You are on page 1of 25

QUAL A SUA ESCOLHA?

ÊXODO 23:25
“Servireis ao Senhor, vosso Deus, e ele abençoará o vosso pão e a vossa água; e
tirará do vosso meio as enfermidades”.
Nos versos de 20 até 33, Deus fala ao povo da promessa da posse da terra, uma
terra que mana leite e mel. E dá orientações, neste trecho, ao povo: do que Ele,
Deus iria fazer, e do que caberia ao povo realizar. E neste versículo 25
encontramos 3 verbos de ação contínua, que servem também para nós em
nossos dias.
1) SERVIR = “Servireis ao Senhor”, disse Deus a seu povo. Eles deveriam servir
constantemente, todos os dias, em qualquer situação. Servir no sentido de fazer
a vontade de Deus, ter fé, seguir seus preceitos, seguir suas palavras (não
somente guardando-as no coração). É isso que temos que fazer também, servir
continuamente, confiar sem vacilar, seguir sua palavra em qualquer situação
que a vida nos apresentar; “guardei no coração a tua palavra para não pecar
contra ti” Salmo 119: 11, guardar não no sentido de deixar lá escondida, mas
sempre tendo-a por perto, olhando e meditando.
2) ABENÇOAR = “e ele abençoará”. Deus é fiel naquilo em que diz, não se
contradiz. Antes cumpre o pacto feito. Deus sempre disse àqueles que o aceitam
que estaria abençoando suas vidas, se (e apenas se) o servisse. Ele quer fazer um
pacto, serviço em resultado bênçãos. O pão e a água é a sobrevivência de todo
ser humano, sem eles não se sobrevive. É o básico, mas muito importante para a
vida. Poderemos ter o suficiente, mas será o que necessitarei para viver.
3) TIRAR = “Tirará do vosso meio”. Eis a consequência da escolha, tudo o que
nos fizer mal, será tirado. E deixado apenas o que for suficiente para abençoar
nossa vida. Sempre digo que podemos fazer escolhas, afinal temos livre arbítrio.
Mas as consequências das escolhas, essas não podemos fazer, pois elas vem
como resultado daquilo de escolhermos.
Deus está mostrando o que irá fazer pelo seu povo, entretanto, caberia a Israel a
tarefa de obedecer para que Deus pudesse agir no meio do povo.

Eles fizeram uma escolha, e você?
www.yavevivo.blogspot.com.br - cherfanmonica@gmail.com 19662303

SACRIFÍCIO, OBEDIÊNCIA E PROVIDÊNCIA

Texto: Gênesis 22: 5 – 8

Abraão um adorador, por onde passou construiu altares e adorou a Deus. Sempre guiado por
Deus e confiando, guiado pelas palavras: Sacrifício, Obediência e Providência. Um homem a
quem Deus abençoou ricamente. E de tantas lições que este homem nos dá, destas três palavras
tiramos lições para nossa vida.

1º) SACRIFÍCIO = Deus provou a Abraão, pediu que lhe sacrificasse seu único filho. Isaque,
filho de Abraão, era o filho da promessa. E Deus pediu que o sacrificasse?! Pedido estranho!
Pode parecer estranho a nós, mas não para este homem. Abraão confiou que o Deus que dera a
vida ao menino que ele amava, também o ressuscitaria dos mortos. Deus providenciaria. Mas
Abraão sabia que para adorar a Deus exigiria dele um sacrifício, sempre soube. Ele sempre teve
que fazer escolhas, e ele fez a que lhe parecia melhor. Nós também temos nossas escolhas, todos
os dias temos um caminho a escolher, decisões a serem feitas... Mas seja qual for a decisão ou o
caminho que escolher, sempre exigirá um sacrifício. Abraão ousou pagar o preço do sacrifício,
quem ousaria? Fácil escolher? A escolha pode até ser, mas e o sacrifício? Sacrifício é quando se
abre mão de algo em favor de outra coisa, ou alguém. É uma renúncia voluntária, ou privações
voluntárias, por razões religiosas, morais ou praticas. Abraão abriu mão do seu filho, da sua
promessa, em favor de outra palavra que sempre cumpriu:

2º) OBEDIÊNCIA = A primeira vez que Deus falou com Abraão disse para que saísse
de sua terra, e fosse para um lugar onde Ele, o Deus Vivo, lhe mostraria. E ele obedeceu
sem questionar; poderia ter dito “mas Senhor, é longe! Tenho muitos comigo, terei que
deixar amigos, minha vida toda pra trás!” Abraão simplesmente foi, não disse uma
palavra. Agora, Deus pede que lhe ofereça seu filho que tanto esperava, sua promessa
vinda de Deus. Mas Abraão simplesmente foi. Obedeceu, sem questionar, sem
reclamar, apenas confiando. Uma confiança que aprendera a ter em sua caminhada,
experiências vividas ao lado do Deus Vivo que ele jamais esquecera. Mas que lhe eram,
naquele momento, força para prosseguir no que precisava fazer: o b e d e c e r. E
seguindo assim, obedecendo, levou-o a outra palavra:

3º) PROVIDÊNCIA = Deus segurou a mão de Abraão e disse para que não tocasse no
menino. Ele, Deus, havia visto o tamanho da fé que tinha, pois que não poupou seu
filho prometido. Em troca de tamanha fé, veio a providência de Deus. Abraão viu atrás
de si, um carneiro; e este foi oferecido em lugar de seu filho. Deus nunca desamparou
ninguém que o buscou, pelo contrário, nós é que, em alguns momentos, não
enxergamos a providência divina em nossas vidas. Não enxergamos ou pela falta de fé,
ou por querer ser mais que Deus, ou não ser o momento certo... ou simplesmente não
queremos enxergar. Já experimentei muito da providência de Deus em minha vida. E
sei que ainda experimentarei mais.

Sacrifício, Obediência e Providência, três palavras para colocarmos em prática. Qual a
sua escolha??

PRESERVANDO A PALAVRA DE DEUS - Josué 23: 1- 6

Preservar a Palavra de Deus é uma necessidade urgente nos dias atuais, marcados pela falta de sólida
formação bíblica nas igrejas evangélicas. Veremos, inicialmente, como Josué, um líder comprometido
com a Palavra, expôs os decretos do Senhor ao povo israelita. Em seguida, mostraremos como a falta de
compromisso com a Palavra de Deus leva o povo à corrupção. Por fim, destacaremos a necessidade da
preservação da Palavra a fim de que tenhamos igrejas que gozem de vida e saúde espiritual.

1. JOSUÉ EXPÕE A PALAVRA DE DEUS
Josué se encontrava próximo da morte quando resolveu convocar todo o povo para ouvir a Palavra do
Senhor. A preocupação inicial desse líder era com o esquecimento que esse povo viesse a ter em relação
às suas origens. Por isso, ressaltou que “o SENHOR, vosso Deus, é o que pelejou por vós” (Js. 23.3). A
prosperidade pode levar as pessoas a pensar que são auto-suficientes que não mais precisar da
intervenção divina. Por isso, Josué instrui o povo, com uma mensagem esclarecedora, para que viesse a
se associar às nações idólatras vizinhas, servindo aos deuses daqueles povos (Js. 23.7). Eles deveriam
ser santos para agradar ao Senhor em todas as circunstâncias da vida, atentando, a todo instante, para
fazer o que estava escrito no livro da Lei de Moisés (Js. 23.6). Essa obediência, no entanto, não deveria
ser forçada, mas em amor (v. 11), pois somente no amor podemos de fato obedecer à Palavra do Senhor.
O amor é resultando de um relacionamento contínuo com Aquele que nos chama para andar com Ele.
Caso contrário, o resultado de uma vida distanciada dos caminhos de Deus será à condenação (v. 23), a
menos que nos arrependamos enquanto é tempo (I Jo. 1.9), reconhecendo que Jesus é o Advogado que
por nós intervêm (I Jo. 2.1).

