You are on page 1of 3

COJE – COORDENAÇÃO DOS JUIZADOS ESPECIAIS

4ª TURMA RECURSAL CÍVEL E CRIMINAL

RECURSO INOMINADO
PROCESSO nº 0009463-76.2013.8.05.0201

RECORRENTE: EMPRESA BAIANA DE AGUAS E SANEAMENTO S A


EMBASA
RECORRIDO: CRISPINIANO CARVALHO SOUZA
JUÍZA RELATORA: MARY ANGÉLICA SANTOS COÊLHO

EMENTA

RECURSO INOMINADO. PRESSUPOSTOS DE ADMISSIBILIDADE PREENCHIDOS.


CIVIL. DIREITO DO CONSUMIDOR. AÇÃO INDENIZATÓRIA POR DANOS MORAIS
CUMULADO COM PEDIDO DE REFATURAMENTO. FALHA OU DEFEITO NA PRES-
TAÇÃO DO SERVIÇO. RESPONSABILIDADE CIVIL. REFATURAMENTO DA CONTA
DE CONSUMO PELA MÉDIA. DANOS MORAIS NÃO CONFIGURADOS, UMA VEZ QUE
NÃO HOUVE COMPROVAÇÃO DA SUSPENSÃO DO FORNECIMENTO NEM TAM-
POUCO INSCRIÇÃO DA RECORRIDA NOS ÓRGÃO DE PROTEÇÃO AO CRÉDITO.
RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO.

1- Afirma a parte autora que as faturas de consumo dos meses de novem-


bro/11 março/2016 registraram um consumo que variam de 10m³ a
42m³, o que não condiz com sua média mencionada. Aduz que não
houve nenhuma mudança na rotina do imóvel que causa-se o aumento
no consumo. Alega ainda que utiliza-se de poço artesiano desde 2015,
só utilizado da ré apenas o esgoto.
2- A sentença foi julgada procedente em parte para reconhecendo
como indevida as cobranças efetuadas pela ré nas contas de consumo
dos meses de novembro/2011 a outubro/2013, bem como nas faturas
dos meses de março, maio a dezembro/2014 e janeiro a
dezembro/2015. Condeno a empresa ré a, no prazo de 10 dias, refatu-
rar as contas de consumo em aberto, pela média de 6m³, para, após
encaminhá-la para o autor, para pagamento, tempestivamente, sem co-
brança de juros e encargos contratuais.
3- A recorrente não logrou êxito em demonstrar qualquer elemento
concreto e objetivo em amparo a sua argumentação, ônus que
lhe incumbia em face da inversão do ônus probatório. Da
análise dos autos, infere-se que a empresa recorrente agiu de
forma negligente, cobrando do consumidor um valor não devi -

Assinado eletronicamente por: MARY ANGELICA SANTOS COELHO;


Código de validação do documento: 57885340 a ser validado no sítio do PROJUDI - TJBA.
COJE – COORDENAÇÃO DOS JUIZADOS ESPECIAIS
4ª TURMA RECURSAL CÍVEL E CRIMINAL

do. Destarte, da análise dos autos é possível verificar que de


fato faz jus a parte autora ao refaturamento da conta de con -
sumo, tendo em vista que o medidor apresentou leitura equi -
vocada e mais onerosa em desfavor do consumidor.
4- Todavia, no caso em exame, o consumidor não tem o direito de obter,
contra a empresa, a compensação pecuniária pelos supostos danos cau-
sados aos seus direitos subjetivos da personalidade. Não houve compro-
vação de suspensão do fornecimento do serviço na residência do recorri-
do, assim como não há qualquer inscrição de seu nome em cadastros
de proteção ao crédito.
5- É verdade que ficou caracterizada uma cobrança indevida, cujo cancela-
mento foi determinado pelo Juiz a quo e mantido nesta decisão. Não há,
entretanto, lesão à dignidade humana, em que a pessoa possa se sentir
reduzida ou aniquilada em sua existência jurídica. A simples e indevida
cobrança, isoladamente considerada, poderá até acarretar transtornos e
desgaste emocional, todavia não se apresenta apta a traduzir ofensa a
qualquer dos atributos da personalidade dos consumidores.
6- Ante o quanto exposto, por vislumbrar que merece reforma a decisão
vergastada, voto no sentido de CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO
RECURSO INTERPOSTO, mantendo integralmente a sentença de origem.
Custas e honorários, pela recorrente, estes que fixo em 20% do valor da
condenação.
7- Julgamento pela ementa conforme art. 46 da lei nº 9.099/95. É como
voto.

Salvador, 24 de novembro de 2016.

MARY ANGÉLICA SANTOS COELHO


Relatora

ACÓRDÃO

Realizado Julgamento do Recurso do processo acima epigrafado. A QUARTA


TURMA, composta dos Juízes de Direito, ELOISA MATTA DA SILVEIRA LOPES,
MARY ANGELICA SANTOS COELHO, MARCIA DENISE MINEIRO MASCARENHAS
decidiu, à unanimidade de votos, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RE-
CURSO INTERPOSTO, mantendo integralmente a sentença de origem. Custas e
honorários, pela recorrente, estes que fixo em 20% do valor da condenação.

Assinado eletronicamente por: MARY ANGELICA SANTOS COELHO;


Código de validação do documento: 57885340 a ser validado no sítio do PROJUDI - TJBA.
COJE – COORDENAÇÃO DOS JUIZADOS ESPECIAIS
4ª TURMA RECURSAL CÍVEL E CRIMINAL

Salvador, Sala das Sessões, em 24 de novembro de 2016.

ELOISA MATTA DA SILVEIRA LOPES


Juíza Presidente

MARY ANGÉLICA SANTOS COELHO


Juíza Relatora

Assinado eletronicamente por: MARY ANGELICA SANTOS COELHO;


Código de validação do documento: 57885340 a ser validado no sítio do PROJUDI - TJBA.