You are on page 1of 87

SISTEMA REPRODUTOR ♀

Reprodutor ♀
Constituição

- 2 Ovários
- 2 Tubas uterinas
- Útero
- Vagina
- Genitália externa

- Glândulas mamárias
Reprodutor ♀
Funções
Produção de gametas (ovócitos): OVOGÊNESE

Produção de hormônios esteróides: ESTRÓGENO E PROGESTERONA


- Regulam a maturação do ovócito

- Ajudam a manter a função reprodutiva do SRF

- Características sexuais secundárias

Manutenção e nutrição do organismo em desenvolvimento

Parto
Desenvolvimento dos Folículos Ovarianos
Período embrionário e fetal

Ovogônias
(Mitoses) Ovócitos primários
ou cito I
+
Monocamada de
Gônadas em
desenvolvimento Céls foliculares
pavimentosas
Células germinativas
primodiais

FOLÍCULO PRIMORDIAL
OVOGÊNESE

Formação do gameta feminino (Ovócito)

OVÁRIO

Menarca Menopausa
Período reprodutivo
Reprodutor ♀
Ovários

- Ovário fetal: 7 milhões de ovócitos


primários
- Puberdade: 3-400 mil ovócitos
primários
- 40 – 45 anos: 8 000 ovócitos

Atresia Folicular
Reprodutor ♀
Ovários
- Localizados na pelve
- Forma de amêndoa (3 x 1,5 x 1cm)
- Produção de ovócitos (gametas ♀)
- Produção de estrógenos e progesterona
Reprodutor ♀
Ovários
- Epitélio germinativo: simples cúbico
- Túnica albugínea: tecido conjuntivo denso irregular
- Cortical: folículos ovarianos + tecido conjuntivo celular
- Medular: tecido conjuntivo frouxo (vasos sanguíneos)
Reprodutor ♀
Ovários
CÓRTEX

Folículos ovarianos em vários estágios de desenvolvimento


Reprodutor ♀
Ovários
CÓRTEX
Crescimento folicular
(a partir da puberdade)

- Folículo primordial
- Folículos em crescimento
- Folículo Maduro (de Graaf)

Ocorrem modificações:
- ovócito
- células foliculares
- estroma ovariano
Ovários
Crescimento folicular

Folículo primordial Folículo primário Folículo primário multilaminar

Zona pelúcida formada


Lâmina basal Zona
pelúcida
Células
em
foliculares ou
formação Ovócito I
da granulosa
Várias
Lâmina basal
camadas de
Ovócito I células
A Zona pelúcida é produzida
foliculares Células da teca
pelo ovócito I
interna

A zona pelúcida
consiste em 3
glicoproteínas (ZP1,
ZP2 e ZP3)
Ovários
Reprodutor ♀
Ovários
CÓRTEX
Folículo secundário Vasos sanguíneos

Célula folicular
Zona pelúcida
Lâmina basal
Ovócito I
Célula (endócrina)
da teca interna
Teca externa

Início da formação do antro

Folículo maduro (de Vaso sanguíneo


Graaf) da teca interna

Ovócito I
Antro

Vasos sanguíneos
Antro

Teca interna

Teca externa
Reprodutor ♀
Ovários
CÓRTEX

Folículo em crescimento
Folículo maduro (de Graaf)
Reprodutor ♀
Ovários
Folículo maduro (de Graaf)

- Teca interna: células secretoras de esteróides (estrógeno)

- Teca externa: Células semelhantes às células do estroma ovariano


Reprodutor ♀
Ovários
CÓRTEX

Estrógeno Androstenediona
Reprodutor ♀
Ovários
ATRESIA FOLICULAR
Reprodutor ♀
Ovários
ATRESIA FOLICULAR

MORTE FAGOCITOSE
dos restos
Células foliculares
celulares
Ovócitos

FIBROBLASTOS CICATRIZ
ocupam a área do (colágeno)
folículo
Reprodutor ♀
Ovários
OVULAÇÃO

Ruptura da parede do folículo maduro e liberação do ovócito na tuba uterina


Reprodutor ♀
Ovários
OVULAÇÃO

Epitélio germinativo
OVULAÇÃO
Túnica albugínea Proteases dos Zona pelúcida
fibroblastos (LH)
degradam o colágeno da
túnica albugínea e da teca
Estigma externa
Ovócito
secundário

1º corpúsculo
polar
Camada granulosa começa a preguear-se

Vasos
sanguíneos da Ruptura da membrana basal, vasos sanguíneos da teca
teca interna em interna invadem a camada granulosa e a cavidade antral é
proliferação preenchida por sangue (corpo hemorrágico)
(angiogênese)
CONTROLE HORMONAL DO CICLO OVARIANO

Hormônios da adeno-hipófise
- FSH → Estimula o crescimento dos
folículos ovarianos e secreção de
estrógenos.
- LH → desencadeia a ovulação e
formação do corpo lúteo.

