Eloísa Maia Vidal José Everardo Bessa Maia

Introdução à Educação a Distância

2010

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados desta edição à SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (SEAD/UECE). Nenhuma parte deste material poderá ser reproduzida, transmitida e gravada, por qualquer meio eletrônico, por fotocópia e outros, sem a prévia autorização, por escrito, dos autores. EXPEDIENTE Design instrucional Antonio Germano Magalhães Junior Igor Lima Rodrigues Pedro Luiz Furquim Jeangros Projeto gráfico Rafael Straus Timbó Vasconcelos Marcos Paulo Rodrigues Nobre Coordenador Editorial Rafael Straus Timbó Vasconcelos Diagramação Rafael Straus Timbó Vasconcelos Ilustração Marcos Paulo Rodrigues Nobre Capa Emilson Pamplona Rodrigues de Castro

PRESIDENTE DA REPÚBLICA Luiz Inácio Lula da Silva MINISTRO DA EDUCAÇÃO Fernando Haddad SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Carlos Eduardo Bielschowsky DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA – DPEAD Hélio Chaves Filho SISTEMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL Celso Costa GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ Cid Ferreira Gomes REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ Francisco de Assis Moura Araripe VICE-REITOR Antônio de Oliveira Gomes Neto PRÓ-REITORA DE GRADUAÇÃO Josefa Lineuda da Costa Murta COORDENADOR DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Antonio Germano Magalhães Junior COORDENADOR GERAL UAB/UECE Francisco Fábio Castelo Branco COORDENADORA ADJUNTA UAB/UECE Josete de Oliveira Castelo Branco Sales

COORDENADOR DA LICENCIATURA EM ARTES PLÁSTICAS Lucila Pereira da Silva Basile COORDENADOR DE TUTORIA E DOCÊNCIA DA LICENCIATURA EM ARTES PLÁSTICAS Inez Beatriz Martins de Castro COORDENADOR DA LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Germana Costa Paixão COORDENADOR DE TUTORIA E DOCÊNCIA DA LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Jeanne Barros Leal de Pontes Medeiros COORDENADOR DA LICENCIATURA EM FÍSICA Carlos Jacinto de Oliveira COORDENADOR DE TUTORIA E DOCÊNCIA DA LICENCIATURA EM FÍSICA Emerson Mariano COORDENADOR DA LICENCIATURA EM GEOGRAFIA Luiz Inácio Lula da Silva COORDENADOR DE TUTORIA E DOCÊNCIA DA LICENCIATURA EM GEOGRAFIA Luiz Inácio Lula da Silva COORDENADOR DA LICENCIATURA EM INFORMÁTICA Jorge Luiz de Castro e Silva COORDENADOR DE TUTORIA E DOCÊNCIA DA LICENCIATURA EM INFORMÁTICA André Ribeiro Cardoso COORDENADOR DA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA Cleiton Batista Vasconcelos COORDENADOR DE TUTORIA E DOCÊNCIA DA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA Gerardo Oliveira Barbosa COORDENADOR DA LICENCIATURA EM QUÍMICA Evanise Batista Frota COORDENADOR DE TUTORIA E DOCÊNCIA DA LICENCIATURA EM QUÍMICA Eveline Solon Barreira Cavalcanti

............................................ 25 1........................... Retroprojetor/Data show ................................................... 19 6........................... 27 2....................................................................................................... Navegando na internet....................................33 3....... 40 Síntese da Unidade ........................... 45 1........................................... 11 2..........................................49 Texto complementar: Nasce a web 2.........35 Texto Complementar: YouTube ............................................................. Educação a Distância no Brasil ............................................... 43 Unidade 3 A rede mundial de computadores ........................2........................................................................................................................................................................................................................................... Internet e educação ............ 9 1. A tecnologia educacional e o professor ............. 52 2. 23 Referências ........................................................................................................................................................................................ 24 Unidade 2 Tecnologias na Educação .... 20 Síntese da Unidade ........ 59 6............. Recursos pedagógicos em EAD.......... Formas de trabalhar o computador e a internet na educação ......................... O que é a Internet ...37 4................................................................................................................................ 39 5.................................................................................................................................................................................................................................. O meio impresso ........ 28 3....................... 53 3.........................................1...................................0 ......... 47 Texto complementar: Os 10 piores países do mundo para ser blogueiro ...... 13 3.. 64 .................................................................. Cognição e computador .... 58 5........ 42 Referências ...............a internet .............................................................. A educação audiovisual ................................................................................................. 31 3.......................... 54 Texto complementar: Wikipédia: a enciclopédia eletrônica livre e aberta .................. EAD: em busca de conceitos e definições ......................................................................................................... 61 Síntese da Unidade ............................................................................................................................................................................... Os modelos de EAD adotados no Brasil ............................................ 38 Texto complementar: Tecnicismo educacional ....... 17 5.......................................................................................................................... Vídeo e televisão .............................................................. 57 Texto complementar: 1 : 10 : 89 ........................................................ 16 4................................... O professor na EAD: a polissemia da função ......1........ A Universidade Aberta do Brasil (UAB) .... A educação em uma nova era ..... As possibilidades didáticas e metodológicas a partir do uso da tecnologia ........................................................................................................................................... Educação a Distância no Mundo .................. 14 3............................. Páginas www e seus potenciais educativos .................Unidade 1 Educação a Distância: rompendo fronteiras ......................................................... 63 Referências ........................................55 4..............................................................................................................................................................................................................................

......................4.......................................................................... Acessando o ambiente Moodle...............................................................................................................Unidade 4 O Ambiente Virtual de Aprendizagem: Moodle ... Tela inicial dos cursos ...............................................78 3...................9......... Acessando o curso .......2..............75 3................................................................. Editar perfil ..1 Tornando-se um usuário ................................................................................................ 80 ....................74 3............................................................................. Funcionamento do Moodle...............................3..............................71 3................................................................................................................................................................................7....................8.....69 3...................................................... 67 3...................10.......................................................................................................................................... 67 2.......74 3.........................................5..... Material disponibilizado.............6. Cancelamento de inscrição .......................... Participantes .................. 72 3........................................... O que é o Moodle? ........................ 69 3........................................................76 3...... 70 3............................................ Perfil do usuário: dados opcionais . Acessando disciplinas ............ 65 1............................................... 79 Dados dos Autores ......................................................................... Características do Moodle ......

uma rede de instituições de ensino superior públicas. A unidade 1 é dedicada a apresentar a educação a distância. Na unidade 2 se discute o uso das tecnologias na educação. A unidade 3 focaliza a rede mundial de computadores – a internet – historicizando a sua origem e de que forma ela pode impactar a educação nesta nova era. mostrando o que vem sendo feito no mundo e no Brasil. ele continua com papel tão relevante quanto na educação presencial. vai receber ao longo das disciplinas que cursará. como aluno de um curso de graduação a distância da Universidade Estadual do Ceará. considerado um dos primeiros recursos e até hoje importante e necessário mesmo diante do forte apelo que as novas tecnologias da informação e comunicação vem mostrando. das relações entre a tecnologia educacional e o professor e as formas de trabalhar o computador na educação. Esperamos que você. Um tópico explora aspectos relacionados a cognição e ao computador. A trajetória da criação da Universidade Aberta do Brasil (UAB). suas possibilidades didáticas e metodológicas. que procuram introduzir conceitos fundamentais para quem esta iniciando os estudos com a utilização da modalidade de educação a distância. em distintas situações. considerando que a internet traz mudanças profundas no processo ensino-aprendizagem. Um tópico é dedicado a discutir o papel do professor na EAD e suas múltiplas funções. adaptado as diversas necessidades de aprendizagem e facilmente acessível para todos. Ele está dividido em quatro unidades. utilizado pela UECE nos seus cursos de graduação e pósgraduação a distância. Os autores . com destaque para o meio impresso. Nesta unidade também se apresentam conceitos e características da educação audiovisual. ao concluir a disciplina a qual esta associada este livro.Este livro é o primeiro volume do conjunto de materiais didáticos que você. seja capaz de desenvolver as atividades que se apresentarão ao longo das demais disciplinas que constituem a grade curricular do seu curso e que veja a educação a distância como uma modalidade de ensino que se realiza num ambiente de ensino aberto. flexível. através da descrição de alguns comandos e telas de abertura. Na unidade 4 são apresentados e descritos aspectos do ambiente virtual de aprendizagem. o Moodle. da qual a UECE faz parte é descrita e os recursos pedagógicos mais comumente utilizados em EAD são apresentados. especialmente nas últimas décadas. As orientações buscam introduzir o aluno no acesso e navegação pelo Moodle. mostrando que embora haja um redimensionamento de suas atribuições docentes.

.

Contextualizar a Universidade Aberta do Brasil (UAB) e seus mecanismos de funcionamento na Universidade Estadual do Ceará.Unidade 1 Educação a Distância: rompendo fronteiras Objetivos: • • • • Identificar aspectos que estabelecem convergências e divergências acerca de alguns conceitos de EAD. nos últimos dois séculos. Entender o surgimento da educação a distância e recursos tecnológicos utilizados para sua viabilização. Conhecer algumas experiências de EAD no mundo e no Brasil. .

.

e as mudanças advindas do uso dos novos recursos tecnológicos. com o advento dos computadores e da internet. A unidade também apresenta um breve histórico da educação a distância no mundo e no Brasil. procurando destacar sua importância. a relação presencial professor-aluno. na qual o curso de graduação que você esta cursando se vincula institucionalmente. Garcia Llamas. A unidade também apresenta um breve histórico da Universidade Aberta do Brasil e de como ela se desenvolve na Universidade Estadual do Ceará. a educação autodidata. ocupação ou idade dos alunos. 1. A parte final da unidade é dedicada a discutir sobre os recursos pedagógicos utilizados desde o desenvolvimento das primeiras iniciativas em EAD até os dias atuais. a Educação a Distância (EAD) vem suscitando questionamentos quanto a sua definição. que vem incorporando novos mecanismos e estratégias pedagógicas e tecnológicas no decorrer da sua história. que passam a demandar novas atribuições para esses profissionais. especialmente aqueles que se desenvolvem com os avanços no campo das tecnologias da comunicação e informação. Implica INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 11 . ao longo dos anos. muitos estudiosos vêm fazendo tentativas no sentido de conceituar esta modalidade de ensino. Assim. em que o aluno não precisa da ajuda do professor” (apud LANDIM. Entre as definições mais conhecidas podemos citar a de Gustavo Cirigliano (1983) que diz que a “educação da distância é um ponto intermediário de uma linha continua em cujos extremos se situam de um lado. 28). dos materiais impressos até as tecnologias de informação e comunicação que possibilitam as interações síncronas e assíncronas. por sua vez. a partir da segunda metade do século XX e mais recentemente. explicitar algumas definições e conceitos que abrangem o termo educação a distância e seu caráter polissêmico. Introduz também uma reflexão sobre o significado do professor e do tutor. aberta. e. EAD: em busca de conceitos e definições Desde seu surgimento. p. ou seja. 1997. de outro. através de uma revisão de literatura. tempo. sem limitação de lugar. significado e modelos adotados.Introdução Esta unidade procura. define educação a distância como “uma estratégia educativa baseada na aplicação da tecnologia à aprendizagem.

21). frequentemente apontando suas distorções e condicionamentos subjetivos. • Abertura. ao definir a educação sem fronteiras como “um ambiente de ensino aberto. a EAD. e não parte mais do pressuposto de que a aprendizagem só acontece a partir de uma aula realizada com a presença deste e do aluno. 1) e que busca superar obstáculos relacionados ao espaço. 20). A EAD pode também ser definida como uma “relação professoraluno ou ensino-aprendizagem mediada pedagogicamente e mediatizada por diversos materiais instrucionais e pela orientação tutorial. novas atitudes e novos enfoques metodológicos” (IDEM. 1 Referente a gnosiologia. Esse esforço de aprendizagem produz uma mudança gnosiológica1 em que a autonomia e o autodidatismo2 passam a nortear a aprendizagem. rompendo com a concepção da presencialidade no processo de ensino-aprendizagem. flexível. 29). teoria geral do conhecimento humano. p. o ato pedagógico não é mais centrado na figura do professor. Isso naturalmente vai contribuir para formação de cidadãos ativos e críticos que procuram soluções e participam de maneira criativa nos processos sociais. pelos próprios mecanismos pedagógicos adotados. • Contextualização. em distintas situações” (UNESCO. natureza e limites do ato cognitivo. p. favorece a formação de cidadãos mais engajados socialmente. para os alunos. Sua concepção se fundamenta no fato de que o processo de ensinoaprendizagem pode ser visto como a busca de “uma aprendizagem autônoma.novos papéis para os alunos e para os professores. desenvolvendo habilidades de independência e iniciativa. 1998. mas também. A educação a distância apresenta características específicas. 1997. adaptado as diversas necessidades de aprendizagem e facilmente acessível para todos. não só para os professores. Para a EAD. na maioria das vezes. em que o aluno aprende a aprender. 2 Ato de estudar e adquirir instrução por si mesmo. satisfazendo com rapidez demandas e necessidades educativas ditadas por situações socioeconômicas específicas de regiões ou localidades. conscientes de sua autonomia intelectual e capazes de se posicionarem criticamente diante das mais diversas situações. podemos destacar o fato desta. dispensando a orientação de professores. ou sua precisão e veracidade objetivas. s/d. Nessa mesma linha caminha a concepção da Unesco. permitindo mudanças durante o processo. Ou seja. voltada para uma reflexão em torno da origem. As ações de EAD são norteadas por alguns princípios. gerando atividades e materiais que permitam diversas formas de aprendizagem. p. 1997. entre eles: • Flexibilidade. permitindo que o aluno administre seu tempo e espaço de forma autônoma (LEITE. Isto é válido tanto para ambientes pedagógicos tradicionais como para aqueles que usam as novas tecnologias” (RIANO. p. em um ponto de vista tendente ao idealismo. • Diversificação. 12 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . p. em uma perspectiva realista. 38). em que o usuário se converte em sujeito de sua própria aprendizagem e centro de todo o sistema” (RIANO. independente. a estudar a partir do seu esforço e por conta própria. tempo. Mesmo que teoria do conhecimento. trabalhar com estudantes adultos e se utilizar de material autoinstrucional e estudo individualizado. Ainda entre as especificidades da EAD. Permite também que as diferenças individuais sejam respeitadas e que as preferências por tempo e local para estudo possam acontecer sem prejuízos para a aprendizagem. idade e circunstâncias.

Esses princípios representam uma ruptura de paradigma com a educação presencial e apontam para o caráter democrático da EAD. Essas novas ferramentas permitem desenvolver a aprendizagem mediada por processos de interação síncrona3 e assíncrona4. Neste mesmo período. Já o professor passa a exercer um papel coletivo de orientador. sempre tendo no material impresso. A primeira metade do século XX é marcada por inúmeras iniciativas de oferta de cursos usando a educação a distância tendo o material impresso como recurso pedagógico e o envio por correspondência a forma de comunicação com os alunos. A partir dos conceitos apresentados sobre EAD. quando Charles Toussaint e Gustav Langenscheit criam a primeira escola de línguas por correspondência. por excelência. curso oferecido pela Universidade de Chicago. Em 1928 a BBC5 começa a promover cursos para a educação de adultos usando o rádio. 3 Que acontece simultaneamente. na medida em que o aluno passa a ser considerado mais como parceiro do que como um agente passivo na construção do conhecimento. que se baseia na premissa de que a educação deve ser construída através de uma ação colaborativa. é feita uma tentativa inicial de formação de professores para as escolas paroquiais por correspondência. fundada em 1922. 2. As duas últimas décadas do século XX são marcadas pela inserção das tecnologias digitais na EAD. Já em 1892. 3. Que impactos as tecnologias digitais vem provocando na EAD? 2. A nova perspectiva aberta pelas tecnologias digitais fortalece o enfoque central da EAD. que não apresenta sincronia ou sincronismo. uma vez que a relação ensino-aprendizagem não mais se restringe ao momento de contato do aluno com o professor. mediador e também parceiro. essa tecnologia começa a ser utilizada em vários países para transmissão de programas educacionais. treinador. é uma emissora pública de rádio e televisão do Reino Unido (Inglaterra e demais países). INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 13 . Registros de 1856 relatam experiências pioneiras de educação à distância. obtida através da sinergia entre alunos. Com isso. elabore um novo conceito que você considera mais completo. Educação a Distância no Mundo As aulas por correspondência são as primeiras iniciativas de ensino a distância que se tem notícia. já que esta nos remete a reflexões sobre os meios utilizados e as estratégias de acompanhamento e avaliação a serem implementadas. colaborador. o meio de difusão. professores e tutores que passam a reconstruir virtualmente espaços reais de interação. inclusi- 5 A British Broadcasting Corporation (BBC). Que não é sincrônico. assincrônico 4 1. A internet causa uma verdadeira revolução no processo ensino-aprendizagem na EAD. Cite e exemplifique os princípios que norteiam a EAD. outras experiências foram desenvolvidas em vários países.

especialmente pela necessidade de capacitar a população europeia em novas atividades laborais. a exemplo da China. o contingente de pessoas que querem se qualificar para o mercado. Canadá.anadolu. Muitas experiências usando EAD foram desenvolvidas no período pósguerra. 2007). Este período é marcado pela introdução de novas metodologias no ensino por correspondência. que com os avanços científicos e tecnológicos sofrem forte influência dos novos meios de comunicação de massa. Argélia. tecnologias disponíveis à época. Palestina.edu. telefone. No ensino superior destacam-se Reino Unido. A Rádio Sociedade do Rio de Janeiro. que sedia a maior universidade a distância do mundo7. Mas o grande avanço em EAD se deu a partir dos anos 1960. 3. Austrália. Estados Unidos. 6 Durante a Segunda Guerra Mundial o Código Morse foi utilizado para capacitação dos soldados norte-americanos que iam para frente de guerra. a educação a distância se coloca como uma alternativa que permite atender em maior escala. África do Sul. especialmente para uso do rádio e da emergente televisão.ve no Brasil. Neste sentido. Venezuela. O Instituto Monitor criado em 1939 e o Instituto Universal Brasileiro fundado em 1941 são exemplos de iniciativas que ainda hoje ofertam cursos por correspondência atendendo estudantes em todo o território nacional. e na sequência. da Universidad Nacional de Educación a Distancia da Espanha. âmbito de atuação e escala de abrangência. nível de interatividade. Nas últimas décadas. além da Turquia.tr). Portugal. O cenário pós-guerra exige novas dinâmicas sociais e os avanços científicos e tecnológicos ocorridos durante a guerra demandam novas profissões e ocupações. Líbia. quando várias universidades europeias e de outros continentes começaram a atuar na educação secundária e superior. a adesão à EAD tem sido ampliada chegando nos dias atuais a ter “alcance global” (MOORE. é uma das primeiras iniciativas de EAD que se tem notícia. Korea National Open University da Coréia. mais tarde incorporada pelo Ministério da Educação. Índia e Brasil. criada em 1923. com a participação da BBC. Experiências como a da Open University do Reino Unido. Desde as primeiras décadas do século XX algumas experiências são desenvolvidas. 7 Anadolu University (http:aof. Educação a Distância no Brasil A história da EAD no Brasil é cheia de percalços e interrupções. a exemplo do Código Morse6. tipos de recursos instrucionais utilizados. dentre tantas outras. O número de professores é insuficiente para atender uma população que procura cada vez mais a educação. Finlândia. Noruega. Coréia. serviram de referência para as iniciativas em EAD que passaram a ser concebidas e ofertadas por instituições públicas e privadas nos cinco continentes. 14 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . e da Universidade Aberta de Portugal. As primeiras experiências da Open University surgem neste período. A EAD atinge países que se situam dentre os mais diversos patamares de maturação educacional e de desenvolvimento socioeconômico. Alemanha e Espanha. televisão. Costa Rica. Os formatos apresentados para viabilização da EAD variam quanto ao grau de presencialidade. com uso de material impresso e rádio.

