You are on page 1of 39

Considerações Iniciais - 2

Introdução - 3
Primeiro Fundamento -5
O violão
Posicionamento
Postura do corpo

Segundo Fundamento - 8
Mão direita
Nomenclatura dos dedos
Colocação e posicionamento

Terceiro Fundamento - 12
Mão esquerda
Nomenclatura dos dedos
Colocação e posicionamento

Quarto Fundamento - 14
Sincronismo entre as duas mãos

Quinto Fundamento - 20
Notas musicais
Escalas

Sexto Fundamento - 27
Acordes
Sistema de cifragem
Primeiros acordes

Sétimo Fundamento - 33
Tempos, compassos e ritmos
Levadas e Batidas

Oitavo Fundamento - 37
Melodia

1
Considerações Iniciais

Esta apostila foi desenvolvida com o objetivo de ser um material


de apoio para o curso de iniciação ao violão que venho oferecendo nos
últimos anos. A exposição do conteúdo está dividida e organizada em
oito fundamentos que tratam de alguns assuntos práticos
imprescindíveis para o desenvolvimento da técnica básica de violão.
Seguindo os exercícios o estudante poderá avançar gradualmente de
forma coerente.
O objetivo, não é oferecer um suporte para o estudo
profissionalizante de violão e nem aprofundar os conteúdos, mas sim
estabelecer um alicerce técnico que permitirá ao estudante após
completar essa etapa, dar continuidade e aprofundar a prática de
maneira preparada, seja ela direcionada ao violão popular ou clássico

2
Introdução

O aprendizado de um instrumento musical deve acontecer de


forma gradual, unindo prática e conteúdo teórico. Tempo, paciência e
continuidade prática, são essenciais para alcançar o aprendizado.
O que mais vemos nos dias de hoje, principalmente na internet,
são métodos de autoaprendizagem, que prometem milagres,
geralmente com o slogan: “Domine Violão em 30 dias”.
Nosso mundo está acelerado e o acesso a informações está cada
vez mais fácil e por isso é importante ressaltar que todo aprendizado
sem orientação possui sérios riscos, como o de aprender de forma
errada, adquirir vícios que irão prejudicar o futuro e principalmente pular
etapas importantes.
Promessas de resultados incrivelmente rápidos devem ser
olhados com desconfiança, pois como praticamente tudo na vida,
aprender a tocar um instrumento musical não acontece de forma mágica
e são inúmeros os fatores que podem contribuir ou atrapalhar o
aprendizado.
Com um bom método e com uma boa orientação, o resultado
dependerá principalmente do aluno, de acordo com a sua
disponibilidade, tempo, facilidade, constância, persistência e
perseverança. É preciso tomar consciência que todo aprendizado prático
não depende somente de absorver a informação, mas também de
treino. Sendo assim quanto mais praticar melhor.

3
Música

Antes de iniciar o estudo de qualquer instrumento, é necessário


conhecer e compreender pelo menos um pouco sobre música. No
decorrer deste curso usaremos alguns termos técnicos e aprenderemos
seus significados agora:

Afinal, o que é música? Como podemos defini-la?

A música é sem dúvida uma arte, mas não deixa também de ser
uma ciência exata onde física e matemática estão bastantes presentes.
A música é a arte dos sons combinados, regida por várias regras
determinadas pela física e “enquadrada” dentro da estética, fruto de
séculos de transformações. Nos dias de hoje, a música é vista
simplesmente como um produto de entretenimento, mas à medida que
nos envolvemos percebemos que a atividade musical ultrapassa essa
interpretação.

Principais Elementos Musicais

• Melodia: Podemos dizer que melodia é a coluna vertebral de


uma composição musical. É uma sucessão de sons (notas) e
silêncios com alturas (grave e agudo) formando uma identidade
sonora.

• Harmonia: São notas adjacentes que apoiam as melodias e


climatizam uma composição.

• Ritmo: É o movimento do som relacionado à sua duração e


variação.

