You are on page 1of 203

O RIO DO AMANHÃ

Visão Rio 500 e Planejamento Estratégico 2017 - 2020


O Rio
do amanhã
Visão Rio 500 e Planejamento Estratégico 2017-2020
Cidade gentil
e inclusiva,
referência em
criatividade e
beleza natural,
fonte de
oportunidades e
vida digna a todas
as idades.
Carta do Prefeito

Carta do Prefeito 2016: nunca se falou tanto sobre um ano, nunca se esperou tanto por um ano. Desde 2009, quando o Rio de
Janeiro venceu a disputa para sediar os primeiros Jogos Olímpicos da América do Sul, o ano de 2016 virou
aspiração, marco, futuro. Os grandes projetos de infraestrutura, a preparação da Cidade, as promessas de um Rio
melhor, tudo apontava para 2016 – que já é hoje. Os dois primeiros Planos Estratégicos da nossa administração,
referentes aos períodos de 2009-2012 e 2013-2016, que definiram metas, estabeleceram prioridades, orientaram
as nossas ações ao longo dos últimos oitos anos, tiveram como referência justamente o ano de 2016 na busca por
uma Cidade mais integrada e competitiva. E depois? Qual o Rio que queremos daqui para frente?

Antes de falar do futuro que virou presente, vale voltar um pouco ao passado. A Cidade, hoje olímpica, que já fora
capital da colônia, império e república, passou décadas numa espécie de crise existencial após ser trocada por
Brasília como centro do poder político do Brasil. Presa às lembranças de um passado glorioso que não voltaria, a
Cidade outrora maravilhosa isolou-se, perdeu o viço e esvaziou-se política, econômica e culturalmente.

A oportunidade olímpica representou uma ruptura desse processo, uma virada importante na autoestima e na
vocação da Cidade. O Rio de Janeiro voltou a ganhar protagonismo no Brasil e no mundo. O lema da Prefeitura tem
sido de que a Cidade deve se servir dos Jogos em vez de somente servir ao evento. Isto é, com o pretexto olímpico,
conseguimos tirar do papel projetos de infraestrutura, mobilidade, drenagem e urbanização sem relação direta com
as competições e que representam benefícios para a população, principalmente das regiões mais carentes.

De 2009 a 2016, trabalhamos muito por toda a Cidade e para os seus 6,5 milhões de moradores. Demos atenção
especial, porém, para os cariocas que mais precisam do Poder Público, para as áreas mais abandonadas pelas
administrações anteriores, para o Rio que vai além dos cartões-postais. As Zonas Norte e Oeste receberam 2/3 de
todos os investimentos. Além de áreas de lazer, como o Parque Madureira e o Parque Radical de Deodoro, levamos
saneamento, urbanização, qualidade de vida para essas regiões. Ampliamos de maneira expressiva os serviços de
educação e saúde. Em todo o Rio, mais de 300 novas escolas e o crescimento da cobertura de saúde em 20 vezes,
saltando de 3,5% da população no início de 2009 para mais de 70% com acesso à atenção primária até o final de 2016.

Mais crianças na sala de aula, mais cariocas cuidando da saúde e um futuro com mais igualdade de oportunidades
para o Rio e seus habitantes. Nesse projeto de Cidade mais inclusiva, temos nos esforçado para encurtar não
somente as distâncias sociais, mas geográficas também. Com 155km de corredores de BRT integrando as
diferentes regiões, junto com o VLT do Centro e a expansão do metrô, teremos elevado o índice de cariocas
usuários de transporte de alta capacidade de 18% para 63% até 2017. São melhorias que subiram as comunidades
com o programa Morar Carioca, que prevê a urbanização de todas as favelas até 2020, e atracaram na Região
Portuária com o Porto Maravilha.

E, por falar em Porto, uma nova frente de ocupação e desenvolvimento da Cidade foi aberta: uma área de 5 milhões
2
de m na região central, onde o Rio cresceu e consolidou-se e que estava abandonada, hoje se revitaliza. A
Perimetral, que impedia o encontro dos cariocas com a Baía de Guanabara, já não existe mais. A Zona Portuária viu
surgirem o MAR, o Museu do Amanhã, a nova Praça Mauá, uma orla em pleno Centro do Rio, novos túneis e vias,
ruas e imóveis recuperados e principalmente mais e mais frequentadores e admiradores de uma região histórica e
tradicional da Cidade.

É claro que, mesmo com a chegada de 2016, os desafios do Rio ainda são inúmeros e complexos. Há muito trabalho
pela frente. Sendo assim, 2016 não deve ser encarado como o fim de um ciclo, mas como um início inspirador de

VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020 11


Visão Rio 500 Carta do Prefeito

um novo Rio, que pode e deve ser muito melhor no futuro. E é por isso que lançamos o projeto Visão Rio 500, para
refletir sobre a Cidade que desejamos para os próximos 50 anos. Com um olhar no futuro, no Rio de 2065, é que
apresentamos esta nova edição do Plano Estratégico para o período de 2017-2020.

Se nos outros planos a Prefeitura do Rio já havia saído em busca de estudiosos, acadêmicos e representantes
da sociedade civil para construir em conjunto as metas e aspirações da Cidade, desta vez, o protagonismo da
população é ainda maior. Em debates, encontros e através de plataformas digitais, cariocas de diferentes idades e
lugares deram sugestões para o Rio do amanhã. Ao longo das próximas páginas, serão apresentadas iniciativas para
melhorar educação, saúde, meio ambiente, mobilidade, cultura e economia da Cidade, cuja formulação contou com
a participação dos maiores especialistas em Rio de Janeiro: os cariocas.

Depois de oito anos em que eu tive a honra e o prazer de estar à frente da Cidade mais incrível de todas, deixo de
ser prefeito, mas continuarei desempenhando o papel que mais me orgulha, aquele que tem me orientado todos
os dias: o de carioca completamente apaixonado pelo Rio de Janeiro. E é esse amor pela Cidade compartilhado
com outros 6,5 milhões de pessoas que me dá a certeza de que, juntos, faremos do Rio dos próximos 50 anos uma
Cidade ainda mais maravilhosa.

Eduardo Paes
Prefeito do Rio de Janeiro

WWW.VISAORIO500.RIO
12 VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020 13
O futuro
do Rio
é a gente
que faz.
Agora.
Índice 1. Sumário executivo,  20
2. Processo de desenvolvimento,  26
2.1 Grandes tendências mundiais,  28
2.2 Inovações,  32
2.3 Abordagem de construção,  36
3. Visão Rio 500,  44
3.1 Introdução,  48
3.2 O Ser Carioca hoje e a visão de futuro,  49
3.3 Temas Estratégicos,  51
3.4 Tema 1 – Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania,  54
3.5 Tema 2 – Rio de Janeiro: fonte de bem-estar, qualidade de vida e dignidade,  82
3.6 Tema 3 – Cidade verde, sustentável e resiliente,  110
3.7 Tema 4 – Território conectado, integrado e democrático,  134
3.8 Tema 5 – Cidade competitiva, inovadora e de oportunidades,  158
3.9 Tema 6 – Governança e reinvenção sustentável da máquina pública,  182
4. Plano Estratégico 2017-2020,  206
4.1 Introdução,  208
4.2 Resumo do Plano,  210
4.3 Tema 1 – Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania,  215
4.4 Tema 2 – Rio de Janeiro: fonte de bem-estar, qualidade de vida e dignidade,  237
4.5 Tema 3 – Cidade verde, sustentável e resiliente,  265
4.6 Tema 4 – Território conectado, integrado e democrático,  295
4.7 Tema 5 – Cidade competitiva, inovadora e de oportunidades,  323
4.8 Tema 6 – Governança e reinvenção sustentável da máquina pública,  339
5. Institucionalização da Visão Rio 500,  362
6. Apêndices,  368
6.1 Tabela de metas,  372
6.2 Lista de participantes,  385
1 Sumário executivo

Sumário executivo

No dia 17 de agosto de 2015, diante do Museu do Amanhã, demos início ao projeto Visão Rio 500, com a missão
ambiciosa de pensar o Rio de Janeiro que queremos deixar para nossos filhos e netos quando a Cidade completar
500 anos, em 2065. Para isso, a gente se propôs a sonhar, voar alto, para depois aterrissar e planejar como vamos
chegar lá, a começar pelas iniciativas e metas que a Cidade quer colocar em prática no período de 2017-2020.

Essa não foi a primeira vez que buscamos refletir sobre o futuro da Cidade. Desde o início da atual administração
municipal, em 1º de janeiro de 2009, tive a responsabilidade de coordenar a elaboração de dois planos estratégicos
– 2009-2012 e 2013-2016 – que contribuíram bastante para que o Rio avançasse. No entanto, essas duas
experiências anteriores foram tímidas em termos de engajamento da população. A democracia atual exige
colaboração e poder de decisão nas mãos do cidadão. Por isso, ao coordenar o projeto Visão Rio 500, fiz questão de
que fosse totalmente aberto e participativo, permitindo o engajamento de meio milhão de pessoas durante todas
as suas etapas.

Essa participação se deu por meio da plataforma colaborativa, das redes sociais, do site do projeto, de 30 dias
de eventos de debate transmitidos ao vivo pela internet, das redações enviadas por alunos de 8º e 9º anos, de
pesquisa de opinião pública, das reuniões com o Conselho da Cidade e o Conselho da Juventude e, finalmente, dos
encontros regionais com a população. Foi uma maratona de engajamento, mas o resultado é um plano construído
pela e para a população do Rio.

Este documento tem outra diferença fundamental em relação aos anteriores. Ambos haviam sido nomeados
Pós-2016, pois tinham os Jogos Olímpicos e Paralímpicos deste ano como referência de futuro. Mas 2016 já
chegou. A Cidade se transformou profundamente em termos de infraestrutura e de integração social. A pergunta
agora é: “o que vai acontecer com o Rio a partir de 2017 e pelas décadas que se seguem?” É preciso olhar bem
mais no futuro, para planejar como os cariocas vão evitar uma eventual “ressaca” depois dos eventos esportivos e
continuar crescendo e enfrentando seus desafios.

Com isso em mente, este documento apresenta primeiramente a Visão Rio 500, que reúne as aspirações para
o Rio de Janeiro até 2065, como a de que, até 2040, todas as crianças cariocas viverão em totais condições de
igualdade, ou a de que, na marca dos 500 anos, a expectativa de vida saudável dos cariocas terá aumentado em
quatro anos.

Essas aspirações não são palavras ao vento. São compromissos que começam a ser realizados com base no Plano
Estratégico 2017-2020, a segunda grande entrega deste documento. São 59 iniciativas e 68 metas que, assim
como as aspirações, são organizadas ao redor de seis temas transversais, listados a seguir:

VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020 21


Visão Rio 500 1 Sumário executivo

■ Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania.


■ Rio de Janeiro: fonte de bem-estar, qualidade de vida e dignidade.
■ Cidade verde, sustentável e resiliente.
■ Cidade competitiva, inovadora e de oportunidades.
■ Território conectado, integrado e democrático.
■ Governança e reinvenção sustentável da máquina pública.

Posso citar aqui algumas dessas metas, como a de permitir que todos os alunos da rede municipal concluam o
Ensino Fundamental estudando em período integral e a de implantar 58km de novos corredores BRT e 23km de
VLT. Não são desafios triviais, mas para concretizá-los, o plano já prevê um investimento total, ao longo de quatro
anos, de R$ 33,4 bilhões, 58% oriundos de recursos próprios da Prefeitura. Destaco que dois terços desse valor
serão destinados para as Zonas Norte e Oeste da Cidade, a exemplo dos planos anteriores, priorizando quem mais
precisa.

A Visão Rio 500 e o Plano Estratégico 2017-2020, que compõem este documento, pertencem ao Rio. São
ambiciosos e grandiosos em volume e em complexidade, mas simples em seu objetivo, que é tão somente o de
melhorar a vida do carioca, tornando a Cidade cada vez mais integrada e justa. Que o Rio de Janeiro em seus
500 anos seja do tamanho dos nossos sonhos.

Pedro Paulo Carvalho Teixeira


Secretário Executivo de Coordenação de Governo
Coordenador Geral da Visão Rio 500 e do Plano Estratégico 2017-2020

WWW.VISAORIO500.RIO
22 VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020 23
Processo de
desenvolvimento O que
o carioca
pode esperar
do mundo?
O Rio é uma cidade única. Um lugar com as belezas de um paraíso
natural e os desafios de uma grande metrópole. Tem gente conectada ao
novo, mas que jamais abandona suas tradições. Possui o DNA brasileiro
e, ao mesmo tempo, os braços abertos para as influências do mundo.
Visão Rio 500 2.1 Grandes tendências mundiais

Grandes tendências mundiais A economia, a reflexão sobre a matriz Um estudo do McKinsey Global Institute Tendência 5:
econômica da Cidade do Rio de Janeiro em apontou tecnologias que surgem com Expansão do conhecimento
O desenvolvimento da Visão para os próximos 50 anos da Cidade é um exercício um cenário de competividade global se torna potencial de causar um total rompimento
aspiracional. Mesmo com as incertezas que cercam esse tipo de esforço, potencializadas pela ainda mais importante. Do lado social, a no modo como trabalhamos, em quatro
Com as redes sociais,
atual velocidade das mudanças, devemos levar em conta 5 grandes tendências. São elas: redução das distâncias geográficas intensifica categorias: tecnologia de informação e a participação
a necessidade de incentivar a convivência comunicação (internet móvel, tecnologia popular no debate público
• Envelhecimento da população. • Avanço da tecnologia.
de indivíduos de origens, tradições, crenças, núvem, internet das coisas, automação de vai ser cada vez maior.
etnias, línguas e costumes diferentes em conhecimento), energia (armazenagem,
• Mudanças climáticas. • Expansão do conhecimento. centros urbanos cada vez mais multiétnicos exploração e geração de energia), máquinas
• Maior integração e conectividade. e multiculturais. Nesse sentido, aumentou (robótica, impressão 3D e veículos A popularização da internet e das redes
ainda mais a necessidade de desenvolver autônomos) e componentes de materiais sociais democratizou o acesso à informação e
a cidadania dos cariocas, promovendo a (genética e materiais avançados). Essas acelerou a velocidade com que ela flui entre
convivência harmoniosa e o respeito tecnologias juntas podem representar um as pessoas, resultando em uma revolução da
Tendência 1: Da melhoria de acessibilidade às condições inesperados, e sobre as formas de mitigação à diversidade. potencial econômico entre 14 trilhões e participação popular no debate público.
Envelhecimento da população para um envelhecimento mais saudável do aquecimento global através da redução das 33 trilhões de dólares por ano até 2025.
e ativo, a discussão da Visão Rio 500 emissões e da preparação para uma economia Tendência 4: Esse maior engajamento teve grande
Em 2065, os idosos vão considerou diversas implicações de uma de baixo carbono. Avanço da tecnologia Os potenciais saltos tecnológicos influência não apenas no conteúdo da
representar 36% da cidade com maior quantidade de idosos. influenciaram a construção da Visão Rio Visão Rio 500 e do Plano Estratégico, mas
população carioca. Tendência 3:
A tecnologia poderá oferecer 500 através de discussões sobre soluções também no processo de construção que
Tendência 2: Maior integração e conectividade soluções inovadoras para os inovadoras para problemas crônicos buscou utilizar as mais diversas tecnologias
O envelhecimento da população já é uma Mudanças climáticas
É fundamental desenvolver problemas da Cidade. existentes, como a poluição dos ativos para incentivar a participação através de
realidade. É estimado que, em 2040, naturais, e para novas oportunidades de redes sociais, plataformas digitais e de
uma em cada quatro pessoas terá mais do
A elevação do nível do mar a cidadania e o respeito Os avanços tecnológicos também estão atividades econômicas para a Cidade, como live streaming.
que 65 anos nos países desenvolvidos e e as fortes chuvas são as à diversidade. acelerando e devem continuar a mudar o energia renovável e ciências da vida. Além
também na China. maiores preocupações. nosso modo de viver e trabalhar. Enquanto disso, reforçaram a necessidade de maiores Na Visão Rio 500, foi considerado que o
Nessas últimas décadas, a globalização a evolução da máquina de impressão de investimentos em tecnologia de informação e acesso à informação e ao conhecimento (por
Nos próximos 15 anos, a população Nesses últimos anos, o mundo começou a econômica se tornou realidade com um Gutenberg até a primeira impressora comunicação por parte dos setores públicos exemplo: maior consciência sobre hábitos
brasileira passará por um rápido processo, sentir os primeiros efeitos das mudanças aumento significativo no fluxo de comércio de computador levou 500 anos, foram e privados. saudáveis e uso do sistema público de
praticamente dobrando o percentual de climáticas com o aumento médio da e pessoas e na integração entre os países. necessários pouco mais de 30 anos para a saúde) deve levar a uma maior participação
idosos para 19%. O Rio de Janeiro está temperatura e a intensificação de fenômenos Entre 1990 e 2013, o volume do comércio invenção da impressora 3D. O projeto de da população também na solução dos
envelhecendo ainda mais rápido do que naturais. Para os próximos 50 anos, a global cresceu quase dez vezes, saindo de genoma humano demorou 13 anos e problemas. Por fim, o engajamento dos
a média brasileira e, portanto, será uma expectativa é de que essas mudanças se 1,8 trilhão para 17 trilhões de dólares. Em custou 3 bilhões de dólares para ser cidadãos foi considerado um elemento crucial
das primeiras cidades a sentir os efeitos. amplifiquem, impactando praticamente todas 2013, mais de um bilhão de pessoas cruzou realizado, enquanto hoje um kit de mil para o sucesso das ações da administração
Sua população idosa representará 36% as cidades de maneira significativa. as fronteiras entre países, cinco vezes mais dólares pode sequenciar o genoma municipal, incluindo iniciativas que tornam
da população em 2065, uma mudança do que em 2009. humano em poucas horas. o povo capaz de participar da construção da
substancial em relação aos 16% observados Alguns desses efeitos serão especialmente política pública.
em 2015. mais impactantes para a Cidade do Rio de Esse salto de conectividade traz implicações
Janeiro, como a elevação do nível do mar e importantes para a economia e a organização
o aumento dos riscos geológicos, devido a da sociedade da Cidade do Rio de Janeiro e,
fortes chuvas, e dos riscos para a saúde, com portanto, foi considerado na Visão Rio 500 e
a intensificação das ilhas de calor. no Planejamento Estratégico.

Essas questões são abordadas na Visão Rio


500 através da discussão sobre a adaptação e
o aumento da resiliência da Cidade a eventos

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


28 29
Se vivemos em constante mudança,
também precisamos mudar
o jeito de pensar nossa cidade.

Um novo
jeito de
entender
o Rio.
Visão Rio 500 2.2 Inovações

Inovações Componente 3: Componente 4:


Regionalização Engajamento Mais de
O desenvolvimento da Visão Rio 500, assim como a formulação do Plano Estratégico
meio milhão de
2017-2020, trouxe inovações em relação aos planos anteriores. Buscamos evoluir na
metodologia contemplando quatro novos componentes de trabalho:
Compreendemos que o Município do Rio de
Janeiro possui uma extensão e uma multiplicidade
Talvez a principal crítica recebida quando do
desenvolvimento dos Planos Estratégicos 2009-2012
cariocas foram
territorial que abrangem características diversas. No e 2013-2016 tenha sido o baixo engajamento da engajados no
• Transversalidade. • Regionalização. desenvolvimento tradicional dos planos anteriores, tal população na concepção das ideias, seja de visão ou de desenvolvimento
• Visão metropolitana. • Engajamento. multiplicidade não foi capturada a ponto de influenciar metas e ações. da Visão Rio 500.
a determinação de metas, resultando em tratamento
igual a condições territoriais desiguais. Apesar de o exercício estratégico ser um trabalho
normalmente traçado de “cima para baixo”, entendemos
Componente 1: Componente 2: Um avanço da Visão Rio 500 consiste em buscar e que o setor público, por sua natureza, exige uma
Transversalidade Visão metropolitana identificar os desafios que apresentam claras distinções amplitude muito maior de atores formuladores.
entre territórios e fazê-los refletir nas metas. Dessa Com esse intuito, a Visão Rio 500 desenvolveu uma
Tradicionalmente, a gestão pública se organiza em Um dos principais desafios enfrentados pelo Município forma, imaginamos otimizar os esforços de acordo com metodologia inovadora de engajamento da população,
torno de suas capacitações básicas, isto é, a estrutura diz respeito às metas que são influenciadas pelos as necessidades de cada região. estabelecendo uma “meta” exclusiva para ser atingida
acompanha o recorte das forças de trabalho, como, contornos da responsabilidade da Prefeitura. Em ainda durante o desenvolvimento do plano.
por exemplo, saúde, educação, transporte, cultura, muitos casos, a ação do Município não é suficiente
entre outros. para atingir seus objetivos. Os planos anteriores Essa abordagem resultou em um imenso esforço, que
tangenciavam essa questão concentrando-se somente nos permitiu engajar mais de meio milhão de pessoas
No entanto, muitas vezes, os serviços prestados à nas alavancas locais. na Cidade através de diversos canais e estratégias
população não correspondem ao recorte estrutural, de captação de ideias. O processo de construção da
sendo operacionalizados de forma transversal, ou seja, Na Visão Rio 500, buscamos identificar e considerar Visão Rio 500 e do Plano Estratégico 2017-2020 é
envolvendo duas ou mais estruturas da Prefeitura. ações que envolvam municípios vizinhos, chamando descrito no capítulo a seguir e apresenta em detalhes
Os planos anteriores buscaram reconhecer essa a atenção para a necessidade de esforços conjuntos as atividades cumpridas para se atingir um grande
realidade através da concepção de “plataformas e ressaltando a responsabilidade e protagonismo da engajamento dos cariocas.
de gestão”, reunindo gestores de diversas áreas administração do Rio de Janeiro como centralidade
no momento em que as iniciativas assim exigiam. da metrópole.
Entretanto, metas, iniciativas e diretrizes ainda foram

O Ser Carioca
concebidas dentro do modelo tradicional.

é a figura central
Para a Visão Rio 500 e o Plano Estratégico 2017-
2020, inovamos ao criar seis áreas de resultado

da Visão Rio 500.


eminentemente transversais, posicionando o Ser
Carioca como a figura central da abordagem. Dessa
forma, a multiplicidade de atores é reconhecida e
envolvida desde o início do planejamento, garantindo
Ser
a incorporação da transversalidade no próprio
Carioca
desenvolvimento das metas e iniciativas.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


32 33
Visão Rio 500 2.2 Inovações

O Rio que construímos juntos.

Uma cidade
é do tamanho
dos sonhos
da sua gente.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


34 35
Visão Rio 500 2.3 Abordagem de construção

Abordagem de construção Como o carioca foi ouvido?


Como os cariocas ajudaram a elaborar a Visão Rio 500 e o Plano Estratégico 2017-2020 Ouvir a opinião dos cidadãos já havia sido uma preocupação no Plano Estratégico anterior
para a cidade que amam. (2013-2016) e, por isso, foi criado o Conselho da Cidade e conduzidas pesquisas de opinião com
cariocas nas ruas da Cidade. Contudo, para a Visão Rio 500, foram criadas oito novas formas de
escuta. A figura a seguir representa esquematicamente os 10 canais utilizados.
Como os n n n n

cariocas
ajudaram a 30 dias 300 Mais de

210.000
1.400
redações
elaborar a de eventos conselheiros
enviadas por alunos Conselho Rede Diálogos Diálogos Diálogos
de debates, inclusive visualizações
Visão Rio 500 da Cidade do 8º e 9º anos da Cidade das Redes com o Setoriais Internos
em regiões contribuíram no portal Futuro
administrativas Visão Rio 500
n

100
n
n n Mais de mil
1.400 4.400 publicações em Escutar
conselheiros Pesquisa Plataforma para Concurso Conselho da
redes sociais com
cidadãos da Juventude com Cidadãos Digital Governar de Redação Juventude
pessoas alcance de
ouvidos pela contribuíram
pesquisa
contribuíram
pela plataforma 300.000
colaborativa internautas
Conselho da Cidade

Criado em 2012 com o propósito de revisar e

Meio milhão de acompanhar o desenvolvimento e implantação do Plano


Estratégico 2013-2016, o Conselho da Cidade foi

cariocas engajados no inicialmente composto por 150 cidadãos cariocas, por


naturalidade ou por opção, que possuem destaque em

desenvolvimento da Visão. nossa cidade por sua atuação pessoal ou profissional.

Entre 2013 e 2015, esse grupo de conselheiros reuniu-se


em média quatro vezes por ano e visitou mais de 10
iniciativas estratégicas da Prefeitura, entre obras e
estruturas operacionais.

Para o desenvolvimento da Visão Rio 500 e do


Planejamento Estratégico 2017-2020, esse Conselho foi
renovado, sendo expandido para aproximadamente 300
conselheiros. Divididos entre os seis temas da Visão Rio
500, os conselheiros colaboraram com suas experiências
e expectativas na formulação da Visão e do Plano. Todos
permanecerão contribuindo ao longo dos 4 anos do Plano.
WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020
36 37
Visão Rio 500 2.3 Abordagem de construção

Pesquisa com Cidadãos Em torno de 40 instituições atenderam ao chamado e Diálogos com o Futuro 400
disponibilizaram suas redes de contatos, assim como especialistas
Foram entrevistados qualitativamente 13 grupos trabalhos conduzidos sobre o futuro do Rio de Janeiro, Para entender melhor os principais desafios e
representativos da população da Cidade. A partir gerando conhecimentos específicos fundamentais para oportunidades da Cidade, foi importante ouvir
reunidos
disso, conhecemos melhor o perfil do carioca e como a Visão e o Plano. especialistas. Assim o grande evento “Diálogos com nos Diálogos
ele enxerga nosso futuro, o que nos permitiu criar um o Futuro” foi criado. Foram cinco dias de debates, com o Futuro
A Plataforma questionário quantitativo significativo para a criação do E foi através dessas instituições que conseguimos direcionando cada dia para um grande eixo da visão de
para falar dos
visaorio500.rio Plano através do qual 1.400 cidadãos foram ouvidos. entrevistar cerca de 40 especialistas em diversos futuro da Cidade.
desafios e
tópicos importantes para a Cidade. Com essa forma
recebeu mais Rede das Redes de escuta mais próxima, foi possível extrair um No total, reunimos por volta de 400 especialistas, oportunidades
de 4.400 conhecimento específico, que foi posteriormente dentre eles 50 palestrantes nacionais e da Cidade.
contribuições. Uma das formas mais criativas de capturar a essencial para a definição dos eixos da Visão. internacionais, que além de falar dos desafios e das
colaboração da sociedade para a formulação da Visão oportunidades da Cidade, pensaram em soluções
Rio 500 e do Plano Estratégico foi a concepção da Rede Foi também através da Rede das Redes que surgiram inspiradoras para fornecer subsídio para o trabalho de
das Redes. Esse conceito partiu do entendimento de diferentes formas de debate. Um grande exemplo foi o construção da Visão.
que inúmeras instituições promovem e participam Vral.Con – Visão Raquer de Construção de Narrativas –,
de redes de colaboradores, e que as questões públicas que foi organizado por um grupo de 50 líderes sociais Para garantir que todos os cidadãos interessados
são parte importante dos interesses dessas redes. visionários que, além de compor o nome e a identidade pudessem acompanhar e questionar os especialistas
visual do evento, convocou sua rede para debater a através de perguntas feitas por redes sociais, todas
Sendo assim, a Prefeitura convidou instituições de Cidade na Incubadora Rio Criativo e fez sua própria essas palestras foram transmitidas ao vivo pelo
diversas naturezas, desde organizações sociais ligadas síntese do que foi debatido. site www.visaorio500.rio e também nas Naves de
ao meio ambiente a associações de classe, fundações e Conhecimento espalhadas pela Cidade.
representantes empresariais, instituições de ensino e
pesquisa, ONGs e outros potenciais parceiros.

Núvem de Palavras do Diálogo com o Futuro

sistema turismo conhecimento


infraestrutura referência
integração habitaçãoprojetos pública acessíveis cidadãos
públicas economia verdes
criar
respeito gestão segurança maior
desenvolvimento
cidadão trabalho capital público urbano
rede carioca social públicos
planejamento
saudável formação acesso transporte oportunidades
educação energia
resíduos áreas
Cidadeágua
reduzir
empresas
vida pessoas sociedade atividades
sustentável rio RJ saneamento melhor
valorização cultura verde janeiro uso acessibilidade ruas ações
espaço qualidade saúde
urbana promover metropolitana informação
idosos políticas
culturais incentivar
aumentar espaços serviços todas mobilidade
negócios
livre seja escolas parques guanabara
política naturais consumo bairros recursos mudanças
baía lixo climáticas equipamentos praças circular transportes região
WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020
38 39
Visão Rio 500 2.3 Abordagem de construção

Diálogos Setoriais Especialistas nas áreas de turismo, ciências da vida Diálogos Internos Os Diálogos Internos foram conduzidos em diversas
e saúde, tecnologia e inovação, economia criativa, sessões com grupos específicos de servidores, incluindo
Em meio às dificuldades econômicas enfrentadas pelo finanças (seguros e resseguros) e infraestrutura de Da mesma forma que os Diálogos com o Futuro Secretários, Subsecretários, Gestores de Projetos,
País, em particular o baixo crescimento e o aumento do Logística e Distribuição reuniram-se e produziram envolveram especialistas externos, as lideranças do Coordenadores, Líderes Cariocas e os Analistas de
desemprego, a competitividade da Cidade do Rio de recomendações para alimentar tanto a Visão Rio 500 funcionalismo público municipal foram engajadas nos Gerenciamento de Projetos e Metas.
Janeiro se torna imprescindível para a realização dos quanto o Plano. Diálogos Internos.
sonhos de sua população. Conselho da Juventude
Com a experiência acumulada em muitos anos de
Tendo em mente que o sucesso econômico da Cidade é convivência com as questões da Cidade, os servidores O Conselho da Juventude da Cidade é uma via
pré-condição para alcançar das metas sociais, buscamos (e também ex-servidores) contribuíram com aspirações, democrática de participação juvenil dentro da gestão
aprofundar o debate e as diretrizes para setores informações históricas, análises técnicas e até mesmo municipal e dá a oportunidade de intervenção nas
específicos de nossa economia, considerados mais iniciativas em diversos estágios de concepção. políticas públicas mais diretamente, em uma interface
vantajosos à luz das vocações do Rio. Para aprofundar com as secretarias e órgãos municipais.
esse debate, um dia de evento específico foi realizado.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


40 41
Visão Rio 500 2.3 Abordagem de construção

A proposta tem como objetivo ser um espaço de Escutar para Governar

Com a palavra, o Carioca


diversidade, multiplicidade de projetos, pensamentos
e vivências, de construção coletiva e compartilhada, O envolvimento contínuo da sociedade civil com o
gestão e produção horizontal e uma rede de troca de futuro da Cidade é essencial para que a Visão e o Plano
experiências e conhecimentos. reflitam os sonhos de sua população e, mais do que isso,
para garantir que ele perdure ao longo dos anos.
Frases retiradas da plataforma virtual www.visaorio500.rio.
Composto por 100 pessoas de 14 a 29 anos,

“Tenho o sonho de “Que a Cidade seja


representativos dos diferentes grupos da sociedade O Rio de Janeiro do futuro terá seus cidadãos ativos
carioca, o Conselho da Juventude foi criado para na construção e no acompanhamento dos planos da

uma cidade mais referência mundial


debater vários desafios e oportunidades da Cidade sob Cidade. Isso começou agora com os novos mecanismos
a ótica daqueles que serão essenciais na construção do criados para ouvir o carioca. Entre eles, está a série

integrada, com os em cultura, inovação,


futuro. Juntos, os jovens acompanham e fiscalizam o de eventos “Escutar para Governar”, que buscou
andamento do Planejamento Estratégico 2012-2016 e conhecer desafios, oportunidades e sonhos das regiões

serviços funcionando empreendedorismo,


participam da construção do Planejamento Estratégico administrativas da Cidade.
2017-2020.
Plataforma Digital
Em discussão sobre suas aspirações, os jovens ajudaram melhor e com o tecnologias limpas e
carioca estufando o sustentabilidade.”
a construir a Visão Rio 500. Traduziram seu sonho A Plataforma trouxe a Visão do cidadão carioca sobre os
de uma cidade mais integrada, com equidade de sonhos e desafios da Cidade.

peito de orgulho de
oportunidades, valorização da cultura local e qualidade
de serviços e espaços públicos. A Plataforma Web foi uma ferramenta de engajamento Sergio Telles

sua cidade!!!”
aberta a toda a população. Sendo divulgada nas redes
Concurso de Redação sociais, permitiu ouvir um número considerável de
cidadãos, que descrevem seus sonhos e projetos para o
Nossas crianças também tiveram a chance de participar futuro da Cidade. Foi concebida para ser utilizada por Giulliano Miranda, Flamengo
da Visão Rio 500. Nada mais justo, afinal são elas que etapas: na primeira etapa os cidadãos refletiram sobre a
vão viver no Rio do futuro. Cidade que desejavam para o futuro. Na segunda, após
compartilhar seus sonhos, os cidadãos puderam votar
Para isso, foi criado um concurso de redações com nas propostas que mais gostaram para compor a Visão.
alunos do 8º e 9º anos, que recebeu 1.400 textos, sendo
que os 100 melhores escolhidos em parceria com a A terceira etapa foi o momento de convidar a população
Academia Brasileira de Letras vão virar livro em 2016 para contribuir com ideias de projetos que tivessem o
e já estão na Cápsula do Amanhã, uma caixa do tempo potencial de tornar os sonhos realidade.
que ficará no Museu do Amanhã e será aberta em 2065.
Finalmente, na quarta etapa, os cidadãos tiveram
a oportunidade de escolher os projetos que mais
gostaram, e os mais votados passaram a fazer parte do
Projeto Rio 500.

Milhares de pessoas acessaram a plataforma


www.visaorio500.rio e mais de 1.500 publicaram seus
sonhos e ideias de projeto para a Cidade através dela.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


42 43
Visão Rio 500
Visão
Rio 500
Olhar para
o presente
e enxergar
o futuro.
Visão Rio 500 3.1 Introdução 3.2 O Ser Carioca hoje e a visão de futuro

Introdução O Ser Carioca hoje e a visão de futuro


Há 451 anos, o Rio é uma cidade de encher os olhos. A Visão Rio 500 coloca o cidadão carioca no centro, afinal a visão da Cidade está sendo
construída com ele e para ele. Mas quem é o Ser Carioca?
Agora, a gente precisa voltar o olhar para os próximos 50 anos.

O mesmo carioca que é conhecido por ser afável, Essa identidade se revela através de um processo Carioca
Vamos apresentar a visão do Rio de Janeiro para daqui a • Alto valor humano: equidade de oportunidades e habilidoso no uso do jeitinho brasileiro, bem humorado, contínuo, complexo e rico, que se expressa na é quem
50 anos. A definição dessa Visão serve como guia para o cidadania. extrovertido, que sabe aproveitar as belezas da Cidade obliteração da palavra “ser” como substantivo – um
Plano Estratégico, pois, antes de começarmos a caminhar, • Rio de Janeiro: fonte de bem-estar, qualidade de e receber quem nela chega é o mesmo que também é ser (humano) carioca – e na iluminação do seu sentido
faz do Rio
precisamos saber em que direção queremos ir. vida e dignidade. criticado muitas vezes por sua falta de civilidade com como verbo – o (jeito de) ser carioca. E passamos a o seu lar.
• Cidade verde, sustentável e resiliente. outros e em relação ao que é público. ter, assim, uma multidão vasta, plural e heterogênea
Começamos definindo o que é “Ser Carioca”, uma vez • Cidade competitiva, inovadora e de oportunidades. que aprofunda tanto a condição cosmopolita do Rio
que um dos pontos mais característicos e especiais do • Território conectado, integrado e democrático. A questão é que a identidade do carioca não é única de Janeiro como, sem nenhuma contradição, a de
Rio de Janeiro são seus habitantes, cujas características • Governança e reinvenção sustentável nem estática, ela é múltipla e em constante construção. Cidade popular.
conversam e se confundem com as da própria cidade. da máquina pública. O Ser Carioca, em sua pluralidade, varia de acordo com
Para poder colocar esses elementos em perspectiva, épocas históricas específicas, com as peculiaridades Ter uma identidade em construção nos permite sonhar
apresentamos como eles são hoje e como irão mudar no Cada um dos temas é explorado em um subcapítulo territoriais e com a experiência individual de cada um. não apenas com a Cidade que queremos ter daqui a
futuro. próprio que, por sua vez, é dividido em subtemas de 50 anos, mas também qual é o cidadão que queremos ser
ataque. Para cada subtema, é apresentado o ponto A definição de Ser Carioca também vai muito além – qual o Ser Carioca que queremos ter vivendo em nossa
Em seguida, definimos 6 temas que representam as de partida com um diagnóstico próprio. Também são dos que nasceram no Rio de Janeiro. A Cidade acolhe cidade daqui a 50 anos? E mais ainda, qual cidade que
diversas facetas da Cidade e, consequentemente, da apresentadas as aspirações para a Cidade daqui até 50 pessoas de todas as partes do Brasil e do mundo, precisamos ter para acolher o Ser Carioca que sonhamos
vida de seus cidadãos. Esses temas são: anos, e as diretrizes que apontam os principais caminhos e se torna, assim, para muitos que chegam e para daqui a 50 anos?
para atingi-las. Dessa forma, cobriremos todos os pontos muitos dos que aqui já estavam/estão, um espaço de
que caracterizam a Cidade e delinearemos como ela será pertencimento, um lugar no sentido geográfico do Escrito em colaboração com Eliana Sousa Silva, diretora da Redes
nas próximas cinco décadas. termo: a conjunção do território e do afeto. Assim, da Maré.

podemos afirmar que cariocas são todos aqueles que


transformam o Rio de Janeiro em seu lar.

