You are on page 1of 49

R ESOLUÇÕES*

NY11LP © RAIZ EDITORA

* As resoluções apresentadas referem-se ao domínio Trigonometria e Funções Trigonométricas do volume 1 do Manual
Novo Ípsilon 11, e a parte do domínio Sucessões do Caderno de atividades. As resoluções dos restantes exercícios
do Manual e Caderno de atividades serão disponibilizadas aos professores utilizadores do projeto em setembro de 2016
no e-Manual Premium.

NY11LP_20151604_P135_144_4P.indd 135 4/13/16 2:54 PM


Resoluções

Trigonometria e Funções Trigonométricas


DIAGNÓSTICO 2.1 Aplicando o teorema de Pitágoras, tem-se:
AC = AB + BC § AC = a2 + a2 §
2 2 2 2
1.1 Aplicando o teorema de Pitágoras, considerando o triângulo

§ AC = 2a2 § AC = "2 a
2
fEFGg :
AC > 0
2
a
FG = EF - EG § FG = a2 - a b §
2 2 2 2
A
2
a2 3a2 "3 45°
§ FG = a2 - § FG = § FG =
2 2
a
4 4 FG > 0 2
a
F
90°

B a C
a

BC a 1 "2
2.2 sin 458 = = = =
AC "2 a "2 2
D G a E
2 AB a 1 "2
2.3 cos 458 = = = =
AC "2 a "2 2
W F = 1808 : 3 = 608 ; DFWG = 608 : 2 = 308
1.2 ED
BC a
2.4 tan 458 = = =1
a AB a
W
1.3 sin 308 = sin 1DFG2 =
DG 2 1
= =
DF a 2 BC
3. = tan 458 = 1 § BC = AC
"3 AC
a
W
cos 308 = cos 1DFG2 =
FG
=
2
=
"3
BC
DF a 2 = tan 608 = "3 § BC = "3 * DC
DC
1 B
a
tan 308 = tan 1DFWG2 =
DG 1
2 "3
= = =
FG "3 "3 3
a
2
"3
a
W
sin 608 = sin 1EDF 2 =
FG
=
2
=
"3
DF a 2
a 45° 60°
cos 608 = cos 1EDW F 2 = DG = 2 = 1 A C
5 D
DF a 2

"3 De AC = 5 e BC = AC vem BC = 5 + DC .
a
W
tan 608 = tan 1EDF 2 =
FG
=
2
= "3 Tendo em conta que BC = "3 * DC , tem-se:
DG 1
a
2 "3 * DC = 5 + DC § "3 * DC - DC = 5 §

308 608 5
§ Q"3 -1R DC = 5 § DC =
1 "3 "3 - 1
Seno
2 2 5 Q "3 + 1R 5"3 + 5
1 § DC = § DC =
"3 Q "3 - 1R Q "3 + 1R 2
Cosseno
2 2
NY11LP © RAIZ EDITORA

"3 "3 5"3 + 5 5 * 3 + 5"3 5"3 + 15


Tangente e BC = "3 * DC = "3 * = =
3 2 2 2

136

NY11LP_20151604_P135_144_4P.indd 136 4/13/16 2:54 PM


Resoluções

4.1 Seja F o pé da perpendicular à reta AB que contém o b. CE = AB + BF = 10 + 5"3 + 5 = 15 + 5"3 m


segmento que representa a altura h .
"3 5"3
DE = DF - EF = h - AC = 15 + 5"3 - 10 = 15 + m
3 3

5"3
15 +
W
tan ECD =
DE W
§ tan ECD =
3
CE 15 + 5"3

5"3
15 +
ECWD = tan - 1
± 3 ≤
h ) 378
15 + 5"3

2
5"3 2
c. DC = DE + CE § DC = a15 + b + Q 15 + 5"3 R §
2 2 2 2

3
60°
45°
150"3 25
§ DC = 225 + + + 225 + 150"3 + 75 §
2
F B A 3 3
h
= tan 458 = 1 § h = FA e FA = FB + 10 . 600"3 + 1600 600"3 + 1600
§ DC = § DC = ) 30 m
2
Tem-se
FA 3 Ç 3
Logo, h = FB + 10
DF + AC 24 + 6
d. AfACDFg = * AF = * 24 = 360 m2
h 2 2
Por outro lado, = tan 608 = "3 § h = "3 * FB .
FB
1. TRIGONOMETRIA: ÂNGULOS RETOS, ÂNGULOS
Assim, FB + 10 = "3 * FB § "3 * FB - FB = 10 §
OBTUSOS E RESOLUÇÃO DE TRIÂNGULOS
10
§ FB Q "3 - 1 R = 10 § FB = § 1.1 Seja x o comprimento do cabo. Tem-se:
"3 - 1
100 100
10 Q "3 + 1R cos 208 = § x= ) 106,4 m
10"3 + 10 x cos 208
§ FB = § FB = §
Q "3 - 1R Q "3 + 1R 2 O cabo disponível não tem comprimento suficiente, pois
106,4 > 105 .
§ FB = 5"3 + 5
1.2 Sendo h a altura do edifício, tem-se
e h = "3 Q 5"3 + 5 R = 5 * 3 + 5"3 = 15 + 5"3 ) 24 m x
tan 208 = § x = 100 * tan 208 ) 36,4 m
100
4.2
D 2. Um pentágono regular inscrito
x
numa circunferência pode ser
decomposto em cinco triângulos a
36° 10
placa isósceles, em que os dois lados
iguais têm a medida do raio da
circunferência circunscrita. A
altura de cada um desses triân-
E C gulos é o apótema do pentágono.
Seja x metade do lado do pen-
tágono e a o apótema do pentágono.
60° 30° 45°
a
F B 10 m A Tem-se cos 368 = § a = 10 cos 368
10
x
AC "3 e sin 368 = § x = 10 sin 368 .
a. = tan 308 § AC = 10 )6m 10
10 3
Seja l a medida do lado do pentágono.
Tem-se l = 2x = 20 sin 368 .
NY11LP © RAIZ EDITORA

5 * 20 sin 368
Apentágono = * 10 cos 368 =
2
= 500 * cos 368 * cos 368 ) 237,8 cm2

137

NY11LP_20151604_P135_144_4P.indd 137 4/13/16 2:54 PM


Resoluções

3. Os extremos das duas diagonais formam um retângulo cujos 6.1 Aplicando a Lei dos senos, temos: B
lados são duas arestas do cubo e duas diagonais faciais do
cubo. Sendo a a medida da aresta do cubo, as respetivas sin a sin b 8 sin a b
= § BC = § E
diagonais faciais medem "2 a 1diagonal de um quadrado2. BC 8 sin b
Na figura seguinte, a é a amplitude pedida e b é metade g
"7 C
dessa amplitude. 8*
4 32
§ BC = § BC = a D
5"7 5
16 A

a a Considerando a semelhança dos triângulos fABCg e


fADEg , temos:
32 32
5*
b DE BC DE 5 5
= § = § DE = § DE = 4
2a AD AC 5 8 8

6.2 Sabendo que o perímetro do triângulo fADEg é igual a 15 ,


Assim, tem-se:
temos:
a 1 "2
tan b = § tan b = § tan b =
"2 a "2 2 AD + DE + EA = 15 § EA = 15 - AD - DE §

"2 § EA = 15 - 5 - 4 § EA = 6
b = tan - 1 a b ) 35,2648
2
Considerando a semelhança dos triângulos fABCg e
a = 2b ) 2 * 35,2648 ) 70,538 fADEg , temos:

AE AD 6 5 6*8 48
4.1 Aplicando a Lei dos senos, temos: = § = § AB = § AB =
AB AC AB 8 5 5
"2
4,5 *
sin 458sin 608 2 3"6
= § BC = § BC = Aplicando a Lei dos senos, temos:
BC 4,5 "3 2
48 5"7
*
2 sin g sin b 5 16 3"7
= § sin g = § sin g =
AB 8 8 8
4.2 Aplicando a Lei dos senos, temos

7. CW = 1808 - 908 - 608 = 308


"3
sin Q ABWC R 5*
§ sin Q ABWC R =
sin 608 2
= §
5 4,5 4,5 B

§ sin QABWC R =
5"3 10 90°
9
60°
A
5. Aplicando a Lei dos senos, temos:

sin 458 sin 508 3 sin 508 C


= § OL = §
3 OL "2 Aplicando a Lei dos senos, temos:
2
1
§ OL = 3"2 sin 508 ) 3,25
sinB sinC
= §
1
=
2
§ AC = 20
AC AB AC 10

W L = 1808 - 458 - 508 = 858


SO
8.1 Aplicando a Lei dos senos, temos: C
"3
sinD sin b
2 1

sin 458 sin 858
= § LS =
3 sin 858
§ = § = §
3 BC CD BC 2
LS "2
2
4 4"3
§ BC = § BC = a
NY11LP © RAIZ EDITORA

§ OL = 3"2 sin 808 ) 4,23 "3 3 g b


90°

A B D
O perímetro do triângulo fSOLg é P ) 3 + 3,25 + 4,23 ) 10,5 .

138

NY11LP_20151604_P135_144_4P.indd 138 4/13/16 2:54 PM


Resoluções

8.2 Aplicando a Lei dos senos, temos: 11.2 CW = 1808 - 308 - 458 = 1058
"2 O ângulo a e o ângulo interno C do triângulo fABCg são
sinD sin g 1 2 4 suplementares 11058 + 758 = 18082 , logo sin a = sin C .
= § = § AC = § AC = 2"2
AC CD AC 2 "2
Aplicando a Lei dos senos, temos
8.3 Aplicando o teorema de Pitágoras, considerando o triângulo sin C sin B sin C sin B
fACDg , temos: = § = §
AB AC 5"3 + 5 10
2
AD = AC - CD § AD = 12"2 2 - 22 §
2 2 2 2

Q 5"3 + 5 R *
"2
2 "2 Q "3 + 1 R "6 + "2
§ AD = 4 § AD = 2
2
§ sin C = = =
AD > 0 10 4 4
9.1 Aplicando a Lei dos senos, temos: "6 + "2
1 Assim, sin a = sin C = .
4
sinB sinA 2 2
= § sinB = 8 * § sinB =
8 6 6 3 12.1 Aplicando a Lei dos cossenos, temos: A 3
C
C x = 3 + 4 - 2 * 3 * 4 * cos C §
2 2 2
60°
6 1 x
8 § x2 = 9 + 16 - 24 * 4
2
B
30° § x2 = 13 § x = "13
x>0 B
A

9.2 Aplicando a Lei dos senos, temos: 12.2 Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
1 x2 = 52 + 52 - 2 * 5 * 5 * cosB §
sinC sin 308 sinC 2 sinC 1
= § = § = "3
AB 6 AB 6 AB 12 § x2 = 50 - 50 * C
2 5
W = 1808 - 458 - 308 = 1058 § x = #50 - 25"3 x
10. O L x>0 30° B

45° § x = 5#2 - "3 A 5


Aplicando a Lei dos senos, temos:

sin L sin S sin O 30°


= = S O
12.3 Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
3 LO LS 3 C
x2 = 82 + 102 - 2 * 8 * 10 * cos B §
1 8
3* "2
x
Da primeira igualdade, obtemos LO = = =
3"2
.
2 3 § x2 = 164 - 160 *
2 2 45°
"2 "2 B A
2 § x = #164 - 80"2 10
x>0

3 * sin O 6 * sin O
Por outro lado, LS = = = 3"2 sin O .
A 4
"2 "2 13.1 Aplicando a Lei dos cossenos, temos: C
2
6 = 4 + 5 - 2 * 4 * 5 * cos C §
2 2 2
6 5
Assim, o perímetro do triângulo fSOLg é § 36 = 41 - 40 cos C
5 1
3"2 § cos C = § cos C = B
P=3+ + 3"2 sin 1058 ) 9,2 . 40 8
2
A determinação de um valor aproximado de sin O
13.2 Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
pode ser feita numa calculadora fazendo: sin 1058
2
52 = 42 + Q 2"3 R - 2 * 4 * 2"3 * cos C §
11.1 Aplicando a Lei dos senos, temos:
B 5
1
NY11LP © RAIZ EDITORA

10 * § 25 = 28 - 16"3 cos C A
sin A sin B 10 * sin A 2
= § BC = = = 5"2 4
10 sin B 3 "3 2 3
BC "2 § cos C = § cos C =
2 16"3 16 C

139

NY11LP_20151604_P135_144_4P.indd 139 4/13/16 2:54 PM


Resoluções

14. Designemos por r o raio da circunferência. 15.4 Aplicando a Lei dos senos, temos:
B C
3 cm
x
A
30° 90°
30°
B 8 D 6 A
C
sin 908 sin 608 6 * sin 908 6*1
= § CD = § CD = §
CD AD sin 608 "3
2
Aplicando a Lei dos cossenos, temos: § CD = 4"3

Q "3 R = r 2 + r 2 - 2 * r * r * cos 1ACWB2 §


2
W C = 1808 - 308 = 1508 e
Temos BD
"3 2 "3
§ 3 = 2r 2 - 2 * r § 3 = Q 2 - "3 R r 2 cos 1508 = cos 11808 - 3082 = - cos 308 = - .
2 2

3 3 Q 2 + "3 R Aplicando a Lei dos cossenos, temos:


§ r 2 = = = 6 + 3"3
x2 = BD + CD - 2 * BD * CD * cos 1508 §
2 2
2 - "3 Q 2 - "3 R Q 2 + "3 R

2
"3
Logo, a área do círculo é A = pr 2 = Q 6 + 3"3 R p cm2 . § x2 = 82 + Q 4"3 R - 2 * 8 * 4"3 * a- b
2

C 2
"3
15.1 Aplicando a Lei dos cossenos, temos: § x2 = 82 + Q 4"3 R - 2 * 8 * 4"3 * a- b
2

x2 = 32 + 62 - 2 * 3 * 6 * cos 308 § 6 § x2 = 208 § x = "208 = 4"13


x>0
x
"3
§ x2 = 45 - 36 * 30° 16. Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
2
B 3 A 2
x2 = 42 + Q"3 R - 2 * 4 * "3 * cos 308 §
§ x = 45 - 18"3 § x = #45 - 18"3
2
x>0
4 cm
"3
§ x2 = 16 + 3 - 8"3 *
2
C
15.2 Aplicando o Teorema de Pitágoras, temos:
§ x2 = 7 § x = "7 cm
x>0 30°
x = 3 + 3 §
2 2 2

x 3 cm
§ x2 = 18 § x = "18 3
x>0
17. Comecemos por determinar o comprimento da diagonal
§ x = 3"2 menor.
B 3 A
Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
1
1 x2 = 82 + 122 - 2 * 8 * 12 * cos 608 § x2 = 208 - 192 * §
15.3 Temos cos 1208 = cos 11808 - 6082 = - cos 608 = - . 2
2
5 B § x2 = 112 § x = "112 = 4"7 cm

A x>0

120° 8 cm x
8 60˚
x 12 cm

Para determinar o comprimento


da diagonal maior, usamos o 120˚
C ângulo suplementar do ângulo 8 cm y
Aplicando a Lei dos cossenos, temos: dado, cuja amplitude é
NY11LP © RAIZ EDITORA

1 1808 - 608 = 1208 . 12 cm


x2 = 52 + 82 - 2 * 5 * 8 * cos 1208 § x2 = 89 - 80 * a- b §
2 1
Temos cos 1208 = cos 11808 - 6082 = - cos 608 = - .
§ x2 = 129 § x = "129 2
x>0

140

NY11LP_20151604_P135_144_4P.indd 140 4/13/16 2:55 PM


Resoluções

Aplicando a Lei dos cossenos, temos: 20. Os lados do triângulo fABCg têm as seguintes medidas de
y2 = 82 + 122 - 2 * 8 * 12 * cos 1208 § comprimento:
1 AB = 3,6 + 2,8 = 6,4 cm

§ y2 = 208 - 192 * a- b § y2 = 304 § y = "304
2 y>0
BC = 2,8 + 1,8 = 4,6 cm

§ y = 4"19 cm
AC = 3,6 + 1,8 = 5,4 cm

3
18.1 Temos cos aW = - cos 11808 - aW 2 = - .
7
A 2 B
B
W W
180° - a
a
14 2,8 cm
hC 3,6 cm B
x

A
C 1,8 cm
C
Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
3
x2 = 22 + 142 - 2 * 2 * 14 * cos a § x2 = 200 - 56 * a- b §
7
§ x2 = 224 § x = "224 § x = 4"14
x>0
Aplicando a Lei dos cossenos ao ângulo A , temos:
18.2 sin 11808 - aW 2 + cos2 11808 - aW 2 = 1 §
2

BC = AB + AC - 2 * AB * AC * cos A §
2 2 2

2 2
3 3
§ sin2 11808 - aW 2 + a b = 1 § sin2 11808 - aW 2 + a b = 1 § 4,62 = 6,42 + 5,42 - 2 * 6,4 * 5,4 * cos A
7 7
§ 21,16 = 70,12 - 69,12 cos A
40 2"10
§ sin 11808 - aW 2 = =
W2 > 0 Å 49 7 48,96 17
sin 11808 - a
§ cos A = § cos A =
hC 69,12 24
sin 11808 - aW 2 = § hC = 14 sin 11808 - aW 2
14 W = cos- 1 a 17 b ) 458
A
24
2"10
hC = 14 * = 4"10
7 Aplicando, agora, a Lei dos senos, temos:

19.1 Se aW = 308 , aplicando a Lei dos cossenos, temos:


sin A
=
sin B
§
sin 458 sin B
= §
BC AC 4,6 5,4
A
"2
a 5,4 *
2
10 § sin B = § sin B ) 0,83
4,6
8
BW ) sin- 1 10,832 ) 568

CW = 180 - A
W - BW ) 1808 - 458 - 568 = 798
C
B

BC = 82 + 102 - 2 * 8 * 10 * cos 308 § 21.1 Aplicando a Lei dos senos, temos:


2
3 C
1 A
4*
sin 308 sin CW
"3
§ BC = 164 - 160 *
2

2 = § sin C =W 2
§
3 4 3
§ BC = 164 - 80"3 § BC = #164 - 80"3
2
4
§ sin CW =
BC > 0 2 30°
3
19.2 Se aW = 458 , aplicando a lei dos cossenos, temos:
CW = sin- 1 a b ) 41,88
2 B
BC = 82 + 102 - 2 * 8 * 10 * cos 458 §
2
3

§ BC = 164 - 160 *
2 "2 W = 180 - BW - CW ) 1808 - 308 - 41,88 = 108,28
NY11LP © RAIZ EDITORA

A
2
W 3 * sin 108,28
§ BC = 164 - 80"2 § BC = #164 - 80"2
2
sin 308 sin A
= § BC = § BC ) 5,7
BC > 0 3 sin 308
BC

141

NY11LP_20151604_P135_144_4P.indd 141 4/13/16 2:55 PM


Resoluções

Sendo x > 0 , tem de ser x = 8 .


