You are on page 1of 10

c  

 

    


c   
      
   
Energia Energia Energia

       Banda de condução Banda de Condução Banda de Condução

 áto o é for ado por elétrons que gira ao redor Banda roibida Banda roibida

de u núcleo co posto por prótons e nêutrons, sendo


Banda de Valência Banda de Valência Banda de Valência
que o nú ero de elétrons, prótons e nêutrons é
diferente para cada tipo de ele ento quí ico.
‘    
      
  

No pri eiro caso, u elétron, para se livrar do áto o,


te que dar u salto de energia uito grande. Desta
for a, pouquíssi os elétrons tê energia suficiente
para sair da banda de valência e atingir a banda de
condução, fazendo co que a corrente elétrica neste
aterial seja se pre uito pequena, Esse ateriais
‘ 
   
  são cha ados de isolantes.
Y últi a órbita de u áto o define a sua valência, ou
No segundo caso, u elétron pode passar facil ente
seja, a quantidade de elétrons desta órbita que pode se
da banda de valência para a banda de condução se
libertar do áto o através do bo bardeio de energia
precisar de uita energia. Isso acontece
externa (calor, luz ou outro tipo de radiação) ou se
principal ente nos ateriais etálicos, onde a própria
ligar a outro áto o através de ligações covalentes
te peratura a biente é suficiente para o surgi ento
(co partilha ento de elétrons da últi a órbita de u
de u a grande quantidade de elétrons livres. Esses
áto o co os elétrons da últi a órbita de outro
ateriais são cha ados de condutores.
áto o).
O terceiro caso é u inter ediário entre os dois
Esta órbita ais externa recebe, por isso, o no e de
outros.  elétron precisa dar u salto pequeno e, por
órbita de valência ou banda de valência.
isso, esses ateriais possue características
inter ediárias e relação aos dois anteriores sendo,
portanto, cha ados de se icondutores.

2  
    c   
Existe vários tipos de ateriais se icondutores. Os
ais co uns e ais utilizados são o silício (Si) e o
‘       

 
  ger ânio (Ge).
Os elétrons da banda de valência são os que tê ais
facilidade de sair do áto o. E pri eiro lugar porque Estes dois ele entos caracteriza se por sere
eles tê u a energia aior e, e segundo lugar, tetravalentes, ou seja, por possuíre quatro elétrons na
porque, por estare a u a distância aior e relação ca ada de valência, co o ostra a figura abaixo.
ao núcleo do áto o, a força de atração eletrostática é
enor. Co isso u a pequena quantidade de energia
recebida faz co que eles se torne elétrons livres
que, sob a ação de u ca po elétrico for a a
corrente elétrica.

O fato dessas órbitas estare a distâncias be 


definidas e relação ao núcleo do áto o, faz co que
entre u a órbita e outra exista u a região onde não é
possível existir elétrons, deno inada banda proibida.

O ta anho dessa banda proibida na últi a ca ada de


elétrons define o co porta ento elétrico do aterial, ‘ !" #    $ 
   
  
co o na figura abaixo, onde três situações diferentes
estão representadas.

Página 1
c  
 

    


Hoje e dia, o silício é o aterial ais utilizado já Desta for a o nú ero de lacunas é aior que o
que é bastante abundante na natureza e, portanto, ais nú ero de elétrons livres gerados pelo calor a
barato. te peratura a biente), ou seja, neste se icondutor as
lacunas são portadores ajoritário e os elétrons livres
       
    são portadores inoritários, co o ostra a figura
abaixo.
E se icondutores te os dois tipo de condução:
 + + + +
+ + + + +
* 0ovi ento dos íons positivos : Lacunas. + + +  +
* 0ovi ento dos elétrons livres : Elétrons + + + + +
+  + + +
+ + + + +
Para toda ovi entação de u íon positivo e u + + +  +
deter inado sentido, te os a ovi entação do
elétron no sentido contrário. ‘ +   
 ) # $

Î 
       
X   
   
Auando nu cristal de silício é acrescentado u a
quantidade de áto os de u aterial pentavalente
X 
 