O plano Visão Rio 500 trata dos seguintes temas


A identidade do Carioca não é única
nem estática, ela é múltipla
e em constante construção.
Alto Valor Rio de Janeiro: Cidade Verde, Território Cidade Governança
Humano: Fonte de Sustentável Conectado, Competitiva, e Reinvenção
Equidade de Bem-estar, e Resiliente Integrado e Inovadora Sustentável
Oportunidades e Qualidade de Democrático e de da Máquina
Cidadania Vida e Dignidade Oportunidades Pública

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


48 49
Visão Rio 500 3.3 Temas Estratégicos

O que sabemos hoje é que o carioca daqui a 50 anos A mudança na pirâmide etária é uma das forças que Temas Estratégicos
terá envelhecido significativamente e haverá um certamente moldará o perfil da população nos próximos
número de nonagenários mais do que cinco vezes 50 anos, mas há diversas outras variáveis que podem A partir do posicionamento do cidadão – o Ser Carioca – no centro da Visão Rio
maior do que atualmente. Esse novo perfil de idade da influenciar. A Visão Rio 500 não tem como ambição 500, foram definidos seis temas transversais que constituiriam as referências para a
população, representado na figura a seguir, trará novos definir quem é o Ser Carioca, e sim fazer um convite materialização da Visão e as proposições das ações estratégicas para o próximo ciclo de
desafios e transformará o Ser Carioca. Como sustentar aberto a essa reflexão. quatro anos da Cidade.
a economia com a diminuição expressiva da população
economicamente ativa? Como deve ser nosso sistema
de cuidados à saúde para atender a esse público idoso?
Os temas são abrangentes: da valorização das da questão ambiental e o desafio de construir
dimensões dos direitos subjetivos do cidadão, mecanismos de representação política que sejam
suas condições de vida e exercício da cidadania à consonantes com os desejos da maior parte da
Em 2065, o número de nonagenários terá quintuplicado compreensão das condições de inserção do Rio de população de um Estado mais eficiente, republicano e
e o de jovens até 19 anos caído quase pela metade Janeiro no contexto global, sem ignorar a importância comprometido com a democracia.

Pirâmide etária do Município do Rio de Janeiro


Alto valor humano: n Promoção de um início de vida n Cultura como promotora da

Milhares de habitantes equidade de saudável e protegido para cidadania


oportunidades todos os cariocas n Cidade modelo de respeito ao
e cidadania
n Exemplo de preparação no próximo e à diversidade
Homens Mulheres
século XXI

2015 2065 Rio de Janeiro: n Promoção a uma vida saudável n Referência em redução
fonte de bem-estar, e ativa das diferenças de acesso a
90 + 90 + qualidade de vida n Cidade segura e de oportunidades e direitos
85-89 85-89 e dignidade
convivência harmoniosa n Envelhecimento ativo
80-84 80-84
75-79 75-79
Cidade verde, n Desenvolvimento sustentável n Cidade das águas: praias,
70-74 70-74
sustentável e rumo ao carbono zero baías, lagoas e rios saudáveis
65-69 65-69 resiliente n Resiliências às mudanças n Verde urbano: ativo social,
60-64 60-64 climáticas, minimizando danos econômico e humano
55-59 55-59 e salvando vidas
Ser
50-54 50-54
Território n Fluxo na Cidade: transporte n Confiança no espaço urbano Carioca
45-49 45-49
conectado, eficiente e acessível
40-44 40-44 integrado e n Exemplo de habitabilidade,
35-39 35-39 democrático
formalização territorial e
30-34 30-34 integração social
25-29 25-29
Cidade n Matriz econômica para promo- n Rio de Janeiro como polo de
20-24 20-24
competitiva, ção de emprego e renda dignos atração de investimentos
15-19 15-19 inovadora e de n Desenvolvimento do capital
10-14 10-14 oportunidades
humano e excelência no
5-9 5-9 processo de trabalho
0-4 0-4
Governança n Gestão eficiente, inovadora e n Coordenação de atores
300 200 100 0 100 200 300 300 200 100 0 100 200 300 e reinvenção orientada para resultados envolvidos para a melhoria de
sustentável da n Meritocracia e excelência ambiente e serviços urbanos
máquina pública
dentro da máquina pública n Cidadão atuante no meio

público
Fonte: Análise da equipe; Pesquisa demográfica.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


50 51
Visão Rio 500 3.3 Temas Estratégicos

São três bases Os seis temas foram pensados levando em conta A ambição dos seis eixos decorre da compreensão de
fundamentais: questões centrais para a vida contemporânea e aspectos que apenas uma perspectiva completa, integrada, de
que caracterizam a dinâmica de vida carioca. Por isso, longo prazo e com o envolvimento dos cidadãos pode
os cidadãos eles se sustentam em três bases fundamentais: os permitir a construção de uma cidade que esteja de fato
cariocas, os cidadãos cariocas, os territórios e os ambientes naturais a serviço de seus moradores. Nesse caso, não podemos
territórios e cariocas, e o panorama econômico e político carioca. abrir mão da construção de um território comum
os ambientes O primeiro elemento estruturante dos eixos é o
com acesso pleno à tecnologia, onde as pessoas se
relacionem com ética, respeito e civilidade, e na qual se
naturais desenvolvimento do próprio cidadão (“Alto valor afirmam formas múltiplas de participação.
cariocas e o humano: equidade de oportunidades e cidadania”) e da
panorama sua possibilidade de desfrutar a Cidade (“Rio de Janeiro: Pensar 50 anos não pode prescindir de levar em
fonte de bem-estar, qualidade de vida e dignidade”). Esses conta a dimensão do sonho, do desejo, da vontade.
econômico e temas abordam a formação intelectual, cultural e Esses elementos nos conduziram nessa construção.
político carioca. de valores do cidadão, assim como seu bem-estar e Ao mesmo tempo, entendemos que a afirmação dos
qualidade de vida – uma mente sã, um corpo são. projetos de cidade e cidadãos aqui sugeridos pode
ser um importante mapa a nos conduzir na estrada.
O segundo elemento é o reconhecimento da Temos as condições técnicas, políticas, econômicas,
importância da dimensão geográfica da Cidade, ambientais e socioculturais para transformar o Rio
reconhecida mundialmente pela combinação de Janeiro em uma grande caixa de ressonância de
harmoniosa de natureza exuberante (“Cidade verde, políticas democráticas, sustentáveis e equitativas para
sustentável e resiliente”) e desenvolvimento urbano seus habitantes. Para isso, precisamos compreender
(“Território conectado, integrado e democrático”). de forma permanente a nossa realidade e criar as
estratégias políticas devidas para fazê-la avançar na
Por fim, o último elemento trata principalmente da perspectiva que a maioria de nós almeja.
criação das condições necessárias para que possamos
ter de fato a valorização do carioca, do território e A Visão é só o primeiro passo. Mas, sem ela, não é
do meio ambiente, em termos da economia (“Cidade possível dar os milhares de outros que a vida exige.
competitiva, inovadora e de oportunidades”) e de sua
gestão e organização política (“Governança e reinvenção Escrito em colaboração com Eliana Sousa Silva,
sustentável da máquina pública”). diretora da Redes da Maré.

A visão é só o primeiro passo.


Mas, sem ela, não é possível dar
os outros passos que a vida exige.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


52 53
Visão Rio 500 3.4 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

Visão Rio 500 – Tema 1 O que a gente espera do Rio


Alto Valor Humano: Todas as crianças cariocas viverão
em totais condições de equidade de
Equidade de Oportunidades oportunidades até 2040.
e Cidadania Todos os jovens cariocas terão acesso
a uma educação de excelência que
garanta uma vida plena em suas escolhas,
aspirações e potencialidades até 2030.
Todo carioca se sentirá respeitado
e terá acesso a oportunidades
independentemente de suas condições
econômicas, culturais, sociais, raciais,
religiosas e de gênero até 2030.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


54 55
Visão Rio 500 3.4 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

O que
o Rio tem
de mais
valioso
é o carioca.
WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020
56 57
Visão Rio 500 3.1 Introdução

Introdução
Alto Valor Humano: Equidade de Oportunidades e Cidadania O que a gente espera do Rio
O que os cariocas dizem:

“Um Rio que tenha na “Igualdade de direitos


A Cidade A visão de “Alto valor humano: equidade de Em seguida, ele vai poder buscar seus sonhos no Ensino saúde e na educação e oportunidades para
é o reflexo do oportunidades e cidadania” tem o ser humano e
seus principais focos e todas as pessoas.”
Superior ou Técnico, em direção a uma formação que
suas relações com os demais como ponto central. lhe permita ser ativo e entregar seu melhor para os
comportamento
onde haja paz oriunda
Não há como pensar em um futuro de longo demais habitantes da Cidade.
de seus prazo para a Cidade, sem olhar com atenção o Plataforma VisaoRio500.rio
cidadãos.
de oportunidades
desenvolvimento do ser humano, das pessoas que Além da educação formal, a Cidade deve também estar
irão habitar e conviver nela. atenta à formação de valores dos Cidadãos e a fatores

iguais e do respeito ao “Atenção e valorização


como o respeito pelo próximo e pela própria Cidade.
Neste tema, é tratado o desenvolvimento dos cidadãos

próximo.” das minorias.”


desde o seu nascimento até o seu desenvolvimento A diminuição da desigualdade ocorre, por exemplo, ao
durante a vida adulta. Também aborda a equidade de se reduzir a violência e ao se oferecer oportunidades
oportunidades, com foco na redução de disparidades e para que idosos possam ser ativos e produtivos,
na relação de cidadania e respeito à diversidade. gerando valor para toda a sociedade mesmo após Carlos Dias, Leblon Conselho da Juventude
a aposentadoria.
O desenvolvimento do valor humano começa desde o
ventre materno, com os cuidados durante a gravidez, A Cidade do Rio de Janeiro é o reflexo do comporta-
como o atendimento pré-natal. Logo nos primeiros mento de seus cidadãos. Atitudes positivas de cidada-
anos de vida, as condições iniciais de Ensino Infantil e nia e de respeito ao próximo e à diversidade devem
Fundamental são primordiais para o desenvolvimento ser reconhecidas e replicadas, buscando construir
integral da criança. uma cultura urbana de solidariedade e civilidade, al-
cançando assim o sonho de o Rio ter seu patrimônio
Ao ingressar no Ensino Médio, o jovem carioca deve humano valorizado.
estar em condições plenas de absorver e vivenciar
todos os aspectos positivos que a juventude lhe oferece.

Esse tema está Subtema 1: Subtema 2: Subtema 3: Subtema 4:


organizado nos Promoção de Exemplo de Cultura como Cidade modelo
quatro subtemas um início de preparação no promotora da de respeito ao
a seguir. vida saudável e século XXI cidadania próximo e à
protegido para diversidade
todos os cariocas

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


58 59
Visão Rio 500 3.4 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

Quem chega ao mundo por aqui Desde 2009, o Rio passa por um processo de expansão de cobertura
merece mais que uma boa recepção de pré-natal, porém há oportunidades para melhoria
Promoção de um início de vida saudável,
Subtema 1: Promoção de um início de vida saudável e Nascidos vivos de gestantes com pré-natal insuficiente (%) protegido e próspero para todos os cariocas
protegido para todos os cariocas 2009 33,0
Essa desigualdade resulta em taxas
de mortalidade infantil diferentes por região
2014 22,0

Ponto de partida/ Este primeiro subtema da “Visão de alto valor humano” fundamental que o cidadão carioca receba a devida Mortalidade infantil por bairro do Rio de Janeiro
diagnóstico tem como foco a primeira infância e o período atenção na sua primeira infância. Taxa de mortalidade neonatal por mil nascidos vivos
correspondente ao Ensino Fundamental, e busca
Nascidos vivos de gestantes com pré-natal insuficiente Barra da Tijuca 2,50 10,48 p.p.
identificar as condições para que o início da vida dos O Rio possui grandes disparidades nas taxas de por local de moradia (%) em 2012
carioquinhas possa ser mais saudável e protegido. mortalidade infantil. Uma comparação realizada em
2012 entre os bairros do Rio de Janeiro mostra que Zona Sul 0,16 Inhaúma 4,37

O início de vida tem como marco a gestação, o que a taxa de mortalidade neonatal por 1.000 nascidos +33 p.p.
Barra da Tijuca 0,17 Zona Sul 4,84
torna a saúde um aspecto-chave e a atenção à gestante vivos é cinco vezes menor na Barra da Tijuca do que em
um importante meio para permitir que o cidadão inicie Bangu, que está mais de 7 pontos percentuais abaixo da
Tijuca 0,18 Tijuca 5,14
sua vida da melhor forma possível. média do Município.

No Rio de Janeiro, houve avanço na cobertura Outro foco, em termos de primeira infância, é a Méier 0,28 Guaratiba 6,33

do atendimento pré-natal à gestante na Rede Educação Infantil para as crianças na idade em


Pública de Saúde, porém a qualidade ainda varia que frequentam as creches. Desde 2009, foram Ilha do Governador 0,28 Ramos 6,45

consideravelmente entre as diferentes regiões da criadas cerca de 45 mil vagas no Município. Apesar
Cidade, o que mostra oportunidade para melhoria. dos recentes avanços, o Rio ainda caminha para a Guaratiba 0,31 Ilha do Governador 6,77

Esse avanço proporcionou redução no número de universalização da oferta de vagas, com expectativa de
gestantes com pré-natal insuficiente entre 2009 e chegar a 60 mil vagas ainda em 2016. Madureira 0,32 Penha 6,78

2014, entretanto ainda observa-se grande diferença no


atendimento pré-natal entre a Zona Sul e bairros como Inhaúma 0,33 Campo Grande 7,41

Bangu e Ramos, por exemplo. Desenvolvimento do cérebro humano


Formação de sinapses e experiências na primeira infância
Campo Grande 0,34 Centro 8,35

O início de vida tem um impacto significativo no


desenvolvimento das capacidades cognitivas e não Formação dos sentidos Linguagem Funções Cognitivas
Jacarepaguá 0,35 Madureira 8,46
(Visão, Audição) Avançadas
cognitivas do ser humano. O desenvolvimento dos
sentidos, da linguagem e das funções cognitivas tem Centro 0,36 Méier 8,70

seu ápice no período entre o nascimento e os primeiros


2 anos de vida. Para seu pleno desenvolvimento, é Bangu 0,36 Jacarepaguá 9,12

Santa Cruz 0,39 Pavuna 10,96

Penha 0,39 Santa Cruz 11,02


Primeiro Ano
Pavuna 0,39 Bangu 12,98
-8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19
Nascimento (Meses) (Anos) Ramos 0,40 Total do Município 9,62

Fonte: “Educação e desenvolvimento infantil”, Daniel Santos; C. Nelson (2000), Center on the
Developing Child, Harvard Fonte: DataSUS, IBGE, SMS, IPP. Fonte: IPP; SMSDCRJ/SUBPAV/SVS/CAS/GTDV – Sistema de Informações sobre
Mortalidade – SIM.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


60 61
Visão Rio 500 3.4 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

Desde 2009, As habilidades de desenvolvimento dos cariocas em o Rio tem nota média de 5,4 ante uma média nacional de A qualidade das creches municipais do Rio de Janeiro deu um salto nos últimos anos
creches tiveram avanços importantes nos últimos 4,9. Já no Ensino Fundamental II, do 6º ao 9º ano, o Rio
foram criadas anos e, em alguns casos, podem ser comparadas às tem média de 4,4, enquanto a média do Brasil é de 4,0.
cerca de 45 mil referências internacionais. Em coordenação motora
A média dos cariocas em creches municipais demonstrou grande avanço em diversas dimensões,
estando em linha com a média internacional...
Internacional
Rio 2010
vagas em ampla, por exemplo, para crianças com pouco mais de Um belo exemplo de sucesso de escola pública do Rio Rio 2012

creches. 1 ano, o Rio está em linha com a média internacional.


Entre 2010 e 2012, houve melhora significativa em
de Janeiro é o da Escola Municipal Haydea Vianna Fiúza
de Castro, na Favela do Aço, que superou os desafios Comunicação (média internacional e carioca, 2010 e 2012)
diversas habilidades e diferentes idades. geográficos e conquistou, em 2013, no primeiro ciclo do
Pontuação
Ensino Fundamental, a média de 8,7 no IDEB, número média
Apesar dos recentes avanços na oferta e na qualidade consideravelmente acima da média do Município.
60
do atendimento infantil, ainda existem grandes
diferenças regionais de cobertura que podem atingir Os níveis de atraso escolar no Ensino Fundamental 50
valores extremos. Portanto, tratar questões como também apresentaram evolução, mas se encontram 40
essa por meio de iniciativas territorializadas será ainda acima da média brasileira, indicando que existe 30 Grupo
fundamental para reduzir disparidades entre as margem para melhora. Embora a porcentagem de etário
20
diferentes localidades. alunos com atraso no Ensino Fundamental I no Rio (meses)
tenha caído de 20% para 17% de 2007 a 2013, ainda 10

O debate sobre o melhor modelo de educação na primeira está acima da média do Brasil, que é de 15%. O mesmo 0
infância é amplo e existem casos internacionais que movimento é observado no Ensino Fundamental II, 8 9 10 12 14 16 18 20 22 24 27 30 33 36 42 48 54

podem inspirar a Cidade do Rio de Janeiro a aprimorar o estando o Rio com 35% contra 29% da média brasileira.
seu modelo de atendimento na Educação Infantil. Coordenação motora ampla (média internacional e carioca, 2010 e 2012)

60
Ainda no ciclo educacional da criança carioca, chegamos
ao Ensino Fundamental, fase que compreende crianças Escola na Favela do Aço é o melhor colégio 50
dos 6 aos 15 anos de idade. Na Cidade do Rio de público do Rio 40
Janeiro, é possível observar que o Ensino Fundamental 30
evoluiu de forma significativa nos últimos anos e se O melhor colégio público do Rio está bem
20
encontra acima da média nacional, segundo o Censo longe da Zona Sul. Fica em Paciência, na
Escolar e avaliações de desempenho do INEP. No Favela do Aço, o que não impediu que a Escola 10

Ensino Fundamental I, que compreende do 1º ao 5º ano, Municipal Haydea Vianna Fiúza de Castro 0
conquistasse no primeiro ciclo do Ensino 8 9 10 12 14 16 18 20 22 24 27 30 33 36 42 48 54

Fundamental, em 2013, a média 8,7 no IDEB.


Resolução de problemas (média internacional e carioca, 2010 e 2012)

60

50

As habilidades de 40

30

desenvolvimento dos cariocas 20

10
Progresso Hiato não
eliminado

em creches tiveram avanços 0


8 9 10 12 14 16 18 20 22 24 27 30 33 36 42 48 54

importantes nos últimos anos Fonte: “Monitoramento do Desenvolvimento Infantil em Creches Municipais Cariocas”, Ricardo de Paes e Barros et al.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


62 63
Visão Rio 500 3.4 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

Ainda com relação ao Ensino Fundamental, se consideravelmente mais alto do que a média de outras
observarmos a taxa de distorção idade/série por capitais da região Sudeste. Enquanto a média de Os níveis de atraso escolar no Ensino Fundamental vêm melhorando
bairro e rede de ensino, percebe-se que no ensino alunos matriculados em escolas particulares no Ensino no Rio, mas ainda há oportunidade para evoluir
público a distorção é, em linhas gerais, o dobro da taxa Fundamental 1 em São Paulo é de 27%, no Rio esse O atraso escolar nos primeiros anos do Ensino ...Assim como nos anos finais do Ensino Fundamental, mas ainda
do ensino privado. número chega a 35%. Fundamental vem melhorando no Rio... há oportunidade para evoluir

■ Rio de Janeiro ■ Brasil


Ao observarmos mais atentamente as diferenças 40 36 38
entre o ensino privado e ensino público, vemos que No ensino básico houve melhoria no índice IDEB, 35
No ensino básico houve melhoria no índice IDEB que mede a
na Cidade do Rio de Janeiro o percentual relativo que mede a qualidade de ensino
qualidade de ensino
Estudantes da Rede
35
EF1 Pública com 2 ou mais
de alunos matriculados em escolas particulares é Nota¹1 no índice IDEB anos de atraso em 31 30
29
Nota no índice IDEB localidades urbanas,
5,4 % de alunos
5,4 5,3 20 18 20 17
5,1
5,2 EF2
5,0 4,9
Referências internacionais 16 17 15
4,8 4,7
4,5
Na Colômbia, por exemplo, existe um bem-sucedido programa de 4,6
4,4
mães crecheiras em que atenção, cuidado, proteção, saúde, nutrição e 4,4
desenvolvimento psicossocial são fornecidos por mães da comunidade 4,2

2007

2008

2009

2010

2011

2012

2013

2007

2008

200

2010

2011

2012

2013
4,2
que atendem em suas próprias casas uma média de 13 crianças, 200 dias 4,0
por ano por 4 ou 8 horas diárias. 3,8 3,6 4,0

3,6 Taxa de distorção idade-série no Ensino Fundamental


Na Suécia, na Finlândia e no Canadá, o governo é obrigado a prover 3,4 por bairro e rede de ensino (%) 2013
EF 12 - Rio
pré-escola a partir de 1 ano. Se os pais não estão trabalhando, as crianças EF 12 - Brasil

30
têm o direito a permanecer por pelo menos 3 horas por dia na pré-escola.

28
0
2005 2007 2009 2011 2013

27

27

27

27

27

27

27
Nesses mesmos países, a maior parte das pré-escolas funcionam em

26

26

26

26

26
20
tempo integral e a licença-maternidade tem duração de 16 meses, sendo

18

18
5,4
3 meses reservados ao homem.

15

15

15
13

13

13

13

13

13

13
12

12

12

12

12

12

10
5,2

No Chile e nos EUA, existe um sistema de apoio integral às crianças, 5,0


desde a gestação até os 4 anos, incluindo pré-natal, acompanhamento 4,8
da amamentação, acompanhamento de saúde e nutrição. Os programas

Centro

Zona Sul

Méier

Madureira
Tijuca

Ramos

Inhaúma

Penha

Pavuna

Ilha do Governador

Jacarepaguá

Bangu

Campo Grande
Barra da Tijuca

Santa Cruz

Guaratiba

Município RJ
4,6
4,4 4,4
concentram esforços para definir que tipo de apoios específicos serão 4,4 4,3
colocados à disposição das crianças, de acordo com as características 4,2
particulares de seu desenvolvimento. 4,0 3,9
4,0
■ Público ■ Privado
3,7
3,8 Fonte: Qedu, IPP.
3,6
3,6 3,5
3,4 3,2 3,5 EF 22 - Rio
EF 22 - Brasil
0
2005 2007 2009 2011 2013

Nota: 1 O indicador é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no
Censo Escolar, e médias de desempenho nas avaliações do INEP.
2
Ensino Fundamental 1 (1º ao 5º ano) e Ensino Fundamental 2 (6º ao 9º ano).

Fonte: Todos pela Educação, INEP – Censo Escolar, 2013, IPP, press clipping do jornal Extra.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


64 65
Visão Rio 500 3.4 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

Aspirações ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO

Toda criança terá condições A mortalidade infantil do Município será menor do que 4 2065
de se desenvolver de forma para 1.000 nascidos vivos
saudável, segura e plena

Nenhuma criança viverá em condições de vulnerabilidade 2050


social (índice do IPEA)

Toda criança terá acesso a um atendimento de Educação 2035


Infantil que proporcione seu pleno desenvolvimento

A educação fundamental O Ensino Fundamental terá qualidade comparável ao de 2050


será de qualidade, de modo países desenvolvidos (PISA)
que todas as crianças
aprendam de acordo
com suas necessidades e Todas as crianças e os jovens de até 15 anos terão nível de 2035
potencialidades aprendizado adequado (IDEB)

Toda a sociedade participará O Rio de Janeiro será reconhecido como exemplo de 2065
ativamente da educação de participação da sociedade na educação de suas crianças
crianças e jovens

IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada.


PISA – Programa Internacional de Avaliação de Estudantes.

Diretrizes Proteger o início de vida através de programas


n Valorizar o professor dos Ensinos Infantil e
n

integrados voltados a gestantes em Fundamental e prover formação de qualidade ao


vulnerabilidade e à primeira infância longo da carreira

Melhorar a formação das crianças cariocas


n Acompanhar e apoiar as escolas para que todos
n

através do aumento de horas de ensino tenham um nível de aprendizagem adequado


de qualidade

Fomentar a participação da sociedade na


n

educação, por meio do incentivo de programas de


educação complementar ao ensino formal

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


66 67
Visão Rio 500 3.4 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

Educação
nos novos tempos
Subtema 2: Exemplo
de preparação no século XXI

Ponto de partida/ Para educar os jovens cariocas do século XXI, a Cidade A grade curricular do Ensino Médio no Brasil O Brasil tem uma grade curricular do Ensino Médio com baixa carga
diagnóstico deve olhar para os Ensinos Médio e Superior, momento apresenta baixa carga horária e pouco espaço para horária e com relativamente pouco espaço para matérias eletivas
de transição do cidadão para a vida adulta. Em relação matérias eletivas se comparada à de outros países
Entre 2009 ao Ensino Médio carioca, é possível perceber que a de referência, como Singapura, por exemplo, onde os Grade curricular
Horas-aula ao longo do Ensino Médio Principais diferenças
e 2013, a taxa Cidade apresentou ganhos significativos nos últimos estudantes possuem mais opções para complementar
Brasil Singapura Chile Alemanha
anos. Entre 2009 e 2013, a taxa de evasão caiu para sua formação.
de evasão no menos da metade, de 14 para 6%. No entanto, a taxa 420 613 660 540
Ensino Médio de conclusão no Estado, apesar de estar acima da
Matemática

caiu de 14 média nacional, ainda se encontra atrás de estados Língua Oficial 450 800 540 520
para 6%. como São Paulo e Minas Gerais, mostrando que é
possível melhorar. Língua Estrangeira 180 640 420 780

Ciências Naturais 1 810 480 600 480

A taxa de evasão do Ensino Médio caiu muito ...mas a taxa de conclusão do Ensino Médio Ciências Humanas 2 540 400 480 400
no Estado do Rio... ainda necessita avançar
Esportes e Artes 3 210 427 480 620
% taxa de abandono do EM % de jovens de 19 anos que concluíram EM

40 90 RJ MG Brasil Disciplinas Técnicas 0 160 120 220


35 80 SP BA

30 70 Eletivas/Outras 90 747 1.020 340


60
25
50 Carga horária total
20 Horas-aula
2.700 4.300 4.300 3.900
40
15 14
10 30 1
Biologia, Física e Química. 2
Geografia, História e Ciências Sociais. 3
Educação Física, Filosofia, Sociologia, Artes , Aulas em laboratórios, Estudo Dirigido, Música e outras disciplinas.
10 20
6 Fonte: Unesco; SEE (Secretaria Estadual de Educação); análise da equipe.

5 10
0 0
2009 2011 2013 2009 2011 2013

Fonte: Todos pela Educação.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


68 69
Visão Rio 500 3.4 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

O Ensino Técnico1 cresceu a 12% no Rio de Janeiro ...mas apenas 14% dos alunos brasileiros estão no
ao longo dos últimos anos e é um dos mais altos do País... ensino profissionalizante

Nos últimos Uma análise dos cursos técnicos e de nível superior No Rio de Janeiro, o Ensino Técnico tem crescido a Matrículas em cursos profissionalizantes, milhares, 2014 Porcentagem de formandos do Ensino Superior na faixa etária 20-30 (2008 )
mostra que, embora o Rio, a exemplo do Brasil, tenha uma taxa de 12% desde 2007, sendo hoje um dos
3 anos, conquistado importantes avanços nos últimos anos, estados com maior representatividade no País. Brasil 14
a quantidade ainda é necessário percorrer um caminho de aumento Porém, o percentual de alunos brasileiros no ensino
–42% p.p.

de alunos de escolarização para se chegar ao nível de países profissionalizante é bastante inferior ao de países Argentina 21

que se desenvolvidos, como França e Finlândia. vizinhos, como Argentina e Chile, e ainda mais baixo +12% p.a.
Colômbia 28
se comparado a países do nível de desenvolvimento da
formaram No Ensino Superior, considerado um requisito para entrada Alemanha, por exemplo.
no Rio no mercado de trabalho de postos qualificados no Brasil, o Chile 37

cresceu 11%. número de alunos que se formaram em universidades no Além de pensar na quantidade de alunos formados, é es-
França 45
Rio cresceu 11% nos últimos três anos, e é um dos maiores sencial entender o ponto de vista dos empregadores sobre

126
34

40

39

43

40

54

62

77

43

25

24

21
do País, porém ainda está abaixo de São Paulo e muito a qualidade da mão de obra egressa dos Ensinos Superior
distante de países de referência, como o Reino Unido. e Técnico para o mercado de trabalho. Apenas 30% dos Alemanha 52

Porto Alegre
São Paulo

Brasília

Salvador
2007

2008

2009

2010

2011

2012

2013

2014

Belo Horizonte
empregadores consideram que os jovens estão bem pre-
A importância do Ensino Superior é enorme, mas é parados para trabalhar e 82% deles estariam dispostos Finlândia 56
fundamental ressaltar que a formação dos jovens não deve a pagar mais por funcionários mais capazes, mostrando
estar restrita somente a essa categoria. O Ensino Técnico disposição dos empregadores para investir na qualificação Na Alemanha, a abordagem para carreira é integrada ao Ensino Médio – o aluno
no Brasil forma outro grande conjunto de profissionais, de mão de obra. Em linha com essa tendência percebida, o RJ 2014 tem a opção de seguir carreira acadêmica ou técnica, mais voltada para o
mercado de trabalho.
sendo um caminho mais direto para o mercado de trabalho. Rio de Janeiro pode encontrar parcerias importantes para
desenvolver um capital humano que impulsione a Cidade Nota: 1 Integrado ao Ensino Médio (formação geral integrada à formação técnica); concomitante com o Fonte: Dataviva; Inep; Censo Escolar 2011; Instituto de Estatísticas
para um futuro mais promissor. Ensino Médio (cursos diferentes); ou subsequente ao Ensino Médio (é preciso já tê-lo concluído). da Unesco (considerando ISCED 3).

Os empregadores não estão satisfeitos com a preparação dos jovens e estariam dispostos
O número de alunos se formando em universidades no Rio cresceu 11% nos últimos 3 anos e é o segundo maior do País, a pagar mais por funcionários mais qualificados
mas o Brasil ainda encontra-se distante dos países desenvolvidos A maioria dos empregadores acha que os jovens não estão ...e estariam dispostos a pagar mais por funcionários
bem preparados para trabalhar... mais capacitados1
O número de alunos que se formaram em universidades no Rio ...mas a situação do Brasil ainda é inferior à situação
vem crescendo e, atualmente, é um dos mais altos do País... de países mais desenvolvidos % dos que concordam que os jovens estão preparados adequadamente % dos respondentes

Número de concluintes do Ensino Superior, 2013 Porcentagem de formandos do Ensino Superior EUA 86
na faixa etária 20-30 (2008) Empregadores 31
2009 91,2 Índia 82
+ 11% Brasil 2,4 Jovens 50
RJ 2011 90,5 –6 p.p. Alemanha 81
Alemanha 4,7 Instituição
67
de ensino
2013 101,0 Brasil 80
EUA 6,4
1
A sua empresa fornece treinamento para novos funcionários?
São Paulo 105,0 Em média quantos dias de treinamento um novo funcionário Turquia 72
recebe no primeiro ano de trabalho?
França 8,0
Fonte: Pesquisa McKinsey, ago-set 2013.
72,7
Brasília
Rússia 8,1
México 72 Desde 2007,
2013 Belo Horizonte 25,5 R. Unido 67
o Ensino Técnico
Reino Unido 8,3 cresce a uma
Salvador 17,6 Arábia Saudita 54 taxa de 12%
Porto Alegre 11,2 Fonte: Dataviva, Censo Educação Superior 2011; INEP; UNESCO. Marrocos 41 70
ao ano.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


70 71
Visão Rio 500 3.4 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

Aspirações ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO

O Ensino Médio será O nível de proficiência (IDEB) no Ensino Médio será 2050
referência nacional, referência na América Latina

Uma cidade
provedor de valores,
colaborativo e conectado
à realidade do jovem Todos os jovens concluirão o Ensino Médio 2050

Todos os cariocas terão Todos os jovens na faixa etária 20-30 anos terão acesso ao 2065
acesso a uma educação Ensino Superior ou Técnico

que tem arte


superior ou profissional que
os permita selecionar uma
carreira no século XXI O Rio terá níveis de formação de cidadãos bilíngues 2065
semelhante à média dos países desenvolvidos

O Rio de Janeiro terá as As escolas técnicas cariocas serão reconhecidas por 2035
melhores escolas técnicas

por todos os
empregadores como centros de excelência em formação
e profissionalizantes, de mão de obra
respeitando as vocações da
Cidade e dos jovens cariocas

Conectar o Ensino Médio à realidade dos jovens Valorizar o professor dos Ensinos Médio,

lados precisa
Diretrizes n n

para reduzir a evasão e prepará-los para as Superior e Técnico, provendo formação de


habilidades necessárias no século XXI qualidade ao longo da carreira
n Coordenar entidades de Ensino Técnico e

empresas para garantir alinhamento de currículo


com as necessidades do mercado

de cultura em
todos os cantos.
WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020
72 73
Visão Rio 500 3.4 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

A capital cultural do País Para que o impacto dessa produção alcance os cidadãos O meio mais clássico de oferta cultural é através de O circuito de
pode sempre mais mais vulneráveis, oferecendo acesso equitativo, é equipamentos culturais, que no Rio estão concentrados
produção local
importante que o circuito de produção local seja nas Zonas Sul e Centro. Enquanto a Zona Sul
Subtema 3: Cultura como reconhecido e fortalecido. A Cidade ainda possui o concentra 59 salas de cinema e 69 teatros, a Área deve ser
promotora da cidadania desafio de oferecer e promover o acesso a uma cultura de Planejamento 5 (Zona Oeste, excluindo Barra e reconhecido
com impacto popular e social. Jacarepaguá) possui apenas 6 de cada. Da mesma forma,
no Centro e na Zona Sul, existem 70 museus, enquanto
e fortalecido.
nas Zonas Norte e Oeste existem apenas 10.
Ponto de partida/ Como parcela importante da formação do carioca ao Para as pessoas que consomem cultura, os principais
diagnóstico longo de sua vida, a cidadania precisa ser desenvolvida benefícios esperados são diversão e experimentação de
para que se crie uma cidade cada vez mais acolhedora e emoções, segundo pesquisa do Ministério da Cultura.
agradável aos seus cidadãos e visitantes. Esses aspectos são complexos por serem pouco Os principais benefícios esperados pelo consumidor de cultura são: ser divertido, provocar fortes emoções e ser uma atividade
objetivos, afinal, o que é divertido para um pode não ser com a qual está familiarizado
A cultura pode Nesse contexto, a cultura tem papel central, sendo divertido para o outro. Benefícios esperados de uma atividade cultural pelo consumidor
uma forte ferramenta de promoção de espaços,
ajudar a formar hábitos e peculiaridades da Cidade. O Rio de Janeiro e Assim, quando se pensa em oferecer e promover a
%

cidadãos. sua extensa produção cultural, como o samba, a bossa produção de cultura, é necessário levar em conta 1o mais importante 2o mais importante 3o mais importante 20

nova e as obras da forte indústria criativa da Cidade, a territorialidade. Diferentes consumidores e


são ativos com grande valor e capacidade para formar produtores demandam diferentes formas de expressão
seus cidadãos. cultural. Essas diferenças precisam ser consideradas
15
na composição de uma política pública expressiva
que utilize a cultura como geradora de bem-estar e
qualidade de vida.

10

Enquanto a Zona Sul concentra 59 salas de cinema e 69 teatros, a Zona Oeste (AP 5) possui apenas 6 de cada
Equipamentos de cultura por área de planejamento
5

Teatros Salas de cinema Museus Centros culturais

Centro 36 Centro 8 Centro 50 Centro 35


0

fácil de chegar

O tipo de atividade em si
(ex.: cinema, teatro, show...)
Ser possível realizar,
fazer em casa

Ter boa localização,

Ser divertido
pessoas próximas
Ter indicação de

colegas de trabalho)

Ter indicação

Ter anúncios em sites, TV,


rádio, revistas para que eu
possa me informar

Ter estacionamento

Ser uma atividade


(familiares/amigos/

que costumo ir,

Provocar fortes emoções


de especialistas
(jornalistas/críticos)

Apresentar aspectos
inovadores, diferentes do

que estou familiarizado


Ser de artista de que
eu gosto muito

Ser um tema ou assunto

Ter um conteúdo cultural


que me interessa

que me interessa

que eu já fui ou participei


Ter um bom preço
Zona Sul 69 Zona Sul 59 Zona Sul 20 Zona Sul 30

Zona Norte 12 Zona Norte 39 Zona Norte 8 Zona Norte 6

Barra/Jacarepaguá 10 Barra/Jacarepaguá 49 Barra/Jacarepaguá 1 Barra/Jacarepaguá 4

Zona Oeste 6 Zona Oeste 6 Zona Oeste 2 Zona Oeste 7


Fonte: Pesquisa PSCB 2013-2014/Base 1620, Panorama setorial da cultura brasileira 2013, 2014 Ministério da Cultura.
Ø 27 Ø 32 Ø 16 Ø 16

Fonte: Rio Como Vamos.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


74 75
Visão Rio 500 3.4 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

Contudo, a equidade de oferta cultural na Cidade Recentemente, grande parte do investimento da


Excluindo salas de cinema, os equipamentos de cultura e espaços já começa a tomar forma com a política de Prefeitura do Rio de Janeiro tem sido voltada para
exclusivamente destinados a lazer são concentrados na Zona Sul e Centro descentralização dos Pontos de Cultura, fomentando grupos formais e informais que desenvolvem ações
ações territoriais que valorizam a cultura local. Por culturais de viés territorial. Isso provoca impacto
Locais de cultura e lazer exemplo, das 49 ações chamadas Pontos de Cultura, positivo na qualidade de vida da comunidade e ajuda a
desenvolvidas no Programa Cultura Vida do Ministério caminhar no sentido do direito de acesso à cultura
da Cultura em parceria com a Secretaria Municipal de por todos.
Cultura, cerca de 60% se desenvolvem nas Zonas Oeste
e Norte.