2. POR FALTA DA PALAVRA O POVO SE CORROMPE
Em Provérbios 29.18 está escrito que por ausência de ensinamento profético o povo acaba se
corrompendo. Josué sabia dessa verdade, por isso, convocou todo o povo de Israel para que ouvisse a
Palavra do Senhor. Infelizmente isso não é o que acontece em muitos contextos eclesiásticos hoje em
dia. Ao invés de conduzir o povo para a Palavra de Deus, alguns líderes, a fim de aumentar o número de
adeptos, investem maciçamente em marketing ou coisas do tipo. O resultado é o que temos
testemunhado no “crescimento” evangélico no país. Diferentemente de Paulo, muitos cristãos não sabem
no que têm crido (II Tm. 1.12), não passam de massa de manobra, se deixam levar por qualquer
movimento que surge. A maioria desses “crentes” não desenvolve o genuíno caráter cristão, resultante do
fruto do Espírito (Gl. 5.22). Preferem seguir as “ondas da moda” e caminham léguas atrás de seus ídolos
“evangélicos”. Essas pessoas fogem da exposição da palavra de Deus, dizem ser cansativa, não têm
qualquer vergonha de afirmar que dormem no culto quando a palavra é pregada. Conforme antecipou o
apóstolo Paulo, têm comichão nos ouvidos diante no ensinamento bíblico. Por isso, buscam “pastores”
conforme agrado deles (II Tm. 4.3). Tais “pastores” enchem suas “igrejas” de “fiéis”, haja vista
transformarem seus “cultos” em mera animação, perdendo, em alguns casos, para os programas
televisivos de auditório. Nesses dias cruciais para a fé cristã no Brasil, precisamos retornar à Palavra de
Deus. É hora de, como Josué e Esdras, convocar todo o povo para a oração e para a leitura da Bíblia
(Ed. 7.10). Se não fizemos assim, o resultado será a corrupção espiritual pela quais muitas igrejas já
passam.

3. PRESERVANDO A PALAVRA DO SENHOR
Como líderes espirituais, precisamos separar, no culto, tempo suficiente para a exposição da Palavra de
Deus. Todo tempo possível deve ser reservado para que a Palavra de Deus seja pregada. Para tanto, os
seminários e escola bíblicas devem ser estimuladas. A Escola Bíblica Dominical deve sempre ter
proeminência nos trabalhos da igreja. É uma pena que em determinadas igrejas ela tem sido relegada a
segundo plano. Qualquer “festinha” é motivo suficiente para retirar o horário do estudo da Escola
Dominical. Os clássicos cultos de ensinamento (ou de doutrina) também precisam ser estimulados e
devem servir ao propósito para o qual foram destinados, à instrução na Palavra de Deus. Os seminários
teológicos, ao invés de serem criticados, devem ser estimulados, contanto que estejam em conformidade
com a ortodoxia bíblica. O estudo bíblico, em casa, na igreja ou num seminário não esfriará a fé dos
crentes, na verdade lhes dará o fundamento necessário para enfrentar evangelizar, ensinar e, sobretudo,
viver melhor para o Senhor. O crente verdadeiramente espiritual é aquele que tem equilíbrio, que busca,
ao mesmo tempo, tanto o estudo quanto a oração. Muita oração e o pouco estudo conduzem ao
fanatismo, por outro lado, o muito estudo sem oração leva ao mero intelectualismo.

CONCLUSÃO
Como Josué, devemos amar a Palavra de Deus, ela deva ser, como diz o Salmista (Sl. 1.1), nossa
meditação dia e noite. Josué era sabedor dessa verdade, pois quando fora escolhido, o Senhor advertiu
para que ele não se apartasse do livro da lei (Js. 1.8). Que o livro de Deus seja aberto em nossas igrejas,
que o lugar reservado à Palavra de Deus seja preservado e não reduzido. Se assim não o fizermos, o
resultado será a corrupção geral do povo. Portanto, quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas
(Ap. 2.29).

CONFIANDO NA DIREÇÃO DE DEUS - Conclusão
"Os valores espirituais têm que ter prioridade em nosso viver em comparação aos valores
materiais"
Quando falamos em definir o que é importante para nós de acordo com os valores de cada um,
são valores pautados na Bíblia:
 A razão - Na bíblia a mente é colocada como sendo o coração, pois o coração é o centro
de nossos sentimentos e ações;
 Vontade - Muito do que queremos vem do que vemos. Assim como a candeia ilumina a
escuridão, os nossos olhos funcionam como uma lanterna fazendo-nos ver o mundo ao redor.
 Sentimentos - Amar e desprezar tem a ver com sentimentos. Em muitos aspectos da
vida, podemos ter divisão no coração: escolher mais de uma profissão, ter dois gostos etc. Mas
no aspecto espiritual não há opções.
O ser humano foi criado por Deus para tomar decisões movidas pela razão, isto não quer dizer
que devemos anular os sentimentos, mas devemos conduzir nossas vidas pelo entendimento.
Como uma locomotiva, a mente deve conduzir a vontade e os sentimentos. Quando a razão
governa nossas vidas, o nosso maior tesouro é a obediência. Mesmo que a vontade e os
sentimentos sejam contrários, a obediência consciente nos levará a fazer o que é certo. Quando
uma pessoa é guiada pelos sentimentos, pela cobiça, pelos tesouros da terra, deixa de lado o que
realmente é importante: os tesouros do céu. Quando o sentimento fala mais alto, o homem se
torna escravo daquilo que deveria servi-lo. O amor às riquezas leva o homem à ruína, porque
depois de gastar a vida inteira acumulando coisas neste mundo, no final, se encontra de mãos
vazias.
Qual é o tesouro que está no seu coração?

CONFIANDO NA DIREÇÃO DE DEUS - parte 2
O que é realmente importante para o ser humano? Para nós o tesouro é o mais importante,
pois tem um valor imenso; e a Bíblia tesouro aquilo que realmente é importante para nós. Em
Mateus capítulo 6 verso 21 nos diz que "onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso
coração", o coração é o centro de nossas emoções e sentimentos. Na bíblia o coração é o que
chamamos de mente. Tudo que o ser humano busca, suas conquistas, seus objetivos..., começa
no coração. A busca da humanidade por conquistas materiais, sociais, tem levado alguns à
loucura. E tudo começa no coração...por isso, dependendo do lugar que você as coloca poderá
ser uma benção ou poderá fazer um grande estrago em sua vida.

E hoje o que o ser humano tem buscado coloca Deus em uma posição, na sua vida, que vai
ficando cada vez mais distante. Agora o que importa é o que dita a sociedade, o que tem mais
valor não é o que eu aprendo dentro de casa. Falar com ações é falar mais alto do que o que você
diz com as palavras, então mostre onde realmente está seu coração: sendo leal aos amigos,
agindo com honestidade no trabalho, demonstrando amor e carinho a família, amigos e onde
trabalha.
Olhe para dentro do seu coração por uns momentos...se pergunte e responda: onde está teu
tesouro?

CONFIANDO NA DIREÇÃO DE DEUS - parte 1

 O ser humano que somos hoje é um investimento de nossos pais no passado. Digo isto porque a
sociedade hoje tem dado muito valor ao material, ao que não é tão necessário, ou até mesmo dá
valor aquilo de que não necessita no momento. Para podermos definir o que é importante para
nós, é necessário entendermos a diferença entre os valores espirituais e os valores materiais; o
que é importante, o que é necessário e o que é prioridade.

