhador polivalente da indústria de
calçados no município de Itapetinga era de R$ 626,65 (cerca de 1,4 salário mínimo). A
mesma situação era observada em Maiquinique cujo contingente de 320 empregos dessa
ocupação apresentava uma remuneração média de R$ 584,44 (aproximadamente 1,3
salário mínimo).

Já em Eunápolis, os salários médios pagos na Indústria de Transformação giravam em


torno de R$ 2.444,85, o correspondente a cerca de 5,2 salários mínimos mensais. Esse
patamar muito mais elevado de remuneração estava diretamente associado aos padrões
de remuneração da indústria de celulose, no caso, da Veracel.

No Setor Terciário, os salários médios no Comércio oscilavam de 1,1 salário mínimo (em
Itarantim e Macarani) até 1,9 salário mínimo em Eunápolis (R$ 786,70). Já nos Serviços
os destaques ficavam por conta de Eunápolis (R$ 979,60 ou 2,1 salários mínimos) e
Maiquinique (R$ 925,99 ou cerca de dois salários mínimos).

Em Porto Seguro, a remuneração média do setor de Serviços era de R$ 767,19 (1,7


salário mínimo). É importante ressaltar que as três ocupações diretamente associadas ao
turismo e que figuram entre as cinco numericamente mais importantes do município,
apresentavam níveis salariais bastante abaixo da média do setor, conforme abaixo:

ƒ Camareiro de hotel (R$ 545,53 ou 1,2 salário mínimo)


ƒ Garçom (R$ 596,07 ou 1,3 salário mínimo)
ƒ Cozinheiro em geral (R$ 611,49 ou 1,3 salário mínimo)

Por fim, é necessário destacar que, em alguns municípios, determinados setores de


atividade econômica aparecem com um nível de remuneração bastante elevado em
comparação àqueles presentes em outros municípios. Em muitos casos, esse fato é
decorrente de um pequeno número existente de vínculos empregatícios que apresentam
elevados níveis de remuneração. Essa é a situação, por exemplo, observada em Itapebi,
cuja remuneração média do setor de Serviços Industriais de Utilidade Pública era de R$
7.218,38 (15,5 salários mínimos), mas correspondia a apenas sete vínculos
empregatícios.

Frente a esse contexto, para alguns casos específicos, a análise da estrutura setorial de
salários não pode prescindir da observação do número de empregos existentes em cada
setor, conforme consta nas tabelas de números de empregos formais, dispostas em
tópico anterior - Número de empregos formais e sua estrutura por setor de atividade
econômica.
CPM RT 097/11 111 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

A importância do segmento de papel e celulose na estrutura do emprego formal e


massa salarial regional e na área de influência do empreendimento

Conforme vimos, na região, prevalecem baixos níveis de formalidade nas relações de


trabalho, sobretudo no setor agropecuário, e na maioria dos municípios de pequeno e
médio porte há uma grande dependência do emprego na administração pública,
principalmente das prefeituras.

Segundo os dados do Censo 2000, do IBGE, cerca de 68,0% dos trabalhadores da região
Extremo Sul desempenham suas atividades no âmbito da informalidade. Mesmo sem
ainda dispor das informações do Censo 2010, é possível ter uma idéia de que os níveis
da informalidade ainda sejam elevados. Com efeito, com base nos dados da Contagem
da População 2007, a População em Idade Ativa (PIA) de 16 anos ou mais de idade do
Território de Identidade Extremo Sul era de 475 mil pessoas. Por outro lado, segundo as
informações da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) do Ministério do Trabalho e
Emprego (MTE), o número total de empregos formais existentes em dezembro de 2009
era de 106.586.

A agropecuária gerava apenas 14.287 empregos formais, o correspondente a 13,4% do


total de vínculos empregatícios. Por outro lado, a Administração Pública respondia pela
geração de 28.921 empregos, o correspondente a 27,1% do total. Ao excluirem-se do
conjunto do território os contingentes de vínculos dos quatro municípios de maior porte
demoeconômico – Eunápolis, Mucuri, Porto Seguro e Teixeira de Freitas – a participação
da Administração Pública no mercado formal de trabalho aumenta para 40,0%.

Em oito dos 21 municípios que integram o território, o emprego público respondia por
mais da metade de todo o mercado de trabalho formal, chegando a proporções
extremamente expressivas em Jucuruçu (76,7%), Alcobaça (70,7%), Itapebi (69,9%),
Itanhém (67,1%) e Vereda (66,9%).

CPM RT 097/11 112 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Número de empregos formais existentes em 31 de dezembro e empregos gerados pela


agropecuária e administração pública - Municípios do Território de Identidade Extremo
Sul, 2009
Emprego Emprego Setorial
Municípios
Total Agropecuária % Adm. Pública %
Alcobaça 1.544 195 12,6 1.091 70,7
Belmonte 1.643 357 21,7 829 50,5
Caravelas 2.573 367 14,3 951 37,0
Eunápolis 18.673 1.319 7,1 3.814 20,4
Guaratinga 1.577 235 14,9 1.027 65,1
Ibirapuã 1.369 563 41,1 428 31,3
Itabela 2.927 839 28,7 937 32,0
Itagimirim 684 145 21,2 434 63,5
Itamaraju 7.311 1.562 21,4 1.986 27,2
Itanhém 1.434 114 7,9 962 67,1
Itapebi 897 131 14,6 627 69,9
Jucuruçu 468 95 20,3 359 76,7
Lajedão 724 436 60,2 265 36,6
Medeiros Neto 2.242 312 13,9 781 34,8
Mucuri 8.236 1.192 14,5 2.035 24,7

Diante desse contexto de baixa formalização das relações de trabalho e de dependência


do emprego público, um empreendimento de porte a exemplo da moderna indústria de
celulose, assume grande importância no contexto regional. As informações referentes ao
empreendimento da Veracel implantado na região confirmam essa importância.

Considerando-se o conjunto dos dez municípios da área de atuação da empresa,


observa-se que o contingente de 3.174 empregos gerados pela empresa corresponde a
6,0% do total de 52.962 empregos formais existentes em dezembro de 2009. Ao
excluírem os 15.321 vínculos empregatícios da Administração Pública, a participação da
Veracel chega a 8,0% no mercado de trabalho formal.

Em diversos municípios a participação da Veracel no mercado laboral formal é ainda mais


relevante. No município de Belmonte, por exemplo, o contingente de 399 empregos
gerados pela Veracel corresponde a 24,3% de todo o emprego formal municipal (1.643
vínculos) e a praticamente a metade (49,0%) se excluídos os 814 postos gerados pela
Administração Pública. A participação é também bastante expressiva em Eunápolis
(10,4% do contingente formal total) e Itagimirim (10,8% no total e 29,6% ao excluir a
Administração Pública).

CPM RT 097/11 113 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Número de empregos formais existentes em 31 de dezembro de 2009 e empregos


gerados pela Veracel - Municípios da área de atuação direta da Veracel, 2009
Municípios Número Total Nº de Empregos % Nº Empregos Empregos Gerados pela Veracel
de Empregos Administração Adm. Públ. Excluindo a Total % no Emprego Formal Municipal
Formais Pública no Total Adm. Pública Total Excluindo Adm. Públ.
Eunápolis 18.673 3.814 20,4 14.859 1.934 10,4 13,0
Sta.C. Cabrália 3.100 1.285 41,5 1.815 45 1,5 2,5
Porto Seguro 20.173 4.299 21,3 15.874 406 2,0 2,6
Belmonte 1.643 829 50,5 814 399 24,3 49,0
Guaratinga 1.577 1.027 65,1 550 26 1,6 4,7
Itabela 2.927 937 32,0 1.990 180 6,1 9,0
Itagimirim 684 434 63,5 250 74 10,8 29,6
Itapebi 897 627 69,9 270 33 3,7 12,2
Canavieiras 2.342 1.394 59,5 948 - - -
Mascote 946 675 71,4 271 - - -
Outros - - - - 77 - -
Total 52.962 15.321 28,9 37.641 3.174 6,0 8,4
Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego - Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e Veracel

No âmbito da geração de renda, o empreendimento Veracel também demonstra os efeitos


positivos de um empreendimento desta natureza. Levando-se em conta o conjunto dos
dez municípios da área de atuação direta da empresa, a massa salarial oriunda dos
trabalhadores vinculados as atividades da Veracel representava 12,6% da massa salarial
total gerada pela totalidade dos empregos formais dos municípios, sendo que alcançava
cerca de 19,0% ao excluir-se a massa de rendimentos oriunda da Administração Pública,
conforme pode ser observado na tabela abaixo.

Em alguns municípios, a referida participação na massa salarial total era ainda mais
expressiva, a exemplo de Belmonte (22,1%), Itagimirim (16,9%) e Eunápolis (15,9%).

Massa salarial total mensal gerada pelo emprego formal dos municípios e pela Veracel -
Municípios da área de atuação direta da Veracel, 2009

Salário Massa Salarial Salário Médio Massa Salarial Massa Salarial Massa Salarial Veracel
Municípios Médio Total Adm. Pública Adm. Pública Excluindo a Total % Massa % Massa Excluindo
(Em R$) (Em R$) (Em R$) (Em R$) Adm Pública (Em R$) Total Adm. Pública
Eunápolis 1.088 20.316.224 1.200 4.576.800 15.739.424 3.234.325 15,9 20,5
Sta.C. Cabrália 881 2.731.100 1.166 1.498.310 1.232.790 58.414 2,1 4,7
Porto Seguro 831 16.763.763 1.182 5.081.418 11.682.345 2.092.582 12,5 17,9
Belmonte 868 1.426.124 941 780.089 646.035 314.783 22,1 48,7
Guaratinga 788 1.242.676 879 902.733 339.943 14.730 1,2 4,3
Itabela 722 2.113.294 846 792.702 1.320.592 183.254 8,7 13,9
Itagimirim 701 479.484 685 297.290 182.194 80.521 16,8 44,2
Itapebi 920 825.240 943 591.261 233.979 45.631 5,5 19,5
Canavieiras 646 1.512.932 689 960.466 552.466 - - -
Mascote 766 724.636 835 563.625 161.011 - - -
Outros - - - - - 29.673 - -
Total 909 48.135.473 1.047 16.044.694 32.090.779 6.053.913 12,6 18,9
Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego - Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e Veracel
Obs. A massa salarial da Veracel está ligeiramente superestimada em comparação com a massa salarial municipal já que os dados do Ministério e
do Trabalho e Emprego são referentes a dezembro de 2009 e neste mês o valor do salário mínimo vigente era de R$ 465,00.ao passo em que os dados
da Veracel são de julho de 2010 e já incorporam o valor do novo salário mínimo de R$ 510,00.

CPM RT 097/11 114 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Quais recursos financeiros vão ser gerados com a implantação dos


empreendimentos?

Fábrica de celulose

Os investimentos previstos para a implantação da nova unidade industrial Veracel II são


da ordem da R$ 3,0 bilhões de Reais, conforme veremos abaixo:

Investimentos previstos para a implantação da Veracel II.

Unidade Industrial  R$ x 1000  %

Custos Diretos
Indiretos  125.116 4,0%
Construção Civil  394.192 12,7%
Equipamentos e Materiais  1.440.362 46,5%
Montagem/Pintura/Isolamento 283.703 9,2%
Sobressalentes  43.044 1,4%
Frete  56.046 1,8%
Subtotal - Custos Diretos  2.342.463 75,7%
Custos Indiretos 
Instalações Temporárias  58.457 1,9%
Engenharia e Gerenciamento 256.268 8,3%
Pré-Operação e Assistência à partida 58.391 1,9%
Seguro Durante a Construção 17.513 0,6%
Subtotal - Custos Indiretos 390.629 12,6%
Total Geral - Sem Impostos 2.733.092 88,3%

Impostos e Taxas  362.274  11,7%


Unidade Industrial
3.095.366 100,0%
Investimento Total - Com Impostos e Taxas
Fonte: Estudo Veracel. Base: Nov/2007 

Quais taxas e impostos serão arrecadados com a implantação da fábrica de


celulose?

A tabela abaixo apresenta o detalhamento das Taxas e Impostos previstos para serem
recolhidos aos cofres públicos pela Veracel durante a implantação da Unidade Industrial
Veracel II.

CPM RT 097/11 115 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Taxas e Impostos Previstos na Implantação da Fábrica de Celulose.

Descrição R$ x 1000 %

ICMS 130.923 36,1%


IPI 46.864 12,9%
Taxas de Importação 18.782 5,2%
Despesas Alfandegárias 24.249 6,7%
ISS 20.091 5,5%
PIS / COFINS 113.823 31,4%
IR/CIDE 7.542 2,1%

Total - Taxas e Impostos 362.274 100,0%


Fonte: Estudo Veracel – base: nov/07.

Base florestal

A expansão florestal do empreendimento Veracel requer investimentos da ordem de 1,7


bilhão de Reais com aquisição de terras, implantação, manutenção e colheita florestal,
infraestrutura viária, equipamentos florestais, licenciamentos ambientais, além de
impostos e taxas. A tabela abaixo apresenta os investimentos previstos com a ampliação
da base florestal da Veracel até a primeira colheita.

Investimentos com a ampliação da base florestal da Veracel até a primeira colheita.

Fonte: Estudo Veracel – base: nov/07.

CPM RT 097/11 116 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Quais taxas e impostos serão arrecadados com a ampliação da base florestal?

Para fase de implantação da base florestal da ampliação da Veracel, que compreende


desde a aquisição de terras até primeira colheita, é estimada uma geração de impostos e
taxas da ordem de R$ 125 milhões de Reais. A tabela abaixo apresenta o detalhamento
da estimativa dos diferentes impostos e taxas a serem gerados.

Impostos e taxas a serem gerados na expansão da Base Florestal da Veracel.

Qual a situação socioeconômica dos municípios?

A avaliação da situação do desenvolvimento econômico e social dos municípios em


estudo foi realizada com base nos Índices de Desenvolvimento Econômico e Social dos
Municípios Baianos, elaborados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais
da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria Estadual do Planejamento (SEPLAN) do
Governo da Bahia.

Índice de Desenvolvimento Econômico

Desenvolvimento Econômico é definido como resultante dos níveis de infra-estrutura e de


qualificação da mão-de-obra e da renda gerada localmente. Assim, na construção do
Índice de Desenvolvimento Econômico estão incluídos os seguintes Índices:

ƒ INF - Índice de Infra-Estrutura: Considera um conjunto de informações quantitativas


sobre a infra-estrutura do município em termos de terminais telefônicos em serviço,
consumo de energia elétrica e quantidade de estabelecimentos bancários, comerciais e
de serviços.
ƒ IQM - Índice de Qualificação da Mão-de-obra: Considera o nível de escolaridade dos
trabalhadores ocupados no setor formal.
CPM RT 097/11 117 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

ƒ IPM - Índice do Produto Municipal: Considera o nível aproximado de geração de


renda do município em todos os setores da atividade econômica.

Com base nesta metodologia, verifica-se que, do conjunto dos municípios da Área de
Influência Direta, apenas sete (Eunápolis, Porto Seguro, Belmonte, Itagimirim, Itapetinga,
Macarani e Maiquinique) estavam situados entre os 100 mais bem desenvolvidos
economicamente no estado da Bahia.

Existem significativas diferenças ao compararem-se as posições ocupadas por esses


municípios no ranking estadual. Enquanto que Eunápolis (14º), e Itapetinga (20º)
figuravam entre os 20 primeiros do estado, Encruzilhada era apenas o 391º, Guaratinga o
279º e Santa Luzia o 275º. No caso de Porto Seguro, sua posição de 60º no ranking
estadual do Índice de Infra-estrutura (INF) revela uma situação comparativa desfavorável
em termos de disponibilidade de serviços de infra-estrutura, já que no IDE sua colocação
era a 39ª.

Índice de Desenvolvimento Econômico segundo seus componentes nos municípios


da Área de Influência Direta, 2006

MUNICÍPIOS IDE CLASSIF. INF CLASSIF. IQM CLASSIF. IPM CLASSIF.

Sudoeste
Encruzilhada 4.957,73 391º 4.919,27 394º 4.963,78 358º 4.990,40 95º
Itapetinga 5.076,43 20º 5.096,55 30º 5.122,40 13º 5.011,01 26º
Itarantim 5.004,68 119º 5.019,44 131º 5.007,80 112º 4.986,86 182º
Macarani 5.013,07 91º 5.014,97 144º 5.038,10 59º 4.986,26 204º
Maiquinique 5.045,46 42º 5.105,16 26º 5.047,35 47º 4.984,60 344º
Potiraguá 4.979,78 266º 4.969,89 264º 4.984,21 218º 4.985,25 283º
Extremo Sul
Belmonte 5.010,83 99º 5.044,86 76º 4.998,40 139º 4.989,42 112º
Eunápolis 5.109,66 14º 5.166,42 12º 5.112,24 14º 5.050,97 18º
Guaratinga 4.976,77 279º 4.969,47 266º 4.972,43 299º 4.988,44 133º
Itabela 5.010,63 101º 5.024,84 113º 5.015,77 91º 4.991,34 82º
Itagimirim 5.020,39 70º 5.086,20 36º 4.990,38 178º 4.985,22 289º
Itapebi 4.987,13 209º 4.981,95 223º 4.984,80 216º 4.994,64 60º
Porto Seguro 5.049,34 39º 5.063,16 60º 5.057,42 41º 5.027,53 23º
Santa Cruz Cabrália 4.988,95 196º 4.981,73 224º 4.993,97 163º 4.991,15 87º
Litoral Sul
Canavieiras 4.998,90 137º 5.020,38 126º 4.985,90 207º 4.990,50 93º
Mascote 4.989,12 195º 4.982,52 221º 4.999,45 134º 4.985,39 273º
Santa Luzia 4.977,21 275º 4.957,68 295º 4.988,56 189º 4.985,46 268º
Fonte: SEI, 2006.

CPM RT 097/11 118 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Tratando-se de Itagimirim, sua posição de 178º no ranking estadual do Índice de


Qualificação da Mão-de-Obra (IQM), era bem mais desfavorável do que aquela
correspondente no IDE (70º). O mesmo se observava em Belmonte – 139º no IQM e 99º
no IDE.

Índice de Desenvolvimento Social

O IDS está fundamentado no pressuposto de que a população dos municípios está sendo
atendida por serviços de educação e saúde, ao tempo em que tem acesso aos serviços
de água tratada e energia elétrica. Encerra também a idéia de que os chefes de família
recebem, de algum modo, uma remuneração mensal.

Para exprimir este conceito, o IDS é construído através dos seguintes índices:

ƒ INS - Índice do Nível de Saúde: Construído a partir das variáveis Doenças de


notificação obrigatória e Óbitos por sintomas, sinais e afecções mal definidos (este último
entendido como indicativo de deficiência do atendimento médico), o INS pressupõe que,
se a população estiver bem assistida na área de saúde e saneamento, os níveis de
ocorrência das doenças redutíveis por imunização e saneamento básico tendem a ser
baixos.
Na indisponibilidade de medidas de qualidade dos serviços de saúde para os municípios
baianos, procura-se aferir o nível de atendimento à população agregando indicadores
referentes à oferta de serviços como número de profissionais de saúde, estabelecimentos
de saúde, vacinações e leitos.

ƒ INE - Índice do Nível de Educação: O nível de educação é expresso através de


medidas quantitativas do atendimento em serviços de educação, na forma de matrículas
do ensino básico regular ao nível superior.

ƒ ISB - Índice dos Serviços Básicos: O índice dos serviços básicos é expresso através
das variáveis consumo de água tratada e de energia elétrica residencial, considerados
serviços essenciais.

ƒ IRMCH - Índice da Renda Média dos Chefes de Família: Este índice expressa o
rendimento médio dos chefes de família, supondo toda unidade familiar com um chefe
auferindo rendimento mensal.

Tratando-se do desenvolvimento social, observa-se um quadro bastante preocupante


para os municípios de Encruzilhada (411º), Potiraguá (326º) e Santa Luzia (308º), que
estavam situados entre o terço (1/3) dos mais vulneráveis do estado segundo o Índice de
Desenvolvimento Social (IDS). No caso de Encruzilhada, o município apresentava o
sétimo menor IDS do Estado da Bahia.

CPM RT 097/11 119 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Em compensação, os municípios de Eunápolis (9º) e Itapetinga (19º) figuram entre os 20


de maior IDS do Estado. A análise das dimensões contempladas pelo IDS aponta que a
questão da saúde causa preocupação na maioria dos municípios. Com base no Índice do
Nível de Saúde (INS), os municípios de Encruzilhada (382º), Santa Cruz Cabrália (308º) e
Mascote (291º) figuravam entre os 130 mais precários do estado. Merece destaque
também o péssimo posicionamento de Porto Seguro (258º), revelando uma assimetria em
comparação com a sua colocação (38º) no ranking geral do IDS.

No outro extremo, somente os municípios de Maiquinique (46º) e Eunápolis (49º)


situavam-se entre os 50 melhores do estado no que concerne à dimensão saúde.

Tratando-se do Índice do Nível de Educação (INE) observa-se que o município de


Encruzilhada figurava na 412ª posição do ranking estadual deste índice, ou seja, entre os
seis piores do estado. Igualmente preocupante era o posicionamento de Potiraguá (393º)
e Canavieiras (382º), conforme pode ser observado na tabela abaixo

Apesar de Eunápolis apresentar o melhor IDS dentre os municípios da Área de Influência


Direta e o 9º maior do estado, a sua posição no cenário estadual no que tange ao INE
(49º) não era das mais favoráveis. Descompasso ainda mais significativo se constatava
em Porto Seguro cuja colocação no INE era bastante inquietante (375º) e destoava
comparativamente a sua posição no ranking do IDS (38º).

Na tabela seguinte foram marcados em verde os municípios melhor classificados e, em


vermelho, aqueles de pior classificação pelo IDS dentre a totalidade dos municípios da
Área de Influência Direta. Os dados atípicos encontrados nestes municípios para os
índices que compõem seus IDS foram destacados em marrom.

CPM RT 097/11 120 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Índice de Desenvolvimento Social segundo seus componentes nos municípios da Área de


Influência Direta, 2006

MUNICÍPIOS IDS CLASSIF. INS CLASSIF. INE CLASSIF. ISB CLASSIF. IRMCH CLASSIF.

Sudoeste
Encruzilhada 4.903,62 411º 4.937,52 382º 4.863,36 412º 4.870,55 406º 4.943,62 308º
Itapetinga 5.104,00 19º 5.052,03 54º 5.038,01 102º 5.137,26 27º 5.190,24 19º
Itarantim 5.037,13 86º 5.043,98 75º 5.024,12 128º 5.054,05 91º 5.026,42 103º
Macarani 5.043,10 75º 5.013,49 156º 5.082,98 35º 5.070,12 76º 5.006,27 129º
Maiquinique 5.046,46 70º 5.054,93 46º 5.021,42 137º 5.107,34 47º 5.002,76 134º
Potiraguá 4.962,11 326º 5.013,96 154º 4.914,08 393º 4.941,25 314º 4.979,72 195º
Extremo Sul
Belmonte 5.041,98 76º 5.048,82 63º 5.056,56 70º 5.063,80 84º 4.999,00 150º
Eunápolis 5.136,69 9º 5.054,67 49º 5.060,50 61º 5.141,18 24º 5.294,01 8º
Guaratinga 4.989,21 215º 5.031,96 103º 4.964,04 299º 4.940,04 318º 5.021,39 108º
Itabela 5.015,40 125º 5.002,96 189º 4.966,75 284º 5.023,02 139º 5.069,41 69º
Itagimirim 5.057,29 60º 5.001,79 197º 5.072,07 46º 5.040,37 110º 5.115,61 42º
Itapebi 5.022,87 109º 4.986,03 248º 5.034,91 107º 5.039,21 116º 5.031,50 99º
Porto Seguro 5.077,72 38º 4.982,94 258º 4.928,84 375º 5.112,27 43º 5.294,56 7º
Santa Cruz Cabrália 5.017,74 117º 4.967,28 308º 4.951,28 330º 4.972,73 234º 5.183,21 21º
Extremo Sul
Canavieiras 5.000,16 171º 4.988,18 242º 4.921,02 382º 5.045,30 102º 5.047,20 85º
Mascote 5.009,62 138º 4.972,41 291º 5.040,57 96º 5.043,23 105º 4.982,67 190º
Santa Luzia 4.966,67 308º 4.981,03 263º 4.963,92 300º 4.967,50 251º 4.954,27 275º
Fonte: SEI, 2006.

A tabela síntese abaixo apresenta os municípios segundo a sua classificação estadual, de


acordo com os Índices de Desenvolvimento Econômico e Social. No caso de Potiraguá,
merece destaque o expressivo descompasso existente entre os níveis de
desenvolvimento econômico e social, uma vez que sua posição no ranking estadual
segundo o IDS (326º) era 60 posições inferior daquela verificada no IDE (266º).

A mesma característica, com menor intensidade, pode ser observada em Mascote já que
o município desfrutava do 137º lugar no ranking do IDE e apenas 171º no caso do IDS e
em Maiquinique – 42º no IDE e 70º no IDS.

Em alguns municípios, o descompasso se dava no sentido inverso, ou seja, o


desenvolvimento social era muito mais expressivo do que o econômico. Em Itapebi, por
exemplo, enquanto o município desfrutava da 109ª posição no IDS, estava situado
apenas na 209ª colocação no ranking do IDE. Situação análoga ocorre em Santa Cruz
Cabrália, que conta com IDS na 117ª posição, contra apenas a 196ª para seu IDE.

CPM RT 097/11 121 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Na tabela seguinte foram marcados em verde os municípios melhor classificados


simultaneamente quanto aos IDE e IDS e, em vermelho, aqueles de pior classificação
para os mesmos índices dentre a totalidade dos municípios da Área de Influência Direta.
Os dados atípicos encontrados nos municípios entre o IDE e o IDS foram destacados em
marrom.

Classificação dos municípios de acordo com os Índices de Desenvolvimento Econômico e


Social nos municípios da Área de Influência Direta, 2006
MUNICÍPIOS IDE IDS
Sudoeste
Encruzilhada 391º 411º
Itapetinga 20º 19º
Itarantim 119º 86º
Macarani 91º 75º
Maiquinique 42º 70º
Potiraguá 266º 326º
Extremo Sul
Belmonte 99º 76º
Eunápolis 14º 9º
Guaratinga 279º 215º
Itabela 101º 125º
Itagimirim 70º 60º
Itapebi 209º 109º
Porto Seguro 39º 38º
Santa Cruz Cabrália 196º 117º
Litoral Sul
Mascote 137º 171º
Canavieiras 195º 138º
Santa Luzia 275º 308º
Fonte: SEI

Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M)

Por intermédio do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) – elaborado


pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em parceria com o
IPEA e a Fundação João Pinheiro – também é possível avaliar a situação do
desenvolvimento nos municípios em estudo.

O IDH trata-se de um índice que busca medir o nível de desenvolvimento de uma


determinada unidade geográfica sob a perspectiva mais ampla do que a simples relação
entre o produto interno bruto e a população. Para tanto, incorpora as dimensões
longevidade e educação. O que está por trás dessa combinação é a idéia de que o
crescimento material de um país, refletido na renda per capita, deve vir acompanhado de
um aumento na esperança de vida de seus habitantes e de uma expansão nas condições
de educação, de modo a tornar efetivamente universal esse crescimento.

CPM RT 097/11 122 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Para efeito de análise comparada entre países e outras unidades geográficas, o PNUD
estabeleceu três categorias de desenvolvimento em função dos valores do índice:

ƒ 0,000 ≤ IDH < 0,500 – Baixo desenvolvimento humano

ƒ 0,500 ≤ IDH < 0,800 – Médio desenvolvimento humano

ƒ 0,800 ≤ IDH ≤ 1,000 – Alto desenvolvimento humano

Pelo fato de demandar informações dos censos demográficos (de realização decenal), as
últimas informações disponíveis acerca do IDH-M se referem ao ano 2000.

Segundo as informações explicitadas na tabela abaixo, se observa que, seguindo uma


tendência nacional, todos os municípios em estudo apresentaram evolução do IDH-M
entre 1991 e 2000.

Os municípios de Encruzilhada, Belmonte, Guaratinga, Mascote e Santa Luzia, que


figuravam na condição de baixo desenvolvimento humano em 1991 (IDH abaixo de
0,5000), evoluíram e passaram a figurar entre aqueles de médio desenvolvimento
humano. Neste conjunto, os grandes destaques foram Encruzilhada e Belmonte que
também melhoraram a sua posição no ranking estadual – da 356ª para 293ª e da 271ª
para 223ª, respectivamente. Já os municípios de Guaratinga, Mascote e Santa Luzia, em
que pese a evolução do índice, perderam posições no ranking, conforme pode ser visto
na tabela abaixo.

Na tabela seguinte foram marcados em verde os municípios melhor classificados quanto


ao IDH-M e, em vermelho, aqueles de pior classificação para o mesmo índice dentre a
totalidade dos municípios da Área de Influência Direta. Os destaques de ganho e perda
de posições do IDH-M entre 1991 e 2000 foram salientados em verde e vermelho
negritados, respectivamente (com exceção de Encruzilhada, que ganhou várias posições,
porém ainda apresenta uma classificação muito baixa).