Aspirações ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO

Crianças e jovens Todas as crianças e os jovens reconhecerão que têm 2035


terão acesso aos bens acesso a uma ampla gama de oportunidades para
culturais da Cidade para o apreciação da natureza, arte e cultura
desenvolvimento de valores
como respeito e cidadania
A Cidade terá opções de cultura que atendam às 2035
Fonte: PENSA.
necessidades dos diversos grupos etários de cada
localidade
A estratégia de pontos de cultura e ações locais já trabalha territorialização e contribui para o
aumento da equidade de acesso
A cultura territorial será Todas as regiões da Cidade terão o mesmo nível de oferta 2025
49 Pontos de Cultura1 de rede Carioca 85 ações locais premiadas valorizada e os bens culturais cultural, inclusive os bairros com maior índice de pobreza
distribuídos equitativamente
Centro 10 Centro 8
A cultura local será respeitada, valorizada e incentivada a 2025
se desenvolver
Zona Sul 9 Zona Sul 12

Zona Norte 13 Zona Norte 26

Barra/Jacarepaguá 5 Barra/Jacarepaguá 19
Diretrizes nDesenvolver, fomentar e apoiar movimentos nEstimular a programação cultural nas regiões da
artísticos e culturais nas comunidades cariocas, Cidade, usando artistas locais, Pontos de Cultura
Zona Oeste 10 Zona Oeste. 16 fomentando parcerias e ações locais existentes e facilitando o uso dos
espaços públicos
Multiárea 2 Multiárea 4

Ø8 Ø 14

~60% nas Zonas Oeste e Norte antes menos servidas Além de mais 527 ações chanceladas

Nota: ¹ Pontos de Cultura é a ação prioritária do Programa Cultura Viva do Ministério da Cultura.
Fonte: SMC.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


76 77
Visão Rio 500 3.4 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

Respeito ao carioca, É muito importante pensar a Cidade e o carioca que se Especialistas entrevistados durante o projeto afirmam O Rio é a cidade
da alegria,
do jeito que ele é quer para o futuro. Cidadãos devem monitorar os outros que o Rio de Janeiro precisa modificar alguns de seus
dos encontros,
cidadãos para mudar o descaso com o espaço público. costumes para promover uma mudança cultural positiva.
Subtema 4: Cidade modelo da pluralidade
e da diversidade.
de respeito ao próximo e à diversidade Essa falta de civilidade presente no Rio de Janeiro Para o aumento da civilidade no Rio, alguns itens foram
É isso que precisamos
repercute internacionalmente. A Cidade está entre indicados:
as 10 mais sujas do mundo. Em um ranking elaborado – Formação do cidadão. valorizar.
pelo website Tripadvisor, o Rio está em 9º lugar entre as – Maior exposição e cultivo à cultura.
Ponto de partida/ O último subtema da “Visão de alto valor humano” trata Ao mesmo tempo em que o carioca é reconhecido cidades que possuem mais sujeira em seus ambientes. – Monitoramento de cidadãos por outros cidadãos.
diagnóstico da receptividade e acolhimento da Cidade, bem como mundialmente por suas qualidades hospitaleiras e – Fim da cultura do “tirar vantagem”.
da pluralidade da população do Rio de Janeiro. alegres, o Rio tem o desafio de enfrentar a falta de
civilidade em seu dia a dia, em diferentes contextos.
O povo carioca é reconhecido internacionalmente por Um exemplo é o trânsito, um dos ambientes onde é
O Rio é ser aberto e receptivo. Segundo ranking elaborado pela possível observar a falta de coletividade e respeito O Rio de Janeiro é conhecido como uma das cidades turísticas
a cidade revista Forbes, o Rio foi escolhido como a cidade mais em atitudes como o excesso de velocidade e a mais sujas do mundo
mais feliz feliz do mundo, à frente de capitais mundiais como desobediência à sinalização.
As 15 cidades mais sujas
do mundo. Melbourne e Paris.

Posição Cidade País Nota


Ranking das cidades mais felizes do mundo — 2013 O carioca sofre com a falta de civilidade
em seu dia a dia 1º lugar Bombain Índia 3,57

2º lugar Marraquexe Marrocos 4,92


1 Rio de Janeiro 6 Madri Exemplo de trancamento de cruzamento
3º lugar Punta Cana Rep. Dominicana 5,36

2 Sydney 7 São Francisco 4º lugar Bangkok Tailândia 5,39

5º lugar Hanói Vietnã 5,43

3 Barcelona 8 Roma 6º lugar Buenos Aires Argentina 5,45

7º lugar Sharm el Sheikh Egito 5,66


4 Amsterdã 9 Paris 8º lugar Atenas Grécia 5,89

9º lugar Rio de Janeiro Brasil 6,06


5 Melbourne 10 Buenos Aires Fonte: Veja.
10º lugar Bruxelas Bélgica 6,21

Fonte: Revista Forbes.


11º lugar Kuala Lampur Malásia 6,26

12º lugar Moscou Rússia 6,50

13º lugar Nova Iorque Estados Unidos 6,54

Cariocas são conhecidos 14º lugar Pequim China 6,57

internacionalmente como sendo 15º lugar Londres Inglaterra 6,70

um povo aberto e receptivo


Fonte: Coletânea de artigos de imprensa, Trip Advisor.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


78 79
Visão Rio 500 3.4 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

O povo carioca, além de ser reconhecido especialistas, devemos valorizar as diferenças e


internacionalmente por sua alegria, também é trabalhar a civilidade, a tolerância e a luta contra a
bastante diverso e plural. No entanto, ainda sofre discriminação de qualquer natureza, não importando o
com preconceitos que devem ser superados. Segundo sexo, a orientação sexual, a cor da pele ou a religião.

Aspirações ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO

A Cidade do Rio de Janeiro A Cidade será consistentemente uma das 10 mais 2050
será reconhecida como acolhedoras do mundo
uma das mais acolhedoras e
inclusivas do mundo, em que
seus cidadãos terão plena
liberdade

Todo cidadão carioca terá um A percepção da população quanto a entidades e serviços 2030
serviço público de qualidade públicos atingirá padrão superior (SIPS-IPEA)
reconhecida e será tratado
com respeito

Todo carioca terá seus O número de ocorrências relacionadas à discriminação e 2030


direitos civis e humanos preconceito diminuirá em 80%
garantidos e sua diversidade
respeitada

SIPS-IPEA: Sistema de Indicadores de Percepção Social – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada.

Diretrizes Promover a educação cidadã, a educação


n nMelhorar a qualidade dos serviços públicos
inclusiva e o respeito aos direitos humanos e à através da mensuração da satisfação da
diversidade através de programas educacionais, população e da execução de iniciativas de
ensino informal e debates públicos que melhoria
encorajem o diálogo

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


80 81
Visão Rio 500 – Tema 2 O que a gente espera do Rio
Rio de Janeiro: O sistema de cuidados e ações de saúde
Fonte de Bem-estar, pública da Cidade serão suficientes,
sustentáveis e de excelência para atender a
Qualidade de Vida todos os cariocas.
e Dignidade Todos os cidadãos conviverão de maneira
comunitária e harmoniosa, promovendo a
cultura da paz e da civilidade.

Os jovens cariocas serão exemplo de


convivência harmoniosa e não farão parte de
estatísticas de violência.
O Rio tem
muito mais
a oferecer
ao carioca.
Visão Rio 500 3.5 Rio de Janeiro: fonte de bem-estar, qualidade de vida e dignidade

Introdução
Rio de Janeiro: Fonte de Bem-estar,
Qualidade de Vida e Dignidade
O que a gente espera do Rio
O que os cariocas dizem:

Qualidade de Para que o Rio de Janeiro alcance tudo o que almeja qualidade de vida e sua dignidade, o Rio de Janeiro “Sonhar com um “Arte e cultura com
para 2065, precisa entregar ao cidadão uma Cidade que precisará vencer uma série de desafios.
vida é mais ofereça bem-estar, qualidade de vida e dignidade.
Um desses desafios é oferecer a toda a população
Rio melhor é sonhar acessibilidade a todas
que uma vida
saudável.
Bem-estar é o conjunto de atributos que o cidadão en-
tende como necessários para viver bem. Por isso mes-
acesso a serviços de saúde de qualidade e permitir que
os cariocas tenham bons hábitos de vida. Além disso,
com mais educação, as áreas da Cidade.”
mo, cada pessoa tem uma interpretação diferente do
que significa “estar bem”.
é fundamental reduzir a mortalidade prematura e as
internações por causas evitáveis, bem como aumentar a mais segurança, Conselho da Juventude

Esse múltiplo significado acontece também com o


conceito de qualidade de vida, que é a percepção que
expectativa de vida saudável da população.

Outro desafio é melhorar a segurança, para que o


mais projetos
o indivíduo tem de seu papel no contexto da cultura e
do sistema em que vive e, mais ainda, em relação aos
cidadão se sinta convidado a circular pela Cidade e
conviver harmoniosamente com outros. É um desafio
culturais e mais “Mais segurança.
objetivos e expectativas que persegue na vida. também oferecer condições para que todos os
moradores do Rio tenham seus direitos garantidos e
saúde para Temos uma Cidade
Para muitos estudiosos, a qualidade de vida é percebida
na forma de indicadores da condição de saúde de
possam, assim, acessar o que a Cidade tem de melhor,
com acessibilidade e diversidade cultural.
apreciarmos linda, com a
uma população, mas entendemos que ela vai muito
além disso. Está associada também a fatores como a Os princípios da Visão (bem-estar, qualidade de vida e melhor o Rio.” natureza a nosso
favor. Precisamos
convivência com outros cidadãos, o usufruto da Cidade dignidade) devem estar presentes durante toda a vida
e um bom desenvolvimento social com cultura, lazer e do carioca de berço e de coração. O Rio tem o desafio de Plataforma VisaoRio500.rio
esporte. Tudo isso proporciona sensação de bem-estar enfrentar uma das tendências mais relevantes do mundo
ao longo de toda a vida conforme o indivíduo envelhece. atual, que é o envelhecimento da população. Na Cidade,
essa tendência passa por um processo de envelhecimento
de liberdade para
Já a dignidade, no conceito constitucional brasileiro, é es-
sencialmente o direito de todo ser humano ser merecedor
mais acelerado do que o do Brasil e precisa permitir um
envelhecimento saudável para sua população.
curtirmos essa beleza.”
de respeito e proteção, não importando sua origem, raça,
sexo, idade, estado civil ou condição socioeconômica. É com tudo isso em mente e com o objetivo de oferecer
Plataforma VisaoRio500.rio
uma vida cada vez melhor aos cariocas que a Visão Rio
Na busca de que o carioca possa aproveitar a Cidade 500 foi elaborada.
com condições essenciais ao seu bem-estar, sua

Esse tema está Subtema 1: Subtema 2: Subtema 3: Subtema 4:


organizado nos Promoção a uma Cidade segura e Referência em Envelhecimento
quatro subtemas vida saudável e ativa de convivência redução das ativo
a seguir. harmoniosa diferenças de acesso
a oportunidades
e direito

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


86 87
Visão Rio 500 3.5 Rio de Janeiro: fonte de bem-estar, qualidade de vida e dignidade

Com saúde,
Desde 2009, a Cidade passa por um processo de expansão da cobertura da atenção primária
o carioca vai longe.
Cobertura populacional das equipes da Cobertura populacional das equipes de ESF¹ por capital
Subtema 1: Promoção Estratégia de Saúde da Família1

a uma vida saudável e ativa Percentual2


Capitais 2008 Capitais 2014
% cobertura
94,34 Florianópolis
50 47,2 Teresina 93,98
João Pessoa 90,35 Teresina 93,08
Ponto de partida/ Desde 2009, a Cidade do Rio de Janeiro, seguindo a às emergências. No período de 2009 a 2012, foram 45
41,0 39,0
diagnóstico política nacional de saúde estabelecida pelo Ministério inaugurados dois hospitais, duas maternidades e 19 40 Aracaju 86,71 Palmas 91,21
da Saúde, em 1994, conhecida por Estratégia de unidades de pré-hospitalar fixo (CER e UPA). 35 31,9 Vitória 77,25 João Pessoa 86,89
Saúde da Família (ESF), passa por uma expansão sem 30 Florianópolis 77,22 Belo Horizonte 82,66
precedentes do acesso à atenção primária. As internações na Rede Municipal saltaram de
25 Belo Horizonte 71,45 Aracaju 80,42
108 mil, em 2008, para 130 mil, ou seja, 45% das
A expansão fez com que a cobertura populacional das internações realizadas pelo SUS em 2014. Nesse 20 Boa Vista 71,04 Vitória 79,74
14,8
equipes de ESF completas passasse de 3,5% em 2008 mesmo ano, as UPAs realizaram mais de 6 milhões de 15 Palmas 65,41 Macapá 60,61
9,2
para 47,2% em 2014, com previsão em torno de 70% de atendimentos e os CERs quase 2 milhões. Além disso, 10 7,2
Recife 52,83 Porto Velho 60,01
cobertura ao final de 2016. Os esforços nesta direção o estabelecimento do PADI (Programa de Atenção 5 Macapá 44,86 Boa Vista 59,25
permitiram que a Cidade, que ocupava o penúltimo Domiciliar ao Idoso) permitiu a implantação de 16
0 Natal 43,68 Rio Branco 58,43
lugar no ranking de capitais brasileiras em 2008, equipes, em seus diferentes formatos, capazes de 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014
avançasse 11 posições em 2014. atender, com uma abordagem mais humanizada, mil Rio Branco 42,29 Recife 55,24
pacientes por mês. Porto Velho 37,23 Natal 48,95
A atenção A atenção primária é capaz de atender entre 80 e
85% das necessidades de saúde de uma determinada
Manaus 35,68 Goiânia 48,11
primária população. Por esse motivo, a grande expansão vivida Curitiba 32,60 Rio de Janeiro 2
47,20

é capaz de pela Cidade nos últimos anos refletiu em melhorias de Goiânia 32,23 Curitiba 45,82

atender entre importantes indicadores de saúde. Fortaleza 30,55 Porto Alegre 43,83

80 e 85% das Os avanços, entretanto, não se restringiram à atenção


São Luís 29,31 Fortaleza 42,91
28,38 Campo Grande 38,12
necessidades
Campo Grande
primária. A Rede Municipal de Atenção Hospitalar
tem também seu papel estratégico na assistência à São Paulo 26,62 38,11
de saúde
Cuiabá
população carioca, particularmente no que se refere Maceió 26,55 São Luís 36,50
de uma Belém 23,42 São Paulo 35,60
determinada Porto Alegre 22,27 Manaus 34,65
população. Cuiabá 19,62 Brasília 31,52
Salvador 10,17 Maceió 31,12
Rio de Janeiro2 7,20 Salvador 26,34
Brasília 5,64 Belém 21,77

¹ Estratégia de Saúde da Família: médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, dentistas e agentes comunitários de saúde.
2
Este percentual também leva em consideração equipes incompletas (que não possuem médicos).

Fonte: SMS, Departamento de Atenção Básica Ministério da Saúde.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


88 89
Visão Rio 500 3.5 Rio de Janeiro: fonte de bem-estar, qualidade de vida e dignidade

Os investimentos Os resultados são importantes já que os investimentos Apesar dos avanços, ainda há muito espaço para Dentre os indicadores em questão, o principal desafio A tripla carga de doenças que acometem a população Os casos de
pularam de 15,7% dos pularam de 15,7% dos recursos do tesouro municipal melhorias, não apenas de expansão de acesso e da Cidade é a mortalidade materna, que em 2013 era é mais um desafio. Atualmente, existem três grandes acidentes e
recursos do tesouro em 2008 para 20,8% em 2014. A mortalidade infantil cobertura, mas também melhoria de indicadores de de 76,4 por 100.000 nascidos vivos. Positivamente, grupos de enfermidades pressionando o sistema de
municipal em 2008 caiu de 21,8 por 1.000 nascidos vivos em 2000 para saúde. Quando comparado a outras capitais do Sul e hoje o Rio de Janeiro já consegue registrar e investigar saúde da Cidade: violência são
para 20,81% em 2014. 11,3 em 2014, alcançando a meta Brasil de 16,0. Sudeste do País, o Rio ainda está atrás na maior parte adequadamente tais óbitos, o próximo passo é a a causa mais
Além do mais, o percentual de nascidos vivos de
gestantes com pré-natal insuficiente saiu de 33% em
dos indicadores relacionados às metas dos Objetivos de
Desenvolvimento do Milênio estabelecidas pela ONU.
redução das taxas e a correção de disparidades
regionais, sendo esse um dos principais, senão o
I) Doenças infectocontagiosas, que representaram
7% das causas de internação em 2014.
crescente de
2009 para 20% em 2014, sendo que um pré-natal maior desafio atual. A taxa de mortalidade infantil, II) Doenças crônicas não transmissíveis, como internação,
insuficiente é aquele em que a gestante passa por por exemplo, varia muito pela Cidade, e a proporção diabetes e hipertensão, com expressivos 78% tendo quase
menos de seis consultas médicas. E a proporção de entre a melhor e a pior região é de três vezes o seu das internações.
internações por condições sensíveis à atenção básica valor. Alguns locais próximos chamam atenção, como III) Causas externas (acidentes e violência), que
dobrado
é hoje uma das melhores do País, tendo diminuído de a diferença entre Lagoa e Rocinha, com taxa de 5,6 e foram 15% das internações. desde 2008.
35,4% para 21,4% no mesmo período. 18,2, respectivamente.
Os maus hábitos da população são outro desafio
importante. Vinte e um porcento da população adulta é
obesa (IMC > 30), sendo o segundo pior resultado entre
A Cidade ainda enfrenta desafios na área de saúde as capitais do País, em grande parte porque apenas 33%
dos adultos da Cidade praticam o nível recomendado
de atividade física (pelo menos 150 minutos semanais),
desempenho abaixo da média das demais capitais.
Rio de Belo Meta Brasil
Objetivo Indicador Janeiro Vitória Horizonte São Paulo Curitiba Florianópolis Porto Alegre OBM Apenas 22% consomem o recomendado de frutas e
Mortalidade infantil
hortaliças (consumo de cinco ou mais porções por dia),
(menores de 1 ano) 12,72 10,31 9,62 11,20 8,82 5,15 9,27 16 número mediano frente às demais capitais do Brasil.
1
Por 1.000 nascidos vivos
ODM-4
Mortalidade infantil
(menores de 5 anos) 14,65 11,38 10,99 12,77 10,19 6,04 11,50 20
Por 1.000 nascidos vivos

ODM-51
Mortalidade materna
Por 100.000 nascidos
vivos
76,43 21,47 38,24 45,67 32,09 35,52 30,40 35 As condições de saneamento e de
Incidência de HIV3
Por 100.000 pessoas 37,78 39,92 27,17 25,81 26,00 57,02 93,67
moradia também afetam a saúde
2
Mortalidade por
Parar e reverter
a tendência de
da população.
ODM-6 tuberculose3 5,66 4,20 1,54 2,98 0,62 0,69 4,45 crescimento da
Por 100.000 pessoas
doença
Casos de malária3
Por 100.000 pessoas 1,38 0,90 1,00 0,33 0,28 1,39 0,35

Expectativa de vida1
Ambos os sexos 75,69 76,28 76,37 76,3 76,3 77,35 76,42 73,4

■ ■ ■ Abaixo da meta ■ Meta atingida ■ ■ ■ Acima da meta


1
Dados de 2013; 2 Dados de 2012; 3 Compara as cidades entre si e não com a meta.

Fonte: DataSUS, IBGE.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


90 91
Visão Rio 500 3.5 Rio de Janeiro: fonte de bem-estar, qualidade de vida e dignidade

Os hábitos dos adultos se refletem em nossas crianças. II) O papel da Cidade na região metropolitana.
A condição de saúde é agravada devido a maus hábitos: As escolas não oferecem o número de horas de Dentro da estratégia de regionalização da
21% da população adulta é obesa e apenas 33% é ativa... atividade física preconizada pela Organização Mundial saúde do SUS, o Rio, como capital e maior
de Saúde, de 5 horas semanais (em geral são oferecidas Cidade da região, recebe quase 13% de sua
Adultos que praticam o nível recomendado1
de atividade física
no máximo 2 horas). verba predestinada a atender cidadãos dos
%, 2013
demais Municípios da região. No entanto,
As condições de saneamento e de moradia também consomem 31% da verba realmente
55 podem afetar de maneira importante a saúde da executada, gerando um déficit anual de cerca
44
35 35 35 36 36 36 36 36 37 37 37 37 38 38 40 40 40 42 43
28 31 32 32 33 34 população, o que deve, portanto, ser considerado um R$ 49,5 milhões de encaminhamentos de
desafio. Um exemplo disso é que hoje, no Rio, 1,5 milhão pacientes com necessidade de atendimento de
de pessoas vivem em favelas. Segundo a OMS, cada média e alta complexidade.

Natal
Aracaju

Brasília
João Pessoa

Teresina

Fortaleza

Belém

Macapá

Cuiabá

Goiânia

Curitiba

Boa Vista

Vitória
São Luís

Manaus

Palmas

Florianópolis
Recife

Belo Horizonte

Campo Grande
São Paulo

Maceió
Porto Velho

Rio Branco

Porto Alegre
Rio de Janeiro

Salvador
R$ 1,00 investido em saneamento básico adequado
são R$ 4,00 de economia em atenção à saúde, e o Rio
ocupa apenas a 56ª posição no ranking de saneamento
do Instituto Trata Brasil, que observa as 100 maiores Tendências globais para a saúde
cidades do Brasil, estando atrás de todas as demais
Adultos com obesidade2 nas capitais capitais do Sul e Sudeste do País. Frente às tendências de aumento da
%, 2013 longevidade, um importante avanço de novas
21 22 Por fim, a gestão do sistema de saúde também tecnologias em diversos setores da cadeia
17 17 17 17 17 18 18 18 18 18 18 18 18 18 18 19
13 15 15 15 15 16 16 16 16 representa um importante desafio. A governança da de valor da saúde e o maior envolvimento
rede de serviços de saúde é particularmente complexa dos pacientes com seu próprio cuidado
devido a dois fatores: e tratamento, observa-se três grandes
Natal

Aracaju
Brasília

Goiânia

Boa Vista
Vitória

Teresina

João Pessoa

Curitiba
Belém

Macapá

Cuiabá
Fortaleza
São Luís

Palmas

Manaus
Florianópolis
Belo Horizonte

Campo Grande

Porto Alegre

Recife
Porto Velho

São Paulo

Rio Branco

Maceió
Salvador

Rio de Janeiro
oportunidades para o desenvolvimento do
I) O número de estabelecimentos de saúde pública setor de saúde:
geridos pelas esferas estadual e federal, devido
ao histórico da Cidade como capital do País e I) Aumentar a produtividade.
Cidade-estado. O Rio tem mais estabelecimentos II) Reinventar o atendimento ao cliente.
1
Pelo menos 150 minutos semanais de atividade física de intensidade leve ou moderada ou pelo menos
75 minutos semanais de intensidade vigorosa. de saúde federais e estaduais do que todas as III) Digitalizar os serviços de saúde.
2
Índice de massa corporal (IMC) > 30.
demais capitais brasileiras. Essa realidade torna
Fonte: Vigitel.
a gestão e coordenação dos leitos da Cidade
bastante complexa, uma vez que os leitos
disponíveis para os cidadãos são divididos em
três esferas de gestão.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


92 93
Visão Rio 500 3.5 Rio de Janeiro: fonte de bem-estar, qualidade de vida e dignidade

ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO Por um Rio de paz


Aspirações
O sistema de cuidados e as A mortalidade infantil será menor que 4 por 1.000 2065 Subtema 2: Cidade segura
ações de saúde pública da nascidos vivos, e a disparidade entre regiões terá sido e de convivência harmoniosa
Cidade serão suficientes, reduzida drasticamente
sustentáveis e de excelência
para atender a todos os A mortalidade materna será menor que 2040
cariocas 20 por 100.000 nascidos vivos
Ponto de partida/ A segurança é primordial para o bem-estar e a policial (2014 comparado a 2008) e de 76% de
90% dos cariocas reportarão ter recebido a atenção 2040 diagnóstico qualidade de vida de um indivíduo. Quando o cidadão letalidade violenta.
de saúde que precisaram no último ano tem a sensação de segurança, tem mais estímulos para
Com a implementação aproveitar melhor a Cidade e se desenvolver melhor No contexto da segurança pública do Rio, também se
Todo cidadão carioca estará 100% dos cidadãos terão fácil acesso a seus dados de 2025 das UPPs, muitos física, cultural e socialmente. Quando há falta de observa uma redução importante na taxa de homicídios.
no centro do cuidado com saúde e a plataformas de autocuidado índices de segurança segurança, além do sofrimento individual, o coletivo é Em duas décadas, a redução foi de 74%, saindo de
acesso informatizado aos melhoraram. afetado. Por exemplo, em zonas de confronto armado, alarmantes 73 homicídios por 100.000 habitantes em
seus dados de saúde e a 100% dos equipamentos públicos de saúde estarão 2035 há perda de qualidade em diversos serviços, como a 1994 para 19 em 2014. Com isso, o Rio ficou longe
ferramentas de autocuidado integrados, utilizando o CPF como chave do cadastro único educação e a saúde. do primeiro lugar no ranking de capitais do Brasil, se
observarmos exclusivamente essa taxa.
Desde 2009, com a política do Estado do Rio de
A educação será protagonista 100% das escolas terão papel curricular ativo 2025 Janeiro de Unidades de Polícias Pacificadoras (UPPs), Contudo, muitos desafios ainda estão pela frente.
na melhoria contínua da na educação em saúde e autocuidado muitos índices de segurança melhoraram, trazendo Mesmo a taxa de homicídios tendo sofrido drástica
saúde da população carioca diversos benefícios à população. Hoje, são 36 unidades melhoria, ainda há muito para reduzir. Ao compararmos
instaladas, que colaboraram fortemente para a redução o Rio de Janeiro com outras importantes cidades do
O ambiente da Cidade Todos os cariocas terão acesso à estrutura necessária 2050 de 85% dos homicídios decorrentes de intervenção mundo, notamos que ainda existe grande diferença.
irá beneficiar os cariocas, para serem mais saudáveis: teremos menos de 13% de
de modo que todos terão obesos, o consumo de frutas e hortaliças terá aumentado
hábitos saudáveis e acesso drasticamente e mais de 60% das pessoas praticarão
aos recursos e informações atividade física nos níveis recomendados A taxa de homicídios na Cidade caiu 74% nas últimas duas décadas
necessárias para que vivam Evolução da taxa de homicídios no Rio de Janeiro Comparação entre cidades globais1
mais e melhor 100% das escolas oferecerão 5 horas/semana de 2035 (Taxa de homicídios por 100.000 hab) (Taxa de homicídios por 100.000 hab)
atividade física
80
73
70
66

Diretrizes Utilizar a tecnologia e os dados de saúde para


n  Fincar parceria com a educação para que as
n 
60
entregar eficiência, qualidade e sustentabilidade crianças sejam educadas quanto a sua saúde 54 26,60
50
47 23,70
financeira ao sistema e autocuidado 50 46
43 44
41 40
-74% 19,20
40 38
41 33 34
Lançar esforço colaborativo junto ao Estado
n  Fomentar a saúde no ambiente corporativo,
n 
37
40
8,40
do Rio de Janeiro para integração de sistemas alavancando empregadores como catalisadores 30 26 4,00 6,50
22 0,70 1,00 1,40 1,70
regulatórios e de dados de saúde do processo de qualidade de vida através 19 20 19 1,10 1,10
20
de incentivos

Istanbul
Mumbai

Bogotá
Barcelona
Londres

Los Angeles
Nova Iorque

Cidade do México
Hamburgo

Johannesburgo
Rio de Janeiro
Hong Kong
Promover o aumento da prática de exercícios físicos
n  10

e o consumo de alimentos saudáveis com diferentes Estimular a prática de esportes na infância e


n 
0
estratégias por faixa etária adolescência, aproveitando o legado olímpico 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014
¹ Último dado disponível de cada cidade. Fonte: Instituto de Segurança Pública; City transformatios LSE 2013.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


94 95
Visão Rio 500 3.5 Rio de Janeiro: fonte de bem-estar, qualidade de vida e dignidade

Garantir segurança
A sensação de Além da oportunidade para melhorar a taxa de Além de afetar a vida dos cidadãos, a sensação O conceito por trás da curva etária é de que os Para a visão de futuro da Cidade, entendemos que o
à população é
insegurança homicídios, outro importante índice que continua
sendo um desafio para a Cidade é a taxa de roubos a
de insegurança afeta também a dos visitantes. A
Cidade aparece mal colocada no índice de sensação
jovens estão mais vulneráveis a influências negativas
no período da vida em que somos mais impulsivos
ordenamento é fruto de algo muito maior: a convivên-
cia harmoniosa entre os cidadãos e entre o cidadão e a
responsabilidade
afeta a vida transeuntes, que, de 2009 a 2012, sofreu uma queda de de segurança como um parâmetro relevante para o e imaturos. Infelizmente, no Rio de Janeiro, sua própria cidade. Isso, portanto, deve ser estimulado
do Estado,
mas o Município
dos cidadãos e quase 40% e desde então tornou a subir mais de 50% turismo se comparada a outras cidades globais, como aproximadamente 50% das pessoas apreendidas pela através de políticas públicas abrangentes.
tem um papel
a dos turistas. em apenas 2 anos. Sydney, Toronto, Londres e Praga. polícia têm entre 16 e 24 anos. Além disso, a faixa etária
jovem de 15 a 29 anos ainda é a que mais morre por Apesar de a segurança pública não ser de
importante.
Os roubos influenciam bastante a sensação de segurança causas externas no Município. responsabilidade direta da Prefeitura do Rio de
do cidadão. De acordo com pesquisa de percepção de Janeiro, o tema foi apontado como de grande
2013 realizada pela Rio Como Vamos, essa sensação Para o futuro de paz do nosso Rio, é importante importância para a população ouvida no processo
piorou em comparação com os anos anteriores. cuidar dos jovens que já cumprem medidas por de construção desse trabalho e, portanto, não foi
comportamentos violentos. É preciso reintegrá-los à negligenciado na visão de futuro da Cidade.
sociedade, oferecer oportunidades dignas e estimular
a volta ao convívio de maneira harmoniosa com a
Jovens do sexo masculino têm maior quantidade Cidade, com seus cidadãos e com seus visitantes.
de óbitos registrados por causas externas do que Cuidando dos jovens
outras faixas etárias Garantir segurança a uma população é
responsabilidade do Estado, mas o Município tem Um caso inspirador é o Chicago Crime Lab, na
Óbitos por causas externas, por residência e por faixa etária na
população de sexo masculino papel importante no ordenamento e no estímulo de Universidade de Chicago, nos Estados Unidos,
uma convivência harmoniosa, bem como do respeito que usa a ciência para propor e avaliar políticas
2013
ao espaço público. Afinal, esses fatores também de segurança que protejam os jovens da cidade.
Menor de 1 ano 26
influenciam a sensação de segurança.
O principal programa desenvolvido
1 a 4 anos 20
Um estudo da Instituição Rio Como Vamos revela chama-se Becoming a Man, que tem o
Os roubos a transeuntes continuam a ser um grave problema, que a sensação de segurança do cidadão carioca objetivo de diminuir a evasão escolar e a
5 a 9 anos 17
apesar da importante queda até 2012; a taxa já subiu 52%... vem caindo ao longo dos últimos anos. Quando violência entre alunos em situação de risco,
Taxa de roubos a transeuntes
questionados por quê, dentre os principais motivos, oferecendo programação durante o horário
10 a 14 anos 43
estão objetos de ordenamento, como presença de escolar, complementada por atividades
Número de roubos por 100.000 hab moradores de rua e dependentes químicos e a falta de esportivas e sessões em grupos para
15 a 19 anos 335
iluminação nos espaços públicos. trabalhar o desenvolvimento de habilidades
sociocognitivas.
20 a 29 anos 743
678,28
700
621,70 O programa prepara os jovens para
30 a 39 anos 519
568,82 pensar em aspirações para o futuro e
600
-40% 473,12
também ter um senso de responsabilidade
40 a 49 anos 371 472,00
500 +52% pessoal e integridade, além de praticar o
autoconhecimento e o autocontrole.
50 a 59 anos 327 400
408,28 O programa já atendeu mais de 2.500
60 a 69 anos 241 300
adolescentes de 18 escolas, contribuindo
200 para um declínio de 43% em crimes violentos
70 a79 anos 223
praticados por esse grupo durante o ano do
100
programa. Além disso, observou-se aumento do
Acima de 80 anos 277
0
engajamento na escola.
Fonte: DATASUS; MS/SVS/CGIAE – 2009 2010 2011 2012 2013 2014
Sistema de Informações sobre Mortalidade – SIM. Fonte: SSP/SESEG.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


96 97
Visão Rio 500

ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO


Aspirações
Todos os cidadãos conviverão 80% dos cariocas, em especial as mulheres, reportarão se 2035
de maneira comunitária e sentir seguros andando sozinhos pela Cidade
harmoniosa, promovendo a
cultura da paz e da civilidade
80% dos pais reportarão permitir que seus filhos 2035
brinquem sozinhos em seu bairro

Os jovens cariocas serão A taxa de mortalidade por causas externas de jovens de 2035
exemplo de convivência 14 a 19 anos terá caído 60%
harmoniosa e não farão parte
de estatísticas de violência
A taxa de incidência de jovens aprendidos pela polícia será 2050
menor do que 1%

A Cidade será um ambiente A taxa de homicídios será menor que 5 a cada 100.000 2050
seguro, onde diferentes habitantes
agentes de ordenamento
serão coordenados e
valorizados por proteger A taxa de roubos a transeuntes será 80% menor 2065
a população

Os cariocas cuidarão e Não haverá mais violações e depredações de espaços 2035


conservarão a Cidade e seus públicos
espaços públicos

Lançar esforço de integração com o Estado do


n  Fomentar políticas públicas que atuem na
n 

Diretrizes Rio de Janeiro para ações de segurança pública proteção do jovem com foco na redução do
em prol da Cidade consumo de drogas e no envolvimento com
o tráfico
Lançar esforço de integração com a educação
n 

para a promoção da cultura da paz e da


convivência cidadã desde a formação infantil

WWW.VISAORIO500.RIO
98
Visão Rio 500 3.5 Rio de Janeiro: fonte de bem-estar, qualidade de vida e dignidade

Por exemplo, especificamente entre a população jovem É importante também examinar que tipo de atividade
do grande Rio, segundo o IBGE, 22% não estudam nem o carioca desempenha com maior intensidade, o que
Chances iguais para a nossa gente trabalham, número superior à média nacional. Dentro pode indicar o nível de disparidade entre a população.
de um contexto de envelhecimento da população e
Subtema 3: Referência em redução das diferenças de da necessidade de maior produtividade da população De acordo com bases estatísticas da RAIS-MTE,
acesso a oportunidades e direitos ativa, as atividades econômicas dos jovens merecem grande parte dos cariocas desempenha atividades
atenção especial. predominantemente operacionais e que requerem
baixa qualificação, sendo também remunerada de
Além disso, ao compararmos a população jovem forma inferior.
carioca com a força de trabalho mais velha,
Ponto de partida/ Para o bem-estar e a dignidade de uma população, é A Cidade oferece muitas oportunidades, desde opções observamos que a desocupação entre os mais novos
diagnóstico extremamente relevante que todos tenham acesso a de lazer e esporte a opções de estudo, trabalho e atinge níveis significativamente mais altos, o que é
oportunidades e a tudo o que lhes é de direito. Mais desenvolvimento. No entanto, ainda é um desafio outro fator de preocupação.
do que isso, os grupos mais vulneráveis da sociedade garantir o direito de acesso principalmente aos grupos
devem ter seus direitos ativamente garantidos por da população considerados mais vulneráveis.
órgãos públicos, como as prefeituras.
Jovens apresentam taxa de desocupação muito maior do que a população em geral no Rio
Taxa de desocupação na região metropolitana do Rio de Janeiro durante o ano

População em geral (>10a) Jovens 18 a 24 anos


Uma parcela importante dos jovens do Rio entre 15 e 29 anos não estuda nem trabalha 2014
Percentual da região metropolitana do Rio de Janeiro, 2013

11,7

10,8
10,6

10,6
Total: 2,7 milhões 100%

10,0
10,1

9,4

9,0
9,

8,7

7,7
7,3
29% 10% 40% 22%

3,9

3,8
3,6

3,6
3,5

3,4

3,6
3,5

3,5
3,4
Estuda Não estuda,

3,2

3,0
Só estuda e trabalha Só trabalha nem trabalha

Fonte: SMS, Departamento de Atenção Básica Ministério da Saúde.

Abril
Fevereiro

Novembro
Janeiro

Março

Agosto

Outubro
Maio

Junho

Julho

Setembro

Dezembro
Fonte: IBGE, Pesquisa Mensal de Emprego.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


100 101
Visão Rio 500 3.5 Rio de Janeiro: fonte de bem-estar, qualidade de vida e dignidade

Capacidade funcional no decorrer da vida As diferenças de acesso a oportunidades atingem As diferenças de acesso a oportunidades ficam Destacamos esse grupo aqui por ser uma parcela
também a população idosa do Rio, que requer atenção explícitas, também, entre a população que possui importante da população que muitas vezes não tem seu
Capacidade funcional

Crescimento e Mantendo o nível mais Mantendo independência especial para obter as condições de vida de que alguma necessidade física especial. direito de acesso à Cidade garantido. Hoje, no Brasil,
desenvolvimento alto possível de e prevenindo incapacidades necessita. Dos 10 bairros do Brasil com mais idosos, segundo o IBGE, 24% da população apresenta algum
funcionamento
8 estão no Rio de Janeiro, sendo que Copacabana é o tipo de necessidade especial.
Alcance de função
em indivíduos
primeiro neste índice, com 29% da população acima de
60 anos.

