You are on page 1of 91

ÍNDICE

INTRODUÇÃO.........................................................................................................................4

LU ............................................................................................................................................5
Descrição do sistema...............................................................................................................5
Modos Operacionais................................................................................................................5
Arquitetura dos circuitos elétricos............................................................................................6
Ativação/desativação do sistema.............................................................................................7
Condição de reativação............................................................................................................7
Condição de desativação.........................................................................................................7
Reativação/desativação do Painel de Instrumentos................................................................8
Prioridade de erros e alertas....................................................................................................9

TABELA DE PINOS...............................................................................................................10
Entradas e saídas do sistema................................................................................................10
Entradas.................................................................................................................................10
Saídas....................................................................................................................................12
Linhas de alimentação e comunicação..................................................................................15
Comunicação via Rede CAN e diagnóstico...........................................................................18
Detecção de Entradas e Falhas.............................................................................................19
Entradas Digitais ...................................................................................................................19
Entradas analógicas...............................................................................................................19
A todas as detecções de falha...............................................................................................19

SINALIZAÇÃO.......................................................................................................................20
Alerta......................................................................................................................................20
Sinalização - Alerta / Mudança de direção.............................................................................21
Descrição...............................................................................................................................21
Frequência de saída...............................................................................................................21
Gerenciamento de erros.........................................................................................................21
Interface com o exterior..........................................................................................................21
Luz de posição ligada (Linha 58d - Iluminação do painel).....................................................26
Interface com o exterior..........................................................................................................26
Farol alto (56a).......................................................................................................................27
Descrição...............................................................................................................................27
Interface com o exterior..........................................................................................................27

MOTOR..................................................................................................................................28
Rotação do motor...................................................................................................................28
Gerenciamento de erros.........................................................................................................28
Controle de carga do alternador ............................................................................................29
Função nominal......................................................................................................................29
Gerenciamento de erros.........................................................................................................29
Temperatura do líquido de arrefecimento...............................................................................30
Função Nominal.....................................................................................................................30
Marcador de temperatura do motor........................................................................................31
Gerenciamento de erros.........................................................................................................31
Nível do líquido de arrefecimento...........................................................................................32

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 1


Função Nominal.....................................................................................................................32
Leitura da condição do sensor de nível baixo........................................................................34
Função nominal......................................................................................................................34
Gerenciamento de erros.........................................................................................................34
Combustível...........................................................................................................................35
Função Nominal.....................................................................................................................35
Medição de combustível.........................................................................................................36
Pressão do óleo.....................................................................................................................37
Função Nominal.....................................................................................................................37
Curva de resposta dinâmica da pressão................................................................................38
Diagrama alterado com parâmetros (parâmetros na cor azul) ..............................................38
Gerenciamento de erros.........................................................................................................39
Água no combustível..............................................................................................................39
Função Nominal.....................................................................................................................39
Filtro de combustível..............................................................................................................39
Descrição...............................................................................................................................39
Função Nominal.....................................................................................................................40
Temporizador do filtro de combustível ...................................................................................40
Filtro de ar..............................................................................................................................41
Função Nominal.....................................................................................................................41
Manutenção............................................................................................................................42
Quilômetros restantes para manutenção...............................................................................43
Descrição...............................................................................................................................43
Função Nominal.....................................................................................................................43
Total de horas de operação do motor.....................................................................................44
Descrição...............................................................................................................................44
Funções Nominal...................................................................................................................44
Ar-condicionado.....................................................................................................................45
Função nominal......................................................................................................................45
Parada de hélice....................................................................................................................45
Descrição...............................................................................................................................45
Função nominal......................................................................................................................45
Indicação do nível de ARLA 32..............................................................................................46
Indicação de proteção da embreagem...................................................................................47
Advertência de inibição do movimento do veículo.................................................................47
Descrição...............................................................................................................................47
Função Nominal.....................................................................................................................47
Condição de neutro................................................................................................................48
Descrição...............................................................................................................................48

CHASSI E TREM DE FORÇA................................................................................................49


Bloqueio do interdiferencial....................................................................................................49
Descrição...............................................................................................................................49
Bloqueio do diferencial...........................................................................................................50
Descrição...............................................................................................................................50
Gerenciamento de erros.........................................................................................................52
Elevação do eixo auxiliar........................................................................................................53

2
Descrição...............................................................................................................................53
Gerenciamento de erros.........................................................................................................53
Antiderrapagem......................................................................................................................54
Descrição...............................................................................................................................54
Válvula de ativação/desativação antiderrapagem..................................................................54
Temporizador..........................................................................................................................55
Eixo de 2 velocidades............................................................................................................56
Descrição...............................................................................................................................56
Função...................................................................................................................................58
Caminhão basculante.............................................................................................................58
Descrição da instalação.........................................................................................................58
PTO .......................................................................................................................................59
Descrição...............................................................................................................................59
Piloto automático....................................................................................................................61
Descrição...............................................................................................................................61
Partida remota........................................................................................................................61
Descrição...............................................................................................................................61
Função...................................................................................................................................61
Velocidade do veículo............................................................................................................63
Velocidade média (viagem)....................................................................................................64
Descrição...............................................................................................................................64
Função Nominal.....................................................................................................................64
Distância total do veículo.......................................................................................................65
Função Nominal.....................................................................................................................65

FREIO.....................................................................................................................................66
Pressão do freio.....................................................................................................................66
Tela de LCD de 7 segmentos.................................................................................................69
Nível do fluido de freio............................................................................................................70
Freio de estacionamento........................................................................................................71
Descrição...............................................................................................................................71

CONTROLE DA CABINE, POWER SAFE E SEGURANÇA ................................................72


Buzina....................................................................................................................................72
Descrição...............................................................................................................................72
Trava da cabine......................................................................................................................72
Luz da cabine/luz das portas/contato das portas...................................................................75
Bloqueio das portas................................................................................................................77
Bloqueio do acelerador com porta aberta..............................................................................79
Vidro elétrico...........................................................................................................................81
Limpador do parabrisa...........................................................................................................83
Função nominal......................................................................................................................83
Aviso de uso do cinto de segurança.......................................................................................86
TABELA DE CÓDIGOS..........................................................................................................87

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 3


INTRODUÇÃO

A linha de Caminhões e Ônibus da marca Volkswagen é formada por veículos que contemplam os
mais avançados recursos da eletrônica e da informática. A união entre ambos faz com que veículos
inteligentes ofereçam alto grau de segurança, conforto, rendimento e durabilidade.

A inclusão dos veículos da marca no Programa de Controle de Emissões para Veículos Automotores,
PROCONVE - P7, trouxe consigo a necessidade da adoção de soluções impossíveis de serem
viabilizadas sem os recursos tecnológicos desses dois segmentos.

Um projeto eletroeletrônico informatizado, de alta capacidade de geração, processamento e


armazenamento de dados e resolução faz com que os Caminhões e Ônibus Volkswagen se tornem
operacionalmente mais confiáveis, realizando autodiagnóstico em suas funções prioritárias e
imprescindíveis ao bom funcionamento do equipamento.

As informações geradas pelos vários módulos de gerenciamento do veículo são imediatamente


mostradas ao operador para que sejam tomadas as providências de ajuste e correção ou proteção
do veículo e seus ocupantes.0

Visando o constante aperfeiçoamento do pessoal de sua Rede Autorizada de Serviços, a MAN


Latin America disponibiliza este material didático que tem por objetivo abordar os principais tópicos
referentes ao Painel de Instrumentos e o dispositivo de Diagnóstico de Bordo, OBD.

Leia com atenção o conteúdo e utilize amplamente este material, pois será de grande ajuda na
execução de suas atividades diárias, facilitando seu trabalho e assegurando à sua atividade maior
confiabilidade, com serviços de alta qualidade profissional!

4
LU

Descrição do sistema
O sistema inclui um Painel de Instrumentos e a LU (Unidade Lógica). O sistema é conectado aos
equipamentos eletrônicos do veículo (Tacógrafo, ECM do motor, ABS, TCU, etc.) e sua comunicação
com tais equipamentos é feita por meio de mensagens CAN.

A Unidade Lógica recebe sinais de equipamentos periféricos os processa para controlar atuadores,
luzes ou motores conectados à saída.

Modos Operacionais
O sistema foi desenvolvido para controlar algumas das funções elétricas no interior do veículo.
Essas funções podem ter diferentes modos operacionais:

• Modo de suspensão: Este modo é ativado quando todas as condições favorecem a suspensão
do sistema para reduzir o consumo de energia elétrica.

• Modo de inicialização: Este modo é ativado quando pelo menos uma entrada de ativação ocorre
durante o modo de suspensão (tabela página 8). No modo inicialização, o sistema é inicializado.
Após a inicialização, o sistema entra em modo de operação normal;

• Modo normal: Este é o modo operacional quando o sistema encontra-se ativo e a ignição está
desligada;

• Modo de ignição: Este é o modo de operação do sistema quando a ignição é ligada e o motor
não está funcionando;

• Modo de funcionamento do motor: Este é o modo operacional quando o motor está


funcionando. O parâmetro RPM permite escolher o limite de rotação do motor no modo de
funcionamento.
O valor padrão é 400 RPM;

• Modo de condução: Este é o modo operacional quando o veículo está em movimento.