Antes de mais nada, cada um de nós precisamos saber responder a uma pergunta: Onde está o
teu coração? Precisamos nos conhecer, precisamos olhar a fundo, bem lá dentro. É importante
saber o que está guiando teu coração, para você saber o que é mais importante para você.
Dependendo de como está teu coração, você irá fazer escolhas. As escolhas que fazemos e
decisões que tomamos são diretamente influenciadas pelo nosso entendimento e compreensão a
respeito do que é importante e prioritário. E diante daquilo que estiver enchendo teu coração,
irá ser a prioridade que você estará dando na sua vida.

Por outro lado, nosso comportamento e atitudes serão resultado direto de nossas escolhas e
decisões. Tal comportamento e atitude são gerados por ambições que criamos, diante daquilo se
encontra repleto em nosso coração. Ambições que podem ser desmedidas, podendo trazer
desastres; ou ambições positivas nos ajudando a realizar tarefas.

A ambição desmedida é algo que consome a vida do ser humano, levando a cometer desatinos e
levando a gastar os seus dias naquilo que é perecível e passageiro. Já a ambição positiva, ou
comedida, nos leva, como seres humanos, a realizar o potencial que Deus deu a cada um para
realizar. Mas o que é realmente importante? Importante é aquilo que chamamos de tesouro, e
na bíblia vemos na passagem em Lucas capítulo 12 verso 34 que diz " Pois, onde estiver o seu
tesouro, ali também estará o seu coração.".

ANDANDO COM O MEU PASTOR

Eu vou andando com meu Pastor;

Passo por passo.

Não vejo ao longe,

-Nem posso ver-

Mas os caminhos a escolher

Meu Pastor sabe, me dirige,

Passo por passo.

Tudo Ele sabe, tudo Ele conhece;

Já palmilhou estes caminhos;

Pode valer-me. E vai à frente

Passo por passo.
Pra me atacar, todo inimigo

Terá primeiro de enfrentar

O meu Pastor. E Ele me guarda

Passo por passo

Que temerei, o meu passado?

Se já por Ele achei perdão?

Quanto ao futuro...

Está guardado em Sua mão.

Quanto ao presente...

Eu vou andando com o meu Pastor

Passo por passo.

EU QUERO SER DIFERENTE

Eu quero ser diferente...
não apenas com pensamentos, pois pensamentos sem ações não produzem
efeito algum;
Eu quero ser diferente...
não para ser uma estrela que brilhe mais que as outras. Mas ajuntando o brilho
com outras para iluminar o caminho para que pessoas possam prosseguir sua
caminhada um pouco melhor...com paz;
Eu quero ser diferente...
Porque, parafraseando as palavras de Martin Luther King, eu tenho um sonho...de
um dia ver os homens serem julgados pelo conteúdo de seu caráter.
Mas para isso...
Eu preciso fazer diferente...
preciso não apenas deixar um mundo melhor para meus filhos e os filhos dos
meus filhos; mas deixar filhos melhores para que o mundo possa ser...
DIFERENTE.

UM EXEMPLO

"O Senhor é o meu pastor e nada me faltará" Isso é o que a palavra de Deus nos diz, e até
aqui eu tenho experimentado a sua graça e cuidado. Toda a minha família pode dizer que Deus
tem cuidado em todo tempo de nós.

Mas passamos, algumas vezes, por situações que nos colocam frente a escolhas que somos
obrigados a fazer, ou momentos de dor e tristeza que nos afetam, E em momentos assim,
aprendi a ver a vontade de Deus guiando meus passos e decisões. Fácil? Não, não é fácil.
Você tem que confiar e acreditar em Deus, confiar que tudo (absolutamente tudo) contribui para
o crescimento de nossa fé e confiança. Somente Deus pode enxergar o que não vemos: o
futuro.

Eu e meus familiares passamos recentemente por uma perda muito grande, meu pai
faleceu. E vi Deus cuidando de cada detalhe desde a sua internação, no dia em que sofreu o
Acidente Vascular Cerebral (AVC) até seu sepultamento. Para nós, seus filhos, uma dor e
exemplo deixados; para familiares, um grande irmão e amigo, amante dos animais.

Aprendi a amar a Deus, confiar em sua providência. Assim como o bom pastor dá o melhor
pasto para suas ovelhas, Deus prepara o melhor para nós. Sempre confiando que tudo ia
passar e que Deus iria providenciar tudo, foi isso que meu pai passou.

Mas também vi em sua vida e aprendi a ser resiliente. A resiliência é você passar por
dificuldades e conseguir superá-las, deixando marcas em sua vida. Não é ser forte, mas ter a
capacidade de lidar com os obstáculos que surgem e superá-los. Olhar para ele não como algo
intransponível, mas como algo que podemos tirar lição para nossas vidas, um momento para
parar e refletir, dar uma pausa.

Outra lição que aprendi foi ser corajosa. "Eu aprendi que coragem não é a ausência do
medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas
aquele que conquista por cima do medo" - Nelson Mandela. É a essa coragem que me refiro.
Meu pai nunca desistiu diante das dificuldades que passou, mas lutou, recomeçou, seguiu em
frente. E é em todos esses momentos que vi como Deus sempre está presente, nós é que não
o vemos; pois ficamos tão absorvidos tentando responder a pergunta "Como vou fazer? Como
vou conseguir? O que acontecerá agora?", que não conseguimos enxergar a presença de
Deus ao nosso lado.

Aprenda: Ame a Deus confiando em seus cuidados; seja resiliente e aprenda com os
obstáculos; seja corajoso.

O PRIMEIRO LUGAR

O PRIMEIRO LUGAR

Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a Sua Justiça, e todas
essas coisas lhe serão acrescentadas. Mateus 6:33

Aprendi com minha mãe e minha avó a buscar a presença de Jesus
sempre. Antes de qualquer atitude, antes de qualquer decisão, devemos
buscar a direção de Deus.
Buscar a Sua vontade é sermos sábios, pois estaremos buscando o
discernimento para determinadas atitudes que, talvez, tenhamos dúvidas.
Buscar Sua presença quando estou feliz ou triste, preocupado ou em paz,
ansioso ou tranquilo, em qualquer momento.

Quem já assistiu ao filme "Em Seus Passos que Faria Jesus?", quem não viu
assista. É um bom exemplo de como colocar a Jesus em primeiro lugar em
suas vidas.

Algumas pessoas acham que colocá-lo em primeiro lugar é dizer sim para
todos os cargos da igreja. Não funciona assim, mas também não é dizer
sempre "não". É deixar ser guiado por Deus em todos os cantos de sua vida.

Mas também significa não ficar parado, mas prosseguir. Naqueles momentos
em que eu não enxergo para onde vou, mesmo diminuindo a marcha da
caminhada, mas prosseguir confiante no Deus Vivo.

"Isto aprendi com minha mãe, que aprendeu com minha avó, que viver com
Jesus é ter

toda felicidade que o ser humano pode sentir.

É conquistar todas as vitórias que parecem ser impossíveis,

é ter a paz que ser humano algum pode descrever,

é ter salvação."

OS PLANOS DE DEUS

“Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês, diz o Senhor, planos de
fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um
futuro.” Jeremias 29: 11
Jeremias foi um homem que Deus chamou para dar um recado ao seu povo, a Israel.
Jeremias obedece a Deus, então ele escreve uma carta e envia a Israel, que nesta época
estava cativo na Babilônia. E aqui neste versículo vemos o que Deus quer para seu
povo; em primeiro lugar, observamos que ele conhece os planos para o futuro. Por quê?
Porque somente ele, Deus, pode ver lá na frente. Foi ele quem traçou planos para seu
povo; trazendo para nós hoje, Deus continua se preocupando conosco, fazendo planos
para nós. Mas para sabermos temos que ter comunhão com Ele, buscar sua face, buscar
estar em sua presença. Esta parte é tarefa nossa, buscar a Deus. Mas é Ele quem sempre
dá o primeiro passo.

