You are on page 1of 258

4

5

ÍNDICE
DEDICATÓRIA INTRODUÇÃO CAPÍTULO I - Terapia de Vidas Passadas CAPÍTULO II - Reencarnação, a Base da TVP CAPÍTULO III - solução problemas existenciais CAPÍTULO IV - Lembranças CAPÍTULO V - Análise de um caso CAPÍTULO VI - Brian Weiss CAPÍTULO VII - Mais Dúvidas CAPÍTULO VIII - Distanciado da Ciência CAPÍTULO IX - Almas Gêmeas CAPÍTULO X - Radiografando a TVP CAPÍTULO XI - Avaliações Complementares CAPÍTULO XII - Legitimidade do Regressionismo CAPÍTULO XIII - O Caso Bridey Murphy CAPÍTULO XIV – Conclusão PRINCIPAIS OBRAS CONSULTADAS 8 10 17 29 51 59 65 73 99 114 133 157 193 208 226 243 258

6

7

pelo que muito agradeço. 8 . Vivianne Soares Montalvão. Wagner Montalvão. que contribuíram para que a presente obra se tornasse realidade. Lúcia Maria Paiva. Suzanne Soares Montalvão.DEDICATÓRIA Este trabalho é dedicado a: Márcia Maria Ribeiro de Souza.

9 .

O pensamento científico para ser fomentado exige um exaustivo trabalho. A ciência jamais poderá ser considerada “pronta e acabada”. Parece que uma parte de nossa mente sente-se gratificada diante de enigmas. O que não quer dizer que a ciência invariavelmente apresente conclusões corretas.INTRODUÇÃO A idéia de que já vivemos outras vidas e de que essas vidas possam ser trazidas à lembrança é cativante. Sem dúvida. o “mistério” exerce sobre a maioria das pessoas enorme fascínio. porém não apreciamos que elas sejam perenemente insolúveis. Muitas vezes. As questões sem resposta incomodam. 10 . ao mesmo tempo em que desperta o fascínio. Sempre existirá a perspectiva de que novos conhecimentos surjam e tragam explicações mais amplas que as vigentes. As coisas misteriosas nos atraem. A curiosidade adequadamente direcionada propicia respostas consistentes. o oculto clama por ser desvendado. o nível de conhecimento sobre determinada matéria leva os pesquisadores a inferências inadequadas. A ciência é filha do anseio humano por destrinçar o desconhecido. Muitos cultivam com especial carinho os relatos de acontecimentos tidos por fantásticos. Mas.

O surgimento dos telescópios mostrou que tal concepção era insustentável. Essa forma de análise. cada qual contendo uma parcela do cosmo. As conclusões baseadas na observação imediata raramente são as mais adequadas. O desejo das pessoas por esclarecer suas dúvidas. na atualidade perderam o status de científicas. Sobrevivem nos dias modernos porque prometem respostas para alguns de nossos anseios. visto que seria o centro de todo o universo. as experiências se baseavam na observação direta e partir daí se elaboravam os conceitos. Mas. Muitas “verdades científicas” aceitas posteriormente se revelaram infundadas. conjugado ao esforço exigido para encontrar as explicações. No passado não existiam mecanismos de medição adequados. definida pelos limites dos sentidos. é sabido que não têm qualquer fundamentação real. é frágil e quase sempre redunda em proposições enganosas. diversos fenômenos ocorrem em níveis que nossa capacidade de percepção não alcança. Quando Galileu ousou defender essa tese foi severamente rebatido pelos cientistas de então.O que interessa destacar é o fato do trabalho científico ser penoso. A idéia de que o planeta se movesse em torno de seu próprio eixo seria considerada uma heresia em tempos não muito remotos. O mundo é muito mais complexo que possa parecer ao nossos olhos. visto que foram elaboradas numa época em que o poder de observação e de análise era limitado. E a terra estaria na mais central dessas formações. No intento de responder às questões que se lhe apresentam o cientista precisa ir além da análise superficial. tal qual a astrologia. 11 . no passado Durante séculos pensou-se que o universo fosse formado por uma sucessão de esferas. Algumas ciências primitivas.

Em meio ao caminho vislumbramos variados temas. que já deu material para muitas narrativas. o domínio da natureza pela magia.leva muitos a buscarem “respostas prontas”. Estes arrogam para si capacidade de explicar os segredos daquilo que estaria além da matéria. os arquivos acásicos. duendes. cujos “segredos” somente os iniciados conhecem. Normalmente. gnomos. até chegarmos aos contatos mediúnicos com espíritos e outras entidades. Nessa constelação de assuntos que atraem a curiosidade popular. a maior parte provinda de “revelação mística”. brotam “especialistas” em ciências insólitas. se temos quem pense por nós por que se sacrificar? No campo do sobrenatural ― ou se preferirem no campo do supranatural ― . tanto mais serão admirados. tais quais: o Triângulo das Bermudas. o Egito esotérico. e muito mais. O que despertaria maior curiosidade: o nascer de um novo dia ou a aparição de um fantasma? O alvorecer do dia é um acontecimento aparentemente banal. A maior parte dessas “explicações” não passa de lucubrações fantasiosas. as portentosas forças envolvidas no processo são menosprezadas. ainda que não tenham respaldo na boa ciência. Uma simples chuva é conseqüência de numerosos fenômenos que a maioria de nós sequer imagina. seguida por outras tantas civilizações “misteriosas”. entretanto os discursos dos “mestres” conquistam admiradores e. 12 . são aceitos como verdades completas. elfos. Nossa fantasia fica mais excitada com histórias de extraterrestres ou de assombrações. São muitos os temas de pouca profundidade que gozam de alto prestígio por serem estimulantes de devaneios. quanto mais imaginosos forem esses mestres. Raciocinar é trabalhoso. vemos de tudo: desde a clássica Atlântida.

• Esotérico significa aquilo que está oculto. mostra o inegável parentesco com o esoterismo e o distanciamento da ciência. Sobre o esoterismo é necessário um comentário complementar. • 13 . a reencarnação se torna implícita. no sentido de que é possível realizar várias leituras. A base da terapia de vidas passadas é a tese das múltiplas existências. se refere a conhecimentos acessíveis apenas aos iniciados. Livros. Sob outro aspecto.Foi nesse mundo de magia e de mistério. • Há. a “hipótese científica da reencarnação”. ou mais precisamente a terapia de vidas passadas . pois a palavra possui diversas acepções. mostrando ser a mensagem muito mais rica que pareça à primeira vista. Insistentemente divulgada como matéria de cunho científico. quando examinada com um pouco de atenção. esotérico seria aquilo não percebido em primeira verificação. cada uma revelando novos matizes.TVP. que encontramos uma das recentes incorporações: a lembrança de vidas passadas. ainda. baseado em dados fantasiosos”. No contexto ocultista. podem ser chamados de esotéricos. velado. filmes e discursos mais elaborados. uma terceira significação: a de “conceito nebuloso. Portanto. geralmente o termo é utilizado com essa significação. como preferem os praticantes da regressão. ou. Neste livro. a regressão a vidas passadas. quando se fala em lembrança de vidas passadas.

O termo não é. utilizado pejorativamente. acompanhadas de nossos comentários. aliás. Além do kardecismo. Nos capítulos 6. O que. Muitos Mestres” e “Só o Amor é Real”. Comentaremos também as semelhanças e as contradições entre o espiritismo e o regressionismo. (É bom lembrar que os espíritas saxões preferem o termo espiritualismo em lugar de espiritismo. E poderá. dentre se destacam: “Muitas Vidas. 14 . As referências ao espiritismo são cabíveis. Nos capítulos finais analisaremos as teses gerais do regressionismo. há o chamado espiritismo anglo-saxão. praticado principalmente na Inglaterra. o leitor obterá um claro entendimento do que seja a terapia de vidas passadas. de forma alguma. na África do Sul e na Holanda. visto que a maior parcela de usuários da regressão a vidas passadas é constituída de kardecistas e. Ao final.Na parte inicial do livro. O caso é que existem pelo menos duas correntes espíritas de maior expressão no mundo. pois o termo é aplicado correntemente. serão apresentadas apreciações sobre embaraços da teoria reencarnacionista. o psiquiatra americano que tornou-se praticante da TVP e escreveu várias obras sobre regressões. também porque os conceitos teóricos regressionistas são tomados do espiritismo. avaliar se é adequada a eufórica opinião dos que a classificam como a grande descoberta terapêutica do século XX. O leitor deparará com certa freqüência a expressão espiritismo kardecista. não é criação nossa. optamos por nominar o espiritismo latino como kardecismo.) A principal diferença entre eles é que um defende o dogma da reencarnação e outro condena. então. ilustradas com afirmações de terapeutas que praticam a regressão. A fim de definir a que vertente espírita nos referimos. 7. 8 e 9 avaliamos as idéias regressionistas de Brian Weiss.

negrito) são de nossa autoria. Críticas e sugestões serão bem recebidas. É preciso. 2.br). este símbolo “→” abre comentários específicos e complementares.Montalvão. Esta é uma palavra aceita universalmente quase sem questionamentos. • Destacamos algumas convenções e procedimentos observados neste livro: 1. mantendo. constituída de diversos circuitos interdependentes. termos entre colchetes [ ] são inserções que objetivam esclarecer o sentido do texto em destaque.com.br) M.Várias vezes a expressão “inconsciente” será encontrada neste livro. inclusive. não ampliaremos o tema. ou seja. Conforme a circunstância alguns desses circuitos estarão mais ativos que outros. (moizesbrasil@oi. esclarecer que a idéia de estar a mente dividida em duas grandes seções (consciente e inconsciente) já não combina com as atuais pesquisas neurológicas. nas transcrições de textos de outros autores. os equívocos gramaticais. Imagine uma complexa máquina. porém. procuramos respeitar a grafia original. Os destaques feitos nesses textos (sublinhado. (montalvao-rio@click21.com. 3. Parece que a conceituação mais adequada para a mente seria a de um grande mecanismo. Certas partes da mente operam sempre em segundo plano. concernentes ao assunto em referência. seu trabalho não é percebido conscientemente (daí a idéia de que trabalhem desconectadas da consciência). 15 . composto por submecanismos agindo harmoniosamente entre si. Por não fazer parte dos objetivos do presente trabalho.

16 .

realiza uma sessão de regressão. Em seu consultório um psicólogo praticante da Terapia de Vidas Passadas.TVP. Ele utiliza a hipnose a fim de possibilitar ao paciente focar a 17 .CAPÍTULO 1 Terapia de Vidas Passadas Observação: • Terapia de regressão de vidas . é um método terapêutico cuja principal característica é buscar a origem de traumas psíquicos em hipotéticas vivências pregressas.

relaxe....O cinto é grande... .Não entendo muito bem...Deixe sua mente retroceder no tempo....as botas são pesadas.Diga-me o que está vendo. Não tente controlar o processo.Sim.... ... 18 .Vejo uma pessoa caminhando por uma rua que não conheço... você gosta de estar com ela... Não questione nada do que visualizar. cada vez mais distante.visualize o que está à sua volta.....Não sei.Como essa pessoa está vestida? . sinta as sensações de amor que lhe são passadas.. .relaxe cada vez mais..Acho.Agora você é uma criança pequenina e continua a recuar no tempo..Espanha?. você está em busca da origem de sua dor. Ela o alimenta.vagar por outras existências. Veja-se no útero de sua mãe.. um túnel do tempo que o levará bem longe....sinto o peso das botas nos meus pés. Imagine que está entrando num túnel.. ..Sabe o nome do local onde você se encontra? ... sua alma seguirá o caminho naturalmente...tudo estranho...mente de forma adequada e direcioná-la para o objetivo proposto: .longe.. apenas visualize.uma roupa diferente.. Agora a viagem continua: saia desta vida e deixe seu espírito vagar.Essa pessoa é você? . fivelas grandes...

está aqui no consultório..mas preciso andar rápido..Ouvi tudo..querem me matar! ........ sentindo-se muito bem e lembrará da experiência de forma positiva. A fim de tranqüilizá-lo decide suspender o processo: ...inimigos do rei......dois..Tem alguém com você? .. está seguro.estou cercado! Não vou me livrar.Agora quero que se acalme.Não consigo ficar de pé.Não.. uma 19 ..eles armados..estão atrás de mim..Um.facas.Chegou o meu fim! O terapeuta percebe que o paciente demonstra grande aflição..O que você faz para se livrar deles? .vou atirar..uma conspiração para matar o rei....E o que acontece? .....dói muito...são muitos.O que está acontecendo? .Quem está atrás de você? .Vou contar até cinco e você despertará revigorado.NÃO! ....... você não está mais lá...Eles..Cercado.. .Estão se aproximando.. .Apunhalado pelas costas! A dor é terrível.tenho pistola na cintura.despertando.Fugir.....

o paciente e o terapeuta avaliam a experiência.A dor que sente. A regressão a vidas passadas tem despertado o interesse de muita gente. Essa angústia o tem acompanhado por diversas vidas e se apresenta sob a forma de dor no mesmo local onde foi ferido. Outro grupo de usuários é constituído de pessoas desiludidas com as psicoterapias tradicionais. quanto maior a ansiedade tanto maior a dor. é resultado da experiência na outra vida. A atriz Shirley Maclaine é um exemplo: tão entusiasmada ficou ao “descobrir” algumas de suas personalidades pretéritas. O psicoterapeuta apresenta suas conclusões: . que se manifestava quando sob tensão. Ao ser atacado covardemente e percebendo que não tinha saída. Um número crescente de pessoas procura os regressionistas. Agora que sabe como tudo começou. Uma das queixas do consultante era uma terrível dor nas costas. você internalizou uma grande dose de angústia. Diversos médicos o examinaram. ora cativados por promessas de cura. no entanto o distúrbio permanecia. que escreveu alguns livros sobre o tema.Depois de plenamente consciente.. e que se intensifica nos períodos de estresse.. ora por curiosidade. Os que são motivados pela curiosidade interessam-se em conhecer as identidades que teriam assumido no passado. estes esperam encontrar na terapia de vidas passadas uma solução mais efetiva 20 . será mais fácil se livrar do problema. várias sessões de fisioterapia realizadas.

mas ainda se encontra o uso nãoterapêutico do processo. Atribui-se ao engenheiro francês Albert De Rochas ― Eugène-Auguste-Albert de Rochas D'Aiglun― (1837-1914) o pioneirismo na prática da regressão. → Os terapeutas regressionistas declaram que a terapia de vidas passadas constitui “a medicina do Novo Milênio”. ou até mesmo solucionar problemas físicos. passou a especular no campo das vidas pretéritas. Depois de realizar diversas experiências de regressão de idade ― (não confundir regressão de idade com regressão a vidas passadas) ―. parece que o engenheiro não fez escola. passou a ser utilizado terapeuticamente. De Rochas era praticante do hipnotismo. o uso terapêutico se iniciou de forma ampla a partir da década de 1960. O regressionismo de início era praticado quase como uma curiosidade. o que deu origem ao procedimento conhecido como terapia de vidas passadas. Entretanto. Isso mostra o grande otimismo com que encaram o processo. ou como meio de comprovar a tese reencarnacionista.para os transtornos psíquicos pelos quais passam. Desde o final do Século XIX são relatadas esporádicas experiências de regressão a vidas passadas. abreviado TVP ― (há quem prefira e utilize a sigla TRVP – Terapia de Regressão a Vidas Passadas). Presentemente. no tratamento de distúrbios psíquicos. pois 21 . Porém. a maioria das práticas regressionistas tem por objetivo o tratamento de distúrbios psicológicos. Posteriormente.

causou celeuma em quase todo o mundo. Depois descobriu-se que Ruth Simmons era o pseudônimo de Virgínia Tighe.pouco se falou do assunto até a década de 1950. Milhões de exemplares do livro escrito por Berstein foram vendidos. em outras vidas. nos Estados Unidos. Albert Rochas era moderado no trato do assunto. Diz-se que o francês postulou que a regressão seria possível a até no máximo cinco vidas passadas. 22 . Alguns terapeutas regressionistas afirmam que depararam com vidas passadas casualmente: ao induzirem pacientes a reviverem experiências no útero materno (processo ainda bastante praticado). o caso mais espetaculoso encontramos na aventura de Bridey Murphy. ou seja. como a história ficou conhecida. Berstein afirmava que Bridey Murphy fora a vida pregressa de uma mulher chamada Ruth Simmons. nas quais as lembranças são numerosas e abrangem longos períodos. “O caso de Bridey Murphy”. A experiência foi relatada por Morey Bernstein. Antes de a TVP começar a se popularizar. uma dona-de-casa norteamericana. foram surpreendidos com o relato de ocorrências que teriam sucedido em épocas anteriores ao período de vida uterina. Diferentemente das práticas regressionistas da atualidade. No capítulo 10 falaremos detalhadamente do assunto. um homem de negócios da cidade de Pueblo.

entretanto não é aceita pelas escolas tradicionais da psicologia. Estas não concordam com a idéia de que o feto tenha memória. o psiquiatra norte-americano cujo trabalho analisaremos adiante. E assim tudo começou. A idéia de que seja possível relembrar outras vidas pressupõe a veracidade da reencarnação. pois vêem nela um sério conflito com a doutrina kardecista. Não foram poucos os espíritas que se empolgaram com o regressionismo. Por outro lado. foi acatada sem maiores avaliações por vários profissionais. 23 . Não demorou muito. Brian Weiss. Sabe-se que o kardecismo advoga a reencarnação. Veja no capítulo 11 comentários mais amplos. Despertou-se a atenção de adeptos do espiritismo kardecista. quando ordenou a uma paciente que voltasse ao período em que seus sintomas começaram. A conclusão de que as “lembranças” eram efetivas recordações de existências pregressas. ela imediatamente “entrou” numa vida anterior.→ A regressão da memória à vida intra-uterina é prática adotada por vários terapeutas. pois parecia ter surgido uma prova da tese das múltiplas existências. conta que seu encontro com as vidas passadas foi incomum: durante uma sessão de hipnose. iniciou-se a utilização das lembranças como um subsídio à psicoterapia. Noutro capítulo apresentaremos comentários mais amplos. vários teóricos espíritas encaram a TVP com pouca simpatia.

No Brasil. não tendo absolutamente quaisquer ligações com aspectos místicos ou religiosos. O tema da reencarnação sempre é abordado como objeto de estudo de vários cientistas renomados nesse meio. A SBTVP nos dá uma definição técnica do que seria a regressão a vidas passadas: “A Terapia de Vida Passada. A terapia de vidas passadas cativou profundamente a vários psicólogos e muitos deixaram de lado os tratamentos ortodoxos e passaram a utilizar exclusivamente a TVP no trato de seus pacientes. uns poucos são especializados em outras áreas da medicina. A ANTVP publica um jornal mensal com artigos sobre a regressão de vidas. é uma abordagem psicoterápica que tem como princípio teórico básico a hipótese científica 1 da reencarnação e utiliza a regressão de memória como a técnica base de tratamento. A Terapia de Vida Passada admite também (como outras formas de psicoterapias) a existência de um Inconsciente. existe pelos menos duas organizações que congregam os regressionistas: • • a SBTVP – Sociedade Brasileira de Terapia de Vidas Passadas e. de acordo com a SBTVP.Os praticantes da TVP são geralmente psicólogos. com um conceito 24 . a ANTVP – Associação Nacional dos Terapeutas de Vidas Passadas (esta formada por ex-membros da SBTVP).

outros são mais otimistas: declaram que a ciência já ratifica a multiplicidade de vidas. de Jung. Porém. Esse acesso é possível pela criação de um estado alterado de consciência. o que há de concreto é a esperança dos adeptos de que a reencarnação um dia seja reconhecida como um fato científico. → 2 1 É interessante destacar que a TVP concebe a existência de um inconsciente com características diferentes do das teorias em voga." 2 → O texto fala em “hipótese científica da reencarnação”. que vá além das teses atuais. Aqui há exagero: a reencarnação é uma possível explicações para as lembranças de outras vidas. permite levar o paciente a entrar em contato com lembranças quer relacionadas a fatos da vida atual. como a do “inconsciente coletivo”. quer relacionadas a existências pregressas do mesmo e que tenham estreita ligação com seus problemas psíquicos e/ou somáticos do momento presente. dificuldades filosóficas e científicas surgem quando se analisa a idéia. quando bem acessado pela técnica de regressão de memória. Por enquanto. mas sem a necessidade do uso da hipnose. Alguns espíritas acreditam que a confirmação científica da reencarnação se dará nos próximos anos. e até mais extensa que noções míticas.que transcende aos estudados até agora e que. O regressionismo necessita de uma idealização particularizada da parte oculta da mente. as 25 . Isto porque.

V. Os psicólogos regressionistas exibem tanto entusiasmo com a TVP que. você pode liberar potenciais até então bloqueados.P) é uma técnica psicoterápica que utiliza como recurso terapêutico a regressão de memória. diz respeito a essa grande oportunidade que estamos tendo de nos libertarmos de nossas limitações. E uma delas. asseveram que os problemas existenciais são plenamente elucidados quando se descobrem os traumas ocorridos em outras vidas. Hoje. que se iniciaram. muitos deles. muitas vezes. a Terapia Regressiva a Vivências Passadas ou Terapia de Vidas Passadas (T. “À medida que adentramos para um novo milênio. Neste sentido.conceituações clássicas não dão suporte a idéia de que se possa recordar vidas passadas. E a regressão de memória tem por objetivo buscar a causa verdadeira do seu problema que lhe deixou marcar profundas e traumáticas.. . imensas mudanças estão ocorrendo no nosso planeta.. .." (Osvaldo Shimoda.. Limitações. Conhecendo suas vidas passadas. em vidas passadas e que se perpetuam e vem prejudicando à sua vida atual. para uma nova Era. terapeuta de vidas passadas) __________________________________ 26 . várias pessoas falam em mudança.

“Terapia das VIDAS PASSADAS . Durante a terapia fazemos uma análise desses níveis e observamos que os problemas citados pela pessoa aparecem várias vezes. A TVP introduz uma idéia radical nos postulados da psicologia: para os regressionistas a maior parte dos 27 . ressaltamos a declaração de que a maioria das dificuldades de nossa existência tenham origem em vidas passadas. Mas será que todos os problemas que vivemos no dia-a-dia têm causa em vidas passadas? Tanto Célia como Neusinha acreditam que. mas não são a causa dele. Analisando a vida atual do paciente. se não todos. desde sua infância. argumenta Célia. segundo ela. constatamos que o grupo social e a forma como ele foi criado só intensificaram os problemas. a maioria dos problemas.. . a terapeuta Célia Resende resume o objetivo da terapia de vidas passadas. Uma viagem no tempo para desatar os nós do inconsciente e ficar livre para a evolução. não só por espiritualistas." (Divulgação na Internet dos trabalhos das terapeutas regressionistas Célia Resende e Neuzinha Aguillar) → Adiante apresentaremos comentários detalhados sobre as idéias de Célia Resende. Assim. A causa está em outras vidas".. De momento. mas também por judeus e católicos.. "Temos três níveis de memória. cada vez mais procurada..

são provenientes de tropeços ocorridos em vidas passadas. Disso surge uma questão crucial para a avaliação que estamos a elaborar. ocasião em que acreditamos poder respondê-la com segurança.distúrbios do espírito. que pode ser traduzida do seguinte modo: Afirma-se que a TVP seja um método terapêutico muito mais eficiente que quaisquer outras formas de psicoterapia. Será que essa declaração se confirmará depois que a terapia de vidas for analisada detalhadamente? Os terapeutas regressionistas acreditam no potencial desse método. ou seja. Há quem diga que a TVP é superior à medicina moderna! Ao final do livro traremos a questão de volta. Na visão dos regressionistas as teorizações clássicas sobre a personalidade estariam fundamentalmente equivocadas ou incompletas. 28 . visto que não levariam em conta a "verdadeira" origem dos problemas psíquicos. quase todos.

CAPÍTULO 2 Reencarnação. a base da TVP O embasamento teórico para o regressionismo está na tese das múltiplas existências. que é uma das premissas do espiritismo1. mais conhecida como reencarnação. Isso não é demérito para ninguém: cada um escolhe a religião que lhe satisfaz. as concepções da TVP estão mais próximas da religiosidade que da ciência. → há uma forma de espiritismo. A questão é que o regressionismo assevera lidar com conceitos científicos e isso não se demonstra. que renega a 1 29 . Grande número dos praticantes da terapia de vidas passadas é formado por espíritas kardecistas e por simpatizantes. praticada principalmente na Inglaterra.

O regressionismo trabalha com a hipótese da reencarnação sem apresentar explicação de como se processariam os renascimentos. É no mínimo curioso a existência de uma concepção espiritista que não adote o reencarnacionismo. Contudo.reencarnação. visto que o fundamento científico para a reencarnação não foi encontrado. a reencarnação é veraz. Queiram ou não os regressionistas. quando se fala de regressão a vidas passadas são inevitáveis as referências ao espiritismo. que iremos buscar e discutir os conceitos sobre o reencarnacionismo. considerando ser a reencarnação um dos pilares do espiritismo. tal expressão é de todo inadequada. É no espiritismo. A TVP supõe que se há lembranças de outras vidas significa que as pessoas viveram anteriormente. portanto.. Em outras palavras: admite a reencarnação mas não esclarece o funcionamento do mecanismo. → É comum encontrar-se textos regressionistas falando sobre a “concepção científica da reencarnação”. pois não se sustenta com fatos. Desse modo. a “lógica” do processo estaria consolidada. ou coisa semelhante.Dessa forma.. 30 . mas é o que sucede: os espíritos que visitam os médiuns ingleses quando se pronunciam sobre a reencarnação declaram-na uma fraude. os alicerces da TVP são religiosos. (Mais um distanciamento da ciência). então. se as pessoas viveram outras vidas.

é feita uma análise minuciosa do assunto. Os reencarnacionistas advogam que os variados renascimentos seriam o método estabelecido por Deus para que a alma chegue à perfeição. Quando. se analisa o assunto com atenção surgem muitas dúvidas. 31 . porém. noutro trabalho de nossa autoria. Muitos textos espíritas proclamam a incontestabilidade da reencarnação. pois é esta modalidade de espiritismo que defende a multiplicidade de vidas. intitulado “Reencarnação – o sonho de viver muitas vidas”. no entanto a teoria ainda espera por uma prova científica. Faremos aqui alguns comentários sobre as dificuldades dessa idéia.notadamente ao kardecismo.

examinando a questão pergunta aos benfeitores como entender este fenômeno [Livro dos Espíritos questão 219] e eles dizem: 'Lembrança do 32 . sem fundamentação. Miguel Angelo. com a idade de 8 anos. Amadeus Mozart tocava piano aos 3 anos e violino aos 4 anos sem nunca ter visto um [?!]. etc. Kardec. mas não têm cunho científico. que desde a mais tenra idade mostram possuir conhecimentos de tal ordem à respeito de temas os mais diversos que seria impossível explicá-los sem a certeza de que viveram antes. entretanto. Examinemos um texto dessa natureza: “As principais evidências científicas da reencarnação são: Gênios Precoces. se resumem a alegações empolgadas. Pierino Gamba foi maestro aos 11 anos. matemático francês discutia matemática e geometria aos 12 anos. São vistas declarações como: “a única forma de explicar tal acontecimento é pela reencarnação”. Pascal. A argumentação que encontramos não é de natureza científica. Tratam-se de considerações apaixonadas.PROVAS CIENTÍFICAS DA REENCARNAÇÃO Escritos apologéticos afirmam que a reencarnação está comprovada cientificamente. As “provas”. foi dispensado pelo seu professor de escultura porque este já nada mais tinha a ensiná-lo. “só pela reencarnação as injustiças desse mundo são esclarecidas”. são crianças prodígios. que atendem a expectativa dos aficionados.

Considera-se que seja impossível explicar o porquê da existência de gênios precoces." (Reencarnação. unicamente por manifestarem talentos desde a infância. Estamos diante de um equívoco de raciocínio: estabelece-se que o único meio de explicar uma questão seria pela forma que o explicador apresenta. Por exemplo: tendo como certo que anjos eventualmente copulem com seres humanos.. recordação anterior da alma. Supor que os gênios viveram outras vidas. senão pela certeza de que viveram antes. Não poucos achariam tal idéia mais satisfatória que a da reencarnação.passado. seria igualmente aceitável afirmar que “os gênios precoces são o resultado do cruzamento de humanos com extraterrenos”. é argumento de fraca sustentabilidade.. Seguindo por esse caminho. Evidências e Fundamentos – Centro Espírita Celeiro de Luz). Todas essas “explicações” serão plausíveis e “científicas”. 33 . desde que se admita que a idéia básica seja verdadeira. pode-se inferir que os filhos dessas uniões sejam gênios precoces. Haverá. ainda. Quaisquer outras possibilidades são desprezadas. quem diga que os gênios sejam filhos de anjos. A partir daí se pode chegar a conclusões “lógicas”. independentemente de estar ou não comprovada.

. Conseqüência: Por isso manifestam talentos especiais desde a infância. Conseqüência: Por isso manifestam talentos especiais desde a infância. que já viveram muitas vidas. Idéia 3: Os gênios precoces são filhos de ets.É fácil encontrar formas de “esclarecer” a existência de gênios precoces. Conclusão: esta é uma “prova científica” da reencarnação. Conseqüência: Por isso manifestam talentos especiais desde a infância. Idéia 2: Os gênios precoces são filhos de anjos.O que não se pode dizer é que tais postulações sejam de cunho científico. Conclusão: esta é uma “prova científica” da existência de anjos. com uma quase infinita gama de variações. constituições cerebrais afortunadas e todo 34 . Basta considerar-se que determinada idéia seja firme e a partir daí constrói-se um esboço coerente. experientes. As religiões trabalham com dogmas. é um dado muito mais efetivo para esclarecer a eclosão de pessoas dotadas de elevada capacidade intelectual. O problema ocorre quando se afirma que as premissas deduzidas dos dogmas constituem provas científicas.. que são pontos estabelecidos como fundamentais. As peculiaridades da natureza humana. Vejamos um esquema desses raciocínios: Idéia 1: Os gênios precoces são almas. O espiritismo tem os seus dogmas e até aí tudo bem. Em religião a prática é comum. Combinações genéticas privilegiadas. Conclusão: esta é uma “prova científica” da existência de extraterrestres.

de igual modo deveria ser aplicada aos atletas precoces. Para que a hipótese da reencarnação fosse aplicada aos gênios precoces. os dotados de agilidade. teriam vindo de uma sucessão de vidas circenses.. aos possuidores de resistência física acima do comum. Não é boa atitude isolar apenas um aspecto..por que não nasceriam indivíduos com inteligências privilegiadas? Teríamos de supor que as pessoas com força física incomum teriam se exercitado bastante nas vidas passadas. até onde sabemos. pudessem ser ligadas a experiências adquiridas em vidas pretéritas. bem sedimentada. por mais colorido que seja. nenhuma explicação razoável foi apresentada. E. há os que têm capacidade sensitiva admirável.um emaranhado de interações. dando-lhes capacidade intelectual ou artística acima dos padrões usuais. Seria preciso desenvolver uma teoria. etc. tanto físicas quanto mentais. etc. É óbvio que teses assim formuladas não se mantêm. ocasionalmente concentram-se nalgumas pessoas de forma vantajosa.. e utilizá-lo como prova de alguma coisa e deixando de lado outras manifestações assemelhadas por não "interessarem" à teoria. etc. Nascem pessoas dotadas de força física incomum. 35 . outras são possuidores de agilidade acima da média. onde se demonstrasse que as qualidades extraordinárias que algumas pessoas apresentam. aos dotados de elevada acuidade sensitiva.

nem sempre os gênios correspondem ao que deles se espera. ou mesmo abaixo. se torna um argumento contrário à reencarnação em vez de favorável. Pessoas geniais podem ser inábeis em rotinas que os medianos executam com facilidade. Vejamos: • muitos gênios são limitados fora das áreas onde se destacam. Freqüentemente ocorre o contrário. é uma suposição muito incerta para ser acatada como viável.apesar do tema "moral" ser assunto ser um pouco complexo para ser debatido em poucas linhas -. nas demais atividades estão dentro da média.. Os gênios-idiotas são capazes de feitos espantosos. A questão dos gênios precoces quando vista de forma ampla. no aspecto moral .. Almas sábias não agiriam desse modo. São numerosos os exemplos de pessoas superdotadas que causaram grandes problemas aos que com eles conviveram e à sociedade. que dariam a algumas almas dianteira intelectual sobre outras. • os chamados "gênios-idiotas" (idiot sevant) constituem um desafio para os neurologistas e psicólogos. veríamos os gênios sempre com ilibado padrão de conduta. Os gênios possuem a energia mental direcionada aos campos do saber onde sobressaem.Reencarnações numerosas. e também uma ducha de água gelada na tese de "almas experientes". como tocar um • 36 . Se fossem almas experientes e sábias. • nem sempre a criatividade dos gênios é usada em benefício da humanidade. como supõem os apologistas do reencarnacionismo..

Fora do circuito onde manifestam talentos não têm a menor capacidade intelectual. Existem relatos sobre crianças que ao primeiro contato com um piano interpretaram composições de elevada complexidade. 37 .instrumento musical com mestria sem nunca terem estudado música. são completamente incompetentes para levar uma vida normal. O espantoso é que boa parte dessas criaturas prodigiosas possuem graves distúrbios mentais. Adolescentes que mal sabem ler efetuam cálculos matemáticos complicados com a velocidade de um computador. Algumas são tão retardadas que não podem fazer muita coisa sozinhas. Fica difícil justificar a tese das variadas encarnações quando se leva em conta os gênios idiotas. Jovens em tenra idade tão logo tiveram acesso a pincel e tinta pintaram como artistas veteranos.

a evolução das almas. Vamos destacar duas delas. Foi dito que a tese da reencarnação acarreta dúvidas. e tantas coisas que ceifam precocemente a vida de milhões e milhões. os que existem existem desde a criação. deixando as demais para um outro trabalho de maior amplitude.. o balanço populacional. Este é um dado concreto: apesar das guerras. não são gerados espíritos novos. 2. dos vícios. do trânsito. das epidemias. dos fast foods.DIFICULDADES.. Portanto. O espiritismo teoriza que as almas foram criadas antes dos corpos. 1. O Balanço Populacional A população do planeta aumenta progressivamente. O que as almas 38 . o número de habitantes do planeta está em contínuo crescimento.

quando estarão livres dos retornos periódicos à carne. quais a egípcia. Acontece que as “transferências espaciais” dão ensejo a conjecturas de difícil comprovação. e progredindo. Por exemplo. o que ocorre é o constante aumento do número de habitantes na Terra. Seria de esperar que o contingente populacional se mantivesse equivalente ao longo das gerações. alguns autores esotéricos referem-se a uma imaginada migração de almas da estrela Capela para a Terra. nascimento e morte de estrelas e a existência de outras galáxias do universo. Essas almas não estariam moralmente à altura do desenvolvimento científico e tecnológico de Capela e foram condenadas a viverem num planeta primitivo (neste caso. dizem. E assim. graças ao desenvolvimento tecnológico humano. O kardecismo não se abala ante essa questão. que seria a explicação para o crescimento populacional. a Terra) até que aprendessem bons modos. encarnando vida após vida. os meios de comunicação noticiam com freqüência a explosão. à perfeição. teoriza sobre a existência de um fluxo migratório de almas entre os corpos celestes. A Terra foi criada numa dessas explosões e logo 39 . somente agora. Entretanto.fazem é adentrar num novo corpo logo que lhes chegue a vez de reencarnar. foram responsáveis pelas grandes civilizações do passado. chegam ao ponto ideal. a indiana e outras. “Embora seja rotina. Tais espíritos. As variações não seriam expressivas.

entre eles ‘Capela’. delineando novos rumos para a civilização que começava a se formar no globo terrestre. durante e depois dessa decisão a engenharia cósmica teve que elaborar estudos no sentido de melhor acomodar os exilados e devido à densidade vibratória do Planeta teve que desenvolver uma criatura que acomodasse os espíritos exilados. Já entramos no terceiro milênio. Antes. ocorreram profundas transformações. e começamos a experimentar as turbulentas manifestações do expurgo a que terá de se submeter o planeta Terra para atingir sua nova fase evolutiva. Essa ‘limpeza’ já está acontecendo na Terra. Algumas tradições afirmam que essa estrela se chama Capela e. e todos tiveram o apanágio do livre-arbítrio. desde a chegada desses seres. em detrimento do amor incondicional.jornalista e terapeuta holístico) ___________________ “Segundo a crença espírita. mas intelectualmente 40 . um grupo de seres oriundos de uma estrela longínqua foi degredado para o nosso planeta. milhares de anos atrás. Várias fontes espiritualistas confirmam a existência de Capela e registram a imigração depois de ter ocorrido um processo seletivo na população daquele planeta seguido de explosão. outros se tornaram seres amáveis e humildes. gradativamente. Muitos aprimoraram a inteligência. Os seres menos evoluídos ou que resistiram em evoluir foram enviados para cá. Para a doutrina espírita kardecista.destinada ao recolhimento de exilados de outros planetas. Talvez seja isso que muitas seitas profetizam como ‘juízo final’. esta é uma fase de mudanças.” (José Joacir dos Santos . ela explica que os espíritos aqui instalados passaram por terríveis provações e adversidades ao longo de inúmeras encarnações.

atrofiados. Enfim, todos seguiram por caminhos diferentes, mas tiveram oportunidades para aprender as mesmas lições.” (“Exilados na Terra – Nathalia Leite)

Provavelmente, haverá um momento em que se comprove que Capela não abriga seres vivos inteligentes. Isso porque as pesquisas científicas sobre viventes além da Terra revelam que a eclosão de vida em qualquer parte do cosmo não é um fato tão banal quanto julgam alguns: a vida inteligente, caso exista em outras partes do universo, será um evento raro. E quando ficar evidente, acima de quaisquer dúvidas, que Capela não abriga seres dotados de inteligência, que dirão os defensores da suposta migração de almas? Em passado não muito distante, pessoas falecidas na Terra eram “localizadas” por médiuns nos planetas próximos ao nosso. Vênus, Marte ou Saturno se tornava o novo endereço dos que aqui viveram. No livro “Reencarnação – o Sonho de viver muitas vidas” abordaremos melhor a questão. Por ora, fiquemos com algumas apreciações imprescindíveis para a compreensão do assunto.
“Segundo os Espíritos, de todos os mundos que compõe o nosso sistema planetário, a Terra é dos de habitantes menos adiantados, física e moralmente. Marte lhe estaria ainda abaixo, sendo-lhe Júpiter superior de muito, a todos os respeitos. O Sol não seria mundo habitado por

41

seres corpóreos, mas simplesmente um lugar de reunião dos Espíritos superiores, os quais de lá irradiam seus pensamentos para os outros mundos, que eles dirigem por intermédio de Espíritos menos elevados, transmitindo-os a estes por meio do fluido universal. Considerado do ponto de vista da sua constituição física, o Sol seria um foco na alma primitiva, a inteligência e a vida se acham no estado de gérmen." (Livro dos Espíritos – questão 188 - Allan Kardec).
→ Allan Kardec afirmou ter recebido tais orientações dos espíritos superiores. Hoje sabe-se que essas idéias são infundadas: Marte, Júpiter, o Sol e todos os planetas e satélites do sistema solar não abrigam vida inteligente. Assim, os “espíritos” que orientavam Kardec apresentaram informações inverídicas ― (notem que Allan Kardec declarou ter consultado os espíritos merecedores de crédito). → Se os espíritos falharam ao discorrerem sobre a realidade dos planetas do sistema solar, como se pode dar crédito às revelações sobre as migrações de almas, provindas de Capela e de outras plagas remotas? → O espiritismo supõe que o cosmo regurgita vida. Os seres viventes estariam espalhados por todos os cantos do universo. Dizem relatos espíritas que existem muitos astros habitados por espécimes cientificamente desenvolvidos. Não só planetas, quaisquer corpos celestes servem de residência às

42

almas. Allan Kardec declarou que o sol era utilizado como “ponto de reunião” de espíritos. Estas idéias não são apoiadas pelas pesquisas astronômicas. → Para o espiritismo, a declaração de Jesus: “Na casa de meu Pai há muitas moradas” é uma comprovação de que as criaturas de Deus habitam vários planetas no cosmo. Entretanto, a assertiva de Cristo de modo algum pode ser entendida como ratificação da existência de vida em outros mundos, o contexto em que foi proferida não permite tal ilação. É imprescindível analisar sob que enfoque a frase foi dita, a fim de não chegarmos a conclusão infundada. Jesus dizia carinhosamente aos discípulos que lhes iria preparar lugar no Céu, pois na "Casa do Pai" havia muitas moradas. Fica difícil, baseado nesse texto, fazer qualquer comentário sobre a vida em outros planetas. A frase integra o discurso de despedida de Jesus a seus discípulos, quando o mestre percebia iminente o início de seu flagelo, o qual culminaria com a crucificação. Ele prepara o coração dos colaboradores para os eventos que seguiriam a sua prisão e deixa-lhes uma mensagem de consolo e de esperança. Nada há no discurso de Jesus que remeta à idéia de vida extraterrena. O texto encontra-se no Evangelho de João, capítulo 14. Façamos a leitura: → “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim.

