You are on page 1of 17

A POLÊMICA DOS PRODUTOS ELABORADOS

DE FORMA ARTESANAL

CARLOS ALBERTO MAGIOLI


MÉDICO VETERINÁRIO
AUDITOR FISCAL FEDERAL AGROPECUÁRIO
COMISSÃO ESTADUAL DE SAÚDE PÚBLICA – CRMV/RJ
ACADEMIA DE MEDICINA VETERINÁRIA NO RJ
DESAFIOS E SOLUÇÕES COM A IMPLANTAÇÃO
DO SELO ARTE

CARLOS ALBERTO MAGIOLI


MÉDICO VETERINÁRIO
AUD. FISCAL FEDERAL AGROP.
ACADEMIA DE MEDICINA VETERINÁRIA RJ
LEI 1.283 DE 18 DE DEZEMBRO DE 1950

Dispõe sobre a inspeção industrial e sanitária dos produtos de


origem animal.

Art 1º É estabelecida a obrigatoriedade da prévia fiscalização, sob o ponto de vista industrial e


sanitário, de todos dos produtos de origem animal, comestíveis e não comestíveis, sejam ou
não adicionados de produtos vegetais, preparados, transformados, manipulados, recebidos,
acondicionados, depositados e em trânsito.
LEI Nº 13.680, DE 14 DE JUNHO DE 2018.
Altera a Lei nº 1.283, de 18 de dezembro de 1950, para dispor sobre o
processo de fiscalização de produtos alimentícios de origem animal
produzidos de forma artesanal.

.Art. 2º A Lei nº 1.283, de 18 de dezembro de 1950, passa a vigorar acrescida do seguinte


art. 10-A:

“Art. 10-A. É permitida a comercialização interestadual de produtos alimentícios produzidos


de forma artesanal, com características e métodos tradicionais ou regionais próprios,
empregadas boas práticas agropecuárias e de fabricação, desde que submetidos à fiscalização
de órgãos de saúde pública dos Estados e do Distrito Federal.

§ 1º O produto artesanal será identificado, em todo o território nacional, por selo único com
a indicação ARTE conforme regulamento.
LEI Nº 13.680, DE 14 DE JUNHO DE 2018.
Altera a Lei nº 1.283, de 18 de dezembro de 1950, para dispor sobre o
processo de fiscalização de produtos alimentícios de origem animal
produzidos de forma artesanal.

§ 2º O registro do estabelecimento e do produto de que trata este artigo, bem como a


classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização do produto, no que se refere aos aspectos
higiênico-sanitários e de qualidade, serão executados em conformidade com as normas e
prescrições estabelecidas nesta Lei e em seu regulamento.

§ 4º A inspeção e a fiscalização da elaboração dos produtos artesanais com o selo ARTE


deverão ter natureza prioritariamente orientadora

§ 5º Até a regulamentação do disposto neste artigo, fica autorizada a comercialização dos


produtos a que se refere este artigo.”
Câmara Setorial de Agronegócios do Fórum

Desburocratização na comercialização de produtos artesanais de origem animal gera


oportunidades de negócios no campo

Facilitar a comercialização de produtos artesanais alimentícios de origem animal em


todo território nacional é o intuito da Lei 13.680/18 recém-sancionada pelo governo federal. Ela
transfere a fiscalização da produção e comercialização de embutidos, queijos de leite cru e
mel, por exemplo, para os órgãos de saúde pública dos estados. Os produtos também passam
a ser identificados por um selo único com a indicação ARTE. Pela regra anterior, os alimentos
artesanais com origem animal só podiam ser vendidos fora do estado em que foram
produzidos se tivessem o selo do Serviço de Inspeção Federal.
Produção Brasileira de Alimentos Artesanais e Tradicionais - maio de 2018
SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL - SENAR
CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA AGRICULTURA - CNA

Capacitação para trabalhar de forma artesanal 61,0%

Não tem condições de atender a legislação 54,8%

Alimentos seguros com garantia de qualidade para o consumidor 95,9%


PERFIL DO PRODUTOR

NECESSIDADE DE AGREGAR VALOR A MATÉRIA PRIMA

FALTA PLANEJAMENTO PARA INICIAR A ATIVIDADE

Os bens produzidos que refletem a relação


FALTA INFORMAÇÃO TÉCNICA do artesão com o meio onde vive e a sua
cultura, obedecendo a critérios mais
qualitativos do que quantitativos, diferente
PRODUÇÃO DIVERSIFICADA
dos industrializados.
José Maria dos Santos Filho - CFMV
DIVERSIDADE DA LEGISLAÇÃO

CONCORRÊNCIA DE PRODUTOS DE OUTROS ESTADOS

OBRIGATORIEDADE DO RESPONSÁVEL TÉCNICO


Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
IPEA: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
IPEA: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
IPEA: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Diagnóstico Setorial das


Agroindústrias Familiares e Semi-
industriais do Rio de Janeiro

90%

80%
70%

60%

50%

40%
Agroindústria

30% Discriminação Quantidade %


20% I - Agroindústria Familiar 913 81%
10%
II - Agroindústria 216 19%
0%

Fonte: EMATER / RIO


ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Quantidade de Agroindústrias Legalizadas e Não


Legalizadas no Estado do Rio de Janeiro

900
800
700
Quantidade

600
500
400
300
200 Discriminação Quantidade %
100 I - Legalizadas 256 22,67%
0 II - Não Legalizadas 873 77,33%
I - Legalizadas II - Não Legalizadas Total 1.129 100%

Fonte: EMATER / RIO


Manteiga
Número de estabelecimentos agropecuários Quantidade produzida
ESTADO DO RIO DE JANEIRO (Unidades) (Toneladas)
39 37
Queijo e requeijão
Número de estabelecimentos agropecuários Quantidade produzida
(Unidades) (Toneladas)
2214 4896
Carne de bovinos(verde)
Número de estabelecimentos agropecuários Quantidade produzida
(Unidades) (Toneladas)
5 87
Carne de suínos(verde)
Número de estabelecimentos agropecuários Quantidade produzida
(Unidades) (Toneladas)
55 27
Carne de outros animais(verde)
Número de estabelecimentos agropecuários Quantidade produzida
(Unidades) (Toneladas)
125 9
Carne tratada(de sol, salgada)
Número de estabelecimentos agropecuários Quantidade produzida
Tabela 6618 - Número de estabelecimentos agropecuários (Unidades) (Toneladas)
e Quantidade produzida, por produtos da agroindústria - -
rural - resultados preliminares 2017
Embutidos(linguiças, salsichas, etc.)
Número de estabelecimentos agropecuários Quantidade produzida
Fonte: IBGE Censo Agropecuário 2017 (Unidades) (Toneladas)
8 7
CONSUMIDOR

PREOCUPAÇÃO POR ADQUIRIR ALIMENTOS SAUDÁVEIS E “SEGUROS”

PREFERÊNCIA POR ALIMENTOS ORGÂNICOS / ARTESANAIS

o consumo não está mais ligado às questões econômicas


somente, mas também a questões simbólicas e culturais

DESCONHECIMENTO SOBRE QUALIDADE DE ALIMENTOS.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

COMISSÃO ESTADUAL DE SAÚDE PÚBLICA VETERINÁRIA

PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL ELABORADOS DE FORMA ARTESANAL


NO ÂMBITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO