You are on page 1of 1

Conceito material de crime

Commented [D1]: -Quando se fala do conceito material,


procura-se responder à questão de onde provem a legitimidade do
legislador em dizer o que é e não é crime.
Identificação do problema - Se não existe um conceito material de crime, será impossível
determinar qual a função e os limites do direito penal. Este
conceito tem de pré-exisitr fora do nosso ordenamento, nós apenas
nos limitamos a importá-lo e a aplica-lo

Como é que hoje olhamos para o problema? A perspectiva


racional: a função de tutela subsidiária de bens jurídicos dotados
de dignidade penal (bens jurídicos-penais)

Quais os bens juridicos relevantes? Justificação do principio da Adoptamos uma vertente teleológica-funcional (não era possível
encontrar uma ideia já criada de direito penal. Era, sim, preciso
necessidade necessidade (18/2 DA CRP) perceber qual a função que o sistema jurídico social dava ao direito
penal; e racional (o conceito material de crime resulta da função do
direito penal, que é a tutela subsidiária de bens jurídicos dotados
1. Conceito de BJ
de dignidade penal).

2.Identificação BJ Analisar o bem juridico Analisar se no caso concreto


Commented [D2]:
se justifica a intervenção do direito penal e se pena é razoável se justifica a intervenção do A intervenção penal não é legitima apenas por se ter um bem
jurídico dotado de dignidade penal. É ainda necessário que a
direito penal e se pena é razoável do direito penal intervenção do direito penal seja necessária, isto é, que o bem
afectado seja absolutamente indispensável À livre realização da
do tipo de bj personalidade de cada um na comunidade.

- Como o direito penal utiliza os meios de coercibilidade mais


onerosos possíveis, a sua intervenção deve-se limitar aos casos em
que nenhum meio da politica social ( politica jurídica não penal) se
revelem insuficientes ou inadequados, isto graças ao principio da
proporcionalidade em sentido amplo.

Analisar qual a fonte do bem (se -Se o princípio não for respeitado, temos a violação da
subsidiariedade e da proibição do excesso.
É a CRP ou a moral social dominante.
Commented [D3]: É a Expressão de um interesse, da pessoa ou
Esta última não é uma fonte legitima) da comunidade, na manutenção ou integridade de um certo estado,
objecto ou bem em si mesmo socialmente relevante e, por isso,
juridicamente reconhecido valioso.

Commented [D4]: Um bem com dignidade penal é um


determinado interesse que seja essencial para o desenvolvimento:
(i)da pessoa (bem individual) ou
Determinar se à luz da teoria do Labelling aproach (ii) para o desenvolvimento da comunidade em que a pessoa se
insere (bens colectivos- são essências para a comunidade).
(iii) Existem ainda os bens supra individuais (bem jurídico que
o bem tem natureza penal pertence simultaneamente a todas as pessoa e é de cada
pessoa)

Commented [D5]: - Para que um bem seja tutelado na área do


direito penal, é necessário que a constituição tutele esse mesmo
bem, de forma expressa ou implícita na ordem dos direitos e dos
deveres.

Commented [D6]:

-o crime é determinado pela policia, tribunal, legislador (instancias


formais) e pelas famílias, vizinhos (instancias informais)

- Esta teoria Deixa-se de preocupar com o que são os motivos do


comportamento do crime segundo as representações sociais
dominantes, e passa a preocupar.se com os processos de selecção
social e arbitrariedade dos mesmos.
...