4
Primeiro Fundamento
O instrumento, suas características, seu funcionamento e sua colocação no
corpo

Violão

Veremos aqui as partes do violão consideradas mais


importantes para quem está iniciando o estudo do instrumento:

1- Tarraxas
2- Cabeça
3- Pestana
4- Traste
5- Casa
6- Tampo
7- Cordas
8- Cavalete
9- Rastilho
10- Lateral
11- Boca
12- Braço

5
O Funcionamento do Violão

Para compreendermos o funcionamento do violão, precisamos


partir do princípio que ele é um instrumento de cordas. Estas cordas são
esticadas de um ponto ao outro e o som é emitido pela vibração das
mesmas e amplificado pela caixa acústica que é construída de madeira.
Cada uma das seis cordas deverá emitir o som de uma nota
(veremos à frente as notas de cada corda solta). O braço do violão é
dividido por várias barras metálicas chamadas trastes, e o espaço entre
um traste e outro denominamos casas.
Quando pressionamos uma corda em uma determinada casa,
apoiando-a em um traste e dedilhamos essa mesma corda,
consequentemente diminuímos e extensão da mesma, aumentando sua
tensão e acelerando seu ritmo de vibração, fazendo assim com que o
som de uma outra nota seja produzido.

6
Posicionamento do Instrumento no Corpo

3
1

Apoio Sobre a Perna Direita

O apoio do instrumento no corpo é de fundamental importância para o


desenvolvimento correto do aprendizado. Observe alguns pontos
fundamentais:

1- Ao colocar o instrumento sobre a perna direita é muito


importante que ela esteja um pouco elevada, pode ser pelo ato
de cruzar as pernas ou por estar apoiada em um apoio,
preferencialmente um “pezinho” próprio.
2- O Braço direito deve recair naturalmente de forma que a
articulação interna do cotovelo se encaixe na lateral superior do
corpo do instrumento.
3- O violão deve ficar um pouco na diagonal. Não deve ficar
totalmente contra o corpo, pois deverá liberar um espaço para
a articulação do braço esquerdo.

7
Segundo Fundamento:
Mão direita

Mão Direita

A mão direita é utilizada para tocar as cordas e produzir os sons.


Existem inúmeras maneiras e diferentes técnicas para se fazer isso.
Usaremos neste curso, dois termos para nos referirmos aos objetivos e
funções da mão direita: Dedilhados e Batidas, (falaremos sobre isso mais
a diante).

Nomenclatura dos Dedos

Conforme demonstra a figura ao lado,


para indicarmos os dedos da mão
esquerda utilizamos as letras inicias dos
mesmos:

P Polegar
I Indicador
M Médio
A Anelar

8
Colocação e posicionamento da Mão Direita

A mão direita é responsável por tocar as cordas e emitir o som.


Sua postura correta é essencial para alcançar estabilidade nos
movimentos dos dedos. Observe as fotografias abaixo e siga as
recomendações passo-a-passo:

1- Repouse o polegar sobre a corda mais grossa.


2- A parte da palma da mão direita próxima ao polegar, não deve
encostar nas cordas.
3- Evite dobrar o pulso (no caso de dúvida consulte o professor).
4- Arcando os dedos com um leve formato de “pinça” repouse
simultaneamente os dedos indicador, médio e anular nas três
cordas inferiores.

9
Tablatura

Tablatura é uma forma simplificada para representarmos


graficamente uma execução musical.

Exercícios

Dedilhados para a mão direita “Arpejos” (Cordas Soltas)

a)

b)

c)

d)

10
e)

f)

g)

h)

11
Terceiro Fundamento:
Mão esquerda

Mão Esquerda

A postura das mãos neste início tem fundamental importância no


desempenho da evolução no instrumento. Se observada com seriedade
ela trará grandes benefícios futuros quando o nível de dificuldade for se
elevando. A mão esquerda é responsável por pressionar as cordas no
braço do violão para obtermos as notas musicais.

