You are on page 1of 4

Professor Egbert Buarque

Orçamento Público
Material da Aula 12

SUPRIMENTO DE FUNDOS – DECRETO 93.872/86

Art . 45. Excepcionalmente, a critério do ordenador de despesa e sob sua inteira responsabilidade, poderá
ser concedido suprimento de fundos a servidor, sempre precedido do empenho na dotação própria às
despesas a realizar, e que não possam subordinar-se ao processo normal de aplicação, nos seguintes casos
(Lei nº 4.320/64, art. 68 e Decreto-lei nº 200/67, § 3º do art. 74):

I - para atender despesas eventuais, inclusive em viagens e com serviços especiais, que exijam pronto
pagamento; (Redação dada pelo Decreto nº 6.370, de 2008)

Il - quando a despesa deva ser feita em caráter sigiloso, conforme se classificar em regulamento; e

III - para atender despesas de pequeno vulto, assim entendidas aquelas cujo valor, em cada caso, não
ultrapassar limite estabelecido em Portaria do Ministro da Fazenda.

§ 1º O suprimento de fundos será contabilizado e incluído nas contas do ordenador como despesa
realizada; as restituições, por falta de aplicação, parcial ou total, ou aplicação indevida, constituirão
anulação de despesa, ou receita orçamentária, se recolhidas após o encerramento do exercício.

§ 2º O servidor que receber suprimento de fundos, na forma deste artigo, é obrigado a prestar contas de
sua aplicação, procedendo-se, automaticamente, à tomada de contas se não o fizer no prazo assinalado
pelo ordenador da despesa, sem prejuízo das providências administrativas para a apuração das
responsabilidades e imposição, das penalidades cabíveis (Decreto-lei nº 200/67, parágrafo único do art. 81
e § 3º do art. 80).

§ 3º Não se concederá suprimento de fundos:

a) a responsável por dois suprimentos;

b) a servidor que tenha a seu cargo e guarda ou a utilização do material a adquirir, salvo quando não
houver na repartição outro servidor;

c) a responsável por suprimento de fundos que, esgotado o prazo, não tenha prestado contas de sua
aplicação; e

d) a servidor declarado em alcance.

§ 4º Os valores limites para concessão de suprimento de fundos, bem como o limite máximo para despesas
de pequeno vulto de que trata este artigo, serão fixados em portaria do Ministro de Estado da Fazenda.
(Incluído pelo Decreto nº 1.672, de 1995)

§ 5o As despesas com suprimento de fundos serão efetivadas por meio do Cartão de Pagamento do
Governo Federal - CPGF. (Incluído pelo Decreto nº 6.370, de 2008)

1 É PROIBIDO REPRODUZIR OU COMERCIALIZAR www.estudioaulas.com.br


Professor Egbert Buarque
Orçamento Público
Material da Aula 12

§ 6o É vedada a utilização do CPGF na modalidade de saque, exceto no tocante às despesas: (Incluído pelo
Decreto nº 6.370, de 2008)

I - de que trata o art. 47; e (Incluído pelo Decreto nº 6.370, de 2008)

II - decorrentes de situações específicas do órgão ou entidade, nos termos do autorizado em portaria pelo
Ministro de Estado competente e nunca superior a trinta por cento do total da despesa anual do órgão ou
entidade efetuada com suprimento de fundos. (Incluído pelo Decreto nº 6.370, de 2008)

III - decorrentes de situações específicas da Agência Reguladora, nos termos do autorizado em portaria
pelo seu dirigente máximo e nunca superior a trinta por cento do total da despesa anual da Agência
efetuada com suprimento de fundos. (Incluído pelo Decreto nº 6.901, de 2009)

Art. 45-A. É vedada a abertura de conta bancária destinada à movimentação de suprimentos de fundos.
(Incluído pelo Decreto nº 6.370, de 2008)

Art . 46. Cabe aos detentores de suprimentos de fundos fornecer indicação precisa dos saldos em seu
poder em 31 de dezembro, para efeito de contabilização e reinscrição da respectiva responsabilidade pela
sua aplicação em data posterior, observados os prazos assinalados pelo ordenador da despesa (Decreto-lei
nº 200/67, art. 83).