aos poucos foram iniciando suas atividades na área de EAD. 8 O termo primeiro grau é uma designação anterior a atual LDB para o Ensino Fundamental. Estas experiências.Como política pública. os projetos de Desenvolvimento da Teleducação e Novas técnicas educacionais para o Ensino Superior mantêm a ideia de criação de uma rede de ensino a distância (VIDAL. através do uso da tecnologia digital e interatividade em áudio e vídeo. Em 1996. Estamos nos referindo ao Sistema de Teleensino. dirigido para formação de professores das séries iniciais do Ensino Fundamental. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 15 . uma experiência pioneira na oferta de educação com uso da televisão. Em 1996 aparecem os primeiros cursos de mestrado oferecidos com uso de videoconferências. com a nova LDB reconhecendo a educação a distância como uma modalidade de educação no artigo 80 da referida lei. que tinham como objetivo o ensino utilizando a televisão para atingir o público de 1o grau8.1974). o Telensino atendia um número reduzido de turmas e municípios. merece destaque alguns projetos financiados pelo I PBDCT (1972 . pela primeira vez.1979). no Governo Ciro Gomes. Eles visavam atender demandas específicas de empresas. 9 No Estado do Ceará. projeto Saci. entre eles. a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) em 1994 realizou o primeiro processo seletivo para um curso de graduação a distância. Faça e Refaça e outros. a EAD se inicia em 1972 com a inclusão de algumas experiências de ensino a distância que vinham sendo implementadas no país nos Planos Básicos de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (PBDCT). a princípio. Este modelo passou a servir de referência para outras instituições de ensino superior que. surge em 1974. Inicialmente. Utilizando basicamente o meio televisivo. feitas pela Lei 5692/71. videoaulas. com os profissionais envolvidos recebendo formação específica para atuar como Orientadores de Aprendizagem. No II PBDCT (1975 . profissionais cuja atuação e área de pesquisa passou a ser a EAD. 1995). João de Barro e Lobato. 10 Podemos citar entre esses projetos televisivos: Um salto para o futuro. A partir dos anos 1990 a educação à distância começa a ser concebida num contexto mais amplo dos Projetos Pedagógicos Nacionais ganhando mais espaço no cenário educacional. com os Manuais e o Orientador de Aprendizagem que inspirou a Fundação Roberto Marinho a criar o projeto Telecurso. Sobre essas experiências. essas experiências foram pontuais. mas mostraram as amplas possibilidades que a educação a distância poderia ter para um país de dimensões continentais como o Brasil12. Este período pós-LDB foi marcado por experiências diversas com a introdução não só dos recursos pedagógicos já disponíveis –material impresso. Em 1993/94. a criação de estrutura técnica e de recursos humanos para apoio a atividades de multimídia e a concepção de uma logística para oferta de curso EAD em escala nacional. Importante destacar que antes mesmo da publicação da LDB em 1996. a EAD é incluída na legislação educacional. nas séries iniciais. uma iniciativa de educação a distância que foi concebida e estruturada como alternativa a carência de professores e materiais para atender as exigências de oferta das séries terminais do antigo 1° grau (6° a 9° anos do atual Ensino Fundamental). Foi a experiência do Ceará com uso da televisão como recurso pedagógico e a estrutura de apoio no âmbito escolar. o desenvolvimento de metodologias próprias para formatar e imprimir material impresso. na década de 1980. O referido curso foi oferecido em algumas cidades do Estado. numa tentativa de criar uma rede de ensino a distância. O curso da UFMT utilizava material impresso com mediação de tutoria presencial nas cidades polos das turmas. tutoria e professor conteudista – mas pela inclusão de tecnologias digitais capazes de criar ambientes virtuais de aprendizagem com interação síncrona e assíncrona. foram desenvolvidas nas universidades públicas e a partir delas começou a se formar no Brasil. contando com 352 alunos matriculados. na Universidade Federal de Santa Catarina. o Telensino foi universalizado. sendo os primeiros grandes projetos relacionados com a televisão13. como resposta ao déficit de professores da rede pública e a necessidade de ampliação de matrículas nesta etapa de ensino.

Foram organizadas e preparadas equipes e desenvolvidas tecnologias para lançar os primeiros cursos on line do país. estimulou o desenvolvimento de pesquisas que vieram a produzir modelos pedagógicos e tecnológicos que levaram a consolidação da EAD no país. se desenvolveu a partir de cinco modelos. com uma EAD caracterizada pelo uso intensivo de tecnologias digitais para a entrega de conteúdos e atividades para os alunos e para promover a interação destes com professores. colegas e suporte técnico e administrativo. • O modelo de universidade virtual. • O modelo semipresencial. Neste modelo as 16 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . Com a oferta de cursos de graduação e de pós-graduação. Universidade Federal de Pernambuco. Em 1998 se inicia a oferta de cursos de pós-graduação latu sensu via internet. Os modelos de EAD adotados no Brasil Segundo Vianney (2009) podemos afirmar que a EAD no Brasil. e salas de aula para realização de tutoria presencial em parceria com as prefeituras municipais. com uma proposta de interiorização universitária que combina a educação a distância com a presencial em polos regionais. as instituições de ensino superior procuram a certificação oficial para atuar em EAD o que faz o MEC elaborar um conjunto de documentos que normatizam e estabelecem parâmetros de qualidade para implantação destes tipos de cursos. Universidade Anhembi Morumbi. Importante destacar que nesses 15 anos o país conseguiu estabelecer a base legal que orienta esta modalidade de ensino. De 1994 a 2009 a história da EAD no Brasil registra avanços significativos e de forma acelerada.1. Este modelo foi adotado inicialmente pela UFMT. Universidade Federal de Rio Grande do Sul. analisou propostas e emitiu autorização de cursos. criou mecanismos para a certificação de instituições que trabalham com educação a distância. o que gera a expansão desta modalidade de oferta no País. Entre as instituições pioneiras destacamse: Universidade Federal de Santa Catarina. que são: • O modelo de tele-educação com transmissão ao vivo e via satélite em canal aberto para todo o País.Também foram criadas estratégias para gestão administrativa e pedagógica visando atender alunos on line através de centrais remotas de monitoria e tutoria. que funcionam como unidades presenciais de apoio para acesso dos alunos a laboratórios. Universidade Federal de Minas Gerais. 3. bibliotecas. de 1994 até os dias de hoje. O exemplo mais conhecido e de alcance nacional é o Telecurso da Fundação Roberto Marinho. por outras instituições e pela UAB. • O modelo de videoeducação com reprodução pré-gravada em forma de teleaulas. Universidade Federal de São Paulo. chegando a compensar o lento ritmo com que caminhou na segunda metade do século XX em relação a outros países que criaram seus sistemas de EAD. Pontifícia Universidade Católica de Campinas e o Centro Universitário Carioca.

para realização de aulas. integrando múltiplos espaços conectados ao vivo. especialmente o uso de tecnologias digitais. o MEC viu na UAB a possibilidade de democratizar. 7. Ciente de que a ampliação de vagas nas universidades federais enfrentava sérias limitações. a EAD no Brasil iniciou um processo de crescimento acelerado.000 cursistas matriculados. Com a publicação da LDB de 1996. 4. para reprodução em rede nacional ou para reprodução em telessalas. • O modelo em que os alunos dos cursos a distância permanecem períodos regulares na instituição (de forma presencial) onde realizam não apenas provas. dissertações e monografias. tais como secretaria. Trata-se de cursos de extensão universitária produzidos em parceira com as instituições de ensino superior cearenses e veiculados encartados no jornal. com recepção simultânea e cobertura para todo o território nacional. Internet: desenvolvimento de sistemas autônomos para uso como ambientes virtuais de aprendizagem. conferências e seções interativas de defesas de teses. pela Fundação Demócrito Rocha do Grupo de Comunicação O POVO. (Fonte: VIANNEY. TV por satélite: produção e transmissão de teleaulas ao vivo. 2008). com aplicação de ferramentas criadas ou adquiridas. tutoria. uma vez por semana. A Universidade Aberta do Brasil (UAB) A Universidade Aberta do Brasil (UAB) surge como uma iniciativa do MEC visando a inclusão social e educacional por meio da oferta de educação superior a distância. 11 Uma experiência bem sucedida sobre EAD com uso de material impresso vem sendo realizada desde 1985. por exemplo. 4. 2. com mais de 650. é inegável que o setor privado tomou a dianteira na oferta desta modalidade de ensino. Telefonia móvel: por meados de 2008 encontrava-se em fase inicial estudos para o uso educacional e aplicado a educação a distância dos recursos de telefonia celular e outros dispositivos móveis. com as demais atividades sendo realizadas a distância. 3. mas atividades em laboratório. suporte administrativo e pedagógico. Video-aulas: produção de aulas pré-formatadas. pelo menos nos primeiros dez anos. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 17 . Impressos: desenvolvimento de abordagem conceitual e implementação do mesmo para desenvolvimento e publicação de conteúdos e atividades de aprendizagem para livros didáticos específicos para uso em EAD11. Videoconferência: tecnologia para uso educacional utilizando sistemas bi e multidirecionais com interação por áudio e vídeo. com apoio da educação a distância e a incorporação de novas metodologias de ensino. 5. expandir e interiorizar o ensino superior público e gratuito no País. Ao longo deste período é possível destacar as seguintes tecnologias utilizadas pelas instituições brasileiras: 1. Desde sua criação já foram oferecidos 59 cursos.etapas presenciais são reservadas para a realização de provas. 6. Embora não seja possível ignorar as experiências desenvolvidas e implementadas pelas universidades públicas. monitoria. de abordagens metodológicas para o processo ensino-aprendizagem on line ou off line. Telefonia: uso de sistemas convencionais de telefonia para atendimentos diversos a alunos.

359 40.4 % 659.3% 80. representam as universidades estaduais.000.7% 22.4% 92.911 59. Quadro 1: Variação das matrículas em cursos a distância na graduação. 18 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA .4% Fonte INEP e SEED/MEC O quadro 1 mostra a evolução das matrículas dos alunos brasileiros em cursos graduação oferecidos na modalidade EAD. pósgraduação latu sensu e stricto sensu prioritariamente orientados para a formação de professores e administração pública.611 114. Na verdade ela apresenta uma configuração de rede.000 % em relação ao ano anterior 1. incluídas a partir do segundo edital para a UAB. a educação a distância é apontada como modalidade preferencial para a formação continuada de professores. Considerando o número de polos criados e a quantidade de instituições envolvidas. O funcionamento destes cursos a distância a partir de una metodologia de ensino com o apoio de novas tecnologias são implementados por instituições de educação superior (universidades ou Institutos de Educação.7% 78.000 1. A UAB não constitui uma nova instituição para o MEC. se instaura como uma modalidade de educação de grande relevância para o País. o número de alunos cresceu de forma exponencial.502.6% 19. que no caso. pode-se afirmar que a EAD.287 5. que indica para o ensino público o uso conjugado do ensino presencial e a distância em cursos para a formação inicial de profissionais do magistério.273.8% 31.714 49.5% 105.A UAB foi criada em 2006 pela Lei N° 11. Ciência e Tecnologia) e que possuem como ponto de apoio presencial os polos localizados em municípios estratégicos. e buscou incentivar as instituições públicas a participarem de programas de formação inicial e continuada de professores para educação básica que podiam ser ofertados na modalidade a distância. de fato.766 761. envolvendo as Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) e as Instituições Públicas de Ensino Superior (IPES). No ano de 2007 foi aprovada e sancionada a Lei N° 11. O programa UAB oferece cursos de graduação.206 369. sequencial. Ano 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 Nº de Matrículas 5. Uma análise ano a ano permite constatar que dez anos. e neste caso.642 207.

a fim de transportá-los de algum modo para nossos textos. dirigir. O que é a UAB e qual a sua finalidade? 5. bem como articular. 2. e por isso deve ser bem planejado. deve-se ter sempre presente tudo o que um bom professor faz. A evolução desta modalidade de educação mostra que apesar do uso de multimeios que permitem interações síncronas e assíncronas. Portanto. Faça uma breve descrição da história da EAD no mundo. Deve ainda facilitar não só a socialização dos saberes já produzidos. os comportamentos daqueles docentes de que conservamos uma boa lembrança e aqueles que nós próprios praticamos nas aulas presenciais. Isto porque ele é o instrumento de trabalho fisicamente palpável. ter coerência com a linha pedagógica do curso e clareza de objetivos. a teoria com o mundo vivencial no qual está inserido o aluno. que pertence ao aluno e pode ser manipulado onde e quando ele quiser. controlar. O material impresso tem que ser capaz de suprir tarefas que no modelo presencial é assumido pelo professor. o recurso pedagógico por excelência. informar. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 19 . a produção de material impresso é decisiva para o êxito de um curso. Resultados mostram que aqueles que incluem a comunicação de dupla via educador-educando têm resultados iguais ou superiores aos apresentados pelo ensino presencial. Recursos pedagógicos em EAD As primeiras experiências com EAD tinham no material impresso. como a peça-chave dessa metodologia de ensino. tais como incentivar. 35). Qual a importância da LDB de 1996 para a EAD no Brasil? 3. p. de forma contextualizada. Segundo especialistas em produção desse tipo de material. uma vez que está a sua disposição constantemente (RIBEIRO. na hora de redigi-lo.1. o material impresso ainda destaca-se como elemento principal. mas ser um indutor no processo de construção de novos conhecimentos. orientar. destacando os marcos mais importantes. Que modelos de EAD foram adotados pelo Brasil na oferta de EAD? 4. 1997. Sabe-se hoje que a EAD pode acontecer de várias maneiras envolvendo recursos tecnológicos e meios de comunicações variados.

O professor na EAD: a polissemia12 da função13 O advento das tecnologias digitais (computador e internet) possibilitou uma ampliação ilimitada do acesso a informações e a velocidade de comunicação entre os mais diversos sujeitos. orientanda da autora no Mestrado Acadêmico em Educação da UECE. não exclui o contato direto dos alunos entre si ou do aluno com alguém que possa apoiá-lo na aprendizagem”. ajuda no esclarecimento de suas dúvidas. supervisiona a prática de oficina ou laboratório e assim por diante” (IDEM. é importante que as interações se deem de modo rico. 20 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . socializando-se. de forma resignificada. trocando experiências e vivências. agora ele orienta e reorienta a aprendizagem dos alunos. incluindo o uso de recursos pedagógicos que permitem a interatividade sincrônica (em tempo real) e assincrônica (em tempo diferido). Para que as novas tecnologias sejam assimiladas de forma rápida. elas têm constituído grupos de estudo e trabalho para reformulação dos cursos presenciais e elaboração de projetos de cursos a distância. tornando-o sujeito do processo de construção de seu próprio conhecimento. 13). web conferências e teleconferências). No que se refere a estratégias de acompanhamento a tutoria se apresenta como “um componente típico de ações de ensino a distância em que a comunicação se dá nos dois sentidos” (GONÇALVES. se apresenta sempre como um momento de grande riqueza educacional. organiza atividades de estudo em grupo. As instituições educacionais públicas e privadas têm reagido as inovações advindas das tecnologias da informação e comunicação (TIC) e veem procurando se adaptar às atuais exigências do contexto social e tecnológico da era digital e dos benefícios por ela viabilizados. plena e permanente. mais facilmente. desejos e motivações. na medida em que envolve agentes que interagem uns com os outros. atitudes. Para isso. O tutor não assume o papel de professor. Na EAD. 14) No que tange as tecnologias digitais para fins de EAD destacam-se o desenvolvimento de softwares educativos e a utilização da internet. social e conjuntural na qual o aluno está inserido. “mas se põe à disposição do aluno para auxiliá-lo na construção do próprio caminho: não dá mais aulas. e aplicado à cultura ideológica. acumulando e reproduzindo conhecimento através da linguagem virtual e da mediação realizada pelos tutores. p. quando utilizadas na educação a distância têm facilitado o acesso ao conhecimento a um maior número de pessoas. diversificado. de forma virtual.Segundo Gonçalves (1997) o termo “a distância” que indica separação física do professor e do aluno. 1997. permitindo torná-lo habilitado a realizar a construção do conhecimento naturalmente. por significar um ponto de encontro para todos os alunos. impressões. Tais ferramentas. 12 Multiplicidade de sentidos de uma palavra ou locução. 6. conteúdos. entre si e com o tutor. o processo de aprendizagem virtual assemelhase ao de natureza presencial. orientada com base nos meios telemáticos (internet. sugere novas leituras ou atividades. A tutoria. identifica dificuldades. p. 13 Esta seção contou com a colaboração de Ana Perpetua Ellery Corrêa.

transpondo o conceito tradicional de tempo e espaço e “estabelecendo novas pontes entre o estar juntos fisicamente e virtualmente” (MORAN. sem perder de vista a capacidade de ser sensível aos ritmos e às expectativas dos seus alunos. a melhoria dos padrões de qualidade na educação. Hoje. Neste novo contexto. idealiza-se um professor como aquele que está permanentemente atualizado com o conteúdo da sua disciplina. p. já não é possível ensinar do mesmo modo que se fazia no século passado. a educação é um “dos mais poderosos instrumentos de mudança” e para que ela cumpra seu papel social é importante que esta seja permanentemente compreendida como tal. chats. Aos professores. Tornam-se exigências deste novo modelo. As novas tecnologias e a educação devem caminhar numa mesma direção uma vez que os indivíduos que frequentam as escolas e espaços educacionais são os mesmos que dialogam. A pressão exercida pelas novas tecnologias incide não somente no espaço educacional. As funções tradicionais dos professores têm sido questionadas em virtude da inclusão das tecnologias que chegam ao ambiente escolar. 8). mas nesta esfera é atribuída maior notoriedade por ser o reconhecido espaço propulsor do conhecimento. face aos estímulos e a facilidade de receber e trocar informações. tem que ser ao mesmo tempo inventivo e inovador. tem a capacidade de estimular a autonomia. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 21 . 2001. web-conferências. a criticidade. A educação é convocada a revisar-se. a criatividade. Todas essas mudanças no campo da informação. dado que o conhecimento advindo das vivências sociais e cotidianas se ampliou. de se expressar. a capacidade de autogerenciar sua aprendizagem. de forma a preparar seus alunos para se situarem no eclético e multifacetado terreno apresentado pela era da informação. Com isso demandam novas posturas profissionais daqueles que estão atuando em suas atividades laborais. juntamente com as instituições formais de ensino. aprendem e se comunicam através das redes de comunicação disponíveis pela internet. Os meios de comunicação e as redes sociais alargaram o repertório de informações colaborando. o raciocínio. A sociedade do conhecimento do século XXI vem exigindo. Os alunos não são os mesmos. a instituir novas práticas e consolidar boas experiências e os professores são os principais atores mobilizados a apresentar respostas a esses processos de mudanças. para a formação pessoal e coletiva dos agentes no contexto da sociedade em que vivem e interagem. comunicação e conhecimento têm provocado desafios no plano da ação docente.A utilização desses múltiplos mecanismos de comunicação no campo educacional. através da internet (e-mail. do desenvolvimento do saber e vocacionado para a formação de competências. fóruns) amplia as possibilidades da aprendizagem dinâmica e participativa. tanto por meio presencial como a distância. de se reconhecer e de se relacionar. cada vez mais. se relacionam. news. Como afirma Morin (2001). cabe a função de tornar a sala de aula um espaço de reflexões. o desenvolvimento de habilidades de pesquisar.