; CW = cos- 1 a b ) 66,48 ; BW = CW ) 66,48
2 2
21.2 cos C =
5 5 Assim, o perímetro do triângulo é P = 5 + 7 + 8 = 20 .
W = 1808 - 2 * BW ) 1808 - 2 * 66,48 = 47,28
A Opção correta: A
A
W C = 2 * BA
27. BO W C = 608

5 Aplicando a Lei dos cossenos, temos: A


5 152 = r 2 + r 2 - 2 * r * r * cos 608 § 30°
1 O r C
C § 225 = 2r 2 - 2 * r 2 * 60°
2 2
4 r 15
B § r2 = 225 § r = 15
r>0

C Opção correta: B B
22. Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
AC = 12 + 32 - 2 * 1 * 3 * cos 608 §
2
28. Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
3
1
§ AC = 10 - 6 * § AC = "7
2 c 2 = a2 + b2 - 2 * a * b * cos 608 §

a = 2b
2 AC > 0
c 2 = 12b2 + b2 - 2 * 2b * b * cos 608
2
60°
Opção correta: B A B
1
1
§ c2 = 4b2 + b2 - 4b2 * § c2 = 3b2 § c = "3 b
2 b, c>0
BC 1
23. sin 308 = § BC = 10 * § BC = 5 A
10 2
AC "3
cos 308 =
§ AC = 10 * § AC = 5"3 B
b c
10 2
10
Logo, AC + BC = 5"3 + 5 . 30° 60°
C a B
Opção correta: C A C

24. Aplicando a Lei dos cossenos, temos: W sin BW sin CW


sin A
Aplicando a Lei dos senos, temos = = .
2
a b c
c 2 = 42 + Q 3"2 R - 2 * 4 * 3"2 * cos 458 §

Da segunda igualdade obtemos:
"2 A
§ c 2 = 34 - 24"2 * § "3
sin BW sin 608
2
c 3 2 = W
§ sin B =
2
§ sin BW = ± BW = 308
1
§ c 2 = 10 § c = "10 b "3 b b00
"3 2
c>0 45°
Opção correta: D B 4 C W = 1808 - BW - CW = 908

A

25. O maior ângulo interno do triângulo é aquele que se opõe ao Opção correta: A
maior lado.
29. Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
2
62 = 32 + 42 - 2 * 3 * 4 * cos a § 36 = 25 - 24 cos a § d2 = 52 + Q 3"3 R - 2 * 5 * 3"3 * cos 308 §

11
§ cos a = - "3
24 § d2 = 52 - 30"3 *
2
Opção correta: C
§ d2 = 52 - 45 § d = "7
d>0
26. Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
72 = 52 + x2 - 2 * 5 * x * cos 608 §
5 7 5
d
§ 49 = 25 + x - 5x 2 60°
30°
5 ¿ "25 + 96
NY11LP © RAIZ EDITORA

§ x2 - 5x - 24 = 0 § x =
3 3
2
5 ¿ "121 5 ¿ 11
§ x = §x= § x=-3›x=8 Opção correta: A
2 2

142

NY11LP_20151604_P135_144_4P.indd 142 4/13/16 2:55 PM


Resoluções

30. Aplicando a Lei dos senos, temos: 31.4 CW = 1808 - A


W - BW = 1808 - 608 - 458 = 758 C
sin 608 sin 458 "2 * sin 608 2 60°
= § b= § Aplicando a Lei dos senos, temos:
b "2 sin 458
a
sin 608 sin 758 60°
= § A
45°
B
"3 3
"2 * BC 3
2 3 * sin 608
§ b= § b = "3 b 45°
§ BC = § BC ) 2,7
"2 sin 758
2 e
e sin 458 sin 758 3 * sin 458
= § AC = § AC ) 2,2
sin 758 sin 458 "2 * sin 758 AC 3 sin 758
= § a= §
a sin 458
"2
31.5 AC = BC - AB § AC = 42 - 32 § AC = "7
2 2 2 2

"2 + "6 AC > 0


"2 *
4 "2 + "6
§ a= § a= cos B =
3
; BW = cos- 1 a b ) 41,418
3 C
"2 2 4 4
4
CW = 908 - BW = 908 - 41,418 = 48,598
2
Opção correta: D
A B
; BW = cos- 1 a b ) 70,538
1 1 3
31.1 cos B = C
3 3
2 2 4 4"3
3 31.6 sin 608 = § AC = § AC = § AC =
CW = BW ) 70,538
1
AC "3 "3 3
W = 1808 - BW - CW = 1808 - 2 * 70,58 = 38,948 A
A 3 B 2

sin BW = § sin BW = § BW = 308


2 1
31.2 Aplicando a Lei dos cossenos, temos: 4 2
W §
52 = 32 + 2,42 - 2 * 3 * 2,4 * cos A
C CW = 1808 - A
W - BW = 1808 - 608 - 308 = 908
5 2
W = - 10,24 2,4 B 4"3
AB = BC + AC § AB = 42 + a b §
2 2 2 2
§ cos A 3
14,4 A 3
16 64
§ AB = 16 + § AB =
2
W = cos- 1 a- 10,24 b ) 135,338
A
14,4 3 AB > 0 Å3
8 8"3
e § AB = § AB =
"3 3
2,42 = 32 + 52 - 2 * 3 * 5 * cos BW § cos BW =
28,24
30 C
W
B = cos a- 1 28,24
b ) 19,728 4
30 2
CW = 1808 - A
W - BW = 1808 - 135,238 - 19,728 = 24,958 60° 90°
A B
D
31.3 Aplicando a Lei dos cossenos, temos: C
32. Designemos por l o comprimento do tabuleiro da ponte e
por a o ângulo interno do triângulo que se lhe opõe.
BC = 2 + 3 - 2 * 2 * 3 * cos 608 §
2 2 2 2

1 60°
§ BC = 13 - 12 *
2
§ BC = "7 A B a 100 m
2 BC > 0 3 21° 16°
l
Aplicando, agora, a Lei dos senos, temos:
"3
2*
sin BW 2 * sin 608
§ sin BW = § sin BW =
sin 608 2
= §
"7 2 "7 "7
Temos aW = 1808 - 168 - 218 = 1438 .
§ sin BW = BW = sin- 1 a
NY11LP © RAIZ EDITORA

3 3
; b ) 40,898 Aplicando a Lei dos senos, temos:
Å7 Å7
sin 1438 sin 218 100 * sin 1438
= § l= § l ) 168 m
CW = 1808 - A
W - BW = 1808 - 608 - 40,898 = 79,118
l 100 sin 218

143

NY11LP_20151604_P135_144_4P.indd 143 4/13/16 2:55 PM


Resoluções

33.1 Comecemos por representar o triângulo fABCg com o seg- Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
mento fCEg .
2 2 2 W C2 §
BC = AB + AC - 2 * AB * AC * cos 1BA
C

§ BC = 42 + 42 - 2 * 4 * 4 * cos 1208
2

1
§ BC = 32 - 32 * a- b § BC = 48 § BC = "48
2 2

2 BC > 0

30° E § BC = 4"3 cm
A B
15 15
2 34.2

Considerando o triângulo fABCg , temos: h 1


sin 308 = § h = 4"3 * § h = 2"3 cm
4"3 2
AB 15 15
cos A = § cos 308 = § AC = §
AC AC "3 B
2 4 3 cm
§ AC = 10"3 cm
h
33.2 Aplicando a Lei dos cossenos ao ângulo A , temos: 30°
C
A
CE = AE + AC - 2 * AE * AC * cosA §
2 2 2

2
15 15
§ CE = a b + 110"32 - 2 * * 10"3 * cos 308
2 2

2 2
225 "3 35.1 A amplitude de cada ângulo interno do pentágono regular é
§ CE = + 300 - 150"3 *
2

4 2 1808 * 15 - 22
igual a = 1088 .
"525 5"21 5
525
§ CE = § CE = =
2
cm
4 CE > 0 2 2 Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
D
c2 = 22 + 22 - 2 * 2 * 2 * cos 1088 §
33.3 Aplicando a Lei dos senos, temos:
§ c 2 = 8 - 8 * cos 1088 E C
sin AEWC WC 10"3 * sin 308
§ sinAEWC =
sin EA
= §
AC CE 5"21 § c = "8 - 8 * cos 1088 ) 3,2 2
c>0 c
2
108°
1 A B
4* 2
§ sinAEW C = § sinAEWC =
2"7
2
"7 7 35.2 A amplitude de cada ângulo interno do hexágono regular é
1808 * 16 - 22
2"7 igual a = 1208 .
sin- 1 a b ) 49,18 6
7
F E
Como o ângulo AEC é obtuso, temos
AEWC ) 1808 - 49,18 = 130,98
A D
W C = 1808 - 2 * 308 = 1208
34.1 BA G
c
1
cos 1208 = - cos 11808 - 12082 = - cos 608 = -
2 B C
B
Considerando o triângulo fBCDg , temos:

1808 - 1208
GBWC =
4 120°
30° = 308
C 2
NY11LP © RAIZ EDITORA

A 4
Considerando o triângulo fBCGg , temos:

BGW C = 1808 - 2 * 308 = 1208

144

NY11LP_20151604_P135_144_4P.indd 144 4/13/16 2:55 PM


Resoluções

1 .
Temos cos 1208 = - cos 11808 - 12082 = - cos 608 = - . 38.1 O ponto O é o incentro do triângulo fABCg , logo AO é a
2 bissetriz do ângulo BAC .
F E
Como o triângulo é equilátero, tem-se BAW C = 608 .
W O = 308 .
Assim, DA

A D C
G
c c
120°
B 2 C O
Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
30° D
1
22 = c 2 + c 2 - 2 * c * c * cos 120° § 4 = 2c 2 - 2c 2 * a- b §
A
2
B
2

4 4 2 2"3
§ c 2 = § c= = = Considerando o triângulo fADOg , temos:
3 c>0 Å 3 "3 3
OD "3 2"3
36. Seja x o comprimento do poste. tan 308 = § OD = 2 * =
2 3 3
3
4
x 1
x .
120° 4 38.2 O ponto O' é o incentro do triângulo fEFGg , logo E O' é a
bissetriz do ângulo FEG . Como o triângulo é isósceles e
1808 - 1208
EGW F = 1208 , tem-se FEWG = = 308 .
3,5 m 2
Assim, HEWO' = 158 .
1
Temos cos 1208 = - cos 11808 - 12082 = - cos 608 = - . G
2
Aplicando a Lei dos cossenos, temos: O’
2 2
1 3 1 3
3,5 = a xb + a xb - 2 * x * x * cos 1208 §
2
15°
4 4 4 4 E F
2
4 H
7 1 2 9 2 3 2 1 49 13 2
§ a b = x + x - x * a- b § = x
2 16 16 8 2 4 16
Considerando o triângulo fEHO'g , temos:
4 * 49 4 * 49 2*7
§ x = 2
§ x= § x= O'H
13 x>0 Å 13 "13 tan 158 = § O'H = 4 tan 158 ) 1,07
4
14"13
§ x = ) 3,9 m
13 39.1 Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
W B = 608 .
37. Como o triângulo fABOg é equilátero, tem-se AO AC = AB + BC - 2 * AB * BC * cos a §
2 2 2

W
Logo, AOD = 308 . Tem-se ainda OA = OD = r .
§ AC = AC + BC - 2 * AC * BC * cos a
2 2 2
B
D AB = AC

§ BC = 2 * AC * BC * cos a
2
A
4"2
r § BC = 2AC * cos a § BC = AC
BC 0 0 2"2 3
r cos a =
3
30°
C
O

Aplicando a Lei dos cossenos, temos: 2


q
"3 a B
AD = r 2 + r 2 - 2 * r * r * cos 308 § AD = 2r 2 - 2r 2 * §
2 2
D
2 A
NY11LP © RAIZ EDITORA

§ AD = r 2 Q 2 - "3 R § AD = #r 2 Q 2 - "3 R
2

Por outro lado, temos:


AD > 0
BC = AB + AC - 2 * AB * AC * cos q
2 2 2
§ AD = r#2 - "3

NY11LP_F10
145

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 145 4/13/16 2:57 PM


Resoluções

4"2 40. Comecemos por determinar ABWD :


Substituindo BC por AC e considerando
3 W B = 1808 - BD
W C = 1308
que AB = AC , obtemos:
AD
ABWD = 1808 - 308 - 1308 = 208
2
4"2
ACb = AC + AC - 2 * AC * AC * cos q §
2 2
a B
3
16 * 2
§ * AC = 2 AC - 2 AC * cos q
2 2 2

9 20°

32 14 7
§ = 2 - 2 cos q § cos q = - =-
AC 0 0 9 18 9 130°
30° 50°
A C
Aplicando a Fórmula Fundamental da Trigonometria, temos: 4 cm D
2
7
sin2 q + cos2 q = 1 § sin2 q + a- b = 1 § Aplicando a Lei dos senos, temos:
9 1
4*
49 32 sin 308 sin 208 2
§ sin2 q = 1 - § sin2 q = = § BD = §
81 81 BD 4 sin 208
4"2 2
§ sin q =
32
§ sin q = § BD = ) 5,85 cm
Å 81 9 sin 208
Obteremos, agora, os valores de BC e DC , a partir do valor
4"2
Conclui-se que sin q = . de BD :
9
BC 2
sin 508 =
§ BC = sin 508 * §
BD sin 208
39.2 Para determinar BC , usaremos razões trigonométricas de
a no triângulo retângulo fBCDg : 2 * sin 508
§ BC = ) 4,5 cm
sin 208
CD CD 2
sin a = § BC = § BC = DC 2
BC sin a sin a cos 508 =
§ DC = cos 508 * §
BD sin 208
Do cos a podemos obter sin a , através da fórmula funda-
2 * cos 508
mental da trigonometria: § DC = ) 3,8 cm
2 sin 208
2"2
sin2a + cos2a = 1 § sin2a + a b =1 §
3 41. CBWD = 1808 - 1208 - 158 = 458
1 1
§ sin2 a = § sin a = 10 < a < 902 B
9 3
Rio
2
Assim, BC = =6.
1
3
A
Para determinar CA , igual a AB , usaremos razões trigo-
nométricas do ângulo suplementar de q no triângulo retân- 120°
gulo fACDg : 20 m
D
sin Q1808 - qW R =
CD 2
§ CA = § 15°
40 m
CA sin 1808 - qW R
Q
C
2 2 9"2
§ CA = § CA = § CA = Aplicando a Lei dos senos, temos:
sin q 4"2 4
9 sin CBWD sin BDWC sin 458 sin 1208
= § = §
Concluindo, o perímetro do triângulo fABCg é dado por: CD BC 40 AB + 20

9"2 9"2 "3


AB + BC + CA = 2 * +6= +6 40 *
40 sin 608 2
4 2 § AB + 20 = § AB = - 20
sin 458 "2
NY11LP © RAIZ EDITORA

2
§ AB = 20"6 - 20 ) 29 m

146

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 146 4/13/16 2:57 PM


Resoluções

42.1 Para determinar AB , aplicaremos a Lei dos cossenos, con- 2. ÂNGULOS ORIENTADOS, ÂNGULOS
siderando o triângulo fABCg : GENERALIZADOS E ROTAÇÕES
. .
D 43. Ângulo a : lado origem OB ; lado extremidade OA ; sen-
35 tido negativo.
B . .
Ângulo b : lado origem OC ; lado extremidade OD ; sen-
tido positivo.
30
120° 44.1 Figuras 1 e 3.
F E C 50 A 44.2 Figura 2.
44.3 Figura 3.
AB = AC + BC - 2 * AC * BC * cosACWB §
2 2 2
44.4 Figura 1.
§ AB = 502 + 302 - 2 * 50 * 30 * cos 1208
2

W B = 3608 = 368
45. AO
1 10
§ AB = 2500 + 900 - 3000 * a- b
2

2 W E = 4 * 368 = 1448
45.1 AO
1 aW = 1448 + n * 3608 , n å Z
§ AB = 2500 + 900 - 3000 * a- b § AB = 4900
2 2

2
W I = 8 * 368 = 2888
45.2 AO
§ AB = 4900 § AB = "4900 = 70
2

AB > 0 aW = 2888 + n * 3608 , n å Z

W C = 8 * 1- 3628 = - 2888
45.3 AO
Para determinar CE e DE , aplicaremos o teorema de
Tales: aW = - 2888 + n * 3608 , n å Z

AB BD 70 35 35 * 50 - 520
= § = § CE = = 25 46.1 Sendo c d = f - 1, 142 g = - 1 , temos n = - 1 .
AC CE 50 CE 70 360
A amplitude do ângulo orientado correspondente é
AB AD 70 105 105 * 30 - 5208 - 1- 12 * 3608 = - 1608 .
= § = § DE = = 45
30 DE 70
BC DE Temos - 5208 = - 1608 + 1- 12 * 3608 , pelo que o ângulo
generalizado de amplitude - 5208 se representa pelo par
42.2 DEWF = BCWF = 1808 - 1208 = 608 ordenado 1- 1608 , - 12 .

1320
O arco de circunferência FD tem raio DE e amplitude 608 . 46.2 Sendo c d = f 3, 162 g = 3 , temos n = 3 .
O seu comprimento é dado por: 360
A amplitude do ângulo orientado correspondente é
608
2p * 45 * = 15p 13208 - 3 * 3608 = 2408 .
3608
Temos 13208 = 2408 + 3 * 3608 , pelo que o ângulo generali-
zado de amplitude 13208 se representa pelo par ordenado
12408 , 32 .

- 1270
46.3 Sendo c d = f - 3,52172 g = - 3 , temos n = - 3 .
360
A amplitude do ângulo orientado correspondente é
- 12708 - 1- 32 * 3608 = - 1908 .
Temos - 12708 = - 1908 - 3 * 3608 , pelo que o ângulo gene-
ralizado de amplitude - 12708 se representa pelo par orde-
nado 1- 1908 , - 32 .

1000
46.4 Sendo c d = f 2, 172 g = 2 , temos n = 2 .
360
A amplitude do ângulo orientado correspondente é
10008 - 2 * 3608 = 2808 .
NY11LP © RAIZ EDITORA

Temos 10008 = 2808 + 2 * 3608 , pelo que o ângulo generali-


zado de amplitude 10008 se representa pelo par ordenado
12808 , 22 .

147

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 147 4/13/16 2:58 PM


Resoluções

1665 W B = 3608 = 728


46.5 Sendo c d = f4,625g = 4 , temos n = 4 . 51. AO
5
360
A amplitude do ângulo orientado correspondente é W C = 3 * 728 = 2168
51.1 EO
16658 - 4 * 3608 = 2258 .
B
Temos 16658 = 2258 + 4 * 3608 , pelo que o ângulo generali- C
zado de amplitude 16258 se representa pelo par ordenado
12258 , 42 . A
O
840
47.1 Sendo c d = f 2,132 g = 2 , temos n = 2 . D
360 E
A amplitude do ângulo orientado correspondente é
A expressão das amplitudes do ângulo generalizado é:
8408 - 2 * 3608 = 1208 .
2168 + n * 3608 , n å N0 .
Temos 8408 = 1208 + 2 * 3608 , pelo que o ângulo generali-
zado de amplitude 8408 se representa pelo par ordenado W A = 08
51.2 AO
11208 , 22 .
A expressão das amplitudes do ângulo generalizado é:
47.2 n * 3608 , n å Z+ .
a. 1208 W E = 2 * 1- 7228 = - 1448
51.3 Considerando o sentido negativo, BO
b. 2408 13608 - 1208 = 24082
B
47.3 1208 + n * 3608 , n å Z C

48. Figura 3, porque representa um ângulo da forma 108 , n2 , A


com n inteiro. O
D
49. Não, pois não têm a mesma amplitude nem a soma dos valo-
E
res absolutos das suas amplitudes é 3608 .
A expressão das amplitudes do ângulo generalizado é:
50.1 x = - 858 + 1- 12 * 3608 = - 4458 - 1448 + n * 3608 , n å Z-0 .