43

Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito; vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos tomarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. E para onde eu vou vós conheceis o caminho. Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho? Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. ...” [Observa-se que não há no discurso de Jesus qualquer insinuação a outros planetas ou coisas semelhante.]

Quando o assunto é vida fora da Terra deparamos muito folclore e pouca coisa objetiva. Desde o primórdio da doutrina kardecista, em meados do século XIX, que médiuns afirmam comunicar habitantes de outros mundos, contudo essas comunicações não resistem a uma avaliação. Os “contatos” com habitantes de Marte, Vênus, Saturno foram muito intensos há até alguns anos...Entretanto, diminuíram grandemente após a Astronomia comprovar a impossibilidade de existir vida em qualquer planeta do sistema solar, além da Terra. Somente alguns visionários ainda insistem. Diamantino Coelho Fernandes é exemplo de médium dito especializado em informações sobre os viventes de outros planetas. Ele afirmava receber recados da Virgem Maria e de Jesus Cristo e, certa ocasião, declarou que

44

Maria o brindara com notícias minuciosas sobre o planeta Saturno. O que deu origem à obra intitulada “A Vida em Saturno”, em cuja introdução lemos:
“Desejo dizer algumas palavras aos leitores deste pequeno livro ditado pelo Espírito da Excelsa Mãe de Jesus, justificando o seu aparecimento após a publicação do Corolarium, considerado a obra mediúnica mais importante aparecida na Terra neste século findante. Saturno vem sendo observado e estudado há muitos séculos por diversos cientistas da astronomia, porém, devido à sua posição longínqua de nosso pequeno mundo terreno, muito pouco ou quase nada se sabia a respeito de sua população, nível espiritual, hábitos e costumes, dados realmente impossíveis de desvendar à simples observação telescópica...Desejando contribuir na medida do possível para o maior conhecimento da vida e costumes dos habitantes de Saturno, eu pedi ao querido Irmão Thomé para consultar a Excelsa Mãe de Jesus, sobre se lhe seria possível obter maiores informes acerca da vida em Saturno... Saturno é um dos planetas mais evoluídos do nosso sistema solar, abrigando uma população de almas encarnadas calculada em cerca de sessenta bilhões. Dizendo almas encarnadas, eu desejo esclarecer que se trata de corpos físicos muito semelhantes aos da Terra, apenas um pouco mais leves, porque constituídos de matéria mais rarefeita. As almas encarnadas em Saturno possuem hábitos muito semelhantes aos da Terra, sendo, porém, mais refinados...”

(A VIDA em SATURNO – Diamantino Coelho Fernandes).

45

Diamantino Coelho é respeitado no meio espírita e seus livros ainda vendem bastante. Ele diz que os saturninos têm uma vivência muito semelhante à nossa. Os saturninos respirariam hidrogênio. vai mais longe. No texto acima vimos que ele intitula um livro de sua autoria de “a obra mediúnica mais importante do século”. A ciência descarta esse sonho: as pesquisas dão conta que Saturno é um planeta inóspito. seriam apenas um pouco mais evoluídos e melhor organizados. Diamantino Coelho. cuja constituição é diferente da Terra. Diamantino Coelho não explica uma série de fatos que tornaria impossível haver vida em Saturno. descreve em minúcias a rotina dos saturninos. Nós respiramos principalmente oxigênio e nitrogênio. e outros do gênero. O mais surpreendente na obra de Diamantino é a afirmação de que Saturno possui vida abundante e uma civilização avançada. Um detalhe. hélio e metano. Garante que as informações lhe foram passadas pela Mãe de Jesus! O escrito de Diamantino Coelho. As tempestades de vento que lá ocorrem fazem os 46 . pelo menos da forma como conhecemos. Essas peculiaridades fariam com que os supostos habitantes de Saturno possuíssem uma constituição orgânica completamente distinta da nossa. é sobre a atmosfera de Saturno. Outro detalhe: em Saturno venta constantemente. ilustra a fantasiosa criatividade de adeptos da reencarnação. dentre vários que Diamantino não aborda. além de “descobrir” vida em Saturno.

porém não existe qualquer dado concreto que dê apoio a tal idéia. No livro nominado “Esoterismo – fantásticas descobertas” apresentamos comentários mais amplos. Sobre a vida fora da Terra. Cientistas dedicados estudam o assunto com invulgar seriedade. Dessa forma. Sucederia que os moradores desses planetas não estariam interessados em ser vistos por nós. criam um “campo magnético” em torno deles que os torna invisíveis. Diamantino não explica como os saturninos enfrentam as furiosas ventanias.devastadores furacões e tufões terrestres parecerem brisas amenas. Jamais poderiam ser como afiançou o médium: “corpos físicos muito semelhantes aos da Terra. 47 .possibilidade que a ciência descarta . multiplicavam-se mensagens mediúnicas alegadamente vindas dos planetas vizinhos. nenhuma comprovação foi encontrada. porque constituídos de matéria mais rarefeita”. mas uma resposta conclusiva até o presente não surgiu. Saturno e outros seriam reais.. O desenvolvimento da astronomia desmentiu tais ficções. Quando o conhecimento sobre o sistema solar era incipiente. Contudo. Caso houvesse vida em Saturno .os que lá vivessem seriam tão diferentes de nós que talvez nem os reconhecêssemos como seres vivos.. Alguns teóricos do espiritismo sustentam que as descrições de vida inteligente em Marte. pois haveria problemas de toda a ordem caso pudéssemos contatá-los. a ciência considera plausível que existam outros viventes no Cosmo. Como exercício de imaginação tudo bem. apenas um pouco mais leves.

que não guardam nenhuma semelhança com a realidade.Em conseqüência. os seres que se acreditava vivessem nos astros do sistema solar. Outros médiuns passaram a fazer contatos com moradores de estrelas distantes. 48 . misteriosamente “sumiram”. Somente alguns renitentes acreditam haver vida nos planetas próximos à Terra e. continuam a receber “informações”. O próprio Allan Kardec proferiu declarações sobre a vida em alguns dos planetas do Sistema Solar.. por conta dessa insustentável crença. Diamantino Coelho é um exemplo dentre muitos..

Jamais poderíamos contemplar o que vemos no mundo: juntamente com pessoas exemplos extremados de bondade. 49 . O espiritismo ensina que. A cada vivência o espírito melhoraria um pouco. É dito que a reencarnação promove o aprimoramento das almas. a pessoa reavalia a vida que levou e prepara o caminho para uma nova encarnação em condições melhores. Desse modo. Allan Kardec declarou que o espírito não regride. não haveria grande distanciamento entre os espíritos. alguns progridem rapidamente. esperar-se-ia que as almas se esforçassem por acelerar a caminhada rumo à máxima evolução. que comprometem a tese. Ninguém pretenderia se atrasar nessa jornada. outros são mais lentos.EVOLUÇÃO DAS ALMAS O conceito de evolução dos espíritos integra a teoria reencarnacionista. Levando em conta o pensamento espírita.. mas apresenta algumas dificuldades. após a morte.. coexiste quem pratique o mal em grau quase inacreditável. está em constante aprimoramento e evoluindo sempre. As diferenças seriam mínimas e devidas a pequenos tropeços. Assim.

A levar em conta a tese. Ela postula que as almas foram criadas “simples” e dotadas de livre-arbítrio para procurarem o que lhes conviesse. vemos que existem diversos pontos que tornam a tese de frágil sustentação. 50 . A hipótese de que algumas almas na corrida pela perfeição adquirem grande vantagem sobre outras. A confusão é tal que convivem no mesmo plano espíritos de alto nível moral juntamente com outros no mais baixo nível da barbárie. Por mais boa vontade que se tenha para com a idéia da reencarnação. pois seria esperável que as almas buscassem ardentemente o bem. contraria a mecânica do processo.→ A teoria da evolução das almas não é muito firme. Se as almas foram criadas em iguais condições. Isso fere a lógica da teoria. As grandes diferenças morais entre os seres não é bem explicada pelas teses espíritas. a maioria dos seres opta pelo mal e atrasa enormemente sua caminhada evolucionista. seria inaceitável conceber que houvesse marcantes diferenças na evolução dos espíritos. ou o bem ou o mal. com igual capacidade de percepção e de entendimento.

A TVP acessa o arquivo “acashico” da Teosofia. Hoje. o que implica aceitar a 51 . promessa de solução dos problemas existenciais O seguinte artigo. do Rosacruz. maçons e do Livro da Vida do Apocalipse.CAPÍTULO 3 Regressão. do escritor José Reis Chaves. traz informes interessantes sobre a regressão de vidas: "A Era da TVP A regressão de memória ou Terapia de Vida Passada (TVP) limitava-se antes a ir só até à vida intra-uterina. ela vai até às outras vidas anteriores do espírito. dos orientais.

Dr. SP. e psicólogos Dr. e não religiosa. Canadá. E conta hoje com o aval internacional de grandes representantes da ciência. Sabe-se. Brian Weiss. T. e nada sabemos”. Morris Netherton. Porém. autora de “Os Viajantes”. mais de um milhão de regressões. a excomunhão! A TVP é uma realidade científica. o canadense Dr. em conjunto. Helen Wambach e Dr. com vários cursos de TVP nos Estados Unidos. e a Dra.reencarnação. tirando dele. todavia. Campinas. recentemente.9: “Somos de ontem. Mas esses dirigentes religiosos vão chegar lá! Depois de mais de 300 anos do Heliocentrismo. Dethlefsen. Catedrático de Psicologia da Universidade de Munique. e o alemão Dr. Alemanha. Obras de TVP desses eminentes cientistas e de outros estão editadas em várias línguas em todo o mundo. que muitos pastores. Roger Woolger. um junguiano que revoluciona a Psicologia Moderna. No Brasil temos as psiquiatras Dra. Catedrático de Psicologia da Universidade de Toronto. Ken Wilber. Dra. e autor de “O Espectro da Consciência”. a maioria dos dirigentes religiosos cristãos prefere defender seus interesses particulares a aceitarem o óbvio. E o certo é que a reencarnação está em várias partes da Bíblia. Maria Teodora. padres e bispos submetem-se sigilosamente à TVP. Bruce Goldberg e Dr. como lemos em Jó 8. a Igreja acabou reconhecendo oficialmente que Galileu estava certo. e que comanda uma equipe de 70 terapeutas que já fizeram. e Presidente da SBTVP (Sociedade Brasileira de TVP). que é a doutrina mais lógica que existe. da UNICAMP. que relutou durante 50 anos em aceitar a reencarnação. como os americanos: psiquiatras Dr. Joel Whitton. o psiquiatra inglês Alexandre Cannon. Maria 52 .

Podem fazer o curso de TVP médicos e psicólogos. mas também de um passado longínquo. 53 . à semelhança de Reis Chaves. Presidente da ANTVP (Associação Nacional de TVP). A era da TVP! (Autor do livro “A Reencarnação Segundo a Bíblia e a Ciência”) Sugerimos que os leitores examinem esse artigo com bastante atenção. Atribui-se à terapia de vidas passadas valor terapêutico dificilmente encontrado em outro segmento da medicina. Informações com os terapeutas Dr. no INTVP (Instituto Nacional de TVP). Luís Carlos Fróis: (031) 3213-8499 e Dr.Aparecida Siqueira Fontana. É a nova era da medicina. Veja se consegue identificá-las. e na ANTVP. em Campinas. quando apresentarmos considerações sobre Brian Weiss. SP. por hora destacamos a manifestação do autor sobre o potencial da TVP: curar os males oriundos do passado recente e traumas originados em vivências remotas. Mais adiante. veremos que o terapeuta norte-americano. Locais: na SBTVP. pois está coalhado de incoerências. No capítulo 11 o analisaremos detalhadamente. A TVP está curando as pessoas de seus males provenientes não só de um passado propínquo. no Rio de Janeiro. Campinas. em Campinas e Belo Horizonte. e muitos outros grandes médicos e psicólogos de todos os Estados brasileiros que o espaço não nos permite citar aqui. de fevereiro de 2003 a julho de 2004. Luís Carlos Braga: (031) 3222 6596. onde tem início uma turma.

ficará fácil admitirmos (ou não) sua plausibilidade. Portanto. É indicada nos casos de: Sintomas físicos: doenças crônicas. medo de se expressar em público. Pesadelos freqüentes. terapia de vidas esteja firmada em teorias de boa fundamentação. culpa. também desenvolvendo novos potenciais. então. pânicos. autocensura. Timidez. com relação à Medos: medos conscientes e inconscientes (apreensão sem causa definida). anorexia. enxaquecas. 54 . abusos sexuais. covardia. fobias. passividade. medo de errar. Distúrbios de alimentação: bulimia. doenças repetitivas. dores e problemas sem possibilidade de diagnóstico médico.afirma que a TVP é superior a qualquer outra técnica médica. insegurança. excesso de sono. síndrome de pânico. despertando talentos e integrando a pessoa com o seu verdadeiro propósito da vida. se conhecermos o embasamento científico da TVP. tensão pré-menstrual. Distúrbio de sono: insônia. Os terapeutas regressionistas indicam a terapia de vidas passadas para uma vasta gama de males psíquicos: “A Terapia de Vidas Passadas poderá auxiliar. → José Reis Chaves declara que a TVP é uma que a realidade científica! supõe-se. inibições. Dificuldades ou bloqueios sexualidade. tensões corporais.

Traumas e bloqueios que limitam ou impedem o desenvolvimento pessoal.com. Relacionamentos difíceis. autodestrutivo. contrariedades. dolorosos. perda de controle. entre irmãos. Ciúmes. social ou profissional. Aversões diversas. Carência afetiva. comportamento Ansiedade. desconfiança. Num primeiro momento é possível admitir que nenhuma técnica médica oferecesse cuidar de males tão variados se não fosse calcada em resultados consistentes. apatia. etc. Problemas de relacionamento familiar. Não é preciso ser especialista em psicologia para perceber que quem promete curas para tão vasta gama de males. Sentimentos bloqueados. conjugal. vícios. revolta. manias. Dificuldades financeiras. profissional ou emocional. tristeza crônica. entre marido e mulher. Compulsões. Preocupação excessiva com o futuro. angústia. impulsividade. da rejeição e do abandono.br/) para A proposta terapêutica da TVP é ambiciosa. dificuldade concretizar e atingir objetivos.” (www. pais e filhos. agressividade. com o uso de uma terapêutica superficialmente conhecida e cheia de contradições. medo da solidão.eradourada. está movido 55 . depressão. possessividade.

para que possamos concluir se a prática tem coerência. Não acontece a prática de uma boa medicina. É como se os espíritos pegassem carona nas regressões para enviarem seus recados. Com a vantagem de ser a hipnoterapia um método melhor sedimentado.unicamente pela paixão. a hipnoterapia pode ser aplicada no trato desses males e dispensar o uso das vidas passadas. que pode estimular a cura em pessoas dadas a superstições. É interessante destacar que a psicoterapia baseada na hipnose (sem regressões a vidas passadas) também oferece alívio para os problemas relatados. Ao examinarmos o discurso da terapia de vidas passadas. A terapia de regressão de vidas entra no processo hipnótico como um ingrediente colorido. Esta é a maneira adequada de formar um juízo seguro sobre o assunto. Ou seja. ou se trata de uma proposta embasada em doutrina sem consistência. → É indispensável examinar-se as postulações da TVP. a empolgação dos adeptos os leva a valorizar excessivamente um método eivado de incertezas. percebemos de imediato a inserção de componentes não científicos. Brian Weiss e Célia Resende produziram textos ilustrativos: 56 . Relatos regressionistas falam da participação de espíritos desencarnados durante as lembranças.

se encaixavam. primeiro entro em contato com as equipes espirituais. Minhas intuições sobre a exatidão de suas experiências estavam corretas. Catherine não podia conhecer aqueles dados. Quem. procuro ajudá-lo com informações esclarecedoras. em harmonia. A equipe espiritual. Uma mão descera e alterara irreversivelmente seu curso. sussurrou ela.Era muita coisa. feitas com um cuidadoso espírito escrutinador e neutralidade cética. Todas as minhas leituras. quando me deparei com vítimas de obsessores. atuando na dimensão astral. utiliza esse campo para 57 . como ocorreu durante uma sessão de terapia com uma paciente chamada Regina. Tinha a prova.E se ela podia revelar essas verdades.. gaguejei... muitas informações específicas. Eu tinha fatos. Depois. Eles me dizem que vivi oitenta e seis vezes em estado físico... cada qual cumprir suas tarefas. o que mais havia? Eu precisava saber mais... Não havia nem onde buscá-los.’ Minha vida jamais voltaria a ser a mesma. Nestes casos. ‘os Espíritos Mestres me dizem. As lembranças e mensagens de Catherine eram verdadeiras. Muitos Mestres – Brian Weiss) __________________________________ “Pude perceber isso em minha prática clínica. para. emitindo impulsos mentais de força eletromagnética capazes de criar um campo de força protetora.” (Muitas Vidas.. conversando com o ser desencarnado. quem está aí? Quem lhe diz estas coisas? ‘Os mestres’.“Meus braços estavam arrepiados.

” (TERAPIA DE VIDAS PASSADAS – Célia Resende) Boa parte dos textos que exaltam as qualidades da TVP seguem a mesma linha desses. Serve. Nos próximos capítulos apresentaremos detalhes da teoria da regressão a vidas passadas.. Depreende-se que a terapia de vidas passadas não se restringe às lembranças de outras vidas: também funciona como canal de comunicação com o outro mundo. Assim.completar o trabalho.. a declaração de que a TVP seja uma realidade científica fica abalada.. ainda. muitas vezes de imobilização do obsessor. isso a aproxima do esoterismo e a distancia da ciência. → Nota-se que diversos elementos ocultistas estão inseridos nos preceitos da terapia de vidas. 58 .e outras aplicações do gênero.. numa forte rede magnética. para identificar a presença de obsessores.

Leiamos alguns comentários ilustrativos: 59 . cujo trabalho será analisado neste livro. porque facilita a descoberta de traumas ocultos e acarreta uma experiência engrandecedora.. Uma terapeuta regressionista.. A TVP garante que lembrar vidas passadas é prática saudável. As declarações dos terapeutas regressionistas são recheadas de otimismo e de garantias de curas quase milagrosas. defende que praticamente todos os males do espírito sejam conseqüência de traumas em vidas passadas.CAPÍTULO 4 Lembranças.

somatória de quantas emoções. às vezes muito doídos." (MARIA APARECIDA FONTANA .são histórias e fatos vividos por nós. no seu próprio inconsciente o segredo para viver melhor e mais feliz.Quem será você? resultado atual de quantos personagens vividos através dos tempos.. podemos ter muitas surpresas.) __________________________________ 60 .formada em TVP pela Associação Brasileira de Terapia de Vida Passada.. Pensando assim dá para começarmos a entender porque as vezes nós nos achamos tão complicados.. O terapeuta ajudará você nesta busca. Abrindo esta caixinha de segredos. Vale a pena abrir este baú.. Vamos buscar respostas para que você possa ser mais feliz e conseqüentemente aqueles que o rodeiam também. portanto merecem muito carinho e muito respeito ao serem olhadas e remexidas. Desatando alguns nós. que ele vem trazendo ao longo do tempo no seu inconsciente.. o estimula a buscar em si. Assim funciona a TVP."TERAPIA DE VIDA PASSADA: DOENÇAS E CURA A Terapia de Vida Passada. Nada mais sendo que um passeio pelo passado. e terá que fazê-lo com muito cuidado...

aumentar potencial que conduz a uma qualidade de vida melhor. Caso a regressão funcionasse da forma como asseveram seus partidários. 61 .Com a regressão e terapia de vidas passadas. liberando o fluxo de energia retido no passado e. Ou seja.. durante a regressão. __________________________________ “O que são Intervidas? Intervidas é o período entre duas encarnações. “recuperar” memórias relacionadas à este período.“A tvp atua fora dos limites do espaço e do tempo fazendo um trabalho de arqueologia da alma.ABEPTVP) Os regressionistas garantem que o período que a alma vive fora do corpo. podemos dissolver os nódulos kármicos.." (CÉLIA RESENDE – Terapia de Vidas Passadas). também pode ser lembrado.” (Trecho de um artigo publicado no jornal da Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas em Terapia de Vivências Passadas . assim. chamado “intervida”. É possível. Normalmente. . teria um alcance jamais imaginado por qualquer outra forma de terapia. ao longo de várias encarnações. buscamos nesta fase memórias relacionadas ao planejamento da vida atual.. Esse procedimento visa à retirada das camadas de defesa cristalizadas sobre a memória. uma após a outra.. é o período em que estamos no mundo espiritual. buscando a origem das dificuldades que afligem a nossa vida.

muitas vezes aflitiva e humilhante. Em contradição. o espiritismo afirma que tais lembranças são danosas: “Em vão se objeta que o esquecimento constitui obstáculo a que se possa aproveitar da experiência de vidas anteriores.o seu renascimento lhe é um novo ponto de partida. poderia turbá-lo e lhe criar embaraços. Se às vezes lhe é 62 . acarretaria inevitável perturbação nas relações sociais. Poderia. do passado. Com efeito. entravar o nosso livre-arbítrio.As lembrança de outras vidas são consideradas altamente saudáveis pelos praticantes da regressão. humilhar-nos singularmente. Havendo Deus entendido de lançar um véu sobre o passado. ao mesmo tempo que o Espírito recobra a consciência de si mesmo. então. Ele apenas se lembra do que aprendeu. é que há nisso vantagem. ou. Em todas as circunstâncias. conforme veremos nos textos seguintes. a lembrança traria gravíssimos inconvenientes. perde a lembrança do seu passado. porquanto. ensina que a recordação de vidas é danosa aos seres humanos.. a lembrança. assim.. adicionada aos amargores de uma nova existência. Ainda aí a bondade do Criador se manifesta. exaltar-nos o orgulho e." (O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO – capítulo V) __________________________________ “Mas. o espiritismo kardecista. há mais de 150 anos. por lhe ser isso útil. um novo degrau a subir. O regressionismo defende que lembrar existências pregressas faz bem. em certos casos.

o índio. talvez. essa intuição é como a lembrança de um sonho fugitivo. em que se depure o sentimento. envolvendo acontecimentos pretéritos. Quanto ao esquecimento. Os Milagres e as Predições Segundo o Espiritismo). Seria impossível incorporar. na medida em que se torne mais sofisticado o cérebro. habilitando-nos a recuperar informações confinadas no inconsciente.Richard Simonetti) 63 . sem perturbador embaralhamento. em múltiplas encarnações. o letrado e tudo mais que já fomos. para que contemplemos o passado sem constrangimento. Chegará o tempo em que plenamente das vidas anteriores? recordaremos Sim.dado ter uma intuição dos acontecimentos passados. __________________________________ “Se reencarnamos para ressarcir dívidas. mas chegaremos lá." (A GÊNESE. o amarelo. em que sejamos capazes de evitar desajustes decorrentes de um embaralhamento de lembranças? Levará milênios.” (Reencarnação: Tudo o que você precisa Saber . funciona em nosso benefício. o rico. o branco. É ilustrativo que muita gente vai parar em hospitais psiquiátricos simplesmente por sofrer a pressão de pálidas lembranças. o negro. o pobre. O resgate de dívidas é apenas parte do processo. o analfabeto. não seria interessante guardar a lembrança delas? Não haveria maior facilidade em aceitar sofrimentos e dissabores que ensejam o resgate? O objetivo primordial da existência humana é a evolução.

a contradição entre o kardecismo e o regressionismo. outros kardecistas. uma reflexão sobre o assunto. Em termos “lógicos” pode-se afirmar que a suposição sobre os malefícios das lembranças tem mais sentido. sob o título “Almas Gêmeas”. (noutro capítulo apresentaremos textos exemplificativos). para concluir que o melhor seria não lembrar.. 64 .Os espíritas que aderiram ao regressionismo parecem não perceber que essa tese agride uma das premissas do kardecismo: o esquecimento das existências pregressas. É difícil conciliar teses antagônicas: uma idéia anula a outra. Basta pensar um pouquinho nas diversas situações que as recordações podem desencavar. alguns espíritas mais atentos se pronunciam contrários ao regressionismo. ou não querem ver. Aliás. como José Reis Chaves (do qual apresentamos diversos artigos neste livro).. Veja no capítulo 9. Não sabemos como conseguirão harmonizar o conflito. abraçam a teoria sem qualquer remorso. ou não vêem. Estes. Porém.

uma dedicada terapeuta regressionista. aprisionado e. uma jovem assessora de imprensa. após um interrogatório traumático. ao ser preso. Ainda assim. deslocando a figura do inquisidor para o meu papel de terapeuta.CAPÍTULO 5 Regressão. acaba denunciando seus companheiros. análise de um caso Analisemos um caso de regressão. É acusado. Ao confrontar um deles antes de ser decapitado. fora considerado traidor. rememora uma vida sua como um homem participante da Revolução Francesa. de 27 anos. relatado por Célia Resende. Isso o deixa transtornado. reestimulada vivenciava o momento do interrogatório. “Adélia. fora abandonado por eles. Enquanto a terapia se desenvolvia. sofrendo torturas insuportáveis. é acusado de traidor. pois. 65 .

deslocando-se o ponto de vista do observador. Assim consegui vencer o bloqueio causado pela fusão das vivências do trauma do interrogatório. e utiliza a terapia de vidas passadas. mudando a realidade para não se sentir traidor. como fizera no passado. conhece assuntos e autores esotéricos como poucos. Com a terapia de regressão. uma apaixonada terapeuta regressionista. Durante quase uma hora. ela seguia em silêncio e com contrações musculares.. qualquer comando era recusado com silêncio. É. conforme declara. até que percebi o que estava acontecendo e decidi comunicar-lhe que ela não precisava responder a mais nada. Um bom caso para avaliação: Adélia. leva-se o paciente a confrontar e superar seus medos e a sair da paralisação que impede sua evolução nesta vida. Das idéias dessa autora faremos adiante uma análise acurada.. também. muda-se o enfoque e. Poderia permanecer calada por quantas sessões quisesse. que no presente ela tentava compensar com o silêncio.” (CÉLIA RESENDE – Terapia de Vidas Passadas – Nova Era – 2000).A cada comando que eu dava. apresentava dificuldades de relacionamento: preferia ficar calada a falar. Célia Resende é estudiosa de temas ocultistas. tentando desta vez não abrir a boca. 66 . Nessa narrativa deparamos uma típica sessão de TVP e a metodologia aplicada na solução do trauma da paciente. a jovem assessora de imprensa. para "desatar os nós do inconsciente".

.são apenas nebulosos desconhecidos.. terminando por delatar os companheiros e por isso recebera a pecha de traidor.não se relata coisa alguma que lhes permita identificá-las.. mais 67 . → Esta é uma característica de muitas das regressões.. A terapeuta conclui que a origem das contradições existenciais da sofrida Adélia não estava em situações vividas nesta existência. sim. a Revolução Francesa a causadora dos problemas de comunicação da paciente! E quem sofreu o trauma não foi Adélia. havia sido preso e torturado.. No entanto. Fora. A profissional não levou em conta as muitas dificuldades embutidas na hipótese de que alguém possa carregar consigo traumas gerados em encarnações passadas. foi uma figura masculina na qual Adélia estave encarnada.nada mais! Os profissionais que lidam com o regressionismo não levam em conta este importante aspecto: a maior parte das regressões são descrições difusas. dessa figura masculina não existem informações que a identifiquem com alguém que realmente tenha existido.. A versão masculina de Adélia. não possuem filiação.Célia Resende investiga o caso e descobre que a moça fora um revolucionário (um homem) durante a Revolução Francesa. talvez da maioria delas: as personalidades recordadas não têm nome. → Célia Resende apresenta esse “diagnóstico” com admirável tranqüilidade: claramente acontece a troca da boa psicologia por suposições nebulosas.

Se alguém está a recordar uma vida passada.assemelhadas a sonhos que a informações reais. Na ótica do regressionismo. O trabalho do psicólogo ou do psiquiatra é auxiliar o doente a superar seus traumas e adquirir uma disposição saudável diante da vida. A visão esclarecida facilita uma postura existencial equilibrada. pouco detalhado. Somente poucas narrativas trazem informes substanciais que permitam uma averiguação da suposta revivência. Muitas pessoas não têm a ventura de crescerem em ambientes psicologicamente saudáveis. Na maioria das lembranças não são apresentados dados importantes para a identificação da personalidade pretérita. A TVP desloca a origem dos desajustes da personalidade. deveria recordar em detalhes quem foi. o que ocasiona desarmonias psíquicas variadas. Os métodos tradicionais de tratamento de fobias e neuroses buscam que o paciente perceba com clareza os eventos que originaram seus desajustes. O problema é que o embasamento para essa teoria é muito frágil. esses desajustes são originados em tragédias acontecidas em vivências passadas. Voltemos ao caso da Assessora de Imprensa: 68 . põe sob suspeição a realidade das lembranças. Sonhar com um roteiro vago.

69 . Na prisão um companheiro o magoou. Vamos acatar provisoriamente a tese de Célia Resende. a moça (na ocasião encarnada num homem) não tivera sorte como agitador: foi preso e torturado. ou com qualquer outra alma mais experiente. mesmo considerando a suposição regressionista. principalmente quando se é inocente. o que o levou a denunciar seus amigos. teríamos dificuldades em entender o porquê da alma de Adélia permitir que a mágoa florescesse indefinidamente. a fim de esclarecer o mal-entendido? Desse modo. ou não conversou com o espírito de seu acusador. Portanto. o trauma a acompanhou séculos afora. que vivera durante a Revolução Francesa e participara de um grupo revolucionário. Resultado: Adélia tornouse uma pessoa com sérias dificuldades de comunicação. A imerecida incriminação feriu profundamente os sentimentos de Adélia-homem e. não refletiu sobre a injusta apreciação.(assim chamado o período que a alma estaria desencarnada) -.. Entretanto. a questão seria equacionada e Adélia se veria livre do trauma. acusando-o de traidor. durante a entrevida .A terapeuta identificou na vida passada de Adélia uma personalidade masculina. ficou incrustada em sua mente. vindo a refletir na coantemporânea personalidade. No caso de Adélia.. durante séculos. Surge uma dúvida: por que ela (ou ele). é doloroso receber uma infamante acusação. para que possamos avaliar a encrenca na qual Adélia se meteu: de fato.

dúvidas.Mais uma questão: da Revolução Francesa até hoje decorreram mais de duzentos anos. tios. seria de supor que Adélia houvesse voltado à vida algumas vezes.. Para o tímido é dificílimo tomar atitudes que os descontraídos assumem com naturalidade. Adélia talvez tenha sido criada de forma repressiva ou. percebe-se que a moça possuía uma "personalidade tímida". Mesmo assim. Atividades que a maioria realiza sem pestanejar. evitava discussões. como pedir informações a um desconhecido. Adélia tinha receio de comunicar-se com outras pessoas: pouco falava. Pais. enfim. coitado. podem ter contribuído para torná-la medrosa. avós. professores. ainda não conseguira solucionar a pendência psíquica! A moça carregava o fardo traumático de uma falsa acusação e passados dois séculos o problema permanecia nela enraizado! Dúvidas... quaisquer pessoas capazes de influenciar a personalidade em formação. sofre só por pensar na idéia.. dúvidas. absorvido medos neuróticos de adultos. A timidez é uma fragilidade emocional que apresenta diversas manifestações. o tímido. que obtêm bons 70 . Daquilo que a doutora Célia contou sobre Adélia. Existem métodos eficazes de enfrentar casos da espécie com as terapêuticas tradicionais. temia defender suas opiniões. O nascedouro de suas angústias certamente seria encontrado no ambiente em que viveu. Imaginando-se que a reencarnação fosse real. quando criança.

o Espírito progride igualmente. traça planos e toma resoluções pelas quais conta guiar-se em nova existência. No Além a criatura realizaria um balanço de seus atos e planejaria a próxima vivência. A idéia de "resíduos" ou "nós cármicos" agride. “. Assim como ao subir-se uma escada um degrau serve de apoio para o passo seguinte. os postulados do espiritismo kardecista. reconhece suas faltas. A idéia de "nó cármico" ou "resíduo cármico" constitui um conflito com a idéia da reencarnação.No intervalo de suas encarnações. no sentido de que aplica ao seu adiantamento os conhecimentos e a experiência que alcançou no decorrer da vida corporal. a Dra. acredita-se que cada nova existência esteja baseada na imediatamente precedente. sem necessidade de recorrer a sonhos de vidas passadas. cada existência representa um passo para a frente no caminho do progresso. Célia concluiu que havia em Adélia um "nó cármico" e se dispôs a desatá-lo. portanto. Desse jeito.. passa em revista o que aprendeu. A conceituação reencarnacionista estabelece que cada encarnação é o resultado da vivência anterior. que é de onde o regressionismo retira seus conceitos. examina o que fez enquanto habitou a Terra.." (A GÊNESE OS MILAGRES E AS PREDIÇÕES SEGUNDO O ESPIRITISMO – Allan Kardec) 71 . na qual buscaria purgar os erros cometidos na vida precedente. uma espécie de escola de aplicação. Contudo.resultados. com a idéia de melhor se conduzir.

