You are on page 1of 33

01. CONSOLAI! – Letra e Música: D.

P – Versão: Frei Roan Ataíde, OAR


Consolai, o meu povo, disse o Senhor,/ falai ao coração do homem./ Gritai, meu amor
tem vencido,/ preparai o caminho, que vem vosso Redentor.
Eu Te escolhi para amar, Te dou minha força e luz para guiar./ Sou Teu consolo no
penar glória a Deus. (bis)
Consolai, o meu povo, disse o Senhor,/ tirai da cegueira a meu povo./ Eu estabeleci
convosco/ aliança perpétua/ Sou vosso único Deus.
Consolai, o meu povo, disse o Senhor,/ mostrai o caminho de liberdade./ Eu vos darei
fortes asas transformarei vossos passos, em sendas de eternidade.

02. TU NOS ATRAÍSTE - Comunidade Católica Shalom


Cada vez que comemos deste pão / o teu corpo nos renova nesta comunhão, / cada
vez que bebemos deste vinho o teu sangue nos transforma nesta comunhão de
amor.
Quem come deste pão, viverá para sempre. / Só tu tens palavras de vida, vida eterna.
Para onde ir longe de ti, Tu nos atraístes oh Senhor, eis nos aqui.
Deus entre nós, holocausto de amor, eterna e nova aliança em teu sangue!/ Elevado
na cruz, cordeiro de Deus. / Tu nos atraíste oh Senhor, nós somos teus.
Vimos ti Senhor que a glória refugir, em teu lado aberto encontramos plena paz. / Em
teu corpo santo somos recriados, Tu nos atraístes oh Senhor, vivo estás.
A igreja tua esposa te espera com ardor, alimento de eternidade o teu corpo / Nesta
comunhão banquete do céu, Tu nos atraístes oh Senhor, eterno bem.

03. MILAGRE DE AMOR - Juliana de Paula


Que bom te receber no meu coração/ Te tocar, ter-te em minhas mãos, / com
carinho te acolher e contigo ser um só. // Ter contigo uma perfeita comunhão, /
Corpo e Sangue, vinho e pão. / Milagre de Amor, fonte de vida.
Ó meu Jesus Eucaristia, eu te recebo em comunhão, / pois mesmo sem que eu
mereça, / Vens fazer morada no meu coração. / Eu te adoro meu Jesus, / Doce
mistério no meu coração. / Como um Deus tão grande e soberano se faz/ Pequeno
um pedaço de pão só por amor.

04. FONTE DO VIVER - Amor e Adoração - Ana Lúcia/Luciana Sitta/Carlos Tocco


Eis aqui a fonte do viver/ o pão e o vinho no altar/ sustenta a humanidade. / E em
procissão vou receber/ o Cristo vivo a se doar para a eternidade.
Todos têm o seu lugar, nesta mesa singular/ de fraternidade e vida. / Eis a tua vitória,
vai além da história/ amor tão grande assim.
Eis o meu corpo partido por ti, / fazei isto em memória de mim. / Eis o meu sangue
derramado na cruz, / venham todos a mim: eu sou Jesus. (2x)
05. UM SÓ CORPO - Comunidade Católica Shalom
Felizes os que vêm ao banquete do Senhor! / Em sua mesa somos irmãos./ Um só
corpo e coração. (2x)
O teu corpo é alimento/ Repartido no meio de nós. / O milagre que nos sustenta/ Nos
permite tocar o céu.
O teu sangue nos traz a vida/ Que floresce no lenho da cruz./ Sacrifício que nos
transforma, / realiza em nós a paz.
Tua Igreja exultante espera/ O banquete que não findará. / No teu corpo e no teu
sangue/ O mistério do Amor se dá.

06. CORPO SANTO – Fátima Souza


Quando vou ao Teu encontro, receber Teu corpo santo./ Sinto forte Tua presença em
mim Teu amor a me tocar.
Podes tocar em mim, Senhor/ podes curar a minha dor./ Podes viver em mim,
Senhor! (2x)
Teu corpo santo, a me tocar, com o Teu poder a me curar./ Toda a minha vida
transformar.(2x)
Algo invade o meu coração, Teu Corpo e Sangue me curando./ Sinto, já não sou igual
todo o meu ser se renovando.

07. VERBUM PANIS – Balduzzi - versão Pe Wagner Ferreira


Desde o princípio/ antes mesmo que a terra começasse a existir/ o Verbo estava
junto a Deus. / Veio ao mundo e pra não abandonar-nos nesta viagem nos deixou/
todo a si mesmo como pão.
Verbum caro factum est/ Verbum panis factum est. (2x) E aqui partes o teu pão em
meio a nós/ Todo aquele que comer não terá mais fome. / E aqui vive tua Igreja em
torno a ti/ onde se encontrará a morada eterna. / Verbum caro factum est/ Verbum
panis factum est/ Verbum caro factum est/ Verbum panis.
Desde o princípio/ quando o universo foi criado da escuridão/ o Verbo estava junto a
Deus. / Veio ao mundo/ Rico em misericórdia Deus mandou o Filho seu/ Todo a si
mesmo como pão.

08. ESTAR CONTIGO - Walmir Alencar


Grande mistério de amor/ Tão verdadeiro e tão singelo/ Se fez tão pequeno neste
simples pão/ É todo alimento de minh ‘alma.
Neste momento santo, que alegria é te encontrar/ E te sentir tocando em mim, me
transformando/ Quero dizer te amo, meu Jesus/ Teu gesto humilde vem me ensinar/
Me revelando como devo andar... Estar contigo.
09. DEUS PRESENTE – Toca de Assis
A cada dia vens/ Em sacrifício se dá / Corpo e sangue vem nos ofertar A esperança de
uma vida santa/ Todo aquele que teu corpo e sangue comungar.
Não é mais pão é Deus presente/ Se vê se sente cordeiro imolado sobre o altar, Não
é mais vinho é o sangue do Senhor/ Que nos liberta/ E cura o nosso coração da dor.

10. DIZE UMA PALAVRA - Agnus Dei


Sim, eu sei, Jesus que tu estás aqui,/ com meu coração posso te ver./ E te peço vem
manifestar a graça em mim,/ esta comunhão renova o meu viver.
Sim, eu sei Jesus, que vais falar em mim,/ com meu coração posso escutar./ E te peço
vem manifestar a graça em mim,/ com teu corpo e sangue vem me transformar.
Eu não sou digno Senhor,/ de que entres em minha morada,/ mas dize uma palavra
e terei a salvação./ A eucaristia se faz vida em minha vida, te recebo meu Jesus no
coração./ A eucaristia se faz vida em minha vida,/ te recebo meu Jesus no coração.

11. SACRAMENTO DA COMUNHÃO – Nelsinho Correa


Senhor, quando eu te vejo/ No sacramento da comunhão/ Sinto o céu se abrir/ E uma
luz a me atingir/ Esfriando minha cabeça/ E esquentando meu coração.
Senhor, graças e louvores/ Sejam dadas a todo momento/ Quero te louvar na dor,/
na alegria e no sofrimento./ E se em meio à tribulação/ Eu me esquecer de Ti/
Ilumina minhas trevas com Tua luz.
Jesus, fonte de misericórdia que jorra no templo/ Jesus, o filho da Rainha/ Jesus,
rosto divino do homem/ Jesus, rosto humano de Deus.
Chego muitas vezes/ Em Tua casa, meu senhor/ Triste, abatido, precisando de amor/
Mas depois da comunhão/ Tua casa é meu coração/ Então sinto o céu/ Dentro de
mim.
Não comungo porque mereço, / Isso eu sei, Ó meu Senhor/ Comungo, pois preciso de
Ti./ Quando faltei à missa,/ Eu fugia de mim e de Ti/ Mas agora eu voltei/ Por favor,
aceita-me.

12. TUA VIDA EM MIM - CD Glorificando a Trindade - Agostinianos


Quisera que viesses ao meu coração/ e o inebriasses com tua presença. / Para me
esquecer de meus males/ e me abraçar contigo Jesus. / Que sejas para mim mais
atraente/ do que o mundo e suas seduções. / E assim te ame mais intensamente, / E
me faças livre de toda tentação.
Vem que eu sou o pão dos fortes, / cresce de mim te alimentarás. / Não me
transformarás em ti, mas te transformarás em mim. (2X)
Minha alma é morada estreita, / pra te receber dilata-a Senhor. / Ouço tua voz e me
aproximo mendigo enfermo que sou. / És me u Deus tu mesmo me convidas, / tão
rico te fizeste pobre por mim. /Pra que eu mendigo enriquecesse, enfim/ tua vida
envias a mim.
13. AO PARTIR DO PÃO - Walmir Alencar
Quem podia imaginar/ Que aquela cruz/ Era só o começo/ De uma história de amor./
Comentavam com grande dor/ Tudo o que se passou/ e jamais esperavam/
reencontrar o Senhor.
Aconteceu sem mesmo esperar/ Ele apareceu em meio aos discípulos/ A caminhar
falava de amor e o som de sua voz/ abrasava os seus corações, e diziam:
Senhor fica conosco/ É tarde e o dia declina/ Quase sem esperança/ Partimos sem
direção./ Mas ao redor da mesa/ Se abriram os nossos olhos/ Te reconhecemos ao
partir do pão./Já não chore Jerusalém/ A alegria voltou./ Teu Senhor está vivo/ Ele
ressuscitou.

14. O MILAGRE DESTA COMUNHÃO - Walmir Alencar


Quanto amor existe neste altar!/ Tanta vida para celebrar/ Gente que aqui se uniu, /
pôs as mãos e o coração/ E em cada detalhe veio preparar./ Flores para enfeitar,
velas para iluminar/ Tudo enfim pra celebrar.
O amor maior chegou assim/ Se fez servo para o outro/ Deu sentido ao nosso
encontro/ Nossa união, o vinho e o pão: / Eis o milagre desta comunhão.
Quanta harmonia neste altar!/ Tanta vida para celebrar/ Gente que aqui chegou, o
seu tempo dedicou/ E em cada ensaio veio preparar./ Instrumentos pra tocar, vozes
para entoar/ Tudo enfim pra celebrar.
Quanta história existe neste altar!/ Tanta vida para celebrar/ Homem que se
consagrou, sacerdote se tornou/ E em cada momento traz o céu a nós./ Desde jovem
decidiu ao Senhor se abandonar/ Tudo enfim pra celebrar.

15. JOSÉ, HUMILDE ARTESÃO - Irmã Míria


José, humilde artesão, trabalhaste noite e dia/ para não faltar pão, / para não faltar
pão no lar da Virgem Maria. / Que não falte em nossa vida, / este pão que vem do
céu/ Mas cresceu com a comida que o teu trabalho lhe deu!
Vem ajudar-nos José, ensina-nos outra vez. / A receber com mais fé o pão que Jesus
se fez!
Este Jesus tão criança te deu razão para viver. / Dá-nos crescer na esperança por este
pão aqui ter!
Bem mais que tudo José, ensina-nos a amar. / Quem cresceu em Nazaré, e é pão
agora no altar!
Mostra o segredo da missa, que ter nas mãos este pão. / É construir a justiça, e
promover todo irmão!
Parte de ti era José, o pão que Jesus comia. / Pensando nisso Ele até quis, nosso pão
ser um dia!
16. VENHO SENHOR - Vida Reluz
Venho Senhor te receber agora/ Teu santo corpo, Senhor me enche do teu amor. /
Venho Senhor te receber agora/ Teu santo sangue, Senhor/ transborda meu
coração Senhor.
E ao receber teu corpo e sangue Senhor/ Possa em mim brotar a paz, o amor e a
salvação. / E no teu altar seremos um em comunhão/ És grande ó meu salvador.
E ao receber teu corpo e sangue Senhor, / não se faça em mim motivo de
condenação. / Mas se faça sim, Senhor presença tua em mim/ És grande ó meu
Salvador.