o cenário onde ocorrem as práticas pedagógicas. • A forma de interatividade. Bons docentes na educação presencial não são necessariamente profissionais ideais para atuarem na EAD. o professor precisa estar olhando para o futuro. portanto. A dinâmica e a abordagem pedagógica do professor no contexto presencial se diferenciam daquele que atua em EAD em muitos aspectos. de forma a antecipar os desafios que lhe serão impostos. se tornando participantes ativos na dinâmica da sociedade em que estão inseridos. a ser influenciados não somente por seus atributos pessoais. o design educacional. de apresentação do conteúdo. Nesse contexto de tantas reformulações. nem tampouco um bom professor no contexto da EAD tem equivalente performance na educação presencial. a forma de interatividade. a fim de que estes se sintam motivados a trocar suas experiências. mas ainda existe uma parcela da população docente que se encontra à margem deste tipo de qualificação. Pro formação. Tem que ser conhecedor das propostas pedagógicas em que se envolve profissionalmente e delas se apropriar plenamente além de se dedicar verdadeiramente às suas missões e valores. seja presencialmente ou a distância. criando a sua própria identidade. Cada experiência realizada. em que o professor pode estar inserido em práticas docentes presenciais. Na busca de encontrar o formato adequado para melhor utilizar-se das características positivas da EAD. projeto ou ação educacional a que este se filia. mas também pelo projeto político pedagógico de cada programa. é que as formações a distância veem procurando desenvolver estratégias que a caracterizem e diferenciem. Cabe ao professor de EAD desenvolver habilidades que permitam que os apren- 22 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . lançado em 1995-1996. registrarem suas descobertas e compartilharem suas impressões com a turma. de construção do conhecimento.O professor mobiliza os alunos no sentido da construção de significados para os conhecimentos que lhes são apresentados. a distância ou em contextos híbridos. os mecanismos de estímulos visuais. sua ação deve incorporar uma plasticidade que permita o seu desenvolvimento adequado face às características próprias de cada modalidade. evitando a replicação das estratégias praticadas para o ensino presencial. Diante do mutante cenário da sociedade tecnológica. sensoriais e cognitivos exigem estratégias pedagógicas que se adaptem as distintas realidades14. TVEscola. • Os mecanismos utilizados para manutenção do interesse e da motivação por parte do aluno. • A rigidez do tempo destinado para o desenvolvimento de cada aula. 14 O Governo Federal tem avançado na formação de educadores em todo o país para atuarem na EAD. O papel e a postura do docente passam. A diferença da linguagem oralizada adotada na modalidade presencial e da mediada pelos recursos midiáticos. voltados para programas como o Programa Nacional de Informática na Educação (PROINFO). tem suas especificidades e exige do docente uma adequação à sua proposta. embora precisem ter atributos em comum. tais como: • O grau de presencialidade.

associada a uma oferta ampliada de cursos nessa linha de abordagem. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 23 . pode ser um caminho rumo à formalização dessas competências. é importante que os professores estejam preparados e sejam incentivados a acompanhar essas mudanças que repercutem diretamente na sua prática pedagógica. O sexto tópico é dedicado a discutir o papel do professor nos novos modelos de EAD que se desenham no contexto das tecnologias da informação e comunicação. enquanto no terceiro tópico faz um resgate histórico da EAD no Brasil. Esta unidade procura apresentar e discutir alguns conceitos relacionados a definição de educação a distância. o contexto histórico que levou ao seu surgimento. Ao longo do tópico apresenta também os princípios que norteiam a EAD e de que forma tais princípios representam um mudança de paradigma em relação a educação presencial. No tópico dois é apresentada uma breve descrição da educação a distância no mundo. O estabelecimento de uma cultura de formação de professores. desde meados do século XIX até os dias atuais. 3. Contudo. seu foco de atuação e o modelo adotado. Uma seção é dedicada a explicitar os modelos de EAD adotados no país bem como as tecnologias utilizadas pelas instituições brasileiras. dos mecanismos de mediação síncronos e assíncronos e das configurações em rede. O quarto tópico apresenta a Universidade Aberta do Brasil (UAB). Comente sobre a importância do meio impresso para EAD. 1. com características mais aplicadas do que teóricas. Em que medida o papel do professor passa a ser alterado com o uso das novas tecnologias? 4. com destaque para os avanços registrados nos últimos 15 anos. ao mesmo tempo em que as instituições educacionais devem ser (re)estruturadas tecnologicamente para atender a essas questões. Que impacto as tecnologias digitais causam na EAD? 2.dentes passem a articular os saberes e as capacidades adquiridas para utilização na vida real. Estabeleça diferenças entre a atuação do professor nas modalidades presencial e a distância.

Rio de Janeiro. M. M. B. Paris: UNESCO. RIANO. Rio de Janeiro. P 19-35. e BEHRENS. L e RAMA. A R. Ano IV. La Educación Superior a Distancia em America Latina y el Caribe . Marilda Aparecida. C. Ano XXVI. Michael G. VIANNEY. MORAN. E. C. N° 134/135. Abr/Mai/Jun/1997. Mimeo. Santa Catarina. 7 . N. TORRES. MATINS. Rio de Janeiro. 2010. Nov/Dez/1997. L. N° 20 1997. M. KEARSLEY. 7-16. C. RIBEIRO. UNISUL. Seven Complex Lessons in Education of the Future. edad e circunstancias. VIDAL. Rio de Janeiro. 24 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . Instituto de Pesquisas Avançadas. Quem tem medo do Ensino a distância In Revista Brasileira de Educação a Distância. MORIN. p.11. Atividades não presenciais: preparando o aluno para a autonomia In Tecnologia Educacional. Ano IV.. L. N° 141. Sobre os recursos de ensino In Tecnologia Educacional. S. ABT. Rio de Janeiro. ABT. Educação a distância: algumas considerações. Mimeo. Ano XXVI. Universidade Federal do Ceará (dissertação). Marcos T. Ano XXVI. M. N° 23. Edgar. e PROVENZANO. Campinas/SP: Editora Papirus. P. 1995. Educação básica x Ciência & Tecnologia: por uma política de impactos cruzados. F. P.Realidades y tendencias. 1997. 2001. . N° 139. São Paulo: Thomson Learning. Rio de Janeiro. MOORE. Aprender sin Fronteras: superar las barreras de espacio. 35-38. tiempo. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. La evaluación em Educación a distancia In Revista Brasileira de Educação a Distância. E. 36-40. sd. T. UNESCO. MASETTO. VIEIRA.GONÇALVES. Instituto de Pesquisas Avançadas. P.. F. L e ROESLER. J. Jan/Fev/Mar /Abr/1997. Educación superior a distancia en Brasil In Torres. P. A. M. ABT. Jul/Ago/1997. M. 2007. S e SAMPAIO. R. P. Distance Education: a system view. Anotações sobre a produção de material impresso para a educação a distância In Tecnologia Educacional. LANDIM. José Manuel. Greg. 2001. L. Dissertação de Mestrado em Educação. LEITE. (Coor).

Unidade 2 Tecnologias na Educação Objetivos: • • • • Discutir as possibilidades didáticas e metodológicas do uso das tecnologias no ambiente escolar. Compreender diferentes formas de se introduzir o computador e a internet como recursos pedagógicos. Avaliar o uso de tecnologias educacionais no ambiente escolar. Situar-se acerca do uso do meio impresso e audiovisual como recursos pedagógicos. .

.

vídeo. O terceiro tópico é dedicado a educação audiovisual..000 anos: é o livro (Isaac Azimov. As possibilidades didáticas e metodológicas a partir do uso da tecnologia Atualmente. informática. é comum associar a modernização educacional à incorporação de novas produções tecnológicas. tal cassete já existe há 5. O primeiro tópico trata das possibilidades didáticas e metodológicas a partir do uso das tecnologias. Na verdade. videodiscos interativos. multimídia.. Tal visão foi INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 27 . 1. a partir da segunda metade do século XX. Na verdade. a presença da tecnologia na escola remonta a criação da própria escola. No entanto. observando a inclusão do retroprojetor e da televisão e vídeo como recursos tecnológicos utilizados no ambiente escolar. principalmente as mais recentes como televisão. instrumental.Antevejo um cassete no qual a fita se detém assim que desviamos os olhos da imagem (. enquanto o segundo apresenta o meio impresso como um recurso pedagógico dos mais antigos e que ainda é considerado de grande relevância para a educação presencial e a distância. 1920 – 1992. O quarto tópico procura discutir as relações entre a tecnologia educacional e o professor. CD-rom. realidade virtual. O módulo procura fornecer uma série de referências teóricas sobre o tema para que você construa um conhecimento sólido e rico acerca do uso das tecnologias no ambiente escolar e das inúmeras possibilidades de seu emprego na sala de aula e no trabalho pedagógico. hipertextos. enquanto o quinto trata das formas de se trabalhar o uso do computador e da internet na educação.). bioquímico e escritor de ficção científica americano) Introdução Este módulo aborda aspectos relacionados com a inclusão das tecnologias no ambiente escolar e as potencialidades de uso no contexto educacional. seu uso foi vinculado a uma visão tecnicista. correio eletrônico. telemática. uma vez que equipamentos concebidos para tarefas alheias ao campo educacional migravam para o ambiente escolar com propósitos de uso para substituir tarefas que historicamente cabiam ao professor.

que conectado ao computador realiza projeções de melhor qualidade que o retroprojetor. que se fazem presentes nos livros didáticos de hoje. televisão. O meio impresso O meio impresso é. papel. mudanças. como é o caso do retroprojetor e da televisão-vídeo (DVD) e mais recentemente. há muito ainda o que desenvolver e aprender até que fique mais claro como inseri-los no currículo escolar. tanto em educação presencial quanto em educação a distância. 2. Numa perspectiva histórica. é incomparável as primeiras produções feitas em papiro e copiadas a mão. um equipamento mais moderno. O uso desses recursos no âmbito escolar sempre foi condicionado por questões de natureza econômica e política. o que tem mais história. e mais recentemente as novas tecnologias da informação e da comunicação. constata-se que a relação entre a escola e a tecnologia começa com o uso de diferentes artefatos entre eles: lápis. por estarem em uso há mais tempo. infográficos. Para os recursos mais novos. algumas orientações seguras já podem ser fornecidas. de todos os materiais que integram hoje a educação. rádio. 28 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . com a produção em escala dos tempos atuais. e recursos audiovisuais como fotografias coloridas. em alguns casos. gravador. portanto. É sabido que há uma tendência de a educação a distância ocupar cada vez mais espaço. ilustrações. No caso do livro. O meio impresso é o material mais amplamente utilizado. etc. tentativas. A literatura mostra que não existem regras rígidas neste campo. validação. quando educadores eliminam ou excluem a possibilidade de inclusão dos recursos tecnológicos por preconceito ou discriminação. 1 Em fins dos anos 1990. vídeo. do computador e internet. o meio impresso registra grande evolução tecnológica. já foi objeto de uso. No caso do retroprojetor1 e vídeo (DVD). e. inclusive numa modalidade que se mescle com a presencial. o retroprojetor começa a ser substituído pelo data show. Procurar-se-á abordar os recursos tecnológicos tanto do ponto de vista da educação presencial quanto para a educação à distância. Ao longo de sua história. material impresso. A Epopéia de Gilgamesh descrevendo o dilúvio em Acádio é o livro mais antigo onhecido. A seguir são apresentadas algumas orientações acerca do uso dos recursos tecnológicos mais comumente utilizados na educação. etc. sem dúvida.responsável por uma forte rejeição dos docentes ao uso das tecnologias no ambiente escolar. telégrafo. por questões de cunho ideológico. a ideia é fornecer algumas orientações operacionais de como preparar e utilizar os recursos mais acessíveis às escolas brasileiras. portanto.

A oralidade. Segundo Levy (1999) pode-se organizar três tempos do espírito humano: 1. em 1493. com cerca de 1600 xilogravuras. O códice. os papiros egípcios. adequação do objeto ao uso e manuseio humano e nesse sentido contribuem também para uma maior disseminação e popularização do material impresso. A concepção do tempo nas sociedades sem escrita é o círculo. que se divide em duas: a oralidade primária momento em que predominava a ausência da escrita e a oralidade secundária. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 29 . a invenção do codex2 são momentos de aperfeiçoamento. o papel e a prensa de Gutemberg representam etapas evolutivas do processo de escrita. Pela primeira vez discursos podem ser separados das circunstâncias particulares em que foram produzidos. A escrita. Trata-se do maior livro ilustrado de sua época.As tabuinhas de argila dos caldeus. de programas ou de representações audiovisuais. a transmissão e o armazenamento. histórico. dos sons e das imagens. quando o eterno retorno da oralidade é substituído pelas longas perspectivas da história. foi substituído pelo livro impresso. A escrita traduz para a ordem dos signos o espaço-tempo instaurado pela revolução neolítica e permite uma situação prática de comunicação radicalmente nova. 2. Nas culturas escritas. a seleção. ocupando um lugar simultâneo com a escrita. e gradativamente substituiu este último como suporte da escrita. A dramatização. 2 Codex ou códice é um avanço do rolo de pergaminho. quando o estatuto da palavra é complementar ao da escrita. A diminuição do tamanho do livro. o pensamento se dá por categorias enquanto nas culturas orais. recepção e tratamento dos dados. Se tomarmos como referência os três tempos do espírito3 propostos por Pierre Levy no livro As tecnologias da inteligência. os impressos encontram-se no segundo tempo. 3. já que qualquer proposição que não seja periodicamente retomada e repetida em voz alta está condenada a desaparecer. personalização e artifícios narrativos diversos não visam apenas dar prazer ao espectador. por sua vez. que desempenha quatro grandes funções: a produção ou composição de dados. captam-se primeiro as situações. Com a escrita. são também condições sine qua non da perenidade de um conjunto de proposições em uma cultura oral. A escrita suscitou o aparecimento das teorias. o tempo se torna cada vez mais linear. A Crônica de Nuremberg é um livro famoso publicado em latim. A rede digital.

se incorporarem à cultura. Bacon. no modelo de livro que conhecemos hoje. responsáveis pela construção de grandes sistemas filosóficos. O uso de materiais impressos na educação a distância (EAD) pressupõe que o aluno tem autonomia de leitura já que a leitura ouvida (especialmente explorada pelo professor) não mais acontece. encenadas.É graças à escrita que se rompe o tempo circular do mundo da oralidade e se estabelece o tempo linear. O movimento de tradução dos textos gregos marca o fortalecimento da intelectualidade europeia. É a partir do século XVI. comparadas. Na educação presencial. o livro é o principal material de apoio e para a educação a distância é um dos principais veículos utilizados no envio de informações. uso de tabelas. As escolas adotam a leitura ouvida como modelo pedagógico e a proliferação de obras publicadas confirma e reforça esse paradigma. isso se dava de modo presencial. Naturalmente. cabeçalhos aparentes. dando-lhe uma interpretação única e limitada. a atribuição de sentido. A disseminação dos impressos se dá simultaneamente aos processos de globalização iniciados no século XVI. através da oralidade. mitificadas. traduzem. Leibniz e outros filósofos-cientistas que viveram no alvorecer da Idade Moderna. até mesmo alteram o texto escrito. esquemas. É sobre esse tipo de impresso que a educação laica da Revolução Francesa se instaura na Europa e chega ao novo mundo. para chegar às novas gerações. ou seja. em que as proposições não precisam mais ser periodicamente retomadas. apresentam suas obras de forma sistemática e organizadas por extratos. que os impressos se organizam como os conhecemos hoje: paginação regular. indexadas. dispensa a mediação humana e permite aos atores da comunicação a interpretação. Assim. histórico. sumário. 30 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . Os professores. as aulas e os professores – audição e fala – se tornam os elementos imprescindíveis para o processo ensino-aprendizagem. adaptam e. Descartes. A escrita possibilita o distanciamento do acontecimento. diagramas. portanto posterior à invenção da imprensa. índice.

toda explicação possível se torna nebulosa e se apaga. necessariamente. A educação audiovisual A popularização do impresso a partir da invenção da imprensa por Gutemberg. uma vez que tal inovação exigiria mudanças pedagógicas e os professores sentiam isso como uma ameaça à sua função. 1. manifestando a necessidade de manusear objetos palpáveis. vídeo) e mídias (rádio. essa inserção da nova tecnologia não foi feita sem resistência. Comente a afirmação. concretos. no século XV. não tardou a chegar à instituição escolar. por uma síntese positiva de todos os recursos disponíveis. a presença de um novo paradigma ativa mecanismos de defesa e com frequência são usados argumentos de natureza cultural para a rejeição das novas abordagens. Os avanços tecnológicos trouxeram grandes novidades para o universo da impressão e hoje é possível construir páginas impressas com grande riqueza de informações.Caberá ao aluno exercer sua autoridade de leitor individual. o caminho a ser construído passa. outros recursos audio-visuais (fita cassete. com usos pedagógicos específicos e com interfaces gráficas extremamente atraentes para qualquer faixa etária que se pretenda atingir. o conhecimento. quatro séculos antes de Cristo. através da leitura. contenta-se em fazer desfilar palavras e imagens espetaculares. atribuição de sentido. Desde o século XIX tentativas de EAD utilizando material impresso vêm sendo realizadas e de lá para cá. que já estarão esquecidas no dia seguinte” (p. são raros os casos em que os materiais impressos são dispensados. explorando. Na verdade. Os usuários do universo digital ainda não se sentem completamente à vontade com o uso exclusivo da realidade virtual. televisão. pois como bem afirma Levy (1999): “a superfície deslizante das telas não retém nada. através do seu horizonte cultural. a tecnologia da escrita. Exemplo disso encontra-se no Fedro de Platão. internet) têm se incorporado como estratégias de ensino-aprendizagem. que agregou ao discurso oral dos professores. Segundo alguns historiadores. ícones e símbolos impressos em celulose. é ele que constrói e/ou reconstrói. No entanto. No entanto. nela. 116). Mas negar o significado das tecnologias digitais não é a forma de preservar a cultura impressa. quando ele se refere à escrita: INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 31 . 3. a história da humanidade é marcada por três grandes descobertas ou revoluções: a propriedade privada. jornal. a agricultura e a invenção da escrita. enfim. as múltiplas possibilidades de interpretação.