(co cinco elétrons na ca ada de valência) co o, por
exe plo, o arsênio (Ys), o anti nio (Sb) e o fósforo O diodo se icondutor é constituído basica ente por
(P), estes ele entos estranhos, ta bé cha ados de u a junção PN, ou seja, pela união física de u
i purezas, assu e a es a estrutura do cristal de aterial $ co u *,
silício fazendo, cada i pureza, quatro ligações 
covalentes co seus áto os vizinhos ais próxi os,  + + + +    +  
co o ostra a figura a seguir. + + + + +      
+ + +  +  +    
+ + + + +      
+  + + +    +  
+ + + + +      
+ + +  +   +   

P N
‘ -. $*
e
Co esta união há u a reco binação de elétrons e
lacunas na região da junção, for ando u a barreira
de potencial, já que a igração dos elétrons cria
regiões de íons positivos e negativos. (figura 1)

íons negativos íons positivos


áto o de fósforo
‘ %   
 &  # '$      + + + +    +  
+ + + + +      
Desta for a, o nú ero de elétrons livres é aior que o + + +  +  +    
nú ero de lacunas geradas pelo calor a te peratura + + + + +      
a biente) ou seja, neste se icondutor os elétrons +  + + +    +  
livres são portadores ajoritários e as lacunas são + + + + +      
portadores inoritários, co o ostra a figura abaixo. + + +  +   +   

P 
N
   +   arreira
     
 +     ‘ / 
$   
     
   +   Cada lado do diodo recebe u no e: O ladp P cha a
      se de anodo(Y) e o lado N cha ase de catodo(K).
  +   
1 0
‘ (   
 ) # * $ *

De aneira análoga, se as i purezas encontradas são


de áto os de aterial trivalente (alu ínio, boro, 1 0
gálio, etc), as ligações covalentes for ara lacunas.

‘ 2 34 
5


Página 2
c  
 

    


X 


  X  



Co u a tensão aplicada aos ter inais do diodo, 1. Co o a junção PN possui u a barreira de
algu as características da barreira de potencial são potencial, na polarização direta só existe corrente
alteradas. elétrica se a tensão aplicada ao diodo for aior que
‰
(0,7)
 a polarização direta ocorre quando o potencial 2. Na polarização direta existe u a corrente áxi a
positivo da fonte encontrase ligado no lado P e o que o diodo pode conduzir (
) e u a potência
potencial negativo no lado N. áxi a de dissipação ($
): —  
3. Na polarização reversa existe u a tensão áxi a
Desta for a os elétrons do lado N são e purrados cha ada de tensão de ruptura ou breakdown
pelo ter inal negativo da fonte e atravessa a barreira (‰4).
de potencial.. Do lado P preenche as lacunas, as 4. Na polarização reversa existe u a corrente uito
continua se ovi entando e direção ao ter inal pequena deno inada de corrente de fuga.(6)
positivo da fonte, estabelecendo, assi , u a corrente
elétrica.

Nestas condições o diodo se co porta pratica ente


co o u curtocircuito. (R uito pequeno)

$ *

o
‘ $  ' 5  

X 


 
Y polarização reversa ocorre quando o potencial
negativo da fonte encontrase no lado P e o potencial
positivo do lado N.

Por causa da polarização reversa, os elétrons do lado N


são atraídos para o ter inal positivo e as lacunas para
o ter inal negativo da fonte. Co isso for a se
ais íons positivos do lado N e íons negativos no lado
P, au entando, assi , a barreira de potencial.

Y pequena corrente que circula é cha ada de corrente


de fuga (portadores inoritários) e pode ser
desprezada na aioria dos casos..

Nestas condições o diodo se co porta co o u


circuito aberto (resistência uito alta).

Portanto o diodo é u dispositivo que conduz apenas


quando está polarizado direta ente.
I
Id

Vbr
V
Vd
‘  & 

Página 3
c  
 

    


cc     

V  
          
2    !             
         

  
  

Y geração e distribuição de energia elétrica é efetuada
           
na for a de tensões alternadas senoidais, poré vários
    
aparelhos eletrnicos precisa de tensões contínuas.
Sendo assi , necessita de circuitos que transfor a
O transfor ador co Tap Central per ite a obtenção
tensões alternadas e tensões contínuas. Estes
de duas tensões no seu secundário, geral ente de
circuitos são deno inados de retificadores.
es o valor eficaz e co polaridade invertida.
Poré a tensão alternada na entrada de u circuito
retificador deve ser adequada ao seu padrão de tensão,
ou seja, à tensão da rede elétrica, antes de ser ligada ao
retificador, precisa ser reduzida, trabalho este
realizado pelo transfor ador.
‘ !)6  )#   
Yinda, após o retificador, é necessário eli inar as
variações da tensão contínua para que a es a torne
 
"#
se constante, o que é feito através de filtros ou
circuitos reguladores de tensão. O ais si ples dos retificadores é o retificador de
eiaonda. Y sua constituição básica é u diodo e
Y este conjunto de circuitos dáse o no e de fonte de série co u a carga RL.
tensão ou fonte de ali entação.