17. DE CORAÇÃO - Vida Reluz


Tão distante e tão próximo/ Tão oculto e tão claro./ Ele é o princípio de um plano de
amor/ O próprio amor encerrado no altar./ Presença doce incomparável, Grande
mistério, a Salvação./ Humildemente vinho e pão.
É Jesus Cristo! Ele é o pão da vida,/ É Jesus Cristo!/ Alimento vivo em meio a nós./
Só entenderá seu amor,/ Quem o receber, quem o receber de coração.

18. MARIA DE DEUS, SENHORA DA PAZ – Musse


É bom estarmos juntos/ Nesta mesa do Senhor/ E sentirmos Sua presença/ No calor
do nosso irmão./ Deus nos reúne aqui/ em um só espírito/ e um só coração,/ toda
família vem/ Não falta ninguém/ Nesta comunhão.
E vem, cantando entre nós,/ Maria de Deus, Senhora da paz!/ E vem, orando por
nós, a Mãe de Jesus (2x)
Maria, nossa mãezinha nos convida à união./ Sua presença nos une faz-nos sempre
mais irmãos./ Nossa Senhora escuta o nosso silêncio, a nossa oração./ E apresenta o
filho que se dá no vinho, que se dá no pão.

19. ESTÁS ENTRE NÓS – LP Vem Louvar II - Paulo César de Oliveira


Tu és minha vida, outro Deus não há./ Tu és minha estrada, a minha verdade./ Em tua
Palavra eu caminharei,/ enquanto eu viver e até quando tu quiseres./ Já não sentirei
temor, pois estás aqui,/ tu estás no meio de nós.
Creio em ti, Senhor, vindo de Maria,/ Filho eterno e Santo, homem como nós./ Tu
morreste por amor, vivo estás em nós,/ Unidade Trina com o Espírito e o Pai./ E um
dia eu bem sei, tu retornarás,/ e abrirás o Reino dos Céus!
Tu és minha força, outro Deus não há,/ tu és minha paz, minha liberdade./ Nada
nessa vida nos separará,/ em tuas mãos seguras minha vida guardarás./ Eu não
temerei o mal, tu me livrarás,/ e no teu perdão viverei!
Ó Senhor da vida, creio sempre em ti!/ Filho Salvador, eu espero em ti!/ Santo
Espírito de Amor, desce sobre nós./ Tu de mil caminhos nos conduzes a uma fé,/ e
por mil estradas onde andarmos nós,/ qual semente nos levarás!
20. PÃO DA VIDA -
Na comunhão Jesus se dá no pão,/ O cordeiro imolado é refeição./ Nosso alimento de
amor e salvação/ Em torno deste altar somos irmãos.
O pão da vida és tu, Jesus, o pão do céu/ O caminho, a verdade, via de amor./ Dom
de Deus, nosso redentor...
Toma e come, isto é o meu corpo/ Que do trigo se faz pão, é refeição./ Na eucaristia
o vinho se torna sangue/ Verdadeira bebida, nossa alegria.

21. JOIA RARA - Vida Reluz


Este é o momento de mais pura doação/ De quem sabe amar como ninguém jamais
amou. / Ele nos dá sua vida, o seu plano de amor nos revela. / É alimento da alma o
pão que desceu do céu, / nos dá o seu corpo e seu sangue para a nossa comunhão.
Jesus, tu és a joia mais rara, / fonte de vida que não se acaba. / Te entrego todo o
meu ser em gratidão, / permanece em mim com teu amor/ Teu amor infinito, / sela
em mim a tua salvação.

22. MAJESTOSA EUCARISTIA - Anjos de Resgate - Dalvimar Gallo


Ao abrir meus olhos no altar,/ vi o cálice sagrado com o sangue de Jesus/ e de dentro
desse mesmo cálice subia,/ majestosa a Eucaristia.
Em tua presença eu me sinto,/ um mendigo sentado à mesa de um rei/ e sem ter
como pagar tamanha refeição,/ só posso dar-te eterna gratidão. / O cálice e a hóstia
eram um,/ meu desejo também era com eles ser um.
Ser um só coração, meu Senhor!/ O mesmo sangue nas veias, Senhor!/ E estando
unido a Ti, esquecer-me de mim,/ concedei que eu fique eternamente assim. (2X)
Em tua presença eu me sinto...
Ser um só coração, meu senhor!/ O mesmo sangue nas veias, senhor!/ Tua carne
em minha carne, Senhor!/ o teu sangue em meu sangue, Senhor!/ E estando unido
a ti, esquecer-me de mim,/ concedei que eu fique eternamente assim.

23. MARIA DA EUCARISTIA - Anjos de Resgate


Quão grande graça após uma consagração/ Feita por Pedro, por Tiago ou por João./ A
mãe que alimentou Jesus em seu ser,/ Comunga agora o Deus comunhão.
Quanta alegria a de Maria/ Receber Jesus na Eucaristia./ O corpo do Filho que um
dia ela gerou,/ Foi ela quem primeiro O comungou.
Eu imagino que naquela refeição/ Estava junto aquela que sempre O seguiu / A Mãe
que deu a luz o Cristo meu Senhor/ Comeu do pão que o Filho serviu.
Quanta alegria a de Maria que gerou/ O Deus que em seu ventre um dia alimentou. /
Ser novamente sua morada/ Por isso és bendita e agraciada.
24. A PRIMEIRA QUE COMUNGOU - Toca de Assis Compositor: Paulo Eduardo
A primeira que comungou foi a Virgem Maria/ A primeira que recebeu Jesus no
coração. / A primeira que anunciou foi a Virgem Maria/ E gerou na fé o profeta que
de Isabel nasceu.
Foi por ela que aconteceu a primeira adoração/ E quando os magos a encontraram/
houve a primeira grande exposição.
Mãe Capela do Santíssimo Sacrário do Amor/ Expõe para nós teu filho Expõe para
nós teu filho. / Mãe capela do Santíssimo Morada do Senhor/ Expõe para nós teu
filho/ Expõe para nós teu filho primeiro ostensório do Senhor.

25. VOU CANTAR TEU AMOR – Pe. Fábio de Melo


Vou cantar teu amor, ser no mundo um farol. / Eis-me aqui, Senhor, vem abrir as
janelas do meu coração. / E então falarei, imitando tua voz. / Creio em Ti, Senhor, nas
pegadas deixadas por Ti vou andar.
Vou falar do teu coração, com ternura nas mãos e na voz/ Proclamar que a vida é
bem mais / do que aquilo que o mundo ensina e cantar.
Cantar um canto ensinado por Deus, / com poesia ensinar nossa fé, / Plantar o
chão, cultivar o amor, como poetas que querem sonhar. / Pra realizar o que o
Mestre ensinou, / viemos cear, restaurar o coração, / Fonte de vida no altar a
brotar, a nos alimentar.
Celebrar meu viver pra no mundo ser mais. / Faz de mim, Senhor, aprendiz da
verdade, justiça e da paz. / Comungar Teu viver neste Vinho, neste Pão. / Quero ser,
Senhor, novo homem nascido do Teu coração.

26. EU SOU O PÃO DO CÉU - Pe. Marcelo Rossi


Eu sou o pão da vida o pão do céu/ Eu sou o Rei dos reis, o Salvador/Eu sou o Cristo, o
Filho do Deus vivo, / Me dei por voz só por amor.
Este é meu corpo tomai e comei/ Este é meu sangue tomai e bebei/ Revesti-vos de
minha força/ Estejais em mim eis que estou convosco até o fim.
Eu venci o mundo vos livrei do mal/ tomei vossos pecados deixei lá na cruz/ Vos livrei,
da morte tomei vossa dor/ Venha tenha coragem eu sou o Senhor.

27. PÃO DIVINO DE DEUS – Mauro Viana


Quando vejo o teu Corpo e Sangue,/ sinto em mim o Espírito Santo./ Invadindo o meu
ser,/ inundando o meu viver./ E tão perto de Ti meu Senhor,/ sinto a paz e o teu
grande amor, / a minha vida vem de Ti, / que fortalece a minha fé.
Eucaristia, que grande alegria!/ Mistério de Deus neste Pão./ Que invade o meu
ser/ Pão Divino de Deus/ a alegria nos vem do Senhor!
O mistério da comunhão é Deus vivo em forma de pão, / corpo e sangue de Jesus, na
eucaristia, Cristo é luz.
28. O PRIMEIRO NATAL -
Um Anjo proclamou o Primeiro Natal / a uns pobres pastores ao céu de Belém. /
Maria deu a luz ao Menino Jesus, / numa noite tão fria e escura também.
Natal, Natal! (2x) / É-nos nascido um Rei divinal! (2x)
E de súbito no céu uma estrela surgiu / No oriente brilhou um estranho fulgor. / E a
terra percebeu essa luz que caiu / muitas noites ainda em exímio esplendor.
Tendo visto a clara a luz / dessa estrela sem par / do Oriente os pastores a foram
seguir. / À procura de um Rei que devia chegar / Aos Judeus e as velhas promessas
cumprir.
Essa estrela apareceu e os pastores guiou / Na estrada que para Belém os conduz. /
Maria e José receberam de Deus / o Menino Jesus, nosso Rei nossa luz.

29. OLHAR DO CORAÇÃO – Mauro Viana / Nalva


Volta o teu olhar, o olhar do coração/ e ver que dentro em ti está alguém, / alguém
que te faz feliz demais, / ver que brilha mais que o sol é Jesus. (2x)
Que bom Senhor é descobrir que em mim estás, / nesta comunhão que alimenta o
coração. (2x)
Volta o teu olhar, no olhar do teu irmão, / e ver que nele está alguém, / alguém que é
Filho de Deus. / E sempre está a brilhar, é Jesus.

30. AO REDOR DA MESA - Ir. Elisabete T. do Prado CIIC


Ao Redor da mesa sagrada estamos Senhor. / Celebrando a Fé a partilha do vinho do
Pão:/ teu corpo e sangue, aliança de amor.
Pela primeira vez, pela primeira vez, venho Jesus comungar. / Pela primeira vez,
pela primeira vez venho Jesus comungar teu amor.
Somos filhos, irmãos; a igreja, no Pai, comunhão. / Qual os ramos na mesma videira,
/divino cuidar, do corpo, os membros: um só coração.
Comungar é também se envolver, é se comprometer. / Teus discípulos somos,
queremos teus passos seguir. / O teu projeto anunciar e viver.