Este descobrimento fará nascer no espírito de quem aprendeu a omissão por não poder ter cultivado a memória. • Instrumento de apoio à exposição do professor: ajuda o professor a explorar particularidades dos assuntos sobre os quais discorre. as tarefas mais mecânicas. destacamos: • Motivação: forte apelo emocional. ao ter se tornado. sem a mesma relevância e significado pedagógico. imagens estruturadas previamente. eles podem se converter em aliados do professor. 32 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . • Demonstração: existem fenômenos/eventos que só podem ser visualizados com o uso de artefatos. 35).. atendê-las segundo o nível individual de aprendizagem (p. Entre essas funções. em sua maioria. a inclusão dos meios audiovisuais é percebida como procurando substituir os livros. A familiaridade dos professores com os recursos audiovisuais é o pressuposto básico para que estes os utilizem como recursos pedagógicos. • Instrumento para diferenciação progressiva: permite que um conceito bastante complexo seja apresentado em diferentes instâncias. uma vez que “não haverá professores formados para o emprego do vídeo e os demais meios audiovisuais se não houver professores formados mediante o emprego de vídeo e dos demais meios audiovisuais” (FERRES. Já tendo ouvido falar de muitas coisas que não estão escritas. 1996. p. por alguns aspectos independentes de si. O uso dos recursos audiovisuais em educação pode cumprir várias funções e objetivos. Os avanços nos campos da psicologia da cognição e da pedagogia revelam que os recursos audiovisuais apresentam uma função simbólica enriquecedora para o processo ensino-aprendizagem. Nessa perspectiva. Por isso é imprescindível que durante o processo de formação. darão a impressão de conhecer muitas outras.. reservando-se ao professor tarefas mais especificamente humanas: motivar condutas. serão traídos à lembrança exterior. não a partir de seu interior. e serão fastidiosos de tratar. liberando-o de tarefas menos nobres. homens com a presunção de sê-lo. • Organizador prévio: estabelece uma ponte conceitual entre o novo conceito e a estrutura cognitiva. foram confiadas às novas tecnologias (sobretudo ao vídeo e ao computador). em consequência de sua confiança na escrita. • Simulação: permite a manipulação de modelos da realidade. mas pelo seu próprio esforço. Segundo Ferres (1996). equipamentos. já que os homens. orientar o trabalho dos alunos. os cursos acrescentem aos seus programas o uso das tecnologias. Ao contrário do que se pensa. porém. 35). em vez de sábios. como difusor de conhecimentos ou mero transmissor de informações. resolver suas dúvidas. • Instrumento para reconciliação integrativa: possibilita a integração de instâncias particulares de um conceito no próprio conceito. permitindo-lhe ser. apesar de ser. Aparência de sabedoria e não sabedoria ofereces a Teus discípulos. dependendo naturalmente do planejamento do professor. antes de tudo educador. quebra o ritmo da aula convencional. perfeitos ignorantes.

− e tem entre suas atribuições facilitar: • A apresentação de figuras de difícil execução. como o WordPerfect (Corel).com.3bscientifc. esquemas. o uso do retroprojetor está sendo gradativamente substituído pela dupla − computador e data show. aula expositiva apresentação de painel.br/fotos/2008 Designamos de aparato tecnológico autônomo porque. infográficos. o Presentations (Corel) e o Harvard Graphics (Software Publising). StarOffice Writer e Word (Microsoft). recomenda-se o uso de fontes (letras) de. • A apresentação de fotografias.com. • A apresentação de equações extensas e absolutamente indispensáveis à compreensão do assunto. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 33 . Em todos os casos. palestra. Opcionalmente. ele funciona de modo independente. Os programas de computador mais utilizados para preparação de lâminas são o PowerPoint (Microsoft). Retroprojetor/Data show O retroprojetor foi um dos primeiros aparatos tecnológicos autônomos que adentrou o ambiente escolar. como mapas. gráficos. O data show ou canhão de projeção é um dispositivo que conectado ao computador projeta as lâminas ampliando o tamanho e permitindo a apresentação para plateias.1.br www. a lâmina é usada como apoio a uma exposição oral − seminário. também conhecidas como transparências para que o professor conduza a sua exposição ou aula. etc. Muitos aplicativos utilizados hoje em dia permitem a preparação de lâminas para exposição didática.blogtec. desde que o equipamento esteja com todas as suas peças funcionando e exista uma fonte de energia ao alcance. Nos dias atuais. tabelas. www. no mínimo.3. Basicamente. necessitando apenas de lâminas de acetato. etc. pode-se utilizar as planilhas eletrônicas como o Quattro Pro (Corel) e o Excel (Microsoft) ou mesmo um bom Processador de Textos. 18 pontos (tipo Arial) e evite gráficos ou figuras excessivamente detalhados.

• Aprenda a manusear o equipamento antes da apresentação. • O uso de cores na elaboração da lâmina é recomendado.5cm nos quatro lados. • Ao realizar a projeção. tamanho 18 ou superior. fique sempre de frente para o grupo e não se interponha entre o foco de luz e a tela de projeção. usando uma caneta ou outro objeto pontiagudo. etc. não sendo recomendados comentários sobre lâminas já mostradas ou futuras. mas estas devem ter uma função. pois a melhor forma de ler um texto é no livro/apostila. tópicos. a luminosidade e a distância adequada. organize a sala de aula de modo que a visualização das imagens seja adequada a todos. • Explique a partir do retroprojetor/data show e não da tela. texto de advertência. • Não utilize letra muito pequena para a preparação da lâmina. um festival de cores. Em grande parte dos casos o modo paisagem (transparência deitada) é o mais usado e as margens recomendadas é de 2. • Recomenda-se um tempo médio de exposição por lâmina. procure usar letras tipo Arial ou Times New Roman. teste o foco. • Cada lâmina deve conter apenas os pontos essenciais de apoio à exposição. Exemplo de uma lâmina 34 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . Assim. subtópicos. • O que é falado deve acompanhar o que é mostrado. Cores como amarelo. de 3 a 5 minutos. pois pode confundir mais do que esclarecer. verde limão e combinações verde/azul podem dificultar a visão. pois quem dá a aula é o professor. Para isso é necessário planejar o roteiro e definir qual a função de cada cor na confecção: texto normal. • Não copie trechos de materiais impressos. Se ela for preparada em computador.A preparação de lâminas deve se orientar por alguns cuidados para que seu aproveitamento como recurso pedagógico atinja um ponto ótimo. Não faça. porém. • Durante a exposição. recomenda-se que: • Cada lâmina aborde apenas um tópico com unidade temática.

INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 35 .5% por meio do olfato 11% por meio do ouvido 83% por meio da visão Quadro 2 – Capacidade de memorização Percentagem dos dados memorizados pelos estudantes 10% do que leem 20% do que escutam 30% do que veem 50% do que veem e escutam 79% do que dizem e discutem 90% do que dizem e depois realizam Quadro 3 – Métodos de ensino x memória x tempo Métodos de ensino Somente oral Somente visual Oral e visual juntos Dados mantidos após 3 horas 70% 72% 85% Dados mantidos após 3 dias 10% 20% 65% A considerar os dados dos quadros anteriores. O advento das tecnologias digitais mudou bastante o cenário e estudos mais recentes mostram que os jogos eletrônicos. melhor é a porcentagem de retenção mnemônica. p. “nos países industrializados. Vídeo e televisão Desde a invenção da televisão e sua popularização a partir da década de 1950. especialmente a televisão e o vídeo (DVD) ampliam a capacidade de aprendizagem dos estudantes bem como atuam no sentido da manutenção dessas informações na memória. 1996. Durante muitos anos. este equipamento tecnológico tem sido considerado como possuidor de amplas possibilidades pedagógicas.2. Para diversos autores.5% por meio do tato 3. o uso do vídeo como recurso pedagógico se justifica à medida que quanto mais sentidos mobilizamos durante uma exposição. e na segunda atividade dos estudantes.3. depois de trabalhar e dormir. por mais tempo. o uso dos recursos audiovisuais. não só como recurso que possa vir a ser usado no ambiente escolar. assistir à televisão se tem convertido na terceira atividade do cidadão comum. o computador e a internet estão ocupando mais tempo das crianças e jovens que a televisão. inclusive Ferres (1996). e atendendo as horas de dedicação. 11).Porcentagem de retenção Mnemônica Como aprendemos 1% por meio de gosto 1. depois de dormir” (FERRES. Quadro 1 . como mostram os quadros a seguir. mas também fora dele.

Exemplos de videolição são as aulas do Telecurso 2000. onde os alunos são os protagonistas. Videolição: é a exposição sistematizada de alguns conteúdos. o professor deve preparar-se de modo a que seu uso não se esgote na simples apresentação de imagens e sons. já no videolição. no entanto. mas que seja planejado atividades exploratórias para momentos posteriores à exibição. Caracterizam-se com vídeo com duração de 2 a 3 minutos e nunca chegam a 10 minutos. podemos organizá-los atualmente em seis modalidades. separadas e organizadas pelo professor para trabalhar um conceito específico. Videoapoio: conjunto de imagens utilizadas para apoiar uma exposição didática. que são: 1. Em alguns vídeos é possível utilizar uma ficha de observação como a seguinte: 36 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . sendo as informações fornecidas progressivamente. muitas vezes mudos e que desenvolvem de uma maneira intuitiva um só conceito. estimulando a participação dos alunos que já o viram. Filmes comerciais podem também serem utilizados e explorados para fins educacionais. Essa modalidade de vídeo envolve a informática e pressupõe a abertura para interação homem-máquina. Programa monoconceitual: programas breves. Programa motivador: audiovisual feito para suscitar um trabalho posterior ao objetivado. Nessa modalidade não se usa propriamente um programa de vídeo. Videoprocesso: é uma modalidade de uso da câmera. 6. Mobiliza a criatividade dos alunos e serve como motivador para trabalhos em grupo. 5. a aprendizagem se realiza basicamente enquanto o programa é exibido. o vídeo motivador procura suscitar uma resposta ativa. Nesse caso. sempre em função do nível de compreensão e da capacidade de aprendizagem de cada aluno. que se fundamenta na pedagogia do enquanto. 2. numa tentativa de sistematização. em que o professor é substituído pelo programa de vídeo. Ou seja. trabalha-se com um programa de vídeo acabado e realiza-se uma atividade pedagógica a partir de sua visão. mas imagens isoladas. realizar anotações e planejar a melhor forma de usá-lo na sala de aula. Ao utilizar programas de vídeo como recurso pedagógico em sala de aula. 3.O vídeo (DVD) e a televisão apresentam múltiplas possibilidades pedagógicas e usos diversificados. É o equivalente a aula expositiva. Segundo Ferres (1996). Com os recursos disponibilizados hoje na internet e nos computadores. o vídeo é elaborado pelos próprios alunos da sala e torna-se necessário que uma câmera esteja disponível. 4. Uma pesquisa nas locadoras permite identificar títulos de vídeos cujos temas têm estreita associação com assuntos curriculares. o programa motivador baseia-se na pedagogia do depois diferentemente do videolição. Vídeo interativo: programa no qual as sequências de imagens e a seleção das manipulações estão determinadas pelas respostas do usuário ao seu material. este tipo de vídeo pode ser editado e apresentado com facilidade. Nesses casos. Cabe ao professor assistir antecipadamente.

ideológico. blogs e e-mails. O YouTube dedica-se a tornar essa experiência INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 37 . o YouTube é a comunidade de vídeo on-line mais popular do mundo. É um lugar para pessoas se relacionarem de novas formas com vídeos.Ficha sugestão de observação de vídeo Nome do aluno: Série: Título do filme: Diretor: Produtor: Evento: sobre que fenômeno(s). permitindo que milhões de pessoas descubram. tema(s) se refere(m) o filme? Questão(ões) básica(s): quais as perguntas que o diretor do filme pretende responder? Conceitos abordados: quais são os principais conceitos abordados? Teorias e leis apresentadas: que teorias e leis são apresentadas ou embasam as conclusões apresentadas? Hipóteses levantadas: que hipóteses são levantadas pelo diretor para explicar o fenômeno apresentado e responder à questão básica? Dados apresentados: que dados o filme apresenta para sustentar as suas hipóteses? Asserções de conhecimento: quais as conclusões a que chega o filme? Que resposta(s) apresenta(m) para a questão básica? Asserções de valor: sob o ponto de vista ético.YouTube. informarem e inspirarem outras pessoas por todo o mundo e atua como uma plataforma de distribuição para criadores de conteúdo original e grandes e pequenos anunciantes. O YouTube oferece um fórum para as pessoas se conectarem. A explosão de aparelhos com capacidade de reprodução de vídeo continua a proporcionar às pessoas o controle sobre os vídeos que gravam. O YouTube permite que as pessoas enviem e compartilhem facilmente clipes de vídeo em br. moral para que serve o conhecimento adquirido? YouTube Fundado em maio de 2005. aparelhos celulares. assistam e compartilhem vídeos criados originalmente. assistem e compartilham. quando e onde desejarem.com e em toda a Internet por meio de sites. O YouTube começou como um serviço pessoal de compartilhamento de vídeos e cresceu rapidamente para se tornar a maior comunidade mundial de vídeos na Internet.

Quais as contribuições que uma apresentação usando recursos audiovisuais pode dar a processo ensino-aprendizagem? 2. Com uma base de usuários tão grande e diversificada. a cada minuto. mas também pela evolução da ciência e da tecnologia com o desenvolvimento de novos equipamentos e aparelhos. a tecnologia educacional apresentava-se como um meio gerador de aprendizagem.com/t/fact_sheet 1. Fonte: http://www. o YouTube foi adquirido pela Google Inc. psicologia e didática. O Google e o YouTube têm em comum a visão de possibilitar que todos encontrem. tem incorporado novos elementos. divididos igualmente entre homens e mulheres e englobando todos as regiões. a quantidade diária de tempo que os estudantes dedicam a televisão. Em novembro de 2006. Na verdade.. o YouTube oferece algo para todos. Cinqüenta e um por cento de nossos usuários acessam o YouTube semanalmente ou com mais freqüência e 52% das pessoas com 18 a 34 anos compartilham vídeos freqüentemente com amigos e colegas. Como você avalia do ponto de vista pedagógico. tornando-se uma subsidiária independente da líder em serviços de pesquisa e publicidade on-line. enviem. Na década de 1970 . passou a fazer parte do ensino como processo tecnológico. 38 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . 4. em função não só dos avanços no campo da pedagogia. para resolver problemas educacionais a partir de uma concepção tecnicista de educação. perfeita e divertida possível na Internet e em qualquer dispositivo. ao longo do tempo. 20 horas de vídeo são enviadas ao YouTube. As pessoas estão assistindo a centenas de milhões de vídeos por dia no YouTube e enviando centenas de milhares de vídeos diariamente. de suas potencialidades de uso pedagógico. inclusive. 4 O uso das novas tecnologias da informação e comunicação no ambiente educacional nos remete a ao termo tecnologia educacional4.a mais simples. de 18 a 55 anos. A base de usuários é ampla com relação à faixa etária. jogos eletrônicos e computador/internet? Você acha que tais recursos forjam uma nova forma de pensar e aprender? Comente. assistam e compartilhem vídeos originais pelo mundo e a dedicação para inovar com vídeo buscando oferecer serviços atrativos para nossos usuários e proprietários de conteúdo. Este conceito. A tecnologia educacional e o professor Nas décadas de 1950 e 1960. com a ampliação.youtube.

Este conceito surgiu no final do século XX no primeiro mundo e é motivo de grandes preocupações por parte dos educadores e dos planejadores de políticas públicas. sendo que o professor passa a ser um mero especialista na aplicação de manuais e sua criatividade fica dentro dos limites possíveis e estreitos da técnica utilizada. muitas das preocupações da tecnologia educacional estão dirigidas para as novas formas de comunicação a partir da interatividade e do estabelecimento de redes informáticas. 2002. Tais mudanças causam impactos sobre a dinâmica social do conhecimento. http://www. visitado em 24/1/2010). a incorporação da robótica na produção industrial e a pobreza como efeito não desejado da aplicação de políticas de ajuste estrutural. o que é valorizado nesta perspectiva. exercendo um papel alienado de "apertadores de botões"."Tecnicismo educacional" (verbete). “Esta orientação foi dada para as escolas pelos organismos oficiais durante os anos 1960 e até hoje persiste em muitos cursos com a presença de manuais didáticos com caráter estritamente técnico e instrumental. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 39 . a prática pedagógica é controlada e dirigida pelo professor constando de atividades mecânicas inseridas numa proposta educacional rígida e passível de ser totalmente programada em detalhes.Tecnicismo educacional O tecnicismo é uma tendência educacional verificada nos anos 1970. o desenvolvimento e a difusão de tecnologias. vem gerando o que muitos autores designam de analfabetismo tecnológico. As novas tecnologias vêm propiciando abordagens e enfoques diferenciados à tecnologia educacional. problematiza sobre dois campos distintos e articulados − o campo da aprendizagem e o dos processos comunicacionais.” Fonte: Adaptado de MENEZES. inspirada nas teorias behavioristas da aprendizagem e da abordagem sistêmica do ensino. Esse novo foco de preocupações está marcado por alguns traços emergentes como a globalização dos mercados. uma vez que esta apresenta uma interface muito próxima entre as tecnologias da informação e da comunicação.br/eb/dic/dicionario. Segundo o educador José Mário Pires Azanha.asp?id=444. Desta forma. Ebenezer Takuno de. O fato de os indivíduos manusearem as novas tecnologias sem o menor domínio e conhecimento sobre seus processos de produção. Na atualidade.EducaBrasil. Thais Helena dos. No tecnicismo.com. São Paulo: Midiamix Editora. SANTOS. a celeridade da produção. a interdependência entre as culturas. Dicionário Interativo da Educação Brasileira . não é o professor. mas sim a tecnologia. educabrasil.