A Cidade que permite à sua população envelhecer


Limite de incapacidade
ativamente a estimula a ficar acima do limite da
incapacidade, especialmente quando se ajuda os idosos Aspirações ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO
a recuperarem o bem-estar físico e mental em qualquer
Reabilitação e garantia momento da vida, com capacidade de reabilitação em
de qualidade de vida Os jovens cariocas em A vulnerabilidade social de jovens estará erradicada 2050
Idade casos de doenças. vulnerabilidade terão
Início da vida Vida adulta Idade avançada oportunidades sociais
Fonte: Kalache, A. The longevity revolution, Creating a society for all ages. e econômicas para seu
desenvolvimento integral

Dos 10 bairros com maior concentração de idosos do Brasil, 8 se encontram no Rio de Janeiro, sendo Copacabana o 1º no ranking O cidadão carioca terá O programa de qualificação de jovens e adultos no Ensino 2040
oportunidades para se Superior ou Técnico Profissionalizante do Rio de Janeiro
1
Percentual de idosos nos 8 bairros qualificar profissionalmente será referência nacional e na América Latina
com maior concentração de população Distribuição da população acima de 60 anos por bairro – Município do Rio de Janeiro
acima de 60 anos do Brasil 2010 e conseguir emprego
2010

Copacabana 29%
A população idosa do Rio Todo idoso terá acesso a atividades profissionais, 2035
será ativa e produtiva estudantis ou voluntárias, semelhante a países
Tijuca 24%
desenvolvidos

Irajá 17%

Realengo 13% Diretrizes Oferecer oportunidades aos jovens através de


n  Aumentar a participação do idoso na Cidade por
n 

mais tempo na escola; empregos de meio período meio do incentivo a vagas de empregos, parcerias
Barrra da Tijuca 13% e/ou de férias; incentivo a participação em com universidades para cursos específicos e
projetos sociais/culturais/esportivos e grupos de educação continuada e incentivo ao voluntariado
Bangu 12% apoio psicológico

Campo Grande 12% Menos de 5 mil De 10 mil a 19 mil 35 mil ou mais Fornecer oportunidades de qualificação para a
n 
De 5 mil a 9 mil De 20 mil a 34 mil população à procura de emprego
Santa Cruz 10%

1
Os demais bairros que compõem o ranking são Boa Viagem – Recife/PE e Icaraí – Niterói/RJ.

Fonte: IBGE, Instituto Pereira Passos, Secretaria Municipal de Urbanismo.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


102 103
Visão Rio 500 3.5 Rio de Janeiro: fonte de bem-estar, qualidade de vida e dignidade

A terceira idade carioca O Rio envelhece O Município do Rio de Janeiro envelhece ainda mais Hoje, 8 dos 10 bairros com maior concentração de
mais rápido que o rapidamente que o País e o Estado, com expectativa idosos do País se encontram no Município, sendo
Subtema 4: Envelhecimento ativo Brasil e o Estado. de vida mais alta e taxa de fecundidade mais baixa. Em Copacabana o 1º no ranking com 29% de sua população
2010, o Município já apresentava mesma proporção acima de 60 anos, seguida da Tijuca com 24%.
de idosos que o Brasil apresentará apenas em 2020.
Em 2010, o percentual de 15% da população carioca já
era de idosos (> 60 anos), nível que o Estado do Rio de
Janeiro só atingirá em 2016 e o País, em 2020.
Ponto de partida/ Uma das maiores tendências globais do século que No Brasil, a pirâmide etária sofreu uma transformação
diagnóstico vivemos é o envelhecimento da população, resultado radical em menos de um século. Já o Estado do Rio de
do aumento da longevidade (aumento da expectativa Janeiro envelhece em ritmo ainda mais acelerado do
de vida ao nascer) e da redução das taxas de que a média do País, com índice mais alto desde 2000 A projeção da pirâmide etária para o Município mostra rápido envelhecimento ao longo dos próximos 50 anos
fecundidade abaixo da de reposição necessária de 2,1 e chegando a 2030 com índice de 103,5 enquanto o Homens Mulheres
definida pela OMS (Organização Mundial de Saúde). Brasil terá 76,4, segundo o IBGE.
2015 2025 2035
90 + 90 + 90 +
85-89 85-89 85-89

A tendência de envelhecimento da população é global, no Brasil a mudança na da pirâmide etária será drástica...
80-84 80-84 80-84
75-79 75-79 75-79

Homens Mulheres 70-74 70-74 70-74


65-69 65-69 65-69
1980 1990 2000 2010 60-64 60-64 60-64
80+ 80+ 80+ 80+ 55-59 55-59 55-59
75-79 75-79 75-79 75-79 50-54 50-54 50-54
70-74 70-74 70-74 70-74 45-49 45-49 45-49
65-69 65-69 65-69 65-69 40-44 40-44 40-44
60-64 60-64 60-64 60-64 35-39 35-39 35-39
55-59 55-59 55-59 55-59 30-34 30-34 30-34
50-54 50-54 50-54 50-54 25-29 25-29 25-29
45-49 45-49 45-49 45-49 20-24 20-24 20-24
40-44 40-44 40-44 40-44 15-19 15-19 15-19
35-39 35-39 35-39 35-39 10-14 10-14 10-14
30-34 30-34 30-34 30-34 5-9 5-9 5-9
25-29 25-29 25-29 25-29 0-4 0-4 0-4
20-24 20-24 20-24 20-24 300 200 100 0 100 200 300 300 200 100 0 100 200 300 300 200 100 0 100 200 300
15-19 15-19 15-19 15-19
10-14 10-14 10-14 10-14 2045 2055 2065
5-9 5-9 5-9 5-9
90 + 90 + 90 +
0-4 0-4 0-4 0-4
85-89 85-89 85-89
80-84 80-84 80-84
2020 2030 2040 2050
75-79 75-79 75-79
80+ 80+ 80+ 80+ 70-74 70-74 70-74
75-79 75-79 75-79 75-79 65-69 65-69 65-69
70-74 70-74 70-74 70-74 60-64 60-64 60-64
65-69 65-69 65-69 65-69 55-59 55-59 55-59
60-64 60-64 60-64 60-64 50-54 50-54 50-54
55-59 55-59 55-59 55-59 45-49 45-49 45-49
50-54 50-54 50-54 50-54 40-44 40-44 40-44
45-49 45-49 45-49 45-49 35-39 35-39 35-39
40-44 40-44 40-44 40-44 30-34 30-34 30-34
35-39 35-39 35-39 35-39 25-29 25-29 25-29
30-34 30-34 30-34 30-34 20-24 20-24 20-24
25-29 25-29 25-29 25-29 15-19 15-19 15-19
20-24 20-24 20-24 20-24 10-14 10-14 10-14
15-19 15-19 15-19 15-19 5-9 5-9 5-9
10-14 10-14 10-14 10-14 0-4 0-4 0-4
5-9 5-9 5-9 5-9 300 200 100 0 100 200 300 300 200 100 0 100 200 300 300 200 100 0 100 200 300
0-4 0-4 0-4 0-4

Fonte: IBGE. Fonte: IBGE.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


104 105
Visão Rio 500 3.5 Rio de Janeiro: fonte de bem-estar, qualidade de vida e dignidade

A Organização Mundial de Saúde criou o conceito de A cidade que permite à sua população envelhecer
cidade “amiga do idoso” para as cidades que se adaptam ativamente estimula um curso de vida novo e mais
O Rio quer ser
ao envelhecimento de maneira a prover adequações complexo, em que há mais tempo para o trabalho, mais uma cidade Japão: referência de respeito ao idoso
de moradia, transporte, participação social, respeito tempo de lazer ao longo da vida e não tão concentrado “amiga do idoso”
e inclusão social, participação cívica e emprego, na aposentadoria, além de tempo para o cuidado com a Em mais de uma década, países em Toyoshikidai em Tóquio, que era composto
comunicação e informação, apoio comunitário e família e o aprendizado contínuo. e já começou a desenvolvimento, como Brasil, Colômbia e por um complexo de 5 mil apartamentos, onde
serviços de saúde e espaços ao ar livre. se adaptar ao Rússia, aumentaram em até 4 anos a expectativa mais de 50% dos moradores já tinham mais
envelhecimento de vida saudável, enquanto países desenvolvidos, de 65 anos. Entre as principais inovações do
como Canadá, Alemanha e Suécia, aumentaram projeto, algumas merecem destaque:
da população. a expectativa em 2 anos. Para que essa evolução
tenha continuidade, o sistema de saúde precisa n Postos de trabalho pós-aposentadoria criados
se adaptar e se preparar para responder às para idosos ativos, como em agricultura,
necessidades de longevidade. berçários e creches.
Cidades “amigas do idoso” pensam em como se adaptar em diferentes áreas que vão além do
provimento de serviços de saúde O Rio de Janeiro já começou a se adaptar ao n Complexos com apartamentos adaptados para
envelhecimento populacional, mostrando diferentes fases da vida foram revitalizados.
avanços como a desospitalização de idosos por
meio do Programa de Atenção Domiciliar ao n Meios alternativos de transporte, com
Idoso (PADI). Esse programa, além de liberar motoristas para grupos de idosos, ônibus
vagas de hospitais, oferece um atendimento mais comunitários e carros adaptados para cadeira
Transporte Moradia Participação social humanizado para os idosos em sua residência. de rodas, foram desenvolvidos.
De 2010 a 2014, o programa atendeu mais de
9 mil pacientes. Além disso, foi disponibilizado um sistema
digital nos apartamentos, para que os
A adaptação de bairros e cidades com tais moradores possam fazer compras pela
conceitos é uma tendência global, uma vez que internet e fazer chamadas de emergência
Cidade uma Cidade mais amigável ao idoso é também para o serviço de saúde local. Por fim, foram
Espaços “amiga Respeito mais amigável a todas as outras pessoas em construídos equipamentos dentro do conceito
ao ar livre do idoso” e inclusão social diferentes faixas etárias, sendo mais acessível, de bairros “amigáveis” aos idosos, como centros
preparada e acolhedora. comunitários, parques, centros de saúde e
serviço de cuidados domiciliares 24 horas,
Nesse sentido, um projeto experimental restaurante comunitário e biblioteca.
inspirador foi realizado no Distrito de

Apoio comunitário Comunicação Participação cívica


e serviços de saúde e informação e emprego

Fonte: Adaptado de Global Age-Friendly Cities:


A Guide, Organização Mundial da Saúde.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


106 107
Visão Rio 500

ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO


Aspirações
O Rio será referência como 100% dos transportes coletivos serão adequados 2035
uma cidade “amiga do idoso”,
beneficiando todos
os cariocas Todos os espaços públicos destinados a atividades físicas 2035
e culturais estarão adaptados e terão programação
específica

Os idosos participarão da 100% dos idosos terão acesso a possibilidades de 2035


vida econômica, social e ocupação produtiva (emprego, voluntariado, aprendizado
cultural da Cidade, tendo contínuo e outros)
seu valor reconhecido
pela sociedade, e terão
oportunidades de
aprendizagem ao longo
da vida

O sistema de saúde da Todas as unidades públicas de saúde terão o selo “Unidade 2050
Cidade será preparado para Amiga do Idoso”
responder ao aumento da
longevidade e haverá uma
cultura do cuidado Todos os idosos terão acesso a atenção primária e a 2035
profissionais capacitados

Diretrizes Aumentar a participação do idoso na Cidade


n  Criar o selo “Unidade Amiga do Idoso” conforme
n 

através do incentivo a vagas de empregos de parâmetros da Organização Mundial de Saúde


período integral e de meio período, parcerias com
universidades para cursos específicos e educação Viabilizar políticas de conscientização do
n 
continuada e incentivo ao voluntariado envelhecimento ao longo da vida

Adaptar amplamente a estrutura física da Cidade


n 

para torná-la adequada aos idosos

WWW.VISAORIO500.RIO
108
Visão Rio 500 – Tema 3 O que a gente espera do Rio
Cidade Verde, Em 2065, o Rio vai ser uma cidade
zero carbono líquido.
Sustentável e Resiliente O Rio será uma referência global em
resiliência até 2035.

A Baía de Guanabara estará completamente


despoluída até 2035.

Toda a mata atlântica da Cidade será


preservada por leis adequadas até 2035.
O carioca
merece um
Rio mais
sustentável.
Visão Rio 500 3.6 Cidade verde, sustentável e resiliente

Introdução a marca da Cidade por caracterizar desinteresse ou


incapacidade, em um mundo onde todas as grandes
Praça da Bandeira e muitas outras, consideram esse
conhecimento na sua realização, o que é pioneiro no Brasil. É uma oportunidade
imperdível de
Cidade Verde, Sustentável e Resiliente cidades com baías similares as terão despoluído.
Além de na adaptação, o Rio tem se destacado na miti­ consagrarmos
Cidade sustentável antes de mais nada significa estarmos gação e no esforço global para evitar os piores cenários a Cidade como uma
Por Sérgio Besserman
sintonizados e sermos reconhecidos como vanguarda na do aquecimento através da redução das emissões de gases referência global em
grande transformação histórica do século, a construção do de efeito estufa e na preparação da transição para uma sustentabilidade.
desenvolvimento sustentável. Mas significa também po­ economia de baixo carbono. É a cidade da América Latina
O Rio de Janeiro é uma cidade singular no planeta. Temos Temos a oportunidade de ter uma cidade ainda mais tencializar os vetores de desenvolvimento e de luta contra com mais inventários de emissões e a única com um siste­
Essa três grandes florestas, duas baías maravilhosas, um verde para os cariocas desfrutarem da natureza, além a desigualdade na Cidade. Eficiência energética, segurança ma de monitoramento permanente. Seu engajamento
combinação lindo sistema lagunar e um litoral oceânico espetacular de desenvolvermos uma economia rumo ao carbono hídrica, mobilidade funcional para todos, Cidade integrada, foi reconhecido com a eleição do Prefeito Eduardo Paes
conectada e inteligente, zoneamento econômico-ecológico, para a Presidência do C40, a rede das maiores cidades do
de natureza e e conhecido no mundo inteiro. Esses atributos naturais zero, com construções mais eficientes e com um
planejamento urbano, potencialização da infraestrutura mundo em luta contra o aquecimento global.
existem em outros locais, mas nem no presente, nem menor custo de operação, além de uma cidade com
construção no futuro, imersos em uma cidade de 6,3 milhões de diversas centralidades, evitando a pendularidade nos verde e os demais vetores de sustentabilidade foram con­
é um ativo de habitantes, em uma região metropolitana de 12, 5 milhões deslocamentos, reduzindo as distâncias percorridas e siderados não como questões ambientais, mas como a es­ A transição para o baixo carbono integra também o
sência do desenvolvimento que almejamos. campo da resiliência da Cidade sobre dois aspectos:
enorme valor. de pessoas. Essa combinação de natureza e construção com um sistema de transporte público mais eficiente.
a manutenção da Marca do Rio como cidade global e
é única e já seria um ativo de enorme valor em qualquer
Cidade resiliente diz respeito a muitos fatores. O primeiro referência em sustentabilidade e, ainda mais importante, Somos
tempo da história. Além disso, aqui foi replantada pela A Visão Rio 500 contemplou de forma ambiciosa, objetiva
primeira vez uma floresta tropical ainda no tempo do e concreta essa perspectiva de futuro, muito discutida é a defesa da vida, equipando a Cidade para reagir rápida da competitividade da economia da Cidade em um novo referência
Império. No Rio, ocorreu a Rio 92, a maior cúpula de chefes entre todos os servidores da Prefeitura e os membros da e eficientemente a qualquer evento que traga ameaça à cenário no qual os combustíveis fósseis serão parte do na transição
integridade física dos cariocas, em especial da população passado e no qual a estrutura de preços relativos da
de Estado da história até a COP21 em Paris, e a Rio + 20. sociedade civil durante o planejamento estratégico.
nas áreas mais vulneráveis. Com a atuação da Defesa Civil e economia global penalizará fortemente a intensidade em para o baixo
Mas não vivemos tempos quaisquer. O século XXI será Cidade verde porque ambicionamos manter essa do Centro de Operações da Prefeitura, já somos referência carbono da produção de qualquer bem ou serviço. carbono.
inevitavelmente marcado pelo desafio do desenvolvimento combinação inédita de ambiente construído e natureza, nacional e exemplo no setor. Planejamento, tecnologia e
sustentável, em um processo que mudará revolucionaria­ corrigindo o histórico de degradação causado pelo sinergia na ação dos órgãos públicos são decisivos, mas a Na Visão Rio 500 participaremos como referência da
mente a civilização humana. É o principal tema da agenda descaso, assegurando proteção, recuperação e Visão considera indispensável capacitar toda a sociedade transição para o baixo carbono não apenas porque
econômica, social e cultural das próximas décadas. Desse ampliação das áreas ambientais, corrigir a desigualdade e cada cidadão para que possam agir com consciência das esse é um imperativo ético das grandes cidades, res­
modo, o Rio, mesmo considerando todas as suas mazelas no acesso ao "verde", arborizando partes da Cidade ações a serem tomadas e em sintonia com as decisões do ponsáveis por mais de 70% das emissões totais de gases
ambientais, fruto de um estoque criado por séculos de des­ carentes de vegetação, que são também aquelas onde se Poder Público frente a cada evento impactante. que aquecem o planeta, mas para fortalecer a competi­
caso e incompreensão do valor desse ativo intangível para concentra a maior parte da população de menor renda, tividade global da Cidade, favorecendo seu desenvolvi­
o desenvolvimento e o bem-estar dos cariocas, é a expres­ e, principalmente, despoluindo nossos corpos hídricos, Não sendo mais possível evitar um aquecimento da mento econômico e social.
são do desafio da humanidade nesse momento histórico. com destaque para a Baía de Guanabara e o sistema temperatura média do planeta em pelo menos 1,5
lagunar da Barra e de Jacarepaguá. De fato, embora a grau Celsius, as mudanças climáticas afetarão todas as A Visão Rio 500, após os estudos técnicos necessários,
Essa é uma oportunidade imperdível de consagrarmos a Baía de Guanabara abranja toda a região metropolitana, cidades do mundo de forma extremamente significativa. definiu a meta ambiciosa, porém perfeitamente factível,
Cidade como uma referência global em sustentabilidade, entendemos que seu processo de despoluição é condição O Rio de Janeiro é vanguarda no estudo dos impactos de neutralizar suas emissões de gases de efeito estufa
especialmente entre os países emergentes, gerando necessária para que a Cidade do Rio possa se posicionar que elas trarão à Cidade nos mais diversos aspectos, até 2065. Um caminho e um grande símbolo do desejo de
renda, empregos, bem-estar e um lugar indelével na como referência global em sustentabilidade. Não fazê-lo como elevação do nível do mar, risco geológico, saúde sermos uma cidade verde, sustentável e resiliente. Uma
história da humanidade. seria uma leniência de impacto negativo definitivo sobre e muitos outros. Já iniciamos a etapa do planejamento cidade melhor e para todos.
da adaptação a essas mudanças, com a participação da
sociedade civil e do saber acadêmico localizado na Cidade Entendemos a magnitude do desafio a que estamos nos
e o apoio das redes internacionais a que pertencemos. propondo, porém com um planejamento de longo prazo, já
Focamos na internalização desse conhecimento pelos tendo dados os primeiros passos no caminho de redução
Esse tema está Subtema 1: Subtema 2: Subtema 3: Subtema 4: servidores municipais de todos os órgãos da administração. de emissões, e com a certeza de que estamos vivendo
organizado nos Desenvolvimento Resiliência Cidade das Verde urbano: As principais intervenções em andamento no período uma revolução que tornará as tecnologias limpas cada
quatro subtemas sustentável rumo às mudanças águas: praias, ativo social, pré-Jogos Olímpicos, como a revitalização do Porto, vez mais competitivas, estamos convictos de que é viável
a seguir. ao carbono zero climáticas, baías, lagoas e econômico e o saneamento da Zona Oeste, a macrodrenagem de alcançarmos nossas ambições.
minimizando danos rios saudáveis humano Jacarepaguá, as obras contra enchentes no entorno da
e salvando vidas
WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020
114 115
Visão Rio 500 3.6 Cidade verde, sustentável e resiliente

O ar carioca livre do carbono Em busca da redução de emissões para se tornar uma coletivo menos poluentes e em soluções que
O Rio é a
cidade mais sustentável, o Rio de Janeiro estabeleceu, desestimulam o uso do veículo individual.
Subtema 1: Desenvolvimento sustentável em 2011, um compromisso com a diminuição das cidade
rumo ao carbono zero emissões, sendo uma das únicas cidades do Brasil com O principal avanço foi com iniciativas como o BRS com maior
meta definida por meio de Lei Municipal. e o BRT (Bus Rapid System e Bus Rapid Transit), que extensão
contribuem bastante por terem maior capacidade e
A Lei prevê como objetivos de redução evitar 8% das percorrem caminhos mais longos com menos frenagens.
cicloviária da
emissões de 2005 em 2012, 16% em 2016 e 20% em América Latina.
Ponto de partida/ Para o Rio de Janeiro, ficam claras a vontade e a Além disso, em 2000, a Prefeitura do Rio foi pioneira 2020. Os valores propostos para 2012 e 2016 já foram Além disso, o grande projeto do Porto Maravilha
diagnóstico necessidade de estimular um desenvolvimento em monitoramento periódico de emissões de GEE, com cumpridos, ou seja, evitados através de projetos como inclui o fechamento de ruas para a circulação de
sustentável, o que significa obter crescimento inventário realizado em parceria com a Universidade a inauguração do Centro de Tratamento de Resíduos veículos individuais e a instalação do VLT (Veículo
econômico enquanto garantimos a preservação do Federal do Rio de Janeiro. O acompanhamento de Seropédica (CTR-Rio) e a operação dos grandes Leve sobre Trilhos).
capital natural para gerações presentes e futuras. permitiu compreender as principais emissões e, por corredores de ônibus expressos de alta capacidade
consequência, buscar projetos que reduzam ou evitem (BRTs). Por fim, um grande investimento tem sido feito
O Rio já emite Apesar de a emissão de gases de efeito estufa (GEE) novas emissões de GEE ao longo dos anos. em quilômetros de ciclovias, permitindo que o Rio
menos GEE per não ser a única medida para monitorar a qualidade Para o Município do Rio de Janeiro, o transporte é o de Janeiro se torne a cidade com maior extensão
capita que a maior do desenvolvimento, é a principal métrica de Mesmo com tanto esforço, a economia crescente do principal responsável pela emissão de gases de efeito cicloviária da América Latina.
parte das grandes acompanhamento. As emissões totais de GEE de Município nos anos de preparação para os Jogos Olímpicos estufa (GEE), com 30% das emissões. Além dele, outros
cidades do mundo. uma cidade vêm de diversas fontes, como queima e o concomitante início de operação de uma usina importantes emissores que são passíveis de sofrer Em total, essas ações contribuíram para evitar 79,6 mil
de combustíveis fósseis, decomposição de resíduos, siderúrgica fizeram com que as emissões aumentassem. influência de ações da Prefeitura são os resíduos e o uso toneladas de CO2 equivalente em 2012 e mais 525 mil to­
processos industriais e variação da cobertura vegetal, Apesar disso, porém, o Rio permaneceu bem abaixo de de energia em edificações. neladas de CO2 equivalente até 2016.
entre outras. A Cidade do Rio de Janeiro já emite grande parte das grandes cidades do mundo.
menos GEE per capita que a maior parte das grandes Para melhorar o cenário das emissões dos transportes,
cidades do mundo, devido a matriz elétrica do Brasil ser a Cidade já vem investindo em meios de transporte
majoritariamente produzida por usinas hidrelétricas,
que apresentam baixo teor de emissões.

Emissão de gases de efeito estufa no Município do Rio de Janeiro em 20121


Emissões em 2013 Transporte 30%
Ton/Per capita Perdas
Setor energético 14%
Produção de coque
Emissões fugitivas 6%
Uso de energia 11%
Indústria
Processos industriais 10%
Resíduos sólidos 8%
Resíduos
Esgotos e afluentes 3%
Residencial 8%
Comercial/serviços Uso de energia 7%
Setor público 2%

23,6
10,6
11,4
12,3
12,7
12,8
13,7
14,1
21,5
0,8
3,0
3,3
3,3
3,6
3,7
3,8
3,8
3,8
4,4
4,6
5,0

5,1
5,2
5,2
5,6
5,8
6,0
6,2
6,4
7,8
8,2
8,3
8,7
9,3

Total 99%
Vancouver

Nova Iorque
Yokohama

Chicago
Oslo

Taipei

Dallas
Singapura

Cidade do México

Paris

Moscou

Rio de Janeiro

Copenhagen

Madri

Tokio

Seul

Authority

Zurique

São Francisco

Manchester

Caracas

Denver
Berlim

Montreal

Los Angeles

San Diego

Hamburgo

Miami

Filadélfia

Portland

Atlanta

St. Louis
Varsóvia
Montevidéu

Greater London

Fonte: Inventário das emissões de GEE


no Rio de Janeiro; SMAQ 2012. 22,6 milhões de toneladas
1
Desconsiderando emissões da CSA. de CO2 equivalente

FONTE: CPD E C40

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


116 117
Visão Rio 500 3.6 Cidade verde, sustentável e resiliente

Os “Distritos Verdes” Outra tendência observada internacionalmente retrogeradores (a energia gerada é capaz de iluminar A captura e
têm planejamento A Cidade tem investido em soluções inovadoras que desestimulam o é a criação dos chamados “Distritos Verdes”. Eles uma cidade de 200 mil habitantes). Além disso, a queima de biogás
urbano inovador e uso do veículo individual e usam transportes coletivos menos poluentes. utilizam diferentes tecnologias nas construções e um Prefeitura buscou recuperar o antigo Aterro de em Gramacho e em
diferentes tecnologias planejamento urbano inovador para diminuir o uso de Gramacho, com a captura e queima do gás e obras de Seropédica totalizarão
nas construções. Ciclovias Porto Maravilha Transporte recursos naturais e poluição. contenção para remediar danos. No total, a captura 1.240 mil toneladas de
e queima de biogás em Gramacho e em Seropédica CO2 equivalente
De acordo com estudo da McKinsey & Company totalizarão 1.240 mil toneladas de CO2 equivalente de de emissões evitadas
(Building the Cities of the Future with Green Districts), as emissões evitadas até 2016. até 2016.
experiências existentes com “Distritos Verdes” têm
demonstrado o potencial de reduzir o consumo de Contudo, os resíduos sólidos não são um desafio
energia de 20 a 40%, o uso de água de 60 a 65% e o para a sustentabilidade apenas pela emissão de gases
uso de veículos particulares de 50 a 80%. Apesar de de efeito estufa, mas também por sua produção
seu custo de construção ser 10% mais alto, o custo crescente. Também há cada vez mais dificuldade de
de operação é mais baixo e tem uma estimativa de encontrar locais para que sua disposição aconteça
recuperação do investimento de três a cinco anos. adequadamente.

A terceira grande fonte de emissões da Cidade sob Estima-se que 40% do volume de resíduos sólidos
400km: a maior 4km de ruas exclusivas para Investimento em BRT, VLT
controle da Prefeitura são os resíduos sólidos. O Rio produzidos poderiam ser reciclados, porém menos de
da América Latina. pedestres e ciclistas. e metrô estimulam o uso
do transporte de massa. de Janeiro produz atualmente quase 9 mil toneladas 3% passa pelo processo de reciclagem. A coleta seletiva
5% dos moradores se 17km de ciclovia com por dia, dos quais cerca de 50% passam pela coleta tem seus desafios, chegando hoje a 113 dos 160 bairros
deslocam por ela no dia a dia. bicicletários públicos. domiciliar. Pensando em resíduos domiciliares por do Município.
pessoa, a produção é de aproximadamente 0,8kg por
Fonte: Rio Resiliente. habitante por dia.

Há poucos anos, os resíduos sólidos produzidos na Mudança de mentalidade


Outro grande emissor de GEE são as edificações Cidade eram destinados ao aterro estabelecido em
40% do volume a partir de seu consumo energético. A tendência O retrofit é possível! Gramacho, que não é ambientalmente apropriado para Observa-se uma preocupação global com a crescente produção
de resíduos de construções mais sustentáveis já é observada isso, causando grande impacto em emissões e poluição. de resíduos e a consequente busca de uma transformação do
sólidos na Cidade através de suas obras mais novas e a O exemplo inspirador da modernização do comportamento da sociedade com o objetivo de reduzir a produção de
produzidos crescente adoção de padrões sustentáveis, como, por icônico prédio de Nova Iorque, Empire State Dessa forma, um grande passo foi dado em 2011 lixo, reutilizar mais, reciclar e principalmente repensar o que se pode
exemplo, a utilização de painéis solares, tetos verdes, Building, nos mostra isso. O edifício passou com a instituição do Aterro Sanitário de Seropédica obter através do lixo que hoje já pode ser transformado em insumo para
poderiam ser oferta de tomadas para o uso de veículos elétricos, por oito medidas de modernização, como a (Centro de Tratamento de Resíduos), planejado a muitas atividades.
reciclados, iluminação LED e elevadores que renovam uma instalação de sistemas de monitoramento partir das melhores práticas de aterragem e projetado
porém menos porcentagem da energia que consomem. Entretanto, de uso de energia, substituição de lâmpadas para processar o biogás produzido, que é levado a Muitas cidades, como Copenhagen, na Dinamarca, ou São Francisco, nos
o grande desafio da Cidade é o retrofit dos prédios para a tecnologia LED e a melhoria dos 68 Estados Unidos, colocaram-se no caminho de alcançar o chamado “Lixo
de 3% passa antigos, ou seja, a modernização de edificações mais elevadores para serem 30% mais eficientes Zero”, ou seja, nenhuma necessidade de aterrar os resíduos produzidos
pelo processo. velhas, e muitas vezes históricas, para a adoção de e ainda gerarem energia para o prédio. O pela população. Esse caminho começa com a mudança de comportamento
medidas sustentáveis. projeto proporcionou uma redução de 38% através de incentivos positivos para a redução do uso de utensílios
nos gastos com energia e redução de custo plásticos, como sacos de compras e copos de café, cancelamento de
Em 2013, a Prefeitura lançou o selo Qualiverde, que de aproximadamente US$ 4.4 milhões ao ano, envio de materiais indesejados por correio e ainda a venda de resíduos
propõe oferecer descontos e isenções fiscais para com uma perspectiva de retorno sobre o valor recicláveis pelo próprio município.
construções que utilizam medidas que reduzem investido em 3 anos e redução de 100 mil
impactos ambientais. A iniciativa foi aprovada e seu toneladas de GEE emitidos em 15 anos.
pacote de benefícios já está sendo regulamentado.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


118 119
Visão Rio 500

ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO


Aspirações
A Cidade assegurará uma Seremos eficientes energeticamente em nosso consumo 2035
matriz energética de baixa
emissão de carbono
Teremos emitido 60% menos emissões provenientes da 2050
matriz energética de 2012

Seremos carbono líquido zero 2065

Se o clima
Todos os edifícios novos Todos os edifícios municipais serão modernos e 2050
serão ecoeficientes e sustentáveis
haverá incentivos para a
modernização de prédios
antigos Emitiremos 30% menos GEE provenientes de nossas 2050

virar,
construções

Todos os resíduos domiciliares Produziremos 50% menos lixo 2050


serão destinados com foco em
reduzir, reutilizar, transformar
e gerar energia Zero lixo aterrado 2065

A mobilidade da Cidade
será sustentável e apoiada
por tecnologias limpas
e planejamento urbano
Todos os meios de transportes serão carbono neutro 2065

é preciso
estar
inteligente

Diretrizes Considerar os princípios da


n  n Buscar a eficiência energética através do
sustentabilidade e ecoeficiência no estímulo a tecnologias de produção de energia
licenciamento das obras civis limpa

preparado.
Adotar amplamente políticas públicas para
n  n  Incentivar a redução da produção de lixo
implantar meios de transporte de baixo impacto doméstico e também comercial a partir de
poluente programas de conscientização, incentivos e
regulamentação

WWW.VISAORIO500.RIO
120
Visão Rio 500 3.6 Cidade verde, sustentável e resiliente

Jogo de cintura para lidar com Mudanças


as mudanças climáticas Mapa das regiões de suscetibilidade de escorregamento no padrão de
Subtema 2: Resiliência às mudanças climáticas, transmissão
minimizando danos e salvando vidas de doenças são
uma provável
grande
Ponto de partida/ As mudanças climáticas são uma das principais consequência
diagnóstico tendências globais para o futuro. Nos últimos séculos, Ameaças das mudanças climáticas das mudanças
à vida do carioca
a influência do homem passou a contribuir para a climáticas.
alteração do clima em todo o planeta.
Chuvas intensas:
deslizamentos e inundações Elevação do nível do mar
Isso é um fato e já podemos observar o impacto
dessas mudanças também em nosso município.
Tal impacto ainda está sendo mapeado, mas já há
indicações preliminares de quais são as principais
ameaças para a vida do carioca, tal como indicado no
quadro ao lado.
Fonte: Instituto Pereira Passos e Fundação GEO RIO.
Há cerca de 18 mil
imóveis em áreas As chuvas intensas podem causar deslizamentos
Ilhas de calor e qualidade do ar Dengue e outras epidemias
consideradas e inundações, sendo uma ameaça importante para
de alto risco de a Cidade. Hoje há cerca de 18 mil imóveis em 117 Dengue e outras epidemias são pontos de atenção, Desde 2010, foram empreendidas diversas ações com
deslizamento. comunidades que estão em áreas consideradas de alto pois, conforme apontado pela Organização Mundial o objetivo de tornar o Rio de Janeiro mais resiliente.
risco de escorregamento. de Saúde: "mudanças no padrão de transmissão de O estabelecimento do Centro de Operações Rio,
doenças infectocontagiosas são uma provável grande a instalação de radar meteorológico no Sumaré e
A elevação do nível do mar é outra importante ameaça. consequência das mudanças climáticas". o estudo geotécnico de contenção de encostas,
2
O Rio de Janeiro tem aproximadamente 30km de que identificou os riscos de deslizamento em áreas
área vulnerável à redefinição de linha de encosta pela E, por fim, os ventos fortes e as secas prolongadas vulneráveis, são exemplos de iniciativas de inteligência
Ventos fortes Secas prolongadas
elevação do nível do mar, segundo projeção do Instituto apresentam uma ameaça à Cidade. Apesar da falta de que aumentam o conhecimento da Cidade em relação
Pereira Passos para o ano 2100. dados completos, é notório que os períodos de seca aos seus riscos.
vêm aumentando. Como exemplo, há o que impactou
Outra ameaça relevante são as ilhas de calor e todo o Sudeste do Brasil em 2015 e causou escassez de
consequente qualidade do ar. As áreas quentes na Cidade água em diversos municípios.
aumentaram nas últimas décadas devido a características
de uso do solo decorrentes da urbanização. Contudo, as
florestas, os parques e as praças da Cidade ainda atuam
como ilhas de frescor importantes. Fonte: Rio Resiliente .
113 comunidades já dispõem de sirenes
que são acionadas em caso de chuvas fortes.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


122 123
Visão Rio 500 3.6 Cidade verde, sustentável e resiliente

Áreas vulneráveis à elevação do nível do mar ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO


Aspirações

Nenhuma família da Cidade Nenhuma residência estará em risco de deslizamentos e 2035


morará em situação de alta alagamentos
vulnerabilidade física

A Cidade estará preparada e Haverá 50% menos perdas econômicas médias anuais 2050
adaptada frente às mudanças resultantes de eventos climáticos
climáticas e seus efeitos,
tendo mapeado e planejado o
enfrentamento das principais A superfície dos bairros mais quentes será 3 graus mais 2050
ameaças baixa, em média

Todos os cidadãos estarão O voluntariado e a capacidade de mobilização serão 25% 2035


informados, preparados e mais altas
engajados para responder
aos impactos das mudanças
climáticas

Diretrizes n Implementar o Plano de Resiliência Promover a adoção de infraestrutura verde para


n 

Fonte: Instituto Pereira Passos. a redução de temperatura em regiões da Cidade


n  Implementar o Plano de Adaptação às Mudanças
Climáticas
Obras de infraestrutura também contribuem para
Cidade Alerta o aumento da resiliência, como no caso do sistema
de controle de enchentes da Grande Tijuca e da
O Rio de Janeiro está à frente de diversas iniciativas que mostram a macrodrenagem da Bacia de Jacarepaguá. Além
prioridade que está sendo dada ao assunto. disso, ao todo, 7.500 crianças foram treinadas sobre
o básico de defesa civil nas escolas municipais, e
Um exemplo claro é que o Rio é uma das 100 cidades resilientes da 113 comunidades hoje dispõem de sirenes que são
Fundação Rockfeller através da iniciativa estratégica Rio Resiliente, que acionadas em caso de chuvas fortes e abrigos capazes
tem por objetivo auxiliar na preparação da Cidade para o futuro frente às de receber os cidadãos após a evacuação de suas casas.
mudanças climáticas. Em 2014, a Cidade iniciou o desenvolvimento de uma
estratégia de resiliência, por meio do Rio Resiliente e do
Além desse esforço, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente trabalha Centro de Operações Rio.
intensamente no Plano de Adaptação às Mudanças Climáticas em
parceria com a COPPE/URFJ.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


124 125
Visão Rio 500 3.6 Cidade verde, sustentável e resiliente

O Rio das águas Qualificação das águas de algumas praias do Rio de Janeiro Ótima Má
Boa Péssima
Subtema 3: Cidade das águas: Resultados de bacteriologia consolidados Regular Sem dados
2011 2012 2013 2014
praias, baías, lagoas e rios saudáveis Praias
Sepetiba
Recôncavo
Grumari
São Conrado
Vidigal
Ponto de partida/ O Rio de Janeiro é fortemente marcado pela pre­ Grande parte dessa poluição é causada pela ausência
Leblon
diagnóstico sença de seus corpos hídricos, com aproximadamente de saneamento básico. O Município do Rio de
Ipanema
165km de costas oceânicas, mais de 2.000km de rios Janeiro ocupa apenas a 56ª colocação no ranking das
Copacabana
e 13 milhões de metros quadrados de lagoas, além 100 maiores cidades do Brasil em parâmetros de
Botafogo
de suas duas baías, uma delas, a Baía de Guanabara, saneamento básico elaborado pelo Instituto Trata
1 Flamengo
internacionalmente reconhecida como uma das baías Brasil. Está atrás de todas as capitais do Sul e Sudeste
Tamoios
mais bonitas do mundo. do País.
Catimbau

As Zonas Oeste e Os corpos hídricos são, infelizmente, mal aproveitados


1
Ranking de saneamento Instituto Trata Brasil –Composição da nota: Bica

Norte apresentam devido à frequente poluição. Isso pode ser comprovado,


% atendimento de água, % atendimento total de esgoto, % esgoto Ramos

os índices tratado por água consumida, % de investimento por arrecadação, % Barra da Guaratuba
por exemplo, pela qualidade média das praias, conforme novas ligações de água por ligações faltantes, % novas ligações de
mais baixos de demonstrado pelo quadro na página seguinte. Fonte: INEA.
esgoto por ligações faltantes, % de perdas totais e nota de evolução
saneamento. nas perdas.