31. DEUS É CAPAZ - Vida Reluz


Deus é capaz de transformar tua vida/ O impossível Ele fará porque és precioso aos
Seus olhos./ E se tiveres a coragem e a loucura de acreditar/ Então irás provar que Ele
pode muito mais.
Deus é capaz de trocar reinos por ti/ Abre mares para que possas atrasvessar./ E se
preciso fosse daria novamente a vida por ti/ Deus só não é capaz de deixar de te
amar.
É preciso crer e se entregar sem medo/ Ele nunca vai tirar a tua liberdade se não
queres/ Mas se te entregas sem reservas tua vida se transformará/ Então irás provar
que Ele pode muito mais...
32. MINISTÉRIO DE SALVAÇÃO - Canção Nova
Ao me aproximar da mesa do Senhor/ Para receber Corpo e Sangue de Jesus, / a Sua
misericórdia me envolve, me conduz. / É a certeza de viver a vitória da cruz.
Ouço Jesus chamando meu nome, / me convidando a ser santo, a ser luz. / O que
eu vivo neste momento é mistério de salvação, / é, verdadeiramente, Jesus tocando
meu coração. / É Jesus, é Jesus, tocando o meu coração.
Este alimento que vou receber agora/ Santifica minha vida e me leva para o Céu. / Eu
creio na Eucaristia: Jesus está aqui, / Amando e perdoando os meus pecados.
Como é grande o meu Senhor, imenso é o Seu poder. / Mergulho na sua paz, me
abandono em Seu amor. / Doce, suave melodia os anjos cantam lá no Céu, / pra
celebrar a salvação e a glória de Deus.

33. ABRAÇO DE PAI - Vida Reluz


Quanto eu esperei, ansioso queria te ver,/ E te falar o que há em mim, já não podia
me conter./ Me decidi senhor, hoje quero rasgar meu viver e te mostrar meu
coração,/ Tudo o que tenho e sou.
E por mais que me falem não vou desistir,/ Eu sei que nada sou por isso estou
aqui,/ Mas eu sei que o amor que o Senhor tem por mim,/ É muito mais que o
meu,/ sou gota derramada no mar.
Quanto tempo também o Senhor me esperou,/ Nas tardes encontrou saudade em
meu lugar,/ Mas ao me ver na estrada ao longe voltar,/ Num salto se alegrou e foi
correndo me encontrar.
E não me perguntou nem por onde eu andei,/ Os bens que eu gastei mais nada me
restou,/ Mas olhando em meus olhos somente me amou,/ E ao me beijar, me
acolheu num abraço de Pai.

34. COMO ÈS LINDO – Vida Reluz


Que bom, Senhor, ir ao teu encontro,/ poder chegar e adentrar à tua casa./ Sentar-
me contigo/ e partilhar da mesma mesa./ Te olhar, te tocar/ e te dizer: meu Deus,/
como és lindo!
Ó meu Senhor, sei que não sou nada:/ sem merecer, fizeste em mim/ tua morada,/
mas ao receber-te/ perfeita comunhão se cria/ Sou em Ti/ és em mim./ minh'alma
diz: meu Deus,/ como és lindo!
35. O CORPO QUE ERA DELE - Grupo Agnus Dei
O corpo que era Dele, eu comerei agora;/ o sangue que era Dele meu será;/ A vida
que era Dele, eu viverei agora;/ o sonho que era Dele meu será!
A farinha molhada na água é o pão;/ a farinha molhada na fé é Jesus. / Eis o sonho
que o mundo não quis entender:/ Quem não comer, não viverá!
Muita uva amassada no pé é o vinho;/ muita uva amassada na fé é Jesus. / Eis o
sonho que o mundo não quis entender:/ Quem não beber, não viverá!
36. ABRE TUA PORTA - José Acácio Santana
Abre tua porta, que alguém está batendo/ Abre tua porta, que alguém está
nascendo/ É Jesus que vem a ti.
Porque não respondes? Porque tu te escondes? / Impedes Jesus de renascer! (Bis)
Tira este manto que veste o velho homem/ Tira da vida ideais que te consomem/
Abre a porta pra Jesus.
Quando acolheres idosos e crianças/ Para cobri-los de paz e de esperança/É Jesus que
vem a ti.

37. ESTOU À PORTA E PEÇO ENTRADA - Pe. Fábio de Melo


Eu te vejo procurar muitos caminhos, é sincera tua busca eu bem sei/ Tu anseias um
alento, um abrigo, / nos afetos que procuras conquistar. / Nos teus olhos eu percebo
a tristeza, / um vazio que ninguém pode suprir. / Eu te amo e quero ser teu grande
amigo/ se me acolhes, vida nova te darei.
Cheguei agora, estou à porta e peço entrada / Vim pra ficar na tua casa, estou aqui/
Sentar-me à mesa, partilhar a nossa vida, /na intimidade revelar meu coração. / Por
muito tempo esperei por esse dia/ vem pros meus braços neste abraço de perdão, /
Não me importa se tu tens as mãos vazias / Eu sou Jesus e quero estar junto de ti.
Eu te chamo e quero ouvir tua resposta, / te respeito nesta tua decisão/ Tens a vida e
a morte a tua frente, / tu és livre para agora escolher. / Se tu vens comigo assumo o
teu fardo, / tua dor será também a minha dor. / Eu te amo com amor que não se
acaba, / sou Jesus e quero estar junto de ti.

38. SOLILÓQUIOS – Agostinianos Recoletos


Deus separar-se de Vós é cair, voltar-se para vós é levantar-se, permanecer e estar
em Vós, é Achar-se firme. / Deus dar-te as costas é morrer, converter-se a Vós, é
reviver, e morar em Vós, é viver.
Só a Vós eu amo. Só a Vós eu sigo e busco, / só a Vós eu vou servir, porque só Vós
sois o Senhor. (2x)
Sei que necessito voltar a Vós, abre-me a porta, que estou chamando, mostra-me/ o
caminho que leva a Vós. / Eu não conheço o caminho, só isso sei, ensina-me Vós,
mostra-me Senhor/ dá-me Vós a força para a viagem.
Manda e ordena Senhor o que queiras, sara meus ouvidos para ouvir-te, sara e abre
os olhos que quero ver-te. / Deus, ninguém te buscou e não te achou, agora só
imploro sua grande clemência, / Pai recebe-me volto como servo.
39. TE LOUVO MEU SENHOR, POIS OLHASTE PARA MIM – L.: José Thomaz–M.: Frei Fabreti -OFM
Te louvo meu Senhor, pois olhaste para mim./ Caídos e humilhados têm sempre o teu
favor. Se eu não tinha nada bastou-me dizer sim./ És o meu socorro, meu Deus, meu
Salvador.
Teu amor sempre faz maravilhas: a quem se faz menor, estende tua mão./ És a luz
dos teus filhos e filhas! Vigor de quem não fecha o coração!
Te louvo meu Senhor, pois assim é teu poder:/ dispersa os prepotentes, acolhe quem
sofreu./ Fere os poderosos, mas nutre e faz crescer/ quem se reconhece pequeno
filho seu.
Te louvo meu Senhor, que promessa é pra cumprir:/ famintos conheceram a graça
dos teus bens./ Ricos lá se foram sem nada conseguir/ com misericórdia teu povo tu
manténs.

40. EIS O PÃO DA VIDA – José Raimundo Galvão


Eis o pão da vida, eis o pão dos céus que alimenta o homem, em marcha para Deus.
Um grande convite o Senhor nos fez e a Igreja o repete a toda vez. Feliz quem ouve e
alegre vem trazendo consigo o amor que tem.
Um dia por nós o Senhor se deu, do sangue da cruz o amor nasceu. E ainda hoje Ele
dá vigor, aos pobres, aos fracos, ao pecador.
Se o homem deseja viver feliz não deixe de ouvir o que a Igreja diz: procure sempre
se aproximar do Deus feito pão para nos salvar.
Há várias maneiras de o receber, efeitos diversos pode conter, não nos suceda comer
em vão aquilo que é fonte de salvação.
Quem come este pão sempre viverá, pois Deus nos convida a ressuscitar. Oh! Vinde
todos, comei também o pão que encerra o sumo bem.

41. NA COMUNHÃO TE ENTREGAS A MIM - Vida Reluz


Comungar, receber-te Senhor, / No coração guardarei, / venho te encontrar. Celebrar
vinho e pão festejar tua presença em meu coração./ Excelso, eterno Senhor / em
meus lábios o louvor é sincero/ em meus lábios o louvor é sincero.
Na comunhão te entregas a mim / Também me entrego a Ti. (2x)
Vou louvar bendizer / O teu nome engrandecer ó Senhor, vou te encontrar Celebrar,
vinho e pão, a igreja reunida em oração./ Excelso, eterno Senhor/ Em meus lábios o
louvor é sincero. / Em meus lábios o louvor é sincero.
Vou louvar, bendizer / O teu nome engrandecer ó Senhor, vou te encontrar. Celebrar,
vinho e pão, festejar tua presença em oração./ Excelso, eterno Senhor em meus
lábios o louvor é sincero. / em meus lábios o louvor é sincero ...Senhor...
42. ESPOSO RESSUSCITADO – Com. Católica Shalom – Cristiano/ Fernando Martins
Caminhávamos tristes, sem direção/ sob o peso da morte e da dor/ mas Tu entras em
nossas estradas e conosco caminhas. / O que era escuro e sem vida, a vida recebe de
Ti.
Tua palavra expulsa a frieza em nossos corações/ Tua presença abrasa o nosso ser/
Tu escolhes conosco permanecer, nossos olhos se abrem. / E não há mais noite se o
Sol da Justiça está entre nós.
Permanece conosco, Pão da Vida, nossa Paz/ Ó Cordeiro Imolado, nosso Céu! /
Permanece conosco, Pão da Vida, nossa Paz/ Ó Cordeiro Imolado, nosso Céu! / Ó
Esposo Ressuscitado!/ Bendito fruto que pendeu da árvore da Cruz!/ Ó Esposo/
Ressuscitado!/ Em Ti toda a nossa vida/ todo o nosso coração se refaz!

43. SEDE SANTOS - Vida Reluz


Deus consagrou um povo escolhido,/ o amou profundamente desde toda a
eternidade. Para ser sal e luz, gerar Cristo Jesus no seio da humanidade.
Hoje somos este povo tão amado, Deus nos chama a viver o seu amor./ Nos convida a
todo instante sem cessar e pede a nós: sede santos.
Sede santos, esta é minha vontade, sede santos é o que eu mais quero./ Sede
santos, esta é minha vontade, sede santos é o que eu mais quero.
Vou ser santo, esta é minha resposta, vou ser santo, eu digo sim, Senhor. (2x)

44. SIMPLESMENTE AMAR - Vida Reluz


O amor nasceu em meio ao frio de uma noite/ Sem um lugar para ficar...
Desaconchego sim/ Palhas para deitar e ao seu redor os animais que ali moravam/
Mesmo sendo Rei, pobre se fez, só por amor.
Simplesmente amar, é o que importa para quem quiser servir/ Simplesmente amar,
é a condição maior suprema do servir/ Eis a verdadeira vocação: Simplesmente
amar.
O amor cresceu em meio a nós e ao homem se igualou/ Não procurou seus
interesses, não.../ Do próximo quis lavar os pés como sinal de igualdade/ Na cruz se
entregou e perdoou só por amor.
Como dizer "Senhor te amo" sem mesmo vê-lo./ E ser incapaz de amar o outro que
está ao lado se poder ver ?!/ O que não ama e não conhece a Deus,/ Porque Deus é
amor!