revelando que essas tecnologias têm potencial para dinamizar o processo de ensino-aprendizagem na medida em que adequadamente empregadas. preconceitos. Esse clima de desencontro. instigadora. no mesmo ritmo. bastante positivos. desafiando a escola que. faz com que a escola passe a ser percebida como uma instituição saturada. Consequentemente. distanciados do manuseio da informática na vida cotidiana ou como recurso pedagógico. as tecnologias digitais fazem parte de nossas vidas. ao chegar à escola a expectativa é que o currículo adotado extrapole a visão estática e hierárquica do modelo tradicional e que os professores atuem como mediadores para aprendizagens interessantes. No Brasil. Formas de trabalhar o computador e a internet na educação Neste tópico. insegurança. o ‘grande salto’ qualitativo neste campo ainda permanece no nível da intencionalidade de pesquisadores.Simultaneamente. Inúmeras pesquisas avançam nesta direção. Se você já é usuário de tais recursos tecnológicos. implícita ou explicitamente. as possibilidades de uso ainda 40 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . No entanto. de descompasso. fazendo deles recursos didáticos. limitação de visão. instituições governamentais e não governamentais. pode-se apontar o fato de que os professores atualmente em exercício. relações conflituosas com essas tecnologias. que têm a missão de preparar o terreno para esta ‘‘nova cultura’’. em que alunos e professores não conseguem estabelecer uma relação cativante. foram formados em uma cultura precedente. analise sobre os aspectos positivos e negativos. A que você atribui as dificuldades que os professores apresentam para usar as tecnologias na sala de aula? 5. que conduza pelos caminhos de aprendizagem. Considerando todas as circunstâncias que cercam os alunos e que eles são capazes de adquirir conhecimentos em outras instâncias sociais. manifestando fobias de toda sorte. convidamos-lhes à refletir sobre a prática docente no que diz respeito ao uso do computador e da internet. os exemplos de incursões no uso das tecnologias digitais são numerosos e muitos deles. é bastante comum que professores estabeleçam. receios. agências financiadoras. estagnada. tecnologia essa que sequer existia nos moldes conhecidos hoje. E as causas são inúmeras e interdependentes. não consegue acompanhar. qualquer que seja a atividade profissional. Cada vez mais. onde quer que estejamos. o mundo globalizado tem permitido que informações circulem com mais velocidade e em maior quantidade. Por exemplo. em sua postura sistemática e sequencial. 1. etc. os avanços sociais registrados.

reflita sobre a necessidade de empregá-los. pressionados pelas representações coletivas de que o uso da tecnologia corresponderia à uma espécie de redenção da educação. condição fundamental para que não percamos o trem da história. podem desempenhar um papel significativo no espaço escolar. Cada vez mais. Inúmeras iniciativas têm revelado facetas diferentes e promissoras com relação às formas de se trabalhar o uso do computador na educação. que tem um forte componente cultural. a formação do professor aparece como um fator de primeira ordem para resolver tal descompasso. mas é importante não perder de vista que a tecnologia não representa. necessário para criar o espaço de trabalho interdisciplinar. Por outro lado. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 41 . o seu papel como mediador de processos pedagógicos em que o computador e a internet têm um papel importante. dinâmico. que através do Ministério da Educação (MEC) tem recebido laboratórios de informática para uso por alunos e professores. para delimitar suas estratégias de ensino e para fixar objetivos de aprendizagem. Apesar de todo o avanço teórico revelando as possibilidades de aplicação pedagógica das tecnologias digitais. Ambos.não exploradas. por si só. o paradigma educacional novo. Enquanto isso. se você jamais se serviu do computador e da internet como meios de ensino e recursos de estimulação de aprendizagem. multimediatizado ainda está em emergência. Igualmente. construtivista. difusão e gerenciamento de informações. É a partir dele que o professor se situa para elaborar suas intervenções. a educação brasileira vem recebendo grandes incentivos para introduzir o computador e a internet no ambiente pedagógico. O grande desafio de integrar o uso do computador ao currículo ainda está por ser vencido e somente após esta etapa. um fator de mudança de paradigma e de qualidade na educação. sobre as eventuais vantagens e desvantagens relacionadas com seu uso e possíveis melhorias na intervenção pedagógica. utilizam o computador reduzindo-o à um livro didático eletrônico ou à uma máquina de escrever digital. com seu imenso potencial de tratamento. O currículo é a matriz norteadora do trabalho docente. muitas vezes. poderemos avaliar concretamente os efeitos do computador como meio de apoio ao ensino e de motivação de aprendizagens. Mas mesmo um simples aplicativo de tratamento de texto. não condizem com nossa cultura e aspirações. Nos últimos anos. uma planilha eletrônica ou um mecanismo de apresentação de dados podem ser explorados didaticamente. O computador e a internet podem ser empregados como excelentes recursos pedagógicos. especialmente as escolas públicas. com nosso nível de desenvolvimento e velocidade de processamento das novidades tecnológicas. A dinâmica da dependência tecnológica em que estamos inseridos permite a entrada no país de ‘‘pacotes’’ de soluções que. a internet e os recursos telemáticos têm oportunizado a exploração do computador como meio de comunicação pedagógica. professores estão à deriva e.

do rádio. representações de mundo. Para isso o currículo deve ser um instrumento de libertação e de autonomia. Registros mostram que a relação entre a escola e a tecnologia se dá desde tempos mais remotos. suscetível de reorientar a visão que temos do ensino e da aprendizagem. observando que a modernização educacional. Com o advento das tecnologias de comunicação e de informação e com as modificações estruturais que ocorrem na sociedade contemporânea. dos currículos e dos professores. construindo conhecimentos através de estratégias colaborativas e interdisciplinares. ao novo. dinâmica. concretos – livros. criativa. um currículo centrado no aluno e não nas disciplinas. Mas é o uso do meio impresso e audiovisual como recursos pedagógicos que causam grande impacto no processo ensino-aprendizagem. 42 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . e mais recentemente do computador e da internet. Na educação presencial. Nesta unidade procurou-se discutir as possibilidades didáticas e metodológicas do uso das tecnologias no ambiente escolar. ganha terreno e demanda novas posturas por parte da escola. muitas vezes. avaliados formativamente. com o uso do lápis.O currículo é também. do vídeo. ao imprevisível. articulados em torno de dinâmicas interdisciplinares. consequentemente. sem hora marcada para aprender e para ensinar. voltado para a criatividade e para a autonomia na construção de conhecimentos novos. à invenção da imprensa é que ocorreram profundas mudanças no processo ensino-aprendizagem. Mesmo na atualidade. por sua vez. é consenso que as possibilidades de trabalho pedagógico oferecidas pelo computador e internet impõem um redimensionamento da ideia de currículo. A ideia construtivista surge como uma vertente fértil. esta associada a incorporação das novas tecnologias. Enfim. do livro. um currículo flexível. rompendo barreiras disciplinares e demandando. enfim. A ideia de que os alunos são atores centrais do processo de aprendizagem e de que eles têm uma contrapartida a oferecer ao processo de ensino. registra-se um movimento forte que exige uma nova postura da escola e. estruturas de pensamento. Isto requer uma escola que funcione de maneira integrada. o livro é o principal material de apoio e para a educação a distância é um dos principais veículos utilizados no envio de informações. uma nova visão da dinâmica curricular. centrado na cognição e não na repetição. aberto ao imprevisto. Graças à escrita e mais tarde. os usuários do universo digital não se sentem completamente a vontade com o uso exclusivo da realidade virtual e apelam para o manuseio de objetos palpáveis. da televisão. um instrumento ideológico através do qual são transmitidos às novas gerações valores.

São Paulo. 2ª. 1996.com/t/fact_sheet LEVY. visitado em 24/1/2010. SANTOS.educabrasil. Ebenezer Takuno de. E hoje os recursos de vídeos disponíveis no You Tube faz com que os professores necessitem. MENEZES. Adam. As tecnologias da inteligência. por si só. A Sociedade Informática. um fator de mudança de paradigma e de qualidade na educação. http://www. Pierre. televisão e vídeo embora já tenham mais tempo de existência. situando como ferramentas a serviço do currículo e contextualizando seus usos. receber orientações e referências sobre as potencialidades. Vídeo e Educação. mas é preciso que os docentes tenham capacidade de fazer uma avaliação crítica acerca dos seus usos. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 43 . FERRÉS. Ambos. Porto Alegre: Artes Médicas. SCHAFF. Editora 34.youtube. difusão e gerenciamento de informações. http://www.br/eb/dic/dicionario. com. 1986. São Paulo: Midiamix Editora. podem desempenhar um papel significativo no espaço escolar."Tecnicismo educacional" (verbete). retroprojetor). Editora Brasiliense. 1999.asp?id=444. Dicionário Interativo da Educação Brasileira EducaBrasil. capacidades e possibilidades de se utilizar tais recursos em sala de aula. cada vez mais.O uso de recursos audiovisuais como data show (antes. Edição. ainda não são bem explorados do ponto de vista pedagógico. Rio de Janeiro. com seu imenso potencial de tratamento. é importante não perder de vista que a tecnologia não representa. Para compreender as diferentes formas de se introduzir o computador e a internet como recursos pedagógicos. Thais Helena dos. 2002. Joan.

.

Unidade 3 A rede mundial de computadores . Compreender o que é a Internet. Compreender o potencial educativo das páginas web. Refletir sobre as possibilidades de uso da internet na educação.a internet Objetivos: • • • • • Conhecer a história da rede mundial de computadores – a internet. Perceber as potencialidades da internet para a EAD. .

.

o Netscape e o Explorer) a internet realmente popularizou-se no mundo − e de modo vertiginoso − envolvendo atualmente milhões de pessoas. cujos regimes políticos não são democráticos. Tais recursos. sons e ligações (links) com outras interfaces. centenas de instituições e empresas em toda parte do globo.1. especialmente no campo da educação a distância. Essa abrangência. O que é a Internet A internet é uma rede mundial de comunicação via computadores. antes intitulada ARPANET. atingindo cada vez mais pessoas em toda parte. de pesquisadores. integrando serviços como o correio eletrônico. especialização e graduação através da internet. de universidades. Criada durante a Segunda Guerra Mundial com fins militares e depois estendida às universidades americanas. por exemplo) e poder percorrer diferentes interfaces e páginas www. a internet oferece um grande número de possibilidades de uso. A internet é a maior e mais poderosa rede de computadores do mundo. a internet. além de permitir o contato com pessoas em qualquer parte do planeta. com fins científicos. desenvolveu-se rapidamente. a internet representa novas possibilidades de interação que podem fortalecer e ampliar o processo ensino-aprendizagem. ter acesso a um navegador (Netscape ou Explorer. que está ampliando seu alcance. No contexto educacional. não significa que ela esta sendo usada com fins educacionais. com a criação e a disseminação de mecanismos de navegação na rede (browsers como o Mosaic. as listas de discussão. de desmistificar seu uso e suas possibilidades de comunicação e de educação aberta. Suas potencialidades educativas precisam ser cuidadosamente trabalhadas para que ela possa funcionar como um recurso de ensino e de aprendizagem. apenas o fato de se poder navegar na internet. há diversas instituições oferecendo cursos de extensão. apesar de poderosos e revolucionários. o comércio eletrônico etc. isto é. Mas. imagens. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 47 . À medida que se pode visitar sites de laboratórios. Somente à partir de 1993. inclusive em países como Cuba e China. a criação do protocolo www (World Wide Web) permitiu o desenvolvimento de interfaces (sites) integrando textos. além de outros fatores. de museus. Tal recurso é também empregado com o objetivo de democratizar o acesso ao computador. no ciberespaço brasileiro. Em 1989. a torna atraente para utilização como recurso educacional e a transforma em um poderoso veículo de comunicação de massa. de centros de pesquisa. Atualmente. eram limitados a alguns pesquisadores no mundo.

sem a necessidade de sair de casa e com entrega quase imediata no destino. 48 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . transpondo o conceito tradicional de tempo e espaço e "estabelecendo novas pontes entre o estar juntos fisicamente e virtualmente" (MORAN. rápidas e baratas. Em vez de ser entregue pelo serviço postal a um endereço físico. meios amigáveis de ter acesso à variedade de recursos (imagens. som e vídeo) disponíveis na rede. p. nos Estados Unidos. dados. entre 2000 . Esta mesma fonte indica que o crescimento na conexão em rede verificado na América Latina. Qualquer pessoa pode criar uma homepage com as informações que queira apresentar. inclusive com arquivos anexados. o que corresponde a 23. Semelhante ao correio postal. para as mais diversas atividades.2008 atingiu 853. No Brasil. texto. já há movimentos que pensam em tributar as mensagens eletrônicas. a www proporciona aos usuários. E a evolução dos serviços de correio eletrônico é tão grande que. tanto por meio presencial como a distância. conectado à rede. Nas instituições e espaços que atuam na oferta de atividades educacionais.8% da população mundial com acesso ao universo virtual. enquanto o crescimento mundial se situou em 342.2%. esta tendência tem se reproduzido através da adesão à tecnologia digital e utilização de recursos que permitem a interatividade sincrônica (em tempo real) e assincrônica (em tempo diferido).596 milhões de usuários conectados a internet. que estão levando os serviços tradicionais de correio postal à obsolescência e mesmo à falência. que permite o envio de cartas de tamanho ilimitado. que superam os meios conhecidos. há no mundo mais de 1. o e-mail é entregue através de softwares pela rede a um endereço virtual em algum computador. o e-mail é usado para trocar mensagens ou outro tipo de informação.9%. essa prática vem se ampliando de forma acelerada nos últimos anos. Dados desta natureza revelam que uma grande e crescente fatia da sociedade global utiliza-se das novas tecnologias. 8). fóruns) amplia as possibilidades da aprendizagem dinâmica e participativa. ou do serviço de correio eletrônico. 2000. demonstrando uma posição de destaque em relação ao resto do mundo. webconferências. isto é. o Brasil desponta como o 13º país em percentual de penetração quanto ao uso da internet. As capacidades de hipertexto facilitam a união de informações dentro da própria homepage ou com qualquer outra página na www. o e-mail. Outro recurso importante da internet. A utilização desses múltiplos mecanismos de comunicação através da internet (e-mail. se comparado à média mundial de conexão em rede. chats. É o caso do serviço de chat que permite conversas individuais ou em grupos de discussão com pessoas do mundo todo em um universo on line. Neste contexto. Segundo estimativas publicadas pela Internet World States.A internet permite novas formas de comunicação. pois possuem grandes capacidades de armazenamento de dados e possibilidades de transmissão de vários tipos de meios (de documentos a programas multimídia). news.

em circunstâncias não esclarecidas. Arábia Saudita: cerca de 400 mil sítios são bloqueados pelo governo. Cuba: o blog Generación Y de Yoani Sánchez faz parte de um pequeno e crescente grupo de blogueiros independentes cubanos. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 49 . Mianmar: o governo de Mianmar mantêm os meios de comunicação sob forte censura e também impõe severas restrições sobre os blogs e outras atividades na internet. “Com um governo que restringe o acesso à internet e impõe duras penas de prisão para quem divulgar material crítico ao governo. 3. com o objetivo de silenciá-la ou para que se autocensure”. em 2008. entidade com sede em Nova York. segundo a lista do CPJ são: 1. Os dez piores. A população de Cuba somente pode conectar-se à web em hotéis e cafés.Os 10 piores países do mundo para ser blogueiro O Comitê para Proteção aos Jornalistas [CPJ]. preso por “insulto” a líderes religiosos. alguns governos estão “aprendendo a voltar a tecnologia contra os blogueiros. Irã: as autoridades prendem e reprimem com regularidade os blogueiros que escrevem críticas sobre líderes religiosos ou políticos. A internet é controlada pelo governo por meio de “vales” muito caros. O governo obriga que os blogueiros registrem os seus blogs no Ministério de Arte e Cultura. Para o diretor-executivo do CPJ. listou os 10 piores países do mundo para ser blogueiro. Waed al-Mhana. sobre a revolução islâmica e seus símbolos. conhecido como Zargnar. As autoridades prendem blogueiros que divulgam informação consideradas “falsas” ou prejudiciais à “unidade nacional”. O blogueiro Omidreza Mirsayafi. está cumprindo 59 anos de prisão por haver divulgado imagens do ciclone Nargis. defensor de sítios arqueológicos em perigo. morreu na prisão. Síria: o governo usa filtros para bloquear sites. O blogueiro Fouad Ahmed al-Farhan foi encarcerado durante vários meses em 2007. Mianmar [antiga Birmânia] é o pior lugar do mundo para ser blogueiro”. Quando nada disso funciona. censurando e filtrando a internet. diz o informe do CPJ. incluindo os que abordam temas políticos sociais ou religiosos. 4. Milhares de sites são bloqueados. Joel Simon. O blogueiro Maung Thura. que foram a vanguarda do jornalismo digital em Cuba. O governo cubano mantém presos 21 jornalistas. restringindo o acesso à web. 5. as autoridades simplesmente prendem alguns blogueiros para intimidar o restante da comunidade. Esses jornalistas enviavam seu material para blogs do exterior e foram detidos em 2003. está sendo processado por haver denunciado a demolição de um antigo mercado em Damasco. 2.

Investigação do CPJ mostra que foi uma represália pela sua atuação como blogueiro. conhecido como Karim Amer. influenciando as novas gerações através de todos os instrumentos de comunicação e interação que dispõe. Google e Microsoft que lhes entregue informações sobre os blogueiros. alguns torturados. 50 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . Os blogueiros Slim Boukhdhir e Mohamed Abbou foram presos pelo seu trabalho informativo. o blogueiro Nguyen Van Hai. bloquear sites. por haver defendido reformas no regime e a liberação de presos políticos. rádio e TV – estão sob o controle do governo. Yahoo e Hotmail. número maior o que qualquer outro país. por períodos indeterminados. Quase todos os detidos indicaram haver sido maltratados. foi sentenciado a 30 anos de prisão por evasão de impostos. China: a China tem quase 300 milhões de pessoas conectadas. Todo o tráfico da internet é controlado. com provedores para filtrar buscas. 6. 10. Em setembro do ano passado. (Fonte: http://blogs. Grupos locais de liberdade de imprensa documentaram a detenção de mais de 100 blogueiros em 2008. Os meios tradicionais – imprensa.br/pliniobortolotti/categorias/ censura/page /3/Postado em 6 de maio de 2009 por pliniobortolotti) Os dados apresentados permitem perceber que a tecnologia digital se faz cada vez mais presente no cotidiano das pessoas.sem acusação formal. por meio da internet. Pelo menos 24 jornalistas digitais estão presos. muitos sem ordem judicial. Egito: o tráfego de todos os provedores passa pela Telecom Egito. apagar conteúdo “inconveniente” e monitorar o tráfego de e-mails. controlados pelo governo. Ainda que a maioria seja libertada depois de certo período. 7. As autoridades detêm com regularidade. furar o bloqueio dos meios de comunicação tradicionais. 8. controlada pelo Estado. Turcomenistão: a companhia de telecomunicação MTS começou a oferecer acesso à internet por meio de telefones celulares em 2005. conectando e aproximando interlocutores em diferentes pontos do mundo. Vietnã: os blogueiros tentam. O provedor estatal de serviços bloqueia acesso a sites de dissidentes e monitora as contas de e-mails registradas no Gmail. mas o contrato requer que os clientes evitem sites críticos ao governo. alguns ficaram detidos por vários meses.opovo. blogueiros críticos. Mas as autoridades mantêm severo programa de censura digital. Tunísia: os provedores da internet têm de entregar ao governo o IP ou outra informação que lhe permita identificar os blogueiros. está cumprindo pena de 4 anos de prisão por haver “insultado” o islã e o presidente Hosni Mubarak. conhecido como Dieu Cay. As autoridades têm pedido a companhias como o Yahoo. segundo investigações do CPJ. 9. Ao mesmo tempo vem possibilitando o acesso virtual a um universo cultural e de pesquisa até então desconhecido para uma parcela da população.com. O blogueiro Abdel Karim Suleiman.

acumulando e reproduzindo conhecimento através da linguagem virtual e da mediação realizada pelos tutores presenciais. é percebido que a construção de um campo teórico que orienta cursos a distância desenvolvidos por diferentes espaços e instituições educacionais . o processo de aprendizagem virtual assemelha-se ao de natureza presencial. estabelecida a partir do auto-gerenciamento do conhecimento e do desenvolvimento da criticidade. estimulada pelo uso de multimeios e da interatividade virtual. professores e tutores que passam a “reconstruir virtualmente espaços reais” de interação. se baseia na premissa de que a educação deve ser construída através de uma ação colaborativa. impressões. conteúdos. amplia as possibilidades de estímulo pedagógico e reforçam a aquisição do conhecimento. conceptor e realizador dos cursos e materiais. por meio da EAD. intercambiando experiências e vivências. O enfoque central da EAD. treinador. professor pesquisador. fomentando a convergência e o diálogo entre as mídias no processo de ensino-aprendizagem. em muitos casos. na medida em que envolve agentes que interagem uns com os outros.convergem quando se trata de perseguir a aprendizagem significativa. web conferências e teleconferências). colaborador.cujas propostas podem diferir quanto ao público. tecnólogo educacional –. desejos e motivações. atitudes. A modalidade de ensino a distância com o uso de tecnologias digitais permite desenvolver a aprendizagem por meio da interação entre os “saberes”. com base nessa nova organização instrucional não presencial e desterritorializada integrando todos os agentes envolvidos de forma a melhor adaptá-los ao novo contexto educacional que se instala. nível. professor tutor. Associar diferentes meios de comunicação. enquanto que o professor passa a exercer um papel coletivo de orientador. o aluno é tido muito mais como parceiro do que como um agente passivo na construção do conhecimento. complexidade e contextos . com a sua atuação em vários níveis e instâncias – professor formador. tipologia. Neste sentido. Nesta modalidade. o “professor” e o “aluno”. monitor e. com suas potencialidades e limites. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 51 . é preciso redefinir os métodos de aprendizagem que integrem significados ao conhecimento. obtida através da sinergia entre alunos.Na EAD orientada com base nos meios telemáticos (internet. socializando-se. mediador e também parceiro. visualizando no centro do estudo o dispositivo técnico e midiático. ao que Alava (2002) denomina de triângulo didático. todos em busca do domínio dos “saberes”. segundo Alava (idem). Portanto.