O parâmetro Velocidade permite selecionar o limite de velocidade no modo de condução.
O valor padrão é 6 km/h.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 5


Arquitetura dos circuitos elétricos

I-CAN : CAN de Instrumentos


Protocolo J1939

OBD-CAN : CAN OBD PWT


250 kbps

P-CAN : CAN principal do veículo


F-CAN : CAN de provisão FMS
M-CAN : CAN proprietária PWT (MAN D08)
D-CAN : CAN de diagnóstico
CAN : Controller Area Network
OBD: On Board Diagnostic
PWT: Power Train

6
Ativação/desativação do sistema
O sistema conta com entradas de reativação com comportamentos distintos. A tabela abaixo
descreve a característica de cada entrada de reativação:

Entrada Condição de ativação Comentário

LU torna-se ativa. Painel


Terminal 15 (ignição) Positivo de instrum.apenas operação
reduzida
LU torna-se ativa. Painel
Interruptor Alerta Negativo de instrum.apenas operação
reduzida
Contato da porta Negativo LU sempre ativa
Interruptor Terminal 58 Positivo LU sempre ativa
Interruptor da luz da cabine Transição Positivo-Negativo Apenas LU torna-se ativa
Interruptor Contato-S Positivo Apenas LU torna-se ativa

Interruptor de bloqueio da Circuito Aberto Constellation/ LU torna-se ativa. Painel


cabine Negativo Worker e Delivery de instrum. apenas operação
reduzida

Condição de reativação
O sistema é reativado do modo de suspensão se pelo menos um dos pinos de entrada de reativação
receber o sinal descrito na tabela acima.

Condição de desativação
O sistema é desativado se todas as condições abaixo forem satisfeitas:
- Entrada do Terminal 15: não ativa;
- Entrada do interruptor Alerta: não ativa;
- Entrada do contato da porta: não ativa;
- Entrada do interruptor do Terminal 58: não ativa;
- Nenhuma saída ativa;
- Entrada do Contato-S (chave comutadora de partida): não ativa;
- Entrada do interruptor de bloqueio da cabine: não ativa.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 7


Reativação/desativação do Painel de Instrumentos
Se o Terminal 15 estiver desligado, mesmo que algumas funções ou entradas de reativação estejam
ativas, o Painel de Instrumentos não irá operar. Porém, com a seguinte exceção:

- Se o indicador de Alerta estiver ativado: O Painel de Instrumentos permanece/torna-se ativo,


com a ativação das luzes indicadoras de direção;

- Se KL58 estiver ativado: O Painel de Instrumentos permanece/torna-se ativo, com a ativação da


iluminação do painel e do display do painel;

- Se o interruptor de bloqueio da cabine estiver ativado: O Painel de Instrumentos permanece/


torna-se ativo, com a ativação da luz de advertência de bloqueio da cabine.

8
Prioridade de erros e alertas

• Prioridade 1 “Parar”:
- A luz permanece acesa enquanto o erro existir;
- A luz de controle específica do equipamento permanece acesa enquanto o erro existir;
- Alarme específico.

• Prioridade 2 “Advertência”:

- A luz permanece acesa enquanto o erro existir;


- A luz de controle específica do equipamento permanece acesa enquanto o erro existir;
- Alarme específico.

• Prioridade 3 “Manutenção”:
- A luz de controle específica do equipamento permanece acesa enquanto o erro existir;
- Alarme específico.

Prioridade 1

Advertência
Prioridade 2

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 9


TABELA DE PINOS

Entradas e saídas do sistema


Entradas

P.Instrum.
Item

Designação da entrada Espec. Volt Tipo Contato Ativação Observação

LU
para seleção
1 Interruptor Menu (visor) Digital 24 V Sinal alto NA Push Button x
de menu

2 Compressor do ar condicionado Digital 24 V Sinal alto NA Interruptor x


Sinal alto
3 Terminal 15 Digital 24 V NA Interruptor x
(ativação)
Sinal baixo
4 Interruptor luz da cabine Digital GND NA Push Button x
(ativação)

5 Interruptor de posição Neutro Digital GND Sinal baixo NA Interruptor x

Sensor de líquido de arrefecimento Analog


6 (baixo) - 0-560k ohms - - x

Sensor de líquido de arrefecimento Analog 0-560k ohms x


7 (baixo) - - -

8 Sensor de líquido de arrefecimento Analog - 0-560k ohms - - x


(vazio)

9 Sensor de líquido de arrefecimento Analog - 0-560k ohms - - x


(vazio)

10 Buzina Digital GND Sinal baixo NA Interruptor x

Interrupt. Eixo de 2 velocidades / Digital GND Sinal baixo NA Interruptor x


11 Super-reduzida / GV
Relacionado à
segurança.
12 Interrupt. Eixo de 2 velocidades / Digital GND Sinal baixo NF Interruptor x
Super-reduzida / GV

13 Indicador de direção (lado direito) Digital GND Sinal baixo NA Interruptor x

14 Interrupt. levantamento eixo auxiliar Digital GND Sinal baixo NA Push Button x

15 Interrupt. inferior pedal embreagem Digital GND Sinal baixo NA Interruptor x

16 Entrada Interrupt. sensor PTO Digital GND Sinal baixo NA Interruptor Aterrado = On x
(Basculante)

17 Terminal 56A; Farol alto Digital 24 V Sinal alto NA Interruptor Vbat = On x

2 interruptores
18 Interrupt. contato porta Digital GND Sinal baixo NA Interruptor em paralelo x
(ativação)
(DD+PD)

Obs.: Sinal alto = Positivo;


Sinal baixo = Negativo;
Digital = Ligado/Desligado;
Analog = Tensão Variável;
GND = Negativo;
OC = Circuito aberto;
SC = Curto circuito.

10
P.Instrum.
Item

Designação da entrada Espec. Volt Tipo Contato Ativação Observação

LU
19 Entrada Terminal 58D - Iluminação Analog 24 V Frequência - - 70Hz PWM x

20 Motor do limpador (intervalo, Digital 24 V Sinal alto NA Interruptor x


interruptor)

21 Bomba do lavador Digital 24 V Sinal alto NA Interruptor x

Deve ser
considerada
fonte de
Sinal baixo alimentação
22 Interruptor alerta Digital GND NA Interruptor independente x
(ativação)
devido ao
interruptor
da bateria
principal.
Sinal baixo
23 Interrupt. bloqueio cabine Digital GND NF Interruptor x
(ativação)

24 Sensor filtro de ar (com diagnóstico) Analog GND - - - x

25 Indicador de direção (lado esquerdo) Digital GND Sinal baixo NA Interruptor x

26 Interrup. faixa 1 Digital GND Sinal baixo NA Interruptor x

27 Interrup. faixa 2 Digital GND Sinal baixo NF Interruptor Relacionado à x


segurança.
Sinal baixo/
28 Interrup. Bloqueio Inter/Diferencial Digital GND NA Push Button x
Sinal alto

29 Interrup. ativado pela PTO Digital GND Sinal baixo NA Push Button x

30 Sensor de nível do combustível Analog - 0 - 88 ohms - - x

31 Pressão do freio 2 (secundário) Analog - 0-5V - - x

32 Pressão do freio 1 (primário) Analog - 0-5V - - x

Vbat =
Alternador
ligado (BOSCH)
GND= Parado
33 Controle do alternador Digital 24 V - - - (BOSCH) x
OC = Alternador
ligado (DELCO)
GND = Parado
(DELCO)

34 ABS do reboque Digital GND Sinal baixo NF - x

35 Contato-S Digital 24 V Sinal alto NF Interruptor x

Obs.: Digital = Ligado/Desligado;


Analog = Tensão Variável;
GND = Negativo;
OC = Circuito aberto;
SC = Curto circuito.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 11


Saídas

As falhas de circuito aberto e de circuito fechado são detectadas em todas as saídas, exceto em
condições de restrição específicas.
No caso de falha de curto-circuito em uma saída, a mesma é desativada para proteger os
componentes, e uma nova tentativa de reativação da saída é feita a cada 10 segundos.

Detecção OC

Detecção SC
Solenoide

P.Instrum.
(Diode)
Item

LU
Designação da saída Sinal AMP Observação

1 Indicador esquerdo do reboque Não comutado x x x 4,25 x

2 Indicador direito do reboque Não comutado x x x 4,25 x

3 Bomba do lavador Não comutado NA x 2,65 x

4 Buzina Não comutado x x x 2,5 (24 V) x

5 Compressor do ar condicionado Não comutado NA x x 1,7 x

6 Referência com o massa dos sensores Comutado - - 0,5 x


de pressão

7 Válvula do eixo auxiliar de levantamento Comutado x x x 0,6 x

8 Indicador dianteiro esquerdo Não comutado x x 0,9 x

9 Saída da válvula da PTO Comutado x x x 0,6 x

10 Indicador traseiro esquerdo Não comutado x x 0,9 x


Relacionado
11 Válvula de intervalo Comutado x x x 0,6 x
à segurança
Intervalo
12 Saída do motor do limpador (intervalo) Comutado x x x 0,1 do limpador x
acionado via
Rede CAN

13 LED indicador do interruptor de perigo Digital x x 0,05 x

14 Alimentação dos sensores de pressão do freio Comutado x x 0,03 x


Diretamente
15 Fonte de alim. do painel de instrum. Comutado - - 2 x
do P. Instrum.
Diretamente
16 Massa do painel de instrum. Comutado - - 2 x
do P. Instrum.