Em segundo lugar observamos que Deus afirma que são planos para prosperar. Então
é uma vida próspera com abundância financeira? Vida social? Não, mas antes é um
homem “bem-aventurado”, como nos diz o salmo 1. Felicidade, benção, paz é o que
acompanha quem obedece ao Senhor. O resto é consequência da escolha do ser
humano. A prosperidade vinda de Deus não causa dano, não causa mal, mas abençoa
não somente quem a recebe, mas reflete em todos que estão a sua volta.

E vemos também que Deus deseja é dar um futuro, uma esperança. Conhecendo o ser
humano como ninguém, Deus sabe que nós vemos muito o agora. O ser humano é
muito imediatista, hoje então com o advento da internet tudo ficou muito rápido. Deus
pensa lá na frente, e nós pensamos no agora.

Deus revela aqui para seu povo o seu plano. Plano este que está fundamentado em sua
graça e fidelidade à aliança feita lá trás, quando o povo estava atravessando o deserto.

E isso serve para nós, nesse tempo. Vamos colocar uma coisa em nossa mente de uma
vez por todas: Deus tem planos para cada criatura, seus planos são os melhores. Às
vezes não entendemos no momento, mas com o tempo as respostas surgiram.

Apenas CONFIE!

RECONSTRUINDO UMA NAÇÃO - NEEMIAS

Recomeçar a vida depois de uma grande turbulência seja ela no sentido denotativo
(tempestades, terremotos...) ou sentido conotativo (problemas do dia a dia), não é fácil. É
exigido do ser humano força de vontade, persistência, sabedoria e muita fé. Em se tratando de
uma nação então... muito mais difícil deve ser. Pois esse envolve milhões de pessoas no projeto
de reconstrução, aquele pode envolver uma pessoa ou um pequeno grupo.
Escolhidos por Deus Israel deveria seguir às orientações de Deus; deveriam obedecer aos
mandamentos deixados. Mas por causa de suas constantes desobediências e ofensas a Deus,
deu-se o início do cativeiro de um povo. Primeiro foi o reino do norte de Israel (caiu em 722
a.C.) que ficou cativo do povo assírio; em seguido cai o reino do sul de Israel (em 586 a.C.)
ficando cativo pelo povo babilônico. Mas em 539 a.C. os medo-persas conquistaram a Babilônia,
levando Israel junto para outro cativeiro. Nesse período Deus disciplina seu povo ante sua
desobediência.

Durante o exílio dos judeus de Jerusalém, ocorreram três grandes deportações, 605 a.C., 598
a.C. e 586 a.C.. Nabucodonosor e seu exército babilônico destruíram Jerusalém e o templo de
Salomão; muitos judeus foram mortos ou exilados. Dentre os que foram levados ao exílio
estavam líderes religiosos, políticos e intelectuais da comunidade judaica. Anos mais tarde a
Pérsia, sob o reinado de Ciro subjuga os babilônios, passando o Império para outras mãos.

Acreditando que a adoração a deuses estrangeiros era uma vantagem política, Ciro tolerava e
incentivava essa prática, resultando no edito aos judeus para que retornassem à Jerusalém a fim
de reconstruir a casa de Deus.

Em meio a esse contexto, temos Neemias e Esdras; homens que Deus iria usar para reconstruir
uma nação das cinzas, preservando um remanescente. Assim começa uma nova fase do povo de
Israel; em 538 a.C., Ciro, rei da Pérsia, deu ordens para reconstruir o Templo de Salomão. O
primeiro grupo de exilados regressa a Jerusalém, sendo liderados por Sesbazar e Zorobabel. Em
meio a muita luta os que regressam iniciam a reconstrução do templo; tendo o povo da terra
com adversários procurando impedir a obra de três maneiras, procurando promover uma união
fingida, tentam enfraquecer as mãos do povo impedindo os necessários fornecimentos e
levantando acusações fazendo chegar aos ouvidos dos reis Assuero e Dario. Com persistência e
providência divina reconstrução foi concluída em 516 a.C..

O segundo grupo regressa com Esdras em 458 a.C. Esdras, judeu exilado na Babilônia que era
sacerdote e escriba, conviveu com Neemias; fora enviado por Artaxerxes a Jerusalém para
estabelecer a observância regular da lei judaica na terra. E Esdras dispôs o coração para buscar a
Lei do Senhor, e para cumprir, e para ensinar em Israel os seus estatutos e os seus juízos (Esdras
7:10).

O terceiro grupo de exilados regressa a Jerusalém em 445 a.C., liderados por Neemias. O rei
Artaxerxes I expediu um decreto para que Neemias liderasse o terceiro grupo, a fim de iniciar a
reconstrução dos muros de Jerusalém. Neemias chega em Jerusalém como governador civil,
com autoridade do rei da Pérsia. Judeu exilado e copeiro do rei, Neemias supervisiona a
reconstrução da muralha de Jerusalém e o compromisso do povo com a lei de Moisés.

Eles enfrentaram oposições, foram ridicularizados, foram caluniados, enfrentaram o
desânimo, a distração e até ameaças de morte. Neemias enfrentou a todas as situações
combatendo com oração contínua, determinação, sabedoria e uma vida de retidão.

Neemias foi um grande líder, demonstrou capacidade e habilidades extraordinárias de
liderança. Era um visionário que inspirou a outros; ao mesmo tempo trabalhou humildemente
ao lado do povo mantendo a firmeza sob as pressões de uma tarefa enorme. Cumpriu suas
prioridades organizadas tanto a enfrentar a oposição como ao alcançar o sucesso de sua missão.
Em sua humildade não tinha medo de admitir e de corrigir seus próprios erros.

Ele poderia ter ficado no palácio, afinal alcançara uma posição de influência no palácio do rei
persa Artaxerxes I. Mas como Moisés não considerou o luxo do palácio, Neemias fez o mesmo.
Antes foi tocado profundamente quando ouviu sobre o estado desalentador de Jerusalém.
Fácil? Não. Esdras e Neemias nos deixam uma lição: a de não permitir que a comodidade do
que temos nos segue a ponto de não enxergarmos a realidade que vive nosso país.

Antes tenhamos a mesma atitude desses homens se dispor a fazer o que tiver aos seu alcance.
Cada um conforme a sua força, cada um com o que sabe fazer.

A IGREJA E A POLÍTICA

TEXTO: “Sujeitai-vos a toda instituição humana por causa do Senhor, quer seja ao
rei, como soberano, quer às autoridades, como enviadas por ele, tanto
para castigo dos malfeitores como para louvor dos que praticam o bem.
Porque assim é a vontade de Deus, que, pela prática do bem, façais
emudecer a ignorância dos insensatos; como livre que sois, não usando,
todavia, a liberdade por pretexto da malícia, mas vivendo como servos de
Deus. Tratai todos com honra, amai os irmãos, temei da Deus, honrai ao
rei.” I Pedro 2: 13 a 17

Como crentes devemos nos envolver na política? E a igreja onde fica? São
perguntas que fazemos, são perguntas que me são feitas.

Como cristã, que crê em Jesus como Salvador, meu guia de princípios, regra, fé e
prática é a Bíblia; pois pra mim ela é a palavra de Deus. E nela encontramos o texto
acima, onde Pedro, apóstolo de Jesus, orienta os cristãos a se sujeitarem, serem
obedientes à lei. Sendo esta obediência sempre primeiramente a Deus; se ela se mostra
contrária à vontade revelada de Deus é evidente que o cristão deve obedecer a Deus,
sabendo que terá sofrer consequências. Como cristãos somos a igreja de Cristo, e ela
atua como prestadora de serviços à comunidade, defende os direitos da minoria, leva a
salvação através de Jesus, serve a Deus em adoração na terra, vivendo em amor mútuo.

