You are on page 1of 14

Prof.

Carlos José Giudice dos Santos


É o registro sistemático das
idéias de uma obra (texto,
artigo de revista, livro ou
capítulo de livro.
A palavra fichamento deriva de
ficha. Antigamente (antes da
invenção do microcomputador),
quando um professor se referia Na parte de cima da ficha
a fichamento de uma obra, ele vinha o nome da obra. Na
esperava que o aluno parte de baixo, o resumo das
registrasse em uma ficha de principais idéias apresentadas
papel cartonado (igual a durante a leitura.
retratada na ilustração ao lado)
A idéia básica do fichamento
o resumo das principais idéias
continua a mesma.
lidas no texto.
O primeiro passo para se fazer um fichamento
é uma leitura atenciosa do texto a ser fichado.
Um texto de fácil entendimento irá requerer
geralmente apenas uma leitura. Textos de
difícil entendimento podem exigir duas, três ou
mais leituras. Se for este o seu caso (um texto
denso e de difícil entendimento), faça uma
primeira leitura rápida apenas para se
familiarizar com o estilo do autor e identificar
quais palavras você não conhece ainda.
Você poderá utilizar estas palavras que você
ainda não conhecia para montar um glossário e
enriquecer mais o seu próprio vocabulário.
Depois de verificar qual significado de cada
palavra desconhecida coincide com o sentido
que o autor quis utilizar em seu texto, faça uma
segunda leitura, agora mais apurada, buscando
identificar quais são as idéias centrais. Se for
necessário, faça outras leituras complementares
para esclarecer passagens do texto que ainda
continuem obscuras. Isto é uma leitura atenciosa!
O segundo passo para fazer o fichamento é
reunir as informações em um documento,
que deve ter a seguinte estrutura:

CABEÇALHO: Referência bibliográfica


completa da obra (livro, capítulo de livro, artigo
de revista, jornal ou internet, etc.), que deve ser
elaborada de acordo com as normas da ABNT
(NBR 6023).6023).
RESUMO: Apresentação de um resumo sinóptico das
idéias centrais do texto lido. Para ilustrar o que seria
um resumo sinóptico, considere que quando vamos a
uma locadora escolher um filme para alugar,
escolhemos o nome de um filme e lemos a sua
sinopse, ou seja, cinco a dez linhas de texto que
contam a idéia central, o argumento do filme. Você
deve fazer algo semelhante (uma sinopse) a partir de
sua leitura. Este resumo deve ter um mínimo de 150
palavras, e não deve ultrapassar 1000 palavras. Ele
deve expressar somente as idéias centrais do texto.
Palavras-chave: Escolha um mínimo de três e um
máximo de cinco palavras ou expressões que
sirvam como indexadores (ou termos de
indexação). Um indexador constitui-se em uma
palavra ou expressão utilizada para se procurar por
determinado assunto em uma base informatizada.
Por exemplo, se você leu um texto sobre educação
em que as idéias centrais estão relacionadas às
palavras educação, sala de aula, evasão e
capacitação de professores, então você acabou de
localizar as suas palavras-chave.
Citações: As citações são transcrições de partes
significativas da obra. Estas citações devem estar
relacionadas com o assunto que você está
pesquisando. Devem ser diretas (curtas ou longas) e
elaboradas de acordo com as normas da ABNT para
citações (NBR 10520). Evitem fazer paráfrases
(citações indiretas) em fichamentos. Deixem essa
prática para o trabalho. Citações de citações devem
ser evitadas a todo custo, exceto nos casos abordados
em nossa apostila ou se você pretender estudar os
autores citados (uma ótima opção).
Comentários: Compreende as suas próprias
reflexões e considerações acerca do texto lido.
Para enriquecer ainda mais seus comentários,
você pode utilizar citações de outros autores que
você julgue estarem relacionados com o assunto
que você acabou de ler. A importância destes
comentários é que eles podem ser utilizados na
elaboração de um trabalho de pesquisa
(referencial teórico de um projeto ou de uma
monografia).
MARTINS, Hélio Tadeu. Gestão de carreiras na era do
conhecimento: abordagem conceitual e resultados de
pesquisa. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2001.
RESUMO
O autor faz uma abordagem das relações de trabalho na sociedade pós-
industrial. Destaca a importância que o conhecimento tem para os
organizações do Século XXI, abordando o conceito de Capital Intelectual. A
partir destas relações, demonstra que o foco de gestão das carreiras não se
encontra apenas nas mãos das organizações, mas começa gradativamente a
mudar para as mãos dos próprios profissionais interessados em gerir a sua
própria carreira. Um amplo arsenal teórico é utilizado para fundamentar e
explicar como acontecem estas novas relações de trabalho na Era do
Conhecimento. Além disso, utiliza-se dos resultados de uma pesquisa de
campo realizada no mercado de trabalho brasileiro para vincular a prática à
teoria, confirmando ou justificando tendências.
(continuação)

PALAVRAS-CHAVE
Carreira – Capital Intelectual – Conhecimento
nas Organizações – Autoconhecimento -
Empregabilidade
CITAÇÕES
“O que qualifica a atual sociedade como ‘pós-
capitalista’ é o fato de que o conhecimento
deixou de ser um recurso para ser o recurso”
(MARTINS, 2001, p. 9).
(continuação)

CITAÇÕES
Sobre a empregabilidade: “Em vez de buscar um
vínculo estável com um empregador, esse trabalhador é
induzido a desenvolver sua condição de empregável, ou
seja, tornar-se cobiçado no mercado de trabalho,
ampliando suas chances de recolocação quando
necessário (MARTINS, 2001, p. 21).

Sobre a especialização: “[...] o trabalhador do


conhecimento é, necessariamente, um especialista, por
ser essa a forma mais eficaz de contribuição”
(MARTINS, 2001, p. 24).
(continuação)

CITAÇÕES
Sobre o planejamento: Bologna considera que “o
planejamento é a mais relevante e cerebral atividade do
homem. A capacidade de planejar torna o homem único no
reino animal” (apud MARTINS, 2001, p. 82).

Sobre carreira: “Pela primeira vez, literalmente pela


primeira vez, um número substancial e crescente de
pessoas tem a possibilidade de fazer escolhas. Pela
primeira vez, as pessoas terão de administrar a si
próprias. E é preciso que se diga uma coisa: elas estão
totalmente despreparadas para isso” (DRUCKER apud
MARTINS, 2001, p. 76).
(FINAL)

COMENTÁRIOS
O autor exibe uma fundamentação teórica consistente,
além de criar uma vinculação da teoria com a prática. A
obra não apresenta fórmulas de sucesso e nem as
receitas típicas de livros de auto-ajuda, demonstrando a
seriedade da pesquisa. O conceito de carreira de
sucesso é desvinculado do senso comum, mostrando
que ela não está necessariamente relacionada com a
ascensão hierárquica, status e ganhos financeiros. O
modo como a pesquisa foi conduzida no Brasil mostra o
panorama fiel de como os indivíduos e organizações
nacionais estão gerenciando as carreiras na atualidade.