50.2 Por exemplo, com n = 1 , obtém-se 52.1 Não, pois as amplitudes dos ângulos orientados correspon-
x = - 858 + 1 * 3608 = 2758 . dentes são diferentes e 658 + 0 - 408 0 = 1058 0 3608 .
Por exemplo, com n = 2 , obtém-se 52.2 - 408 + 3608 = 3208
x = - 858 + 2 * 3608 = 6358 .
52.3 658 - 3608 = - 2958

50.3 Temos 2758 = 2758 + 0 * 3608 , pelo que o ângulo generali-


53. Opção correta: C
zado de amplitude 2758 se representa pelo par ordenado
12758 , 02 . - 1100
54. Sendo = - 3,0152 , temos n = - 3 .
360
635
Sendo = 1,763182 , temos n = 1 . A amplitude do ângulo orientado correspondente é
360
- 11008 - 1- 32 * 3608 = - 208 .
A amplitude do ângulo orientado correspondente é
6358 - 1 * 3608 = 2758 . Temos - 11008 = - 208 + 1- 32 * 3608 , pelo que o ângulo
Temos 3358 = 2758 + 1 * 3608 , pelo que o ângulo generali- generalizado de amplitude - 11008 se representa pelo par
zado de amplitude 6358 se representa pelo par ordenado ordenado 1- 208 , - 32 .
12758 , 12 . Opção correta: C

- 15258 + 858
50.4 - 15258 = - 858 + n * 3608 § n = § n=-4 55. Das opções dadas, - 7208 é o único valor de amplitude que
3608
é múltiplo inteiro de 3608 .
Como - 4 å Z , - 15258 é a amplitude de um ângulo desta
família. Opção correta: D

56. 458 0 1358 ; 1358 + 0 - 2258 0 = 3608 ; 1358 0 2258 ;


0 - 458 0 + 2258 = 2708 0 3608
NY11LP © RAIZ EDITORA

Opção correta: B

148

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 148 4/13/16 2:58 PM


Resoluções

- 780 b. Cinco voltas completas, conforme verificado na alínea anterior.


57. = - 2,1162
360 c. - 608 + 3608 = 3008
- 7808 + 2 * 3608 = - 608

- 7808 + 3 * 3608 = 3008
59.3
a. Para que o número premiado seja o 8, o ponteiro, rodando no
A medida de amplitude de um ângulo generalizado com o
sentido positivo, terá de percorrer 7 setores. Assim, o ângulo
mesmo lado origem e o mesmo lado extremidade que o ângulo
orientado correspondente tem amplitude 7 * 308 = 2108 .
de amplitude - 7808 pode ser representada pela expressão:
No sentido negativo, a amplitude do ângulo orientado corres-
3008 - n * 3608 , n å Z
pondente é 2108 - 3608 = - 1508 .
Opção correta: D
b. Sim, para 30908 , pois 2108 + 8 * 3608 = 30908 .
58. 2108 + 0 - 1508 0 = 3608 ; 2108 + 0 - 1408 0 = 3408 0 3608 ;
3090
Cálculos auxiliares: c d = f 8,58 132 g = 8 ;
0 - 2108 0 + 1608 = 3708 0 3608 ; 0 - 2108 0 + 2108 = 4208 0 3608 .
360
Opção correta: A 30908 - 8 * 3608 = 2108 .

59.1 Não, para 25508 , pois 2108 + n * 3608 = 25508 não tem solu-
960 ção inteira.
a. Como c d = f 2,162 g = 2 , concluímos que o ponteiro deu
360
Cálculos auxiliares:
duas voltas completas. Retiremos à amplitude do ângulo a 25508 - 2108
2108 + n * 3608 = 25508 § n = = 6,5
amplitude correspondente a 2 voltas completas: 3608
9608 - 2 * 3608 = 2408 . c. 2108 + n * 3608 , n å Z
4
5 3 60.1
E D
6 2

7 1
O 60°
F C
8 12

9 11
10
A B
3608
Cada setor circular tem = 308 de amplitude. 3608
12 a. Cada ângulo ao centro da figura tem = 608 de amplitude.
Assim, para além das duas voltas, o ponteiro percorreu mais 6
240 O lado extremidade do ângulo considerado é o lado extremi-
= 8 setores. dade do correspondente ângulo orientado cuja amplitude é
30
- 1208 . Tendo esse ângulo orientado sentido negativo e lado
Concluindo, o número premiado foi 1 + 8 = 9 . .
origem OA e considerando que 1208 = 2 * 608 , conclui-se
b. Duas voltas completas, conforme verificado na alínea anterior. .
que o lado extremidade é OE .
c. Por exemplo, 2408 e 2408 + 3608 = 6008 .
b. O lado extremidade do ângulo considerado é o lado extremi-
dade do correspondente ângulo orientado cuja amplitude é
59.2
- 1860 608 . Tendo esse ângulo orientado sentido positivo e lado ori-
a. Como c d = f - 5,1162 g = - 5 , concluímos que o ponteiro .
360 gem OA e considerando que 608 = 1 * 608 , conclui-se que o
deu cinco voltas completas 1no sentido negativo2. Adicione- .
lado extremidade é OB .
mos à amplitude do ângulo a amplitude correspondente a 5
voltas completas: 60.2
- 18608 + 5 * 3608 = - 608 . a. 3008 + n * 3608 , n å Z
- 7808 - 3008
Assim, para além das cinco voltas, o ponteiro percorreu mais b. - 7808 = 3008 + n * 3608 § n = §
NY11LP © RAIZ EDITORA

3608
60 § n=-3åZ
= 2 setores no sentido negativo, pelo que começando em
30 O ângulo de amplitude - 7808 faz parte desta família de
1, o número premiado foi o 11. ângulos, porque - 7808 = 3008 - 3 * 3608 .

149

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 149 4/13/16 2:58 PM


Resoluções

60.3 Comecemos por determinar a amplitude dos ângulos orien- 3. RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS DE ÂNGULOS
tados que correspondem aos ângulos dados: GENERALIZADOS
6008 - 3608 = 2408 ; 9608 - 2 * 3608 = 2408 .
.
Os ângulos de amplitudes 6008 e 9608 e lado origem OB 63.1 3908 - 3608 = 308 ; 08 < 308 < 908 .
correspondem a rotações de centro em O coincidentes, Pertence ao 1.° quadrante.
pois esses ângulos têm o mesmo lado origem e o mesmo
. 63.2 8208 - 2 * 3608 = 1008 ; 908 < 1008 < 1808 .
lado extremidade OF .
Pertence ao 2.° quadrante.
61.1
1580 63.3 5508 - 3608 = 1908 ; 1808 < 1908 < 2708 .
a. c d = f 4,3 182 g = 4 ; quatro voltas completas.
360 Pertence ao 3.° quadrante.
b. 15808 - 4 * 3608 = 1408
63.4 6408 - 3608 = 2808 ; 2708 < 2808 < 3608 .
c. 1408 - 3608 = - 2208
Pertence ao 4.° quadrante.
61.2
63.5 - 10208 + 3 * 3608 = 608 ; 08 < 608 < 908 .
a. Tendo em conta que o automóvel descreveu o ângulo no sen-
Pertence ao 1.° quadrante.
tido negativo, faltou-lhe - 3608 - 1- 33082 = - 308 para dar
uma volta completa. 63.6 - 9108 + 3 * 3608 = 1708 ; 908 < 1708 < 1808 .
b. - 3308 - 2 * 3608 = - 10508 Pertence ao 2.° quadrante.
c. - 3308 + n * 3608 , n å Z
63.7 - 8208 + 3 * 3608 = 2608 ; 1808 < 1908 < 2708 .
62.1 Os ângulos ao centro definidos por vértices consecutivos de Pertence ao 3.° quadrante.
3608
cada octógono regular têm = 458 de amplitude. 64. O quadrante ou semieixo a que pertence um ângulo generali-
8
zado é o quadrante ou semieixo a que pertence o respetivo
F N E ângulo orientado. Assim, temos para cada alínea:
M 64.1 Pertence ao 3.° quadrante 1- 1808 < - 1208 < - 9082.
G D 64.2 Pertence ao 1.° quadrante 108 < 408 < 9082.
45°
64.3 Semieixo positivo das ordenadas 1- 2708 + 3608 = 9082.
Q L
O 64.4 Semieixo negativo das abcissas.

H C 64.5 Pertence ao 4.° quadrante 12708 < 3598 < 36082.

I K 65. No quarto quadrante, as ordenadas dos


pontos da circunferência trigonométrica y
1
A J B variam entre - 1 e 0 , pelo que, sendo
Assim, o ponto C é a imagem do ponto D pela rotação de a um ângulo do 4.° quadrante, tem-se
centro em O e ângulo de amplitude - 458 . - 1 < sin a < 0 . Por outro lado, as abcis- -1 O 1x
sas desses pontos variam entre 0 e 1 ,
225 . logo 0 < cos a < 1 . -1
62.2 = 5 ; OI .
45
458
62.3 A amplitude do ângulo KOF é 3 * 458 + = 157,58 . 66.1 Os pontos de interseção dos lados extremidade dos ângulos
2 1
. cujo seno é com a circunferência trigonométrica têm
As amplitudes dos ângulos com lado origem OK e lado 2
.
extremidade OF são dadas pela expressão: 1
ordenada .
157,58 + n * 3608 , n å Z 2 y
1 1
62.4
a. 3 * 458 = 1358 ; 1358 + n * 3608 , n å Z 2
b. 5 * 458 = 2258 ; 2258 + n * 3608 , n å Z
-1
NY11LP © RAIZ EDITORA

c. 2 * 1- 4582 = - 908 ; - 908 + n * 3608 , n å Z


O 1x

-1

150

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 150 4/13/16 2:58 PM


Resoluções

66.2 Os pontos de interseção dos lados extremidade dos ângulos 69. O seno de um ângulo é positivo y
2 quando o ângulo pertence ao 1
cujo seno é - com a circunferência trigonométrica têm 1.° quadrante ou ao 2.° qua-
3
drante. Por outro lado, o cos- x<0
2
ordenada - . seno é negativo no 2.° qua-
y>0 O
3 y
drante e no 3.° quadrante. -1 x<0 1x
1 y<0
Assim, um ângulo cujo seno é
positivo e cujo cosseno é nega-
tivo pertence ao 2.° quadrante. -1
O
-1 -
2 1x Um ângulo cujos seno e cosseno são negativos pertence ao
3 3.° quadrante.
-1 70.1 Sendo a å g0 , 90f , tem-se cos a > 0 e sin a > 0 , logo
cos a + sin a > 0 .

"2 70.2 Sendo a å g180 , 270f , tem-se cos a < 0 e sin a < 0 ,
67. Temos: cos 458 = sin 458 = , cos 908 = 0 e sin 908 = 1 . logo cos a + sin a < 0 .
2
O lado extremidade do ângulo de amplitude x 1458 < x < 9082 70.3 Sendo a å g270 , 360f , tem-se cos a > 0 e sin a < 0 ,
interseta a circunferência trigonométrica num ponto cuja logo cos a - sin a > 0 .

"2 70.4 Sendo a å g90 , 180f , tem-se cos a < 0 e sin a > 0 , logo
abcissa varia entre 0 e e cuja ordenada varia entre cos a * sin a < 0 .
2
"2 70.5 Sendo a å g180 , 270f , tem-se cos a < 0 e sin a < 0 ,
e 1.
2 logo cos a * sin a > 0 .
Assim, temos: y 70.6 Sendo a å g270 , 360f , tem-se cos a > 0 e sin a < 0 ,
1 sin a
"2 logo <0.
0 < cos x <
; cos a
2
x 71.1 Se x å g0 , 90f , então 0 < sin x < 1 . Assim, tem-se:
"2
< sin x < 1 . -1 O 1x k-1
2 0 < <1 § 0<k-1<5 § 1<k<6 §
5
-1 § k å g1 , 6f

71.2 Se x å g0 , 180f , então - 1 < cos x < 0 . Assim, tem-se:


68.1 No segundo quadrante, as ordenadas dos pontos da circun-
1-k
ferência trigonométrica variam entre 0 e 1 , pelo que, - 1 < <1 § -2<1-k<2 § -1<k<3 §
sendo a um ângulo do 2.° quadrante, tem-se 0 < sin a < 1 . 2
Por outro lado, as abcissas desses pontos variam entre - 1 § k å g- 1 , 3f
e 0 , logo - 1 < cos a < 0 .
71.3 Se x å g90 , 180f , então - 1 < cos x < 0 . Assim, tem-se:
y
k2 - 3
1 - 1 < < 0 § - 2 < k2 - 3 < 0 §
2
§ k 2 - 3 > - 2 ‹ k 2 - 3 < 0
-1 O 1x
§ k2 - 1 > 0 ‹ k2 - 3 < 0
-1
y y
68.2 No terceiro quadrante, as ordenadas dos pontos da circun-
ferência trigonométrica variam entre - 1 e 0 , pelo que, + + + +
sendo a um ângulo do 3.° quadrante, tem-se -1 O – 1 x - 3 O – 3x
- 1 < sin a < 0 . Por outro lado, as abcissas desses pontos
variam entre - 1 e 0 , logo - 1 < cos a < 0 .    

y k - 1 > 0 § k å g- ? , - 1f ∂ g1 , + ?f
2

1
k2 - 3 < 0 § k å g - "3 , "3 f
NY11LP © RAIZ EDITORA

-1 O 1x Em conclusão:

-1 k2 - 3
- 1 < < 0 § k å g - "3 , - 1 f ∂ g 1 , "3 f
2

151

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 151 4/13/16 2:58 PM


Resoluções

72. A ordenada do ponto C é AB : y 76.2 A partir do ponto do eixo das y


7 1
AB D tangentes de ordenada - ,
sin a =
§ AB = sin a 1 4
OB traçam-se os lados extremidade
de dois exemplos de ângulos cuja
C B -1 O 1x
7
a tangente é - 1na figura marca-
4
-1 O A 1 x
dos a azul e a rosa2. -1
7
-
4
-1

77.1 Sendo a å g180 , 270f , tem-se sin a < 0 e tan a > 0 ,


A ordenada do ponto D é igual a OC + CD . logo sin a * tan a < 0 .
Temos OC + CD = AB + BC = AB + OA .
77.2 Sendo a å g270 , 360f , tem-se tan a < 0 e cos a > 0 ,
Como cos a =
OA
§ OA = cos a , logo tan a - cos a < 0 .
OB
AB + OA = sin a + cos a . 78.1 tan a * sin a < 0 ‹ tan a * cos a > 0 §
Concluindo, a ordenada de D é dada por sin a + cos a . sin a sin a
§ * sin a < 0 ‹ * cos a > 0
cos a cos a
73.1 No 1.° quadrante e no 2.° quadrante, o seno toma valores no sin a
2

intervalo g0 , 1f . Destes dois quadrantes, é no 1.° quadrante § < 0 ‹ sin a > 0 ±


cos a
que a tangente é positiva.
73.2 No 1.° quadrante e no 4.° quadrante, o cosseno toma valo- ± cos a < 0 ‹ sin a > 0 ± a å 2.°Q.
res no intervalo g0 , 1f . Destes dois quadrantes, é no 4.°
quadrante que a tangente é negativa. 78.2 tan a * cos a < 0 ‹ sin a * cos a < 0 §
sin a
§ * cos a < 0 ‹ sin a * cos a > 0
"2 y cos a
74. < sin a < 1 1
2 § sin a < 0 ‹ cos a > 0 ± a å 4.°Q.

( )
"2
0 < cos a <
2, 2
79.1 Se 08 ≤ x ≤ 908 , então tan x ≥ 0 . Assim, tem-se:
2 2 2
45°
tan a > 1
-1 O 1 x 2k - 1 ≥ 0 § k ≥
1 1
§ kå c , +?c
2 2

79.2 Se 1358 ≤ x ≤ 1808 , então - 1 ≤ tan x ≤ 0 .


-1
Assim, tem-se:
75. - 1 < tan a < 1 4 5 4 5
y - 1 ≤ - 5 + 3k ≤ 0 § ≤ k ≤ § k å c , d
3 3 3 3
1
80. Sendo - 458 < x < 458 , tem-se - 1 < tan x < 1 .
Assim, tem-se:
a
tan x = k2 - 2k ‹ - 458 < x < 458 §

-1 O 1 x
§ k2 - 2k < 1 ‹ k2 - 2k > - 1

-1 Resolvamos cada uma das inequações separadamente.


• k2 - 2k < 1 § k2 - 2k - 1 < 0
y
76.1 A partir do ponto do eixo das tan- 1 k2 - 2k - 1 = 0 §
y
1 + +
gentes de ordenada , traçam-
2 1 2 ¿ "4 + 4 2 ¿ 2"2
2 § k = § k= 1- 2 O– 1 + 2x
-se os lados extremidade de dois 2 2
NY11LP © RAIZ EDITORA

exemplos de ângulos cuja tan- -1 O 1x § k = 1 - "2 › k = 1 + "2


1
gente é 1na figura marcados a
2
azul e a rosa2. -1 k2 - 2k - 1 < 0 § k å g 1 - "2 , 1 + "2 f

152

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 152 4/13/16 2:58 PM


Resoluções

• k2 - 2k > - 1 § k2 - 2k + 1 > 0 § 1k - 12 > 0 §


2
84.1 2 cm ——— 1 rad x = 1,2 rad
§ k - 1 0 0 § k 0 1 2,4 cm ——— x

Considerando a conjunção das duas inequações, temos: 84.2 2 cm ——— 1 rad x = 7 rad
k2 - 2k < 1 ‹ k2 - 2k > - 1 § 1,4 cm ——— x

§ k å g 1 - "2 , 1 + "2 f \ 516 . 85. r ——— 1 rad r = 2,5 cm

Os valores inteiros de k que satisfazem a condição dada 9 cm ——— 3,6 rad


são: 0 e 2 . 5
86. r ——— 1 rad r = cm
3
81.1 Temos 4008 = 408 + 3608 . Assim, o ângulo generalizado com 5 cm ——— 3 rad
4008 de amplitude é 1408 , 12 , logo cos 140082 = cos 14082 .
87. aW = 1 rad , por definição de radiano.
81.2 3008 + 0 - 608 0 = 3608 , pelo que têm lados extremidade coinci-
dentes na circunferência trigonométrica. 3 ——— 1 rad
8 ——— bW bW = rad
8
3
81.3 Como 7808 = 608 + 2 * 3608 , tem-se
D
"3 C
sin 178082 = sin 16082 = .
2
81.4 Como 4058 = 458 + 3608 , tem-se tan 140582 = tan 14582 = 1 .
b a
B
A
"3
81.5 Como 2108 - 1808 = 308 , tem-se tan 121082 = tan 13082 =
3
E
82.1 cos 172082 + sin 154082 =
= cos 17208 - 2 * 36082 + sin 15408 - 36082 88. 3,5 cm ——— 1 rad
= cos 08 + sin 1808 = 1 + 0 = 1 14 cm ——— x
x = 4 rad

82.2 sin 163082 - tan 142082 = sin 16308 - 36082 - tan 14208 - 36082 = 89. P = 10p cm § 2pr = 10p cm § r = 5 cm
= sin 2708 - tan 608 = - 1 - "3 5 cm ——— 1 rad
7,5 cm ——— x x = 1,5 rad
82.3 sin 1082 + cos 1-18082 - sin 127082 = 0 + cos 118082 - 1-12 =
= 0 - 1 + 1 = 0 90.1 p rad ——— 1808
1800
10 rad ——— x x= ) 572,95788
82.4 sin 1147082 - cos 1108082 - 2 * tan 176582 = p

18 ——— 60'
= sin 114708- 3 * 36082 - cos 110808- 3 * 36082 - 2 tan 17658- 2 * 36082
0,95788 ——— x x = 0,9578 * 60 = 57,468'
1 5
= sin 13082 - cos 1082 - 2 * tan 14582 = - 1 - 2 * 1 = -
2 2 1' ——— 60''

82.5 cos 175082 - 2 sin 1114082 + tan 1- 40582 = 0,468' ——— x x = 0,468 * 60 = 28,08''
10 rad corresponde aproximadamente a 5728 57' 28'' .
= cos 17508- 2 * 36082 - 2 sin 111408 - 3 * 36082 + tan 1- 4058 + 36082

