You are on page 1of 17

CADERNO PENAL IV – Profa.

Thais Bandeira

Crimes contra a Administração Pública
1. Espécies
1.1. Relevância
2. Progressão de Regime
3. Crimes Funcionais
3.1. Extraterritorialidade
3.2. Classificação
3.3. Conceito de Funcionário público

Divisão dos Crimes praticados contra a Administração Pública
1. Crimes praticados por funcionários públicos
2. Crimes praticados por particulares
3. Crimes praticados contra a administração pública estrangeira
4. Crimes contra a administração da justiça
5. Crimes contra as finanças públicas

Progressão de Regime – Regra Geral
- Requisito temporal: cumprimento de 1/6 da pena*
* Nos crimes hediondos, 2/5 ou 3/5, se reincidente
- requisito subjetivo: bom comportamento carcerário

Regra específica para os crimes cometidos contra a administração pública:
Além dos requisitos da regra geral, deve haver a reparação do dano ou devolução do produto
do ilícito praticado + acréscimos legais (Art. 33, § 4º, CP)

E quando a reparação é impossível de ser realizada?
- O CP não contém previsão neste sentido
- Seria esta omissão inconstitucional? Seria ferir a individualização da pena?

Hipótese de extraterritorialidade
Art. 7º, I, c), CP: Ficam sujeitos a lei brasileira, embora cometidos no estrangeiro, os crimes
cometidos contra a administração pública, por quem está a seu serviço.

Equipara-se a funcionário público quem exerce cargo......... se a conduta tipicamente descrita em crime contra a administração pública for praticada por um particular.. 8......... para os efeitos penais. * A pena cumprida no exterior é computada no cumprimento da pena cominada no Brasil (Art. Espécies ... Assim..... 327.. Nos crimes cometidos por particular contra funcionário público.. exerça cargo... Interpretação topográfica da norma....Esta hipótese é de extraterritorialidade incondicionada........... quem........... perdida a característica funcional.......... Ou seja.. será considerada absolutamente atípica.2...... embora transitoriamente ou sem remuneração.. aplica-se a este conceito sua significação mais restritiva.. CP..........1... nestes casos.. pois o crime só ocorre no âmbito do funcionalismo público... “Considera-se funcionário público.... Norma explicativa...... Concurso de pessoas Peculato 1. * este conceito só é aplicável aos crimes praticados por funcionário público.. existe outro tipo penal que descreve conduta similar praticada por um particular... a conduta resta completamente atípica..... caso a mesma conduta seja praticada por particular....... Conceito de funcionário Público 1.......... pois a mesma ainda poderá ser subsumida à hipótese de incidência de um crime comum... haverá apenas tipicidade relativa. CP) Classificação dos crimes funcionais: a) Funcionais próprios: São aqueles crimes em que...... 1.... .... e quem trabalha para empresa prestadora de serviço contratada ou conveniada para a execução de atividade típica da Administração Pública”. b) Funcionais impróprios: São os crimes em que..... emprego ou função em entidade paraestatal. perdida a característica funcional.... Conceito de funcionário público para o direito penal: Art. Aplicação 1... emprego ou função pública....

CP. §1º. Defensores dativos se enquadram no conceito de funcionário público para efeitos penais. Peculato-furto 3. (“ainda que transitoriamente ou sem remuneração”) 1.1. Elementar 2. Reparação do dano .4.1. Traço distintivo 4. .3. Contratações temporárias são consideradas para efeitos penais. Estagiários se enquadram neste conceito de funcionário público.2. Presença de “extraneous” 4. Ausência de posse e/ou facilidade 3. Considera-se funcionário público quem exerce cargo.Próprio agente? . 2.1. jurados também são “múnus” público (encargo público). 3.3. 327. 4. Mesários. luz). Defensor “ad hoc” também. 5. Núcleos do tipo 3. Natureza do Bem 2.2. também são considerados funcionários públicos. Peculato-uso? 3. Ex: Empresas contratadas para a prestação de serviços públicos (lixo.2. água. Peculato culposo 4. durante eleições. “Agente Público” no direito administrativo. Núcleos do tipo 2. O sujeito contratado para prestar serviço pontual para a administração pública também é considerado funcionário público. Peculato apropriação e desvio 2. Norma de equiparação. emprego em entidade paraestatal e aquele que trabalha em empresa contratada ou conveniada para execução de atividade típica da administração. 2.Peculato doloso? Art. CP: Conceito de funcionário público. 327. 6.