Mapa de corpos hídricos do Município Comparado a outras grandes cidades da América Latina,
o Rio está apenas na média na categoria “saneamento” Metas de saneamento
e abaixo da média na categoria “água” pelo Green City
Index desenvolvido pela Siemens e pelo Economist No Plano Municipal de Saneamento
Intelligence Unit em 2010. Básico, foram estabelecidas metas
de cobertura mínima de saneamento
As Zonas Oeste e Norte apresentam os índices mais básico por bacia, culminando a 90%
baixos de saneamento e, por isso, foram priorizadas em todas as bacias em 2025.
no Plano Municipal de Saneamento Básico de 2011,
que prevê o aumento de cobertura do serviço em Metas de cobertura mínima de saneamento básico por bacia
toda a Cidade, mas com os maiores avanços focados
2008 2012 2016 2020 2025
nessas regiões.
Sepetiba 5 10 35 80 90

Jacarepaguá 20 30 60 80 90

Zona Sul 70 73 77 80 90
Fonte: PENSA PCRJ.

Baía de Guanabara 40 45 60 80 90

Fonte: Plano Municipal de Saneamento Básico.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


126 127
Visão Rio 500 3.6 Cidade verde, sustentável e resiliente

Na Zona Oeste, o maior avanço se deve à concessão na Cidade devido à poluição. Um exemplo de origem ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO
operada pela empresa Foz Águas 5, e ainda prevê desse estresse hídrico é a presença de uma fonte única Aspirações
ampliação de atendimento para 3 milhões de cariocas de abastecimento da Cidade, a reserva do Guandu, O Rio terá segurança As perdas na distribuição de água terão sido 2035
em 30 anos de atividade (considerando o crescimento abastecida pelo Rio Paraíba do Sul, que enfrentou fortes hídrica para seu reduzidas em 80%
da região). Na primeira fase de intervenção (até baixas em seu nível devido a períodos de seca em 2015. abastecimento, tendo
2017), serão beneficiados os 10 bairros que integram mapeado os riscos e traçado
as bacias de Marangá e Sarapuí. Os investimentos Ter uma única fonte representa ainda um risco alto estratégias de enfrentamento A qualidade da água de todos os mananciais superficiais 2050
permitirão aumentar a população beneficiada devido à relação de dependência que se estabelece. e subterrâneos da Cidade estará garantida
com tratamento de esgoto de apenas 5 para 35%, Além de tudo, há alguns agravantes: dois terços da
melhorando a vida de 585 mil pessoas. Até 2020, há a água recebida pelo Guandu não são consumidos, 48%
20% da capacidade de abastecimento da Cidade será de 2065
estimativa de 80% de cobertura. são perdidos devido à poluição, e ainda, cerca 40% se
fonte alternativa à Bacia do Guandu
perdem no sistema de distribuição da Cidade.
Além do desafio da poluição, o Rio enfrenta outro com
relação a seus corpos hídricos: entre as maiores cidades O Rio atuará em rede para Toda a Cidade terá acesso a saneamento básico 2035
do mundo, é a 9ª em maior estresse hídrico segundo universalizar o saneamento
estudo do The Nature Conservancy. básico na Cidade e na região
metropolitana, despoluindo Baías de Guanabara e Sepetiba estarão dentro dos 2035
Isso porque a Cidade passa por períodos do ano em os corpos hídricos da região padrões internacionais de qualidade de água
que a demanda por água é maior do que a oferta e
ainda há restrições ao uso da água potável disponível Todas as praias da Cidade serão balneáveis 2050

Rios, lagoas e mar serão A participação econômica da zona costeira no PIB da 2050
Entre as maiores cidades do mundo, o Rio é a 9ª cidade com maior estresse hídrico1 aproveitados e seu potencial Cidade terá triplicado
econômico e de lazer será
Mapa de estresse hídrico – 2014
explorado, integrando-os à
Estresse de água de superfície Dependência de água de superfície
Estresse de água subterrânea Dependência de água subterrânea
vida dos cariocas

A população não desperdiçará O consumo de água per capita será 50% menor 2050
1ª Tóquio água e o reúso fará parte do
cotidiano da Cidade

Diretrizes Preservar os mananciais existentes, fomentar o


n  Avaliar a possibilidade de municipalizar o
n 
3ª Cidade
do México reúso e a ultrafiltração através da estruturação esgotamento sanitário da Cidade e estimular
2ª Nova Deli do modelo de captação de água de fonte interna modelos participativos (concessões e parcerias
9ª Rio de
público-privadas)
Janeiro Lançar esforço metropolitano com modelo de
n 

governança eficiente próprio para a despoluição


das baías, a começar pela Baía de Guanabara
Nota: 1 Cidades que usam mais de 40% da água que existe disponível na cidade, períodos em que a demanda é maior
que a oferta ou quando há restrição de uso da água disponível devido à poluição.

Fonte: The Nature Conservancy, Water on an urban planet: Urbanization and the reach of urban water infrastructure ELSEVIER, SMAC.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


128 129
Visão Rio 500 3.6 Cidade verde, sustentável e resiliente

Rio que te quero verde Excluindo as áreas desses maciços, o Rio passa a ter
2
30m de área verde por habitante, patamar mediano O verde de Madureira
Subtema 4: Verde urbano: ativo em nível global. Existe um grande potencial de
social, econômico e humano ampliação da cobertura verde da Cidade, conectando
os maciços florestais para que possam melhor cumprir
o seu papel de preservação da biodiversidade e
ampliando a arborização dos nossos parques e jardins.

Ponto de partida/ O Rio de Janeiro é o único município do mundo Quarenta e oito por cento da área verde da O Rio conta hoje com aproximadamente 600 mil
diagnóstico considerado patrimônio da humanidade pela UNESCO Cidade é composta pelas florestas,1 sem elas árvores em áreas públicas, 1.100 delas preservadas
dentro da categoria “Paisagem Cultural”, desde 2012. o Rio tem faixas urbanas sem verde por decreto e, nos últimos oito anos, a Prefeitura
Os componentes que integram tal patrimônio são: passou por um esforço de reflorestar 1.300 hectares.
Áreas verdes 2
O Parque de Madureira, com 93 mil m na Zona Norte,
n Setores M² de área verde/habitante
Floresta da Tijuca, Pretos Forros e Covanca é um exemplo de expansão das áreas verdes urbanas
do Parque Nacional da Tijuca. no Rio.
Houston 91
n Setor
Pedra Bonita e Pedra da Gávea do Parque Os benefícios da arborização são imensos, entre eles
Dallas 89
Nacional da Tijuca. a redução da temperatura, o que oferece ilhas de
Rio de Janeiro frescor, a preservação de encostas e mananciais, a
com florestas1 58
n SetorSerra da Carioca do Parque Nacional da Tijuca e melhoria da qualidade do ar, além da valorização de
Jardim Botânico do Rio de Janeiro. regiões da Cidade. O Parque Madureira, na Zona Norte, conta com 93 mil m2 em área total
São Paulo 55 2
e 56 mil m de projeção de cobertura de copas, considerando o tempo de
n Entradada Baía de Guanabara e suas bordas d'água A qualidade do ar do Rio está acima da média de outras amadurecimento das árvores plantadas.
Curitiba 52
desenhadas: Passeio Público, Parque do Flamengo, cidades da América Latina, contudo, a tendência para
Fortes Históricos de Niterói e Rio de Janeiro, Pão de o futuro não é positiva. Os dias com qualidade “boa" É um belo exemplo de expansão das áreas verdes em uma região onde
Montreal 43
Açúcar e Praia de Copacabana. diminuíram de 55 para 45% entre 2011 e 2012, antes havia grande carência, beneficiando muitos bairros.
enquanto “regular”, “inadequada” e “má” aumentaram.
Madri 42
n Apaisagem natural se mescla com 6,5 milhões de A classificação “má” aparece em alguns dias do ano,
pessoas e as intervenções humanas. especialmente em regiões como Bangu, na Zona Oeste.
Boston 31

O Rio tem a O “verde” é componente essencial do Rio. São


aproximadamente 360 milhões de metros quadrados
Rio de Janeiro
sem florestas 30 -48% Além da cobertura com bosques, praças e florestas, o
cultivo de alimentos também contribui para o verde
maior floresta de área verde na Cidade, totalizando cerca de 58m
2
urbano, tendo ainda papel importante no aumento
Cidade do México 28
urbana do de área verde por habitante, um dos melhores índices da resiliência.
mundo. entre cidades globais. Contudo, 48% dessas áreas Santiago 26
verdes são compostas pelos três maciços florestais:
a Floresta da Tijuca, que é a maior floresta situada
19
O cultivo de alimentos também contribui
Nova Iorque
completamente em um único perímetro urbano do Nota: 1 - Floresta da Tijuca,
Pedra Branca e Mendanha
mundo, a floresta da Pedra Branca e a do Mendanha.
16
para o verde urbano.
Chicago

Fonte: Siemens Green City Index, ICMBIO, parquepedrabranca.com, INED.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


130 131
Visão Rio 500 3.6 Cidade verde, sustentável e resiliente

Hoje, o Município conta com uma área rural que Essa preocupação com a produção de alimentos dentro
emprega 9.200 trabalhadores na Zona Oeste que da própria Cidade é uma tendência, tanto que locais ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO
produzem aipim, caqui, banana, coco, chuchu, inhame, sem grandes áreas disponíveis têm buscado soluções Aspirações
entre outros. Ainda, existe um cinturão importante inovadoras para tal. Toda a população morará 100% dos cariocas morarão até 15 minutos a pé de uma 2035
nos entornos da Cidade. Na área metropolitana, os próximo a uma área verde, área verde
pequenos produtores da região serrana produzem mais uma vez que será priorizada a
da metade da oferta de folhosas. ocupação de espaços públicos
que cumpram papel social e
ecológico

A comparação da qualidade do ar A área verde da Cidade A área verde da Cidade será ampliada para uma das 2035
Nova Iorque e as Fazendas Urbanas em percentual de dias em 2011 e 2012 será protegida e ampliada maiores do mundo, independentemente da presença dos
demonstra tendência negativa e a cultura carioca da maciços florestais
O Parque Fazenda Urbana em topo de preservação ambiental será
prédio de Nova Iorque com 43 mil m2 de área Boa
55% um ativo
45% 11 corredores verdes terão sido implantados 2050
produtora de alimentos, que ocupam a laje, até
então ociosa, de um edifício público.
100% da área do Bioma Mata Atlântica estará protegida 2065
Financiada por doação de US$ 600 mil
42%
do Programa Verde do departamento de Regular
47%
Infraestrutura da Cidade e produção anual
A produção local e estadual 95% dos alimentos perecíveis consumidos na Cidade 2035
estimada em 20 mil quilos de produtos
de alimentos será estimulada, serão produzidos no Estado do RJ
frescos.
aumentando o acesso da
2% população a uma
Fonte: Ecoeficientes.com; Press clipping; Fiperj. Inadequada
alimentação saudável 50% dos alimentos produzidos na Cidade serão orgânicos 2050
4%


0%
Diretrizes Ampliar a área verde da Cidade em rede, unir
n  n Estimular a proteção da cobertura vegetal
3% fragmentos florestais e implantar corredores florestal em áreas de propriedade privada e a
verdes preservação de ecossistemas
2011 2012

Os dias com qualidade “boa” A classificação “má” aparece em


Aprimorar a gestão de Unidades de Conservação
n  Lançar esforço junto ao Estado do Rio de Janeiro
n 

diminuíram de 55 para 45% em alguns dias do ano em regiões através de capacitação de gestores, do de fomento à produção de alimentos orgânicos
1 ano, enquanto “regular”, como Bangu, na Zona Oeste. estabelecimento de parcerias público-privadas
“inadequada” e “má” aumentaram.
e da apresentação de resultados de maneira
transparente
Fonte: Monitor Ar SMAC 2012.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


132 133
Visão Rio 500 – Tema 4 O que a gente espera do Rio
Território Conectado, O déficit habitacional será reduzido em pelo
menos 90% e não haverá mais informalidade
Integrado e Democrático territorial até 2050.
Pelo menos 90% da população viverá a, no
máximo, um quilômetro de distância de uma
estação de transporte de massa até 2050.
Pelo menos 90% dos cariocas irão demorar
menos de 45 minutos no trajeto casa-trabalho
até 2050.
O Rio
integrado
com o futuro.
Visão Rio 500 3.7 Território conectado, integrado e democrático

tempos da história do Rio: se há uma centralidade envolve também um risco. Os valores ambientais que
Introdução histórica na Guanabara, há um vetor que aponta para são nosso paradigma atual podem vir a ser mais brandos
Os desafios da
ocupação do
o oeste que não pode ser desprezado. Assim como foi em cenários futuros, onde incrementos tecnológicos Rio de Janeiro
Território Conectado, Integrado e Democrático através dessa região que a Cidade sofrera seus piores venham a oferecer mais por menos custo e impacto ou começam na sua
reveses militares durante o período colonial, foi também não. E tudo leva a crer que não: tornar a Cidade mais formação.
Por W. Fajardo através do Plano Lucio Costa para a Barra da Tijuca que eficiente, otimizar deslocamentos, adensar criando
a Cidade foi ampliada e consolidou sua atual mancha bons lugares, reduzir pegada ambiental e energética,
urbana, perdendo densidade e sem as correlatas mas também torná-la acessível, fiscalmente plena,
O Rio era tratado Enquanto esteve na condição de centralidade do Brasil, ou No início do século XXI, em 2015, após mais de 40 infraestruturas necessárias, como a mobilidade. solidária e generosa em oportunidades são sonhos que
como uma obra seja, de 1763, quando torna-se capital da colônia, até 1960, anos de consolidação dos valores ecológicos surgidos precisam converter-se em realidade para a existência da
de arte que quando Brasília é inaugurada, foram 197 anos nos quais o a partir da crise do petróleo de 1973 e que viriam a Se a ocupação do vale formado pelos maciços da Tijuca espécie humana no planeta Terra.
representava Rio de Janeiro habituou-se a ser cidade de representação interromper o longo ciclo otimista dos procedimentos e Pedra Branca ao sul, e Mendanha ao norte, foram as
a identidade do poder e a concentrar os signos do que deveria vir a ser científico-industriais movidos por combustíveis fósseis bases da Estrada Real da Fazenda de Santa Cruz, ou Logo, tão importante quanto planejamento são os
nacional. a urbanidade brasileira, consequentemente realizando e que influenciaram as principais ideias urbanísticas do foram o leito da malha da Estada de Ferro D. Pedro II, métodos para fazê-lo. É essencial definir um arco
transformações urbanas, planos e planejamentos que século XX – a cidade funcional, o racionalismo, o zonning, atual Central do Brasil, viriam também a deslocar a temporal maior com arcos menores para o plano,
sucessivamente buscavam a criação ou o fortalecimento de o rodoviarismo –, são necessários novos modelos. É centralidade geográfica para a confluência da Zona definir reavaliações periódicas, criar processos de
uma cidade-símbolo. necessário criar novos padrões que possam assimilar tal Norte com a baixada de Jacarepaguá, visão que Lucio escuta, definir institucionalidade para tanto, criar
acúmulo de conhecimento sobre cidades, mas também Costa apreendeu e desenhou com a proposta do Centro autoridade urbanística, propor projetos urbanos,
Do plano Beaurepaire de 1843, passando pelo plano ir além, impulsionando novos valores urbanos (ou Metropolitano da Barra, em 1969. correlacionar visões estratégicas aos instrumentos
Agache de 1929, ao plano Doxiadis de 1965, até resgatando outros) e esse novo modus operandi urbano legais de planejamento, como o Plano Diretor, o uso do
mesmo o plano Lucio Costa para a Barra, feito em não é mais possível sem o método da escuta à população. Entretanto, quatro anos antes, em 1965, o Plano solo, o zoneamento, enfim, unir práticas inovadoras a
1969, e poderíamos também considerar os estudos de Doxiadis oferecia uma visão mais sistêmica e complexa estatutos legais.
Le Corbusier de 1929 e 1936, todos foram feitos por “Escuta” não significa, entretanto, delegação direta. para o território ao pensar sua integração através
encomenda do governo da Cidade a um especialista, Cabe à esfera pública, através das administrações de rede viária, sistemas de túneis eliminando o As profundas mudanças infraestruturais do Rio nos
que tratava a Cidade como obra de arte a assumir municipais, olhar adiante e ousar, inovar e até encapsulamento que o complexo montanhoso impunha. últimos anos foram viabilizadas por práticas de gestão As mudanças
função de representação da identidade nacional. incomodar, rompendo inércias que historicamente O Plano das Linhas Policromáticas, mesmo que pública de alto desempenho, por eficaz controle fiscal,
impediram a Cidade de alcançar melhor integração, exclusivamente rodoviarista, pois essa era a crença da pelo estabelecimento de metas e resultados, cujo efeito
dos últimos
Somente com o PUB-Rio, o primeiro plano feito mobilidade e acesso a oportunidades no território. ocasião, apresentava racionalidade espacial coerente catalisador a sediar os Jogos Olímpicos fora também anos foram
para um genuíno município e não mais para uma com as especificidades topológicas do Rio, sua história fruto de visão estratégica definida no início dos anos viabilizadas
“capital”, é que, tendo sido elaborado por uma equipe
multidisciplinar, houve o cuidado de compreender
Os desafios da ocupação do Rio de Janeiro estão
presentes desde sua formação, pois, se por um lado
de ocupação, assim como seus anseios futuros. 1990. Mas ainda há muito por fazer, e as desigualdades
espaciais do Rio de Janeiro impõem sempre urgência
por uma gestão
a Cidade de maneira holística da condição física ao a Baía de Guanabara oferecia excelentes condições A cidade que temos hoje é fruto do somatório dessas para a agenda urbana. pública de alto
desenvolvimento econômico, à governança, ao sistema logísticas, militares e acesso fluvial a distintas freguesias distintas visões e planejamentos, todas com erros desempenho.
fiscal e administrativo, inaugurando ou fortalecendo e seus recursos, por outro lado, a circunvalação e acertos em diferentes escalas. Estamos sempre
valores ambientais e culturais que são até hoje a grande dos maciços da Tijuca e da Pedra Branca oferecia circunscritos naquilo que sabemos e acreditamos hoje
característica urbana do Rio de Janeiro. impedimento a uma melhor conexão à extensa faixa e aos recursos que dispomos para agir. A previsão do
litorânea. A necessidade foi imposta pela característica futuro é, por hora, impossível, e todo ato de planejar
Entretanto, em nenhum desses planos e práticas houve original deste território, situado entre duas baías,
o cuidado de ampliar processos de escuta e ouvidoria Guanabara e Sepetiba, com extensão de cerca de 50
Não se com a população. Ao longo dessa trajetória cronológica, quilômetros, tendo o oceano Atlântico como limite ao
pode pensar podemos reconhecer facilmente as idiossincrasias do Sul. Este “retângulo” – o Município do Rio –, com três Esse tema está Subtema 1: Subtema 2: Subtema 3:
na Cidade planejamento urbano, da forja estética e funcional das lados de frente d’água, indicava um devir que viria a organizado nos Fluxo na Cidade – Exemplo de Confiança
três subtemas a transporte eficiente habitabilidade, no espaço
sem ouvir a primeiras formas até o caráter gerencial e economicista
das práticas mais recentes.
ser a tônica dos desafios urbanísticos dos diferentes
seguir. e acessível formalização urbano
população. territorial e
integração social
WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020
138 139
Visão Rio 500

As políticas habitacionais, nacional e local, são ainda identidades e um bem cultural comum. Esse território
Conservação, inconsistentes diante da demanda necessária por articulador de benefícios privados e públicos ainda é
beleza e moradia, urbanização e regularização fundiária. A nova tratado como espaço residual entre edifícios e fluxos
segurança qualificação da região do Centro histórico requer o quando é o estruturador da cidadania em sentido
para promover estabelecimento de abordagem mais complexa para mais amplo.
o desafio da sua ocupação residencial, atuando tanto
confiança na pela oferta como pela procura por esse novo antigo Se o espaço público comum é tão importante, áreas
Cidade. lugar. A urbanização de favelas requer planos mais especializadas como praças e parques urbanos são,
holísticos, absorvendo as experiências das unidades por definição, estruturas urbanas hierarquicamente
de polícia pacificadora também como afirmação da superiores a essas primeiras. Conservação, beleza e
publicidade do espaço público. É necessário rever segurança são pontos críticos para promover confiança
os conceitos de macroplanejamentos adotados na Cidade. Lazer de final de semana e posicionamento
historicamente que ainda consideram complexos de global são faces da mesma moeda.
favelas como fenômenos subnormais pontuais em
vez de um valor urbanístico em si, organizado não As mudanças no transporte público foram expressivas
apenas em base territorial, mas como trama cultural de nos últimos anos, dispondo a Cidade atualmente de
intensa identidade e criadora de riquezas. É urgente verdadeira rede de transporte de massa, possível graças
e necessário implementar políticas e programas de às articulações entre BRT, VLT, trens, metrô, barcas e
assessoramento ou promover melhorias habitacionais os sistemas troncais de ônibus. Mas a cultura do carro
diretamente, havendo aí, nos domicílios precários ainda é predominante e as viagens a pé desprezadas
existentes, a real concretude e lacuna da habitação como um dos modais mais “utilizados”. A malha de
urbana carioca. ciclovias da Cidade expandiu e alcançou metas de
mais de 450km de ciclovias. Esse cenário profícuo na
Do mesmo modo, a política de acesso à moradia área de transporte obriga a Cidade a obter conquistas
necessita adequar-se às especificidades do território, significativas nos próximos anos, melhorando a
ou seja, se em bairros não centrais é possível realizar integração entre sistemas, aperfeiçoando a qualidade
habitação social para aquisição, no centro é importante dos serviços, priorizando a experiência do usuário como
que políticas de locação social sejam implantadas. Da parâmetro dos concessionários.
mesma forma, em bairros consolidados e valorizados,
práticas de zoneamento inclusivo devem ser adotadas, O Rio de Janeiro, no crepúsculo dos seus 450 anos,
assim como o adensamento dos corredores de sendo a primeira cidade da América do Sul a sediar os
transporte é alicerce de sustentabilidade e resiliência. Jogos Olímpicos, oferece ao Brasil a representação
geopolítica que está sempre imbricada nesse tipo de
O ordenamento e a gestão do espaço público evento global, fazendo-o, entretanto, não como fardo
precisam promover maior qualidade para o pedestre, de ter sido outrora capital, mas como cidade plena
subvertendo a lógica que vem imperando desde e ciente de seus desafios. Pensar adiante, mirar os
o pós-guerra no mundo, onde o espaço público é 500 anos, sonhar com o ano 2065 criando uma visão
disponibilizado e desenhado para o automóvel. O nova e promovendo os planos e projetos necessários
desenho desse espaço é uma demanda real, mas sua para realizá-los não são realizações inéditas para a
manutenção requer atenção na mesma proporção. A história da Cidade, mas ampliar processos de escuta
qualificação de lugares urbanos como ativos sociais, e participação, institucionalizar fóruns de debate e
econômicos e ambientais é fundamental para que acompanhamento, definir projetos urbanos e metas são
negócios possam prosperar, que a sociabilidade metodologia inédita e marca indelével de que o Rio vai
possa acontecer, que o turismo possa avançar, mas, ao futuro ancorado na história e na inovação urbana.
principalmente, para que se possam reconhecer

WWW.VISAORIO500.RIO
140
Visão Rio 500 3.7 Território conectado, integrado e democrático

O Rio deve fluir No entanto, há uma questão fundamental da Uma barreira muitas vezes presente na expansão
40% dos
em todas as direções mobilidade no Rio que não será solucionada apenas
com grandes obras de ampliação da capacidade do
de áreas urbanas é a não revisão da legislação de
zoneamento, que não está atualizada para responder cariocas
Subtema 1: Fluxo na Cidade – transporte: a distribuição territorial das residências e aos desafios da urbanização ou para atender às trabalham
transporte eficiente e acessível os empregos. Um dos sonhos para o futuro é que haja necessidades das famílias e dos negócios. Há dois no Centro,
uma distribuição mais equitativa entre os habitantes exemplos que mostram a importância de se planejar e
e os empregos disponíveis no território da Cidade, ter uma boa infraestrutura de transporte instalada em
mas apenas
reduzindo a sobrecarga do transporte e os longos termos de qualidade de vida e capacidade. 5% moram
Ponto de partida/ Nos últimos anos, foram realizadas diversas obras na locomover de suas residências até seus trabalhos. tempos de deslocamento. nessa área.
diagnóstico Cidade do Rio de Janeiro voltadas para a melhoria do Com as novas linhas de transporte de alta capacidade, O primeiro exemplo é o bairro de Jesuítas, que possui
sistema de transportes e da mobilidade urbana. Grande o cidadão pode fazer deslocamentos mais longos em As Zonas Norte e Oeste concentram uma grande cerca de 9 mil habitantes e está localizado a cerca
Quase metade da parte dessas obras foi feita em parceria com o setor menos tempo. parcela da população que precisa se deslocar para o de 6km de Santa Cruz e 50km do Centro do Rio. A
população mora a privado, como o VLT e os corredores de BRT e BRS, Centro da Cidade, região que detém a maior oferta região, anteriormente uma área agrícola e que mais
aproximadamente beneficiando a Cidade e ampliando as possibilidades de Hoje, quase metade da população mora a de trabalho, porém com baixa densidade demográfica. recentemente recebeu moradores beneficiados por
1km de uma acesso ao território para a população. aproximadamente 1km de uma estação de transporte Quarenta por cento dos cariocas trabalham no Centro, programas habitacionais, ainda tem infraestrutura
estação de público de alta capacidade. Apesar de ainda ser baixo embora apenas 5% morem nessa área. insuficiente e poucas conexões com os bairros locais.
transporte público Essas obras trouxeram importantes benefícios às em comparação a outras cidades do mundo, esse índice Cerca de 60% dos moradores do bairro trabalham na
de alta capacidade. pessoas que percorrem longas distâncias para se tem crescido e deverá chegar a 57% até 2020. Esse desequilíbrio entre a concentração de pessoas região central do Rio e realizam longos deslocamentos
e a disponibilidade de empregos gera sobrecarga todos os dias sem contar com um transporte de alta
do sistema de transporte público e se traduz em um capacidade e rápido que os atenda. Quarenta e nove
obstáculo na qualidade de vida do carioca. por cento das pessoas reportaram que, antes de se
mudar para Jesuítas, seu principal meio de transporte
Parte importante do legado olímpico são os investimentos em infraestrutura de transportes Para que a expansão da Cidade seja bem planejada,
é necessário identificar regiões com baixa densidade
residencial e boa infraestrutura de transporte, pois são
locais onde é possível aumentar significativamente o Com as novas linhas de transporte de massa, 57% da população do
número de habitantes e “compactar” a Cidade. Diversas Município do Rio viverá a até 1km de distância de uma estação até 2020
regiões reúnem essas duas características, com eixos de
transporte que podem ser explorados, em particular na Áreas a até 1km de distância das principais estações de transporte de massa
BRT: corredores exclusivos VLT (Veículo Leve Sobre Via Expressa: com 6.847m de Via Binário do Porto: 3,5km Zona Norte e no Centro.
beneficiam grande parte da Trilhos): meio de transporte extensão e um túnel de 3.022m, de extensão, liga o Gasômetro à
população com TransBrasil, sustentável garante a liga o Aterro do Flamengo à Av. Rio Branco sentido Centro
TransOlímpica, TransOeste maior mobilidade a 300 mil Av. Brasil e à Ponte Rio-Niterói. e em seu traçado estão 1.498m Por outro lado, em algumas regiões do Rio, tais como
e TransCarioca com mais passageiros diariamente; só do Túnel Rio450.
de 100km. no Porto, o investimento é de a Barra da Tijuca e outras partes da Zona Oeste, a
cerca de R$ 1,19 bilhão.
expansão das fronteiras exigirá novas instalações
para aumentar a integração com a Cidade. No caso
da expansão imobiliária dessas áreas, é importante
considerar, por exemplo, o aumento da cobertura do TransOlímpica
transporte público, que é essencial para que a lógica de
deslocamento não se baseie exclusivamente em meios TransOeste
de locomoção individuais.
Bus Rapid System (BRS): doze Ampliação do elevado do Joá: Viário do Parque Olímpico: Teleférico da Providência:
corredores preferenciais para R$ 458 milhões investidos R$ 514 milhões investidos du- encurta a distância entre a Metrô – Linha 4
ônibus reduzem em cerca de em uma nova pista, 2 túneis e plicam as Av. Salvador Allende e primeira favela da Cidade e o
25% o tempo de viagem dos ciclovia, melhorando a ligação Emb. Abelardo Bueno em Jaca­ Centro em um trajeto de 721m
passageiros. entre Zona Sul e Barra da Tijuca. repaguá, com 5 faixas em cada que dura 5 minutos.
sentido, uma exclusiva para o Fonte: ITDP.
BRT em cada uma das avenidas.
Fonte: Website Cidade Olímpica.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


142 143
Visão Rio 500 3.7 Território conectado, integrado e democrático

É preciso era “caminhar”. Após terem se mudado, esse índice Quase 40% dos empregos formais da Cidade do
1
e de maneira distribuída pela Cidade. A ideia é que haja
Os oito princípios
revisar a caiu para 19%. Além disso, o tempo gasto no trajeto Rio de Janeiro estão concentrados na AP 1, um desenvolvimento compacto e uma utilização mista
casa-trabalho aumentou significativamente: antes, 9% onde vivem apenas 5% da população nas áreas próximas às estações de transporte público, O Instituto de Políticas de Misturar: estimular o uso misto
legislação de das pessoas gastavam mais de uma hora no trajeto; Participação percentual da população e do emprego formal por possibilitando um desenvolvimento mais compacto e Transporte e Desenvolvimento do solo, para reduzir o número de
zoneamento. após a mudança, esse indicador subiu para 33%. Isso Áreas de Planejamento do Rio de Janeiro (2013) uma densidade habitacional mais elevada. Esse tipo (ITDP) define oito princípios para viagens e estimular um cenário de
resultou em um aumento significativo nos gastos com de política no longo prazo diminuirá a pendularidade o Desenvolvimento Orientado ao rua mais vibrante.
Moradores Trabalhadores
transporte. dos trajetos e permitirá uma operação mais eficiente e Transporte, apresentados a seguir:
racional do transporte público. Pedalar: dar prioridade ao uso da
Outro exemplo é o Bairro Carioca, localizado na Zona Compactar: reorganizar regiões bicicleta.

7
5
39

16
18

37
22

15
14

27
Norte, a 8km do Centro da Cidade, que também abriga AP 1 AP 2 AP 3 AP 4 AP 5 Além de princípios urbanísticos e reorganização do para encurtar viagens.
em torno de 9 mil pessoas. A região ainda tem muitas
Áreas de Planejamento
território, sem dúvida nenhuma, nos próximos 50 Mudar: promover mudanças para
carências, mas é servida por uma estação multimodal anos, serão necessários investimentos consideráveis Adensar: aumentar a densidade incentivar o uso de transporte
a cerca de 1km de distância. A sua localização próxima em infraestrutura de transportes e viária. Diversos no entorno das estações de público ou de bicicleta.
de centralidades geradoras de emprego faz com que AP 3
corredores de transporte de média/alta capacidade transporte de alta capacidade.
grande parte dos moradores do Bairro Carioca estejam AP 1
serão criados, mais do que dobrando a quantidade Caminhar: criar ambientes que
perto de seu trabalho, o que se traduz em tempo e AP 5
AP 4 AP 2
de quilômetros implantados atualmente na Cidade. Conectar: criar redes densas e estimulem as pessoas a andar a pé.
custos muito menores para seus deslocamentos. Em estudos feitos pela Secretaria Municipal conectadas de vias e caminhos.
de Transportes, foram propostas novas linhas,
Um dos conceitos que têm aparecido de maneira 50km
principalmente de BRTs e VLTs, porém esses estudos Usar transporte público: oferecer
sistemas de transportes rápidos,
1
recorrente no planejamento das grandes cidades é o Área de Planejamento 1 tiveram como foco o médio prazo.
Observação: o número total de empregos na Cidade do Rio de Janeiro não inclui os
Desenvolvimento Orientado ao Transporte, que prega o considerados “ignorados”. frequentes, confiáveis, integrados e
desenvolvimento nos entornos dos eixos de transporte Fonte: RAIS-MTE e IPP. Análise cedida por Mauro Osório e complementada pelo ITDP. Em 50 anos, muito poderá ser construído, inclusive de alta capacidade. Fonte: ITDP.

outros modais, como metrô, monotrilho e o transporte


por barcas. No futuro, o aperfeiçoamento dos modais
de transporte poderá viabilizar projetos com os quais
É preciso Exemplo de Jesuítas e Bairro Carioca, dois conjuntos habitacionais, explicita a importância nem se sonha hoje em dia.
desenvolver de políticas de habitação e adensamento que priorizem áreas conectadas e centrais Corredores de transporte em 2065
Por mais que essa proposta de linhas represente apenas
os entornos Cerca de 60% trabalham Cerca de 95% trabalham um pedaço do futuro dos transportes do Rio de Janeiro,
dos eixos de nas regiões dos centros
1, 2 e 3
nas regiões dos centros
1 e 2 ou na própria Zona ela já nos permite vislumbrar o quão mais conectado,
transporte. Jesuítas
Norte (AP 3) integrado e democrático será o nosso território, como
Bairro apresentado no boxe ao lado.
Carioca
6km
8km
50km

1
4 35km

2
3

BRTs
Trem
Metrô
Centros
Fonte: ITDP, adaptado pela equipe. Fonte: Secretaria Municipal de Transportes.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


144 145
Visão Rio 500 3.7 Território conectado, integrado e democrático

Um Rio melhor para se morar


ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO
Aspirações Subtema 2: Exemplo de habitabilidade,
formalização territorial e integração social
A Cidade será mais compacta A Cidade crescerá em direção a áreas com maior Até 2065
e adensada de acordo com a infraestrutura e atualmente com uma densidade
infraestrutura instalada significativamente maior

Ponto de partida/ O principal motivador deste tema é a qualidade da “Formalização” vai além de reconhecer a moradia
A Cidade proporcionará um número de empregos por Até 2065 diagnóstico moradia no Rio de Janeiro, que continua sendo um dos informal como formal, trata-se de um processo de
1
habitante maior em idade ativa nas APs 2, 3, 4 e 5 maiores desafios da Cidade. Uma parcela significativa urbanização que consiste na ampliação da oferta de
Formalizar da população vive em moradias precárias, em áreas serviços públicos básicos, de maneira que as famílias
moradias é integrar sem infraestrutura adequada, levando a um alto déficit sejam integradas ao território da Cidade. Com essas
Todos poderão se deslocar Pelo menos 90% das residências estarão a até 1km de 2065 as famílias à Cidade habitacional qualitativo. Isso acontece tanto com melhorias nas diferentes regiões, o processo de
por todo o território da distância de uma estação de transporte de alta capacidade e oferecer serviços moradias formais quanto informais. Para reverter formalização proporciona melhoria da qualidade
Cidade utilizando transporte públicos básicos. esse déficit, o Rio precisa concentrar esforços na de vida dos moradores locais, fazendo com que eles
público de qualidade, formalização das moradias. valorizem e tenham orgulho do local em que vivem.
acessível e integrado Pelo menos 90% dos empregos estarão a até 1km de 2065
distância de uma estação de transporte de alta capacidade O alto preço da habitação nas áreas que concentram
boa qualidade de recursos e infraestrutura,
principalmente Zona Sul e Centro, provoca uma
Pelo menos 90% dos cariocas chegarão a seus postos de 2065 elevação do custo de vida que impossibilita que as
trabalho em até 45 minutos usando transporte público A informalidade territorial continua sendo um grande problema no Rio. famílias com menor renda morem nesses locais. Já
A Cidade conta com 600 complexos de favelas a deficiência de recursos e infraestrutura em áreas
1
como as Zonas Oeste e Norte não gera incentivo para
Áreas de Planejamento. Distribuição das favelas no Rio de Janeiro – IPP (2010) que a população com maior renda faça o movimento
contrário e busque opções de moradia em outras
áreas. Com essas diferenças, a Cidade oferece poucas
oportunidades para integração entre as distintas
Diretrizes n  Expandir a malha de transporte, almejando Reduzir a necessidade de transporte, planejando
n  classes sociais no território.
integrar toda a região metropolitana para que oportunidades de trabalho e de
habitação coexistam nas diversas centralidades Atualmente, 1,5 milhão de pessoas – 23% da população
n  Melhorar a qualidade do transporte público, da Cidade – vivem em cerca de 600 complexos de favelas do Rio
oferecendo serviços mais frequentes, rápidos, de Janeiro. Apesar das favelas estarem distribuídas por
pontuais e confortáveis para os cidadãos Garantir oportunidade de locomoção não
n  todo o território do Município, como mostra o quadro
motorizada por meio da expansão de ciclovias e ao lado, os bairros da Zona Oeste abrigam a maior parte
n G
 arantir sistema de transporte público acessível ruas seguras de seus moradores.
(em termos físicos e de custos)

n  Adotar modelo de transporte mais eficiente do


ponto de vista energético, visando reduzir a
emissão de CO2

Fonte: IPP; SABREN - Sistema de Assentamentos de Baixa Renda.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


146 147
Visão Rio 500 3.7 Território conectado, integrado e democrático

A solução do desafio da habitação informal no Rio é fundamental desestimular a instalação de novos Uma importante medida para enfrentar essas questões Atualmente, em torno de 1,5 milhão de cariocas – 23% da população da
O desafio é passa por duas ações principais, que tratam tanto das assentamentos informais. de habitabilidade, formalização territorial e integração Cidade – vive em cerca de 632 complexos de favelas do Rio de Janeiro
urbanizar as habitações existentes (estoque) como das novas (fluxo). social é o fortalecimento de diferentes centralidades.
favelas sem Essas ações devem ocorrer em paralelo. Por um lado, Ainda com relação ao desafio de qualidade da moradia, São medidas que favorecerão a expansão das População em favelas por bairro (2010)

estimular a os complexos de favelas precisam de uma intensificação o Rio enfrenta o problema da coabitação de diferentes oportunidades de emprego além do Centro e da Zona
do processo de urbanização, pois ainda não têm famílias no mesmo espaço, pessoas que moram em Sul, diminuindo significativamente a necessidade de
instalação infraestrutura suficiente e, em muitos casos, a oferta áreas de risco ou ainda um número significativo de longos deslocamentos de grande parte da população.
de novos de habitação é cara para a qualidade dos domicílios habitações de baixa qualidade, inclusive entre aquelas A existência de outra região com mais atrativos para
assentamentos existentes. Por outro lado, ao mesmo tempo que as que são formalizadas. a população aumenta a circulação de pessoas, o que
atuais favelas forem urbanizadas e modernizadas, incentiva atividades econômicas e contribui para a
informais. revitalização e o desenvolvimento de seu entorno.
Isso melhora as condições de habitabilidade e atrai
moradores para a região.