45. CREIO SENHOR, MAS AUMENTAI MINHA FÉ! - C. Gabarain -(Lc 17,5-10) (4ªestrofe: Mauro V.)
Creio Senhor, mas aumentai minha fé!
Eu creio em Deus, Pai onipotente,/ Criador da terra e do céu.
Creio em Jesus, nosso irmão,/ verdadeiramente homem-Deus.
Creio também no Espírito de amor,/ grande dom que a Igreja recebeu.
Creio Senhor, na Eucaristia,/ verdadeiramente Corpo e Sangue.
46. NA MESA SAGRADA – CD Apelos da Eucaristia - Frei Luiz Turra
Na mesa sagrada se faz unidade, / no pão que alimenta, / que é pão do Senhor. /
Formamos família na fraternidade, / não há diferença de raça ou de cor.
Importa viver, Senhor, unidos no amor;/ na participação, vivendo em comunhão!
Chegar junto à mesa é comprometer-se/ é a Deus converter-se com sinceridade. / O
grito dos fracos devemos ouvir/ e em Nome de Cristo, amar e servir.
Enquanto na terra, o pão for partido/ o homem nutrido se transformará. / Vivendo a
esperança num mundo melhor:/ Com Cristo lutando, o amor vencerá.

47. A BARCA – P.C. Gabarain – Paulinas Comep


Tu, te abeiraste da praia,/ não buscaste nem sábios nem ricos./ Somente queres que
eu te siga.
Senhor, Tu me olhaste nos olhos,/ a sorrir, pronunciaste meu nome, /lá na praia, eu
deixei o meu barco, junto a Ti, buscarei outro mar.
Tu, sabes bem que em meu barco,/ eu não tenho nem ouro nem espadas,/ somente
redes e o meu trabalho.
Tu, minhas mãos solicitas,/ meu cansaço que a outros descanse,/ amor que almejas,
seguir amando.
Tu, pescador de outros lagos,/ânsia eterna de almas que esperam,/ Bondoso amigo
assim me chamas.

48. MISSÃO DE PROFETA - Fábio De Melo


Quero aprender teu falar, no teu livro aprender a lição/ Minha canção vou cantar no
compasso do teu coração.
E teu nome eu irei proclamar e enquanto eu viver falarei do teu reino/ E no coração
da humanidade/ quero estar semeando o amor. / Ensinando o perdão,
comungando o teu pão. / Que do céu nos envias pra ser alimento e certeza de vida
eterna/ e num santo milagre de amor, tu te tornas presente entre nós/ Obrigado
Senhor, obrigado Senhor.
Quero sentir tua mão, quando a dor me fizer prisioneiro/ Nunca quero me esquecer
que ao teu lado sou muito mais eu/ Quero ser firme na fé, ser humilde, saber
compreender/ Não olhar para trás nem temer/ sempre ouvindo tua voz que ensina.
49. 55. TESOURO – Movimento Focolares
Tu me deste um tesouro/ brilha mais do que o Sol / não, ninguém mais o levará, /
Porque está dentro de mim. / Nada era o que eu tinha, / como um nada passou. /
Tudo, tudo deixei, porque não me falava de Ti.
Tu és meu grande tesouro, / Tu que me deste o amor. / Vivo e sempre reencontro/
no amor a alegria, de me libertar.
Já, em ti me perdi, / minha vida te dei. / Mas eu seu que a encontrarei/ lá onde está o
meu tesouro.
50. QUANDO TEU PAI REVELOU O SEGREDO A MARIA - Dom Carlos Alberto Navaro
Quando teu Pai revelou o segredo a Maria,/ que, pela força do Espírito conceberia,/ a
ti Jesus, Ela não hesitou logo em responder:/ Faça-se em mim, pobre serva o a que
Deus aprouver!
Hoje imitando a Maria que é imagem da igreja,/ nossa família outra vez te recebe e
deseja,/ cheia de fé, de esperança e de amor, dizer sim a Deus./ Eis aqui os teus
servos Senhor!
Que a graça de Deus, cresça em nós sem cessar! E de ti nosso pai venha o Espírito
Santo de amor, pra gerar e formar Cristo em nós.
Por um decreto do pai ela foi escolhida/ para gerar-te, ó Senhor que és origem da
vida; / cheia do Espírito Santo no corpo e no coração/ foi quem melhor cooperou com
a tua missão.
Na comunhão recebemos o Espírito Santo/ e vem contigo Jesus o teu Pai sacrossanto;
vamos agora ajudar-te no plano da salvação:/ eis aqui os teus servos Senhor!
No coração de Maria, no olhar doce e terno, / sempre tiveste na vida um apoio
materno. Desde Belém, Nazaré, só viveu para te servir;/ quando morrias na cruz tua
Mãe estava ali.
Mãe amorosa da igreja quer ser nosso auxílio. / Reproduzir no cristão as feições de
teu Filho. / Como ela fez em Caná, nos convida a te obedecer:/ eis aqui os teus servos
Senhor!
51. CRISTO, NOSSA PÁSCOA! - M.H. Tolgo – Ivaldo Roque
Cristo, nossa páscoa, foi imolado, Aleluia! / Glória a Cristo, Rei, ressuscitado,
Aleluia!
Páscoa sagrada! Ó festa de luz! / Precisas despertar: Cristo vai te iluminar!
Páscoa sagrada! Ó festa universal! / No mundo renovado é Jesus glorificado!
Páscoa sagrada! Vitória sem igual! / A cruz foi exaltada, foi à morte derrotada!
Páscoa sagrada! Ó noite batismal! / De tuas águas puras nascem novas criaturas!
Páscoa sagrada! Banquete do Senhor! / Feliz a quem é dado ser às núpcias
convidado!
Páscoa sagrada! Cantemos ao Senhor! / Vivamos a alegria, conquistada em meio à
dor!
52. MAS É PRECISO QUE O FRUTO SE PARTA -
O nosso Deus, com amor sem medida, / chamou-nos à vida, nos deu muitos dons. /
Nossa resposta ao amor que será feita/ se a nossa colheita mostrar frutos bons.
Mas é preciso que o fruto se parta/ e se reparta na mesa do amor! (Bis)
Participar é criar comunhão, / fermento no pão, saber repartir. / Comprometer-
se com a vida do irmão, / viver a missão de se dar e servir.
Os grãos de trigo em farinha se tornam, / depois se transformam em vida no pão.
/Assim, também, quando participamos, / unidos, criamos maior comunhão.
53. PELOS PRADOS E CAMPINAS - Música: Frei Fabreti
Pelos prados e campinas verdejantes eu vou/ É o Senhor que me leva a descansar./
Junto às fontes de águas puras repousantes eu vou/ Minhas forças o Senhor vai
animar.
Tu És Senhor, o meu pastor/ Por isso nada em minha vida faltará. (2X)
Nos caminhos mais seguros junto d'Ele eu vou/ E pra sempre o Seu nome eu
honrarei/ Se eu encontro mil abismos nos caminhos eu vou/ Segurança sempre tenho
em suas mãos.
Ao banquete em sua casa muito alegre eu vou/ Um lugar em Sua mesa me preparou/
Ele unge minha fronte e me faz ser feliz/ E transborda a minha taça em Seu amor.
Com alegria e esperança caminhando eu vou/ Minha vida está sempre em suas mãos/
E na casa do Senhor eu irei habitar/ E este canto para sempre irei cantar.

54. DEUS NOS ESPERA EM BELÉM – Música: Frei Fabreti - Letra: J. Thomaz Filho
Deus nos espera em Belém, / Sabe da fome que temos. / Vamos à Casa do Pão, / Lá
nosso irmão nós veremos.
Toda a bondade de Deus/ Desde o começo vigora. / Felizes todos os povos: / Hoje
conosco ele mora!
Foram Maria e José/ Os escolhidos da vida, / Que viram felicidade/ Em se entregar
sem medida.
Anjos cantaram por lá/ Cantos de plena alegria: / E quem se fez vigilante / Viu que o
menino sorria.
Longe uma estrela brilhou/ E nos chamou para perto. / E quem buscou a verdade/
Viu que há bem mais que o deserto.
Justo e piedoso ancião/ Teve o consolo em seus braços:/ E quem a Luz procurava/
Pôde seguir os seus passos.
Eis nossa paz, nosso bem! / Que a humanidade se esmere/ Em ter olhar, gesto e
passo/ Postos no Amor que a prefere.

55. EU NÃO SOU DIGNO - Padre Zezinho


Eu não sou digno, ó meu Senhor/ Eu não sou digno, / De que Tu entres, ó meu
Senhor, na minha casa, / porque és tão Santo e eu pecador/ eu nem me atrevo a ti
pedir este favor.
Eu não sou digna, ó meu Senhor/ Eu não sou digna, / de que Tu entres, ó meu
Senhor, na minha casa/ meu coração é tão pecador/ eu nem me atrevo a ti pedir este
favor.
Mas se disseres uma palavra, / a minha casa se transformará. / Uma palavra é
suficiente/ suavemente ela nos salvará (2x)
56. TANTO QUE ESPEROU PUDESSE UM DIA – Letra: J. Thomaz Filho – Música: Frei Fabreti
Tanto que esperou pudesse um dia/ chegar bem perto dizendo tudo./ Se não
conseguiu como queria/ o seu silêncio não ficou mudo.
Ela muito amou, tem a minha paz: / vai seguir caminho sem temor!/ Sabe quem eu
sou; e será capaz/ de espalhar na terra o meu amor.
Ela ultrapassou toda medida/ não lhe bastando meros preceitos./ Lágrimas, perfume,
que acolhida!/ Nem se importando com preconceitos.
Se ninguém ousou dizer bem claro/ o que pensava daquele gesto,/ Ele revelou como
era raro/ esse carinho tão manifesto.
Ele é sempre mais que um convidado,/ se põe à mesa, nutrindo a vida;/ olha os
corações e põe de lado/ toda aparência, cura a ferida!

57. EIS QUE SOU O PÃO DA VIDA – Letra e música: Casimiro Vidal Nogueira
Todo aquele que comer/ do meu corpo que é doado, / todo aquele que beber do
meu sangue derramado. / E crê nas minhas palavras que são plenas de vida/ Nunca
mais sentirá fome e nem sede em sua lida.
Eis que sou Pão da Vida/ Eis que sou o Pão do Céu! Faço-me vossa comida/ Eu sou
mais que leite e mel.
O meu Corpo e meu Sangue/ são sublimes alimentos. / Do fraco indigente é vigor, do
faminto é o sustento. / Do aflito é consolo, do enfermo é a unção/ do pequeno e
excluído, / rocha viva e proteção.
Eu sou o Caminho, a Vida, / água Viva e a Verdade. / Sou a paz e a luz do mundo, sou
a própria liberdade. / Sou a Palavra do Pai que entre vós habitou. / Para que vós
habiteis na Trindade onde estou.
Eu sou a Palavra Viva/ que sai da boca de Deus. / Sou a lâmpada para guiar vossos
passos irmãos meus. / Sou o rio, eu sou a ponte,/ sou a brisa que afaga./ Sou a água,
sou a fonte,/ fogo que não se apaga.