Há casos em que o placebo é capaz de debelar doenças. → O placebo é um produto neutro. notadamente quando o doente acredita estar a ingerir um remédio verdadeiro e. por sentir melhora psicológica. Em outras situações. pode suprimir sintomas e ocasionar falsa impressão de cura.O "nó cármico" de Adélia jamais poderia acontecer. destituído de princípio medicinal. mas que ocasiona um resultado aparentemente positivo no tratamento de alguma moléstia. Ao abandonar o tratamento de uma doença grave. apenas afasta temporariamente os sintomas. Os terapeutas regressionistas podem estar a produzir um "efeito placebo". O certo é que a fundamentação dessa prática é incongruente. que não elimina a causa da doença. quando se trata de mal de menor gravidade. É difícil especular sobre o resultado a longo prazo de "curas" com base na TVP. o doente dificulta a cura efetiva. haveria de realizar um retrospecto de sua vida e resolvido a seqüela da falsa acusação. 72 . no Além. visto que ela. ainda.

” (Brian Weiss) O nome de Brian Weiss está ligado à terapia de vidas passadas. mesmo assim os livros do Dr.CAPÍTULO 6 Brian Weiss “Muitos poucos detalhes escapavam à minha capacidade obsessiva de análise. trata-se de um dos mais festejados regressionistas da atualidade. Sua obra mais 73 . De fato. É certo que vários praticantes da regressão não o incluem dentre os melhores representantes da classe. Brian são vendidos aos montes.

” (Lívio Túlio Pincherle – prefácio do livro "Muitas Vidas. Quem é Brian Weiss? Vejamos algumas declarações a seu respeito: “O professor Weiss é psiquiatra e neurologista de renome. o Dr. e da mais alta relevância. autor de trabalhos médicos. com uma série de títulos universitários. O médico afirma ter descoberto um novo caminho na medicina. Brian as defende com a firmeza de alguém que parece saber o que diz. pois. Deixaremos. muito mais eficiente que a metodologia clínica que utilizara até então. 74 . para o final da explanação o uso dos qualificativos adequados. ainda. ou como agressão gratuita. muitos mestres” teve milhões de exemplares distribuídos em todo o mundo. membro das mais importantes associações científicas norteamericanas e. Muitos Mestres"). porque dizer tal coisa sem explicar a razão pode soar como leviandade. alguns dos quais premiados. apesar disso. Brian Weiss apresentou singulares conceituações sobre a terapêutica regressionista. Vamos por ora resistir ao impulso de afirmar que o citado livro contém exposições de pasmante ingenuidade. Essas conceituações ferem postulados das psicoterapias tradicionais. formado pela Columbia University.famosa “Muitas Vidas.

de Miami. fui também residente nos hospitais de ensino da Universidade de Pittsburgh e da Universidade de Miami. Brian Weiss é muito objetivo.“Depois de formar-me com distinção pela Universidade de Colúmbia e de terminar o meu curso na Faculdade de Medicina da Universidade de Yale. Ele tem um currículo excelente" (Walter Negrão empresário) "O que mais me impressionou é que nunca pensei que esse tipo de assunto pudesse ser falado com tanta ciência. Nos onze anos seguinte. fez um livro de boa qualidade literária que não deixa dúvidas". dirigi o Departamento de Psiquiatria do Hospital Mount Sinai.atriz) 75 . publicado artigos e estava no auge de minha carreira acadêmica. eu havia escrito muitos estudos científicos. Não é imaginação.(Cássia Kiss .” (SÓ O AMOR É REAL – Brian Weiss) "Eu o considero um autor sério. A essa altura.

apaixonadamente. depressão. Brian Weiss. Dr. Muitos Mestres” e “Só o Amor é Real”. Faremos comentários sobre os dois mais conhecidos livros do psiquiatra: “Muitas Vidas. Diretor emérito do Departamento de Psiquiatria do Mount Sinai Hospital. 51 anos.“Médico diplomado pela Universidade de Yale. com especialização em psiquiatria na Universidade de Columbia. o médico é dono de uma folha profissional invejável. o Dr. entre outros. em Miami. química cerebral. The Miami Herald. foi professor em várias faculdades americanas de medicina e publicou mais de quarenta ensaios científicos nas áreas de psicofarmacologia. estados de ansiedade. e possui muitos admiradores ilustres. então. um tema controverso.” (Divulgação dos Livros de Brian Weiss. distúrbios do sono.) Sem dúvida. jornais e revistas como The Boston Globe. Sr. Weiss viaja constantemente para dar palestras e promover workshops baseados em seu trabalho. distúrbios causados pelo abuso de drogas e mal de Alzheimer. Vamos. Com tal bagagem. The Chicago Tribune e The Philadelphia Inquirer. 76 . Brian Weiss vem em público defender. conhecer e analisar as idéias de Brian Weiss com a atenção que o tema requer. Escreve para várias publicações acadêmicas. na internet.

mas ela não lhe trouxe as respostas que buscava. na intenção de acessar traumas que pudessem estar bloqueados nas profundezas da mente da moça. ajudou pouco. O médico sentiu-se desanimado. era cético em relação a assuntos como reencarnação. porém. Numa certa sessão levou a moça mentalmente até a idade de dois anos.. Uma de suas pacientes – chamada Catherine – não respondia satisfatoriamente ao tratamento. A ponto de perder a paciência. Brian Weiss ordenou-lhe que regredisse até a época do surgimento dos sintomas. O Dr.se o inesperado não acontecesse..A ADESÃO DE REGRESSIONISMO BRIAN WEISS AO Brian Weiss conta que envolveu-se com as vidas passadas casualmente: antes de sua transformação. e assim continuaria. O hipnotismo. Durante anos tratara de grande número de pacientes utilizando os métodos ortodoxos da terapia psiquiátrica. Weiss recorreu à hipnose. vida após a morte e comunicação com os mortos. 77 .

.. um grande prédio branco com colunas. mas ela não se lembrou de nada importante. Disse-lhe. A jovem discursava como se houvera sido aquela personagem! Deixemos que o próprio Doutor Brian nos conte o caso: “Achei que ela já deveria ter progredido mais..Pasmado.. 78 .. quente e arenosa.C. ‘Aronda... que sobe até uma construção....tenho dezoito anos.Mas Catherine não havia progredido. ‘Vejo uma escadaria branca.Vivemos num vale. A água vem das montanhas até o vale.’ Fiquei confuso...uma túnica feita de pano grosseiro. Existe um poço. em tom firme e claro: ‘volte para a época em que surgiram os seus sintomas’. ouviu Catherine falar de fatos acontecidos com outra pessoa.Não há água.. fui levando Catherine até a idade de dois anos.. aberto na frente. A região é árida. nenhum rio. que vivera muitos anos antes da atualidade.. Eu estava totalmente despreparado para o que veio em seguida.Perguntei-lhe em que ano estava e qual era o seu nome... Lentamente..Estou usando uma roupa comprida. eu disse-lhe para avançar no tempo vários anos e me dizer o que via.’ Depois que ela descreveu mais detalhes topográficos. Vejo um mercado em frente ao edifício. O ano é 1863 a.

.... e jamais deparara com fantasias como essas... Não há para onde correr..Eu estava perplexo! Vidas anteriores? Reencarnação?. Tenho uma filha chamada Cleastra.. muitos sob hipnose... mas não posso..Meu bebê está comigo. não consigo engolir. perguntei-lhe se eu estivera presente em algumas de suas outras vidas.Não posso respirar..buscava acontecimentos traumáticos que pudessem fundamentar.... 79 .Meus cabelos são louros.Ela descreveu a destruição da aldeia pelo que parecia ser uma enchente ou maremoto... datas.’ Ela estava descansando... Vejo meu irmão. Tenho de salvar o meu bebê. Vejo nuvens.. árvores – tudo tão claro!....água salgada. Tenho vinte e cinco anos.Ela é Raquel (Raquel era atualmente sua sobrinha.Eu examinara centenas de pacientes....Estou usando uma roupa marrom longa..). roupas.‘Árvores e uma estrada de pedras.. a água é fria.....Ela não hesitava. essa vida terminara.. Nomes.. ‘Ondas enormes estão derrubando as árvores. E outras pessoas da minha aldeia...Disse-lhe para ir até a época de sua morte.’ Eu estava assombrado. .... Está frio. de tecido áspero e sandálias.seus sintomas atuais..Como ela reconhecera a sobrinha numa vida anterior..

. Você nos ensina símbolos.Além disso. como sempre fazia. ele [o pensamento] me dizia.Seu nome é Diógenes. reencarnação. Esta é a síntese da conversão de Brian Weiss..C... Este nome não era incomum. se examinarmos detalhadamente o relato perceberemos alguns pontos surpreendentes. O ano é o de 1568 a.’ (Aproximadamente 1. surpreendentes viriam.. eu era bastante cético com relação às idéias de vida após a morte.Mantenha a mente aberta. Uma leitura rápida talvez não diga muito. É muito sábio.‘Você é meu professor.Você nos ensina com livros.Mantenha sua mente aberta... Mesmo numa terapia “normal” muitos poucos detalhes escapavam à minha capacidade obsessiva de análise. 80 .. contada pelo próprio. refleti sobre os detalhes da regressão hipnótica. É velho e tem os cabelos grisalhos.Mas eu estava consciente..Veste uma roupa branca (toga) com arremates dourados..da existência de um outro pensamento.200 anos antes do famoso filósofo cético grego Diógenes... a verdadeira ciência começa com a observação. mas eu não compreendo. experiências extracorporais e fenômenos afins. Consiga mais dados. mas.. triângulos. Outras mais Depois que Catherine saiu e durante vários dias.Muitas Vidas.." (Brian Weiss .) A primeira sessão terminara. Muitos Mestres)...

Surpreendentemente. Brian diante do que ouviu de sua paciente foi de confusão e espanto. um psiquiatra não deveria se assombrar tão facilmente: sabe-se que muitas pessoas são capazes de forjar fantasias admiráveis. 81 . Ora. conhecedor das nuanças da mente. Ao ouvir a insólita narrativa da paciente. Essa atitude é de causar admiração. o médico confessou-se “assombrado”. o médico deveria ter buscado esclarecimentos plausíveis para a novidade que presenciara.A reação do Dr. Antes de se deixar dominar pela perplexidade. o terapeuta preferiu se dobrar ante o mistério. visto que advém de um psiquiatra.

. Examinemos com mais atenção a experiência do psiquiatra americano: “Lentamente. não haveria um único evento que a tornara fóbica. mas ela não se lembrou de nada importante. em todo o livro. Brian Weiss pode ter cometido um equívoco: se a moça não lembrava nada importante. Eu estava totalmente despreparado para o que veio em seguida. ou seja. o médico não informa que tenha averiguado tal possibilidade. por internalizarem em suas mentes receios irreais passados por genitores e outros com quem tenha convivido. fui levando Catherine até a idade de dois anos. Algumas pessoas desenvolvem distúrbios psíquicos por receberam durante a formação de suas personalidades pressões negativas repetitivas – (nem sempre existe um acontecimento específico causador do problema) –. Contudo. 82 .. Disse-lhe. ainda. em tom firme e claro: ‘volte para a época em que surgiram os seus sintomas’. talvez os traumas de Catherine tivessem origem indefinida. Ao insistir que a paciente retornasse mentalmente ao período em que seu trauma ocorrera...BRIAN WEISS CONFUSO. ou.

Para entendermos como funciona a regressão a vidas passadas. opera com os mecanismos lógicos (lógica dedutiva e lógica indutiva). Já a mente subjetiva não utiliza os mesmos mecanismos (opera somente pela indução): é imaginativa e sensível a sugestões.A hipnose pode levar o paciente a responder à sugestão com fantasias: inconscientemente simula ter vivido uma aventura que não aconteceu. Quando o paciente aceita sem reservas a indução que o terapeuta lhe faz. Alguns admitem como satisfatória a tese de que a mente seja 83 . Um exemplo do funcionamento da mente subjetiva temos nos sonhos. Uma teoria admite que nossa mente apresente duas faces. é preciso que tenhamos informações sobre algumas peculiaridades do hipnotismo. → Convém lembrar que o conceito de inconsciente é vago e tem sido objeto de muitas discussões. Se não houver uma resistência mental forte (por exemplo: preconceitos enraizados. A maioria de nossos sonhos têm peculiaridades que não se amoldam à realidade: sonhamos que estamos a cair de grande altura e não nos machucamos. etc. convicções morais). conversamos com pessoas falecidas sem questionar a ilogicidade do fato. que podem ser denominadas mente objetiva e mente subjetiva (também chamada de inconsciente). A mente objetiva é a que usamos no dia a dia. torna-se cooperativo e pode criar fabulações com facilidade. vivemos aventuras que jamais viveríamos na realidade. o paciente acatará as palavras do hipnotizador e responderá sonhativamente ao que lhe for apresentado.

hipnotizada. Indivíduos sob hipnose podem apresentar resistência física inacreditável. A dúvida maior é definir até que ponto a resposta do hipnotizado seria um eco à sugestão. Os tímidos temem ser postos em evidência. outros são reservados quanto à essa idéia. num dia de muito calor. Seja como for. O hipnotismo apela à mente subjetiva e se esta acatar a sugestão agirá como se estivesse vivenciando uma realidade. Se. Diversas teorias sobre o hipnotismo existem. então as aplicações da hipnose ficam restritas a problemas específicos e não se prestam à rememoração de vidas passadas.dividida em dois segmentos: consciente e inconsciente. dissermos a alguém que está fazendo frio. A questão maior é que o termo "inconsciente" se presta a diversas idealizações mais chegadas ao mundo da fantasia que a uma concepção plausível. ele rirá de nós. mas hipnotizados são capazes de agir descontraidamente. Entretanto. essa mesma pessoa tiritará como se estivesse acossada por forte friagem. ainda não se formulou uma definição consensualmente aceita sobre os mecanismos da hipnose. Porém. para efeito de explicação do que aqui se propõe. Se for estabelecido que a reação do paciente seja sempre resultado da sugestão. 84 . e muito mais. podem ter a mente aguçada e lembrar de coisas há muito esquecidas. é certo que a mente acata sugestões e a elas responde. utilizaremos a expressão.

Entretanto. Pensa-se que quem for hipnotizado estará completamente dominado e responderá. ou. O autor comenta peculiaridades do tratamento psicanalítico auxiliado pela hipnose. Vejamos a opinião de um estudioso da terapia hipnótica: “As vezes. hábitos adquiridos ou reflexos. mesmo com a ajuda do controle hipnótico é ineficaz ou desnecessário.Os psicólogos e psiquiatras que recorrem à hipnose geralmente fazem-no com as cautelas adequadas. porém. (3) ao fato de não haver qualquer incidente crucial causando o transtorno. Nem sempre existe 85 . O leigo normalmente tem sobre o hipnotismo uma idéia incorreta. Isso pode ser devido: (1) ao fato de o transtorno funcional ou neurose atacada se basear num incidente crucial extremamente difícil de descobrir. o método psicanalítico.O Hipnotismo Sem Mistério). a tudo o que lhe for indagado e fará tudo o que lhe for ordenado.. a fim de evitar que fantasias desviem o rumo do tratamento.ou. (2) ao fato de o incidente crucial que foi o fator original que causou o transtorno ter sido desde então suplantado por outros fatores (por exemplo. relações sociais ou atitudes).. sem mentir. Rhodes . parece os terapeutas regressionistas são menos rigorosos." (Raphael H.

facilmente alcançadas por meio da sugestão hipnótica. o que faz. contribuem para o imerecido preconceito acadêmico em relação a esta técnica. médico psiquiatra. incluindo psiquiatras e neurologistas. expondo pessoas incautas a situações ridículas. Agindo assim. também são adequadas as palavras do Dr. Paulo Urban: “Exatamente! Há ainda muita desinformação em relação a hipnose. Muitos ainda tomam a hipnose por algo mágico. ainda vemos charlatães exibindose nas tevês. pode estar perdido nas brumas do passado e ser de difícil recuperação. chegam ao século XXI com sérias dificuldades para compreender tal fenômeno psíquico. misturar a hipnose com crenças pessoais e fé religiosa. caso exista. ainda mais. Ainda há aqueles que se valem dessa técnica para tentar provar a tese da reencarnação ou mesmo as tais ‘abduções por discos voadores’ – e decididamente a hipnose não se presta para provar nada disso -. Grande parte da classe médica. também muitos psicólogos e psicanalistas. Por outro lado. acupunturista e hipnoterapeuta. Todas essas situações devem ser levadas em conta por quem utiliza a hipnose terapeuticamente. O Dr. ou. De forma semelhante. Paulo Urban toca num quesito importante no que tange à regressão: “a hipnose não se presta a nada 86 .” (Dr. Paulo Urban.um trauma específico. ou a confundem com mero exercício de relaxamento. em entrevista concedida à Editora Saraiva).

A análise psicanalítica procura justamente desencavar o porquê dos sintomas que o paciente apresenta. Podemos dizer que a utilização do hipnotismo como ferramenta auxiliar na psicoterapia tem indicações definidas: em algumas aplicações os efeitos positivos são palpáveis. Lembramos também que Freud durante algum tempo fez uso da hipnose no processo psicanalítico e depois abandonou o procedimento. Uma possibilidade é que tenha concluído que as muitas fantasias que brotavam das mentes sob controle hipnótico. em vez de ajudar criava um óbice à análise do paciente.disso”. Há quem acredite que Freud não se mostrava satisfeito com o fato da hipnose eliminar sintomas sem trazer à tona a origem do problema. em outras os resultados são discutíveis. 87 . Ainda hoje se discute o porquê de Freud ter descartado a hipnose na psicoterapia.

.. (Brian Weiss) É surpreendente a reação de Brian Weiss ao ouvir Catherine apresentar-se como se fora outra pessoa: o médico parece ter deixado de lado a cautela com que deveria avaliar o caso: “Fiquei confuso. Não 88 . levara a mente da jovem até a idade de dois anos (“fui levando Catherine até a idade de dois anos”).. reencarnação. Brian Weiss. No entanto. Ora. considerando a forma como interrogou a moça somos levados a outra conclusão.. experiências extracorporais e fenômenos afins..Perguntei-lhe estava e qual era o seu nome..“EU NÃO ACREDITAVA EM REENCARNAÇÃO”. Acompanhemos: Ele diz ter ficado confuso e pedido a Catherine que lhe informasse em que ano estava. A atitude do médico dá a entender que ele esperava por algum acontecimento que lhe permitisse extravasar seus anseios ocultistas." em que ano Brian Weiss dissera que até conhecer Catherine jamais acreditara em reencarnação e muito pouco sabia do assunto ― (“eu era bastante cético com relação às idéias de vida após a morte.”). no episódio.

Contudo. Se não cogitasse em vidas passadas. → Brian Weiss quer nos convencer que sua conversão aconteceu graças a uma experiência inesperada. Tem-se a impressão de que o enredo fora preparado para que o “espetáculo” acontecesse. até aquele instante a idéia de reencarnação não lhe passara pela cabeça. a pergunta soa completamente sem nexo. ele estaria dirigindo a indagação a uma menina com dois anos de idade. o evento que apresenta para explicar essa transformação leva-nos ao entendimento de que sua mente 89 .havia lógica em indagar a uma criança de dois anos em que data se encontrava. Brian Weiss assegura que a possibilidade da reencarnação surgiu-lhe somente depois que Catherine começou a falar de outras personalidades.. segundo o próprio médico. levando-se em conta as circunstâncias em que o diálogo transcorreu somos obrigados a concluir de forma diferente. Notem que.. Isso põe sob suspeita a explicação de que sua conversão ao reencarnacionismo foi casual. Sem que a hipótese reencarnacionista estivesse presente na mente do médico a pergunta fica sem sentido.. Não havendo uma inclinação prévia do médico para a reencarnação tudo o que Brian Weiss nos conta perde a coerência. que o obrigou a rever seus conceitos. A indagação seguinte foi ainda mais insólita: perguntou qual era o nome da moça. Portanto.. Acontece que. pois ele sabia qual era o nome dela.

já estava plenamente regressionismo. receptiva ao 90 .

A região é árida. pelo menos não da forma como nos diz. quente e arenosa. (antes de Cristo). outro dificultador se apresentaria: a mente da moça teria 91 . É muito sábio. Catherine primeiramente lembrou que fora Aronda. nenhum rio.C. Aronda não poderia se referir às datas do modo como fez. ela jamais saberia tão detalhadamente as épocas em que os episódios aconteceram.” Nesse trecho a paciente identifica com admirável exatidão datas remotas. mas eu não compreendo. O ano é o de 1568 a.. triângulos. Existe um poço. A referência que Aronda faria à época em que estava seria algo como: “estou na época do rei Fulano”. a expressão a. No passado era comum a contagem de tempo baseada no período de vida dos governantes.C. “Você nos ensina símbolos.. Além disso. obviamente. uma moça que vivera no ano de 1863 a. aceitássemos que Catherine estivesse a recordar existências pretéritas.A PRODIGIOSA MEMÓRIA DE CATHERINE “O ano é 1863 a. Mesmo que.".C.C. A água vem das montanhas até o vale. por hipótese. seria desconhecida para Aronda Ainda que fizéssemos uma concessão à misteriosa capacidade de Catherine de saber com precisão as datas. porque naquelas épocas o decurso do tempo não era medido como se faz hoje.

Para quem dizia que até então não acreditara no assunto. O ano é o de 1568 a. Você nos ensina símbolos. É muito sábio. Ela lera ou ouvira relatos sobre civilizações antigas e. durante a hipnose.Veste uma roupa branca (toga) com arremates dourados.Seu nome é Diógenes..C.. Uma pessoa que não acredita em determinada idéia. a brusca mudança de atitude é de espantar..... elaborara mentalmente um enredo para atender ao que o médico lhe pedia. É mais coerente admitir que Catherine fantasiara com informações armazenadas em sua mente.. ‘Você é meu professor. 1568 a. mas eu não compreendo. antes de acatar o que não lhe parece coerente. Na continuidade da sessão terapêutica Brian Weiss se mostra conquistado pela perspectiva reencarnacionista. perguntei-lhe se eu estivera presente em algumas de suas outras vidas..C..de elaborar um complexo exercício matemático. irá exaurir as possibilidades de esclarecer um fenômeno por outras vias.C." 92 . triângulos. conhecer os variados calendários utilizados em diversos períodos da história e ser bastante versada em História antiga para poder estabelecer precisamente as épocas ― observe-se que as referências às datas são minuciosas: 1863 a. É velho e tem os cabelos grisalhos. A deslumbrada aceitação daquilo que lhe era desconhecido contraria o discurso do médico. “Como ela reconhecera a sobrinha numa vida anterior.Você nos ensina com livros.

em tom firme e claro: ‘volte para a época em que surgiram os seus sintomas’. 93 . Outra dúvida: qual seria o mecanismo que permitia à moça identificar as pessoas de seu passado com tanta facilidade? Mal o médico lhe indagou se ela o vira nalguma de suas vidas....O profissional atira-se cegamente no contexto imaginário que a paciente lhe apresenta: logo quis saber se estivera presente em alguma das vidas da moça. Somos levados a inferir que Brian Weiss precisava de alguém como Catherine.. fui levando Catherine até a idade de dois anos. Catherine imediatamente surgiu com um enredo contendo a "participação especial" de Brian Weiss. que deve estar presente quando se avalia um fato incomum..Mas Catherine não havia progredido. Observa-se claramente a propensão ao esoterismo e o abandono da prudência. para extravasar seus devaneios místicos e a jovem.Ela informa ao médico que ele fora contemporâneo seu em outra vida e ele aceita a "revelação" sem qualquer crítica! Voltemos ao evento que motivou a transformação de Brian Weiss... para destacar outras dificuldades na história: “Achei que ela já deveria ter progredido mais. Eu estava totalmente despreparado para o que veio em seguida. Lentamente.. deu ao médico as respostas que ele almejava. mas ela não se lembrou de nada importante. plenamente receptiva. Disse-lhe.

. mas a sensação de estar sufocando não a abandonava. porque “a época em que os sintomas surgiram” não foi exatamente a relatada pela paciente. Com essa atitude ele esperava que algum esclarecimento brotasse da mente da moça.C. nenhum rio.. quente e arenosa... Brian Weiss vasculhou a infância da moça e encontrou alguns eventos dolorosos.‘Vejo uma escadaria branca. aberto na frente.. Somente depois de Brian Weiss ter 94 ..Estou usando uma roupa comprida.. Catherine apresentou “quase” a resposta buscada. Não haviam causas físicas que explicassem o problema.Perguntei-lhe em que ano estava e qual era o seu nome. Por conta dessa ordem taxativa. A região é árida. Sim. Existe um poço..tenho dezoito anos.... que sobe até uma construção. Vejo um mercado em frente ao edifício.uma túnica feita de pano grosseiro.Não há água. foi decisivo: “disse-lhe. ‘Aronda. visto que o motivo da fobia não vinha à tona.Vivemos num vale. que periodicamente a dominava. O ano é 1863 a.. um grande prédio branco com colunas.. a resposta estaria em algum trauma vivido pela paciente.' Uma das queixas de Catherine era uma inexplicável sensação de sufocamento..’ Fiquei confuso. tudo indicava que havia alguma coisa oculta. Já quase perdendo a paciência. A água vem das montanhas até o vale. em tom firme e claro: volte para a época em que surgiram seus sintomas”.

Analisemos com maior atenção a alegada origem do sofrimento de Catherine. Finalmente.Não posso respirar..esquadrinhado o panorama descrito por ela é que a “resposta” apareceu. Nomes..seus sintomas atuais.. “esclareceu-se” o motivo da fobia de Catherine: ela fora tragada por um maremoto. não consigo engolir.. a água é fria...C... ‘Ondas enormes estão derrubando as árvores. Não há para onde correr. muitos sob hipnose. “Eu estava assombrado.. Está frio.... numa existência vivida em 1863 a.Ela não hesitava. datas...Disse-lhe para ir até a época de sua morte. roupas.....buscava acontecimentos traumáticos que pudessem fundamentar. até poder satisfazer à exigência do médico.água salgada. Ao receber a ordem para voltar à época em que os sintomas surgiram.. árvores – tudo tão claro!." A mente da paciente gradativamente construía o enredo. a moça mostrou que o trauma estava realmente escondido: sua mente “viajou” quase quatro milênios no passado! 95 .. mas não posso. e jamais deparara com fantasias como essas.Ela descreveu a destruição da aldeia pelo que parecia ser uma enchente ou maremoto. Tenho de salvar o meu bebê..Eu examinara centenas de pacientes.

por mais boa vontade que quiséssemos ter para com as alegações de Brian Weiss. Oitenta vidas carregando o mesmo trauma! Nem mesmo Célia Resende com a história de Adélia. ‘os Espíritos Mestres me dizem. mesmo assim.' Pois é: mais de 80 vidas depois do afogamento Catherine ainda carregava os efeitos psíquicos da tragédia! Por que será que o Dr. que analisamos no capítulo 5. sussurrou ela. ousou tanto! 96 . Brian não se perguntou como pôde Catherine enraizar um trauma durante tantas existências?! Lamentavelmente... Suponhamos que a paciente estivesse de fato recordando vidas passadas. Deduzimos isso com base nas declarações dos “mestres”. Em encarnações próximas daquela em que sucedeu o drama. Eles me dizem que vivi oitenta e seis vezes em estado físico. que revelaram a Catherine que ela vivera 86 vezes ―(os mestres são personagens que surgem como que do nada e passam a participar do trabalho terapêutico) : ‘Os mestres’. a alma da moça haveria de ter resolvido o problema.Não sabemos se essa teria sido a primeira “encarnação” da moça. mas deve estar dentre suas vidas iniciais. seria inaceitável que os efeitos da experiência traumática persistissem por tantos séculos. ficaria muito complicado aceitar tão disparatada explicação para a fobia de Catherine.

de acordo com o grau de entendimento. Leiamos uma explanação de um teórico regressionista sobre o que sucederia durante a entrevida: “TERAPIA DE VIDAS Toda vez que a alma deixa de ter um corpo físico. assim como informações sobre vidas anteriores. com o auxílio de mestres e conselheiros. vai receber assistência de outras almas e mestres que a ajudarão na transição e na adaptação para o estado de consciência do plano espiritual. temores ou desconfortos físicos e emocionais que ela possa estar apegada. O objetivo é avaliar o desempenho na última encarnação. Neste momento ela tem acesso às informações relativas ao planejamento que fez antes de encarnar pela última vez. Esta assistência objetiva a estabilização dos estados mentais e emocionais que estiverem em desarmonia em conseqüência das experiências da última existência e da própria morte. A alma avalia o que aprendeu. põe por terra a idéia de que os espíritos progridam nas diversas vidas. Depois que a alma é consolada e revitalizada. toma consciência das 97 . É feito um "inventário" daquela existência. vai ser conduzida para determinados lugares no plano espiritual onde. ela faz uma avaliação da última existência no plano material.Uma dor que se agarre à alma de alguém por tantas “encarnações”. Neste momento ela obtém alívio de todas as dores. recuperando o equilíbrio no plano espiritual. num primeiro momento.

ainda.” (http://www. dos objetivos que não conseguiu atingir e do que necessita.eradourada. Brian Weiss começou mal a apologia das vidas passadas. Seus muitos admiradores incrivelmente não percebem as incongruências embutidas em suas idéias. 98 . Este projeto também pode ser chamado de missão da alma ou de destino.... como poderia a alma de Catherine carregar consigo uma lesão por tantas vidas?! Difícil.com.partes do aprendizado que teve maior dificuldade. desenvolver ou aperfeiçoar.br) Com toda a assistência que se diz os espíritos receberem na entrevida.. Com base nisto tudo e com a orientação destes conselheiros é elaborado o projeto de uma nova existência.

Brian diversas aventuras em algumas de suas sonhadas vidas. a leitura dos relatos de Catherine expõe certos detalhes que não harmonizam. Contudo. O médico. muito eufórico. Na primeira vida recordada ela afirma que vivera num local inóspito: 99 . aceitou todas sem sequer piscar os olhos.CAPÍTULO 7 Mais Dúvidas Catherine relatou ao Dr.

“Vivemos num vale. a água é fria.Não posso respirar.pena que a moça não apresente qualquer informação objetiva que permita identificar onde foi que a hecatombe sucedeu. Talvez se argumente que seja o relato de um grande cataclismo.. que lhe causou a morte: “Ondas enormes estão derrubando as árvores.27. temos o mar que invadiu o semideserto..pode ser. mas não posso. Muitos Mestres..... A região é árida. págs...” (Muitas Vidas. Um vale entre montanhas.água salgada.. que fez com que o mar avançasse muitos quilômetros pela terra.as árvores! A narrativa soa sem consonância.Fica a sensação de que a história não está bem contada... Existe um poço. Não há para onde correr. encontramos nova situação controversa: 100 .. não consigo engolir.28) Mais adiante informa que o local fora tragado por um maremoto. Além das árvores que “magicamente” brotaram no terreno árido. Tenho de salvar o meu bebê. Um local árido e arenoso.. nenhum rio. Está frio. Depois é dito que o mar invadiu a aldeia e tragou.” A descrição inicial refere-se a uma região longe do mar. quente e arenosa. A água vem das montanhas até o vale. Noutra parte da obra.. cuja vegetação seria rala.

Estou feliz.ele me abraça. Mas o que interessa destacar é a referência ao papel....Ainda que desejássemos ser tolerantes e concluir que se trata de uma pequena confusão..Há oliveiras e figueiras no pátio. papiro.. Muitos Mestres. A partir daí outras dúvidas se tornam patentes: como pôde Catherine recordar sem hesitação datas remotas e depois contemplar pessoas escrevendo em pedaços de papel..C.. O médico não exibe real interesse em investigar o caso com a seriedade necessária. como letras. pág. As pessoas escrevem em pedaços de papel. a realidade é que naquele tempo remoto não havia coisa alguma semelhante ao papel. O uso do papel ganhou predominância há poucos séculos. Brian Weiss não explica como Catherine presenciou pessoas utilizando um material que ainda não existia.. Os variados enganos de Catherine deixam dúvidas sobre a veracidade das lembranças. São rabiscos engraçados. Este foi inventado na China.. no início da era cristã.. No passado utilizaram-se materiais diversos para registros escritos: pedras." (Muitas Vidas. e mais tarde. que lhe permitia relembrar datas recuadas com notável facilidade. material inexistente na época? Faz sentido concluir que Catherine 101 . Neste trecho a vemos repetir a façanha.. atitude que contraria sua declarada capacidade obsessiva de análise..“.. da memória prodigiosa de Catherine.É 1536 a. em capítulo anterior..Meu pai está lá. Ele faz vista grossa às narrativas equivocadas de sua paciente. muito tempo depois da data citada na fantasia de Catherine. 36) Falamos. o pergaminho.. barro..

nada de sobrenatural ou incomum havia na regressões de Catherine: suas histórias são muito pobres para servirem como confirmação às lembranças de vidas passadas. 102 .fabulava com as poucas e superficiais informações que lera ou ouvira sobre civilizações do passado. Portanto.

pois Deus está em cada um de nós’ “Reconheci a voz do estado intermediário pela rouquidão e pelo tom inegavelmente espiritual da mensagem.. Brian Weiss passa a mero registrador das assertivas mitológicas da moça. respirando com dificuldade. “os mestres”. Após algumas sessões. ‘Dizem que há vários deuses. O tratamento psiquiátrico propriamente dito é interrompido. O que ela disse em seguida me deixou sem fôlego..BRIAN WEISS DESLUMBRADO. que. surgem outros personagens. se deixa conduzir pela paciente. como se estivesse explorando uma cena." 103 . utilizam Catherine como canal para suas mensagens: “Sua cabeça começou a rolar lentamente de um lado para o outro. segundo o Dr. O médico.. em vez de dirigir a terapia.. maravilhado ante as revelações de Catherine. Weiss.

O coração de seu filho também era importante. → 1 Observa-se no discurso do “mestre” um acontecimento comum em contatos mediúnicos: os espíritos respondem conforme a crença dos receptores. num meio onde a reencarnação não seja aceita. os espíritos a condenam. o que mais havia? Eu precisava saber mais. Quem. muitas informações específicas.. Não havia nem onde buscá-los. acredita que uma pessoa possa pagar dívidas cármicas de outras.. porque estava invertido.'.. como o de uma galinha. os mestres se pronunciaram favoravelmente ao assunto. Brian Weiss.. Ele fez um grande sacrifício de amor a você.Sua morte pagou as dívidas dos pais . Em ambiente onde se creia na reencarnação. quem está aí? Quem lhe diz estas coisas?” 104 . “Meus braços estavam arrepiados. desse modo. Ele também quis lhe mostrar que a medicina tem limites. A alma dele é muito 1 evoluída.. Seu pai diz que você o reconhecerá porque ele se chama Avrom e seu filho tem o mesmo nome.. que é pequeno.Era muita coisa. gaguejei. que seu campo de ação é muito limitado..E se ela podia revelar essas verdades.‘Seu pai está aqui e o seu filho. Catherine não podia conhecer aqueles dados. No caso presente. as almas falam positivamente do assunto.... ou Catherine. Ele morreu do coração.

" (Muitas Vidas. Eles me dizem que vivi oitenta e seis vezes em estado físico. Muitos Mestres. sussurrou ela. A partir daí o terapeuta se deixa definitivamente convencer pelas divagações de sua paciente e delas se torna dependente: “ ‘..? E para aprender suas lições?’ . Ela parou de novo. ‘O que posso fazer para ajudar melhor Catherine a superar seus medos.. A prova era forte demais e irresistível.. As lembranças e mensagens de Catherine eram verdadeiras. acrescentei. 105 .‘Os mestres’. Todas as minhas leituras.Você vai entender. feitas com um cuidadoso espírito escrutinador e neutralidade cética.. Minhas intuições sobre a exatidão de suas experiências estavam corretas... ‘os Espíritos Mestres me dizem. 50-53) Os mestres conquistam o médico. se encaixavam. Você compreende’. Uma mão descera e alterara irreversivelmente seu curso. Eu tinha fatos.. Tinha a prova. Então decidi voltar a atenção para Catherine. pág. Era verdade.’ “Minha vida jamais voltaria a ser a mesma.... A fantasiosa “prova” de que almas alienígenas haviam embarcado na mente de Catherine é por Brian Weiss classificada como “forte demais”. Talvez os mestres ainda estivessem presentes. realmente ‘Estou tentando’.

Quando a moça lhe falou sobre seu pai e seu filho. mais do que de Catherine. que pudessem subsidiálo na análise do caso de Catherine..’ ‘. a não ser que realmente estivesse a ouvir as revelações dos “mestres”. 77... Mas é por você.. Tenho tanto a ‘Você será orientado quando chegar a hora'. Fica difícil aceitar que Brian Weiss não dispusesse de informações sobre pesquisas na área da parapsicologia. É magnífico que o terapeuta tenha esquecido toda sua formação e buscado conselhos junto ao desconhecido.Preciso de aprender. a única forma de explicar o conhecimento da paciente sobre assuntos íntimos de sua vida seria pela via sobrenatural. 106 ..” (Muitas Vidas. ‘O que você está fazendo está certo. ‘. Brian estupidificado e ele não se acanha de pedir-lhes orientações sobre qual seria a melhor forma de tratamento a aplicar em Catherine.78) Os mestres deixaram o Dr..Sim o que dizemos é para você. e mesmo no campo da psicologia.’ orientação.. Muitos Mestres..A resposta veio na voz profunda do Mestre poeta. o médico concluiu que não havia modo dela saber do acontecido...’ Novamente a mensagem dizia que o benefício era meu.. pág. Para ele. e não por ela..