Em decorrência do alto custo de vida, a distribuição da ocupação do Para promover e fortalecer as centralidades, é necessário
território é altamente correlacionada com a renda familiar modernizar a infraestrutura e melhorar a oferta de
serviços públicos, além de implementar políticas que
Renda familiar média em 2010 – Censo IBGE 2010 – R$ flexibilizem o uso do solo e incentivem o desenvolvimento
de negócios em regiões selecionadas. A legislação de
zoneamento da Cidade é antiga, o que faz com que em
0 1.001-3.000 10.001-20.000
muitos casos ela não esteja adequada para responder
44-1.000 3.001-10.000 20.001-89.765
Renda familiar média aos desafios de urbanização que ocorrem hoje ou para
atender às necessidades das famílias e dos negócios. Fonte: Censo IBGE (2010), IPP. Cedido pela Secretaria Municipal de Urbanismo.

Além disso, é importante planejar a Cidade considerando


Área militar o desenvolvimento de todas as suas regiões, para que
os empregos não se concentrem apenas em regiões
Méier específicas, mas estejam bem distribuídos.

Com essas medidas, a Cidade poderá almejar um


avanço na modernização de sua infraestrutura e
a melhoria econômica de algumas áreas menos
desenvolvidas. Potencialmente, isso terá efeitos
imediatos sobre a habitação e o desenvolvimento
Área militar
urbano desses locais. Portanto, o fortalecimento das
centralidades poderá ter impacto não apenas sobre o
Rocinha/Vidigal fluxo e a mobilidade das pessoas, mas também sobre a
Condomínios vitalidade dos bairros e regiões.

É necessário modernizar a infraestrutura e


melhorar a oferta de serviços públicos.
Fonte: Censo 2010 (IBGE). Cedido pela Secretaria Municipal de Urbanismo.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


148 149
Visão Rio 500

ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO


Aspirações

A Zona Central será ativa A Zona Central será uma opção de moradia bastante 2050
e moderna e centralidades utilizada no Rio de Janeiro, com níveis de adensamento
alternativas também se próximos ao de outras zonas da Cidade
tornarão vibrantes núcleos
da Cidade
O Rio de Janeiro terá desenvolvido pelo menos cinco 2050
centralidades nas Zonas Oeste e Norte com concentração
relevante dos empregos da Cidade

Todos os cariocas terão Todas as favelas da Cidade estarão integradas à Cidade, Até 2050
acesso a moradia segura, com infraestrutura básica
digna e regularizada

Não haverá pessoas residindo em assentamentos Até 2065


subnormais

Todas as regiões da Cidade Toda a população terá acesso a saneamento básico e 2035
terão acesso à infraestrutura serviços públicos
urbana de qualidade

Haverá oferta de opções O Rio de Janeiro terá conseguido acabar com seu déficit Até 2065
acessíveis de habitação e habitacional, fornecendo habitações de interesse social
mais diversidade na ocupação nas áreas com boa infraestrutura
territorial

Diretrizes n  romover a revitalização do Centro, de outras


P Garantir o reconhecimento territorial a todos
n 

áreas subutilizadas, do patrimônio cultural e o os cariocas e promover a urbanização de todas


fortalecimento de outras centralidades as favelas

n  Estimular atividades econômicas em diferentes Garantir oportunidade à moradia


n 

centralidades, diversificando o uso do solo e financeiramente acessível


ampliando a oferta de trabalho em diversas
regiões da Cidade, com ênfase em eixos Planejar o desenvolvimento e a expansão da
n 

conectados através de transporte de Cidade considerando seu impacto sobre o meio


alta capacidade ambiente e as áreas agrícolas

WWW.VISAORIO500.RIO
150
Visão Rio 500 3.7 Território conectado, integrado e democrático

O carioca nasceu para


viver a Cidade ao ar livre Calçadas estreitas, diferentes tipos de pavimento, obstáculos físicos e
Além disso, calçadas estreitas, falta de manutenção e de
padronização do pavimento, obstáculos físicos e intenso
Subtema 3: Confiança no espaço urbano tráfego intenso de carros dificultam o acesso a pedestres em geral, tráfego de veículos são fatores que não estimulam o
principalmente idosos, portadores de deficiência e crianças. pedestre a transitar pela Cidade. Também dificultam
o acesso do público em geral e, principalmente, de
grupos com maior dificuldade de locomoção, como, por
exemplo, idosos, portadores de deficiência e crianças.
Ponto de partida/ Uma cidade em que o espaço urbano não é atrativo e Outro motivo pelo qual o cidadão não utiliza as ruas é
diagnóstico seguro está fadada a ser desinteressante e pouco ativa. a falta de incentivos a fachadas ativas, onde seja visível Outro fator de falta de segurança para a circulação do
Para aumentar mais a confiança de seus habitantes, a a existência de atividades econômicas nos imóveis. Isso pedestre é a lógica da organização da Cidade, que não
Os cidadãos Cidade precisa se reinventar, atraindo as pessoas às faz com que algumas localidades pareçam desertas, o está voltada para as pessoas, mas sim para os veículos.
só ocupam os ruas e aos espaços públicos em geral. que diminui a sensação de segurança e faz com que a Muitas faixas de pedestre não respeitam a circulação
espaços públicos população evite cada vez mais o local. A requalificação natural das pessoas, há grandes espaços com enorme
se o ambiente for Os cidadãos somente passam a utilizar as ruas e de ruas e fachadas no Rio pode estimular a instalação valor para a Cidade ocupados por estacionamentos e
agradável, seguro ocupar os espaços públicos quando o ambiente é de serviços, potencializando o uso do espaço público falta de priorização para a conectividade dos pedestres,
e acessível. agradável, seguro e acessível a todos. Infelizmente, e contribuindo para o processo de construção de não é priorizada, tornando a Cidade menos agradável e
no Rio de Janeiro, ainda existem áreas públicas com confiança das pessoas na Cidade. menos humana.
pouca atividade em função de fatores como a falta
de segurança, de iluminação adequada e de calçadas
acessíveis.
Maneiras inovadoras de revitalização

Cidades como Paris e São Francisco têm


adotado formas inovadoras para revitalizar
Pouca atividade nas ruas aumenta sensação de insegurança na Cidade partes importantes de suas áreas. Por
exemplo, Paris promoveu um concurso
com dimensão arquitetônica e comercial
para espaços abandonados, no qual os
participantes deveriam apresentar propostas
sustentáveis de revitalização.

Em São Francisco, foi lançado um projeto de


revitalização do Mid-Market, com o objetivo
de fortalecer fachadas ativas por meio do
melhor uso das ruas, abertura de lojas de
varejo em imóveis abandonados e concessão
de subsídios a empresas que desejassem se
instalar na área. Como resultado, a área do
Mid-Market teve um aumento no tráfego,
empresas como o Twitter estabeleceram ali
suas sedes e um projeto de mais longo prazo
foi gerado.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


152 153
Visão Rio 500 3.7 Território conectado, integrado e democrático

Os “Distritos Com relação à violência no trânsito, o Rio de Janeiro tenham uma boa gestão de resíduos. Esses bairros,
Verdes” terão é uma das cidades do mundo com maior número de também conhecidos como “Distritos Verdes”, além de O trânsito torna as ruas perigosas: no Rio há 15 mortes no trânsito
menor consumo vítimas. Como exemplo de comparação, enquanto no serem mais viáveis economicamente, criam um sentido para cada 100 mil habitantes, 5 vezes mais do que em Nova Iorque
Rio a taxa de vítimas no trânsito é de 15 para cada 100 de corresponsabilidade sobre o território e o tornam
de energia, mil habitantes, em Nova Iorque essa taxa é de apenas 3 mais atrativo para a população. Mortes no trânsito (2012)
reaproveitamento para cada 100 mil habitantes.
de água e boa Para que bairros ecoeficientes se tornem realidade, é Número de mortes por 100 mil habitantes
Outra importante questão relacionada ao espaço necessário criar um modelo de negócios que permita
gestão de resíduos. público é a oferta de parques e áreas verdes em geral, ao desenvolvedor do bairro ter retorno sobre seu Estocolmo 1,0
que podem levar a uma maior circulação de pessoas. investimento. Geralmente, o custo de construção é
Copenhagen 1,0
mais alto do que o das construções convencionais. No
Nesse sentido, outra oportunidade que se apresenta entanto, a economia em gastos operacionais mais do Hong Kong 2,0
para o Rio de Janeiro é garantir uma expansão urbana que compensa o investimento inicial. Tóquio 2,0
mais saudável e estimular a confiança do cidadão por Berlim 2,0
meio de mecanismos que façam uso mais eficiente de
Londres 2,0
recursos naturais, como a construção de edifícios e,
Paris 2,5 Que medidas o Rio pode
posteriormente, bairros ecoeficientes, que tenham tomar para reduzir o número
menor consumo de energia, reaproveitem água e Boston 2,5 de vítimas no trânsito?
Nova Iorque 3,0
Amsterdã 3,0
Seatle 3,4
São Francisco 4,0
Distritos Verdes Chicago 4,5
Washington 4,5
O conceito de “Distritos Verdes” já está
presente em diversas cidades do mundo Portland 5,0
e usa tecnologia e desenho para reduzir o Los Angeles 5,3
uso de recursos e a poluição. Por exemplo, Milwaukee 6,0
Hammarby-Sjostad, em Estocolmo, reduziu
Dallas 9,0
o uso de carros particulares e fez com que
as emissões de CO2 caíssem 30-40%. Para Atlanta 9,3
isso, a cidade lançou iniciativas como faixas Miami 10,0
exclusivas para ônibus, estimulou o uso de Detroit 11,0
carros com vários passageiros, implementou
São Paulo 13,0
iluminação pública eficiente, arborização
urbana, compostagem de resíduos e sistema Rio de Janeiro 15,0
de reutilização de água.
Fonte: CityFix Brasil com base em Embarq Brasil; Datasus. Cedido pelo ITDP.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


154 155
Visão Rio 500

ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO


Aspirações
1
Todos os espaços públicos Toda RA terá ao menos um parque urbano 2035
serão bem planejados, e as
ruas e fachadas serão ativas e
seguras Todos os logradouros estarão com dutos subterrâneos 2035

A Cidade será completamente Todas as ruas terão calçadas acessíveis para idosos, 2065
acessível e agradável crianças e portadores de deficiências
para ciclistas, pedestres,
portadores de deficiências,
idosos e crianças Todas as principais ruas terão um índice de arborização de 2065
nível adequado

Todos os logradouros terão serviços de iluminação 2050


voltados para o pedestre

O Rio reconhecerá, valorizará Espaços de convivência estarão espalhados pela Cidade e Até 2050
e protegerá sua paisagem distribuídos de forma a atender toda a população
como um ativo da Cidade,
respeitando-a na definição da
ocupação do território

1
Região administrativa.

Diretrizes n  Estimular ruas e fachadas ativas e garantir que Assegurar que os corpos hídricos sejam vetores
n 

as calçadas sejam amplas, confortáveis e seguras de sustentabilidade urbano-ambiental


para os pedestres
Promover a conscientização de motoristas e
n 

n  Eliminar a poluição visual nos logradouros melhorar a fiscalização de conduta de risco


públicos no trânsito

n  Implantar parques urbanos e corredores Ampliar a porcentagem de áreas verdes


n 

ecológicos nas diferentes RAs da Cidade nos bairros

n  Fomentar o desenvolvimento de bairros


ecoeficientes

WWW.VISAORIO500.RIO
156
Visão Rio 500 3.8 Cidade competitiva, inovadora e de oportunidades

Visão Rio 500 – Tema 5 O que a gente espera do Rio


Cidade Competitiva, Inovadora A Cidade será o mais importante centro de
geração e uso aplicado de conhecimento, onde
e de Oportunidades pesquisa e inovação atrairão setores de alto
valor agregado.

O Rio se tornará referência na prestação de


serviços através da valorização da excelência
nos processos de trabalho.

O Rio será a cidade modelo de ambiente


favorável à atração de investimentos.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


158 159
 Visão Rio 500  

Um Rio de
oportunidades
WWW.VISAORIO500.RIO
para o carioca.
VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020
160 161
Visão Rio 500 3.8 Cidade competitiva, inovadora e de oportunidades

Introdução dinâmica econômica de diversos setores. Outro ponto


diretamente relacionado à necessidade do aumento de Caso de desenvolvimento econômico de uma cidade:
Cidade Competitiva, Inovadora e de Oportunidades produtividade é o envelhecimento da população, que
fará com que um contingente economicamente ativo
Programa de revitalização econômica de Buffalo
Escrito em colaboração com Luiz Chrysostomo cada vez menor continue produzindo para um número Buffalo, no Estado de Nova Iorque (Estados Unidos), realizou um amplo
cada vez maior de idosos. programa de revitalização de sua economia entre 2010 e 2014. A cidade
identificou algumas oportunidades estratégicas para fortalecer sua
O Rio de Janeiro se tornará um polo global de atração economia, entre elas:
A economia do Atualmente, o Rio de Janeiro é o 2º polo econômico do O estabelecimento de uma matriz econômica para de investimentos e competirá diretamente com grandes
Rio está, Brasil apoiado por um polo industrial concentrado em promoção de emprego e renda dignos, com uma cidades de países desenvolvidos, tornando-se uma • Turismo: desenvolvimento do potencial das cataratas do Niágara.
setores como de petróleo, farmacêutico e de bebidas. adequada distribuição de setores, permitirá o ótima alternativa para a instalação e o desenvolvimento
cada vez mais, Da mesma maneira que as principais economias do crescimento sustentável da Cidade. A estipulação de grandes empresas. • Foco estratégico em saúde e ciências biológicas: investimento
apoiada em mundo passam por um processo de desindustrialização, da matriz econômica não consiste em apostas em público de US$ 50 milhões para a criação do Medical Innovation
serviços. o Rio de Janeiro também tem vivido essa transfor- determinados setores, mas sim no reconhecimento A gestão pública será eficiente e transparente, deixando and Commercialization Hub, um local compartilhado para
mação, com sua matriz econômica cada vez mais apoia- daqueles que possuem alto potencial e vocação para claras “as regras do jogo” e usando os mesmos pesos desenvolvimento de tecnologia e inovação na área de ciências
da em serviços. O grande desafio que se apresenta ago- aproveitar as características da Cidade. e medidas para todos. O Rio será mais fácil e atraente biológicas. A estimativa é que o centro atraia mais de US$ 200
ra é o de crescer em setores com maior valor agregado. para os negócios e a fiscalização funcionará de modo milhões em investimentos privados.
O desenvolvimento do capital humano e a excelência integrado e inteligente.
O Rio de O tema “Cidade competitiva, inovadora e de nos processos de trabalho permitirão o aumento • Tecnologia e inovação em energias renováveis: atração de
oportunidades” aborda a questão central de como da produtividade do carioca e facilitarão a vinda A Visão Rio 500 foi construída com a crença de que investimento de US$ 5 bilhões em uma planta de energia solar
Janeiro se a Cidade crescerá economicamente nas próximas de indústrias que necessitam de mão de obra as cidades são cada vez mais protagonistas do seu em Riverbend.
tornará um polo décadas e como podemos fomentar esse crescimento. qualificada. Esse ponto é especialmente importante desenvolvimento econômico e de que o resultado
de atração de A construção de uma cidade competitiva, inovadora e tendo em vista as mudanças advindas do maior uso do avanço do Rio nesses três subtemas será uma • Desenvolvimento de capital humano: agência de empregos e
de oportunidades, que é capaz de prover emprego e de tecnologia e automação, que têm modificado a cidade competitiva, inovadora e de oportunidades que capacitação para desempregados e campanha para reduzir o
investimentos. renda para seus cidadãos, passa tanto pela discussão permitirá que os cidadãos cariocas atinjam seus sonhos. número de jovens que não terminam o Ensino Médio.
de desenvolvimento de setores específicos como por
ações transversais que aumentem a competitividade • Promoção de empreendedorismo: maior competição de ideias
da Cidade. de negócios do mundo (com até US$ 5 milhões em prêmios por
Nossos principais focos: ano). Além do dinheiro, o programa 43 North oferece mentoria
e espaço para incubar os negócios vencedores. Mais de 6 mil
pessoas de 96 países diferentes participaram da competição.
Esse tema está Subtema 1: Subtema 2: Subtema 3: • Desenvolvimento de uma matriz
organizado nos Matriz Desenvolvimento Rio de Janeiro econômica. • Os resultados já são expressivos:
três subtemas econômica para do capital humano como polo de
a seguir. promoção de e excelência atração de • Desenvolvimento do capital humano. n O desemprego caiu de 9,6% em 2010 para 6,4% em 2014.
emprego e renda no processo de investimentos.
dignos. trabalho. n A população entre 20 e 34 anos aumentou quase 4% em
• Melhoria do ambiente de negócios.
3 anos.

n A cidade atraiu US$ 10 bilhões em novos investimentos.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


162 163
Visão Rio 500 3.8 Cidade competitiva, inovadora e de oportunidades

Uma cidade só cresce com trabalho


A matriz de empregos atual terá desafios não apenas para gerar novos empregos,
Subtema 1: Matriz econômica para promoção mas também para manter os atuais
de emprego e renda dignos
Emprego e produtividade na Cidade do Rio de Janeiro em 2013.
O momento delicado da economia
ameaça emprego, em particular em
Renda setores intensivos em mão de obra.
mensal média,
Ponto de partida/ Na última década, o Rio de Janeiro viveu um momento Cidade e à preparação para Copa do Mundo e Jogos R$ em moeda
Capacitar e empregar pessoas que são
diagnóstico de crescimento econômico acelerado em linha com o Olímpicos). Em setores de maior valor agregado, como corrente (2013) dispensadas de seus empregos será
Brasil. Apresentou, entre 2003 e 2013, um crescimento serviços especializados, saúde e serviços sociais e um desafio importante e poderá ter
médio de 13% ao ano em sua massa salarial e uma informação e comunicação, o Rio também apresentou 14 mil impactos de longo prazo sobre o Rio
geração de mais de 800 mil empregos formais. um crescimento do número de vagas acima da média Extrativa mineral
Nota: a categoria serviços especializados inclui atividades jurídicas,
do Brasil.
12 mil contabilidade, arquitetura e engenharia, consultoria, publicidade, pesquisa,
A geração de empregos foi puxada principalmente por veterinária. Atividades administrativas inclui serviços para edifício,
setores que fazem uso intensivo de mão de obra, como Apesar desse avanço, a matriz de empregos do escritório, segurança, aluguéis não imobiliário e agências de viagens

comércio, atividades administrativas e construção civil Rio de Janeiro ainda é bastante sustentada por 10 mil
(grande parte devido às transformações urbanas da setores de baixa qualificação e muitos especialistas Média salarial
Real (R$) em
Eletricidade e gás
8 mil milhares

Financeira Administração
100
164
A geração de emprego e renda do Rio cresceu significativamente nos últimos 10 anos... 6 mil pública
Empregos formais no Rio de Janeiro nos últimos 10 anos Informação Serviços

147
e telecom. especializados
Em milhões
4 mil
+4% p.a. Construção Atividades

2,6
2,6
2,5

administrativas Comércio Alojamento e


2,3

Temos estas figuras abertas? Como

458
2,2
2,2
2,2

Crescimento alimentação
2,0

são os originais? Dá para copiar os


1,9
1,8
1,8

anual Brasil 2 mil


textos? Ao menos os títulos devem

352 427
estar no nosso padrão, e usar o box
5,2% cinza de fundo para unificar
0
0 200 400 600 800 1.000 1.200 1.400 1.600 1.800 2.000 2.200 2.400 2.600
2003

2004

2005

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012

2013

Milhares
Setores intensivos em capital tipicamente oferecem menor número Setores intensivos em mão de obra tipicamente oferecem maior número de empregos
de empregos e buscam trabalhadores mais qualificados de empregos e buscam trabalhadores menos qualificados

Massa salarial no Rio de Janeiro Crescimento Fonte: Bases estatísticas RAIS-MTE.


anual Brasil
Em R$ bilhões (nominal)
7,5
6,5

+13% p.a.
5,8

14,0%
Olhando para o futuro, como o Rio pode
5,0
4,4
3,9
3,6

capacitar sua população e melhorar o perfil dos


3,1
2,8
2,5

Inflação
2,2

Brasil1

5,5% empregos da Cidade?


2003

2004

2005

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012

2013

1
IPCA (IBGE). Fonte: Bases estatísticas (RAIS-MTE, IBGE).

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


164 165
Visão Rio 500 3.8 Cidade competitiva, inovadora e de oportunidades

apontaram o desafio de fortalecê-la. A curto prazo, • Saúde e ciências da vida: serviços voltados à saúde,
este fortalecimento se torna mais importante, já que pesquisa e desenvolvimento em biotecnologia e Turismo O potencial do setor do turismo no Rio de Janeiro é um principais mercados emissores. Ou seja, o Rio precisa
muitos desses setores podem reduzir suas atividades empresas farmacêuticas. consenso. A paisagem natural da Cidade combinada buscar entender melhor as demandas específicas de seus
pós-ciclo olímpico, e por isso é fundamental que a • Financeiro: principalmente em seguros e com seu patrimônio histórico e urbano faz com o que o principais mercados (mercado interno, sul-americano e
Cidade proporcione oportunidades para inserção de resseguros e gestores de recursos. Rio consiga atrair diversos segmentos de turistas. internacional). Além disso, a atração de turistas precisa
trabalhadores dispensados no mercado de trabalho. • Outros setores: focar em diferentes nichos, negócios, grandes eventos,
o Tecnologia e inovação, com foco na promoção
O potencial Nos últimos anos, a Cidade modernizou grande parte de seminários e eventos técnicos.
Já a longo prazo, o Rio ainda tem um longo caminho de atividades empreendedoras e pesquisa e sua infraestrutura urbana e se preparou para receber
a percorrer na geração de empregos de alto valor desenvolvimento, aproveitando-se de centros turístico do grandes eventos esportivos, como a Copa do Mundo Agora que a Cidade tem uma estrutura de ponta para
agregado e maiores salários. As indústrias extrativas, de excelência em pesquisa. Rio ainda é mal (2014) e os Jogos Olímpicos (2016). Desde 2011 até a realização de eventos esportivos, é importante que
de eletricidade e gás, financeira e de telecomunicações o Energia e sua cadeia produtiva, incluindo não
aproveitado. 2016, a capacidade hoteleira da Cidade deve mais do ela capitalize esse ativo ao longo dos próximos anos. A
geram empregos de alta renda, para a Cidade, mas não apenas óleo e gás, mas também energia solar e que dobrar, saindo de 20 mil para 42 mil quartos em Cidade, além de possuir todos os atrativos turísticos já
são suficientes para sustentar a economia da Cidade. outras fontes renováveis. 2016. O aeroporto internacional do Galeão está sendo tão conhecidos, será a única da América Latina a ter tal
• Logística e serviços de infraestrutura: modernizado e sendo preparado para receber mais voos infraestrutura. Uma vez que a série de grandes eventos
Nos diversos fóruns e entrevistas realizados durante desenvolvimento da capacidade logística para que internacionais e conectar o Rio a mais centros globais. tenha terminado, ela poderá passar a sediar eventos
a elaboração da Visão e do Plano, especialistas, em- outros setores possam se desenvolver, incluindo menores, porém mais recorrentes, de forma a atrair
presários e servidores identificaram os setores em que melhor aproveitamento do potencial imobiliário. Entretanto, apesar de toda a conjuntura favorável, o turistas constantemente e aproveitar os equipamentos
o Rio tem maior potencial de crescimento: Rio ainda não consegue desenvolver plenamente esse esportivos da Cidade.
2
potencial turístico. Em 2013, o Rio recebeu apenas
• Economia criativa: incluindo audiovisual, design e 1,9 milhão de visitantes internacionais, menos do que a Ainda há importantes barreiras ao turismo a serem
jogos eletrônicos. metade do que Lima recebeu (4,9 milhões) e bastante enfrentadas, como, por exemplo, a questão da segurança
• Turismo: incluindo grandes eventos, turismo de atrás de cidades como Cidade do México (3,4 milhões) e pública. É necessário aumentar a sensação de segurança
negócios e conferências. Buenos Aires (2,7 milhões). e atrair um número considerável de turistas que
hoje não vêm à Cidade por considerá-la insegura. Há
Para que consiga atrair mais turistas e gerar mais consenso, também, que existe a necessidade de melhoria
Economia criativa A vocação do Rio para a economia criativa foi bastante Mesmo sendo uma das principais cidades brasileiras renda para a Cidade, é importante elaborar um plano da qualidade dos serviços oferecidos na Cidade.
enfatizada por diversos especialistas. O Rio possui nesse setor, ainda há um grande potencial de estratégico para o setor com uso de comunicação e a
2
diversas âncoras importantes para a cadeia produtiva, crescimento que pode ser explorado. Enquanto o setor criação de marcas e produtos customizados para os Euromonitor.
como, por exemplo, a Rede Globo, a Rio Filme e criativo emprega cerca de 2,2% da população carioca,
grandes patrocinadores, como Vale e Petrobras. O em Los Angeles cerca de 14% da população está em
ecossistema do Rio para esse setor se desenvolveu atividades associadas ao setor. Além do audiovisual,

Além dos famosos pontos


bastante com uma concentração de mão de obra e subsetores como jogos eletrônicos (ainda incipiente no
talentos em audiovisual, artes e outros subsetores da Rio), design e moda aparecem sempre em destaque.

turísticos, a Cidade passa a ter estrutura


cadeia produtiva.
Iniciativas como o estabelecimento de um polo
1

para eventos esportivos.


O crescimento no número de empresas nesse setor criativo no Porto Maravilha são bem-vindas, mas
O Rio tem foi de quase 70% nos últimos 10 anos, o dobro da não suficientes. A economia criativa carece de um
vocação economia em geral. Além disso, os empregos gerados maior número de profissionais com alto nível de
para a possuem remuneração bem acima da média. Por capacitação, um melhor monitoramento das atividades
economia exemplo, em audiovisual o salário médio é de R$ 5.350 e mapeamento dos seus subsetores (muitos com alto
mensais ante R$ 2.852 em média no Rio. No Brasil, o nível de informalidade), além da regulamentação de
criativa. valor agregado pela indústria criativa cresceu 5,5% novas tecnologias e formas de financiamento.
ao ano, entre 2004 e 2013, contra 3,1% da economia.
1
Atualmente, o PIB criativo já é de R$ 126 bilhões. Mapeamento da indústria criativa no Brasil, dezembro de 2014.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


166 167
Visão Rio 500 Cidade competitiva, inovadora e de oportunidades

O exemplo de Dubai Número de turistas internacionais1 Plano Estratégico


Em milhões do Turismo – 2020
Dubai é um exemplo de cidade que definiu 2011 2012
metas ambiciosas e seguiu um plano 10,9 Turismo médico é o alvo do novo
Dubai
detalhado para se tornar um grande polo 14,3 Plano Estratégico do Turismo
turístico. A cidade elaborou um plano
estratégico para o setor de turismo, que 15,3 Melhorar as instituições médicas
Londres
prevê uma série de iniciativas, como ajustes 18,8 Atrair o turismo médico
na política de vistos, divulgação da cidade Iniciativa do governo
pelo mundo, aumento da conectividade 11,1
Nova Iorque Apoiar a indústria do turismo ao
aérea, atração do turismo médico e 12,3 fornecer infraestrutura, ajustando
expansão da rede hoteleira. a política de vistos e fazendo
marketing da Cidade para o mundo
14,3
Paris
A cidade já vê resultados significativos 16,1 Melhorar a conectividade
de seus esforços no aumento de 30% no Expandir a rede atendida pela
número de turistas de 2012 para 2015 e 1,1 companhia aérea local
Rio de Janeiro
já está em linha com Nova Iorque e Paris. 1,3
Hoje, Dubai já se posicionou como cidade Melhorar a infraestrutura

própria para atividades como compras, Atividades realizadas por turistas, 20122 Dobrar o número de quartos de
hotéis de 80 mil para 160 mil
turismo histórico e praias. Até 2020, a meta
é triplicar a renda anual do turismo para Em percentual Mais hotéis acessíveis para ser
mais atraente a uma base maior
cerca de US$ 82 bilhões. Atrações turísticas 78 de turistas

Construir mais espaços de


Compras 68 entretenimento – anunciados
vários parques temáticos
Sítios históricos 46
Impacto esperado
Praia 41 Atrair 500 mil turistas de turismo
médico por ano, estimulando a
economia em Dh 2.6 bilhões
Atividades guiadas 39 até 2020

Triplicar a renda anual proveni-


Família e amigos 34 Dubai se
ente do turismo para 300 bilhões
de dirhams ($82 bilhões, em abril
posicionou
2013) até 2020
como cidade
Parques temáticos e aquáticos 18 própria para
Fonte: 1 MasterCard2015 Global Destination
diversas Cities Index Duran); 2 Conjunto de visitantes
atividades entrevistados em Dubai entre julho e
Trabalho 14 novembro de 2012 (N=6465).

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


168 169
Visão Rio 500 3.8 Cidade competitiva, inovadora e de oportunidades

Saúde e ciências da Outro setor em que especialistas acreditam que o Financeiro O setor financeiro é um setor bastante atraente
vida Rio tem potencial para avançar muito é o de saúde para a matriz econômica das cidades, uma vez que No setor de gestão de ativos, o Rio tem condições
e ciências da vida. Esse setor é altamente intensivo O desenvolvimento do setor de saúde e é importante para estimular outros setores, gera também de aumentar sua participação já bastante
em pesquisa e desenvolvimento e envolve uma série ciências da vida empregos de alto valor agregado, é pouco poluente relevante: concentra um quarto de todos os recursos
3
de atividades, incluindo farmacêutica, terapêutica e investe pesadamente em tecnologia. Nas últimas sob gestão profissional e abriga mais de 40 instituições
personalizada, células-tronco e medicina regenerativa, Ontario, no Canadá, Israel e Londres são décadas, apesar de o eixo da indústria financeira dedicadas a gestão de fundos de investimentos
imagem e aparelhos médicos, biomateriais, exemplos de locais que estimularam o setor brasileira ter se deslocado para São Paulo, o Rio em participação.
bioinformática, nanotecnologia, serviços de suporte a de saúde e ciências da vida de maneira ativa e mantém um papel protagonista em segmentos
farmacêuticas e instituições de educação e pesquisa. No obtiveram importantes resultados: importantes, como o setor de seguros e resseguros e O Rio possui um papel relevante no setor financeiro e
mundo, o setor tem uma capitalização de mercado de gestão de ativos. pode desenvolver um polo financeiro, apesar da maior
cerca de US$ 6 trilhões e segue crescendo. • Ontario definiu subsetores estratégicos A Cidade concentração do setor em São Paulo. Assim como
e estabeleceu metas para a atração de No setor de resseguros, o Rio tem condições de se Boston e São Francisco têm atividades complementares
é capaz
O Rio já possui O Rio tem uma vantagem competitiva no setor, investimentos, número de patentes e
de fortalecer
tornar um polo de seguros e resseguros da América a Nova Iorque, o Rio pode sim fortalecer os segmentos
pois conta com importantes centros de pesquisa e empregos. Com isso, criou um polo que hoje Latina. Além da presença de atores importantes, como o em que têm maior força no setor financeiro.
importantes conhecimento especializados já instalados na Cidade. possui mais de mil empresas (sendo 143 em alguns Instituto de Resseguros do Brasil (IRB), a Confederação
centros de Muitas empresas farmacêuticas têm atividades no biotecnologia), 66 mil pessoas empregadas e
segmentos Nacional de Seguros, a Superintendência de Seguros
3
Depois dos Jogos – Pensando o Rio para o pós-2016.

pesquisa Rio, em particular em Jacarepaguá; empresas de quase 500 programas de graduação e


no setor
Privados (Susep), o Rio tem grandes empresas que
equipamentos médicos também estão presentes, pós-graduação. necessitam desse serviço, sejam elas financiadoras ou
e conhecimento como a GE Healthcare; e instituições e ensino e financeiro. executoras de obras de infraestrutura (como BNDES),
especializados. pesquisa de ponta, como a Fundação Oswaldo Cruz e • Israel fomentou inovação e empreendedorismo sejam construtoras e operadoras de equipamentos no
o Instituto Vital Brazil, além de universidades, como por meio de empréstimos para pesquisa e setor de óleo e gás e energia.
UERJ, UFRJ, UFF e UENF, que têm departamentos para startups de biotecnologia. Além disso,
focados no estudo de ciências da vida com cursos de o Estado ofereceu isenção fiscal para parte
graduação, pós-graduação e pesquisa. O Rio conta dos investimentos em P&D. Como resultado, Aspirações ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO
também com a BioRio, um polo para apoiar e incubar o país investe cerca de 5% do PIB em P&D,
empresas do setor. criou milhares de startups e é reconhecido A Cidade será o mais O Rio terá cinco aplicações para patentes para cada 10 2050
mundialmente como um centro de excelência importante centro de mil habitantes, nível semelhante aos 10 países com maior
em inovação. geração e uso aplicado de nível de emissão de patentes
conhecimento, onde pesquisa
e inovação atrairão setores de A Cidade concentrará um dos maiores níveis de 2035
• Londres criou uma ampla base de dados de
alto valor agregado investimentos em P&D da América Latina, com relação ao
pacientes de 40 planos de saúde e ofereceu
seu PIB
livre acesso a pesquisadores e empresas.
Além disso, foram investidos £800 milhões O Rio será um polo O setor de economia criativa empregará pelo menos 10% 2050
em cinco centros de pesquisa. Atualmente, internacional da economia dos cariocas
existem mais de 4.500 empresas do setor de criativa (por exemplo, design,
biotecnologia, farmacêutico e equipamentos audiovisual, web, jogos O Rio de Janeiro será o maior mercado desenvolvedor de 2035
médicos, empregando em torno de 165 eletrônicos e novos formatos) games da América Latina
mil pessoas, sendo cerca de 8% do PIB é
proveniente do setor.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


170 171
Visão Rio 500 3.8 Cidade competitiva, inovadora e de oportunidades

O Rio vai mais longe quando


Aspirações ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO o carioca produz melhor
(continuação)
O Rio será o principal O Rio será a cidade com maior volume de turistas 2045 Subtema 2: Desenvolvimento do capital humano
centro de turismo de lazer, internacionais na América Latina
negócios e convivência da
e excelência no processo de trabalho
América Latina Os turistas permanecerão o dobro do tempo na Cidade do 2035
Rio do que o observado em 2015

O Rio se consolidará como o principal destino de eventos 2045 Ponto de partida/ Uma das principais barreiras para o desenvolvimento A perspectiva é de que a população não continuará
internacionais de grande porte na América Latina diagnóstico econômico do Brasil – e no Rio de Janeiro não é a crescer por muito tempo. A tendência demográfica
diferente – é a baixa produtividade do trabalho. O da Cidade do Rio de Janeiro é de envelhecimento
O setor de saúde e ciências O setor de saúde e ciências da vida empregará pelo menos 2065 crescimento do PIB pode vir da margem extensiva, mais rápido do que a média nacional, e isso torna as
da vida será referência 10% dos cariocas O Rio precisa ou seja, do aumento da força de trabalho, ou da melhorias de produtividade ainda mais importantes e a
no cenário nacional e
internacional, atraindo O Rio de Janeiro abrigará a sede de pelo menos 30% das 2065 gerar mais margem intensiva, aumento de produtividade única forma de a Cidade continuar gerando mais renda.
dos trabalhadores. Entre 1990 e 2012, 60% do
empresas e pesquisadores empresas de saúde e ciências da vida no Brasil empregos crescimento da economia brasileira veio do aumento Entre 2003 e 2013, o Rio de Janeiro passou por um
A Cidade continuará sendo a A indústria de energia do Rio de Janeiro manterá uma 2035
formais e da força de trabalho e apenas 40% foram ganhos de importante processo de formalização do trabalho. A
capital nacional do setor de participação relevante no PIB brasileiro em energia capacitar produtividade. A comparação com outros países mostra participação de empregados sem carteira na força de
energia, atraindo atividades
95% da energia elétrica consumida na Cidade virá de 2065
pessoas para que o crescimento da produtividade é um problema trabalho caiu de 21 para 15%. Ainda mais relevante foi
mais relevante no Brasil do que em outros países a queda no diferencial entre os rendimentos recebidos
de maior valor agregado da
fontes renováveis que assumam em desenvolvimento. por trabalhadores com e sem carteira assinada: em
cadeia produtiva da indústria
e fomentando fontes
essas vagas. 2003 um trabalhador sem carteira assinada recebia
renováveis 60% menos que um trabalhador formal. Em 2013, a
Contribuição do aumento de mão de obra e da diferença era de 18%, mais baixa que a média do Brasil,
O setor imobiliário será mais O setor imobiliário representará pelo menos 12% do PIB 2065 produtividade para o crescimento do PIB 1990 4
de 26%. Para melhorar esse quadro da produtividade,
desenvolvido, valorizando os da Cidade o Rio precisa gerar mais empregos formais e capacitar
Contribuição Contribuição
ativos da Cidade e gerando Em 2012
do aumento de do aumento da pessoas para que assumam essas vagas.
emprego e renda mão de obra1 produtividade2

72 60 50 67 9 167
4
Fontes: Pesquisa Mensal do Emprego (PME), IBGE e Índice da
Economia Subterrânea (FGV/IBRE, ETCO; 2014).
Diretrizes Estimular a participação de STEAM (ciências,
n  Estabelecer uma política coordenada para
n 

tecnologia, engenharia, artes e matemática) promoção de turismo e atração de grandes


na economia carioca, atraindo empresas e eventos para a Cidade
pesquisadores para o Rio
28 40 50 33 91
Facilitar investimentos em atividades de alto
n 

Aproveitar a base instalada no setor de saúde


n  valor agregado na cadeia do setor de energia,
e ciências da vida para desenvolver um polo do privilegiando fontes renováveis -67
setor, agregando ainda mais valor México Brasil Chile Índia China Rússia
1
Maior insumo de mão de obra reflete maior população e
mudanças na participação e nos índices de preço;
Desenvolver uma cadeia de economia criativa no
n 
calculado como residual.
Rio, aproveitando o potencial que a Cidade tem de 2
O aumento da produtividade da mão de obra é medido
como PIB real por trabalhador.
atrair pessoas para gerar mais emprego e renda,
em particular nos setores de audiovisual e games Fonte: Banco de Dados sobre a Economia do The Conference Board 2013;
análise do McKinsey Global Institute .