 
!

O transfor ador é u a áquina elétrica que
transfor a níveis de tensão e corrente e u circuito.
Dentre os vários tipos de trafos, va os falar sobre ‘ %" 6 

  

dois: O trafo abaixador e o trafo abaixador co tap
Pelo circuito do retificador de eia onda, vêse que
central.
durante o se iciclo positivo de 2, o diodo conduz
(polarização direta), fazendo co que a tensão de
saída seja igual à de entrada. Poré , no se iciclo
negativo, o diodo corta (polarização reversa), fazendo
co que a tensão de saída seja nula e a tensão de
entrada caia toda e ci a do diodo co o ostra a
‘ )6 
 4 7
 figura abaixo.

O transfor ador é constituído por dois enrola entos,


o pri ário, no qual é ligado à tensão da rede, e o
secundário, no qual pode ser ligado a carga. 
núcleo de aço, ferrite ou ar realiza o acopla ento
agnético entre os enrola entos.

Ys relações entre as tensões e correntes dos


enrola entos estão relacionadas ao nú ero de espiras
destes enrola entos.

1 N1 I2 N
M e M 1
2 N2 I1 N 2

‘ (‘ 
 

Ideal ente a transfor ação ocorre se perda de
potência, isto é: Co o a for a de onda na carga não é ais senoidal,
e bora a freqüência seja a es a da tensão de
1 .I 1 = 2.I2 entrada, o seu valor édio deixa de ser nulo, existindo
u a corrente édia dada por:

Página 4
c  
 

    


V2 P V
V M I M Poré a vantage esta na especificação do diodo e na

qualidade da filtrage .

Para que o diodo não quei e, ele deve suportar tanto Co o cada diodo conduz so ente nu se iciclo, ele
esta corrente édia quanto a tensão de pico reversa: conduz etade da corrente édia. Por outro lado, a
tensão reversa que ele deve suportar corresponde a
ID0 > I V  > V2P tensão total de pico do secundário.

V                  ID0 > I 2 V  > V2P


            
     V                 
             
    

‘ +" 6 

  


 
#$
!
!  ‘ 2" 6 

 
 # 

O retificador de onda co pleta faz co que tanto o


se iciclo positivo quanto o negativo caia sobre a  %
#$
!!
 
carga se pre co a es a polaridade. Outro tipo de retificador de onda co pleta é ostrado
na figura abaixo. Ylgu as vantagens são obtidas.
sando u trafo co tap central, isto é possível
através do circuito ostrado na figura abaixo.

‘ " 6 
 #  
Durante o se iciclo positivo, os diodos D 1 e D3
‘ -" 6 

 
 #  conduze e os diodos D2 e D4 corta . Transferindo,
Durante o se iciclo positivo, o diodo D1 conduz e o assi , toda a tensão de entrada para a carga.
diodo D2 corta, fazendo co que a tensão na carga seja
positiva e igual à tensão no secundário superior do Durante o se iciclo negativo, os diodos D2 e D4
transfor ador. conduze e os diodos D1 e D3 corta , fazendo co
que toda a tensão de entrada caia sobre a carga co a
Durante o se iciclo negativo o diodo D1 corta e o es a polaridade que a do se iciclo positivo.
diodo D2 conduz, fazendo co que a tensão na carga
tenha a es a polaridade que a da situação anterior e
a es a a plitude.

‘  #    
" 6 
 $  

‘ / #    
5
 Co o neste caso a freqüência da tensão de saída dobra
de valor, a tensão édia na carga ta bé dobra, ou
Neste caso a freqüência do sinal de saída dobra de seja:
valor e, portanto a tensão édia na carga ta bé
dobra. Por outro lado, co o a tensão de pico na carga  2. 2 P 
é a etade da tensão de pico no secundário do trafo, a M I M
RL
tensão édia final é a es a que se obteria usando
u retificador de eia onda co este es o trafo.
Os diodos são especificados a partir dos seguintes
V2 P V critérios:
V M I M

ID0 > I 2 R > 2P
Página 5
c  
 

    


O valor de pico a pico do   pode ser calculado


V        
 pela equação abaixo:
        Õ       f
R M
             f. R L .C
           Onde:
     f: Tensão édia após filtrage
 f: freqüência da ondulação
RL: resistência de carga
 X&


C: Capacitor de filtro
Para que a fonte de ali entação fique co pleta, falta
ainda fazer a filtrage do sinal retificado para que o Yssi , para o projeto de u a fonte de ali entação
es o se aproxi e o áxi o possível de u a tensão devese antes estipular a tensão édia de saída e o
contínua e constante. ripple desejado, para e seguida, calcular o capacitor
necessário para a filtrage , as especificações dos
Y utilização de u filtro capacitivo é uito co u diodos e as especificações do transfor ador.
nas fontes que não necessita de boa regulação, ou
seja, que pode ter pequenas oscilações na tensão de V   !  —          
saída.  exe plo é o eli inador de pilhas de uso       

  ! "   


geral.    #          
 
 
              
Y figura abaixo ostra a ligação de u filtro  $%Õ        
capacitivo ligado a u retificador de onda co pleta
e ponte.

‘ ‘   ‘  #  


Co o filtro o sinal de saída fica co a for a
ostrada abaixo.

‘ !‘ 
8
 &

‘  
Co o pri eiro se iciclo do sinal retificado o
capacitor carregase através dos diodos D1 e D3 até o
valor de pico. Auando a tensão retificada di inui, os
diodos que estava conduzindo fica reversa ente
polarizados, fazendo co que o capacitor se
descarregue lenta ente pela carga RL.

Auando no segundo se iciclo, a tensão retificada fica


aior que a tensão no capacitor, os diodos D2 e D4
passa a conduzir carregando nova ente o capacitor
até o valor de pico, e assi sucessiva ente, for ando
u a ondulação cha ada  

Auanto aior o capacitor ou a resistência de carga,


enor será a ondulação. O valor édio da tensão de
saída será cha ado de  f.

Página 6
c  
 

    


ccc  " #     

        


São e pregados para gerare tensões duas, três,
quatro ou ais vezes aiores que a tensão de pico do
secundário do transfor ador.

5
 59  ‰"9‰ : 
2       1N 914 75 75 Geral
1N 4148 200 75 Geral
Diodos ta bé são utilizados na proteção de
1N 4001 1000 50 Retificação
dispositivos delicados contra altas tensões geradas por
1N 4002 1000 100 Retificação
interrupção de corrente e circuitos indutivos.
1N 4003 1000 200 Retificação
Auando u relé é desligado, por exe plo, na sua 1N 4004 1000 400 Retificação
bobina surge altas tensões que pode quei ar o 1N 4005 1000 600 Retificação
dispositivo que o controla, por exe plo, u transistor. 1N 4006 1000 800 Retificação
1N 4007 1000 1000 Retificação
Y tensão que aparece nestas condições te polaridade  249 7000 300 Retificação
inversa do aciona ento. Yssi se ligar os u diodo
e paralelo, confor e a figura abaixo, quando a Ylguns endereços para pesquisa:
tensão perigosa surgir ela polariza o diodo no sentido * G     G   
direto, fazendoo conduzir e absorver a tensão, * G    
evitando que a es a se propague pelo resto do * G   
circuito.
X       $%  $
Nu diodo, quando polarizado direta ente, u a
grande quantidade de portadores atravessa a região de
depleção na qual, alguns deles, reco bina se co
áto os ionizados. Nesse processo, os elétrons perde
energia na for a de radiação. Nos diodos de Silício ou
Ger ânio, essa radiação é irradiada na for a de calor,
as e co postos de arsenato de gálio (GaYs), existe
a liberação de energia na for a de luz.
eja que na operação do transistor (dispositivo de
Esse diodos são cha ados de diodos e issores de luz
co utação), o diodo está polarizado no sentido
ou, si ples ente, 5 (Light E itting Diode) e
inverso, não influindo no aciona ento.
pode e itir luz visível, infraver elho ou
ultravioleta.
   "        
Y
Diodos ta bé estão presentes e circuitos digitais
funcionando co o ³válvulas de retenção´. Por
exe plo, na figura a seguir0 o diodo i pede que a Os LEDs de luz visível são fabricados acrescendo
corrente ³volte´ para , quando acionar os a lâ pada partículas de fósforo, que dependendo da quantidade
por . pode irradiar luz ver elha, a arela, laranja, verde
ou azul, sendo uito utilizado na sinalização de
Î    ! #   aparelhos eletrnicos e fabricação de displays
alfanu éricos.
0ostrare os a seguir algu as características elétricas
dos diodos ais co uns e circuitos eletrnicos.
Os infraver elhos são fabricados co InSb
Infor ações co pletas pode ser obtidas e
(anti oneto de Índio) co aplicação e alar es,
³Handooks´ ou e ³sites´ de fabricantes na Internet.
Página 7
c  
 