12
Detecção OC

Detecção SC
Solenoide

P.Instrum.
(Diode)
Item

LU
Designação da saída Sinal AMP Observação

17 Válvula Consep / bloqueio do interdiferencial Comutado x x x 0,6 x

18 Indicador traseiro / direito Não comutado x x 0,9 x

19 Indicador dianteiro traseiro Não comutado x x 0,9 x


Relacionado
20 Eixo de duas velocidades / Válvula do Spliter Comutado x x x 0,6 à segurança
x

21 Freio inercial / Válvula de bloqueio de marcha Comutado x x x 0,6 x

22 Saída Terminal 58D / Dimmer 0-12 V x x 1 Sempre 12 V x

23 Indicador do lado esquerdo Não comutado x x 0,9 x

24 Indicador do lado direito Não comutado x x 0,9 x


Provisão
25 Válvula da bomba de combustível Comutado x x x 1 (motor x
mecânico)

26 Referência com o massa do sensor de rotação Comutado x x 0,03 x

27 Alimentação do sensor de rotação Comutado x x 0,03 x

Provisão
28 Válvula de corte / KSB Comutado x x x 1 (motor x
mecânico)
Diretamente
29 Válvula de bloqueio do diferencial Comutado x x x 0,6 x
do P. Instrum.
Atuador de bloqueio da porta, lado do Não comutado x x x 2,5 x
30 motorista
Atuador de bloqueio da porta, lado do Não comutado x x x 2,5 x
31 motorista
Atuador de bloqueio da porta, lado do Não comutado x x x 2,5 x
32 passageiro

33 Atuador de bloqueio da porta, lado do


passageiro
Não comutado x x x 2,5 x

Motor do levantador da janela, lado do Não comutado x x x 6,7 Pico +/- 13A x
34 passageiro
Motor do levantador da janela, lado do Não comutado x x x 6,7 Pico +/- 13A x
35 passageiro
Motor do levantador da janela, lado do Não comutado x x x 6,7 Pico +/- 13A x
36 motorista
Motor do levantador da janela, lado do Não comutado x x x 6,7 Pico +/- 13A x
37 motorista

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 13


Detecção OC

Detecção SC
Solenoide

P.Instrum.
(Diode)
Item

LU
Designação da saída Sinal AMP Observação

38 PREENCHIDO Comutado x x 0,5 Sobressalente x

Sobressalente/
39 Válvula do freio motor Comutado x x x 0,6 x
motor mecânico

40 Não definido Comutado x x 0,6 Sobressalente x

41 Não definido Comutado x x 0,6 Sobressalente x

42 Não definido Comutado x x 0,6 Sobressalente x

43 Não definido Comutado x x 2,7 Sobressalente x

44 Não definido Comutado x x 2,7 Sobressalente x

45 Não definido Comutado x x 2,7 Sobressalente x

46 Não definido Comutado x x 2,7 Sobressalente x

47 Não definido Comutado x x 1,5 Sobressalente x

48 Não definido Comutado x x 1,5 Sobressalente x

49 Sinal PWM de rotação (B6/B7 Tacom.) - Comutado x x 0,5 Sem tacógrafo x


Avaliar pino B8 também

50 Válvula antiderrapagem / Saída inibição


abertura da porta
Comutado x x x 0,6 x

51 Referência de massa do sensor de nível do Comutado - - -- x


combustível

14
Linhas de alimentação e comunicação

Designação dos pinos Sinal

Terminal 30
Fonte de alimentação
Terra

P.Instrum.
Designação dos pinos Sinal

LU
CAN-alta
I-CAN x x
CAN-baixa

CAN-alta
P-CAN x x
CAN-baixa

CAN-alta
D-CAN x
CAN-baixa

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 15


VOLKSBUS ISL E D08

VOLKSBUS ISF E DELIVERY

16
CONSTELLATION

VOLKSBUS ISL E D08

VOLKSBUS ISF E DELIVERY

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 17


CONSTELLATION

Comunicação via Rede CAN e diagnóstico

O sistema possui 3 Redes CAN:

• A Rede I-CAN é usada para os instrumentos;

• A Rede P-CAN é usada para troca de informações com os módulos relacionadas ao Trem de
força, ECM, ABS, Caixa de Câmbio Automática, Retardador, ECAS etc.;

• A Rede D-CAN é usada para a comunicação com ferramentas de diagnóstico.

Rede de aplicativos J1939

Gerenciamento da rede:

O LU monitora cada nó da Rede CAN. O monitoramento é feito apenas quando o terminal 15


encontra-se ativo. Cada nó pode ter 3 estados (Normal, Advertência e Nível de erro). O tempo para
atingir o nível de erro é normalizado para 2 segundos para tolerar a reinicialização ou o reinício de
cada nó.

18
Detecção de Entradas e Falhas

Entradas Digitais
O tempo de filtragem padrão é 100 ms. Isso significa que a entrada deve permanecer estável por
pelo menos 100 ms para validar o estado da nova entrada.

Entradas analógicas
O tempo de filtragem será especificado para cada entrada.

A todas as detecções de falha


O tempo de filtragem padrão é 150 ms. Isso significa que uma falha deve estar ativa durante pelo
menos 150 ms para ser validada.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 19


SINALIZAÇÃO

Alerta

• Quando a entrada de Alerta estiver ativada:

- Qualquer que seja o estado da ignição, os indicadores esquerdo


e direito são ativados, simultaneamente.
Interruptor alerta

VOLKSBUS ISL, D08 E ISF

20
Sinalização - Alerta / Mudança de direção

Descrição
Para executar esta função, a LU verifica o estado da entrada e, dependendo da mesma, controla a
saída e envia pacotes de dados na Rede I-CAN para o Painel de Instrumentos.

Frequência de saída
• Todas as saídas esquerdas/direitas piscarão a uma frequência de 1,1 Hz ± 10%. O ciclo de
serviço é 50% e o nível alto é 450ms ± 10%. O alarme sonoro terá som característico sempre que
o indicador for ligado ou desligado. Se o reboque estiver conectado, a luz do indicador de reboque
acenderá em modo intermitente.

Gerenciamento de erros
• Se qualquer saída do indicador do caminhão ou do reboque estiver com falha (lâmpada
queimada):
- A taxa de intermitência do indicador é dobrada (2,2 Hz, ciclo de serviço de 50%) quando
os indicadores são ligados. O som de ativação (“click”) e os sinais de direção do Painel de
Instrumentos também são dobrados.

Interface com o exterior

Nome Característica Lâmpada Local

Estado ON: 24 V
Saída Alerta LU
Estado OFF: 0

Pisca esquerdo P. Instrum.

Pisca direito P. Instrum.

Pisca do reboque P. Instrum.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 21


VOLKSBUS ISL E D08

22
VOLKSBUS ISF

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 23


DELIVERY ISF

24
CONSTELLATION

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 25


Luz de posição ligada (Linha 58d - Iluminação do painel)
• Aquisição: Período diurno/ Períodonoturno:
- Ciclo de serviço da entrada do Term58d = 0% Período diurno;
- Ciclo de serviço da entrada do Term58d = 0% Período noturno.

Tela do display

– A intensidade luminosa do display é controlada pelo fotosensor (Painel High Line).

Aviso ‘‘Lâmpadas desligadas!’’

• Se o ciclo de serviço da entrada do terminal 58d = 0%, Kl.15 estiver desligado e se a porta estiver
aberta, será ativado um sinal sonoro para alertar o condutor;

• Quando o ciclo de serviço da entrada for = 0% o som deve ser desativado.

Interface com o exterior

Nome Característica Lâmpada Local

Entrada (tensão)
Faixa: [0 V - 24 V] NA P. Instrum.
Entrada Term. 58D Filtro: Aplicar filtro passagem baixa
com Fc = 1Hz
Saída (tensão)
Faixa: [0 V - 12 V] NA P. Instrum.
Saída 58D Filtro: Aplicar filtro passagem baixa
com Fc

Iluminação tacógrafo Informações Rede CAN LU

26
Farol alto (56a):

Descrição
A luz de advertência de farol alto no Painel de Instrumentos permanece ligada (ON) enquanto a
entrada de farol alto estiver ativa.

CONSTELLATION

VOLKSBUS

Interface com o exterior

Nome Característica Lâmpada Local

Entrada farol alto: Term. 56a Interruptor 24 V P. Instrum.

Luz farol alto P. Instrum.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 27


MOTOR

Rotação do motor
• A rotação do motor é lida na CAN (através do módulo de gerenciamento do motor) e exibida no
indicador de rotações;

Gerenciamento de erros
• Se as informações de rotação do motor não forem mais recebidas:
- A rotação é ajustada em 0;
- Uma falha é informada ao motorista, juntamente com a luz de advertência;

• Se o ECM enviar informações de sobrerrotação do motor:


- O alarme sonoro no Painel de Instrumentos soa e a luz de advertência do freio motor pisca a
- - uma frequência de 1 Hz, 50% do ciclo de serviço enquanto a sobrerrotação do motor estiver ativa.