Nomenclatura dos Dedos

Conforme demonstra a figura ao lado, para


indicarmos os dedos da mão esquerda
utilizamos números, com exceção do
polegar:

P Polegar
1 Indicador
2 Médio
3 Anelar
4 Mínimo

12
Colocação e Posicionamento da Mão Esquerda

1- Repouse sequencialmente os quatro dedos da mão esquerda


sobre as primeiras casas do braço do instrumento. A utilização
do punho deve ser observada para obter a postura correta.

2- Curve os quatro dedos e com a ponta de cada dedo pressione a


terceira corda de baixo para cima nas quatro primeiras casas.
Cada dedo deve ser colocado o mais próximo possível do traste à
frente e não deve encostar em mais nenhuma corda.
3- Visão superior da figura (2).

4- O polegar é o dedo de apoio e de equilíbrio, ele nunca deverá


ultrapassar muito o limite superior do braço do violão.

13
Quarto Fundamento:
Sincronismo entre as duas mãos

Preparação da Mão Esquerda

Existem diversas maneiras de tocar as cordas com os dedos da


mão direita. No exercício anterior foram apresentadas algumas
variações de dedilhados que serão muito utilizados para a realização de
acompanhamentos. Agora trabalharemos somente os dedos indicador e
médio. Essa prática deverá ser usada para tocar melodias, solos e
escalas. Passaremos também a observar a partir daqui a questão rítmica
e a acentuação. Assim, desenvolveremos nosso senso rítmico.

Exercícios

Este primeiro exercício é realizado somente com os dedos indicador e


médio da mão direita. As cordas devem ser tocadas soltas:

14
Sincronismo Entre Mão Direita e Mão Esquerda

Neste próximo passo, as divisões rítmicas serão marcadas


sempre por um acento (um toque mais forte). Trabalharemos nessa
primeira etapa somente com os dedos 1 e 2 da mão esquerda. Entre cada
mudança de dedo da mão esquerda dedilharemos a corda com os dedos
da mão direita alternando entre indicador e médio. A subdivisão de cada
tempo irá variar em cada exercício. O tempo, ou pulso deverá ser
subdividido em: dois, três quatro e seis partes.

Exercícios

Abaixo, seguem quatro padrões rítmicos que deverão ser estudados.


Mantendo sempre a sequência de revezamento entre “i “e “m”, pratique-
os:

Iniciar com o metrônomo em 50 “bpm”

Subdivisão em dois:

15
Subdivisão em três:

Subdivisão em quatro:

Subdivisão em seis:

Guia de Estudo Para o Desenvolvimento do Sincronismo

A seguir, proponho uma tabela de combinações para a


sincronização dos dedos das mãos. Usando o mesmo padrão do exercício
anterior, deve-se executar as sequências apresentadas. Tente na
primeira semana realizar todos os exercícios e depois se programar para
praticar dois quadros por semana. Estes exercícios são usados
mesmo depois de anos de estudos por vários violonistas, pois servem
como ótimo aquecimento para os dedos.

16
Dedos 1 e 2 da mão direita:

Dedos 1 e 3 da mão direita:

17
Dedos 1 e 4 da mão direita:

Dedos 2 e 3 da mão direita:

18
Dedos 2 e 4 da mão direita:

Dedos 3 e 4 da mão direita:

19
Quinto Fundamento
Notas e a Escala Musical

NotasMúsicais

Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si

Para tocar violão, precisamos adquirir facilidade em pensar nas


notas musicais sequencialmente, independente da direção (ascendente
ou descendente). Dessa forma, encontraremos com mais facilidade as
notas no braço do instrumento, agilizando o processo de aprendizagem.

Ascendente:

Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si

Descendente:

Si Lá Sol Fá Mi Ré Dó

20
Cordas Soltas

As cordas do violão são enumeradas de baixo para cima, como


podemos ver na ilustração abaixo. Cada uma destas cordas emite o som
de uma nota. Como podemos ver, as cordas não estão dispostas
sequencialmente. Sua distribuição se dá de maneira que consigamos
tocar a sequência escalar sem precisar mudar a mão de lugar. Dessa
forma tocamos as notas de uma corda e para seguir a sequência
devemos mudar para a corda de baixo, no entanto é um pouco cedo para
compreender este assunto.

