You are on page 1of 11

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL 100% ONLINE

PEDAGOGIA – 2º SEMESTRE

PATRICIA MARA DE SOUSA

DIREITO À EDUCAÇÃO

LAGOA SANTA
2018
PATRICIA MARA DE SOUSA

DIREITO À EDUCAÇÃO

Trabalho apresentado ao Curso de Pedagogia da


UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para as
disciplinas de Psicologia da Educação e da
Aprendizagem Ética, Política e Cidadania Políticas
Públicas da Educação Básica Educação e Diversidade
Práticas pedagógicas – Gestão da Aprendizagem
Professores: Maria Luzia Silva Mariano
Mayra Campos Frâncica dos Santos
Natália Gomes dos Santos
Márcio Gutuzo Saviani
Natália da Silvia Bugança
Tutora eletrônica: Claudia G Nascimento
Tutora de sala:

LAGOA SANTA
2018
Sumário

1 INTRODUÇÃO ................................................................................................ 3
2 A CONTRIBUIÇÃO DA SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO PARA A COMPREENÇÃO
DA EDUCAÇÃO ESCOLAR ............................................................................... 4
2.1 QUAL A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO CIENTIFICO PARA A
EFETIVAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS?....................................... 4
2.2 DE QUE FORMA AS DIFERENTES ABORDAGENS DA PSICOLOGIA PODEM
CONTRIBUIR PARA O PROCESSO DE ENSINOS E APRENDIZAGEM? ....... 5
2.3 O QUE A LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONAL (LDBEM)
9394/96 DIZ SOBRE O DIREITO À EDUCAÇÃO? ............................................ 5
2.4 COMO ELA SE MATERIALIZA E QUAIS SÃO AS POSSIBILIDADES DE
TRANSFORMAÇÃO SOCIAL POR MEIO DA PR´TICA DOCENTE? ................ 7
2.5 QUAL A IMPORTÂNCIA DO PAPEL DO PROFESSOR PARA A MUDANÇA
SOCIAL? ............................................................................................................ 7
3 CONSIDERAÇÕES FINAIS ............................................................................ 9
4 REFERÊNCIAS .............................................. Error! Bookmark not defined.0

3
1 INTRODUÇÃO

Muitos são os questionamentos e discussões a respeito do


papel da escola na educação, porém, e necessário vê-la além do prisma de
somente transmitir conhecimentos aos discentes. Sendo a escola conhecida
como “instituição do saber” a mesma exerce um importante papel em nossa
sociedade.
A escola necessita ser pensada como preparação para a vida,
na função de preparar cidadãos conscientes de seus direitos e deveres. A
escola é um ambiente de aprendizagem onde há uma grande pluralidade
cultural e que direciona a construção de significados compartilhados entre o
aluno e o professor, enfatizando a mudança através da reflexão.
Deve-se pensar a escola como um ambiente atrativo para todos
os atores nela envolvidos, para que se sintam acolhidos e envolvidos na
dinâmica escolar. Onde são construídos novos saberes diariamente.

3
2. A CONTRIBUIÇÃO DA SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO PARA A
COMPREENÇÃO DA EDUCAÇÃO ESCOLAR

2.1 QUAL A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO


PARA A EFETIVAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS?

O conhecimento é importantíssimo para todos os segmentos da


humanidade, tornou-se valioso, pois quem o domina pode ter acesso a inúmeras
oportunidades. (TEIXEIRA, 2010).
Segundo Teixeira (2010), para que se alcance uma educação de
qualidade esta deve estar atrelada ao conhecimento. Dessa maneira, será possível
a construção do conhecimento voltado para uma educação comprometida e,
realmente, construtiva. Portanto, compete aos professores e estudantes, através da
prática de pesquisa, proporcionar a sociedade novos conhecimentos com a
finalidade de torná-la padrão na praxe do ensino superior e nas demais modalidades
de ensino (principalmente no ensino médio), o que certamente facilitaria,
significativamente, a vida do aluno que está para ingressar no ensino superior.
O conhecimento cientifico é, pois, o que é construído através de
procedimentos que denotem atitude científica e que, por proporcionar condições de
experimentação de suas hipóteses de forma sistemática, controlada e objetiva e ser
exposto á critica intersubjetiva, oferece maior segurança e confiabilidade nos seus
resultados e maior consciência dos limites de validade de suas teorias (KOCHE,
1997).
Diante da inserção do aluno no ensino superior, o professor também
tem um papel muito importante, cabe a ele a responsabilidade maior, em formar um
bom profissional. Quanto à didática, ou seja, a forma de ensinar, o professor deve
atuar de forma a contextualizar os conhecimentos científicos para que seus alunos
superem possíveis dificuldades que são pertinentes à vida universitária e,
consequentemente, para que possam, também, alcançar o sucesso profissional.
Teixeira (2010, p. 17) diz que a sociedade “passou a exigir indivíduos que pensem
globalmente e atuem localmente”.
Freire (1996) diz que para que isto ocorra o professor deve refletir
criticamente sob sua prática, analisando o que já fora aplicado e o que será posto
em prática.