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


172 173
Visão Rio 500 3.8 Cidade competitiva, inovadora e de oportunidades

Segurança e A pavimentação das melhorias nas questões de oferecer de maneira mais adequada serviços como
ordem pública segurança e ordem pública acaba tendo um efeito fornecimento de luz, telefonia, televisão a cabo e gás Educação para o A melhoria do capital humano e da produtividade no 150 profissionais por trimestre (são mais de 1.000
indireto na formalização do trabalho, o que poderá de cozinha. desenvolvimento do Rio de Janeiro passam por uma série de ações que profissionais formados até hoje) para o setor hoteleiro.
têm influência beneficiar significativamente a Cidade. De maneira capital humano envolvem desde a educação básica até programas Alguns são empregados no próprio hotel Windsor e
na geração de geral, a insegurança e a desordem pública dificultam As vantagens da formalização dos negócios ficarão mais de pesquisa aplicada e pós-graduação. A promoção outros acabam trabalhando em outras empresas do setor.
empregos. o acesso de órgãos públicos e empresas. Um dos visíveis aos pequenos empresários e comerciantes, de um maior contato entre institutos de pesquisa e
primeiros fenômenos que aconteceram com a particularmente àqueles moradores de comunidades. setor produtivo e melhorias na educação básica são Além disso, a simples presença de centros de pesquisa
pacificação de comunidades foi a ocupação real do condições mínimas para atender às necessidades do e universidades não necessariamente se traduz
Estado, com a instalação de UPPs, UPAs e outros mercado de trabalho. em inovação e conhecimento aplicado. É preciso
equipamentos para fornecimento de serviços públicos. que academia e setor privado compartilhem mais
Em um segundo momento, as empresas passaram a No entanto, há um contingente de trabalhadores conhecimento.
formados sem as qualidades fundamentais exigidas pelo
mercado. No setor privado, empresas se queixam da
formação da mão de obra, porém investem pouco nos O número de pedidos de patentes
Cultura de A percepção dos cariocas também indica que a cultura Mudar hábitos como esse pode catalisar importantes seus trabalhadores. De acordo com a World Enterprise no Rio de Janeiro é muito baixo
excelência em de prestação de serviços no Rio de Janeiro ainda mudanças e contribuir para a melhoria de Survey, apenas 41% das empresas do Rio de Janeiro quando comparado a cidades inovadoras,
serviços tem muito a melhorar. Especialistas sugerem que a produtividade, da competitividade e do ambiente oferecia treinamento formal a seus trabalhadores em como Seattle, Estocolmo ou Boston
prestação de um serviço com excelência não é tão de negócios. Setores intensivos em serviços, como o 2009. O problema não é exclusivo do Rio. Em São Paulo, Número de pedidos para cada 10 mil habitantes

valorizada no Rio quanto em outras cidades e não sendo turismo, podem se beneficiar muito dessas melhorias. esse número é de 37%.
Rio de Janeiro 1,3
uma prioridade. De acordo com eles, valoriza-se muito
ainda a simpatia e a informalidade, o valor está mais A solução estrutural para o problema é começar a
Copenhagen 3,8
associado a ser acolhedor, alegre e leal. Essa falta de educar melhor a próxima geração de trabalhadores.
valorização da excelência faz com que os empresários Para isso, é importante identificar os problemas com a
Seattle 4,3
tenham dificuldade para contratar bons prestadores de educação atual, mas também ensinar habilidades que
serviços. se tornam cada vez mais fundamentais. Alguns países,
Munique 5,0
por exemplo, têm instituído o ensino de linguagens de
programação, robótica, línguas e empreendedorismo a
Estocolmo 5,7
partir da educação básica.

A formação de profissionais capacitados Um modelo interessante já foi aplicado em algumas


Boston 5,8

depende de uma parceria entre governo


indústrias: as escolas modelo. A rede mundial de hotéis
Stuttgart 6,2
Windsor, por exemplo, criou uma escola de formação

e setor privado.
de pessoal. Os cursos são gratuitos, e a escola forma
Malmo 6,9

São Francisco 7,6

San Diego 9,0

Eindhgoven 22,6
Fonte: Forbes, World’s most inventive cities; Índice de Cidades Empreendedoras (Endeavor).

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


174 175
Visão Rio 500 3.8 Cidade competitiva, inovadora e de oportunidades

A cidade que atrai os olhos do mundo


Aspirações ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO pode atrair muito mais investimento
O Rio se tornará referência na A qualidade do atendimento de serviços do Rio será 2035 Subtema 3: Rio de Janeiro como polo
prestação de serviços através reconhecida como uma das melhores do Brasil de atração de investimentos
da valorização da excelência
nos processos de trabalho

Ponto de partida/ Nos últimos anos, impulsionado pelas Olimpíadas e pela renda e oportunidades. Essas experiências possibilitaram
A Cidade terá uma mão O Rio será um exemplo do aumento de produtividade de 2050 diagnóstico Copa do Mundo, o Rio de Janeiro recebeu investimentos que a Cidade aperfeiçoasse muito sua capacidade
de obra mais produtiva e sua mão de obra dentro da América Latina significativos que viabilizaram grandes obras estruturais de envolver o setor privado em obras voltadas para
capacitada às necessidades de mobilidade urbana e melhoria urbanística. melhorias e, com modelos de financiamento inovadores,
do século XXI, incluindo O Rio pode conseguisse realizar muito mais do que seria possível
melhor formação prática evoluir ainda Apenas em PPPs (Parcerias Público-Privadas, o Rio apenas com recursos públicos.
e tecnológica e maior atraiu mais de R$ 13 bilhões de investimentos diretos
integração entre instituições
mais sua em projetos como a revitalização do Porto Maravilha, Além de atrair investimentos na Cidade, outra forma
de ensino e pesquisa e capacidade obras do VLT, o saneamento na Zona Oeste e o Parque de estimular o crescimento de empresas e da inovação
mercado de trabalho de fazer Olímpico. Além de movimentarem bilhões de reais e é o desenvolvimento de startups. O Rio tem condições
parcerias entre melhorarem profundamente a infraestrutura da Cidade,
essas obras contribuíram para a economia, gerando mais
O trabalho informal será O percentual de empresas e trabalhadores informais será 2050 o público e o O Rio ainda deve melhorar as condições para o
drasticamente reduzido, 10 vezes menor do que em 2015 privado. fomento de startups, para que novas empresas se
garantindo direitos aos desenvolvam
trabalhadores e aumentando Central Park é exemplo
a produtividade Densidade de startups
Esta abordagem pode ser alavancada ainda Número de startups para cada 100 mil habitantes
mais. Nos EUA, parcerias com setor privado
são comuns não apenas para a construção Rio de Janeiro1 35
Diretrizes Promover a formalização de empresas
n  Estimular empresas (e indivíduos) a desenvolver
n 
de infraestrutura urbana, mas também para
e trabalhadores de modo a aumentar a as habilidades profissionais de funcionários (ou a manutenção de espaços públicos. Um San Diego 155
produtividade e garantir mais direitos aos próprias), promovendo ganhos de produtividade exemplo emblemático é o do Central Park,
trabalhadores e melhoria na qualidade dos serviços cujo orçamento é pago quase integralmente Las Vegas 158
(75%) por uma conservancy, instituição sem fins
lucrativos que opera o parque. Em todo o país, São Francisco 162
conservancies mantêm mais de 35 mil hectares
de parques, que recebem cerca de 125 milhões Los Angeles 170
de visitantes anualmente. O modelo não
apenas desonera as contas públicas, como Austin 181
também oferece mais recursos para a gestão
de espaços. Os investimentos por hectare Nova Iorque 197
são 50% maiores do que o gasto em parques
geridos pelo governo. Miami 248
1
A Associação Brasileira de Startups estima que haja 10 mil startups no Brasil
e possui cerca de 1.400 cadastradas. Assume-se que o Rio tem cerca de 7
vezes o número de startups registradas. Assume-se também que as startups
do Estado do Rio estão concentradas na capital.
Fonte: 2015 Kauffman Index; ABStartups.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


176 177
Visão Rio 500 3.8 Cidade competitiva, inovadora e de oportunidades

favoráveis para o desenvolvimento de novas empresas, 5


A Associação Brasileira de Startups estima que haja 10 mil startups O Rio tem
como a concentração de universidades e uma cadeia no Brasil e possui cerca de 1400 cadastradas. Assume-se que o Rio
condições Desafios do Para facilitar e estimular o investimento na Cidade, Muitas das dificuldades do ambiente de negócio
tecnológica de startups crescentes, como incubadoras, tem cerca de 7 vezes o número de startups registradas. Assume-se ambiente de negócio a Prefeitura criou a Rio Negócios. Seu objetivo é do Rio são reflexos de legislação estadual e federal,
aceleradoras e fundos de investimento no setor.
também que as startups do Estado do Rio de Janeiro estão favoráveis aprimorar o ambiente de negócios e fomentar a atração como alguns impostos e legislação trabalhista. Outras
concentradas na capital.
para o de empresas, contribuir para o desenvolvimento dificuldades são específicas do Rio de Janeiro, como a
desenvolvimento
6
No entanto, o Rio ainda possui um número pequeno de 115 novas startups vezes 5 pessoas por startup geram 575 econômico e da imagem do Rio, mapear tendências necessidade de se realizar procedimentos cartoriais e
empregos para cada 100 mil habitantes. Em uma cidade com 6,5
startups quando comparado a outras cidades, como São
Francisco, Los Angeles ou Las Vegas. Enquanto o Rio
milhões de pessoas, o potencial de geração de emprego vai a 37,5 mil. de startups. e vocações da Cidade, produzir informações sobre
oportunidades de investimentos e apoiar investidores.
presenciais e a falta de uma interface única para isso.
Outro obstáculo é a lei de zoneamento da Cidade, que
5
tem apenas 35 startups para cada 100 mil habitantes, Até hoje, a agência já assistiu mais de 5 mil negócios em não está atualizada e não contempla a dinâmica atual
essas outras cidades possuem cerca de 150. Caso o Rio 14 setores da economia. Esses negócios equivalem a dos negócios.
conseguisse atingir níveis semelhantes, poderia gerar aproximadamente US$ 3.5 bilhões investidos e geraram
6
cerca de 40 mil novos empregos. 16 mil empregos. Outra importante barreira para fazer negócios no
Rio é a falta de confiança na fiscalização. Há muita
Entretanto, apesar dos significativos avanços, há uma informalidade e a fiscalização muitas vezes não é vista
A burocracia série de obstáculos e dificuldades enfrentadas por como justa ou eficaz, o que desestimula o empresário
Principais projetos que usaram PPPs ainda atrapalha investidores, empreendedores e pessoas que querem que busca seguir todas as regras, pois ele pode perder

R$ 7,6 bilhões
os negócios. fazer negócios no Rio. O Banco Mundial calcula um competitividade frente a outros. O esclarecimento das
índice de facilidade de fazer negócios, o Doing Business. regras, sua fiscalização e a garantia de que as leis serão
Reestruturação e recuperação de região histórica da Cidade
Porto Se fosse um país, o Rio de Janeiro seria apenas o 108º impostas a todos são fatores muito importantes para
Financiado a partir de Cepacs (venda de direitos de construção)
Maravilha lugar do mundo, enquanto o México (melhor país da conferir a confiança de que o empresário precisa para
América Latina em 2015) está em 38º lugar. se instalar na Cidade.

Esse índice leva em consideração fatores como número Além disso, há falta de clareza na informação, o “passo
R$ 1,2 bilhão de reais investidos a passo” e até as regras não estão claros, gerando
(R$ 625 milhões por meio de PPP)
de procedimentos para registrar propriedades, trâmites
com impostos, facilidade para obter energia elétrica, incertezas que desestimulam investimentos.
VLT 50km de trilhos ligando principais modais de transporte
proteção de investidores minoritários, barreiras ao
200 mil passageiros por dia (estimativa)
comércio, flexibilidade da legislação trabalhista e
outros fatores.

R$ 3,0 bilhões
Ampliação da cobertura de coleta de esgoto de 50 para 80%
Saneamento em 10 anos (e 90% em25 anos)
Zona Oeste Facilidade para fazer México é o 38º lugar no ranking 108º lugar no
global1, 1º lugar na América Latina ranking global1
negócios na América Latina
Índice de Doing Business
do Banco Mundial (países selecionados)
R$ 1,4 bilhão
Construção de equipamentos olímpicos e manutenção das áreas verdes,
Parque vias e redes de infraestrutura
Olímpico Pós-Olimpíadas: áreas utilizadas pelos equipamentos olímpicos

76,5

73,2

71,3

70,4

68,6

65,7

61,2

58,5

57,5

57,1

56,8

47,5
provisórios serão destinadas à construção de empreendimentos
residenciais e comerciais
Fonte: Secretaria Especial de Concessões e Parceiras Público-Privadas (Secpar), Prefeitura do Rio de Janeiro.

Costa Rica
Colômbia

Bolívia
Panamá
Monterrey (México)

Cidade do México

Peru

Uruguai

Rio de Janeiro

Equador

São Paulo

Argentina
1
O ranking do Doing Business é feito para países.
Os países com mais de 100 milhões de habitantes têm
indicadores medidos para as duas principais cidades.

Fonte: 2016 Doing Business (Banco Mundial).

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


178 179
Visão Rio 500

Aspirações ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO

O Rio será a cidade modelo de O Rio de Janeiro será reconhecido como a melhor cidade 2050
ambiente favorável à atração da América Latina para fazer negócios
de investimentos

O Rio possuirá o O Rio de Janeiro será considerado o melhor ecossistema 2035


melhor ecossistema de de empreendedorismo na América Latina
empreendedorismo da
América Latina
A Cidade abrigará 200 startups para cada 100 mil 2035
habitantes

O potencial cultural, O Rio de Janeiro será o principal polo de atração de 2050


histórico, natural e de talentos (brasileiros e estrangeiros) na América Latina
recursos humanos será
utilizado como alavanca
para atrair e reter negócios
e talentos

A Cidade contará com uma A Cidade terá toda sua área urbana coberta por 2035
moderna infraestrutura Wi-Fi gratuito
física e virtual, garantindo
conectividade às pessoas
e empresas

Diretrizes Simplificar e concentrar todos os


n  Melhorar plataforma de comunicação com os
n 

procedimentos necessários para abrir, investidores, garantindo que as informações


fechar e gerir registros de empresas sejam claras e objetivas

Estimular a educação empreendedora


n  Promover campanhas de informação e
n 

e criar outros mecanismos para fomentar, promoção de investimentos no Rio para


atrair e reter startups no Rio potenciais investidores dentro e fora do Brasil,
aproveitando-se do potencial cultural, histórico,
natural e de recursos humanos

WWW.VISAORIO500.RIO
180
Visão Rio 500 3.9 Governança e reinvenção sustentável da máquina pública

Visão Rio 500 – Tema 6 O que a gente espera do Rio


Governança e Reinvenção A gestão da Cidade será reconhecida como a
melhor da América Latina até 2050.
Sustentável da Máquina Pública
Servidor municipal será sinônimo de orgulho e
competitividade para a Cidade até 2035.
O governo terá participação ativa de 90% da
população através de seus canais até 2035.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


182 183
Visão Rio 500 3.9 Governança e reinvenção sustentável da máquina pública
4.4 Visão Rio 500 Alto valor Humano: equidade de Oportunidades e Cidadania

O Rio do
futuro passa
por uma
gestão
WWW.VISAORIO500.RIO
moderna.
VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020
184 185
Visão Rio 500 3.9 Governança e reinvenção sustentável da máquina pública

Introdução Outra importante ferramenta de coordenação criada


em 2014, dentro da PCRJ, foram os chamados Grupos
do que a carta padrão em evitar que devedores de IPTU
entrassem na dívida ativa. Atualmente, três GTTs de
Governança e Reinvenção Sustentável Transversais de Trabalho (GTTs), responsáveis por
executar projetos de curta duração originados a partir
Nudge estão sendo conduzidos, dois em recuperação de
impostos e um para a redução dos casos de tuberculose.
da Máquina Pública de demandas dos chefes de pasta, de forma a gerar mais Em breve, um GTT em Nudge será iniciado para motivar
interações e troca de informações entre diferentes o carioca a não fechar cruzamentos de trânsito.
órgãos. Os projetos abordam temas tais como criação
de um modelo piloto de feedback 360º, criação de índice Prefeitura mais responsiva ao cidadão
Governança é crítica Para que possamos alcançar a Visão Rio 500, Para incentivar o cumprimento das metas do Plano padrão de conservação da Cidade e implantação de
para a entrega da estabelecer uma boa governança é fundamental. Estratégico, o Acordo de Resultados foi criado em projeto de mentoria interno. Com a finalidade de se ter um tempo de reação menor Foram criados
Cidade dos nossos Transformar o sonho do Rio de Janeiro em realidade 2010 e institucionalizado, por força de lei, em 2013. para as demandas e desafios da Cidade, também foram canais diretos
sonhos nos próximos 50 anos é um desafio de toda a sociedade, O Acordo de Resultados é um pacto no qual as metas Fazer mais com menos criados órgãos que visam aumentar a velocidade de
e não apenas da Prefeitura, do setor público ou de um definidas entre o prefeito, por intermédio da Casa Civil, resposta da Cidade e da própria Prefeitura a desafios
de resposta
governo, e envolve a participação do setor privado e da e cada órgão da Prefeitura, atrelam o cumprimento das A Prefeitura também é uma das pioneiras no uso de emergentes no cotidiano carioca. Como exemplos é ao carioca.
população em geral. metas detalhadas anteriormente com o recebimento Big Data e análises avançadas para melhoria de sua possível mencionar o portal 1746, o Carioca Digital, o
de bônus e reconhecimento. Dessa forma, ele é um tomada de decisões. Em 2013, criou o Grupo Pensa, data.rio, o Lab Rio, o Centro de Operações Rio.
A Prefeitura, além de sua função executiva, também importante instrumento de responsabilização não responsável por utilizar grande quantidade de dados
tem o papel de garantir os incentivos e a estrutura de apenas do secretário, mas também dos funcionários, para desenvolver ideias para melhorar a Cidade. Sua O 1746, criado em 2011, é o principal canal de
organização mais adequados, alinhando os atores para pelo desempenho nas metas definidas. O acordo se atuação vai desde o mapeamento das áreas mais comunicação dos moradores da Cidade com a
que participem do planejamento e desenvolvimento da materializa no pagamento de prêmios financeiros para afetadas pela dengue de forma rápida, evitando, Prefeitura. Concentrando aproximadamente mil
Cidade de forma que todas as aspirações e metas do cada funcionário da Prefeitura, que podem chegar assim, mais casos de contaminação, até a coordenação serviços municipais, a Central recebeu até o momento
plano sejam atingidas. a até dois salários a mais por ano para o servidor, inteligente do trânsito, para melhor atender os 14 milhões de ligações. Com capacidade para 300
dependendo dos resultados obtidos. Em 2014, frequentadores da festa de Réveillon de Copacabana, atendimentos simultâneos e 600 mil atendimentos por
Por isso, o tema de governança e reinvenção sustentável foram distribuídos R$ 190 milhões em bônus para os por meio de dados de telefones celulares. mês, o 1746 recebe solicitações via telefone, website e
da máquina pública traz uma reflexão fundamental para servidores públicos por cumprimento de metas do aplicativo mobile. Um importante diferencial da Central
a Visão Rio 500: como o governo pode se reinventar e Plano de Ação e Acordo de Resultados. À semelhança de governos de vários países que estão 1746 é a existência de um prazo de execução dos
qual é a governança necessária para garantir a entrega inovando em metodologia de implantação de políticas serviços oferecidos à população.
de todos os resultados propostos? Para fazer o acompanhamento e monitorar a implantação públicas ao implantar unidades de projetos tipo Nudge
do Planejamento Estratégico, foram criados o Escritório (ou behavioural insights), o Rio de Janeiro deu passos O Carioca Digital, lançado em 2014, integra e facilita
A Prefeitura fez uma série de avanços importantes de Gerenciamento de Projetos (EGP) e o Escritório importantes para a criação de sua própria unidade. o alcance do cidadão aos serviços municipais. A
em sua governança e gestão de Monitoramento de Metas e Resultados (EMMR), Desde o final de 2014, o Rio de Janeiro vem conduzindo ferramenta garante acesso a informações de forma
órgãos vinculados à Secretaria Municipal da Casa Civil. O diversos projetos no tema. O primeiro foi uma carta que customizada e inteligente ao usuário cadastrado,
Desde 2009, a Prefeitura do Rio de Janeiro vem papel deles foi fortalecido desde 2014, com a contratação gerou pagamento adicional de R$ 15 milhões de IPTU a partir da inscrição do CPF e da indicação da
realizando um esforço contínuo para implementar e de mais de 50 analistas de gerenciamento de projetos e em atraso. O segundo foi um GTT (Grupo Transversal geolocalização. No Carioca Digital, a relação é
aperfeiçoar uma gestão de alto desempenho, com o metas, que permitiram acompanhar com maior nível de de Trabalho), que realizou testes com vários modelos muito mais direta, personalizada, com cada cidadão,
objetivo de enfrentar os problemas da Cidade de forma detalhamento as iniciativas estratégicas desenvolvidas nos de cartas para chegar naquele que foi 60% mais efetivo permitindo que sejam construídas informações úteis
estruturada e estratégica. planos anteriores.

Consolidação da cultura de planejamento

Este é o 3º Plano Estratégico realizado em um A Prefeitura é uma das pioneiras


no uso de Big Data e análises avançadas.
intervalo de 8 anos e representa um importante
marco de comprometimento da Prefeitura com um
planejamento de longo prazo e de transparência de seu
foco e do seu esforço.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


186 187
Visão Rio 500 3.9 Governança e reinvenção sustentável da máquina pública

para cada pessoa, com exclusividade. É uma forma de dia, o cotidiano da Cidade. No COR, são executadas 18 meses de duração. Os participantes do PLC geram de gerenciamento fiscal. Em 2009, na busca de um
O Centro de a Prefeitura dialogar constantemente com o cidadão. todas as etapas de um gerenciamento de crise, desde metas individuais que, se alcançadas, podem resultar modelo de PPPs de sucesso, institucionalizou-se o
Operações Rio A plataforma poderá, em breve, avisá-lo através de a antecipação, e preparação, até a resposta imediata em até dois salários adicionais por ano. arcabouço para fomentar as parcerias público-privadas
e-mail ou SMS sobre uma consulta marcada na Clínica às ocorrências, como chuvas fortes, deslizamentos na Prefeitura. Subsequentemente, no ano de 2013,
monitora a da Família, por exemplo. Além das consultas, o morador e acidentes de trânsito. O COR capta imagens de Em 2013, na busca pela excelência do modelo de foi criada e Secretaria Especial de Concessões e PPPs
cidade 24 horas poderá ser informado sobre obras em seu bairro, 560 câmeras instaladas por toda a Cidade e todos A Prefeitura Gestão de Alto Desempenho, a Prefeitura do Rio (SECPAR), onde outros órgãos ficaram subordinados
por dia. mudanças e novidades em todo o Município. os dados são interconectados para visualização,
desenvolve e mapeou cargos considerados estratégicos dentro para se chegar em modelos que possam acelerar as
monitoramento e análise. Na Sala de Crise, é possível da administração municipal e definiu que 70% deles entregas para a sociedade.
O data.rio, portal de Dados Abertos da Prefeitura fazer a comunicação direta com a sede da Defesa Civil. capacita seus deverão ser ocupados exclusivamente por servidores
do Rio de Janeiro, criado em 2014, é a ferramenta O processo permite atuar em tempo real na tomada de colaboradores. efetivos. Até 2016, esse número chegará a 80%. Os Dentro desse contexto de esforço na busca pela
disponibilizada pelo governo municipal para que os decisões e solução dos problemas, concentrando vários titulares desses postos têm metas individuais que melhoria de serviços para a população através de PPPs,
desenvolvedores de aplicativos possam encontrar e órgãos, inclusive os externos à Prefeitura. devem estar sempre alinhadas às estabelecidas para o Saneamento da Zona Oeste, que irá garantir a coleta e
utilizar os dados abertos governamentais, bem como o seu órgão e que também podem resultar em até 2 o tratamento do esgoto para 90% da população em 25
outros da Cidade do Rio de Janeiro. Com quase 15 mil Desenvolvimento dos talentos da Prefeitura salários adicionais por ano. anos, o Parque Olímpico, orçado em R$ 1,4 bilhão e com
arquivos em um site único, com diversas possiblidades finalização prevista para 2016, o VLT Porto-Centro, que
de pesquisa, para estudantes e desenvolvedores de No intuito de melhorar a identificação e capacitação Financiamento e estruturação de PPPs de estima transportar mais de 200 mil passageiros/dia já nos
aplicativos móveis, os dados abertos são organizados de de pessoas e posições-chave para o desempenho da referência primeiros anos, e o Porto Maravilha, maior PPP do Brasil
tal maneira que sua reutilização em aplicativos digitais Prefeitura, foram feitos esforços nos anos recentes com previsão de investimento de mais de R$ 7,6 bilhões,
seja simples. Isso proporciona ao cidadão um melhor para uma importante evolução, com a criação de um A partir de 2009, a Prefeitura tomou uma série de são exemplos de grandes parcerias firmadas pela
entendimento do governo municipal, no acesso aos programa de capacitação e desenvolvimento de líderes medidas, buscando gerenciar suas contas. Medidas Prefeitura que reforçam o seu compromisso com um
serviços públicos, no controle das contas públicas e na e a identificação de cargos-chave para a Prefeitura. como contenção de despesas, pacote com 40 progresso equilibrado e coordenado.
participação no planejamento, desenvolvimento das decretos anunciado no início da gestão anterior;
políticas públicas e melhor conhecimento da Cidade. O Programa Líderes Cariocas (PLC), criado em aumento da receita, projeto que proporcionou um Visão para a “Governança e reinvenção sustentável
2012, visa desenvolver líderes capazes de assumir acréscimo de R$ 140 milhões ao orçamento em da máquina pública”
Em 2014, a Prefeitura do Rio lançou o seu Laboratório as posições estratégicas da Prefeitura. Entre outras um ano; e empréstimo com o Banco Mundial, que
de Participação, Lab Rio, criado para aproximar capacitações de alto nível providas aos mais de 100 possibilitou uma economia de R$ 250 milhões por Para fazer acontecer a Visão Rio 500, a Prefeitura do
o Poder Público dos cidadãos e cidadãs cariocas, Líderes Cariocas, o programa tem sua atuação dividida ano, por conta de menor taxa de juros na dívida, foram Rio deverá ser uma referência em gestão moderna,
experimentando novas formas de participação na em três frentes: desenvolvimento e sucessão de considerados pelas agências de classificação de risco. continuada, inovadora e com foco no cidadão,
gestão municipal. Até agora com três experimentos líderes, processos de liderança e melhores práticas. Por tudo isso, a Cidade foi reconhecida com o grau de fazendo mais com menos sempre.
realizados – Ágora Rio, Imersão e PMUS, o intuito Entre outras capacitações de alto nível providas aos investimento (investment grade) pelas agências Moody’s,
é pensar novas maneiras de incluir todas as mais de 100 Líderes Cariocas, o programa selecionou, Fitch e Standard & Poor’s em 2010, 2011 e 2012
manifestações cidadãs no planejamento e no trabalho em 2015, cinco líderes para estudar na Universidade respectivamente.
das secretarias e órgãos da Prefeitura. de Columbia, em Nova Iorque, realizando o programa
EMPA – Executive Master in Public Administration –, com Para se atingir uma alta capacidade de gestão de
O Centro de Operações Rio (COR), inaugurado em recursos, nos recentes anos, a Prefeitura direcionou
2010, integra 30 órgãos que monitoram, 24 horas por esforços para ter PPPs de referência e um programa

O Rio cria parcerias que reforçam Esse tema está Subtema 1:


Gestão eficiente,
Subtema 2:
Meritocracia e
Subtema 3:
Coordenação
Subtema 4:
Cidadão atuante
organizado nos
o compromisso com um progresso quatro subtemas inovadora e
orientada para
excelência
dentro da
de atores
envolvidos
no meio público
a seguir.
equilibrado e coordenado. resultados máquina pública para melhoria
de ambiente e
serviços urbanos
WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020
188 189
Visão Rio 500 3.9 Governança e reinvenção sustentável da máquina pública

É fundamental amar a Cidade, Um importante tema que vem à tona quando se planejar a cidade de maneira muito mais eficiente. O Rio
O Rio começa a
mas não podemos ser amadores fala em gestão de qualidade é a tecnologia. Com começou a trilhar esse caminho com a criação do Grupo
processar dados
processos de planejamento, controle e entrega cada Pensa, que analisa Big Data, obtendo, por meio de
Subtema 1: Gestão eficiente, inovadora vez mais complexos, a tecnologia se torna uma aliada aplicativos, informações, por exemplo, sobre o tráfego para planejar
e orientada para resultados fundamental e absolutamente necessária para que se nas vias da Cidade. Embora ainda seja uma iniciativa de forma
ganhe velocidade e produtividade no enfrentamento relativamente nova, já é possível, a partir desses dados,
dos desafios que o Rio terá nos próximos 50 anos. analisar padrões de deslocamento nas diferentes partes mais eficiente.
da Cidade e propiciar melhorias para o fluxo urbano.
Este primeiro subtema olha com atenção para a Da forma como a máquina pública municipal é Entre as questões de tecnologia, muito enfoque tem
qualidade da gestão do Município. Apesar dos avanços organizada hoje, há grandes desafios para reunir sido dado à disponibilização e ao uso de informação Na área de saúde, já é possível extrair dados sobre focos
realizados nos últimos anos, a Cidade do Rio de Janeiro diferentes órgãos para cuidar de uma iniciativa em para gestão do território. Cidades inspiradoras, como de dengue no Município por meio de casos reportados
ainda pode aproveitar oportunidades para aperfeiçoar conjunto, cujos problemas requerem ação de mais Helsinki, Londres e Nova Iorque, estão caminhando nos postos de saúde. Esses dados têm grande valor,
seus serviços e processos internos, sempre sob a ótica de um órgão. No entanto, experiências recentes da para um modelo mais transparente, no qual grandes pois a partir da identificação dos focos é possível
do foco no resultado. Prefeitura mostram que as próprias secretarias veem volumes de dados sobre a Cidade são disseminados promover campanhas mais direcionadas e intensificar a
benefícios na possibilidade de formar núcleos de regularmente. Isso garante maior transparência para fiscalização dos agentes.
Para resultados Essa gestão deve começar pelo planejamento, que é trabalho intersetoriais. Um caso internacional famoso os cidadãos. Contudo, ainda mais importante é o uso
fundamental para atingir resultados a longo prazo. é Nova Iorque, que durante a gestão de Michael desses dados para se alcançar uma melhor gestão
a longo prazo, Sem um plano adequado, é impossível determinar se Bloomberg criou um Departamento de Planejamento do território.
é preciso a Cidade caminha para a resolução de seus problemas de Longo Prazo, diretamente subordinado ao prefeito,
planejamento. mais críticos ou se apenas enfrenta problemas de uma para pensar em grandes desafios transversais e garantir Com a capacidade de processamento de dados
forma imediatista e pouco sustentável. coordenação entre os órgãos. aumentando em velocidade vertiginosa, muitas cidades
estão criando unidades para processar esses dados e
A gestão também deve permitir que todos os Outro grande objetivo para a gestão municipal é poder
responsáveis por gerir a Cidade avancem no mesmo atender às regiões da Cidade de acordo com suas
ritmo e não existam lacunas no atendimento ao cidadão. particularidades. As diferentes métricas das regiões
Para proporcionar o desenvolvimento de áreas e vistas nas análises feitas nos demais temas mostram
servidores da Prefeitura, é necessário que se tenha o que a coordenação de toda a Prefeitura é essencial A tecnologia a favor dos cidadãos
controle e acompanhamento dessa evolução. para que se tenha personalização no oferecimento de
serviços, garantindo que se sanem as necessidades de No âmbito do uso de informação e tecnologia de dados regularmente, a partir das quais
cada área em particular. para a gestão do território, diversas cidades os desenvolvedores criaram aplicativos, por
estão utilizando tecnologias inovadoras para exemplo, para monitorar a chegada de ônibus.
se tornarem mais eficientes e oferecer mais
serviços aos cidadãos. Por exemplo, Boston ins­ Vancouver instalou mais de 1 milhão de
talou um sistema com sensores para monitorar medidores inteligentes para ajudar os clientes
É preciso atender a cada o consumo de energia em 350 edifícios, 64 mil a monitorar o consumo e identificar quedas de
lâmpadas de iluminação pública e 3 mil veículos. energia. Com a instalação desses medidores, é
região da Cidade de acordo possível também reduzir o consumo em regiões
Nova Iorque converteu 11 mil telefones específicas. Além disso, todas as construções
com suas particularidades. públicos em hotspots de Wi-Fi, financiados pela novas são obrigadas a instalar dispositivos
exibição de anúncios e sem onerar a gestão inteligentes para medir e reduzir o consumo de
municipal. A Cidade compartilha 1.300 bases água per capita.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


190 191
Visão Rio 500 3.9 Governança e reinvenção sustentável da máquina pública

Aspirações ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO

A Cidade se destacará pela Diferentes secretarias estarão engajadas em questões 2035


qualidade de planejamento, intersetoriais
execução, manutenção e
fiscalização eficientes e pelos
mecanismos de coordenação 90% dos cidadãos estarão satisfeitos com o atendimento 2035
intersetorial direto

Gestão será de alto Ter 100% dos processos digitalizados 2030


desempenho com processos
eficientes, desburocratizados,
adequados às necessidades Ter 100% dos projetos com avaliação de impacto realizada 2050
locais, digitalizados e com
avaliação contínua de
impacto e efetividade

Uma gestão
Tecnologia será usada de Estar entre as cinco primeiras posições no ranking mundial 2035
modo criativo para criar de smart cities da Forbes
soluções atualizadas e
pioneiras, que atendam às
necessidades de gestão e
operação da Cidade

Diretrizes Garantir articulação, eficiência e


n

complementaridade entre os bancos de dados


setoriais
nContinuar gestão de alto desempenho da
Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro através
de criação de metas, iniciativas e indicadores
compartilhados entre diferentes secretarias e
eficiente leva
o Rio para o
Fomentar cultura de planejamento, manutenção e
n
regionalizados, que permitam a gestão do Plano
fiscalização na Cidade Estratégico 2017-2020

nGarantir gestão moderna através da


Promover mais oportunidades para que
n
disseminação de cultura de utilização do meio
diferentes secretarias façam gestão
digital e do uso da massa de dados disponíveis
compartilhada de iniciativas intersetoriais

192 WWW.VISAORIO500.RIO
rumo certo.
VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020
193
Visão Rio 500 3.9 Governança e reinvenção sustentável da máquina pública

Uma boa administração começa A continuidade de gestores após a troca de ciclos


com servidores motivados e satisfeitos políticos também é tema central para um corpo
de servidores sólido e com autonomia garantida.
Subtema 2: Meritocracia e excelência Mudanças justificadas por vontade políticas não podem
dentro da máquina pública prejudicar o ciclo de planejamento e comprometimento
com entrega de qualidade da PCRJ.

O dimensionamento adequado de cada área e time da


O segundo subtema busca mostrar a importância do O Programa Líderes Cariocas ajudou na identificação PCRJ é também tema que pode experimentar melhorias
servidor público da Prefeitura. Para fornecer sempre de talentos e, consequentemente, na movimentação para que recursos públicos possam ser empregados
um serviço da mais alta qualidade para o cidadão, a deles. De 2012 a 2015, quase 50% dos Líderes Cariocas de forma mais eficiente e para que servidores possam
capacitação dos servidores é um ponto central. Sem um tiveram movimentação ascendente dentro da Prefeitura. alcançar o máximo de sua produtividade.
capital humano capacitado, existe uma grande dificuldade
de levar a cabo as políticas públicas e os serviços de que a Apesar dos avanços realizados pela Prefeitura nos
Cidade precisa para alcançar sua visão de longo prazo. últimos anos com o Programa Líderes Cariocas e a
identificação de Cargos Estratégicos, percebeu-se que é Movimentações dos atuais LCs desde o início do programa
Um estudo feito entre os servidores da Prefeitura necessário investir ainda mais na formação do servidor
mostrou que, em 2021, mais de 50% dos servidores e principalmente no fortalecimento de uma cultura
ocupando cargo de liderança poderão se aposentar. Fica de mérito, que pode começar já durante a seleção do
evidente a grande necessidade tanto de qualificação de candidato para o cargo que potencialmente ocupará. 100%
novos talentos quanto de transmissão de conhecimento
entre os servidores mais experientes e os mais novatos.

