You are on page 1of 17

CURSO – PROGRAMA ESPECIAL DE FORMAÇÃO

PEDAGÓGICA – LICENCIATURA EM--------------------

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

SÃO PAULO

2014
2

Sumário

1. MANUAL DO ESTAGIÁRIO......................................................................................3

1.1JUSTIFICATIVA................................................................................................................................4
2 – NORMAS GERAIS..................................................................................................4

3. OBJETIVOS:.............................................................................................................6

3.1. Gerais......................................................................................................................................6
3.2. Específicos...................................................................................................................................6
4 – LOCAIS DE REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO..............................................................7

5 – DEVERES DO ESTAGIÁRIO..................................................................................7

6 – COMPETÊNCIAS E DEVERES DOS DOCENTES ORIENTADORES DE

ESTÁGIO.......................................................................................................................8

7 - AVALIAÇÃO..............................................................................................................8

8 – ATIVIDADES DE ESTÁGIO....................................................................................8

I - Atividades de Observação.............................................................................................................9
II. Participação....................................................................................................................................9
III. Regência......................................................................................................................................10
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICA..............................................................................10
3

1. MANUAL DO ESTAGIÁRIO:

Este manual tem o propósito de regulamentar e nortear a realização do


estágio do Curso – Programa Especial de Formação Pedagógica.
As atividades realizadas pelo estagiário não devem ser passivas, por se
tratar de momentos de aprendizagem através de observação. Tratando-se de alunos
do programa especial de formação pedagógica, é de suma importância que ao
finalizarem o seu trabalho haja uma reflexão entre o observado e os conhecimentos
teóricos adquiridos no transcorrer do curso. Esta junção de informações práticas e
teóricas tem o objetivo de promover uma reorganização dos conhecimentos do
estagiário, possibilitando o surgimento de novas propostas na busca incessante de
um ensino de melhor qualidade.
O estágio significa aprendizagem, ou seja, estudos práticos para
aprendizagem e experiência em determinado assunto ou profissão – aprimoramento
do desenvolvimento profissional. Assim, o Estágio Curricular Supervisionado
consiste em trabalho obrigatório de campo, no qual as atividades práticas são
exercidas de forma orientada, sinalizando o seguinte aspecto: “Ser interpretado
como um ponto convergente entre a teoria e a prática, percebendo-o como um elo
facilitador no ajustamento natural do aluno, no sentido de melhor receber adequação
e entendimento do mercado de trabalho no qual irá atuar”.
Pimenta (2010, p.71) acrescenta que “as diferentes disciplinas deverão
fornecer subsídios para a compreensão dos determinantes dessa prática, pois a sala
de aula possui uma dinâmica essencialmente articulada às determinações sociais
mais amplas”.
4

1.1JUSTIFICATIVA

A implementação do estágio supervisionado justifica-se pelo que


estabelece a Lei 9394/96, artigo 61:

“A formação de profissionais da educação, de modo a atender aos objetivos dos


diferentes níveis e modalidades de ensino e as características de cada fase do
desenvolvimento do educando, terá como fundamento:
I – A associação entre teorias e práticas, inclusive mediante a capacitação em
serviço;
II – Aproveitamento da formação e experiências anteriores em instituições de
ensino e de outras atividades. ”
Além da obrigatoriedade da realização do estágio, este é um dos
momentos de renovar os vínculos entre a universidade e a sociedade e, através da
associação entre teoria e prática, ocorre o desenvolvimento da atividade acadêmica
de qualidade.
Também há que se considerar que a Resolução CNE/CEB nº 02/97
estabelece que a duração do curso – Programa Especial de Formação Pedagógica
deve ser de no mínimo 540 horas, sendo 300 horas de estágio supervisionado.

2 – NORMAS GERAIS

O estágio curricular supervisionado de 300 horas será efetivado da seguinte forma:

2.1 – 300 Horas de estágio:

A. Observação /Regência/Participação no Ensino Fundamental II (na disciplina


da licenciatura pretendida): 120 horas
5

B. Observação / Regência /Participação no Ensino Médio (na disciplina da


licenciatura pretendida): 120 horas
C. Elaboração de relatório final: 30 horas
D. Atividades Complementares: 30 Horas destinadas à participação de
eventos como: seminários, encontros científicos, palestras, simpósios e
congressos. Os comprovantes de participação nestes eventos deverão ser
anexados junto à pasta de estágio.

Obs.:

a) Na impossibilidade de cumprimento do item (D), o aluno estagiário deverá


cumprir as 30 horas nos itens A e/ou B.
b) A sugestão é que o estágio seja realizado nos três tipos de atividade
(observação, regência e participação), entretanto, é obrigatória a atividade de
observação, sendo facultativas as demais atividades.
c) Com base na Resolução CNE/CP 2/02, alunos que já lecionam ou lecionaram
como professores contratados em instituições de ensino público ou privado,
regularmente oficializadas, e que ministram ou ministraram aula no mesmo
nível de educação de sua habilitação, poderão ter a carga horária total de
estágio a ser cumprida reduzida em até cinquenta por cento (50%) conforme
dispensa formalizada pelo professor de estágio.

