You are on page 1of 2

De acordo com Carlos Montaño (2009), existem duas teses opostas sobre a gênese do

Serviço Social, a perspectiva endogenista e a perspectiva histórico-crítica. Sobre elas,


pode-se afirmar:
A. ( ) a perspectiva endogenista considera que as bases da profissão do assistente social
não estão relacionadas às primeiras formas de ajuda.
B. ( ) a perspectiva histórico-crítica entende que há uma continuidade entre a natureza
do Serviço Social e as práticas de filantropia, com características diferentes.
C. ( ) a perspectiva endogenista e a perspectiva histórico-crítica se aproximam por
conceber a profissão do Serviço Social como produto histórico do desenvolvimento
interno das formas de ajuda.
D. ( ) na perspectiva endogenista, a origem do Serviço Social não está relacionada com
a evolução, organização e profissionalização das formas anteriores de ajuda, vinculadas
à caridade e à filantropia.
E. ( ) na perspectiva histórico-crítica a natureza do Serviço Social é distinta das formas
anteriores de ajuda, com características semelhantes.

2 - Carlos Montaño no livro “A natureza do Serviço Social”, apresenta duas teses


sobre a natureza do Serviço Social: a perspectiva endogenista e a perspectiva
histórico-crítica. Com base nessas tendências, relacione a primeira coluna com a
segunda.

1- Endogenista
2- Histórico-Crítica

( ) A relação do Serviço Social com a história e a sociedade é adjetiva, circunstan cial,


acidental. Há uma clara visão de externalidade, de exterioridade, na consideração do
social para a análise da história profissional.
( ) Entende o surgimento da profissão do assistente social como um produto da
síntese dos projetos político-econômicos que operam no desenvolvimento histórico,
onde se reproduz material e ideologicamente a fração de classe hegemônica, quando,
no contexto do capitalismo na sua idade monopolista, o Estado toma para si as
respostas à “questão social”.
( ) O surgimento do Serviço Social está diretamente vinculado às opções particulares,
mesmo que pessoais ou coletivas, dos sujeitos filantropo-profissionais, em fazer
evoluir as ações que já desenvolviam de forma assistemática, desorganizada e
voluntariamente.
( ) Numa visão mais estrutural, essa perspectiva identifica a origem do Serviço Social
ainda na Idade Média, distinguindo dois tipos de ações assistenciais que convergem
para o terreno de gênese da profissão: a caridade e a filantropia.
( ) O Serviço Social tem um papel a cumprir dentro da ordem social e econômica, na
prestação de serviços: ao assistente social lhe é demandado participar da reprodução
tanto da força de trabalho, das relações sociais, quanto da ideologia dominante.
Assinale a opção que apresenta a sequência CORRETA:

A. ( ) 1, 2, 1, 1, 2
B. ( ) 2, 1, 1, 1, 2
C. ( ) 1, 2, 2, 2, 1.
D. ( ) 2, 2, 2, 1, 2
E. ( ) 1, 1, 1, 2, 1

3 – A partir das duas teses estudadas por Montaño (2011) o Serviço Social é apresentado
sob duas vertentes distintas. Desse modo assinale a opção que apresenta a sequência
CORRETA:
A. ( ) Na primeira tese (endogenista) o Serviço Social cumpre uma função
socioeconômico e política dentro da ordem burguesa.
B. ( ) Na tese endogenista o Estado é analisado como instrumento da classe burguesa.
C. ( ) De acordo com a tese histórico-crítica o Serviço Social, não se relaciona
decisivamente à ‘evolução da ajuda’, à ‘racionalização da filantropia’, nem à organização
da caridade’.
D. ( ) Na tese endogenista o Serviço Social não recai na ajuda como práticas altruístas.
Rejeita a tese focalista e evolucionista.
E. ( ) Uma das características da tese histórico-dialética é de que o Serviço Social é
produto histórico; é produto e reprodutora das relações sociais.