CPM RT 097/11 123 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) nos municípios da Área de


Influência Direta, 1991 e 2000.
IDH-M RANKING ESTADUAL
MUNICÍPIOS
1991 2000 1991 2000
Sudoeste
Encruzilhada 0,465 0,602 356º 293º
Itapetinga 0,614 0,700 24º 24º
Itarantim 0,528 0,659 148º 77º
Macarani 0,510 0,637 219º 151º
Maiquinique 0,505 0,623 242º 207º
Potiraguá 0,512 0,605 207º 281º
Extremo Sul
Belmonte 0,493 0,618 271º 223º
Eunápolis 0,607 0,704 27º 20º
Guaratinga 0,485 0,593 297º 323º
Itabela 0,524 0,637 222º 150º
Itagimirim 0,509 0,633 222º 169º
Itapebi 0,505 0,636 241º 156º
Porto Seguro 0,590 0,699 40º 25º
Santa Cruz Cabrália 0,560 0,688 73º 36º
Litoral Sul
Canavieiras 0,523 0,639 164º 142º
Mascote 0,481 0,596 309º 314º
Santa Luzia 0,466 0,583 355º 359º
Fonte: PNUD/IPEA/FJP - Atlas do Desenvolvimento Humano.

Além de possuir em 2000 o mais elevado IDH-M do grupo de municípios da Área de


Influência Direta (0,704), Eunápolis apresentou uma expressiva melhora no ranking, ao
passar do 27º lugar em 1991 para o 20º em 2000.

O município de Santa Cruz Cabrália também experimentou uma significativa evolução,


tanto do IDH-M (de 0,560 para 0,688) quanto do seu posicionamento do ranking (de 73º
para 36º).

Em Porto Seguro, o crescimento do IDH-M de 0,590 em 1991 para 0,699 em 2000 fez
com que o município conquistasse 15 posições na classificação estadual, ao passar de
40º para 25º.

Frente ao universo dos municípios em análise, além de Eunápolis, Santa Cruz Cabrália e
Porto Seguro, apenas Itapetinga (24º) figurava entre os 100 melhores situados do estado
da Bahia no ano de 2000.

CPM RT 097/11 124 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Já os municípios de Santa Luzia (359º) e Guaratinga (323º), além de possuírem o menor


IDH-M dentre os 17 em estudo, também figuravam entre os 100 piores municípios
baianos em matéria de desenvolvimento humano em 2000, com base no IDH.

Evolução da produção agropecuária

Região sudoeste

No âmbito das lavouras temporárias, observa-se que em todos os municípios em estudo


da região Sudoeste, a produção de feijão, milho e mandioca e cana-de-açúcar se faz
presente, e são praticamente estas as principais culturas exploradas.

Entre os anos de 2002 e 2008, observa-se que a área colhida e a produção de


praticamente todas as culturas mencionadas anteriormente sofreram declínio. A exceção
ficou por conta dos plantios de feijão e milho no município de Encruzilhada. A quantidade
de feijão produzida cresceu cerca de 527,7%, ao passar de 462 toneladas, em 2002, para
2.900 toneladas em 2008, em decorrência da expansão da área colhida de 1.150 para
3.450 hectares. Já a produção de mandioca, a segunda cultura temporária mais
importante do município, cresceu 98% (de 12.000 para 23.760 toneladas), fruto da forte
expansão da área colhida (de 1.000 para 1.980 hectares).

O cultivo da cana-de-açúcar também se faz presente, assumindo relevância nos


municípios de Itarantim, que cultivava 625 hectares, em 2008, rendendo uma produção de
29.375 toneladas, e em Encruzilhada, embora este último tenha registrado uma redução
na área plantada, passando de 200 hectares, em 2002, para 60 hectares, em 2008. A
produção obtida, no citado município, em 2008, foi de 3.600 toneladas.

Área colhida, quantidade produzida e valor da produção dos principais produtos da


Lavoura Temporária Municípios da região Sudoeste da AID - 2002 e 2008.
Área colhida Quantidade Valor da produção (mil
Municípios da região Sudoeste Principais (hectares) produzida Reais)
da AID Produtos
2002 2008 2002 2008 2008
Abacaxi (mil
- 8 - 176 88
frutos)
Cana-de-açúcar
200 60 9.000 3.600 324
(t)
Feijão (em grão)
1.150 3.450 462 2.900 3.335
Encruzilhada (t)
Mamona (baga)
- 10 - 6 3
(t)
Mandioca (t) 1.000 1.980 12.000 23.760 2.020
Milho (em grão)
400 1.450 120 1.890 756
(t)
Cana-de-açúcar
Itapetinga 30 28 1.410 1.316 68
(t)

CPM RT 097/11 125 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Área colhida, quantidade produzida e valor da produção dos principais produtos da


Lavoura Temporária Municípios da região Sudoeste da AID - 2002 e 2008. (Conitnuação)
Área colhida Quantidade Valor da produção (mil
Municípios da região Sudoeste Principais (hectares) produzida Reais)
da AID Produtos
2002 2008 2002 2008 2008
Cana-de-açúcar
630 625 31.500 29.375 2.056
(t)
Itarantim
Feijão (em grão)
180 10 108 6 8
(t)
Cana-de-açúcar
76 121 3.572 5.808 436
(t)
Macarani
Feijão (em grão)
126 30 76 18 23
(t)
Feijão (em grão)
Maiquinique 78 30 46 18 23
(t)
Feijão (em grão)
31 15 19 9 12
(t)
Potiraguá Mandioca (t) 56 56 672 672 47
Milho (em grão)
62 62 71 74 19
(t)
Fonte: IBGE - Produção Agrícola Municipal - 2002 e 2008.

Tratando-se das culturas permanentes, as informações da Produção Agrícola Municipal


(PAM) do IBGE apontavam a produção de café, banana, cacau, laranja, maracujá e coco-
da-baía, como as mais expressivas.

Culturas permanentes são culturas de longa duração, que podem proporcionar colheitas
por vários anos sucessivos, sem necessidade de novos plantios.

Nesse contexto, merece destaque o plantio de café no município de Encruzilhada que,


embora tenha apresentado uma redução na área colhida, de 5.000 para 3.600 hectares
entre 2000 e 2008, ainda é a cultura mais importante. A quantidade produzida declinou de
5.580 para 2.808 toneladas, revelando, portanto, perda de produtividade – de 1.170 para
780 quilogramas/hectare durante o referido período. A produção de café se constitui numa
importante fonte de renda para o município, já que o valor da produção em 2008 atingiu
R$ 10 milhões.

O cultivo da Banana também se destaca no município de Encruzilhada. A área colhida


cresceu 212% (de 800 para 2.500 hectares) entre 2000 e 2008. A produção cresceu
exponencialmente de 8.000 para 35.000 toneladas. Como conseqüência, o nível de
produtividade cresceu de 10 para 14 toneladas por hectares. O valor da produção em
2008 alcançou R$ 22 milhões.

Ainda em Encruzilhada, foi observado o plantio de 29 hectares de maracujá no ano de


2008, que resultou numa produção de 348 toneladas. Nos demais municípios, merece
destaque apenas o cultivo do cacau em Potiraguá, cuja área colhida cresceu 164,6%, ao
passar de 405 para 1.072 hectares, entre 2002 e 2008. A quantidade produzida evoluiu
313%, passando de 61 para 252 toneladas. A produtividade também aumentou, ao passar
de 150 para 235 quilogramas/hectare.
CPM RT 097/11 126 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Área colhida, quantidade produzida e valor da produção dos principais produtos da


Lavoura Permanente Municípios da região Sudoeste da AID - 2002 e 2008

Valor da
Municípios da Área colhida
Quantidade produzida produção
região Sudoeste da Principais Produtos (Hectares)
(Mil Reais)
AID
2002 2008 2002 2008 2008
Banana (t) 800 2500 8000 35000 22050
Café (em grão) (t) 5.000 3.600 5850 2.808 9.968
Coco-da-baía
- 55 - 220 77
Encruzilhada (mil frutos)
Laranja (t) - 30 - 390 70
Mamão (t) - 5 - 125 38
Maracujá (t) - 29 - 348 94
Banana (t) 5 5 25 35 21
Itapetinga
Cacau (em amêndoa) (t) - 10 - 3 11
Banana (t) 8 7 48 42 32
Itarantim
Laranja (t) 15 10 120 80 13
Banana (t) 4 4 24 26 18
Macarani
Café (em grão) (t) 45 40 27 24 64
Maiquinique Banana (t) 6 6 30 39 27
Banana (t) 48 46 336 322 225
Potiraguá Cacau (em amêndoa) (t) 405 1.072 61 252 630
Coco-da-baía
3 3 9 9 4
(mil frutos)
Fonte: IBGE - Produção Agrícola Municipal - 2002, 2008.

Nas lavouras temporárias, observando-se pela ordem dos valores de produção, em 2008,
os cultivos da mandioca, cana-de-açúcar, feijão, abacaxi e milho são os principais
destaques da área de Influência Direta.

Principais Lavouras Temporárias - Área Colhida, Quantidade Produzida e Valor da


Produção Municípios da região Sudoeste da AID - 2002 e 2008

Área colhida Quantidade Valor da produção


Principais (hectares) produzida (mil Reais)
Produtos
2002 2008 2002 2008 2008
Abacaxi
270 271 5.670 7.469 1.893,00
(Mil Frutos)
Municípios da região Sudoeste na AID Cana-de-
5.881 6.146 275.067 285.127 11.741,00
açúcar (t)
Feijão (t) 2.079 3.883 1.115 3.219 3.748,00
Mandioca (t) 8.476 9.895 95.337 127.979 19.707,00
Milho (t) 1.059 1.797 761 2.203 852,00
Fonte: IBGE - Produção Agrícola Municipal - 2002, 2008.

CPM RT 097/11 127 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Em termos de evolução da produção, observaram-se acréscimos em todos os cinco


principais produtos da lavoura temporária nos municípios da AID na região Sudoeste
como mostra a figura abaixo.

Taxa de Crescimento dos Principais Produtos da Lavoura Temporária


Total da Área de Influência Direta
Em % De 2002 a 2008

200

160

120

80

40

0
Abacaxi (Mil Frutos) Cana-de-açucar (t) Feijão (t) Mandioca (t) Milho (t)

Fonte: IBGE/PAM

Taxa de crescimento dos principais produtos da Lavoura Temporária


Municípios da região Sudoeste da AID - 2002 a 2008

Região Extremo Sul

Do ponto de vista da espacialização da produção, percebe-se que os municípios da


região Extremo Sul apresentam uma agricultura bastante diversificada. A cultura que
gerou o maior valor de produção, em 2008, na citada região da AID foi a de mandioca, no
município de Eunápolis, alcançando a cifra de R$ 6,9 milhões. A cultura apresentou um
aumento da área colhida de 32%, igual percentual atingido pela quantidade produzida, no
período 2002 a 2008. Por sua vez, o rendimento médio da produção, ou seja, a
produtividade, se manteve a mesma – 12.000 quilogramas/hectare, situando-se um pouco
abaixo da média estadual, que era de 12.571 em 2002 e de 12.946 quilogramas/hectare
em 2008.

CPM RT 097/11 128 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

A mandioca é também bastante representativa nos municípios de Porto Seguro, Santa


Cruz Cabrália e Belmonte. Em Porto Seguro houve uma redução da área colhida,
passando de 1.200 hectares em 2002 para 985 em 2008. Em Santa Cruz Cabrália, no
mesmo período, houve aumento da área, de 1.100 para 1.220 hectares, com aumento na
produção de 13.000 para 14.640 toneladas. O município de Belmonte registrou uma
pequena expansão da área colhida (4,4%), alcançando uma produção de 6.816 toneladas
em 2008. Vale ressaltar que em todos esses municípios a produtividade era igual (12.000
quilogramas/hectare) e se manteve estável entre 2002 e 2008.

O cultivo do abacaxi no município de Itabela registrou uma redução da área colhida, que
caiu de 140 para 100 hectares entre 2002 e 2008. Entretanto, os ganhos de produtividade
(de 22 para 40 mil frutos/hectare) fizeram com que a quantidade produzida saltasse de
3,1 para 4,0 milhões de frutos.

Ainda em relação às lavouras temporárias, a cana-de-açúcar é cultivada em todos os


municípios da região Extremo Sul, sendo mais expressivas as quantidades produzidas
nos municípios de Eunápolis e Santa Cruz Cabrália. Neste último, muito influenciada pela
presença da Usina Santa Cruz. Em Eunápolis houve um aumento de cerca de 3% tanto
na área colhida quanto na quantidade produzida, esta última tendo atingido 161.350
toneladas em 2008. Em Santa Cruz Cabrália a cultura teve um avanço na área colhida, de
900 para 1.080 hectares, assim como na produção, de 36.000 para 43.560 toneladas. Os
níveis de produtividade eram de 50 toneladas por hectare em Eunápolis e de 40 toneladas
por hectare em Santa Cruz Cabrália, tanto no ano de 2002 quanto no ano de 2008. Vale
ressaltar que no conjunto do estado da Bahia a produtividade era maior em 2008 (cerca
de 56 toneladas/hectare).

CPM RT 097/11 129 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Área colhida, quantidade produzida e valor da produção dos principais produtos da


Lavoura Temporária Municípios da região Extremo Sul da AID - 2002 e 2008
Área colhida Quantidade Valor da produção (mil
Municípios da região Extremo Principais (Hectares) produzida Reais)
Sulda AID Produtos
2002 2008 2002 2008 2008
Abacaxi (mil
50 26 900 468 192
frutos)
Cana-de-açúcar (t) 75 88 3.000 3.520 134
Feijão (em grão)
Belmonte 10 18 4 11 19
(t)
Mandioca (t) 544 568 6.528 6.816 1.840
Melancia (t) 30 90 600 1.350 365
Milho (em grão) (t) 55 28 45 23 6
Abacaxi (mil
10 27 150 405 105
frutos)
Cana-de-açúcar (t) 3140 3227 157.000 161.350 5.647
Feijão (em grão)
55 13 44 10 2
(t)
Eunápolis
Mandioca (t) 1700 2255 20.400 27.060 6.900
Melancia (t) 120 20 1.920 400 180
Milho (em grão) (t) 90 102 72 82 26
Tomate (t) 20 1 600 30 26
Cana-de-açúcar (t) 270 256 10.800 10.240 379
Feijão (em grão)
180 181 144 145 186
Guaratinga (t)
Mandioca (t) 333 340 3.996 4.080 1.102
Milho (em grão) (t) 40 30 24 18 7
Abacaxi (mil
140 100 3.080 4.000 960
frutos)
Cana-de-açúcar (t) 150 155 6.000 6.200 223
Itabela Feijão (em grão)
200 100 160 80 110
(t)
Mandioca (t) 405 453 4.860 5.436 652
Milho (em grão) (t) 100 70 80 56 21
Cana-de-açúcar (t) 30 14 1.200 560 20
Itagimirim
Mandioca (t) 412 290 4.944 3.480 418
Cana-de-açúcar (t) 180 223 7.200 8.920 339
Feijão (em grão)
15 3 10 2 3
Itapebi (t)
Mandioca (t) 63 60 851 810 97
Milho (em grão) (t) 10 7 8 6 2
Abacaxi (mil
20 60 440 1.320 343
frutos)
Porto Seguro Cana-de-açúcar (t) 150 213 6.000 8.520 298
Mandioca (t) 1.200 985 14.400 11.820 1.418
Melancia (t) 75 20 1.200 360 158
Abacaxi (mil
50 58 1.100 1.276 293
frutos)
Cana-de-açúcar (t) 900 1.089 36.000 43.560 1.655
Santa Cruz Cabrália Feijão (em grão)
50 3 40 2 3
(t)
Mandioca (t) 1.100 1.220 13.200 14.640 1.903
Milho (em grão) (t) 20 8 16 6 2
Fonte: IBGE - Produção Agrícola Municipal - 2002, 2008.

Os cinco mais importantes produtos da Lavoura Permanente nos municípios da AID na


CPM RT 097/11 130 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

região Extremo Sul pela ordem do Valor da Produção, em 2008, são: mamão, cacau,
coco-da-baia, banana e café, como pode ser visualizado na Tabela 468

Principais Lavouras Permanentes Área colhida, quantidade produzida e valor da produção


Municípios da região Extremo Sul da AID - 2002 e 2008.

Área colhida Quantidade Valor da produção (Mil


Principais Produtos (Hectares) produzida Reais)
2002 2008 2002 2008 2008
Municípios Banana (t) 1.864 3.689 15.414 43.491 29.118
da região Extremo
Sul Cacau (em amêndoa) (t) 58.400 62.902 11.856 13.513 59.319
da AID Café (em grão) (t) 9.408 9.570 8.526 6.857 23.046
Coco-da-baía (Mil
7.819 9.016 41.050 51.569 29.891
frutos)
Mamão (t) 3.011 4.518 116.770 270.440 108.163
Fonte: IBGE - Produção Agrícola Municipal - 2002, 2008.

As culturas permanentes mais relevantes e mais disseminadas em todos os municípios da


AID na região Extremo Sul são as de mamão e cacau. Com a diminuição considerável do
extrativismo madeireiro como atividade dinâmica e geradora de empregos, a produção de
mamão passou a se destacar no espaço regional como atividade capitalista voltada
predominantemente para o abastecimento do mercado interno, com participação
relevante na produção nacional.

Em Porto Seguro se encontra a maior produção de mamão entre os municípios da AID na


região Extremo Sul. Em 2002 o município plantou uma área de 1.000 hectares,
praticamente triplicando a área em 2008, quando colheu 2.970 hectares. A produção
obtida aumentou de 45.000 toneladas para 178.000 toneladas enrte os dois anos citados,
gerando um valor de produção de R$ 69,6 milhões em 2008. Esse excelente crescimento
da produção esteve diretamente associado so incremento da produtividade, que evoluiu
de 45.000 para 60.000 quilogramas/hectare, durante o período em análise.

Belmonte apresenta-se como o segundo maior produtor, havendo mais que duplicado a
área colhida de mamão, que passou, no período analisado, de 220 para 480 hectares. A
produção obtida também aumentou consideravelmente, evoluindo de 7.700 para 29.760
toneladas entre 2002 e 2008, propiciada pelo forte aumento de produtividade – de 35.000
para 62.000 quilogramas/hectare, superando inclusive a média estadual em 2008, que era
de 54.095 quilogramas/hectare.

A cultura do mamão também é importante nos municípios de Itabela, cuja produção, em


2008, atingiu 21.600 toneladas, Eunápolis (21.420 t) e Santa Cruz Cabrália (18.300 t).

A produção de cacau é predominante no município de Belmonte. Nele, a área colhida


apresentou uma pequena redução, de 11.875 para 10.167 hectares entre 2002 e 2008.
CPM RT 097/11 131 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Entretanto, os ganhos de produtividade (de 200 para 264 quilogramas/hectare) fizeram


com que a produção aumentasse de 2.375 para 2.688 toneladas, gerando um valor de
produção da ordem de R$11,9 milhões em 2008. A cultura de cacau é também expressiva
no município de Guaratinga, local onde a área colhida e a produção apresentaram
reduções de 7.576 para 7.007 hectares e 3.501 para 1.876 toneladas, respectivamente.
Como consequência, a produtividade declinou bastante ao passar de 462 para 267
quilogramas/hectare.

O café é uma cultura permanente que vem ganhando cada vez mais espaço na
agricultura dos municípios da região Extremo Sul. Em Itabela, a área colhida foi ampliada
de 1.900 para 2.353 hectares, e a quantidade produzida de 1.140 para 1.412 toneladas.
No município de Eunápolis, a área colhida foi ampliada em 24,0%, ao passar de 900 para
1.120 hectares entre 2000 e 2008. A produção cresceu de 540 para 672 toneladas
durante o mesmo período. Tanto em Itabela quanto em Eunápolis, o nível de
produtividade do café se manteve em 600 quilogramas/hectare – bastante abaixo daquela
correspondente à média estadual (1.085 quilogramas/hectare).

A região produz ainda, embora com menor representatividade econômica, coco-da-baía,


banana, borracha e maracujá.

Região litoral sul

Direcionando-se a análise da agricultura para os municípios da região Litoral Sul da AID,


observa-se que as lavouras temporárias apresentam pouca representatividade.

O destaque fica por conta do cultivo de mandioca, sobretudo no município de Canavieiras


cuja área colhida se expandiu de 1.178 para 1.200 hectares entre 2000 e 2008, fazendo
com que a produção se ampliasse de 8.398 para 23.563 toneladas.

Já em Santa Luzia, a área colhida de mandioca aumentou cerca de 34,0% (de 149 para
200 hectares) e a quantidade produzida praticamente dobrou, ao passar de 1.133 para
2.400 toneladas entre 2000 e 2008.

CPM RT 097/11 132 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Área colhida, quantidade produzida e valor da produção dos principais produtos da


Lavoura Temporária Municípios da região Litoral Sul da AID - 2002 e 2008

Municípios Área colhida Valor da produção


Quantidade produzida
da região (hectares) (mil Reais)
Principais Produtos
Litoral Sul
2002 2008 2002 2008 2008
da AID
Canavieiras Mandioca (t) 1.178 1.200 8.399 23.563 2.828
Mascote Mandioca (t) 72 40 700 380 34
Abacaxi (Mil frutos) - 6 - 90 54
Santa Luzia
Mandioca (t) 149 200 1.133 2.400 216
Fonte: IBGE - Produção Agrícola Municipal - 2002, 2008.

Em relação às culturas permanentes no Litoral Sul, verifica-se que nos municípios de


Canavieiras o cultivo do coco-da-baía desempenha um importante papel na agricultura
local. Entre 2000 e 2008, a área colhida foi ampliada em 62,3%, variando de 1.540 para
2.500 hectares. Durante esse mesmo período, a quantidade produzida mais que duplicou,
ao se incrementar de 7,7 para 17,5 milhões de frutos. O valor da produção em 2008 foi de
R$ 12,42 milhões e superava até mesmo o correspondente ao cacau, que, no mesmo
município, com uma área colhida de 8.393 hectares, gerou um valor de produção de R$
4,6 milhões.

Em Mascote e Santa Luzia é relevante o plantio de cacau. Mascote registrou uma área
colhida de 7.042 hectares, em 2002, e, em 2008, colheu uma área 77% maior (12.456
hectares), propiciando um aumento mais que proporcional na produção, que avançou
360%, saindo de 2.336 para 10.746 toneladas.

Em Mascote, a produtividade do cacau cresceu de 131 para 187 quilogramas/hectare


entre 2002 e 2008, e em Santa Luzia quase que duplicou, ao passar de 87 para 169
quilogramas/hectare. Entretanto, a produtividade nos dois municípios ainda era bastante
abaixo da média estadual (251 quilogramas/hectare) no ano de 2008.

Em Santa Luzia se destaca a cultura da banana, com forte acréscimo de produção de


2002 para 2008, período em que a produção aumentou 566%, atingindo 700 toneladas
em 2006. A respectiva área colhida teve o mesmo acréscimo percentual registrado pela
produção. O café também vem aumentando a sua importância na produção agrícola de
Santa Luzia. A área colhida evoluiu significativamente, crescendo de 228 para 346
hectares. Em conseqüência, a quantidade produzida ampliou de 164 para 554 toneladas,
perfazendo o valor de R$ 1,9 milhão no ano de 2008.

Os produtos mais expressivos da lavoura permanente, suas áreas colhidas, produções e


valores de produção, na região Litoral Sul da AID, podem ser visualizados na Tabela 673
a seguir.

CPM RT 097/11 133 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Área colhida, quantidade produzida e valor da produção dos principais produtos da


Lavoura Permanente Municípios da região Litoral Sul da AID - 2002 e 2008

Municípios Valor da produção


Área colhida (hectares) Quantidade produzida
da região (mil Reais)
Principais Produtos
Litoral Sul
2002 2008 2002 2008 2008
da AID
Banana (t) 14 30 98 390 222
Cacau (em amêndoa) (t) 9.356 8.393 917 1.255 4.581
Café (em grão) (t) - 38 - 38 89
Canavieiras
Coco-da-baía (Mil frutos) 1.540 2.500 7.700 17.500 12.425
Mamão (t) 4 20 30 400 316
Maracujá (t) 2 15 14 135 86
Banana (t) 30 60 210 420 235
Mascote Cacau (em amêndoa) (t) 7.042 12.456 926 2.336 10.746
Café (em grão) (t) 30 149 20 149 522
Banana (t) 15 100 105 700 406
Borracha (t) 228 220 103 54 59
Cacau (em amêndoa) (t) 10.880 14.591 947 2.467 11.348
Santa Luzia Café (em grão) (t) 228 346 164 554 1.939
Coco-da-baía (Mil frutos) 12 90 126 360 130
Goiaba (t) - 4 - 48 38
Pimenta-do-reino (t) 16 16 64 56 224
Fonte: IBGE - Produção Agrícola Municipal - 2002, 2008.

Evolução da pecuária

Os principais tipos de rebanhos e a criação animal

No conjunto de rebanhos que compõem a pecuária baiana, apresentam-se com alta


relevância em termos nacionais o efetivo bovino, 9º no ranking nacional, o caprino, que
ocupa o primeiro lugar, tendo um rebanho de 2,93 milhões de cabeças, e que representa
mais de 30% do total do Brasil, sendo seguido do efetivo de ovinos, situado no 2º lugar,
com um rebanho de 3,02 milhões, o qual representa cerca de 18% do total brasileiro.

Em que pese as posições alcançadas pelos efetivos caprino e ovino, o foco, neste estudo,
será dirigido para o rebanho bovino, tendo em vista a sua representatividade econômica e
por ser esta criação a que apresenta, na AID, os maiores registros nesta espécie animal.
Os efetivos caprino e ovino, embora estadual e nacionalmente importantes, se
concentram em outras regiões do território baiano.

Em relação à distribuição dos efetivos do rebanho bovino no território baiano, observa-se


que os mesmos, quando analisados por regiões econômicas, apresentam diferentes
intensidades, as quais são compatíveis com as aptidões regionais e com as
características e finalidades das criações.

CPM RT 097/11 134 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Nesse sentido, a região Sudoeste (15,4%), a Extremo Sul (13,9%) e a região Oeste
(11,7%), são aquelas onde se encontram os maiores rebanhos da espécie bovina. Em
relação às variações do efetivo no período 2002 a 2008, o rebanho estadual apresentou
uma ampliação da ordem de 12,6%. Os maiores acréscimos ocorreram na região
Nordeste (34,0%), Oeste (30,1%) e Sudoeste (23,7%). As maiores retrações foram
observadas na região Baixo Médio São Francisco (20,6%), Recôncavo Sul (13,0%) e
Extremo Sul (10,5%).

Rebanho bovino do estado da Bahia por Regiões Econômicas - Participação e Evolução -


2002 e 2008

2002 2008 Variação % do efetivo


Região Econômica
Efetivo Part % Efetivo Part % 2002 a 2008
Baixo-Médio São Francisco 230.883 2,34 183.416 1,65 -20,6
Chapada Diamantina 403.405 4,09 487.240 4,39 20,8
Extremo Sul 1.720.630 17,46 1.539.835 13,87 -10,5
Irecê 252.641 2,56 286.502 2,58 13,4
Litoral Norte 325.040 3,30 399.263 3,60 22,8
Litoral Sul 713.233 7,24 788.915 7,11 10,6
Médio São Francisco 621.043 6,30 721.466 6,50 16,2
Metropolitana de Salvador 38.784 0,39 38.128 0,34 -1,7
Nordeste 718.620 7,29 963.293 8,68 34,0
Oeste 1.000.282 10,15 1.301.522 11,73 30,1
Paraguaçu 1.016.521 10,31 1.090.685 9,83 7,3
Piemonte da Diamantina 435.787 4,42 521.437 4,70 19,7
Recôncavo Sul 426.070 4,32 370.714 3,34 -13,0
Serra Geral 569.661 5,78 696.044 6,27 22,2
Sudoeste 1.383.690 14,04 1.711.420 15,42 23,7
TOTAL DO ESTADO 9.856.290 100,00 11.099.880 100,00 12,6
Fonte: IBGE - PPM - 2002 e 2008.

Por município, o rebanho bovino se apresenta mais concentrado em Itamaraju, município


que, em 2008, tinha um rebanho de 156,8 mil cabeças, sendo, portanto, o detentor do
maior rebanho bovino do estado. Dentre os demais municípios estão alguns pertencentes
à AID, com diferentes classificações no ranking estadual. São eles: Guaratinga (144,3 mil
cabeças), ocupando o 2º posto; Itarantim (140,3 mil cabeças) e 6º lugar no ranking;
Macarani (105,8 mil cabeças) e posição 11ª; e Eunápolis (81,9 mil cabeças), situado na
18ª posição.