Hormônios ovarianos
- Estrógeno: inibe a secreção do FSH e
estimula a secreção do LH
- Progesterona:inibe a produção do LH.

Folículos em crescimento: produção de estrógeno


Inibe liberação de FSH pela hipófise
Liberação de LH → ovulação
Reprodutor ♀
Ovários
PÓS-OVULAÇÃO

Epitélio germinativo
OVULAÇÃO Proteases dos fibroblastos (LH)
Túnica albugínea degradam o colágeno da túnica Zona pelúcida
albugínea e da teca externa

Estigma

Ovócito
secundário

1º corpúsculo
polar
Camada granulosa começa a preguear-se

Vasos
sanguíneos da Ruptura da membrana basal, vasos sanguíneos da teca
teca interna em interna invadem a camada granulosa e a cavidade antral é
proliferação preenchida por sangue (corpo hemorrágico)
(angiogênese)

Células da granulosa e células da teca interna → CORPO LÚTEO


Reprodutor ♀
Ovários
CORPO LÚTEO

1. Formação/remoção do corpo hemorrágico


2. Pregueamento da parede
3. ↑ volume das células granulosas → Células granulosa-luteínicas
4. Células da teca interna → Células teca-luteínicas
5. Vasos sanguíneos alcançam a região central
Reprodutor ♀
Ovários
CORPO LÚTEO

1. Formação/remoção do corpo hemorrágico


2. Pregueamento da parede
3. ↑ volume das células granulosas → Células granulosa-luteínicas
4. Células da teca interna → Células teca-luteínicas
5. Vasos sanguíneos alcançam a região central
Reprodutor ♀
Ovários
CORPO LÚTEO

- Células granulosa-luteínicas: grandes e secretam esteróides (Gotículas de gordura)


- Células teca-luteínicas: pequenas e periféricas, secretoras de esteróides.
Reprodutor ♀
Ovários
CORPO LÚTEO

- Células granulosa-luteínicas: grandes e secretam esteróides (Gotículas de gordura)


- Células teca-luteínicas: pequenas e periféricas, secretoras de esteróides.
Reprodutor ♀
Ovários
CORPO LÚTEO

Células granulosa-luteínicas e Células teca-luteínicas

Secreção de progesterona (↑) e estrógeno:


→ estimula o desenvolvimento do endométrio;
→ estimula a secreção das glândulas uterinas;
→ Efeito inibidor sobre a produção do LH.
CONTROLE HORMONAL DO CICLO OVARIANO

Hormônios da adeno-hipófise
- FSH → Estimula o crescimento dos
folículos ovarianos e secreção de
estrógenos.
- LH → desencadeia a ovulação e
formação do corpo lúteo.

Hormônios ovarianos
- Estrógeno: inibe a secreção do FSH e
estimula a secreção do LH
- Progesterona:inibe a produção do LH.
Reprodutor ♀
Ovários
CORPO LÚTEO

Sem gravidez: corpo lúteo de menstruação


Dura 10-12 dias
Corpo albicans ↓ progesterona → descamação da mucosa uterina
Restos fagocitados por macrófagos
Fibroblastos: cicatriz de TC (Corpo albicans)

Com gravidez: corpo lúteo de gravidez


Mantido pelo HCG (gonadotrofina coriônica)
Produção de progesterona: mucosa uterina
Dura de 4-5 meses → Corpo albicans
CONTROLE HORMONAL DO CICLO OVARIANO
Sem fecundação,
Pico na secreção de LH
a secreção de
induz a ovulação
Células FSH e LH diminui
FSH estimula
FSH estimula o foliculares: Estímulo persistente do e o corpo lúteo
proliferação das
desenvolvimento receptores LH LH induz a luteinização regride (luteólise)
células foliculares
de folículos (luteinização) das células foliculares e
e produção de
primordiais da teca interna
estrógeno

Folículo primordial Folículo primário Folículo de Graaf Corpo Lúteo

Fase folicular Fase luteal

Síntese de estrógeno Síntese de progesterona e estrógeno


Reprodutor ♀
Tubas uterinas (ovidutos)
Tubo muscular (12 cm)

• Fertilização

• Clivagens iniciais
(Zigoto)
Reprodutor ♀
Tuba uterina

REGIÕES ANATÔMICAS
2

43
1. INFUNDÍBULO com Fímbrias 1
2. AMPOLA

3. ISTMO

4. INTRAMURAL
Reprodutor ♀

Tuba uterina

PAREDE:

• Mucosa

• Muscular (2 subcamadas)

• Serosa
Reprodutor ♀
Tuba uterina
MUCOSA

- Epitélio cilíndrico simples


 Células ciliadas
 Células secretoras
- Lâmina própria - TCF
- Presença de pregas/dobras
Tuba uterina
MUCOSA

estrógeno

SECREÇÃO:

Nutrição e
proteção do ovócito
CÍLIOS:
e embrião
Movimento em
Capacitação do
direção ao útero
espermatozóide

Proteção contra
microorganismos
Tuba uterina

MUSCULAR

Fibras musculares lisas


- circular interna
- longitudinal externa

→ Peristaltismo: transporte do
óvulo ao longo da tuba

SEROSA
Peritônio visceral
Reprodutor ♀
Tuba uterina

REGIÕES ANATÔMICAS
2

43
1. INFUNDÍBULO com Fímbrias 1
2. AMPOLA

3. ISTMO

4. INTRAMURAL

↓ Dobras da mucosa

↑ Camada muscular
Tuba uterina

AMPOLA
• Pregas:
– Longas
– Numerosas
– Ramificadas
Tuba uterina

ISTMO

• Pregas:
– Poucas
– Curtas
– Pouco ramificadas
Tuba uterina

INTRAMURAL
Reprodutor ♀
Útero

fundo

corpo

vaca Parede do útero


- Mucosa: Endométrio
- Muscular: Miométrio
- Serosa: Perimétrio
Reprodutor ♀
Útero
Epitélio
ENDOMÉTRIO Lâmina própria
com glândulas

Músculo liso
PAREDE MIOMÉTRIO Tecido conjuntivo
(↑ gravidez)

Mesotélio
SEROSA Tecido conjuntivo
Reprodutor ♀
Útero
ENDOMÉTRIO (Mucosa)

- Epitélio cilíndrico simples (células ciliadas e secretoras)


- Lâmina própria:
 Glândulas tubulosas simples
 TC Frouxo rico em células e muitas fibras reticulares
Reprodutor ♀
Útero
ENDOMÉTRIO (Mucosa)
Reprodutor ♀
Útero

ENDOMÉTRIO

Epitélio Gl. uterina Secreção Veia

Camada funcional
Endométrio
menstruação

Camada basal

Miométrio

Artéria reta Artéria helicoidal Artéria e veia


arqueadas
IRRIGAÇÃO SANGUÍNEA DO ENDOMÉTRIO

Epitélio Gl. uterina Secreção Veia

Camada funcional

Camada basal

Miométrio

Artéria reta Artéria helicoidal Artéria e veia


arqueadas
Reprodutor ♀
CICLO MENSTRUAL
Reprodutor ♀
CICLO MENSTRUAL

Modificações no endométrio - 3 fases

- Proliferativa/folicular
- Secretória/luteal
- Menstrual
CICLO MENSTRUAL

ENDOMÉTRIO: Fase menstrual

• Sem fecundação: regressão do corpo lúteo e ↓ níveis de estrógeno e


progesterona:

 Contração das aa. espirais: hipoxia e necrose da camada funcional

 Rompimento das aa espirais → sangramento

• Toda a camada funcional se desprende da camada basal

 ↓ espessura do endométrio (0,5 mm)


CICLO MENSTRUAL

ENDOMÉTRIO: Fase menstrual

A camada funcional é perdida


durante a menstruação

Artéria
espiralada

Artéria
reta

A camada basal é preservada


após a menstruação

Artéria arqueada

Veia arqueada
Isquemia do endométrio
CICLO MENSTRUAL

ENDOMÉTRIO: Fase menstrual


Reprodutor ♀
CICLO MENSTRUAL

ENDOMÉTRIO: Fase proliferativa

- Fase folicular ou estrogênica


- Renovação da camada funcional do endométrio
 Reepitelização e reconstrução das glândulas, TC e aa. espirais;
- Glândulas uterinas retas, luz estreita e pouca secreção no interior
CICLO MENSTRUAL

ENDOMÉTRIO: Fase proliferativa


CICLO MENSTRUAL

ENDOMÉTRIO: Fase proliferativa


CICLO MENSTRUAL

ENDOMÉTRIO: Fase secretora

- Fase luteal ou progestacional


- Inicia-se após a ovulação e depende da progesterona (corpo lúteo);
- Progesterona: glândulas uterinas iniciam intensa atividade secretora:
 Glândulas tortuosas, com luz dilatada e secreção interna (glicogênio,
proteínas, gordura)

- Endométrio atinge sua espessura máxima (5 mm)