Sendo assim, estamos vivendo no mundo como embaixadores de Cristo, a todos
sem distinção de raça, credo, sem discriminar ninguém, respeitando a fé do outro.
Então como cristãos temos que participar da vida pública de nosso país. Ser um cristão
não é se tornar um ignorante na política, ser cristão é confessar a fé que possui em
Jesus seja onde for. Respeitar as autoridades constituídas por Deus.

Na Bíblia temos exemplos de homens que se envolveram na política: Davi foi rei,
José foi primeiro ministro do Egito, Daniel foi um dos ministros do rei da Pérsia,
Neemias foi governador de Judá após o exílio, Débora foi juíza em Israel. Esses são
apenas alguns exemplos, existem muitos outros. Não existem na Bíblia proibições para
se participar da vida pública. Antes vemos orientações a todo cristão a participar, mas
sendo firmes na fé, honestos, mostrando a verdadeira vida em Cristo, ou seja, fazendo a
diferença onde estiver.

Ser um crente em Jesus não é viver uma vida alienada com o que acontece a sua
volta, ser um crente não significa ficar entre quatro paredes só louvando, ouvindo a
palavra de Deus, se isolando do mundo. Mas é sair e levar, mostrando a diferença de
uma vida com Cristo.

Não estou dizendo para que crentes tenham consciência política e lutem para que
o governo seja cristão, influenciando aos eleitores e a todos. Eu sou a favor da
separação entre Igreja e Estado, mas isso não impede que um servo de Deus possa
chegar até a ser governador, senador, etc.

Temos que ter consciência de que não é eticamente correto se pregar de púlpito o
favoritismo a um candidato ou partido. A igreja não deve tomar partido, mas cada um
de seus membros pode, e deve, fazer sua escolha consciente pesquisando a vida do
candidato. Afinal a natureza da igreja é levar o nome de Jesus a pessoas que ainda não
ouviram do seu amor, mostrar ao mundo o que Ele pode fazer na vida daquele que
permite sua entrada. Usando as palavras do Pr. Marcelo Rodrigues, os membros da
Igreja como cidadãos de um país tem o direito de se candidatarem e se elegerem para
cargos políticos, para que haja uma transformação da nossa sociedade em uma
sociedade mais justa e piedosa. Tomar partido político é estar indo contra a natureza da
igreja. Creio que a Igreja deva ser apolítica, mas ela deve encorajar seus membros a
participarem da mudança do seu país.

Aqui estamos de passagem, e devemos fazer a diferença para melhor por onde
quer que passemos.
Leia também "Deve a igreja envolver-se em campanha política?" do Pastor Marcelo
Rodrigues.

http://www.cliquepaz.net/detalhesmensagem.php?codmensagem=736/

A IGREJA E SUA NATUREZA

A igreja é um grupo de pessoas que possuem a mesma fé, mesma doutrina, mesmas
práticas; pessoas regeneradas e batizadas que se reúnem voluntariamente. A igreja não é o
templo físico, este é o lugar onde a igreja se reune. Segundo p Pr. Ebenézer Soares Ferreira (A
Teologia da Igreja, pp.18) no período do Velho Testamento Israel era convocado a congregar-se
a sopé do Monte ou em outra parte, para ouvir a Deus, diz que a expressão Kahal Israel ou
Kahal Iahavé é usada no Velho Testamento que a Septuaginta (nome da versão da Bíblia
hebraica traduzida em etapas para o grego koiné, entre o século III a.C. e o século I a.C., em
Alexandria) traduz por ekklesia, isto é, assembleia.
Portanto não podemos dizer que a Igreja de Cristo se deu no Velho Testamento, e nem que é
sua continuação.
Jesus nasceu, cresceu, e durante 3 anos pregou sobre a vinda do reino dos céus, e ensinou
seus discípulos para que esses dessem continuidade ao trabalho. Jesus plantou a semente,
que germinou nos corações e deu frutos. Com os apóstolos se dá início a Igreja Primitiva, que
não podia ter templos, mas se reuniam em casas; em Lucas se registra que se reuniam no
pátio do Templo.
A Igreja Primitiva, em Atos 2: 37 – 47, tinha suas marcas:
A. Era composta de cristãos regenerados, arrependidos da vida pecaminosa;
B. Era composta de membros batizados após confessarem Cristo como Salvador;
C. Mantinha-se unida em torno das doutrinas apostólicas, viviam de comum
acordo, em comunhão e oração;
D. Viviam o amor fraternal na prática. Os que tinham mais compartilhava com os
que tinham menos, ou nada tinham.

A razão de ser da igreja é falar do amor salvador de Jesus, mas também atuar na sociedade
como prestadora de serviços à comunidade e defender o direito das minorias. É também servir
a Deus em adoração, é viver o amor mútuo na comunidade cristã, servir aos outros dentro da
sociedade cristã, servir a sociedade em que está inserida é pregar o evangelho para todos os
homens.
Deve a igreja usar dos meios que despuser para auxiliar a sociedade nos seus problemas,
dando auxílio a quem precisa. Levando o nome de Jesus a todos, respeitando o indivíduo.

Bibliografia

Ferreira, Ebenézer Soares. A teologia da igreja – sua contextualização 2000 anos depois - Rio
de Janeiro: JUERP, 2001.

Revista Compromisso – Ano CX. Nº 439 – 4 Trimestre, 2016.

Biblia de Estudo Esperança – Edições Vida Nova, SBB, Revista e Atualizada.

MÃES EXEMPLOS QUE FICAM
"Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o
ensino, para a repreensão, para a correção e para a
instrução na justiça"2 Timóteo 3:16

"Instrua a criança segundo os objetivos que você tem
para ela, e mesmo com o passar dos anos não se
desviará deles."
Provérbios 22:6
Neste dia das mães podemos buscar na bíblia 6 atitudes nossas, como mães, que devemos ter:

1. O EXEMPLO (1 Co 11.1): o apóstolo Paulo era solteiro, mas tinha inúmeros filhos espirituais, a
maioria bem-sucedida. Pelo seu exemplo, seus filhos na fé fizeram proezas. Podemos conhecer a
bíblia de cor, e exortar nossos filhos, discipliná-los, etc., mas, se não formos exemplos de vida
para eles, então nosso fracasso em educá-los será enorme. Sua vida fala mais alto do que as suas
palavras! Leia Josué 24.15.

2. PERSEVERANÇA (Dt 11.18-19, Pv 22.6): não se educa os filhos em uma semana. São 20 anos,
no mínimo, de persistência diária. Tudo terá que ser ensinado, repetido e insistido, as vezes até
a exaustão.

3. UNIFORMIDADE (Mc 3.25): o pior de tudo é o pai ter uma opinião, e a mãe outra, sobre
determinado assunto de educação. Exemplo: o pai dá doces á criança, mas a mãe é contra. O
filho sempre estará no dilema: ou agrada a um e desagrada a outro. Nunca saberá o que é
correto. NÃO INTERFIRA, se seu cônjuge está tomando uma atitude com seu filho. Mesmo que
esteja errado, é preferível conversar, a sós, com seu cônjuge, sobre o assunto, mais tarde, e
combinarem juntos os procedimentos daí por diante.