Vejamos duas hipóteses: 1. conhecido como hiperestesia. 107 . Quando hipnotizada. Mais adiante falaremos do assunto. Brian deveria ter interrogado cuidadosamente a paciente a fim de averiguar essa possibilidade. A moça teria ouvido. foi-lhe fácil elaborar um enredo baseado nas informações de que dispunha. sem necessidade de utilizar-se manifestações sobrenaturais. comentários sobre os casos e estes ficaram registrados em sua mente.Esta conclusão é um tremendo engano! Havia outros meios de Catherine saber dos acontecimentos. por meio de um fenômeno bastante estudado pela Parapsicologia. as tragédias da morte do pai e do filho eram de conhecimento de diversas pessoas. O Dr. outra hipótese é a de que Catherine possa ter captado o pensamento emocionado do médico sobre seu filho. Certamente. 2. ou mesmo lido. Diversas explicações podem ser apresentadas. mas não o fez. Catherine deve ter obtido informes da vida do médico por meios comuns.

Minhas intuições sobre a exatidão de suas experiências estavam corretas. Eu tinha fatos. as intuições não serão corretas. Tinha a prova. Uma mão descera e alterara irreversivelmente seu curso. Não é se deixando levar pela primeira impressão que se faz boa ciência. A intuição pode formular idealizações falseadas.. se encaixavam.” (Brian Weiss) Essa fascinada manifestação não coaduna com a “neutralidade cética”. As lembranças e mensagens de Catherine eram verdadeiras..“Minha vida jamais voltaria a ser a mesma. Porém. 108 . feitas com um cuidadoso espírito escrutinador e neutralidade cética. deveria ter confirmado essa idéia preliminar por meio de cuidadosa investigação. nem sempre a intuição nos transmite as respostas corretas. O médico acreditava que sua intuição lhe desse o perfeito parâmetro de avaliação. Se a intuição do médico lhe dizia que a manifestação de Catherine era sobrenatural. da qual Brian Weiss declara ser dotado. Se nossa mente for suprida com idéias inadequadas. Todas as minhas leituras.

por outro lado. Mas essa aparência é enganosa.” (Compêndio Moderno de Filosofia – Denis Huisman e André Vergez) Diante da ingênua euforia do médico concluímos pelo seu desinteresse em pesquisar seriamente o caso. ele é mais seguro que a intuição... E é necessário.. 109 . puramente subjetivos. que a intuição seja controlada... pois não me revela o mundo em si mesmo.. Ele apenas esperava algum fato que confirmasse suas expectativas místicas. Catherine atendeu aos desejos reprimidos do terapeuta. por equações abstratas. ao passo que a ciência discursiva substitui a realidade sensível conhecida intuitivamente. O raciocínio científico é que é verdadeiro. mas.. ainda.. graças aos pacientes rodeios dos processos discursivos. é preciso não esquecer que as intuições mais válidas. A intuição sensível é que é falsa. são a recompensa de um paciente trabalho discursivo. Tão entusiasmado ficou ante a “revelação” que deixou de lado a cautela..O discurso não é um obstáculo à intuição autêntica. Se o discurso é mais lento. verificada em seguida por operações discursivas.“Aparentemente a intuição me revela o ser profundo das coisas. que seria um predicado indispensável nesse episódio.é a sua condição de existência e sempre a garantia de sua validade. freqüentemente. já que é relativa aos meus órgãos sensoriais. por sistemas de relações entre símbolos de caráter puramente artificial. porque me permite descobrir relações objetivas entre os fenômenos.

Um hiperestésico consegue captar tais reflexos e traduzi-los extraconscientemente. dentre os fenômenos ditos parapsicológicos. possibilitando a percepção de sensações muitos tênues. estudos mostraram que quando pensamos nossas cordas vocais vibram como que refletindo os pensamentos. Podemos definir a hiperestesia como uma exacerbação dos sentidos. talvez seja o mais comum. mais intensas serão essas vibrações. Quanto maior é a carga emocional envolvida. É sabido que os pensamentos descarregam sutis vibrações no corpo. porém.A Hiperestesia Algumas pessoas parecem ser dotadas de uma singular capacidade: conseguem captar e interpretar as emoções de quem lhe está próximo. Certos sensitivos são hábeis em perceber algumas dessas manifestações. o que dá a impressão de que a pessoa tenha a capacidade de “ler” pensamentos. A esse fenômeno a parapsicologia chama hiperestesia. Os pensamentos provocam no corpo diversos ecos. em algumas pessoas essa característica estaria mais aflorada. todos seríamos sensitivos. Por exemplo. → A hiperestesia é uma ocorrência bastante estudada pela parapsicologia e. De certo modo. 110 .

→ Há quem entenda a hiperestesia de outra maneira: pelo menos parte das percepções não resultaria de exaltação sensorial. No caso em questão. sim de uma capacidade aprimorada de “ler” as mensagens do corpo. Quando comunicamos verbalmente com alguém. O hiperestésico não tem controle sobre as manifestações. além das palavras. mas suas peculiaridades ainda estão em estudo. Alguns ambientes e situações são capazes de ativar episódios hiperestésicos admiráveis. Catherine pôde senti-la. existe a possibilidade de que algum estímulo tenha trazido a lembrança do pai e do filho à mente do médico e. O fenômeno é conhecido. Existem relatos de manifestações hiperestésicas muito mais surpreendentes que as apresentadas por Catherine. passamos impressões sutis por meio de gestos e expressões. por tratar-se de uma recordação fortemente emocional. a hiperestesia pode ser definida como uma exacerbação espontânea e casual de alguns dos sentidos. E a mente sugestionada da moça elaborou o enredo que tanto impressionou o terapeuta. provavelmente tenha advindo de informações 111 . Portanto. Levando em conta o que postula a Parapsicologia. a revelação de Catherine sobre o filho do psiquiatra. Estas podem ocorrer com freqüência ou raramente. Alguns teriam o dom de traduzir essa linguagem de segundo plano e assim perceber coisas que normalmente os interlocutores não notam.

Oscar G. Quevedo) Duas explicações são importantes sobre o assunto: a) a hiperestesia nada tem de sobrenatural.previamente armazenadas em sua mente. tratase de um fenômeno que ocorre com pessoas dotadas de sensibilidade especial e pode ser estudada sem recorrer-se a teorias esotéricas.” (A FACE OCULTA DA MENTE". b) a manifestação é espontânea. Pessoas que se declaram “paranormais” e se dizem aptos a utilizar. ou seja. Hiperestésico é quem capta e pode manifestar estímulos mínimos. ou enquadra-se no âmbito das chamadas manifestações hiperestésicas. como de resto ocorre com os fatos paranormais. porém não tem domínio sobre ela. Urandir 112 . ou são rematados vigaristas. tais quais Thomaz Green Morton. independe da vontade. O hiperestésico possui a capacidade.são chamados sensitivos. Indivíduos que se apresentam como paranormais e afirmam realizar coisas fantásticas à vontade e com hora marcada.. “Hiperestesia significa exaltação da sensação... ou não sabem o que dizem. os “poderes” que possuem.. Uma das características mais marcantes dos eventos parapsicológicos reside no fato de ocorrerem de forma não premeditada e sem o controle de quem os manifesta. As pessoas que manifestam com alguma freqüência este fenômeno. quando bem entendem.

aos quais recorrem quando bem entendem. 113 . A folclórica imagem que alguns fazem dos chamados paranormais. e outros. não é respaldada pelas pesquisas.Fernandes. estão faltando com a verdade. Uri Geller. como pessoas dotadas de poderes mágicos.

Eu estava fascinado com a exatidão de detalhes desses fatos descritos por Íris... o qual... a hora e o lugar do seu nascimento.. A partir desses dados. Muitos Mestres".. famosa astróloga e médium..CAPÍTULO 8 Distanciado da Ciência No capítulo 15 de "Muitas Vidas. Íris confirmou tudo que Catherine descobrira sob hipnose..iria fazer seu mapa astral. Para sua surpresa. especializada na leitura de vidas passadas.. o médico relata a visita que Catherine fizera a uma médium e faz suas apreciações: “Catherine fora ver Íris Saltzman. .. 114 . lhe permitiria discernir detalhes das vidas passadas de Catherine.. juntamente com seus dons intuitivos. Íris perguntou apenas a data..

aconteceu.. Brian Weiss acreditava que Íris Saltzman seria competente para discorrer sobre a mente de Catherine. quem sabe.. O que Catherine alcançou através da regressão hipnótica.. Não ficou claro o porquê de Catherine buscar a orientação da astróloga: será que necessitava de uma segunda opinião sobre seus problemas? Ou não estaria satisfeita com o trabalho do terapeuta? A dúvida fica no ar. Talvez Íris. A moça fora visitar a astróloga e esta lhe "revelara" as mesmas coisas que o médico descobrira pela hipnose. Em todo caso..." Lembramos que Brian Weiss afirmara realizar ". leituras. ela realmente fosse capaz de reconhecer este tipo de informação. através de alguma capacidade mediúnica.".. Íris conseguiu através de canais mediúnicos. Weiss um único exemplo dessa qualidade. pois munida apenas de parcos informes sobre Catherine (data.. já que as vidas passadas estavam em seu subconsciente.. inconscientemente. . Íris Saltzman é astróloga e “especialista na leitura de vidas passadas”.. Ou. com um cuidadoso espírito escrutinador e neutralidade cética.. não foi possível encontrar na obra do Dr. hora e local de nascimento) ela pôde revelar os segredos das vidas da moça. tenha usado a telepatia e 'lido' a mente de Catherine. 115 . as duas obtiveram o mesmo conhecimento por meios diferentes.. E deve possuir outros poderes fantásticos. Entretanto.Não tenho certeza do que aconteceu naquele dia.

depois decide que tenha utilizado "canais mediúnicos". O Dr. São opções bastante diferenciadas para serem aplicadas em sistema de múltipla escolha. À medida que as descobertas científicas se ampliaram ficou claro que as bases da astrologia eram insustentáveis. Durante muitos séculos a astrologia reinou soberana como se fora um conhecimento saudável. A astrologia baseia-se em premissas infundadas. que não resistem à moderna 116 . a idéia de que alguns corpos celestes definem o destino das pessoas foi perdendo espaço no meio científico. Significa que atribui credibilidade a astrologia. Não parece que Brian Weiss tenha utilizado seu propalado espírito escrutinador neste caso. feita pelo médico. O caso é que todas as pesquisas que intentaram comprovar o cunho científico da astrologia deram resultados negativos. seria muito bom se a humanidade dispusesse de um seguro processo de orientação para seu destino.A avaliação do resultado da entrevista. De fato. Presentemente. nos confunde: inicialmente supõe que Íris seja telepata. Assim. Weiss ratifica o trabalho da astróloga. em concepções ultrapassadas. classificar a astrologia de ciência não faz sentido. Não estão longe os tempos em que a própria astronomia estava sob influência das postulações astrológicas. tal qual propõem os astrólogos.

As grandes decisões de nossa vida. Os esporádicos resultados corretos que os mapas astrais apresentam são estatisticamente irrelevantes. com base nessa orientação. Muitos problemas seriam resolvidos antes que se tornassem situações dolorosas. se enche de ânimo e sai à cata de uma oportunidade. se forem calcadas em previsões astrológicas nos trarão frustrações sem fim. entretanto a declaração não corresponde à realidade. 117 .análise científica. Se a astrologia funcionasse de verdade. isso pode ser positivo. que dão a impressão de um trabalho complexo e bem elaborado. Contudo. a fundamentação por trás das cartas astrológicas é nenhuma. Os astrólogos manipulam coloridos mapas astrais. A História está repleta de exemplos de pessoas que adotaram resoluções orientadas por mapas astrológicos e se meteram em grandes complicações. teríamos uma sensacional ferramenta a nos indicar o rumo adequado nas atividades diárias. Os astrólogos intitulam o que praticam de ciência. É possível se basear na astrologia para a decisão sobre coisas vagas. Lamentavelmente tal facilitador não existe. aparentemente sofisticados. não se pode atribuir nesse quadro qualquer poder à astrologia: outras formas de incentivo igualmente obteriam o mesmo resultado. indefinidas. Se um horóscopo diz: "dia propício para buscar um emprego" e alguém. No entanto.

Elas deveriam escolher qual dos mapas estaria coerente com suas personalidades. A quantidade de escolhas certas foi equivalente a de escolhas erradas. Alguns pesquisadores realizaram uma interessante mensuração: astrólogos elaboraram o mapa astrológico de pessoas selecionadas para a avaliação. contendo características bastante diversas das da carta correta. Essa idéia foi perenizada pela "ciência" astrológica. é inegável que a astrologia está alicerçada no vácuo. no entanto. mas não tem fundamento. O zodíaco é apenas uma linha de constelações que não guardam nenhuma relação entre si. A astrologia trabalha com conceitos primitivos.Respeita-se a dedicação de muitos astrólogos sinceros. O que demonstra que as aferições astrológicas são inconcludentes: os consulentes se sentem atendidos tanto com previsões elaboradas pelas técnicas astrológicas quanto com revelações espúrias que lhes pareçam 118 . Depois. Na época em que não existiam telescópios e as observações astronômicas eram feitas a olho nu. tinha-se a impressão de que o zodíaco fosse uma estrutura única e harmoniosa. A astrologia tem sido reprovada em todos os testes avaliativos a que se submete. essas pessoas recebiam dos pesquisadores três mapas astrológicos: o mapa verdadeiro e outros dois forjados. Estipula que a Terra está no centro do Universo e é rodeada pelo zodíaco.

A Astronomia busca conhecer os corpos celestes e entender suas peculiaridades. Não se detectou qualquer correlação consistente entre a data do nascimento e o caráter da pessoa. O resultado: fracasso total. A Astronomia utiliza leis científicas e formula hipóteses e teorias de boa fundamentação. a lógica nos diz que deveria ser o momento da concepção o início da 119 . A arte de orientar o destino pelos astros adota algumas premissas confusas: 1. suas características. Depois a Astronomia seguiu seu rumo. a astrologia ficou perdida em suas concepções insustentáveis. a trilha da ciência: estudar os astros. No passado Astronomia e astrologia caminharam juntas. O objetivo era verificar se as personalidades coincidiriam com as previsões astrológicas. Enquanto isso. estabelece que a data de nascimento seja o fundamento para a elaboração do mapa astrológico. Talvez isso explique o sucesso dos horóscopos de jornais e revistas. Uma pesquisa que consumiu cerca de trinta anos. No entanto. Recentemente a astrologia recebeu um duro golpe com a publicação do resultado de uma ampla avaliação: milhares de pessoas foram acompanhadas desde o nascimento até a fase adulta. origens e seu caminhar pelo Cosmos.coerentes. A astrologia parou no tempo: repousa sobre bases supersticiosas.

a pessoa já teria suas características definidas. Os simpatizantes facilmente são persuadidos pela aparência de fidedignidade dos relatos e desprezam os vaticínios incorretos. 2. Ao nascer. que perfazem um número imenso. são menosprezados. As cartas astrológicas seriam 120 .influência dos corpos celestes. Os demais objetos celestes. pois teria estado nove meses sob a ação dos astros. é difícil entender (e explicar) como poderia um planeta ou uma estrela situada a enorme distância influenciar nossas vidas. 3. todos os astros do universo possuem idênticas características. A teoria astrológica assevera que somente as estrelas do zodíaco e alguns planetas podem mexer conosco. Porém. o sol e algumas outras estrelas como determinadores dos destino. portanto seriam passíveis de exercer sobre nós alguma ação . mais a lua. Entretanto. A astrologia considera cinco dos nove planetas do sistema solar. Arbitrariamente desprezam os demais inúmeros corpos celestes. somente alguns astros são capazes de nos sensibilizar. Hoje em dia não há mais base lógica ou científica que possa ratificar essa crendice. estes teriam igual direito de sensibilizar nossas personalidades A astrologia ficou restrita a um conhecimento limitado e ultrapassado e fechou-se em torno dele.

poderíamos admitir que Íris fosse uma sensitiva e percebeu as emoções de Catherine. Por exemplo. Resta.. a frase.Eu estava fascinado com a exatidão de detalhes desses fatos descritos por Íris. No papel de astróloga lhe caberia elaborar o mapa astral da consulente. ao que se saiba. 121 . não revelam vidas passadas. Os perfis astrológicos baseiam-se em considerações genéricas.. então. mapas astrais. Muitos videntes são admiravelmente habilidosos nesse procedimento. empolgado com as "revelações" da astróloga. Na realidade tal não acontece. mas.. às vezes. que podem se aplicar a muita gente. A quantas pessoas. Entretanto. seja lá o que isso signifique. No entanto. exclama: ". supor que Íris tenha utilizado seu outro talento: "os canais mediúnicos"." Não é informado sobre como Íris Saltzman conseguiu sondar a mente de Catherine. com base nas informações colhidas.. nascidas sob quaisquer signos. Na melhor das hipóteses. recorre à mentira para se livrar de situações embaraçosas". "você procura a verdade. tal descrição não se aplicaria? Brian Weiss não leva em conta as fragilidades da astrologia e. o mais provável é que tenha habilmente interrogado a moça e.válidas se contassem com completas e corretas declarações. feito a "revelação".

Brian Weiss não procurou nessa matéria – (área de pesquisa que lhe apresentaria esclarecimentos plausíveis para as manifestações de Catherine) – elementos que permitissem analisar o caso com a profundidade desejada. que o Dr. provavelmente a idéia do Dr. deparamos um comentário que merece apreciação: “Minha experiência mostra que qualquer psiquiatra de certa experiência já se defrontou com fenômenos assim chamados parapsicológicos mas.A PARAPSICOLOGIA Na apresentação do livro "Muitas Vidas. é o cerne da questão – (apesar de que.Pincherle. Muitos Mestres" (págs." A expressão fenômenos parapsicológicos. 9-11). 122 . por causa da grande dificuldade de enfrentar seu paradigma normativo. Lívio utilizou em boa hora. Lívio sobre a Parapsicologia seja contaminada pelo esoterismo). feita por Lívio T. se o fenômeno não pôde ser negado. limitou-se a relatá-lo para os 'íntimos' como curiosidade sem explicação. Presidente da Associação Brasileira de Terapia de Vida Passada. ou não quis tomá-los em consideração ou. médico psicoterapeuta.

A maioria dos esotéricos que publicavam anúncios nos jornais. O Dr. Na década de 1970 o termo parapsicologia começou a se popularizar. por não estarem afeitos à sua área. A chamada percepção extrasensorial. Até hoje ainda se encontra quem considere que Parapsicologia e mediunidade sejam a mesma coisa. A Parapsicologia luta para ser reconhecida como ciência. São coisas bem diferentes. um dos temas mais abordados pelos parapsicólogos. são atribuídas ao sobrenatural. provavelmente no intuito de dar maior legitimidade às suas atividades. A Parapsicologia estuda questões não abordadas pela psicologia e pela psiquiatria.Há quem confunda espiritismo com parapsicologia. Lívio declara que muitos psiquiatras deparam fenômenos que lhes são desconhecidos os quais. averigua os mecanismos mentais que possam ser causadores de manifestações incomuns apresentadas por algumas pessoas e que. comumente. A Parapsicologia busca analisar tais fenômenos. A mediunidade é um dos assuntos analisados pela Parapsicologia. Provavelmente a confusão aconteça porque muitos médiuns se auto-intitulem "parapsicólogos" ou "paranormais". oferecendo serviços de contato com o além. Os chamados fenômenos parapsicológicos não são unanimemente aceitos pela comunidade científica. passaram a se apresentar como praticantes dessa ciência. 123 . apenas observam sem lhes darem a atenção devida. é por muitos analistas classificada de fantasia.

cientificamente é classificada como carecente de fundamentação. O trabalho da Parapsicologia é uma tentativa de analisar e explicar manifestações que vêm sendo relatadas por muitos séculos sem que sejam adequadamente elucidadas. pelo menos assim entendem os que descartam a validade das averiguações parapsicológicas. um grupo de interessados em contatos com o além. que popularmente é tida como uma ocorrência comum. Para a parapsicologia algumas ocorrências de contatos com espíritos poderiam ser enquadradas no âmbito dos fenômenos parapsicológicos. da qual se aproveitam alguns. são aceitas como corretas pelos curiosos. o que obstaculiza a investigação técnica. outras. Estes apresentam explicações fabulosas. deu início a uma estranha pesquisa: gravar eletronicamente mensagens alegadamente enviadas pelas 124 . talvez a maioria. Se o fenômeno não é controlável. cria-se em torno dela uma aura de mistério. Não se pode prever quando haverá um evento. Até mesmo com a telepatia. alguns deles não diretamente ligados ao espiritismo. na falta de melhores esclarecimentos. Estes ocorrem fora do controle quem pretensamente os manifesta. deixa de fazer parte dos que podem ser pesquisados cientificamente. as quais.A maior dificuldade que enfrenta a Parapsicologia é a pesquisa dos fenômenos. Visto que os diversos campos da ciência desprezam essa modalidade de fenomenologia. seriam simplesmente fabulações de mentes treinadas Há algum tempo.

que investigaram a comunicação entre vivos e mortos. alguns com tal riqueza de detalhes que surpreendem. (caso tal comunicação de fato acontecesse). que não formam nenhuma mensagem válida. então teríamos uma novidade digna de exame. o assunto não pode ser esgotado em poucas palavras. não conseguiram comprovar um caso sequer de contato real.almas dos mortos. Se os espíritos pretendem realmente se fazer percebidos pela utilização de meios eletrônicos. feito pelos médiuns. Para os espíritas. coitados: estão encontrando grande dificuldade! As pesquisas de cunho científico. mil vezes mais eficiente no contato com os espíritos. Os transcomunicadores têm muito pouco para apresentar que mereça uma consideração mais séria. Em termos comparativos. as "provas" da comunicação são tantas que dúvidas só podem persistir 125 . Os "espíritos" proferem frases soltas. Todas as manifestações são esclarecidas objetivamente pela ação do inconsciente. Muitos eventos de comunicação entre vivos e mortos são testemunhados diariamente pelos adeptos do espiritismo. a avaliação dessas mensagens é de desiludir: pobres em conteúdo e pouco convincentes. A atividade foi batizada de transcomunicação instrumental. Contudo. Um espírita não irá concordar que as manifestações atribuídas aos espíritos sejam forjadas na mente dos médiuns. É claro. seria o "sistema tradicional". Parecia uma tarefa revolucionária: se os mortos podem comunicar por meio de engenhos eletrônicos.

E não seria para menos: o currículo do médico é 126 . O espiritismo merece respeito. preferindo adentrar no caminho do ocultismo.na mente dos empedernidamente céticos. como merece respeito qualquer manifestação religiosa. O médico preferiu caminhar por uma trilha tortuosa. Uma pergunta: por que Brian Weiss desprezou sua esmerada formação e se apegou a "revelações" oriundas de fontes suspeitas? O caso de Catherine apresenta situações que o médico não poderia deixar de investigar meticulosamente. Brian Weiss tem recebido elogios de muitos admiradores.. Weiss não levou em conta que pesquisas de outras áreas além da psicologia ou da psiquiatria o auxiliassem a esclarecer um evento com o qual não estava habituado a lidar. o conceito de comunicabilidade interdimensional está eivado de pontos não esclarecidos. O caso é que o médico não realizou a avaliação meticulosa que o assunto exigia. A Parapsicologia tem investigado revelações semelhantes às apresentadas por Catherine e poderia lhe dar subsídios para uma avaliação de maior amplitude. No entanto.. antes de elaborar um parecer superficial e registrá-lo num livro. O Dr. em vez de agir com a prudência do cientista. Nada contra o fato do Dr. conforme vimos sinteticamente. É uma questão de foro íntimo optar por essa ou aquela religião. Brian Weiss haver se convertido às doutrinas espiritistas.

ficamos pasmados ante a fragilidade de suas considerações. 127 .invejável. Por isso.

o que seria a prova da legitimidade do método e de sua cientificidade. chamados placebos. os quais dados a pessoas sugestionáveis acarretam efeitos admiráveis. este argumento não os ajuda. Outra alegação seria que as curas provam a efetividade do método. Mais tarde o problema eclode com muito mais gravidade que antes.. O que encontramos na TVP.MAIS PODEROSA MODERNA. Infelizmente. Sabe-se de terapias que não possuem respaldo científico e que alcançam curas. QUE A MEDICINA A TVP propala a existência de curas. muitas curas.. Esta é uma questão complexa. que exige estudos acurados para se averiguar até que ponto as curas existem e em que amplitude. até mesmo de doenças sérias. com muita freqüência. Existem medicamentos inócuos (que não têm qualquer formulação química que provoque modificações no organismo). para os regressionistas. No entanto esses métodos mágicos de tratamento trazem um risco: podem mascarar sintomas e causar falsa impressão de cura. são depoimentos deslumbrados muitos dos quais pouco 128 .

. capaz de curar com mais eficácia que as terapias convencionais e até mais poderosa que a medicina moderna. superficialmente estudado. Entretanto.. feita por um profissional de gabarito.. Brian não se precipitou em sua avaliação sobre a TVP? Pasmem! Um único caso.. Muitos Mestres) Reflitamos sobre a declaração: diz que a terapia de vidas passadas é dotada de uma força estupenda. um poder que parece muito mais eficiente do que a terapia convencional ou a medicina moderna.. e jamais deparara com fantasias como essas").” (Muitas Vidas.Há nesse campo algum poder curativo muito forte. é muito grande.. Será que o Dr.. São palavras de Brian Weiss: “Avaliei o propósito terapêutico da exploração das vidas passadas de Catherine. Brian declara ter cuidado de centenas de pacientes utilizando o tratamento ortodoxo ("Eu examinara centenas de pacientes.. o Dr. muitos sob hipnose.confiáveis. A responsabilidade de uma afirmação dessas. foi suficiente para que o renomado médico jogasse pela 129 . Noutra parte do livro. pelo exagero com que exaltam o potencial curativo desse pretenso método terapêutico.. o aparente desaparecimento dos males de Catherine – um único evento – foi suficiente para que o médico concluísse que o novo tratamento era mais eficiente que a medicina moderna.

até estabelecer uma teoria sobre o assunto em estudo.janela anos de estudos e acatasse as histórias de sua paciente como verazes! Acreditamos que o Dr.... O procedimento aplicável à maioria dos casos. Tirar as conclusões . Questionar o problema.Talvez ele retornasse com a cabeça mais fresca. seria o seguinte: Observar o fato. Brian devesse ter tirado umas férias antes de enfrentar o distúrbio de Catherine.. Apresentar uma hipótese. A metodologia científica orienta o pesquisador a realizar uma série de passos. (procedimento que Brian Weiss definitivamente não realizou antes de concluir que a TVP seria um método terapêutico superior a tudo o que ele conhecera). Realizar experiências controladas com um grupo de controle. 130 .

tivera alucinações ou múltiplas personalidades. tenho conduzido minuciosas regressões a diversas vidas passadas de mais de uma dúzia de pacientes.” (Muitas Vidas. Em casos assim o método de avaliação será um pouco diferente. usado para verificar o resultado do experimento.. que são produzidos independentemente da vontade de quem os apresenta. o importante é manter a mente aberta.. Quanto aos demais. Depois de afirmar que a regressão é método superior à medicina moderna. o terapeuta não seguiu os procedimentos recomendados pela boa ciência.→ Grupo de controle : grupo mantido nas condições anteriores à experiência .. Preferiu abraçar cegamente a hipótese esotérica. Não é necessário que todo mundo faça regressões. visite médiuns ou até medite. noutro trecho do livro. por exemplo.. no estudo de fenômenos parapsicológicos. o terapeuta se contradiz ao afirmar que a TVP é limitada: “Desde Catherine. Todos melhoraram. Nenhum era psicótico. Pelo que depreendemos das declarações de Brian Weiss. Os que apresentam sintomas incômodos ou incapacitantes podem achar que vale a pena fazer isso. Há situações em que não seria possível a utilização dessa ferramenta. Muitos Mestres) 131 .

Eram pessoas não dadas a simular o que sentiam (o que poderia confundir o resultado do trabalho). isso significa uma grande limitação à TVP. Então. Brian Weiss se apresenta como um profissional de fina formação. Por isso. custa-nos entender como pôde conduzir o caso de Catherine tão debilmente! No livro “Muitas Vidas. Muitos Mestres” o Dr. apenas àquelas possuidoras de “sintomas incômodos ou incapacitantes” (uma caracterização muito vaga). No entanto. surge a dúvida: e se o doente for psicótico.. se revele menos eficiente que se apregoa? A argumentação do Dr. Brian nos deixa confusos. Brian insinua que nesses casos a terapia regressionista não deve ser utilizada.→ De doze pacientes tratados com a nova metodologia. alucinado ou dissimulador? O Dr. alucinado ou possuidor de múltiplas personalidades. nenhum era psicótico. em vez de agir como o profissional que ostenta um currículo de fazer inveja. Porém. de fato. por que foi dito que a terapia é superior aos métodos psiquiátricos convencionais e superior até mesmo à medicina moderna? Brian Weiss não recomenda a regressão a todas as pessoas. é “mais eficiente que a medicina moderna”. Não são muitos os que teriam um preparo tão esmerado. 132 . Ora. Brian se porta como um iniciante na ciência. caso seja utilizada rotineiramente.. se existe na TVP um poder “superior” à terapia convencional não seria de bom alvitre indicar a regressão a todos? Se ela. por que restringi-la a uns poucos? Será que é porque.

Na exposição de sua idéia sobre as almas gêmeas. ou pelo que seja.CAPÍTULO 9 Almas Gêmeas Depois de “Muitas Vidas Muitos Mestres” Brian Weiss iniciou uma promissora carreira de escritor regressionista. algo mais ou menos assim. Estas seriam espíritos programados pelo destino ou pelo carma. espíritos afins que pareciam fadados a não se conhecerem nesta existência. Quis o destino que os dois 133 . para se reencontraram vida após vida e viverem felizes até que a morte os separe e outra vida os una. A história no livro relata as aventuras de Pedro e de Elizabeth. No livro “Só o Amor é Real” o terapeuta apresenta uma novidade: as almas gêmeas. Brian Weiss apresenta considerações frágeis e não leva em conta algumas situações que se encaradas seriamente se tornariam constrangedoras para as “almas gêmeas”.

nem todos admitam pacificamente tais situações. O terapeuta casualmente descobriu a identificação entre o casal e cuidou de dar uma ajuda aos acontecimentos. noutra existência fora irmão da moça. o casal de namorados recordam terem sido avó e neto. Suponhamos um casal que descubra que foram mãe e filho noutra vida..fossem acompanhados pelo Dr. Mesmo levando em conta a mútua compreensão. No final. Talvez. os embaraços seriam inevitáveis se as almas visualizassem os relacionamentos havidos. um casal apaixonado lembra que foram mãe e filho no passado. os dois se encontraram e a paixão nasceu. uma jovem apaixonada percebe que o amado foi seu pai em existência pregressa. Depois que descobriram serem almas gêmeas. não manifestaram restrições a se relacionarem sexualmente mesmo sabendo dos laços fraternos e paternais antes experimentados. numa vida anterior. A trajetória do casal apresenta alguns aspectos pitorescos: Pedro. A tese das “almas gêmeas” pressupõe que alguns espíritos se liguem em completo entendimento durante variadas existências. Brian. 134 . como toda boa história. fora pai de Elisabeth.. acataram sem conflitos as experiências passadas. estes talvez não se sintam tão descontraídos na hora do sexo. Pensemos: a noiva descobre que o noivo foi um filho amado em vida anterior. Aparentemente.

Se formos estender o assunto, considerando que nem todas as almas são gêmeas (ou seja, nem todas se relacionam harmoniosamente) é possível conceber algumas combinações dramáticas, vejamos algumas:

O estuprador violentou; se torna pai da moça que

O homem que levou seu sócio à falência e ao suicídio se torna irmão do suicida; O assassino assassinado; O esquartejador esquartejado. reencarna como filho do

volta

como

sobrinho

do

E por aí segue...as hipóteses de combinações sinistras são numerosas. A regressão vai desencavar recordações desse tipo. E aí, como ficarão os envolvidos? Um casal vai se relacionar tranqüilo sabendo que um assassinou o outro anteriormente? Uma jovem apaixonada irá se entregar sem restrições após descobrir que seu amado a vendeu para ser prostituída em vida passada? Com que olhos o pai contemplará seu filho, se souber que foi por ele estraçalhado noutra vida? Para não nos delongarmos no exame das muitas questões estranhas encontradas em “Só o Amor é Real”, destacaremos alguns relatos do livro, os quais comentaremos:

135

“Quando terminei de fazer a contagem regressiva de dez para um, Elizabeth já estava em profundo transe hipnótico... - Estou usando sandálias finas...Os meus cabelos são escuros, castanhos e muito longos, caindo abaixo dos ombros...Estou sendo treinada para ser médica e dar assistência aos sacerdotes. - Sabe o nome da terra onde está - indaguei. - Egito...há muito tempo atrás. - Sabe o ano? - Não. Não vejo isso...mas é uma data muito remota...muito antiga... ...Fui escolhida pelos sacerdotes, como as outras também o foram. Somos todas escolhidas de acordo com os nossos talentos... ... - Você então é parente do Faraó? - Prima...não muito próxima. A família dele é muito grande. Até mesmo primos distantes são considerados parte da família. ... - Algum membro de sua família mora com você? - Sim, o meu irmão, somos muito apegados...

136

- Olhe bem no rosto dele...Vê neles algum conhecido em sua vida atual? - Não...não o reconheço. [mais adiante revela-se

que esse irmão não é outro senão Pedro, a alma gêmea de Elizabeth.]

... - Passe adiante no tempo e vá para o próximo evento importante... - Adquirimos novas habilidades. Estamos trabalhando com uns bastões especiais de tratamento, capazes de acelerar a regeneração de tecidos e membros...Há uma energia líquida que flui dentro deles...Pode-se usá-los para desenvolver músculos e regenerar tecidos, mesmo tecidos mortos ou que estejam morrendo. Ela não soube explicar como os bastões funcionavam, a não ser afirmar que utilizavam energia. Faltava-lhes as palavras e os conceitos mentais necessários. - Estou repetindo o que me dizem...Ainda não vi a regeneração...Meu irmão, sim. Ele tem permissão para isso e, quando for mais velho, terá direito ao conhecimento da regeneração. O meu treinamento terminará antes de chegar a esse nível. Não posso atingi-lo por ser mulher...Seja como for, ele me contará o segredo...prometeume...já me explicou muitas coisas...Disse-me que estão tentando ressuscitar pessoas que morreram há pouco tempo! ...

137

- Como conseguem? - Não sei...Eles usam vários bastões. E entoam certos cânticos especiais. O corpo tem de estar em determinada posição...E há outras coisas que não sei...O meu irmão vai aprender, e depois me dirá. ... - Você faz também outros tipos de cura? - Vários tipos - respondeu ela - Um deles é com as mãos. Tocamos a área do corpo a ser curada e enviamos energia diretamente para lá...através de nossas mãos... ... - Avance no tempo...o que vê? - Agora, o meu irmão e eu somos conselheiros...Trabalhamos ao lado do governador dessa região, como assessores... - Esse trabalho a satisfaz? - Sim, é bom estar com meu irmão. E o governador geralmente é bondoso. Costuma ouvir nossos conselhos...Operamos também as nossas curas. ... Fiz com que ela avançasse no tempo.

138

... - O que lhe aconteceu? - O filho do governador adoeceu gravemente e morreu...O governador sabia de nosso trabalho...e de nossas tentativas de ressuscitar pessoas recém-falecidas. De modo que exigiu que eu lhe ressuscitasse o filho. Se eu não o fizesse, seria condenada ao exílio... - E o filho?... - Ele não podia ser ressuscitado. Não era permitido...Não faz sentido. Não cheguei a aprender como usar os bastões. O meu irmão ensinou-me um pouco, mas não o bastante...E ninguém sabia que ele tinha me ensinado alguma coisa. - O que aconteceu ao seu irmão? - Ele estava ausente, de modo que foi poupado. Todos os sacerdotes estavam ausentes. Só eu estava aqui... - Quanto tempo você permaneceu no exílio? - Não muito tempo...Sei como sair do meu corpo. Certo dia saí do meu corpo e não voltei. Aquilo foi a minha morte, pois sem a alma o corpo morre...Não há dor, nenhuma interrupção da percepção quando se escolhe esse tipo de morte. Eu sabia que jamais iria ver meu irmão novamente. E não podia executar o meu trabalho naquela ilha deserta. Não havia motivo para permanecer no estado físico. Os deuses

139

Elizabeth e o irmão estudam a ciência oculta e mais tarde se tornam conselheiros de um governador. estavam todos fora (talvez nalguma convenção de médicos e de sacerdotes).Seja como for.” (Só o Amor é Real. há pelo menos um ou dois fatos que pedem comentários específicos. ele me contará o 140 . Além disso.. 143-152) Nos livros de Brian Weiss quando são apresentadas regressões com narrativas mais ou menos longas. Este episódio não fica atrás: algumas contradições de Elizabeth são facilmente percebidas. a partir dali somente os homens teriam acesso ao conhecimento mais secreto.Ainda não vi a regeneração.. foi condenada ao exílio. nesse dia não havia nenhum médico e nenhum sacerdote na cidade.. O que demonstra que a história foi mal contada.. Tudo ia bem até que um dia o filho do governador adoece e morre.. Elizabeth recorda uma existência no Egito: quando menina fora separada pelos sacerdotes para se tornar médica. Para azar de Elizabeth.. Somente a moça ficara e a ela o governador pedira que revivesse o filho.. terá direito ao conhecimento da regeneração. “.compreendem.Estou repetindo o que me dizem. encontramos nelas vários escorregões. quando for mais velho. Comecemos pelo mais evidente. ou mal "montada". sim. Não posso atingi-lo por ser mulher. As mulheres podiam aprender os segredos da ciência egípcia até certo patamar. Ele tem permissão para isso e. págs. Incapaz de trazer o morto de volta. O meu treinamento terminará antes de chegar a esse nível..Meu irmão.

....." Os governadores nem sempre são tolerantes..O filho do governador adoeceu gravemente e morreu. Alguém aí errou: pode ter sido o governador que. “Estou sendo treinada para ser médica e dar assistência aos sacerdotes” A Elisabeth egípcia era assistente dos sacerdotes.. contando apenas uma auxiliar de enfermagem para cuidar de tudo! Será que os egípcios realizavam suas convenções médicas e religiosas dessa maneira? Será que 141 .O governador sabia de nosso trabalho. teria que haver sempre alguém hierarquicamente superior para acompanhá-la. que não recordou direito o acontecimento...Disse-me que estão tentando ressuscitar pessoas que morreram há pouco tempo! .e de nossas tentativas de ressuscitar pessoas recém-falecidas. Mas provavelmente aquele saberia que as mulheres não conheciam o segredo da ressuscitação. pode ter sido Elisabeth. Seria algo semelhante a um hospital vazio.. Se eu não o fizesse. Contudo.. De modo que exigiu que eu lhe ressuscitasse o filho. não obstante estar a punir uma inocente.. precisava descarregar sua ira em alguém. não faria sentido ele condenar quem não conhecia a mágica. seria condenada ao exílio.prometeu-me... inferimos que ela não podia agir sozinha...segredo. Portanto. na ocasião da morte do filho do governador não havia nem médico nem sacerdote na cidade. . tampouco inteligentes.já me explicou muitas coisas.

o governador topava uma situação dessas? São mistérios que somente o Dr..” Brian Weiss indaga da paciente o nome do local onde ela se encontra e a moça diz que está no Egito. “.. ... ele encerra a pesquisa histórica sobre essa vida de Elizabeth.Sabe o nome da terra onde está . A família dele é muito grande..Prima.Sabe o ano? . conforme vimos com Catherine).mas é uma data muito remota.muito antiga.... 142 . Como ela não sabe em que ano estaria (e se soubesse seria um caso complicado. ... E o pior ainda não veio: “.Egito. . As maiores estranhezas.mas que não esclarece.Você então é parente do Faraó? ...Não.indaguei.há muito tempo atrás. Não teve a curiosidade de perguntar em qual cidade o caso se passou e outras informações que permitiriam situar aquela lembrança num período definido da história..não muito próxima.. contudo estão embutidas na narrativa. Brian Weiss poderia esclarecer. Até mesmo primos distantes são considerados parte da família.. Não vejo isso..

prometeu-me..” A moça era prima do faraó e trabalhara para o governador de certa região. Ele tem permissão para isso e.Agora.. Por que o médico não lhe indagou o nome desse faraó? E o nome da região onde ela passou a trabalhar? E o nome do governador? Onde está o espírito escrutinador do qual Brian Weiss se diz dotado? Ele brindaria seus leitores com uma narrativa de qualidade se apresentasse detalhes consistentes da aventura.. quando for mais velho.Disse-me que estão tentando ressuscitar pessoas que morreram há pouco tempo! . como assessores. ele me contará o segredo. O meu treinamento terminará antes de chegar a esse nível..Meu irmão.. Brian Weiss parece se preocupar apenas com o que é corriqueiro: em vez de buscar informações firmes se satisfaz com revelações superficiais. E quanto à língua? Pediu ele a Elizabeth que discorresse em egípcio? Esta seria uma prova de que ela estivesse a recordar uma vida pregressa....Trabalhamos ao lado do governador dessa região... terá direito ao conhecimento da regeneração..Estou repetindo o que me dizem.. Surpreendentemente. sim...Ainda não vi a regeneração.. 143 . Não posso atingi-lo por ser mulher...Seja como for. o meu irmão e eu somos conselheiros..já me explicou muitas coisas.... “. as informações que seriam relevantes são olvidadas pelo psiquiatra.

Brian poderia e deveria ter sondado a mente da moça até que ela lhe trouxesse os detalhes desse fenomenal sistema terapêutico.. ainda.Você faz também outros tipos de cura? . O Dr.E há outras coisas que não sei.Não sei......respondeu ela .O meu irmão vai aprender.. teria obtido preciosas informações. . capazes de regenerar tecidos mortos e. E entoam certos cânticos especiais.através de nossas mãos..Vários tipos ..... realizava curas pela energia das mãos.Eles usam vários bastões. Tocamos a área do corpo a ser curada e enviamos energia diretamente para lá.Como conseguem? . No entanto. e depois me dirá. O corpo tem de estar em determinada posição." Se a moça lembrava da vida no Egito. ele não quis se dar a esse esforço! 144 . que ajudariam grandemente o desenvolvimento da medicina.. caso a recordação de Elisabeth fosse real. Se o fizesse. .Um deles é com as mãos. não quis interrogá-la adequadamente. O médico. por mais espantoso que possa parecer. deveria lembrar-se da ciência que aprendera. Elizabeth afirma que aprendera o uso de bastões mágicos.

a minha esposa Carole realizou algumas sessões de regressão a vidas passadas... por volta do tempo de Cristo. __________________________________ “Embora eu tenha realizado mais de mil regressões individuais a vidas passadas com os meus pacientes. Meus estudos incluíam o grego clássico e a filosofia dos gregos antigos. especialmente dos seguidores de Platão e Aristóteles. pessoalmente só tive uma meia dúzia de experiências desse tipo. nenhum aspecto relevante é por ela apresentado. pois se averiguar detalhes. Quando terminou o seu curso de hipnoterapia para aperfeiçoar-se como assistente social. usando-me como paciente. Algumas lembranças me vieram em sonhos vívidos e durante um tratamento de shiatsu..→ A dúvida que não quer calar: é possível que Brian Weiss prefira deixar as lembranças de seus pacientes na superficialidade. Situação semelhante acontece nas numerosas regressões que se fazem em toda a parte.. fatalmente a fantasia seria revelada. além de muitas outras em grupo. Elisabeth não conseguiria sustentar a história caso lhe fossem exigidos detalhes concretos de sua vida egípcia e do conhecimento que dizia ter adquirido. Vi-me como um rapaz de abastada família judia em Alexandria. Podemos observar que a proeza de Elisabeth é narrada sem profundidade. 145 . Sabia que a nossa comunidade ajudara a financiar a construção das enormes portas douradas do Grande Templo de Jerusalém.

Cada uma dessas comunidades era uma espécie de centro de estudos. juntou-se a mim um homem mais ou menos da minha idade. Era mais alto que eu e tinha intensos olhos castanhos... ao pé de uma fogueira. Ele transmitiu paz e. assimilava os ensinamentos bem mais rapidamente que eu. Seria importante que ele revelasse esse domínio do grego antigo. quando tentou complementar a sua educação clássica viajando entre as comunidades clandestinas dos desertos e cavernas do sul da Palestina e do norte do Egito. Durante várias semanas.. Weiss afirma que estudara grego e filosofia. Fui estudar em uma pequena sinagoga próxima à Grande Pirâmide.. Depois me ensinava. e ele foi para o ocidente. quando acampávamos juntos. 171-172). Ambos usávamos túnicas e cobríamos a cabeça com turbantes. pois teríamos uma prova decisiva da vida helênica 146 .Ao cabo de algumas semanas. nos separamos. no deserto.. Certamente que sob hipnose regressionista poderá proferir discursos filosóficos em grego clássico.. O Dr.Lembro-me de um fragmento da vida daquele jovem. em minha peregrinação de uma comunidade para outra. Quem será esse “misterioso” personagem com o qual o vaidoso Brian Weiss insinua ter convivido? Parece-nos que ele quer referir-se veladamente a Jesus Cristo." (Só o Amor é Real – págs. . Algumas delas eram provavelmente aldeias de essênios. geralmente de conhecimentos místicos e esotéricos. enquanto estudávamos juntos com os sábios das aldeias.

.do médico. Segundo alguns esotéricos. porém. mas também não quer deixar de pegar uma caroninha no assunto. Por que o médico não descreveu a imagem de Jesus a um desenhista para que o mundo pudesse finalmente conhecer o segredo? Brian Weiss abraça uma idéia bastante divulgada sobre a formação de Jesus que. Só que ele se complica: diz ter peregrinado por várias comunidades.. como de praxe. Brian Weiss não quer se comprometer. O terapeuta informa que peregrinara entre comunidades místicas e que “algumas delas eram provavelmente aldeias de essênios". Brian Weiss sutilmente afirma que teria contemplado a face de Cristo. Ora. isso é coisa da qual ele não cogita. mas não identifica nenhuma e faz uma referência não conclusiva aos essênios (“provavelmente eram essênios”). Cristo teria peregrinado por várias partes do mundo (alguns até o vêem entre os lamas do Tibet) aprendendo a ciência de diversas civilizações.. não é aceita pelos estudos mais sérios. A comunidade essênia era fechada e sobre ela se dizem muitas coisas que não correspondem ao que a Arqueologia apurou. Porém. Não há qualquer fundamento que ampare essa tese.. se ele esteve entre os essênios deveria lembrar de forma categórica e não como probabilidade. A curiosidade sobre como seria a figura de Jesus está presente em milhões de pessoas. 147 . Os essênios há muito que sensibilizam a imaginação dos ocultistas.

quando já estamos comprometidos com nossas famílias. pois as famílias de almas viajam juntas. tenta explicar como funciona os mecanismos que regem o encontro das almas gêmeas. Após a leitura desses “esclarecimentos”. Ao contrário. e superficialmente. Ou a conexão mais forte com uma alma gêmea pode ser com um pai. com os acréscimos fantasiosos que sua mente elabora. somos levados a concluir que o processo é uma confusão fenomenal: “Nem sempre as pessoas se casam com a alma gêmea à qual estão mais fortemente ligadas. alguém que tenha uma coisa específica a nos ensinar ou a aprender conosco. homens e mulheres sonham deparar com sua “outra face”. O reconhecimento da alma gêmea pode ocorrer mais tarde. Muitos buscam ansiosamente indícios dessa perfeita interação: consultam mapas astrológicos. Ou esta conexão pode ser com uma alma gêmea que ainda não 148 . nem mesmo Brian Weiss consegue recordar fatos objetivos. um filho. Brian Weiss. a fim de viverem em plenitude. tarô. búzios. __________________________________ A idéia de almas gêmeas alimenta o sonho de muita gente. talvez sabedor dessa generalizada curiosidade. Pode haver mais de uma à nossa espera. Brian Weiss “recorda”.Como de praxe nas regressões. o que a Arqueologia e a História sabem. Sua lembrança de uma vivência no Egito e na Palestina coisa alguma traz que tenha conteúdo. Podemos decidir casar com uma alma gêmea menos ligada a nós. um irmão ou irmã. etc.

almas gêmeas decidem não se casar enquanto estão encarnadas. É uma questão de desenvolvimento espiritual. se em seu livre arbítrio ela prefere não aprender e se recusa a crescer. e depois seguem adiante. ela nos pode ser prejudicial. cobiça. Os programas de vida de cada uma são diferentes e elas não desejam ou não precisam passar por toda desta existência juntas.. como um anjo da guarda. os laços íntimos e sutis que envolvem conexões ao longo de muitas vidas. Mas. Ele ou ela talvez reconheça a paixão e a química que existem. No entanto. As duas têm uma vida eterna em companhia uma da outra. ódio e medo podem interferir no relacionamento. traços de violência. surgem fantasias do tipo “eu posso mudá-lo. O que não é uma tragédia.. Não raro. ciúme. a não ser que ele desperte depois. o relacionamento está condenado. Há almas que despertam tardiamente. Às vezes. Essas tendências são nocivas para a alma mais desenvolvida. se ele não permite que você o ajude. posso ajudálo a crescer”. nesta mesma vida. 149 . Talvez haja outra oportunidade em outra vida. Às vezes a alma gêmea está desejosa e disponível para unir-se a nós.encarnou nesta vida e que nos protege do outro lado. ainda que venham de uma alma gêmea. Conseguem encontrar-se e permanecer juntas até que a tarefa ajustada esteja completa. Se um dos espíritos é menos desenvolvido e mais ignorante que o outro. apenas uma questão de aprendizagem. mas às vezes precisam freqüentar aulas separadas.

Coisa alguma se pode afirmar com certeza. Pode acontecer de tudo. da opção. É um verdadeiro “vale-tudo” essa hipotética busca por nossa alma gêmea. o livre arbítrio das duas prevalece... O destino se encarrega desses encontros. Certamente acontecerão.. A idéia das almas gêmeas é muito bonita literariamente: romancistas e poetas produzem obras de fino trato tendo a idéia como tema.. às vezes não. ou pode não acontecer nada. a concepção se torna desastrosa! 150 . 187- 188) Brian Weiss parece dizer que: o encontro entre almas gêmeas tem resultados incertos. Às vezes o processo funciona. ao se encarar o assunto como um fenômeno espiritual.” (Só o Amor é Real – Págs. As decisões que são ou não tomadas dependem do livre arbítrio. Entretanto.Não se preocupe em encontrar almas gêmeas. Após o encontro.

Vejamos um panegírico do escritor José Reis Chaves.. A escolas oficiais encaram a TVP como crendice. os maiores adversários do espiritismo foram os médicos e a Igreja. uma defesa. psiquiatras e psicólogos reencarnacionistas. que mais vêm abraçando a Teoria da Reencarnação. juntamente com os comentários que julgamos necessários (os destaques são nossos): “No século passado e princípios do século XX. vêm tornando-se terapeutas da TVP. alguns dos quais de renome internacional. a Terapia de Vidas Passadas não é tida como método terapêutico pelas escolas de psicologia.A TVP e BRIAN WEISS. entretanto estes são minoria. Hoje. são os médicos.” → Reis Chaves extrapola: existem.. sim. influenciados por um número cada vez maior de seus colegas. e os católicos. por ironia. sobre a TVP e sobre Brian Weiss. Os psiquiatras e os psicólogos. principalmente os psiquiatras e os psicólogos. 151 .

não como médicos. acabaram regredindo a vidas passadas.” → A tese de que traumas sejam originados em vidas passadas é especulativa. Muitos terapeutas de regressão até a vida fetal que não acreditavam sequer em Deus. E somente com a regressão aos instantes em que ocorreram tais causas. que. acabaram sendo surpreendidos pelos seus pacientes. a declaração de que cada vez mais católicos abraçam a reencarnação é exagerada. consegue-se de fato a cura. em nada de espíritos e de vidas passadas. Semelhantemente. têm muitas vezes suas causas em vidas passadas.. que pode lhe dar uma falsa sensação de melhora. nada tem de científica. “Muitas doenças mentais como traumas. se tornou assunto de rotina entre todos os níveis de pessoas que vêm resolvendo seus problemas mentais com raízes em vidas passadas. hoje. Isso. O cristianismo defende que a salvação da humanidade depende da misericórdia divina.Os terapeutas que a utilizam atuam como curandeiros. 152 . certas fobias. o espiritismo acredita que a reencarnação permite que o homem atinja a perfeição com esforço próprio. recorrendo à TVP. entre outras.. Entre o cristianismo e o espiritismo existem diferenças inconciliáveis. A afirmação de que “somente com a regressão” os traumas são curados é errônea: a regressão possibilita ao traumatizado uma muleta fantasiosa. inesperadamente. insegurança.

de repente. estão sendo criados cursos para que psiquiatras e psicólogos passem a exercer a profissão de terapeutas de regressão a vidas passadas. Brian Weiss. começou a estudar profundamente o assunto. tornando-se. sim até a idade de dois anos. autor de Muitas Vidas – Muitos Mestres.." (José Reis Chaves – A Reencarnação Segundo a Bíblia e a Ciência – 1998) → Parece-nos que Reis Chaves leu o livro de Brian Weiss sem muita atenção: a experiência não aconteceu com um paciente. sim com uma paciente que.. se viu numa vida passada.. a quem fazia regredir à vida uterina. “Mas é no Primeiro Mundo que a TVP está mexendo mais com o público. chamava-se Catherine. é pesquisador em laboratório da massa encefálica. como já aconteceu com vários outros psiquiatras e psicólogos... conforme vimos.Famoso psiquiatra. O terapeuta não a "fazia regredir até a vida uterina". atualmente.. o qual." → Os “cursos” para terapeutas regressionistas não têm respaldo científico e não são reconhecidos pelos órgãos fiscalizadores. A partir daí. E. quando foi surpreendido por um paciente seu. Brian Weiss.. já famoso como cientista.Era praticamente um materialista. pois. É grande no número de terapeutas de vidas passadas. Além disso. e de Só o Amor é Real. ficou claro 153 . comandando uma grande equipe de especialistas da mente.“No Brasil.. mais um adepto da Teoria da Reencarnação. aderiu à TVP.

Talvez estejamos desinformados. mas não encontramos nos escritos de Brian Weiss ou em comentários sobre seu trabalho. do qual o Dr. nenhum registro sobre esse tal laboratório da massa encefálica. José Reis Chaves também faz referência a um "laboratório da massa encefálica".. Brian seria pesquisador. 154 .. não por avaliação científica.que a conversão de Brian Weiss ao reencarnacionismo foi por conveniência aos seus interesses.

Brian escuda-se na sua refinada formação psiquiátrica e em suas atuações em instituições de renome como forma de dar autenticidade ao que prega sobre a regressão a vidas passadas. Talvez para seus admiradores pareça que a apologia que o terapeuta faz da terapia de vidas passadas seja aceitável. De início seria apenas um bom profissional que utilizava a psiquiatria tradicional. soar como a demonstração de que o médico evoluiu no conhecimento e na técnica. no entanto. depois teria dado um passo adiante e adotado um sistema mais avançado: ele mesmo declarou que o regressionismo é um método curativo superior à medicina moderna. suas ponderações são sofríveis. não o será necessariamente em outro.CONCLUSÃO SOBRE O TRABALHO DE BRIAN WEISS O Dr. A apologia da terapia de regressão de vidas feita por Brian Weiss pode. pois é de indiscutível qualidade. Respeita-se a formação ortodoxa do Dr. para muitos. no que tange a vidas passadas. Afinal. não seria “qualquer um” a defender o tema. trata-se de alguém que muito estudou e deve saber o que diz. essa forma de raciocínio não se sustenta: uma autoridade em determinado assunto. No entanto. Brian. 155 .

156 . Qualquer pessoa que analise com um pouco de atenção a dissertação que o médico faz sobre a terapia de vidas. Facilmente se percebem muitos elementos fantasiosos em seu discurso. uma falácia. O que se viu na argumentação do médico foram discursos entusiasmados e pouco conteúdo. que corroborassem o que ele propõe. Podemos admitir que Brian Weiss efetivamente seja um psiquiatra qualificado. um sofisma.Há um engano nesse juízo: se não for possível traçar uma linha evolutiva incontestável entre a psiquiatria ortodoxa e a terapia de vida passadas. como defensor da Terapia de Vidas Passadas deixa a desejar. Quem ninguém veja em nossas palavras a intenção de desmerecer gratuitamente a figura de Brian Weiss. estaremos diante de um raciocínio inadequado. Para que as idéias de Brian Weiss sobre as vidas passadas tivessem profundidade seria preciso uma bem elaborada teoria. Uma falácia é um falso argumento com aparência de verdadeiro. verá que se trata de uma apreciação frágil. ou mesmo demonstrações incontestáveis. No entanto.

a psicologia transpessoal. Acrescento ao processo a astrologia. e por entidades de luz. o que dá amplitude ao tratamento. desobstruo os chakras para uma melhor circulação energética. E. oriunda de sobreviventes atlantes. Paralelamente. que vivem numa inacessível região dos Andes. periodicamente sou alcançado por ondas 157 .CAPÍTULO 10 Radiografando a TVP Este seria o hipotético discurso de um terapeuta regressionista: “Meu método terapêutico é abrangente: utilizo todas as vertentes da psicologia. inclusive sua maior força. ainda. Recebo mensagens psicomagnéticas de efeito medicinal. conjugo psicanálise com regressão a vidas passadas. Sou assessorado por médicos desencarnados.

foram extraídos do livro de Célia Resende. dos fenômenos paranormais e do comportamento humano. Participou desde muito jovem de trabalhos de pesquisa e cura através dos fenômenos de materialização de espíritos. O processo terapêutico trabalha com a psicologia nos níveis biográficos. Os textos que apresentaremos. variados exemplos dos incomuns métodos da terapia de regressão de vidas. parapsicologia. Uma viagem no tempo para desatar os nós do inconsciente”. acumulando vasta experiência no campo da comunicação. projeciologia. assiste energético e florais de Bach.psicocosmológicas emanadas de seres ultradesenvolvidas que vivem em Antares. porém o que se vê com freqüência na prática da TVP é a associação de métodos terapêuticos válidos com muitos outros sem base confiável. Adiante. então.. Conheçamos um pouco sobre a autora: “Célia Resende realiza workshops e cursos de formação profissional para terapeutas em TVP. em busca de um elo comum entre essas várias correntes do Conhecimento. kardecismo e umbanda. apresentaremos relatos de eventos regressionistas e deles faremos análises. Completou seus estudos com regressão de memória. quando não indicarem outra fonte.” Numa primeira leitura pode parecer exagerada essa apreciação. perinatal e transpessoal. Estudou bioenergética." (Divulgação do trabalho de 158 . Apreciaremos.. intitulado “Terapia de Vidas Passadas. percorrendo diversos caminhos de estudo. psicologia oriental e transpessoal.

força eletromagnética. projeciologia. Entretanto. Do livro em referência extraímos algumas: • • • • • • • • • luz astral. no intuito de embasar suas idéias. psicologia etc. sistema eletromagnético. psicologia transpessoal. oriental. Célia Resende demonstra simpatia por expressões herméticas. suas idéias são ilustrativas dos métodos empregados na terapia regressionista. bioenergética. essas expressões revelam-se pouco objetivas. 159 . desmagnetização de condensadores de energias. capacete de luz. quando observadas mais atentamente. etc. Célia aplica em sua clínica um misto de tudo o que estudou. implantes magnéticos.Célia Resende feita pela Editora Record-Nova Era) → Célia Resende possui uma formação esotérica bastante eclética. rede magnética. parapsicologia. blocos de energia concentrada. resíduos kármicos. ao que parece. ou seja.

teorizar na profundidade que o assunto exige. Algumas regressões falam de microônibus iluminados e de estrutura estranha. Existem mais perguntas que respostas. tal qual fez Chico 160 . A Física Quântica é um mergulho num mundo que só recentemente começou a ser descortinado.O magnetismo exerce sobre Célia Resende singular atração. Célia Resende também simpatiza com a Física Quântica." (Célia Resende) → a terapeuta apresenta considerações sobre as movimentações no além. alegando tratarem-se de formulações quânticas. ela poderá deslocar-se por ato volitivo. apenas pela força do pensamento. um dos grandes físicos do século XX: “qualquer um que declare que a teoria quântica é clara. Lembramos as palavras de Niels Bohr. Veremos exemplos do programa terapêutico de Célia Resende. A terapeuta vê em quase todos os supostos fenômenos que atribui ao sobrenatural algum efeito do magnetismo. Muitos esotéricos aproveitam os vazios que a pesquisa não preencheu e alardeiam idéias insólitas. trens. Mas dependendo das regiões e do desenvolvimento mental da pessoa. seguidos de nossos comentários (lembramos que os destaques nos textos são feitos por nós): "A locomoção nas dimensões extrafísicas é feita de diversas maneiras. Não é fácil. veículos arredondados e voadores. Muitos esotéricos fazem referências à Mecânica Quântica como se esta fosse a explicação para tudo o que não se consegue explicar. mesmo para mentes geniais. na realidade não a compreende”.

. Muitas vezes." (Célia Resende) → “Equipamentos inimagináveis. quando se pretende que seja uma 161 .na literatura de ficção esses temas podem ser interessantes.ficamos em dificuldade para formar um entendimento sobre tal discurso... inclusive a autopropulsão mental. que é a grande fonte das doenças.. no entanto. Utilizando técnicas ainda desconhecidas por nós. Que tráfego intenso não existirá nas lides celestes! Essas teorias sobre o além possuem grande similaridade com as histórias de ficção do cinema e dos quadrinhos.. Célia amplia o sonho: informa que na esfera celestial variados meios de transporte são utilizados.Xavier no livro “Nosso Lar”. realizando o processamento do ectoplasma doado conscientemente para diversas utilizações no tratamento espiritual.. essas energias são por eles concentradas e direcionadas para a criação de novas células.para processar o ectoplasma doado conscientemente”. só que Célia Resende vai mais longe: Chico concebeu um sistema de transporte por meio de um ônibus voador. “Os cientistas do espaço trabalham com equipamentos inimagináveis controlados pela força do pensamento. que pela força do amor têm como objeto sanar a desarmonia.. “cientistas do espaço”. enquanto que os esotéricos asseveram que suas suposições constituem a mais concreta realidade.. materializam a luz astral em diferentes cores e matizes. A diferença é que a ficção é apresentada meramente como distração..

seriam partes constitutivas dos corpos. “médicos do espaço que se materializam”. conforme afirma Célia.. matéria etérica e as vibrações cromáticas. “vibrações cromáticas”. trabalhando com sofisticada tecnologia científica. São médicos. Ainda que a ciência oficial desprezasse a “ajuda” 162 . matéria etérica e vibrações cromáticas. é formado por três componentes: luz astral. “matéria etérica”. Célia Resende diz que o corpo humano. e sim seres em constante evolução. visto que. físicos. químicos que se materializam para melhor atuar na dimensão material." (Célia Resende) → Eis uma tentativa de autenticar um assunto nebuloso: “luz astral”.. e influindo em cada célula doente. e tudo o mais. é difícil sustentar a “Os médicos do espaço não são fantasmas. que constituem o corpo humano e os reinos animal. como se assim pudessem conquistar solidez. Acontece que a ciência jamais detectou esses componentes no ser humano.explanação real argumentação. a medicina e toda a ciência da Terra estariam muito mais avançadas que atualmente. → Se os médicos do espaço fossem reais. nem na natureza. Levando em conta tratarem-se de elementos materiais. Operam diretamente com a luz astral. sem cortes.os termos são lançados no ar. mineral e vegetal. teriam de ser percebidos pela investigação científica.

.Pena que a doutora não tenha pensado nisso... Ela percebeu uma equipe de médicos do astral agindo em seus vários corpos energéticos e. com bastante líquido e frutas.. sentiu sua cabeça girar... assim exibiria uma prova firme da atuação dos médicos espaciais na terapia esotérica. a equipe médica 163 . “Alba sofria de artrite reumática.Ela sofreu duas cirurgias espirituais que a ajudaram muito a eliminar os resíduos kármicos. E onde estão as curas miraculosas que a “avançada tecnologia espacial” realiza? O que se vê..Realizamos um trabalho intensivo de regressão a várias existências e uma dieta isenta de carne. mesmo assistida pelas ditas “entidades espaciais” não consegue melhores resoluções que os tratamentos com as terapias terrenas.dos do espaço...Uma grande melhora surgiu após esse tratamento paralelo à terapia. A TVP. enquanto um ser etéreo colocou sobre ela um capacete de luz.. → Gostaríamos de contemplar um “médico do espaço materializado”. são pífios resultados. ante o propalado conhecimento dos cientistas do espaço. no plano extrafísico.Numa sessão seguinte.. Célia Resende deveria filmar as materializações que testemunha. A própria Célia Resende nos dá um bom exemplo com a história de Alba. os médiuns e os esotéricos a utilizariam proficuamente.. Tubos e fios luminosos ligavam seus corpos físico e etérico a equipamentos estranhos. que veremos a seguir.

pois ao receitar uma “dieta isenta de carne com bastante líquido e frutas". A moça conseguiu o mesmo que obteria com uma adequada assistência médica terrena.ou seja: os médicos espaciais... que foi espalhada nas articulações e por todo o seu corpo. Um dos médicos parecia costurar." (Célia Resende) → Alba foi assistida pela avançada tecnologia dos médicos astrais e obteve apenas 80% de recuperação!. A terapia associada ao trabalho realizado pela equipe de medicina espiritual provocaram uma melhora de 80% em seu estado.. Sendo ajudada por tão “desenvolvida” ciência.... Célia tenha realizado mais que os “cientistas espaciais”.. que ataca as 164 .trabalhou com uma pasta dourada. → Há um aspecto importante na “terapia” aplicada: Alba sofria de artrite reumatóide. afirmar: retire os médicos espaciais dessa história e o resultado continuará sendo o mesmo. o que lhe permitiu recuperar parte de sua capacidade. uma moléstia dolorosa..É importante esclarecer que Alba chegou ao consultório quase imobilizada. com as articulações inchadas. Talvez melhor. seria de esperar que Alba ficasse 100% curada e nunca mais passasse por uma recaída.. uma parte de seu corpo energético que estava rompida e com manchas escuras. Provavelmente a própria Dra. com fios de luz.. não conseguiram curar a doente.. Podemos. desintoxicou o organismo da paciente. mesmo com a avançada tecnologia que dominam.. então.

procuro ajudá-lo com informações esclarecedoras. Com base em quê Célia Resende chegou a tal conclusão? A medicina postula que a artrite reumatóide tenha origem genética. A equipe espiritual.Nestes casos. muitas vezes de imobilização do obsessor. há casos em que os problemas psíquicos são causados entidades obsedantes.articulações. primeiro entro em contato com as equipes espirituais." (Célia Resende) → Conforme a suposição da terapeuta. conversando com o ser desencarnado. capazes de perturbar o sossego dos que caem sob seu domínio: 165 . Depois. como ocorreu durante uma sessão de terapia com uma paciente chamada Regina. Célia refuta o postulado da medicina e assevera que a causa da artrite está localizada em vidas passadas. emitindo impulsos mentais de força eletromagnética capazes de criar um campo de força protetora. Diagnosticado o mal.. A médica ao seu capricho decidiu que a doença de Alba provinha de situações vividas em outras existências. Entretanto. para. somada a peculiaridades ambientais. a terapeuta lançou-se com sua paciente num “trabalho intensivo de regressão a várias vidas”. em harmonia.. atuando na dimensão astral. quando me deparei com vítimas de obsessores. que seriam por espíritos do mal. cada qual cumprir suas tarefas.é mole? “Pude perceber isso em minha prática clínica.. utiliza esse campo para completar o trabalho. numa forte rede magnética..

reúne-se com uma equipe médicoespacial destacada para assessorá-la durante o tratamento. O segundo procedimento de Célia Resende é distribuir adequadamente o trabalho de cada parte. o segredo de como fazer contato com essas entidades está reservado a uns poucos “iluminados”.. Em → 166 .Pelo visto. Cá pra nós: seria tremendamente profícuo para a medicina tradicional dispor de um “assessoramento astral”. findariam as cirurgias fracassadas e não existiriam seqüelas pós-operatórias. Entretanto. o que possibilita à equipe espiritual capturá-lo com uma “rede magnética”.porém.. E começa o espetáculo: Célia Resende do lado de cá aplicando seus conhecimentos místicos e “eles” do lado de lá complementando o processo..→ Desse modo. Ela não esclarece que tecnologia utiliza para fazer contato com tais seres. Talvez use algo como um “intercomunicador dimensional”. aconselha a que pratique boas ações em vez de infernizar a vida de quem está quieto. No mínimo. Célia Resende.. para não haver confusão e ninguém se meter na seara alheia. a faina não terminou: a médica também é capaz de dialogar com a entidade obsessora.. a estratégia de conversar com o espírito obsessor tem dupla finalidade: ao mesmo tempo em que o supre com orientações construtivas... para resolver o problema.. distrai sua atenção.

o que a doutora diz realizar não é coisa para qualquer um: a) planejar o trabalho juntamente com seres de outras dimensões.resumo: a fantasia conseqüências. acompanhada de demonstrações inequívocas. A questão é que não são apresentados dados objetivos e suficientes para que se analise a legitimidade dos contatos com os entes do espaço e com os espíritos obsessores... 167 . b) conversar obsessoras conselhos.. → O problema é comprovar que realmente as coisas acontecem conforme a doutora Célia nos informa. com entidades e dar-lhes levada às últimas c) trabalhar em equipe com as entidades espirituais. e tudo o mais. Realmente. Uma atividade de tamanha relevância deveria ser adequadamente esclarecida. De outro modo teríamos de inferir que estaríamos diante de uma mente alucinada e tal conclusão não ousamos. ela deve saber o que diz. Desse modo. Ao assegurar que conversa com médicos de outras dimensões e que realiza o aconselhamento de espíritos obsessores..

a antigoécia serve para quê? Para desativar o que em seguida pode ser reativado? 168 . Geralmente... Leiamos a parte final do texto: “a antigoécia consiste em desativar esses campos. os obsessores usam magnetismos humano e animal para criar campos de força negativos que são dirigidos a distância para influenciar a mente do obsedado.desenvolveu uma séria pesquisa sobre os trabalhos de ‘antigoécia’ – processo utilizado por encarnados e desencarnados que trabalham na desmagnetização de objetos utilizados como condensadores de energias direcionadas a alguma vítima. embora estes possam ser reativados se houver o restabelecimento da comunicação entre o obsessor e a vítima. embora possam ser reativados se houver restabelecimento da comunicação”." (Célia Resende) → Sem intento desrespeitoso. “O pesquisador espírita Luiz da Rocha Lima. O que fica patente nesse quadro é a inserção na terapia de procedimentos nebulosos e pouco confiáveis.. o trabalho de Luiz da Rocha soa burlesco..as muitas dúvidas que surgem quando ouvimos essas narrativas seriam sanadas..Então.. Do jeito superficial com que o assunto é apresentado somos obrigados a concluir que tudo não passa de pesada fantasia. A antigoécia consiste em desativar esses campos de força.

Acreditava que os seres eram dotados de uma forma de circulação especial. Hoje em dia apenas o esoterismo deslumbrado dá respaldo ao mesmerismo. desenvolveu sua teoria dos fluidos magnéticos. inclusive na área de saúde. até então desconhecida pela ciência. Mesmer já não era levado a sério pela ciência. Mesmo → 169 . Seria necessário restabelecer o fluxo para que os problemas fossem eliminados. Mesmer encantou-se pelo trabalho de um jesuíta que dizia curar por meio de imãs. Já na época de Mesmer. é herança do espetaculoso Mesmer. a partir daí. com fantásticas aplicabilidades terapêuticas. porém nada têm a ver com Mesmer ou com as idéias fantásticas sobre o poder do magnetismo. Existem alguns estudos em andamento sobre a viabilidade de aplicações do magnetismo em várias situações. a melhora devia-se ao efeito da sugestão. Deduziu que quando houvesse desequilíbrio na circulação magnética surgiriam as doenças.→ A idéia de um “magnetismo” humano ou animal. Quando os doentes afirmavam ter melhorado. quando. O físico vienense não percebeu que seus espetáculos de magnetização levavam os pacientes a um estado hipnótico e os deixava altamente sensíveis a estímulos curativos. em verdade. Mesmer atribuía o resultado ao magnetismo. diversos pesquisadores testaram a teoria dos fluidos magnéticos que revelou-se infundada. Não se deve confundir pesquisa com especulação irresponsável. E. Na época em que fazia suas apresentações de cura magnética.

. atormentada por pesadelos e visões.ao fortalecer sua vontade.. há quem acredite numa “circulação magnética”. ela procurou-me desesperada.. Ficamos a nos perguntar: como será que a impressionável 170 .. reativou um processo de magia. o trabalho da equipe espiritual corria paralelamente. desfazendo os vínculos da paciente com os laços de magia que se estendiam ao presente. Enquanto tentávamos compreender o “processo obsessivo” e as “comunicações interdimensionais” eis que recebemos nova carga de dúvidas... digamos...O trabalho despertara a reestimulação das emoções vividas numa outra existência. fomos surpreendidas pela interferência positiva de uma freira desencarnada. a kármica.." (Célia Resende) → Percebemos que as obsessões são mais complexas que pensávamos: além da obsessão.assim. que se revelou uma forte protetora com o apoio de um grupo de espíritos africanos que eram profundos conhecedores da magia local...libertando-se do processo obsessivo.. ainda hoje. existe outra chamada “obsessão kármica”.Após tentar diversos tratamentos médicos. restabelecendo canais de comunicação com os obsessores do passado.. ocorreu com Lúcia.começou a proteger o pensamento. como parece ser o caso da doutora Célia Resende. “Um outro tipo de obsessão.....Enquanto isso.. comum.O tratamento demorou mais de um ano.ao escrever sua tese sobre uma tribo africana.No início do tratamento.