o tipo penal continua a existir. Ambos. além dos órgão da administração direta. responderão pelo crime funcional. 30. *** STF: “interpretação compreensiva” X interpretação extensiva. §º. CP) Havendo concurso entre funcionário público (“intraneous”) e um terceiro (“extraneous”). CP. Concurso de pessoas (vale para todos os crimes) Não se comunicam as circunstâncias de caráter pessoal. Peculato apropriação e desvio (caput). 30. devemos avaliar se ela representa uma circunstância ou uma elementar do crime. mas se for suprimida. (Art. mas se tiver caráter pessoal. Se tiver caráter objetivo. empresa pública ou fundação instituída pelo poder público. 2º. caput: Peculato apropriação e peculato desvio. enquanto a elementar é um dado essencial que não pode ser suprimido. aplica-se o decreto 201/67. Espécies do 312. repouso noturno) devemos observar se ele tem caráter objetivo (“modus operandi”) ou pessoal (sujeito do crime). CP (textualmente) ** Caio Jader Barbalho e incidência do §2º para chefes do executivo. * As autarquias não foram consideradas pelo 327. salvo quando elementares do crime (Art. CP. essa característica se estende a todos os co-delinquentes. e § 2º . quando estivermos diante de um dado presente no crime (ex: emprego de veneno. 327. Peculato furto. portanto. Dois núcleos do tipo: . * circunstâncias X elementares OBS> Segundo as regras do art.§2º. que dispõe acerca da comunicabilidade das elementares. CP. * Não se estende ao o crime funcional caso este não sabia da condição de funcionário do seu parceiro de crime. A circunstância é uma característica que modifica o crime. § 1º. CP: Causa de aumento de pena Incide sobre o sujeito que exerce função de direção ou cargo em comissão de sociedade de economia mista.Peculato culposo. utiiliza-se a regra contida no art. CP. 30. desvio subjetivo de condutas) Peculato 312. Se praticado por prefeitos.

. que possui resultado naturalístico.............. ...... Natureza do Bem: Público ou particular...Apropriação/ Desvio . pois o que está em jogo não é o bem..... o STF já aceitou a possibilidade de aplicação do princípio da insignificância.. de bens............Art...... 1º...... Peculato – Art. Crime que deixa vestígios.. 312.... 2........ em proveito próprio ou alheio. II. Em crimes militares. O funcionário deve ter a posse do dinheiro....Culposo DL 201/67: Peculato-uso/ Prefeitos .. valor ou bem móvel em razão das suas funções..... mas sim a moralidade administrativa.. 1... crime material. Outra corrente compreende que o peculato-uso se encaixa na modalidade desvio 3............ indevidamente... Cabe para este crime o princípio da insignificância? STF/STJ dizem que não.... Parte da doutrina considera fato atípico..Furto ...... Ambas as modalidades admitem tentativas.... Desviar Em ambos os casos.. Apropriar-se 2.. Existe peculato uso a depender do bem que o sujeito utilize (doutrina mista). rendas ou serviços públicos (fato típico apenas aplicável aos prefeitos) No peculato do CP não existe o verbo utilizar: 1................ ....... porém.............. Utilizar-se............ CP (continuação) Espécies de peculato: .

312. esta tem efeito atenuante da pena (art. Na ausência de posse e/ou facilidade não há peculato. Para o peculato culposo. Art. *parte minoritária da doutrina diz que o crime de outrem deve ser . Mas esta concorrência é culposa. Ocorre por imprudência. concorrer. CP (arrependimento posterior). de novo. Se a reparação ocorre após o recebimento da denúncia. CP. Neste último.Bem não consumível (não existe peculato) Peculato-furto (§1º. Se antes do trânsito em julgado: Extinção de punibilidade (fato típico. necessariamente. Peculato culposo Traço distintivo: O núcleo é. A reparação do dano não necessariamente precisa ser feita pelo próprio agente do crime. . mas sim facilidade de acesso ao bem. CP): 1. III. A conduta do funcionário público acaba facilitando o crime de outrem. 16. a reparação de dano antes do recebimento da denúncia gera a incidência do Art. no tipo culposo. Se após o trânsito em julgado: Pena imposta reduzida em ½. um peculato. não há posse. 2. ilícito e culpável. a reparação do dano pode surtir dois efeitos (§3º. mas não há punibilidade). Também há a figura do funcionário público que concorre para que a subtração seja feita por um terceiro. 312.Bem consumível: existe peculato . recebendo a denúncia ou queixa. Peculato mediante erro de outrem . CP) Dois núcleos: subtrair e concorrer. não itencional. b. No peculato DOLOSO. * O arrependimento posterior cabe até o despacho do juiz. 65. 313. CP). mas sim crime patrimonial comum. Apropriar (posse) # subtrair. negligência ou imperícia.

