You are on page 1of 2

CLASSIFICAÇÃO

1. Quanto à origem
Outorgada: imposta, de maneira unilateral, pelo agente revolucionário;
relaciona-se ao nomen iuris “carta”.
Promulgada: fruto de trabalho de Assembleia Nacional Constituinte, eleita pelo
povo para, em seu nome, atuar. Relaciona-se ao nomen iuris “constituição”.
Cesarista: participação popular limita-se a ratificar a vontade do detentor do
poder (imperador/ditador)

2. Quanto à forma
Escrita (instrumental): formada por um conjunto de regra sistematizadas e
organizadas em um único documento. Conquanto a CF/88 seja classificada com
escrita, há textos extra constitucionais com natureza de constituição, v.g.,
tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos (art. 5º, §3º).
Costumeira: formada por textos esparsos; baseia-se nos usos, costumes,
jurisprudência, convenções, etc.

3. Quanto à extensão
Sintéticas: enxutas; resultam em maior estabilidade do texto constitucional,
ante à possibilidade de flexibilizar-se a interpretação conforme surgem
situações novas e imprevistas do desenvolvimento institucional do povo.
Analíticas: descem a minúcias.

4. Quanto ao conteúdo
Material: constituição seria qualquer texto que contiver as normas
fundamentais e estruturais do Estado, a organização de seus órgãos, os direitos
e garantias fundamentais.
Formal: constituição que elege como critério o processo de sua formação, não
o conteúdo das normas.
OBS: o art. 5º, §3º insere no direito brasileiro espécie de conceito misto, já que
condiciona a equiparação dos tratados e convenções internacionais a emendas
constitucionais ao fato de i) versarem sobre direitos humanos (aspecto
material); ii) serem aprovados, em cada Casa do CN, em dois turnos, por três
quintos dos votos dos respectivos membros.

5. Quanto ao modo de elaboração


Dogmáticas: sempre escritas, são elaboradas “de um só jato”,
consubstanciando dogmas estruturais e fundamentais do Estado.
Históricas: via de regra costumeiras, constituem-se através de lento e contínuo
processo de formação reunindo a história e as tradições de um povo.
6. Quanto à alterabilidade
Rígidas: exigências mais rigorosas para alteração da CF em relação às normas
infraconstitucionais (art. 60, §2º);
Flexíveis: processo de alteração constitucional obedece às mesmas regras
daquele para proceder a alterações infraconstitucionais. Como corolário lógico,
tem-se que não existe hierarquia formal entre CF e lei: uma lei
infraconstitucional posterior altera o texto constitucional se assim
expressamente o declarar, quando for com ele incompatível, ou quando regular
inteiramente a matéria de que tratava a CF.
Semirrígidas: partes rígidas e partes flexíveis.

7. Quanto à sistemática
Codificadas/reduzida/unitária: sistematizada em um único texto.
Legais: composta por textos esparsos.

8. Quanto à dogmática
Ortodoxa: uma só ideologia;
Eclética: ideologias conciliatórias.

9. Quanto à correspondência com a realidade


Normativa: agentes do poder subordinam-se às determinações constitucionais
de conteúdo e de controle procedimental;
Nominalista: conquanto a constituição contenha disposições de limitação e
controle de dominação política, não há sujeição dos agentes do poder às
determinações, acarretando a neutralização da ressonância prática;
Semânticas: servem como mero instrumento de autolegitimação dos donos do
poder.

10. Quanto à origem


Autônomas: elaboradas e decretadas pelo próprio Estado que irão reger.
Heterônomas: elaboradas por Estado diverso.

CF/88: promulgada, escrita/instrumental, analítica, formal, dogmática, rígida,


reduzida, eclética, pretende ser normativa e autônoma.

Promulgada----------------Origem
Analítica----------------Extensão
Rígida----------------Alterabilidade
Escrita----------------Forma
Dogmática----------------Modo de elaboração
Eclética-----------------Dogma
Formal----------Conteúdo
P.A.R.E.D.E FORMAL = Ontem Eu Aluguei Fitas Muito Do Caralho