    


trans issão de dados por fibra ótica, controle re oto e Rs IR


etc. Ta bé é utilizado o GaYs acrescido de
alu ínio.

Os ultravioletas são fabricados a partir do sulfato de
Zinco (ZnS).

Ta bé encontra os LEDs bicolores e u es o


'   
encapsula ento. Possuindo três ter inais,
dependendo de qual for ali entado, ele acenderá co  optoacoplador (ou acoplador óptico) nada ais é
u a luz diferente. do que u LED associado a u fotodiodo nu es o
invólucro.
Os LEDs tê as es as características dos diodos
co uns, ou seja, só conduze quando polarizados Rs Rs
1 2
direta ente co u a tensão aior ou igual a ‰5.
Co ercial ente eles trabalha nor al ente co  +
correntes na faixa de 10 Y a 50 Y e tensões na faixa 1

de 1,5 a 2,5 . 2

Yssi para polarizar u LED, devese utilizar u


resistor li itador de corrente para que o es o não se
danifique.
Auando o LED é polarizado direta ente ele e ite
V       & '     (V   u a luz que atinge o fotodiodo, fazendo co que sua
       


  )   corrente reversa seja proporcional a intensidade
  
   * lu inosa e itida pelo LED.
Rs ID
Isso significa que a corrente de saída depende da

corrente de entrada es o havendo u a isolação
elétrica entre os dois estágios. O eio trans issor é a
9 D luz.

Este dispositivo é uito utilizado e aparelhos co
circuitos e altas e baixas tensões, per itindo u a
†  & isolação segura entre eles. Ta bé são utilizados na
Co o foi visto anterior ente, nu diodo co u decodificação de sinais pulsados, co o e ouses,
polarizado reversa ente existe u a corrente de fuga leitura de cartões perfurados, etc.
antida pela energia tér ica e te peratura a biente.
Yssi , se houver incidência de luz sobre a junção PN (   ) 
essa energia ta bé pode gerar portadores O diodo zener é u dispositivo que te quase as
contribuindo para au entar a corrente reversa. es as características que u diodo nor al. Y
diferença está na for a co o ele se co porta quando
 fotodiodo é portanto u diodo co u a janela está polarizado reversa ente.
sobre a junção PN que per ite a entrada da luz. Essa
luz produz elétrons livres e lacunas au entando a No diodo nor al, polarizado reversa ente, ocorre u
quantidade de portadores e, consequente ente, fen eno cha ado de    $G ou   
controlando a corrente reversa. , que consiste nu au ento repentino da
Y corrente reversa, dissipando potência suficiente para
ruptura da junção PN, danificando o diodo. Y tensão
Desta for a, quanto aior a incidência de luz, aior na qual ocorre o efeito zener é cha ada de   
a corrente no fotodiodo polarizado reversa ente. Y  ou +, $   (‰")
corrente pode chegar a dezenas de icroa peres, as
deve se ser se pre ligados e série co u resistor O diodo zener é construído co u a área de
li itador. dissipação de potência suficiente para suportar o efeito
avalanche. Yssi , a tensão na qual este efeito ocorre é
São encontrados fotodiodos sensíveis a vários tipo de
deno inado de tensão zener (‰ ) e pode variar e
luz, infraver elha, ultravioleta, etc. sendo aplicados
função do ta anho e do nível de dopage da junção
e alar e, edidores de intensidade lu inosa,
PN. Co ercial ente são encontrados diodos co ‰
sensores e etc.
de 2 a 200 volts.

Página 8
c  
 

    


Iz Iz

+ 
Vz
Para u a elhor precisão nos cálculos podese usar o
odelo real que conté u a resistência "' e série.