"3 "3 90.2 prad ——— 1808


= cos 13082 - 2 sin 16082 + tan 1- 4582 = -2* + 1- 12 p 180
2 2 rad ——— x x= ) 25,71438
7 7
"3 + 2 0,7143 * 60 = 42,858'
=-
2
0,858 * 60 = 51,48''
p
83. P 10,6 ; - 0,82 ; sin a = - 0,8 ; cos a = 0,6 ; rad corresponde aproximadamente a 258 42' 51'' .
NY11LP © RAIZ EDITORA

7
sin a - 0,8 4
tan a =
= = - ; a å 4.°Q.
cos a 0,6 3

153

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 153 4/13/16 2:58 PM


Resoluções

90.3 p rad ——— 1808 308 * p p


92.2 a = 1808 - 1508 § a = 308 ; a = =
7p 1808 6
rad ——— x x = 2528 1508 * p 5p
5 b = 1508 ; b = =
1808 6
7p
rad corresponde a 2528 0' 0'' .
5 b
150°
90.4 p rad ——— 1808 a a
7,6 rad ——— x x = 435,447928 208 * p 2p
92.3 b = 2 * 208 = 408 ; b = =
1808 9
0,44792 * 60 = 26,8752'
1408 * p 7p
0,8752 * 60 = 52,512'' a = 1808 - 408 = 1408 ; a = =
1808 9
7,6 rad corresponde aproximadamente a 4358 26' 53'' .
20° b
90.5 p rad ——— 1808 a
11p
rad ——— x x = 3308
6
93. 1 rad corresponde aproximadamente a 57,38 .
11p
rad corresponde a 3308 0' 0'' . Opção correta: D
6
90.6 p rad ——— 1808 94. 1808 ——— p rad
3p
0,1 rad ——— x x = 5,729588 1358 ——— x x=
4
Opção correta: B
0,72958 * 60 = 43,7748'
0,7748 * 60 = 46,488'' 95. p rad ——— 1808
9p
7,6 rad corresponde aproximadamente a 5843'46'' . rad ——— x x = 3248
5

91.1 1808 ——— p rad Opção correta: C D


p
188 ——— x x= 2p 4p
10 96. a = 2 * =
5 5 E C
a b
91.2 1808 ——— p rad 15 - 22p 3p
b=
= F
7p 5 5
848 ——— x x=
15 Opção correta: D
91.3 1808 ——— p rad B A
3p
1358 ——— x x= 2p p
4 97. Numa hora, o ponteiro das horas roda - = - rad .
12 6
p
91.4 1808 ——— p rad Assim, se o ponteiro das horas rodar - rad , significa que
2p 3
1208 ——— x x= passaram 2 horas. Nesse intervalo de tempo, o ponteiro dos
3
minutos deu duas voltas completas, logo rodou
91.5 1808 ——— p rad 2 * 1- 2p2 = - 4p rad .
5p
1508 ——— x x= Opção correta: C
6
91.6 1808 ——— p rad 98. A área do círculo é: p * 32 = 9p cm2
5p 2p rad ——— 9p cm2
3008 ——— x x= 2p
3 * 9p
2p 3
rad ——— x x= = 3p cm2
92.1 a = 1808 - 1358 = 458 3 2p
p OU
a = a
2p Área de um setor circular
4 * 32 de raio r e amplitude a
NY11LP © RAIZ EDITORA

135° 3
A= § A = 3p cm2 radianos:
2
a * r2
a Opção correta: C A=
2

154

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 154 4/13/16 2:58 PM


Resoluções

99. P = 2p * 33 § P = 66p cm ; 1000 : 66p ) 4,8 107. 18 ——— 60'


A roda deu 4 voltas completas. x ——— 12' x = 0,28 7812' = 78 + 0,28 = 7,28
Opção correta: C
p rad ——— 1808
p p
100. A opção correta é a 1B2 pois: -
5p
+ 2p = . x ——— 7,28 x= rad
3 3 25

As restantes opções não têm amplitudes, em radianos, de 108. 1808 ——— p rad
3308 * p 11p
ângulos que possam corresponder a rotações coincidentes, 3308 ——— aW aW = =
pois: 1808 6

5p p 2p 1808 ——— p rad p
1A2 - + 2p = 0 * 1808
3 3 3 p
bW ———  rad W 12
b= = 158
8p 2p 2p p 12 p
1C2 - + 2p = - ; `- ` + = p 0 2p
3 3 3 3
1808 ——— p rad 7p
7p p p p 2p * 1808
1D2 - + 2p = - ; ` - ` + = 0 2p 7p
gW ———  rad gW =
4
= 3158
3 3 3 3 3 4 p
Opção correta: B a é o ângulo de maior amplitude e b é o de menor amplitude.

101. 20118 = 2118 + 5 * 3608 ; 1808 < 2118 < 2708 ; pertence ao 109.1 1 radiano 1por definição de radiano2.
3.° quadrante.
B
Opção correta: C

9p p
102. - + 2p = - ; pertence ao 4.° quadrante. O
4 4 r
Opção correta: D A
45
103. ) 7,2
2p
45 - 7 * 2p ) 1,02
109.2 3 cm ——— 1 rad
p
0 < 1,02 < 3p cm ——— x x = p rad
2
O ângulo pertence ao 1.° quadrante. 109.3
Opção correta: A a. prad ——— 1808
7p
x ——— 2108 x=
104. Por definição de seno e cosseno de um ângulo na circunfe- 6
rência trigonométrica as coordenadas de P são
7p
1cos a , sin a2 . * r2
6 7pr 2
b. A = § A=
Opção correta: C 2 12
110. O ponto A percorrerá PA = 2p * 8 = 16p metros.
W D = 2p * 2 = 2p
105. BO
10 5 O ponto B deverá percorrer 16p metros na respetiva cir-
. cunferência. Assim, descreverá um ângulo de
A amplitude do ângulo generalizado cujo lado origem é OD
. 16p 8p 8 * 1808
e o lado extremidade é OB pode ser definida pela expres- * 2p = radianos, ou seja, = 2888 .
2p * 10 5 5
2p
são - + k2p , k å Z .
5 Assim, Linha de origem
Opção correta: C a = 3608 - 2888 = 728 . A

106. Na circunferência trigonométrica, a um ângulo de amplitude B


p a
- radianos corresponde o ponto de coordenadas:
4
O
NY11LP © RAIZ EDITORA

p p p p "2 "2
acos a- b , sin a- bb = acos , - sin b = a , - b
4 4 4 4 2 2
Opção correta: D

155

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 155 4/13/16 2:58 PM


Resoluções

111. Na figura seguinte está representada a roda gigante no 111.6 Tendo ficado a cabina número 7 no ponto mais baixo da
momento em que o casal entrou na cabina n.° 1. Nas res- roda, a cabina do casal avançou 6 posições, não conside-
postas às alíneas do problema, esta será considerada a rando voltas completas.
situação/posição inicial. O ângulo orientado correspondente ao ângulo descrito
17 3608
pela cabina do casal tem amplitude 6 * = 67,58 1em
32
2p 3p
graus2 ou 6 * = 1em radianos2.
32 8
Portanto, uma expressão geral o conjunto das amplitudes
do ângulo que a cabine do casal poderá ter descrito desde
o início da viagem é 1em graus2 67,58 + n * 3608 , n å N
9 25 130 m 3p
ou 1em radianos2 + 2np , n å N .
8

5p
* 32
6 15p 2
112.1 A = § A= cm
2 4
5p 5p
2 112.2 O ponto B tem coordenadas a3 cos , 3 sin b , ou
2 1 32 2m 6 6
3"3 3
seja, a- , b.
130 2 2
111.1 r = § r = 65 m
2
111.2 Depois de dar um quarto de volta, a cabina do casal 1n.° 12 3"3 3 3"3 3
112.3 Temos B a- , b e B' a , b.
encontra-se naquela que foi a posição inicial da cabina 2 2 2 2
n.° 25. y
A sua distância ao solo é 65 + 2 = 67 m .
A cabina n.° 9 está na parte mais baixa da roda 1base da B B’
roda2, tendo passado pela base 7 cadeiras 1da n.° 2 à n.° 82. 5p
6 A
111.3 Quando a cabina n.° 20 está na posição mais baixa da O x
roda, a cabina do casal avançou 19 posições 1a menos de
3608
voltas completas2, ou seja, 19 * = 213,758 . Temos de
32
considerar mais uma e mais duas voltas, pois a roda deu
três voltas.
Tomando o lado fBB'g do triângulo fOBB'g como base,
Assim, obtemos: 213,758 , 213,758 + 3608 = 573,758 e
temos:
213,758 + 2 * 3608 = 933,758 .
3 3"3
2p 19p 19p 51p altura = cm e base = 2 * = 3"3 cm .
Em radianos, obtemos: 19 * = , + 2p = 2 2
32 16 16 16
51p 83p 3
e + 2p = . 3"3 *
16 16 2 9"3 2
A = § A= cm
2 4
111.4 Comecemos por subtrair a amplitude de uma volta:
4508 - 3608 = 908 . 113.1 Em graus:
A cabina do casal parou ao fim de uma volta e um quarto. 608 , 608 + 908 = 1508 , 1508 + 908 = 2408 , 2408 + 908 = 3308
Logo, descontando uma volta, a cabina do casal avançou
Em radianos:
32
8 a = 8b posições. Assim, a cabina que estava na parte p p p 5p 5p p 4p 4p p 11p
4 , + = , + = , + =
mais baixa da roda era a número 9. 3 3 2 6 6 2 3 3 2 6
y
111.5 Comecemos por subtrair a amplitude de uma volta: 1
27p 11p A
- 2p = .
8 8 B
Agora, determinemos o número de posições que, descon- 60°
tando uma volta, a cabina do casal avançou:
-1 O 1 x
NY11LP © RAIZ EDITORA

11p 2p
: = 22 . D
8 32
Assim, a cabina que estava no ponto mais da roda era a C -1
número 23.

156

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 156 4/13/16 2:59 PM


Resoluções

113.2 Decompondo o hexágono em triângulos equiláteros, obte- 115.1 A 1cos a , sin a2 ; C 1cos a , - sin a2
mos seis ângulos ao centro de 608 . Considerando o arco
com extremidade em B , obtemos: 115.2 AC = 2 sin a
908 - 608 = 308 , 908 , 908 + 608 = 1508 , 1508 + 608 = 2108 , BD = 1 + cos a
2108 + 608 = 2708 e 2708 + 608 = 3308 .
AC * BD 2 sin a * 11 + cos a2
A 1x2 = = §
Em radianos: 2 2
p p p p p p 5p
- = , , + = , § A 1x2 = sin a 11 + cos a2
2 3 6 2 2 3 6
5p p 7p 7p p 3p 3p p 11p
+ = , + = e + = . y
6 3 6 6 3 2 2 3 6
A
y
1 B
B a D
C A
60° O x
60°
-1 O 1 x
D F C
C -1 E
115.3 Para que o triângulo seja equilátero, o arco AC deve
114.1 O ponto C é interseção da circunferência trigonométrica medir
2p
, logo AO W C = 2p e, portanto, a = p .
3 3 3
com a reta de equação y = "5 x , no 1.° quadrante.
Determinemos as suas coordenadas. p "3
AC = 2 sin = 2 * = "3
3 2
2
x2 + y2 = 1 x2 + Q "5 x R = 1 x2 + 5x2 = 1 115.4 Recorrendo à fórmula, tem-se:
b § c § c §
y = "5 x ________ ________
p p p p 3"3
A a b = sin a1 + cos b § A a b =
3 3 3 3 4
"6 "6
x= x=- y
6 6
§ µ › µ A
"30 "30
y= y=-
6 6 3
p p
a=
B 6 3 D
"6 "30 O
Como C pertence ao 1.° quadrante, tem-se C a , b. x
6 6

"30 C
"30 "6 6
Assim, sin a = , cos a = e tan a = = "5 .
6 6 "6
6 Alternativamente, tem-se:
AC = "3
"30 p BD p
114.2 sin 1- a2 = - sin a = - y
cos = § BD = AB * cos §
6 6 AB 6
"6
cos 1- a2 = cos a = "3 3
6 § BD = "3 * § BD =
2 2
tan 1- a2 = - tan a = - "5
O -a x
3
"3 *
AC * BD 2 3"3
Área = = =
NY11LP © RAIZ EDITORA

2 2 4

157

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 157 4/13/16 2:59 PM


Resoluções

TESTE – PÁG 66 7. ACWB = 1808 - 788 - 358 = 678


C
1. Sendo D o pé da perpendicular à reta t que passa pelo
ponto B , a distância de B à reta t é igual a BD .

5"2
BD = AT - AC = 5 - 5 cos 458 = 5 - ) 1,46 cm
2 78°
35°
Opção correta: C A B
50 m
B
D Aplicando a Lei dos senos, temos:
sin 788 sin 678 50 * sin 788
A 45° = § AC = § AC ) 53 m
T AC 50 sin 678
C
e
sin 358 sin 678 50 * sin 358
= § BC = § BC ) 31 m
BC 50 sin 678
t

1 3 15p
"3 "3 8. P = 2 * 5 + * * 2p * 5 § P = 10 + cm
2. sin 608 - 2 tan 458 + cos 308 = -2*1+ = "3 - 2 2 4 4
2 2
3p
Opção correta: D * 52
4 75p 2
A= § A= cm
2 8
3. Não há ângulos nas circunstâncias enunciadas.
C
Opção correta: D
p
4
4. 4 cm ——— 1 rad A B
O
1
2 cm ——— x x = rad
2
Opção correta: C

5. p ——— 1808
9.1 1808 ——— p rad
7
x = - p rad 368 * p p
x ——— - 1408
9 368 ——— x x= =
1808 5
Opção correta: B
9.2 1808 ——— p rad
1208 * p 2p
6. Sendo a å 4.° Q , então 0 < cos x < 1 . Assim, tem-se: 1208 ——— x x= =
1808 3
t2 - 3
0< < 1 § 0 < t2 - 3 < 2 § 3 < t2 < 5 § 9.3 1808 ——— p rad
2 - 3908 * p 13p
- 3908 ——— x x= =-
§ t - 3 > 0 ‹ t - 5 < 0
2 2 1808 6

25p
y y
6 t 25
10. s = c d = f ) 2,08g = 2
+ + + + 2p 12
- 3 O – 3x - 5 O – 5x 25p p
= + 2 * 2p
6 6
   
25p
O ângulo generalizado cuja amplitude é radianos
t2 - 3 > 0 § t å g - ? , - "3 f ∂ g "3 , + ? f 6
p
é a , 2b .
t - 5 < 0 § t å g - "5 , "5 f
2 6

Em conclusão:

t2 - 3
NY11LP © RAIZ EDITORA

0< < 1 § t å g - "5 , - "3 f ∂ g "3 , "5 f


2
Opção correta: B

158

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 158 4/13/16 2:59 PM


Resoluções

11. Numa hora, o ponteiro dos minutos roda - 2p rad . Assim, se


o ponteiro dos minutos rodar - 7p rad , significa que passa- 4.  Funções Trigonométricas
ram 3,5 horas.
2p p DIAGNÓSTICO
Numa hora, o ponteiro das horas roda - = - rad .
12 6 5 C
Em 3,5 horas, o ponteiro das horas rodou 1.1 sin a =
13
p 7p 13 cm
3,5 * a- b = - rad . 12
6 12 1.2 cos a = 5 cm
13
a
5 A B
12.1 3608 : 10 = 368 1.3 tan a = 12 cm
12 † pelo Teorema de Pitágoras
2p p
= rad
10 5 D C 2.1 sin a + cos a = 1 § sin a = 1 - 0,82 §
2 2 2

E B § sin2a = 0,36 § sin a = 0,6


0 < a < 908
2
F A 1 5"3 1
2.2 tan2 a + 1 = § a b +1= §
cos2 a 2 cos2 a
G J
4 4
H I § cos2a = § cos a =
79 0 < a < 908 Å 79

12.2 2"79
§ cos a =
a. 8288 : 368 = 23 = 10 * 2 + 3 ; letra sorteada: D 79

11p p 5"3 2"79 5"237


b. = + 2p ; letra sorteada: B sin a = tan a * cos a = * =
5 5 2 79 79
11p p
c. - + 2p = - ; letra sorteada: J 3. Comecemos por determinar o valor de tan a .
5 5
12.3 Partindo da letra A , o ponteiro tem de rodar 4 setores da - 1 - 5 tan a + 6 tan2 a = 0 §
roda até chegar à letra E 1a menos de voltas completas2, ou - 1- 52 ¿ "1- 52 - 4 * 6 * 1- 12
2

seja, o ponteiro varre um ângulo cuja amplitude, em radia- § tan a = §


2*6
4p
nos, é dada por + 2np , n å Z . 1
§ tan a = - › tan a = 1
5 6
Como a é um ângulo agudo, tem-se tan a = 1 .
Determinemos, agora, o valor de cos a .
1 1
tan2 a + 1 =
§ 12 + 1 = §
cos2 a cos2 a
1 "2
§ cos2 a = § cos a =
2 0 < a < 908 2

E, agora, o valor de sin a :


"2 "2
sin a = tan a * cos a = 1 * =
2 2
O valor pedido é:
1 "2 1 + "2
cos2 a + sin a = + =
2 2 2

1 cos a
4.1 sin a * = sin a * = cos a
tan a sin a
4.2 sin3a + sin a * cos2a =
NY11LP © RAIZ EDITORA

= sin a1sin2a + cos2a2 = sin a * 1 = sin a

1 cos a 1 1 2
4.3 + = + =
tan a sin a tan a tan a tan a

159

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 159 4/13/16 2:59 PM


Resoluções

3p 123.2 O gráfico de h obtém-se do gráfico da função cosseno


116.1 Falso. Em d - , - p c , a função seno é positiva e
2 p
por uma translação de vetor de coordenadas a , - 1b .
decrescente 1o intervalo corresponde ao 2.° quadrante2. 3
123.3 Tendo em conta que D'h = f- 2 , 0g , o mínimo 1absoluto2
116.2 Verdadeiro 1o intervalo corresponde ao 4.° quadrante2. da função é - 2 e o máximo 1absoluto2 é 0 .
No intervalo f0 , 2pg , a função seno atinge o mínimo em
7p
116.3 Falso. Em d 3p , c , a função seno é negativa e decres- 3p p
2 x= e o máximo em x = . Atendendo a que o gráfico
2 2
cente 1o intervalo corresponde ao 3.° quadrante2.
de h se obtém do gráfico da função cosseno por uma
117. O contradomínio da função seno é f- 1 , 1g . p
translação de vetor de coordenadas a , - 1b , tem-se,
Assim, tem-se: 3
em f0 , 2pg :
- 1 ≤ sin x ≤ 1 § - 2 ≤ - 2 sin x ≤ 2 § minimizante de h : x =
3p p 11p
+ = ;
2 3 6
§ 1 ≤ - 2 sin x + 3 ≤ 5 ; D'f = f1 , 5g p p 5p
maximizante de h : x = + = .
2 3 6
118. Para todo x å R , tem-se - x å R e
123.4 No intervalo f0 , 2pg , a função cosseno é decrescente
1 1 1
g 1- x2 = - sin 1- 2x2 = - * 1- sin 12x22 = sin 12x2 = - g 1x2 em f0 , pg e crescente em fp , 2pg . Atendendo a que o
xwwwywwwz
2 2 2 gráfico de h se obtém do gráfico da função cosseno por
a função seno é ímpar
p
g é ímpar pois A x å R , - x å R ‹ g 1- x2 = - g 1x2 . uma translação de vetor de coordenadas a , - 1b e que
3
a função é 2p -periódica, tem-se, em f0 , 2pg :
119. Tem-se que A x å R , f 1x + 32 = f 1x2 , logo o período da fun-
5p 11p
ção f é 3 . h é decrescente em c , d e h é crescente em
6 6
120.1 Para todo x å R , tem-se x + 4p å R e c0 ,
5p
d e em c
11p
, 2pd .
6 6
x + 4p x x
f 1x + 4p2 = sin a b = sin a + 2pb = sin a b = f 1x2
2 2 2 124.1 O contradomínio da função cosseno é f- 1 , 1g . Assim,
x + 6p x tem-se:
120.2 f 1x + 6p2 = sin a b = sin a + 3pb = p p
2 2 - 1 ≤ cos ax - b ≤ 1 § 0 ≤ 1 + cos ax - b ≤ 2
6 6
x x
= sin a + pb = - sin a b 0 f 1x2 D'g = f0 , 2g
2 2
121.1 O contradomínio da função cosseno é f- 1 , 1g . 124.2 O gráfico da função g obtém-se do gráfico da função cos-
Assim, tem-se: p
3 1 1 seno pela translação de vetor de coordenadas a , 1b .
- 1 ≤ cos x ≤ 1 § - ≤ cos x - ≤ 6
2 2 2
3 1 124.3 Tendo em conta que D'g = f0 , 2g , o mínimo 1absoluto2 da
D'f = c- , d função é 0 e o máximo 1absoluto2 é 2 .
2 2
A expressão geral dos minimizantes da função cosseno é
1 1
121.2 f 1a2 = 0 § cos a - = 0 § cos a = p + 2kp , k å Z . Assim, a expressão geral dos minimi-
2 2
p
zantes de g é + p + 2kp , k å Z , ou seja,
Como cos a > 0 e sin a < 0 , então a å 4.° Q . 6
7p
+ 2kp , n å Z .
6
122. g 1- x2 = 2 cos 1- x2 - 3 = 2 cos 1x2 - 3 = g 1x2
xwwwywwwz
a função cosseno é par
A expressão geral dos maximizantes da função cosseno é
2kp , k å Z . Assim, a expressão geral dos maximizantes
g é par pois A x å R , - x å R ‹ g 1- x2 = g 1x2 . p
de g é + 2kp , k å Z
6
123.1 Dh = R
124.4 Tendo em conta a monotonia da função cosseno e as alí-
O contradomínio da função seno é f- 1 , 1g . neas anteriores, podemos afirmar que:
Assim, tem-se:
p 7p 13p
NY11LP © RAIZ EDITORA

p p • a função é crescente em c0 , d e em c , d;
- 1 ≤ sin ax - b ≤ 1 § - 2 ≤ - 1 + sin ax - b ≤ 0 6 6 6
3 3
p 7p 13p
• a função é decrescente em c , d e em c , 3pd .
D'h = f- 2 , 0g 6 6 6

160

NY11LP_20151604_P145_160_4P.indd 160 4/13/16 2:59 PM


Resoluções

125.1 Seja x metade da medida da base do triângulo fABCg . p


f é estritamente crescente nos intervalos c0 , c
x 2
Tem-se cos b = § x = 10 cos b B 3p
10 e cp , c.
2
e AC = 2x = 20 cos b .
10 p
f é estritamente decrescente nos intervalos d - , 0d ,
O perímetro do triângulo fABCg é, 2
b p
então, 20 + 20 cos b , ou seja, d , pd e d
3p
, 2pd .
f 1 b2 = 20 + 20 cos b . C x A 2 2

p 127.3 f 1- x2 = 0 tan 1- x2 0 + 1 = 0 - tan x 0 + 1 = 0 tan x 0 + 1 = f 1x2


125.2 Df = d 0 , c xwwwwywwwwz
2 a função tangente é ímpar

O contradomínio da restrição da função cosseno ao inter- f é par pois A x å Df , - x å Df ‹ f 1- x2 = f 1x2 .


p
valo d 0 , c é g0 , 1f . Assim, tem-se:
2 127.4 f tem mínimo absoluto 1 para x = kp , k å Z

0 < cos b < 1 § 0 < 20 cos b < 20 §


128.1 Seja h a altura do trapézio fABCDg .
§ 20 < 20 + 20 cos b < 40 C 4 B
D'f = g20 , 40f
h
x
p p "2
125.3 f a b = 20 + 20 cos = 20 + 20 * = 20 + 10"2 D
8 2
A
4 4 2
h
126.1 Falso. tan a < tan b . 1A função tangente é crescente Tem-se tan x = § h = 2 tan x .
2
para intervalos correspondentes ao 3.° quadrante. Assim, Assim, a área do trapézio é dada em função de x por:
se a < b , então tan a < tan b .2 8+4
A 1x2 = * 2 tan x § A 1x2 = 12 tan x
2
126.2 Verdadeiro. 1A função cosseno é crescente para interva-
los correspondentes ao 3.° quadrante. Assim, se a < b , 128.2 Tendo em conta que as medidas das bases do trapézio
então cos a < cos b .2 estão fixadas, ao variar a altura do trapézio, a amplitude
p
do ângulo DAB pode variar entre 0 e 1exclusive2.
126.3 Verdadeiro. 1A função seno é decrescente para intervalos 2
p
correspondentes ao 3.° quadrante. Assim, se a < b , Assim, tem-se DA = d 0 , c .
2
então sin a > sin b .2
p
No intervalo d 0 , c , o conjunto das imagens da função
p 2
127.1 Df = e x å R : x 0 + np , n å Zf
2 tangente é g0 , + ?f , logo D'A = g0 , + ?f .
O contradomínio de função tangente é R . O contradomí-
nio da função definida por y = 0 tan x 0 é f0 , + ?f , por- p p
128.3 A a b = 12 tan = 12"3
tanto, D'f = f1 , + ?f . 3 3

p BC BC
127.2 Representemos graficamente a função f , em c- , 2pd . 129.1 Tem-se tan x = § tan x = § BC = 4 tan x .
2 AB 4
y
AB * BC 4 * 4 tan x
Logo, AT 1x2 = = = 8 tan x .
2 2
B
4

x A

1 C
NY11LP © RAIZ EDITORA

p p 8"3
129.2 AT a b = 8 tan =
O p 6 6 3
p p 3p 2p x
-
2 2 2
129.3 D'A = g0 , + ?f
T

NY11LP_F11
161

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 161 4/13/16 3:03 PM


Resoluções

129.4 O perímetro do triângulo fABCg é igual a AB + BC + AC . 133. tan2 a + 1 =


1
§ 22 + 1 =
1
§ cos2 a =
1
cos2 a cos2 a 5
AB 4 4
Tem-se cos x = § cos x = § AC = .
cos x "5
AC AC Como a å 1.° Q. , tem-se: cos a =
5
4
Concluindo, PT 1x2 = 4 + 4 tan x + .
cos x "5 2"5
sin a = tan a * cos a = 2 * =
5 5
p p 4 4
129.5 PT a b = 4 + 4 tan + =4+4*1+ = Concluindo:
4 4 cos p "2 2
4 2"5 1 2 * Q "5 R 1 11
2 "5 sin a + cos a = "5 * 2
+ = + =
8 5 5 5 5 5
= 8 + = 8 + 4"2
"2
134.1 1cos b - sin b2 = cos2b - 2 cos b sin b + sin2b =
2

129.6 Sendo AC o diâmetro do círculo, o seu raio é


= 1cos2b + sin2b2 - 2 cos b sin b = 1 - 2 cos b sin b
4
r=
AC cos x
= =
2
. = 2 - 11 + 2 cos b sin b2 = 2 - 1cos2b + 2 cos b sin b + sin2b2
2 2 cos x
= 2 - 1cos b + sin b2
2

Assim, a área do círculo é dada, em função de x , por


1 - sin2 a 11 - sin a2 11 + sin a2
2

p*a
2 4p cos2a
b , ou seja, . 134.2 = = = 1 - sin a
cos x cos2 x 1 + sin a 1 + sin a 1 + sin a
O diâmetro do círculo é superior a 4 1 AB 2 , aumentando 1 sin q cos q sin2 q + cos2q
134.3 tan q + = + = =
indefinidamente com o aumento de x . Assim, o contrado- tan q cos q sin q sin q * cos q
mínio desta função é g4p , + ?f . 1
=
2
sin q * cos q
1 8
130.1 sin2a + cos2a = 1 § cos2a = 1 - a- b § cos2 a = sin b sin b 11 - cos b2 sin b 11 - cos b2
3 9 134.4 = = =
1 + cos b 11 + cos b2 11 - cos b2 1 - cos2 b
8 2"2
Como a å 3.° Q. , tem-se: cos a = - =-
Å9 3 sin b 11 - cos b2 1 - cos b
= =
sin b
2
sin b
1
-
3 1 "2
130.2 tan a = = =
4 135.1 A 1x2 = AD * h C B
2"2 2"2
-
3 h
sin x = § h = sin x h
1
2
1
1 15
131. sin2a + cos2a = 1 § sin2a = 1 - a- b § sin2 a = A 1x2 = 1 * sin x § A 1x2 = sin x
x
4 16 D A
1
15 "15
Como a å 2.° Q. , tem-se: sin a = =
Å 16 4 135.2
"15 a. Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
2
4 Q 2 - "2 R = 12 + 12 - 2 * 1 * 1 * cos x §
tan a = = - "15
1
-
4 § 4 - 4"2 + 2 = 2 - 2 cos x § cos x = - 2 + 2"2
"15 5"15
tan a - sin a = - "15 - =- 2
4 4 b. sin2 x + cos2 x = 1 § sin2 x = 1 - Q - 2 + 2"2 R §

1 1 1 § sin2 x = - 11 + 8"2 § sin x = #- 11 + 8"2


132. tan2 a + 1 = § "52 + 1 = § cos2a = x å g0 , pf
cos2 a cos2 a 6

1 "6
Como a å 3.° Q. , tem-se: cos a = - =-
NY11LP © RAIZ EDITORA

Å6 6

"6
sin a = tan a * cos a = "5 * a- b = - "30
6 6

162

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 162 4/13/16 3:03 PM


Resoluções

136. A reta OA interseta o eixo das tangentes no ponto deste 137.3 tan 1a - p2 = - tan a
eixo de ordenada - 2 , pelo que tan b = - 2 .
tan 1a - p2 > 0 , porque tan a < 0 1a å 2.° Q2.
y
t y
1 1
A

O x
b -1 x - p 1x
-1 O 1 x
-1

tan 1x - p2 = tan x
-1
138.1 cos 1a + p2 - cos 1a - p2 = - cos a - 1- cos a2 =
= - cos a + cos a = 0
-2
y y
1 1 1 1 1
tan b + 1 = § 1- 22 + 1 = § cos2b =
2 2

cos2 b cos2 b 5
x+p
x O x
1 4 -1 -1
sin b + cos b = 1 § sin b = 1 - § sin2 b =
2 2 2 O 1x x - p 1x
5 5

4 2 2"5 -1 -1
Como b å 2.° Q , tem-se: sin b = = =
Å 5 "5 5
cos 1x + p2 = - cos x cos 1x - p2 = - cos x
Concluindo:
1 2"5 11 - 2"5
cos2b - tan b - sin b = - 1- 22 - = 138.2 - sin 1a - p2 - sin 1p + a2 = - 1- sin a2 - 1- sin a2 =
5 5 5
= sin a + sin a = 2 sin a
137.1 cos 1p + a2 = - cos a
cos 1p + a2 > 0 , porque cos a < 0 1a å 2.° Q2. y y
1 1
y
1 x+p
O x x
-1 x - p 1x -1 O 1x
x+p
x
-1 O 1x -1 -1

-1 sin 1x - p2 = - sin x sin 1x + p2 = - sin x

cos 1x + p2 = - cos x
138.3 tan 1a - p2 * cos 1p + a2 = - tan a * 1- cos a2 =

137.2 - sin 1a - p2 = - 1- sin a2 = sin a sin a


= * cos a = sin a
cos a
- sin 1a - p2 > 0 , porque sin a > 0 1a å 2.° Q2.

y y y
1 1 1

x+p
O x O x x
-1 x - p 1x -1 x - p 1x -1 O 1x

-1 -1
NY11LP © RAIZ EDITORA

-1

sin 1x - p2 = - sin x tan 1x - p2 = tan x cos 1x + p2 = - cos x

163

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 163 4/13/16 3:03 PM


Resoluções

4 4 4
1 1
139.1 sin 1a - p2 = - sin a = - a- b = 141.1 cos 1p + a2 = § - cos a = § cos a = -
3 3 5 5 5

1 1
tan2 a + 1 = § tan2 a + 1 = §
y cos2 a 4
2

1 a- b
5
9
O x § tan2 a =
-1 x - p 1x
16

9 3
-1 Como a å 2.° Q. , tem-se: tan a = - =- .
Å 16 4
sin 1x - p2 = - sin x

y
1 1
139.2 sin 1a + p2 = - sin a =
3
x+p
x
-1 O 1x
y
1
-1
x+p
x cos 1x + p2 = - cos x
-1 O 1x

-1 3 4 3
141.2 sin a = tan a * cos a = - * a- b =
4 5 5
sin 1x + p2 = - sin x
cos a - sin 1a - p2 - 2 tan 15p + a2 =

3 3 3 = cos a - 1- sin a2 - 2 tan 1p + a2 =


140. sin 1p + a2 = § - sin a = § sin a = -
5 5 5 4 3 3 1 3 13
= cos a + sin a - 2tan a = - + - 2 * a- b = - + =
3 16
2
5 5 4 5 2 10
sin2a + cos2a = 1 § cos2a = 1 - a- b § cos2 a =
5 25

16 4 y y
Como a å 3.° Q. , tem-se: cos a = - =- . 1 1
Å 25 5
3 x+p
- O x x
sin a 5 3 -1 -1
tan a = = = x - p 1x O 1x
cos a 4 4
-
5
-1 -1
4 3 1
Concluindo: cos a + tan a = - + = -
5 4 20 sin 1x - p2 = - sin x tan 1x + p2 = tan x

y
1 142.1 sin 1p + b2 + 2 sin 1b - p2 = - sin b + 2 1- sin b2 = - 3 sin b

x+p
x
-1 O 1x y y
1 1

-1 x+p
x O x
sin 1x + p2 = - sin x -1 O 1x -1 x - p 1x
NY11LP © RAIZ EDITORA

-1 -1

sin 1x + p2 = - sin x sin 1x - p2 = - sin x

164

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 164 4/13/16 3:03 PM


Resoluções

142.2 cos 1 b + p2 * cos 1 b - p2 + sin2 1 b - p2 = Sendo E a projeção ortogonal do ponto P na reta AB , tem-
-se:
= - cos b * 1- cos b2 + 1- sin b2 = cos b + sin b = 1
2 2 2

PE 4 4
• tan x = § tan x = § AE =
AE AE tan x
4
y • PC = AB - AE = 4 -
1 tan x
Concluindo, a área sombreada é dada, em função de x por:
x+p
x 4
-1 O 1x 4+4-
tan x 8
AfABCPg = * 4 = 16 -
2 tan x
-1

cos 1x + p2 = - cos x 12 12 12
144.2 sin 1x - p2 = - § - sin x = - § sin x =
13 13 13
y y 2
1 12
1 sin2 x + cos2 x = 1 § cos2 x = 1 - a b §
13
144 25
O x O x § cos x = 1 -
2
§ cos x =
2

-1 x - p 1x -1 x - p 1x 169 169
p p 25 5
Como x å d , c , tem-se cos x = = .
-1 -1 4 2 Å 169 13

cos 1x - p2 = - cos x sin 1x - p2 = - sin x


12 y
sin x 13 12 1
tan x = = =
cos x 5 5
143.1 P 1a2 = cos a sin2a - cos a = cos a 1sin2a - 12 = 13 O x
-1 x - p 1x
= cos a 1- cos2a2 = - cos3a AfABCPg = 16 -
8 38
=
12 3
143.2 tan 1a + p2 = 2 § tan a = 2 5 -1

1 1 1 sin 1x - p2 = - sin x
tan2 a + 1 = § 22 + 1 = § cos2a =
cos2 a cos2 a 5 2 2
145. cos 1- a2 = - § cos a = -
5 5
1 "5
Como a å 3.° Q. , tem-se: cos a = - =-
Å5 5 y
3 1
"5
Assim, P 1a2 = - a- b = 5"5 = "5
5 125 25
x
-1 O -x 1 x
y
1 -1

x+p cos 1- x2 = cos x


x
-1 O 1x
2
2
sin2a + cos2a = 1 § sin2a = 1 - a- b §
-1 5
4 21
tan 1x + p2 = tan x § sin2 a = 1 - § sin2 a =
25 25
P Como a å g- p , 0f e cos a < 0 , tem-se que a å 3.° Q. e,
144.1 A região sombreada é um trapé- D C
zio cuja área é dada por: 21 "21
portanto, sin a = - =- .
Å 25 5
AB + PC
AfABCPg = * BC 4
2
NY11LP © RAIZ EDITORA

"21
-
x sin a 5 "21
tan a = = =
cos a 2 2
A E B -
5

165

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 165 4/13/16 3:04 PM


Resoluções

sin 1- a2 - 2tan 1p - a2 - cos 1p + a2 = No 4.° Q. , tem-se tan x < 0 e sin x > 0 , logo

= - sin a - 2 1- tan a2 - 1- cos a2 p


tan 1- x2 - sin 1p + x2 > 0 , A x å d - , 0c
= - sin a + 2tan a + cos a = 2
é uma proposição com valor lógico verdadeiro.
= - a-
"21
b + 2 * "21 + a- 2 b = 6"21 - 2
5 2 5 5
p 5 5
147. cos a - xb = - § sin x = -
2 13 13
y 2
5 144
1 sin2 x + cos2 x = 1 § cos2 x = 1 - a- b § cos2 x =
13 169
x 2p 3p
-1 O -x 1 x Como a å d , c e sin a < 0 , tem-se que a å 3.° Q.
3 2
144 12
-1 e, portanto, cos x = - =- .
Å 169 13
sin 1- x2 = - sin x
p 1
sin 1-x2 * tan a - xb - sin 1-x2 = - sin x * - 1- sin x2 =
y y 2 tan x
1 1
cos x
p-x = - sin x * + sin x = - cos x + sin x =
x+p sin x
x x
-1 O 1x -1 O 1x 12 5 7
= - a- b + a- b =
13 13 13
-1 -1

tan 1p - x2 = - tan x cos 1x + p2 = - cos x


y
1 p- x
146.1 cos 1- x2 - cos 1p + x2 = cos x - 1- cos x2 = 2
= cos x + cos x = 2 cos x
x
-1 O 1x

y y -1
1 1
p
cos a - xb = sin x
x+p 2
x x
-1 O -x 1 x -1 O 1x y y
1 1 p-x
-1 -1 2

cos 1- x2 = cos x cos 1x + p2 = - cos x x x


-1 O -x 1 x -1 O 1x

cos 1- x2 - cos 1p + x2 = 0 , A x å R é uma proposição com -1 -1


valor lógico falso.
sin 1- x2 = sin x p
sin a - xb = cos x
146.2 tan 1- x2 - sin 1p + x2 = - tan x - 1- sin x2 = - tan x + sin x 2

p
sin a - xb
p 2 cos x 1
y y tan a - xb = = =
2 p sin x tan x
1 1 cos a - xb
2

x
x+p
x
-1 O -x 1 x -1 O 1x
NY11LP © RAIZ EDITORA

-1 -1

tan 1- x2 = tan x sin 1x + p2 = - sin x

166

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 166 4/13/16 3:04 PM


Resoluções

p 150.3 sin 1508 + cos 3158 - tan 13208 =


148. tan a - xb * tan x + sin 1p + x2 * sin 1p - x2 =
2 = sin 11808 - 3082 + cos 13608 - 4582 - tan 13 * 3608 + 24082 =
1
= * tan x + 1- sin x2 * sin x = 1 - sin2 x = cos2 x = sin 308+ cos 1- 4582 - tan 2408
tan x
= sin 308+ cos 458 - tan 11808 + 6082
y y 1 "2 1 "2
1 1 = + - tan 608 = + - "3
2 2 2 2
x+p p-x 23p 7p p p
x x 150.4 2 cos a b - tan a- b = 2 cos a4p - b - tan a- 6p - b =
-1 O 1x -1 O 1x 6 3 6 3
p p p p
-1
= 2 cos a- b - tan a- b = 2 cos - a- tan b
-1 6 3 6 3

sin 1p + x2 = - sin x sin 1p - x2 = sin x "3


= 2 * + "3 = 2"3
2

149. tan 1- a2 = - 0,6 § - tan a = - 0,6 § tan a = 0,6 17p 14p 4p


150.5 sin a b - cos a b * tan a b =
6 3 3
2
1 6 1
tan2 a + 1 = § a b +1= § 5p 2p p
cos2 a 10 cos2 a = sin a2p + b - cos a4p + b * tan ap + b
6 3 3
136 1 100
§ = § cos2a = 5p 2p p p p
100 cos2 a 136 = sin a b - cos a b * tan a b = sin ap - b - cos ap - b * "3
6 3 3 6 3

sin2 x + cos2 x = 1 § sin2 x = 1 -


100
§ sin2 x =
36 p p 1 1 1 + "3
= sin a b - a- cos b * "3 = + * "3 =
136 136 6 3 2 2 2