4
2.2 DE QUE FORMA AS DIFERENTES ABORDAGENS DA
PSICOLOGIA PODEM CONTRIBUIR PARA O PROCESSO DE ENSINO
APRENDIZA

A Psicologia ajuda a compreensão de que a vida humana passa por


diferentes estágios de desenvolvimento até atingir a idade adulta. Essas fases são: a
infância, a adolescência, a idade adulta e a velhice. Cada fase implica em padrões
de comportamento característicos, e a identificação destes períodos poderia ajudar
muito os educadores na hora da elaboração do currículo e para determinar os
métodos mais adequados de ensino para os alunos em cada um dos diferentes
estágios de aprendizagem.
Dentro deste contexto a psicologia também ajuda a conhecer o
estudante, sendo que o aluno é o fator chave no processo de ensino e
aprendizagem. A psicologia educacional ajuda o professor a conhecer quais são
seus interesses, atitudes, aptidões e outras capacidades e habilidades adquiridas ou
inatas.
Fornece ao professor ferramentas que o auxiliam a resolver problemas
em sala de aula, e também desenvolve as habilidades necessárias e estimular
interesse em ensinar e aprender.
Em suma, podemos dizer que a psicologia educacional contribui
consideravelmente para a criação de um sistema moderno de educação. Ela tem
ajudado professores, diretores, administradores e assistentes sociais, a desenvolver
significativamente uma atitude mais solidária para com os alunos, ajudando-os a
crescer e se tornarem pessoas mais íntegras e independentes.

2.3 O QUE A LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO


NACIONAL (LDBEM) 9394/96 DIZ SOBRE O DIREITO À EDUCAÇÃO?

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB 9394/96) é a


legislação que regulamenta o sistema educacional (público ou privado) do Brasil (da
educação básica ao ensino superior). Na história do Brasil, essa é a segunda vez
que a educação conta com uma Lei de Diretrizes e Bases da Educação, que
5
regulamenta todos os seus níveis. A primeira LDB foi promulgada em 1961 (LDB
4024/61).
A LDB 9394/96 reafirma o direito à educação, garantido pela
Constituição Federal. Estabelece os princípios da educação e os deveres do Estado
em relação à educação escolar pública, definindo as responsabilidades, em regime
de colaboração, entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios.
Segundo a LDB 9394/96, a educação brasileira é dividida em dois
níveis: a educação básica e o ensino superior.

Educação básica:

 Educação Infantil – creches (de 0 a 3 anos) e pré-escolas (de 4 e 5 anos) – É


gratuita mas não obrigatória. É de competência dos municípios.
 Ensino Fundamental – anos iniciais (do 1º ao 5º ano) e anos finais (do 6º ao
9º ano) – É obrigatório e gratuito. A LDB estabelece que, gradativamente, os
municípios serão os responsáveis por todo o ensino fundamental. Na prática
os municípios estão atendendo aos anos iniciais e os Estados os anos finais.
 Ensino Médio – O antigo 2º grau (do 1º ao 3º ano). É de responsabilidade dos
Estados. Pode ser técnico profissionalizante, ou não.

Ensino Superior

É de competência da União, podendo ser oferecido por Estados e


Municípios, desde que estes já tenham atendido os níveis pelos quais é responsável
em sua totalidade. Cabe a União autorizar e fiscalizar as instituições privadas de
ensino superior.
A educação brasileira conta ainda com algumas modalidades de
educação, que perpassam todos os níveis da educação nacional. São elas:
 Educação Especial – Atende aos educandos com necessidades especiais,
preferencialmente na rede regular de ensino.
 Educação a distância – Atende aos estudantes em tempos e espaços
diversos, com a utilização de meios e tecnologias de informação e
comunicação.
6
 Educação Profissional e Tecnológica – Visa preparar os estudantes a
exercerem atividades produtivas, atualizar e aperfeiçoar conhecimentos
tecnológicos e científicos.
 Educação de Jovens e Adultos – Atende as pessoas que não tiveram acesso
a educação na idade apropriada.
 Educação Indígena – Atende as comunidades indígenas, de forma a respeitar
a cultura e língua materna de cada tribo.
Além dessas determinações, a LDB 9394/96 aborda temas como os
recursos financeiros e a formação dos profissionais da educação.