CPM RT 097/11 135 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Efetivos do rebanho bovino, ranking e variação Bahia e principais municípios produtores -


2002 a 2008

Ranking
Bahia e Efetivo Variação % do Efetivo 2002 a 2008
(ref. 2008)
Principais Municípios
2002 2008
Bahia 9.856.290 11.099.880 - 12,6
Itamaraju 148.365 156.783 1º 5,7
Guaratinga 137.680 144.341 2º 4,8
Itanhém 141.529 143.281 3º 1,2
Itapetinga 96.214 143.151 4º 48,8
Vitória da Conquista 92.612 142.165 5º 53,5
Itarantim 101.630 140.345 6º 38,1
Medeiros Neto 128.816 124.268 7º -3,5
Itambé 115.100 123.721 8º 7,5
Ibicuí 89.414 115.035 9º 28,7
Ipirá 102.000 110.320 10º 8,2
Macarani 58.280 105.828 11º 81,6
Wanderley 65.000 104.300 12º 60,5
Correntina 110.430 92.481 13º -16,3
Jacobina 68.536 88.489 14º 29,1
Prado 82.715 87.147 15º 5,4
Serra do Ramalho 42.121 84.254 16º 100,0
Muquém de São Francisco 79.300 82.625 17º 4,2
Eunápolis 97.228 81.894 18º -15,8
Xique-Xique 72.985 80.675 19º 10,5
Riachão das Neves 61.000 79.837 20º 30,9
Fonte: IBGE - PPM - 2002 e 2008.

De posse das informações da Pesquisa Pecuária Municipal (PPM) do IBGE, de 2002 e


2008, é possível traçar um perfil da estrutura e evolução recente dos principais rebanhos
na área em estudo.

Com base nos dados divulgados pelo IBGE, fica explícita a importância da bovinocultura
nos municípios objetos desta análise. Por outro lado, ademais de serem grande
produtores de bovinos, observa-se que, de 2002 a 2008, a AID ampliou a sua
participação, em relação ao total do rebanho estadual, de 9,7%, em 2002, para 10,7%, em
2008.

Entre os municípios da AID inseridos na região Extremo Sul, cabe evidenciar o tamanho
do efetivo bovino de Guaratinga no ano de 2008 (144.341 cabeças), se constituindo no
maior rebanho entre todos os 17 municípios estudados, representando 1,3% de todo o
plantel bovino do Estado. Estão, também, entre os mais relevantes, em 2008, os
rebanhos de Itarantim (140.345 cabeças), Eunápolis (81.894 cabeças) e Itapetinga
(143.151).

CPM RT 097/11 136 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Distribuição e evolução do rebanho bovino Bahia, Regiões Econômicas e Municípios da


AID - 2002 e 2008

Bahia, Regiões Econômicas e Municípios 2002 Part. % 2008 Part. % Variação % 1990 a 2008
Total do Estado 9.856.290 100,0 11.099.880 100,0 12,6
Municípios da AID 954.217 9,7 1.188.322 10,7 24,5
Sudoeste 339.522 3,4 554.012 5,0 63,2
Encruzilhada 35.000 0,4 38.505 0,3 10,0
Itapetinga 96.214 1,0 143.151 1,3 48,8
Itarantim 101.630 1,0 140.345 1,3 38,1
Macarani 58.280 0,6 105.828 1,0 81,6
Maiquinique 32.190 0,3 51.296 0,5 59,4
Potiraguá 16.208 0,2 74.887 0,7 362,0
Extremo Sul 581.953 5,9 539.527 4,9 -7,3
Belmonte 47.472 0,5 47.623 0,4 0,3
Eunápolis 97.228 1,0 81.894 0,7 -15,8
Guaratinga 137.680 1,4 144.341 1,3 4,8
Itabela 57.542 0,6 49.392 0,4 -14,2
Itagimirim 87.099 0,9 71.858 0,6 -17,5
Itapebi 65.481 0,7 76.485 0,7 16,8
Porto Seguro 65.522 0,7 50.438 0,5 -23,0
Santa Cruz Cabrália 23.929 0,2 17.496 0,2 -26,9
Litoral Sul 32.742 0,3 94.783 0,9 189,5
Canavieiras 10.300 0,1 65.823 0,6 539,1
Mascote 16.105 0,2 22.560 0,2 40,1
Santa Luzia 6.337 0,1 6.400 0,1 1,0
Fonte: IBGE - PPM - 2002 e 2008.

A grande participação da pecuária bovina apresentada pela AID pode ser observada na
Figura 985 abaixo, a qual evidencia que o conjunto dos 17 municípios da citada área
alcança 10,7% do total da pecuária bovina de todo o estado da Bahia.

CPM RT 097/11 137 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Participação da Pecuária Bovina da Área de Influência


Direta no Total do Estado, em 2008.

10,7%

89,3%

Fonte: IBGE/PPM

Area de Influência Direta Outras Regiões do Estado

Participação da pecuária bovina da AID no Estado da Bahia.

Outra evidência, neste caso simbólica e emblemática, da importância da pecuária para a


economia da AID é o conjunto de estátuas de bois na praça Dairy Valley, a principal da
cidade de Itapetinga, na região Sudoeste, conforme pode ser visto na figura seguinte.

Região Sudoeste

Com base em uma leitura regionalizada e observando-se os planteis municipais, percebe-


se que, no âmbito dos municípios da região Sudoeste, que representava 5,0% do rebanho
total do Estado, em 2008, merece destaque a evolução da bovinocultura em Itapetinga,
que acusou um aumento do rebanho da ordem de 48,8%, passando de 96.214 cabeças
para 143.151 cabeças em 2008; o município de Itarantim, cujo rebanho cresceu 38,1% de
2002 para 2008, saindo de 101.630 para 140.345 cabeças e Macarani, com um aumento
de 81,6%, fazendo o rebanho saltar de 58.280 para 105.828 cabeças. Um avanço
bastante expressivo no tamanho do plantel ocorreu em Potiraguá, cujo rebanho cresceu
362%, passando de 16.208 para 74.887 cabeças. A região apresenta outros planteis, a
exemplo do criatório de eqüinos, asininos, muares, suínos, caprinos, ovinos e aves, os
quais assumem a maior expressividade no município de Encruzilhada.

CPM RT 097/11 138 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Efetivo e evolução dos principais rebanhos da Pecuária Municípios da região Sudoeste da


AID - 2002 e 2008

Municípios da região Ano Var.%


Tipo de rebanho
Sudoeste da AID 2002 2008 2008/2002
Bovino 35.000 38.505 10,01
Equino 3.600 3.695 2,64
Asinino 3.070 2.851 -7,13
Muar 2.100 2.058 -2,00
Encruzilhada
Suíno 4.930 5.582 13,23
Caprino 3.800 3.904 2,74
Ovino 3.900 4.425 13,46
Aves 41.900 35.878 -14,37
Bovino 96.214 143.151 48,78
Equino 1.186 1.766 48,90
Itapetinga Muar 850 1.358 59,76
Ovino 1.712 2.871 67,70
Aves 4.573 5.706 24,78
Bovino 101.630 140.345 38,09
Equino 520 714 37,31
Bubalino 628 941 49,84
Itarantim
Muar 330 482 46,06
Ovino 2.010 3.012 49,85
Aves 14.752 20.189 36,86
Bovino 58.280 105.828 81,59
Equino 1.010 1.365 35,15
Muar 721 1.708 136,89
Macarani
Suíno 1.556 2.398 54,11
Ovino 1.286 1.802 40,12
Aves 8.329 14.088 69,14
Bovino 32.190 51.296 59,35
Suíno 2.069 3.233 56,26
Maiquinique
Ovino 760 1.322 73,95
Aves 11.780 15.840 34,47
Bovino 16.208 74.887 362,04
Equino 584 865 48,12
Muar 915 1.406 53,66
Potiraguá Suíno 564 907 60,82
Caprino 410 707 72,44
Ovino 1.300 2.180 67,69
Aves 3.241 4.968 53,29
Fonte: IBGE - PPM - 2002 e 2008.

CPM RT 097/11 139 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Região Extremo Sul

Na região Extremo Sul, cujo total dos municípios da AID aí inseridos representam 4,9% do
rebanho baiano, apenas os municípios de Guaratinga e Itapebí apresentaram aumento de
plantel no período 2002 a 2008, sendo, (4,8%) e (16,8%) e atingindo, em 2008, um
número de cabeças de 144.341 e 76.485, respectivamente. Os demais municípios,
também com grandes quantitativos, registraram retrações em seus rebanhos. O município
de Eunápolis, que apresenta o segundo maior rebanho entre os municípios da AID na
região Extremo Sul, registrou, de 2002 para 2008, um decréscimo de 15,8%, com o seu
quantitativo reduzindo-se de 97.228 para 81.894 cabeças. Os municípios de Guaratinga e
Eunápolis são também aqueles que apresentam os maiores rebanhos das outras mais
importantes espécies da agropecuária.

Efetivo e Evolução dos Principais rebanhos da Pecuária nos municípios da AID na Região
Extremo Sul.

Municípios da região Extremo Ano Var. %


Tipo de rebanho
Sul da AID 2002 2008 2008/2002
Bovino 47.472 47.623 0,32
Belmonte Suíno 2.047 1.720 -15,97
Aves 28.520 24.671 -13,50
Bovino 97.228 81.894 -15,77
Equino 799 825 3,25
Muar 841 950 12,96
Eunápolis Suíno 4.463 4.434 -0,65
Caprino 566 812 43,46
Ovino 1.206 1.431 18,66
Aves 87.611 94.635 8,02
Bovino 137.680 144.341 4,84
Equino 2.613 2.370 -9,30
Asinino 723 615 -14,94
Guaratinga
Muar 1.678 1.430 -14,78
Suíno 10.509 8.690 -17,31
Aves 74.318 43.595 -41,34
Bovino 57.542 49.392 -14,16
Itabela Suíno 739 653 -11,64
Aves 19.831 14.335 -27,71
Bovino 87.099 71.858 -17,50
Equino 1.570 1.318 -16,05
Bubalino 140 1.237 783,57
Itagimirim Muar 602 540 -10,30
Suíno 3.040 2.650 -12,83
Caprino 746 960 28,69
Aves 20.411 18.080 -11,42

CPM RT 097/11 140 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Efetivo e Evolução dos Principais rebanhos da Pecuária nos municípios da AID na Região
Extremo Sul. (Continuação)

Municípios da região Extremo Ano Var. %


Tipo de rebanho
Sul da AID 2002 2008 2008/2002
Bovino 65.481 76.485 16,80
Equino 1.518 1.490 -1,84
Muar 1.183 1.080 -8,71
Itapebi
Suíno 1.663 1.380 -17,02
Ovino 252 225 -10,71
Aves 8.598 7.175 -16,55
Bovino 65.522 50.438 -23,02
Bubalino - 3.460 -
Porto Seguro
Suíno 1.469 1.635 11,30
Aves 21.849 18.710 -14,37
Bovino 23.929 17.496 -26,88
Equino 622 540 -13,18
Santa Cruz Cabrália
Suíno 1.569 1.370 -12,68
Aves 20.543 14.805 -27,93
Fonte: IBGE - PPM - 2002 e 2008.

Região Litoral Sul

No Litoral Sul, os rebanhos dos municípios da AID representam conjuntamente 0,9% do


total do Estado. O município de Canavieiras apresentou, no lapso de tempo usado como
referência neste trabalho, um aumento exponencial (539,1%) de seu rebanho, indicando
uma tendência, no período, à uma certa pecuarização do referido espaço municipal. O
seu rebanho passou de 10.300 para 65.823 cabeças. Em Mascote a ampliação atingiu
40,1%, tendo o seu rebanho aumentado de 16.105 para 22560 cabeças. Em Santa Luzia
houve uma estabilização do tamanho do rebanho bovino, em torno de 6.400 cabeças.

A tabela a seguir detalha os principais rebanhos e as suas respectivas evoluções, nos


municípios da região Litoral Sul da AID, no período 2002 a 2008.

CPM RT 097/11 141 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Efetivo e Evolução dos Principais rebanhos da Pecuária Municípios da Região Litoral Sul
da AID - 2002 e 2008

Ano Var. %
Município Tipo de rebanho
2002 2008 2008/2002
Bovino 10.300 65.823 539,06
Muar 1.200 1.480 23,33
Canavieiras Suíno 4.300 5.632 30,98
Ovino 610 695 13,93
Aves 11.600 15.242 31,40
Bovino 16.105 22.560 40,08
Equino 990 690 -30,30
Mascote Muar 1.968 1.400 -28,86
Suíno 2.364 1.890 -20,05
Aves 1.773 1.190 -32,88
Bovino 6.337 6.400 0,99
Muar 927 690 -25,57
Santa Luzia
Suíno 1.525 1.040 -31,80
Aves 14.340 10.200 -28,87
Fonte: IBGE - PPM - 2002 e 2008.

A produção leiteira na Área de Influência Direta

Tendo em vista a expressividade do rebanho bovino nos municípios que compõem a AID,
a produção de leite, salvo naqueles casos que se pressupõe a especialização para
produção de carne, também se apresenta como relevante, tanto na região quanto em
relação ao total produzido pelo Estado da Bahia.

Em relação ao total produzido na Bahia, a AID, em 2008, tem uma participação de 9,2%,
bem próxima da participação do rebanho bovino (10,7%), como pode ser visualizado na
figura a seguir.

CPM RT 097/11 142 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Participação da Produção de Leite da Área de Influência


Direta no Total do Estado, em 2008.

9,2%

90,8%

Fonte: IBGE/PPM

Area de Influência Direta Outras Regiões do Estado

Participação da produção de leite da Área de Influência Direta

No período 2002 a 2008 a AID apresentou um substantivo aumento da produção de leite


da ordem de 64,2%, havendo o quantitativo aumentado de 53,5 milhões de litros, para
87,9 milhões de litros. O desempenho das regiões estudadas, no período, considerando-
se apenas os 17 municípios da AID, ocorreu com as seguintes intensidades: A região
Sudoeste registrou um aumento de 77,5%; a Extremo Sul, uma retração de 6,4% e a
Litoral Sul um recuo de 11,6%.

Entretanto, a distribuição da produção de leite apresenta algumas particularidades quando


discriminada por regiões. Diferentemente do que ocorre com os números do rebanho, cuja
maior participação se concentra na região Sudoeste (5%), No que tange à produção de
leite, a maior concentração ocorre no Extremo Sul (4,0%) e os municípios de Guaratinga
(1,1%), Itapebí (0,6%), Itagimirim (0,5%) e Eunápolis (0,5%) são os maiores produtores.
Tal fato evidencia a especialização dos municípios da citada região na criação de
rebanhos leiteiros, enquanto na região Sudoeste há uma indicação de predominância de
animais para a produção de carne.

CPM RT 097/11 143 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Produção de leite, participação relativa e variação das quantidades produzidas - 2002 a


2008 - Em 1.000 litros

Municípios 2002 Part. % 2008 Part. % Variação %


Total do Estado 752.026 100,0 952.414 100,0 26,65
Total Municípios da AID 53.573 7,1 87.951 9,2 64,17
Sudoeste 10.459 1,4 18.565 1,9 77,50
Encruzilhada 2.340 0,3 4.236 0,4 81,03
Itapetinga 2.676 0,4 3.816 0,4 42,60
Itarantim 2.271 0,3 3.086 0,3 35,89
Macarani 1.877 0,2 2.486 0,3 32,45
Maiquinique 726 0,1 1.213 0,1 67,08
Potiraguá 569 0,1 3.728 0,4 555,18
Extremo Sul 41.163 5,5 38.538 4,0 -6,38
Belmonte 3.780 0,5 3.419 0,4 -9,55
Eunápolis 6.684 0,9 4.506 0,5 -32,59
Guaratinga 9.665 1,3 10.827 1,1 12,02
Itabela 4.055 0,5 3.464 0,4 -14,57
Itagimirim 6.080 0,8 5.047 0,5 -16,99
Itapebi 4.554 0,6 5.639 0,6 23,83
Porto Seguro 4.668 0,6 3.944 0,4 -15,51
Santa Cruz Cabrália 1.677 0,2 1.692 0,2 0,89
Litoral Sul 1.951 0,3 1.724 0,2 -11,64
Canavieiras 354 0,0 444 0,0 25,42
Mascote 1.104 0,1 870 0,1 -21,20
Santa Luzia 493 0,1 410 0,0 -16,84
Fonte: IBGE - PPM - 2002 e 2008.

Em 2008, a produtividade média dos municípios da AID (484 litros/vaca/ano), em seu


conjunto, se posiciona abaixo da média do estado da Bahia (530 litros/vaca/ano). Entre os
municípios, os destaques pertencem aos municípios de Mascote (669 litros/vaca/ano),
Potiraguá (643 litros/vaca/ano) e Santa Luzia (594 litros/vaca/ano). Os piores
desempenhos recaem sobre os municípios de Macarani (297 litros/vaca/ano), Canavieiras
(306 litros/vaca/ano) e Itapetinga (321 litros/vaca/ano).

Quantidade produzida dos principais produtos da silvicultura

A produção da silvicultura assume relevância na área em estudo, sobretudo na região


Extremo Sul. Todos os municípios, menos Guaratinga que, em 2008, não aparece nas
estatísticas da Pesquisa da Extrativa Vegetal e Silvicultura (PEVES) realizada pelo IBGE,
são produtores. Essa atividade vem assumindo cada vez mais importância, tanto no Brasil
quanto no estado da Bahia, em função da relevância da sua produção para a economia.

CPM RT 097/11 144 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Na Região do Extremo Sul, há a presença de importantes empresas produtoras, que


implementam a silvicultura para a produção de matéria-prima para os seus processos de
produção. Nesse sentido, tem-se como exemplo a Suzano Bahia Sul, Fibria e Veracel
Celulose. Diante desse contexto, a produção da silvicultura na região vem sendo
incrementada ao longo dos últimos dez anos, de acordo com as demandas pela estrutura
produtiva da economia regional. Observa-se, portanto, uma forte participação da
produção de madeira em tora, especialmente aquela direcionada para a produção de
papel e celulose.

Com base nas informações disponibilizadas pelo IBGE, os municípios objeto deste
estudo, e que compõem a AID, respondem por 19,9% de toda a madeira em tora
destinada à produção de papel e celulose do estado da Bahia. Nesse sentido, o município
de Eunápolis tem uma participação de cerca de 8,2%, Belmonte 4,1%, Santa Cruz
Cabrália 3,5%, Porto Seguro 2,8%, Itabela 1,2%, Itagimirim 0,8% e Itapebi 0,6%.

O município de Itabela assume uma posição diferenciada, pois, além de produzir madeira
destinada à produção de celulose, ele é o município mais importante na produção de
toras destinadas a outros usos, representando 7,31% da produção baiana.

Conforme pode ser observado, a madeira em tora para papel e celulose é o principal
(praticamente o único) tipo de produto da silvicultura nos municípios da AID. Em função
disso, a quantidade produzida pode apresentar oscilações, em determinados anos, pois,
face à sua destinação, a produção resultante dos cortes está diretamente atrelada aos
ciclos de crescimento do produto (eucalipto) e às necessidades do seu uso como matéria-
prima (cortes a cada sete anos para produção de celulose).

No ano de 2008, a quantidade produzida de madeira em tora para papel e celulose atingiu
na AID 2,37 milhões de metros cúbicos. Nesse ano, a produção de Eunápolis
correspondeu a 983 mil metros cúbicos. Nos municípios de Itagimirim e Itapebi, em
contrapartida, a quantidade produzida de madeira assumiu dimensões modestas, sendo,
respectivamente, cerca de 96 mil e 75 mil metros cúbicos.

CPM RT 097/11 145 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Quantidade produzida na Silvicultura por tipo de produto nos municípios, com produção,
na área em estudo - 2002 e 2008

Ano Part. %
Município Tipo de produto da silvicultura
2002 2008
1 - Madeira em tora (m3) 5.643.324 12.126.280 100,00
Bahia 1.1 - Madeira, tora, p/ papel e celulose (m3) 5.135.648 11.924.025 100,00
1.2 - Madeira, tora. outras finalidades (m3) 507.676 202.255 100,00
1 - Madeira em tora (m3) 2.378.997 2.408.622 19,86
AID 1.1 - Madeira, tora, p/ papel e celulose (m3) 2.321.359 2.370.431 19,88
1.2 - Madeira, tora. outras finalidades (m3) 57.638 38.191 18,88
1 - Madeira em tora (m3) 41.591 486.474 4,01
Belmonte
1.1 - Madeira, tora, p/ papel e celulose (m3) 41.591 486.474 4,08
1 - Madeira em tora (m3) 1.102.528 1.006.475 8,30
Eunápolis 1.1 - Madeira, tora, p/ papel e celulose (m3) 1.044.890 983.073 8,24
1.2 - Madeira, tora. outras finalidades (m3) 57.638 23.402 11,57
1 - Madeira em tora (m3) 519.666 159.948 1,32
Itabela 1.1 - Madeira, tora, p/ papel e celulose (m3) 519.666 145.159 1,22
1.2 - Madeira, tora. outras finalidades (m3) - 14.789 7,31
1 - Madeira em tora (m3) - 95.955 0,79
Itagimirim
1.1 - Madeira, tora, p/ papel e celulose (m3) - 95.955 0,80
1 - Madeira em tora (m3) - 74.644 0,62
Itapebi
1.1 - Madeira, tora, p/ papel e celulose (m3) - 74.644 0,63
1 - Madeira em tora (m3) 190.971 336.980 2,78
Porto Seguro
1.1 - Madeira, tora, p/ papel e celulose (m3) 190.971 336.980 2,83
1 - Madeira em tora (m3) 524.241 418.745 3,45
Santa Cruz Cabrália
1.1 - Madeira, tora, p/ papel e celulose (m3) 524.241 418.745 3,51
Fonte: IBGE - PEVES - 2008.

Em relação à produção obtida pelo município de Eunápolis, maior produtor da AID, tal
produção situa o município como o quinto maior do estado em Silvicultura, com
representatividade de 8,2%. Na dianteira estão, em ordem de importância, Nova Viçosa
(19,7%), Mucuri (14,5%), Caravelas (14,3%) e Alcobaça (11,1%), conforme pode ser
observado na Tabela 487, que classifica os municípios do estado na produção da
silvicultura, em 2008.

CPM RT 097/11 146 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Produção da Silvicultura nos Municípios do Estado da Bahia e a participação nacional da


produção baiana, em 2008 - Em m3

Brasil, Bahia Participação


Produção (m3) Classificação na Bahia
e Município (%)
Brasil 58.181.842 100,0 -
Bahia/Brasil - 20,5 -
Bahia 11.924.025 100,0 -
Nova Viçosa 2.350.058 19,7 1º
Mucuri 1.728.489 14,5 2º
Caravelas 1.707.499 14,3 3º
Alcobaça 1.318.436 11,1 4º
Eunápolis 983.073 8,2 5º
Conde 535.602 4,5 6º
Belmonte 486.474 4,1 7º
Santa Cruz Cabrália 418.745 3,5 8º
Porto Seguro 336.980 2,8 9º
Alagoinhas 304.539 2,6 10º
Prado 255.398 2,1 11º
Ibirapuã 221.175 1,9 12º
Entre Rios 212.584 1,8 13º
Medeiros Neto 180.204 1,5 14º
Esplanada 164.884 1,4 15º
Itabela 145.159 1,2 16º
Teixeira de Freitas 115.401 1,0 17º
Itagimirim 95.955 0,8 18º
Itapebi 74.644 0,6 19º
Araças 59.927 0,5 20º
Lajedão 54.445 0,5 21º
Itamaraju 46.582 0,4 22º
Rio Real 42.372 0,4 23º
Vereda 26.706 0,2 24º
Inhambupe 23.134 0,2 25º
Acajutiba 22.610 0,2 26º
Itanhém 12.950 0,1 27º
Fonte: IBGE - PEVES - 2008.

Como é a agricultura familiar e a sua representatividade na região

Com base nos dados do Censo Agropecuário 2006 é possível identificar a importância da
presença da agricultura familiar nos municípios em estudo.

Para a finalidade do Censo Agropecuário 2006, o IBGE considerou os seguintes casos,


para identificação de pessoas que trabalhavam nos estabelecimentos agropecuários com
laços de parentesco com o produtor: cônjuge, filho (a), pai, mãe, sogro(a), avô, avó,
genro, nora, companheiro(a), menor sob guarda ou tutela, irmão(ã), neto(a), tio(a),
sobrinho(a), primo(a), cunhado(a), enteado do produtor.

CPM RT 097/11 147 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

A Ocupação Na Agricultura Familiar

No conjunto da área em estudo, as informações do Censo apontavam a existência de


22.138 trabalhadores ocupados na agricultura familiar ao final de dezembro de 2006, o
correspondente a 53,5% do total de pessoas ocupadas (41.391) no setor agropecuário.

No conjunto do Estado da Bahia, a proporção de trabalhadores ocupados na agricultura


familiar era de 80,9% do total, ou seja, cerca de 27,5 pontos percentuais acima da média
da área m estudo.

A maior incidência relativa de ocupação na agricultura familiar era observada no conjunto


dos três municípios inseridos no litoral sul – 56,6% do total. Já no total da subárea da
região sudoeste, se observava a menor proporção (50,4%). Entre os municípios, do ponto
de vista da ocupação, em nove deles, a agricultura familiar absorvia mais da metade dos
trabalhadores ocupados em estabelecimentos agropecuários.

As maiores proporções de ocupados na agricultura familiar se faziam presentes nos


municípios de Guaratinga (68,5%), Santa Luzia (66,1%), Encruzilhada (61,5%), Santa
Cruz Cabrália (59,1%) e Maiquinique (57,6%). Vale destacar que o maior percentual de
trabalhadores ocupados na agricultura familiar observado na área em estudo (68,5%, em
Guaratinga) estava situado 12,4 pontos percentuais abaixo daquele correspondente à
média estadual (80,9%).

Dentre o conjunto dos oito municípios que não apresentavam a maioria de trabalhadores
vinculados à agricultura familiar na estrutura ocupacional, os destaques ficavam por conta
de Itapetinga – com apenas 13,3% de pessoas ocupadas em atividades da agricultura
familiar – Itapebi (17,7%) e Potiraguá (24,7%). Nesses municípios havia um amplo
predomínio da agricultura não familiar (predominantemente empresarial) na absorção dos
trabalhadores ocupados nos estabelecimentos agropecuários.

Em número absoluto, os maiores contingentes de trabalhadores ocupados na agricultura


familiar eram encontrados em Guaratinga (4.560 pessoas ou 20,6% do total da área de
influência direta), Encruzilhada (3.652 trabalhadores ou 16,5% do total), Porto Seguro
(2.056 pessoas ou 9,3% do total) e Canavieiras (1.980 ou 8,9% do total da área em
estudo).

Frente a esse contexto, apenas quatro municípios abrigavam mais da metade (55,3%) do
total de trabalhadores familiares do conjunto dos 17 municípios analisados. Por outro
lado, em cinco municípios existiam apenas 1.090 ocupados na agricultura familiar –
Potiraguá (116 pessoas), Itapebi (160), Itapetinga (173), Itagimirim (185) e Maiquinique
(456 trabalhadores).

Em Eunápolis, do contingente total de 2.371 pessoas ocupadas em 2006, 1.238


trabalhadores, ou seja, 52,2% do total estavam vinculados com a agricultura familiar. Em
contrapartida, 1.133 trabalhadores (47,8% do total) figuravam na condição de
trabalhadores relacionados à agricultura de base empresarial.
CPM RT 097/11 148 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

A proporção de pessoal ocupado em atividades da agricultura familiar no município de


Belmonte de 43,9%. Diante deste contexto, de um total de 2.765 trabalhadores ocupados,
um contingente de 1.214 desempenhavam suas atividades laborais em estabelecimentos
familiares.

Pessoal ocupado nos estabelecimentos agropecuários e na agricultura familiar –


Municípios da Área de Influência Direta, 2006

PESSOAL OCUPADO NA PESSOAL OCUPADO NA PESSOAL


MUNICÍPIOS AGRICULTURA % AGRICULTURA NÃO % OCUPADO %
FAMILIAR FAMILIAR TOTAL
Sudoeste 6.044 50,4 5.947 49,6 11.991 100,0
Encruzilhada 3.652 61,5 2.290 38,5 5.942 100,0
Itapetinga 173 13,3 1.129 86,7 1.302 100,0
Itarantim 992 52,0 914 48,0 1.906 100,0
Macarani 655 41,5 924 58,5 1.579 100,0
Maiquinique 456 57,6 336 42,4 792 100,0
Potiraguá 116 24,7 354 75,3 470 100,0
Extremo Sul 11.680 54,1 9.918 45,9 21.598 100,0
Belmonte 1.214 43,9 1.551 56,1 2.765 100,0
Eunápolis 1.238 52,2 1.133 47,8 2.371 100,0
Guaratinga 4.560 68,5 2.100 31,5 6.660 100,0
Itabela 734 43,7 944 56,3 1.678 100,0
Itagimirim 185 33,7 364 66,3 549 100,0
Itapebi 160 17,7 743 82,3 903 100,0
Porto Seguro 2.056 50,4 2.020 49,6 4.076 100,0
Santa Cruz Cabrália 1.533 59,1 1.063 40,9 2.596 100,0
Litoral Sul 4.414 56,6 3.388 43,4 7.802 100,0
Canavieiras 1.980 53,6 1.716 46,4 3.696 100,0
Mascote 540 43,5 701 56,5 1.241 100,0
SantaLuzia 1.894 66,1 971 33,9 2.865 100,0
TOTAL GERAL 22.138 53,5 19.253 46,5 41.391 100,0
ESTADO DA BAHIA 1.881.811 80,9 444.173 19,1 2.325.984 100,0
Fonte: IBGE - Censo Agropecuário 2006

Nos municípios de Guaratinga (77,3%), Santa Luzia (77,1%), Mascote (74,0%), Porto
Seguro (74,0%) a proporção de pessoal ocupado com laços de parentesco com o
produtor superava os 70,0%, indicando a forte presença da agricultura familiar.