36 6
Como a å 1.° Q. , tem-se sin x = = =
Å 136 "136 7p 7p 3p p
150.6 cos a b - sin2 a- b = cos a2p + b - sin2 a- 2p + b =
6 3"34 2 4 2 4
= = 2
34 3p p "2
2"34 = cos a b - sin2 a b = 0 - a b =-1
2 4 2 2
6 3"34 3 3"34
Concluindo: tan a - sin a = - = - A
10 34 5 34
151. Sendo a e b as amplitudes dos
ângulos interno do losango, tem-se:
y
1 a + b = p § b = p - a a
B b D
Podemos obter cos a a partir de
x cos b , da seguinte forma:
-1 O -x 1 x
a
cos b = - 0,8 § cos 1p - a2 = - 0,8 §
-1 § - cos a = - 0,8 § cos a = 0,8 C
tan 1- x2 = tan x
1 1
tan2 a + 1 = § tan2 a + 1 = 2 §
cos2 a 0,8
150.1 sin 2108 + cos 3008 = sin 1808 + 308 + cos 13608 - 6082 =
1 100 36
1 1 1 § tan2 a + 1 = § tan2 a = - 1 § tan2 a =
= - sin 308 + cos 1- 6082 = - + cos 608 = - + = 0 8
2 64 64
2 2 2 a b
10
150.2 tan 1- 40582 - 3 cos 5108 =
36 6 3
Como a å 1.° Q. , tem-se: tan a = = =
= tan 1- 3608 - 4582 - 3 cos 13608 + 15082 = Å 64 8 4
= tan 1- 4582 - 3 cos 1508 sin a = tan a * cos a =
3 8
* =
6
4 10 10
NY11LP © RAIZ EDITORA

= - tan 458 - 3 * cos 11808 - 3082


6 3 27
sin 1p - a2 + tan 1p + a2 = sin a + tan a = + =
"3 3"3 10 4 20
= - tan 458 - 3 1- cos 3082 = - 1 + 3 * = -1
2 2

167

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 167 4/13/16 3:04 PM


Resoluções

152.1 A restrição da função cosseno y 3p "2 p


ao conjunto f0 , pg é uma fun- 155.5 arcsin asin b = arcsin a b=
2 4 2 4
ção injetiva pois todos os pon-
p
tos do gráfico têm ordenadas 155.6 arccos acos
7p
b = arccos acos a- bb = arccos a
"2
b=p
distintas. 4 4 2 4
1
Por outro lado, f 0 A é sobreje-
155.7 As amplitudes x å gp , 2pg não pertencem ao domínio da
tiva, pois o contradomínio de
restrição principal da função cosseno, que é a inversa da
f 0 A 1f - 2 , 2g2 coincide com o
função arccos . Assim, devemos considerar as amplitudes
conjunto de chegada. O p x
da forma 2p - x å f0 , pf , cujo cosseno é igual a cos x .
arccos 1cos x2 = arccos 1cos 12p - x22 = 2p - x
x x y
152.2 y = 2 cos a b § cos a b = § p 3p
3 3 2 155.8 As amplitudes x å d , c não pertencem ao domínio
2 2
x y y
§ = arccos a b § x = 3 arccos a b da restrição principal da função tangente, que é a inversa
3 2 2
da função arctan . Assim, devemos considerar as ampli-
x
f 0 -A1 1x2 = 3 arccos a b p p
tudes da forma x - p å d- , c , cuja tangente é igual a
2 2 2
tan x .
1 arctan 1tan x2 = arctan 1tan 1x - p22 = x - p
153. y = arctan 13x2 § tan y = 3x § x = tan y
3
1 1 p p
g - 1 1x2 = tan x 156.1 sin x = § x = + 2kp › x = p - + 2kp , k å Z §
3 2 6 6
p 5p
§ x = + 2kp › x = + 2kp , k å Z 1 p
1 1 6 6 arcsin a b =
154.1 - 1 ≤ 5x ≤ 1 § - ≤ x ≤ 2 6
5 5
1 1
Df = c- , d 156.2 sin x = "3 é impossível 1- 1 ≤ sin x ≤ 1 , A x å R2.
5 5

1 p "3
arcsin a5 * b = arcsin 112 = 156.3 2 sin x = - "3 § sin x = - §
5 2 2
p p
1 p § x = - + 2kp › x = p - a- b + 2kp , k å Z §
arcsin a5 * a- bb = arcsin 1- 12 = - 3 3
5 2
p 4p
§ x = - + 2kp › x = + 2kp , k å Z
p p 3 3
D'f = c- , d
2 2
b=-p
"3
arcsin a-
y 156.4 sin2 x - 1 = 0 § sin2 x = 1 § 2 3
154.2 A função f é injetiva pois todos p
p § sin x = - 1 › sin x = 1 § x = + kp , k å Z
os pontos do gráfico têm orde- 2
nadas distintas. 2
Por outro lado, f é sobrejetiva, "2
156.5 cos x = - § arccos a-
"2
b = 3p
pois o contradomínio de f é 2 2 4
p p 1 O 1 x
c- , d que coincide com o - § x =
3p
+ 2kp › x = -
3p
+ 2kp , k å Z
2 2 5 5 4 4
p
conjunto de chegada. - 156.6 cos x = - "3 é impossível 1- 1 ≤ cos x ≤ 1 , A x å R2
2

b=p
sin y 3 "
154.3 y = arcsin 15x2 § sin y = 5x § x = "3
156.7 2 cos x = "3 § cos x =§
arccos a
5 2 6
2
1 p p
f - 1 1x2 = sin x § x = + 2kp › x = - + 2kp , k å Z
5 6 6
3p 5p
1 p p § x = + 2kp › x = + 2kp , k å Z
NY11LP © RAIZ EDITORA

155.1 arcsin a- b = - 155.3 arctan Q "3 R = 4 4


2 6 3
p p
155.2 arccos 1- 12 = p 155.4 arcsin asin b = 156.8 cos2 x + 1 = 0 § cos2 x = - 1 é impossível.
3 3

168

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 168 4/13/16 3:04 PM


Resoluções

p p 158.2 Na figura seguinte, estão marcados os lados extremidade


157.1 f 1x + 2p2 = 1 + 2 sin ax + 2p - b = 1 + 2 sin ax - b = f 1x2
4 4 "3
dos ângulos generalizados cujo seno é - .
2
A x å R , x + 2p å R ‹ f 1x + 2p2 = f 1x2 , pelo que 2p é
período de f . y
1
157.2
p p 1
f 1x2 = 0 § 1 + 2 sin ax - b = 0 § sin ax - b = - §
4 4 2
O
p p p p -1 p 1x
§ x - = - + 2kp › x - = p - a- b + 2kp , k å Z -
4p
-
4 6 4 6 3 3 3
-
p p 7p p 2
§ x=- + + 2kp › x = + + 2kp , k å Z
6 4 6 4 -1
p 17p 1 p
§ x= + 2kp › x = + 2kp , k å Z arcsin a- b = - p p
12 12 2 6 No intervalo c- , pd , a equação tem uma solução: - .
2 3

p p 1
157.3 f 1x2 = 2 § 1 + 2 sin ax - b = 2 § sin ax - b = § 158.3 2 cos x = 1 § cos x =
1
4 4 2 2
p p p p Na figura seguinte, estão marcados os lados extremidade
§ x - = + 2kp › x - = p - + 2kp , k å Z
4 6 4 6 1
dos ângulos generalizados cujo cosseno é .
p p 5p p 2
§ x = + + 2kp › x = + + 2kp , k å Z
6 4 6 4 p
No intervalo c , 4pd , as y
5p 13p 2
§ x = + 2kp › x = + 2kp , k å Z 1 p
12 12 soluções da equação são:
1 p 3
arcsin a b =
2 6 p 5p p 7p
- + 2p = , + 2p =
3 3 3 3
p 5p 13p 29p
No intervalo d , d , as soluções são e . p 11p -1 O 1 1x
2 2 12 12 e - + 4p = . 2
3 3
Cálculos auxiliares:
p
5p 13p São, portanto, 3 soluções. -
Para k = 0 , temos: x = ›x= -1 3
12 12
29p 37p
Para k = 1 , temos: x = ›x= 158.4 cos2 x - 1 = 0 § cos x = - 1 › cos x = 1 §
12 12
Para k = - 1 , temos: ——— › x = -
11p § x = kp , k å Z
12
53p p
Para k = 2 , temos: x = › ——— No intervalo c , 4pd , as soluções da equação são: p ,
12 2
2p , 3p e 4p . São, portanto, 4 soluções.
158.1 Na figura seguinte, estão marcados os lados extremidade
p b=p
"2 "3 "3
dos ângulos generalizados cujo cosseno é - . 159.1 cos x = sin
§ cos x = § arccos a
2 3 2 2 6
No intervalo f- p , 3pg , as soluções da equação são: p p
§ x = + 2kp › x = - + 2kp , k å Z
3p 3p 3p 5p 3p 11p 6 6
- , , - + 2p = e + 2p = .
4 4 4 4 4 4 No intervalo f- 2p , pg , o conjunto solução é
São, portanto, 4 soluções. 11p p p
e- , - , f.
y 6 6 6
1
Cálculos auxiliares:
3p
p 11p p 13p
4 Para k = - 1 : x = - 2p = - › x = - - 2p = -
6 6 6 6
2
-
-1 2 O 1x p p
Para k = 0 : x = ›x=-
NY11LP © RAIZ EDITORA

3p 6 6
-
4 p 13p p 11p
Para k = 1 : x = + 2p = › x = - + 2p =
-1 6 6 6 6

169

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 169 4/13/16 3:04 PM


Resoluções

p 5p 3p
159.2 "2 cos a3x - b = - 1 § No intervalo c- , d , o conjunto solução é
3 4 2
"2
p "2 arccos a- b = 3p p p p p 3p
§ cos a3x - b = - 2 4 e - , - , , , f.
3 2 2 4 4 2 2
p 3p p 3p
§ 3x - = + 2kp › 3x - = - + 2kp , k å Z Cálculos auxiliares:
3 4 3 4
p p p
3p p 3p p Para k = 0 , temos: x = ›x= ›x=-
§ 3x = + + 2kp › 3x = - + + 2kp , k å Z 2 4 4
4 3 4 3
13p 5p Para k = - 1 , temos:
§ 3x = + 2kp › 3x = - + 2kp , k å Z
12 12 p p p 7p p 9p
x = - p = - › x = - 2p = - › x = - - 2p = -
13p 2kp 5p 2kp 2 2 4 4 4 4
§ x = + ›x=- + , kåZ
36 3 36 3
Para k = - 2 , temos:
p p 7p
159.3 cos x = sin x § cos x = cos a - xb § x = - 2p = - › ———— › ————
2 2 2

p p Para k = 1 , temos:
§ x = - x + 2kp › x = - a - xb + 2kp , k å Z
2 2
p 3p p 9p p 7p
p p x = +p= › x = + 2p = › x = - + 2p =
§ 2x = + 2kp › 0 = - + 2kp , k å Z 2 2 4 4 4 4
2 2
p 161.1 Como o contradomínio da função cosseno é f- 1 , 1g ,
§ x = + kp , k å Z
4 temos:
p p
159.4 sin2 x + cos x = 1 § 1 - cos2 x + cos x = 1 § - 1 ≤ cos ax + b ≤ 1 § - 2 ≤ 2 cos ax + b ≤ 2 §
6 6
§ cos2 x - cos x = 0 § cos x 1cos x - 12 = 0 p
§ - 1 ≤ 1 + 2 cos ax + b ≤ 3
§ cos x = 0 › cos x - 1 = 0 § cos x = 0 › cos x = 1 6
p Assim, D'f = f- 1 , 3g .
§ x = + kp › x = 2kp , k å Z
2
p
No intervalo c-
3p 5p
, d , o conjunto solução é 161.2 f 1x2 = 0 § 1 + 2 cos ax + b = 0 §
2 2 6
p 1 2p
3p p p 3p 5p § cos ax + b = -
1 arccos a- b =
e - , - , 0, , , 2p , f. 6 2 2 3
2 2 2 2 2
p 2p p 2p
§ x + = + 2kp › x + = - + 2kp , k å Z
Cálculos auxiliares: 6 3 6 3
p 2p p 2p p
Para k = - 2 : x = - 2 * p = -
3p
› x = - 2 * 2p = - 4p § x = - + 2kp › x = - - + 2kp , k å Z
2 2 3 6 3 6
p p p 5p
Para k = - 1 : x = - p = - › x = - 2p § x = + 2kp › x = - + 2kp , k å Z
2 2 2 6
p p p
Para k = 0 : x = › x = 0 162.1 tan x = 1 § x = + kp , k å Z arctan 112 =
2 4 4
p 3p
Para k = 1 : x = + p = › x = 2p "3 p
2 2 162.2 tan x = - § x = - + kp , k å Z
p 5p 3 6
Para k = 2 : x = + 2 * p = › x = 2 * 2p = 4p
2 2
b=-p
"3
arctan a-
162.3 0 tan x 0 = "3 § 3 6
160. "2 cos2 x - cos x = 0 § cos x Q "2 cos x - 12 = 0 §
§ tan x = "3 › tan x = - "3
§ cos x = 0 › "2 cos x - 1= 0 p p
§ x = - + kp › x = + kp , k å Z
3 3
b=p
2 "
"2 arccos a p
§ cos x = 0 › cos x = 2 4 arctan Q - "3 R = -
NY11LP © RAIZ EDITORA

2 3
p p p p
§ x = + kp › x = + 2kp › x = - + 2kp , k å Z arctan Q "3 R =
2 4 4 3

170

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 170 4/13/16 3:04 PM


Resoluções

p p
x 3p x p
163.1 "3 tan a b = tan a b § "3 tan a b = tan ap - b § § x- = - + kp , k å Z
3 4 3 4 2 3
p p p
p § x=- + + kp , k å Z arctan Q - "3 R = -
b=-p
x "3
§ tan a b = - tan a b arctan a- 3 2 3
3 4 3 6
p
"3 § x= + kp , k å Z
x x 6
§ "3 tan a b = - 1 § tan a b = -
3 3 3
x p p p 7p p 7p
§ = - + kp , k å Z § x = - + 3kp , k å Z No intervalo d- , d , o conjunto solução é e , f.
3 6 2 2 6 6 6

3p p Cálculos auxiliares:
No intervalo c- , pd , o conjunto solução é e - f .
2 2 p
Para k = 0 , temos: x =
6
163.2 3 tan x + 2"3 tan x - 3 = 0 §
2
p 5p
Para k = - 1 , temos: x = -p=-
2 6 6
- 2"3 ¿ $Q 2"3 R - 4 * 3 * 1- 32
§ tan x = p 7p
2*3 Para k = 1 , temos: x = + p =
6 6
- 2"3 ¿ "48
§ tan x = 164.3 A função tangente é crescente nos intervalos da forma
6
p p
d- + kp , + kp c , k å Z . A função definida por
- 2"3 ¿ 4"3 arctan Q - "3 R = -
p 2 2
§ tan x =
6 3 p
y = tan ax - b é crescente nos intervalos da forma
b=p
"3 "3 2
§ tan x = - "3 › tan x = arctan a
3 6 p p p p
3 d - + + kp , + + kp c = gkp , p + kpf , k å Z ,
2 2 2 2
p p
§ x = - + kp › x = + kp , k å Z
3 6 pois o seu gráfico obtém-se a partir do gráfico da função
p
No intervalo f- p , pg , o conjunto solução tangente pela translação de vetor de coordenadas a , 0b .
2
p
é e-
5p p p 2p
, - , , f. A função definida por y = - "3tan ax - b é decrescente
6 3 6 3 2
nos intervalos da forma gkp , p + kpf , k å Z , pois a
Cálculos auxiliares:
multiplicação pelo fator - "3 provoca uma simetria do
p p
Para k = 0 : x = - › x = gráfico em relação ao eixo Ox . Concluindo, a função f é
3 6
decrescente nos intervalos da forma
p 4p p 5p
Para k = - 1 : x = - -p=- ›x= -p=- gkp , p + kpf , k å Z , pois o gráfico de f obtém-se a
3 3 6 6
partir do gráfico da função definida por
p 2p p 7p
Para k = 1 : x = - +p= ›x= +p= p
3 3 6 6 y = - "3tan ax - b pela translação de vetor de coorde-
2
nadas 10 , 12 .
p "3 p
164.1 f 1x2 = 0 § 1 - "3 tan ax - b = 0 § arctan a 3 b = 6
2 1
165.1 2 sin x ≥ - 1 § sin x ≥ -
2
p "3
§ tan ax - b = § 7p 11p
2 3 Em f0 , 2pg , o conjunto solução é c0 , d∂c , 2pd .
6 6
p p p p
§ x - = + kp , k å Z § x = + + kp , k å Z y
2 6 6 2
1
2p
§ x = + kp , k å Z
3

p
164.2 f 1x2 = 4 § 1 - "3tan ax - b = 4 § -1 7p O 11p 1 x
2
6 6
1
p -
NY11LP © RAIZ EDITORA

§ - "3tan ax - b = 3 § 2
2
-1
p 3 p
§ tan ax - b = - § tan ax - b = - "3 §
2 "3 2

171

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 171 4/13/16 3:04 PM


Resoluções

1
165.2 2 sin x < - 1 § sin x < - 165.5 0 cos x 0 >
"2
§ cos x >
"2
› cos x < -
"2
2 2 2 2
7p 11p
Em f0 , 2pg , o conjunto solução é d , c. Em f0 , 2pg , o conjunto solução é
6 6
p 3p 5p 7p
y c0 , c∂d , c ∂ d , 2pd .
1 4 4 4 4
y
2p 1 p
3 4
-1 7p O 11p 1 x
6 6
1
-
2 -1 - 2 O 2 1x
-1 2 2