58. EU QUIS COMER ESTA CEIA AGORA - Letra: Carlos Alberto Navarro - Música: Valdeci Farias
Eu quis comer esta ceia, agora,/ pois vou morrer, já chegou minha hora!
Comei, tomai: é meu corpo e meu sangue que dou. / Vivei no amor, eu vou
preparar a ceia na casa do Pai! (Bis)
Comei o pão; é meu corpo imolado/ por vós, perdão para todo pecado!
E vai nascer do meu sangue a esperança, / o amor, a paz, uma nova aliança!
Eu vou partir; deixo o Meu testamento:/ vivei no amor, eis o Meu mandamento!
Irei ao Pai: sinto a vossa tristeza;/ porém, no céu vos preparo outra mesa.
De Deus virá o Espírito Santo/ que Vou mandar pra enxugar vosso pranto!
59. DA CEPA BROTOU A RAMA - Letra e Música: Reginaldo Veloso
Da cepa brotou a rama, / da rama brotou a flor, /da flor nasceu Maria, de Maria, o
Salvador.
O Espírito de Deus sobre Ele pousará, /de saber, de entendimento este Espírito será. /
De conselho e fortaleza, de ciência e de temor, / achará a alegria no temor do seu
Senhor.
Não será pela ilusão do olhar, do ouvir dizer, / que Ele irá julgar os homens, como é
praxe acontecer... /Mas os pobres desta terra com justiça julgarão, / e dos fracos o
direito Ele é quem defenderá.
A palavra de sua boca ferirá o violento, / e o sopro de seus lábios matará o avarento...
A justiça é o cinto que circunda a sua cintura, / e o manto da lealdade é a Sua
vestidura.
Neste dia, neste dia o incrível, verdadeiro, / coisa que nunca se viu, morar lobo com
cordeiro.../ A comer do mesmo pasto: tigre, boi, burro e leão, / por um menino
guiados se confraternizarão.
Um menino, uma criança com as feras a brincar, / e nenhum mal, nenhum dano mais
na terra se fará... / Da ciência do Senhor cheio o mundo estará, / e as águas enchem o
mar.
Neste dia, neste dia, o Senhor estenderá/ sua mão libertadora, pra seu povo
resgatar.../ Estandarte para os povos o Senhor levantará,/ a Seu povo, a Sua igreja
toda a terra acorrerá.
A inveja, a opressão entre irmãos se acabará/ e a comunhão de todos o inimigo
vencerá... / Poderosa mão de Deus fez no Egito o mar secar;/ para o resto do seu
povo um caminho abrirá.

60. SIM, EU QUERO - Padre José Weber


Sim, eu quero que a luz de Deus que um dia em mim brilhou,/ jamais se esconda e
não se apague em mim o seu fulgor.
Sim, eu quero que o meu amor ajude o meu irmão/ a caminhar guiado por tua
mão./ Em tua lei, em tua luz, Senhor!
Esta terra, os astros, o sertão em paz./ Esta flor e o pássaro feliz que vês,/ não
sentirão, não poderão jamais viver/ esta vida singular que Deus nos dá.
Em minh'alma cheia do amor de Deus,/ palpitando a mesma vida divinal./ Há um
resplendor secreto do infinito ser./ Há um profundo germinar de eternidade.
Quando eu sou um sol a transmitir a luz,/ e meu ser é templo onde habita Deus,/
todo céu está presente dentro de mim,/ envolvendo-me na vida e no calor.
Esta vida nova, comunhão com Deus,/ no batismo, aquele dia eu recebi;/ vai
aumentando sempre e vai me transformando,/ até que Cristo seja todo o meu viver.
61. CONVERTEI-NOS, SENHOR DEUS (VERSÃO DO SALMO 80) - Letra e música: Frei Fabreti, ofm
Convertei-nos Senhor Deus do mundo inteiro, / sobre nós e vossa face iluminai! / Se
voltardes para nós seremos salvos, / vós que sobre os anjos todos assentais.
Arrancastes do Egito esta videira/ e expulsastes muita gente pra plantá-la; diante
dela preparastes terra boa, / vinde logo, Senhor, vinde depressa pra salvá-la!
Suas raízes se espalharam pela terra/ e os ramos recobriram o sertão. / Levantai-vos,
vinde logo em nosso auxílio, / libertai-nos pela vossa compaixão!
Seus rebentos atingiram as montanhas, / verdes mares, longos rios e palmeiras.
Vinde logo, Senhor Deus do universo, / visitai a Vossa vinha e protegei-a!
Vossa mão foi quem plantou esta videira, / vinde cuidar deste rebento que firmastes!
/ E aqueles que a cortarem ou queimares, / vão sofrer ante o furor de Vossa face.
Até quando ficaremos esperando? / Escutai a oração do vosso povo! / Vinde livrar-
nos e banir da nossa história/ de bebermos pranto amargo e copioso!
Estendei a Vossa mão ao “protegido”, / que escolhestes para vós, o “Filho do
Homem”! / E jamais vos deixaremos, Senhor Santo, / dai-nos vida e louvaremos
Vosso Nome!

62. Ó TRINDADE, VOS LOUVAMOS - Letra: Ir. Luiza / Música: Pe. Pelaquim
Ó Trindade, vos louvamos, / vos louvamos pela vossa comunhão. / Que esta mesa
favoreça, / favoreça nossa comunicação!
Contra toda tentação da ganância e do poder, / Nossas bocas gritam juntas: a palavra
do viver! (Bis)
Na montanha, com Jesus, no encontro com o Pai, / receberemos a mensagem: ide ao
mundo e o transformai! (Bis)
Deus nos fala na história e nos chama à conversão. / Vamos ser palavras vivas:
proclamando a salvação! (Bis)
Vamos juntos festejar cada volta de um irmão / E o amor que nos acolhe:
restaurando a comunhão!
Comunica quem transmite a verdade e a paz, / quem semeia a esperança: e o perdão
que nos refaz!

63. PELO AMOR DE JESUS E MARIA - José Acácio Santana


Entre muitos presentes que nos deu/ Jesus Cristo deixou a Eucaristia// Foi a forma
tão simples que encontrou/ Pra ficar com seu povo noite e dia.
Pelo amor de Jesus e Maria/ Esta Eucaristia nos faça viver. (Bis).
Celebrando com os seus a despedida/ Não querendo deixar-nos sós no mundo/
Transformou-se no pão da nossa vida/ Num mistério tão rico e tão profundo.
Como outrora a seu povo no deserto/ Deus nos dá o seu Filho por comida/ Quem
comer deste pão pode estar certo/ Terá Cristo envolvendo a sua vida.
64. PROCURO ABRIGO NOS CORAÇÕES - M. S. Coração de Jesus
Procuro abrigo nos corações de porta em porta desejo entrar./ Se alguém me
acolhe com gratidão, faremos juntos a refeição. (Bis)
Eu nasci pra caminhar assim, dia e noite; vou até o fim. / O meu rosto o forte sol
queimou, meu cabelo o orvalho já molhou: Eu cumpro a ordem do meu coração.
Vou batendo até alguém abrir, não descanso, o amor me faz seguir./ É feliz quem
ouve a Minha voz, e abre a porta, entro bem veloz:/ Eu cumpro a ordem do meu
coração.
Junto à mesa vou sentar depois e faremos refeição, nós dois. / Sentirá seu coração
arder e esta chama tenho de acender;/ Eu cumpro a ordem do meu coração.
Aqui dentro, o amor nos entretém; e, lá fora, o dia eterno vem. / Finalmente nós
seremos um, e teremos tudo em comum! / Eu cumpro a ordem do meu coração.

65. DESAMARREM AS SANDÁLIAS -


Ao recebermos, Senhor tua presença sagrada/ pra confirmar teu amor faz de nós tua
morada. / Surge um sincero louvor brota a semente plantada faz-nos seguir teu
caminho sempre trilhar tua estrada.
Desamarrem as sandálias e descansem este chão é terra santa, irmãos meus! /
Venham, orem, comam, cantem, venham todos e removem a esperança no Senhor.
O Filho de Deus com o Pai e o Espírito Santo, / nesta trindade um só ser que pede a
nós sermos santos. / Dá-nos Jesus, teu poder de se doar sem medidas deixa que
compreendamos que este é o sentido da vida.
Ao virmos te receber nós te pedimos, ó Cristo/ faze vibrar nosso ser indo ao encontro
ao pai santo. / Sem descuidar dos irmãos mil faces da tua face, / faze que o coração
sinta a força da caridade.

66. O SENHOR NOS TEM AMADO -


O Senhor nos tem amado, como nunca alguém amou/ e nos guia cada dia com a força
e com a luz. Recebemos Seu amor, quando partimos o pão. / É o pão da amizade, o
pão de Deus!
“Eis meu corpo: Tomai e comei! Eis meu sangue: Tomai e bebei! / Eu sou a vida e Eu
sou o amor!” O Senhor conduz o povo em seu amor.
O Senhor nos tem amado, como ninguém amou. / Foi um pobre carpinteiro que viveu
em Nazaré. / Trabalhou com suas mãos e a igualdade ensinou. / O trabalho e o
sofrimento conheceu!
O Senhor nos tem amado, como ninguém amou. / Seu amor era tão grande que na
cruz veio a morrer. / Seu amor era tão forte, sobre a morte triunfou, / e dos mortos o
Senhor ressuscitou!
67. CANTAR A BELEZA DA VIDA -
Cantar a beleza da vida, /presente do amor sem igual:/ Missão do Teu povo
escolhido! / Senhor, vem livrar-nos do mal!
Vem dar-nos Teu Filho, Senhor, / sustento no pão e no vinho, / e a força do Espírito
Santo. / Unindo Teu povo a caminho!
Falar do Teu filho às nações, /vivendo como Ele viveu:/Missão do Teu povo escolhido,
/ Senhor, vem cuidar do que é Teu!
Viver o perdão sem medida, servir sem jamais condenar: Missão do Teu povo
escolhido, Senhor, vem conosco ficar!
Erguer os que estão humilhados, doar-se aos pequenos, aos pobres: Missão do
Teu povo escolhido, Senhor, nossas forças redobre!
Buscar a verdade, a justiça, nas trevas brilhar como a luz: Missão do Teu povo
escolhido, Senhor nossos passos conduz!
Andar os caminhos do mundo, plantando Teu Reino de paz: Missão do Teu povo
escolhido, Senhor, nossos passos refaz!
Fazer deste mundo um só povo, fraterno, a serviço da vida: Missão do Teu povo
escolhido, Senhor, vem nutrir nossa lida!

68. ANTES DA MORTE - D.Carlos A.Navarro e Waldeci Farias – Domingo de Páscoa


Antes da morte e ressurreição de Jesus, / Ele, na ceia, quis se entregar:/ deu-se em
comida e bebida pra nos salvar.
E quando amanhecer/ o dia eterno, a plena visão, / ressurgiremos por crer/ nesta
vida escondida no pão! (Bis)
Para lembrarmos a morte, a cruz do Senhor/ nós repetimos, como Ele fez:/ gestos,
palavras, até que volte outra vez.
Este banquete alimenta o amor dos irmãos, / e nos prepara a glória do céu. / Ele é a
força na caminhada pra Deus!
Eis o pão vivo mandado a nós por Deus Pai! / Quem o recebe, não morrerá;/ no
último dia vai ressurgir, viverá.
Cristo está vivo, ressuscitou para nós! / Esta verdade via anunciar/ a toda terra, com
alegria, a cantar.