Nos municípios de Itapetinga (63,8%), Itabela (53,6%) e Itapebi (52,4%), a proporção de


empregados contratados sem laços de parentesco com o produtor indicava o predomínio
de agricultura empresarial.

Em Eunápolis, do contingente total de 2.512 pessoas ocupadas em 2006 nos 745


estabelecimentos agropecuários recenseados, 1.643 trabalhadores, ou seja, 65,4% do
total estavam vinculados com a agricultura familiar. Em contrapartida, 869 trabalhadores

CPM RT 097/11 149 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

(34,6% do total) figuravam na condição de empregados contratados sem laços de


parentesco com o produtor.

Quantos estabelecimentos agropecuários e qual é a área ocupada pela agricultura


familiar?

Em relação à distribuição do número de estabelecimentos, assim como da área utilizada


pela agricultura familiar (Lei nº 11.326), nota-se, com base nos dados do censo
agropecuário de 2006, que na Área de influência Direta, o número de estabelecimentos
dedicados à agricultura familiar representa 69,5% do total dos estabelecimentos,
resultado em uma média inferior àquela observada em relação ao número de
estabelecimentos de agricultura familiar do Estado, como um todo, no total de
estabelecimentos da Bahia, que atinge 87,4%.

No que tange à ocupação da área total, pela agricultura familiar, os números evidenciam
que o total dos municípios contidos na AID apresenta um percentual de ocupação de
16,2%, também inferior à média do estado que ostenta 34,1%.

Entre as regiões, compostas pelos municípios objeto deste estudo, aquela em que a
agricultura familiar apresenta um maior percentual de estabelecimentos é a do Litoral Sul
(71,3%). Nela destaca-se o município de Santa Luzia, com um percentual de 76,5%. Nele,
à área ocupada responde, também, pelo maior (31,4%).

A região Extremo Sul (69,5%) é a segunda com maior percentual de estabelecimentos,


entretanto é a terceira em ocupação de área (14,9%). O destaque municipal pertence a
Guaratinga, com 81,3%. Vale ressaltar que, em relação à área, o citado município ocupa
26,4%, tendo a maior participação entre os 17 municípios analisados.

Na região Sudoeste, com 68,0% dos estabelecimentos dedicados à agricultura familiar,


destaca-se o município de Encruzilhada, com um percentual de estabelecimentos de
84,3%, e uma ocupação de área de 34,9%, superior, portanto, ao percentual do estado
(34,1%).

CPM RT 097/11 150 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Estabelecimentos e Área da Agricultura Familiar, na Bahia, AID, Regiões e municípios em


estudo, assim como, as suas participações relativas, em 2006.

Agricultura Familiar Part. da


Não Familiar Part. do
Lei nº 11.326 Total Área da
Nº de
Bahia Estab. Total Área Agric.
Estab.
e Nº Nº (fam. + (fam. + não Familiar
Área (A) Área (B) Familiar
Municípios da AID Estabele- Estabele- não fam.) na Área
(ha) (ha) no Total,
cimentos cimentos fam.) Total, em
em %
%
TOTAL DO ESTADO 665.831 9.955.563 95.697 19.224.996 761.528 29.180.559 87,43 34,12
Municípios da AID 9.336 216.985 4.086 1.121.376 13.422 1.338.361 69,56 16,21
Sudoeste 2.556 73.631 1.201 412.894 3.757 486.525 68,03 15,13
Encruzilhada 1.295 20.278 241 37.730 1.536 58.008 84,31 34,96
Itapetinga 84 4.889 228 91.742 312 96.631 26,92 5,06
Itarantim 535 19.433 254 98.558 789 117.991 67,81 16,47
Macarani 344 15.232 232 83.622 576 98.854 59,72 15,41
Maiquinique 220 9.738 99 27.598 319 37.336 68,97 26,08
Potiraguá 78 4.062 147 73.644 225 77.706 34,67 5,23
Extremo Sul 4.496 100.432 1.964 571.891 6.460 672.323 69,60 14,94
Belmonte 697 12.975 492 104.702 1.189 117.677 58,62 11,03
Eunápolis 501 7.896 170 49.804 671 57.700 74,66 13,68
Guaratinga 1.707 38.896 393 108.467 2.100 147.363 81,29 26,39
Itabela 234 7.842 140 33.933 374 41.775 62,57 18,77
Itagimirim 76 3 999 82 61 010 158 65.009 48,10 6,15
Itapebi 82 2.182 175 69.319 257 71.501 31,91 3,05
Porto Seguro 589 11.437 262 101.118 851 112.555 69,21 10,16
Santa Cruz Cabrália 610 15.206 250 43.539 860 58.745 70,93 25,88
Litoral Sul 2.284 42.922 921 136.591 3.205 179.512 71,26 23,91
Canavieiras 1.082 16.559 409 62.933 1.491 79.492 72,57 20,83
Mascote 306 9.370 237 36.506 543 45.876 56,35 20,42
Santa Luzia 896 16.993 275 37.152 1.171 54.145 76,52 31,38
Fonte: IBGE –-Censo Agropecuário 2006.

Quais as principais atividades econômicas dos estabelecimentos da Agricultura


Familiar na Área de Influência Direta?

Em relação às principais atividades desenvolvidas pelos estabelecimentos familiares na


Área de Influência Direta, observa-se que o maior valor resultante da venda da produção,
em 2006, é vinda das lavouras permanentes, somando R$ 35,2 milhões, montante que
representa 21,4% quando considerado o total das produções de origem familiar e não
familiar. O segundo maior montante advém da produção animal, no valor de R$ 15,7
milhões, correspondentes a 28,2% do total das produções de origem familiar e não
familiar na Área de Influência Direta. Este é seguido pelo valor de produção das lavouras
temporárias R$ 3,7 milhões. Vale salientar, que a produção das lavouras temporárias,
embora tenha sido bem menor que o auferido pelas permanentes, a sua
representatividade na soma das produções familiar e não familiar, na Área de Influência

CPM RT 097/11 151 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Direta, referente a tal plantio, atinge 30,25%, caracterizando a importância dessa cultura
no sistema produtivo das famílias.

Os valores anteriormente explicitados e que reforçam a tese da maior disseminação do


plantio de culturas de caráter temporário entre as famílias comprovam tal afirmativa
quando se realiza a leitura do número de estabelecimentos que usam os seus respectivos
espaços físicos para cultivos temporários na Área de Influência Direta. Nesse sentido, do
total de estabelecimentos (familiar e não familiar), 85,4% do respectivo total
correspondem a estabelecimentos nos quais tal produção temporária é implementada.

As culturas permanentes dos estabelecimentos familiares da Área de Influência Direta,


pelas características e valores específicos dos seus produtos finais, possibilitam, também,
um valor de produção bem mais alto, porém têm um nível de disseminação no seu
conjunto, (familiar e não familiar), inferior ao das culturas temporárias, dado que 69,8%
dos estabelecimentos que se dedicam à lavoura permanente são caracterizados como
representativos da agricultura familiar.

Estabelecimentos agropecuários com produção no ano e Valor da Produção, por tipo de


produção e Agricultura Familiar, na Bahia e na AID, em 31/12/2006.

Número de estabelecimentos com Valor da produção em 31/12


Total e produção no ano (Mil Reais)
Total Bahia
Agricultura Lavouras
e AID Lavouras Lavouras Lavouras
Familiar Animal perma- Animal
temporárias permanentes temporárias
nentes
Total 419.336 154.756 413.826 1.303.036 2.810.268 3.258.558
Bahia
Agric. Familiar 362.928 128.530 371.437 669.213 1.311.800 1.298.396
Área de Total 6.124 4.659 2.607 55.680 164.372 12.162
Influência
Direta Agric. Familiar 4.010 3.252 2.226 15.679 35.236 3.679
Fonte: IBGE - Censo Agropecuário 2006

A produção animal é também importante nos hábitos rurais da Área de Influência Direta,
sendo praticado na chamada agricultura familiar por 65,5% dos estabelecimentos. Em
termos de valor da produção, essa atividade implementada no âmbito das famílias
representa 28,2% do total, ou seja, familiar e não familiar.

No estado da Bahia, os estabelecimentos com agricultura familiar que cultivam lavouras


temporárias também são maioria 89,8%, sendo seguidos, diferentemente do que ocorre
na área de Influência Direta, pelos estabelecimentos de agricultura familiar com produção
animal (86,6%). As lavouras permanentes, nesse mesmo conceito, representam 83,1%.
Vale ressaltar que a produção animal da agricultura familiar tem o maior percentual do
valor de produção entre os sistemas produtivos, quando comparado à soma das
produções animais da agricultura familiar com as dos estabelecimentos não enquadrados
em tal categoria, com uma participação de 51,4%.

CPM RT 097/11 152 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Proporção dos Estabelecimentos Agropecuários e com produção no ano e Valor da


Produção, por tipo de produção e Agricultura Familiar, na Bahia e na AID, em 31/12/2006.
Em %.

Número de estabelecimentos com Valor da produção em 31/12


Total e
Total Bahia e produção no ano (Mil Reais)
Agricultura
AID Lavouras Lavouras Lavouras Lavouras
Familiar Animal Animal
permanentes temporárias permanentes temporárias
Total 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00
Bahia
Agric. Familiar 86,55 83,05 89,76 51,36 46,68 39,85
Área de Total 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00
Influência
Direta Agric. Familiar 65,48 69,80 85,39 28,16 21,44 30,25
Fonte: IBGE/Censo agropecuário de 2006

Os valores referentes ao número de estabelecimentos, categoria dos estabelecimentos


em familiar e total permite a observação da importância das modalidades produtivas nas
regiões compostas pelos municípios da área de Influência Direta, objeto deste estudo.

Na região Sudoeste, o município com maior prevalência da agricultura familiar temporária


é o de Encruzilhada, com 355 estabelecimentos, muito embora tenha auferido um valor de
R$393 mil, contra R$7,5 milhões obtidos nas culturas permanentes, e R$720 mil na
criação animal. O município de Itarantim, entretanto, é aquele onde se observa o maior
valor da produção animal, na agricultura familiar R$ 2,9 milhões.

Na região Extremo Sul, o município de Guaratinga é aquele com maior proporção de


estabelecimentos da agricultura familiar que pratica a lavoura temporária, somando 746
estabelecimentos, em um universo municipal de 834 que considera o total da agricultura
familiar e não familiar. Em seguida se apresentam Santa Cruz Cabrália, com 265 dos 336
e Porto Seguro, com 189 dos 230. Na agricultura familiar, em Guaratinga, também são
representativos os estabelecimentos com lavouras permanentes 606 de um total de 760,
assim como produção animal, 1.071 de 1.376 do total do município.

Em termos de valor da produção, Porto Seguro se destaca, nas lavouras permanentes, na


qual a agricultura familiar do município atinge R$ 5,4 milhões, embora com um número de
estabelecimentos bem menor do que o de Guaratinga, entretanto produzindo produtos de
maior valor específico. O valor da produção animal da agricultura familiar é,
regionalmente, bastante relevante em Guaratinga, com R$ 3,2 milhões.

Na região Litoral Sul, Canavieiras se destaca com o maior número de estabelecimentos


(166) com agricultura familiar que cultivam lavouras temporárias, de um total de 189
estabelecimentos no município, sendo seguido por Santa Luzia com 99 dos 110.

CPM RT 097/11 153 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Quais os principais produtos da agricultura familiar?

Na Área de Influência Direta, a agricultura familiar, em valor de produção, quando


comparada com o total da agricultura da AID (familiar e não familiar), totalizando-se os
produtos com informações explícitas nos levantamentos dos municípios, representa
48,5%, ou seja, quase a metade de todo o valor da produção total de toda a área. A Área
colhida tem uma representatividade que alcança 64,1%, no mesmo critério de
comparação. A quantidade produzida, convertida em toneladas, atinge 66,7%, dando a
dimensão da importância da agricultura familiar.

Principais Produtos da Produção Vegetal da Agricultura Familiar e Total.

Quantidade produzida, Área colhida e Valor da produção - Área de Influência Direta, em


2006.

Quantidade
Área de Influência Produção Área colhida Valor da produção
Agricultura produzida
Direta Vegetal (ha) (Reais)
(kg)
Total 18.463.114 9.177 21.668.894
Arroz em casca 1.130 3 758
Feijão 335.735 760 382.677
Total
Mandioca 11.900.086 3.434 3.472.196
Milho em grão 1.002.016 656 345.692
Café 5.224.147 4.324 17.467.571
AID
Total 12.317.603 5.885 10.517.145
Arroz em casca 1.130 3 758
Agricultura Feijão fradinho 222.590 563 237.717
familiar Mandioca 9.786.358 2.864 2.735.695
Milho em grão 400.896 493 176.458
Café 1.906.629 1.962 7.366.517
Fonte: IBGE - Censo Agropecuário 2006.

A representatividade de cada produto, quando comparados os valores de produção obtida


por cada um deles em relação aos respectivos valores de produções totais, revela
intensidades diferenciadas. Observa-se, por exemplo, que todo o valor da produção de
arroz em casca (100%) é gerado pela agricultura familiar O segundo produto, analisado
de per si, é a mandioca, com um valor de produção que representa 78,7% de todo o valor
de produção do referido produto. Em seguida vem o valor da produção de feijão (62,1%),
milho (51,0%) e café 42,1%.

CPM RT 097/11 154 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Representatividade dos principais produtos da agricultura familiar em relação às suas


respectivas participações no total (familiar e não familiar) na Área de Influência Direta, em
2006.

Quantidade produzida Área colhida Valor da produção


Produção Vegetal
(%) (%) (%)
Total 66,71 64,13 48,54
Arroz em casca 100,00 100,00 100,00
AID Principais Produtos Feijão 66,30 74,08 62,12
Mandioca 82,24 83,40 78,79
Milho em grão 40,01 75,15 51,04
Café 36,50 45,37 42,17
Fonte: IBGE - Censo Agropecuário 2006.

A leitura dos valores de produção dos produtos que compõem a Área de Influência Direta,
quando comparados com o total do valor de produção da própria agricultura familiar,
evidencia o peso exercido pelo valor específico do café no mercado, colocando-o na
primeira posição, com uma participação de 40,0% de todo o valor gerado pela agricultura
familiar na área objeto deste estudo. Com menor valor específico, porém com uma
quantidade bastante expressiva, está a mandioca, a qual tem representatividade de
79,5% nas quantidades produzidas e 48,7% da área colhida.

Participação dos Principais Produtos da Agricultura Familiar, no Total das Quantidades


Produzidas, área colhida e valores de produção, na Área de Influência Direta, em 2006.

Quantidade Valor da
Área colhida
Produção Vegetal produzida produção
(%)
(%) (%)
Total 100,00 100,00 100,00
Principais Arroz em casca 0,01 0,05 0,01
AID
Produtos Feijão 1,81 9,57 2,26
Mandioca 79,45 48,67 26,01
Milho em grão 3,25 8,38 1,68
Café 15,48 33,34 70,04
Fonte: IBGE - Censo agropecuário 2006.

Por região, podem ser observadas, para aqueles produtos em que as informações não
são identificadas, as suas respectivas grandezas, tanto em quantidades produzidas, área
e valor da produção. No caso da região Sudoeste, fica evidente a importância do
município de Encruzilhada, em quantidade produzida, área colhida e valor da produção,
tanto na agricultura familiar quanto em seu conjunto, como pode ser visto na tabela a
seguir. Com valores também representativos, embora não tenha o caráter disseminado
como Encruzilhada, aparece o município de Itarantim. Vale salientar, que o município de
Potiraguá não aparece nesse recorte de levantamento estatístico, dada a sua pequena
representatividade da agricultura familiar em termos de lavouras. Vê-se, por exemplo, nos
dados anteriormente apresentados em que as informações são consolidadas em
CPM RT 097/11 155 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

produção animal, lavouras permanentes e lavouras temporárias, o município aparece com


poucas informações e, mesmo assim, concentradas no segmento de produção animal.

Na região Extremo Sul, merecem destaque os municípios de Guaratinga, Porto Seguro e


Santa Cruz Cabrália, que, embora não apresentem, na tabela, de maneira explicita todos
os seus produtos, revelam os totais mais representativos da agricultura familiar, como
pode ser observado na tabela a seguir.

Na região Litoral Sul apresentam-se como maiores representantes no segmento das


lavouras, frente ao total da agricultura familiar da região, os municípios de Canavieiras,
Santa Luzia e Mascote.

A bovinocultura na área de influência direta e a participação da agricultura familiar

A bovinocultura é uma atividade econômica bastante importante para o estado da Bahia.


Trata-se de uma atividade bastante difundida em grande parte dos municípios do estado,
mas se manifesta, preponderantemente, nas regiões situadas no Oeste, no Sudoeste, no
Extremo Sul e na região Litoral Sul

Com base nos resultados do Censo Agropecuário de 2006 pode-se perceber o peso
econômico de tal atividade na Área de Influência Direta. Nela, a bovinocultura do total dos
municípios considerados neste trabalho representa mais de 10% da bovinocultura do
estado, tendo um rebanho de 1,029 milhões de cabeças. Desse número, 168,4 mil
cabeças são criadas por estabelecimentos que operam no regime de agricultura familiar.
Portanto, fica patente que há um expressivo quantitativo de rebanho, cerca de 84%, cujas
características dos estabelecimentos proprietários não se enquadram como agricultura
familiar e, portanto, podem ser melhor enquadrados em categorias econômicas de
intensidades de exploração mais capitalistas.

Número de Estabelecimentos, de cabeças bovinas e participação das categorias de


agricultura da Área de Influência Direta no estado da Bahia, em 2006.

Nº de estab. % do Nº de % do Nº de
Tipo de
Estado e AID agropec. com estab. no N º de cabeças cabeças no
agricultura
bovinos Estado Estado
Total 314.243 100,00 10.229.459 100,00
Estado da Bahia
Familiar 263.799 100,00 4.436.907 100,00
Total 7.064 2,25 1.029.115 10,06
Área de Influência Direta
Familiar 4.187 1,59 168.412 3,80
Fonte: IBGE - Censo Agropecuário 2006.

A representatividade do número total de bovinos da Área de Influência Direta em relação


ao número total de bovinos do estado da Bahia pode ser visto a seguir:

CPM RT 097/11 156 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Representatividade do Total da Bovinocultura (agric. fam+não fam.) da Área de


Influência Direta no Total da Bovinocultura (agric. fam+não fam.) do Estado - % de
cabeças
Em 2006

10,1%

89,9%

Total da Bovinocultura no Estado Total da Bovinocultura na AID

Fonte: IBGE - Censo agropecuário de 2006

No comparativo do quantitativo da agricultura familiar da Área de Influência Direta, na qual


constam apenas os municípios objeto deste estudo, quando cotejado com o total da
agricultura do estado da Bahia, resulta em um percentual de 3,8%, para os 17 municípios,
revelando que, mesmo no âmbito da agricultura familiar a atividade pecuária é bastante
expressiva, dado que a Bahia é composta de 417 municípios.

Representatividade da Bovinocultura da Agricultura Familiar da Área de Influência


Direta no Total da Bovinocultura da Agricultura Familiar do Estado - % de Cabeças
Em 2006

3,8%

96,2%

Bovinocultura da Agric. Familiar Estado Bovinocultura Agric. Familiar AID

Fonte: IBGE - Censo agropecuário de 2006

CPM RT 097/11 157 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

O comportamento da criação de bovinos na agricultura familiar da Área de Influência


Direta representa 59,3% em termos de número de estabelecimentos e, 16,4% em relação
ao número de cabeças, quando se verifica a sua proporção no total (agricultura familiar e
não familiar).

Número de estabelecimentos com bovinos e cabeças bovinas Agricultura Familiar, Total,


e participações percentuais no Total.

Área de Influência Direta, em 2006.

Tipo de Nº de estab. agropec. com Fam./Total N º de Fam./Total


AID
agricultura bovinos (%) cabeças (%)
Área de Influência Total 7.064 - 1.029.115 -
Direta Familiar 4.187 59,27 168.412 16,36
Fonte: IBGE - Censo Agropecuário 2006.

A distribuição dos rebanhos nas regiões e municípios estudados na Área de Influência


direta apresenta as seguintes características:

Na região Sudoeste, o conjunto de municípios considerados neste trabalho apresenta


percentuais de participação da agricultura familiar que são expressos por 57,6% em
termos de estabelecimentos e 16,8% em termos de rebanho, quando cotejados com o
total (agricultura familiar e não familiar). Os maiores destaques vão, em termos de número
de estabelecimentos, no âmbito dos municípios, para os municípios de encruzilhada
(75,3%) e Itarantim (63,8%). No que concerne à participação do rebanho, seguindo o
mesmo conceito, estão Encruzilhada (39,3%) e Maiquinique, com 26,6%.

Na região Extremo Sul, a representatividade do número de estabelecimentos da


agricultura familiar em que se faz presente a bovinocultura alcança 61,9% do total de
estabelecimentos e o número de bovinos, 15,7%. Os municípios com maiores
participações do número de estabelecimentos classificados como de agricultura familiar
na região Extremo Sul são: Guaratinga (75,0%), Santa Cruz Cabrália (72,5%) e Eunápolis
(60,8%). Em relação à participação do número de cabeças do rebanho da agricultura
familiar, por município, em relação ao total, dentro de cada município, são mais
expressivos em Guaratinga (26,9%) e Itabela (16,5%).

Na região Litoral Sul, a participação percentual do número de estabelecimentos da


agricultura familiar, vista pela ótica da pecuária bovina, atinge 54,9% do total do número
de estabelecimentos que exercem a atividade na região. A quantidade de bovinos da
agricultura familiar, em relação ao total da região, representa 18,1%. O município que
apresenta a maior participação do número de estabelecimentos no conjunto dos
estabelecimentos dos seus domínios é o de Canavieiras (57,1%), com um rebanho que
participa com uma representatividade de 19% em relação ao total. Em seguida tem-se
Santa Luzia, com 56,7% do número de estabelecimentos e 17,4% do rebanho, seguido
por Mascote com 48,8 e 16,7% respectivamente.

CPM RT 097/11 158 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Atividades turísticas na AID

O Estado da Bahia é dividido em 11 Zonas Turísticas. São elas:


1. Costa das Baleias;
2. Costa do Descobrimento;
3. Costa do Cacau;
4. Costa do Dendê;
5. Costa dos Coqueiros;
6. Baía de Todos os Santos;
7. Chapada Diamantina;
8. Caminhos do Sertão;
9. Vale do Jiquiriçá;
10. Caminhos do Oeste;
11. Lagos e Canyons do São Francisco.

Os municípios da Área de influência do empreendimento estão localizados em duas


Zonas Turísticas da Bahia. A Zona Turística Costa do Descobrimento e Zona Turística
Costa do Cacau

A região turística Costa do Descobrimento – totalmente inserida na área de influência


direta do empreendimento em estudo – é composta pelos municípios de Belmonte,
Eunápolis, Itabela, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália.

Zona Turística Costa do Descobrimento

Os municípios de Belmonte, Santa Cruz Cabrália e Porto Seguro, que compõem a Área
de Influência Direta do empreendimento da Veracel (AID), integram a Zona Turística
Costa do Descobrimento. O grande destaque fica por conta de Porto Seguro, um dos
principais destinos turísticos do Brasil. Esta Zona Turística teve seu nome originado do
fato de ser formada por um conjunto de atrativos históricos e naturais e de ser
considerada o berço da história, da cultura e da civilização brasileira. A ZT Costa do
Descobrimento possui a mais extensa rede hoteleira da Bahia.

Cercada também por diversos atrativos naturais - como praias, baías, enseadas, falésias,
recifes de corais, manguezais e rios navegáveis -, a região possui condições para a
prática do turismo de aventura e ecoturismo. Considerada o berço da história e da cultura
do Brasil, a Costa do Descobrimento foi tombada como Patrimônio Natural Mundial pela
UNESCO, em 1999.

A Costa do Descobrimento se estende desde as localidades de Caraíva, passando por


Trancoso, Arraial D’Ajuda, Distrito-Sede de Porto Seguro, Coroa Vermelha e município de
Santa Cruz Cabrália, até o município de Belmonte. A figura a seguir demonstra a
composição da Zona Turística Costa do Descobrimento, destacando os seus pontos
turísticos principais.

CPM RT 097/11 159 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Zona Turística Costa do Cacau

Os municípios de Canavieiras e Santa Luzia (ambos parte da AID), integram a Costa do


Cacau juntamente com Ilhéus, Itabuna, Itacaré, Una e Uruçuca.

A Zona Turística é compreendida por cerca de 180 km de extensão norte-sul entre os


municípios de Itacaré e Canavieiras. Reduto de belezas naturais, rios margeados por
fazendas de cacau, praias de vastos coqueirais intocadas em meio à Mata Atlântica e
densos manguezais, a região encanta pelas paisagens e pela opulência dos anos áureos
do chamado “ouro negro”. A arquitetura preserva o casario colonial dos séculos XVIII e
XIX, em ruas calçadas com pedras, igrejas e casarões antigos, reduto de parte importante
da História Nacional e que remontam ao período em que a produção e exportação
cacaueira eram a atividade primordial da economia brasileira. Cenário de filmes, novelas
e romances – grande parte da obra do escritor baiano Jorge Amado, traduzido em
diversos países, é ambientada em Ilhéus, principal cidade da costa e indutor regional, a
região, além de reduto histórico, é destino potencial para o contato com a natureza.

Como é a estrutura fundiária na região?

No Brasil, os estudos referentes à estrutura fundiária geralmente são baseados em duas


fontes básicas de informações. As informações provenientes dos Censos Agropecuários
do IBGE mostram a forma pela qual os produtores (proprietários, ocupantes, arrendatários
e parceiros) ocupam tal espaço. As estatísticas cadastrais levantadas pelo Instituto
Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) permitem determinar a distribuição
do espaço fundiário entre os detentores (proprietários e posseiros).

No presente estudo serão também utilizadas, como forma de ampliar o conhecimento


sobre a estrutura fundiária regional, as estatísticas cadastrais disponibilizadas pelo
INCRA.

Para a compreensão das classificações utilizadas, serão alinhados os principais conceitos


utilizados nas estatísticas cadastrais do INCRA, que apresenta o seguinte nível de
detalhamento:

ƒ Imóvel rural: para fins de Cadastro Rural, é o prédio rústico, de área contínua, formado
de uma ou mais parcelas de terra, pertencentes a um mesmo proprietário, que seja ou
possa ser utilizado em exploração agrícola, pecuária, extrativa vegetal ou
agroindustrial, independentemente de sua localização.

ƒ Área cadastrada: é o somatório das áreas de todos os imóveis rurais cadastrados no


INCRA.

ƒ Módulo fiscal: unidade de medida expressa em hectares, fixada para cada município,
considerando os seguintes fatores:

CPM RT 097/11 160 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

9 tipo de exploração predominante no município;


9 renda obtida com a exploração predominante;
9 outras explorações existentes no município que, embora não predominantes, sejam
significativas em função da renda e da área utilizada; e
9 o conceito de propriedade familiar.

Com base na conceituação de módulo fiscal, o INCRA estabelece a seguinte classificação


dos imóveis rurais quanto ao tamanho:

ƒ Minifúndio: conceito oriundo do Estatuto da Terra, Lei n.º 4.504, de 30 de novembro


de 1964, que definia minifúndio como o imóvel rural com dimensão inferior a 1 (um)
módulo rural. Por definição, o módulo rural é a área máxima fixada para cada região e
tipo de exploração. Com o advento da Lei n.º 6.746/80, que estava diretamente
vinculada ao ITR, o módulo considerado passou a ser o módulo fiscal, estabelecido
para cada município e que contempla: o tipo de exploração predominante no município,
a renda obtida no tipo de exploração predominante, outras explorações existentes no
município e o conceito de propriedade familiar.

ƒ Pequena propriedade: o imóvel rural de área compreendida entre 1 (um) e 4 (quatro)


módulos fiscais.

ƒ Média propriedade: o imóvel rural de área superior a 4 (quatro) e até 15 (quinze)


módulos fiscais.

ƒ Grande propriedade: o imóvel rural de área superior a 15 (quinze) módulos fiscais.

A análise das estatísticas cadastrais referentes ao ano de 2005 aponta importantes e


distintas particularidades da estrutura fundiária do conjunto de municípios que conformam
a Área de Influência Direta, objeto deste estudo. Nela observa-se que o numero de
imóveis classificados na categoria de minifúndios corresponde a 38,7%, ocupando, 4,7%
de toda a área considerada. As pequenas propriedades (35,6%) aparecem em segundo
lugar, em termos de número de imóveis, e ocupam 18,3% da área. Somados, portanto,
as duas categorias respondem por 74,3% dos imóveis e ocupam 23% das áreas. As
médias propriedades são representadas por 17,4% dos imóveis e ocupam 35,2% das
áreas, enquanto que as consideradas grandes propriedades, com um número de imóveis
que representa apenas 2,6%, ocupam 41,3% de toda a área. Essas duas últimas
categorias, quando agregadas, respondem por 20% do total de imóveis mas, em
contrapartida, ocupam 76,5% de toda a área.

CPM RT 097/11 161 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Distribuição dos Imóveis e Área, por Classificação, na Área de Influência Direta, em 2005.