Parágrafo único. A importância aplicada até 31 de dezembro será comprovada até 15 de janeiro seguinte.

QUESTÕES
1. (CESPE - MPE/PI ANALISTA MINISTERIAL CONTROLE INTERNO 2012) O suprimento de fundos, por ser
uma modalidade de despesa corrente não subordinada ao processo normal de aplicação das demais
despesas, dispensa prévio empenho na dotação própria.

2. (CESPE - MPU CONTABILIDADE PERITO 2010) O regime de adiantamento — suprimento de fundos —


pode ser utilizado para atender despesas eventuais, inclusive em viagens ou com serviços especiais que
exijam o pronto pagamento.

3. (CESPE - EBC ANALISTA CONTÁBIL 2011) O valor do suprimento de fundos concedido a servidor
declarado em alcance é limitado em R$ 4.000,00.

4. (CESPE - EBC ANALISTA CONTÁBIL 2011) A concessão de suprimento de fundos objetiva atender
despesas eventuais, de caráter sigiloso ou de pequeno vulto, o que não dispensa o empenho prévio da
despesa.

2 É PROIBIDO REPRODUZIR OU COMERCIALIZAR www.estudioaulas.com.br


Professor Egbert Buarque
Orçamento Público
Material da Aula 12

5. (CESPE - TST Analista Contábil 2008) As restituições, por falta de aplicação total ou parcial, ou por
aplicação indevida, constituirão receita orçamentária, se recolhidas após o encerramento do exercício.

6. (FCC – TRE/SP Analista Judiciário – Administrativo 2012) Pode ser objeto do regime de adiantamento a
despesa
(A) com os salários dos juízes de um tribunal.

(B) com o contrato de construção de um estádio de futebol no valor de R$ 1 milhão.

(C) referente a combustível e pedágios em viagens de funcionários a serviço.

(D) a ser realizada por servidor já responsável por mais dois adiantamentos.

(E) a ser realizada por servidor que tenha a prestação de contas de outro adiantamento impugnada.

7. (FCC – TRT/TO Analista Judiciário – área Administrativa 2011) Analise as seguintes afirmações, relativas
ao adiantamento de despesas (também conhecido como suprimento de fundos):
I. Se o suprido não prestar contas no prazo regulamentar, sem justificativa, está sujeito à tomada de
contas especial.

II. É proibido o adiantamento de despesas para servidor responsável por dois suprimentos.

III. O adiantamento de despesas não precisa ser precedido de empenho.

IV. É correto efetuar o adiantamento de despesas para atender gastos com prestação de serviços que
exijam o pronto pagamento em espécie.

Está correto o que se afirma APENAS em

(A) I e II.

(B) I e III.

(C) II, III e IV.

(D) I, II e IV.

(E) II e IV.

3 É PROIBIDO REPRODUZIR OU COMERCIALIZAR www.estudioaulas.com.br


Professor Egbert Buarque
Orçamento Público
Material da Aula 12

8. (FCC – TCE - Técnico de Controle Externo/SE 2011) Os suprimentos de fundos

(A) são adiantamentos feitos a servidores de despesas que não precisam ser empenhadas, devido a seu
caráter de urgência.

(B) podem ser concedidos a servidores que já são responsáveis por dois suprimentos.

(C) não podem ser utilizados na forma de cartão corporativo.

(D) não podem ordinariamente ser concedidos a servidores que tenham a seu cargo a guarda ou utilização
do material a adquirir.

(E) aplicam-se também a despesas de grande vulto que exijam o pronto pagamento em espécie.

9. (FCC – TCE/AP – Técnico de Controle Externo 2012) O suprimento de fundos

(A) depende de prévio empenho na dotação orçamentária da despesa a ser realizada.

(B) pode ser concedido a qualquer servidor, sem restrições de espécie alguma.

(C) destina-se apenas e tão somente ao financiamento de despesas sigilosas.

(D) independe de qualquer tipo de prestação de contas, quando concedido por meio de cartão corporativo.

(E) deve ser movimentado por meio de abertura de conta bancária destinada.

GABARITO

1 2 3 4 5 6 7 8 9

E C E C C C D D A

4 É PROIBIDO REPRODUZIR OU COMERCIALIZAR www.estudioaulas.com.br