69. VÓS SOIS O CAMINHO -


Vós sois o Caminho, a Verdade e a Vida,/ o Pão da alegria descido do céu!
Nós somos caminheiros que marcham para os céus,/ Jesus é o Caminho que nos
conduz a Deus.
Da noite da mentira, das trevas para a luz,/ busquemos a Verdade: Verdade é só
Jesus!
Pecar é não ter vida, pecar é não ter luz,/ tem vida só quem segue os passos de Jesus!
70. QUANDO ENTRO NESSA PROCISSÃO -
Quando entro nessa procissão, não consigo explicar/ Entrego o meu coração, que
somente quer te amar/ Como a noiva que caminha rumo ao altar/ E o noivo a te
esperar.
Jesus, teu corpo e sangue me sustenta/ Jesus toda a minh'alma se estremece/
Jesus, és a razão da minha vida/ És o amor, o amor. Jesus, teu corpo e sangue me
sustenta/ Jesus, toda minha alma se estremece/ Jesus, és a razão da minha vida/ O
motivo maior do meu viver.
Jesus. Não, não há momento igual a esse./ Não, não há lugar melhor/ Não ha nada
que eu possa comparar com esse amor, que me faz feliz

71. O POVO QUE ANDAVA NAS TREVAS -


O povo que andava nas trevas/ Avistou uma grande luz./ Brilhou para a humanidade/
A luz do menino Jesus.
Irmãos é Natal do Senhor/ E Jesus está entre nós/ A Palavra de Deus se fez
carne/ Nosso Deus não se esquece de nós (Refrão)
Acolhendo a Luz que surgira/ Todo o povo a Ela tornou/ Com o reflexo da luz
radiante/ Da manifestação do Senhor.
Vinde todos cantai ao Senhor/ É natal, nasceu o Salvador./ Alegremo-nos, pois
realizou. A promessa se plenificou.

72. DURANTE A CEIA - José Acácio Santana


Durante a ceia, o discípulo do amor/ Recostou sua cabeça sobre o peito do Senhor. /
E cada impulso do Sagrado Coração/ Era um novo testemunho de acolhida e de
perdão.
E hoje aqui, nesta santa comunhão/Novamente pulsa em nós o Sagrado Coração!
(2x)
Durante a ceia, seu apelo nos deixou/ de amar-nos uns aos outros, como Ele nos
amou. / Cada palavra do Sagrado Coração/ Era um novo ensinamento de fraterna
comunhão.
Durante a ceia, antes de enfrentar a cruz, / Quis ficar com seus amigos, para ser a sua
luz. / Como alimento, o Sagrado Coração/ Entre nós ficou presente neste vinho e
neste pão.

73. SOU O PÃO DA VIDA - Ir. Suzanne Toolan, RSM/ Tradução ao espanhol: Cesareo Gabarain
Eu sou o pão da vida, o que vem a Mim não terá fome. / O que crê em mim não terá
sede. / Ninguém vem a mim se meu Pai não atrair.
Eu o ressuscitarei (3x) no dia final. (Bis)
Eu sou o pão da vida, que se prova e não se sente fome. / O que sempre beber do
meu sangue viverá em mim. / E terá a vida eterna.
O pão que eu darei é meu corpo, vida para o mundo. / O que sempre comer de minha
carne viverá em mim. / Como eu vivo no Pai.
Sim meu Senhor eu creio que vieste ao mundo a remi-lo./ Que tu és o filho de Deus e
que estás aqui. / Alimentando nossas vidas.

74. MESA PRONTA - Maria Luiza Ricciardi / José Edson R. de Freitas


Mesa pronta, toalha limpa, flores, luzes e canções. / Nos olhares um sorriso, muita
paz nos corações. / É a ceia partilhada nesta casa de irmãos, / Páscoa sempre
renovada, recriando a comunhão.
És Senhor, o Deus da vida, és a festa, és a dança. / No banquete de tua casa somos
povo da aliança. (Bis)
Somos povo em travessia, no deserto a caminhar, / revestidos de esperança, contra o
mal vamos lutar. / Na montanha contemplamos na sua glória e esplendor, / Jesus
Cristo – nosso Guia, companheiro sofredor.
Procurando uma fonte, já cansados de andar, / assentado junto ao poço, aqui vimos
te encontrar. / Água viva, te pedimos, faz brotar no coração. / Renascidos e libertos,
partiremos em missão.
Tua casa é abrigo deste povo sofredor/ ao partir o pão, se abrem nossos olhos, ó
Senhor! / Apressemos, pois, o dia em que os pobres acharão/ alimento e moradia, a
saúde, a educação.
Quem partilha esta ceia, solidário vai firmar/ o direito de ser gente, de ter casa onde
morar. / Não nos deixe indiferentes a injustiça, a exploração. / É Jesus quem
defendemos no mais pobre, nosso irmão.

75. SENHOR, VEM DAR-NOS – Letra: Pe. Lucio Música: Ir. Míria Kolling
Senhor, vem dar-nos Sabedoria, / que faz ter tudo como Deus quis/ E assim faremos
da Eucaristia/ o grande meio de ser feliz.
Dá-nos, Senhor, esses dons, essa luz/ e nós veremos que Pão é Jesus! (2x)
Dá-nos, Senhor, o Entendimento, / que tudo ajuda a compreender:/ Para nós vermos
como é alimento/ o pão e o vinho que Deus quer ser.
Senhor, vem dar-nos a Divina Ciência, / que, como o eterno, faz ver sem véus. / Tu
vês por fora, Deus vê a essência, / pensas que é pão, mas é nosso Deus.
Senhor vem dar-nos, o Teu conselho, / que nos faz sábios para guiar. / Homem,
mulher, jovem e velho/ nós guiaremos ao Santo Altar.
Senhor vem dar-nos, a fortaleza, / a santa força da oração. / Só quem vencer vai
sentar-se à mesa:/ para quem luta Deus quer ser Pão.
Dá-nos, Senhor, filial piedade, / a doce forma de amar, enfim, / Para que amemos
quem, na verdade, / aqui amou-nos até o fim.
Dá-nos, Senhor, Temor sublime, / de não amá-los como convém:/ O Cristo-Hóstia,
que nos redime, / o Pai celeste que nos quer bem.

76. NO PRESÉPIO PEQUENINO – Tempo do Natal


No presépio pequenino, Deus é hoje nosso irmão. / E nos dá seu corpo e sangue
nesta santa comunhão!
Para os homens que andavam nas trevas lá do céu resplandece uma luz. / Hoje Deus
visitou nossa terra e nos deu o seu Filho Jesus.
Duma flor germinada na terra, fecundada por sopro de Deus. / Hoje um novo começo
desponta, e se abraçam a terra e os céus.
Boas novas de grande alegria, mensageiros do céu vêm cantar, / e aos pastores um
anjo anuncia: “Deus nasceu em Belém de Judá”.
Para nós nasceu hoje um menino, do Seu povo Ele é Salvador. / Glória a Deus no mais
alto dos céus, paz aos homens aos quais tanto amou.
Para os pobres e fracos da terra, em Belém nasceu hoje um irmão, / Ele humilha os
soberbos e fortes e se faz dos pequenos o pão.
Poderosos e grandes da terra nem souberam da grande alegria;/ mas pastores e
pobres vieram adorar o Senhor com Maria.
Hoje o mundo é de novo criado, e a glória se espalha na terra. / Como irmãos,
homens todos, uni-vos, destruí vossas armas de guerra.
Como irmãos, homens todos, uni-vos, reparti vossos bens justamente, / daí as mãos,
construí mundo novo, porque Deus visitou sua gente.

77. CHEGOU A HORA DE SONHAR DE NOVO -


Chegou a hora de sonhar de novo, de tornar-se povo e se fazer irmão. / Chegou a
hora que ligeiro passa de ganhar a graça para a conversão.
Meu caro irmão olha pra dentro do teu coração, / vê se o Natal se tornou conversão
e te ensinou a viver.
Chegou a hora de viver o Cristo e acreditar que isto é se tornar maior. / Chegou a
hora de pensar profundo e perceber que o mundo pode ser melhor.
Será difícil tantas mãos unidas não fazer da vida um tempo sem igual. / Será difícil,
tanto amor e afeto, não tornar concreto o gesto do Natal.

78. FELIZ O HOMEM QUE AMA O SENHOR - Frei Fabreti


Feliz o homem que ama o Senhor e segue seus mandamentos. / o seu coração e
repleto de amor Deus mesmo e seu alimento.
Feliz o que anda na lei do Senhor / e segue o caminho que Deus lhe indicou / terá
recompensa no reino do céu porque muito amou.
Feliz quem se alegra em servir ao irmão segundo os preceitos que Deus lhe ensinou:/
Verá maravilhas de Deus, o Senhor. Porque muito amou!
Feliz quem confia na força do bem seguindo os caminhos da paz e do perdão: / será
acolhido nos braços do Pai, porque muito amou!
Feliz quem dá graças de bom coração e estende sua mão ao sem voz e sem vez, / terá
no banquete um lugar para si, porque muito amou!

79. É BOM ESTARMOS JUNTOS - Míria Kolling


É bom estarmos juntos à mesa do Senhor/ e unido na alegria, partir o Pão do Amor.
Na vida caminha quem come deste pão./ Não anda sozinho quem vive em
comunhão.
Embora sendo muitos, é um o nosso Deus./ Com Ele, vamos juntos, seguindo os
passos seus.
Formamos a Igreja, o Corpo do Senhor;/ que em nós o mundo veja a luz do seu amor.
Foi Deus quem deu outrora ao povo o pão do céu;/ porém, nos dá agora o próprio
Filho seu.
Será bem mais profundo o encontro: a comunhão,/ se formos para o mundo sinal de
salvação.

80. PÃO DO CÉU -


O Pão do Céu, És Tu Jesus, / via de amor, nos transformas em Ti. / O Pão do Céu, És
Tu Jesus, /via de amor, nos transformas em Ti.
Não, Tu não deixaste fria a terra, / Tu permaneceste entre nós. / Nos alimenta de Ti. /
És o Pão da Vida, / Inflamas com o Teu amor/ Toda a Humanidade.
Sim, trouxeste o céu sobre esta terra, / Tu permaneceste entre nós, / E nos leva
contigo/ A Tua casa/ Onde estaremos junto a Ti/ Toda a Eternidade.
Não, a morte não pode nos causar medo, / Tu permaneceste entre nós, / E quem vive
de Ti. / Vive para sempre/ Deus entre nós, Deus para nós/ Deus em meio a nós.

81. SE CALAREM A VOZ DOS PROFETAS - Cecília Vaz Castilho


Se calarem a voz dos profetas, as pedras falarão. / Se fecharem uns poucos caminhos,
mil trilhas nascerão.
Muito tempo não dura a verdade, / nestas margens estreitas demais, / Deus criou o
infinito pra vida ser sempre mais!
É Jesus, este pão da igualdade, /viemos pra comungar, /com a luta do povo que
quer ter voz, ter vez, lugar! / Comungar é tornar-se um perigo, viemos pra
incomodar! /Com a fé e a união nossos passos, um dia, vão chegar!
O Espírito é vento incessante, que nada há de prender. /Ele sopra até no absurdo,
que a gente não quer ver.
No banquete da festa de uns poucos, só rico se sentou, /nosso Deus fica ao lado dos
pobres, colhendo o que sobrou.
O poder tem raízes na areia, o tempo faz cair. / União é a rocha que o povo usou pra
construir.
Toda luta verá o seu dia nascer da escuridão. Ensaiamos a festa e a alegria, fazendo
comunhão.