ÁREA DE INFLUÊNCIA DIRETA


Classificaçãodos Imóveis Total de Área
% %
Imóveis (ha)
Minifúndio 6.001 38,71 95.858 4,66
Pequena Propriedade 5.515 35,58 376.008 18,30
Média Propriedade 2.700 17,42 723.342 35,20
Grande Propriedade 877 5,66 848.192 41,27
Não classificados * 408 2,63 11.717 0,57
Total 15.501 100,00 2.055.117 100,00
Fonte: INCRA/DF/DFC - Apuração Especial nº 00588 - SNCR - Dez/05
* Imóveis rurais que não possuem informações da área explorável ou com informação de áreas
divergentes entre os Formulários Dados sobre Estrutura e Dados sobre Uso.

Regionalizadas, as informações permitem leituras mais detalhadas, espacialmente,


considerando-se, apenas, os municípios da Área de Influência Direta contidos em cada
região. Nesse sentido, a região Sudoeste tem 47,5% dos imóveis classificados como
minifúndios, sendo esta, a região de maior ocorrência de propriedades com tal
enquadramento. Estes imóveis ocupam 6,2% da área. As pequenas propriedades, por
outro lado, respondem por 30,9% dos imóveis e ocupam 20,5% das áreas. Juntos, os
minifúndios e as pequenas propriedades correspondem a 78,4% dos imóveis e ocupam
26,7% das áreas.

Distribuição do número de imóveis e área total segundo a categoria de imóvel rural na


Região Sudoeste, Dez/2005.

SUDOESTE
Classificaçãodos Imóveis Total de Área
% %
Imóveis (ha)
Minifúndio 1.789 47,49 38.448 6,15
Pequena Propriedade 1.162 30,85 128.328 20,52
Média Propriedade 586 15,56 247.911 39,64
Grande Propriedade 145 3,85 209.389 33,48
Não classificados * 85 2,26 1.325 0,21
Total 3.767 100,00 625.402 100,00
Fonte: INCRA/DF/DFC - Apuração Especial nº 00588 - SNCR - Dez/05
* Imóveis rurais que não possuem informações da área explorável ou com informação de áreas
divergentes entre os Formulários Dados sobre Estrutura e Dados sobre Uso.

O maior número de grandes propriedades situa-se no município de Potiraguá (9,2%), os


quais ocupam 46,5% das áreas. Itapetinga ocupa o segundo posto, com 8,5% dos
imóveis com esta mesma classificação, ocupando 36,8% das áreas.

Nesta região, a maior proporção de imóveis classificados como minifúndios concentra-se


no município de Encruzilhada (61,8%), ocupando 11,6% da área, sendo seguido pelo
município de Maiquinique, com uma ocupação de área da ordem de 13,6%. As pequenas
CPM RT 097/11 162 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

propriedades são predominantes nos municípios de Itapetinga (37,8%), com ocupação de


área de 15%, e em Maiquinique, cujo número de imóveis responde por 37,1% e abrangem
uma área de 37,1%. O somatório dos minifúndios com as pequenas propriedades assume
maior proporção no município de Maiquinique (89,3%) e a ocupação de área das duas
categorias atinge 36,6%.

A região Extremo Sul apresenta uma distribuição dos imóveis nas categorias de
minifúndios e pequenas propriedades, com percentuais bastante semelhantes, embora
com ocupações de áreas bastante distintas. Os minifúndios correspondem a 35,4% dos
imóveis e as pequenas propriedades, 35,8%. Entretanto, os minifúndios ocupam 3,9% das
áreas e as pequenas propriedades ocupam 16,3%. As médias propriedades respondem
por 19% dos imóveis e ocupam 32,9% das áreas, enquanto as grandes propriedades que,
em número de imóveis respondem por 7,2%, ocupam a maior proporção das áreas
(46,2%).

CPM RT 097/11 163 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Distribuição do número de imóveis e área total segundo a categoria de imóvel rural na


Região Extremo Sul, Dez/2005

EXTREMO SUL
Classificaçãodos Imóveis Total de Área
% %
Imóveis (ha)
Minifúndio 2.941 35,36 46.852 3,87
Pequena Propriedade 2.973 35,75 196.856 16,25
Média Propriedade 1.580 19,00 398.321 32,87
Grande Propriedade 597 7,18 559.592 46,18
Não classificados * 226 2,72 10.063 0,83
Total 8.317 100,00 1.211.683 100,00
Fonte: INCRA/DF/DFC - Apuração Especial nº 00588 - SNCR - Dez/05
* Imóveis rurais que não possuem informações da área explorável ou com informação de áreas
divergentes entre os Formulários Dados sobre Estrutura e Dados sobre Uso.

O maior número de minifúndios instalados nesta área está, em grande número,


concentrado no município de Eunápolis (46,4%), ocupando uma área que corresponde a
6,4% do total. O maior percentual de pequenas propriedades, entretanto, situa-se no
município de Itabela (43,1%), com uma ocupação de área de 18,6%. O somatório do
número de imóveis classificados como minifúndios e como pequenas propriedades é mais
representativo no município de Guaratinga, com 81,7% dos imóveis, e atingem uma
ocupação de 31%.

As médias e grandes propriedades, juntas, concentram o maior número de imóveis no


município de Itagimirim (42,6%), cuja ocupação chega a atingir 88,5% das áreas, sendo o
maior percentual de ocupação entre todos os municípios, objeto deste estudo, localizados
na região Extremo Sul. Outro município que segue os grandes números exibidos por
Itagimirim é o de Itapebi. Neste último, o percentual de imóveis, na mesma classificação,
alcança 36%, com uma ocupação de área de 85,4%.

No Litoral Sul, o número de imóveis classificados como minifúndios representa 37,2% do


total, os quais ocupam 4,8% das áreas. As pequenas propriedades representam 49,4% do
número de imóveis e ocupam 23,3% das áreas. Em seu conjunto, as duas categorias
representam 77,6% do número de estabelecimentos e ocupam 28,1% das áreas. A média
propriedade mais as grandes, quando agregadas, atingem uma representação de 6,8%, e
ocupam uma proporção que é expressa por um percentual de 71,7%.

CPM RT 097/11 164 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Distribuição do número de imóveis e área total segundo a categoria de imóvel rural na


Região Litoral Sul, Dez/2005

LITORAL SUL
Classificação dos Imóveis Total de % Área %
Imóveis (ha)
Minifúndio 1.271 37,20 10.558 4,84
Pequena Propriedade 1.380 40,39 50.824 23,31
Média Propriedade 534 15,63 77.110 35,37
Grande Propriedade 135 3,95 79.211 36,33
Não classificados * 97 2,84 330 0,15
Total 3.417 100,00 218.032 100,00
Fonte: INCRA/DF/DFC - Apuração Especial nº 00588 - SNCR - Dez/05
* Imóveis rurais que não possuem informações da área explorável ou com
informação de áreas divergentes entre os Formulários Dados sobre
Estrutura e Dados sobre Uso.

Dos três municípios considerados na região, o maior percentual de imóveis considerados


minifúndios se encontra em Canavieiras (42,6%), com uma ocupação de áreas de 4,9%.
As pequenas propriedades são mais expressivas no município de Santa Luzia (50,5%),
com um percentual de área ocupada de 32,3%.

Os maiores percentuais resultantes do somatório do número de imóveis, classificados


como minifúndios com as pequenas propriedades se encontra no município de Santa
Luzia (83,9%), os quais ocupam uma quantidade de hectares que representa 38,9% das
áreas.

As médias e grandes propriedades, somadas, têm o maior número de imóveis situado,


preponderantemente, no município de Mascote (27,7%) e ocupam uma área de 76,1%.

Como é a estrutura fundiária das propriedades?

A análise da estrutura fundiária terá, neste trabalho, o objetivo identificar a maneira como
as propriedades rurais estão distribuídas nos territórios municipais e quais os seus
tamanhos médios. Tais informações permitem, após o cotejo das dimensões das áreas e
com o número de proprietários das respectivas áreas, a observação do nível de
concentração fundiária da região em estudo.

Com o objetivo de identificar as possíveis alterações na estrutura fundiária foi utilizado o


índice de Gini, indicador normalmente usado com o objetivo de verificar a distribuição da
posse da terra e, portanto, o seu grau de concentração fundiária. A tabela abaixo mostra
as diferentes intensidades que assume o Índice de Gini.

CPM RT 097/11 165 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Escala de alteração da estrutura fundiária de acordo com o índice de Gini.

ÍNDICE DE GINI CLASSIFICAÇÃO


Até 0,100 Concentração nula
De 0,101 a 0,250 Concentração fraca
De 0,251 a 0,500 Concentração média
De 0,501 a 0,700 Concentração forte
De 0,701 a 0,900 Concentração muito forte
Acima de 0,900 Concentração tendendo a absoluta

No Brasil e em suas Unidades da Federação (UF’s), o índice apresenta variações que são
compatíveis com as histórias de ocupação relativas a cada uma das regiões,
apresentando, portanto, valores bastante diferenciados. O índice de Gini apresenta, entre
as diversas unidades da federação, o maior valor absoluto de concentração fundiária no
estado de Alagoas (0,871).

Em seis municípios, dentre aqueles que compõem a Área de Influência Direta, o nível de
concentração fundiária se apresenta menos intenso (forte) que a média do Estado (muito
forte) em seis municípios. São eles: Itapetinga, Macarani, Maiquinique, Potiraguá,
Mascote e Santa Luzia. Os demais municípios revelam concentrações fundiárias na
mesma faixa média do Estado. Vale ressaltar que, embora tais municípios estejam na
mesma faixa de concentração, os seus valores absolutos são menores que a média
observada para a Bahia e para o Brasil. A concentração fundiária, na Área de Influência
Direta, no período 1996 a 2006 apresentou retração nos municípios de Maiquinique,
Itapebi e Mascote. Os demais registraram aumento.

Modificações na Concentração Fundiária Brasil, Bahia e Municípios da AID De 1996 a


2006
ÍNDICE DE GINI
Município Nível de Concentração em 2006
1996 2006 Alteração
Brasil 0,8560 0,8540 diminuição muito forte
Bahia 0,8340 0,8400 aumento muito forte
Sudoeste - - - -
Encruzilhada 0,7161 0,7988 aumento muito forte
Itapetinga 0,5720 0,6809 aumento forte
Itarantim 0,7263 0,7763 aumento muito forte
Macarani 0,6315 0,6982 aumento forte
Maiquinique 0,6311 0,6304 diminuição forte
Potiraguá 0,6065 0,6600 aumento forte
Extremo Sul - - - -
Belmonte 0,7689 0,8099 aumento muito forte
Eunápolis 0,6899 0,8406 aumento muito forte
Guaratinga 0,7468 0,7877 aumento muito forte
Itabela 0,6509 0,7044 aumento muito forte

CPM RT 097/11 166 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Modificações na Concentração Fundiária Brasil, Bahia e Municípios da AID De 1996 a


2006. (Continuação)
ÍNDICE DE GINI
Município Nível de Concentração em 2006
1996 2006 Alteração
Itagimirim 0,6392 0,7062 aumento muito forte
Itapebi 0,7486 0,7029 diminuição muito forte
Porto Seguro 0,7452 0,8626 aumento muito forte
Santa Cruz Cabrália 0,7370 0,7447 aumento muito forte
Litoral Sul - - - -
Canavieiras 0,7264 0,7455 aumento muito forte
Mascote 0,6613 0,6485 diminuição forte
Santa Luzia 0,6534 0,6724 aumento forte
Fonte: IBGE - Censos Agropecuários 1995/6 e 2006.

Ao se observar o número de estabelecimentos e a área dos municípios na Área de


Influência Direta, ao longo do período 1975 a 1995, percebe-se que a participação do
número de estabelecimentos com área de menos de 50 hectares aumentou de 47,7%,
observado em 1975, para 59,9%, em 1995, havendo ocorrido, também, um aumento da
participação do total da área utilizada por esses estabelecimentos, que passou de 6,4
para 7,9%, podendo-se pressupor que houve um maior fracionamento e incorporação de
novas áreas ao referido estrato.

No estrato que vai de 50 a menos de 100 hectares, houve uma redução, tanto da
participação do número de estabelecimentos (de 19,0 para 13,9%) quanto da área
utilizada, que passou de 8,3 para 7,3%.

Na faixa que vai de 100 a menos de 500 hectares, o percentual do número de


estabelecimentos apresentou redução, passando de 26,5 para 20,0%, enquanto a
participação da área ocupada diminuiu de 34,7 para 32,9%.

No estrato que congrega as propriedades com áreas na faixa de 500 a menos de 1.000
hectares, houve redução do percentual de estabelecimentos (de 4,1 para 3,9%), com
concomitante aumento do tamanho da área, que passou de 18,1 para 20,5%, sugerindo
um aumento da concentração de terras.

O estrato de 1.000 a 5.000 hectares, típico das grandes propriedades, revelou, entre 1975
e 1995, uma redução de sua participação, em termos de número de propriedades (de 2,6
para 2,2%), porém, com ligeiro aumento da participação da área ocupada, que passeou
de 28,6% para 28,2%.

Embora as estatísticas do IBGE não discriminem o número de estabelecimentos das


áreas acima dos 10.000 hectares, elas permitem verificar o comportamento percentual,
em termos de participação das ocupações, no qual, segundo os levantamentos, ocorreu
uma retração de 1,5 para 0,7%.

CPM RT 097/11 167 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Distribuição percentual do número de estabelecimentos e Área de Influência Direta, por


estrato de área 1975 e 1995/96. Em %
Censo
Área de Influência
Área 1975 1980 1985 1995/1996
Direta
Estab. Área Estab. Área Estab. Área Estab. Área
Menos de 50 ha 47,7 6,4 57,0 7,1 59,4 8,1 59,9 7,9
50 a menos de 100 ha 19,0 8,3 15,9 7,6 15,2 7,9 13,9 7,3
100 a menos de 500 ha 26,5 34,7 20,7 31,2 19,6 31,0 20,0 32,9
500 a menos de 1.000 ha 4,1 18,1 3,8 18,5 3,5 18,2 3,9 20,5
Área de Influência
1.000 a menos de 5.000 ha 2,6 28,6 2,6 30,7 2,2 29,1 2,2 28,2
Direta
5.000 a menos de 10.000 ha 0,1 2,4 0,1 3,1 0,0 2,1 0,1 2,5
10.000 ha e mais 0,0 1,5 0,0 1,7 0,0 3,6 0,0 0,7
Sem declaração - - 0,0 - - - 0,0 -
Total 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0
Fonte: IBGE - Censos Agropecuários 1975, 1980, 1985, 1995/96.

Número e área dos estabelecimentos, segundo estratos. Total de municípios da Área de


Influência. 1975, 1980, 1985 e 1995/96.
Censo
Área de
Área dos
Influência 1975 1980 1985 1995/1996
estabelecimentos
Direta
Estab. Área Estab. Área Estab. Área Estab. Área
Menos de 50 ha 5.839 121.331 7.081 124.898 8.944 158.294 6.719 115.889
50 a menos de 100
2.330 156.970 1.969 133.548 2.289 155.365 1.560 107.790
ha
100 a menos de 500
3.246 654.761 2.572 547.003 2.948 608.060 2.247 485.426
ha
500 a menos de
500 341.139 472 324.160 531 356.980 437 302.655
Área de 1.000 ha
Influência 1.000 a menos de
320 541.185 317 538.920 327 571.639 249 416.919
Direta 5.000 ha
5.000 a menos de
8 45.367 7 53.901 7 41.325 6 37.303
10.000 ha
10.000 ha e mais 2 28.846 2 30.313 5 70.569 1 10.000
Sem declaração - - 2 - - - 3 -
Total 12.245 1.889.599 12.422 1.752.743 15.051 1.962.232 11.222 1.475.982
Fonte: IBGE - Censos Agropecuários 1975, 1980, 1985, 1995/96

Um retrato mais recente da distribuição das propriedades, por número de


estabelecimentos e estratos de área, nos 17 municípios integrantes desta análise é
propiciado pelos dados fornecidos pelo IBGE no Censo Agropecuário de 2006. Neste
censo, as faixas utilizadas para separar as propriedades por seus respectivos tamanhos,
não seguem, integralmente, aquelas utilizadas nos levantamentos censitários anteriores,
porém revelam um painel atual das características fundiárias dos municípios estudados.

CPM RT 097/11 168 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Um retrato mais recente da distribuição das propriedades, por número de


estabelecimentos e estratos de área, nos 17 municípios integrantes desta análise é
propiciado pelos dados fornecidos pelo IBGE no Censo Agropecuário de 2006. Neste
censo, as faixas utilizadas para separar as propriedades por seus respectivos tamanhos,
não seguem, integralmente, aquelas utilizadas nos levantamentos censitários anteriores,
porém revelam um painel atual das características fundiárias dos municípios estudados.

Distribuição do número e área dos estabelecimentos, segundo estratos, na Área de


Influência Direta - Em 2006.
Nº de estab. agropec. Área dos estab. agropec.
Município Grupos de área total
(unidades) (hectares)
Mais de 0 a menos de
9.331 133.513
50 ha
De 50 a menos de 100
1.499 103.301
ha
De 200 a menos de 500
1.856 398.716
ha
Total da Área de Influência
Direta De 500 a menos de
365 254.822
1000 ha
De 1000 a menos de
178 -
2500 ha
De 2500 ha e mais - -
Produtor sem área - -
Fonte: IBGE - Censo Agropecuário 2006.

Como fica o preço das terras na região?

O aumento sistemático e persistente dos preços em uma economia segue, em linhas


gerais, uma tendência clássica que se exacerba quando a busca ocorre de forma
sistemática sobre recursos limitados. O problema se amplia, principalmente, quando tais
recursos são pressionados por uma forte e crescente demanda, na qual os demandantes
têm, também, simultaneamente, ampla disponibilidade de recursos para exercê-la,
gerando o fenômeno da inflação. A inflação, muito conhecida pelos brasileiros que a
vivenciaram, apresentou-se exorbitante, principalmente até o ano de 1994, quando o
governo federal implementou mais um programa de contenção do processo inflacionário,
conhecido como plano real. Tal programa conseguiu debelar o exagerado e exponencial
aumento dos preços e colocá-lo em padrões mais civilizados.

O preço da terra e as suas variações se enquadram perfeitamente nas características


típicas que regem os preços da economia, entre elas, a escassez, por se tratar de um
recurso de oferta limitada. Nesse sentido, tanto a pressão de demanda, oriunda da
presença de um grande comprador, como a redução da oferta de áreas para os fins
desejados podem ter como resultante final, o aumento dos preços.

CPM RT 097/11 169 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Não existe um levantamento, sistemático e regionalizado de preços de terra, a ponto de


se poder aferir, em nível municipal as suas específicas variações, em seus diferentes
espaços territoriais e para diferentes finalidades agropecuárias. A Fundação Getúlio
Vargas (FGV) disponibiliza a informação com um recorte de regionalização que espelha,
apenas, os valores para as Unidades da Federação, não sendo possível, entretanto, a
obtenção dos detalhes dos municípios.

Com base, portanto, nas informações relativas aos preços médios, por hectare, das
terras, divulgados pela FGV para o estado da Bahia e, realizando-se o respectivo
deflacionamento dos mesmos com o Índice Geral de Preços, Disponibilidade Interna (IGP-
DI), da mesma fundação, para que seja possível a verificação das tendências dos preços
das terras, a média dos preços da economia.

Pode-se constatar que a série a qual se analisa, e que corresponde a um período em que
a economia passou a conviver com níveis de inflação mais baixos e no qual houve um
realinhamento de preços, com redução das gigantescas expectativas inflacionárias, os
preços das terras apresentaram variações, nas pontas, superiores aos aumentos médios
de preços de toda a economia, a exceção dos preços cobrados das áreas de para
lavouras. Vale salientar, que o ano de 1995 ainda trazia em grande parte do seu percurso,
resquícios inflacionários que ainda se propagaram do ano 1994.

Nesse sentido, por se tratar de preços de um produto específico (terra), a sua


acomodação de preços se deu de maneira mais rápida, após 1995, por ser uma situação
mais focada e menos sujeita às questões de alinhamento relativo de preços. Os valores
foram plotados em figuras e são apresentados, a seguir, ao longo da análise, permitindo a
visualização do fenômeno no período analisado.

No caso da Bahia, no período analisado, pode-se verificar que, comparativamente aos


aumentos de preços aferidos pelo Índice Geral de Preços (IGP), os preços terras ainda
apresentaram acréscimos, estando os maiores nas terras para com uso de matas (35,6%)
e pastagens (49,6%), as terras de lavouras apresentaram uma pequena redução, que
atingiu de 4,8%. As terras com uso de pastagens apresentaram a maior diferença, quando
comparada com a variação média do Índice Geral de Preços, atingindo uma diferença, a
maior, de 49,6%.

Com base nos preços corrigidos pelo IGP-DI e, fazendo a conversão para índices de base
fixa, centrados em 1995, ficam mais perceptíveis as mudanças ocorridas, ao longo do
período, em relação aos preços praticados na venda de terras no estado da Bahia.

CPM RT 097/11 170 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Índice da Variação do Preço das Terras na Bahia


Por hectare e por uso
1995 a 2009
160
140

120
100
80
60
40
1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009

IGP-DI
LAVOURAS MATAS PASTAGENS

Índice da Variação do Preço Médio das Terras na Bahia, por hectare e por Uso, de 1995 a 2009.

Como é a posse e a utilização da terra na área de influência direta?

No que diz respeito à posse da terra na Área de Influência Direta, o Censo Agropecuário
de 2006 traça um painel que permite observar que, do ponto de vista da condição legal
das terras, 88,1% dos estabelecimentos pertencem a seus efetivos proprietários e estão
dispostos em 97,4% da área ocupada pelo total de municípios objeto deste estudo. Esse
resultado demonstra uma grande proporção de proprietários na AID, a qual supera os
valores registrados no estado, onde as terras próprias respondem por 87,6%, e a área
correspondente alcança 95,5%.

Por região, considerando-se os municípios da AID, vê-se que a região Sudoeste tem o
maior percentual de terras próprias (94,9%) e a área, (99,0%). Nesta área, as maiores
participação das terras próprias, em percentual de estabelecimentos, se encontram nos
municípios de Macarani (99,83%) e Maiquinique (99,1%). Nos demais municípios os
percentuais se encontram, também, acima dos 90%.

Na região Extremo Sul, a participação das terras próprias, em termos percentual de


estabelecimentos, alcança 84,1% e o percentual de área ocupada atinge 96,8%.
Destacam-se com os maiores percentuais, em termos de estabelecimento e área
ocupada, respectivamente: Belmonte (96,4% e 98,4%), Itagimirim (97,5% e 97,5%) e
Itapebi (93,8% e 99,8%). Os menores percentuais observados, tanto em percentual de
estabelecimentos quanto em área, são visualizados no município de Santa Cruz Cabrália
nos patamares de 57,21% e 86,5% respectivamente.

CPM RT 097/11 171 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Quanto ao uso da terra por classe de atividade, a tabela seguinte explicita a sua
distribuição em relação à Área de Influência Direta, com seus respectivos percentuais de
participação. Nela é possível verificar a predominância das áreas utilizadas para lavouras,
assim como para pastagens e matas. O número total, tanto de estabelecimentos quanto o
de área, em todas as tabelas, não corresponde ao somatório das diversas utilizações,
dado que, um mesmo estabelecimento pode estar enquadrado em vários dos itens, além
de poder utilizar, simultaneamente, a área para diversos fins.

Utilização das Terras no total da Área de Influência Direta, em 2006


Área de Número de estab. Área dos estab.
Utilização das terras
Influência Direta agropec. (unid.) agropec. (ha)
Total 13.442 1.338.361
Lavouras - permanentes 6.657 128.397
Lavouras - temporárias 3.114 27.963
Lavouras - área plantada com forrageiras para corte 3.343 25.697
Área para cultivo de flores (inclusive hidroponia e
plasticultura), viveiros de mudas, estufas de plantas e 10 2
casas de vegetação
Pastagens - naturais 5.060 371.482
Pastagens - plantadas degradadas 1.312 68.388
Pastagens - plantadas em boas condições 5.123 452.574
Matas e/ou florestas - naturais destinadas à preservação
Área de 2.651 112.577
permanente ou reserva legal
Influência Direta
Matas e/ou florestas - naturais (exclusive área de
2.480 80.441
preservação permanente e as em sistemas agroflorestais)
Matas e/ou florestas - florestas plantadas com essências
93 20.375
florestais
Sistemas agroflorestais - área cultivada com espécies
florestais também usada para lavouras e pastejo por 807 16255
animais
Tanques, lagos, açudes e/ou área de águas públicas para
1.086 5.470
exploração da aquicultura
Construções, benfeitorias ou caminhos 3.751 10.012
Terras degradadas (erodidas, desertificadas, salinizadas,
143 1.793
etc.)
Terras inaproveitáveis para agricultura ou pecuária
1.357 15.787
(pântanos, areais, pedreiras, etc.)
Fonte: IBGE - Censo Agropecuário 2006.

CPM RT 097/11 172 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Segurança Pública

Na área de Influência do empreendimento existem diferentes Coordenadorias Regionais


da Civil, subordinada à Secretaria da Segurança Pública do Estado da Bahia:

MUNICÍPIOS COORDENADORIAS REGIONAIS (SSP/BA)


01. Belmonte 23ª. – Eunápolis
02. Canavieiras 7ª. – Ilhéus
03. Encruzilhada 10ª. - Vitória da Conquista
04. Eunápolis 23ª. – Eunápolis
05. Guaratinga 23ª. – Eunápolis
06. Itabela 23ª. – Eunápolis
07. Itagimirim 23ª. – Eunápolis
08. Itapebi 23ª. - Eunápolis
09. Itapetinga 21ª. - Itapetinga
10. Itarantim 21ª. - Itapetinga
11. Macarani 21ª. - Itapetinga
12. Maiquinique 21ª. - Itapetinga
13. Mascote 23ª. - Eunápolis
14. Porto Seguro 23ª. - Eunápolis
15. Potiraguá 21ª. - Itapetinga
16. Santa Cruz Cabrália 23ª. - Eunápolis
17. Santa Luzia 7ª. - Ilhéus

A Polícia Militar tem como estrutura mais de trinta e cinco unidades da Polícia Militar,
entre Batalhões, Companhias, Pelotões, Postos Policiais Militares e Destacamentos.

A Região conta também com a atuação das Companhias de Ações Especiais, que atuam
regionalmente com a função de dar suporte às estruturas locais de segurança, como a
Companhia de Ações Especiais da Região Cacaueira - CAERC, a Companhia de Ações
Especiais da Mata Atlântica - CAEMA, e a Companhia de Ações Especiais do Sudoeste e
Gerais - CAESG,

Quanto aos índices de ocorrências policiais, no ano 2009, o conjunto de 17 municípios


que compõe a área em estudo apresentou o registro de 2.071 ocorrências delituosas, que
incluem apreensão de arma de fogo (375), estupro (69), furto de veiculo (131), homicídios
dolosos (265), pessoas autuadas em flagrante (730), roubos a ônibus urbano (42), roubo
seguido de morte (6), roubo de veículos (119), tentativa de homicídio (154), usuário de
drogas (102), e veículos recuperados (78).

CPM RT 097/11 173 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Em relação à distribuição espacial - por município, verifica-se que Eunápolis apresentou o


maior número de homicídios dolosos (78), o que representou 29,43% do total. Porto
Seguro liderou o ranking de apreensão de arma de fogo, com 221 e participação de
58,93% no conjunto. O registro de estupro colocou o município de Eunápolis na primeira
posição, com 13 ocorrências e participação de 18,84% do total. No que se refere às
pessoas autuadas em flagrante, o município de Eunápolis registrou 188, o que
corresponde a 25,75% das autuações. No que concerne a tentativas de homicídio, o
município de Itapetinga teve o maior número de ocorrências (47), que corresponde a
30,52%. Em relação ao consumo de drogas, verificou-se a liderança do município de
Eunápolis com 19 registros (18,63% do total). Em relação a roubo de veículos, o
município de Eunápolis registrou 57 ocorrências o que corresponde a 47,90%.

SEGURANÇA PÚBLICA

Os órgãos que integram a estrutura da Secretaria da Segurança Pública são:

- POLÍCIA CIVIL

Ela exerce as funções de polícia judiciária e investigativa, apurando os ilícitos penais na


forma da lei.

Coordenadorias Regionais da Secretaria da Segurança Pública do estado da Bahia -


Municípios da AID - 2010
MUNICÍPIOS COORDENADORIAS REGIONAIS (SSP/BA)
18. Belmonte 23ª. – Eunápolis
19. Canavieiras 7ª. – Ilhéus
20. Encruzilhada 10ª. - Vitória da Conquista
21. Eunápolis 23ª. – Eunápolis
22. Guaratinga 23ª. - Eunápolis
23. Itabela 23ª. - Eunápolis
24. Itagimirim 23ª. - Eunápolis
25. Itapebi 23ª. - Eunápolis
26. Itapetinga 21ª. - Itapetinga
27. Itarantim 21ª. - Itapetinga
28. Macarani 21ª. - Itapetinga
29. Maiquinique 21ª. - Itapetinga
30. Mascote 23ª. - Eunápolis
31. Porto Seguro 23ª. - Eunápolis
32. Potiraguá 21ª. - Itapetinga
33. Santa Cruz Cabrália 23ª. - Eunápolis
34. Santa Luzia 7ª. - Ilhéus
Fonte: Secretaria da Segurança Pública do Estado da Bahia - 2008.