4. AMOR (Rm 13.8-10): somente com amor poderemos fixar a verdadeira face de Deus na mente
de nossos filhos. O amor fará com que os pais se dediquem á tarefa de educar seus filhos,
evitando com que deixem esta tarefa para a igreja ou a escola, assumindo eles mesmos esta
responsabilidade bíblica. A má formação dos jovens não é oriunda da sociedade corrupta ou da
fraqueza do governo, mas da ausência de um lar amoroso, onde a prioridade é o amor a Deus e
ao próximo.

5. DISCIPLINA: é um recurso indispensável, pois “a estultícia (estupidez) está ligada ao coração
da criança” (Pv 22.15). Engana-se quem pensa que a vara é a única alternativa bíblica de
disciplina (leia Cl 3.21). Observe que em Pv 29.15 há separação entre vara e disciplina,
mostrando que são distintos. Disciplinar quer dizer corrigir, fazer obedecer. Entre as
alternativas bíblicas, se encontram: a exortação (Ef 6.4), restrições diversas (Pv 19.18),
repreensões (Hb 12.7,8), persuasão (induzir, convencer: Pv 29.17, Dt 6.5-9), motivação (Ex
20.12, Ef 6.1-3). Cada uma tem seu valor, e seu tempo de aplicação.

Nota: a vara é o instrumento ideal para a criança pequena (vd. Pv 13.24), mas,
com as crianças maiores, recomenda-se o uso de outros métodos de disciplina.
“Criança”, na bíblia, representa o período antes da puberdade (menino: 10 a 13
anos; menina: 12 a 14 anos).

6. ORAÇÃO (Tg 1.5): orar é aprender com Deus os princípios e as soluções na tarefa mais difícil
que existe no mundo: educar os filhos.

FELIZ DIA DAS MÃES!

BIBLIOGRAFIA

Bíblia Sagrada - Nova Versão Internacional

Permanecendo Junto do Deus Vivo

Permanecendo Junto do Deus Vivo

“Busquem o Senhor enquanto é possível achá-lo; clamem por Ele enquanto está perto.” Isaías
55:6

Qual tem sido a prioridade da minha vida neste exato momento? Para se estar perto de alguém
é preciso buscar, ir atrás; gostamos de estar junto de quem amamos, sempre queremos dar um
jeitinho para estarmos perto de quem amamos. Neste capítulo, iremos ver juntos o que é
permanecer junto de Deus, como estar junto de Deus, por que eu preciso estar junto de Deus,
quais as conseqüências de se estar junto de Deus. Será que eu vou sair ganhando se buscar a
presença do Senhor?

Pare e pense um minuto sobre a sua prioridade de vida neste momento. Meu desejo é que
você entenda a importância para sua vida o buscar a Deus e compreenda que para permanecer
junto de Deus temos que cultivar uma vida de oração. Desde 1994 estou morando fora do Estado
do Rio de Janeiro (cidade onde nasci, cresci, casei e tive dois dos meus três filhos); neste período
tenho observado algumas atitudes em cada lugar que morei. Atitudes de crentes, pessoas
envolvidas com suas igrejas, que devem estar em acordo com a sua fé. Uns acham que Deus já
envelheceu com o mundo e se tornou um “Senhor de barbas brancas e coração mais amolecido”,
outros acham que Deus continua como no Antigo Testamento, cheio de leis e não podes.
Observei que faltava algo, mais o que? Faltava buscar a Deus permanecendo nele.

Deus é o mesmo, o Deus Vivo que tem atravessado gerações com a mesma atitude de
amor, benignidade, compaixão, sendo o provedor, restaurador, pastor, e tudo que
precisamos.

Só permanecemos junto de Deus quando damos prioridade a Deus em nossos
corações. O Deus Vivo não pode agir quando um coração está cheio de sentimentos
destrutivos. Sentimentos como: raiva, rancor, inveja, ciúme, angústia, medo, ódio,
recordar o passado com melancolia, e outros mais que só levam-nos a ter problemas de
saúde.

Para se estar junto é preciso ter um relacionamento, uma troca de correspondências.
Se não houver um relacionamento não há correspondência, e o amor morre. Diz
Spencer que “Enquanto eu puder corresponder a meu meio ambiente, terei vida, mas se
algo me acontecesse que me impedisse de corresponder ao meu meio ambiente, então
eu estaria morto; morte é falta de correspondência”.

“Busquem em primeiro lugar o reino de Deus e a Sua justiça, e todas essas
coisas lhes serão acrescentadas”, foi Jesus quem nos falou o que fazer sempre
primeiro, antes de tudo o mais em Mateus 6: 33. Primeiro devemos nos preocupar em
nos alimentarmos espiritualmente, ficarmos fortes; Deus cuidará e suprirá o físico e o
material. Você dá dez minutos das suas vinte e quatro horas para Deus? Você dá
prioridade à opinião de Deus em sua vida? Se sua resposta for não, então repense
nisso.

(Continua no próximo artigo)
PERMANECENDO JUNTO DO DEUS VIVO - II

Como posso permanecer na presença de Deus?

Eu posso melhorar minha comunhão com Deus? Como crescer na minha comunhão com
Deus? Nós podemos crescer e melhorar nossa comunhão com Deus. Você está disposto a
crescer? Então, vamos caminhar juntos.

· O primeiro passo é reconhecer a importância da Bíblia em minha vida. A Palavra de Deus é a
Sua revelação aos homens. É um meio pelo qual Deus vai usar para falar com você, como tem
feito durante gerações. Este é o motivo pelo qual devemos separar um momento para estarmos a
sós com Deus. Isto é uma questão de disciplina e de uma tomada de atitude, de por em ação um
compromisso firmado com Ele no dia em que você se batizou. Eu sei que a agitação é grande.
Mas aprendi, desde cedo, que a Palavra de Deus é o meio que Deus usa para nos revelar Sua
vontade. Ele fala conosco. Como eu vou saber o que Deus quer se eu não leio a Bíblia? Como eu
vou ficar firme e constante em meio aos problemas, se eu não tenho tempo para ler a Bíblia?
Nunca é tarde para começar a ler a Bíblia. Não é ler na sobra do tempo que tenho, mas separar
um horário para meditar e não abrir mão dele. Assim como a comida fortalece o corpo, a Palavra
de Deus fortalece o espírito, nos deixando prontos para as lutas do dia. Confiantes nas
promessas de Deus, principalmente nos dando a certeza de que está ao nosso lado (Mateus 28:
20).

· O segundo passo é desenvolver uma vida de oração. Uma vida de oração com qualidade ao lado
de Deus. No livro “Desenvolvendo uma vida poderosa de oração” (de Gregory Frizzel) o autor
nos chama a atenção para uma verdade: a falta de compromisso com Deus. Nós queremos que
Deus nos responda, mas não nos colocamos diante de Deus com o coração. Ter uma vida de
oração de qualidade é passar tempo orando e meditando na Palavra de Deus, meditando e
refletindo no que Ele nos falou. Se nós amamos a Deus temos que fazer o que nos é mandado
fazer: ter cuidado com a nossa vida espiritual. Esse cuidado é todos os dias, não é automático,
requer de nossa parte esforço. Esforço e dedicação: tirar do coração tudo o que está causando
impedimento no primeiro lugar (I Samuel 7: 3,4); temer ao Senhor, Deuteronômio 6:13; servi-lo
com integridade e fidelidade de coração (Josué 24:14). Algumas pessoas não dão o devido valor
a oração e a leitura da Palavra de Deus quando deveriam usufruir e muito dela. Aprendi duas
coisas: A) Deus se deixa ser achado por nós, por pessoas que querem realmente estar junto dele.
É certo que não rejeita ninguém, mas não insiste com quem só prefere fazer tudo à sua maneira,
lembra-se do rei Saul? Este preferiu fazer tudo à sua maneira, era impaciente e teimoso. Chegou
um dia em que precisou de Deus, para enfrentar os filisteus, e não o encontrou. Deus o havia
deixado, se retirou de Saul (I Samuel 13; 15 e 28). B) O dia do juízo se aproxima. Naquele dia
não haverá mais tempo para clamar a Deus, pois não serão ouvidos os pedidos de oração. O
tempo de melhorar sua vida com Deus é agora, enquanto você sabe que Ele está perto. Não
espere chegar o dia em que necessite de Deus e descubra com tristeza que se retirou de você.
Chegou o tempo de crescermos como discípulos de Cristo, desenvolvendo nossa comunhão com
Deus. Transformando nosso viver diário com momentos as sós com Deus, tendo momentos
agradáveis de oração e meditação na Palavra de Deus. Lembre-se, o horário é você quem faz!