Bordões Primas

21
Construção da Escala (Tons e Semitons)

Escala é uma sequência sucessiva de notas. Usaremos como


padrão a escala maior exemplificada em Dó.

Para compreender a estrutura da escala maior, precisamos


entender o significado de tom e semitom. Ambos representam medidas
que usamos para calcular o intervalo (distância) entre dois sons. No caso
da música ocidental o semitom é o menor intervalo entre dois sons e o
tom equivale a dois semitons. Usamos o tom como medida inteira e o
semitom como “meia medida”. O semitom também pode ser chamado
de meio tom.

Visualizando no piano fica mais fácil para entendermos


inicialmente, depois aplicaremos com exercícios no violão.
Com essas informações analise a figura a seguir:

22
Notas no Braço do Violão

Cordas Primas:

3° corda: 2° corda: 1° corda:

Corda solta:Sol Si
Corda solta: Mi
Corda solta:
Casa 2: Lá Casa 1: Dó Casa 1: Fá
Casa 3: Ré Casa 3: Sol*

LÁ SOL

RÉ DÓ SI

SOL FÁ MI

23
Bordões:

6° corda: 5° corda: 4° corda:

Corda solta:Mi Lá
Corda solta: Ré
Corda solta:
Casa 1: Fá Casa 2: Si Casa 2: Mi
Casa 3: Sol Casa 3: Dó Casa 3: Fá

SOL FÁ MI

DÓ SI LÁ

FÁ MI RÉ

24
Exercícios

Cada casa no braço do instrumento equivale a um semitom. A partir da


nota que é emitida em cada corda solta, vamos tentar encontrar as notas
da escala maior de Dó na extensão do braço do Violão. Não podemos
deixar de observar os dois casos em que as notas são separadas por
semitons. Da nota Mi para Fá, e da nota Si para Dó:

Pratique as seguintes notas:

25
A partir da nota dada, escreva no quadro abaixo as notas
sequencialmente obedecendo a direção de ascendência ou
descendência.

26
Sexto Fundamento
Acordes

Acordes

Acordes são notas sobrepostas tocadas ao mesmo tempo. Em


música popular, a maneira mais comum de tocar é utilizando os acordes.
As regras de formação dos acordes não serão vistas por enquanto.

Cifras

Cifras são letras e números usados para representar os acordes.


Para cada nota teremos uma letra como mostra a tabela abaixo. Outras
letras e números serão usados para classificar o tipo do acorde. Veremos
isso no assunto a seguir.

27
Tipos de Acordes

Como vimos acordes são várias notas sobrepostas tocadas


juntas. As combinações dessas notas é o que determina o tipo de acorde.
Existem inúmeras maneiras de combinarmos as notas, sendo assim
existem inúmeros tipos de acordes. Veja a seguir os primeiros tipos de
acordes que aprenderemos.

Tríades

Acordes formados por três notas. Veremos inicialmente dois


tipos de tríades:

• Tríades Maiores: São representadas somente pela cifra da nota:

C = Dó Maior
D = Ré Maior
A = Lá Maior

• Tríades Menores: São representadas pela cifra da nota


acompanhada pela letra “m” minúscula:

Cm = Dó Menor
Dm = Ré Menor
Am = Lá Menor

28
Tétrades

Acordes formados por quatro notas. Veremos inicialmente um tipo


de tétrades:

• Tétrades Maiores com Sétima: São representadas pela cifra da


nota acompanhada pelo número 7

C7 = Dó Maior com sétima


D7 = Ré Maior com sétima
A7 = Lá Maior com sétima

Primeiros Acordes

Para cada nota existente temos os mesmos tipos de acordes.


Todo acorde possui uma nota fundamental, é a partir dela que o acorde é
montado e é justamente o nome desta nota que será usado para dar
nome ao acorde.