CPM RT 097/11 174 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

- POLÍCIA MILITAR

A ela compete a execução, com exclusividade, do policiamento ostensivo fardado com


vistas à preservação da Ordem Pública.

A Polícia Militar tem como estrutura na AID a existência de um batalhão, localizado em


Porto Seguro e duas companhias independentes2, sendo uma em Itapetinga, na região
Sudoeste, e uma em Eunápolis, no Extremo Sul. O município de Porto Seguro também
conta com um Batalhão de Combate a Incêndio.

Relação das principais unidades da Polícia Militar que servem à AID - 2010
UNIDADES DENOMINAÇÃO MUNICÍPIO SEDE
Batalhão 2º Batalhão da Polícia Militar Ilhéus
Batalhão 8º Batalhão da Polícia Militar Porto Seguro
Batalhão 9º BPM - Vitória da Conquista Vitória da Conquista
Companhia Independente 7ª. Companhia Independente de Polícia Militar Eunápolis
Companhia Independente 8ª. Companhia Independente de Polícia Militar Itapetinga
Companhia Independente 62ª. Companhia Independente de Polícia Militar Camacan
Companhia 5ª Companhia do 8º Batalhão de Polícia Militar Barrolândia-Belmonte
2º Pelotão da 1ª Companhia Independente de Polícia
Pelotão Canavieiras
Rodoviária
Companhia 5ª Companhia do 2º Batalhão de Polícia Militar Ilheus
2º Pelotão da 6ª Companhia do 9º Batalhão de Polícia
Pelotão Encruzilhada
Militar
Posto Policial Militar do 2º Pelotão da 6ª Cia/PM do 9º BPM
Posto Policial Militar Vila Bahia - Encruzilhada
do 2º Comando de Policiamento Militar
Posto Policial Militar do 2º Pelotão da 6ª Cia/PM do 9º BPM Vila do Café -
Posto Policial Militar
do 2º Comando de Policiamento Militar Encruzilhada
Companhia Independente 7ª Companhia Independente de Polícia Militar Vila Colônia - Eunápolis
Destacamento Policial Militar da 7ª Companhia
Destacamento Policial Militar Guaratinga
Independente de Polícia Militar
Pelotão Pelotão da 7ª Companhia Independente de Polícia Militar Itabela
Posto Policial Militar de Monte Pascoal, da 7ª Companhia
Posto Policial Militar Itabela
Independente de Polícia Militar.
Destacamento Policial Militar do 3º Pelotão da 7ª
Destacamento Policial Militar Itagimirim
Companhia Independente de Polícia Militar
8ª Companhia Independente de Polícia Militar do Comando
Companhia Independente Itapetinga
de Policiamento da Região Sul
Posto do 3º Pelotão da 1ª Companhia Independente de
Companhia Independente Itapetinga
Polícia Rodoviária
Pelotão 1º Pelotão - Posto Itapetinga Itapetinga
Posto 3.4/1 da 3ª Companhia do Batalhão de Polícia
Posto Itapetinga
Rodoviária
2º Pelotão da 8ª Companhia Independente de Polícia
Pelotão Itarantim
Militar do Comando de Policiamento Região Sul
5 º Pelotão da 8ª Companhia Independente da Polícia
Pelotão Macarani
Militar do Comando de Policiamento Região Sul
Destacamento Policial Militar do 2º Pelotão da
Destacamento Policial Militar Maiquinique
8ª Companhia Independente Policial Militar

                                                            
2
Em geral as companhias contam com escolas de aperfeiçoamento de praças, a exemplo da 7 ª. CIPM de Eunápolis.
CPM RT 097/11 175 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental
Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Relação das principais unidades da Polícia Militar que servem à AID - 2010
UNIDADES DENOMINAÇÃO MUNICÍPIO SEDE
5º Pelotão da 62ª Companhia Independente da Polícia São João do Paraíso -
Pelotão
Militar Mascote
Sede municipal- Porto
Batalhão 8º Batalhão de Polícia Militar
Seguro
Arraial D’Ajuda - Porto
Companhia 3º Cia. do 8º Batalhão de Polícia Militar
Seguro
Companhia 2ª Cia. do 8º Batalhão de Polícia Militar no Baianão;- Porto Seguro
3º Pelotão da 3ª CIA do 8º Batalhão de Policia Militar;
Pelotão Caraíva - Porto Seguro
4ª Cia. do 8º Batalhão de Polícia Militar - Sede municipal;
Companhia Centro - Porto Seguro
Cidade Alta - Porto
Grupamento 6º Grupamento de Bombeiro Militar
Seguro
5º Pelotão da 3ª Cia.do 8º Batalhão de Policia Militar Pindorama - Porto
Pelotão
Seguro
Pelotão 2º Pelotão da 3ª Cia. do 8º Batalhão de Policia Militar Trancoso - Porto Seguro
Posto do 5º Pelotão da 1ª CIPRv Vale Verde - Porto
Posto
Seguro
Pelotão 4º Pelotão da 3ª Cia do 8º Batalhão de Polícia Militar Vera Cruz - Porto Seguro
Destacamento Policial Militar Destacamento Policial Militar do 2º Pelotão da 8ª CIPM Potiraguá
Companhia 4ª Companhia do 8º Batalhão de Polícia Militar Santa Cruz Cabrália
4º Pelotão da 62ª Companhia Independente de Polícia
Pelotão Santa Luzia
Militar
Fonte: COSMOS - Pesquisa de Campo, novembro de 2010.

AID conta com a atuação das Companhias de Ações Especiais, que atuam regionalmente
com a função de dar suporte às estruturas locais de segurança, notadamente em
momentos de crise, representados por ações do crime organizado e eventos de
convulsão social. Na área em estudo existem três companhias, elencadas a seguir:

ƒ Companhia de Ações Especiais da Região Cacaueira - CAERC, que abrange as


regiões do Baixo e Médio Sul, indo de Canavieiras – passando por Itabuna, Ilhéus, e
Itacaré – até o município de Valença, na Costa do Dendê.

ƒ A Companhia de Ações Especiais da Mata Atlântica - CAEMA, voltada para o


Litoral Sul e Extremo Sul.

ƒ Companhia de Ações Especiais do Sudoeste e Gerais - CAESG, que cobre 69


municípios e a divisa com o Estado de Minas Gerais, abrangendo todos os municípios
da região Sudoeste que fazem parte da AID. (Figura 44)

- DETRAN - DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO

A finalidade deste órgão consiste em planejar, dirigir, controlar, fiscalizar, disciplinar e


executar os serviços relativos ao trânsito, competindo-lhe as atribuições definidas pelo
Código de Trânsito Brasileiro,

CPM RT 097/11 176 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Índices de ocorrências policiais

No ano 2009, o conjunto de 17 municípios que compõe a área em estudo apresentou o


registro de 2.071 ocorrências delituosas, que incluem apreensão de arma de fogo (375),
estupro (69), furto de veiculo (131), homicídios dolosos (265), pessoas autuadas em
flagrante (730), roubos a ônibus urbano (42), roubo seguido de morte (6), roubo de
veículos (119), tentativa de homicídio (154), usuário de drogas (102), e veículos
recuperados (78).

Em relação à distribuição espacial - por município, verifica-se que Eunápolis apresentou o


maior número de homicídios dolosos (78), o que representou 29,43% do total. Porto
Seguro liderou o ranking de apreensão de arma de fogo, com 221 e participação de
58,93% no conjunto. O registro de estupro colocou o município de Eunápolis na primeira
posição, com 13 ocorrências e participação de 18,84% do total. No que se refere às
pessoas autuadas em flagrante, o município de Eunápolis registrou 188, o que
corresponde a 25,75% das autuações. No que concerne a tentativas de homicídio, o
município de Itapetinga teve o maior número de ocorrências (47), que corresponde a
30,52%. Em relação ao consumo de drogas, verificou-se a liderança do município de
Eunápolis com 19 registros (18,63% do total). Em relação a roubo de veículos, o
município de Eunápolis registrou 57 ocorrências o que corresponde a 47,90%.

Ocorrências policiais delituosas - AID – 2009


Ocorrências Belmonte Canavieiras Encruzilhada Eunápolis Guaratinga Itabela Itagimirim Itapebi
Apreensão de
5 5 4 35 8 14 3 5
Arma de Fogo
Estupro 3 3 13 5 6 - 4
Furto de veículo 9 5 7 45 5 3 - -
Homicídio doloso 14 19 4 78 5 12 - 5
Pessoas autuadas
9 34 20 188 18 65 3 6
em flagrante
Roubo a ônibus
- - - 19 - 2 - -
urbano
Roubo seguido de
- 1 - 3 - - - 1
morte
Roubo de veículo 1 2 57 3 8 3
Tentativa de
6 8 2 39 4 5 1 3
homicídio
Usuário de drogas - 10 - 19 3 1 - -
Veículos
1 4 32 - 2 - 1
recuperados
Total 47 86 43 528 51 118 7 28
Fonte: SSP/BA - CEDEP – 2009.

CPM RT 097/11 177 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Ocorrências policiais delituosas - AID – 2009 (continuação)


Porto Sta. Cruz Santa
Ocorrências Itapetinga Itarantim Macarani Maiquinique Mascote
Seguro
Potiraguá
Cabrália Luzia
Apreensão de
Arma de Fogo
40 6 3 3 3 221 2 15 3
Estupro 12 3 1 2 12 3 2
Furto de veículo 10 1 1 34 1 1 9
Homicídio doloso 21 3 2 4 2 73 4 12 7
Pessoas autuadas
em flagrante
178 13 14 9 5 136 6 13 13
Roubo a ônibus
urbano
1 - - - - 16 - 4 -
Roubo seguido de
morte
- - - - - 1 - - -
Roubo de veículo 14 1 1 - 26 - 3
Tentativa de
homicídio
47 1 2 - 2 20 1 8 5
Usuário de drogas 47 3 11 - 8 - -
Veículos
recuperados
10 1 - 1 23 - 2 1
Total 380 31 35 18 14 570 17 58 40
Fonte: SSP/BA - CEDEP – 2009.

Cercamento de comunidades ou equipamentos de uso público pelo plantio de


eucalipto

Segundo Metzger (2001), apesar da diversidade de conceitos, a definição de espaço


aberto ou fechado passa pela inter-relação do homem com o ambiente. Este mesmo autor
destaca que:

Esse espaço é vivenciado de diferentes formas, através de uma projeção de sentimentos


ou emoções pessoais, da contemplação de uma beleza cênica, da organização ou
planejamento da ocupação territorial, da domesticação ou modificação da natureza
segundo padrões sociais.

Essas definições permitem compreender o motivo pelo qual existe uma preocupação
recorrente para muitos atores sociais com relação aos empreendimentos que se inserem
nas paisagens fazendo alterações extensas nas fitofisionomias nativas ou já
estabelecidas na região a ser ocupada.

Assim, o conjunto de formações de plantios, se realizados em regiões muito próximas a


comunidades rurais, ou equipamentos de uso público (escolas, cemitérios, equipamentos
de valor histórico, sítios arqueológicos, centros comunitários, postos de saúde, entre
outros) podem causar importantes impactos sob o ponto de vista estético, ambiental,
social e econômico.

Considerando a extensão dos plantios no contexto do polígono sabe-se que algumas


comunidades ficam isoladas pelo maciço florestal e admite-se também ocorrer um
impacto relevante na modificação isolada das paisagens ao longo das fases de

CPM RT 097/11 178 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

implantação e colheita, devendo este ser considerado um impacto de mitigação difícil,


porém, possível em situações específicas.

Assim em cada situação, antes da aquisição da propriedade, deve-se proceder a uma


avaliação social do uso da terra, verificando-se a presença de comunidades com potencial
de serem circundadas pelas áreas de interesse do empreendedor, bem como a existência
de equipamentos de uso público.

Um exemplo de característica locacional relaciona-se ao isolamento de propriedades


rurais, devido à compra e plantio em fazendas do entorno. Neste sentido, o crescimento
das florestas pode causar transtornos econômicos para a produção (sombreamento,
água, qualidade dos acessos, entre outros) e sobre o valor da terra das áreas
confrontantes.

Para minimizar este impacto, o empreendedor deve adotar um afastamento mínimo de


300m, entre os plantios e os distritos e para o caso de equipamentos de uso público, será
adotado o afastamento mínimo de 40m.

9 QUAIS IMPACTOS O PROJETO CAUSARÁ E AS MEDIDAS


PROPOSTAS?

Conforme visto até aqui, a ampliação da Veracel (indústria e área plantada) é um projeto
que irá gerar impactos positivos e negativos em sua Área de Influência durante a
implantação e após a entrada em operação. Para potencializar os impactos positivos e
reduzir ou eliminar os negativos, a Veracel Celulose os identificou e traçou medidas e
programas específicos, conforme tabela abaixo.

CPM RT 097/11 179 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Avaliação dos Impactos e Medidas Mitigadoras.

IMPACTO IMPORTÂNCIA IR MEDIDAS MITIGADORAS

É recomendável que os trabalhadores sejam desligados gradativamente e que alguns sejam reaproveitados na etapa de operação do empreendimento, naquelas
áreas em que exista aderência e/ou continuidade com as atividades desempenhadas anteriormente. Os trabalhadores residentes na área de influência direta do
empreendimento devem ser priorizados.

Capacitar alguns trabalhadores para que os mesmos possam desempenhar uma nova função no empreendimento – a referida capacitação poderá ser realizada em
parceria com as instituições públicas que desempenham as ações de qualificação social e profissional e de intermediação de mão-de-obra.
Diminuição do nível de emprego, ocupação e massa
salarial com o término da implantação da ampliação da Alta -45 Deflagrar estratégias para que alguns trabalhadores possam ser absorvidas na rede já existente e consolidadas de fornecedores da empresa.
VERACEL
Promover o acompanhamento por profissionais de serviço social dos trabalhadores demitidos, orientado-os em relação às iniciativas mais adequadas para sua
recolocação no mercado de trabalho, mudança de domicílio, dentre outras ações.
Para minimizar o impacto decorrente da contração da renda circulante oriundo da redução da massa salarial – que comprometerá os negócios surgidos e/ou
ampliados na fase de construção da fábrica - o empreendimento poderá firmar novas parcerias locais para aquisição de insumos na própria localidade, como forma
de manter parte dos empregos e das ocupações que foram criadas pelo efeito-renda.

Alteração nas estruturas social, econômica, cultural,


Alta -45
relações de vizinhança e práticas cotidianas
Respeitada a viabilidade econômica e a segurança operacional do empreendimento, reduzir o percentual de terras próprias na formação da Base Florestal,
aumentando os percentuais de terras arrendadas e/ou de madeira produzida por meio de fomento florestal. Para a União e o Governo do Estado – Ampliar as
Ocorrência de conflitos fundiários Alta -42 ações do Programa de Reforma Agrária na AID.
Contribuir com o esforço governamental para implantação do Programa de Reforma Agrária na AID.
Expandir o Projeto Agrovida para outras comunidades da AID.
Proliferação de doenças endêmicas de veiculação
hídrica, por emissão de gases, poeira e doenças Alta -42
transmissíveis
Descentralizar a produção de mudas de eucalipto e das essências nativas na região, proporcionalmente à área plantada em cada município;
Aumento da arrecadação de tributos Alta -39
Criação de Portal de Transparência para informar à população a arrecadação municipal de tributos decorrentes diretamente da implantação e operação do
empreendimento.
Conflitos de uso da água, e da terra, considerando os já
existentes e aqueles que poderão surgir em decorrência
Alta -39
das novas demandas a serem viabilizadas para a
disposição industrial
ƒ Programa de fiscalização de caça pelos funcionários.
Captura de animais silvestres Baixa -18 ƒ Programas de conscientização dos colaboradores.
ƒ Sistema de consequência aos colaboradores que molestarem / capturarem exemplares da macro-fauna.
Comprometimento de bens do patrimônio arqueológico Alta -36

ƒ Criar possibilidades e mecanismos para que os moradores e/ou trabalhadores dos imóveis trabalhem nas atividades de plantio de eucalipto.
ƒ Capacitar os moradores que desejarem trabalhar no plantio de eucalipto.

Alteração da dinâmica demográfica da área de influência Alta -36 ƒ Disseminar as informações geradas pelo Projeto Agrovida – Alimentos para as partes interessadas da área de influência do empreendimento.
ƒ Continuar os investimentos em tecnologia florestal para aumento da produtividade do eucaliptal, reduzindo a necessidade de ocupação de novas áreas e,
desse modo, a demanda por aquisição de terras.
ƒ Evitar a aquisição de minifúndios e de pequenas propriedades nas quais se desenvolve a agricultura familiar.

CPM RT 097/11 180 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Avaliação dos Impactos e Medidas Mitigadoras.Continuação

IMPACTO IMPORTÂNCIA IR MEDIDAS MITIGADORAS

Implantação de um específico Programa de Segurança no Tráfego no qual deverá conter:


ƒ Elaboração e implantação de Plano de Gerenciamento de Riscos, com o objetivo de administrar possíveis hipóteses acidentais;
ƒ Implantação de serviço específico de transporte de trabalhadores, com definição de pontos de coleta e horários;
Aumento dos índices de acidentes de trabalho no trajeto ƒ Elaboração e implantação de Planos específicos para lidar com situações emergenciais;
Alta -36
alojamentos - canteiro de obras
ƒ Mecanismos para que as empresas contratadas atendam às normas de transporte rodoviário da Veracel;
ƒ Reforço na sinalização de segurança nas proximidades de áreas urbanas e aglomerados rurais - atenção especial deve ser dada a escolas e outros locais
de concentração de população;

ƒ Adoção de mecanismos de incentivo e benefícios em prol do alcance da meta de Acidentes Zero no Trânsito.
Adoção de Programa de Segurança no Trabalho, contemplando atividades prévias de treinamento sobre: informações sobre condições e meio ambiente de
trabalho; riscos inerentes à função; uso adequado dos equipamentos de proteção individual (EPI), informações sobre os equipamentos de proteção coletiva (EPC)
existentes no canteiro de obra. Ademais, deverá contemplar iniciativas de prevenção de acidentes por intermédio da avaliação de riscos e todos os demais
elementos constantes no Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (PCMAT) que integra a Norma Regulamentadora Nº 18
Aumento dos índices de acidentes de trabalho no (NR 18) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), levando-se em conta, inclusive, a recém publicada Portaria Nº 201 de 21 de Janeiro de 2011, que altera a NR
Alta -36
canteiro de obras 18.
Firmar parcerias com o Sindicato da Indústria da Construção do Estado da Bahia (SINDUSCON-BA), com o Centro Estadual de Referência em Saúde do
Trabalhador (CESAT) vinculado à Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (SESAB) e com a FUNDACENTRO do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) para
identificação e posterior adoção de boas práticas de prevenção de acidentes na área da construção civil.

ƒ Priorizar a contratação de trabalhadores locais e regionais, principalmente aqueles que já trabalharam no empreendimento Veracel I, reduzindo-se assim a
necessidade de mão-de-obra extra-regional. Da mesma forma, deverá recomendar às empreiteiras contratadas para a execução dos serviços, que assim o façam.
Essa medida também se constitui num meio de envolver a comunidade perante o empreendimento, além de evitar o afluxo demasiado de pessoas estranhas à
comunidade.

ƒ Implantação de Programa de Comunicação Social incluindo a divulgação dos principais aspectos do empreendimento, tornando públicos os prazos e as
quantidades de trabalhadores necessários, bem como a sua qualificação prévia.

ƒ Implantação de um amplo e permanente Programa de Prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e de Gravidez Indesejada e na
Alteração do modo de vida e do comportamento da
Adolescência. É imperioso que esse programa de prevenção seja delineado, implantado e executado em parceria com o poder público, valendo-se das vantagens
população dos núcleos urbanos vizinhos da fábrica de
comparativas oriundas das ações dos Agentes Comunitários Saúde / Programa Saúde da Família, que, além de apresentaram significativa capilaridade e cobertura
celulose (Barrolândia e ponto central), dos alojamentos Alta -36
populacional, contam também com grande conhecimento acumulado sobre as especificidades das realidades locais. É importante e estratégico que o público-alvo
de trabalhadores e dos municípios de Itagimirim, Itapebi,
do programa seja composto tanto pelos trabalhadores envolvidos com a obra, quanto pela população residente nas comunidades e núcleos urbanos mais próximos
Belmonte e Santa Cruz Cabrália
aos alojamentos de trabalhadores. As ações do programa de prevenção devem chegar também às escolas de ensino fundamental e médio para que seja
assegurada a participação dos/das adolescentes e jovens, que se constituem no grupo de maior risco. É recomendável que todos os trabalhadores envolvidos no
programa de prevenção sejam cadastrados e que, ao longo das oficinas, seja mencionado que, caso, necessário, quando do nascimento de um filho cuja mãe for
abandonada e se tratar de uma criança ou adolescente, o Conselho Tutelar/Ministério Público poderão solicitar teste de reconhecimento da paternidade – trata-se
de uma ação de caráter predominantemente preventivo e inibitório.

ƒ Criação de uma baseline sobre a natalidade e incidência de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) na área de influência direta do empreendimento
para permitir o monitoramento da evolução do comportamento da natalidade e das DST ao longo de todo o período de construção da fábrica de celulose. A adoção
dessa medida permitirá avaliar a eficácia do Programa de Prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e de Gravidez Indesejada e na Adolescência
e adoção de eventuais ajustes no mesmo, caso se faça necessário em função dos resultados oriundos do monitoramento.

CPM RT 097/11 181 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Avaliação dos Impactos e Medidas Mitigadoras.Continuação


IMPACTO IMPORTÂNCIA IR MEDIDAS MITIGADORAS
Firmar parceria com os Conselhos Tutelares, Conselhos Municipais e Ministério Público para delinear e promover ações preventivas contra a Exploração Sexual de Crianças e
Adolescentes. Nesse contexto, merece destaque internalizar algumas iniciativas bem sucedidas, a exemplo do Programa Na Mão Certa, uma iniciativa da Childhood Brasil que visa
mobilizar governos, empresas e organizações do terceiro setor em torno do enfrentamento mais eficaz da exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias brasileiras. A
Veracel possui vantagens comparativas em deflagrar esse tipo de ação e parceria já que, além de signatária (desde 2006) do Pacto Empresarial contra a exploração sexual de crianças
e adolescentes nas rodovias brasileiras criado pelo Programa Na Mão Certa, apóia diversas iniciativas do mesmo. Ademais, entre os anos de 2008 e 2009 a Veracel realizou seis
Alteração do modo de vida e do comportamento da população campanhas de sensibilização junto à cerca de 600 motoristas/caminhoneiros de empresas de transporte parceiras, além de promover o monitoramento constante, de forma preventiva,
dos núcleos urbanos vizinhos da fábrica de celulose dos caminhoneiros ligados às empresas transportadoras de celulose e eucalipto. É importante enfatizar que as ações de prevenção nas rodovias serão estratégicas, uma vez que o
(Barrolândia e ponto central), dos alojamentos de trabalhadores recém divulgado Mapeamento dos Pontos Vulneráveis à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Federais Brasileiras -2009/2010, detectou a existência de 1.820
e dos municípios de Itagimirim, Itapebi, Belmonte e Santa Cruz pontos de exploração ao longo das rodovias federais do país, sendo que o Estado da Bahia apresentava o maior número (117) dos 924 pontos de exploração classificados como
Cabrália críticos, o correspondente a 12,7% do total do país. Ao todo, a Bahia conta com 148 pontos de exploração. O referido mapeamento foi desenvolvido – no âmbito do Programa Na Mão
Certa - por intermédio de uma parceria entre o Departamento de Polícia Rodoviária Federal, a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, a Organização
Internacional do Trabalho, a Childhood Brasil e o setor privado. Por fim, o processo de definição das ações deve levar em conta o conjunto de importantes insumos e resultados
provenientes da Pesquisa Vítimas de Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes: Indicadores de Risco, Vulnerabilidade e Proteção, desenvolvida pela Childhood Brasil em
parceria com a Universidade Federal de Sergipe e que contou com o apoio da Veracel, Fibria e Grupo Gerdau. • Medida 6 (Mitigadora) - Proporcionar opções de lazer, esporte e
cultura para os trabalhadores da obra.

ƒ Elaborar um Programa de Engenharia de Tráfego para a AID, com os seguintes objetivos principais:

ƒ Estabelecer os roteiros de transporte de pessoas, matérias-primas, insumos, máquinas e equipamentos e celulose para a operação da Base Florestal e da Fábrica de
Celulose;

ƒ Estimar o volume de tráfego em cada trecho das rodovias a serem utilizadas;

ƒ Propor soluções (obras e/ou procedimentos operacionais) para as travessias urbanas pelo tráfego a ser gerado;

ƒ Identificar a necessidade de eventuais obras rodoviárias complementares;

ƒ Projeto de Sinalização Rodoviária Complementar;

ƒ Estratégia de transporte de cargas pesadas;

ƒ Controle do peso das cargas;


Aumento do tráfego de veículos na AID do empreendimento
durante a operação da Base Florestal e da operação da Fábrica Alta -36
ƒ Treinamento dos motoristas das empresas prestadoras de transporte rodoviário;
de Celulose
ƒ Identificação de locais com maior concentração de fauna silvestre sob risco de atropelamento pelos veículos;

ƒ Projeto de Atendimento de Emergências relacionados com acidentes de tráfego.


Estudar com o governo estadual a possibilidade de construção de rodovia alternativa para transporte de madeira das partes norte e sudoeste da Base Florestal, de Santa Maria Eterna
até a Fábrica de Celulose, com ponte sobre o rio Jequitinhonha.

ƒ Estudar uma maneira de evitar a queda de cascas e pedaços de madeira de eucalipto nas rodovias da AID durante o transporte da Base Florestal até a Fábrica de Celulose.
Sugerida ao Estado da Bahia – Avaliar a possibilidade de implantação de rodovia entre Santa Maria Eterna e a Fábrica de Celulose, buscando reduzir o tráfego de carreta de madeira
no trecho norte da BR-101.

ƒ Incentivar o abastecimento de parte da frota de veículos em postos de combustíveis localizados em vários municípios da AID, principalmente naqueles com economia e
comércio menos desenvolvidos, de modo a distribuir a renda gerada ao longo da mesma.

ƒ Incentivar a localização das empresas de transporte em vários municípios da AID, principalmente naqueles com economias e comércio menos desenvolvidos, de modo a
distribuir a renda gerada ao longo da mesma.

ƒ Manutenção dos remanescentes naturais


Alterações na diversidade e composição da fauna aquática e ƒ Preservação dos corpos d’água
Alta -36
terrestre, com destaque para as espécies protegidas por lei ƒ Planejamento de implantação de projetos silviculturais levando em conta a manutenção do mosaico de paisagens e das conexões entre remanescentes

ƒ Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional (PCMSO);


Exposição da população aos riscos de acidentes Alta -33 ƒ Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA);

Mudanças na saúde pública com a incidência de novas doenças Alta -33


ƒ Elaboração de um programa de comunicação social para prestar esclarecimentos à população em geral. As ações desse Programa deverão informar antecipadamente o
Atração excessiva de trabalhadores em busca de oportunidades contingente de mão de obra a ser demandado e sua distribuição ao longo do período de construção da fábrica, o perfil das ocupações requeridas, as condições de contratação de mão-
de emprego nos núcleos urbanos vizinhos da fábrica de celulose de-obra, além da dimensão do empreendimento e os seus possíveis desdobramentos na localidade. A medida irá inibir expectativas superestimadas decorrentes da falta de informação
(barrolândia e ponto central), dos alojamentos de trabalhadores Alta -33 precisa e confiável e, conseqüentemente, minimizará a atração de grandes fluxos de trabalhadores e as eventuais tensões sociais daí derivadas.
e dos municípios de Itagimirim, Itapebi, Belmonte Santa Cruz
Cabrália, Eunápolis e Porto Seguro ƒ Reforçar a prestação de serviços públicos e a infra-estrutura urbana.