Neste caso, o aluno estagiário será dispensado de acordo os seguintes


critérios e apresentação de documento comprobatório:
 Redução em 25% para aqueles que lecionaram abaixo de 12 meses
(225 h distribuídas da seguinte forma (A = 85 h, B = 80 h, C= 30 h e D = 30 h)
 Redução em 50% para aqueles que lecionaram acima de 12 meses.
(150 h distribuídas da seguinte forma: A = 45 h, B= 40h, C= 30 h e D= 30 h)
6

3. OBJETIVOS:

3.1. Gerais:

Adquirir habilidades e competências para atuar no contexto da educação com


atitude científica – pautada na observação cuidadosa da realidade, na análise
sistemática de dados, na avaliação criteriosa de variáveis – para, a partir daí,
planejar e desenvolver intervenções pertinentes na direção de uma formação
profissional eficaz, eficiente, democrática e participativa em educação e do
conhecimento, sempre pautadas em posturas éticas e comprometidas com o
desenvolvimento da cidadania como direito de todos.

3.2. Específicos:

Os Estágios Supervisionados do curso – Programa Especial de formação


Pedagógica têm como propósito articular teoria e prática, configurando-se num
mecanismo de dinamização, atualização e aperfeiçoamento do curso, sendo suas
finalidades:
I. Garantir a compreensão teórica das condições concretas e históricas em que
se realiza a ação prática;
II. Instrumentalizar o acadêmico no sentido de sua qualificação para a inserção
no mundo do trabalho;
III. Ampliar e aprofundar a compreensão daquilo que os educadores devem
perseguir para a consecução de sua finalidade histórica e de sua
especificidade.
7

IV. Possibilitar ao aluno/estagiário a reflexão sobre o cotidiano escolar,


analisando os pressupostos teóricos estudados e sua prática, assumindo uma
postura crítica aliada à competência técnica e compromisso político do seu
papel na sociedade;
V. Propiciar vivências para a aquisição de habilidades na operacionalização de
saberes teórico-metodológicos, na elaboração, organização e avaliação de
projetos pedagógicos alternativos e interdisciplinares.

4 – LOCAIS DE REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO

I. Escolas públicas estaduais e/ou municipais,


II. Escolas privadas;
III. Instituições que desenvolvam atividades com cunho educativo: ONGs,
empresas, etc.;
IV. Qualquer que seja a instituição escolhida para o estágio, a mesma deverá ser
legalizada e/ou autorizada.

5 – DEVERES DO ESTAGIÁRIO

I – Preencher a ficha de identificação;


II - Manter atualizado o registro de freqüência;
III – planejar sob a orientação do docente orientador, o projeto de estágio;
IV- Elaborar relatório parcial de atividades;
V – Realizar auto avaliação crítica;
VI – Observar os princípios da ética profissional mantendo absoluto sigilo sobre os
problemas que, eventualmente, venha a conhecer;
VII – ao término de cada fase do estágio, deverá comunicar ao docente orientador e
entregar a ficha de freqüência;
VIII – o docente orientador e o coordenador do curso se reservam aos direitos de
comparecer, sem aviso prévio, ao local de realização dos estágios.

De acordo com a legislação vigente e com a proposta do Curso, o Estágio Curricular


Supervisionado é componente curricular obrigatório e será realizado, ao longo
8

do curso, de modo a assegurar aos estagiários, experiência de exercício


profissional, em ambientes escolares e não escolares que ampliem e
fortaleçam atitudes éticas, conhecimentos e competências.

6 – COMPETÊNCIAS E DEVERES DOS DOCENTES ORIENTADORES


DE ESTÁGIO

I. Sugerir os locais de estágio;


II. Encaminhar o estagiário, através de ofício, ao local de estágio;
III. Acompanhar o aluno, se possível, à instituição;
IV. Manter contato com a instituição;
V. Acompanhar o processo de estágio e fazer a leitura dos relatórios.

7 - AVALIAÇÃO

Será contínua e ao relatório final será atribuída nota de 0,0 (zero) a 10,0
(dez).
Será considerado aprovado nas disciplinas de estágio curricular
supervisionado o estudante que obtiver média aritmética igual ou superior a 7,0 (sete)
e alcançar o mínimo de frequência igual a 75% das aulas constantes na carga horária
curricular e 100% de frequência nas atividades práticas do estágio.