· O terceiro passo é confessar a Jesus Cristo seus pecados, não esconda nada de Deus. O Salmo
66: 18 fala que “Se eu acalentasse o pecado em meu coração, o Senhor não me ouviria” (Nova
Versão Internacional). Deus é Onisciente – sabe de tudo e lê nossos pensamentos, por este
motivo não podemos esconder nada de Deus. Ele é Santo, não podemos permanecer em Sua
presença com o coração encobrindo pecados. Nossa vida com Deus só crescerá quando
purificarmos nosso coração, confessando a Deus todos os nossos erros. Quando Davi adulterou
com Bate-Seba e matou seu marido procurou ocultar o que fez. O grande rei achou que poderia
esconder o que fez de Deus, mas estava enganado (II Samuel 11 e 12). Israel vivia cometendo
erros se afastavam cada vez mais de Deus e suas orações não eram ouvidas (I Samuel 4).
Ananias e Safira esconderam de Deus o verdadeiro valor da venda de sua propriedade, eles
também acharam que podiam enganar a Deus e morreram (Atos 5:1-10). Deus sabe o que vai lá
dentro do seu coração, não temos como ocultar nada do Senhor. Podemos enganar as pessoas,
pois não podemos saber o que acontece lá dentro do coração, não podemos ver. A não ser que a
pessoa nos fale, não iremos saber o que se passa. O Senhor fica feliz em ver que você está sendo
sincero ao confessar-lhe os pecados e se arrependendo. Ele é fiel e justo em nos perdoar dos
nossos erros (I João 1:8-10). Assim permaneceremos na presença de Deus.

· O quarto e último passo é que você permaneça diante de Deus em adoração. O pastor David
Gomes diz em seu livro ‘Um Judeu Chamado Abraão’, que Abraão nunca construiu casa, mas
sempre construía uma tenda e um Altar. Este servo de Deus foi um adorador, acima de qualquer
circunstância. Em todo lugar por onde andou, adorou ao Senhor. Ele nos ensina que se
quisermos permanecer no Senhor, é preciso adorar sempre. Ele saiu da sua terra para morar em
Canaã, no meio de um povo incrédulo. Deus aparece e lhe anima o coração com uma promessa:
dar a Abraão toda aquela terra a ele e a seus descendentes. Houve dificuldades, houve um povo
ímpio que morava lá. Mas Abraão não reclamou, não desistiu, levantou um altar e adorou ao
Deus Vivo. Seguiu para Betel e Ai, lá houve desavenças entre ele e seu sobrinho Ló. Mas o
coração de um adorador é pacífico. Então Abraão deixa Ló escolher o melhor da terra e se separa
de seu sobrinho. Abraão segue para Betel e recomeça sua caminhada cumprindo o que Deus diz.
Abraão resolve continuar adorando ao Senhor, mesmo diante de um aparente fracasso. Agora
era ele e sua esposa somente, não mais uma família. Ele recomeça novamente em Canaã,
decidido a permanecer com Deus. Adorando ao Deus verdadeiro em quem ele confiava.

(continua)
PERMANECENDO JUNTO DO DEUS VIVO - III

Por que permanecer junto de Deus?

Vamos ler em Efésios 6: 10-13 o porque de eu ter que permanecer na presença de Deus:

“Finalmente, fortaleçam-se no Senhor e no seu forte
poder. Vistam a armadura de Deus, para poderem ficar
firmes contra as ciladas do diabo, pois a nossa luta não é
contra seres humanos, mas contra os poderes e
autoridades, contra os dominadores deste mundo de
trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões
celestiais. Por isso, vistam toda a armadura de Deus,
para que possam resistir no dia mau e permanecer
inabaláveis, depois de terem feito tudo”

Nós fomos chamados por Deus para vivermos de maneira digna, correta. Como crentes em
Jesus, temos que ter uma conduta a seguir neste mundo. Nossa caminhada aqui tem que ser
diferente, o povo de Deus deve ser um povo diferente do povo do mundo.

Paulo, nesta passagem, está colocando a caminhada cristã como uma guerra. Este é o
motivo pelo qual devemos permanecer na presença de Deus. A nossa vida no mundo é um
conflito mortal, no qual todos nós estamos alistados (quando nos convertemos a Cristo) contra o
poder de Satanás e suas hostes. Nesta guerra tudo será usado contra nós, servos de Deus. Mas se
estivermos sempre buscando a face do Senhor nos tornamos fortes para a luta, renovamos o
vigor, cobramos novo ânimo. Assim como os muros dão proteção à uma casa ou a uma cidade,
será o mesmo conosco quando confiamos e temos a Deus como nosso Salvador.

Há pouco tempo o Brasil foi convocado para fazer parte da Força de Paz da ONU, no Haiti,
nossos soldados foram armados. Eles foram equipados com todo tipo de armamento para se
protegerem do ataque inimigo, que é visível. Mas a nossa luta é contra o Inimigo de Deus,
invisível. Ele usará de toda astúcia e engano para nos fazer cair, desanimar e nos afastar de
Deus. Por isso temos que permanecer na presença de Deus.

O Deus Vivo equipará de forma maravilhosa seus guerreiros, capacitará a todos os que o
buscam. Todos os que buscarem ao Senhor que querem fortalecer sua vida espiritual. Não
podemos nos esquecer do nosso relacionamento com Deus, se quisermos ser firmes e constantes
nesta caminhada. Mesmo depois de recebermos de Deus as bênçãos não podemos nos descuidar
um instante se quer. O inimigo não descansa, estará sempre procurando oportunidades para
atacar. Sem Jesus não somos nada, não conseguiremos dar um passo sem nos perdermos e ser
enganados. Nós temos que permanecer vigilantes, firmes e corajosos.

“Coragem não significa viver sem medo, mais viver acima do medo, através da fé em Deus”
– Donald N. Bastian. Se estivermos ligados em Jesus, como a videira (João 15:5), seremos
fortes. Deus nos capacitará para que possamos enfrentar qualquer situação. Se o medo surgir
não olhe para o tamanho do obstáculo, mas olhe para cima. Olhe para Deus, prossiga com fé e as
promessas no coração. As promessas quando guardadas no coração e obedecidas nos dão
resistência a suportar qualquer situação que venhamos a enfrentar.

Deus tem uma armadura que está a nossa disposição, cabe a nós a responsabilidade de
vesti-la. O poder de Cristo está a nossa disposição para ser usado. Sem armadura de Deus, nós
não temos capacidade de ficarmos firmes contra as ciladas e os enganos que surgirão. Sozinhos,
por nós mesmos, não temos condições de enfrentar o inimigo que ataca ferozmente.

A armadura que está a nossa disposição nós lemos em Efésios 6: 14-18:

“Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da verdade, vestindo a couraça da
justiça e tendo os pés calçados com a prontidão do evangelho da paz. Além disso, usem o
escudo da fé, com o qual vocês poderão apagar todas as setas inflamadas do Maligno. Usem o
capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus. Orem no Espírito em
todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e
perseverem na oração por todos os santos.”