Baseado nos tipos de acordes que vimos no assunto anterior


veremos agora sua montagem no instrumento.
Inicialmente, utilizaremos somente as três primeiras casas do braço do
violão combinado com o uso de cordas soltas. Existem muitas maneiras
de montarmos um mesmo acorde no violão, levando em conta que uma
mesma nota pode ser localizada em vários lugares diferentes no braço
do instrumento.

29
A seguir veremos os primeiros acordes. Estes acordes são os
mais simples para a mão esquerda, pois como utilizamos cordas soltas a
mão direita fica mais livre para executar o ritmo. Com esses acordes
podemos tocar diversas músicas populares de diversos estilos.

Acordes com a Nota Fundamental: Lá

Acordes com a Nota Fundamental: Ré

30
Acordes com a Nota Fundamental: Mi

Acordes com a Nota Fundamental: Dó e Si

Acordes com a Nota Fundamental: Sol

31
Exercícios

Troque os acordes de acordo com as sequências apresentadas

a)
| Em | D | B7 |

b)
| C | Am | Dm | G7 |

c)
| E | B7 | E | E7 | A | B7 |

d)
| G | C | G | C | Am | D7 |

e)
| Em | Am | Em | D7 |

f)
| C | Am | Dm | G7 |

g)
| D | G | Em | A7 |

32
Sétimo Fundamento
Pulsação e Ritmos

Compassos

São barras que separam os tempos da música, geralmente em


partes iguais. As pulsações ocorrem dentro dos compassos.

| | | | |

Os primeiros tempos de cada compasso são acentuados


estabelecendo uma divisão padronizada. Os primeiros tempos são
considerados os tempos fortes.

Compassos Binários (duas pulsações)

1° Tempo 2° Tempo
Forte Fraco

|↓ ↓ |↓ ↓ |

33
Compassos Ternários (três pulsações)
1° Tempo 2° Tempo 3° Tempo
Forte Fraco Fraco

|↓ ↓ ↓ |↓ ↓ ↓ |

Compassos Quaternários (quatro pulsações)

1° Tempo 2° Tempo 3° Tempo 4° Tempo


Forte Fraco Meio Forte Fraco

|↓ ↓ ↓ ↓ |↓ ↓ ↓ ↓ |

Exercícios

Pratique as seguintes batidas em compassos binários

a)
1 2

↓ ↓↑
b)
1 2

↓↑ ↓
34
c)
1 2

↓↓ ↓↑↓↑

d)
1 2

↓↑↓↑ ↓↓
Pratique as seguintes batidas em compassos ternários

a)
1 2 3

↓ ↓↑ ↓
b)
1 2 3

↓↑ ↓ ↓
35
c)
1 2 3

↓ ↓ ↓↑

Pratique as seguintes batidas em compassos quaternários

a)
1 2 3 4

↓ ↓ ↓↑ ↓↑
b)
1 2 3 4

↓ ↓↑ ↓ ↓↑↓↑

Realize sobre cada uma das sequências de acordes apresentadas no


exercício do sexto fundamento todas as batidas apresentadas aqui.

36
Oitavo Fundamento
Melodias

Melodia

Toda melodia é construída variando as alturas (notas) e as


durações (ritmo) dos sons. Já aprendemos algumas notas e a escala de
Do maior. Agora vamos praticar algumas variações de notas e de suas
durações:

Exercícios

Tempo inteiro:

| | | | | | | |
(Sol) (Sol) (Sol) (Sol) (Si) (Si) (Si) (Si)

Subdividindo o tempo em duas partes iguais:

(Sol) (Sol) (Lá) (Lá) (Si) (Si) (Dó) (Dó)

37
Variando entre as duas durações

a)

| | | |
(Sol) (Si) (Si) (Sol) (Si) (Si) (Sol) (Lá)

b)

| | |
(Sol) (Lá) (Lá) (Si) (Dó) (Dó) (Ré)

Exercício melódico em conjunto. Cada compasso possui quatro tempos.

38