CICLO MENSTRUAL
ENDOMÉTRIO: Fase secretora
CICLO MENSTRUAL

ENDOMÉTRIO: Fase secretora


CICLO MENSTRUAL

Modificações nas glândulas uterinas e células glandulares


Reprodutor ♀
CICLO MENSTRUAL
Reprodutor ♀
Colo uterino (cérvix)
Colo uterino (cérvix)
MUCOSA

• Luz: Epitélio simples cilíndrico secretor de muco


• Superfície externa: epitélio estratificado pavimentoso não queratinizado
• Lâmina própria: TC denso com muitas fibras colágenas e elásticas (relaxina)
 Glândulas mucosas cervicais (simples tubulosas ramificadas)
 Cistos de Naboth (glândulas com acúmulo de secreção)
• Não descama durante a menstruação
Colo uterino (cérvix)
Glândulas mucosas cervicais (simples tubulosas ramificadas)
Colo uterino (cérvix)
Glândulas mucosas cervicais (simples tubulosas ramificadas)
Colo uterino (cérvix)
Glândulas mucosas cervicais (simples tubulosas ramificadas)
Vagina

PAREDE
• Mucosa (SEM glândulas)
• Muscular
• Adventícia
Vagina
MUCOSA
Epitélio estratificado pavimentoso
• Células basais
• Células parabasais
• Células intermediárias
• Células superficiais (queratina)
Vagina
MUCOSA

• ↑ Estrógeno:
 Epitélio produz e armazena glicogênio →
luz vaginal durante a descamação do epitélio
 Flora bacteriana: glicogênio → ácido lático:
pH baixo
 Epitélio espesso

• Falta de estrógeno (menopausa)


 Epitélio produz pouco glicogênio - ↑ pH
vaginal → proliferação de microorganismos.
 Epitélio delgado
Vagina
MUCOSA

• Epitélio estratificado pavimentoso


• Lâmina própria: TC frouxo
 fibras elásticas (elasticidade)
 plexo venoso extenso
 células de defesa

MUSCULAR

• Feixes longitudinais e circulares de músculo liso


• Esfíncter (músculo esquelético) na abertura da vagina

ADVENTÍCIA

• TC Denso fibroelástico
Reprodutor ♀
Uretra feminina

• Mucosa:
 Epitélio de transição e estratificado pavimentoso não queratinizado
 LP: TC frouxo fibroelástico com glândulas mucosas
• Muscular: LI (m. liso) e CE (m. liso ou estriado esquelético – esfíncter)
• Adventícia
Reprodutor ♀
Glândulas mamárias
Mamilo: TC e músculo liso Estroma: TC e tecido
(esfíncter) adiposo. Após a gravidez, o
tecido adiposo substitui o
tecido alveolar lobular.

Fibras nervosas simpáticas Sistema de ductos de uma


entre as células musculares glândula inativa. O ducto
lisas lactífero termina em uma
pequena evaginação
sacular.

Lóbulo: 1 ducto lactífero e


vários ácinos alveolares.
Cada ácino consiste de
células epiteliais cilíndricas
baixas ou cúbicas, células
mioepiteliais e lâmina basal.
Seio
Abertura lactíferos
de um seio
lactífero Lobo: consiste em vários
Ducto lactífero
lóbulos. Cada lobo está
associado com um seio
lactífero através de um
ducto lactífero. Uma
Unidade glândula mamária contém
Ducto terminal secretora túbulo- de 15 a 20 lobos separados.
interlobular alveolar

• Mama: 15-25 glândulas mamárias (=lobos)


• Glândula exócrina composta túbulo-alveolar
 Estroma: TC denso e Tecido adiposo
 Parênquima: 1 Ducto excretor (galactóforo) + conjunto de porções secretoras
Reprodutor ♀
Glândulas mamárias

• Mama: 15-25 glândulas mamárias (=lobos)


• Glândula exócrina composta túbulo-alveolar
 Estroma: TC denso e Tecido adiposo
 Parênquima: 1 Ducto excretor (galactóforo) + conjunto de porções
secretoras
Glândula mamária
Modificações da Glândula mamária
Reprodutor ♀
Mama em repouso
Mama em repouso
Mama gravídica
Mama em lactação
Mama em lactação
Reprodutor ♀
Mama em lactação
Mama em lactação

Lactação
 Após o parto - Colostro: ↓ lipídeo, muita proteína e anticorpos (IgA)
Sucção
 Estimula receptores táteis nos mamilos → oxitocina (neuro-hipófise)
 Contração das células mioepiteliais – ejeção do leite (reflexo)
 Estimula liberação de prolactina (produção do leite)