As nossas armas de defesa são: verdade, justiça, prontidão do evangelho, escudo da fé,
capacete da salvação, espada do Espírito (esta é tanto de defesa quanto de ataque) e a oração
(também é usada como arma de ataque). As armas que usaremos para a ofensiva são a espada
do Espírito, que é a palavra de Deus, e a oração. Temos que estar sempre prontos para agir,
alertas. Não sabemos à hora em que precisaremos nos defender ou atacar. A armadura de Deus
desvia de nós os dardos do inimigo invisível.

Com esta armadura em mãos nos tornamos fortes, teremos condições de nos defendermos.
Na hora de enfrentar as dificuldades teremos resistência para nos mantermos em pé; teremos o
vigor renovado para continuar a caminhar, mesmo que ainda não estejamos vendo a solução;
receberemos energia para transpor os obstáculos que nos parecerem gigantes.

Todos os dias nós temos: desafios a enfrentar, problemas a solucionar, decisões para serem
tomadas. Em tudo isto Satanás estará à espreita, só esperando um momento certo para nos
atacar. Se permanecermos junto de Deus, mesmo se formos surpreendidos, temos uma Torre
Alta, um Lugar de Refúgio; temos um Deus forte que luta conosco e por nós.

O BOM PASTOR

“O Senhor é o meu pastor; de nada terei falta. Em verdes pastagens me faz repousar e me
conduz a águas tranquilas; restaura-me o vigor. Guia-me nas veredas da justiça por amor do
seu nome. Mesmo quando eu andar por um vale de trevas e morte, não temerei perigo algum,
pois tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me protegem. Preparas um banquete para mim
à vista dos meus inimigos. Tu me honras, ungindo a minha cabeça com óleo e fazendo
transbordar o meu cálice. Sei que a bondade e a fidelidade me acompanharão todos os dias da
minha vida, e voltarei à casa do Senhor enquanto eu viver”. Salmo 23 (Nova Versão
Internacional)

O Deus que Atravessa Gerações, na sua fidelidade, providencia tudo, mas tudo
mesmo. Se você crer que Ele é o Deus Vivo, O Deus Salvador e Poderoso. Deus está
dizendo: “Eu posso tudo se você crer que eu sou capaz de dar tudo à você”. Todas as
vezes que canto esta música, me lembro de uma das histórias contadas por minha avó.
Dizia ela que quando minha mãe e seus irmão eram bem pequenos, Deus sempre
providenciava tudo de que precisavam para aquele dia. Meu avô saia para trabalhar no
Porto do Rio de Janeiro, carregando e descarregando navios. O pagamento era
conforme a quantidade de sacas de café que ele carregasse por dia. Mas nem todos os
dias havia serviço, de tal maneira que em muitas situações, meu avô saia para trabalhar
sem deixar nada para os filhos comerem, porque não havia dinheiro para comprar.
Confiando em Deus ela dizia para os filhos: “Não se preocupem, Deus vai dar ao papai o
dinheiro para comprar comida. Não é para ninguém chorar. Vamos orar a Deus e
esperar o papai chegar.” E quando meu avô chegava era uma festa, sempre trazia um
alimento para comerem. Ela criou os filhos dizendo que Deus nunca iria deixar faltar
nada do que eles precisassem, Deus sempre seria fiel, Ele sempre agiria com
providência.
Aquela sábia mulher tinha razão. Diz Max Luccado em seu livro “Aliviando a
Bagagem” que -“Nós temos um Deus que nos escuta; temos o poder do amor atrás de
nós, o Espírito Santo dentro de nós, e todo céu à nossa frente” Você tem um Deus Vivo
que está a sua disposição a qualquer momento do dia ou da noite; seja ao meio-dia ou
às três horas da manhã. Não importa o momento de sua vida, Ele o escuta com
paciência, tempo e amor. E todo esse amor e poder estão a sua disposição. Ele deu-nos
a Sua própria vida, o Seu próprio nome.

Deus é onisciente, sabe de tudo o que você precisa e o dará. Em tudo o que precisar, irá
supri-lo e nada faltará. Mas Ele deseja que você ore e peça, quer ouvir sua voz falando
de tudo o que está no coração. Deus quer ser seu guia, seu pastor, quer hospedá-lo no
Seu Coração e deixá-lo protegido, quer ser seu provedor. Nada alegra mais o coração de
Deus do que ouvir seus filhos a conversar e pedir tudo a Ele.

DEUS AINDA TRABALHA

“O Deus Vivo age, está sempre trabalhando em
favor dos que o servem”

Quando pequena, escutava lindas histórias dos grandes feitos de Deus na vida
daqueles que confiavam nele. Histórias sobre as promessas de Deus e a sua fidelidade;
e as que me chamavam atenção era a libertação do povo da escravidão do Egito (Êxodo
capítulos 4 a 15). Ouvia atenta a cada praga que se iniciava no Egito e como Deus fazia
distinção entre seu povo e os egípcios.

Eu me perguntava, quando ouvia esta história, por que o Egito teve que sofrer com as
dez pragas para depois deixar ir a Israel? Por que Israel teve que esperar e ver as dez
pragas para depois sair do Egito? Por que Faraó não deixou Israel sair logo no início
para evitar tanto sofrimento ao seu povo? A resposta é simples: o Egito precisava saber
que é o Deus (hái)‫ה‬, o Deus Vivo. Israel precisava conhecer o Deus Vivo.

Israel fora para o Egito (70 pessoas) a pedido de José, seu muito amado filho de
Raquel. No Egito, José, que fora vendido por seus irmãos, como escravo, mas que por
causa da sua fidelidade e da sabedoria que Deus lhe dera, agora elevado por Faraó a
Governador – Geral, cuidaria de toda a sua família. José, por sua vez, tinha motivos
para guardar rancor de seus irmãos. Mas ele sabia que o Deus, o Deus Vivo, de seu pai
estava com ele. Ele poderia ter reclamado pelo fato de ter ido parar injustamente na
prisão, se revoltado quando o copeiro do rei não se lembrou dele logo que saiu da
prisão. Preferiu esperar em Deus e continuar a confiar na fidelidade de Deus. Mais
tarde, quando reencontrou com seus irmãos, José viu que tudo pelo que havia passado
era realmente Deus conduzindo a sua vida.Deus o queria ali, no Egito, para que
pudesse ajudar sua família a não passar fome. Mas também queria mostrar, através
de José e sua família, o quanto Deus poderia fazer pelo povo egípcio.

Muitos anos se passaram, agora eram os descendentes de Jacó. José morrera, agora
era Israel. Agora estava sob a escravidão dos egípcios, uma nação com muitos deuses.
Israel se tornou escravo de sonhos perdidos, escravo de um coração que estava ficando
endurecido pelo sofrimento da escravidão.

José manteve em seu coração a promessa de que Deus cuidaria dele (como ouviu seu
pai lhe falar dos cuidados de Deus); Israel deixou que essa mesma promessa se
apagasse em seu coração. E o seu coração? O que é que está guardado lá dentro? Em
alguns momentos ficamos fracos e cansados, até mesmo com a sensação de que Deus
não está cuidando de nós. Quando nos sentirmos assim, lembre-se daquilo que lhe traz
esperança: Deus é Fiel. É muito importante ter sempre em mente as promessas de
Deus, esteja você passando por momentos ruins ou bons.

Quando eu mantenho a luz de suas promessas acesa em meu coração, o gigante do
endurecimento e da angústia não tem lugar; mantendo as suas promessas sempre vivas
em meu coração eu não me afastarei do meu Deus.