Iz Iz z

+ 
Vz
Na especificação de u circuito regulador deve os
nos preocupar e definir li ites para ‰ e " de
Pela curva característica aci a, observase que a
odo a não danificar o diodo.
tensão reversa ‰ anté se pratica ente constante
quando a corrente reversa está entre    ( íni a) e
Duas considerações deve ser observadas na
 7 ( áxi a).
obediência deste li ite.
* O diodo zener não regula (desliga) caso que a
Nesta região, o diodo zener dissipa u a potência $
corrente que passa por ele seja enor que a
que pode ser calculada por:
corrente zener íni a (  ). Esta condição li ita
$ ;‰ , 
o valor íni o da tensão de entrada e o valor
áxi o da resistência li itadora de corrente.
Co esta sua propriedade de tensão constante a
* O diodo zener se danifica caso a corrente que passa
grande aplicação do diodo Zener é de atuar co o
por ele seja aior que a corrente zener áxi a (),
regulador de tensão.
ou caso a potência dissipada por ele seja aior que
a potência zener áxi a ( 7)
â 
Ys principais especificações do diodo zener são: V  
          &
Õ  
     
    $ 
* ‰5: Tensão de condução na polarização direta     #           
* ‰ : Tensão Zener        
*  7: Corrente zener áxi a Diodo BZX79C6V2 - 0,5W - IZmin=5mA
*   : Corrente zener íni a (  ;27 7 s
* $ : Potência zener áxi a
Iz +
Os co ponentes fabricados pela Phillips recebe a Vz
Ve +
codificação ZX79, Z60, ZT03 e ZW03 de _
acordo co a $ < 0,5; 0,5; 3,25 e 6 W,
respectiva ente.
V          Ve 


O valor da tensão zener for a o restante do código.
   $      #   
Por exe plo u diodo co ‰ =5,6 teria o código
   RS        
ZX79C56 ou Z60C56.
    
Diodo BZT03C9V1 - 3,25W - IZmin=50mA
â '
 

!(
No circuito abaixo for ado por u diodo zener â '
 

!$'
polarizado reversa ente pela fonte E e u resistor
Ys quatro aplicações básicas dos reguladores de
li itador de corrente, te os que:
tensão, são as seguintes:
‰;" , =‰
s
* Estabilizar u a tensão de saída para u a carga
fixa a partir de u a tensão constante.
Iz + * Estabilizar u a tensão de saída para u a carga
+ Vz variável a partir de u a tensão constante.
Ve _
* Estabilizar u a tensão de saída para u a carga
fixa a partir de u a tensão co ripple.
* Estabilizar u a tensão de saída para u a carga
Y tensão ‰ per anece constante para correntes entre variável a partir de u a tensão co ripple.
   e  7. Podendo o diodo ser substituído pelo seu
odelo ideal. O pri eiro caso seria o ais si ples, por exe plo, se
desejásse os ali entar u aparelho de 4,5  a partir

Página 9
c  
 

    


de u a bateria de 12 . O últi o caso é o ais geral, * r          


geral ente o encontrado nas fontes de tensão co   
filtros capacitivos. 
V   !  ' G   ,   
asica ente, o projeto de u regulador de tensão co       
 /  
  —  
carga consiste no cálculo da resistência li itadora de          $ 
corrente " conhecendose as de ais variáveis do   
   +-01*+1
/ )
circuito:
* Tensão de entrada (constante ou co ripple) V   1         G    
* Carga (fixa ou variável) #   
   — 
* Tensão de saída esperada               
* Especificações do diodo zener          )    
+-01*r
/ )
s

Is â %#


(
+
arga +
Ve + Vz  V O diodo zener ainda será bastante explorado e
_ _ conjunto co outros dispositivos, tais co o
Iz I transistores e a plificadores operacionais. Sozinho,
ele ainda pode ser utilizado co circuito li itador
Equações funda entais: duplo ou co o referência para fontes co vários
níveis de tensão (figuras abaixo).
 ; = ‰ ;‰;",
‰;" , =‰ 

V       RS       
           
   
               ,Õ 
  
!
   -
!
- )

'   .    RS $      
     
* r  #      $ 
  RS
* r        $ 
#  RS
*      $      RS
   $  
* r          
  

V                
       !Õ     
 —      #        $ 
     

   


  RS           
      

'   .    RS $      
         
$      
* r  #      $ 
    RS. )   # 
  $ #   VE
* r        $ 
#    RS. )    
  $    VE
*      $      RS
   $  
Página 10