Nasce a web 2.0
O conceito de mídia social surgiu a partir de um movimento que foi impulsionado pelos poderosos recursos da tecnologia web 2.0 em 2004, tendo o termo sido alcunhado pelo irlandês Tim O´Reilly, para representar o potencial de ampliação do uso da internet como plataforma a partir do envolvimento das pessoas. Shuen (2008) destaca que a web 2.0 enfatiza a interatividade dos usuários, que antes atuavam de forma passiva e que passaram a utilizar aplicações mais dinâmicas envolvendo leitura e escrita. O conceito de web 2.0 implica na utilização de aparatos tecnológicos digitais da web para a construção social do conhecimento apoiado pelo uso da internet de forma aberta e coletiva, que privilegia a integração vertical, materializada no social bookmarking. A pluralidade de ideias que emerge nesse sistema representa um quarto poder que é constituído pelo congraçamento da participação de cidadãos comuns, pertencentes a uma parcela da população frequentadora do universo cibercultural, que passa a atuar como novos consumidores-produtores de informação e conhecimento no mundo globalmente conectado. Segundo Melo Junior (2007) são características da web 2.0, dentre outras: o uso da web como plataforma de desenvolvimento, em que os dados são o que realmente agregam valor ao website, onde há o uso extensivo de estruturas de informação que funcionam utilizando padrão simples e aberto. Esse conjunto de atividades mentais e sócio-relacionais é compartilhado entre os sujeitos integrantes da rede que interagem no ciberespaço, tornando-se protagonistas de seus pensamentos, os quais são amplificados na rede virtual. Nesse espaço, em que a utilização de links se interconecta recuperando ideias e depositando novos significados, se desenvolve uma dinâmica de contínuo reinventar. Entre o final do século passado e o início do século XXI o Brasil vivenciou não somente a ampliação do acesso, mas, sobretudo, um salto qualitativo no uso da internet. Com o passar dos anos e com o avanço e flexibilização das formas de comunicação via web, o direcionamento da sua utilização deixou de ser impulsionado pelo uso como navegador para a utilização como instrumento relacional. A geração Netscape foi substituída pela geração Google. As mídias sociais com o uso do serviço web 2.0 do tipo wikis (Wikipédia), multimídia compartilhada (YouTube), redes sociais (Orkut, MySpace, Facebook, Ning), ambientes virtuais 3D (Second Life), microblog (Twitter), fóruns, fotologs, messenger, grupos online e bloggins assumiram posição de destaque no contexto relacional, passando a ser considerados como a segunda geração da web. Nesses espaços virtuais as pessoas se integram motivadas por interesses comuns, pesquisando, interagindo, trocando informações e intercambiando saberes.

52

INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

1. Já apresentamos um breve histórico da internet. Enfatizamos que se trata de uma rede mundial de comunicação via computadores, criada durante a Segunda Guerra Mundial com fins militares e depois estendida às universidades americanas, com fins científicos. a) Como era antes intitulada a Internet? b) À partir de quando a Internet realmente popularizou-se no mundo? c) Cite alguns mecanismos de navegação na Internet.

2. A educação em uma nova era
Com a chegada da rede mundial de computadores, passamos a conviver com uma ferramenta de comunicação que ultrapassou as barreiras de tempo e espaço. Sem sair de casa e a baixos custos, pode-se movimentar a conta bancária, ler as notícias dos principais jornais do mundo, participar de videoconferências, ouvir música, rádio, assistir TV e vídeos, fazer compras, visitar museus e bibliotecas, trocar informações com pessoas de qualquer parte do planeta, utilizando apenas um computador conectado à internet. Jamais a humanidade pôde ter tanto acesso ao conhecimento como tem hoje e nunca se viu uma abertura tão ampla de fronteiras, combinada com intensa velocidade de mudanças tecnológicas. Mudanças que interferem, fundamentalmente, no comportamento do homem, na sua relação com o mundo e na educação. Na educação, a internet se tornou um recurso fundamental às escolas e universidades, bem como à estudantes, professores, pesquisadores e educadores em geral. No mundo todo, inclusive no Brasil, as instituições de ensino e pesquisa estão conectadas à rede e propiciando o acesso à comunidade acadêmica. A internet é um recurso sem limites que professores e alunos estão aprendendo a usar, enquanto pesquisadores do mundo inteiro estudam novas formas de utilização para torná-la cada vez mais útil à educação. Tem servido como fonte de pesquisa, fornecimento e troca de informações, intercâmbio entre instituições afins, divulgação de projetos e trabalhos acadêmicos, apoio ao ensino em sala de aula, ensino à distância, ou simplesmente para divulgar o nome das escolas que mantêm páginas na rede. As aplicações da internet na educação são inesgotáveis e dependem essencialmente da criatividade do educador. As novas tecnologias devem ser conhecidas e aplicadas pelo educador como ferramentas de ensino, criando-se usos previstos ou não por seus idealizadores, de modo a evitar-se a sua subutilização. Embora não seja a solução absoluta para os problemas da educação, a
INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

53

internet é uma grande facilitadora da pesquisa e comunicação entre os participantes do processo ensino-aprendizagem. Além de manter-se motivadora e atraente pelas suas próprias perspectivas de uso, resolve, entre outros, os problemas de locomoção a bibliotecas, muitas vezes distantes das pequenas cidades. Embora o aproveitamento da interatividade da internet seja uma proposta significativa na questão do aproveitamento na aprendizagem, não podemos esquecer que um dos perigos relacionados ao uso de novos recursos é defender modelos didáticos antigos e ultrapassados com a ajuda de tecnologias do futuro. É necessário pensar e agir em função de uma nova escola que está surgindo, de um novo projeto educacional em construção, assumindose o novo papel de educador neste contexto. Não basta incorporar os modernos recursos, é preciso integrá-los efetivamente aos fundamentos de uma nova educação que estamos construindo.

1. A internet tem um potencial modificador das relações humanas ainda não calculado. Enquanto veículo de comunicação de massa tem modificado de maneira impressionante hábitos e culturas, em todos os setores da sociedade. No campo do relacionamento humano, é comum dizer-se que a internet afasta as pessoas e limita a socialização. Como você analisa as afirmações acima, considerando principalmente a crescente participação das pessoas nas redes de relacionamentos, tipo Orkut, MySpace, Facebook, etc? 2. Alguns professores emitem a seguinte opinião: “a escola pública tem problemas muito mais urgentes para ficar pensando na internet”. O que você acha deste comentário? Justifique.

3. Internet e educação
Inserindo-se no bojo das modificações culturais e paradigmáticas a introdução da internet na educação abre um leque de possibilidades de renovação no trabalho pedagógico. O acesso a informações superatualizadas e a dinâmica do dever eletrônico tiveram o efeito colateral de deixar os alunos ainda mais impacientes com a lição de casa tradicional. Resultado: mesmo sem aposentar de vez cópias e decorebas, muitas tarefas que exigem computador ficaram mais próximas do cotidiano da criança e do jovem. O uso da internet na educação está fundamentado em uma série de promessas com relação à melhoria do processo ensino-aprendizagem. Na medida em que o ensino atualmente é centrado na relação unilateral professor/aluno imposta pela escola e combatida pelos novos sistemas de ensino, a internet permite um maior compartilhamento de ideias

54

INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

abrindo espaço para a colaboração, para a cooperação e para a construção coletiva. As informações disponíveis na rede serão beneficiadas pelo seu alcance, pois poderão ser acrescentados novos dados a partir da colaboração de milhares de pessoas que vão de simples usuários até especialistas, pesquisadores e cientistas do mundo todo em todas as áreas inseridas no contexto do ensino.

Wikipédia: a enciclopédia eletrônica livre e aberta
A Wikipédia tem como slogan "a enciclopédia livre" e "a enciclopédia livre que todos podem editar" desde os seus primórdios. Teve origem na Wikipédia em inglês cujos slogans são "the free encyclopedia" e "the free encyclopedia that anyone can edit", que por sua vez teve origem na Nupedia, um projeto colaborativo diferente mas com algumas características semelhantes à Wikipédia. A Wikipédia em inglês foi a primeira a surgir, em 15 de janeiro de 2001, e as restantes que lhe seguiram, adquiriram bastante informação e experiência da Nupedia, que surgiu em 9 de março de 2000. A Nupedia, apesar de não ter sido o primeiro projeto colaborativo de conteúdo livre de uma enciclopédia na internet, enfrentou muitas dificuldades. Ao longo do tempo foram desenvolvidas definições do projeto, políticas, procedimentos, organização assim como os próprios conteúdos enciclopédicos. A Wikipédia adquiriu muita dessa informação da Nupedia, incluindo o slogan e um dos logotipos que foi submetido ao concurso de ideias de criação de um logotipo para a Nupedia. Logotipo esse que não foi adotado pela Nupedia, mas foi aproveitado para o primeiro logotipo da Wikipédia, diferente do atual. O primeiro slogan da Nupedia foi "the open content encyclopedia" que se traduz por "a enciclopédia de conteúdo aberto". Mais tarde, após um concurso de ideias de um logotipo para a Nupedia o slogan foi alterado para "the free encyclopedia" em simultâneo com o logotipo da Nupedia, no qual o slogan estava incorporado (tal como a Wikipédia atualmente). Nessa alteração do logotipo e slogan da Nupedia, o autor da proposta explicou que "a enciclopédia de conteúdo aberto" era um termo crítico e pouco comum, por isso trocou por "a enciclopédia livre" No contexto da Nupedia e da Wikipédia, "conteúdo livre" e "conteúdo aberto" têm o mesmo significado e referem-se à licença em que são disponibilizados os textos, a GNU Free Documentation License (traduzida por "licença de documentação livre GNU", por vezes abreviada por "GFDL" ou "GNU FDL") e Creative Commons Atribuição-Compartilhamento pela mesma Licença 3.0 Unported (CC-BY-SA).
INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

55

com procedimentos que levaram a pura assimilação de informações. Por isso "livre". em várias mídias e formas. apoiar e incentivar interações entre os diversos alunos.Excetuando os direitos concedidos pela licença GNU FDL e CC-BY-SA. permite que tanto o professor quanto os alunos busquem agregar conhecimentos de fontes distintas e aleatórias. de direcionar os alunos a acompanhá-los nessa busca. os conteúdos são disponibilizados sem as típicas restrições de distribuição de conteúdos totalmente protegidos por direitos de autor. O professor terá mais tempo para se preocupar com a forma de aplicação do material coletado. que por vezes torna difícil e demorada a preparação de aulas. Ele não precisará mais se preocupar com a coleta de material. incluindo por exemplo a comercialização do mesmo sem ter que pedir autorização aos autores. gerar estímulos para pesquisa na rede. A página principal do sítio da Wikimedia Foundation refere "Imagine um mundo em que cada ser humano tenha livre acesso à soma de todo o conhecimento. dar suporte tecnológico e verificar se as metas estão sendo atingidas. distribuídas dentro e fora do ambiente escolar (principalmente fora dele). O material está disponível em abundância na internet. referir a origem ou pelo menos os autores principais dos textos. desde que sejam respeitados os termos da licença como: manter a mesma licença. O trabalho do professor não será mais de catalisar e repassar informações e. entre outras exigências. que abriga e gere a Wikipédia. sim. neste contexto. permitir que outros possam copiar e alterar o conteúdo. Essa é uma das razões pela qual a Wikimedia Foundation não pode processar legalmente quem copiar conteúdos da Wikipédia e não respeitar as licenças GNU FDL e CC-BY-SA. Ele se torna um facilitador e colaborador de recursos. que antes ocorria sem oportunidades de maior colaboração. direitos de autor e direitos morais continuam na posse dos autores dos conteúdos disponibilizados na Wikipédia.org/wiki/ Wikipedia:A_enciclop%C3%A9 dia_livre) O advento da internet como meio de ensino e de aprendizagem. 56 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . A Wikimedia Foundation." Fonte: http://pt. apenas os autores dos conteúdos o poderão fazer." Tem como missão "capacitar e unir pessoas ao redor do mundo para coletar e desenvolver conteúdos educacionais sob uma licença livre ou que estejam sob domínio público. O professor. que se tornam atores e também responsáveis pelo processo.wikipedia. também significa que qualquer um é livre de utilizar o conteúdo. aspecto fundamental na qualidade final do ensino proposto ao estudante. seria basicamente responsável por fornecer endereços de pesquisa. com a ajuda de seus alunos. Mas de acordo com essas licenças. ao longo de uma relação educativa mediada pela internet. também se define com a palavra "livre". distribuindo-os de forma efetiva e global.

individualmente ou em grupo. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 57 . com o aprofundamento da sua compreensão. Reúna argumentos a favor de cada uma destas posições. sempre será apenas meio complementar. menos engessados. A internet se coloca como um mecanismo de amplas possibilidades e que altera de forma profunda os modelos pedagógicos convencionais. e em uma enciclopédia virtual. impressa em papel. comparando-a com características da escola tradicional: A sala de aula antes e depois da internet Na educação tradicional O professor O aluno A ênfase educacional A avaliação O método de ensino O acesso ao conhecimento Um especialista Um receptor passivo Memorização dos fatos Do que foi retido Repetição Limitada ao conteúdo Com a nova tecnologia Um facilitador Um colaborador ativo Pensamento crítico Da interpretação Interação Sem limites 1. Para outros. incluindo exercícios e avaliação. disponível na rede mundial de computadores? 2. Temos informações demais e dificuldade em escolher quais são significativas para nós e conseguir integrá-las dentro da nossa mente e da nossa vida. Nas palavras de Moran (1995) ensinar e aprender exigem hoje muito mais flexibilidade espaço-temporal. mas irá transformar o ensino tradicional. a variedade das fontes de acesso. Mas o que significa fazer uma pesquisa escolar consultando a rede? Descobrir um site adequado imprimi-lo e entregá-lo ao professor? Ou se servir do conteúdo de tais sites para a formulação de pontos de vista sobre o tema em estudo? Qual a diferença entre fazer-se uma pesquisa em uma enciclopédia tradicional. Páginas www e seus potenciais educativos Um dos usos mais difundidos da internet em educação é a oferta de cursos on line. pessoal e de grupo. A popularização do uso da internet demonstra o potencial renovador e revolucionário da informática na educação. Uma das dificuldades atuais é conciliar a extensão da informação. A internet é vista por alguns como um recurso que vai substituir a sala de aula tradicional. 4. em espaços menos rígidos.O quadro seguinte resume a representação que temos construído da sala de aula da sociedade tecnológica. menos conteúdos fixos e processos mais abertos de pesquisa e de comunicação. em que o aluno estuda à distância.

Parece pouco mas não é. se uma página tem em média seis mil visitantes únicos por mês. simultaneamente.Neste sentido a internet permite que o acesso e as trocas de informações se deem de forma rápida. limitado à leitura.340 que apenas leem. em que os grandes temas da matéria são coordenados. mesmo que seja postar um comentário num blog. individualmente. de cada 100 internautas. o professor precisa não só ter domínio das ferramentas digitais. isto significa que ele terá. um engenheiro e executivo da Google. porque ela está intimamente ligada à produção coletiva de informações e conhecimentos. 58 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . especialista em comportamentos dos usuários da web. interessante e aberta. O comportamento das pessoas que frequentam as páginas da web é hoje uma das mais valorizadas áreas de estudo. mas pesquisados pelos alunos. O índice de participação desenvolvido por Horowitz está por sua vez subordinado à outra das leis criadas por pesquisadores da internet: a lei de Sturgeon. Isto equivale a aproximadamente duas sugestões diárias de leitores envolvidos no processo de produção colaborativa de conteúdos. levando-se em conta a produção colaborativa tende a propagar-se numa proporção variável entre 5 a 10% ao ano. A relação hierárquica entre professor e alunos passa a se estruturar de outra forma. um cria alguma coisa nova. a chamada crowdsourcing. 10 recomendam a leitura para amigos ou votam em sondagens on line. em grupos. 1 : 10 : 89 Esta sequencia cabalística de números [aí no título do post] é a representação da lei de Horowitz. O texto a seguir apresenta dados interessantes sobre a internet e a forma como ela esta sendo utilizada pelos usuários. A interação é a palavra dominante e para tanto. ou às vezes. e 89 têm uma atitude passiva. dependendo do tema. 60 leitores que postam comentários. conforme dados do livro Crowdsourcing. iniciados e motivados pelo professor. 600 usuários que opinam em enquetes ou sugerem leituras para amigos e 5. permitindo que alunos e professores estabeleçam novos modos de lidar com o conhecimento. Assim. Sturgeon era um escritor de ficção científica que desenvolveu o seu enunciado para ironizar a produção de livros de baixa qualidade. em tese. Segundo Bradley Horowitz. segundo a qual 90% do conteúdo da internet é lixo puro. mas possuir as competências e habilidades descritas em unidades anteriores.