Painel Constellation Painel Delivery

28
Controle de carga do alternador

Função nominal
• A luz de advertência do alternador permanece ligada (ON) enquanto o alternador não estiver
carregando.

Gerenciamento de erros
• No modo de funcionamento do motor ou no modo de condução, se o alternador estiver desligado e
se a rotação do motor for maior que 400 rpm durante 5 segundos:
- O alternador está defeituoso;
- Uma falha do alternador será armazenada;
- Um alerta é informado ao motorista.

CONSTELLATION

DELIVERY

VOLKSBUS ISL E D08

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 29


Temperatura do líquido de arrefecimento

Função Nominal

Os parâmetros citados abaixo são usados para definir a resposta do


indicador de temperatura:

- Entre T1 e T2 a oscilação da saída permanece na faixa intermediária


- - da escala a 50%;
- T red marca o início da área vermelha;
- O início da escala do indicador é fixado em 50 °C.

Temperatura do líquido de arrefecimento [oC]

• Se a temperatura estiver acima de Tred, é mostrado uma advertência.

30
Marcador de temperatura do motor

Gerenciamento de erros
• Se as informações da CAN não mais forem lidas:
- O indicador de temperatura do líquido de arrefecimento é ajustado em 0;
- Uma falha é informada ao motorista.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 31


Nível do líquido de arrefecimento

Função Nominal
Existem 2 sensores de nível do líquido de arrefecimento conectados à LU.

1 O sensor de nível ‘baixo’ é montado em uma posição intermediária no reservatório e conforme o


nível do líquido associa-se a uma advertência no Painel de Instrumentos: “nível baixo do líquido de
arrefecimento”;

2 O sensor de nível ‘vazio’ é instalado logo abaixo do reservatório, de modo que um alerta de ‘vazio’
possa ser emitido para a ECM do motor para fins de despotenciamento e proteção.

CONSTELLATION

VOLKSBUS ISL E D08

32
VOLKSBUS ISF E DELIVERY

No caso de danos em alguma mangueira do sistema de arrefecimento do motor, causados


por alta pressão e/ou uma taxa muito elevada de fluxo da bomba do líquido de arrefecimento,
a água pode sair do sistema em poucos segundos. Nesses casos, o motor deve ser
despotenciado muito rapidamente, o que significa que as informações, especialmente de
um reservatório do líquido de arrefecimento vazio, devem estar disponíveis em frações
de um segundo.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 33


Leitura da condição do sensor de nível baixo

Função nominal
A leitura do sensor de nível baixo deve ser feita somente quando a rotação do motor é inferior a
1600 rpm.

Se a rotação do motor for maior ou igual a 1600 rpm, somente o sensor de nível vazio deverá ser
considerado.

Gerenciamento de erros
Para cada sensor existe um SPN separado para emitir alertas do sensor para o estado normal ou
defeituoso.
SPN = 1880 utilizado para o sensor de nível baixo,
SPN = 1881 para o sensor de reservatório vazio.

Os FMI’s são os mesmos para os dois sensores, exceto nas seguintes situações:

1) Se o sensor de nível baixo ativo, sem água é utilizado o FMI = 18 (“abaixo do


normal, nível moderadamente severo”);

2) Se o sensor de nível Vazio estiver ativo, sem água, é utilizado o FMI = 1 (“abaixo do
normal, nível mais severo”);

3) Aceitabilidade: A partir da combinação dos estados dos sensores de níveis ‘Baixo’ e ‘Vazio’, é
executada uma aceitabilidade para fins de diagnóstico:
• Se o sensor de nível baixo estiver inativo, mas o sensor de nível vazio estiver ativo, os valores
detectados não serão aceitáveis, devendo existir um problema no sistema. O sensor de nível baixo
pode estar preso devido a: sujeira, sensor defeituoso ou, os fios em curto, com o reservatório do
líquido de arrefecimento vazio.
Por outro lado, o interruptor do sensor de nível vazio pode estar danificado com o nível do líquido de
arrefecimento acima da posição ‘baixa’.

34
Combustível

Função Nominal

• A informação de nível do combustível é lida a partir de uma entrada e exibida em um indicador. Se


o nível do combustível estiver abaixo do valor do parâmetro, a luz de advertência de nível baixo é
acesa.

CONSTELLATION

DELIVERY

VOLKSBUS ISL E D08

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 35


Medição de combustível
Nível do combustível (%)

Impedância do sensor (W)

36
Pressão do óleo

Função Nominal
• É aplicada uma correção da pressão para estabilizar a leitura do indicador quando a pressão se
encontra dentro da faixa especificada. Os parâmetros citados abaixo são usados para definir a
resposta dinâmica do indicador de pressão;

• Entre P1 e P2, a oscilação de saída permanece em um valor da escala fixa;

• A área vermelha é definida entre 0 e Pred;

• O início da escala do indicador é fixado em 0 bar. A pressão correspondente ao final da escala é


determinada pelo parâmetro Pend;

• A informação sobre a pressão do óleo é enviada pelo ECM do motor.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 37


Curva de resposta dinâmica da pressão
Diagrama alterado com parâmetros (parâmetros na cor azul)
Indicador: Leitura (%)

Pressão de óleo (bar)

Se estiver equipado com freio hidráulico, o veículo terá um Painel de Instrumentos


específico. Nesse Painel de Instrumentos específico, a luz de advertência de
pressão do óleo não é dada pelo ponteiro do indicador, mas por um mostrador instalado
sob o ícone do indicador esquerdo.

38
Gerenciamento de erros
• Se a pressão do óleo assumir valores abaixo de Pred, a LU aguarda um tempo e, depois disso, se a
pressão ainda for menor que o valor do parâmetro Pred, a luz de advertência será ativada.

Água no combustível

Função Nominal
- A informação de presença de água no combustível é lida a partir dos dados da CAN e, durante sua

ocorrência, a luz de advertência de água no combustível é ativada.

Filtro de combustível

Descrição
Com esta função, a LU verifica se existe alguma restrição no sistema de fluxo de combustível.

CONSTELLATION

Constellation

DELIVERY

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 39


VOLKSBUS ISL E D08

Função Nominal

• Se o status do sensor for ‘fechado’ (aterrado), a LU mantém a luz de advertência do filtro de


combustível apagada no Painel de Instrumentos;

• Se o status do sensor for ‘aberto’, a LU aguarda por um tempo, e, se não houver alteração no
status do sensor durante esse tempo (o sensor foi mantido aberto), a luz de advertência do filtro de
combustível é acesa no Painel de Instrumentos, e permanece acesa até Kl.15 ser desativado.

Quando o sistema entra no modo de ignição novamente, a LU tem de verificar a entrada


normalmente.

Se a LU detectar qualquer alteração no status do sensor (o sensor foi fechado para o massa
novamente), a indicação é apagada e reinicia quando o sensor for aberto novamente.

Se a entrada Filtro de Combustível estiver ativa, a luz de advertência do filtro de


combustível é ativada.

Temporizador do filtro de combustível

Sempre que valida uma restrição no fluxo de combustível (via entrada do sensor do
filtro de combustível), a LU começa a atualizar um contador de tempo “Temporizador
de status ativo do filtro de combustível” que indicará a quantidade de horas em que o
veículo foi mantido nessa condição.

O contador continua sendo atualizado enquanto o filtro de combustível estiver


“saturado”. Se o status passar para “não saturado”, o contador deixa de ser atualizado,
mas mantém seu último valor.

40
Filtro de ar

Função Nominal

• Se a entrada do filtro de ar estiver ativa, a luz de advertência do filtro de ar será ativada e


permanecerá acesa até Kl.15 ser desativado. Quando entrar novamente no modo de ignição,
a LU deverá verificar a entrada normalmente.

CONSTELLATION

DELIVERY

VOLKSBUS ISL E D08

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 41


Manutenção
Esta função indica ao condutor se é necessária a manutenção de algum componente do veículo.

• Se o valor de quilômetros restantes para manutenção atingir zero ou um valor negativo, a luz de
manutenção é ativada.

Painel Low Line Painel High Line

42
Quilômetros restantes para manutenção

Descrição

Esta função mostra a distância que o veículo pode percorrer antes da próxima inspeção de
manutenção. Se a inspeção de manutenção for excedida, será mostrada uma distância negativa no
visor.

Função Nominal

• O valor de Km restantes para manutenção é carregado da EEPROM na partida inicial e usado


como uma variável pelo sistema da LU para calcular o novo valor;

• A LU atualiza o valor de Km restantes para manutenção subtraindo a distância total percorrida


pelo veículo;

• Sempre que for selecionada a página de menu correspondente, o valor desta variável é mostrado
para o motorista (Painel de Instrumentos High Line);

• A Faixa de km restantes para manutenção é - 99999 a 999999 Km;

• A reinicialização/atualização dessa informação é feita com as ferramentas VCO-950 e MCO-08,


regravando o parâmetro Km restantes para manutenção.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 43


Total de horas de operação do motor

Descrição

Esta função mostra a informação do total de horas de operação do motor no Painel de Instrumentos
High line, se a respectiva página de menu for mostrada.

