You are on page 1of 4

Instituto de Ensino Superior Franciscano – IESF

Pós-Graduação em Gestão Empresarial

LUIZ FERNANDO MELO PINHEIRO

Estudo de Modelos de Gestão de Projetos aplicado à Construção Civil:


Caso Comparativo Entre Modelo Tradicional e Modelo Ágil

Linha de Pesquisa: Modelos de Gestão de Projetos

Orientador: Prof. Heitor de Carvalho


Orientador: Prof. Delsio Pavan

São Luís, MA

2018
1 – INTRODUÇÃO

Diante da dinâmica dos mercados, juntamente ao crescimento da concorrência e


exigências dos clientes, as empresas do setor de construção civil buscam constantemente
soluções que gerem vantagens competitivas.
Nesse contexto, este artigo tem como objetivo analisar e comparar a aplicação da
metodologia de Gestão Projetos Ágeis, frente a metodologia de Gestão de Projetos
Tradicionais, no Setor de Construção Civil, tendo como unidades de análise duas obras de
médio porte (Projetos de Reformas de Duas Clinicas Oftalmológicas em São Luís – MA)
ambas geridas pela mesma construtora. Para tal, utiliza-se de pesquisa descritiva de natureza
qualitativa, mediante pesquisa-ação e estudo de caso comparativo. Os mecanismos de coleta
de dados consta de roteiro de entrevista e relatórios aplicados junto aos colaboradores da
organização.
Os primeiros resultados indicam que existem diferenças nos resultados entre a
construtora que tem atividades orientadas pelo ciclo de trabalho processo padrão-produtivo –
Modelo Tradicional e a que é pautada pelo ciclo de trabalho orientado por processos ágeis –
Modelo Ágil, em especial no que se refere a integração de pessoas aos projetos, a prevenção e
controle de irregularidades nos orçamentos e prazos, as revisões e adaptações nos
cronogramas, propiciando encurtamento de ciclos e permitindo agilidade nos processos e
melhoria da gestão das atividades. Por fim, pode-se sugerir que existem significativos
benefícios para a empresa que utiliza o Método Ágil.
.Assim, o questionamento que surge como consequência do estudo, é como utilizar
esses fundamentos da Gestão Ágil na conjuntura da construção civil frente as metodologias de
Gestão Tradicional? E, neste aspecto, Highsmith (2004) destaca que para o emprego efetivo
dos fundamentos do gerenciamento ágil, é preciso que a organização determine cinco
objetivos comuns para seu empreendimento, que devem encontrar-se ajustados com os
fundamentos desse tipo de gestão, são eles: busca incessante por inovações, flexibilidade do
projeto, entregas com minimização dos prazos, capacidade de adequação as mudanças dos
indivíduos e dos processos, e resultados confiáveis.
Diante desta reflexão, o que se pretende é comparar a aplicação da metodologia Ágil e
Tradicional em projetos da Indústria da Construção Civil, a partir desse desafio, este estudo se

1
propõe a fazer uma reflexão de quais indicativos podemos usar para melhor comparar os dois
modelos de gestão haja vista que, a crescente competitividade do setor exige a aplicação
dessas novas tecnologias de gestão como competência essencial nas obras contemporâneas.
De acordo com a taxionomia de Vergara (2014), esta pesquisa classifica-se da seguinte
forma: quanto aos fins é descritiva, explicativa e aplicada. Descritiva porque visa descrever o
ambiente físico e de convivência dos sujeitos envolvidos nos projetos. Explicativa porque
busca uma relação de causa-efeito para cada uma das metodologias e aplicada por se tratar de
comparação metodológica aplicada a projetos concretos. Quanto aos meios, é bibliográfica e
de campo. Bibliográfica, pela necessidade de recorrer à literatura, livros e artigos científicos,
confrontando teoria com a realidade. De campo, considerando que o objeto investigado é algo
concreto que se manifesta nos ambientes de projeto (obras) necessitando de pesquisa, emissão
de relatórios e entrevistas in locco. Quanto a abordagem, ainda segundo a autora, é qualitativa
e quantitativa. Qualitativa, pois através das entrevistas ganhará um caráter subjetivo a ser
analisado, estudando as particularidades e experiências individuais dos entrevistados, que
estarão livres para apontar os seus pontos de vista sobre os métodos em estudo. E quantitativa,
utilizará diferentes técnicas estatísticas, através dos questionários das entrevistas e dos
relatórios de processos, para quantificar as opiniões e informações a fim de compreender e
extrair as informações que possam mensurar sobre as experiências de cada um dos indivíduos
em cada um dos métodos.
Assim, as empresas do setor de construção civil na constante busca de soluções que
gerem vantagens competitivas frente ao mercado, o conceito de gestão de projetos tornou-se
indispensável neste setor, podendo ser aplicada nos perfis mais diversificados de
organizações, desde pequenas empresas de caráter individual, englobando também
organizações sem fins lucrativos e alcançando até grandes companhias de relevância mundial.
Nesse contexto, este artigo busca analisar e comparar a aplicação da metodologia de
Gestão Projetos Ágeis, frente a metodologia de Gestão de Projetos Tradicionais. Os primeiros
resultados indicam que existem diferenças nos resultados entre projetos que tem atividades
orientadas por uma ou outra metodologia, assim, se faz de extrema relevância discutir
problemas e vantagens nas metodologias tradicionais na gestão de projetos na indústria da
construção civil frente as novas metodologias de projetos Ágeis. Desta forma, esta pesquisa
sinalizará a imperativa adaptação das empresas do setor na busca por maior competitividade.
Diante do explicitado, para concretizar este estudo, primeiramente analisam-se as
literaturas pertinentes aos Métodos Tradicional e Ágil. Logo após, diagnosticam-se a atual
metodologia de gestão e convivência em obra. Seguem-se comparando a Metodologia

2
Tradicional à Ágil e, por último, demonstram-se as vantagens e desvantagens entre os dois
modelos;