CPM RT 097/11 182 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Avaliação dos Impactos e Medidas Mitigadoras. Continuação

IMPACTO IMPORTÂNCIA IR MEDIDAS MITIGADORAS


Quanto aos aumentos de Turbidez e Sólidos Suspensos Totais:
Evitar a implantação de leitos de estradas com declividades altas.
• Projetar as vias de acesso de forma que os maiores comprimentos sejam paralelos às curvas de nível.
• Implantação de sistemas de drenagem com canaletas revestidas;
• Implantação de estruturas para dissipação de energia hidráulica.
• Proteção de leitos de estradas contra a erosão.
• Proteção de taludes com utilização de vegetação
• Movimentação de terra restrita à menor área possível.
• Minimização da movimentação de terra durante períodos chuvosos.
• Implantação de barreiras filtrantes.
• Seleção de jazidas distantes de corpos de água e, preferencialmente em locais planos.
• Adoção de medidas de controle de erosão nas jazidas.
• Implantação dos planos de recuperação de áreas degradadas nas áreas de jazidas - PRAD
• Assegurar a preservação de áreas de preservação permanente;
• Evitar o excesso de revolvimento do solo;
• Utilizar técnicas de manejo e conservação dosolo;
Quanto aos esgotos sanitários:
• Utilização preferencial de banheiros químicos nos locais das obras e nos locais da base florestal.
• Destinação adequada dos dejetos coletados.
Alteração de qualidade de água Alta -33
Quanto à contaminação por combustíveis, óleo e resíduos oleosos:
• Controle do fornecimento e abastecimento das máquinas e equipamentos;
• Manutenção de equipamentos realizada preferencialmente em oficinas licenciadas e dotadas de sistemas de controle ambiental;
• Recolhimento imediato de material em caso de derrames;
• Observar o distanciamento necessário das coleções hídricas e respeitar as áreas de preservação permanente;
• Recolhimento e descarte adequado de embalagens;
• Treinamento de funcionários e empreiteiros envolvidos.
Quanto à contaminação por fertilizantes:
• Aplicação adequada dos fertilizante (quantidade, tipo);
• Controle rigoroso da distribuição, manuseio e aplicação;
• Manutenção de distância adequada dos corpos d’água na fase de aplicação dos fertilizantes;
• Descarte adequado das embalagens de fertilizantes;
• Treinamento e reciclagem da mão-de-obra diretamente responsável por atividades correlatas;
Quanto à contaminação por agrotóxicos:
• Utilização mínima necessária de agrotóxicos;
• Utilização de agrotóxicos menos tóxicos;
• Manutenção de distância adequada dos corpos d’água na fase de aplicação dos agrotóxicos;
• Controle rigoroso da distribuição, manuseio e aplicação dos produtos;
• Treinamento e reciclagem da mão-de-obra diretamente responsável por atividades correlatas;
Mudanças nos habitats e hábitos da fauna Alta -33 Definição de procedimentos de operações
Programa Emergencial de Reforço à Infraestrutura Urbana e aos Serviços Públicos para a Área de Influência da Implantação da Fábrica de Celulose, com ênfase
nos seguintes componentes ambientais e serviços públicos:
ƒ Saúde Pública, Segurança Pública, Saneamento (abastecimento de água, estamento sanitário e limpeza pública), Transporte, Rodovias e Lazer.

ƒ Não competir por hospedagem com as atividades turísticas do polo Porto Seguro - Santa Cruz Cabrália nas épocas de altas estações turísticas.

ƒ Localizar e projetar cuidadosamente os Alojamentos de Trabalhadores, de modo a reduzir os impactos ambientais nas pequenas cidades, vilas e
Aumento da demanda por infraestrutura urbana e
Média -30 povoados próximos.
Serviços Públicos
ƒ Divulgar para os Setores Primário e Terciário da Economia da AID as oportunidades de negócio a serem geradas na etapa de implantação da ampliação
da Base Florestal e da Fábrica de Celulose da Veracel.

ƒ Incentivar a qualificação dos Setores Primário e Terciário da Economia da AID para os mesmos beneficiarem-se das oportunidades de negócio a serem
geradas na etapa de implantação da ampliação da Base Florestal e da Fábrica de Celulose da Veracel.

CPM RT 097/11 183 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Avaliação dos Impactos e Medidas Mitigadoras.Continuação

IMPACTO IMPORTÂNCIA IR MEDIDAS MITIGADORAS

ƒ Realizar o planejamento ambiental de corredores ecológicos (paisagem) em cada propriedade adquirida visando identificar, antes da fase de implantação, a
existência de corredores ecológicos, e planejar a manutenção da continuidade destes corredores conciliadas com a implantação do projeto florestal.

ƒ Redução da largura das estradas e acessos ao máximo permitido operacionalmente.

ƒ Plano de Enriquecimento Florístico de Áreas de Reserva Legal, de Matas Sujeitas a Regime de Preservação e de Áreas de Preservação Permanente.
Fragmentação de florestas e interferências em corredores
Média -28
ecológicos
ƒ Continuidade do Plano de Monitoramento da Fauna e Flora.

ƒ Continuidade do plantio de eucalipito, preferencialmente em mosaico, nos tabuleiros costeiros. Ou seja, nos platôs preservando os vales e estabelecendo
trampolins ecológicos.

ƒ Continuidade do Programa de Criação e Manutenção dos Corredores Ecológicos

Elevação dos níveis de ruído em áreas de sítios e fazendas Média -27 Construção de barreira acústica com grelhas incorporadas e/ou material absorvente acústico, em torno das bombas emissoras de ruído dos emissários.
Com base em levantamento de ortofotocartas de 1995, foi definido como premissa de projeto Veracel II, a restrição para compra de terras florestadas naquela ocasião. Cabe
ressaltar que essa restrição está estabelecida como condicionante da LO ora vigente para Veracel I.
Perda de área vegetada e da biodiversidade associada Média -27
Implantar Programa de Comunicação eficaz e Programa de Educação Ambiental com a população diretamente afetada informando que a Veracel não adquiri áreas
desmatadas recentemente, e que são monitoradas as áreas através de fotos aéreas e de satélite

ƒ Evitar a implantação de leitos de estradas com declividades altas.


ƒ Projetar vias de acesso de forma que os maiores comprimentos sejam paralelos às curvas de nível.
ƒ Implantação de sistemas de drenagem com canaletas revestidas;
ƒ Implantação de estruturas para dissipação de energia hidráulica.
ƒ Proteção de leitos de estradas contra a erosão.
ƒ Proteção de taludes com utilização de vegetação.
ƒ Movimentação de terra restrita à menor área possível.
Assoreamento de corpos d'água Média -26 ƒ Minimização da movimentação de terra durante períodos chuvosos.
ƒ Implantação de barreiras filtrantes.
ƒ Seleção de jazidas distantes de corpos de água e, preferencialmente em locais planos.
ƒ Adoção de medidas de controle de erosão nas jazidas.
ƒ Implantação dos planos de recuperação de áreas degradadas nas áreas de jazidas – PRAD
ƒ Assegurar a preservação de áreas de preservação permanente;
ƒ Evitar o excesso de revolvimento do solo;
ƒ Utilizar técnicas de manejo e conservação do solo.
ƒ Estudar a possibilidade de destinar percentuais de APADs para o conceito de “Área para Produção de Alimentos - APAL” pela pequena agricultura e Agricultura
Familiar, priorizando as famílias dos assentamentos da Área de Influência Direta cadastradas pelo INCRA e pelos movimentos sociais que não tem acesso à terra para
produzir.

ƒ Disseminar as informações geradas pelo Projeto Sistema Agroflorestal para as partes interessadas da Área de Influência Direta;
Alteração do uso e ocupação do solo pela aquisição e
arrendamento de terras pela VERACEL e seus fomentados Média -24 ƒ Continuar os investimentos em tecnologia florestal para aumento da produtividade do eucaliptal, reduzindo a demanda por terras;
para formação da Base Florestal
ƒ Evitar a aquisição de terras em áreas agrícolas com grande produção de alimentos.

ƒ Seguir a condicionante da licença de localização do primeiro projeto Veracel que somente permite a aquisição de propriedades com menos de 50 ha em casos
excepcionais e com anuência do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais, tendo em vista que tais áreas são, em geral, produtoras de alimentos.

ƒ Realizar por meio do Plano de Supressão da Vegetação uma avaliação técnica em cada área a serem implantados plantios florestais visando detectar a presença
de espécies raras, endêmicas e ameaçadas de extinção.

Alteração ou supressão da vegetação existente, com ênfase ƒ Por meio do Plano de Resgate de Fauna e Flora promover o salvamento de espécies da flora raras, endêmicas e ameaçadas nas áreas onde ocorrerá limpeza ou
Média -22
para espécies raras, endêmicas e ameaçadas de extinção supressão de vegetação
Nos talhões reservados ao plantio, em caso de identificação de indivíduo arbóreo, mantê-lo dentre o eucalipto plantado.

ƒ Plano de Enriquecimento Florístico de Áreas de Reserva Legal, de Matas Sujeitas a Regime de Preservação e de Áreas de Preservação Permanente.
ƒ Continuação do Plano de Monitoramento da Flora e Fauna

CPM RT 097/11 184 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Avaliação dos Impactos e Medidas Mitigadoras.Continuação

IMPACTO IMPORTÂNCIA IR MEDIDAS MITIGADORAS

Elaborar um Programa de Engenharia de Tráfego para a AID, com os seguintes objetivos principais:
ƒ Estabelecer os roteiros de transporte de pessoas, matérias-primas, insumos, máquinas e equipamentos para o plantio e manutenção da Base Florestal e
construção da Fábrica de Celulose;
ƒ Estimar o volume de tráfego em cada trecho das rodovias a serem utilizadas;
ƒ Propor soluções (obras e/ou procedimentos operacionais) para as travessias urbanas pelo tráfego a ser gerado;
ƒ Identificar a necessidade de eventuais obras rodoviárias complementares;
ƒ Projeto de Sinalização Rodoviária Complementar;
ƒ Estratégia de transporte de cargas pesadas;
Aumento do tráfego de veículos na AID do ƒ Controle do peso das cargas;
empreendimento durante a implantação e manutenção da Média -22
Base Florestal e da construção da Fábrica de Celulose ƒ Treinamento dos motoristas das empresas prestadoras de transporte rodoviário;
ƒ Identificação de locais com maior concentração de fauna silvestre sob risco de atropelamento pelos veículos;
ƒ Projeto de Atendimento de Emergências relacionados com acidentes de tráfego.

Levando em conta a viabilidade econômica do empreendimento, tentar melhorar o traçado das rodovias vicinais que serão recuperadas ou construídas para a
implantação e operação da Base Florestal para atendimento das demais propriedades rurais e núcleos populacionais vizinhos.

Incentivar o abastecimento de parte da frota de veículos em postos de combustíveis localizados em vários municípios da AID, principalmente naqueles com
economia e comércio menos desenvolvidos, de modo a distribuir a renda gerada ao longo da mesma.

Incentivar a localização das empresas de transporte em vários municípios da AID, principalmente naqueles com economias e comércio menos desenvolvidos, de
modo a distribuir a renda gerada ao longo da mesma.

ƒ Destinar 20% da Área de Proteção Adicional (APAD) para o conceito de “Área para Produção de Alimentos – APAL” pela pequena agricultura e
Agricultura Familiar, priorizando as famílias, situadas na Área de Influência Direta,cadastradas pelo INCRA e pelos movimentos sociais que não tem acesso à
terra para produzir.;
Aquisição e arrendamento de terras pela VERACEL para
Média -22
formação da base florestal ƒ Disseminar as informações geradas pelo Projeto Agrovida para as partes interessadas da Área de Influência Direta;

ƒ Continuar os investimentos em tecnologia florestal para aumento da produtividade do eucaliptal, reduzindo a demanda por terras.

Interferência no cotidiano das famílias do entorno do


Média -22 ƒ Reduzir os incômodos para a população rural das propriedades vizinhas aos projetos florestais da Veracel.
empreendimento
Mudança na vida diária da população residente próxima
da obra, considerando aspectos sociais, culturais e
Média -22 ƒ Estabelecer boas relações de vizinhança com a população rural das propriedades próximas aos projetos florestais e da Fábrica de Celulose da Veracel
psicológicos das populações a serem afetadas
diretamente com o empreendimento
ƒ Priorizar, para implantação dos talhões, áreas distantes de núcleos habitacionais, povoados e localidades que são abastecidas por mananciais
subterrâneos.
Alteração nas condições de recarga natural dos aquíferos Média -22
ƒ Escolha de áreas para implantação da base florestal que priorize locais onde as condições sejam menos propícias para recarga de aqüíferos, preservando
as áreas de recarga mais efetiva. Levar em consideração também a profundidade do lençol freático.

ƒ Priorizar para implantação dos talhões e áreas distantes de núcleos habitacionais, povoados e localidades que são abastecidas por mananciais
subterrâneos e superficiais de pequeno porte.
Redução da disponibilidade hídrica em períodos de seca Média -22
ƒ Escolhas de áreas para implantação da base florestal que priorize locais onde as condições sejam menos propícias para recarga de aqüíferos,
preservando as áreas de recarga mais efetiva. Levar em consideração também a profundidade do lençol freático.

ƒ Adoção de sistemas de irrigação parcimoniosos quanto ao consumo de água.

CPM RT 097/11 185 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Avaliação dos Impactos e Medidas Mitigadoras. Continuação


IMPACTO IMPORTÂNCIA IR MEDIDAS MITIGADORAS
Implantação de Plano de Comunicação Social para esclarecimento da população em geral sobre as principais características do empreendimento, a exemplo de:
ƒ Conhecimento prévio da percepção e expectativas da população acerca do empreendimento;
ƒ Localização;
ƒ Cronograma;
Expectativa de relocação involuntária da população Média -22 ƒ Características técnicas;
ƒ Empregos a serem gerados nas etapas de construção e operação;
ƒ Tipos de postos de trabalho e qualificação escolar necessária para ocupá-los.
Refinar o processo de aquisição de terras, de modo a reduzir a probabilidade e/ou a magnitude de relocação involuntária dos moradores das propriedades.
ƒ Restringir ao máximo a presença dos trabalhadores às frentes de trabalho, evitando permanência destes em áreas florestadas.
Afetação de áreas de refúgio, reprodução, dessedentação
Média -22
e deslocamento da fauna ƒ Adoção de procedimentos de manejo florestal atendendo critérios que minimizem a geração de ruídos.

Desenvolvimento de processos erosivos Média -22

ƒ Definir estratégias de compra que evitem a elevação abrupta dos preços das terras na Área de Influência Direta;
ƒ Reduzir, sempre que possível, a compra de pequenas propriedades, diminuindo o número de negociações e, portanto, o consequente aumento da
especulação;
Elevação dos preços da terra e especulação imobiliária ƒ Utilização de áreas inadequadas à agricultura ou de baixo uso alternativo do solo;
Média -20
na área de influência direta
ƒ Intensificar o programa de produtor florestal, pois, desta maneira, reduz-se a necessidade de aquisição da terra, ficando as terras utilizadas em mãos dos
seus proprietários;
ƒ Continuar os investimentos em tecnologia florestal para aumento de produtividade do eucaliptal, que permite a redução da área plantada, reduzindo,
consequentemente, a necessidade de aquisição de terras.
ƒ Projeto e construção de obras de arte adequadas;
ƒ Manutenção periódica dos sistemas de drenagem;
Alteração de regime hidrológico, de fluxos de ƒ Drenagem alcançando o nível inferior do fundo da seção transversal do curso de água;
Média -20 ƒ Escolha de áreas para implantação de base florestal que priorize locais onde as condições sejam menos propícias para recarga de aqüíferos, preservando as
escoamento superficial e formação de alagamentos
áreas de recarga mais efetiva. Levar em consideração também a profundidade do lençol freático.
ƒ Adoção de sistemas de irrigação parcimoniosos no consumo de água.
Desmobilização da mão-de-obra por desativação do
Média -18
canteiro de obras da implantação da fábrica
De forma a se evitar acidentes com produtos perigosos que possam vir a contaminar o ambiente terrestre na região das obras, a estocagem de combustíveis,
óleos lubrificantes e quaisquer outras substâncias químicas líquidas deverá ser realizada em locais distantes de qualquer corpo de água. Adicionalmente, este
armazenamento deverá contemplar bacias de contenção construídas conforme estabelecido em norma técnica.
Todos os resíduos a serem gerados pelo empreendimento em sua Fase de Implantação deverão ter o seu manejo consolidado em um Programa de
Gerenciamento de Resíduos específico para a fase de implantação deste empreendimento.
Todos os resíduos a serem gerados na Fase de Operação do empreendimento e o respectivo manejo dos mesmos deverão ser consolidados em um Plano Diretor
de Resíduos, que deverá contemplar a unidade já implantada (VERACEL I).
Para evitar que restos de combustíveis, lubrificantes e resíduos diversos gerados na obra venham contaminar o ambiente terrestre, os mesmos deverão receber
tratamento, reciclagem ou disposição final conforme as regras estabelecidas pelo gerenciamento de resíduos. A empresa responsável pelas obras deverá ser
também responsável pelo gerenciamento dos resíduos gerados na implantação do empreendimento, passando neste caso, pela fiscalização do empreendedor.
Contaminação do solo e águas subterrâneas Média -18
O óleo gerado no separador de água e óleo deverá ser encaminhado para reciclagem.
Inspecionar periodicamente as tubulações enterradas de transferência de óleo combustível para verificação de vazamentos.
O solo das áreas de oficina e de manutenção de máquinas e equipamentos deverá ser compactado e/ou impermeabilizado.
Durante as obras a manutenção de máquinas e equipamentos deverá ser executada preferencialmente no interior da oficina mecânica. Em caso de manutenção de
campo utilizar mantas oleofílicas para recobrir o solo nos locais de manutenção, devendo os óleos lubrificantes usados ser envazados e armazenados
adequadamente até serem retirados da área e encaminhados para re-refino através de empresa devidamente licenciada para esta atividade.
Nos serviços realizados com utilização de comboio móvel de combustíveis e óleos lubrificantes para abastecimento das máquinas nas obras, este comboio deverá
ser dotado de equipamentos de segurança e coleta de resíduos em caso de acidentes, bem como seu pessoal treinado para o uso adequado dos mesmos.
O lençol freático na região do empreendimento deverá ser monitoramento conforme o “Programa de Monitoramento do Lençol Freático” descrito no capítulo
referente aos Programas Ambientais.

CPM RT 097/11 186 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Avaliação dos Impactos e Medidas Mitigadoras. Continuação


IMPACTO IMPORTÂNCIA IR MEDIDAS MITIGADORAS
O funcionamento do sistema de tratamento de esgoto doméstico deverá ser constantemente monitorado, de modo a verificar se está funcionando em condições de projeto.
Pretende-se, assim, evitar a contaminação do solo com poluentes que são degradados quando o sistema está em condições normais de operação.

Treinar e reciclar permanentemente a mão-de-obra diretamente responsável pelo manejo de resíduos nas fases de implantação e de operação da unidade industrial.

ƒ Monitoramento automático da qualidade do ar no entorno do empreendimento dos poluentes PTS, PM10, SO2, CO e NOx.
ƒ Monitoramento de TRS por meio de uma rede de percepção de odor.
ƒ Monitoramento automático das fontes pontuais de maior impacto na qualidade do ar entorno da Veracel
ƒ Monitoramento manual das fontes pontuais de menor impacto na qualidade do ar no entorno do empreendimento no mínimo uma vez por ano.
Alteração na qualidade do ar Média -18
ƒ Operar as máquinas e equipamentos de forma regular, mantendo-se o nível de performance garantido pelo seu fabricante, para que não ocorram anomalias que
possam acarretar emissões acima dos níveis previstos no projeto desse equipamento, respeitando os limites das concentrações de emissão da Resolução CONAMA
382/2006.

Implantação de Plano de Comunicação Social para esclarecimento da população em geral sobre as principais características do empreendimento, a exemplo de:
ƒ Conhecimento prévio da percepção e expectativas da população acerca do empreendimento;
ƒ Localização;
ƒ Cronograma;
Expectativas da população em relação ao empreendimento Média -18
ƒ Características técnicas;
ƒ Empregos a serem gerados nas etapas de construção e operação;
ƒ Tipos de postos de trabalho e qualificação escolar necessária para ocupá-los.

Priorizar áreas mais planas e de pastagens onde não seja necessária a retirada da pastagem para o plantio dos povoamentos florestais.

Realizar abertura de acessos temporários, em pontos menos favoráveis ao desencadeamento de erosões.

Na abertura das vias de circulação evitar cortes profundos, criação de taludes artificiais e exposições excessivas do horizonte B e C dos solos locais, normalmente com
maior dificuldade de drenagem.

A profundidade e largura das valas para assentamento das tubulações de óleo combustível, drenagem, água, telefone e outros deverão se limitar às dimensões necessárias
e estabelecidas pelo projeto de engenharia.

O processo construtivo deverá reduzir ao mínimo o período de tempo em que os solos tenham que permanecer expostos e priorizar as obras de terraplenagem na estação
mais seca do ano.
Intensificação de dinâmica superficial Baixa -6
Iniciar o processo de pavimentação e paisagismo imediatamente após a terraplanagem, reduzindo o período em que o solo ficará exposto à ação das águas pluviais.

Avaliar a necessidade de encaminhar a saída das águas das vias de circulação para estruturas de dissipação de energia. Caso estas estruturas venham a ser instaladas, no
sopé destes dissipadores deverão ser instaladas caixas de brita para contenção de sólidos e redução do impacto das águas.

Evitar disposição de material terroso junto às linhas preferenciais de escoamento das águas pluviais.

Implantar sistema de drenagem nas estradas e canteiros de obra, de modo a evitar o acúmulo de águas pluviais e, por conseqüência, a instalação de processos erosivos.
Deverão ser construídas canaletas e outros dispositivos de drenagem que evitem o aumento das velocidades de escoamento superficial que possam causar erosão.
Estruturas de drenagem deverão ser dotadas de dissipadores de energia.

Dimensionar de forma correta as tubulações para passagem de águas sob as vias de circulação, evitando-se o acúmulo de água a montante de tais vias.

Modificações dos habitats terrestres, pela substituição da


Baixa 9
paisagem atual pela silvicultura;
ƒ Priorizar a contratação de fornecedores locais e regionais;
Dinamização da economia local, regional e estadual pelo ƒ Divulgar periodicamente as categorias de serviços e materiais da cadeia produtiva da celulose para as entidades de classe locais e regionais;
aquecimento do setor terciário, decorrente da aquisição de ƒ Estimular as Prefeituras Municipais no desenvolvimento de planos de atratividade de empresas para a Área de Influência Direta;
Média 18
bens e serviços, na áea de influência direta, na Bahia e no ƒ Aquisição de bens e serviços periodicamente demandados pelo empreendimento junto às comunidades/fornecedores locais, a exemplo de alimentos para o
Brasil refeitório e fornecimento de refeições para os trabalhadores, priorizando as APALs.

ƒ Divulgar periodicamente as categorias de serviços e materiais da cadeia produtiva da celulose para as entidades de classe locais e regionais;
Dinamização da economia local e regional pelo aquecimento ƒ Priorizar a contratação de fornecedores locais e regionais.
do setor terciário, decorrente da aquisição de bens e Média 20 ƒ Estimular as Prefeituras Municipais no desenvolvimento de planos de atratividade de empresas para a Área de Influência Direta.
serviços, na área de influência e na região ƒ Aquisição de bens e serviços periodicamente demandados pelo empreendimento junto às comunidades/fornecedores locais, a exemplo de alimentos para o
refeitório e fornecimento de refeições para os trabalhadores, priorizando as APALs.

CPM RT 097/11 187 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Avaliação dos Impactos e Medidas Mitigadoras. Continuação


IMPACTO IMPORTÂNCIA IR MEDIDAS MITIGADORAS
Manutenção do plantio preferencialmente em mosaico.
Incremento na riqueza e diversidade vegetal Média 26 Manutenção dos procedimentos de averbação de reserva legal, priorizando os corredores ecológicos.
Execução do Programa de Manutenção de Áreas de APP e Reserva Legal.
Estudar e propor ao Poder Público sistema de partilha de tributos gerados pela Veracel nos municípios da AID para sua melhor distribuição;
Aumento da arrecadação de tributos durante a
Média 27 Criação de Portal de Transparência para informar à população a arrecadação municipal de tributos decorrentes diretamente da implantação e operação do
construção da fábrica
empreendimento.
Priorizar a contratação de fornecedores locais e regionais;

Aumento da atividade econômica e da magnitude do Divulgar periodicamente as categorias de serviços e materiais da cadeia produtiva da celulose para as entidades de classe locais e regionais;
setor secundário pela implantação da fábrica de celulose Alta 33 Estimular as Prefeituras Municipais no desenvolvimento de planos de atratividade de empresas para a Área de Influência Direta;
da VERACEL Aquisição de bens e serviços periodicamente demandados pelo empreendimento junto às comunidades/fornecedores locais, a exemplo de alimentos para o
refeitório e fornecimento de refeições para os trabalhadores, priorizando as APALs.
Interferências nas áreas protegidas por lei: reserva legal,
área de preservação permanente e unidades de Alta 39 Manutenção dos procedimentos de averbação de Reserva Legal com priorização para Corredores Ecológicos.
conservação
Priorizar a contratação de fornecedores locais e regionais.
Divulgar periodicamente as categorias de serviços e materiais da cadeia produtiva da celulose para as entidades de classe locais e regionais.
Dinamização da economia local e regional pelo
aquecimento do setor terciário, decorrente da aquisição Alta 39 Estimular as Prefeituras Municipais no desenvolvimento de planos de atratividade de empresas para a Área de Influência Direta.
de bens e serviços, na área de influência e na Bahia
Aquisição de bens e serviços periodicamente demandados pelo empreendimento junto às comunidades/fornecedores locais, a exemplo de alimentos para o
refeitório e fornecimento de refeições para os trabalhadores, priorizando as APALs.
Descentralizar a produção de mudas de eucalipto e das essências nativs na área de influência direta além de Eunápolis, proporcionalmente à área plantada em
cada município.
Sempre que possível, respeitando-se critérios de natureza técnica (a exemplo da necessidade de oferta de água e questões de logística), instalar os viveiros de
mudas nas proximidades de comunidades com maiores níveis de vulnerabilidade social e ambiental. Nesse caso, os impactos positivos da circulação da renda
oriunda do pagamento de salários seriam ainda mais significativos para a promoção do desenvolvimento local e melhoria das condições de vida da população
residente na área de influência direta.
Priorizar a contratação de trabalhadores locais e regionais, principalmente aqueles que já trabalharam no empreendimento Veracel I, levando-se em conta critérios
de gênero, cor ou raça e deficiência. Não se trata de estabelecer cotas para mulheres, negros, indígenas e pessoas com deficiência, mas sim de internalizar no
processo seletivo que existem barreiras e preconceitos no mercado de trabalho que costumam impedir que esses segmentos populacionais disputem uma
Aumento da geração, da qualidade do emprego e da
oportunidade de trabalho em condições de igualdade. Parte da mão-de-obra poderá ser recrutada e contratada mediante parceria com as instituições públicas de
renda nos demais municípios da área de influência, além Alta 39
intermediação de mão-de-obra, integrantes do Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda – a exemplo do Serviço Estadual de Intermediação para o Trabalho
de eunápolis
(SINEBAHIA) da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (SETRE) do Governo do Estado da Bahia e sistemas de intermediação municipais sob
responsabilidade das prefeituras, quando existentes.
Promover o treinamento e capacitação profissional de novos trabalhadores locais e regionais para que possam se inserir no empreendimento em análise, levando-
se em conta critérios de gênero, cor ou raça e deficiência. A capacitação profissional poderá ser desenvolvida em parceria com as instituições públicas de formação
e treinamento de mão-de-obra, integrantes do Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda – a exemplo do Serviço Estadual de Intermediação para o Trabalho
(SINEBAHIA) da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (SETRE) do Governo do Estado da Bahia e Sistema S, além das administrações municipais.
Na área de influência direta do empreendimento há unidades do SINEBAHIA nos municípios de Belmonte, Eunápolis, Itapebi, Itapetinga, Porto Seguro e Santa
Cruz Cabrália. Em todas elas são oferecidos serviços de Intermediação de Mão de Obra e de Qualificação Profissional. A maioria das unidades também oferece os
serviços de Seguro-Desemprego e emissão da Carteira de Trabalho e Previdência Social.
Priorizar a contratação de trabalhadores locais e regionais, principalmente aqueles que já trabalharam no empreendimento Veracel I, levando-se em conta critérios
de gênero, cor ou raça e deficiência. Não se trata de estabelecer cotas para mulheres, negros, indígenas e pessoas portadoras de necessidades especiais, mas
sim de internalizar no processo seletivo que existem barreiras e preconceitos no mercado de trabalho que costumam impedir que esses segmentos populacionais
disputem uma oportunidade de trabalho em condições de igualdade. Parte da mão-de-obra poderá ser recrutada e contratada mediante parceria com as
Aumento dos índices de geração de emprego e renda na
Alta 42 instituições públicas de intermediação de mão-de-obra, integrantes do Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda – a exemplo do Serviço Estadual de
área de influência
Intermediação para o Trabalho (SINEBAHIA) da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (SETRE) do Governo do Estado da Bahia e sistemas de
intermediação municipais sob responsabilidade das prefeituras, quando existentes.

CPM RT 097/11 188 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Avaliação dos Impactos e Medidas Mitigadoras. Continuação


IMPACTO IMPORTÂNCIA IR MEDIDAS MITIGADORAS
Promover o treinamento e capacitação profissional de novos trabalhadores locais e regionais para que possam se inserir no empreendimento em análise, levando-
se em conta critérios de gênero, cor ou raça e deficiência. A capacitação profissional poderá ser desenvolvida em parceria com as instituições públicas de formação
e treinamento de mão-de-obra, integrantes do Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda – a exemplo do Serviço Estadual de Intermediação para o Trabalho
(SINEBAHIA) da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (SETRE) do Governo do Estado da Bahia e Sistema S, além dos Administrações
Aumento dos índices de geração de emprego e renda na MunicipaisAdministrações Municipais. Na área de influência direta do empreendimento há unidades do SINEBAHIA nos municípios de Belmonte, Eunápolis,
Alta 42 Itapebi, Itapetinga, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália. Em todas elas são oferecidos serviços de Intermediação de Mão de Obra e de Qualificação Profissional. A
área de influência
maioria das unidades também oferece os serviços de Seguro-Desemprego e emissão da Carteira de Trabalho e Previdência Social.
Criar possibilidades e mecanismos para que os moradores dos imóveis trabalhem nas atividades de plantio de eucalipto.
• Medida 4 (Maximizadora) - Capacitar os moradores dos imóveis rurais dos imóveis que foram adquiridos e que desejarem trabalhar no plantio de eucalipto.