Funções Nominal

• Sempre que for selecionada a página de menu correspondente, o total de horas de operação do
motor é mostrado no Painel de Instrumentos;

• Se o valor de horas recebido exceder 99999 hs, o dígito mais significativo deverá ser substituído
por um ponto para indicar estouro;

• Apenas o valor cheio do total de horas é mostrado.

44
Ar-condicionado

Função nominal
• A saída do compressor do ar-condicionado é ativada quando o interruptor de entrada do
compressor está ativo e a temperatura do motor é menor que 102 oC;

• A saída do compressor do ar-condicionado é desativada quando o interruptor de entrada do


compressor não está ativo ou a temperatura do motor é maior que 102 oC.

Compressor
ar-condicionado

Parada de hélice

Descrição

Esta função é usada para mostrar o status da hélice do motor.

Função nominal
O status da Parada de hélice é lido a partir de uma entrada digital.

Se a entrada de parada de hélice for Ativa (Entrada=GND):

• A luz de advertência é ativada;

• Se o motor estiver funcionando, será gerada uma falha.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 45


Indicação do nível de ARLA 32

Esta função mostra o nível de ARLA 32.

Existem quatro LEDs para indicar o nível de ARLA 32.

• O primeiro LED acende para valores maiores que 12% do Nível de ARLA 32 e para valores
iguais ou menores que 25%;

• O segundo LED acende para valores acima de 25% e iguais ou menores que 50%;

• O terceiro LED acende para valores acima de 50% e iguais ou menores que 75%;

• O quarto LED acende para valores acima de 75% e iguais ou menores que 100%.

Para níveis iguais ou menores que 12 % de Nível de ARLA 32 e maiores que 6 % de Nível de ARLA
32, o primeiro LED irá piscar a uma frequência de 1 Hz.
• O primeiro LED permanece em modo intermitente até o nível atingir valores acima de 18 % de
de nível de ARLA 32 o que, quando ocorrer, acionará novamente o primeiro LED.

Para valores de nível iguais ou menores que 6 % de Nível de ARLA 32, o primeiro LED será
desligado.
• O primeiro LED deve ficar apagado até o nível atingir valores acima de 12 % de Nível de ARLA 32
o que, quando ocorrer, acionará novamente o primeiro LED.

46
Indicação de proteção da embreagem
Se o motorista mantiver o pedal da embreagem pressionado por um tempo
excessivo, o ECM gera um sinal de advertência para aumentar a vida útil do
sistema da embreagem.

Ex: quando o motorista “descansa” o pé sobre o pedal da embreagem por mais


de 20 segundos com a velocidade do veículo acima de 10 km/h.

Advertência de inibição do movimento do veículo

Descrição
O ECM desativa o pedal do acelerador se o motorista tentar colocar o veículo em movimento usando
marchas diferentes da 1ª e da marcha à ré.
O ECM verifica também o funcionamento dos sensores de 1ª marcha, marcha à ré e neutra. Com
estas funções, a LU informa ao motorista sobre a ação incorreta e/ou o status incorreto dos sensores.

Função Nominal
Indicação ao motorista caso o pedal acelerador seja desativado devido a mau uso. Ex: caso o
motorista queira colocar o veículo em movimento em marchas diferentes de 1ª ou Ré.

Caso o motorista engate marchas diferentes de 1ª (ou ré), para V= 0 km/h , o sistema
inibe o acionamento do acelerador, quando ocorrer esse diagnóstico, inibindo o
movimento do veículo.
O Computador de Bordo registrará o ocorrido. CHECK GEAR

V=0Km/h

Caso o motorista queira colocar o veículo em movimento em marchas diferentes de


1ª (ou ré), VELOCIDADE DIFERENTE de 0 km/h o sistema inibe o acionamento do
acelerador, quando ocorrer esse diagnóstico, inibindo o movimento do veículo.
O Computador de Bordo registrará o ocorrido. WRONG GEAR.

V>0Km/h

Esta função é habilitada conforme aplicação do veículo.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 47


Condição de neutro

Descrição
Com esta função, a LU envia ao barramento da CAN a informação do status de Neutro.

VOLKSBUS ISL E D08

48
CHASSI E TREM DE FORÇA

Bloqueio do interdiferencial

Descrição

Ativação/desativação da válvula, e controle:


- O bloqueio do interdiferencial é ativado pressionando o interruptor por um tempo maior que
2 segundos. O recurso é desativado quando pressiona-se novamente o botão;

- Entretanto, o bloqueio é permitido apenas se a velocidade do veículo for menor que 6 km/h.
Uma vez bloqueada, a válvula do interdiferencial poderá ser desbloqueada manualmente em
qualquer velocidade;

- Enquanto a válvula for atuada, a luz permanecerá acesa.


• Se uma falha for detectada na saída:
- É registrado um código de defeito;

- Um alerta é informado ao motorista.

• Se a saída da válvula for ativada e a velocidade do veículo for maior que 6 km/h:

- Um alerta é informado ao motorista.

Como o sistema de bloqueio do interdiferencial não possui um interruptor de confirmação, a


luz de advertência deste bloqueio deve basear-se no status de ativação da saída da válvula.

O bloqueio interdiferencial tem prioridade sobre o bloqueio diferencial.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 49


UNIDADE
LÓGICA

Bloqueio do diferencial
Descrição
• A ativação do interruptor de bloqueio do diferencial é possível apenas quando a velocidade do
veículo é menor 6 km/h. Depois de ativado, o recurso pode ser desativado manualmente em
qualquer velocidade.

Para veículos 6x4 com bloqueio diferencial e interdiferencial:


• A LU deve controlar as válvulas de bloqueio do diferencial e do interdiferencial, de acordo com
a lógica descrita no diagrama. Quando o bloqueio do diferencial é ativado, interdiferencial também
é ativado.

50
• Ativação/desativação da válvula, e luz de controle:

- A válvula de bloqueio do diferencial é ativada pressionando o interruptor por um tempo maior


que 2 segundos quando a velocidade do veículo é menor que 6 km/h e o interruptor GP está
fechado;

- A válvula de bloqueio do diferencial é desativada pressionando o interruptor por um tempo


maior que 2 segundos em qualquer velocidade ou quando o interruptor GP está aberto ou
quando a velocidade for maior que 40 km/h;

- A posição real (bloqueado/desbloqueado) é lida a partir da entrada do interruptor: apenas se o


- interruptor estiver fechado, o bloqueio do diferencial será considerado bloqueado (Interruptor
de confirmação ao engate, presente no eixo);

- Quando a válvula está ativada e o bloqueio do diferencial ainda não estiver totalmente
- bloqueado, a luz de advertência pisca;

Interruptor
bloqueio do
diferencial

Válvula de
bloqueio do
diferencial
Interruptor
Interruptor de GP
posição do
bloqueio do KL31
diferencial

KL31 - LU

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 51


Gerenciamento de erros
• Se a entrada do interruptor de posição do bloqueio do diferencial for “Fechado” (ativado) e a
válvula estiver desativada quando a velocidade do veículo for maior que 6 km/h, ocorre:

- Um código Saída da válvula de bloqueio do diferencial será registrado;


- Uma falha é informada ao motorista;
- A luz de advertência do bloqueio do diferencial pisca.

• Se uma falha de curto a massa (-) ou uma falha de circuito aberto for detectada na saída:
- Um código saída da válvula de bloqueio do diferencial é registrado (relacionado à falha);
- Uma falha é informada ao motorista.

(Bloqueio transversal)
UNIDADE
LÓGICA

E-Rack G Linha 31 Válvula solenóide


do bloqueio do diferencial
Chassi
Diodo

52
Elevação do eixo auxiliar

Descrição
• Ativação/desativação da válvula, e luz de controle.
- O eixo auxiliar é levantado pressionando-se o interruptor por um tempo maior que 2 segundos.

• O eixo é liberado para baixo pressionando-se novamente o interruptor.


- Entretanto, essa ação de comutação é permitida somente se a velocidade do veículo for menor que 6
km/h.

• Se a velocidade do veículo for maior, o estado de saída será alterado.


- A saída da válvula do eixo auxiliar é ativada ou desativada de acordo com o estado do eixo
auxiliar:
- Se o estado for ‘para baixo’, a saída é desativada, resultando em uma válvula aberta, e na
condição eixo = para baixo;
- Se o estado for ‘para cima’, a saída é ativada, resultando em uma válvula fechada, e na
condição eixo = para cima.

• Enquanto o estado for ‘para cima’, a luz indicadora permanece acesa.

Gerenciamento de erros
• Se uma falha for detectada na saída:
- Um código Saída da válvula do eixo auxiliar é registrado;
- Uma falha é informada ao motorista.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 53


Antiderrapagem
A principal função do recurso antiderrapagem é aplicar mais peso de carga no eixo de tração.

Descrição

Válvula de ativação/desativação antiderrapagem


Para ativação do sistema, o eixo auxiliar deve estar na posição para baixo e o interruptor de
antiderrapagem pressionado por mais de 3 segundos.