......... Erro de outrem ............. Punições compatíveis Art..... CP) * .. 1. Núcleo do tipo 2... 313-A e 313-B 1..... Características essenciais 2.... em razão do erro de outrem..... Núcleo do tipo 2........ Consumação 2. Doutrina majoritária.......... Aprovação pelos órgãos fiscalizadores 4.... Consumação 4..... CP – Emprego irregular de verbas ou rendas públicas 1..... Núcleo do tipo 1... Sujeito ativo 3.... Elemento objetivo Art....... .. Erro de outrem 3. Elemento subjetivo Núcleo: apropriar-se... ....... 314.......Vítima se engana sozinha........... 315...... Excludentes do crime ... Formas de diferenciação 3.....Indução a erro (171. sonegação ou inutilização de livro ou documento 1... Arts.......1.. O funcionário público já tem a posse do bem.. CP – Extravio....Ambas * Pena menos gravosa Não pode ser erro provocado e sim espontâneo....... Crime subsidiário 3.. Consumação: É o momento em que o funcionário público percebe o engano e se apropria...... (Dolo superveniente ao agir de outrem)..

CP: Inserção de dados falsos em sistema de informações. se houver o dano. Art. Sujeito ativo: Funcionário público autorizado. 314. Finalidade da ação criminosa (dolo específico da conduta – especial fim de agir): 1º . Refere-se à modificação do sistema informatizado. 313 –B: Modificação ou alteração não autorizada do sistema de informações. 313-A e B Crimes inseridos no ano 2000 no CP. conhecido pela alcunha de “peculato eletrônico” (nomenclatura utilizada em algumas provas) quando o seu dolo é voltado para a obtenção de vantagem ilícita. 2ª conduta criminosa: Alterar ou excluir dados verdadeiros do sistema. Proteção do sistema em si. por vezes. inutilizar (perder a finalidade).Obter vantagem indevida. Não se exige. Penas do 313A X 313B No art. dano ou dolo específico. para o preenchimento do tipo. Art.Extravio. *questão de prova – palavra-chave no Google: Abelardo Fonseca. O tipo em questão trata também da exclusão e alteração de informações verdadeiras. Tem acesso ao sistema de dados. sonegação ou inutilização de livro ou documento Núcleos do tipo: Extraviar (perder). Sonegar (ocultar). Objetos estes que se encontravam na posse do funcionário público.Art. 313-A. O 313-A é. 313B. há incidência do Parágrafo Único: aumento de pena 1/3 a ½. Condutas que recaem sobre dois objetos materiais: livros e documentos. . CP .Causar dano. 1ª conduta criminosa: Inserir ou facilitar a inserção de dados falsos. para si ou para outrem 2º .

Caso acompanhemos o raciocínio da profa. ** Crime julgado no JECRIM Núcleo do tipo: “dar aplicação diversa”. CP. Lei strictu sensu: não há analogia em malan partem.). Emprego irregular de verbas ou rendas públicas. no entanto. Desvio da finalidade pública “a” para a finalidade pública “b”. 315. * A maioria destes casos gera improbidade administrativa.Sempre que as condutas descritas estivere enquadradas em tipos mais gravosos. CP: mudança dentro da própria finalidade pública. poder-se-ia falar em tentativa com a simples destinação. impossível de ser feita em normas incriminadoras.Enriquecimento ilícito .312. A aprovação do ato por estes órgãos não é excludente de responsabilidade penal dos gestores. Peculato-desvio: desvia de finalidade pública para finalidade particular. a opinião da profa. O sujeito ativo deste crime é o gestor público. . Improbidade administrativa: . Recai sobre verbas ou rendas com destinação vinculada. Delito subsidiário. *”desvio”: . aplicam-se estes. Polêmica sobre o momento da consumação: Bastaria a destinação irregular ou seria necessário o emprego de fato da verba ou renda (esta última. Art. Todos os atos de gestão passam por órgãos fiscalizadores. Este crime só admite a modalidade dolosa..315.