8 – ATIVIDADES DE ESTÁGIO

As atividades de estágio supervisionado deverão ser realizadas, prioritariamente, em


espaço escolar, mais especificamente em sala de aula ou em contextos que
caracterizem a relação sistemática de ensino e aprendizagem. Em tais contextos, o
aluno-estagiário deve realizar observações, participações ou regências, sempre com
a orientação do professor da disciplina.
9

I - Atividades de Observação

O momento da observação se caracteriza pelo acompanhamento da ação do


professor no contexto da sala de aula, de laboratórios e dos demais espaços
adequados para o processo ensino-aprendizagem, e que permitam ao estagiário um
espaço de reflexão sobre a realidade vivenciada. A prática desenvolvida pelo
professor deve ser observada quanto a aspectos relevantes como: conceitos,
procedimentos, postura didática, material utilizado, dinâmicas etc.
Pontos a serem considerados:

 Leitura da escola e da sala de aula: destacando objetivos, clareza, coerência,


adequação.
 Professor: postura, conhecimento e domínio do conteúdo, metodologia
adotada etc.
 Aluno: interesse, participação, relacionamento, desempenho, comportamento
etc.
 Relacionamento: em relação ao professor com os alunos, dos alunos com o
professor e dos alunos entre si.
 Procedimento metodológico do professor: adequação, coerência,
diversificação, linha pedagógica adotada.
 Avaliação do desempenho do aluno: quanto à forma e sistematização.
 Outros

II. Participação

O momento da participação deve possibilitar ao estagiário a oportunidade de


colaborar com o professor e a escola em atividades de ensino de modo geral.
Consideramos necessário que os futuros professores auxiliem e executem
atividades desenvolvidas em sala de aula e outros espaços, preparando-se para
assumir a direção de um grupo.
10

Recomendamos, no entanto, que essa participação seja proposta pelo professor


responsável pela sala ou executada de acordo com a rotina escolar estabelecida.
Quando solicitado o estagiário poderá: preparar o material didático para uma
atividade específica, dar assistência à aprendizagem, corrigir exercícios e provas,
elaborar programação de atividades, dirigir atividades no horário de intervalo escolar,
sempre seguindo as orientações do professor responsável pela sala.

III. Regência

O momento da regência deve proporcionar ao estagiário a oportunidade de ministrar


aulas ou desenvolver atividades diretamente relacionadas ao processo ensino-
aprendizagem, sob a orientação do professor responsável pela sala.

Sugestões de Atividades de Docência:

 Planejar e desenvolver projetos interdisciplinares de atividades educacionais,


sobre temas sugeridos pelo contexto da escola, de sala de aula, por alunos
ou pelo docente da classe;
 Projetos de produção de materiais didáticos ou instrucionais como: jogos,
atividades, textos, cartazes, álbuns seriados etc.;
 Aulas de reforço de recuperação de alunos;
 Planejar e ministrar aulas solicitadas ou sugeridas pelo professor da classe e
com acompanhamento deste;
 Outras atividades planejadas e desenvolvidas pelo aluno estagiário em que
haja participação de alunos da escola estagiada.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICA

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. LDB n.º 9.394/96.


PIMENTA, S.G. e LIMA, M.S.L. Estagio e docência. Ed Cortez. São Paulo. 2010.
PICONEZ, STELA C. BERTHOLO. Prática de ensino e o Estagio Supervisionado.
Ed.
11
12

PROGRAMA ESPECIAL DE FORMAÇÃO DE PEDAGÓGICA


LICENCIATURA EM -------------------------------------------------------------

(NOME DO ALUNO)

Relatório de estágio

SÃO PAULO
2014
13

Relatório de Estágio

Relatório de estágio apresentado, como


requisito parcial para a conclusão do
Curso - Programa Especial de Formação
Pedagógica - licenciatura
em-----------------------------------

SÃO PAULO
2014
14

FOLHA DE APROVAÇÃO
NOME SOBRENOME SEM ABREVIAR

Aprovado em ____/____/_________ Nota: ______

_____________________________________________
Professor (a) Coordenador (a) de Estágio
(A ser preenchido pela faculdade)
15

1- Introdução

Descrever, brevemente, sobre a legalidade e a necessidade da realização


estágio supervisionado (descrito neste manual).

1.1 Objetivos

Descrever os objetivos a serem atingidos com estágio, que são os mesmos


descritos, anteriormente, neste manual.

1.2- Unidades educacionais nas quais o estágio foi realizado

Nome, endereço e também a Diretoria de Ensino.


16

2. Identificação da Escola e seu Contexto

2.1- Descrever de modo criterioso todo o contexto escolar: infraestrutura; turnos e


horário de funcionamento; condições materiais que viabilizam (ou impedem) o
ensino-aprendizado; professores; funcionários; alunos; dirigentes da escola; projeto
político pedagógico e os demais projetos desenvolvidos pela escola.

3. Relato das atividades vivenciadas (observação/regência/participação)


Texto acadêmico que represente as realidades de estágio vivenciadas ao longo do
período de execução dos mesmos, devendo relatar, dialogar e discutir, ou seja,
como se deu o desenvolvimento dos estágios, refletindo sobre as participações,
observações, regências e ações propriamente ditas no Ensino Fundamental II e no
Ensino Médio.

4. Considerações Finais:
Considerando as análises feitas no transcorrer do estágio; tecer comentários sobre
sua experiência.

5. Referências Bibliográficas
17

ANEXOS

Deverão ser anexadas todas as fichas constantes deste manual