O sistema é desativado quando:

- O interruptor de antiderrapagem for pressionado por mais de 3 segundos;


- O sistema de elevação do eixo auxiliar for ativado (interruptor 100%).

Quando a válvula de antiderrapagem está Ativada, a luz indicadora de levantamento do eixo


auxiliar deve piscar.
• Se a válvula de antiderrapagem estiver ativada e o interruptor for pressionado por um tempo
maior que 3 segundos, ou for ativado o sistema de levantamento do eixo auxiliar (100%), a válvula
de anti-derrapagem é desativada.

Observação:
• A função levantamento do eixo auxiliar tem prioridade sobre a antiderrapagem.

54
Temporizador
• Se a válvula de antiderrapagem estiver ativada a velocidade do veículo for maior que 30 km/h, o
temporizador de 120 segundos deve ser ativado;

• Se o veículo ultrapassar 120 segundos com velocidade acima de 30 km/h, o eixo é abaixado;

• Caso o veículo retorne com sua velocidade abaixo de 30 km/h, o sistema torna-se ativo novamente,
e o cronometro é zerado.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 55


Eixo de 2 velocidades

Descrição

O interruptor da manopla da alavanca de mudanças de marcha é usado para ativar ou desativar a


válvula solenoide, e a luz de advertência no Painel de Instrumentos é usada para indicar quando o
sistema está ativado.

A ilustração abaixo mostra a correspondência entre a Entrada e a Saída 1,2.

KL 31 - LU

Interruptor da manopla
Alta

Baixa
Saída 1
Saída 2

Interruptor
instalado
no eixo

KL 31

56
Desenvolvimento da Rede - Treinamento 57
Função

Caminhão basculante

Descrição da instalação

O parâmetro “sensor báscula” nas ferramentas de diagnóstico VCO-950 e MCO-08 determina se


esta função está habilitada ou não.

Esta função reflete apenas o estado da entrada do sensor (interruptor) de inclinação da plataforma
de um caminhão basculante para acionar a luz de advertência de báscula no Painel de Instrumentos,
e assim alertar o motorista enquanto a plataforma não estiver na posição horizontal.

Este parâmetro é parametrizável pelas ferramentas de diagnóstico VCO-950 e MCO-08.

58
PTO

Descrição
A função PTO incorpora uma grande variedade de aplicações nos veículos. Um conjunto de parâmetros
gerais permite que configurações especiais sejam adaptadas a esta função para as respectivas
aplicações.

- Para a PTO, existem duas entradas para controlar sua funcionalidade e uma saída:

Essas entradas e saída têm os seguintes nomes:

Novo nome Tipo Observações

O interruptor do piloto automático


“Interruptor de ativação da PTO” Entrada PTO reside no ECM, apenas para
controle de rotação.
Saída para controlar uma
Saída da “válvula PTO” Saída válvula relacionada à PTO
(ou dispositivo similar).

A funcionalidade conectada a
este sensor depende do tipo de
Entrada do “sensor báscula” Entrada aplicação da PTO.
Atualmente, apenas a função
basculante usa essa entrada.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 59


CONSTELLATION

DELIVERY

Na ECM do motor existe também um recurso chamado “modo PTO”.


Esse recurso, porém, não liga/desliga nenhum módulo/acessório físico de PTO.
A função apenas mantém a rotação do motor a um valor constante predefinido.

60
Piloto automático

Descrição

• O status do piloto automático é lido a partir dos dados da CAN, e a lâmpada indicadora
é ativada se o estado do interruptor de ativação do Piloto Automático for Ativado;

• O sistema é gerenciado pelo ECM do motor.

Partida remota

Descrição

A função Partida Remota é, na verdade, uma função da ECM do motor (ISL) e PTM (D08), mas que
requer o estado de alguns interruptores via rede CAN.

Função
A LU envia as seguintes informações (estados de interruptores) pelo barramento da CAN.

• Trava da cabine

CONSTELLATION

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 61


VOLKSBUS

• Estado neutro

Ativação da partida remota:

• Ativo, se a cabine estiver desbloqueada e a marcha Neutro estiver aplicada;


• Inativo, se a condição não for satisfeita.

Nos ônibis somente temos partida remota para os equipados com motor traseiro.

A informação de trava da cabine é disponibilizada na CAN para a liberação de funcionamento da


partida remota e proteção de não funcionamento.

62
Velocidade do veículo
A velocidade do veículo é fornecida pelo tacógrafo. Essa informação é mostrada no velocímetro do
Painel de Instrumentos.

Veículos sem tacógrafo


• O sensor de velocidade do veículo é conectado diretamente no painel de instrumentos e o painel
envia a informação através da CAN;

• A entrada “Eixo de duas velocidades” deve ser levada em conta no cálculo da velocidade do
veículo.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 63


Velocidade média (viagem)

Descrição
Esta função mostra a velocidade média desde a última reinicialização dos dados de viagem.

Função Nominal
• A velocidade do veículo é lida na rede CAN e mostrada no velocímetro do painel de Instrumentos;

• Sempre que, e enquanto a LU estiver no modo de condução, a velocidade média é calculada


dividindo-se a distância percorrida pelo tempo de viagem;

• A LU lê o tempo atual a partir da CAN e calcula a velocidade média (viagem) em uma variável
EPROM;

• O primeiro valor após a reinicialização da memória é calculado após uma distância máxima de
0,1 km e, no mínimo, após 1 segundo. Os novos cálculos subsequentes são informados a cada
5 segundos;

• O cálculo/armazenamento na EPROM é feito com uma resolução de valor de 0,5 km/h;

• Sempre que for selecionada a página de menu correspondente, o valor desta variável é mostrado
ao motorista no painel High Line;

• Quando uma reinicialização dos dados de viagem é solicitada pelo motorista, o valor é reajustado
para 0.

64
Distância total do veículo

Função Nominal
• Na inicialização, o valor na memória de distância total do veículo é comparado com as
informações atuais lidas de distância que está armazenada no tacógrafo. Se o valor na memória for
maior que o valor atual:

- A luz de advertência TCO é ativada;


- O código de falha do tacógrafo substituído é registrado;
- Um alerta é informado ao motorista;
- É mostrado “Erro” na tela de 7 segmentos.

• Após a comparação das informações de distância, a memória é atualizada apenas se o teste de


distância for aprovado (sem erros);
• No modo de ignição, de funcionamento do motor ou de condução, a distância total é lida a partir da
CAN e mostrada na tela de 7 segmentos (linha inferior);
• No modo normal, a distância total é lida a partir da memória EEPROM e é mostrada na tela de 7
segmentos (linha inferior);

A LU armazena sempre a kilometragem maior reconhecida. Não é possível retroceder


a kilometragem da LU.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 65


FREIO

Pressão do freio
Sensor 1 (primário)
Se a pressão for menor que 5,1 bar:
- A luz de advertência de pressão do freio é ativada;
- É gerada uma falha e uma notificação visual ao condutor.

Se a pressão for maior que 5,5 bar:


- A luz de advertência de pressão do freio é desligada (mas apenas se não houver uma condição
de ‘luz - ativada’ do sensor 2).

Sensor 2 (secundário)
Se a pressão for menor que 5,1 bar:
- A luz de advertência de pressão do freio é ativada;
- É gerada uma falha e uma notificação visual ao condutor.

Se a pressão for maior que 5,5 bar:


- A luz de advertência de pressão do freio é desligada (mas apenas se não houver uma condição
de ‘luz - ativada’ do sensor 1).

VOLKSBUS ISL E D08

66
VOLKSBUS ISF E DELIVERY

CONSTELLATION

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 67


Indicador

O indicador da pressão do freio mostra a menor pressão entre Pressão 1


e Pressão 2.
Tensão de entrada do sensor de pressão

Leitura da pressão no indicador

68
Tela de LCD de 7 segmentos
Para qualquer falha, é feita a distinção do circuito da pressão do freio no visor de 7 segmentos:

a) Problema no circuito 1;

b) problema no circuito 2;

c) problema em ambos os circuitos.

(a) (b) (c)

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 69


Nível do fluido de freio
Esta função é usada para mostrar o status do Nível do Fluido de Freio.
• O status do nível do fluido de freio é lido a partir de uma entrada digital;
• Se a entrada nível do fluido de freio estiver ativa (Entrada=GND).

A luz de advertência de nível do fluido de freio é ativada:


- Se o motor estiver funcionando e for ativada a entrada, será gerada uma notificação ao condutor
e armazenado um código de falha.

• Se o status da entrada nível do fluido de freio for Inativo, a luz de advertência de nível do fluido de
freio é desativada.

Nível do fluido do
freio hidráulico

Quando o veículo está equipado com freio hidráulico, o símbolo “Nível do fluido de freio”
acende no lugar do símbolo “Parada de hélice” (impressão específica do Painel de
Instrumentos.

70
Freio de estacionamento

Descrição
Com esta função, a LU mostra o status do interruptor do freio de estacionamento para o motorista.

• Durante a exibição das informações do freio de estacionamento na rede CAN, é mostrado o


símbolo freio de estacionamento;
• Se o condutor desligar o veículo sem aplicar o freio de estacionamento, será notificado através da
lâmpada indicadora e aviso sonoro.