Priorizar a contratação de trabalhadores locais e regionais, principalmente aqueles que já trabalharam no empreendimento Veracel I, levando-se em conta critérios
de gênero, cor ou raça e deficiência. Não se trata de estabelecer cotas para mulheres, negros, indígenas e pessoas com deficiência, mas sim de internalizar no
processo seletivo que existem barreiras e preconceitos no mercado de trabalho que costumam impedir que esses segmentos populacionais disputem uma
oportunidade de trabalho em condições de igualdade. Parte da mão-de-obra poderá ser recrutada e contratada mediante parceria com as instituições públicas de
intermediação de mão-de-obra, integrantes do Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda – a exemplo do Serviço Estadual de Intermediação para o Trabalho
(SINEBAHIA) da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (SETRE) do Governo do Estado da Bahia e sistemas de intermediação municipais sob
responsabilidade das prefeituras, quando existentes.

Promover o treinamento e capacitação profissional de novos trabalhadores locais e regionais para que possam se inserir no empreendimento em análise, levando-
se em conta critérios de gênero, cor ou raça e deficiência. A capacitação profissional poderá ser desenvolvida em parceria com as instituições públicas de formação
e treinamento de mão-de-obra, integrantes do Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda – a exemplo do Serviço Estadual de Intermediação para o Trabalho
(SINEBAHIA) da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (SETRE) do Governo do Estado da Bahia e Sistema S, além dos Administrações
MunicipaisAdministrações Municipais. Na área de influência direta do empreendimento há unidades do SINEBAHIA nos municípios de Belmonte, Eunápolis,
Itapebi, Itapetinga, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália. Em todas elas são oferecidos serviços de Intermediação de Mão de Obra e de Qualificação Profissional. A
maioria das unidades também oferece os serviços de Seguro-Desemprego e emissão da Carteira de Trabalho e Previdência Social.

Estabelecer parcerias com os governos municipal, estadual e federal para promover a elevação da escolaridade da população e dos trabalhadores, pari passu as
ações de treinamento e qualificação profissional, como forma de reduzir o descompasso existente entre os níveis de escolaridade/formação exigidos pelos postos
de trabalho que serão criados e os níveis de instrução da População Economicamente Ativa (PEA). Nessa vertente, se torna estratégico firmar parceria com a
Superintendência de Educação Profissional (SUPROF) da Secretaria de Educação do Estado da Bahia e com o Instituto Federal de Educação, Ciência e
Tecnologia do Estado da Bahia (IFET-BA).

O significativo contingente de 2.169 vagas que serão abertas para iniciantes abre espaço para a inserção dos jovens no mercado de trabalho. Em função do
Aumento dos níveis de geração de empregos temporários
Alta 42 tamanho da população jovem, da elevada taxa de desemprego juvenil (18,7% entre a população baiana de 18 a 24 anos de idade, no ano de 2009) e da
e renda na área de influência, estado da Bahia e Brasil
significativa proporção de adolescentes e jovens de 15 a 24 anos de idade que não estudam nem trabalham (19,0% na Bahia, em 2009) e, que, portanto, vivem
numa situação de enorme vulnerabilidade social, é recomendável que o empreendimento procure absorver ao máximo a população juvenil, sobretudo naquelas
vagas destinadas a iniciantes. Nesse contexto, é possível e extremamente recomendável estabelecer parcerias com os três níveis de governo (municipal, estadual
e federal), pois já existem diversos programas voltados para a inserção laboral juvenil – principalmente entre aqueles de maior vulnerabilidade social - que integram
capacitação profissional, elevação dos níveis de escolaridade e ações de valorização dos direitos humanos e da cidadania, conforme relação abaixo:

§ Programa Estadual de Inserção de Jovens no Mundo Trabalho – Trilha, desenvolvido pela Secretaria do Trabalho, Emprego Renda e Esporte do Estado da Bahia
(SETRE). O programa é direcionado para jovens em situação de desemprego involuntário com idade entre 18 e 19 anos, que estejam cursando ou tenham
concluído o ensino médio na rede pública e que pertençam a uma família cadastrada no Programa Bolsa Família do Governo Federal. Alguns cursos possuem
duração de 350 horas (4 meses) e outros alcançam 600 horas (6 meses). É importante destacar que alguns cursos oferecidos abarcam formação técnica
diretamente associada às demandas do empreendimento Veracel II, sobretudo na fase de implantação, a exemplo de Construção Civil, Metal Mecânica, Agro-
Extrativismo, Meio Ambiente, Administração, Auxiliar de Escritório e Alimentação. É importante mencionar que ao final do ano de 2010 diversas turmas concluíram
os cursos, sendo que algumas nos municípios da área de influência direta a exemplo de Itapetinga (90 jovens foram certificados no curso de Agro-Extrativismo no
dia 22 de novembro) e Eunápolis (120 jovens certificados nos cursos de Administração e de Turismo).

§ Programa Nacional de Inclusão de Jovens – PROJOVEM Trabalhador, concebido pelo Governo Federal, sendo que na Bahia, o programa está sendo implantado
por meio da SETRE em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Para participar, é preciso que o jovem possua entre 18 e 29 anos de idade, esteja
em situação de desemprego, resida com famílias que possuam renda familiar per capita de até um salário mínimo e deve estar cursando ou ter concluído o ensino
fundamental, ou ainda que esteja cursando ou tenha concluído o ensino médio, mas sem estar cursando o ensino superior.

A parceria seria de suma importância na medida em que potencializará e promoverá sinergia entre os esforços de capacitação e ampliação da escolaridade juvenil
e alcançará, efetivamente, a inserção de parte desse segmento de jovens no mercado de trabalho, que se constitui na dimensão mais difícil de concretização dessa
modalidade de programas governamentais.

CPM RT 097/11 189 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Avaliação dos Impactos e Medidas Mitigadoras. Continuação


IMPACTO IMPORTÂNCIA IR MEDIDAS MITIGADORAS
Incentivar o desenvolvimento da cadeia de valor regional, por intermédio do incremento da oferta de madeira para diversas finalidades (multiprodutos), realização de cursos
de treinamento e capacitação profissional e formação de parcerias para atração de novos investimentos atrelados à indústria madeireira.
Geração de emprego e renda na implantação da ampliação
Alta 42
da veracel Disseminar e incentivar a adoção de boas práticas no âmbito da agrossilvilcultura, demonstrando a rentabilidade e os ganhos ambientais (em todas as suas dimensões) do
plantio de eucalipto consorciado com culturas agrícolas e atividades da pecuária.

Desenvolver parcerias com o poder público e atrair investidores em infraestrutura de serviços de consumo coletivo, como forma de equalizar os problemas relativos ao
Disponibilização de infraestrutura e novos equipamentos Alta 42 aumento da demanda, decorrente do afluxo populacional para a área.

Priorizar a contratação de fornecedores locais e regionais;

Divulgar periodicamente as categorias de serviços e materiais da cadeia produtiva da celulose para as entidades de classe locais e regionais;
Aumento da produção da silvicultura e ampliação do valor
Alta 42 Estimular as Prefeituras Municipais no desenvolvimento de planos de atratividade de empresas para a Área de Influfência Direta.
agregado do setor primário
Aquisição de bens e serviços periodicamente demandados pelo empreendimento junto às comunidades/fornecedores locais, a exemplo de alimentos para o refeitório e
fornecimento de refeições para os trabalhadores, priorizando as APALs.

Priorizar a contratação de fornecedores locais e regionais;


Ampliação econômica do setor secundário pela entrada em
Alta 42
operação fábrica da VERACEL Divulgar periodicamente as categorias de serviços e materiais da cadeia produtiva da celulose para as entidades de classe locais e regionais;
Estimular as Prefeituras Municipais para o desenvolvimento de planos de atratividade de empresas para a Área de Influência Direta.
Contribuição do empreendimento como indutor do
Alta 45 Implementar todas as medidas previstas e que potencializam os efeitos positivos do empreendimento.
desenvolvimento sustentável da região
Aprimorar a estrutura logística objetivando a redução de custos e a ampliação da competitividade internacional.
Aumento do comercio internacional da região, da bahia e do
Alta 45 Ampliar o número de prestadores locais de serviços de logística, o que propiciará o aumento, cada vez maior, da participação de empresas locais e maximizará os benefícios
brasil, por ampliação das exportações
gerados pelo aumento das exportações.

Priorizar a contratação de trabalhadores locais e regionais, principalmente aqueles que já trabalharam no empreendimento Veracel I, levando-se em conta critérios de
gênero, cor ou raça e deficiência. Não se trata de estabelecer cotas para mulheres, negros, indígenas e pessoas com deficiência, mas sim de internalizar no processo
seletivo que existem barreiras e preconceitos no mercado de trabalho que costumam impedir que esses segmentos populacionais disputem uma oportunidade de trabalho
em condições de igualdade. Parte da mão-de-obra poderá ser recrutada e contratada mediante parceria com as instituições públicas de intermediação de mão-de-obra,
integrantes do Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda – a exemplo do Serviço Estadual de Intermediação para o Trabalho (SINEBAHIA) da Secretaria do Trabalho,
Emprego, Renda e Esporte (SETRE) do Governo do Estado da Bahia e sistemas de intermediação municipais sob responsabilidade das prefeituras, quando existentes.
Aumento dos níveis de geração dos empregos permanentes
e renda e da qualidade dos empregos na área de influência, Alta 45
Promover o treinamento e capacitação profissional de novos trabalhadores locais e regionais para que possam se inserir no empreendimento em análise, levando-se em
na Bahia e no Brasil pela Base Florestal
conta critérios de gênero, cor ou raça e deficiência. A capacitação profissional poderá ser desenvolvida em parceria com as instituições públicas de formação e treinamento
de mão-de-obra, integrantes do Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda – a exemplo do Serviço Estadual de Intermediação para o Trabalho (SINEBAHIA) da
Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (SETRE) do Governo do Estado da Bahia e Sistema S, além dos Administrações Municipais. Na área de influência direta
do empreendimento há unidades do SINEBAHIA nos municípios de Belmonte, Eunápolis, Itapebi, Itapetinga, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália. Em todas elas são
oferecidos serviços de Intermediação de Mão de Obra e de Qualificação Profissional. A maioria das unidades também oferece os serviços de Seguro-Desemprego e emissão
da Carteira de Trabalho e Previdência Social.

Priorizar a contratação de trabalhadores locais e regionais, principalmente aqueles que já trabalharam no empreendimento Veracel I, levando-se em conta critérios de
gênero, cor ou raça e deficiência. Não se trata de estabelecer cotas para mulheres, negros, indígenas e pessoas com deficiência, mas sim de internalizar no processo
seletivo que existem barreiras e preconceitos no mercado de trabalho que costumam impedir que esses segmentos populacionais disputem uma oportunidade de trabalho
em condições de igualdade. Parte da mão-de-obra poderá ser recrutada e contratada mediante parceria com as instituições públicas de intermediação de mão-de-obra,
integrantes do Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda – a exemplo do Serviço Estadual de Intermediação para o Trabalho (SINEBAHIA) da Secretaria do Trabalho,
Emprego, Renda e Esporte (SETRE) do Governo do Estado da Bahia e sistemas de intermediação municipais sob responsabilidade das prefeituras, quando existentes.
Aumento dos níveis de geração dos empregos permanentes
e renda e da qualidade dos empregos na área de influência, Alta 45 Promover o treinamento e capacitação profissional de novos trabalhadores locais e regionais para que possam se inserir no empreendimento em análise, levando-se em
Bahia e Brasil, pela operação da fábrica de celulose conta critérios de gênero, cor ou raça e deficiência. A capacitação profissional poderá ser desenvolvida em parceria com as instituições públicas de formação e treinamento
de mão-de-obra, integrantes do Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda – a exemplo do Serviço Estadual de Intermediação para o Trabalho (SINEBAHIA) da
Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (SETRE) do Governo do Estado da Bahia e Sistema S, além dos Administrações Municipais. Na área de influência direta
do empreendimento há unidades do SINEBAHIA nos municípios de Belmonte, Eunápolis, Itapebi, Itapetinga, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália. Em todas elas são
oferecidos serviços de Intermediação de Mão de Obra e de Qualificação Profissional. A maioria das unidades também oferece os serviços de Seguro-Desemprego e emissão
da Carteira de Trabalho e Previdência Social.

CPM RT 097/11 190 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Avaliação dos Impactos e Medidas Mitigadoras. Continuação


IMPACTO IMPORTÂNCIA IR MEDIDAS MITIGADORAS
Firmar parcerias com os governos municipal, estadual e federal para promover a elevação da escolaridade da população e dos trabalhadores, pari passu as ações de
treinamento e qualificação profissional, como forma de reduzir o descompasso existente entre os níveis de escolaridade/formação exigidos pelos postos de trabalho que
serão criados e os níveis de instrução da População Economicamente Ativa (PEA). Nessa vertente, se torna estratégico firmar parceria com a Superintendência de
Educação Profissional (SUPROF) da Secretaria de Educação do Estado da Bahia e com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado da Bahia (IFET-
BA).

As 87 oportunidades de trabalho que serão abertas para iniciantes, criam espaço para a inserção dos jovens no mercado de trabalho. Em função do tamanho da população
jovem, da elevada taxa de desemprego juvenil (18,7% entre a população baiana de 18 a 24 anos de idade, no ano de 2009) e da significativa proporção de adolescentes e
jovens de 15 a 24 anos de idade que não estudam nem trabalham (19,0% na Bahia, em 2009) e, que, portanto, vivem numa situação de enorme vulnerabilidade social, é
recomendável que o empreendimento procure absorver ao máximo a população juvenil, sobretudo naquelas vagas destinadas a iniciantes. Nesse contexto, é possível e
extremamente recomendável estabelecer parcerias com os três níveis de governo (municipal, estadual e federal), pois já existem diversos programas voltados para a
inserção laboral juvenil – principalmente entre aqueles de maior vulnerabilidade social - que integram capacitação profissional, elevação dos níveis de escolaridade e ações
de valorização dos direitos humanos e da cidadania, conforme relação abaixo:

§ Programa Estadual de Inserção de Jovens no Mundo Trabalho – Trilha, desenvolvido pela Secretaria do Trabalho, Emprego Renda e Esporte do Estado da Bahia
Aumento dos níveis de geração dos empregos permanentes (SETRE). O programa é direcionado para jovens em situação de desemprego involuntário com idade entre 18 e 19 anos, que estejam cursando ou tenham concluído o
e renda e da qualidade dos empregos na área de influência, Alta 45 ensino médio na rede pública e que pertençam a uma família cadastrada no Programa Bolsa Família do Governo Federal. Alguns cursos possuem duração de 350 horas (4
Bahia e Brasil, pela operação da fábrica de celulose meses) e outros alcançam 600 horas (6 meses).

§ Programa Nacional de Inclusão de Jovens – PROJOVEM Trabalhador, concebido pelo Governo Federal, sendo que na Bahia, o programa está sendo implantado por meio
da SETRE em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Para participar, é preciso que o jovem possua entre 18 e 29 anos de idade, esteja em situação de
desemprego, resida com famílias que possuam renda familiar per capita de até um salário mínimo e deve estar cursando ou ter concluído o ensino fundamental, ou ainda
que esteja cursando ou tenha concluído o ensino médio, mas sem estar cursando o ensino superior.

A parceria seria de suma importância na medida em que potencializará e promoverá sinergia entre os esforços de capacitação e ampliação da escolaridade juvenil e
alcançará, efetivamente, a inserção de parte desse segmento de jovens no mercado de trabalho, que se constitui na dimensão mais difícil de concretização dessa
modalidade de programas governamentais.

• Medida 5 (Maximizadora)

Firmar parcerias com o Sistema S e universidades da região com o intuito de identificar e formar arranjos produtivos potenciais para o aproveitamento de oportunidades
criadas pelo pleno funcionamento do empreendimento.

ATRAÇÃO EXCESSIVA DE TRABALHADORES EM BUSCA Elaboração de um programa de comunicação social para prestar esclarecimentos à população em geral. As ações desse Programa deverão informar antecipadamente o
DE OPORTUNIDADES DE EMPREGO NOS NÚCLEOS contingente de mão de obra a ser demandado e sua distribuição ao longo do período de construção da fábrica, o perfil das ocupações requeridas, as condições de
URBANOS VIZINHOS DA FÁBRICA DE CELULOSE contratação de mão-de-obra, além da dimensão do empreendimento e os seus possíveis desdobramentos na localidade. A medida irá inibir expectativas superestimadas
(BARROLÂNDIA E PONTO CENTRAL), DOS ALOJAMENTOS Alta -33 decorrentes da falta de informação precisa e confiável e, conseqüentemente, minimizará a atração de grandes fluxos de trabalhadores e as eventuais tensões sociais daí
DE TRABALHADORES E DOS MUNICÍPIOS DE ITAGIMIRIM, derivadas.
ITAPEBI, BELMONTE SANTA CRUZ CABRÁLIA, EUNÁPOLIS
E PORTO SEGURO. Reforçar a prestação de serviços públicos e a infra-estrutura urbana.
ƒ Aplicação do Plano de Gerenciamento de Resíduos de forma unificada para as plantas industriais, atual e nova.
ƒ Aplicação de Plano de Gerenciamento de Resíduos para as atividades de implantação.
Incremento na geração de resíduos e efluentes Média -27 ƒ Manutenção do monitoramento do efluente da fábrica e da qualidade da água do Rio Jequitinhonha.
ƒ Para a nova fábrica, incorporar as boas práticas já consolidadas na gestão dos resíduos e efluentes na fábrica atual.

ƒ Executar as tarefas implantação da infraestrutura florestal, preparo do solo, plantio e manejo de acordo com o Programa de Conservação de Solo e Água
ƒ Inspecionar sazonalmente os talhões de eucalipto e estradas e controlar processos erosivos em desenvolvimento através de práticas mecânicas como
terraceamento, retirada de água de estradas e sua condução adequada até os talvegues, retirada da água impedindo sua concentração em sulcos em formação e seu
encaminhamento adequado até o talvegue mais próximo
ƒ Executar todas as práticas agrícolas respeitando as curvas de nível do terreno e implementar outras práticas vegetativas e mecânicas de conservação do solo e da
água como terraceamento, faixas vegetativas, entre outras. Projetar e construir as vias de acesso de forma que os maiores comprimentos sejam paralelos às curvas de nível
e implementar práticas de controle de erosão provocada por águas de escoamento superficial no interior das mesmas, principalmente:
Desenvolvimento de processos erosivos Alta -33
• Impedir a concentração de grandes volumes de água e a conduzi-las de forma adequada até os talvegues;
• Minimizar a altura dos taludes de corte e de aterro;
• Construir taludes com declividade compatível com a resistência do terreno;
• Vegetar os taludes de montante e jusante das estradas preferencialmente com gramíneas;
• Construir canaletas de pé e de topo dos taludes dotando-as de brita compactada, solocimento ou concreto em sua parte inferior.
• Evitar a implantação de vias de circulação com declividades elevadas.
• Reduzir o tempo de exposição do solo no seu preparo

CPM RT 097/11 191 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Avaliação dos Impactos e Medidas Mitigadoras. Continuação


IMPACTO IMPORTÂNCIA IR MEDIDAS MITIGADORAS
ƒ Ampliar ao máximo a área de reserva legal e de preservação permanente nas propriedades a serem adquiridas no futuro
ƒ Promover a subsolagem no sentido das curvas de nível, de forma que os sulcos deixados pelo subsolador possam se comportar como pequenos terraços
onde poderá ocorrer acúmulo de material erodido de montante e onde a infiltração do solo será ampliada. Promover todas as demais práticas agrícolas em nível.
ƒ Implementar práticas de conservação de solo como terraceamento, plantio em nível, construção de estradas em nível, entre outros, de forma que o
acúmulo de material orgânico e fertilizantes na superfície do solo seja garantido pela redução do escoamento superficial.
Alteração da qualidade do solo Alta -42
ƒ Projetar as vias de acesso de forma a reduzir ao máximo a área impactada por elas, diminuindo a extensão e altura de taludes de corte e de aterro.
(Agente Executor: Veracel e contratadas.
ƒ Diminuir a aplicação de pesticidas
ƒ Evitar a aplicação de pesticidas em períodos chuvosos de modo a reduzir a percolação dos mesmos no perfil do solo.

CPM RT 097/11 192 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Aumento do número de gravidezes

Durante a fase de construção e operação da nova fábrica e da base florestal ampliada da


Veracel, será mobilizado um grande número de trabalhadores de fora da localidade. Essa
grande quantidade de homens na região pode ter impactos nas taxas de fecundidade,
especialmente entre adolescentes (entre 10 e 19 anos), aumentando o número mães
solteiras, prostituição e de doenças sexualmente transmissíveis (DST), além de
sobrecarregar os atendimentos na área de Saúde Sexual e Reprodutiva na região.

Taxa de fecundidade: é estimativa do número médio de filhos que uma mulher teria até o
fim de seu período reprodutivo.

No Brasil, a taxa de fecundidade de mulheres de todas as idades diminui a cada ano. As


mulheres com idades entre 15 e 19 anos são do único grupo que ainda mantém taxas de
fecundidade crescente. Segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de
Domicílios (PNAD), na Bahia, em 2009, cerca de 14,0% das adolescentes de 15 a 19
anos já tiveram filhos.

No ano de 2007, todos os municípios da área de influência direta, menos Maiquinique, as


mães adolescentes superavam à média estadual, chegando a 22,4%. No mesmo ano,
sete dos 17 municípios em análise estavam entre os 50 do estado com maior quantidade
de mães adolescentes. Em Santa Luzia dos 222 bebês nascidos, 96 tinham mães
adolescentes. O município de Mascote tinha a 5ª maior proporção (36,9%) do estado.

O período em que mais trabalhadores estarão envolvidos nas obras será entre o 35º mês
(ou 9º após o começo da construção) até o 45º mês (ou 19º após o início da obra),
quando haverá 5.200 homens trabalhando. Muitos desses trabalhadores serão de outras
partes do Estado e do país e irão morar temporariamente nos alojamentos oferecidos pela
Veracel.

Por isso, é necessário tomar medidas para diminuir esses impactos, tais como:

• Contratar de preferência trabalhadores locais e regionais, principalmente aqueles que


já atuaram no empreendimento Veracel I;

• Implantar o Programa de Comunicação Social para divulgar os principais aspectos do


empreendimento, informando os prazos e as quantidades de trabalhadores
necessários;

• Implantar junto com o poder público um Programa de Prevenção de Doenças


Sexualmente Transmissíveis (DST) e de Gravidez Indesejada e na Adolescência;
• Criar um banco de dados para monitorar o número de gravidezes não planejadas e de
pessoas com DST na área de influência direta do empreendimento durante o período
de construção da fábrica;

CPM RT 097/11 193 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

• Fazer parceria com os Conselhos Tutelares, Conselhos Municipais e Ministério Público


para realizar ações contra a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, tomando
como exemplo, o Programa Na Mão Certa, uma iniciativa da Childhood Brasil. A
Veracel assinou em 2006 o Pacto Empresarial criado pelo Programa e apóia diversas
iniciativas. Entre os anos de 2008 e 2009 a Veracel realizou seis campanhas de
conscientização de 600 motoristas/caminhoneiros de empresas de transporte
parceiras, além de promover o monitoramento constante, de forma preventiva, dos
caminhoneiros ligados às empresas transportadoras de celulose e eucalipto;

• Proporcionar opções de lazer, esporte e cultura para os trabalhadores da obra.

Cercamento de comunidades ou equipamentos de uso público pelo plantio de


eucalipto

Segundo Metzger (2001), apesar da diversidade de conceitos, a definição de espaço


aberto ou fechado passa pela inter-relação do homem com o ambiente. Este mesmo autor
destaca que:

Esse espaço é vivenciado de diferentes formas, através de uma projeção de sentimentos


ou emoções pessoais, da contemplação de uma beleza cênica, da organização ou
planejamento da ocupação territorial, da domesticação ou modificação da natureza
segundo padrões sociais.

Essas definições permitem compreender o motivo pelo qual existe uma preocupação
recorrente para muitos atores sociais com relação aos empreendimentos que se inserem
nas paisagens fazendo alterações extensas nas fitofisionomias nativas ou já
estabelecidas na região a ser ocupada.

Assim, o conjunto de formações de plantios, se realizados em regiões muito próximas a


comunidades rurais, ou equipamentos de uso público (escolas, cemitérios, equipamentos
de valor histórico, sítios arqueológicos, centros comunitários, postos de saúde, entre
outros) podem causar importantes impactos sob o ponto de vista estético, ambiental,
social e econômico.

Considerando a extensão dos plantios no contexto do polígono sabe-se que algumas


comunidades ficam isoladas pelo maciço florestal e admite-se também ocorrer um
impacto relevante na modificação isolada das paisagens ao longo das fases de
implantação e colheita, devendo este ser considerado um impacto de mitigação difícil,
porém, possível em situações específicas.

Assim em cada situação, antes da aquisição da propriedade, deve-se proceder a uma


avaliação social do uso da terra, verificando-se a presença de comunidades com potencial
de serem circundadas pelas áreas de interesse do empreendedor, bem como a existência
de equipamentos de uso público.

CPM RT 097/11 194 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Um exemplo de característica locacional relaciona-se ao isolamento de propriedades


rurais, devido à compra e plantio em fazendas do entorno. Neste sentido, o crescimento
das florestas pode causar transtornos econômicos para a produção (sombreamento,
água, qualidade dos acessos, entre outros) e sobre o valor da terra das áreas
confrontantes.

Para minimizar este impacto, o empreendedor deve adotar um afastamento mínimo de


300m, entre os plantios e os distritos e para o caso de equipamentos de uso público, será
adotado o afastamento mínimo de 40m.

10 QUAIS PROGRAMAS E PLANOS SERÃO DESENVOLVIDOS PARA


REDUZIR OU ELIMINAR OS IMPACTOS DA VERACEL?
Após a identificação acima dos impactos da ampliação da Veracel, foram traçados planos
e programas para reduzir ou eliminar os impactos causados pela implantação do
empreendimento. Conheça-os abaixo:

Plano de uso múltiplo da madeira

Área que receberá? Os 17 municípios da área de influência direta do empreendimento

Qual é o objetivo deste plano?


Diminuir a pressão sobre a floresta nativa e incentivar o uso de madeira de florestas
plantadas nas atividades construção civil, artesanato, artefatos de madeira e outras
atividades produtivas;

O que já se faz hoje na região?

Alguns produtos de madeira já são desenvolvidos no Extremo Sul baiano, sobretudo em


Eunápolis e Itabela. O setor de serrarias atende ao mercado regional produzindo
embalagens em madeira para transporte de frutas, principalmente o mamão papaia, tendo
como matéria-prima o eucalipto. Outro setor que desenvolve produtos de madeira é o
moveleiro; este tem recebido acompanhamento do Sebrae e de outros parceiros desde
2003, e foi contemplado com um projeto específico em 2005.

Estes dois setores – serraria e movelaria - possuem relativa organização associativa e


trabalho coletivo. Existem, no entanto, outros empreendimentos que atuam de forma
individual, como empresas de tratamento e venda de madeira para uso rural, construção
civil, energia, artesanato e outros artefatos provenientes do eucalipto.

CPM RT 097/11 195 RIMA – Relatório de Impacto Ambiental


Abril/11  Ampliação da Fábrica e Base Florestal nos Municípios
de Belmonte, Canavieiras, Encruzilhada, Eunápolis,
Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi, Itapetinga,
Itarantim, Macarani, Maiquinique, Mascote, Porto
Seguro, Potiraguá, Santa Cruz de Cabrália,
Santa Luzia E Indústria de Celulose no
Município de Eunápolis e Belmonte, Na Bahia
Resolução CEPRAM nº 3.961 de 2009
Rev.00
 

Qual é a proposta para incentivar o uso múltiplo da madeira?

A potencialização da vocação florestal da região voltada, neste caso específico para a


produção e madeira para usos diversos deve ser alcançada a partir de um arranjo
institucional capaz de unir a Veracel Celulose, empreendedores locais que atuam no setor
madeireiro (serraria, movelaria, artesanato, beneficiamento de madeira para a construção
civil, etc.), instituições públicas e privadas - a exemplo do Sebrae, FIEB/IEL e o Fórum
Florestal do Sul e Extremo Sul da Bahia - e o Governo em suas três instâncias (federal,
estadual e municipal).

A consecução destas proposições deve considerar como premissa a participação ativa de


diversos atores econômicos e institucionais, especialmente dos empreendedores locais.
Estas intervenções devem ser consoantes com o projeto de movelaria já iniciado na
região e buscar integração com os segmentos de , artesanato e produção de outros
artefatos.

Plano de monitoramento de impacto ambiental

Área que receberá? Vegetação natural e áreas plantadas

O que será feito nas operações florestais para diminuir esse impacto?

• Serão compradas terras, feitos arrendamentos e estabelecidas parcerias com os


produtores florestais da região
• Os plantios serão feitas em áreas que já sofreram intervenção humana, como áreas
de pastagens
• A empresa solicitará licenciamento ambiental;
• Será feito