5p 7p
4 -1
1 1 1
165.3 0 sin x 0 < § sin x < ‹ sin x > - 4
2 2 2
Em f0 , 2pg , o conjunto solução é 165.6 tan x < "3
p 5p 7p 11p
c0 , c ∂ d , c∂d , 2pd . Em f0 , 2pg , o conjunto solução é
6 6 6 6
p p 4p 3p
c0 , c∂d , c ∂ d , 2pd .
y 3 2 3 2
1 y
5p 1 p
6 2 6
3
p
1 2 p
-1 O 1x
3
1
-
7p 2 11p
6 -1 6
-1 O 1x

1 4p
165.4 2 cos x < - 1 § cos x < -
2 3 -1 3p
2
2p 4p
Em f0 , 2pg , o conjunto solução é d , c.
3 3
y 165.7 tan x < - "3

2p 1 p 2p 3p 5p
Em f0 , 2pg , o conjunto solução é d , c∂d , c.
3 2 3 2 3
y
p
1 2
-1 -
1 O 1x 2p
2 3
4p
3 -1
-1 O 1x

5p
-1 3p 3
2
- 3
NY11LP © RAIZ EDITORA

172

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 172 4/13/16 3:04 PM


Resoluções

166. 2 cos2 x > - 3 cos x - 1 § 2 cos2 x + 3 cos x + 1 > 0 sin2 x sin2 x * cos2 x - sin2 x
170. sin2 x - tan 2 x = sin2 x - = =
cos2 x cos2 x
2 cos2 x + 3 cos x + 1 = 0 §
sin2 x 1cos2 x - 12 sin2 x 1- sin2 x2
- 3 ¿ "3 - 4 * 2 * 1 2 = = = - sin2 x * tan 2 x
§ cos x = cos2 x cos2 x
2*2
1 Opção correta: B
§ cos x = - 1 › cos x = -
2 2
1 4 1 9
171. tan 2a + 1 = § a- b + 1 = § cos2a =
+ + cos2 a 3 cos2 a 25

-1 -
1 cos(x) 9 3
2 Como a å 2.° Q. , tem-se cos a = - =- .
Å 25 5

1
2 cos2 x + 3 cos x + 1 > 0 § cos x < - 1 › cos x > - § sin a = tan a * cos a = -
4 3 4
* a- b =
2 3 5 5
1
§ cos x > -
2 4 3 12
sin a * cos a = * a- b = -
2p 4p 5 5 25
Em f0 , 2pf , o conjunto solução é c0 , c ∂ d , 2p c .
3 3
Opção correta: C
y
2p 1 2
4 9
3 172. sin2b + cos2b = 1 § sin2b = 1 - a- b § sin2 b =
5 25
9 3
Como a å 3.° Q. , tem-se sin b = - =- .
-1 1 Å 25 5
- O 1x
2
3
-
4p sin b5 3 3 3 3
tan b = = = ; tan b + sin b = + a- b =
3 -1 cos b 4 4 4 5 20
-
5
Opção correta: A
1 1 1
167. asin x - b 1sin x - 22 ≤ 0 § sin x - ≥ 0 § sin x ≥
2 2 2
p
173. sin a + xb > 0 § cos x > 0 e
1pois sin x - 2 < 0 , A x å R2 2
p 5p p
Em f0 , 2pg , o conjunto solução é c , d. cos a + xb > 0 § - sin x > 0 § sin x < 0
6 6 2
y
1 Logo, a å 4.° Q.
5p p
6 6 Opção correta: D
1
2 p 12 12 12
174. sin a + bb = - § - cos b = - § cos b =
-1 O 1x 2 13 13 13
2
12 25
sin2b + cos2b = 1 § sin2b = 1 - a b § sin2 b =
13 169
-1
25 5
Como a å 2.° Q. , tem-se sin b = = .
3p Å 169 13
168. a å d , 2p c ± a å 4.° Q. ± cos a > 0 ‹ sin a < 0 Opção correta: D
2
Logo: cos a * tan a < 0 ; cos a * sin a < 0 ; cos a + sin a 175. Dado que a å 2.° Q. , tem-se sin a > 0 e cos a < 0 .
pode ser positivo ou negativo; cos a - sin a > 0 . Assim, tem-se:
Opção correta: D
p p
cos a - ab = sin a > 0 ; sin a - ab = cos a < 0 ;
2 2
169. cos x - sin x = 1cos x - sin x2 1cos x + sin x2 =
NY11LP © RAIZ EDITORA

4 4 2 2 2 2

cos 1p - a2 = - cos a > 0 ; sin 1p - a2 = sin a > 0


= 1cos2 x - sin2 x2 * 1 = cos2 x - sin2 x
Opção correta: B
Opção correta: C

173

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 173 4/13/16 3:05 PM


Resoluções

3p 185. O período positivo mínimo da função cosseno é 2p . Tendo


176. sin a + ab - 2 cos 1p - a2 + tan 1- a2 = em conta que o gráfico da função dada se pode obter a par-
2
tir do gráfico da função cosseno através de uma contração
= - cos a - 2 1- cos a2 + 1- tan a2 =
1
horizontal de fator , seguida de uma dilatação vertical
sin a cos2 a - sin a p
= cos a - tan a = cos a - =
cos a cos a 4
Opção correta: C de coeficiente - "2 , de uma simetria de eixo Ox e uma
translação. Assim, o período positivo mínimo da função con-
177. sin x * cos x > 0 ± x å 1.° Q. › x å 3.° Q. ; a função
2p
cosseno é crescente no 3.° quadrante e no 4.° quadrante. siderada é = 8 1das transformações identificadas, ape-
Assim, o quadrante em questão é o terceiro. Neste qua- p
drante, a função seno também é crescente 1D2. As outras 4
opções são falsas. nas a contração horizontal é relevante para a determinação
do período2.
Opção correta: D
Opção correta: A
178. A opção 1A2 é falsa, pois o seno de um ângulo não é propor-
cional à sua amplitude; 186. Apenas a opção 1C2 é verdadeira.
a opção 1B2 é falsa, pois A x å R , sin 1- x2 = - sin x ; Opção correta: C
a opção 1C2 é verdadeira, pois nos 1.° e 2.° quadrantes o seno
é positivo; 187. Por observação do gráfico, verifica-se que a diferença entre
a opção 1D2 é falsa, pois há ângulos cujo seno é igual a 1, por p
p dois zeros consecutivos é , valor que corresponde ao
exemplo, sin = 1 . 2
2 período positivo mínimo.
Opção correta: C
Opção correta: A
p 1
179. A opção 1A2 é verdadeira, pois, por exemplo, cos a- b = > 0 ;
3 2 188. Na figura abaixo estão representados os lados extremidade
1B2 é verdadeira, pois A x å R , - x å R ‹ cos 1- x2 = cos x ; das soluções dos ângulos cujas amplitudes são soluções da
a opção 1C2 é verdadeira, pois nos 2.° e 3.° quadrantes o 1 p
equação sin x = . No intervalo c , 8pd , a equação tem
cosseno é negativo; a opção 1D2 é falsa, pois 7 2
A x å R , cos 1- x2 = cos x . p
7 soluções: uma em c , 2pd e duas em cada um dos
Opção correta: D 2
seguintes intervalos f2p , 4pg , f4p , 6pg e f6p , 8pg .
180. sin b = 0 § b = kp , k å Z
Opção correta: B
Opção correta: A y
1
181. O contradomínio da função seno é f- 1 , 1g . Assim, tem-
-se:
p p
- 1 ≤ sin ax - b ≤ 1 § 3 ≤ 5 - 2 sin ax - b ≤ 7
p - arcsin ( 17 ) 1
7
arcsin ( 17 )
3 3
-1 O 1x
Opção correta: D

p p
182. Para x å c- , d , tem-se - 1 ≤ sin x ≤ 1 .
2 2 -1
Logo, o máximo, nesse intervalo, é 1 .
Opção correta: B 189. Temos: sin 1p + a2 = a § - sin a = a § sin a = - a ;
sin 1- a2 = a § - sin a = a § sin a = - a ;
183. A diferença entre os dois zeros dados é p , pelo que o
período positivo mínimo desta função é p . p
sin a + ab = a § cos a = a ;
Opção correta: B 2
3p
184. Apenas a afirmação III é verdadeira. A afirmação I é falsa sin a - ab = a § - cos a = a § cos a = - a .
2
devido à quantificação A k å R , que deveria ser A k å Z .
Opção correta: D
A afirmação II é falsa, pois p não é período da função cos-
NY11LP © RAIZ EDITORA

seno 1deveria ser cos b = cos 1b + 2kp2 em vez de


cos b = cos 1b + kp2 2.
Opção correta: C

174

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 174 4/13/16 3:05 PM


Resoluções

190. "2 sin x ≥ 1 ‹ x å f0 , 2pg § Como a å 4.° Q. , cos a = "0,36 = 0,6


sin a - 0,8 4
§ sin x ≥
1
‹ x å f0 , 2pg tan a = = =-
cos a 0,6 3
"2 y
1 p
3p p
"2 4 2 4 cos 1p - a2 + cos a + ab + tan 1- a2 =
§ sin x ≥ ‹ x å f0 , 2pg 2 2
2
= - cos a + 1- sin a2 + 1- tan a2
p 3p -1 O 1x
§ x å c , d 4 3 4 4 23
4 4 = - 0,6 + 0,8 - a- b = - + + =
3 5 5 3 15
Opção correta: C -1

193.1 Seja x metade do comprimento da base fABg do triân-


191.1 O ponto Q pertence à circunferência trigonométrica pois gulo fABCg .
2 2 C
a- "3 b + a "6 b = 1 .
3 3
2 2 h
"3
Com efeito, tem-se a- b + a "6 b = 3 + 6 = 1 . a
3 3 9 9 A B
x
191.2 O ponto P é o simétrico do ponto Q em relação à origem
do referencial, pelo que tem coordenadas simétricas às do x x
Tem-se cos a = § cos a = § x = cos a .
BC 1
"3 "6
ponto Q , ou seja, a , - b.
3 3 Logo, AB = 2 cos a , ou seja, f 1a2 = 2 cos a .
y
Q 193.2 Seja h a medida do comprimento da altura do triângulo
fABCg referente ao lado fABg .
p+b Tem-se sin a =
h
§ sin a =
h
§ h = sin a .
BC 1
O b x
2 cos a * sin a
Logo, g 1a2 = = cos a sin a .
P 2

p
193.3 Df = Dg = d 0 , c
2
p "3 1para garantir a existência do triângulo fABCg2
191.3 sin a = sin a + bb = cos b =
2 3
p p
1cos b é a ordenada do ponto P2 193.4 A função g é não injetiva pois, por exemplo, g a b = g a b .
3 6

p "6 "6 "2 p


cos a = cos a + bb = - sin b = - a- b= 193.5 2 cos a = "2 § cos a = § a=
2 3 3 2 a å Df 4

1sin b é a abcissa do ponto P2 193.6 Não, pois a equação cos a sin a = 1 é impossível;
p
"3 em d 0 , c , 0 < cos a < 1 e 0 < sin a < 1 ,
sin a 3 "21 2
tan a = = = = pelo que 0 < cos a sin a < 1 .
cos a 2
"6 "2
3 GD + HI
194.1 A área do trapézio fHIDGg é dada por * DI .
2
192. Sendo - 0,8 a ordenada do ponto A , y
C
B
temos que sin a = - 0,8 .

sin2a + cos2a = 1 § 2 H

§ cos2a = 1 - 1- 0,82
2
O a x G
NY11LP © RAIZ EDITORA

§ cos2a = 0,36 -0,8 A a


A E 1 D I F

175

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 175 4/13/16 3:05 PM


Resoluções

GD 195.3 h 1x2 = 1 § 1tan x = 1 ‹ x < 02 › 1sin x = 1 ‹ x ≥ 02 §


Tem-se tan a = § GD = tan a .
1
p p
Para obter EH , observemos que EH = EC . Para obter § ax = + kp , k å Z ‹ x < 0b › ax = + 2kp , k å Z ‹ x ≥ 0b
4 2
EC , podemos considerar o triângulo fEDCg e aplicar o
3p p
teorema de Pitágoras. § x=- + kp , k å Z-0 › x = + 2kp , k å N0
4 2
EC = 12 + 22 § EC = "5
2

EC > 0 O conjunto solução da equação é:


3p p
Tem-se também: ex å R : - + kp , k å Z-0 f ∂ ex å R : + 2kp , k å N0 f
4 2
HI
sin a = § HI = EH sin a § HI = "5 sin a
EH
195.4 h 1x2 = 2 ‹ x å g- 3p , 2pf §
EI
e cos a = § EI = EH cos a § § 1tan x = 2 ‹ x å g- 3p , 0f2 › 1sin x = 2 ‹ x å f0 , 2pf2
EH twwwwwwwuwwwwwwwv
impossível
§ 1 + DI = "5 cos a § DI = "5 cos a - 1 § tan x = 2 ‹ x å g- 3p , 0f

tan a + "5 sin a Q Atendendo à periodicidade da função tangente, a equação


Concluindo, A 1a2 = * "5 cos a - 1 R tan x = 2 tem 3 soluções no intervalo g- 3p , 0f .
2
194.2 Como o ponto H pertence ao arco de circunferência CF , Assim, a equação h 1x2 = 2 tem 3 soluções no intervalo
a amplitude a pode variar entre 0 1H coincidente com g- 3p , 2pf .
F2 e arctan122 1H coincidente com C2. Para que, em qual- Em termos gráficos, as soluções da equação h 1x2 = 2 no
quer posição do ponto H , exista trapézio fHIDGg , a intervalo g- 3p , 2pf são as abcissas dos pontos de inter-
não pode tomar os valores extremos considerados. Assim, seção do gráfico com a reta de equação y = 2 , nesse inter-
o domínio é g 0 , arctan 122 f . valo.
y
p p
tan a b + "5 sin a b 4
p 6 6 p
194.3 A a b = * a"5 cos a b - 1b = 2
6 2 6

"3 1 -3p - 5p -2p - 3p -p - p O p p 3p 2p x


+ "5 * 2 2 2 -2 2 2
3 2 "3
= * a"5 * - 1b = -4
2 2

=a
"3 "5
+ b * a "3 * 5 - 1b 196.1 Sejam h a altura do tra- y
6 4 2
pézio fABCDg e E o
C E B
3"5 "3 5"3 "5 11"3 ponto médio do segmento
= - + - = fBCg . A área do trapézio
12 6 8 4 24 3
fABCDg é dada por h
D a A
AD + BC
195.1 Para x ≥ 0 , x pode tomar qualquer valor real. Para A 1a2 = *h. O x
2
x < 0 , x apenas pode tomar os valores do domínio da
função tangente. Portanto, temos: Tem-se:
1 3 9
p • AD = OB + OB = * 3 =
Dh = e x å R : x 0 + kp , k å Z- f 2 2 2
2
h
• sin a = § h = 3 sin a
195.2 h 1x2 = 0 § 1tan x = 0 ‹ x < 02 › 1sin x = 0 ‹ x ≥ 02 § OB
BE
§ 1x = kp , k å Z ‹ x < 02 › 1x = kp , k å Z ‹ x ≥ 02 • cos a = § BE = 3 cos a
OB
§ x = kp , k å Z
• BC = 2BE = 6 cos a

Tem-se, portanto,
NY11LP © RAIZ EDITORA

9
+ 6 cos a
2 27
A 1a2 = * 3 sin a = 9 sin a cos a + sin a .
2 4

176

NY11LP_20151604_P161_176_4P.indd 176 4/13/16 3:05 PM


Resoluções

p p p 27 p Assim, tem-se:
196.2 A a b = 9 sin a b * cos a b + sin a b =
6 6 6 4 6 12 16 12 cos x + 16 sin x
c 1x2 = P1P2 = AP1 + AP2 = + =
sin x cos x sin x cos x
1 "3 27 1 9"3 27
=9* * + * = +
2 2 4 2 4 8 p
197.2 Sendo BP1 = BP2 , tem-se x = 1tan x = 12.
4
2
1 1 1 16 O comprimento da ponte é, portanto,
196.3 tan2 a + 1 = § a b +1= § cos2a =
cos2 a 4 cos2 a 17 p p "2 "2
12 cos + 16 sin 12 * + 16 *
p 4 4 2 2
16 4"17 c a b = = =
Com a å 1.° Q. , cos a = = 4 p p
sin x * cos "2 "2
Å 17 17 4 4 *
2 2
4"17 1 "17
sin a = tan a * cos a = * = =
14"2
= 28"2 ) 39,6 metros.
17 4 17
1
27 2
A 1a2 = 9 sin a cos a + sin a =
4
198.1 Tem-se:
"17 4"17 27 "17 36 27"17
=9* * + * = +
17 17 4 17 17 68 PM
tan x = § PM = 4tan x , FP = 4 - PM = 4 - 4 tan x
4
1
196.4 O trapézio fABCDg é retângulo se CE = DO = OB . e cos x =
4
§ PA =
4
2 cos x
1 PA
Nesta situação, tem-se BE = OB e, portanto, como F
2
BE 1
cos a = , tem-se cos a = .
OB 2
P 4 km
Obtenhamos agora o valor de sin a :
2
1 3
sin2a + cos2a = 1 § sin2a + a b = 1 § sin2 a = A
x M
B
2 4
8 km
3 "3
Como a å 1.° Q. , tem-se sin a = =
Å4 2 O comprimento total da canalização é dado por
4
27 "3 1 27 "3 FP + PA + PB = FP + 2AP = 4 - 4tan x + 2 *
A 1a2 = 9 sin a cos a + sin a = 9 * * + * = cos x
4 2 2 4 2
ou seja,
9"3 27"3 45"3 8 - 4 sin x
= + = g 1x2 = 4 - 4 *
sin x
+
8
=4+
4 8 8 cos x cos x cos x
Alternativamente, poder-se-ia ter seguido a resolução a
1 p 8 - 4 sin 0 8-4*0
partir do resultado cos a = , concluindo que a = e 198.2 g 102 = 4 + =4+ = 12
2 3 cos 0 1
p
calculando em consequência A a b . Quando x = 0 , o ponto P coincide com o ponto M , sendo,
3
portanto, o comprimento da canalização igual a 12 km .
197.1 De acordo com os dados representados na figura, tem-se
12 12 199. Antes da escrita da composição propriamente dita é neces-
sin x = § AP1 = e
AP1 sin x sário proceder à determinação de alguns pontos notáveis
do gráfico da função f .
16 16
cos x = § AP2 = . Comecemos por determinar a temperatura no início do dia:
AP2 cos x
p10 + 72 7p
P2 f 102 = 17 + 4 cos a b = 17 + 4 cos a b ) 16 8C
B 12 12

16 Determinemos os extremos da função. O contradomínio da


função cosseno é f- 1 , 1g . Assim, temos:
12 A
x p1t + 72 p1t + 72
- 1 ≤ cos a b ≤ 1 § - 4 ≤ 4 cos a b≤4 §
NY11LP © RAIZ EDITORA

P1 12 12
p1t + 72
§ 13 ≤ 17 + 4 cos a b ≤ 21 § 13 ≤ f 1t2 ≤ 21
12

NY11LP_F12
177

NY11LP_20151604_P177_195_4P.indd 177 4/13/16 3:11 PM


Resoluções

O mínimo absoluto é 13 e o máximo absoluto é 21 . Exemplo de composição:


Determinemos os valores de t para os quais a função De acordo com o modelo dado, nesse dia, a temperatura
atinge o máximo: do lago às 0 horas é de cerca de 16 8C . A temperatura
p 1t + 72 diminui entre as 0 e as 5 horas, atingindo neste instante
f 1t2 = 21 § 17 + 4 cos a b = 21
12 seu valor mínimo, 13 8C . Entre as 5 e as 17 horas a tem-
peratura aumenta, até atingir o seu valor máximo, 21 8C .
p 1t + 72 p 1t + 72
§ cos a b=1 § = 2kp , k å Z Entre as 17 e as 24 horas, a temperatura volta a diminuir,
12 12
sendo o seu valor às 24 horas de cerca de 16 8C .
§ t + 7 = 24k , k å Z § t = - 7 + 24k , k å Z Admitindo que tomar banho nesse lago só é agradável se
a temperatura da água não for inferior a 19 8C , as melho-
No intervalo f0 , 24g , f toma o valor máximo em
res horas para se tomar banho são as que ficam com-
t = - 7 + 24 = 17 .
preendidas entre as 13 e as 21 horas.
Determinemos, agora, os valores de t para os quais a
função atinge o mínimo: 200.1 Considerando um referencial ortonormado Oxy com ori-
p1t + 72 gem no ponto O , de forma que A pertença ao eixo Ox
f 1t2 = 13 § 17 + 4 cos a b = 13 §
12 e M ao eixo Oy , as coordenadas do ponto R são:

p1t + 72 p1t + 72 R 15 cos x , 5 sin x2


§ cos a b=-1 § = p + 2kp , k å Z
12 12
y
§ t + 7 = 12 + 24k , k å Z M
8
§ t = 5 + 24k , k å Z d (x)
R
No intervalo f0 , 24g , f toma o valor mínimo em t = 5 . B
Determinemos os intervalos de tempo para os quais
f 1t2 ≥ 19 . Comecemos por resolver f 1t2 = 19 . x
C A
p 1t + 72 O 5 x
f 1t2 = 19 § 17 + 4 cos a b = 19 §
12
p 1t + 72 1
§ cos a b=
12 2
p 1t + 72 p p 1t + 72 p
§ = + 2kp › = - + 2kp , k å Z
12 3 12 3 Nesse mesmo referencial, o ponto M tem coordenadas:
§ t + 7 = 4 + 24k › t + 7 = - 4 + 24k , k å Z M 10 , 82
§ t = - 3 + 24k › t = - 11 + 24k , k å Z
Assim, para cada posição da Rita, a distância da mãe à
No intervalo f0 , 24g , f toma o valor 19 em Rita é dada por
t = - 3 + 24 = 21 e em t = - 11 + 24 = 13 .
d 1x2 = "1- 5 cos x2 + 18 - 5 sin x2
2 2

Esboçando o gráfico, atendendo aos resultados até aqui


obtidos, podemos resolver f 1t2 ≥ 19 .
Simplificando a expressão, obtém-se:
f(°C)
d 1x2 = "25 cos2 x + 64 - 80 sin x + 25 sin2 x =
21
y = 19 = "25 1cos2 x + sin2 x2 + 64 - 80 sin x =

16 = "89 - 80 sin x como queríamos mostrar.