Lembrete do freio de estacionamento:


Se o veículo estiver parado (Velocidade = 0 km/h), e KL15 estiver desativado, a LU verifica o último
estado das informações do freio de estacionamento no barramento da CAN, e se era [ATIVO], a LU
não executa nenhuma ação, mas, se o estado era [INATIVO], o motorista pode ter esquecido de
ativá-lo, e a LU executa as seguintes ações:

- Um alarme é informado ao motorista;


- A luz de advertência do freio de estacionamento pisca.

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 71


CONTROLE DA CABINE, POWER SAFE
E SEGURANÇA

Buzina

Descrição
A saída da buzina permanece ativada enquanto a entrada do interruptor da buzina estiver ativa.

CONSTELLATION

Volante

Positivo buzina
Linha 31 E-Rack F Buzina do veículo

VOLKSBUS

Trava da cabine
• Se a cabine estiver desbloqueada:
- A luz de advertência Bloqueio da cabine.

• Se a cabine estiver desbloqueada (interruptor do sensor aberto) e a porta estiver aberta:


- A luz de advertência Bloqueio da cabine é mostrada;
- A buzina pulsa a uma frequência de 0,5 H/50% do ciclo de serviço.

Neste modo, para desativar a buzina, a porta deve estar fechada, ou a cabine deve estar bloqueada,
ou o interruptor da buzina deve ser pressionado e liberado.

72
Descrição da função de bloqueio da cabine para veículos Delivery:

• Se a cabine estiver desbloqueada:

- A luz de advertência Bloqueio da cabine é mostrada.

• Se a cabine estiver desbloqueada (interruptor do sensor fechado) e a porta estiver aberta:

- A luz de advertência Bloqueio da cabine é mostrada;


- A buzina pulsa a uma frequência de 0,5 Hz/50% do ciclo de serviço.

Neste modo, para desativar a buzina, a porta deve estar fechada, ou a cabine deve estar bloqueada,
ou o interruptor da buzina deve ser pressionado e liberado.

CONSTELLATION

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 73


DELIVERY

74
Luz da cabine/luz das portas/contato das portas
• A entrada de contato da porta é uma entrada de ativação;

CONSTELLATION

DELIVERY

• A saída da luz da porta é ativada enquanto a porta for mantida aberta, mas é desligada após 10
minutos.

CONSTELLATION

DELIVERY

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 75


• Se a porta estiver fechada, a luz da porta é desligada:
• Quando é dada partida no motor;
• Após o tempo de 15 segundos;
• Se as portas estiverem travadas (variação intermediária).

Se o terminal 15 for desativado depois de o motor entrar no modo de funcionamento e o Contato-S


estiver desligado, a luz da porta sera ativada:

• Até a porta ser aberta. Em seguida, a função de luz da porta continua acesa;
• Se a porta não for aberta durante um tempo máximo de 15 segundos.

• Para cada acionamento do interruptor da luz da cabine, a luz da cabine alterna entre acesa e
apagada. O contato da porta, o Contato-S ou a partida do motor neste caso não têm impacto, isto
é, não desligam a luz da cabine;

• Mas se as portas forem travadas manualmente ou através da função de travamento automático


com base na velocidade do veículo, a luz da cabine não é desligada, o que significa que o
interruptor da luz da cabine tem prioridade. Mas após 10 minutos, a luz da porta é desligada.

76
Bloqueio das portas
• As entradas de trava das portas são entradas de ativação.

Condição de ativação:

Sempre que os dois interruptores estiverem em posições diferentes (isto é, girando-se a chave em
uma das posições de trava), um pulso de sinal baixo é mostrado no pino de ativação ‘lado motorista’
ou ‘lado passageiro’. Em qualquer caso, o circuito de detecção para ativar a LU será acionado.

CONSTELLATION

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 77


DELIVERY

78
Bloqueio do acelerador com porta aberta

Os pinos 1, 2, 3 e 4 são as entradas para indicar a posição das portas, ou seja, sempre que
um destes pinos estiver aterrado, o módulo (LU) entende que a porta está aberta e bloqueia o
acelerador.

O pino 5 sempre que o veículo estiver acima de 5 Km/h vamos ter 24V, abaixo de 5 Km/h temos
negativo .

VOLKSBUS

Exemplo de ligação

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 79


Solicitação de travamento/destravamento:

O travamento ou destravamento das portas é determinado a partir do estado de travamento anterior.


Se o estado anterior for ‘travada’, as portas serão destravadas, e vice versa.

A solicitação de travamento/destravamento ficará estável até a LU executar alguma ação e mudar as


travas para suas novas posições (desejadas).

Superaquecimento:
Após 4 operações completas de ativação/desativação (uma operação de travamento/destravamento
é uma comutação completa), haverá um intervalo de 1 minuto para esfriar. Após esse intervalo de 1
minuto, todas as portas serão destravadas e o sistema começará a operar normalmente.

80
Vidro elétrico
Descrição do interruptor:
- O interruptor do vidro esquerdo controla a janela do vidro elétrico do lado esquerdo do motorista;
- O interruptor do vidro elétrico direito e o interruptor do vidro elétrico esquerdo controlam a janela
lado do passageiro.

Quando ambos os interruptores estão ativos, o interruptor do vidro elétrico do lado esquerdo tem
prioridade.

Aquisição da posição dos interruptores:


- É medida a resistência de cada interruptor;
- A resistência do interruptor fornece sua posição de acordo com a tabela abaixo.

Posição Valor da resistência

Desativada Circuito aberto > 2 KΩ

Abrir 120 - 250 Ω

Fechar 800 - 1900 Ω

Curto com o massa 0 - 100 Ω

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 81


Comando da janela

Fechar
Enquanto o interruptor estiver na posição ‘fechar’, o motor é ativado para fechar as janelas. Se for
detectada a posição final ou o interruptor for liberado, o motor é desligado.

Abrir
Enquanto o interruptor estiver na posição ‘abrir’, o motor é ativado para abrir as janelas. Se for
detectada a posição final ou o interruptor for liberado, o motor é desligado.
- Desligado: O motor está desligado.

CONSTELLATION

Nos ônibus este recurso é utilizado para inibir a aceleração do motor quando o veículo
estiver com as portas abertas.

82
Limpador do parabrisa

Esta função controla apenas a função intermitente do limpador.

Função nominal
Enquanto a entrada do limpador for ‘ativada’, o seguinte ciclo é aplicado à saída do limpador:
1 O motor do limpador é ativado para uma varredura;

2 Em seguida, é desligado durante a quantidade de segundos definida no parâmetro Tempo do


intervalo do limpador (o valor-padrão após ativação de Kl.15 é 6 segundos).

Quando o interruptor na coluna de direção retornar à sua posição de repouso, o limpador finaliza sua
varredura atual e um temporizador inicia a contagem do tempo de 1 a 30 segundos.

Quando a entrada do limpador for ativada novamente, a saída do motor do limpador é ativada para
uma varredura e então desativada durante o novo tempo de intervalo do limpador. No caso de tempo
excessivo (maior que 30 seg.) ou o Term.15 ser desativado, o valor-padrão (6 segundos) é ajustado
novamente a partir do valor do parâmetro.

• Se o interruptor da bomba do lavador for ativado, a saída do limpador é ativada e assim permanece
ativada durante 3 varreduras depois que a entrada é desativada. A bomba do lavador tem
prioridade sobre o modo intermitente do motor do limpador.

VOLKSBUS ISL E D08

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 83


VOLKSBUS ISF E DELIVERY

84
CONSTELLATION

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 85


Aviso de uso do cinto de segurança
Se a ignição (KL15) estiver ligada e o estado do interruptor do cinto de segurança for
“Fechado” (aterrado):
- A luz de advertência do cinto de segurança deve estar acesa.

Se a ignição (KL15) estiver ligada e o estado do interruptor do cinto de segurança for ‘Aberto’
(não aterrado):
- A luz de advertência do cinto de segurança deve estar apagada.

Se o veículo estiver no modo de Condução e o estado do interruptor do cinto de segurança for


‘fechado’:
• Um som é emitido para o motorista e a luz de advertência do cinto de segurança deve piscar,
durante o tempo definido;

• Se o veículo estiver no modo de Condução e o estado do interruptor do cinto de segurança for


‘aberto’, o som deve ser desativado e a luz de advertência do cinto de segurança deve apagar;

Se o estado do interruptor do cinto de segurança estiver ‘aberto’ (não aterrado) quando a


ignição (KL15) for ligada:
- A luz de advertência do cinto de segurança deve acender para o teste da lâmpada e depois disso
deve ser desativada.