82. OS DISCÍPULOS DE EMAÚS - Versão e melodia: João Carlos Ribeiro - Texto: Lc 24,13-35
Andavam pensando tão tristes, de Jerusalém a Emaús, / os dois seguidores de Cristo
logo após o episódio da Cruz./ Enquanto assim vão conversando, Jesus se achegou
devagar:/ "De quem vocês vão palestrando?"/ E ao Senhor não puderam enxergar.
Fica conosco, Senhor, é tarde a noite já vem! / Fica conosco, Senhor, somos teus
seguidores também! (Bis)
Não sabes, então, forasteiro, aquilo que aconteceu? / Foi preso no Jesus Nazareno,
Redentor que esperou Israel./ Os chefes a morte tramaram do santo profeta de
Deus;/ o justo foi crucificado, a esperança do povo morreu.
Três dias, enfim, se passaram, foi tudo uma doce ilusão;/ Um susto as mulheres
pregaram: não encontraram seu corpo mais não. / Disseram que ele está vivo, que
disso souberam em visão./ Estava o sepulcro vazio, mas do mestre ninguém sabe
não.
Jesus foi então relembrando: pro Cristo na glória entrar, / profetas já tinham falado,
sofrimentos devia enfrentar. / E pelo caminho afora ardi-lhes o coração:/ falava-lhes
da Escrituras, explicando a sua missão.
Chegando, afinal, ao destino, Jesus fez que ia passar, / mas eles demais insistiram:
"Vem, Senhor, vem conosco ficar!"/ Sentado com eles à mesa, deu graças e o pão
repartiu;/ Dos dois foi tão grande a surpresa: "Jesus Cristo, o Senhor, ressurgiu!"

83. VIVA ALIANÇA - Zé Vicente


Comungar é tornar viva a aliança/ Em Jesus, razão de nossa esperança.
Ao redor do pão partido e do vinho da alegria/ O futuro se a anuncia, de vez/ Na
união viva da gente, nosso Deus se faz presente/ E a terra, de repente se torna o céu!
Comunhão sempre refeita, com o planeta em que nascemos/ Esta terra onde
vivemos aqui/ É tornar-se irmão da água, da flor, do fruto que acalma/ A fome que
não permite o irmão sorrir!
É viver lembrando sempre dos companheiros ausente/ Dos que hoje são sementes no
chão/ É olhar-se frente a frente, sem ódio nem falsamente/ É afirmar sinceramente
"sou teu irmão"?
É fazer-se solidário aos sem terra e sem salário/ Sem casa ou presidiários, na dor/ É
provar da novidade, da mais pura liberdade/ De uma nova humanidade, de paz e
amor!
É firmar o compromisso com o poder feito serviço/ Pois Cristo sempre fez isso irmão/
A honra do Pai divino, não é tanto o culto, o hino.../ É vida, e o nosso destino é
libertação! Aleluia, Aleluia!

84. AONDE IREMOS NÓS? - Agnus Dei – José Eugênio Rodolfo


Esta é a ceia do Pai, vinde todos, tomai o Alimento Eterno. / Hoje desejo saciar vossa
fome de Paz, acolhei-me no coração.
Aonde iremos nós? Tu tens Palavras de Vida e Amor! / Aonde iremos nós? Tu és o
verdadeiro Santo de Deus!
Toda a verdade falei, feito pão eu deixei o meu Corpo na mesa. / Hoje desejo estar
outra vez entre vós, acolhei-me no coração.
Meu sangue deixei ficar feito vinho no Altar, quem beber tem a vida. / Hoje desejo
unir todos vós, vinde a mim, acolhei-me no coração.
Minha promessa cumprir, teus pecados remi, preparai o caminho. / Hoje desejo fazer
minha igreja crescer, acolhei-me no coração.

85. AS COLINAS VÃO SER ABAIXADAS -


As colinas vão ser abaixadas, os caminhos vão ter mais fulgor. / O Senhor quer as
vidas ornadas, para a festa da vida e do amor.
Vem Senhor! Vem salvar teu povo, Deus conosco Emanuel/ Neste pão, um mundo
novo quer teu povo, Deus fiel!
Vão brotar em desertos mil fontes, que canteiros de paz vão regar. / Também vidas
sem luz de horizontes, na luz viva do céu vão brilhar.
Nosso Deus vem plantar a justiça, neste mundo de sonhos tão vãos. / E banir para
sempre a cobiça, que destrói sempre a vida de irmãos.
Não impérios de morte reinando, só gerando caminhos de dor. / O Senhor quer a
vida ostentando, o troféu sempre eterno do amor.
A chegada de Deus aguardando, eis um povo em caminho de luz! / E com ele o
Senhor caminhando, para a casa do Pai o conduz.

86. PROCURO ABRIGO NOS CORAÇÕES –


Procuro abrigo nos corações/ de porta em porta desejo entrar. / Se alguém me
acolhe com gratidão, / faremos juntos a refeição. (Bis)
Eu nasci pra caminhar assim, / dia e noite; vou até o fim. / O meu rosto o forte sol
queimou, / meu cabelo o orvalho já molhou:/ Eu cumpro a ordem do meu coração.
Vou batendo até alguém abrir. / Não descanso, o amor me faz seguir/ é feliz quem
ouve a Minha voz, / e abre a porta, entro bem veloz:/ Eu cumpro a ordem do meu
coração.
Junto à mesa Vou sentar depois/ e faremos refeição, nós dois. / Sentirá seu coração
arder / e esta chama tenho de acender;/ Eu cumpro a ordem do meu coração.
Aqui dentro, o amor nos entretém;/ e, lá fora, o dia eterno vem. / Finalmente nós
seremos um, / e teremos tudo em comum! / Eu cumpro a ordem do meu coração.

87. PROVA DE AMOR MAIOR NÃO HÁ – Padre José Weber


Prova de amor maior não há que doar a vida pelo irmão! (2x)
Eis que eu vos dou um novo Mandamento:/ "Amai-vos uns aos outros como Eu vos
tenho amado"
Vós sereis os meus amigos se seguirdes meu preceito:/ "Amai-vos uns aos outros
como Eu vos tenho amado".
Permanecei em meu amor e segui meu mandamento:/ "Amai-vos uns aos outros
como Eu vos tenho amado".
E chegando a minha Páscoa, vos amei até o fim:/ "Amai-vos uns aos outros como Eu
vos tenho amado".
Nisto todos saberão que vós sois os meus discípulos:/ "Amai-vos uns aos outros como
Eu vos tenho amado.

88. O POVO DE DEUS - Padre Zezinho


O povo de Deus no deserto andava, / mas à sua frente alguém caminhava. / O povo
de Deus era rico de nada, / só tinha a esperança e o pó da estrada.
Também sou teu povo, Senhor/ E estou nessa estrada/ Somente a Tua graça me
basta e mais nada.
O povo de Deus também vacilava;/ Às vezes custava a crer no amor. / O povo de
Deus, chorando, rezava/ pedia perdão e recomeçava.
O povo de Deus também teve fome/ E Tu lhe mandaste o pão lá do céu. / O povo de
Deus, cantado deu graças;/ Louvou Teu amor, Teu amor que não passa.
O povo de Deus ao longe avistou/ A terra querida que o amor preparou. / O povo de
Deus corria e cantava/ E nos seus louvores Teu poder proclamava.

89. EU RENDO GRAÇAS FILHO - Música: Frei Fabreti, ofm


Por esta paz que a juventude tanto quer, / Pela alegria que as crianças têm à mão/ Eu
rendo graças ao meu Pai que se compraz/ E assim me pede para abrir meu coração.
Tomai, comei! Tomai, bebei, meu corpo e sangue que vos dou/ O pão da vida sou
eu mesmo em refeição! / Pai de bondade, Deus do amor e do universo sustentai, /
Os que se doam por um mundo irmão.
Pelos que firmam na justiça os próprios pés, / Pelo suor dos que mais lutam pelo pão.
Eu rendo graças ao meu Pai, o Deus fiel, / que assim me pede para abrir meu coração.
Pelos que sabem enxergar um pouco além/ e assim repartem a esperança com razão.
Eu rendo graças ao meu Pai que tudo vê, / e assim me pede para abrir meu coração.
Pelos que choram, mas não perdem sua fé, / pelos humildes que praticam o perdão, /
eu rendo graças ao meu Pai que vem nutrir, / e assim me pede para abrir meu
coração.

90. TUA MESA SENHOR -


Tua mesa, Senhor, tem lugares sobrando, / porque muitos irmãos não puderam
chegar. / É preciso mais gente que vá proclamando, / que só tu és o pão que nos
pode salvar.
Quem está nesta mesa, / quem já tem seu lugar/ compreenda a grandeza/ do teu
reino anunciar.
Multiplicas o pão que sustenta e sacia, / para ser alimento de libertação. / É preciso
mais gente que sinta a alegria, / de fazer a partilha com os outros irmãos.
Tu vieste salvar o que estava perdido, / e por esta missão deste a vida na cruz./ É
preciso mais gente que viva no sentido, / do projeto cristão de no mundo ser luz.

91. FUI JUDEU PLENAMENTE – cd: A Santíssima Trindade no Novo Milênio


Fui judeu plenamente na cultura, na mente! / O Evangelho preguei, / da vida falei, e o
povo entendeu. / Ó Jesus, tua Igreja imitar-te deseja:/ Às diversas culturas vai levar o
amor do Pai!
Vinde, assentai-vos à mesa! / Corpo e sangue vos dou! / Quero ver meu fogo arder!
Cristo, novo ardor, com certeza, / abrasou tua Igreja, nesta chama acesa!
Amo o Pai que me ama! Amo o Espírito em chama! Três em um: comunhão! Um só
coração! Cristãos aprendei!/ Sim, Senhor, aprendemos; testemunho daremos. Forte o
amor entre nós será e o mundo então crerá.
Eu não vim ser servido; vim servir e convido: quem fizer como eu fiz, é grande, feliz
no reino do céu!/ Toma igual compromisso, tua Igreja a serviço, construindo um
Brasil melhor na paz, justiça e amor.
Pouco a pouco a Trindade revelou amizade. Com amor dialogou e vos convidou à
plena união. Cristo, a escola divina tal diálogo ensina: aos cristãos e aos não cristãos,
chamar à comunhão.
Qual fiel emissário, fui do Pai missionário. Minha boca se abriu, meu pé se feriu; não
pude calar! Missionário celeste, teu anúncio nos deste: quem está perto ou distante
irá ouvir tua voz chamar.