** “carteiradas” normalmente são concussão. .. Concussão e corrupção Verbo: Exigir. Concussão X corrupção O crime de concução tem o verbo ‘exigir’ (imperatividade. deve haver tipo penal.situação de inexigibilidade de conduta diversa (exclusão de culpabilidade – excludente supralegal) Art. CP.Estado de necessidade (exclusão de ilicitude) . Concussão + Excesso de exação Concussão 1. o contrário não é verdadeiro. 316. Toda vez que há crime. Exercício do cargo? 3. O agente não necessariamente deve estar em exercício da função – deve. no entanto. O crime é dito consumado no momento da existência de vantagem (crime formal). ser em razão da função.Ofensa aos princípios da administração Para haver crime. imposição). Consumação 2.Dano ao erário . A vantagem pode ser de qualquer espécie (não é crime material). Excludentes do crime: . *pode haver concussão antes do exercício da função. há improbidade administrativa.1. Núcleo do tipo 1. O de corrupção tem o verbo “solicitar”. O recebimento da vantagem indevida é apenas exaurimento da ação criminosa.

.. Elementos para preenchimento dos significantes no tipo: elementos do direito tributário.................. CP – Excesso de exação Exação é a cobrança de tributos – o problema descrito no tipo é o excesso na cobrança......... §1º..... 2......Heterogênea: o complemento da lei penal é extraído de fonte de hierarquia diversa. Cobrança em excesso 2. 3º) ........ 316. Conceito de exação 2.......... Penas cabíveis Art.. Art..... Núcleos do tipo 2. Excesso de exação 2...137/90.. O funcionário “sabe” ou “deveria saber”: crime praticado a título de dolo direto ou eventual (?!) Exigir tributo devido ou indevido # exigir propina para não cobrar tributo ou cobrar a menor (tipo previsto na lei 8...... 316 como lei penal em branco: precisa de um complemento para que o seu sentido seja extraído......1.... ou 2º Exigência de um tributo devido.. usando-se de meio vexatório ou gravoso.....1.3.... Lei penal em branco 2....... * lei penal em branco ... 317.5..... Consumação §1º e §2º......2..................4........ O que caracteriza o excesso de exação: 1º exigência de um tributo indevido. . CP – Corrupção passiva 1.....Homogêneo: o complemento desta é extraído de fonte de mesma hierarquia........1.. Elemento subjetivo 2... Teoria monista 2..5.. Finalidade da cobrança 2..........

317. por trás dessas condutas. CP. pois. Art. CP. CP.* Crimes tributários. Corrupção Passiva Este crime acontece do estado em direção ao particular – não necessariamente se refere a uma postura passiva do funcionário público. §2º Desvio. Exige-se bilateralidade entre corrupção passiva e ativa? Não necessariamente. o dolo de transgredir suas funções públicas. pagamento e extinção da punibilidade A finalidade da cobrança diferencia o §1º do §2º do 316. na verdade. Teoria monista: Todos que contribuem para o crime devem ser compreendidos no mesmo tipo. receber. Caput. Em tese. Corrupção passiva – 317. Aplicação do princípio da adequação social a cretas condutas que formalmente se encaixariam no caput do 317. Teto TJ/Ba: R$ 100. Pena 2-12. . Pena 3-8. §1º: A cobrança indevida é remetida aos cofres públicos. a duplicidade de tipos relativos à conduta da corrupção (ativa e passiva) estaria violando a teoria monista. Esta violação. Receber: Crime material com resultado naturalístico. OBS: Deve haver. entretanto. os tipos em questão dissertam sobre condutas diferentes. aceitar promessa. é aparente. Crime doloso.00 Quando há consumação deste crime? Aceitar promessa/ solicitar > Crime formal: não necessariamente a vantagem deve ter sido entregue ao funcionário. em proveito próprio ou alheio (excesso de exação com desvio). *Ex: Lembranças de fim de ano. Núcleos: solicitar. CP.

