You are on page 1of 2

PARECER PSICOPEDAGÓGICO INSTITUCIONAL

Instituição: Escola de Ensino Fundamental Aprender e Crescer


Coordenadora Pedagógica: Célia Maria Medeiros
Área de Investigação: Escolar
Período da Avaliação: 01/10/2018 a 29/10/2018.
Psicopedagogo Institucional: André Portes Marques

1. Queixa:

Mudança no comportamento dos alunos do 5 ano A. Aumento da dispersão,


comportamento de indisciplina, inquietude, baixo rendimento da turma. Professores relatam
casos diferenciados, mas que denotam a mudança nos alunos.

2. Instrumentos de Investigação:

Como parte dos instrumentos de investigação, foi realizado a Observação com um olhar
atento na dinâmica e estrutura da cultura organizacional da escola e da sala de aula. Assim
como uma Entrevista com professores, pais e alunos. Utilizou-se o EOCMEA (Entrevista
Operativa Centrada no Modelo Ensino-Aprendizagem) para a entrevista com os alunos. A
respeito da entrevista, de acordo com Muniz (2017, p. 44) as “entrevistas coletivas e
individuais podem ser utilizadas como estratégias para alcançar formas de pensamentos
individuais ou grupais”. Além de permitirem uma maior aproximação por parte do
psicopedagogo com os indivíduos envolvidos. Por fim, foi oferecido Atividades Lúdicas para
uma maior interação e integração dos alunos nos processos grupais e de subjetivação.

3. Parecer Diagnóstico:

Com base nas informações colhidas através da entrevista com os professores, pais e
alunos, além da observação em sala de aula, visto que as mudanças no comportamento
não se tratam apenas de um único indivíduo, ou seja, mais de um aluno tem apresentado
comportamentos considerados como inadequados. Chego a hipótese de que a metodologia
de ensino não tem sido satisfatória, ou mesmo, a forma como a equipe pedagógica tem
trabalhado já não supri e compreende a necessidade dos alunos em suas individualidades,
diminuindo a capacidade e potencialidade para o crescimento.

4. Proposta de Intervenção:

De acordo com Muniz (2017, p. 41), “Na prática da psicopedagogia, seja clínica ou
institucional, a intervenção já começa nos primeiros contatos, quando a necessidade do
trabalho é identificada e o profissional é contatado”. Desta forma, a relação professor-aluno
deve ser priorizada apontando a necessidade de cada profissional, ou seja, da equipe
pedagógica, em compreender a aprendizagem do aluno com um olhar diferenciado e
individualizado. Auxiliando-os a apropriarem o conhecimento e construir um pensamento
crítico e produtivo. Sendo assim, visto que a escola possui uma excelente estrutura
contendo ginásio, biblioteca, pátio, sala de computação, entre outros, para o
desenvolvimento da aprendizagem de forma eficiente. Também se propõe a utilização
destes recursos e desta estrutura para melhorar a aprendizagem. Trabalhando com o
lúdico, utilizando o ambiente em que todos os envolvidos estão inseridos, além de
acrescentar a psicomotricidade relacional na prática diária, a fim de que as crianças possam
participar de forma efetiva no processo de sua aprendizagem juntamente com o professor.

5. Referência

MUNIZ, Luciana. Avaliação, diagnóstico e atendimento na prática clínica e institucional


[recurso eletrônico], Curitiba: Universidade Positivo, 2017. 96 p.

Nome e número de matrícula: André Portes Marques (1827141)

Assinatura: André Portes Marques