86
TABELA DE CÓDIGOS

Nome Condição SPN FMI Função

Nível de combustível OC 96 5 Combustível

Alternador Não funcionando 167 1 Alternador

Potencial elétrico Abaixo do normal 168 1 Modo tensão baixa

Potencial elétrico Abaixo do normal 168 0 Modo tensão alta

Interruptor embreagem inferior Tempo de reação 598 14 Lógicas mudança marcha

Interruptor neutro Inválido 604 2 Lógicas mudança marcha

Interruptor embreagem superior Não-plausível 620 2 Lógicas mudança marcha

Barram. VCAN desativado Barram. CAN desativ. 639 9 Controle da rede

Fonte tensão sensor velocidade OC 1622 5 Velocidade veículo

Fonte tensão sensor velocidade SC 1622 6 Velocidade veículo

Saída de Perigo SC 1800 6 Perigo

Saída da buzina OC 1801 5 Buzina

Saída da buzina SC 1801 6 Buzina

Saída pisca diant. esq. caminhão OC 1810 5 Indicadores

Saída pisca diant. esq. caminhão SC 1810 6 Indicadores

Saída pisca diant. esq. caminhão OC 1811 5 Indicadores

Saída pisca diant. esq. caminhão SC 1811 6 Indicadores

Saída pisca traseiro. esq. caminhão OC 1812 5 Indicadores

Saída pisca traseiro esq. caminhão SC 1812 6 Indicadores

Saída pisca esquerdo reboque OC 1813 5 Indicadores

Saída pisca esquerdo reboque SC 1813 6 Indicadores

Saída pisca diant. dir. caminhão OC 1814 5 Indicadores

Saída pisca diant. dir. caminhão SC 1814 6 Indicadores

Saída pisca lado dir. caminhão OC 1815 5 Indicadores

OC = Circuito aberto
SC = Curto-circuito

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 87


Nome Condição SPN FMI Função

Saída pisca lado dir. caminhão SC 1815 6 Indicadores

Saída pisca tras. dir. caminhão OC 1816 5 Indicadores

Saída pisca tras. dir. caminhão SC 1816 6 Indicadores

Saída pisca dir. reboque OC 1817 5 Indicadores

Saída pisca dir. reboque SC 1817 6 Indicadores

Saída Term 58d OC 1820 5 P. Instrumentos

Saída Term 58d SC 1820 6 P. Instrumentos

Saída motor passo limpador OC 1821 5 Limpador

Saída motor passo limpador SC 1821 6 Limpador

Saída compressor OC 1830 5 A/C

Saída compressor SC 1830 6 A/C


Dispositivo 1831 12 Parada de hélice
Parada de hélice
inválido
Saída válvula Consep OC 1835 5 Lógicas mudança marcha

Saída válvula Consep SC 1835 6 Lógicas mudança marcha

Saída válv. interdif. OC 1841 5 Bloqueio interdif.

Saída válv. interdif. SC 1841 6 Bloqueio interdif.

Saída válv. aux. levantamento OC 1842 5 Eixo aux. levantam.

Saída válv. aux. levantamento SC 1842 6 Eixo aux. levantam.

Saída válv. freio inercial OC 1843 5 Lógicas mudança marcha

Saída válv. freio inercial SC 1843 6 Lógicas mudança marcha

Saída válv. antiderrap. OC 1844 5 Eixo aux. levantam.

Saída válv. antiderrap. SC 1844 6 Eixo aux. levantam.

Filtro de ar OC 1845 5 Filtro de ar

Saída válvula PTO OC 1846 5 Lógicas mudança marcha

Saída válvula PTO SC 1846 6 Lógicas mudança marcha

OC = Circuito aberto
SC = Curto-circuito

88
Nome Condição SPN FMI Função

Saída válv. diferencial OC 1847 5 Bloqueio diferencial

Saída válv. diferencial SC 1847 6 Bloqueio diferencial

Saída válv. diferencial Não-plausível 1847 31 Bloqueio diferencial

Saída válv. bloqueio de marcha OC 1848 5 Lógicas mudança marcha

Saída válv. bloqueio de marcha SC 1848 6 Lógicas mudança marcha

Nível fluido freio Erro nível baixo 1849 1 Pressão do freio

Nível fluido freio SC 1849 6 Pressão do freio

Sensor 1 de pressão do freio Erro nível baixo 1850 1 Pressão do freio

Sensor 1 de pressão do freio OC 1850 5 Pressão do freio

Sensor 1 de pressão do freio SC 1850 6 Pressão do freio

Sensor 2 de pressão do freio Erro nível baixo 1851 1 Pressão do freio

Sensor 2 de pressão do freio OC 1851 5 Pressão do freio

Sensor 2 de pressão do freio SC 1851 6 Pressão do freio


Saída valv. Splitter/Eixo 2 OC 1852 5 Splitter/2 veloc./Super-reduzida
veloc./Super- reduz.
Saída valv. Splitter/Eixo 2 SC 1852 6 Splitter/2 veloc./Super-reduzida
veloc./Super- reduz.
Não-plausibilidade SWKL Inválido 1853 2 Splitter/2 veloc./Super-reduzida

Saída válv. faixa OC 1854 5 Splitter/2 veloc./Super-reduzida

Saída válv. faixa SC 1854 6 Splitter/2 veloc./Super-reduzida

Não-plausibilidade SWKL Inválido 1855 2 Lógicas mudança marcha

Interr. bloqueio portas PS ou DS Inválido 1860 2 Bloqueio portas

Saída bloqueio portas 1 OC 1861 5 Bloqueio portas

Saída bloqueio portas 1 SC VBAT 1861 3 Bloqueio portas

Saída bloqueio portas 1 SC GND 1861 4 Bloqueio portas

Saída bloqueio portas 2 OC 1862 5 Bloqueio portas

Saída bloqueio portas 2 SC VBAT 1862 3 Bloqueio portas

OC = Circuito aberto
SC = Curto-circuito

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 89


Nome Condição SPN FMI Função

Saída bloqueio portas 2 SC GND 1862 4 Bloqueio portas

Saída luz cabine SC 1866 6 Luz portas

Interr. lev. janela esq. ld. motorista Inválido 1870 2 Janelas

Interr. lev. janela esq. ld. motorista SC GND 1870 4 Janelas

Interr. lev. janela esq. ld. motorista Abnormal 1870 10 Janelas

Interr. lev. janela dir. ld motorista Inválido 1871 2 Janelas

Interr. lev. janela dir. ld motorista SC GND 1871 4 Janelas

Interr. lev. janela dir. ld motorista Abnormal 1871 10 Janelas

Interr. lev. janela dir. ld passag. Inválido 1872 2 Janelas

Interr. lev. janela dir. ld passag. SC GND 1872 4 Janelas

Interr. lev. janela dir. ld passag. Abnormal 1872 10 Janelas

Erro ponte janelas esquerdas SC VBAT 1873 3 Janelas

Erro ponte janelas esquerdas SC GND 1873 4 Janelas

Erro ponte janelas esquerdas OC 1873 5 Janelas

Erro ponte janelas esquerdas Sem resposta 1873 7 Janelas

Erro ponte janelas direitas SC VBAT 1874 3 Janelas

Erro ponte janelas direitas SC GND 1874 4 Janelas

Erro ponte janelas direitas OC 1874 5 Janelas

Erro ponte janelas direitas Sem resposta 1874 7 Janelas

Sensor nível líq. arref. baixo Nível baixo 1880 18 Líq. arrefec.

Sensor nível líq. arref. baixo Inválido 1880 2 Líq. arrefec.

Sensor nível líq. arref. baixo Acima normal 1880 3 Líq. arrefec.

Sensor nível líq. arref. baixo OC 1880 4 Líq. arrefec.

Sensor nível líq. arref. vazio Nível vazio 1881 1 Líq. arrefec.

Sensor nível líq. arref. vazio Inválido 1881 2 Líq. arrefec.

OC = Circuito aberto
SC = Curto-circuito

90
Nome Condição SPN FMI Função

Sensor nível líq. arref. vazio Acima normal 1881 3 Líq. arrefec.

Sensor nível líq. arref. vazio OC 1881 4 Líq. arrefec.

Erro Contato-S OC 1882 5 Luz da cabine

Substituição TCO Substituído 1999 31 Distância total

EEC ausente PGN não recebido 2000 9 Controle da rede

CC/VS ausente PGN não recebido 2001 9 Controle da rede

Cluster ausente PGN não recebido 2023 9 Controle da rede

TCO ausente PGN não recebido 2238 9 Controle da rede

ABS ausente PGN não recebido 2239 9 Controle da rede

ERC1 ausente PGN não recebido 572 9 Controle da rede

ETC2 ausente PGN não recebido 523 9 Controle da rede

T11 ausente PGN não recebido 1761 9 Controle da rede

ASC1 ausente PGN não recebido 1742 9 Controle da rede

VTTS ausente PGN não recebido 1196 9 Controle da rede


Pressed for to
Ocorrência embr. segura 598 10 Adv. proteção embreagem
long time
Inib. movim. veículo - início Gear different from
972 10 Adv. inib. movim. veíc.
marcha incorretra 1 st or F
Saída inibição abert. portas OC 3412 5 Inibição abert. portas

Movim. veículo inibido - interr. Inválido (1a, R, N


972 2 Adv. inib. movim. veíc.
violados switches)
Não-plausibilidade TSU & TCO Inválido 1622 12 Veloc. veículo
Situação
Ocorrência embr. segura 598 2 Adv. proteção embreagem
não-plausível

OC = Circuito aberto
SC = Curto-circuito

Desenvolvimento da Rede - Treinamento 91