Em outras palavras. A magia sobrevive na atualidade porque mentes sugestionáveis a alimentam ― (imaginem o poder que teríamos se as forças do universo pudessem ser controladas por fórmulas mágicas? Deixaríamos de estudar as matérias tradicionais e todos nos aplicaríamos ao aprendizado da magia. Célia. ramifica-se o tema em questões enigmáticas. ao mexer com um assunto que a abalou. em lugar de esclarecer à sua paciente que feitiçaria só subjuga quem nela acredita. Magia e feitiçaria são concepções primitivas e vazias. e deixa-se de lado outras hipóteses mais coerentes. Pronto. originadas numa época em que se julgava possível domar a natureza com sortilégios. a natureza estaria inteiramente sob nosso domínio!). imaginou-se sob o domínio da feitiçaria de uma antiga tribo africana. será viável a explicação que acrescente menos dificuldades ao assunto. Lúcia certamente é uma pessoa sensível a superstições e. → A Dra. surpreendentemente ampliou o devaneio de Lúcia. diz o seguinte: diante de duas ou mais possibilidades plausíveis para explicar algum fenômeno. Ela talvez tenha livrado a 171 . deve-se escolher a mais econômica. Quando apela-se para o sobrenatural como forma de esclarecer alguma dúvida.Lúcia teria sido contagiada pela obsessão kármica? → Há um conceito universalmente admitido em ciência e na filosofia. num vale-tudo onde só o limite da imaginação pode frear o processo.

“O sensitivo e profundo pesquisador da realidade espiritual Edgard Cayce. Na área médica Cayce prescreveu medicamentos para o tratamento do câncer e outras doenças. Várias de suas previsões são habilmente encaixadas nos acontecimentos por seus seguidores e ganham a aparência de corretas. que não tinham nenhuma capacidade para debelar essas moléstias. de acordo com os abusos que foram cometidos aos outros ou a si próprio. jovem seguiu seu caminho propensa a outros sonhos da espécie. a maioria sem condição de ser comprovada. sim." (Célia Resende) → Muito apreciado no meio esotérico. Edgard dizia que o karma funciona de diversas maneiras. provocando efeitos físicos ou psicológicos. Sobre a Atlântida inventou algumas histórias capazes de divertir até o mais ingênuo dos homens. Cayce elaborou numerosas “revelações mediúnicas”.moça daquela “obsessão kármica”. É difícil identificar quais seriam as ditas “respeitáveis investigações de cientistas” sobre Cayce. utilizando poderes de clarividência comprovados por respeitáveis investigações de cientistas de sua época.. Edgard Cayce tem. visto que de seus temores não foi devidamente porém a formular a origem tratada. um 172 . o aqui chamado “profundo pesquisador da realidade espiritual” é tido por analistas mais rigorosos como um grande embusteiro..trabalhava em transe para diagnosticar e realizar curas.

Segundo Cayce. fundando colônias atlantes na América. Examinemos um exemplo das suas leituras mediúnicas: “A leitura 1208 foi feita para o sobrinho da secretária de Edgar Cayce. (Leituras de Cayce – Marcelo Borges) → Marcelo Borges. embora importante. No entanto. numa vida anterior Thomas Jefferson teria sido Alexandre.. apresenta um pequeno exemplo da grande imaginação do vidente. Isto não ocorreu porque seus pais não seguiram os conselhos de Cayce com relação à sua educação (isso confirma que o fator astrológico.) Em uma encarnação remota. Jefferson fora um atlante que liderou os filhos de Belial contra os filhos da Lei do Um. O profeta previu que o desconhecido Gladis Davis seria mais engrandecido que Thomaz 173 . foi um dos soldados que libertou a França do domínio romano.Cayce disse que o garoto deveria se tornar mais importante para a história mundial do que o fez como Jefferson. muito pouco de positivo se pode falar a seu respeito. Em suas encarnações anteriores mais famosas. Depois de ter sido Alexandre.grupo de admiradores nos Estados Unidos que procura manter vivas suas profecias... não é o único que compõe os quadros dos eventos. ativo astrólogo e admirador de Edgard Cayce. o Grande. Casou-se com uma moça espiritualizada e se corrigiu.. da Macedônia. tinha sido Thomas Jefferson. Gladis Davis.

Porém. A profecia não deu certo. do qual fora encarnação. mas também viera na roupagem de um simples soldado e finalmente despontou como o medíocre Gladys. depois encarnou como Alexandre.. não foi Cayce quem errou. → Avaliando a “leitura” feita para Gladis percebemos que o rapaz tivera uma caminhada incerta: fora Thomaz Jefferson. A aventura reencarnatória de Gladis Davis seria uma grande contradição à teoria das múltiplas vidas. O que Cayce não explica é porque o menino regredira em brilhantismo e valor (Allan Kardec não iria gostar desse caso.. O interessante é que outros divulgadores dos 174 . O problema foi que os pais do garoto não souberam educá-lo corretamente. Mais adiante. se recuperou e assumiu a identidade de Thomaz Jefferson e. sofreu uma queda enorme: veio como um soldado francês.(é a velha história de se remendar os fatos para adequá-los às previsões).Jefferson. Em seguida. o Grande. pois contraria a teoria espírita da reencarnação evolutiva): inicialmente fora um general atlante. anteriormente encarnara em Alexandre da Macedônia. retornou como um jovem incapaz de alçar vôo porque os pais não lhe deram o treinamento adequado. → Cabe destaque à atuação de Gladys durante sua vida como atlante: “liderou os filhos de Belial contra os filhos da Lei do Um”. conforme entende Marcelo Borges. por fim.

naturopatia e medicinas populares). ou lesões laterais.. especialmente de literatura do oculto e da osteopatia (que. A mulher sofria de tuberculose: .... 175 . e da primeira e segunda lombar. Estava em contacto com pessoas de formações diversas que lhe serviam de fontes.. lesões flutuantes. dores ao longo do corpo na segunda.. quinta e sexta dorsal. nesses dias. pois cada qual apresenta uma versão particular do assunto.“segredos” de Atlântida desprezam as idéias de Cayce sobre os grupos políticos que lutavam pelo poder em Atlântida......em conjunção com o nervo simpático do plexo solar. Mesmo não tendo uma educação formal. nas fibras nervosas e musculares que fornecem a parte inferior do pulmão e diafragma.. Chamavam-lhe "o profeta adormecido" porque fechava os olhos e parecia entrar em transe quando fazia as leituras.. Cayce era um leitor voraz.deixou milhares de relatos de vidas passadas e leituras médicas. era primitiva e próxima da quiroprática.da cabeça. vindo em conjunção com o fim do estomago.. Edgar Cayce não conseguiu convencer a maioria dos esotéricos. e leitor psíquico de vidas passadas...nós aqui. Examinemos uma avaliação menos fantasiosa sobre Edgard Cayce: “Edgar Cayce (1877-1945) Edgar Cayce foi um alegado médico com diagnósticos psíquicos.Martin Gardner cita a leitura por Cayce da sua própria mulher como exemplo.

Mas tornaram-se gananciosos e sintonizaram o Cristal para freqüências demasiado altas provocando perturbações vulcânicas que levaram à destruição do seu mundo. e era admirado por uma multidão de desinformados. famoso pelas suas experiências em PSE ―[percepção extrasensorial]―. É de surpreender como um palavreado vazio como o de Cayce 176 ... permitindo aos Atlantes fazerem coisas fantásticas. na Duke University. ..B.. Rhine sentiu que a leitura psíquica feita à sua filha não encaixava nos fatos. Mas e os diagnósticos incorretos: dorsal. Rhine.. incluindo a de que possuíam uma espécie de Grande Cristal. Cayce chamou-lhe a Pedra Tuaoi e disse ser um gigantesco prisma cilíndrico que era usado para juntar e focar"energia".Cayce também afirmou estar em contacto com Atlantes enquanto ausente nas suas viagens mentais. com um linguajar rebuscado. (Dicionário Cético) → Edgard Cayce proferia discursos obscuros. plexo solar e estômago? Porque não contam como falhas? E porque recomendou Cayce osteopatia [tratamento de doenças ósseas] para pessoas com tuberculose. lesões flutuantes. J. lombar. nada mais que um ardiloso.. Cayce é um dos maiores responsáveis por algumas das mais tontas noções sobre a Atlântida. Gardner comenta que o Dr. ou um iludido. que apregoava possuir o poder de prever o futuro e identificar encarnações.O fato de Cayce mencionar pulmão seria a prova do diagnóstico correto. epilepsia e [câncer]? . não estava impressionado com Cayce.

que se divide em dois raios luminosos que se estendem pelas pernas. seja qual for a causa.... "Uma aula sobre processos de cura espiritual aconteceu durante uma regressão de Anete.Ao fazermos a limpeza e energização dos chakras. O interior do meu cérebro parece um laboratório’.. numa vida passada.. revendo cenas difíceis de uma vida passada.Para amenizar os resíduos dessas vivências dolorosas. após reviver e liberar muitos resíduos kármicos bastante tóxicos.. um terceiro sobe em direção à cabeça e mais 177 . ganham maior elasticidade. muito esticados e tensos. em qualquer órgão.. o chefe da equipe espiritual coloca as mãos sobre a testa dela e depois sobre cada face...Estabeleço diálogo com a equipe médica através de Anete. Anete desenvolveu bastante a sua paranormalidade. inundando os filamentos neuroniais. descrevendo em detalhes o tratamento que se desenvolve para corrigir a densidade de seus corpos energéticos: ‘uma luz prateada circula como se fosse um líquido pelo meu cérebro.... geóloga..Projeta uma luz dourada bem no centro do coração.. alguns deles. Eles explicam que para dissolver os bloqueios provocados por estresse.Após dois anos de terapia..foi capaz de cativar a tantos! Deixemos Edgard Cayce e voltemos a Célia Resende. e já entra em contato com o seu orientador espiritual.ele coloca uma das mãos sobre seu estômago e a outra sobre o coração. ela percebe uma equipe médica espiritual.Em seguida.. é preciso se mudar a freqüência do pensamento.Esse método pode ser usado também para qualquer outra obstrução. E quando essa luz o atravessa. distendendo-se.

eméticos. o remédio para todos os males. apenas com nova roupagem. seria preciso eliminar os “maus humores”. Quando se manifestasse uma doença. Imaginamos que isso equivale a buscada “panacéia universal”.dois descem por cada braço." (Célia Resende) → Célia Resende deve ter achado a evolução maior da medicina. Anete se vê envolvida com “cenas difíceis de uma vida passada”. Anteriormente Célia afirmava dominar a técnica de “limpeza e energização dos chakras”. no passado. a medicina acreditava que o organismo saudável fosse equilibrado pela circulação harmoniosa dos “humores”.. Diríamos que a moça está cada vez mais perdida na névoa de seus conflitos.. Quando acaba o trabalho... ele se inclina e se despede com as mãos fechadas sobre o peito. → → Após dois anos de terapia. agora acrescenta ao seu conhecimento o dom da “desobstrução orgânica”! Parece que os médicos ortodoxos estão perdendo muito por desconhecerem esses revolucionários procedimentos. Não eram poucos os que sucumbiam a esse tratamento. Ela buscava tão-somente se livrar das 178 . É curioso que.. pois os médicos do espaço lhe ensinaram como “desobstruir” qualquer órgão. tudo com a finalidade de “desobstruir” os órgãos.. Então aplicavam-se sangrias. enemas. A exposição de Célia Resende lembra muito essa idealização antiga.

Se propalasse sua convicção como crença religiosa. Se para ela tal mistificação tem fundamento. respeitamos.a magia negra visa a vampirização de energia. ou de qualquer cor. O que se critica é a atitude da terapeuta de fazer com que sua crença pareça ser parte de uma técnica médica com fundamentação científica! Isso confunde a quem não dispõe de informações adequadas. → Reflitamos sobre a magia. quando se utilizam objetos. quando não passa de especulação de baixa qualidade. Como funciona? A 179 . tudo bem. ou coisa parecida. blocos de energia concentrada ou peças que mantêm interferência sobre o sistema eletromagnético da vítima para o fortalecimento das influências negativas. ela fala do tema qual se discorresse a respeito de metodologia respaldada em estudos e pesquisas. instrumentos e inclusive implantes magnéticos. seja branca. à manipulação da mente da vítima e ao bloqueio do fluxo de energia positiva ou da comunicação saudável entre as pessoas.. o procedimento da doutora não é nada elogiável... ou negra.. Efetivamente." (Célia Resende) → O fato de Célia Resende temer a magia é um problema pessoal. → Outra questão a esclarecer: o que seriam “resíduos kármicos bastante tóxicos”? “Outros processos de ordem mais complexa são encontrados na magia negra. Entretanto.dificuldades psicológicas que a acometiam e terminou a dialogar com fantasmas.

180 . porque o “mal foi desfeito”. se a vítima aceitar que um “feiticeiro” tenha condição de prejudicá-la. Mas não é difícil demonstrar a implausibilidade dessa “ciência”: basta observar que a força dos feitiços nunca ultrapassa os limites da crença dos envolvidos. milhões de pessoas em todo o mundo acreditam. e tudo recomeça. A vítima se sente temporariamente tranqüilizada.. Quando alguém verdadeiramente não crê em feitiçarias. mais adiante enfrentará novas encrencas.. Ainda assim. visto que sua mente ainda é receptiva ao medo. Há pessoas que se deixam convencer tão profundamente serem vítimas de sortilégios que fica difícil tirar-lhes da mente essa torturante idéia. O caso de Adélia que adiante é relatado mostra claramente essa situação.noção de magia presume que algumas pessoas dominem uma “ciência oculta” que lhes possibilita realizar coisas fantásticas. Porém. não cura ninguém de suas angústias. É comum encontrar-se feiticeiros oferecendo “desfazer” trabalhos de outros feiticeiros. O efeito psicológico de um “feitiço” é indiscutível. podem mil bruxas lhe lançar maldições e nada acontecerá. A idéia não faz sentido: não se conhece ninguém que verdadeiramente tenha tais poderes. Só sossegam quando encontram quem alegue capacidade de realizar um “trabalho” mais poderoso. toda a sorte de infortúnios pode suceder. → É claro que a tática de utilizar feitiçaria contra feitiçaria. No entanto.

tudo observa sem ser visto. sem querer falar com ninguém. por estar na mesma freqüência mental de culpa. pelo fenômenos de ressonância.o obsessor insufla-o com a idéia de que a irmã ficou muito bem após livrar-se dele.. quando eles dois partem para interferir na dimensão física. encolhido num canto escuro. vibrando na raiva e no ressentimento por ela. 'tirando o corpo fora e deixando-o sozinho numa fria'. permitiu o acoplamento do irmão.“Um caso de obsessão entre desencarnados ocorreu com Adélia. continua como ficou na prisão. tornou-se presa fácil para os desencarnados ansiosos por auxiliares.. não existiria contato entre essas diferentes dimensões. ele [Adélia] se deixa levar de volta ao mundo físico e. Conhecedor das fraquezas humanas.. Ele morre com a sensação de que a irmã o traiu. como entidade extrafísica. que fora um homem condenado à morte durante a Revolução Francesa... e não demorou muito tempo para que um líder maligno percebesse seu potencial. A segunda parte desse processo mostra a obsessão de um desencarnado sobre encarnado. Esta. transferindo energia vibratória para a irmã. Isto representou a gota d’água que faltava para convencê-lo da traição. Com a promessa de ajuda. Se não houvesse ressonância vibratória. impedindo-se a comunicação.. Isto significa que os espíritos obsessores só conseguem 181 . Deprimido e apático. ele se aproxima e tenta convencê-lo a participar do seu grupo. estudante de psicologia. Desencarnado.

puxando a espada e matando-a num só golpe........ Para que o plano saísse perfeito fizeram o mesmo com o marido.Para que o plano não corresse o risco de fracassar..mantendo-as imantadas entre si. uma placa de ação magnética é colocada entre ela e o marido...O passo seguinte foi induzir situações que estimulassem a discórdia..a irmã dorme profundamente. O instrutor aproveita a presença de um ladrão no vilarejo..ele percebe o quanto a amava e que não desejava seu mal..onde será exatamente que as "entidades" puseram essa placa?......estabelecer contatos se ocorrer ressonância vibratória entre eles e suas vítimas. cuja fraqueza era a insegurança e o ciúme.. Por sua vez...À tarde..Cego de ciúmes o marido perde a razão.Seguindo plano do instrutor...o ladrão é instigado a seguir em direção à casa da irmã.. com a intenção de 1 afastá-la do marido . . viajando para sua casa de campo. imantada.) 182 ....o marido vai ao quarto..A experiência de Adélia demonstra como os pensamentos obsessivos.Tanto ele [Adélia] quanto sua irmã foram vítimas de obsessão. o irmão desencarnado [Adélia] percebe a dimensão de seu ato.. tentaram descansar." (Célia Resende) → ("uma placa de ação magnética" afasta o marido da esposa. ele projeta passes magnéticos sobre a irmã para entorpecêla.uma armadura energética.e assusta-se com o vulto masculino......envolvem as pessoas...... Num momento de lucidez.A crise do casal estava cada vez mais forte.

que fique de olhos bem abertos! → 183 . tenha decidido trilhar outro rumo profissional.. mas auguramos que não se torne mais uma terapeuta regressionista. aqui é "estudante de psicologia". já as temos além da conta. “Aprendemos” ainda que.. Allan Kardec nada falou sobre isso. Pode ser que. em nossa opinião. a sofrida Adélia passa por uma intrincada experiência de obsessão.. Naquele episódio Adélia era um homem que vivera durante a Revolução Francesa ― (A Revolução Francesa abrangeu o período de 1789 a 1795). no além.→ Adélia é uma figura singular! No capítulo 5 comentamos uma aventura por ela protagonizada. quem estiver distraído corre o risco de ser dominado por uma entidade malévola. após a "elucidação" do trauma revolucionário. Tão profundo que a acompanhou pelas vidas seguintes. A doutora Célia "descobriu" que Adélia (na época encarnada num homem) fora acusado de traidor. Agora.. Adélia fora apresentada como "assessora de imprensa". Nesta peripécia. Antes. o que lhe originou um trauma profundo. Desejamos-lhe boa sorte. desta feita com a irmã. visto que. Adélia retorna em nova confusão. A Doutora Célia apresenta uma inovação à teoria espírita: para ela a obsessão só ocorre se a “freqüência vibracional” do obsedado for a mesma do obsedante. Isso porque existe obsessão tanto cá quanto lá. Quem for desta para melhor.

A obsessão do cunhado de Adélia fica. o que supostamente o faria “vibrar” numa outra ressonância. Célia. cuja fraqueza era a insegurança e o ciúme”). o que diremos... Onde será que a magoada moça irá parar? Parece que a doutora desencavará traumas sem fim na mente de Adélia. o espírito de Adélia-homem pôde obsedar sua irmã porque esta estava na “mesma vibração de culpa”. → → A situação de Adélia é preocupante: recentemente combateu os efeitos de uma injustiça sofrida há duzentos anos. em seguida se viu às voltas com o resultado de complexa trama de obsessão. que também fora vitimado pela obsessão? ― (“Para que o plano saísse perfeito fizeram o mesmo com o marido. Segundo a teoria da Dra.. pois. sem fundamentação. 184 . seja lá o que isso signifique. diferente da exigida para permitir o acoplamento daqueles obsessores (estamos raciocinando com base na “teoria” apresentada por Célia Resende).→ Conforme explica Célia Resende. então. a obsessão só ocorre se houver “ressonância vibratória” entre os obsessores e suas vítimas. A fraqueza do marido era a insegurança. Isso porque em vez de livrá-la das superstições as alimenta cada vez mais. Pois bem.. do marido.

pois parecia adivinhar nosso propósito.. O estudo e o desenvolvimento da medicina espiritual levam a equipe do Dr. socorrendo e orientando-os. Mas nada o limitava nem o aprisionava. Lacerda. utilizando-se a técnica de despolarização dos estímulos da memória. a partir de intenso trabalho desobsessivo . Radiante em sabedoria e amor. Lacerda trabalha os fenômenos da alma sem dogmas. ‘Meu zinfio...Várias curas foram comprovadas. Lacerda relatou que. José Lacerda de Azevedo e seu grupo apresentam o resultado de trinta anos de estudos.. ‘Certa vez.. O grupo liderado pelo Dr... formamos um campo de força para paralisar a sua atuação. chamada ‘apometria’. de encarnados ou desencarnados.“Vários estudos científicos de ponta sobre fenômenos paranormais indicam o uso de novas técnicas que abrem horizontes no campo da pesquisa psíquica. Aos que desejarem tratar as enfermidades da alma. pergunta ao Dr. 185 . Ele antecipou nosso gesto e desviou nossas projeções magnéticas. o Dr... tu sabe o que é spin?’. Dr. diante de um mago desencarnado e confiante de seus poderes. . Lacerda a situações inesperadas. incorporou numa médium e apresentou-se como uma ‘preta-velha’. nesse momento.... mitos ou ortodoxias.a técnica da apometria revela-se uma poderosa arma no tratamento de inúmeros focos de neuroses e psicoses. aproximou-se o espírito de vovó Joaquina..

criando um campo de força imobilizante. pois trata tanto de males dos viventes. a fim de provocar a inversão angular dos spins no corpo astral do mago. Assim que terminaram a contagem em sete. Lacerda. com o respaldo de Célia Resende! Com base no embate entre a equipe do Dr. 186 . defasando-o em 45 graus. para uma inversão no spin do mago. completamente inconsciente. Lacerda conta que começaram a contagem para a formação de um intenso campo magnético.Ele e a equipe acharam que ela estivesse falando de ‘espinho’. de forma científica. linguajar mais comum a uma pretavelha. ainda. afinal são trinta anos de estudos e. é possível extrair algumas conclusões “interessantes”.” (Célia Resende) → Bem. Dr. Quando ela apresenta a descrição detalhada do que estava falando. Lacerda e o mago pirracento. Ela orientava-os. ao mesmo tempo que espalmava a mão direita em projeção magnética na direção deste. Sem entender a relação do espinho com o que estava acontecendo. pergunta aflito: ‘Por quê’. Vejamos: • A apometria é um procedimento médico revolucionário. o mago leva um choque instantâneo e sua energia desmonta como um bloco. não podemos desprezar o trabalho do Dr. onde será tentada a sua recuperação. Vovó Joaquina cuida da transferência do mago para a sua cidade astral. eles compreendem que se referia ao número quântico spin.

pois atuam nesta vida e também no outro mundo. Lacerda e equipe muito contribuiriam para o progresso da ciência se esclarecessem melhor essa sensacional utilização da física quântica no trato com malfeitores da esfera espiritual.. serve para curar doenças dos vivos e dos mortos! • Pelos ensinos da apometria. • • O Dr. Falta explicar como a ciência material pode atuar no mundo dos espíritos. não só neste mundo quanto no outro.. os métodos mágicos constituem uma força tremenda. Aplicando-se adequadamente fundamentos científicos. • 187 ..quanto dos que passaram para o outro plano. Os meliantes serão destrambelhados. ou seja.). (Vimos que o resistente mago sucumbiu à manipulação quântica dos seus spins.. podemos vencer a magia. É possível combater com eficácia os facínoras espirituais: basta ter boa pontaria e disparar rajadas magnéticas na direção certa.

Esperamos que não demorem a apresentar essa preciosa informação.. infelizmente. o spin pode tomar apenas certos valores especiais. → → Sobre a apometria cabe um comentário específico. Lacerda acrescentariam um novo capítulo à Física caso elaborassem uma tese fundamentada sobre a “inversão espiritual” de spins. De acordo com as regras da mecânica quântica. Lacerda Azevedo mergulhou num mundo de fantasias e dele não soube sair. no entanto. Insistimos: o Dr..→ O que significa “spin”? Informa o Dicionário Aurélio: “Spin: Número quântico associado a uma partícula. não podemos nos furtar a concluir que a equipe do Dr. Célia Resende e a equipe do Dr. Célia Resende responsabiliza-se por afiançar que “a técnica da apometria revela-se uma poderosa arma no tratamento de inúmeros focos de neuroses e psicoses”. e que lhe mede o momento angular intrínseco. Lacerda nos deve uma teoria sobre a utilização da Física Quântica nos embates espirituais. multiplicado pela constante de Planck reduzida ― (constante de Planck: proporcionalidade entre a energia de uma partícula e a freqüência de onda a ela associada)”. Mais uma vez. questões que seriam de grande profundidade são apresentadas superficialmente. ou a um número semi-inteiro. Por enquanto.. iguais a um número inteiro. Trata-se de uma declaração firme que. num primeiro 188 ..

José Lacerda de Azevedo e dela temos uma definição “esclarecedora” dada por José Carlos Palermo. pode fazer crer que estaríamos diante de um método terapêutico altamente eficaz.” Outra informação. através de terapia de vidas passadas. goécia (magia negra). Pseudo-Obsessão. em desdobramento. estigmas espirituais. remoção de implantes no corpo astral. ficamos com a impressão de que foram elaboradas pelos internos de um manicômio. (magia originada em passado remoto). É a medicina utilizada em hospitais do plano astral a partir da 4ª dimensão. Perfeito para tratar de síndrome da ressonância vibratória com o passado. parasitismo. tratamentos especiais para magos negros. que é a cura e eliminação de traumas vividos em vidas anteriores. para Hospitais do Astral Superior.momento. No meio espiritista encontram-se dedicados praticantes da apometria. Entretanto. A terapia foi iniciada no Brasil pelo Dr. condução dos espíritos encarnados. auto-obsessão. arquepadias. também “elucidativa”: 189 . terapeuta holístico: “Apometria é medicina espiritual. vampirismo. incluindo transplantes de órgãos comprometidos e remoção de miomas por exemplo. tratamento de espíritos em templos do passado. obsessão espiritual. quando conhecemos melhor as teses dessa insólita terapia. É indicada em casos de cirurgias astrais.

em que surgem Apometria e TVP. anímica e física. José 190 . A apometria. (www. E nesse grande momento terapêutico. lida com conceituações pesadamente esotéricas e de difícil comprovação.com. espiritual. transpessoal. bastante estudado por diversos autores clássicos. orientar seu destino glorioso e prepará-lo para o grande momento da retomada harmônica e responsável de todo seu conteúdo de memórias que armazenou no transcorrer do processo evolutivo.“O Espiritismo e o Espiritualismo propõe esclarecer o homem sobre sua realidade transcendental. O termo Apometria é composto das palavras gregas “apo” que significa “além de” e metrom que significa medida.holuseditora. o acesso aos registros e particularidades desse agregado formado pelos sete corpos e seus níveis (Perispírito). que o transformará em verdadeiro super-homem. através de sintonia mediúnica. Serve para se tratar terapeuticamente distúrbios de ordem pessoal. assim como a TVP. eles nos fornecem os parâmetros para uma melhor utilização desses conhecimentos. Designa o desdobramento espiritual ou bilocação. psíquica. interpessoal. Trata-se de uma técnica anímica. composta por 13 leis.br/) Outros teóricos espíritas não vêem a apometria com tanta generosidade e a classificam de ingenuidade. É útil ainda como recurso e conhecimento auxiliar das demais técnicas terapêuticas. onde se ocultam as raízes das desarmonias psíquicas e espirituais do ser. que faculta.

obsessão espiritual. pseudo-Obsessão.” o caso é que inexiste a mínima comprovação de que essas "dificuldades espirituais" sequer sejam reais. goécia (magia negra). a apometria é então uma técnica totalmente estranha à Doutrina Espírita. em desdobramento. estigmas espirituais. A única coisa constatável é a extremada utilização de conceitos vagos. tratamentos especiais para magos negros. para Hospitais do Astral Superior. parasitismo. arquepadias (magia originada em passado remoto). condução dos espíritos encarnados. sem base sólida. tratamento de espíritos em templos do passado.. pois segundo esta 191 . auto-obsessão.Carlos Palermo relaciona nada menos que 14 “problemas espirituais” que afirma serem solucionados pela apometria: • • • • • • • • • • • • • cirurgias astrais. Vejamos o que diz um texto espírita contrário à essa "terapêutica": “Ora. vampirismo. remoção de implantes no corpo astral..

. diremos que o conhecimento da técnica da Apometria demonstra que a imaginação humana não tem limites.. Não citamos nomes das pessoas porque não queremos personalizar.. parece-nos um verdadeiro Ôba. que se trata de uma técnica que absorve conceitos da Teosofia e do hinduísmo. principalmente quando se quer auferir dividendos com a credulidade das pessoas.Psiquiatra) 192 . pois dentro deste barco encontram-se alguns médicos. repudiamos com veemência a catalogação dessa técnica de desdobramento como espírita. até porque em Espiritismo não há técnicas.. consistiria em se aplicar "pulsos magnéticos concentrados e progressivos" no "corpo astral" do paciente e.. Desdobrar-seiam o médium e o doente para contato com "entidades médicas do astral" !!! Está visto que não há a menor cientificidade no método: é um amontoado de termos. Finalizando este tópico.. Enfim. psicólogos.. O método.. Ôba espiritual. inescrupulosos.não existem "corpos espirituais". sem a menor possibilidade de controle científico e com o falso pressuposto de que os Espíritos estariam à disposição dos médiuns em dias e horas marcados. a julgar-se pela propaganda já referida. ..” (ISO JORGE TEIXEIRA . ao estudarmos o assunto. . em resumo. a Doutrina faz referência apenas ao perispírito.. etc. "por sugestão" comandar-se-ia seu afastamento. Logo se observa..

como se fora uma prática consagrada: vários psicólogos “descobrem” traumas ocultos em lembranças que 193 . → Fala-se muito em “regressão à vida intrauterina”. que prometemos comentar. Eis que chegou o momento: "A Era da TVP A regressão de memória ou Terapia de Vida Passada (TVP) limitava-se antes a ir só até à vida intra-uterina.CAPÍTULO 11 Avaliações Complementares No início deste livro foi apresentado um escrito de José Reis Chaves.. ela vai até às outras vidas anteriores do espírito. Hoje.

. A partir de então ela passa a lidar com conceitos abstratos e pode-se dizer que é nesse período que se começa a pensar de verdade.A criança se esforça e. mesmo as dotadas de genialidade.. As propaladas recordações fetais são sonhos de pessoas sensíveis a sugestões. A mente das pessoas.. aos poucos.) 194 .pacientes trazem desse período de sua existência. precisa de um tempo para desenvolver-se e poder elaborar coerentemente os pensamentos. Tal idéia constitui uma impossibilidade científica e fere o bom senso. cores. portanto ele nada pode elaborar. Acontece que é falaciosa a crença de que seja possível a recordação do período de gestação. (adiante apresentaremos um relato exemplificativo de uma regressão à vida uterina. Somente depois de vários meses mergulhada nesse confuso universo é que o infante começa a ter percepção objetiva do que se passa à sua volta. José Reis acata sem remorsos a idéia de que fetos tenham lembranças. A inteligência infantil conhece formidável progresso à medida que desenvolve a fala.. odores. Lembrem como os adultos se divertem com as ingênuas ponderações infantis sobre os acontecimento que vivenciam. etc. vai desenvolvendo uma compreensão adequada do ambiente.. dos quais ela não tem a menor compreensão. O mundo para uma criança soa como uma algaravia de sons. A estrutura física e mental do feto ainda não está formada.

pois declara que “A regressão de memória ou Terapia de Vida Passada (TVP) limitavase antes a ir só até à vida intra-uterina”. a qual busca recuperar lembranças desta vida. com fins de tratamento de distúrbios psíquicos. que é a doutrina mais lógica que existe. dos orientais. notadamente acontecimentos da infância. Reis Chaves misturou as coisas. Ora. Porém. a maioria dos dirigentes religiosos cristãos prefere defender seus interesses particulares a aceitarem o óbvio. padres e bispos submetem-se sigilosamente à TVP.9: “Somos de ontem. do Rosacruz. Regressão de memória é um procedimento adotado por alguns hipnoterapeutas. o que implica aceitar a reencarnação. advoga que seja possível a recuperação de lembranças de outras existências. Não é.→ José reis chaves começa o texto com um equívoco: diz que regressão de memória é o mesmo que Terapia de Vida Passada.. Reis Chaves leva o equívoco ainda mais longe. como lemos em Jô 8. e nada sabemos”. “A TVP acessa o arquivo “acashico” da Teosofia. maçons e do Livro da Vida do Apocalipse. A terapia de vidas passadas. portanto em nenhum momento ela poderia ir “somente até a vida intra-uterina”. Mas esses dirigentes religiosos 195 . se é → terapia de vida passada pressupõe-se a lembrança de existências pregressas. que muitos pastores. E o certo é que a reencarnação está em várias partes da Bíblia. todavia. Sabe-se..

Cayce realizava “leituras” mediúnicas por meio de pesquisas aos acásicos. → Destacamos a mambembe interpretação de Reis Chaves ao texto de Jó: “somos de ontem e nada sabemos”.vão chegar lá! Depois de mais de 300 anos do Heliocentrismo. Diversas figuras se declaram habilitadas para a empreitada. a excomunhão! → O “Arquivo acashico” é idealização oriunda de algumas seitas do hinduísmo. No entanto. aquilo que os “iluminados” obtêm desses imaginados registros são revelações quase sempre ingênuas que não vão além de caprichosos devaneios. em vez de arquivo. a Igreja acabou reconhecendo oficialmente que Galileu estava certo. José Reis Chaves 196 . O que resta destacar é que os esotéricos deleitam-se freqüentemente com as muitas “descobertas” obtidas nos acásicos: supõese que os “afortunados” que consigam acessar os registros acásicos são capazes de conhecer os segredos da vida. A idéia básica é a de que existiria um registro cósmico onde estaria contido todo o conhecimento do universo. Um dos mais famosos “consultores” desses registros foi o vidente norte-americano Edgard Cayce. tirando dele. A discussão sobre o registro acásico foge ao escopo desse trabalho. Parece que o melhor seria nominar “Registro acásico”. recentemente.