13 f
p p
200.2 d a b = 89 - 80 sin a b = "9 = 3 m
2 Å 2
O ponto R fica sobre fOMg , pelo que RM é a dife-
rença, em metros, entre 8 e 5 1sendo 5 o raio da circun-
ferência2.
NY11LP © RAIZ EDITORA

t(horas)
O 5 13 17 21 24

f 1t2 ≥ 19 § t å f13 , 21g

178

NY11LP_20151604_P177_195_4P.indd 178 4/13/16 3:11 PM


Resoluções

200.3 201.4 A função seno é periódica e o seu período positivo mínimo


Ao elevar ambos os membros da equação ao quadrado ob- é 2p . O gráfico da função f obtém-se do gráfico da fun-
temos uma equação equivalente, pois - 80 ≤ 80 sin x ≤ 80
e, portanto, 89 - 80 sin x > 0 . 1
ção seno através de uma contração horizontal de fator .
2
Assim, a função f é periódica e o seu período positivo
2p
d 1x2 = 7 § "89 - 80 sin x = 7 § mínimo é =p.
2
2
§ Q "89 - 80 sin x R = 72 § 89 - 80 sin x = 49 Com efeito, verifica-se:
f 1x + p2 = sin 12 1x + p22 = sin 12x + 2p2 = sin 12x2 = f 1x2 .
1 p 5p
§ sin x = § x = + 2kp › x = + 2kp , k å Z
2 6 6
202.1 f 1x2 = g 1x2 § sin x + 1 = cos2 x - sin2 x §
Atendendo a que o valor de x é não negativo, temos
§ sin2 x + sin x + 1 - cos2 x = 0
p 5p
x = + k2p › x = + k2p , k å N0 § sin2 x + sin x + sin2 x = 0 1 p
6 6 arcsin a- b = -
2 6
§ 2 sin2 x + sin x = 0
201.1 g tem período 6p , pois arcsin 102 = 0
A x å R , x + 6p å R ‹ g 1x + 6p2 = g 1x2 . § sin x 12 sin x + 12 = 0
1
§ sin x = 0 › 2 sin x + 1 = 0 § sin x = 0 › sin x = -
Com efeito, tem-se 2
x + 6p x x p p
g 1x + 6p2 = cos a b = cos a + 2pb = cos a b . § x = kp › x = - + 2kp › x = p - a- b + 2kp , k å Z
3 3 3 6 6
p p 7p
201.2 Dh = e x å R : 2px + a 0 + kp , k å Zf = § x = kp › x = - + 2kp › x = + 2kp , k å Z
2 6 6

a 1 k
= ex å R : x 0 -
+ + , k å Zf As soluções da equação no intervalo f0 , 2pg são: 0 , p ,
2p 4 2
7p 11p
, e 2p .
1 6 6
h tem período , pois
2 Os pontos de interseção dos gráficos das funções f e g
1 1 têm coordenadas:
A x å Dh , x + å Dh ‹ h ax + b = h 1x2 .
2 2 10 , f 1022 = 10 , 12 1p , f 1p22 = 1p , 12
Com efeito, tem-se:
7p 7p 7p 1 11p 11p 11p 1
• Sendo x å Dh , tem-se x 0 -
a 1 k
+ + , kåZ, a , f a bb = a , b a , fa bb = a , b
2p 4 2 6 6 6 2 6 6 6 2

tendo-se também considerando k = k' - 1 , 12p , f 12p22 = 12p , 12

a 1 k' - 1 a 1 k' 1 202.2 f 1x2 * g 1x2 = 0 § sin x + 1 = 0 › cos2 x - sin2 x = 0 §


x0 - + + § x0 - + + - §
2p 4 2 2p 4 2 2
§ sin x = - 1 › cos2 x - 11 - cos2 x2 = 0
1 a 1 k' 1
§ x+ 0 - + + , ou seja, x + å Dh .
2 2p 4 2 2 3p
§ x= + 2kp , k å Z › 2 cos2 x - 1 = 0
2
1 1
• h ax + b = tan a2p ax + b + ab = tan 12px + p + a2 = 3p 1
2 2 § x= + 2kp , k å Z › cos x = ¿
2 Å2
= tan 12px + a2 = h 1x2
3p "2 "2
§ x= + 2kp , k å Z › cos x = - › cos x =
2 2 2
1 1
201.3 h a- b = 0 § tan a2p * a- b + ab = 0 §
6 6 3p 3p p
§ x= + 2kp › x = ¿ + 2kp › x = ¿ +2kp , kåZ
2 4 4
p p
§ tan a- + ab = 0 § - + a = kp , k å Z 3p p p
3 3 § x= + 2kp › x = + k , k å Z
2 4 2
p
§ a = + kp , k å Z "2
3 As soluções da equação no arccos a- b = 3p
NY11LP © RAIZ EDITORA

intervalo f0 , 2pg são: 2 4


p 3p 5p 3p 7p
b=p
"2
, , , e . arccos a
4 4 4 2 4 2 4

179

NY11LP_20151604_P177_195_4P.indd 179 4/13/16 3:12 PM


Resoluções

202.3 0 f 1x2 - g 1x2 0 = 1 § 0 sin x + 1 - cos2 x + sin2 x 0 = 1 § Alternativamente


Aplicando a Lei dos cossenos, temos:
A equação sin x + 2 sin2 x = - 1 OP = OA + AP - 2 * OA * AP * cos q §
2 2 2
§ 0 sin x + 2 sin2 x 0 = 1
é impossível.
§ r 2 = r 2 + d2 - 2 * r * d cos q
§ sin x + 2 sin2 x = 1 › sin x + 2 sin2 x = - 1 § d2 = 2rd cos q § d = 2r cos q
d>0
§ sin x + 2 sin2 x = 1 § 2 sin2 x + sin x - 1 = 0
203.2 Seja o ponto E a projeção ortogonal do ponto P no eixo
- 1 ¿ "12 - 4 * 2 * 1- 12 Oy . Sendo BP = PC , a amplitude do ângulo BOP é 45°.
§ sin x =
2*2 Assim, temos:
-1¿3 1 OE "2
§ sin x = § sin x = - 1 › sin x = cos 458 = § OE = 2 cos 458 = 2 = "2
4 2 OP 2
3p p p
§x= + 2kp › x = + 2kp › x = p - + 2kp , k å Z sin 458 =
EP
§ EP = 2 sin 458 = 2
"2
= "2
2 6 6 2
OP
3p p 5p
§ x= + 2kp › x = + 2kp › x = + 2kp , k å Z y
2 6 6 A
p
As soluções da equação no intervalo f0 , 2pg são: ,
6 q
5p 3p Q C
e .
6 2 O x
Os pontos nas condições enunciadas são os pontos dos 45°
E P
p 5p 3p
gráficos de abcissas , e . B
6 6 2

1 1 y Aplicando o teorema de Pitágoras, para determinar d :


202.4 f 1x2 >
§ sin x + 1 > § 2 2
2 2 AP = EP + AE § d2 = Q "2 R + Q 2 + "2 R §
2 2 2
1
1
§ sin x > - § d2 = 2 + 4 + 4"2 + 2 § d2 = 8 + 4"2
2
Em f0 , 2pg , o conjunto § d = #8 + 4"2
solução da inequação é: -1 7p O 11p 1 x
Concluindo, d = #8 + 4"2 , cujo arredondamento às
6 6
1
7p 11p - centésimas é 3,70 .
c0 , c∂d , 2pd 2
6 6 1
-1 203.3 Se d = r , então d = 2d cos q , ou seja, cos q = .
p p 2
Como 0 < q < , tem-se q = .
2 3
203.1 Sendo o ponto D a projeção ortogonal da origem do refe-
rencial no segmento de reta fAPg , conforme se pode O triângulo fAOPg é equilátero, pelo que a sua altura é
observar na figura abaixo, temos: dada, em função de r , que é a medida do seu lado, por
"3
cos q =
AD
§ cos q =
AD
§ AD = r cos q r*r
r "3 2
AO r e, portanto, a sua área é dada por .
y 2 2
A Simplificando, a área do triângulo fAOPg é dada em fun-
"3 2
ção de r , por r .
q 4
D C
O x 203.4 No triângulo fABPg , retângulo em P , pois está inscrito
numa semicircunferência, podemos estabelecer que:
B AP d y
P cos q = = . A
AB 2r

Sendo o triângulo fAOPg isósceles 1AO = OP = r2, temos Com r = 1 , d = "3 q


AD = DP , pois fODg é a altura desse triângulo referente p
e 0 < q < , temos:
C
ao lado fAPg . Portanto: 2 O x
NY11LP © RAIZ EDITORA

d = AP = 2 * AD = 2r cos q , como queríamos provar.


"3 p
cos q = § q= .
2 6 P
B
p p
O comprimento do arco BP é q * r = * 1 = .
6 6

180

NY11LP_20151604_P177_195_4P.indd 180 4/13/16 3:12 PM


Resoluções

203.5 TESTE - PÁG. 118


a. Relativamente ao triângulo fAQOg , podemos escrever:
p p
OQ OQ 1. A 1x2 = sin a + xb + cos 1p + x2 + cos a - xb =
tan q = = , 2 2
AO r
= cos x - cos x + sin x = sin x
o que nos permite obter a base do triângulo fOQPg :
OQ = r tan q .
y
Sendo o ponto E a projeção ortogonal do ponto P no eixo 1
Oy , conforme se pode observar na figura seguinte, temos: p+ x
2
• EOW P = 2q 1ângulo ao centro x
y -1 O 1x
correspondente ao ângulo A
inscrito OAP2
-1
OE OE q
• cos 12q2 = =,
r Q C p
OP sin a + xb = cos x
p O x 2
válida para 0 < q < ,
4
E y y
o que nos permite obter P 1 1 p- x
a altura do triângulo fOQPg : B 2
OE = r cos 12q2 . x+p x
x
p p -1 O 1x -1 O 1x
Nos casos em que < q < , temos: OE = - d cos 12q2 ,
4 2
W P = p - 2q e cos 1p - 2q2 = - cos 12q2 . -1 -1
pois EO
p
y cos 1p + x2 = - cos x cos a - xb = sin x
2
A

q Opção correta: A
E P
Q
O C x 2. a + b + g = p § a = p - 1b + g2

B b
a g
p
Assim, para 0 < q < , a altura do triângulo fOQPg é dada
2
cos a = cos 1p - 1b + g22 = - cos 1b + g2
por: OE = r 0 cos 12q2 0 .

p sin a = sin 1p - 1b + g22 = sin 1b + g2


1O caso q = , em que a área do triângulo é nula, dado que
4
não existe triângulo, também está contemplado nesta expres-
y y
são, pois a altura dada pela expressão é nula.2 1 1

Portanto, a área do triângulo fOQPg é dada por: p-x p-x


x x
OQ * OE r tan q * r 0 cos 12q2 0 1 2 -1 O 1 x -1 O 1x
A 1q2 = = = r tan q 0 cos 12q2 0
2 2 2

1 2 -1 -1
b. A 1q2 = 0 § r tan q 0 cos 12q2 0 = 0 §
2
cos 1p - x2 = - cos x sin 1p - x2 = sin x
§ tan q = 0 › cos 12q2 = 0

p Opção correta: B
Para 0 < q < , tan q = 0 não tem soluções e cos 12q2 = 0
2
p
tem como solução q = .
NY11LP © RAIZ EDITORA

4
Trata-se da situação em que os pontos P e Q coincidem
com o ponto C , pelo que deixa de existir o triângulo fOQPg .

181

NY11LP_20151604_P177_195_4P.indd 181 4/13/16 3:12 PM


Resoluções

p
3. tan a
17p
b = tan a
17p 5p
- 2pb = tan a b 7.1 AB = 2 ; ACWB =
6 6 6 2
C
Em f0 , 2pg , os ângulos cuja y
1 x=1
17p
tangente é igual a tan a b
6 5p
5p 6 x
têm amplitudes: e A B
6 -1 O 1x
5p 11p 11p
+p= BC BC
6 6 6 sin x = § sin x = § BC = 2 sin x
2
-1 AB
Opção correta: C
AC AC
cos x = § cos x = § AC = 2 cos x
AB 2
3 3 p
4. Seja a = arctana b , então tan a = e a å d 0 , c . AC * BC 2 cos x * 2 sin x
4 4 2 A 1x2 = = = 2 cos x sin x
2 2
1 25 1
1 + tan2 a = § = §
cos2 a 16 cos2 a 7.2 Como o ponto C pertence à semicircunferência e nunca
p
coincide com A nem com B , 0 < x < . Assim,
2
3 1 16
§ 1 + a b = § cos2a = 2
4 cos2 a 25
p
DA = d 0 , c .
16 4 2
§ cos a = § cos a =
Å 25 5
3 4 3 p
sin a = tan a * cos a = * = 8. sin 1p + x2 - cos a - xb = 1 § - sin x - sin x = 1 §
4 5 5 2
1
3 3 § - 2 sin x = 1 § sin x = -
Assim, sin aarctan a bb = 2
4 5
Opção correta: D y y
1 p- x 1
1
5. 1 - 2 cos x < 0 § cos x > 2
2
x x+p
Observemos na circunferência y x
1 -1 O 1x -1 O 1x
trigonométrica o conjunto
solução desta inequação
p -1 -1
1no intervalo f0 , 2pg 2. 3
Trata-se do conjunto das -1 O 5p 1 1x p
amplitudes dos ângulos cujo 6 2 cos a - xb = sin x sin 1x + p2 = - sin x
2
lado extremidade interseta a
circunferência trigonométrica -1
no arco marcado a azul na figura. 1 7p p
sin x = - § x= + 2kp › x = - + 2kp , k å Z
2 6 6
p 5p
Temos, portando, S = e x å R : 0 ≤ x < › < x ≤ 2p f .
3 3 y
Opção correta: A 1

p p
6. g 1x2 = 1 + 2 sin a x - b 7p
3 6
6
O período positivo mínimo da função definida por f 1x2 = sin x p
-1 O - 1x
6
2p 1
é 2p . Logo, o período positivo mínimo de g é = 6 1tendo -
p 2
3 -1
p
em conta que o fator provoca uma contração horizontal de
3
1 p 1
coeficiente no gráfico de g face ao gráfico de f .2 Em d - , 2p c , a equação sin x = - tem o seguinte con-
p
NY11LP © RAIZ EDITORA

6 2
3
7p 11p
Opção correta: C junto solução: S = e , f
6 6

182

NY11LP_20151604_P177_195_4P.indd 182 4/13/16 3:12 PM


Resoluções

p p 1t + 132
9.1 Dg = e x å R : 2x 0 + kp , k å Zf = 10.3 T 1t2 = 15 § 18 + 3 sin a b = 15 §
2 12
p p p 1t + 132 p 1t + 132 3p
= ex å R : x 0 + k , k å Zf § sin a b=-1 § = + 2kp , k å Z
4 2 12 12 2
§ p 1t + 132 = 18p + 24kp , k å Z
p p p
9.2 g a b = "6 + "2tan a2 * b = "6 + "2tan a b =
6 6 3 § t + 13 = 18 + 24k , k å Z § t = 5 + 24k , k å Z
= "6 + "2 * "3 = 2"6
No intervalo f0 , 24g , a solução de T 1t2 = 15 é 5 .
p p p
g a- b = "6 + "2tan a2 * a- bb = "6 + "2tan a- b = A água do lago esteve à temperatura mínima às 5 horas.
6 6 3
= "6 + "2 * 1- "3 R = "6 - "6 = 0

p p p p
Como g a- b 0 g a b e g a- b 0 - g a b , a função g não
6 6 6 6
é par nem ímpar.
"6
9.3 g 1x2 = 0 § "6 + "2 tan 12x2 = 0 § tan 12x2 = - §
"2
p
§ tan 12x2 = - "3 § 2x = - + kp , k å Z
3
p p
§ x = - +k , kåZ
6 2

9.4 g 1x2 = "24 § "6 + "2tan 12x2 = "24 §

"24 - "6 2"6 - "6


§ tan 12x2 = § tan 12x2 =
"2 "2
p
§ tan 12x2 = "3 § 2x = + kp , k å Z §
3
p p
§ x= +k , kåZ
6 2

14p 7p p
10.1 T 112 = 18 + 3 sin a b = 18 + 3 sin a b = 18 + 3 sin ap + b =
12 6 6
p 1
= 18 - 3 sin = 18 - 3 * = 16,5 8C
6 2

10.2 Sabemos que o contradomínio da função seno é f- 1 , 1g .

Determinemos o contradomínio de T :
p 1t + 132 p 1t + 132
- 1 ≤ sin a b ≤ 1 § - 3 ≤ 3 sin a b≤3 §
12 12
p 1t + 132
§ 15 ≤ 18 + 3 sin a b ≤ 21
12
A temperatura máxima da água do lago foi 21 8C e a tempe-
ratura mínima foi 15 8C .
NY11LP © RAIZ EDITORA

183

NY11LP_20151604_P177_195_4P.indd 183 4/13/16 3:12 PM