2.4 COMO ELA SE MATERIALIZA E QUAIS SÃO AS


POSSIBILIDADES DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL POR MEIO DA PRÁTICA
DOCENTE?

A interdisciplinaridade se materializa através da observação e


apresentação de conteúdos práticos que forneçam aos alunos a possibilidade de
serem introduzidos em mais de uma disciplina.
Deste modo, a transformação social tem a prática docente como uma
grande ferramenta na execução de tarefas que introduzam o aluno de maneira
eficaz no aprendizado, porém, o educador deve levar em consideração tanto os
aspectos sociais quanto culturais e econômicos de cada aluno, buscando realizar
aulas inclusivas e estimulantes, é importante também que o governo proporcione
medidas úteis para a promoção de oportunidades para os jovens em formação.

2.5 QUAL A IMPORTÂNCIA DO PAPEL DO PROFESSOR PARA A


MUDANÇA SOCIAL?

O mundo do século XXI é dinâmico, de mudanças contínuas, e, para


conseguirmos compreendê-lo e conviver em harmonia com nossos pares, o papel da
escola é cada vez mais importante. A escola é, muitas vezes, o único local de
convívio social dos jovens. As salas de aula, hoje, integram pessoas com as mais
variadas histórias de vida, históricos familiares, conhecimentos, desejos e sonhos
próprios. Cabe aos professores – os profissionais que lidam dia a dia com esse
maravilhoso ‘mix’ cultural – compreender essa nova realidade e utilizar seus
7
conhecimentos para potencializar os pontos positivos de sua comunidade de alunos
e ajudá-los a corrigir seus pontos fracos.
Atualmente, portanto, as missões dos professores são várias, e exigem
muita flexibilidade a fim de serem alcançadas. O foco principal, todavia, é facilitar o
processo de ensino, mostrando como é que se adquire conhecimento e, assim,
permitindo que os alunos ganhem confiança para aprender por conta própria em um
mundo cada vez mais maleável.
Os alunos podem ser, hoje, os personagens principais na sala de aula,
porém o professor continua sendo o centro de todo o processo de ensino. Se há
uma coisa que nunca irá mudar é o protagonismo do professor para o bom
aprendizado. As mudanças da sociedade e o advento da tecnologia trouxeram
novos desafios e novas possibilidades para o cotidiano da profissão, mas não
mudaram o fato de que o professor continua sendo a peça fundamental para criar
gerações mais bem preparadas para lidar com os desafios do mundo.

8
3. CONSIDERAÇÕES FINAIS

O direito a educação no Brasil é uma questão de constantes debates e


questionamentos, tendo em vista que esse direito é garantido por leis que
estabelecem suas prioridades em todos os níveis de governo e também pontua a
respeito do papel da família. Mas garantir o direito a educação não é suficiente.
Devemos buscar uma educação de qualidade em todos os seus níveis, neste
cenário nosso papel como agentes participes da educação temos uma obrigação
moral e ética de nos prepararmos para os desafios que encontramos dentro do
ambiente escolar.
Somente quanto houver uma efetivo envolvimento familiar juntamente
com o compromisso dos órgãos governamentais teremos uma educação realmente
de qualidade em nosso país, e conseguiremos cumprir todas as metas estabelecidas
no PNE, garantindo assim acessibilidade e inclusão de todas as crianças,
erradicando o analfabetismo e ofertando ensino superior a um numero cada vez
maior de brasileiros.
O papel do professor neste contexto é de fundamental importância,
pois devemos ser críticos de nosso fazer docente, buscando sempre formas de
alcançar a excelência em nosso trabalho, tendo como foco o bem estar de nossos
alunos e sua formação como cidadãos completos, questionadores e conscientes de
seus direitos e deveres.

9
4. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa.


28. ed. São Paulo, SP: Paz e Terra, 1996.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. rev. e


atual. São Paulo, SP: Cortez, 2007.

TEIXEIRA, Elizabeth. As três metodologias: acadêmica, da ciência e da pesquisa. 7.


ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

“A contribuição da sociologia da educação para a compreensão da educação


escolar” de Marília Freitas de Campos Tozoni-Reis

(https ://acervodigital.unesp.br /bitstream/123456789/169/3/01d09t03.pdf).

https://www.psiconlinews.com/2016/09/psicologia-educacional-a-importancia-da-
psicologia-nas-escolas.html

10