Roger Woolger. Brian Weiss. “Somos de ontem” significa que o conhecimento do homem é mínimo. insuficiente para avaliar amplamente os propósitos do TodoPoderoso. E conta hoje com o aval internacional de grandes representantes da ciência.vê aí uma referência à reencarnação. não há qualquer alusão ao reencarnacionismo. Bildade recomenda a Jó que leve em conta a tradição. pois somos de ontem. A declaração completa diz: “Indaga. com o fito de ampliar sua visão sobre a justiça de Deus. na qual o expositor defende a lisura dos procedimentos divinos. um junguiano que revoluciona a Psicologia Moderna. “A TVP é uma realidade científica. Ken Wilber. Morris Netherton. Helen Wambach e Dr. e não religiosa. eu te peço. Nada mais incorreto. mas se juntarmos nossa experiência com a de nossos antepassados então será possível entender melhor os propósitos do Criador”. porquanto os nossos dias sobre a Terra são como a sombra”. Como se vê. pois. Bruce Goldberg e Dr. seria aproximadamente desse modo: “nosso conhecimento é irrisório. da geração passada. um dos amigos que visitava Jó durante sua amargura. como os americanos: psiquiatras Dr. Dito de outra forma. Porque nós somos de ontem e nada sabemos. e considera o que seus pais descobriram. o conhecimento das gerações passadas. O trecho é parte da preleção de Bildade. Dra. e autor de "O Espectro da 197 . e psicólogos Dr. Dr.

e o alemão Dr. Por que as regressões não nos dão a chave para traduzir línguas de povos antigos? Os arqueólogos contam hoje com escritos de pelo menos uma dezena de civilizações desaparecidas. grandes mistérios esclarecidos. Alemanha. Obras de TVP desses eminentes cientistas e de outros estão editadas em várias línguas em todo o mundo. a Arqueologia e outras matérias que dependem de pesquisar o passado. não foi 198 . mais de um milhão de regressões. caso a regressão a vidas passadas produzisse alguma coisa consistente. Numerosas dúvidas seriam respondidas." → O autor escorrega ao afirmar que a TVP é uma realidade científica. Tratam-se de códigos lingüísticos cuja decifração. Nada disso ocorre: a TVP não é recomendada por nenhum dos organismos oficiais da psicologia e da psiquiatria. em conjunto. os Conselhos de Psicologia e outras entidades teriam de aceitá-la. Dethlefsen . 1 T. → A História. Catedrático de Psicologia da Universidade de Toronto. Catedrático de Psicologia da Universidade de Munique. Canadá. Se fosse. Vimos que as postulações da TVP são voltadas para o esoterismo e não para a ciência. Joel Whitton.Consciência". o psiquiatra inglês Alexandre Cannon. o canadense Dr. muito se beneficiariam se contassem com alguns facilitadores. que relutou durante 50 anos em aceitar a reencarnação. por mais que os estudiosos se esforcem. e que comanda uma equipe de 70 terapeutas que já fizeram.

no INTVP (Instituto Nacional de TVP). um milhão de lembranças e nada de positivo se obteve para nos ajudar a conhecer o passado. com vários cursos de TVP nos Estados Unidos. Maria Aparecida Siqueira Fontana. A equipe do inglês citada por Reis Chaves. e Presidente da SBTVP (Sociedade Brasileira de TVP). É a nova era da medicina.obtida. “No Brasil temos as psiquiatras Dra. em Campinas. da UNICAMP. em Campinas e Belo Horizonte. e a Dra. e na ANTVP. realizou mais de um milhão de regressões. Presidente da ANTVP (Associação Nacional de TVP). onde tem início uma turma.. SP. T. → 1 No capítulo seguinte apresentamos um comentário sobre o trabalho do Dr. A TVP está curando as pessoas de seus males provenientes não só de um passado propínquo. Informações com os terapeutas Dr. Luís Carlos Braga: (031) 3222 6596. mas também de um passado longínquo. Se as regressões fossem úteis a tradução das línguas desconhecidas já teria sido conseguida. Campinas. e muitos outros grandes médicos e psicólogos de todos os Estados brasileiros que o espaço não nos permite citar aqui.. no Rio de Janeiro. Luís Carlos Fróis: (031) 3213-8499 e Dr. Campinas. autora de “Os Viajantes”. Podem fazer o curso de TVP médicos e psicólogos. A era da TVP!” 199 . Dethlefsen. de fevereiro de 2003 a julho de 2004. SP. Locais: na SBTVP. Maria Teodora.

como faz parecer a exaltada manifestação de Reis Chaves.→ Afirmar que a TVP é a “nova era da medicina” é um tremendo exagero. graças ao poder da propaganda. da autoria de Oswaldo Shimoda. uma paciente me relatou que quando estava grávida. sobrevivem). sempre que o seu marido se aproximava para tocar em sua barriga. A TVP deve ter seus resultados animadores. “Vida intra-uterina Certa ocasião. os atritos e os desentendimentos entre pai e filho eram muito freqüentes. acompanhado de nossos comentários. apesar de amá-lo e se darem muito bem. muitas práticas médicas fajutas são perpetuadas. Apreciemos agora um artigo sobre regressão à vida intrauterina. Era comum também seu filho lhe 200 . Ao nascer. Neste período. o bebê ficava mais agitado do que o comum. Os resultados que apresentam são medíocres. caso contrário já estaria descartada . E mesmo na infância. Ela não conseguia entender esses sentimentos.(apesar de que. uma panacéia. Ela não é. Até os mais apaixonados sabem que a utilidade terapêutica da TVP é restrita. a criança costumava chorar muito quando o pai a pegava no colo. mesmo assim. ela sentia muita raiva e hostilidade do marido. já que o mesmo não fazia nada que justificasse o aparecimento desses sentimentos.

bem como sua hostilidade pelo pai. seu namorado na ocasião (atual marido desta vida) a obrigara a abortar a criança (seu filho da vida atual). na qual pai. portanto. A partir do aborto e das decorrências dele advindas. você gosta de mim”? Ela achava que essas perguntas eram próprias da idade. cultivada já no útero de sua mãe. que trouxe da vida passada pelo que o pai fizera com ele. para efeito de reflexão continuaremos). Ela veio a entender também. o porquê de seu filho insistir em lhe perguntar se ela gostava dele. (coisa que entendemos infundada. → É certo que a doutrina espírita não respaldaria essa repetição de experiência.perguntar: “Mamãe. desde que se admita sem crítica que a imposição ao aborto numa vida passada e todas as demais situações relatadas tenham de fato acontecido. mas. quando grávida. Essa recordação de vida passada a fez entender. mas sim de seu filho. a paciente recordou que na vida anterior. Ao passar pela regressão. provavelmente para purgarem os erros cometidos. apesar de estar no útero materno. foi descoberto que o feto.” → Podemos afirmar que a história tem certa “lógica”. é capaz de perceber tudo o que acontece ao seu redor. que programaram os três a voltarem nas equivalentes condições anteriores. que a sua raiva pelo marido. através da TVP (Terapia de Vida Passada). entraram em ação os mecanismos reencarnatórios. mãe e filho voltam exatamente 201 . Desta forma. não era dela.

porém. Excepcionalmente. será que cultivará algum ressentimento contra o pai? Sem falarmos 202 .. → No entanto. naufragou. porque os conflitos entre o pai e o filho anteriormente abortado não foram sanados na vida atual. ou. Shimoda pudesse ser acatada por teóricos do espiritismo. quando crescer. seria de imaginar que o pai criminoso. cuidadosamente planejado. o que parece ter solucionado tudo. → O insólito nesse caso é que o projeto espiritual.na mesma formação anterior. podemos perguntar: será que a esposa ficará definitivamente em paz ao relembrar que seu marido a forçou a abortar numa vida passada? E a criança. o Dr. então o engenho que rege o processo reencarnatório apresenta falhas graves. Osvaldo Shimoda interveio e “consertou” o problema: passando por cima da tese kardecista de que a lembrança das vidas passadas é maléfica. Dentro da tese espírita. a nova família perpetuou as relações antagônicas. pode-se admitir que a história contada pelo Dr. o psicólogo sondou a mente da mãe e fê-la lembrar dos acontecimento. Duas possibilidades se nos apresentam nesse episódio: ou os envolvidos tiveram uma segunda chance e não souberam aproveitar. retornasse para expiar o mal que praticara anteriormente. Em vez de consertar as desavenças pretéritas.porém....

é possível supor que os três foram preparados para a nova existência no molde anterior. o que lhe ocasionou a repulsa pelo pai. E nada disso existe no feto. Ocorre que o ensaio que fora realizado na entrevida de nada valeu. As afirmações do Dr. → Outra dúvida: Osvaldo Shimoda afirma que a criança tinha percepção do aborto sofrido em outra vida. Aqui. A criança em formação viu e ouviu tudo e guardou na memória espiritual o acontecimento.de outras situações de discórdia e de ressentimentos que possam surgir.). (ou o embrião. Também seria necessário um mecanismo que lhe permitisse ouvir o que se passa no exterior. pois a família veio ao mundo carregando os traumas originais. pra que serve. então. avisaramlhe que reencarnaria como filho daquele que provocou sua morte. a entrevida? Não dizem os reencarnacionistas que é para as pessoas planejarem novas vivências em condições mais satisfatórias? → 203 .. dependendo de quando fora realizado o aborto) foi vitimado pelo namorado egoísta de sua mãe. Shimoda formam uma situação confusa: o feto. Já comentamos da dificuldade para que a teoria da lembrança fetal seja aceita: o ser em formação teria de possuir memória e dominar o raciocínio abstrato para entender o que lhe sucede.. Tempos depois. Ora.

" 204 . como se a natureza tivesse colocado um véu sobre a nossa consciência pré-natal ao nascermos. mas nada do que faz poderia consertar o ódio que o filho trazia consigo. porque o feto grava todos os pensamentos e sentimentos da mãe.. E o que dizer da declaração do Dr. O sujeito não deve ter ficado satisfeito ao saber que o médico o responsabilizava pelas dificuldades da família. haveria que existir um canal por meio do qual ela captasse as impressões e também possuir a condição de interpretar as sensações que recebesse. Shimoda complica mais que elucida. Talvez o homem seja uma pessoa carinhosa e esforçada. Parece-nos que a tese do Dr. Em muitos casos. não vimos prova de coisa alguma. a tese fica vaga e fracamente sustentada.infelizmente. este acusado de ter cometido um crime em vida anterior. de que graças à TVP foi “provado” que o feto é capaz de perceber tudo o que acontece ao seu redor? Pode ser que alguém aceite essa afirmação sem maiores avaliações.. Assim. na verdade.→ Nada foi dito sobre o que pensa o pai. Os teóricos da memória fetal não explicam essa questão. como se estes se referissem a ele. Para que a criança no útero pudesse perceber o mundo. → “Essa vida dentro do útero. é no útero materno que encontramos as raízes dos nossos comportamentos. é envolta em mistério. Shimoda.

a criança por nascer.→ Seria realmente interessante se o doutor pudesse comprovar que o feto grava todos os pensamentos e sentimentos da mãe como se fossem seus! Uma coisa é supor que o estado emocional da mãe sensibilize a feto. sente e memoriza o que se passa ao redor de si. sem interpretá-las. “Na verdade. E não só isso. Shimoda amplia arbitrariamente esse fato.. ouve. o Dr. Tratam-se de dois seres intimamente ligados e é fácil concluir que quanto maior o equilíbrio emocional da mãe tanto mais beneficiado será o bebê. põem em risco a integridade do bebê. sem discriminação. traz também em sua “memória” a recordação de acontecimentos de outras vidas! Cá pra nós: não é muito para um feto tão pequenininho? → → E quais são o argumentos que sustentam essas idéias exóticas sobre os poderes mentais do feto? Poucos e muito pobres. Se procedimentos incorretos da mãe. tais quais alimentação deficiente. para Osvaldo Shimoda a coisa vai muito mais além. Contudo. é profundamente afetada pelos acontecimentos do período de gestação 205 . o inconsciente funciona como um gravador que grava todas as informações. é admissível que as emoções igualmente impressionem a criança. uso de drogas. Existem evidências dessa situação. Segundo ele.. Neste sentido. o feto responde tal qual um ser já formado: vê.

Até o momento. mãe e criança. apresentando idéias que não estão amparadas em coisa alguma. pois ambas. em quase toda sessão terapêutica. estão intimamente ligadas e não só pelo cordão umbilical. Se o feto efetivamente possuísse a profunda percepção que imagina o Dr. esclarecimentos adequados sobre a memória fetal.com) → Acredita-se que o estado emocional da mãe influencie características da personalidade do filho. Osvaldo não está trazendo novidade alguma. Até aqui o Dr. a fim de que possamos avaliar o que prega.” (Osvaldo Shimoda - shimoda@vidanova. Shimoda. O caso é que Osvaldo Shimoda parte de uma suposição fundamentada e a extrapola com bem entende. Ou existiria um constante e notável diálogo entre a mãe e a criança no útero. o que presenciamos 206 . Osvaldo Shimoda. Nada disso ocorre. Ele faz afirmações contundentes sem uma boa teoria para apoiálas. pode afetá-la em sua estrutura emocional. Por isso. Tudo o que acontece com a mãe neste período. Aguardamos. Existe base para essa hipótese. costumo também investigar o período pré-natal do paciente. O Dr. por parte do Dr. Shimoda teria muito o que esclarecer ao mundo médico sobre os mistérios da vida uterina. haveria indícios logo após o nascimento.que vão moldar os padrões de comportamento em vida.

foram declarações que chegam ao patamar da irresponsabilidade, considerando que advindas de um médico. Da suposta capacidade do feto em perceber o mundo à sua volta, como se fora um ser já formado, não há qualquer estudo que lhe dê um mínimo de coerência.

207

CAPÍTULO 12

A Legitimidade Do Regressionismo

Até aqui vimos as muitas dificuldades para a aceitação da tese da regressão a vidas passadas. Entretanto, admitimos que poderiam haver demonstrações capazes de favorecer a teoria: resultados que se exibidos de forma clara e inequívoca, tornaria a regressão de vidas aceitável e passível de ser estudada seriamente. Os praticantes da TVP deveriam se esforçar na busca dessas provas. Estranhamente, porém, nenhum regressionista toca no assunto...

208

Vamos destacar um desses tópicos: os idiomas. Explicaremos em detalhes: A mente adequadamente estimulada é capaz simular muitas coisas. Pessoas sugestionadas realizam feitos surpreendentes, fazem revelações admiráveis, falam de coisas que aparentemente não conhecem. Entretanto, é impossível para alguém falar uma língua com a qual nunca teve contato nesta vida (contato efetivo ou psíquico). Não nos referimos aos fenômenos de glossolalia, comuns em alguns movimentos religiosos. Tampouco aos casos extraordinários de crianças e adultos que falam línguas que supostamente não teriam estudado, estes analisados principalmente pela parapsicologia. A glossolalia é uma manifestação puramente emocional. E as crianças poliglotas são fenômenos singulares para os quais existem diversas hipóteses elucidativas não-esotéricas. No que tange ao regressionismo, o domínio do idioma teria de estar presente em todo episódio de regressão onde houvesse referência a alguma civilização ou nação diferente daquela em que o consulente vive na atualidade. Partindo da conjectura de que o inconsciente armazena o que vivencia (tese aceita pelos regressionistas), o conhecimento da língua não poderia faltar nas lembranças de vidas. Vamos ilustrar com alguns casos de regressão:
“Lúcia, antropóloga...atinge um ponto de sua memória integral em que faz parte de uma civilização que habita o alto de uma montanha. Possivelmente, trata-se do início da civilização

209

inca, que ainda mantinha comunicação com seres extraterrestres..." (TERAPIA DE VIDAS PASSADAS – Célia Resende) _______________________________ “Esse...foi o caso de Marília...Num país árabe, cerca de três séculos passados, ela fora vendida a um sultão e, embora não soubesse, já estava nas primeiras semanas de gravidez..." (TERAPIA DE VIDAS PASSADAS – Célia Resende) _______________________________ “Samuel, estudante de direito, 22 anos, vivenciou uma existência numa cidade construída com prédios simétricos, em arenito, e templos arredondados. ‘Usamos os poderes extra-sensoriais, a energia solar, e as construções são realizadas pela força do pensamento, moldando as pedras com as mãos sem a ajuda de qualquer instrumento. Contamos com a ajuda de seres fluídicos, altos e transparentes que nos acompanham...’ Mais adiante, ele descreve o momento em que devem sair da cidade: ‘Temos que sair, pois o acesso ao conhecimento deve obedecer a um processo evolutivo. Mas o que a maioria deseja é dominar o planeta, e seus erros provocaram o aquecimento da Terra, a temperatura está muita alta, e acontecem fortes abalos sísmicos. ‘Os portões de entrada interdimensionais são fechados, estou num prédio e no centro do piso. Trabalho com equipamento concentrador de luz solar que entra por um tubo semelhante a uma

210

chaminé. Muitas pessoas atravessam as portas dimensionais usando algumas máquinas, enquanto o restante é destruído por algo parecido com um vulcão, e depois toda a região é tragada pelo oceano.’ O trabalho com Samuel perdurou por vários meses. Essas vivências serviram de base para tratar o orgulho que muito atrapalhava sua vida. Sua trajetória kármica, iniciada com o povo de Atlântida, trazia resíduos do uso exorbitante de poder..." (TERAPIA DE VIDAS PASSADAS – Célia Resende)

Com toda a certeza, nem Lúcia, nem Marília, nem Samuel, falaram nas línguas dos povos dentre os quais teriam vivido. Muito esclarecedor seria o registro do linguajar dos incas, se Lúcia pudesse fazê-lo; bastante ilustrativa ficaria a regressão se Marília discorresse fluentemente em árabe; mais interessante ainda se Samuel falasse em atlante... Nenhum deles o conseguiu e jamais o conseguirá...E é fácil entender o porquê: a imaginação não tem como criar ao nível de complexidade que a elaboração de um idioma exigiria. O único modo de Lúcia, Marília e Samuel falarem as línguas dos povos onde alegadamente viveram seria se essas vivências fossem reais. E isso eles não conseguem demonstrar... Houve casos de médiuns que forjaram línguas alegadamente de extraterrenos e chegaram a convencer até especialistas, mas logo adiante foram desmascarados. Nesses eventos, a mente foi capaz de formular a
211

performance encontrada em alguns médiuns após longo período de prática. não bastaria proferir palavras esparsas.complicada fantasia devido ao treinamento do inconsciente. mesmo que conscientemente não conseguisse se reportar nessa língua. Talvez em alguma regressão o paciente diga uma ou outra palavra na língua da civilização onde supostamente vivera. Apesar de o árabe ser uma língua difícil para nós brasileiros.. qualquer estudante aplicado é capaz de aprendê-la. Isso se explica por ter lido ou ouvido termos daquele idioma que ficaram arquivados em sua mente. Lucia teria vivido entre os incas. para comprovar que está regredindo a uma vida passada. pois não falou coisa alguma no idioma sob o qual teria vivido. A Atlântida é uma lendária civilização a respeito da qual já se disse tudo o que a imaginação possa conceber. e todos garantem que estão revelando os "segredos" aos 212 . Com Samuel é mais complicado. Caso Lucia estudasse esses registros.. Mas. Muitas civilizações grandiosas floresceram e morreram deixando parcos vestígios de sua existência. Marília e Samuel. umas contradizendo outras. A possibilidade de que o continente tenha existido não é descartada. quando hipnotizada diria algumas frases. Dessa cultura existem alguns registros escritos. seria necessário discorrer fluentemente na língua nativa. O que surpreende no caso de Atlântida é quantidade de histórias que os esotéricos contam sobre ela. Parece que Marília não quis ter esse trabalho. A situação de Marília seria mais simples. Usemos nossos amigos como exemplos: Lúcia. ou ao menos lembrar de discursos coerentes.

este é um trabalho penoso para os pesquisadores e com resultados pequenos em vista das dificuldades para se recompor uma linguagem da qual existe apenas vagos indícios. Há mesmo quem afirme que ainda existem atlantes escondidos por aí. cujo falar serviu de base para dezenas de línguas surgidas posteriormente. em conjunto. que se comunicam com alguns iniciados.. Contudo. Estudiosos de todo o mundo. Agora vejam esse excerto de um escrito de Reis Chaves: "..C. Se formos aprofundar mais o assunto. tenha existido uma civilização. puderam chegar ao que se supõem seja a expressão mais primitiva de certa quantidade de palavras com raízes comuns em diversos idiomas.. que relutou durante 50 anos em aceitar a reencarnação..pena que não foi capaz. inclusive o grego e o latim. Vejamos este caso: existem evidências suficientes para amparar a teoria de que há cerca de 7.quais tiveram acesso ninguém sabe como. chegaremos a questões interessantes (e pouco confortáveis para os regressionistas). Ainda que se admita que Atlântida tenha tido existência real. mais de 213 . respaldados em registros documentais e em análises evolutivas das línguas... e que comanda uma equipe de 70 terapeutas que já fizeram..o psiquiatra inglês Alexandre Cannon. Samuel prestaria uma grande ajuda a milhões de pessoas que almejam conhecer detalhes desse portentoso império se nos revelasse como era a língua dos atlantes. uma coisa é certa: o idioma que falavam é desconhecido.000 a..

.silêncio total! Atualmente arqueólogos contam com escritos ainda não compreendidos de cerca de uma dezena de idiomas do passado. Algumas pessoas que regridem a outras vidas conseguem apresentar relatos detalhados: visualizam as vestimentas. Os registros sonoros dessas línguas são desconhecidos. as construções. os afazeres diários.um milhão de regressões. O problema é que ninguém até hoje 214 .. tudo o que terão para defender a tese da regressão de vidas serão frágeis suposições. mas há composições suficientes para dar uma visão panorâmica das civilizações que os produziram." (José Reis Chaves) Um milhão de regressões! Será que desse numeroso contingente não surgiu ninguém que tivesse vivido na civilização de língua desconhecida e que pudesse dar uma mãozinha a filólogos e lingüistas. enquanto os terapeutas regressionistas não apresentarem argumentos firmes. "Recordam tudo"! Entretanto... que não resistem a mais leve crítica... que buscam tão arduamente identificar como falava aquele povo? Um milhão de regressões e nenhum registro lingüístico digno de referência! Parece brincadeira. são incapazes de discursarem no idioma natal! No capítulo em que comentamos sobre Brian Weiss mostramos que Catherine lembrava com precisão as datas remotas nas quais dizia ter vivido! Quanto a língua. Infelizmente.

. 215 . E. No mais das vezes. destacadamente da Atlântida e do Egito. quando chega a hora de ser objetivo. O que nos espanta é que nenhum regredido tenha “vivido” dentre esses povos. A tal declaração responderíamos: Ótimo! Então nos ensine essa tão magnífica técnica! Imaginem quantos benefícios a humanidade terá! Desgraçadamente. eu era um sacerdote que dominava técnicas de ressuscitação dos mortos". mas o mistério permanece. que de nada serviriam para quem quisesse pesquisar o tal linguajar.. Almejaríamos também que as regressões nos trouxessem outras coisas concretas. Há quem afirme ter aprendido segredos da "complexa ciência" desses povos. o propalado conhecimento se esvai na fumaça da fantasia. por exemplo: muitas lembranças falam da "ciência" oculta de povos antigos. Tolice. são alardeados como uma "grande" comprovação da veracidade das lembranças. Os adeptos da TVP contabilizam milhões e milhões de eventos regressionistas. esses eventos são tão raros dentro do universo das regressões que não servem sequer para estatística. Por que não aparece ninguém que ajude na decifração dessas línguas? Alguns regredidos que eventualmente proferem termos esparsos de idiomas fora de uso. São numerosas declarações do tipo: "vivi no Egito. Cientistas queimam os cérebros em busca de respostas. nos quais lembranças de todos os tipos surgem. Entretanto coisa alguma de consistente revelam.conseguiu descobrir o significado dos sinais. as palavras não passam de meia dúzia de expressões já conhecidas. mesmo assim.

como o caso de Bridey Murphy. a língua e tudo o mais teriam de estar presentes e com clareza suficiente para não ensejar dúvidas. as muitas contradições e equívocos embutidas no evento demonstram a fragilidade da prova. que a terapia tem a finalidade de curar traumas acontecidos no passado cujos efeitos se fazem sentir na vida atual.→ Pode ser que regressionistas tentem explicar a questão. Mesmo perante algumas "lembranças" mais sofisticadas. 216 . O que o regressionismo apresenta é insuficiente para que obtenha a autenticidade que busca. e só! O argumento seria válido se as situações fossem perfeitamente delineadas e um aspecto não se confundisse com o outro: a verdade é que se há recordação de vida passada. que comentaremos no próximo capítulo. alegando que a Terapia de Vidas Passadas não se presta a revelar línguas ou segredos das ciências ocultas. as técnicas. as experiências. as peculiaridades dessa existência devem vir à tona: os costumes.

Ao examinarmos as manifestações regressionistas dos pacientes de Dethlefsen percebemos que são algo diferentes das que nos apresentam Célia Resende e Brian Weiss. Aliás. é formado por boa escola – a Universidade de Munique. Em seu livro "A Regressão a Vidas Passadas como Método de Cura" Thorwald Dethlefsen parece responder ao questionamento que fizemos linhas atrás sobre os 217 . é interessante analisar o que ele pensa sobre a regressão a vidas passadas. quando se comparam os resultados de regressões. À semelhança de Brian Weiss.THORWALD DETHLEFSEN Visto que estamos a "cobrar" do regressionismo provas de legitimidade. deparamos com algumas contradições curiosas. autor de vários livros sobre o tema. Portanto. realizadas por terapeutas variados. Dethlefsen é um alemão praticante da terapia da regressão de vidas. é cabível abordar o trabalho desse psicólogo regressionista. Em resumo: Dethlefsen faz afirmações que outros regressionistas não ousaram proferir.

falta-me o tempo necessário para desenvolver o conhecimento de uma língua antiga através do nosso trabalho. Da forma como foi feita a declaração. principalmente. etc. (Lembramos: os destaques são nossos).idiomas. Pesquisas nesse sentido estão programadas para uma etapa posterior. Cabe aqui a pergunta se a voluntária podia falar aquele idioma antigo. posso provocar o paciente no sentido de me dar respostas na língua original. Entretanto. A condução das sessões é sempre em alemão. não só com respeito à língua como também a habilidades específicas. ou outro instrumento. Leiamos um trecho da obra. é um acordo mútuo que estabelecemos no início das experiências. A resposta é afirmativa. a fim de que possamos classificá-la como uma língua estruturalmente correta. supõe-se que os pacientes do psicólogo alemão possam falar com 218 . “Outro relato impressionante foi escrito por uma secretária de 20 anos sobre sua encarnação no Egito. Esse procedimento é adotado. para podermos garantir uma estreita ligação entre mim e o paciente. Infelizmente. em ocasiões em que a pessoa demonstre um domínio fluente e seguro de uma língua estrangeira. Todavia. como tocar piano." Dethlefsen comenta superficialmente uma questão relevante e deixa o assunto sem um esclarecimento adequado. visto que a interrupção da comunicação fluente levaria à extinção do elo que nos une. quando também o faraó tinha 20 anos. podemos aprimorar tal desempenho ao longo de sessões posteriores.

"..) Realizamos um exame no livro de Dethlefsen em busca de exemplos da alegada versatilidade de seus pacientes em falar línguas antigas. só não o fazem por que há um "acordo" entre o regredido e o terapeuta. Depois submeteria as gravações a especialistas. destacamos no texto acima a admirada declaração do escritor: "Outro relato impressionante foi escrito por uma secretária de 20 anos sobre sua encarnação no Egito... Por curiosidade.. Nada! O psicólogo esporadicamente lhes solicita que repitam uma ou duas palavras no idioma remoto.. mas não passam daí. não ficaria tão deslumbrado. Seria relativamente simples resolver a dificuldade de comunicação: ele poderia gravar os discursos dos pacientes quando se expressassem em línguas antigas..Se soubesse que pacientes de Brian Weiss sabiam como ressuscitar os mortos. muito pouco em vista 219 . "percebem" que já não sabem mais o que diziam ter sabido.. Se foram instados a que nos digam como era o processo. O psicólogo assombrou-se da secretária recordar uma vivência no Egito! Se soubesse das numerosas "recordações" egípcias obtidas por Célia Resende. Brian Weiss e vários outros. O paciente atende.. Entretanto. mas demonstra grande dificuldade em articular termos simples.facilidade os idiomas das nacionalidades que dizem ter vivido. os fatos negam essa assertiva. A demonstração é pobre.(o excepcional nessas "lembranças" é que esses regredidos recordam que sabiam praticar a ressuscitação.. para que avaliassem adequadamente o material. para evitar dificuldades na comunicação.

H: Nem aproximadamente? V: 100.. H: Seu nome é só Ruth? V: Sim. H: ... H: Em que país você está? V: Na Terra Santa.da importância desse aspecto crucial para o reconhecimento do regressionismo! Veremos a seguir exemplo de uma sessão regressionista conduzida por Dethlefsen: "(a letra "H" especifica o hipnotizador.. H: Ruth de quê? V: Não sei. H: Por que esse lugar é santo? V: Por que Deus fala conosco. H: Qual é essa estirpe? V: Somos macabeus. 220 . H: Em que ano estamos? V: Não sei. "V" é o voluntário) .qual seu nome? V: Ruth. H: Conte-me algo sobre sua estirpe. H: Quem são vocês? V: Nós pertencemos a uma estirpe.

H: O que ele acabou de dizer a você? V: hot maihn. V: Honaihn.ando e não encontro nada.....lá existe água. H: Onde? V: Ela vem da montanha. [a paciente foge à pergunta que a obrigaria falar no idioma natal] H: Onde você costuma ir buscar água? V: Eu não sei.mas esse tipo de coisa a gente não pode dizer.. H: Você sabe o nome da montanha? V: Ela não tem nome.Meu pai é um homem muito poderoso.. Diga alguma coisa a ele na sua língua..meus lábios estão secos e eu estou muito cansada. senhor..eu não devo falar com ele. H: E porque não? V: Devemos esperar que ele fale primeiro. H: Você está diante de seu pai... eu acho.ando. Fale com ele como costuma fazer sempre. 221 .. H: Qual o nome dele? V: Hohas.V: Nós vivemos em barracas.. H: Mas você pode beber água agora.... H: Como? V: Hohas.. H: E o que você responde? V: Eu sempre vou buscar água.É preciso andar muito para encontrar água.então vou à montanha.....

pressionada.C. como em todas as outras. Ruth escorrega várias vezes e o terapeuta não faz comentários sobre os deslizes. o último representante 222 . enfadonhos.. recheados de banalidades. O terapeuta insiste que a paciente diga em que ano se encontra. pois. Mas não dá detalhes.brut.é para meu pai.V: Não. dos macabeus havia apenas lembranças. seria mais adequado chamá-los de um partido." (A Regressão a Vidas Passadas como Método de Cura) Este é um trecho de uma das regressões apresentadas no livro de Dethlefsen. Entretanto. solta um número: "100".. essa não é a questão mais séria.." dificuldade em falar uma palavra simples!] . pois já estariam desaparecidos desde muito tempo. H: Por que não? V: .flepp. Os macabeus não eram propriamente uma estirpe. E o psicólogo parece não ver os elementos fantasiosos apresentados por seus pacientes. Cem o quê? Antes ou depois de Cristo? Se foi depois de Cristo a data perde o sentido. A moça.. Observemos.... os diálogos são longos. pois em 100 d.C. E mesmo que fosse 100 a. a rigor.. as dúvidas persistiriam. H: Como se diz água na sua língua? [demonstra grande V: Eu não sei. A referência aos macabeus não está bem articulada. que tiram a credibilidade de que tenha ocorrido real regressão. Nesta. No diálogo acima.

223 . de Joatan. que em Roma já tinha estado como refém e que começou a reinar no ano trinta e sete do reino dos gregos.. filho de Amós. a fim de cumprir a palavra do Senhor pronunciada pela boca de Jeremias. a qual ele teve acerca de Judá e de Jerusalém nos dias de Ozias. Se a moça estava a lembrar um período específico do passado. reis de Judá" (Isaías 1:1) "Tendo. antes do ano 100 a. Ruth responde: "Na Terra Santa".macabeu foi morto em 135 a. Vejam alguns exemplos. Ela deveria ter respondido que estava no reino de Judá ou onde fosse. ou a algum outro que estivesse em destaque. pois..C. nascido Jesus em Belém de Judá." (Mateus 2:1) Indagada sobre em que país se encontrava. rei dos persas. Antíoco Epífanes. de Acaz e de Ezequias. portanto.." (I Macabeus 1:11) "Visão de Isaías. Era praxe situar a época de um acontecimento referindo-se ao governante que estava no poder.. A expressão não era usada no passado para designar a terra dos judeus. baseados em textos bíblicos: "No primeiro ano de Ciro..C. no tempo do rei Herodes. deveria referir-se à data conforme se fazia na época." (Esdras 1:1) "Destes reis saiu aquela raiz do pecado. filho do rei Antíoco..

os nômades procuravam acampar próximo de poços. O mais gritante dessa "recordação" de Ruth ocorre quando o psicólogo regressionista a pressiona para que fale no idioma da época. costumavam nomear tudo e não deixariam de identificar uma montanha. que é onde Ruth deveria ter ido buscar água e não na "montanha". Ao final não mostra de forma alguma que tenha capacidade de reproduzir o falar da personagem que dizia ter sido. fica muito difícil acatar seu argumento! 224 .".. Como não possuía conhecimentos mais profundos a respeito da época... A moça ora desconversa.. O pai de Ruth vivia em tendas.Pouco provável. A não ser que Ruth estivesse chamando um "morrinho" de montanha.Ela diz que "anda... Saber onde havia água era procedimento rotineiro para os nômades.Ruth afirmou que a montanha onde pegava água não tinha nome. ora faz um grande e malsucedido esforço. Percebe-se que a paciente de Dethlefsen estava a trabalhar com informações superficiais sobre o período da história que imaginava ter vivido. errado! A moça teria de conhecer a localização do poço. anda e não encontra nada. sua história estava repleta de incorreções. pois os israelitas. Se for com exemplos desse tipo que Thorwald Dethlefsen pretende demonstrar que seus pacientes são capazes de falar línguas antigas. Quando iam de um lugar para outro... era um nômade e estava em constante movimentação. como de praxe a maioria dos povos.

Dethlefsen declara que os estudos precisam ser ampliados. falta-me o tempo necessário para desenvolver o conhecimento de uma língua antiga através do nosso trabalho. a fim de confirmar se seus pacientes realmente falam as línguas das civilizações que teriam conhecido. não só com respeito à língua como também a habilidades específicas. como tocar piano. mesmo assim defende o regressionismo como um fato consolidado! Não há congruência! Ele já aceitou a legalidade das regressões antes de esclarecer os pontos duvidosos! Quando muito. para se confirme a veracidade das regressões. Pesquisas nesse sentido estão programadas para uma etapa posterior. o que Dethlefsen tem em mãos é uma tese provisória." O que ele está a dizer é que precisaria aprofundar a pesquisa. em ciência é essencial esclarecer uma questão que faça parte do contexto sob averiguação. terá de se esforçar muito até que nos traga uma teoria convincente. amparada por eventos muito fracos. O psicólogo. a fim de que possamos classificá-la como uma língua estruturalmente correta. Ora.A nosso ver a maior contradição sobre a tese regressionista de Dethlefsen encontramos nessa declaração: “Infelizmente. ou outro instrumento. antes que uma teoria possa ser elaborada. etc. certamente. 225 .

Sob certo aspecto. autor do livro intitulado “O Caso de Bridey Murphy” informa que durante algum tempo fora incrédulo em questões como vida após a morte.CAPÍTULO 13 O Caso Bridey Murphy Atualmente. pode-se dizer que trata-se de uma história “velha”. Além disso. Alguns repórteres investigaram as narrativas de Morey Berstein e descobriram que o enredo fora elaborado pela protagonista a partir de experiências da infância. Morey Berstein. alma e 226 . quando foi divulgada. a aventura de Bridey Murphy é considerada plenamente esclarecida. Mesmo assim. apesar de ter tido grande repercussão na década de 1950. o caso ilustra a forma fantasiosa como a regressão é trabalhada. ainda hoje há quem defenda que a peripécia regressionista de Bridey Murphy foi real.

Cada vez mais fascinado com as perspectivas da prática hipnótica. Após presenciar demonstrações da eficácia da hipnose. Sua intenção era avaliar até que idade seria possível alguém registrar lembranças plausíveis.B. ou como brincadeira para lograr os ingênuos. Joseph Banks Rhine tem conseguido abrir uma brecha numa das mais fortes cortinas de ferro. Ele informa ter buscando em várias fontes avaliações a respeito dos procedimentos que realizava. Seu testemunho é 227 . → Joseph Banks Rhine foi o pesquisador cujo trabalho deu origem à atual Parapsicologia. Apesar de não ter formação em psicologia. o mistério da própria natureza do homem.reencarnação ― (é interessante destacar que Brian Weiss apresenta discurso semelhante (cap. Berstein experimentou a técnica na recordação de acontecimentos do passado remoto. Aos poucos foi mudando de idéia.6): afirmou ser inicialmente um descrente e depois deixouse convencer pelo que entendeu serem “evidências”). Provavelmente mais que qualquer outra pessoa. Até mesmo J. tornou-se um ardoroso praticante do método e conseguiu resolver distúrbios comportamentais de várias pessoas. “Nossa visita a Duke [Universidade de Duke] proporcionou-nos a oportunidade de conhecer intimamente um dos mais importantes cientistas do mundo. Rhine foi procurado por Berstein. Morey Berstein demonstrou mais cuidado em seu trabalho que Brian Weiss. Mesmo o hipnotismo era por Berstein classificado como ilusionismo.

A prova de que ele praticava o que pregava nos foi dada quando o inquiri sobre a questão da sobrevivência do espírito. Mas tudo o que pude foi uma “fraseologia” cuidadosa que... ao homem.. Rhine sobre a questão da sobrevivência. A alcunha de Rhine devia ser “Meticuloso”.. . mais do que em qualquer outra ciência. Suas deduções ferem em cheio a psicologia. . Os parapsicologistas – disse – devem ser ter presente no espírito o slogan “meticuloso” em seus trabalhos. Ele achou tempo. oferecem. a medicina... pela primeira vez. não tinha a mínima idéia de que uma das minhas próprias 228 . a filosofia e a religião. para desenvolver este princípio: no campo da parapsicologia – advertiu – a palavra “meticuloso” deve ser a senha para as grandes realizações. resumida. durante nossa visita..O que acha doutor? Crê que alguma parte da criatura humana sobreviva depois da morte? Vi seus lábios esboçarem um leve sorriso.. elementos para compreender a si mesmo e aos seus semelhantes. Na ocasião em que pedia a opinião do Dr.revolucionário e exige – realmente necessita – a revisão de muitos conceitos científicos básicos. significava: “Devemos guardar o julgamento para o fim”. .