Além da consumação............ mas que atue em razão dela. Crime remetido 1............ Não envolve a vantagem indevida... de outrem Corrupção privilegiada difere de prevaricação (art..... 319. Art.. Competência Art.. §2º corrupção privilegiada: Pena menor que a do caput. §1º..... 318.... 317.. Núcleo do Tipo 1... Mudança na legislação 2. ..1...... Sujeito do Crime 4...1........Obs: Não há necessidade que o funcionário público esteja no exercício de sua função... Figura do particular 2...... Núcleo do tipo 2.. pois nesta última a conduta é praticada por sentimento/interesse pessoal......... Praticar.2.. . Elemento normativo ........... CP). Retardar. Atendendo a pedido. CP: Causa de aumento de pena...... Consumação 3..... 1/3... 319.. influência.... CP . § 1º conhecida como corrupção exaurida.. Pode haver intermédio de outrem na conduta criminosa deste tipo...... Deixar de. .... há o exaurimento.....................O funcionário deixa de praticar seus atos de ofício........... CP – Facilitação de contrabando ou descaminho 1.....1..........Pratica-os infringindo a lei.Prevaricação 1..........

334. Pena 1 – 4 anos. independentemente do contrabando ou descaminho se consumarem. Art. CP: Descaminho. incorreria com a facilitação no art. CP: contrabando. CP. pois faz uma remissão expressa ao art. Crime formal. Traços distintivos Art. O sujeito ativo deste crime é o funcionário público com a atribuição de fiscalização das mercadorias. e o particular em pratica de contrabando ou descaminho. CP – Prevaricação Competência de julgamento: JECRIM. 1. Contrabando: Importar ou exportar mercadoria proibida. da justiça federal. deixar de praticar. Núcleos do tipo: retardar. 334 – A. Consumação 2. Lei de 2014.2. CP: “facilitar”. CP. Competência: em regra. praticar (infringindo a lei). Núcleo do 318. 334. 319. 318. nas penas do 334 e 334-A. CP e 334 – A. então. O funcionário público. Pena 2 – 5 anos. Consumação: Com a facilitação. CP O 334 foi separado em 334 e 334 – A. * problema tributário. Descaminho: importar ou exportar mercadoria criando alguma fraude para iludir o pagamento de tributo. mercadorias ilícitas. Este crime só pode ser cometido a título de dolo. 318. . CP É crime remetido. pois comumente praticados por agentes de natureza federal.

. Ex> flagrante postergado..................... segundo a doutrina.. §1 ....2. consuma-se com a prática dos núcleos do tipo..........): Crimes omissivos próprios.1............. ............ Crime formal X mera conduta * Greco diz que existe diferença entre ambos...... Deixar de (... Núcleo do tipo 2... puros..........Traços distintivos: Deixar de praticar infringindo a lei: ............interesse pessoal > 319 (prevaricação) Retardar ou deixar de praticar (indevidamente) > Elemento normativo do tipo.... CP – Crime sem nomeNúcleo do Tipo 1... 319 – A ..mediante vantagem > 317.............. Nomen Iuris? 2..... ... Elemento subjetivo 2...... Bittencourt iguala os dois conceitos como sinônimos........mediante pedido > 317...... previsão legal (exemplo em contrário) Consumação da prevaricação: Crime de mera conduta. Consumação 3. deve ser valorado no caso concreto............ Sujeito do crime 4... §2 .. Partes do celular? Crime sem nome: “Prevaricação imprópria”.

. Quanto ao sujeito ativo 1.. Nomenclatura 1... 50...................................... 320...............1. Arquivamento de processo disciplinar sem sanção... O art. Art. 319 pode incidir sobre a conduta de passar partes do celular – STF.. Quanto a conduta criminosa 2. crime de mera conduta....2 Consumação/ Tentativa 2......... LEP). CP (crime comum). O preso que é pego em posse de celular e outros objetos não comete um crime...... Prazo para providências 4.Núcleo: “Deixar de cumprir o dever de vedar” Sujeitos do crime: Agentes do sistema prisional... 349-A............. Elemento normativo 3..........1 Núcleos do tipo 1.................. 319A e 349ª = mesma pena Qual a conseqüência de falta grave? Compromete o atestado de ‘bom comportamento carcerário’ (progressão de regime). CP – Advocacia administrativa 1. mas sim uma infração administrativa conhecida como falta grave (Art. Condutas criminosas 1.. ..... Núcleo do tipo ..... Crime doloso......... CP – Condescendência criminosa 1. 321...... O particular que ingressa ou facilita o ingresso dos objetos citados está descrito no art.....2......... Perda de 1/3 dos dias remidos (remissão).

Ilegitimidade do pedido 4. Traços distintivos .3.