92. POVO DE DEUS FOI ASSIM - J. Thomaz Filho / Frei Fabretti


Povo de Deus foi assim:/ Deus cumpriu a palavra que diz:/ "Uma virgem irá
conceber", e a visita de Deus me fez mãe! / Mãe do Senhor, nossa mãe, nós
queremos contigo aprender /A humildade, a confiança total, / e escutar o teu Filho
que diz:
Senta comigo à minha mesa, nutre a esperança, reúne os irmãos! / Planta meu
reino, transforma a terra, mais que coragem, tens minha Mãe!
Povo de Deus foi assim: / nem montanha ou distância qualquer/ Me impediu de
servir e sorrir. / Visitei com meu Deus. Fui irmã! / Mãe do Senhor, nossa mãe, nós
queremos contigo aprender/ Desapego, bondade, teu “Sim”, e acolher o teu Filho
que diz:
Povo de Deus, foi assim:/ meu menino cresceu e entendeu, / Que a vontade do Pai
conta mais, e a visita foi Deus quem nos fez. / Mãe do Senhor, nossa mãe, nós
queremos contigo aprender/ A justiça, a vontade do Pai, e entender o teu Filho que
diz:
Povo de Deus, foi assim:/ da verdade jamais se afastou. / Veio a morte e ficou nosso
pão. / Visitou-nos e espera por nós! / Mãe do Senhor, nossa mãe, nós queremos
contigo aprender/ A verdade, a firmeza, o perdão, / e seguir o teu Filho que diz:

93. VEJAM, EU ANDEI PELAS VILAS -


Vejam: Eu andei pelas vilas, apontei as saídas como o Pai me pediu. / Portas eu
cheguei para abri-las, / eu curei as feridas como nunca se viu.
Por onde formos também nós que brilhe a tua luz/ fala, Senhor, na nossa voz, em
nossa vida. / Nosso caminho então conduz, queremos ser assim/ que o pão da vida
nos revigore em nosso "sim"
Vejam: Fiz de novo a leitura das raízes da vida que meu Pai vê melhor. / Luzes acendi
com brandura, para a ovelha perdida não medi meu suor.
Vejam: Procurei bem aqueles que ninguém procurava e falei de meu Pai/ Pobres, a
esperança que é deles eu não quis ver escrava de um poder que retrai.
Vejam: Semeei consciência nos caminhos do povo, pois o Pai quer assim/ Tramas,
enfrentei prepotência dos que temem o novo, qual perigo sem fim.
Vejam: Eu quebrei as algemas, levantei os caídos, do meu Pai fui as mãos. / Laços,
recusei os esquemas, Eu não quero oprimidos, quero um povo de irmãos.
Vejam: Procurei ser bem claro; o meu reino é diverso, não precisa de Rei. / Tronos,
outro jeito mais raro de juntar os dispersos o meu Pai tem por lei.
Vejam: Do meu Pai a vontade eu cumpri passo a passo, foi pra isso que eu vim. /
Dores, enfrentei a maldade, mesmo frente ao fracasso eu mantive meu "sim".
Vejam, fui além das fronteiras, espalhei boa-nova: Todos filhos de Deus. / Vida, não
se deixe nas beiras, quem quiser maior prova venha ser um dos meus.
94. VEM, Ó SENHOR COM O TEU POVO CAMINHAR - Tempo do Advento
Vem, ó Senhor, com o teu povo caminhar, teu corpo e sangue, vida e força vem nos
dar. (Bis)
A Boa-Nova proclamai com alegria. Deus vem a nós, Ele nos salva e nos recria. E o
deserto vai florir e se alegrar./ Da terra seca, flores, frutos vão brotar.
Eis nosso Deus, e Ele vem para salvar, com sua força vamos juntos caminhar e
construir um mundo novo e libertado do egoísmo, da injustiça e do pecado.
Uma voz clama no deserto com vigor: "Preparai hoje os caminhos do Senhor!"/ Tirai
do mundo a violência e a ambição, que não vos deixam ver no outro vosso irmão.
Distribuí os vossos bens com igualdade, fazei na terra germinar fraternidade./ O Deus
da vida marchará com o seu povo, e os homens novos viverão num mundo novo.
Vem, ó Senhor, ouve o clamor da tua gente, que luta e sofre, porém crê que estás
presente. Não abandones os teus filhos, Deus fiel, porque teu nome é Deus-conosco.
Emanuel.

95. EU VIM PARA QUE TODOS TENHAM VIDA - Padre José Weber
Eu vim para que todos tenham vida, / que todos tenham vida plenamente. (2x)
Reconstrói a tua vida em comunhão com teu Senhor. / Reconstrói a tua vida em
comunhão com teu irmão, / onde está o teu irmão, Eu estou presente nele.
Eu passei fazendo o vem, eu curei os males. / Hoje és minha presença junto a todo o
sofredor./ Onde sofre o teu irmão, Eu estou sofrendo nele.
Quem comer o Pão da Vida viverá eternamente. / Tenha pena deste povo que não
tem o que comer. / Onde está um irmão com fome, Eu estou com fome nele.
Entreguei a Minha Vida pela salvação de todos./ Reconstrói, protege a vida de
ondefesos e inocentes:/ Onde morre o teu irmão, Eu estou morrendo nele.
Vim buscar e vim salvar o que estava já perdido./ Busca, salva e reconduze a quem
perdeu toda a esperança:/ Onde salvas teu irmão, Tu me estás salvando nele.

96. VIGIAI, FICAI ATENTOS -


Um dia Jesus falou: “Observai, tomai cuidado. / Preparai-vos, pois não sabeis em que
dia o Senhor virá: à tarde, à meia-noite, de madrugada, amanhecendo. / O que vos
digo, digo a todos: vigiai, ficai atentos”.
Abre, coração, e preparai vosso caminho com alegria, porque Jesus que vai chegar é
o Messias. (Bis)
Um dia o Senhor falou pelo profeta Isaías: "Eis que envio meu mensageiro, voz que
no deserto grita: 'Preparai e endireitai o caminho do Senhor'". Foi assim que João
Batista, um batismo ele pregou.
Um dia Deus enviou o seu anjo Gabriel, que saudou a Maria virgem, boa- nova
anunciou: “Alegra-te, ó Maria, o Senhor contigo está. Darás à luz e terás um filho, que
eternamente reinará”.

97. OUÇO UMA VOZ -


Ouço uma voz, lá no deserto a gritar; / uma estrada preparai para o Senhor! /
Endireitai os seus caminhos, pois Ele vem / e logo mais avistareis o Salvador!
Louva Jerusalém/ Louva o Senhor teu Deus/ Tuas portas reforçou. / E os teus
abençoou/ Te Cumulou de paz/ E o pão do céu te traz.
Sua palavra envia/ Corre veloz tua voz/ Da névoa desce o véu/ Unido a terra e o céu/
As nuvens se desmancham/ E o vento sopra e avança.
Ao povo revelou/ Palavras de amor/ A sua lei nos deu/ E o mandamento seu/ Como
ninguém fez assim/ Amou até o fim.
A Virgem mãe será/ Um filho a luz dará/ Seu nome Emanuel/ Conosco Deus do céu/ O
mal desprezará/ O bem escolherá.
Ao Pai do céu louvemos/ E ao que vem cantemos/ E ao divino, então/ A nossa
louvação/ Os três, que são um Deus/ Exalte o povo seu!

98. UM POUCO ALÉM - Jesus cristo, esperança do mundo


Um pouco além do presente, alegre, o futuro anuncia/ A fuga das sombras da noite, a
luz de um bem novo dia.
Venha o teu Reino, Senhor! / A festa da vida recria! / A nossa espera e a dor/
Transforma em plena alegria! (Bis)/ Aiê, eia, aiê, aê, aê.
Botão de esperança se abre, prenúncio da flor que se faz./ Promessa de tua presença
que a vida abundante nos traz.
Saudade da terra sem males, do Éden de plumas e flores, / Da paz e justiça
irmanadas, num mundo sem ódio nem dores.
Saudade de um mundo sem guerras, anelos de paz e inocência:/ De corpos e mãos
que se encontram, sem armas, sem morte e violência.

99. VEM, MEU POVO, AO BANQUETE DA VIDA – Convite - Quarta-feira de cinzas


Vem, meu povo, ao banquete da vida;/ Nesta mesa eu irei te ensinar: / O jejum que
me agrada é a partilha, / a oração que prefiro é amar.
Ó Senhor, como é bom ser teu povo! / Ser Igreja e viver como irmãos! / Pelo amor
que nos tens eu te louvo, / Por te dares a nós neste pão!
(1ºDom. - Tentações)
Se desejas sentir já bem perto/ Nova Páscoa da libertação, / Vem primeiro comigo ao
deserto/ Do silêncio e da contemplação.
(2°Dom. - Transfiguração)
Se o pecado e o mal desfiguram, / se te assustam a dor e a cruz;/ Minha graça e
perdão transfiguram, / na Palavra terás nova luz.
(3ºDom. - Mulher Samaritana)
Se o cansaço da vida te invade, / quando a sede de amor te atingir, / Eu serei
aconchego e amizade, / Junto à fonte, esperando por ti.
(4ºDom. - Cura do cego)
Sou Pastor que te dá segurança, / que teus tímidos passos conduz. / Abre os olhos,
desperta! Levanta! / Persevera nas obras da luz!
(5ºDom. - Ressurreição de Lázaro)
Toda a morte eu transformo em semente, / das amarras eu vim libertar. / Junto a
mim viverás plenamente/ E feliz poderás caminhar.

100. NÓS VIVEMOS DE TODA A PALAVRA – (comunhão 1º domingo da quaresma)


Nós vivemos de toda a palavra que procede da boca de Deus:/ A palavra de vida e
verdade/ que sacia a humanidade.
Impelidos ao deserto retomamos a estrada que conduz/ ao paraíso nossa vida e
morada.
As prisões da humanidade assumidas pelo Cristo. São lugares de vitória, Ele veio para
isto!
O Senhor nos deu exemplo ao vencer a noite escura superou a dor do mundo,
renovando as criaturas.
Progredimos neste tempo conhecendo o Messias. Ele veio para todos alegrando
nossos dias.
Celebramos a memória do amor que ao mundo veio junto dele venceremos o inimigo
verdadeiro.
Contemplamos nossa terra em mistério fecundada. Flor e fruto são promessas ao
findar a madrugada.
101. RESSUSCITEI, SENHOR -
Ressuscitei, Senhor/ Contigo estou, Senhor/ Teu grande amor, Senhor/ De mim se
recordou/ Tua mão se levantou/ Me libertou!
Meu coração penetras/ E lê meus pensamentos/ Se luto ou se descanso/ Tu vês meus
movimentos/ De todas minhas palavras/ Tu tens conhecimento.
Quisesse eu me esconder/ Do teu imenso olhar/ Subir até o céu/ Na terra me
entranhar/ Atrás do horizonte/ Lá, iria te encontrar!
Por trás e pela frente/Teu ser me envolve e cerca/ O teu saber me encanta/ Me
excede e me supera/ Tua mão me acompanha/ Me guia e me acoberta!
Se a luz do sol se fosse/ Que escuridão seria/ Se as trevas me envolvessem/ O que
adiantaria? / Pra Ti, Senhor, a noite/ É clara como o dia!
As fibras do meu corpo/ Teceste e entregaste/ No seio de minha mãe/ Bem cedo me
formaste/ Melhor do que ninguém/ Me conheceste e amaste!
Teus planos insondáveis/ Sem fim tuas maravilhas/ Contá-las eu quisera/ Mas quem o
poderia/ Como da praia a areia/ Só tu as saberias!
Que os maus da terra sumam/ Pereçam os violentos/ Que tramam contra ti/ Com
vergonhoso intento/ Abusam do teu nome/ Pra seus planos sangrentos.
Mas vê meu coração/ E minha angústia sente/ Olha, Senhor, meus passos/ Se vou
erradamente/ Me bota no caminho/ Da vida, para sempre.

102. LEMBRA, SENHOR, O TEU AMOR - Campanha da Fraternidade


Lembra, Senhor, o teu amor fiel para sempre!/ Que os inimigos não triunfem sobre
o povo!/ De suas angústias, ó Senhor, livra tua gente!
Senhor, meu Deus, a ti elevo a minha alma,/ em ti confio: que eu não seja
envergonhado./ Não se envergonhe quem em ti põe sua esperança,/ mas, sim, quem
nega por um nada sua fé!
Mostra-me, Senhor os teus caminhos,/ E faz-me conhecer a tua estrada!/ Tua
verdade me orienta e me conduza, / porque és o Deus da minha salvação!
Recorda, Senhor meu Deus tua ternura / e a tua compaixão que são eternas./ Não
recordes meus pecados quando jovem, nem te lembres de minhas faltas e delitos.
O Senhor é piedade e retidão, E reconduz ao bom caminho os pecadores./ Ele dirige
os humildes na justiça, e aos pobres ele ensina o seu caminho.
Verdade e amor são os caminhos do Senhor/ para quem segue sua aliança e seus
preceitos./ Ó Senhor, por teu nome e tua honra, perdoa os meus pecados que são
tantos.