Um grande estudioso do hipnotismo. já existiam duas organizações que realizavam pesquisas aprofundadas sobre as aplicações do hipnotismo. se os contatos com Rhine foram produtivos para esclarecer algumas das dúvidas de Berstein. dizia: 229 .experiências – a descoberta de Bridey Murphy – acabaria fornecendo-me uma prova interessante sobre a sobrevivência. Morey Berstein não faz referências a elas. Berstein afirma ter lido diversos livros sobre a hipnose. No tempo em que realizava suas averiguações. Morey Berstein provavelmente não teve tido acesso às melhores orientações sobre a hipnose. porém não relata quais obras examinou. Se houvesse consultado material de primeira linha haveria obtido esclarecimentos preciosos a respeito do que é viável e o que não é em relação à hipnose. Brain Weiss anos depois não exibiria. a semente não frutificou. Berstein abraçou algumas teses esdrúxulas e a elas se apegou sem reservas. Aos poucos Morey Berstein se deixou cativar por considerações nebulosas e idéias com pouca fundamentação foram por ele acatadas como verossímeis. O cuidado revelado nas experiências iniciais cedeu lugar ao fascínio por questões místicas. uma nos Estados Unidos e outra na Inglaterra. 71/74) Entretanto. contemporâneo de Berstein. (O Caso de Bridey Murphy – págs. Ainda que o leigo Berstein tenha mostrado uma cautela que o Dr.

dá em resultado muitas vezes ele acreditar e desempenhar o devido papel. Uma delas era a lenda de que o profeta nada conhecia sobre medicina e mesmo assim prescrevia medicamentos infalíveis para diversas moléstias. que vinham sendo insistentemente divulgadas por seus discípulos e por admiradores. exaltando a hipotética capacidade mediúnica do profeta. e ainda mais para trás e então. Marcuse) Depois do saudável intercâmbio com o Dr. O que se faz na prática é trazer a pessoa atrás nos anos até o seu zero..diz-se ao espírito reencarnado do indivíduo.para se manifestar. Rhine. 230 . quando num presente próximo. Exemplos disto são convenientemente localizados no passado longínquo ou.” (O Hipnotismo – Realidade e Ficção – F. Berstein acatou inverdades sobre os poderes de Cayce.L. . têm tantos furos lógicos e experimentais que nem sequer podem ser descritos como ingênuos! Dizer a um indivíduo hipnotizado que é alguém que viveu num outro século. numa terra diferente e que será capaz de responder a todas as perguntas.. Cayce falecera havia poucos anos mas um grupo de admiradores mantinha viva sua memória: diversos livros haviam sido editados... Berstein decidiu caminhar por outras vias: ouviu falar de Edgard Cayce e ficou apaixonado pelas revelações do alcunhado “profeta dorminhoco”...“A experiência da reencarnação por regressão em hipnose é um triste exemplo de como as pessoas podem ser iludidas com facilidade.

Esse razoável conhecimento médico não o impediu de emitir diagnósticos ridiculamente incorretos e prescrever medicações inócuas para doenças graves. como câncer e a tuberculose. o que havia dito). Em primeiro lugar. tinha-se que lhe contar. 83) Em realidade.“... Fatos não comentados por Berstein em sua empolgada apologia ao profeta. Afirma que inicialmente repudiou o tema. E foi o que sucedeu: gradativamente suas barreiras psicológicas foram ruindo e a personalidade encantada pelo mistério afluiu com toda pujança. os quais estariam encobertos por uma capa de censura. (É preciso lembrar que Cayce passava por uma amnésia total após a hipnose.. ele nada sabia de medicina. depois que despertava. nunca havia lido um livro sobre qualquer assunto médico! Não compreendia como aquelas receitas saíam dele. estudara homeopatia e conhecia medicamentos fitoterápicos. 231 . Berstein dá-nos a impressão de ser alguém que possuísse fortes anseios esotéricos. Talvez inconscientemente esperasse por um motivo que fizesse aflorar sua inclinação mística. Seguindo por uma senda mal iluminada Morey Berstein não poderia deixar de topar com a reencarnação..não foi fácil convencer Cayce. mas acabou convencido e tornou-se fervoroso adepto da teoria de múltiplas vidas. Edgard Cayce era bem informado sobre osteopatia." (O Caso de Bridey Murphy – pág.

desconhecia a maior parte dos mais profundos pontos de similaridade entre a sua religião e as demais. além da sua. estavam dispostos a discutir a questão. acrescentou que recorrera à sua ajuda nos seus casos mais difíceis.. portanto.” (O Caso de Bridey Murphy – pág.A partir do encontro com a fama de Cayce. Um médico frisou que jamais soubera que Cayce tivesse cometido um erro em seus diagnósticos.confirmaram que a precisão dos diagnósticos de Cayce. tendo conhecido Cayce e se utilizado de sua extraordinária faculdade.Alegrou-nos encontrar médicos que. Era verdadeiramente ignorante quanto ao ensinamento principal do hinduísmo e do budismo ― a reencarnação.. Desejávamos ouvir a história diretamente de algumas pessoas a quem ele houvesse auxiliado. sem nenhuma instrução quanto aos ensinamentos das grandes religiões do mundo. com relação a pacientes que ele jamais havia visto.. Não tinha tido oportunidade de apreciar a luz moral e espiritual que ardia em lâmpadas que não fosse a da sua própria religião. Não ficamos só nos testemunhos dos médicos. Mas fosse onde fôssemos. Naquele tempo. “Não é difícil compreender o tumulto interior de Cayce. o que ouvíamos de 232 . Berstein abandonou a meticulosidade que Rhine lhe aconselhara no trato com assuntos novos e deixou que a crendice prevalecesse. 89) “. Ele tinha sido criado numa atmosfera cristã muito severa e ortodoxa. figurava entre 80 e 100 por cento..

achei que seria boa idéia consultar o fichário para ver se havia quaisquer outras contribuições interessantes sobre o mesmo assunto.H.advogados..Uma das primeiras declarações que li ― escrita pelo professor T. fiquei assombrado com o que encontrei. escritores e trabalhadores era sempre a mesma coisa: Cayce fizera maravilhas. Rhine." (O Caso de Bridey Murphy – págs. estudos. 93-94) → Caso Berstein houvesse continuado o contato com o Dr. antologias.Huxley ― parecia endereçada diretamente a 233 . O profeta fizera um descritivo sobre a personalidade da filha de Rhine que não coadunava de forma alguma com o que o pai dela sabia. O certo é que Rhine não considerava as revelações de Cayce dignas de crédito. “Como estava na biblioteca. Deparei com uma definição interessante: “Reencarnação é o plano pelo qual as criaturas imperecíveis e conscientes recebem os corpos físicos adequados à sua fase de desenvolvimento”. Ao prosseguir nas consultas. Os que pesquisavam a reencarnação haviam invadido a biblioteca! Havia seguramente centenas de referências ― livros. poemas.. certamente teria deste obtido informações esclarecedoras sobre Cayce. certamente o pesquisador conhecia as predições estapafúrdias do profeta. Além da avaliação inadequada de sua filha.

mim: “Somente num pensamento precipitado é que se poderá negá-la (a reencarnação) sob o fundamento de ser um absurdo. que é uma figura típica do conceito ressurrecionista. Pelo menos um livro versava exclusivamente sobre esse tema (James M. Caso a intenção do filósofo fosse discorrer sobre a reencarnação Voltaire falaria de “nascer várias vezes”. que jamais pensei estivessem interessados na questão da reencarnação. Contestar esse ponto é negar que os autores dessa coleção de escritos quisessem dizer o que disseram em uma linguagem iniludível. O autor escreveu o seguinte: “Mostrou-se que a reencarnação. “Além disso.. Pryse. não somente no caso do homem. que se aplicam a todo homem. Reincarnation in the New Testament. 98) → O entusiasmo de Berstein não lhe permitiu ver que a declaração de Voltaire se aplicaria à ressurreição. 99-100) 234 .”. que parecia não ter fim. encontrei muitas referências à questão da reencarnação no Novo Testamento. em vez de um “segundo nascimento”. tudo na natureza é ressurreição.. mas também nas leis da vida. nunca à reencarnação.” (O Caso de Bridey Murphy – pág. Surpreendi-me ao encontrar grandes nomes. Até o arquicínico Voltaire contribuiu com alguma coisa: “Não é mais de surpreender que se nasça duas vezes ao invés de uma somente. aparece claramente no Novo Testamento. Minha consulta transformou-se num verdadeiro estudo. 1900). (O Caso de Bridey Murphy – págs. mesmo remotamente.

Consultando rapidamente essa parte do livro.→ A idéia de que o Novo Testamento apóie a reencarnação é fruto de interpretações equivocadas. 1953). facilmente esclarecidas mediante análise dos textos. por mim mesmo. observei que o médico vinha levando a efeito. Peguei uma obra escrita por um psiquiatra inglês. investigando o mistério de lembranças antes do nascimento.” (O Caso de Bridey Murphy – págs. sondando ainda os tempos anteriores. parei numa livraria para comprar um livro para ler durante a viagem. “Antes de tomar o avião de volta para Pueblo. Nova Iorque: Dutton. O título era: “A reencarnação vence Freud”. Noutro trabalho de nossa autoria. específico sobre a reencarnação. experiências de vida pregressa com centenas de pacientes. autor de Power Within. pois. 235 . durante muitos anos. Foi então que resolvi verificar. esta questão será aclarada. 103-104) Estava. o médico continuava a indagar. Passando uma vista de olhos pelo índice. pronto o cenário para despontar a aventura com Bridey Murphy. o que havia de positivo nessa questão pré-natal da memória. Nunca me ocorrera tal idéia. Ao invés de deter-se quando a memória do paciente chegava até à infância ou até ao nascimento. detive-me no capítulo XVI. Sir Alexander Cannon.. de grande renome (Dr..

• elementos fantasiosos e erros facilmente perceptíveis estão presentes nas narrativas de Catherine. como Hermínio Carvalho Miranda. Ainda hoje. • forneceu detalhes suficientes para a averiguação da experiência que dizia ter vivenciado. é semelhante à obtida por Brian Weiss alguns anos mais tarde. a narrativa de Bridey Murphy era mais bem elaborada que às contadas por Catherine. ainda admitem a veracidade do relato. pois a ansiada prova das múltiplas vidas teria sido encontrada. como é o caso das regressões a vidas passadas. o que permitiu que a fantasia fosse revelada. Mesmo tendo presente o ensino de Allan Kardec da impossibilidade de lembrar vidas passadas. • por girar em torno de uma única personagem. Entretanto. com a aventura de Catherine. Simpatizantes da reencarnação rejubilavam. O livro de Berstein causou grande celeuma. 236 . alguns nomes de destaque no meio espírita. podemos destacar algumas diferenças entre as duas personagens: Bridey Murphy • Catherine lembrava dezenas de vidas. espíritas acataram com satisfação a história de Bridey Murphy. • As lembranças de Catherine são insuficientes para permitir uma pesquisa da veracidade histórica do que diz.A fama que Morey Berstein conquistou na década de 1950. com a história de Bridey Murphy. É admirável quão facilmente muitos espíritas esquecem os ensinos de Kardec para abraçar uma tese contradiz esses ensinamentos. • recordava de uma única existência.

A regressão obtida por Morey Bernstein não foi a primeira na história do regressionismo, antes dela outros pesquisadores empreenderam diversas experiências que foram divulgadas mais discretamente. Esses trabalhos não se tornaram conhecidos com tanta amplitude quanto a aventura narrada pelo empresário. Berstein se convencera de que poderia fazer alguém lembrar outras vidas. Faltava encontrar uma pessoa adequada à experiência. Pensou em vários nomes, finalmente lembrou-se de uma mulher a quem hipnotizara anteriormente e que o surpreendera pela facilidade com que caía em transe hipnótico. A personagem, informa Berstein, chamava-se Ruth Simmons. O resultado foi melhor que o esperado: Ruth sem grande esforço conseguiu desencavar de sua memória recordações de uma outra vida, na qual tivera a identidade de Bridey Murphy e vivera na Irlanda. Diversos jornais publicaram as revelações de Berstein, o que deu maior força à história. Quando o livro foi publicado o caso ganhou repercussão internacional. No entanto, alguns homens de imprensa não se contentaram em reportar o caso, decidiram investigar se eram verazes as lembranças de Bridey Murphy. Aos poucos os fatos foram sendo aclarados. Descobriu-se que Ruth Simmons era o pseudônimo de Virginia Thige, uma dona de casa, que, durante vários anos, fora vizinha de uma senhora irlandesa. Do convívio com essa senhora

237

Virgínia retirou informes que permitiram a montagem do enredo em seu inconsciente. No capítulo 6 foi apresentado um comentário do Dr. Paulo Urban, médico hipnoterapeuta, no qual afirma que a hipnose não se presta a determinados procedimentos, tais quais “provar a tese da reencarnação ou mesmo as abduções por discos voadores”. Há uma face em nossa mente, que na falta de uma definição melhor podemos chamar de inconsciente, a qual é altamente sugestionável. Mesmo um estímulo indireto pode fazer com que a mente formule um enredo coerente e muitas vezes convincente que, no entanto, nada tem de real. A maioria dos que lidam com a hipnose sabe que as aplicações do método hipnótico não se prestam para uso em alguns campos. Em muitas situações as respostas do hipnotizado não merecem crédito, pois não passam de elaborações imaginativas. Esta peculiaridade do inconsciente ― de fantasiar com facilidade ―, seria mais que suficiente para pôr em dúvida a veracidade das lembranças regressionistas. Infelizmente, alguns psicólogos, que deveriam mais do que ninguém conhecer tal característica e evitar a aplicação da hipnose incorretamente, a utilizam da forma desaconselhada pelos especialistas. O que levou Virginia Thige a imaginar ter vivido na pele de uma outra pessoa chamada Bridey Murphy?

238

É provável que quando menina, Virginia ouvia embevecida as narrações de sua vizinha irlandesa. E a gentil senhora sentia-se satisfeita com a atenção da menina. Muitas pessoas de idade estão constantemente sozinha e quando encontram alguém que lhes queira ouvir as lembranças da juventude, sentem-se jubilosas. Os encontros eram gratificantes para as duas: a senhora revivia as saudosas aventuras da infância e a garotinha deixava a imaginação vagar deslumbrada. Provavelmente passassem horas seguidas nesses colóquios. Virgínia cresceu e outros interesses surgiram. As histórias da velha irlandesa caíram no esquecimento, ficaram guardadas numa gaveta de sua mente e ali permaneceriam indefinidamente caso não houvesse acontecido a experiência hipnótica:

“Desejo que você continue mergulhando o espírito no passado. E, por mais surpreendente, por mais estanho que pareça, você verá que há outras cenas em sua memória. Há outros cenários, outras terras e lugares distantes em sua memória. Vou dirigir-lhe novamente a palavra. Daqui a pouco vou dirigir-lhe a palavra. Entrementes, sua mente voltará a tempos passados, até ver uma cena e, por mais estranho que pareça, até que você se veja em algum outro lugar, em outra época. Quando eu lhe dirigir novamente a palavra, contar-me-á o que vê. Você poderá falar-me a respeito e poderá responder às minhas perguntas. E agora, descanse e relaxe o corpo enquanto as cenas lhe vêm ao espírito...Agora você vai contar-me, agora você

239

vai contar-me quais as cenas que vêm ao espírito...Que viu? Que viu? ― Ah!...Raspei toda a pintura da cama. Tinhamna pintado para torná-la bonita. É uma cama de metal, e eu raspei a pintura. Cravei a unha em todas as varas e estraguei-as. Ficou tudo feio. ― Por que fez isso? ― Não sei, estava com raiva, tinha apanhado muito. ― Como você se chama? ― Uhmm...Friday. ― Como é mesmo o nome? ― Friday. (Eu tinha a impressão de que ela havia dito "Friday". As outras pessoas na sala ― conforme disseram mais tarde ― também julgaram que havia dito "Friday". Mas logo saberíamos que o nome era diferente). ― Não tem outro nome? ― Ahn...Friday Murphy. ― E onde você mora? ― ...Moro em Cork. ― É lá que você mora?

240

― Uhm-uhm. ― E como se chama sua mãe? ― Kathleen. ― Qual o nome do seu pai? ― Duncan...Duncan Murphy. ― Quantos anos você tem? ― Ahn...quatro...quatro anos. (O Caso de Bridey Murphy – págs. 111-112)

Este é um trecho da primeira sessão regressionista de Morey Bernstein. Nota-se que, apesar de não tê-la induzido a pensar numa existência específica, o estímulo para que lucubrasse alguma cena de outra vida é bastante claro. A mente de Virginia Thige, focada na voz de Berstein, era receptiva. Bastou que Berstein lhe desse os parâmetros gerais para que ela fosse buscar nas recordações arquivadas em sua mente os elementos para forjar a fantasia de Bridey Murphy. Observa-se que ela hesita um pouco antes de responder sobre seu nome e os nomes de seus pais. À medida que sua mente foi desencovando as emoções infantis há muito retidas as respostas se tornaram mais espontâneas. Até o nome da vizinha de Virgínia Tighe era sintomaticamente semelhante à da personagem que ela criara: a senhora chamava-se Bridie Murphey Corkell.

241

recolheu nas doces lembranças da infância os ingredientes para elaborar o roteiro. Hoje. → Morey Bernstein faleceu aos 79 anos.Todos os elementos necessários para a criação da personagem estavam presentes nas reminiscências de Virginia Thige. 242 . E deveria servir como esclarecimento aos terapeutas regressionistas que as hipotéticas regressões não passam de elaborações mentais. o caso de Bridey Murphy é apenas ilustrativo da capacidade da mente adequadamente sugestionada em elaborar enredos. em 2 de abril de 1999. algumas até bem construídas. Quando Morey Berstein instou para que ela recordasse uma existência pregressa. mas todas oriundas de fabulações de mentes férteis. devido a complicações cardíacas. não titubeou.

CAPÍTULO 14 Conclusão No início deste trabalho deixamos no ar uma indagação que. afirmam ser a terapêutica regressionista muito mais eficiente que quaisquer outras formas de psicoterapia. a TVP não é reconhecida como método terapêutico pelas escolas tradicionais de 243 . acreditamos. Será que essa declaração se confirmará depois que a terapia de vidas for analisada detalhadamente? Conforme foi dito. agora seja possível esclarecer: Os profissionais que lidam com a TVP.

Um aspecto digno de nota se soma a este quadro: mesmo pesquisadores reencarnacionistas mais sérios não respaldam o regressionismo tão amplamente quando seria de esperar.psicologia e de psiquiatria. um dos grandes simpatizantes da teoria das múltiplas vidas. As “personalidades” geralmente evocadas durante as regressões a uma vida anterior. cada um. De Rochas e. principalmente pela dificuldade de controlar-se o acesso do paciente às informações incorporadas à “personalidade anterior"." (20 Casos Sugestivos de Reencarnação – Ian Stevenson) 244 . posto que animadores. Ian Stevenson. respeitado no meio espírita e autor de pesquisas a respeito da reencarnação. suas expectativas daquilo que ele pensa que o hipnotizador deseja. suas fantasias sobre aquilo que ele imagina ter sido sua vida anterior e. induzidas hipnoticamente. a supostas “vidas pregressas”. Estes podem incluir a personalidade atual do paciente. Esta é uma questão importante. decepcionantes. Björkhem. para citar apenas dois investigadores. mostraram-se inconclusivos e. parecem constituir uma mistura de vários ingredientes. publicaram. “Alguns dos primeiros e mais rigorosos investigadores da evidência da reencarnação empregaram a hipnose para regredir os pacientes no tempo. elementos obtidos paranormalmente. talvez ainda. mais tarde. é bastante cauteloso ao comentar sobre as regressões. pois significa que o processo não apresenta formulações teóricas adequadas. relatos de uma série de tais experiências. no todo.

Existem vários textos espíritas com críticas severas ao regressionismo. Por outro lado. Para tanto. Pois bem. fazem referências a textos da codificação kardecista que parecem apoiar. Diversos teóricos do espiritismo se mostram incomodados com a TVP que. TRVP (Terapia Regressiva a Vivências Passadas).É do espiritismo que temos de extrair os conceitos teóricos sobre a reencarnação. Examinemos um regressionismo. agride dogmas do kardecismo. como é o caso de José Reis Chaves. No movimento espírita observa-se o 245 . a possibilidade de haver recordações. Outros. no meio espírita existem duas posições distintas: alguns apóiam ostensivamente o regressionismo. de quem mostramos alguns artigos nos capítulos precedentes. espíritas simpatizantes do regressionismo esforçam-se por conciliar o kardecismo com as lembranças regressionistas. texto espírita que rejeita "Regressão a vidas passadas: Uma terapia a ser evitada “Hoje em dia. mais empolgados e desatentos aos profundos conflitos entre a TVP e a doutrina kardecista. conforme vimos. simplesmente. visto que a TVP não apresenta uma teoria própria. ainda que de forma indireta. outros o condenam com firmeza. fala-se muito em regressão de memória a vidas passadas ou. abraçam a regressão a vidas passadas sem qualquer remorso.

é que nós que militamos no Movimento Espírita. Já temos neles problemas demais. existe uma velada propaganda da nova moda nos centros espíritas. inclusive. pode utilizar a técnica. alguns defendendo a prática e de outro. é a condição profissional do terapeuta. Queiram ou não.. tudo bem! Compreende-se esta atitude. E nós. os espíritas estão ligados indiretamente à TRVP. . ao alcance da sociedade... . como devemos nos posicionar em face da nova onda? O que vamos escrever aqui. Não explica quais. tem afirmado repetidas vezes que esta técnica de terapia alternativa. e que nos parece fundamental.certa polêmica em torno do assunto. quando possivelmente estejam querendo evitar que estas práticas venham instalar-se nos centros espíritas. De um lado. Afirma que qualquer deles.Maria Júlia Prieto Perez. Um fato que a médica parece não levar em consideração.. precisamos saber de algumas particularidades dessa técnica pela simples razão de que grande parte dos "clientes" são os espíritas ou simpatizantes do Espiritismo. 246 . pessoas considerando a inadequação dela. A Dra. oferece perigo aos seus praticantes. dirigentes espíritas.. as pessoas acabam ligando uma coisa a outra. Porém.. desde que seja preparado pelo Instituto criado por ela. . considerada uma autoridade nesta prática. da área médica ou psicológica. quando mal utilizada. informando-a a respeito. Além disso. Até aí.. Deveria fazer um trabalho de cunho científico. o que esses profissionais parecem não entender. por razões que veremos adiante. visa convidar você a uma reflexão sobre o assunto.. . Como a teoria reencarnacionista está intimamente ligada ao processo. não importando.

Diz ainda não ser necessário que o terapeuta creia na reencarnação para se utilizar dos métodos regressivos.. . que por ela o paciente libera cargas emotivas reprimidas no inconsciente. . . que todos nós. oriundas de outras vidas ou vivências. Quem vive o trabalho espírita sabe que. a TRVP .. sem fundamentos morais e sem aprovação da comunidade científica. tem procurado justificar a utilização desta terapia alternativa.. . deve ser considerada pelo 247 . vivenciamos.. questão 339. enquanto permanecer como está. a técnica hoje é usada de forma larga e se difundiu de maneira perigosa. Alegam os terapeutas que defendem a TRVP. podendo inclusive perturbar o ser encarnado. que diz que o passado de uma criatura pode lhe ser revelado em "certas circunstâncias". naturalmente. fora dos domínios do seu Instituto..... em que os Espíritos Superiores afirmam que a lembrança do passado não traria benefício algum. . como uma ciência de homens.. Entretanto.se tenha ou não conhecimentos no campo das ciências da mente. A médica Maria Júlia. existem ao menos uma dezena de textos nas obras de Allan Kardec. Além do mais. em quem esteja precisando. instaladas ali por experiências infelizes.. Estes sonhos fazem o indivíduo se conscientizar do porquê sofre. .Terapia Regressiva a Vivências Passadas. maior propagadora da idéia no Brasil. os instrutores desencarnados provocam os tais "sonhos". fazendo-se valer de uma colocação existente em O Livro dos Espíritos. Diremos que. durante o período de sono.. quando isso é necessário.. Para isso utiliza e divulga a técnica.

isso é motivo de grande preocupação entre os dirigentes. será uma tragédia para o espiritismo latino. 248 ." (Site Nova voz . pois se o ensino de Allan Kardec for desacreditado.Grupo Espírita Bezerra de Menezes) Vários líderes espíritas estão cientes de que a ideologia da TVP (ou da TRVP. Certamente. em virtude da popularização da TVP no meio espírita. Os espíritas que aderem tão alegremente à TVP não percebem que estão a criar dificuldades para sua própria crença. como alguns preferem) balança os alicerces da doutrina kardecista.bom senso espírita uma terapia não recomendada a quem quer que seja.

o regressionismo não apresenta ao mundo esse componente que lhe concederia o almejado valor! 249 . ao que tudo indica.lamentavelmente. • na trivialidade das lembranças. que não podem ser comprovadas e que são de base fantasiosa. que fale egípcio. se viveu entre os cretenses que fale a língua de Creta. se recorda que viveu no Egito. A banalidade das lembranças é gritante... Os regressionistas defendem idéias excêntricas.AS INCONSISTÊNCIAS DO REGRESSIONISMO As inconsistências regressionistas podem ser resumidas em dois aspectos: • no pesado misticismo presente na prática e. Do misticismo regressionista foram apresentados exemplos variados. Os que regridem teriam de relembrar as línguas que falavam. Muito pouco de aproveitável se obtém das “recordações” de outras vidas. A “barreira” da língua não foi quebrada e. Se alguém “recorda” que foi um atlante então que fale o idioma atlante. jamais será.

ao contrário: ela insere idealizações nebulosas e pouco confiáveis. são complexas e capazes de provocar tendências positivas ou negativas nas pessoas. desde que adequadamente exercitada. desencadeará as mais diversas reações do 250 . dependendo do que tenha acontecido durante a fase de estruturação da personalidade. vividas desde a infância. E não é preciso ir muito longe para se comprovar essa capacidade imaginativa de muitos: basta examinar a criatividade de escritores e de roteiristas de cinema. A mente é capaz de elaborar complexos enredos. O que a TVP faz é adicionar componentes fantasiosos à terapia psicológica. coisa alguma. não há a “recuperação” de uma memória extratemporal. ― (vistos pela TVP como acidentes em vidas passadas) ―. A TVP em nada contribui para o desenvolvimento das pesquisas sobre a mente. a uma vida anterior. Na fase adulta o resultante dessas interações virá à tona e. As interações interpessoais. Os distúrbios psíquicos.A História e a Arqueologia seriam altamente favorecidas se as lembranças tivessem real profundidade. Não há um “retorno” no tempo. As teses regressionistas denigrem a psicologia e a psiquiatria. são mais bem explicados pelo resultado de experiências desta vida somadas às tendências genéticas. Até hoje essas ciências não foram beneficiadas: os que regridem não revelam qualquer informação importante. As “lembranças” de vidas passadas se explicam pela mente focada e sugestionada.

as dificuldades do tratamento psicanalítico não serão solucionadas pela adoção de terapêuticas eivadas de superstições. Ocorre que o procedimento tradicional. Quando a mente elabora uma fabulação satisfatória ela se descontrai e descansa sobre essa pretensa resposta. Pelo fato da psicanálise exigir longo tratamento e nem sempre atingir os resultados almejados.indivíduo frente à vida. Há um desvio das verdadeiras causas dos distúrbios e isso pode ser gratificante: para muitos é mais agradável acreditar que seus problemas procedam de fictícias vidas pregressas. A TVP despreza esta realidade e leva o assunto para o brumoso campo das vidas pregressas. Além disso. de buscar traumas arquivados no inconsciente. em vez de encarar dificuldades concretas. A psicanálise tem limitações. existem outras propostas na Psicologia. Entretanto. é substituído pela idéia de cavar traumas em vidas passadas: passa-se a caçar num imaginoso passado respostas para os males do espírito. Alguns pesquisadores perceberam que o método de trabalho da TVP tem semelhança com a técnica psicanalítica. 251 . originadas nesta vida. forma-se uma brecha que a TVP aproveita com promessas de curas milagrosas. isso é sabido. que não utilizam o método psicanalítico e são eficazes.

algumas das quais plenamente concordes com o conhecimento histórico e arqueológico. Uma pessoa que conheça bastante detalhes sobre o Egito antigo. As pessoas céticas ao regressionismo não encontrarão vidas passadas em suas reminiscências.. Há várias situações em que a hipnose apresenta resultados incertos. para os regressionistas a impossibilidade de lembrar seria devido à resistência que o indivíduo impõe ao processo. É preciso lembrar que nem todos conseguem regredir a outras vidas. Esses casos podem ser analisado de diversas formas.. elaborará um enredo rico em informações. mas mesmo 252 . Acreditamos que tenha ficado claro que hipnose não combina com a regressão a vidas passadas.FINALMENTE. uma força mágica. os resultados variarão conforme o conhecimento que tiver de fatos históricos. A partir do momento que o paciente acata a sugestão de reviver uma outra existência. Quem conheça pouco sobre a terra dos faraós. Façamos uma reflexão final sobre a prática da regressão a vidas passadas. embora seja o método preferido pelos terapeutas regressionistas para obter-se as lembranças. para outros seria mais um embaraço à tese de que todos vivemos várias vidas. por exemplo. Vimos que a técnica hipnótica não é. como muitos pensam.

não se poderá chamar a isso de efetiva lembrança de vida passada.assim admire as realizações daquele povo. ela não sabia o que inventar. Dessa forma. Entretanto. você é um gladiador romano”. As lembranças assim obtidas são mais detalhadas e de melhor qualidade que quando se deixa a mente vagar à procura de um enredo. Uma ilustração sobre essa peculiaridade o prezado leitor encontrará no capítulo 9. no papel de assistente dos sacerdotes. 253 . O hipnotizador pode dizer-lhe: “você agora está vivendo em Roma. Essa pessoa elaborará uma história com bastante detalhes. E o Dr. onde se relata uma vivência que Elizabeth teria tido no Egito. apresentará uma narrativa medíocre. Brian Weiss. O conhecimento de Elizabeth sobre o Egito antigo foi alimentado por leituras esotéricas. durante a regressão sua mente velejou pela fantasia e criou a fantástica história dos bastões mágicos que ressuscitavam os mortos. nem mesmo conseguiu dizer o nome do faraó do qual dizia ser prima. Quando se referia a situações menos nebulosas. que conduzia o interrogatório. Numa sessão de hipnose induzida pode-se sugerir ao paciente que se veja numa época definida pelo hipnotizador. Suponhamos alguém que conheça detalhes da época dos gladiadores e que seja susceptível à hipnose. pois o que houve foi uma indução formulada pelo hipnotizador. Muito pouco conhece a respeito dos estudos arqueológicos. mostra-se também fragilmente esclarecido sobre os eventos históricos.

Nenhuma garantia existe de que quaisquer recordações sejam verazes. Além disso. Portanto. mesmo quando na aparência a pessoa esteja lembrando uma vida passada. 254 .É claro que o resultante de uma sugestão direcionada não seria uma “autêntica” recordação. pois ele condiciona o paciente para que a mente vasculhe em si mesma uma hipotética vida pregressa. não deixa de ter havido indução do terapeuta. tanto faz uma recordação induzida (falsa) quanto uma lembrança livre (“real”) que o resultado é o mesmo. tais lembranças são ricas em detalhes e quase sempre melhor elaboradas que as supostas lembranças reais. Entende-se porque os profissionais que lidam com a hipnose a descartam como ferramenta adequada para lembrar vidas passadas. Apesar disso. visto que advém de uma sugestão inculcada ao paciente. Esse aspecto é demonstrativo da insuficiência de fundamentação para a legitimidade das lembranças.

UMA INDAGAÇÃO. 255 . É possível que uma indagação esteja presente na mente de alguns leitores: • Se as “lembranças” de vidas passadas não passam de respostas a sugestões. De fato. Ainda que digam o contrário... diremos o seguinte: diversos psicólogos adotam a TVP porque ela lhes atende às expectativas. A TVP não é ciência. é de surpreender que pessoas formadas pelas diversas escolas de psicologia descambem para o esoterismo e abracem teses sem fundamento. por que tantos psicólogos defendem ardorosamente o assunto e declaram ser a TVP um método terapêutico mais eficiente que as técnicas psicoterápicas tradicionais? Trata-se de uma questão que pode ser avaliada sob vários enfoques. ela está escudada em concepções obscuras e atende à esperança daqueles que buscam uma solução mágica para os problemas da alma. defenda ingenuidades que não resistem sequer a uma avaliação superficial. o que estão a utilizar não passa de uma forma de curandeirismo. um psiquiatra consagrado. Dentre as muitas respostas que poderiam ser apresentadas. mesmo que essas expectativas não estejam respaldadas por pesquisas adequadas. É admirável que Brian Weiss.

Oswaldo Shimoda e outros demonstram conhecimentos apreciáveis sobre diversos assuntos. Acreditamos que tenha ficado clara a falta de fundamentação para a TVP. É importante registrar que o bom trabalho psicoterapêutico sempre respeita as convicções religiosas dos pacientes. Célia Resende. somente quando a fé do paciente acarreta inegáveis prejuízos.____________________ Por fim. as crenças constituem fortes apoios que mantêm o paciente psiquicamente firme em meio a um mar de inseguranças. tal não significa que estendamos as críticas a outros segmentos em que atuem. seja para si. Os terapeutas mantêm a neutralidade em questões que envolvam religião. seja para os que com ele convivem. então as considerações aqui 256 . conforme vimos. registramos que nossas apreciações não têm por meta agredir a ninguém. Questionar acintosamente a religiosidade alheia pode romper o equilíbrio psicológico com resultados desastrosos. As críticas à TVP são admissíveis. José Reis Chaves. criticamos métodos e idéias. Citamos vários autores por necessidade de analisar especificamente escritos que verteram sobre o assunto. rebatemos suas apologias à TVP. Brian Weiss. o método está eivado de incertezas. O psicoterapeuta se vê compelido a interferir nesse quesito. Muitas vezes. além de possuírem formação técnica em várias áreas. pois. Se um dia surgirem fundamentos aceitáveis para a terapia de vidas pregressas. não pessoas. A crítica às idéias desses profissionais não deve ser entendida como um juízo global sobre suas personalidades.

Por enquanto.Mon a vão 257 .apresentadas deverão ser revistas. M.Monttallvão M. tudo o que se tem sobre vidas passadas é um grande vazio teórico preenchido com mil fantasias.

tradução de Agenor Pegado e Sylvia Melle Pereira da Silva Xavier. tradução de José Luis Meurer e Christian Monteiro Oiticica Freitas Bastos – 1997 Imago Editora – 1998 258 . Philip Wesley Chaves. Diamantino Coelho Freud. Allan Editora Difusora Cultural – 1966 FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA – 22ª Edição Edições Loyola – 1964 FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA – 36ª Edição A Caminho da Luz História da Civilização à Luz do Espiritismo A Face Oculta da Mente A Gênese . Ian. José Reis Casa Editora O Clarim – 1974 Casa Publicadora das Assembléias de Deus – 1998 Editora Martin Claret – 1998 A Origem da Bíblia A reencarnação Segundo a Bíblia e a Ciência A Regressão a Vidas Passadas Como Método de Cura A Vida em Saturno Artigos sobre Hipnotismo e Sugestão Dethfelsen. Oscar González Kardec. Allan. Sigmund.Os Milagres e as Predições Segundo o Espiritismo A Obsessão Kardec. tradução de Wallace Leal V.PRINCIPAIS OBRAS CONSULTADAS 20 Casos Sugestivos de Reencarnação Stevenson. Rodrigues Comfort. Francisco Cândido Quevedo. Thorward Editora Pensamento – 1997 Fernandes.

Francisco Cândido MPW Inf. Carlos Bernardo González Ceram.. William L. Melhoramentos de São Paulo – 1986 Distribuidora Record – 1970 Livraria Agir Editora – 1972 Rhodes.Grande Loja da Jurisdição de Língua Portuguesa . Abasolo Weiss. Clark. Brian L. C. David Stafford Cervé. Rodrigues Nosso Lar Xavier. Melhoramentos de São Paulo – 1982 Cia. Matos Huisman. Margarita E. – 1992 Salamandra – 1991 Federação Espírita Brasileira – 45ª Edição 259 . Amorc . Denis. André Vergez Editora Logosófica – 1989 Cia. W. Soares. Túmulos e Sábios Enciclopédia Mirador Internacional Hipnotismo sem Mistério Introdução à Psiquiatria Lemúria – O Continente Perdido do Pacífico Manual dos Tempos e Costumes Bíblicos Minha Alma e Suas Vidas Muitas Vidas. Diversos Autores Deuses.PRINCIPAIS OBRAS CONSULTADAS Bíblia Sagrada Paulinas – 1979 Freitas Bastos – 1964 Compêndio Moderno de Filosofia Curso de Iniciação Logosófica Pecotche. Ltda. Muitos Mestres Tradução da Vulgata pelo pe. Raphael H.S.1995 Coleman. Editora Betânia -1991 Marino.W. tradução de Talita M.

tradução de Roberto Raposo Resende. Charles Empresa Editora O Pensamento – 2ª Edição O Hipnotismo – Realidade e Ficção Editora Ulisseia – Lisboa – 1959 O Mistério da Atlântida Os Manuscritos do Mar Morto Pergunte e Responderemos Pergunte e Responderemos Só o Amor é Real Vermes.. F. tradução M. Brian L. Peter Cia.L. Geza Editora Nova Fronteira – 1976 Editora Mercuryo – 1997 Bettencourt.Marques da Silva Berlitz. Estevão Tavares Weiss.. Triângulo das Bermudas e Atlântida Nova Era – 2000 Nobile.PRINCIPAIS OBRAS CONSULTADAS O Caso de Bridey Murphy Bernstein. Estevão Tavares Bettencourt. Melhoramentos de São Paulo – 1979 260 . Célia Paulinas – 1957 Paulinas – 1963 Editora Sextante – 1996 Terapia de Vidas Passadas Ufo. tradução de Leônidas Gontijo de Carvalho Marcuse. Morey.