Cognição e computador Nos últimos anos. Neste sentido. A combinação das duas leis mostra que. Números como estes poderiam induzir a uma rejeição pura e simples do conteúdo publicado na web se não levarmos em conta que o que é lixo para uma pessoa pode não ser para outra. O www funciona hoje como uma fonte de informação utilizada por muitos estudantes para realização de tarefas escolares. redimensionando as dimensões espaciais e temporais e provocando uma revolução no modo de pensar. Do blog de Carlos Castilho no site Observatório da Imprensa. linguísticas e reforça a ideia de McLuhan de uma aldeia global. as INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 59 . a lei dos 90% foi transplantada para a internet onde encontrou a sua principal comprovação no site de vídeos You Tube. 5. e. Entre no Fórum e socialize os endereços que você conseguiu. veremos que cada usuário tem a seu dispor cerca de 300 milhões de documentos (10% do total) que podem interessá-lo pela sua qualidade e utilidade. Trata-se de um potencial muito importante e que só não é transformado em realidade porque a maioria dos sites ainda não despertou para a necessidade de envolver os seus leitores tanto na coprodução de conteúdos. Uma página que tenha um total de 30 mil visitantes únicos por mês. É material que o internauta pode recombinar e remixar na produção de conhecimento próprio. fazendo um breve comentário sobre o que você achou acerca das informações encontradas. naturalmente.Depois da morte de Theodore Sturgeon. atuando como uma biblioteca virtual. organizada de maneira absolutamente diferente das bibliotecas convencionais de material impresso. realizamos negócios e nos comunicamos com outras pessoas. Pesquise na internet endereços de blogs ou sites que veiculam informações sobre usos do laboratório didático no Ensino Médio. como na avaliação dos mesmos. mesmo levando em conta os reduzidos percentuais de 1% de leitores proativos e de 10% de material de qualidade. E se expandirmos esta ressalva para as quase 30 bilhões de páginas existentes na web. estamos diante de números absolutos consideráveis que podem garantir a sustentabilidade de projetos on line. toda essa revolução chegou à educação. poderia contar com 300 produtores de conteúdos e três mil avaliadores permanentes do material produzido. O acesso a internet rompe as barreiras culturais. 1. a existência da internet alterou a forma como guardamos e procuramos informação.

para orientar sua ação. ora como causa. ora como consequência. Os recursos atuais da tecnologia. buscando. pois é no acoplamento imediato com a máquina que as decisões ocorrem. 60 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . c) A ocorrência de uma relação usuário/máquina onde se desenvolve um regime cognitivo determinado: na medida em que informações são interpretadas e utilizadas pelo usuário. os modernos microcomputadores. Outro aspecto que merece destaque. é o seu potencial de uso na educação a distância. e portanto de pensar e agir. se o trato com as máquinas repousa em uma relação diferente com o objeto técnico. a um pensar diferente. na qual ambos caminham juntos. de um processo criativo contínuo e imprevisível. informações e acessos. que. pelo próprio acoplamento nas interfaces com a máquina. e por extensão. Trata-se.não apenas no que se refere ao erro de cada um de nós.buscas no World Wide Web representam uma exploração proposital. os sistemas informatizados em geral. quando o www pode funcionar como um mecanismo de dupla via. a telemática. apoiada na experimentação. d) Uma nova forma de possibilitar a construção e elaboração do conhecimento (diferente das tradicionais. apoiada na experimentação e no erro. então. até então. se renova e se modifica. quando falamos de internet. b) Uma relação na qual não mais faz sentido a ideia de uma representação que antecede a ação a ser desenvolvida: como afirma Pierre Levy (1993). forma esta que se associa. O simples uso de um editor de textos mostra como alguém pode registrar seu pensamento de forma distinta daquela do texto manuscrito ou mesmo datilografado. provocando no indivíduo uma forma diferente de ler e interpretar o que escreve. impraticáveis por outros meios. em determinadas situações. de escrever. os novos meios digitais − a multimídia. ele não representa algo exterior a si. a partir das diversas possibilidades oferecidas. trazem novas formas de ler. desenvolvendo e participando ele mesmo. estimulando a aprendizagem seja através de consultas. mas principalmente. simples curiosidade ou apenas para satisfação pessoal. estas atualizações operam sobre o indivíduo. quanto ao considerarmos o erro de nosso aluno. não se trata agora do sujeito cognitivo que interage com a máquinaobjeto. aprendendo. a internet. Uma consequência imediata na prática pedagógica está na necessária mudança de postura do professor em seu trabalho cotidiano. resultante de características próprias das novas tecnologias: a simulação em mundos virtuais de determinados mecanismos e processos. de uma nova relação professor/aluno. errando. baseadas na teoria ou na experimentação prática). Em resumo: as máquinas de hoje. como parte do processo de busca e experimentação. a cada momento. buscas intencionais. necessário à construção do conhecimento. Se as relações cognitivas são necessariamente abertas e imprevisíveis. impõe-se uma revisão da forma como consideramos o ato de errar . facilitando as interações educador-educando e colocando à disposição de ambos. nos trazem: a) Uma relação diferente com o objeto técnico.

Diferentemente de outros recursos tecnológicos. os profissionais do futuro. em muito. referentes a um mesmo assunto e organizadas de maneira útil. Neste sentido podemos identificar duas frentes de atuação dirigidas: o treinamento dos trabalhadores já engajados no sistema produtivo e a inclusão da informática nos currículos escolares que preparam. O e-mail é uma forma de comunicação entre duas pessoas que dispõem de um computador ligado à internet. provoca reflexões. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 61 . A aplicação eficiente destes recursos exige que tenhamos uma visão clara dos objetivos a serem atingidos. com o propósito de servir de base para que o usuário recupere informações. A pedagogia de projetos encontra no uso da internet. também. para se usado. questiona. o processo de comunicação entre indivíduos ou turmas que se encontram geograficamente separadas. que incita. hoje. mas cada dia mais ganha adesão as redes de relacionamentos. • FTP: trata-se de um protocolo padrão da internet que é usado para a transferência de arquivos entre computadores. Estas vertentes apresentam objetivos e horizontes diferentes. tire conclusões e tome decisões. exige a interação do aluno e. portanto. O acesso aos mais variados sites e a disponibilidade de informações permite que o projeto a ser desenvolvido possa agregar conhecimentos que ultrapassem. Navegando na internet Talvez uma das ferramentas mais simples disponíveis na internet seja o Correio Eletrônico (Electronic Mail ou E-Mail). o correio eletrônico (e-mail) é uma ferramenta de grande potencial de uso. Nesses casos. mas o de interlocutor privilegiado. é preciso que nos apropriemos de todo um vocabulário técnico. amplas possibilidades de pesquisa e comunicação. então. o acervo existente na biblioteca escolar. o retroprojetor ou o projetor de slides. A aplicação generalizada do computador em quase todos os segmentos da atividade produtiva tem levado a um esforço da sociedade em capacitar parcelas cada vez maiores da população para o uso da informática. É o que costumamos chamar de inclusão digital. ao professor. O Correio Eletrônico pode ser usado para múltiplos propósitos na educação. Este esforço se dá tanto ao nível individual quanto ao nível das empresas e governos. 6. é de se esperar que requeira alguma educação em informática pelos alunos para que possam usar em suas atividades pedagógicas. Vejamos alguns termos: • Arquivo: área de armazenamento definida para um grupo de dados. o computador. não mais o lugar de dono da verdade absoluta. • Banco de Dados: um conjunto de informações relacionadas entre si. como o vídeo.Cabe. A internet facilita. Para a compreensão de grande parte de textos sobre a internet.

• Realidade Virtual (RV) é uma das tecnologias mais promissoras da informática para aplicação em educação. • Para ensino à distância com interatividade e vídeo conferência. Os principais usos da internet na educação identificados até o momento são: • Acesso a dados. interligados por elos definidos por um par de âncoras. • Hipermídia: termo criado para descrever os aplicativos que contêm elementos de hipertexto e de multimídia. Costuma-se dizer que o navegante da internet realiza uma viagem virtual explorando o ciberespaço. 62 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . • Navegação: termo empregado para designar o percurso dentro da internet. que combina recursos de navegação através de coleção de documentos e bases de dados indexadas. Porém. Hipertexto é o método de apresentar a informação onde algumas palavras selecionadas no texto podem ser expandidas a qualquer hora para prover outras informações sobre esta palavra selecionada.• Gateway: computador que interconecta duas redes. As âncoras podem ser um nó ou uma região dentro de um nó. • Protocolo www (World. hipertextos etc. • Como meio de interação entre equipes. enciclopédia. • Multimídia: é a incorporação de sons. fragmentos de informação em diversas mídias como imagem e som. por meio de menus hierárquicos. ainda encontra-se em desenvolvimento. • Newsgroup: grupo temático de discussão através das redes de computadores. • Link: um ponteiro para um objeto de dados que é armazenado dentro do documento mestre. animações. • Site: termo que designa uma página www. • Hipertexto: o hipertexto é formado por um conjunto de nós. em que tal percurso é realizado com a ajuda de “ambientes de navegação”. imagens estáticas e em movimento. • LAN (Local-Area Network): redes locais que interligam computadores a distâncias relativamente curtas. fazendo as traduções necessárias para que a comunicação entre elas possa ser efetivada. informação. relatos e experiências. • Gopher: um sistema distribuído para busca e recuperação de documentos. através de uma interface que possibilita o acesso a informações multimídia. permitindo que usuários em sistemas heterogêneos pesquisem e recuperem documentos armazenados em diferentes sistemas.wide-web): meta-rede baseada em hipertextos que integra diversos serviços de navegação na internet. da mesma forma que o astronauta explora o espaço sideral. como o gopher e o www. • Telemática: conjunto de técnicas e serviços que aplicam conjuntamente a informática e as telecomunicações. de maneira simples e intuitiva.

a internet chega a educação. Sua popularização e seus potenciais de uso são tantos. Pesquise o que é pedagogia de projetos e como ela funciona. 3. simultaneamente. No curso que você esta fazendo tem alguma disciplina que aborde aspectos relacionados a informática educativa? Pesquise na grade curricular do curso. Esta unidade introduz aspectos relevantes sobre a rede mundial de computadores. 2. mais conhecida como internet.0 vem apontando promissores usos na educação. ou às vezes. que para as sociedades do século XXI exige-se uma nova categoria de indivíduos − os incluídos digitalmente. em que os grandes temas da matéria são coordenados. pela primeira vez na história. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 63 . se colocando como uma ferramenta com múltiplas possibilidades e que causa forte impacto no processo ensino-aprendizagem. em grupos. Alterando de forma substantiva os meios e acessos a informação e comunicação. mas pesquisados pelos alunos. mas possuir as competências e habilidades específicas para lidar com este tipo de abordagem cognitiva. o professor precisa não só ter domínio das ferramentas digitais. A interação é a palavra dominante e para tanto. O fato das barreiras relativas a distância. individualmente. A internet permite que o acesso e as trocas de informações se deem de forma rápida.A web 2. faz com que se acredite que um novo mundo é possível. Assim como outras tecnologias. a busca pela igualdade de oportunidades para todos. iniciados e motivados pelo professor. permitindo que alunos e professores estabeleçam novos modos de lidar com o conhecimento. Faça uma síntese dos usos que você faz da internet na educação a distância. que embora criada durante a Segunda Guerra Mundial ganha amplidão e relevância a partir dos anos 1990. localização geográfica estarem definitivamente superadas. mas até o momento são poucas as iniciativas desenvolvidas e que revelam o potencial desta nova rede. tempo. 1. interessante e aberta. A relação hierárquica entre professor e alunos passa a se estruturar de outra forma. a internet se coloca como um recurso que permite a democratização do conhecimento e possibilita.

A Educação e as Redes Planetárias de Comunicação. Tecnologia Educacional. Tradução de Carlos Irineu da Costa. P. Este esforço se dá tanto ao nível individual quanto ao nível das empresas e governos. 1995. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. (1998). 26. 51. e BEHRENS. O Uso da Internet para Fins Educativos. 1998. 1997]. buscas intencionais.br/delem/ deutsch/internet. Rio de Janeiro: v. 2000. Rio de Janeiro: Ed. 312-323. Markus J. _______. PRETTO. E. p. R. Marilda Aparecida. a aplicação generalizada do computador em quase todos os segmentos da atividade produtiva tem levado a um esforço da sociedade em capacitar parcelas cada vez maiores da população para o uso da informática. [ca. Tradução de Luiz Paulo Rouanet. Nelson. Arquivo capturado em 5 de abril de 1998. p. LÉVY. São Paulo: CEDES e Papirus. _________ A Inteligência Coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. URL: http://www. simples curiosidade ou apenas para satisfação pessoal. ALAVA. 23. Porto Alegre: Artmed.humanas. As Tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. n.As páginas www funcionam hoje como uma fonte de informação utilizada por muitos estudantes para realização de tarefas escolares. M. Nos últimos anos. Revista Ciência da Informação.2. Revista Educação & Sociedade. Anais do VII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação.htm. 1993. UERJ. 24 -26. Rio de Janeiro. S. Sérafin Ciberespaço e Formações Abertas – Rumo a Novas Práticas Educacionais?. 2002. BRETON. n. [online] Disponível na Internet via www. atuando como uma biblioteca virtual. 1997. Marcos T. as buscas no World Wide Web representam uma exploração proposital. Neste sentido. 64 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . organizada de maneira absolutamente diferente das bibliotecas convencionais de material impresso. Como utilizar a Internet na Educação. Edições Loyola. p.126. Campinas/SP: Editora Papirus. XVI. História da Informática. P (1991). COSTA. José Manuel.. Editora UNESP. MORAN. v. 1995. M. estimulando a aprendizagem seja através de consultas. José Manuel. A Internet nas Escolas.ufpr. Paulo. n. Novas Tecnologias e o Reencantamento do Mundo. MORAN. São Paulo.146 -153. 34. WEININGER. MASETTO. É o que costumamos chamar de inclusão digital.

Entender as funcionalidades básicas do Moodle. Saber operar os principais comandos do Moodle. Interagir com os diversos ambientes do Moodle.Unidade 4 O Ambiente Virtual de Aprendizagem: Moodle Objetivos: • • • • Compreender o que é um ambiente virtual de ensino-aprendizagem. .

.

O Moodle oferece um ambiente seguro e flexível. via internet. Para conhecer mais sobre Moodle é possível experimentar os cursos de demonstração em www. Linux. 1 Segundo Papert é na universalidade de aplicações do computador e na sua capa-cidade de simular modelos mecânicos que podem ser programados por crianças. esses sistemas são também chamados de Sistemas de Gerenciamento de Aprendizagem (SGA) ou Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA). fornecendo um ambiente para que os estudantes acessem muitos dos recursos da sala de aula. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 67 . sem modificações. mesmo sendo presenciais.epistemologia . desejem utilizar um AVA como recurso adicional. modificar e mesmo distribuir o programa (nos termos da GNU General Public Licence). o que significa que se pode instalar. Mac OS e outros sistemas de suporte PHP. O que é o Moodle? O Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um programa para computador destinado a auxiliar educadores a criar cursos on line. usar. autonomia. Ele pode ser usado. entre outros aspectos.moodle. Seymour Papert1. 1980). adaptou os princípios do construtivismo cognitivo de Piaget e construiu um conjunto de premissas a serem usadas quando aplicado a tecnologia de computadores como auxiliar ao processo de construção de conhecimento. lê jornais eletrônicos. 2. criando modelos que induzem a criança a "pensar sobre o ato de pensar . Características do Moodle Trata-se de um Sistema de Gerenciamento de Cursos online de código aberto. O Moddle é um software de fonte aberta (Open Source Software). que reside a potencialidade do computador em aprimorar o processo de evolução cognitiva da criança. que busca promover colaboração.e que tem como consequência o avanço nos estágios de desenvolvimento cognitivo”. cujo desenho está baseado na adoção de uma pedagogia socioconstrucionista. realiza trabalhos e tarefas. O Moodle está disponível em 40 idiomas. Uma das principais vantagens do Moodle sobre outras plataformas é um forte embasamento na pedagogia construcionista. vê as matérias disponibilizadas pelo professor e muito mais. Considerado um sistema de gerenciamento de cursos. Windows. reflexão crítica. um psicólogo que foi trabalhar no Laboratório de Inteligência Artificial do MIT.org. muitas vezes. O Moodle permite que a sala de aula se estenda para a internet. em Unix. expressos visualmente através dos desenhos da Tartaruga.1. permitindo adaptálo às necessidades de qualquer curso a distância ou daqueles que. atividades individuais e compartilhadas. A construção e depuração colaborativa de programas LOGO (Papert. concretizam um formalismo matemático. Usando o Moodle o aluno tem acesso a anúncios e notícias.

as estruturas informais. as instâncias definem as estruturas formais de instituições. tais como: download e upload de materiais diversos (texto. • Programado em software livre. assim como apoios da educação. e outros. • Cálculo automatizado de notas a partir do desempenho do aluno nas distintas atividades programadas. informática e comunicação. • Facilidade para ativação de outros aplicativos quaisquer (Microsoft Office e outros). diários. tarefas. que consiste na definição de qualquer número de níveis ou instâncias. questionários (permitem se criar exames on line) etc. • Processamento tanto em ambiente Windows quanto Linux. • Uso próprio de videochats (constituindo recurso interno do sistema. • Distribuição dos alunos em grupos/turmas. som). Conceitualmente. e no uso dos recursos em qualquer nível (que constitui uma peculiaridade única entre as plataformas conhecidas do mercado). como grupos temáticos. • Foco para a interação. • Simplicidade de uso para os professores e alunos. professores. • Uso de recursos modernos da tecnologia digital. a simplicidade gera baixo custo de help desk e de apoio ao desenvolvimento. Além disso. muito úteis para tutores). • Visualização da nota pelo aluno. possibilita a inclusão de novas funcionalidades disponíveis na forma de plugins. tutores e alunos podem discutir assuntos de interesse do curso. sistema de e-mail interno. como: sinalização dos alunos ativos. • Fóruns de tutores. como: • O envio de mensagens instantâneas entre alunos ou destes para seus tutores ou vice-versa. já foram realizadas videoconferências para mais de 600 alunos conectados de forma síncrona). em que coordenadores. wikis. imagem. esta também constitui uma peculiaridade única da plataforma. envio de “torpedos” (como nos telefones celulares). pesquisas de opinião e avaliação. • Recursos de gerenciamento (como: estatísticas e filtros de pesquisa. 68 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . ligados a qualquer nível das estruturas formais. destacando-se recursos como fóruns e chats (ou videochats). como por exemplo. e as comunidades virtuais.Esse AVA disponibiliza uma gama de recursos que poderão ser empregados no processo de educação a distância. fóruns. com enfoque multidisciplinar (enfoque sistêmico da administração. A plataforma Moodle possui algumas características importantes: • Enfoque sistêmico. na flexibilidade de navegação entre os níveis. chats. Outros recursos do AVA facilitam a administração do curso. principalmente). destaque para o quadro de navegação e disponibilização dos recursos numa única tela. • Envio de mensagens para todos os alunos ou para grupos previamente definidos de alunos etc.

possa se tornar um usuário do Moodle. a plataforma vem sendo usada para apoio ao ensino. • É adequado para cursos 100% on line bem como para complementar um curso presencial. • É simples. Diário. por exemplo. professores. reflexão crítica. já seja usuário cadastrado. em quaisquer áreas de uma instituição. a cursos de capacitação. extensão ou pesquisa. a plataforma incorporou recentemente o recurso de SCORM do Moodle. Funcionamento do Moodle A seguir apresentamos as orientações básicas para que o aluno devidamente matriculado num curso da Universidade Estadual do Ceará integrante do sistema Universidade Aberta do Brasil. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 69 . o primeiro passo. etc. listas de exercícios e outras informações que requeiram segurança). • Possibilidade de incorporar recursos de outras plataformas de software livre. etc) tem um editor HTML gráfico WYSIWYG (o que você vê é o que você vai obter) 3. leve. Assim. candidato a um curso no ambiente. seja de ensino. • Os cursos podem ser compartilhados em uma mesma instalação. • A maior parte das seções (Recursos.• Foco para a aprendizagem. de outros softwares conhecidos do mercado). interagindo de forma segura e com acesso a todas as funcionalidades do sistema. O Moodle apresenta ainda um conjunto de funcionalidades e facilidades de operação que justificam sua adoção como AVA para EAD: • Promove uma pedagogia socioconstrucionista (colaboração. Fóruns de Discussão. • Dá grande atenção ao aspecto segurança das informações. para todos. atividades. • É fácil de instalar em qualquer plataforma que suporte PHP. compatível.1 Tornando-se um usuário No ambiente Moodle alunos. com interface com navegadores de baixa tecnologia.). Necessita apenas de um banco de dados e pode compartilhá-lo com outras aplicações. • Os cursos podem ser visitados por interessados em conhecer o ambiente (sem acesso a provas. 3. eficiente. pressupõe que o aluno. Este manual é dirigido aos alunos e. é tornarse usuário. do que os recursos geralmente limitados a listas. • Os cursos podem ser agrupados por categoria − uma instalação Moodle suporta milhares de cursos. tutores e coordenadores são usuários do sistema. portanto. bem como a grupos de pesquisa (podendo usar recursos muito mais ricos.