49% 35% 11% 5%


Servidores concursados que nos últimos 5 anos Ascendente Lateral Descendente
ocuparam cargos de liderança que poderão se aposentar Sem movimentação
Fonte: FJG.
64%
60%
57%
53%
49%

É preciso investir ainda mais


44%
40%
34%

na formação dos servidores


do Município.
2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023 2024

Fonte: FJG.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


194 195
Visão Rio 500 3.9 Governança e reinvenção sustentável da máquina pública

No Chile, novo modelo de seleção para altos cargos públicos diminuiu interferência política e melhorou performance
Aspirações ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO
Situação inicial O que foi feito? Resultados

Em 2003 o país enfrentou escândalo Em 2004 criou-se o Sistema de Alta Dirección Existência do Sistema torna mais Servidores públicos serão Ter a profissão de servidor público da Cidade como uma 2050
de superfaturamento de obras Pública: sistema integral que contempla a seleção, difícil colocar gestores em cargos fonte de competitividade das cinco mais admiradas pela população carioca
formação, avaliação e desenvolvimento dos altos apenas por interesses políticos e orgulho para a Cidade,
públicas e desvio de dinheiro para
executivos do setor público
financiar campanhas políticas e É comum gestores públicos chilenos com carreira e liderança
Seleção de servidores do alto escalão é similar ao permanecerem no cargo mesmo após independentes do ciclo
subornar funcionários do governo
setor privado: mudanças de poder político, selecionados,
• Realização de inscrições
Deputados cobravam propina de Sistema permitiu incluir os avaliados e reconhecidos
• Triagem de currículo
empresários em troca de ajuda para adversários do governo na escolha por mérito, capacitados
• Entrevista com membros do conselho
vencer licitações
• Lista com 3 a 5 candidatos dos executivos de alto escalão para cumprir seu dever e
• Ministro ou presidente realizam seleção final Governo ainda pode escolher organizados de forma enxuta
“O povo chileno tem uma incrível gestores sintonizados com sua linha de e adequada às necessidades
Integrantes do conselho têm experiência em cargos
capacidade de se escandalizar. Por na gestão pública chilena ou em órgãos internacionais atuação, mas Sistema impede que
isso, no Chile, as crises produzem pessoas desqualificadas ocupem
Executivos têm dedicação exclusiva e mandatos de
consensos políticos que resultam cargos importantes
três anos, podendo ser renovados até duas vezes por
em reformas.” igual prazo Em 2014, diretores de escolas Diretrizes nEstabelecer mecanismos efetivos de coordenação nAtingir excelência na qualificação de seus
Francisco Longo, professor de gestão pública Convênio de desempenho é firmado entre executi- públicas e secretários municipais de entre municípios da área metropolitana servidores através do desenvolvimento de
da escola de negócios Esade de Barcelona vos que incluem metas estratégicas anuais, indica- educação também passaram a ser certificação externa
dores e meios de verificação selecionados dessa forma nPossuir equipe de servidores de alto desempenho
Fonte: Servicio Civil, Gobierno de Chile e Revista Exame. na Prefeitura através de atração, seleção,
treinamento, avaliação e reconhecimento de
profissionais de ponta
Cingapura conseguiu atrair, desenvolver e reter grandes talentos ao fazer mudanças significativas no seu ambiente de trabalho

Remuneração receba os devidos treinamentos. Os funcionários públicos


O funcionalismo público de Cingapura recebe salários ganham 100 horas de treinamento por ano. Cada funcionário
competitivos no mercado, com base em benchmarks em recebe orientação individual sobre quais programas deverá
relação ao setor privado. cumprir, sendo que os profissionais de alto desempenho
são priorizados nas oportunidades de desenvolvimento
Meritocracia de liderança, tais como rodízios entre departamentos e
A remuneração e as promoções são amplamente baseadas em treinamento especializado em liderança.
desempenho. Uma vez por ano, os supervisores se reúnem
com o pessoal individualmente para avaliar o desempenho, Envolvimento dos funcionários
reportando o resultado da avaliação aos funcionários e Cingapura enfatiza a importância do serviço público e
oferecendo orientação sobre como obter uma promoção. estabelece o trabalho dos servidores públicos da cidade
Os profissionais recebem uma marca de “potencial estimado como um “dever”. Supervisores, gerentes e outros líderes
atualmente”, que prevê sua carreira e a velocidade dos avanços do governo destacam a noção de dever para motivar os
com base nas capacidades e na personalidade. servidores públicos da linha de frente.

Treinamento e desenvolvimento
Os órgãos do governo recebem um orçamento para
treinamentos, e é sua responsabilidade assegurar que o pessoal Fonte: “How to make a city great” - McKinsey.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


196 197
Visão Rio 500 3.9 Governança e reinvenção sustentável da máquina pública

Juntos, a gente faz uma cidade mais forte


Aspirações ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO
Subtema 3: Coordenação de atores envolvidos
para melhoria de ambiente e serviços urbanos A Cidade será protagonista A Baía de Guanabara estará completamente despoluída 2035
na mobilização para
enfrentamento de desafios
no âmbito metropolitano, O sistema de transporte metropolitano será reconhecido 2035
tais como transporte, saúde como o melhor do mundo
O Rio tem papel O terceiro subtema tem como foco as relações entre a Além disso, para superar desafios de forma rápida e despoluição de nossas
Prefeitura e demais atores do setor público e privado e direta, parcerias com o setor privado têm grande
central no e suas consequências para os cidadãos dos diversos importância para a Cidade. As PPPs se mostram um
águas, com benefícios
compartilhados, liderança
enfrentamento municípios da região metropolitana do Rio. Por envolver meio alternativo relevante de entrega de serviços, efetiva e fóruns participativos
de desafios partes externas à Prefeitura, o esforço de contato e seja por possuírem um histórico sólido de entrega
coordenação de empresas, organizações sociais, outras com relação ao cronograma e orçamento ou pelo fato
que extrapolam esferas de governo e outros municípios é naturalmente de transferirem certos riscos para o setor privado Os recursos públicos serão Ser referência mundial em estabelecimento de PPPs 2035
seus limites maior e deve ser olhado com especial atenção. e fornecerem incentivos para que os ativos sejam usados de forma racional,
municipais. mantidos adequadamente. apoiados por boa gestão de
Há temas da Cidade que não se limitam às fronteiras do parcerias com setor privado
Município, exigindo coordenação entre autoridades de As parcerias com Organizações da Sociedade Civil e organizações da sociedade
diferentes prefeituras, aumentando a complexidade do também se mostram relevantes e têm grande potencial civil para entregar serviços de
desafio. Por exemplo, a poluição da Baía de Guanabara para ajudar o Rio de Janeiro do futuro a manter um excelência para o cidadão
não pode ser resolvida apenas com a universalização do nível de serviço elevado para seus cidadãos. Exemplos
saneamento no Município do Rio de Janeiro, uma vez na conservação ambiental e na avaliação dos serviços
que depende da colaboração de outros municípios no do governo mostram que as Organizações da Sociedade
tratamento de seu esgoto. Civil podem auxiliar o Rio na superação de seus desafios
e na construção da cidade dos sonhos.
Mobilidade é outro tema relevante a ser tratado
Parcerias com o na esfera metropolitana, uma vez que o fluxo de
pessoas entre o Rio e municípios vizinhos é intenso.
setor privado Entretanto, atualmente, os mecanismos para tratar Parceria de sucesso
e Organizações desse tema ainda são incipientes. A criação da Câmara
Liderar a discussão intermunicipal para prover Fomentar as ações de melhoria de modelo
da Sociedade Diretrizes n n
Metropolitana de Integração Governamental é um Um modelo de parceria bem-sucedida nos
primeiro passo no sentido de coordenar as discussões EUA são os Business Improvement Districts apoio a municípios vizinhos e beneficiar de parcerias com setor privado através do
Civil entre os municípios da região metropolitana e (BIDs), que consistem na gestão de áreas mutuamente toda a região metropolitana monitoramento explícito de desempenho
têm grande solucionar problemas que transcendem o Município. como a Times Square, em Nova Iorque, por funcional e financeiro de acordos existentes,
importância empresários que estão estabelecidos no criação de núcleos de estudos, congressos
na área e expansão de modelos de sucesso
para a Cidade. Como capital e maior potência econômica do Estado, local. Os objetivos dos empresários e da
existentes
o Rio de Janeiro tem papel central no enfrentamento gestão pública estão alinhados, uma vez
de desafios que extrapolam seus limites municipais. Ao que os empresários veem seus imóveis se
assumir seu papel de líder da região metropolitana, a valorizarem sempre que a região estiver
Cidade do Rio se posiciona de modo condizente para segura, limpa e atraente para o público. A
fazer com que o Município e seu entorno avancem, gestão através de BIDs abrange serviços como
melhorando a qualidade de vida de uma população de coleta e tratamento de resíduos e fiscalização,
mais de 12 milhões de pessoas. e já é responsável pela transformação de
muitas áreas além da Times Square.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


198 199
Visão Rio 500 3.9 Governança e reinvenção sustentável da máquina pública

Berlim faz uso de portal on-line para possibilitar a participação pública


O carioca é quem manda Abordagem Modificação do Plano do Uso de Terras de Berlim
Subtema 4: Cidadão atuante no meio público Berlim publica informações sobre Planejamento de Uso do Solo – Berlim
mudanças pendentes no portal on-line
Participação pública / Modificações recentes do Plano de Uso do Solo
Plano de Uso de Terras de Berlim
Participação pública
Dê sua opinião!
Um mapa interativo mostra onde 21/05/2012 até 22/06/2012
estão as propostas e em que ponto
Cada uma das modificações está em um estágio diferente.
se encontram no processo
Use o mapa ou o link no lado direito, abaixo de “hint”
de modificação
para olhar as fichas de modificação.
O último subtema da visão de governança e reinvenção para garantir que as políticas municipais caminhem em
sustentável da máquina pública busca garantir e linha com as principais demandas da população. Ao clicar em um dos ícones, o Primeira fase (inicial)
cidadão poderá acessar mapas de participação pública
comunicar que o cidadão é o foco do trabalho da detalhados e um texto explicando (procedimento padrão 1
Prefeitura, que por sua vez busca desenvolver um A Prefeitura também enxerga uma oportunidade na a proposta, além de poder de modificação)
enviar feedback
relacionamento transparente e ativo. O principal simplificação dos serviços oferecidos para o carioca,
6
objetivo é aumentar o engajamento popular na de forma que cada membro da sociedade possa ver
Segunda fase, amostra
definição da agenda da Cidade, tornando o cidadão o governo da Cidade como um provedor de serviços pública do esboço do plano
2
corresponsável pela gestão da Cidade. profissional e parceiro no desenvolvimento de (procedimento padrão e 4
simplificado de modificação) 3
atividades que irão beneficiar todos os habitantes do
A Prefeitura Mesmo com os recentes avanços nos fóruns de Rio de Janeiro. 5
engajamento da sociedade, tais como o Conselho da
busca desen- Cidade e Conselho da Juventude, a Cidade acredita O aumento da velocidade com que ocorrem mudanças
Publicação das modificações
se tornando efetivas
volver um que é possível progredir ainda mais na construção de nas grandes cidades impacta diretamente a rapidez com
rela­cionamento seu relacionamento com o cidadão e escutá-lo cada que mudam as necessidades de seus cidadãos. Nesse Fonte: Departamento de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente do Senado de Berlim.

vez mais para desenvolver um governo com amplo sentido, uma governança bem-sucedida é aquela que
transparente envolvimento da sociedade. Desse modo, é importante consegue adaptar as capacidades da Cidade de forma
e ativo com criar formas de participação popular mais sistemáticas e a acompanhar esse ritmo e não deixar que serviços
Chicago coleta e compartilha on-line dados públicos sobre a gestão
o cidadão. não apenas fóruns esporádicos. e práticas da Prefeitura fiquem obsoletos e, como
da cidade e implementação do Plano Estratégico
Impacto

consequência, pouco úteis para o cidadão. Permite o acesso de órgãos


A consulta popular é uma ferramenta importante Situação Intervenção de imprensa, funcionários do
governo e cidadãos interessados
para garantir a legitimidade das ações do governo. As Necessidade de um checklist União de agência de planejamento e fundação comunitária para a mais de 20.000 conjuntos de
subprefeituras, que têm maior contato com os cidadãos, constante para a implementação criação do MetroPulse (2010) para fornecimento de dados com o dados em mais de 200 indicadores
do Plano GO TO 2040 apoio de mais de 200 organizações e especialistas diferentes que monitoram
podem liderar novas formas de engajamento popular questões quantificáveis
GO To 2040: um plano para MetroPulse é um site customizável que fornece dados detalhados
ajudar a cidade de Chicago a criar sobre o tema que molda a sustentabilidade das comunidades de Compila, padroniza e dissemi-
uma prosperidade sustentável, Chicago, com dois principais objetivos: na dados que quantificam muitos
até 2040, incluindo comunidades aspectos da vida em Chicago
sustentáveis, maior capital Ajuda a reverter as tendências
humano, governança eficiente e Progresso: Datawarehouse: Criar uma prejudiciais de insustentabilidade
mobilidade regional Monitorar a implementação abrangente ferramenta web e aumenta gradativamente a
Necessidade de resolver o do status do "GO TO 2040" para os responsáveis pela prosperidade e sustentabilidade
dilema de visualização de dados tomada de decisões e o público
de Chicago "Enquanto a CMAP
determina os objetivos de
interesse, o MetroPulse
informa como estamos
nos saindo em relação
aos objetivos."
Andrew Williams-Clark,
Planejador sênior da CMAP

Fonte: MetroPulse.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


200 201
Visão Rio 500 3.9 Governança e reinvenção sustentável da máquina pública

Aspirações ASPIRAÇÕES ONDE CHEGAREMOS ANO

A Cidade disponibilizará A Cidade do Rio de Janeiro será reconhecida como uma 2035
serviços em diversos canais das que utilize canais mais modernos e eficientes para
integrados, abrangentes, comunicação com seus cidadãos
acessíveis, amigáveis e
cômodos à população

Engajamento da população 80% da população será ativa nos canais de comunicação 2035
será amplo na administração da Prefeitura
da Cidade com uma
prefeitura que sabe escutar,
disponibilizar informações de
forma transparente, simples
e ágil, conduzindo diálogo
contínuo com a sociedade

Diretrizes Oferecer mais informação sobre a Cidade e de


n nIncentivar engajamento da população na
forma mais frequente para os cidadãos administração da Cidade através da inclusão
digital, promoção de plataformas já existentes,
uso de múltiplos canais de comunicação e
fomento à criação de soluções de engajamento

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


202 203
Plano Estratégico
2017-2020

Nosso plano
é ver o Rio
pronto para
o amanhã.
Plano Estratégico 2017-2020 4.1 Introdução

Com este Plano, o Rio de Janeiro


Metas Resultados esperados: impacto que se espera
n

estará preparado para o futuro. Estrutura do Plano alcançar com a implementação da iniciativa.
Estratégico Detalham os objetivos táticos a serem perseguidos
em cada área de resultado, em alinhamento com as Alinhamento com metas: meta(s) da área de
n

O Plano é estruturado diretrizes. No anexo “Tabela de Metas”, é possível resultado associada(s) à iniciativa estratégica. Em
ao redor dos mesmos consultar todos os detalhes de cada meta – seu alguns casos, iniciativas estruturantes não estão
seis temas da Visão. desdobramento ano a ano, fontes de informação, associadas a metas específicas, mas sua realização
Introdução O Plano Estratégico 2017-2020 é um documento central Para tornar esse Plano ainda mais relevante e efetivo, Para cada um valores de referência e fórmula de cálculo. está alinhada às diretrizes e viabiliza uma mudança de
das boas práticas de gestão adotadas pela Prefeitura da a Prefeitura adicionou uma série de inovações. desses temas, foram paradigma naquela área de resultado.
Cidade do Rio de Janeiro, que através de coordenação da Entre elas, podemos destacar a transversalidade das definidas metas a Iniciativas estratégicas
Casa Civil e intensa mobilização das demais secretarias iniciativas, que foram construídas com o trabalho serem cumpridas Orçamento: contempla o custeio e o investimento
n

e órgãos públicos consegue definir os principais projetos conjunto de diversas secretarias, para que a Prefeitura entre 2017 e 2020 e Traz as ações práticas que, em conjunto, permitirão requeridos pela iniciativa para o período de 2017 a
que deverão ser implantados ao longo dos próximos possa atender o cidadão de maneira completa, se iniciativas estratégicas. às áreas de resultado perseguir as metas propostas. 2020, detalhando a parcela a ser desembolsada pela
4 anos. Esse planejamento já acontece há dois ciclos preocupando não em como os órgãos públicos estão Encontra-se a seguir Para padronizar o detalhamento das iniciativas e Prefeitura (fontes próprias) e a parcela obtida ou a ser
políticos e se encontra institucionalizado dentro da organizados, mas sim em como as pessoas receberão permitir ao leitor entendimento sobre o escopo de obtida através de fontes externas, como concessões,
uma descrição desses
Prefeitura através dos Escritórios de Gerenciamento de os serviços. atividades proposto, serão apresentadas as seguintes PPPs, empréstimos e repasses.
elementos do Plano
Projetos e de Monitoramento de Metas e Resultados, Estratégico. informações:
subordinados à Casa Civil. Indicadores de desempenho: indicadores a serem
n

Situação atual: ponto de partida da Cidade no tema


n
acompanhados para avaliar o andamento da iniciativa
coberto pela iniciativa estratégica e pelas motivações durante sua fase de implementação.
para sua implementação.
Grandes marcos – cronograma: principais marcos de
n
Temas Descrição: detalhamento do escopo da iniciativa,
n
implementação da iniciativa.
apresentando, quando necessário, as frentes de
trabalho que a compõem e a área de cobertura.

Subtemas

Metas

Iniciativas

Linhas de ação

Marcos Indicadores

WWW.VISAORIO500.RIO
208 VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020 209
Plano Estratégico 2017-2020 4.2 Resumo do Plano

Resumo do Plano: ações que vêm pra ficar TOTAL ORÇAMENTO (R$ BILHÕES)

O Plano Estratégico 2017-2020 tem 59 iniciativas e 68 metas, divididas entre os seis temas definidos na Visão,
conforme quadro a seguir.
Alto Valor Humano: Equidade 6,0
6,0
de Oportunidades e Cidadania 0

Metas e iniciativas INICIATIVAS METAS

Rio de Janeiro: Fonte de Bem-estar, 2,4


2,4
Qualidade de Vida e Dignidade 0
Alto Valor Humano: Equidade
de Oportunidades e Cidadania 9 11

Cidade Verde, Sustentável 0,9


4,5
e Resiliente 3,6
Rio de Janeiro: Fonte de Bem-estar,
Qualidade de Vida e Dignidade 12 18

Território Conectado, Integrado 10,0


19,2
e Democrático 9,2
Cidade Verde, Sustentável
e Resiliente 12 12

Cidade Competitiva, Inovadora 0,5


0,9
e de Oportunidades 0,4
Território Conectado, Integrado
e Democrático 11 11

Governança e Reinvenção 0,3


0,4
Sustentável da Máquina Pública 0,1
Cidade Competitiva, Inovadora
e de Oportunidades 5 8

20,1
TOTAL 33,4
13,3
Governança e Reinvenção
Sustentável da Máquina Pública 10 8

Fontes próprias Fontes externas

TOTAL 59 68
INICIATIVAS METAS

WWW.VISAORIO500.RIO
210 VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020 211
Plano Estratégico 2017-2020 4.2 Resumo do Plano

O Planejamento Estratégico 2017-2020 está O Plano Estratégico concentra 66% de seus A tabela a seguir apresenta a lista de todas as iniciativas do plano estratégico atual, divididas por tema.
inicialmente orçado em R$ 33,4 bilhões, sendo R$ 20,1 investimentos nas Áreas de Planejamento AP 3 e AP 5,
bilhões em fonte própria ou dívidas e R$ 13,3 bilhões consideradas as mais necessitadas.
em investimento externo (PPP ou concessão). Desse
total, 87% do recurso é previsto para investimentos e
está distribuído nos 4 anos, conforme quadro a seguir.

Alto Valor Rio de Janeiro: Cidade Verde, Território Cidade Governança


Humano: Fonte de Sustentável Conectado, Competitiva, e Reinvenção
Gastos no Plano Estratégico
Equidade de Bem-estar, e Resiliente Integrado Inovadora Sustentável
Oportunidades Qualidade de e Democrático e de da Máquina
R$ Bilhões e Cidadania Vida e Dignidade Pública
Investimento Oportunidades
90%
2017 3,3 Custeio
10%
1.01 – Primeira Infância 2.01 – Saúde Presente 3.01 – Projeto Praça- 4.01 – Viver no Centro 5.01 – Desenvolvimento 6.01 – Rio Grau de
Carioca Bosque Econômico Carioca Investimento
93%
2018 7,8 1.02 – AlfabetizaRio 2.02 – Governança Clínica 3.02 – Florestas Cariocas 4.02 – Reintegração de 5.02 – Rio Cidade Criativa 6.02 – Orçamento Base
7%
Hospitalar Centralidades de Alto Zero
Potencial
92%
2019 12,0 1.03 – Escola em Foco 2.03 – Rio Sempre 3.03 – Roça Carioca 4.03 – Rio Capital dos 5.03 – Rio Destino Global 6.03 – Gestão de Alto
8%
Olímpico Parques Desempenho 3.0

77% 1.04 – Escola de Formação 2.04 – Escola Sabor Saúde 3.04 – Expansão do 4.04 – Rio Capital das 5.04 – Rio Mais Fácil e 6.04 – Gente de Excelência
2020 10,4
23% do Professor Carioca Saneamento Bicicletas Atrativo aos Negócios

1.05 – Escolas do Amanhã 2.05 – Vida Longa Carioca 3.05 – Sustentabilidade 4.05 – Rio Mobilidade 5.05 – Rio Excelência em 6.05 – Autoridade Pública
87%
Total 2017-2020 33,4 Hídrica – Transporte Eficiente e Capital Humano Metropolitana – Baía de
13% Confortável Guanabara

1.06 – Programa Aluno 2.06 – Rio Cidade Amiga 3.06 – Mais Praias 4.06 – Rio Mobilidade – 6.06 – Captar para
Presente do Idoso Expansão de Corredores Progredir

Distribuição orçamentária do Plano Estratégico 1.07 – Territorialização do 2.07 – Territórios Sociais 3.07 – Programa de Gestão 4.07 – Morar Carioca – 6.07 – Escutar para
por área de planejamento Fomento à Cultura de Resíduos Sólidos Urbanização Governar

1.08 – Recultura 2.08 – Todo Jovem é Rio 3.08 – Rio Construção 4.08 – Rio Carioca Local e 6.08 – Programa Gestão
2017-2020
Sustentável Produção Habitacional Fiscal Integrada – GICOF
AP 3
38% 1.09 – Cultura de Paz 2.09 – Direito à Cidade 3.09 – Iluminação Pública 4.09 – Rio Espaço Público 6.09 – Rio sem Desvios
Eficiente Completo
AP 1
AP 5 9% 2.10 – Cartão Família 3.10 – Controle de 4.10 – Bairro Maravilha: 6.10 – Rio Cidade
28% Carioca 3.0 Alagamentos Zonas Norte e Oeste Planejada
AP 4 AP 2
18% 7% 2.11 – Jovem na Medida 3.11 – Controle de 4.11 – Viver Vargens
Enchentes – Rio Acari

2.12 – Convivência Pública 3.12 – Rio Resiliente


Harmoniosa

WWW.VISAORIO500.RIO
212 VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020 213
Plano Estratégico 2017-2020
Tema 1
Alto Valor Humano:
Equidade de Oportunidades
e Cidadania
11 metas
9 iniciativas
R$ 6,0 bilhões (2017-2020)
Metas / Tema 1
Alto Valor Humano: Equidade de Oportunidades e Cidadania

Subtema 1: Promoção de um início de vida M7


saudável e protegido para todos os cariocas Reduzir o abandono escolar em 25% até 2020

M1 M8
Aumentar em 10% o número de crianças alcançando Reduzir a reprovação por frequência no 1º e 2º anos do
desenvolvimento infantil adequado segundo a Ensino Fundamental em 50%, até 2020
Organização Mundial da Saúde até 2020
Subtema 3: Cultura como promotora da
M2 cidadania
Ampliar em 30 mil as vagas de Educação Infantil até 2020
M9
M3 Triplicar o número de ações com impacto territorial
Garantir que todos os alunos, ao final de cada ano do Ciclo apoiadas, garantindo que, em 2020, a totalidade dos
de Alfabetização, estejam no nível adequado em Leitura e bairros da Cidade tenha sido contemplada com fomento,
em Matemática, segundo o padrão definido pelo MEC até programação, formação ou bases de produção cultural e
2020 artística

M4 M10
a) Ter o IDEB da Rede Pública Municipal igual ou superior Ter 50% dos equipamentos culturais municipais
a 6,5 para os Anos Iniciais, e nenhuma escola com IDEB qualificados segundo parâmetros de excelência em
abaixo de 4,8 até 2020 programação, acessibilidade, diversidade e tecnologia até
b) Ter o IDEB da Rede Pública Municipal igual ou superior 2020
a 5,7 para os Anos Finais, e nenhuma escola com IDEB
abaixo de 4,0 até 2020 Subtema 4: Cidade modelo de respeito ao
próximo e à diversidade
M5
a) Reduzir o percentual de distorção idade/série da Rede M11
Pública Municipal em 40% nos Anos Iniciais, até 2020 Ter 100% da Rede com o Programa de Cultura de Paz
b) Reduzir o percentual de distorção idade/série da Rede implantado até 2020
Pública Municipal em 20% nos Anos Finais, até 2020
O Subtema 2: Exemplo de Preparação no Século XXI não
M6 será explicitamente tratado no Plano Estratégico uma
Todos os alunos da Rede Pública Municipal encerrarão vez que o Ensino Médio, Universitário e Técnico no Rio
seu ciclo de Ensino Fundamental estudando em Tempo de Janeiro, são de responsabilidade de outras esferas de
Integral até 2020 Governo (Estado/União). A Juventude será abordada no
tema Rio de Janeiro: Fonte de Bem-estar, Qualidade de
Vida e Dignidade.
Plano Estratégico 2017-2020 4.3 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

Iniciativa 1.01
Primeira Infância Carioca

O que é: Programa Situação atual encontrada Descrição da iniciativa R$ Milhões Fontes próprias Fontes externas Total PRINCIPAIS MARCOS
integrado de atenção à estratégica 07/2017 – Protocolo Único Intersetorial definido,
Desde 2009, a Prefeitura do Rio de Janeiro Custeio 5,5 0,0 5,5
primeira infância incluindo o Plano de Desenvolvimento Integral
optou por investir na primeira infância, Programa de articulação entre as ações Individualizado e o Plano de Acompanhamento
Investimento 8,0 2,5 10,5
buscando disponibilizar serviços para crianças desenvolvidas pela SMS, SME e SMDS no Sociofamiliar.
Subtema: Promoção de 0 a 5 anos e 11 meses e suas famílias âmbito do atendimento a gestantes e crianças Total 13,5 2,5 16,0 12/2017 – Sistema de Informações Integrado
de um início de vida que permitam equiparar oportunidades de 0 a 5 anos e 11 meses, do Município do Rio de Monitoramento do Desenvolvimento Infantil
saudável e protegido de desenvolvimento infantil e prevenir de Janeiro. A execução desse programa está implementado.
para todos os cariocas algumas das causas estruturais da pobreza. pautada nas seguintes linhas de ação: 01/2018 – Projeto piloto implementado.
Nesse sentido, é possível destacar diversos iv) Comunicação: Resultados esperados
resultados das políticas adotadas, entre eles: i) Gestão do programa: 06/2018 – Programa expandido para outras áreas
cobertas pela Estratégia de Saúde da Família.
mais 40 mil novas vagas em Educação Infantil, –P  lano de Governança entre secretarias nos – Plano de comunicação interno e externo – Ter todas as crianças de 0 a 5 anos
expansão da Estratégia de Saúde da Família, níveis central, regional e local. “Fase 1”. e 11 meses, nas áreas cobertas pela
INDICADORES
implementação do Cartão Família Carioca –S  istema de Informações Integrado de Estratégia de Saúde da Família, plenamente
para famílias mais vulneráveis e expansão das Monitoramento do Desenvolvimento Infantil. – Programa de Educação Massiva – “Fase 2”. desenvolvidas, com seu desenvolvimento Percentual de crianças com a caderneta atualizada
unidades de Proteção Social Básica e Especial. infantil acompanhado e suas famílias bem e digitalizada
ii) Protocolo único de serviços: v) Capacitação de equipes. informadas e acompanhadas. Percentual de crianças com nível de
A experiência de políticas intersetoriais, – Integração dos serviços das Secretarias de desenvolvimento adequado segundo a marcação
como o Programa Saúde na Escola e o Educação, Saúde e Desenvolvimento Social da – Capacitar equipes da SMS para avaliação de Alinhamento com metas da caderneta da criança
Comitê de Erradicação do Sub-registro Prefeitura voltados para a primeira infância. dimensões da caderneta da criança. Percentual de crianças com o Plano de
Civil, demonstrou a importância de ações –M  apeamento dos equipamentos de M1 Desenvolvimento Individual (PDI) elaborado
coordenadas entre os órgãos da Prefeitura. atendimento das três secretarias, vi) Implementação do programa: Aumentar em 10% o número de crianças
Percentual de crianças atendidas em conformidade
Além da continuidade da expansão dos georreferenciando sua localização e alcançando desenvolvimento infantil com o seu PDI
serviços, o próximo passo é articular em um avaliando os serviços ofertados, a capacidade – Piloto. adequado segundo a Organização Mundial da
Percentual de famílias com Plano de
programa único e integrado as ações que, de atendimento, entre outras informações. Saúde até 2020
Acompanhamento Sociofamiliar (PAF) elaborado
hoje, são desenvolvidas pelas Secretarias –P  lano de Desenvolvimento Individual (PDI). – Expansão para demais áreas cobertas pela
Municipais de Saúde (SMS), Educação (SME) –P  lano de Acompanhamento Sociofamiliar Estratégia de Saúde da Família. Percentual de famílias atendidas em conformidade
e Desenvolvimento Social (SMDS), de modo (PAF). com seu Plano de Acompanhamento Sociofamiliar
(PAF)
a tornar essas ações mais eficientes e eficazes. vii) Avaliação e monitoramento do
iii) Ampliação dos serviços: programa.
–E  xpansão de vagas na Educação Infantil.
–M  odelos alternativos de atendimento.
–A  mpliação de RH para as ações da
Proteção Social Básica, para atuarem no
acompanhamento sociofamiliar das famílias
das crianças atendidas e ampliação do
número de vagas no Serviço de Acolhimento.

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


218 219
Plano Estratégico 2017-2020 4.3 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

Iniciativa 1.02
AlfabetizaRio

O que é: Programa Situação atual encontrada Descrição da iniciativa R$ Milhões Fontes próprias Fontes externas Total PRINCIPAIS MARCOS
carioca de estratégica 11/2017 – Avaliações externas para cada ano do
De 2009 a 2014, o percentual de alunos Custeio 27,9 0,0 27,9
alfabetização Ciclo de Alfabetização realizado.
no nível adequado de alfabetização, ao Garantir um nível de aprendizagem adequada
Investimento 0,0 0,0 0,0 01/2018 – Novo material de Alfabetização da Rede
final do 1º ano do Ensino Fundamental, a todos os alunos no Ciclo de Alfabetização
Subtema: Promoção avançou de 79,6% para 90,7%. Entretanto, a da Rede Pública Municipal, para que todos
distribuído para o início do ano letivo.
Total 27,9 0,0 27,9
de um início de vida alfabetização ainda é o principal desafio para concluam o 3º Ano do Ensino Fundamental 01/2018 – Todas as escolas com Ciclos de
saudável e protegido a Rede Pública Municipal do Rio de Janeiro, plenamente alfabetizadas, através das linhas Alfabetização acompanhados pelo modelo do
Escola em Foco.
para todos os cariocas considerando que, no fim do 3º ano do Ciclo de ação:
de Alfabetização, ainda temos 21% de alunos Resultados esperados Alinhamento com metas 10/2018 – 1ª Certificação – Alfabetizadores
em níveis de leitura abaixo do adequado i) Produção e revisão de materiais Cariocas de Excelência.

para essa etapa de escolarização. Nesse pedagógicos específicos para a Todas as crianças matriculadas na Rede M3 11/2018 – Avaliações externas para cada ano do
sentido, é necessário centrar esforços em um alfabetização segundo as necessidades Pública Municipal de educação seguindo um Garantir que todos os alunos, ao final Ciclo de Alfabetização realizado.
programa de alfabetização de modo a garantir apontadas pela Rede. fluxo contínuo de aprendizagem adequada, de cada ano do Ciclo de Alfabetização, 10/2019 – 2ª Certificação – Alfabetizadores
aos alunos um processo contínuo para a em cada ano do Ciclo de Alfabetização, e estejam no nível adequado em Leitura e em Cariocas de Excelência.
consolidação da aprendizagem da leitura e ii) Definição de critérios e de concluindo o 3º ano do Ensino Fundamental Matemática, segundo o padrão definido pelo
11/2019 – Avaliações externas para cada ano do
escrita ao final desse ciclo. instrumentos de avaliação e plenamente alfabetizadas. MEC até 2020 Ciclo de Alfabetização realizado.
monitoramento dos resultados para
cada ano, garantindo um fluxo de 10/2020 – 3ª Certificação – Alfabetizadores
Cariocas de Excelência.
aprendizagem contínuo e integrado entre
os 3 anos do Ciclo de Alfabetização. 11/2020 – Avaliações externas para cada ano do
Ciclo de Alfabetização realizado.
iii) Constituição de um grupo de
professores alfabetizadores de INDICADORES
excelência para as turmas do Ciclo de Alunos no nível adequado de alfabetização no 1º ano
Alfabetização, por meio de formação
Alunos no nível adequado de alfabetização no 2º ano
em serviço específica e incentivos para
professores regentes. Alunos no nível adequado de alfabetização no 3º ano

Professores certificados após a formação


iv) Implementação de um modelo de
Professores formados regendo turmas do Ciclo de
acompanhamento com definição de
Alfabetização
rotinas e procedimentos que subsidiem o
direcionamento estratégico das ações. Percentual de professores formados com relação
ao total de professores regentes de turmas do
Ciclo de Alfabetização

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


220 221
Plano Estratégico 2017-2020 4.3 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

Iniciativa 1.03
Escola em Foco

O que é: Situação atual encontrada Descrição da iniciativa R$ Milhões Fontes próprias Fontes externas Total PRINCIPAIS MARCOS
Desenvolvimento estratégica 03/2017 – Todas as escolas com ciclos de
Os avanços da política educacional carioca Custeio 98,8 0,0 98,8
profissional dos alfabetização acompanhadas no modelo de
têm sido significativos, porém a urgência e a Implantar de forma articulada:
educadores cariocas Investimento 16,1 0,0 16,1
monitoramento Escola em Foco.
complexidade dos desafios da escola frente
e apoio à gestão às demandas contemporâneas requerem o i) Um programa de acompanhamento da
12/2017 – 1ª turma formada no novo Sistema de
Total 114,9 0,0 114,9 Formação de Gestores.
foco e o investimento nos principais atores do gestão escolar.
Subtema: Promoção processo educativo: os professores e 12/2017 – 1ª turma formada no novo Sistema de
Formação de Professores.
de um início de vida os gestores. ii) Um programa de formação continuada
saudável e protegido de professores. Resultados esperados Alinhamento com metas 01/2018 – Sistema de Monitoramento dos
Resultados de Aprendizagem dos Alunos
para todos os cariocas implantado.
iii) Um programa de formação de gestores. Promover uma educação de qualidade e mais
equânime, traduzida no resultado do IDEB, M4 03/2018 – Todas as escolas de Ensino Fundamental
iv) Um programa de formação de profis- IDERIO e nos demais índices de desempenho a) Ter o IDEB da Rede Pública Municipal igual acompanhadas no modelo de acompanhamento
Escola em Foco.
sionais de apoio técnico-administrativo. da Rede, reduzindo a distorção idade/série e ou superior a 6,5 para os Anos Iniciais, e
o abandono na rede, por meio da ampliação nenhuma escola com IDEB abaixo de 4,8 06/2019 – Sistemas de Informações Gerenciais
v) Revisão e elaboração de indicadores, e especialização do acompanhamento à até 2020 revisados e implementados.
processos de gestão e desdobramento de gestão escolar e do pleno desenvolvimento 12/2020 – Todos os professores da Rede tendo
metas para cada setor em nível gerencial profissional dos educadores. b) Ter o IDEB da Rede Pública Municipal igual participado de pelo menos uma ação de formação
para cada Secretaria. ou superior a 5,7 para os Anos Finais, e continuada em serviço no ano.
Aprimorar o desenho de avaliação e nenhuma escola com IDEB abaixo de 4,0
vi) Capacitação de profissionais de nível aperfeiçoar o sistema de informações até 2020 INDICADORES
central e coordenadorias regionais do gerenciais. IDEB anos iniciais
novo modelo de gestão. M5
IDEB anos finais
a) Reduzir o percentual de distorção idade/
série da Rede Pública Municipal em 40% Percentual de distorção idade/série anos iniciais
nos Anos Iniciais, até 2020 Percentual de distorção idade/série anos finais

b) Reduzir o percentual de distorção idade/ Percentual de professores participando em pelo


menos uma formação no ano
série da Rede Pública Municipal em 20%
nos Anos Finais, até 2020 Percentual de diretores participando em pelo
menos uma formação no ano

WWW.VISAORIO500.RIO VISÃO RIO 500 E PLANO ESTRATÉGICO 2017-2020


222 223
Plano Estratégico 2017-2020 4.3 Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania

Iniciativa 1.04
Escola de Formação do Professor Carioca

O que é: Situação atual encontrada Descrição da iniciativa R$ Milhões Fontes próprias Fontes externas Total PRINCIPAIS MARCOS
Aperfeiçoamento do estratégica 02/2018 – Instituto criado.
Assegurar uma educação de qualidade para Custeio 0,0 0,0 0,0
processo de seleção, 02/2018 – Processo de estágio revisto com as