3. como Nome de Usuário. O cadastramento de novos usuários pode ser feito através da tela de acesso. comunicarão no momento oportuno.ead. Isto garante a confiabilidade no sigilo das relações criadas dentro do ambiente.1: Digite o endereço para acessar o site da UECE (http://www. mas não é validado pela coordenação. Uma vez que o aluno se encontre na página da Instituição. uma vez que.uece. Os casos de homônimos parciais ou totais são tratados alternando-se o sobrenome utilizado. Assim.2. uma pessoa pode possuir.1 Figura 1. sem espaços ou letras maiúsculas. 70 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . todos os alunos sobre quais são suas senhas previamente criadas para acessar ao ambiente. Acessando o ambiente Moodle Para iniciar o seu aprendizado no ambiente Moodle. Nome de Usuário: Por padrão. a listagem dos alunos das disciplinas provém do Sistema Acadêmico da própria Instituição. por prudência. É importante lembrar que todos os alunos das disciplinas oferecidas já estão cadastrados no ambiente Moodle.uece. correspondente ao número de matrícula na UECE. o aluno deve. primeiramente. As informações de cada usuário são pessoais e. Senha: A senha para acessar o ambiente Moodle é previamente criada para os alunos pela coordenação. ele deve ir para o canto inferior direito Acesso ao Moodle e identificar-se com: usuário e senha. Os coordenadores do curso ou mesmos os tutores.ead.br/).br. fazer a alteração da mesma para evitar possíveis problemas. Para isso. Todos devem. acessar o site da Universidade Estadual do Ceará (UECE) no endereço: http://www. não são divulgadas fora do ambiente Moodle através de e-mails ou informações diversas. os nomes de usuários são estipulados pela coordenação e seguem o seguinte princípio: primeiro nome seguido do sobrenome. seu primeiro nome seguido de um de seus sobrenomes. você precisa ter sido cadastrado e recebido por e-mail um nome de usuário e uma senha. conforme ilustra a Figura 1. posteriormente.

Caso seja necessário. Figura 1. Esta opção permite também. conforme mostra a Figura 1. favorecendo a interação com os outros usuários do ambiente. você acessa o perfil na lateral esquerda. o aluno pode então confrontar e alterar as informações disponíveis. Editar perfil O primeiro passo ao acessar o ambiente Moodle pela primeira vez é editar o perfil do usuário. a alteração da senha pré-cadastrada por uma nova. Para isso. clique no link editar perfil. conforme a Figura 1. ainda. Figura 1. Caso seja necessário. Ao acessar a edição do perfil do usuário. Isto permite que seus dados. basta fazer a correção. colocar informações para contato.2: Tela mostrando o acesso ao Perfil O aluno poderá. Nome: O aluno deve verificar se seu nome está correto. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 71 . Para tanto.3: A tela de edição ou modificação do seu perfil.3.2. basta fazer a correção. pessoal e de responsabilidade do próprio usuário.3. possam ser corrigidos ou atualizados.3. previamente cadastrados. Sobrenome: O aluno deve verificar se seu sobrenome está correto. Poderá inclusive. indicar um site e inserir uma imagem pessoal. Na nova tela que se abre. o aluno poderá editar as seguintes informações. acrescentar mais informações pessoais. Os asteriscos em vermelho indicam campos obrigatórios.

professores. é atribuído um e-mail fictício ao usuário. Zona de fuso horário: Configuração técnica que permite escolher qual o fuso horário do aluno no ambiente Moodle. Esta descrição dirá um pouco mais sobre as áreas de interesse e características da pessoa. alunos.4. Por se tratar de uma figura ‘quadrada’. Descrição: Neste campo é fundamental a disponibilização de informações pessoais que ajudam aos outros usuários do ambiente a conhecer melhor o aluno. Outro fator diz respeito à proporção das imagens. o formato especificado é o recomendado. Estas informações não são requisitos bási- 72 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . Nova imagem: O aluno pode enviar uma imagem sua para ajudar a compor seu perfil. Caso o e-mail digitado não seja um e-mail válido. Por padrão. por outro lado. consulte a ajuda presente no campo. Cidade/Município: O aluno deve verificar se sua cidade ou município está correto. É altamente recomendável à ativação deste. Contudo. Mostrar endereço de e-mail: Estas opções configuram quem pode ter acesso ao e-mail do aluno. Ao fazer a troca. basta fazer a correção. o formato especificado é o recomendado. favorecendo o diálogo entre usuários. basta clicar em procurar e selecionar o diretório que contém a imagem desejada. É altamente recomendável que outras pessoas – no caso. Se. Idioma preferido: Configuração técnica que permite escolher qual o idioma do aluno no ambiente Moodle. imagens retangulares ou desproporcionais em relação à altura/largura podem apresentar uma distorção ou mesmo cortes. Caso seja necessário. Por padrão. além das informações obrigatórias.Endereço de e-mail: Por padrão na hora do pré-cadastro. O aluno deve alterar o e-mail. automaticamente esta é excluída do sistema. o que favorece o diálogo entre usuários. Perfil do usuário: dados opcionais Na edição do perfil do usuário. País: O aluno deve verificar se seu país está correto. deve-se observar que as imagens devem respeitar o limite máximo de tamanho de 2Mb. Para tanto. Imagem atual: O usuário pré-cadastrado recebe do ambiente Moodle. valendo-se de um e-mail ativo que utilize para receber suas mensagens. Caso seja necessário. em função do redimensionamento feito pelo ambiente Moodle. 3. não será possível fazer a alteração. basta fazer a correção. o e-mail digitado não seja utilizado pelo aluno. um ‘smile’ como imagem pessoal. tutores e coordenadores − possam ter conhecimento deste e-mail. este poderá ficar prejudicado por problemas de comunicação entre seus colegas ou entre seus professores. existem aquelas opcionais. Para maiores detalhes sobre formatos e aquisição de imagens. E-mail ativado: Esta opção permite a ativação e desativação do e-mail cadastrado.

ID Skype: O aluno pode especificar um número de ID ou identificação. Para isso. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 73 . Contudo. seu preenchimento não é obrigatório. no caso a Universidade Estadual do Ceará. Celular: O aluno pode especificar o número de telefone celular para auxiliar no contato de informações diversas. seu preenchimento não é obrigatório. na parte inferior. Departamento: O aluno pode identificar o curso ao qual o curso que ele está matriculado é vinculado.4. Figura 1.cos para o funcionamento do ambiente Moodle. seu preenchimento não é obrigatório. ID Yahoo: O aluno pode indicar o seu endereço de e-mail no Yahoo.4: A tela de dados opcionais do seu perfil. seu preenchimento não é obrigatório. Página web: O aluno pode especificar uma página na internet de seu interesse ou mesmo. Contudo. São opcionais. ID MSN: O aluno pode indicar seu endereço de acesso ao msn. seu preenchimento não é obrigatório. como é o caso de diários on line. Contudo. Essa configuração NÃO é adotada pelo ambiente Moodle e. Contudo. seu preenchimento é desnecessário. Contudo. Contudo. Instituição: O aluno pode colocar a Universidade na qual ele está matriculado. Fone: O aluno pode especificar um número de telefone para auxiliar no contato de informações diversas. Endereço: O aluno pode especificar seu endereço particular ou do trabalho para auxiliar no contato de informações diversas. seu preenchimento não é obrigatório. Contudo. Número de ICQ: O aluno pode especificar seu número de ICQ ou programa de mensagens instantâneas que julgar pertinente. uma que contenha mais informações pessoais. mas seu preenchimento ajuda a proporcionar experiências de aprendizado melhores e a facilitar a troca de informações entre os participantes de uma disciplina. conforme Figura 1. você precisa clicar no campo Mostrar Avançado no lado direito. seu preenchimento não é obrigatório.

o aluno vai para a página que apresenta a relação de centros. o aluno deve clicar em Atualizar Perfil. faculdades ou unidades. Acessando o curso Clicando em acessar.6. 74 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA .5. 3.7. Veja o exemplo na Figura 1. É informado também quais os professores de cada disciplina. o aluno deverá clicar sobre o curso no qual está matriculado e tem conhecimento das disciplinas. o aluno então acessa a relação de cursos como mostra a Figura 1.5: Clique no link para acessar a relação de cursos oferecidos por cada centro. faculdade ou unidade da UECE. faculdades ou unidades da UECE que oferece cursos na modalidade a distância. 3.6. como mostra a Figura 1.5. Tela inicial dos cursos Após efetuar o acesso aos cursos. Figura 1. as quais se encontra matriculado.Para que todos os dados incluídos sejam salvos.6: Relação de cursos a distância oferecidos pelo Centro de Ciências e Tecnologia da UECE. Ao clicar em qualquer das linhas contendo centros. Figura 1.

Esta nova tela é composta pelas informações pertinentes a matéria disponibilizada e as configurações do usuário inscrito. para efeitos de monitoramento da sua participação no Moodle. Figura 1.8: A tela de entrada do curso e suas janelas. Observe o comando circulado no lado direito da tela. Ele mostra a sua forma de acesso e ao lado a opção Sair.8. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 75 .7: Nome do curso com relação de disciplinas e nome do respectivo professor.Figura 1. conforme a Figura 1. É muito importante que o seu acesso seja realizado com seu usuário e sua senha. Acessando disciplinas Para acessar o conteúdo das disciplinas disponibilizadas basta acessar o link no nome da disciplina. 3. O aluno será então reconduzido a página inicial de sua disciplina.7. Evite acessar ao sistema usando senha de colegas ou outras pessoas que têm acesso ao sistema.

Neste caso. existem três maneiras distintas de disponibilizar materiais pelos professores. ao acessar o AVA. podendo ser disponibilizado em diversos formatos (pdf. Basicamente. de certa forma. rtf. a saber: Texto simples: O professor disponibiliza apenas texto puro. semelhante ao texto simples.9. No caso dos cursos de graduação da UAB/UECE são disponibilizados no ambiente Moodle de cada disciplina: Arquivos em pdf das unidades do livro texto produzido para a disciplina. possibilitando a formatação. Texto web: O texto web é. além do aluno receber o livro texto em forma impressa. Este material. é utilizado pelo professor formador quando dos encontros presenciais. os textos são disponibilizados em formato pdf.3. etc). aos alunos. São aulas gravadas pelos professores conteudistas. 76 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . etc.9: O conteúdo da disciplina localiza-se no centro da página. autores dos livros textos. inserção de figuras. ele pode ter acesso ao mesmo material em formato eletrônico. sem maiores recursos. html. Figura 1. links.8. via de regra. e disponibilizadas no Moodle para que os alunos possam ter acesso on line ou para download. doc. Vídeo aulas. Ou seja. Apresentações em Power point de um conjunto de aulas preparadas a partir das respectivas unidades do livro texto. apontar para um arquivo com conteúdo didático que o professor produziu para sua disciplina. conforme mostra a Figura 1. Textos adicionais sobre os temas de cada unidade. Material disponibilizado O conteúdo disponibilizado pelos professores em cada disciplina localiza-se no centro da página. Arquivo ou página web: Esta forma de material permite o aproveitamento de materiais já existentes em sites da web ou mesmo. A grande (e importante) diferença está no fato de que o texto é confeccionado no próprio ambiente.

Questionário: A atividade questionário pode ter várias aplicações no decorrer de um curso. Neste caso. monitores e professores estabelecem uma comunicação por escrito. É semelhante. com respostas das atividades. um por unidade. relatórios. pelo professor formador ou mesmo pelo professor conteudista da disciplina. Alguns exemplos: redações. algumas disciplinas podem dispor ainda de: Bate-papo (Chat): O Bate-papo é uma atividade em que. Tarefa: Uma tarefa consiste na descrição ou enunciado de uma atividade a ser desenvolvida pelo participante. Pode-se escolher uma escala para notas a ser utilizada. Diálogo: O Diálogo permite uma troca de informações entre alunos e professores. Diário: Esta atividade é um jornal on line para o estudante. O Diário pode ser editado pelo estudante e seu conteúdo pode ser aperfeiçoado. por exemplo – e de publicar o resultado da avaliação. o professor pode especificar uma questão aberta que orienta o que eles escrevem. um por tópico. Nos cursos da UAB/UECE. o aluno experimente a ferramenta com os colegas. que são corrigidas pelos tutores a distância. etc. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 77 . on line. é possível observar a evolução do processo de aprendizagem e habilidade de redação de cada estudante. É recomendável que. peça para que o professor acrescente novos diários. em tudo. Assim. já que eles só estarão abertos para eles e para o professor. prova virtual. projetos. estabelecer a data limite de validade do Diário.Atividades. às ferramentas disponíveis na internet com este mesmo nome. é organizado um Fórum no qual são colocadas atividades com calendário previamente definido para os alunos responderem. É possível. Para cada unidade. a nota atribuída pelo professor só será recebida pelo aluno autor de uma intervenção no Diário. teste rápido. Os diários não foram desenhados para continuar escrevendo continuamente neles. lista de exercícios para verificar a absorção de conhecimentos de um capítulo ou tópico do curso. Este módulo inclui a possibilidade de descrever tarefas a serem realizadas off line – na sala de aula. Para cada aluno. etc. Uma vez que o Diário só pode ser visto pelo professor e pelo aluno. como atividade para auto avaliação dos alunos. Pode-se criar tantos diários quanto desejado: um por semana. imagens. os alunos enviam arquivos anexos. Cada atividade do diário é uma entrada no diário geral do curso. com dia e hora previamente determinados. antes de iniciar um bate-papo real. Os alunos devem escrever de forma reflexiva e criticamente nestes diários. Como regra geral. etc. alunos. que pode ser enviada em formato digital ao servidor do curso utilizando a plataforma. também. A configuração de um Bate-papo é auto explicativa. pode-se criar um diário por semana. Cada estudante tem um e o conteúdo que só pode ser visto por ele e pelo professor. Se o aluno precisar disso. assim como uma janela de tempo em que o diário permanece aberto (só para os cursos em formato semanal).

11: Tela mostrando o Fórum de Notícias 3. O professor pode criar um fórum para discutir cada tópico ou capítulo do curso. Participantes No alto à esquerda.Trabalho com revisão: Esta atividade é uma oficina de trabalho para os alunos. Figura 1. conforme a Figura 1.10: Tela indicando a configuração do Fórum de Interação Cada disciplina possui além dos Fóruns de atividades para cada unidade. Figura 1. um Fórum de Notícias.9.10 mostra como está organizado um Fórum de Interação. o aluno tem acesso ao módulo ‘Participantes’.12. professores formadores colocam informações relevantes para o andamento da disciplina. tutores.11. como mostra a figura 1. Fórum de Interação: Esta atividade é basicamente uma lista de discussão. chama atenção para calendários e datas importantes. A figura 1. É usada para facilitar a avaliação pelos colegas. no qual coordenadores. 78 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . etc.

13. identificando a sua cidade. alunos. e outros). coordenadores. 3. o polo ao qual ele pertence.12: A tela de dados dos participantes. Ao clicar nesta opção. como mostra a figura 1. o item Cancelar minha inscrição no curso. Figura 1.13: Tela que mostra a forma de cancelar inscrição no curso. Este acesso lhe encaminha para outra tela. o quanto tempo durou o seu último acesso.Figura 1. o aluno tem acesso aos dados cadastrados daquele usuário específico. tutores. INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 79 . Ao clicar em qualquer imagem dos participantes. o aluno é apresentado à relação dos participantes do curso (professores. ele pode fazê-la acessando na aba Administração situado na lateral esquerda. Cancelamento de inscrição Caso o aluno deseje cancelar sua inscrição.10.

mestrado e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Ceará (1995. mestrado em Engenharia Elétrica pela Universidade Estadual de Campinas (1989) e doutorado em andamento na UFC.Eloisa Maia Vidal Possui graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal da Paraíba (1980). graduação em Filosofia pela Faculdade de Filosofia de Fortaleza (1989). 2000). É professora adjunta da UECE com atuação em formação de professores de Física e desenvolve pesquisas acadêmicas na área de política educacional. 80 INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA . Pesquisa e orienta trabalhos em EAD e informática educativa. avaliação e gestão da educação básica. Foi Coordenadora Pedagógica. de Planejamento e Secretária Adjunta da Secretaria de Educação Básica do Ceará de 2003 a 2006. José Everardo Bessa Maia Possui graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Ceará (1980). Cursou dois anos de Filosofia na Faculdade de Filosofia de Fortaleza. É professor assistente da UECE e professor adjunto da UNIFOR. especialização em Engenharia Biomédica pela UFPb (1982).

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful