You are on page 1of 100

n.° 34 · 2.º trimestre de 2018 · ano 9 · 9.00 € · trimestral · ISSN 1647-6255 · www.renovaveismagazine.

pt · Diretor: Amadeu Borges

34 34

n.° 34 · 2.º trimestre de 2018 · ano 9

dossier solar fotovoltaico na Administração Pública


› o caso da Universidade de�Trás-os-Montes e Alto Douro › energia fotovoltaica na�Administração Pública em Cabo Verde
› parque fotovoltaico no Hospital de Santa Maria › o papel da Certificação Energética e da Regulamentação
› PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade na�Eficiência Energética
e Eficiência no�Uso de Recursos › solar fotovoltaico na�Administração Pública
FICHA TÉCNICA
renováveis magazine 34
2.º trimestre de 2018

Diretor
Amadeu Borges
amadeub@utad.pt
Corpo Editorial
Diretor Comercial: Júlio Almeida
T. +351 225 899 626
renováveis magazine
revista técnico-profissional de energias renováveis
j.almeida@renovaveismagazine.pt
Redação: Helena Paulino
André Manuel Mendes
Tel.: +351 220 933 964
redacao@renovaveismagazine.pt

Design
Daniel Dias
2 editorial reportagem
Webdesign 54 Rittal apresenta o VX25, um sistema
Ana Pereira  anutenção, requalificação e fontes de energia
m
a.pereira@cie-comunicacao.pt renovável para a melhoria da eficiência de armários “mais do que perfeito”
Assinaturas energética nos edifícios públicos 58 EPLAN e Cideon abriram as portas virtuais
T. +351 220 104 872
assinaturas@engebook.com
60 n o mundo da deteção automática
4 espaço APESF com a Steinel
www.engebook.com
ultrapassar barreiras
Conselho Redatorial
Alexandre Fernandes (ISEG) informação técnico-comercial
Álvaro Rodrigues (FEUP/INEGI) 6 espaço CBE 62 AS Solar Ibérica de S.E.A.: o que nos trará
Ana Estanqueiro (LNEG)
António Joyce (LNEG) c ertificação de biocombustíveis sólidos o futuro imediato da energia fotovoltaica?
António Sá da Costa (APREN) mediterrâneos BIOMASUD®
António Lobo Gonçalves (EDP RENOVÁVEIS)
64 B
 resimar Automação: Fuji Electric tem
João Abel Peças Lopes (FEUP/Inesc) disponível uma solução para bombagem solar
João Bernardo (DGEG) 8 espaço LNEG de elevado rendimento
Joaquim Borges Gouveia (UA)
José Carlos Quadrado (ISEL) o solar fotovoltaico na Administração Pública 66 Z
 ehnder Group Ibérica Indoor Climate:
Nuno Moreira (UTAD)
estudo indica quais os hábitos de conforto
Maria Teresa Ponce Leão (FEUP/LNEG)
Rui Castro (IST)
10 renováveis na lusofonia em casa
Colaboração
 rograma comunitário de acesso a energias
p 68 M
 &M Engenharia Industrial: ligação: engenharia
Amadeu Borges, António Joyce, renováveis – Bambadinca Sta Claro digital do futuro
Nuno Jorge, Claudino Mendes,
Alexsandro Baptista, João Correia Bernardo, 69 c aixa de contador EB_BOX ECCE
Jorge Borges de Araújo, Gerhard Meyer, 14 notícias
– QUITÉRIOS
Josep Castellà, José Ramón Ferrer,
Andre Brand, Andreas Weichelt, 26 dossier sobre solar fotovoltaico 70 V
 iessmann lança packs de energia solar
Carlos Coutinho, João Graça Gomes
e André Manuel Mendes na Administração Pública fotovoltaica com bomba de calor
27 o
 caso da Universidade de Trás‑os‑Montes 72 Phoenix Contact: tecnologia PLCnext
Tiragem
5000 Exemplares e Alto Douro 74 L usoMatrix – Novas Tecnologias de
30 parque fotovoltaico no Hospital de Santa Maria Electrónica Profissional: TDK-Lambda
Periodicidade
Trimestral 34 PO SEUR – Programa Operacional – novidades
Redação e Edição
Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos
76 QKSOL – Energy Solutions: casa mais
CIE – Comunicação e Imprensa Especializada, Lda.® 36 energia fotovoltaica na Administração Pública
Grupo Publindústria inteligente com a nova app da Smappee
em Cabo Verde
Tel.: +351 225 899 626/8 . Fax: +351 225 899 629 78 INOVASENSE – Automação, Energia
geral@cie-comunicacao.pt . www.cie-comunicacao.pt 40 o papel da Certificação Energética e da
Regulamentação na Eficiência Energética e Visão Artificial: sobretensões:
Conselho de Administração 43 solar fotovoltaico na Administração Pública uma causa subestimada de danos
Júlio Almeida, António Malheiro
e Publindústria – Produção de Comunicação, Lda. 80 W
 eidmüller – Sistemas de Interface:
44 nota técnica avançar para uma maior rentabilidade
Propriedade
Publindústria – Produção de Comunicação, Lda. os três pilares da transição energética e um menor risco
Empresa Jornalística Registo n.º 243 163
81 Rittal com novo sistema de armários VX25
Praça da Corujeira, 38 . Apartado 3825
4300-144 Porto case study
Tel.: +351 225 899 620 . Fax: +351 225 899 629 46 analisadores de rede da Weidmüller 82 produtos e tecnologias
Publicação Periódica 49 como escolher a solução correta para a
Registo n.º 125808 monitorização da condição em turbinas eólicas 94 bibliografia
Depósito Legal: 305733/10
ISSN: 1647-6255 50 inimigos do fotovoltaico: o hotspot
52 ventilação de alta eficiência numa casa passiva 96 links
INPI
Registo n.º 452220

Impressão e Acabamento
acd print www.renovaveismagazine.pt
Rua Marquesa d´Alorna, 12 A | Bons Dias
Aceda ao link através
2620-271 Ramada
deste QR Code

Os artigos assinados são da exclusiva /renovaveismagazine


responsabilidade dos seus autores.

Estatuto Editorial disponível em


www.renovaveismagazine.pt 1
editorial

manutenção, requalificação
e fontes de energia
renovável para a melhoria
da eficiência energética
nos edifícios públicos
Amadeu Borges Numa altura em que os temas da melhoria da eficiência energética e do recurso às fontes renováveis
Diretor de energia fazem notícia diariamente, não será difícil encontrar edifícios da Administração Pública Cen-
tral, mesmo para os mais distraídos, com sistemas e comportamentos de reduzida eficiência energética.

Desde que Portugal passou a pertencer a uma corrente do Estado iria apresentar uma grande
Europa em comunidade, o investimento em redução. Nesta altura poderia escrever sobre Produzir eletricidade,
novos edifícios passou a ser a primeira opção. a Intensidade Energética de Portugal em com‑ para autoconsumo, nos edifícios
Tempos houve em que haveria capacidade de paração com os restantes países da Comu‑ da Administração Pública, recorrendo
investimento para a construção de raiz, não nidade Europeia e que a mesma, num curto a sistemas fotovoltaicos, contribui
existindo essa mesma capacidade de investi‑ espaço de tempo, poderia ser reduzida se para para a redução da fatura de energia
mento para a requalificação do edificado exis‑ tal houvesse vontade política. Acreditando na e das emissões de GEE, ao mesmo
tente. Talvez estes sejam tempos de mudança. possibilidade deste pensamento utópico, o tempo que é garantida alguma
Para a maioria das instituições, a capacidade Programa Operacional Sustentabilidade e Efi‑ independência dos preços
de investimento na requalificação é escassa e ciência no uso de Recursos (POSEUR), com crescentes no mercado
muitas vezes tão escassa que a manutenção mecanismos de apoio através de candidatura, de eletricidade. Trata-se
dos sistemas instalados é esquecida. vai certamente ajudar muitas instituições das de uma poupança ativa.
Obviamente, qualquer gestor coloca em pri‑ Administrações Local e Central, com falta de
meiro lugar o pagamento de salários, deixando capacidade de investimento, a melhorar a sua
o que sobra para o pagamento das despesas fatura energética, enquanto contribuem para no mercado de eletricidade. Trata-se de uma
correntes como água e energia. Na altura do a diminuição das emissões de Gases de Efeito poupança ativa.
pagamento destas despesas fundamentais para de Estufa (GEE). Outros mecanismos de apoio Num outro vértice do um mesmo problema
o funcionamento de qualquer instituição, facil‑ têm sido colocados à disposição das institui‑ estão as necessidades de energia térmica para
mente se percebe que se tratam de despesas ções através do P2020. aquecimento, que podem ser colmatadas com
sempre crescentes, mês após mês, ano após ano. Falando especificamente do Programa de sistemas baseados em biomassa. As vantagens
Não existem soluções milagrosas para colma‑ apoio para a melhoria da Eficiência Energética são, também, óbvias, para além da utilização de
tar estas despesas, havendo apenas dois cami‑ nos Edifícios da Administração Pública Cen‑ uma fonte de energia que, de forma escassa,
nhos e o de não gastar não é solução. Resta, tral promovido pelo POSEUR, os resultados tem sido aproveitada em Portugal.
apenas, a solução do consumo eficiente que só começam a ser visíveis, quer ao nível do inves‑ Estes são apenas dois exemplos em como a
será possível se houver investimento, embora timento, quer ao nível da redução no consumo melhoria da eficiência energética nos edifícios
alguma melhoria seja conseguida caso exista de energia e nas emissões de GEE associados. pode, também, garantir parte da sustentabili‑
alteração de comportamentos. Contudo, não A substituição de equipamentos obsoletos dade das instituições, contribuindo para a cria‑
será suficiente. por outros que se traduzam na manutenção ção de independência energética do exterior
Apesar dos tempos de retorno em medidas da qualidade de vida, ao mesmo tempo que e para a redução das emissões de GEE e da
de melhoria da eficiência energética serem, na é reduzido o consumo de energia, é a solu‑ intensidade energética.
maioria das situações, relativamente baixos, ção sempre mais evidente traduzindo-se, como Concluindo, sem investimento na manuten‑
graças ao preço elevado da energia, o investi‑ é óbvio, numa redução, muitas vezes quase ção e na requalificação de edifícios e de siste‑
mento inicial torna os investimentos em gran‑ imediata, da fatura de energia. Contudo, o mas, muito dificilmente Portugal poderá estar
des edifícios quase proibitivos. Nesta situação conjunto de medidas que poderá ser mais inte‑ de consciência tranquila no que respeita ao
encontram-se muitos edifícios da Administra‑ ressante é o que recorre à produção de ener‑ consumo eficiente de energia e às emissões de
ção Local e Central, cujas despesas são, na gia, seja elétrica ou térmica, a partir de fontes GEE. Os programas de apoio vão aparecendo
maioria dos casos, suportadas pelo Orçamento renováveis. e têm demonstrado capacidade de fazer o que
de Estado. Produzir eletricidade, para autoconsumo, já deveria ter sido iniciado há muito tempo.
Não será fácil adivinhar quanto seria necessá‑ nos edifícios da Administração Pública, recor‑ É necessário continuar e manter os programas
rio investir no parque edificado do Estado para rendo a sistemas fotovoltaicos, contribui para de financiamento ativos: embora não sejam
que o consumo de energia fosse o estritamente a redução da fatura de energia e das emissões programas a fundo perdido, os investimentos
necessário e realizado de forma eficiente. Mas, de GEE, ao mesmo tempo que é garantida realizados são amortizados pelas poupanças
certamente, dentro de poucos anos, a despesa alguma independência dos preços crescentes produzidas ao longo do tempo.

2
PUB.
espaço apesf

SOLAR FOTOVOLTAICO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA


ultrapassar barreiras

Nos últimos anos foram identificados inúmeros projetos no setor público com um
alto potencial de poupança energética, nomeadamente por municípios, agências de
energia, ESCOs (ou E’se’s), seja numa base voluntária ou como resultado da imple-
mentação de políticas nacionais ou da EU relativas à poupança de energia. Uma
parte relevante tem falhado consistentemente, não chegando a sair do papel, pois
Associação Portuguesa
das Empresas do Sector tem pela frente duas grandes barreiras há muito identificadas e que comprometem
Fotovoltaico a sua implementação:
1. Fontes de financiamento limitadas, por via da falta de escala dos projetos, assim
Tel.: +351 968 148 451
info@apesf � www.apesf.pt incapazes de atrair investidores profissionais ou da falta dos mecanismos e finan‑
ciamento adequados à sua dimensão;
2. Especificidades da contratação pública, com condições restritivas e dispendiosas,
impedindo ou atrasando todo o processo concursal.

Embora os projetos consigam ser muito interessantes do ponto de vista económico


e do retorno do investimento, normalmente não chegam a ser mais do que uma parte
de um plano de ação. Em Portugal, diversas agências de energia e municípios identifi‑
caram vários projetos de eficiência energética prometedores, entre os 50 000 € e os
2M €, que não têm conseguido implementar.
A implementação de geração de energia fotovoltaica, além de ser uma ação de
desenvolvimento sustentável, contribui para a otimização dos gastos públicos. A for‑
mulação de políticas públicas capazes de incentivar e viabilizar projetos através da
geração da energia fotovoltaica revela-se totalmente viável, sustentável e de fácil repli‑
cabilidade, podendo servir de exemplo a outros Municípios e órgãos públicos, bem
como à sociedade civil.
Foi lançada no mês passado uma ferramenta que facilita o desenvolvimento deste A implementação
tipo de projetos na Administração Pública, com o objetivo de disponibilizá-los para de geração de energia
financiamento, incluindo a elaboração de todo o projeto de execução. O Ponto Ener‑ fotovoltaica, além
gia (www.pontoenergia.pt) é um balcão único para a implementação de projetos de de ser uma ação
eficiência energética em qualquer estado de desenvolvimento, reunindo na mesma de desenvolvimento
plataforma organizações privadas e públicas com projetos de eficiência, empresas de sustentável, contribui
serviços e de consultoria, eficiência e renováveis, e por fim organizações especializadas para a otimização
em financiamento de projetos. Este projeto, financiado pela Comissão Europeia atra‑ dos gastos públicos.
vés do programa H2020 é coordenado por uma empresa associada da APESF, espe‑
cializada em empréstimos colaborativos para energia sustentável. O projeto envolve as
Agências de Energia de Porto, Gaia, Almada e Arrábida, a Câmara Municipal de Cas‑
cais, a SRSS Legal para dar apoio no enquadramento da contratação, e a Eupportunity.
Tem como objetivo ser a ponte facilitadora entre todos os agentes e levar a investi‑
mento mais de 50 M€ de projetos já identificados, pretendendo também alargar a sua
atividade a todos os potenciais beneficiários – proprietários dos edifícios e Adminis‑
tração Pública (que recebem o necessário apoio no processo), instaladores e ESCOs
que acedem a novas oportunidades de negócio e investidores que têm acesso ao
investimento em projetos (ou portefólios) previamente validados por esta plataforma.
Portugal propôs-se atingir a neutralidade carbónica até 2050. É clara a aposta em
dotar os edifícios públicos de formas de consumo de energia limpa. Está a decorrer o
programa RNC2050 (o Roteiro para a Neutralidade Carbónica), que coloca Portugal na
linha da frente no contexto europeu no caminho para a descarbonização (https://descar‑
bonizar2050.pt/). Em diversas sessões já desenvolvidas e ainda a desenvolver, são explica‑
dos os objetivos do programa e o progresso do mesmo. Até outubro de 2018 prevê-se
a publicação de resultados do Roteiro, documento esse que estará acessível para con‑
sulta pública.
A procura de formas de produção e uso de energia limpa une duas áreas até agora
vistas como inconciliáveis: o ambiente e a economia. A tomada de consciência da des‑
carbonização já não se restringe apenas à esfera privada movida pela redução de cus‑
tos. A Administração Pública também compreendeu a sua importância vital para a
economia do país e preservação ambiental.

4
PUB.
espaço cbe

certificação de biocombustíveis sólidos


mediterrâneos BIOMASUD®
O desenvolvimento sustentável do mer-
cado de biomassa para o aquecimento
doméstico requer a implementação de sis-
temas de certificação de qualidade de bio-
combustíveis sólidos pelos produtores e
distribuidores de biomassa. Esta imple-
mentação traduz-se na comercialização de
biocombustíveis sólidos de qualidade cons-
tante, com ganhos quer a nível da eficiên-
cia dos equipamentos de aquecimento quer
a nível ambiental, oferecendo confiança e
uma garantia de qualidade ao consumidor
final.
O sistema de qualidade BIOMASUD® foi
CBE – Centro da Biomassa desenvolvido especificamente para biocom‑
para a Energia bustíveis sólidos, com um elevado potencial ou já comercializados nos mercados dos
Tel.: +351 239 532 436 países mediterrâneos. Atualmente, no âmbito do projeto H2020 BIOMASUD PLUS
teresa.almeida@ (http://biomasudplus.eu) estão a decorrer auditorias para a obtenção do selo de quali‑
centrodabiomassa.pt
www.centrodabiomassa.pt
dade e sustentabilidade BIOMASUD de biocombustíveis sólidos em empresas de Por‑
tugal, Espanha, Itália, Croácia, Eslovénia, Grécia e Turquia.
Em Portugal foi realizada a primeira auditoria piloto na empresa MARTOS & C.ª, loca‑
lizada na zona de Leiria. Esta empresa dedica-se à produção e comercialização de vários O sistema de qualidade
tipos de soluções em madeira (construção, paletes, pellets, entre outros). A sua ativi‑ BIOMASUD®
dade gera uma grande quantidade de subprodutos (estilha, serrim e casca), utilizados foi desenvolvido
como matéria-prima para pellets, em outras especificamente
indústrias da madeira ou para a produção de para biocombustíveis
energia. Atualmente, a quantidade de estilha sólidos, com um
produzida como biocombustível sólido para elevado potencial
aquecimento é ainda muito baixa, no entanto, ou já comercializados
a empresa espera, a curto prazo, um cresci‑ nos mercados dos
mento deste mercado nos setores domés‑ países mediterrâneos.
tico e de serviços, daí o seu interesse no selo
Biomasud®.
A visita às instalações da MARTOS ocor‑
reu no dia 14 de março, sob a condução de
uma equipa de inspetores da SGS. Paralela‑
mente procedeu-se à caraterização físico-quí‑
mica da estilha no Laboratório Especializado
de Biocombustíveis Sólidos do CBE (LEBS.
CBE), com o objetivo de verificar o cumpri‑
mento das especificações definidas no sis‑
tema de certificação BIOMASUD. Com base,
quer nas condições encontradas na empresa,
quer nas caraterísticas do biocombustível, a
MARTOS encontra-se em condições de cumprir os requisitos do sistema de certificação
de qualidade e sustentabilidade BIOMASUD para a estilha de madeira.
O projeto BIOMASUD PLUS: Developing the sustainable market of residential Medi-
terranean solid biofuels é apoiado pelo programa europeu Horizonte 2020. É consti‑
tuído por um consórcio internacional de 11 entidades, que combinam conhecimento
em áreas específicas: centros de investigação, associações nacionais de biomassa e
entidades de comunicação. Este projeto está em desenvolvimento desde 1 de janeiro
de 2016, tem um orçamento de 1971 610,00 € e a sua finalização está prevista para
dezembro de 2018.

6
PUB.
espaço lneg

o solar fotovoltaico na Administração Pública


A energia solar é um dos principais pilares das renová-
veis na produção de energia elétrica em todo o Mundo e, Em instituições ligadas à Administração Central,
em particular, em países como o nosso em que o recurso como por exemplo as Escolas, os Hospitais,
solar é abundante. os Teatros, os Museus, assim como em todas
Com efeito, o fotovoltaico tem vindo a crescer a taxas as instituições militares, existe um grande
impressionantes e em 2017 atingiram-se os 400 GWp ins‑ potencial para centros autoprodutores
talados em todo o mundo, como se pode ver na Figura 1 de energia elétrica a partir de sistemas
retirada do Relatório “2018 snapshot of global photovol- fotovoltaicos, o qual está ainda por aproveitar.
taic markets” [1] do Technology Collaboration Programme, da
Agência Internacional de Energia, Photovoltaic Power Systems
(PVPS), onde Portugal está representado através do LNEG. Neste âmbito, a instalação de sistemas fotovoltaicos
António Joyce
em edifícios da Administração Pública pode ter um papel
Investigador Principal importante, quer para ajudar a descarbonizar o País quer
e Responsável da
do ponto de vista de dar o exemplo e proporcionar um
área de Energia Solar
do LNEG
melhor conhecimento geral das potencialidades dos siste‑
mas fotovoltaicos.
Tel.: + 351 210 924 600/1
info@lneg.pt
Em instituições ligadas à Administração Central, como
www.lneg.pt por exemplo as Escolas, os Hospitais, os Teatros, os Museus,
assim como em todas as instituições militares, existe um
grande potencial para centros autoprodutores de energia
elétrica a partir de sistemas fotovoltaicos, o qual está ainda
por aproveitar.
O programa ECO.AP (www.pnaee.pt/eco-ap), lançado
em 2011, promove a utilização de energias renováveis,
nomeadamente de sistemas fotovoltaicos, para autocon‑
sumo nas infraestruturas públicas já existentes da Adminis‑
tração Central do Estado.
Figura 1 Potência fotovoltaica instalada em todo o mundo (valores cumu- O mesmo se passa ao nível das instituições ligadas à
lativos) [1]. Administração Local como por exemplo as instalações das
Câmaras Municipais e das Juntas de Freguesia e os Quar‑
téis de Bombeiros.
O Solar Fotovoltaico, com a sua modularidade que lhe Urge, por isso, aproveitar este potencial implementando
confere uma amplitude de aplicações que vão desde o este tipo de instalações, criando ao mesmo tempo padrões
pequeno sistema de 200 W até às grandes instalações cen‑ de qualidade que deverão ser sempre o modelo da Adminis‑
tralizadas, que hoje já entraram na gama dos GW, e com tração Pública. Ao fazê-lo, estão-se a dar sinais muito impor‑
um dos mais baixos custos de eletricidade produzida (a par‑ tantes para o mercado e a permitir a criação de empresas e
tir de 2018 o fotovoltaico poderá ter custos de eletricidade de novos postos de trabalho envolvidos, no projeto, na ins‑
produzida abaixo dos 2,6 cêntimos de € por kWh [2]), é talação e na manutenção de sistemas fotovoltaicos.
atualmente o setor das renováveis mais dinâmico. A título de exemplo pode referir-se a estratégia que
A par das grandes instalações fotovoltaicas, que cor‑ tem vindo a ser seguida pelo IAPMEI no sentido de insta‑
respondem ao paradigma em que a energia e, nomeada‑ lar sistemas fotovoltaicos no Campus do Lumiar em Lisboa.
mente, a energia elétrica é produzida em centrais e depois
transmitida e distribuída até chegar aos locais de consumo,
tem havido recentemente um aumento considerável das
instalações em edifícios de caraterísticas eminentemente
distribuídas.
Na Figura 2, extraída do Relatório já citado, pode ver-se
claramente, no último ano, este aumento das instalações
fotovoltaicas em coberturas de edifícios.
A instalação destes sistemas em edifícios conduz à
mudança de paradigma da produção centralizada para a
produção descentralizada, e à associação da produção ao
consumo local da energia. Na maioria das vezes associadas à
instalação de fotovoltaicos em edifícios começam também a
aparecer novos modelos de mercado para o setor elétrico
como o de Produtor/Consumidor (Prosumers), ou da troca Figura 2 Potência fotovoltaica instalada de acordo com o tipo de insta-
de energia elétrica entre parceiros (Peer to Peer). lação em todo o mundo (valores anuais) [1].

8
PUB.
Efetivamente ficarão instalados neste Campus até ao final de 2018 [3],
um total de um pouco mais de 600 kW que vão desde o pequeno
sistema de 5,2 kW da Portaria do Campus até ao mais recente sis‑
tema de 200 kW para sombreamento do parque de estacionamento
dos Edifícios R e S, representado na Figura 3, passando pelo sistema
da cobertura do refeitório do Campus representado na Figura 4 e
pelos sistemas já instalados ou a concluir a sua instalação, nas cober‑
turas da quase totalidade dos edifícios do Campus.
De referir que neste Campus foram anteriormente (2005) insta‑
lados os sistemas fotovoltaicos associados ao Edifício Solar XXI do
LNEG, edifício de balanço de energia quase nulo (Nearly Zero Energy
Building), pioneiro em Portugal da integração de sistemas fotovoltai‑
cos em Edifícios.

Figura 3 Sistema fotovoltaico de sombreamento do parque de estacionamento dos


Edifícios R e S do Campus do Lumiar com 200 kW[3].

Figura 4 Sistema fotovoltaico da cobertura do refeitório do Campus do Lumiar com


aproximadamente 50 kW[3].

Bibliografia
[1] “2018 snapshot of global photovoltaic markets” do Technology Col‑
laboration Programme “Photovoltaic Power Systems da International
Energy Agency” (Fevereiro 2018). www.iea-pvps.org.
[2] IRENA (2018), Renewable Power Generation Costs in 2017, Interna-
tional Renewable Energy Agency, Abu Dhabi.
[3] Dados e Imagens das instalações Fotovoltaicas no Campus do
Lumiar fornecidos pelo IAPMEI.

9
renováveis na lusofonia

programa comunitário de acesso a energias


renováveis – Bambadinca Sta Claro1
A TESE, Organização Não País: Guiné-Bissau
Governamental para o
Desenvolvimento, privilegia o Projeto: Programa Comunitário
trabalho colaborativo e par‑ de Acesso a Energia Renovável de
cerias intersetoriais (Setor Bambadinca – “Bambadinca Sta Claro”
www.aler-renovaveis.org
Público/Estado, Associações
Comunitárias Locais e Setor Privado) para a criação e Modelo de operação Utility
implementação de respostas inovadoras que melhor pro‑
movem o desenvolvimento social, a igualdade de oportuni‑
dades e a qualidade de vida.
O crescente volume de trabalho e o reconhecimento pela Este contexto, com a existência de um enquadramento
sua intervenção permitiu consolidar a sua posição como refe‑ organizacional específico em Bambadinca (Associação
rência em Portugal, Angola, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Comunitária de Desenvolvimento de Bambadinca), bem
Guiné-Bissau e Moçambique nas áreas do Emprego e Empre‑ como de vontade política de avaliar o potencial de viabi‑
gabilidade, Água, Saneamento, Energia e Gestão de Resíduos. lidade de soluções off-grid, criou as condições para a cria‑
ção do Serviço Comunitário de Energia de Bambadinca.

Sumário do Projeto
No âmbito do Programa Comunitário de Acesso a Ener‑ Informação geral
gia Renovável de Bambadinca – “Bambadinca Sta Claro”,
uma mini-rede foi construída na vila de Bambadinca, tendo Localização Bambadinca, Região de Bafatá, Guiné-Bissau
sido desenvolvido e implementado o modelo de gestão Promotor do Projeto TESE – Associação para
para garantir o eficiente e sustentável funcionamento da o Desenvolvimento
mesma, bem como desenvolvida uma campanha de sen‑
Datas do Projeto outubro de 2011 a julho de 2015
sibilização para o uso eficiente e seguro de energia, e de
iniciativas de pagamento do contrato de ligação. Beneficiários 630 agregados familiares (AF)
Com o financiamento da União Europeia (ACP-EU de Bambadinca
Energy Facility), Cooperação Portuguesa (CICL), Facilidade 84 comerciantes de Bambadinca
16 instituições de Bambadinca (Centro
Ambiental Global (GEF), Organização das Nações Uni‑ de Saúde, Missão Católica, Escolas,
das para o Desenvolvimento (UNIDO) e Centro para as Mesquitas, Quartel e Polícia)
Energias Renováveis e Eficiência Energética da CEDEAO
Custo do Projeto 2190 724 €
(ECREEE), o projeto foi implementado entre 2011 e 2015,
tendo a micro-rede começado a operar em pleno em 2015. Parceiros do Projeto ACDB – Associação Comunitária de
Desenvolvimento de Bambadinca
DIVUTEC – Associação Guineense de
Estudos e Divulgação das Tecnologias
Contexto Apropriadas
Bambadinca, região de Bafatá, tem uma população de 6437 FCUL – Faculdade de Ciências da
habitantes. Até 2007 era abastecida por grupos diesel ins‑ Universidade de Lisboa
talados em Bafatá, que entretanto se tornaram obsoletos e DGE – Direção Geral de Energia (Guiné-
Bissau)
a rede de alta tensão foi furtada. Posteriormente, um gera‑
Ateliers de arquitetura Pedro Novo e AP.art
dor privado começou a fornecer eletricidade a cerca de 60
clientes, entre pequenos negócios e casas particulares.
Assim, 95% da população de Bambadinca não tinha qual‑
quer acesso a fontes de energia elétrica, situação igualmente Enquadramento Político e Regulatório
deficitária ao nível das microempresas de comércio (80%). Desde 2007 que existe uma política, uma estratégia e um
As principais fontes de energia substitutas eram as velas programa para o setor da energia. Os termos legais e regu‑
(96,27%) e pilhas (98,60%). A falta de acesso a fontes alter‑ lamentares são estabelecidos no Decreto-Lei n.º 2/2007
nativas de energia e os tipos de energia consumidos impli‑ e Decreto-Lei n.º 3/2007, que definem o quadro regula‑
cavam que o peso do consumo de energia no orçamento mentar para os sistemas descentralizados de gestão de
familiar era muito elevado, ascendendo em média a 24% energia, reconhecendo o papel das associações de base e
do rendimento. os stakeholders relevantes na prestação deste serviço e as
instituições do setor.
Por outro lado, como Estado membro da CEDEAO, a
Guiné-Bissau rege-se pela política energética comum que
1
“Bambadinca está iluminado” em crioulo da Guiné-Bissau. estabelece como objetivo global, atingir o acesso sustentável

10
PUB.
a serviços energéticos em 2030. Neste sentido, o país desenvolveu
o Plano de Ação Nacional para as Energias Renováveis (PANER),
o Plano de Ação Nacional para a Eficiência Energética (PANEE) e
a Agenda da Iniciativa de Energia Sustentável para Todos (SE4ALL).
O Programa Comunitário de Acesso a Energia Renovável de Bamba‑
dinca – “Bambadinca Sta Claro” contribui para diversas metas estabe‑
lecidas neste, nomeadamente a meta para o subsetor da eletricidade
de ter pelo menos 80% da população em 2030.

Tecnologia
Overview
A central fotovoltaica de Bambadinca é uma Central Fotovoltaica
Híbrida (CFH) pois considera como backup a utilização de um gera‑
dor diesel. A CFH tem tido, mesmo em dias nublados, capacidade de
resposta ao consumo apresentado, daí que a utilização dos 3 gru‑
pos geradores a diesel tenha sido muito baixa (fins de manutenção
preventiva, essencialmente). A entrada destes é realizada automati‑
camente, recorrendo-se aos inversores bidirecionais “Mestre-dos-
-Mestres”. Para que a vida do banco de baterias possa ser longa, o
mesmo equipamento controla a sua profundidade de descarga, de
modo a que seja a menor possível. A CFH garante um fornecimento
de energia de 24 horas a Bambadinca com um consumo anual de
origem fotovoltaica a rondar os 300 MWh. O dimensionamento da
CFH decorreu de: i) Estudo de Caraterização Socioeconómica e do
Consumo Energético de Bambadinca; e, ii) Estudo de viabilidade.

Abordagem Tecnológica
A CFH tem uma potência de pico de 312 kWp, banco de baterias
de 1101 kWh (1,10 MWh), geradores a diesel de 240 kVA, inverso‑
res bidirecionais de 135 kW, armário multi-cluster e 3 saídas, sendo
duas em Média Tensão (MT). Os contadores instalados são Electri-
city Dispenser (monofásicos e trifásicos).

Figura 1 Vista (parcial) da instalação solar.

Figura 2 Banco de baterias e inversores bi-direcionais (vista parcial).

Modelo de Operação

Modelo de Gestão
A gestão da utility é sustentada por uma Parceria Público-Comuni-
tária (PPC), entre a ACDB – Associação Comunitária de Desenvol‑
vimento de Bambadinca e a Direção Geral de Energia (DGE). Nesta
renováveis na lusofonia
PROGRAMA COMUNITÁRIO DE ACESSO A ENERGIAS RENOVÁVEIS – BAMBADINCA STA CLARO

PPC foi desenvolvido o Modelo de Gestão Tripartido (Figura em baixo),


que define responsabilidades e direitos para a ACDB, DGE e líderes comu‑
nitários. É importante referir:
• A  PPC pretendeu responder aos constrangimentos e ambiente de
negócios da Guiné-Bissau, em que o setor privado é pouco dinâmico
e as associações comunitários proliferam;
• A ACDB geria desde 2002 o Serviço de Abastecimento de Água de
Bambadinca, tendo experiência em: i) prestação de serviços públicos;
ii) gestão, operação e manutenção de serviços numa ótica de recupe‑
ração dos custos de manutenção; e, iii) tecnologia solar fotovoltaica,
utilizada para a captação de água;
• Os líderes comunitários, fundamentais na consciencialização da popula‑
ção durante a fase de implementação do projeto, no pós-projeto tinham
responsabilidade na vigilância de ligações clandestinas, que contudo tem Figura 5 Pormenor do material de segurança energética.
sido eficazmente fiscalizada através da recolha de dados de consumo.

Dada a rotatividade da Direção Executiva subjacente à natureza de • B aseado no consumo de energia para garantir que o cliente paga
uma Associação, a Gestão, Operação e Manutenção (GOM) do Serviço pelo consumo e não por uma contratualização do serviço de energia;
de Energia foi delegada na unidade técnica, da ACDB, para a energia, o • Sistema tri-horário para otimizar o consumo de energia, tendo em
Serviço Comunitário de Energia de Bambadinca (SCEB). O SCEB é man‑ conta a arquitetura/produção da CFH. Assim, as 24 horas do dia
datado pela Direção da ACDB, mas tem autonomia de gestão e financeira foram divididas em 3 períodos, estando a cada período associado
da ACDB, a quem presta contas mensalmente. um preço (F CFA/kWh), que constitui um incentivo/desincentivo
A equipa do SCEB foi recrutada entre os habitantes de Bambadinca, económico e comportamental ao consumo;
através de concurso aberto, na sequência da implementação de diver- • Limitador de potência, para proteger os equipamentos e o cliente,
sas formações implementadas em Bambadinca que abrangeram todas as mas também para estabelecer máximos de potência contratada
áreas fundamentais à GOM da utility (entre outras, gestão administrativa e que permitem um maior planeamento do despacho de energia. Por
financeira, gestão comercial, manutenção de redes de baixa e média tensão, outro lado, o limitador de potência facilita o planeamento financeiro
geração solar de energia, técnicas de eletricidade e de ligação domiciliária). por parte do operador.
As metodologias de formação foram diversas por forma a maximizar a
apreensão, desde metodologias formais em sala a estágios na utility nacional. Respondendo aos princípios básicos para a definição da tarifa, estabe‑
Atualmente, o SCEB integra 12 técnicos que, desde julho de 2015, ope‑ lecidos participativamente, foi ainda definida a criação de dois escalões:
ram autónoma e eficazmente a micro-rede. escalão normal e escalão social. A atribuição do escalão social/normal é
automatizada, de acordo com a potência contratada, inviabilizando irreg‑
Preço e tarifas ularidades ou a má atribuição do acesso à tarifa social.
A definição da tarifa foi um processo longo que contou com três compo‑ Os valores definidos que contribuem apenas para a criação das
nentes fundamentais: i) Reuniões com a população de Bambadinca para a reservas necessárias à operação e à manutenção da mini-rede, não
definição dos princípios e modelos tarifários; ii) Sessões de trabalho com gerando lucro, foram apresentados à Direção Geral de Energia, cujos
a Direção da ACDB para a definição dos custos de operação (nomeada‑ comentários foram recolhidos e integrados, tendo posteriormente
mente, recursos humanos); e, iii) contratação de uma empresa de consul‑ homologadas à mesma, como apresentado abaixo.
toria para o desenvolvimento do modelo financeiro de definição da tarifa. Paralelamente foi desenvolvida a campanha de Promoção de Segu‑
O  modelo adotado foi o pré-pago baseado no consumo de energia, rança e Eficiência Energética, sendo apresentados em baixo pormenores
dependente do horário de consumo e com limitadores de potência, em que: dos materiais produzidos, através de imagens seriais, testadas inicial‑
• Pré-pagamento para garantir a flexibilidade na ótica do cliente e em mente junto dos grupos focais, em que se enfocavam os comportamen‑
concordância com as principais lições aprendidas de projetos similares; tos corretos a adotar.

Figura 4 Relação da grelha tarifária com uma curva de carga (projetada para o ano 4), evidenciando o incentivo económico ao consumo durante as horas de maior radicação.

12
PUB.
notícias

Weidmüller vence dois prémios ter o atual setor de produção de eletricidade.


German Innovation Award 2018 O Decreto-Lei 189/88 tinha, segundo a APREN
Weidmüller – Sistemas de Interface, S.A. - Associação Portuguesa de Energias Renová‑
Tel.: +351 214 459 191 � Fax: +351 214 455 871 veis, duas ver tentes: a ver tente política e a
weidmuller@weidmuller.pt � www.weidmuller.pt técnica. No que respeita à primeira, além da
abertura a privados do setor de produção deu‑
-se início à aposta (nos tempos modernos) em
fontes renováveis, face ao aumento considerá‑
vel que o consumo de eletricidade teve nessa
No primeiro dia de feira, a Tektónica contou altura. Inver teu-se, assim, o que tinha sido a
com a presença do Ministro das Infraestruturas norma desde o início dos anos 70: perda de
e Planeamento, Pedro Marques, que acentuou peso das fontes renováveis (então apenas a
a relevância da feira no panorama económico hídrica) no mix energético nacional, com um
das construções e obras públicas do país. Nas aumento das centrais fósseis.
palavras do Ministro, a Tektónica constitui “o A associação que representa as empresas reno‑
A  Weidmüller venceu o German Innovation momento alto de projeção e afirmação do setor” váveis reforça que nem sempre o consumidor
Award 2018 na categoria “Excellence in Business e é palco “de uma apresentação privilegiado percebe os ganhos que a produção de eletri‑
to Business”. O júri premiou a solução Industrial do que de melhor o país faz na construção, das cidade renovável está a trazer, pois estes dis‑
Analytics para análise de dados e manutenção melhores e mais recentes inovações desenvolvidas sipam-se nos outros custos que a fatura da
preditiva, e a campanha para o lançamento da em Portugal e tem uma importância económica eletricidade incorpora. Também não tem forma
nova linha de bornes Klippon Connect nas cate‑ significativa”. de perceber que, sem estas centrais renová‑
gorias “Conetividade” e “Máquinas e Engenharia”. Nos Prémios Tektónica, iniciativa que se rea‑ veis, a fatura mensal de eletricidade seria muito
A Industrial Analytics da Weidmüller estabeleceu liza desde 2010, Algeco, Ampere, CENFIC, ECP, maior.
uma solução para análise de dados, que pode Energie, Gosimat, Helexia, ISCTE, Mapei, Micro‑
ser utilizada para agilizar a mudança estrutural crete e Preceram foram distinguidos com o Pré‑
impulsionada pela digitalização. Para este fim, a mio Promotor Academia, enquanto Neoturf, J.
Weidmüller criou uma nova área de competên‑ Pinto leitão, S.A. e Jular Madeiras S.A. receberam Acordo entre SMA Solar e FF Solar
cia com um forte foco em Machine Learning e uma menção honrosa na categoria de Prémio para suporte de serviço técnico
Inteligência Artificial. Inovação, sendo que o grande vencedor dessa em Portugal
O German Innovation Award premeia produtos categoria foi a empresa Nuancevidente Unipes‑ SMA Solar Technology Portugal
e soluções de todos os setores que diferem das soal, Lda., pela criação do microcimento em rolo, Tel.: +351 212 387 860
soluções anteriores, particularmente em termos uma solução inovadora não só pelo material info@sma-portugal.com � www.sma-portugal.com
de centralização de utilizadores e valor agregado. como também pelo método de aplicação e uti‑
O facto de essas inovações não se centrarem lidade na reabilitação de edifícios. José António
apenas na digitalização refletiu-se no segundo Mateus de Brito foi distinguido com o Prémio
prémio da noite para o Klippon Connect. Esta Engenharia Tektónica pelo trabalho desenvol‑
não é a primeira vez que a Weidmüller ven‑ vido na área de Geotecnia, e o arquiteto Paulo
ceu um prémio na área da inovação. Em 2017 David recebeu o Prémio Arquitetura Tektónica,
a empresa ganhou o Top-100 Innovation Prize e pelo seu trabalho que lhe valeu várias distinções
o German Brand Award. O  German Innovation a nível internacional.
Award alcançou um resultado surpreendente
com mais de 650 inscrições no seu primeiro ano.
Cerca de 40% dos participantes competiram na
categoria “Excellence in Business to Consumer” e 30 anos de energias renováveis A 01 de julho de 2018 entrou em vigor o acordo
mais de 60% na categoria “Excellence in Business APREN que a SMA Solar Technology, AG e a FF Solar
to Business”. As submissões foram avaliadas com Tel.: +351 213 151 621 � Fax: +351 213 151 622 Energias Renováveis, Lda. firmaram recente‑
base nos seguintes critérios: nível de inovação, apren@apren.pt � www.apren.pt mente para proporcionar o suporte no âmbito
benefícios para o utilizador e qualidade/preço. do serviço técnico pós-venda a todos os clien‑
tes portugueses cujas instalações incluem equi‑
pamentos SMA.
Nos últimos anos, a SMA restruturou a sua pre‑
20.ª edição da Tektónica contou sença na Península Ibérica de forma a melho‑
com 30 656 visitantes rar a qualidade do serviço pós-venda. Por isso
apostou neste operador português com ampla
O setor da construção e obras públicas está a experiência no mercado fotovoltaico para que
crescer, e prova disso é o aumento do número seja Partner Oficial da SMA no Serviço Técnico.
de visitantes da Tektónica: mais 3000 visitantes Assim todas as solicitações de suporte técnico
em relação ao ano passado, num total de 30 656 Assinalou-se a 27 de maio, os 30 anos do pós-venda devem dirigir-se à FF Solar Energias
visitantes nos 4 dias do evento. A  21.ª edição Decreto-Lei 189/88 de 27 de maio, uma legis‑ Renováveis, Lda. Para isso, os clientes podem
da Tektónica irá realizar-se de 8 a 11 de maio lação que permitiu a aber tura da produção colocar-se em contacto através do número
de 2019, esperando-se um contínuo desenvolvi‑ elétrica ao setor privado em Portugal, tendo +351  282  094  779 ou do email sma-service‑
mento e prosperidade do setor. sido o primeiro passo para que o país pudesse -portugal@ffsolar.com.

14
notícias

EcoPlug aposta no par vencedor Neste catálogo, a CIRCUTOR oferece uma solu‑ Na base deste novo modelo está o já compro‑
Imeon – Pylontech para um sistema ção que simplifica e facilita o completo desen‑ vado Optidrive P2 que, com a integração do
de autoconsumo volvimento de uma aplicação para a gestão de algoritmo MPPT, assegura um funcionamento
QKSOL – Energy Solutions uma ou várias unidades fotovoltaicas, tanto local contínuo no ponto máximo de potência do
Tel.: +34 93 480 84 66 como remotamente. O  SCADA  de supervi‑ sistema. O  seu amplo intervalo de tensão de
info@qksol.com � www.qksol.com são está totalmente orientado para cumprir entrada permite o funcionamento entre os 345
com as necessidades de cada cliente. A  solu‑ e os 800 VDC em registo HV e entre os 185 e
ção SCADA da CIRCUTOR engloba os diferen‑ 410 VDC em registo LV, aumentando o tempo
tes aspetos a ter em conta para a supervisão de útil de funcionamento. Este variador permite
unidades fotovoltaicas, tanto a nível de software implementar 3 formas de controlar a função
como de hardware, uma vez que consta do forne‑ “WAKE UP/SLEEP”, obtendo assim um con‑
cimento de sensores e dispositivos de controlo, trolo total sobre o funcionamento do sistema.
juntamente com os armários rack para comuni‑ Por outro lado, o Optidrive P2 SOLAR PUMP
car todo o sistema com o software SCADA de DRIVE apresenta, de série, compatibilidade
supervisão. Deste modo, os clientes podem dis‑ com os protocolos Modbus RTU e CANopen
por de uma solução feita à medida capaz de cres‑ (podendo estas opções ser alargadas mediante
A  empresa portuguesa EcoPlug, especializada cer juntamente com as novas necessidades que interesse) e um controlador lógico programá‑
em eficiência energética, realizou recentemente, possam surgir sempre com o objetivo de realizar vel (PLC) interno que o converte na solução
e com sucesso, uma instalação de autoconsumo a melhor gestão possível da sua instalação. mais satisfatória para as aplicações mais exigen‑
onde instalou de um inversor híbrido trifásico tes. Ao utilizar as entradas digitais e analógicas, o
IMEON de 9,12 kW e baterias de lítio de Pylon‑ variador de frequência será, a todo o momento,
tech para garantir a acumulação até 12  kWh. conhecedor do estado do circuito de água, apli‑
A captação de energia solar realizou-se mediante INVERTEK DRIVES: bombagem cando portanto as ações preventivas necessárias
22 módulos fotovoltaicos da Luxor 260 Wp. solar com Optidrive P2 caso detete alguma falha na instalação. A INVER‑
A acumulação em baterias de lítio é, de facto, uma REIMAN, Lda. TEK lançou este modelo com classe de proteção
aposta atual e são cada vez mais, os particulares e Tel.: +351 229 618 090 � Fax: +351 229 618 001 IP20, IP55 e IP66, fazendo dele uma das solu‑
as empresas que querem aproveitar as suas van‑ comercial@reiman.pt � www.reiman.pt ções mais completas para a bombagem solar no
tagens para a redução da fatura energética. mercado.

CIRCUTOR com novo catálogo: Invólucros industriais


“Solução integral para supervisão ALPHA ENGENHARIA – Equipamentos e Soluções
de unidades fotovoltaicas” Industriais
CIRCUTOR, S.A. Tel.: +351 220 136 963 � Tlm.: +351 933 694 486
Tlm.: +351 912 382 971 � Fax: +351 226 181 072 info@alphaengenharia.pt � www.alphaengenharia.pt
www.circutor.com
A  bombagem solar alimentada com energia
solar fotovoltaica confirmou-se como uma das
formas mais equilibradas e sustentáveis de asse‑
gurar o abastecimento de água, quer para fins
de consumo humano, animal ou para sistemas
de rega, em grande medida porque a solução
energética conta com a fonte da energia no local
onde é sentida essa necessidade. A disponibili‑
dade da luz solar faz com que esta tecnologia
seja bastante apetecível e a evolução tecnoló‑ Os invólucros industriais do fabricante Bernstein
A  CIRCUTOR publicou o seu novo catálogo gica atual está cada vez mais em sintonia com o são adequados para encapsular componentes
dedicado à Supervisão Global da Unidade Foto‑ crescente investimento no aproveitamento das elétricos, eletrónicos, pneumáticos ou pequenas
voltaica. Atualmente a energia fotovoltaica é uma energias limpas e renováveis. unidades de controlo. Oferecendo uma elevada
das fontes renováveis mais económicas. A cons‑ A  INVERTEK DRIVES dispõe de um variador resistência ao impacto e uma classe de proteção
tante subida do preço da energia elétrica jun‑ de frequência particularmente dedicado a siste‑ IP66, IP68 ou IP69k. Os invólucros industriais da
tamente com a otimização nos preços dos mas fotovoltaicos de bombagem solar isolados Bernstein podem ser em alumínio, poliéster refor‑
elementos que integram um parque fotovoltaico (offgrid) e compatível com motores de indução, çado com fibra de vidro, ABS ou policarbonato.
está a gerar um aumento direto do investimento de ímanes permanentes, síncronos de relutân‑ Todos os invólucros industriais estão disponíveis
nestes sistemas. Por isso a potência média ins‑ cia e de corrente contínua sem escovas. Desta com diferentes tipos de vedações; soluções de
talada nas unidades de nova geração está a forma, qualquer instalação fotovoltaica pode, por abertura e montagem ajustadas às suas especi‑
aumentar diariamente, necessitando de sistemas estar distante da rede elétrica comercial, ou por ficações. Para além disso, com o serviço de cus‑
capazes de supervisionar e gerir as instalações questões de economia de recursos, assegurar tomização da Bernstein, todos os invólucros
de forma permanente e interagir com todos os o fornecimento de água para suprir necessida‑ industriais podem ser personalizados na maqui‑
seus elementos, assegurando o seu ótimo rendi‑ des básicas ou abastecer uma unidade produtiva nagem, na serigrafia e na pintura para responder
mento, tanto técnico como económico. com água de rega. às necessidades da sua aplicação e design.

15
notícias

Techman Robot Day: venha conhecer de produção anual superior a 26 GWh.


os robots colaborativos no dia 20 A empresa portuguesa foi escolhida pela D’E
de setembro na F.Fonseca Capital, após um concurso bastante compe‑
F.Fonseca, S.A. titivo no qual foram apresentadas 8 propos‑
Tel.: +351 234 303 900 � Fax: +351 234 303 910 tas, incluindo o fornecimento de serviços de
ffonseca@ffonseca.com � www.ffonseca.com engenharia, design, procurement, construção,
/FFonseca.SA.Solucoes.de.Vanguarda comissionamento e garantia de máquinas e
equipamentos elétricos, em regime de EPC
completo. A  D’E Capital é uma companhia
chilena que se dedica a investir no desenvol‑ atuadores para um feedback tátil. Até agora, o
vimento e construção de projetos de energias portefólio da RUTRONIK incluía indutores TDK,
renováveis, com mais de 40 anos de experiên‑ MLCCs e sensores TMR, bem como sensores
cia na construção e operação de projetos de Hall da marca Micronas da TDK e fontes de ali‑
geração e transmissão de energia que totali‑ mentação da TDK-Lambda. Os principais merca‑
zam mais de 2500 MW no Chile, sendo por dos-alvo são o industrial, automóvel e IoT.
isso um dos investidores privados mais expe‑
rientes no mercado elétrico chileno.
Sempre atentos às tendências de mercado e às
tecnologias de vanguarda, na F.Fonseca reconhe‑ ABB Ability™ para inovador táxi
cem que é crucial acrescentar o seu portefólio aquático elétrico
de robots tradicionais com a sua vertente cola‑ ABB, S.A.
borativa, sabendo que uma não iria substituir a Tel.: +351 214 256 000 � Fax: +351 214 256 247
outra. Os robots colaborativos são adequados a comunicacao-corporativa@pt.abb.com � www.abb.pt
diferentes aplicações, sendo esta a diversidade
que pretendem demonstrar e que sentem, téc‑ Com um design futurista o táxi aquático de
nica e comercialmente, preparados para melhor emissão zero, chamado SeaBubbles, foi apre‑
aconselharem os seus clientes. sentado com sucesso no Lago de Genebra,
Após uma avaliação criteriosa das funcionalida‑ Localizado a 80 km a sul de Santiago, na região na Suíça. O  veículo representa um marco no
des e requisitos de qualidade, que desde sempre de O’Higgins, o parque solar La Blanquina ocupa desenvolvimento de novas formas de trans‑
regeu a F.Fonseca, selecionaram a Techman Robot uma área de cerca de 20 hectares e vai produzir por te que não impactam o meio ambiente
– uma marca de robots colaborativos em quem o equivalente à energia consumida por mais de nem sobrecarregam a infraestrutura urbana.
confiam e com provas dadas assentes em três 9 mil lares do Chile anualmente. Com este pro‑ O táxi aquático será equipado em breve com
pontos fundamentais: inteligência, simplicidade e jeto, a Efacec reforça o seu posicionamento no o sistema ABB AbilityTM Marine Advisory System –
segurança. A Techman Robot pensa, cria e produz mercado solar no Chile, aumentando para quase OCTOPUS, uma solução de software que ajuda
robots colaborativos equipados com um sistema 70 MW a sua potência instalada no país. A área os operadores de navios a recolher e anali‑
de visão único sendo os primeiros robots colabo‑ das energias renováveis da Efacec conta com sar todos os dados relevantes para otimizar o
rativos do mundo com visão artificial integrada! uma sólida experiência internacional no desen‑ transporte marítimo.
No dia 20 de setembro venha conhecer as volvimento de projetos para sistemas solares, O desenvolvimento da embarcação de demons‑
potencialidades e as diferentes aplicações des‑ incluindo autoconsumo, sistemas híbridos e par‑ tração foi apoiado pelas autoridades cantonais
tes robots colaborativos, os também chamados ques de grande escala em regime chave-na-mão, de Genebra e pelo Departamento de Energia,
de cobots. Compreenda melhor quando e como trabalhando diariamente para antecipar soluções Transporte e Agricultura (DETA), representado
esta nova tecnologia pode ser usada na cola‑ para um mundo mais sustentável. pelos Conselheiros de Estado, Luc Barthassat
boração homem-máquina, demarcando-se de e Pierre Maudet, com base na tecnologia da
um ambiente de trabalho confuso, perigoso e ABB. Nos próximos meses novos testes serão
stressante, com resultados ao nível da eficiên‑ realizados.
cia e produção muito mais competitivos, sempre RUTRONIK expande contrato
em colaboração com o seu operador. Inscreva‑ de distribuição europeu com a TDK
-se até dia 14 de setembro em www.ffonseca. RUTRONIK Elektronische Bauelemente GmbH
com/tmrobotday. Tel.: +351 252 312 336 � Fax: +351 252 312 338
rutronik_pt@rutronik.com � www.rutronik.com

A  RUTRONIK Elektronische Bauelemente


Efacec constrói central de energia GmbH e a TDK Europe GmbH expandiram sig‑
solar no Chile nificativamente o seu contrato de distribuição
Efacec Power Solutions, SGPS. S.A. para o mercado europeu. Em adição às mar‑
Tel.: +351 229 562 300 � Fax: +351 229 562 740 cas TDK-Micronas e TDK-Lambda, no futuro, O  ABB Ability ™ Marine Advisor y System -
sgps@efacec.com � www.efacec.com a RUTRONIK também disponibilizará a marca OCTOPUS será implantado no projeto-piloto
de produtos EPCOS da TDK desde o dia 1 de a partir do início de maio de 2018. O sistema
A Efacec garantiu um contrato para a constru‑ abril. OCTOPUS permitirá que a ABB forneça dados
ção e operação de uma central solar no Chile, Sob a marca EPCOS, a TDK oferece capacitores em tempo real ao centro de controlo do Sea‑
uma infraestrutura que deverá entrar em ope‑ eletrolíticos e de alumínio, transformadores, varis‑ Bubbles, cobrindo praticamente todos os aspe‑
ração ainda em 2018 e terá uma capacidade tores, termístores, componentes piezoelétricos e tos operacionais das embarcações.

16
notícias

Tekon Electronics apresenta na Alemanha, entre os dias 23 e 27 de abril de


as suas novidades em mercados 2018. O conceito de Internet of Things está cada
internacionais vez mais presente na indústria, deste modo a
Tekon Electronics Tekon Electronics apresentou além do seu por‑
Tel.: +351 234 303 320 � Tlm.: +351 93 30 33 250 tefólio de soluções de wireless, a Tekon IoT Pla-
sales@tekonelectronics.pt � www.tekonelectronics.pt taform, uma plataforma desenvolvida com a
finalidade de convergir todos os dados recolhi‑
dos pelos diversos equipamentos para a moni‑
torização em tempo real. Todos os visitantes
tiveram assim a oportunidade de entrar em con‑
tacto com soluções inovadoras que irão certa‑ (TRBs) existente nas carruagens de passagei‑
mente potenciar os seus negócios. ros Corail da CP, equipadas com bogies do tipo
Y32. Esta substituição requer apenas uma sim‑
ples modificação no interior da caixa de eixo e
na tampa traseira, que pode ser realizada pela
EMEF opta por rolamentos SKF, EMEF. A  solução da SKF foi escolhida devido
A Tekon Electronics, marca da Bresimar Automa‑ de baixa manutenção ao seu menor custo de ciclo de vida e vanta‑
ção especializada no desenvolvimento e produ‑ SKF Portugal – Rolamentos, Lda. gens de manutenção favoráveis, o que inclui uma
ção de soluções wireless, esteve presente de 27 Tel.: +351 214 247 000 � Fax: +351 214 173 650 extensão do intervalo de manutenção dos atuais
a 30 de março de 2018 em Paris, na feira Smart skf.portugal@skf.com � www.skf.pt 500 000 km para 800 000 km (ou 8 anos, o que
Industries 2018. Neste certame foram apresenta‑ ocorrer primeiro). Além disso, a nova solução
das ao mercado francês as mais recentes soluções A EMEF - Empresa de Manutenção de Equipa‑ com TBUs é muito mais simples de montar e
wireless para monitorização de aplicações e smart mento Ferroviário, S.A, optou pelas unidades de desmontar em comparação com o arranjo exis‑
sensors desenvolvidos para a Indústria 4.0 e IoT. rolamentos de rolos cónicos (TBUs) de baixa tente, que utiliza duas unidades TRB individuais
Igual sucesso foi a presença da Tekon Electronics manutenção da SKF, pré-lubrificados e vedados, separadas por anéis espaçadores, de diferentes
na Feira Hannover Messe 2018, que se realizou para substituir os rolamentos de rolos cónicos fabricantes de rolamentos.
PUB.

17
notícias

Cerca de 16 TBUs instalados em bogies Y32 Investir em energias renováveis Ponto de Situação das Energias Renováveis e
foram testados pela EMEF desde 2012. Ao per‑ na Guiné Bissau em debate Eficiência Energética da Guiné-Bissau, a ser lan‑
correr uma distância de 500 000 km, oito des‑ ALER – Associação Lusófona de Energias çado na Conferência Internacional em dezem‑
ses rolamentos foram removidos para inspeção Renováveis bro. Foram também apresentados projetos
em 2015, e sua condição foi considerada “muito Tel.: +351 211 379 288 relevantes em energias renováveis na Guiné‑
boa”. Como resultado deste teste, a EMEF deci‑ geral@aler-renovaveis.org � www.aler-renovaveis.org -Bissau, como o Projeto Regional de Eletrifi‑
diu substituir todos os 632 TBRs atualmente em cação Fora da Rede (ROGEP), a Facilidade da
serviço, em 79 carruagens Corail, com a nova CEDEAO para Energias Renováveis (EREF), a
solução, sendo que o processo deve ser con‑ Central Hidroelétrica de Saltinho, a Mini-rede
cluído até 2019. Solar Fotovoltaica de Bissorã, a Central Solar
A  SKF é um fornecedor global para a indús‑ de Bissau, a Mini-rede Solar Fotovoltaica de
tria ferroviária, concentrando-se na prestação Bambadinca e a Central Solar de Gardete.
de serviços tanto no mercado de transporte
como de passageiros. A  empresa fornece aos
OEMs e utilizadores finais uma ampla gama de
soluções nas plataformas de tecnologia da SKF, Sustentabilidade energética
abrangendo rolamentos de rodados, chumacei‑ A  ALER – Associação Lusófona de Ener‑ na Faculdade de Ciências
ras, rolamentos do sistema de acionamento, sis‑ gias Renováveis, em parceria com o Ministé‑ e Tecnologia da Universidade
temas de lubrificação, soluções de vedação e rio da Energia, Indústria e Recursos Naturais de Coimbra
monitorização de condição. A SKF também ofe‑ da Guiné-Bissau, a UNIDO – Organização das Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade
rece serviços pós-venda, como sendo o recon‑ Nações Unidas para o Desenvolvimento Indus‑ de Coimbra
dicionamento, serviços de engenharia no local, trial, o ECREEE – Centro da CEDEAO de Ener‑ Tel.: +351 239 700 600
formação e atualizações de produtos. gias Renováveis e Eficiência Energética, e com gbdiretor@fct.uc.pt � www.uc.pt/fctuc
o apoio do GEF – Facilidade Global para o
Ambiente, organizou em Lisboa o workshop de
investimento“Energia Sustentável na Guiné-Bis-
Cloud IoT gateway para a Proficloud sau” no passado dia 4 de maio.
Phoenix Contact, S.A. Na sessão de abertura, o empenho do Minis‑
Tel.: +351 219 112 760 � Fax: +351 219 112 769 tro da Energia, Indústria e Recursos Naturais da
www.phoenixcontact.pt Guiné-Bissau ficou patente no seu discurso: “Tra-
balharei no sentido de dar condições para o inves-
timento no setor das energias sustentáveis a todas
as empresas” e acrescentou que “a Guiné-Bis-
sau quer eletrificar todo o país mas sem o apoio A Faculdade de Ciências e Tecnologia da Uni‑
do setor privado isso não será possível”. A  Pre‑ versidade de Coimbra (FCTUC) tem vindo
sidente da ALER, Miquelina Menezes desta‑ a prosseguir uma política de sustentabilidade
cou o facto de “a Guiné-Bissau estar a levar a energética, através da instalação de sistemas
cabo várias iniciativas que permitem identificar o fotovoltaicos nos edifícios a seu cargo no Pólo
país como um mercado com várias oportunida- II da Universidade, tirando partido da adequa‑
des de investimento em energia sustentável, como ção das coberturas e da boa orientação solar
A Proficloud da Phoenix Contact é um sistema o apoio de vários parceiros do Governo a proje- das mesmas.
de IoT aberto, com o qual é possível criar a solu‑ tos de assistência técnica para melhoria do enqua- Após a entrada em vigor da legislação relativa
ção adequada para cada aplicação. Assim pode dramento regulatório do setor energético na Guiné, à minigeração fotovoltaica, foram instalados em
tratar-se de uma aquisição ou análise de dados o desenvolvimento de Planos e Estratégias Nacio- dezembro de 2012 os primeiros dois sistemas
baseada na cloud ou um conceito de automação nais que estipulam metas ambiciosas, a identifi- produtores, em regime de venda à rede com
abrangente. cação detalhada de potenciais projetos a par da uma tarifa bonificada, no Depar tamento de
O  gateway IoT permite agora a ligação à Profi- disponibilidade de financiamento e, finalmente, as Engenharia Mecânica e na Unidade Pedagógica
cloud sem aceder à lógica de automação. Através três mini-redes solares de Bambadinca, Contuboel Central da FCTUC, respetivamente com 100 e
da perfeita conjugação de hardware de gateway e e Bissorã”. 52 kW de potência. Já com um enquadramento
plataforma de cloud, os dados dos sensores e dos Durante o workshop, que contou com a pre‑ na regulamentação relativa a autoconsumo,
processos são recolhidos e enviados de forma sença de mais de 80 participantes, foram apre‑ em julho de 2016 foi instalado um sistema de
encriptada para aplicações de cloud que conti‑ sentadas as estratégias e planos nacionais para 60 kW no Departamento de Engenharia Infor‑
nuam o seu tratamento. O gateway IoT permite o setor, nomeadamente o Plano de Ação mática e em fevereiro de 2017 um de 75 kW no
também que sistemas já existentes enviem os res‑ Nacional das Energias Renováveis na Guiné‑ Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de
petivos dados de estado para a Proficloud para -Bissau (PANER), o Plano de Ação Nacional Computadores. Prevê-se a instalação até ao final
executar aplicações como Big Data, reconheci‑ para a Eficiência Energética na Guiné-Bissau do corrente ano de mais três sistemas, já adqui‑
mento de padrões e monitorização de condição. (PANEE), a Agenda de Ação para a Energia ridos, nos Departamento de Engenharia Civil
Assim, a eficiência de produção é aumentada de Sustentável para Todos na Guiné-Bissau (SEfo‑ (100 kW) e de Engenharia Química (50 kW),
forma sustentável. A parametrização do cloud IoT rALL AA) e o Plano de Investimento para a bem como no Observatório Geofísico e Astro‑
gateway é realizada de forma simples, através da Energia Sustentável para Todos na Guiné-Bis‑ nómico (20 kW), o que permitirá totalizar uma
gestão baseada na web diretamente no gateway. sau (SEforALL IP). Foram ainda apresentadas as potência de 457 kW e uma produção anual esti‑
Não é necessário software de engenharia adicional. principais conclusões do relatório Nacional do mada de 780 MWh.

18
notícias

Objetivo: solarização máxima de forma holística, o nome da rede de parcei‑ Stock de Válvulas & Acessórios
Fronius España S.L.U. ros irá mudar. No médio prazo, o Fronius Service ALPHA ENGENHARIA - Equipamentos e Soluções
Tel.: +34 916 496 040 � Fax: +34 916 496 044 Partner transformar-se-á no Fronius System Part- Industriais
pv-sales-spain@fronius.com � www.fronius.es ner. O método de armazenamento da Fronius Tel.: +351 220 136 963 � Tlm.: +351 933 694 486
oferece soluções personalizadas para as neces‑ info@alphaengenharia.pt � www.alphaengenharia.pt
sidades individuais dos seus clientes. Desde o
armazenamento de água quente com o Fronius
Ohmpilot, passando por produtos de armazena‑
mento compatíveis com os principais fabrican‑
tes, como LG ou BYD, até à solução totalmente
integrada de uma única fonte, o Fronius Energy
Package. A Fronius Lumina, uma tarifa flexível de
eletricidade verde, foi a grande novidade apre‑
sentada na Intersolar. Para o instalador, a Fronius
Lumina é uma solução de energia sustentável
A  Fronius apresentou na Intersolar em Muni‑ que pode ser usada para otimizar a oferta para A ALPHA  ENGENHARIA  publicou um novo
que, na Alemanha, a sua nova plataforma de os seus clientes e conseguir futuros negócios. folheto na área de Válvulas & Acessórios para
512 m². Uma integração inteligente dos seto‑ Para o cliente final, este produto oferece a pos‑ promover, junto dos técnicos de manutenção e
res de energia, eletricidade, mobilidade e aque‑ sibilidade de obter eletricidade verde da região projeto, algumas soluções.
cimento. Diversos convidados de todo o mundo sem obrigação contratual, de forma barata, Neste folheto divulgam uma seleção de válvu‑
procuraram a especialista austríaca para saber transparente e sustentável. las de diferentes tipos como, por exemplo, vál‑
mais sobre as soluções atuais, temas futuros e vulas macho esférico, válvulas agulha, válvulas de
sobre as pesquisas relacionadas com o setor. retenção, válvulas borboleta, válvulas pneumá‑
O método de armazenamento da Fronius e o ticas, válvulas redutoras de pressão, purgado‑
novo programa Fronius System Partner tam‑ QKSOL obtém acreditação res, eletroválvulas e válvulas de sede inclinada.
bém foram muito bem recebidos. Como a Fro‑ de IMEON “Official Reseller 2018” Desde o primeiro dia que a ALPHA  ENGE‑
nius pensa de uma forma holística sobre redes QKSOL – Energy Solutions NHARIA  aposta na procura das melhores
de distribuição, os visitantes puderam conhecer Tel.: +34 93 480 84 66 soluções, passando por uma seleção de forne‑
a Fronius Lumina, a primeira tarifa flexível de ele‑ info@qksol.com � www.qksol.com cedores de renome mundial, um bom prazo de
tricidade verde para a Alemanha. entrega para uma grande variedade de solu‑
Seja na digitalização, na descarbonização ou na ções e uma assistência técnica, que procura
interligação do setor, todo o setor da energia definir a escolha mais adequada para a sua apli‑
está em transição. A Fronius definiu o seu obje‑ cação industrial. Pode fazer o download, de ime‑
tivo pensando, de forma holística, sobre a sola‑ diato, do novo folheto – Válvulas & Acessórios
rização e já apresentou casos concretos da sua em https://goo.gl/TUFrfa ou se preferir visitar o
aplicação na Intersolar. No setor da indústria, website www.alphaengenharia.pt.
a geração e o aproveitamento de hidrogénio
verde ainda é visto como algo futurista. A Fro‑
nius pesquisa há mais de 15 anos a possibili‑
dade de aproveitamento do H2 e, no outono de A IMEON Energy criou uma certificação espe‑ Rittal apresenta o sistema “perfeito”
2018 lançou o SOLH2UB, o primeiro sistema cífica para distinguir os distribuidores que se na feira de Hannover
de filtragem de H2 verde da Áustria. Com ele, destacam pelo seu compromisso com a marca. Rittal Portugal
a Fronius produz e armazena hidrogénio verde Especificamente, o certificado valida o seu pro‑ Tel.: +351 256 780 210 � Fax: +351 256 780 219
descentralizado, aproveita o calor residual e, fundo conhecimento técnico sobre toda a gama info@rittal.pt � www.rittal.pt
conforme a necessidade, disponibiliza-o para a de equipamentos tal como a sua capacidade
mobilidade. A Fronius também conta com uma para oferecer uma elevada qualidade de ser‑
solução para o importante setor de mobilidade, viço em tudo aquilo que for relativo ao aconse‑
com a empresa Hardy Barth. Um Solar-Wall‑ lhamento sobre o equipamento mais adequado
box, inteligente e acoplado com um inversor para cada projeto, logística e entregas a clien‑
Fronius. Os destaques incluíram a apresentação tes, acompanhamento do funcionamento e ges‑
das soluções de gestão de fluxo de energia da tão de incidências, entre outros.
Fronius. Esta acreditação demonstra a confiança que a
Devido ao grande número de soluções de par‑ IMEON Energy deposita nos seus clientes e dis‑
ceiros no stand da Fronius foi reconhecida a tribuidores, e acredita que a comunidade mun‑
importância das parcerias da Fronius. Nos últi‑ dial, onde empresas como a QKSOL obtém uma A Rittal Portugal embarcou numa viagem extraor‑
mos 20 anos, a exclusiva rede Fronius Service especial relevância por serem consideradas como dinária ao país da sua casa mãe com 41 dos seus
Partner tem sido a espinha dorsal bem-sucedida uma extensão da própria marca, oferecendo clientes e parceiros de negócios para a apresen‑
da Fronius. Com um programa abrangente de um serviço de sucesso aos seus próprios clien‑ tação, em primeira mão, do seu novo sistema de
treinamento e webinars, a Fronius ajuda os seus tes. A QKSOL comercializa a marca IMEON para armários industriais na feira de Hannover, a feira
parceiros a construir e a expandir seu know- Espanha e Portugal desde junho de 2014, e ao de referência mundial de tecnologia industrial.
-how e a se desenvolverem de forma constante. longo destes anos manteve um papel muito ativo, A empresa exibiu as suas novas soluções VX25
No futuro, por pensar em sistemas de energia sendo distribuidor de referência nestes mercados. num recinto de destaque com mais de 2300 m2.

19
notícias

Numa época de pura transformação tecnoló‑ WLS27 conjugam a robustez e compactação da


gica, a Rittal Portugal e os seus 41 companhei‑ família WLS27, com a presença de várias cores
ros de viagem, provenientes de todas as partes LED, que podem ser configuradas para ilumina‑
do país, puderam usufruir de uma experiência ção e indicação do estado da máquina.
no topo da tecnologia à escala global onde, para A  iluminação muito brilhante e uniforme for‑
além da colaboração e inovação como palavras‑ necida por LEDs de última geração aumenta
-chaves, tiveram o prazer de ver de perto os a visibilidade em toda a sua área de instalação,
benefícios das novas soluções VX25, conside‑ melhorando a produtividade, a eficiência e segu‑
rado como o sistema perfeito. O novo sistema rança do operador/máquina. Qualquer alte‑
de armários VX25 é o primeiro armário de gran‑ ração da cor de iluminação da máquina é um como um escritório de vendas. Até hoje, 3/4 dos
des dimensões capaz de combinar os requisitos alerta visual inconfundível para uma mudança de 67 funcionários estão no departamento de ven‑
técnicos da indústria 4.0 enquanto, em simultâ‑ estado, permitindo assim uma indicação visual das. Com quase 42 milhões de euros, o volume
neo, assegura rapidez e eficiência na montagem. e uma resposta rápida à resolução de qualquer de negócios da Weidmüller Itália é apenas o
Esta inovação da Rittal é o resultado da incan‑ evento gerado. Os modelos WLS27, com EZ-S‑ 2.º para a Alemanha entre todos os merca‑
sável pesquisa por mais rapidez, mais econo‑ TATUS™, estão disponíveis em modelos de 3 e dos europeus da Weidmüller. Além disso pos‑
mia, mais funcionalidades e principalmente mais 5 cores em combinações de branco, vermelho, sui uma forte participação no mercado local de
benefícios. Os estudos afirmam que no que res‑ amarelo, verde e azul. Possuem 4 comprimen‑ cerca de 10%, e é uma referência de mercado.
peita a armários desenhados com tecnologia 4.0, tos possíveis, de 285 mm a 1130 mm e têm um Nos últimos anos, a Weidmüller tem conquis‑
perto de 72% do tempo necessário para insta‑ design que economiza espaço para utilização em tado inúmeras distinções e prémios, entre eles
lar um armário é desperdiçado em configura‑ áreas reduzidas e espaços apertados. As luminá‑ o melhor desempenho do website pela Sone‑
ções mecânicas e de cabos. Tendo em conta o rias WLS27 utilizam um conetor M12 padrão de par (em 2016), Fornecedor preferido pela Sch‑
valor precioso do tempo na atualidade, foi pos‑ 4 pinos e possuem múltiplas opções de mon‑ neider Electric (em 2013) ou o Prémio Indústria
sível manter todos os recursos importantes do tagem para simplificar a instalação. Os modelos “Assodel” na categoria “Elettromeccanici Associa-
sistema de armários TS 8 e expandi-los, significa‑ em cascata podem ser alimentados a partir de zione Nazionale Fornitori Elettronica” (em 2012).
tivamente, com uma infinidade de novas funções uma fonte de alimentação colocada no início da
e benefícios para o cliente. De entre os novos linha, facilitando a implantação rápida da solução
benefícios, destacam-se a sua estrutura interna e respetiva alimentação.
perfurada, simétrica a todos os níveis e acessí‑ Como em outras luminárias LED na série WLS27, Excelente participação na GENERA
vel de todos os lados; o seu sistema de fecho os modelos multicores com EZ-STATUS™ apre‑ CIRCUTOR, S.A.
instantâneo e a tecnologia de dobradiça enge‑ sentam uma estrutura interna muito duradoura, Tlm.: +351 912 382 971 � Fax: +351 226 181 072
nhosa que facilita a instalação; de realçar, ainda, possuem um invólucro de policarbonato muito www.circutor.com
uma combinação de sistemas de base, desenvol‑ robusto, anti-choque, para uma vida operacional
vida especialmente para simplificar a montagem longa e sem manutenção. Cada luminária LED
e fazer melhor uso do espaço. na série WLS27 possui uma construção robusta
IP66, IP67 e IP69K, adequada para utilização em
aplicações onde a exposição a água de alta pres‑
são, alta temperatura, solventes, óleos de corte e
Iluminação LED multicor da Banner produtos químicos corrosivos é comum. A ver‑
com duas funções num equipamento satilidade e robustez oferecida pelas luminárias
Bresimar Automação, S.A. WLS27 Multicor LED com EZ-STATUS™ facili‑
Tel.: +351 234 303 320 tam a indicação visual numa ampla gama de equi‑
Tlm.: +351 939 992 222 pamentos, áreas de trabalho, entradas e pontos A GENERA 2018 é a feira de referência inter‑
bresimar@bresimar.pt � www.bresimar.pt de acesso e em qualquer local que se benefi‑ nacional no âmbito da energia e meio ambiente,
cie de iluminação e indicação de alta visibilidade. organizada pela IFEMA, na cidade de Madrid, de
13 a 15 de junho. A CIRCUTOR esteve presente
e agradece a visita de todos os profissionais inte‑
ressados nos seus produtos.
50.º aniversário da Weidmüller A CIRCUTOR mostrou na GENERA, mais uma
Italia no Museo Storico Alfa Romeo vez, as suas novas soluções de supervisão de ins‑
em Milão talações fotovoltaicas, concebidas para respon‑
Weidmüller – Sistemas de Interface, S.A. der às necessidades mais exigentes dos gestores
Tel.: +351 214 459 191 � Fax: +351 214 455 871 de instalações fotovoltaicas. Entre as soluções
weidmuller@weidmuller.pt � www.weidmuller.pt que mereceram um maior destaque está o sis‑
A  Bresimar Automação já tem disponíveis as tema SCADA de supervisão global, no qual se
novas soluções de iluminação da Banner Engi‑ A Weidmüller Itália celebrou o seu 50.º aniversá‑ engloba a gestão de stringboxes localizadas no
neering, uma referência de tecnologia para auto‑ rio no passado dia 22 de junho no Museo Storico Nível 1 ou Nível 2, sensores e dispositivos de
mação industrial. Lançou, recentemente, no Alfa Romeo, contando com a presença de diversos controlo, medida e comunicações até aos con‑
mercado luminárias LED multicor WLS27 com modelos da marca automóvel de Milão. Aproxi‑ tadores de faturação, de forma a oferecer um
EZ-STATUS™, que apresentam funções de ilu‑ madamente 200 convidados – clientes, parceiros e controlo global dos diferentes centros. Um dos
minação e indicação para máquinas e estações funcionários – aceitaram o convite da Weidmüller produtos que mais sucesso teve foram os novos
de trabalho através das várias cores LED dispo‑ e comemoraram meio século da Weidmüller Itália. STM, sendo um equipamento inovador, e espe‑
níveis. As últimas alterações efetuadas à família A Weidmüller foi fundada em junho de 1968 cialmente concebido para a monitorização até

20
notícias

32 strings numa mesma envolvente, através de Através da rede Élan Network, a Chatron teve a
comunicadores via LORA ou RS 485, facilitando oportunidade de apresentar a empresa e as suas
a sua instalação e integrando-se, perfeitamente, linhas de principais produtos a uma plateia de
no sistema de supervisão global de qualquer ins‑ empresários argentinos. Todas as ações já calen‑
talação fotovoltaica. darizadas com diversas empresas levam a que a
estratégia de exportação e parcerias para este
mercado seja uma realidade a breve prazo.

Chatron na abordagem ao mercado


argentino diferentes perspetivas do monumento e localiza‑
Chatron, Lda. das sobre um espelho d’água, que além de cum‑ ABB obtém a certificação MOBI.E
Tel.: +351 256 472 888 � Fax: +351 256 425 794 prir a sua função estética, protege-o. Representa ABB, S.A.
www.chatron.pt uma flor grande feita de aço inoxidável, com um Tel.: +351 214 256 000 � Fax: +351 214 256 247
esqueleto de alumínio e concreto armado, que comunicacao-corporativa@pt.abb.com � www.abb.pt
A “Floralis Generica” é uma escultura metálica olha para o céu, estendendo-se para as 6 péta‑
localizada na Praça das Nações Unidas, na Ave‑ las. Pesa 18 toneladas e tem 23 metros de altura. Em dezembro de 2015, na COP 21 de Pa‑
nida Figueroa Alcorta, na Cidade Autônoma A  simbologia desta escultura pode significar o ris, a comunidade internacional comprometeu‑
de Buenos Aires, doada à cidade pelo arqui‑ que a Chatron pretende fazer no mercado argen‑ -se a limitar o aumento da temperatura ao teto
teto argentino Eduardo Catalano (1917-2010) tino: abrir-se e fazer com que todas as manhãs as máximo de 2ºC em relação aos níveis da era pré‑
e que simboliza uma flor que todas as manhãs empresas argentinas possam pensar em produ‑ -industrial. Desde então os governos, empresas
se abre. A estrutura foi inaugurada a 13 de abril tos inovadores, eficientes e ecológicos para con‑ e cidadãos têm vindo a adotar um conjunto de
de 2002 com materiais fornecidos pela empresa trariar os aumentos galopantes que diariamente medidas e programas para cumprir este objetivo.
de aeronaves Lockheed Martin Aircraft Argen‑ ocorrem em todos os produtos neste mercado, A descarbonização da mobilidade passou a estar
tina. A  escultura está localizada no centro de especialmente os custos energéticos. A robustez na agenda e a procura por veículos totalmente
um parque de 4 hectares de limites arborizados, e a durabilidade dos produtos Chatron podem elétricos continua a crescer. Em Portugal as ven‑
cercados por trilhas que vêm e vão oferecendo ser uma mais-valia para este importante mercado. das de carros movidos a energias alternativas
PUB.

21
notícias

aceleraram em Configurados como retificadores de matriz dupla


2017 e a rede com conexões catódicas separadas, permitem
de car rega‑ que os projetistas simplifiquem os layouts de PCB
mento público com um pacote em vez de dois menores. Usando
rápido tem uma pegada padrão de pacote 5x6 QFN (quad
vindo a ser re‑ flat no lead) é possível uma gama de diferentes
novada, um topologias de circuito. Uma queda de baixa ten‑
contributo im‑ são abaixo de 0,7 V reduz as perdas de energia
por tante para e melhora a eficiência. Além disso, os retificado‑
que o país ti‑ informação relevante sobre a integração pneu‑ res FRED Pt® oferecem uma voltagem reversa de
vesse, entre os mática e elétrica numa solução. 200 V, tempos de recuperação ultrarrápidos até
países da União O seminário iniciou com a apresentação da Festo. 25 ns, uma carga de recuperação reversa baixa e
Europeia (UE), a média mais baixa de emissões A multinacional alemã do mercado de automação recursos de recuperação suave. A faixa de tempe‑
de dióxido de carbono de novos carros de pas‑ industrial abordou o tema do dimensionamento ratura de operação está entre -55°C e +175°C.
sageiros, por quilómetro, em 2016, segundo a de soluções e seleção de material, dividindo a Os retificadores são compatíveis com RoHS, sem
Agência Europeia do Ambiente. apresentação em 3 subtemas que se focaram halogéneo, e possuem um nível de sensibilidade
Na ABB há muito que “encher o depósito” tem um no dimensionamento da solução Pick&Place com à humidade MSL de 1, o pico máximo LF está a
novo significado. Como parte do compromisso atuações elétrica e pneumática, na configuração +260°C. As amostras dos 4 modelos estão dis‑
do Grupo para construir uma rede mais inteli‑ de terminais modulares eletropneumáticos com poníveis em www.rutronik24.com.
gente, a empresa tem vindo a ampliar o seu por‑ comunicação Profinet e, por fim, na geração de
tefólio num mercado cada vez mais relevante - o uma listagem completa de componentes neces‑
carregamento de veículos elétricos. Desde 2010, sários. Por sua vez, David Santos referiu-se à inte‑
a ABB lidera a revolução da mobilidade elétrica, gração de componentes em esquema de sistema Desenvolva as competências
com uma infraestrutura de carregamento para e baseou a sua apresentação na importação dos dos seus colaboradores com
qualquer local combinada com serviços. Um esquemas de componentes para o EPLAN e na a SEW‑EURODRIVE Portugal
passo importante para a construção desta rede criação do circuito do sistema, terminando a expo‑ SEW-EURODRIVE Portugal
de carregamento inteligente foi a recente certifi‑ sição com uma útil referência ao catálogo Festo Tel.: +351 231 209 670
cação da MOBI.E, empresa pública que assegura a no EPLAN Data Portal. Outros seminários e webi- infosew@sew-eurodrive.pt � www.sew-eurodrive.pt
gestão dos fluxos energéticos e financeiros resul‑ nares conjuntos estão previstos ainda este ano.
tantes das operações da rede de mobilidade elé‑ A SEW-EURODRIVE Portugal é uma empresa
trica, do carregador série Terra 53 da ABB. formadora acreditada pela DGERT. Na Mealhada
O ABB Terra 53 é o posto de carregamento DC irão decorrer as seguintes formações: MOVI‑
de 50 kW, uma referência de vendas na Europa e RUTRONIK apresenta retificadores DRIVE® B a 19 de setembro, IPOS® Compiler
na América do Norte. O design flexível permite ultrarrápidos da próxima geração a 26 de setembro, Acionamentos Eletromecâ‑
múltiplas combinações dos protocolos abertos da Vishay nicos a 10 de outubro, Sistemas Descentraliza‑
CCS, CHAdeMO  e carregamento de CA. Os RUTRONIK Elektronische Bauelemente GmbH dos a 17 de outubro e o MOVITRAC® B a 07 de
postos são projetados para um carregamento Tel.: +351 252 312 336 � Fax: +351 252 312 338 novembro. Em Lisboa também haverão forma‑
rápido e são indicados para as estações de abas‑ rutronik_pt@rutronik.com � www.rutronik.com ções como o MOVIDRIVE® B a 31 de outubro
tecimento e para as aéreas urbanas com um e MOVITRAC® LT a 14 de novembro. Todas as
elevado tráfego de veículos. A mobilidade susten‑ formações decorrem das 10 horas às 17 horas.
tável dará um forte contributo para o país atingir Os formadores da SEW-EURODRIVE Portugal,
a neutralidade carbónica em 2050, e a ABB pode Lda., estão todos habilitados com CAP (Certifi‑
ajudar a estabelecer as bases para um futuro do cado de Aptidão Profissional). Como entidade
transporte mais inteligente, fiável e livre de emis‑ certificada pela Direção Geral do Emprego e
sões, acessível a todos, e em qualquer lugar. das Relações de Trabalho (DGERT), a forma‑
ção técnica ministrada pela SEW-EURODRIVE
Portugal possibilita aos clientes o acesso aos
apoios públicos para desenvolver as competên‑
Seminário M&M Engenharia Os novos retificadores FRED Pt® da Vishay cias dos seus colaboradores, nomeadamente
Industrial e Festo aumentam, significativamente, a densidade de no âmbito da medida Cheque-Formação. Esta
M&M Engenharia Industrial, Lda. potência, a eficiência do desempenho e a fiabili‑ medida constitui uma modalidade de financia‑
Tel.: +351 229 351 336 � Fax: +351 229 351 338 dade do dispositivo.Vêm num pacote FlatPAK 5x6 mento direto da formação a atribuir às entida‑
info@mm-engenharia.pt � info@eplan.pt termicamente eficiente com baixo perfil <1 mm. des empregadoras ou aos ativos empregados
www.mm-engenharia.pt � www.eplan.pt Os retificadores estão disponíveis nas versões (Portaria n.º 229/2015, de 3 de agosto).
comercial/industrial e para o setor automóvel A  pré-inscrição de par ticipantes deverá ser
No passado dia 10 de maio a M&M Engenha‑ com corrente direta 2 x 3 A ou 2 x 4 A para enviada até 10 dias antes da data da formação,
ria Industrial, Lda (EPLAN) e a Festo organiza‑ cada tipo. Ao fornecer densidade e eficiência carecendo a mesma de aprovação, a qual ocor‑
ram um seminário presencial, em São João da de alta potência, são adequados para aplicações rerá no limite até 5 dias antes da data da sessão.
Madeira. David Santos, especialista EPLAN e na indústria automóvel e de telecomunicações. O número de participantes por sessão está limi‑
Renato Neto, Business Driver para Electric Auto- A fiabilidade a longo prazo dos retificadores é tado a 12 (exceto MOVI-PLC com um máximo
mation na Festo, foram os oradores do evento assegurada por testes de polarização reversa de de 8 participantes). Outras sessões de formação
que deu a conhecer a todos os participantes alta temperatura (HTRB) em 2000 horas. serão realizadas a pedido.

22
notícias

SMA recebe Prémio eee e Prémio smarter E incluindo na Alemanha,


na Intersolar 2018 o maior mercado para
SMA Solar Technology Portugal a Phoenix Contact. “As
Tel.: +351 212 387 860 aquisições de empresas
info@sma-portugal.com � www.sma-portugal.com também contribuíram
para o crescimento, com
A plataforma de gestão um ponto percentual.
de energia ennexOS Quatro empresas foram
da SMA Solar Techno‑ adquiridas no ano pas-
logy AG (SMA) rece‑ sado, do domínio do controlo e tecnologias de rede.” O investimento em infraes‑
beu o primeiro prémio truturas, máquinas e sistemas de IT, bem como em edifícios, ascendeu a 180
smater E da Interso‑ milhões de euros. Um edifício totalmente automatizado foi construído na
lar Europe 2018, que Polónia, tornando possível a produção flexível numa só linha.
se realizou em Muni‑ No decorrer de 2018, um orçamento de 7% do volume de negócios está
que. A  inovadora pla‑ alocado para a pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, sobretudo
taforma de Internet das Coisas para uma gestão de energia transetorial ao nível das tecnologias de produção para a transformação digital e soluções
venceu a categoria Smart Renewable Energy. A eenexOS agrupa os seto‑ para os mercados do futuro: energia, mobilidade e infraestrutura. O valor do
res do aquecimento, climatização, eletricidade e mobilidade. Em 2018, o investimento cresce até aos 250 milhões de euros. Os projetos de construção
Sunny Central Storage foi premiado com o Prémio ees na categoria Electri- estão previstos para a sede em Blomberg, bem como uma expansão de 100%
cal Energy Storage. O inversor de bateria garantia a máxima estabilidade na da logística nos EUA, que serve todo o continente americano, um segundo
rede em grandes aplicações com baterias e proporciona eletricidade foto‑ local de produção e logística em Nanjing, na China, e a expansão estrutural
voltaica em regiões distantes da rede e com qualidade. “É uma honra para a da empresa subsidiária Phoenix Contact E-Mobility GmbH na sua sede em
SMA ter recebido estes 2 prémios importantes e ao mesmo tempo, sendo um Scheider. Com um crescimento de 50% no volume de negócios em 2017, a
reconhecimento à nossa elevada capacidade de inovação. Com a plataforma Phoenix Contact E-Mobility GmbH está a passar por um forte período de
de gestão de energia ennexOS e o Sunny Central Storage, o júri reconheceu 2 crescimento e já está a preparar-se para futuras fases de grande crescimento.
soluções que abrem caminho para o fornecimento energético descentralizado PUB.
e digital de todos os utilizadores”, ditou Maik Brüschke, Diretor de Product
Group Solutions Residential & Commercial da SMA.
O ennexOS liga todos os fluxos de energia num sistema energético e,
entre outras coisas, tem em conta os geradores e equipamentos de con‑
sumo energético, os sistemas de baterias e componentes térmicos como
bombas de calor e calor. Utilizando protocolos standard da indústria e a
utilização cómoda através de aplicações direcionadas para o futuro, a pla‑
taforma de gestão de energia permite a simples interligação de setores.
Graças à possibilidade de expansão modular dos anexos, os clientes da
SMA beneficiam no futuro de uma energia de uma forma mais indepen‑
dente, eficiente e flexível, além de pouparem custos significativos e desen‑
volverem novos modelos de negócios.
As grandes centrais de acumulação utilizam o Sunny Central Storage que
desempenha um papel decisivo na ótima integração das energias renová‑
veis nas redes públicas. O inversor de bateria como um componente de
soluções de armazenamento SMA para aplicações fotovoltaicas de grande
tamanho, permite a integração na rede de uma bateria inteligente de classe
megawatts e ligada com e sem sistema fotovoltaico. Nos últimos 12 meses,
os inversores de baterias Sunny Central Storage com uma potência total
de mais de 400 MW foram fornecidos para projetos de armazenamento
na Grã-Bretanha, Califórnia, Alemanha, Coreia do Sul e Caraíbas.

Phoenix Contact: volume de negócios e número


de colaboradores triplicou nos últimos 15 anos
Phoenix Contact, S.A.
Tel.: +351 219 112 760 � Fax: +351 219 112 769
www.phoenixcontact.pt

Com um crescimento de vendas de dois dígitos em 2017, a Phoenix Contact


superou a marca de dois mil milhões de euros, alcançando uma faturação de
2,205 mil milhões, tendo aumentado em simultâneo, o número de colabora‑
dores para 16 500 a nível mundial. “O nosso crescimento é sustentável. Fizemos
mais do que triplicar os nossos números nos últimos 15 anos”, afirma o CEO,
Frank Stührenberg. Houve um forte crescimento em todo o mundo,

23
notícias

Na Feira de Hannover, a Phoenix Contact terá, Vulcano, uma marca de confiança


uma vez mais, o terceiro maior stand entre os Vulcano
cerca de 6 mil expositores, e apresentou-se como Tel.: +351 218 500 300 � Fax: +351 218 500 301
uma empresa parceira para quem deseja dar pas‑ info.vulcano@pt.bosch.com � www.vulcano.pt
sos na fabricação de Smart Factory. A  empresa /VulcanoPortugal
mostrou os seus mais recentes desenvolvimentos
em mais de 2700 metros quadrados. No total, a A Vulcano tem tido, desde a sua fundação, um
Phoenix Contact foi representada em doze stands. posicionamento responsável no que respeita
às questões ambientais. É uma marca portu‑
guesa, de Portugal para os portugueses, cons‑ que as turbinas eólicas têm melhorado a sua
cientemente focada na redução dos custos capacidade de geração, e parece que a tendên‑
Soluções de digitalização SKF energéticos e no desenvolvimento constante cia continua.
ajudam a aumentar o desempenho de equipamentos que reduzam os consumos A  lubrificação tem um papel essencial para
de equipamentos rotativos da BP e emissões, e em simultâneo contribuem para garantir que todos os componentes funcionem
North Sea o conforto e eficiência energética das habita‑ corretamente e estejam protegidos permanen‑
SKF Portugal – Rolamentos, Lda. ções. Neste âmbito, e uma vez que a energia temente, o que é muito importante para redu‑
Tel.: +351 214 247 000 � Fax: +351 214 173 650 solar é um recurso gratuito que pode propor‑ zir a frequência das operações de manutenção
skf.portugal@skf.com � www.skf.pt cionar uma importante poupança e contribuir e o tempo de inatividade envolvido. Por isso, a
para uma redução das emissões de CO2. A Vul‑ divisão de pesquisa e desenvolvimento da Eni
cano disponibiliza, no mercado, uma gama de trabalha intensamente no estudo de lubrifi‑
solar térmico eficiente, segura, ecológica e de cantes para satisfazer as necessidades técnicas
fácil e rápida instalação. do equipamento, com especial atenção para o
componente fundamental: a caixa de velocida‑
des. O Eni Blasia WT 320 é um óleo de engre‑
nagens que foi especificamente desenvolvido
para fornecer o desempenho técnico que os
principais fabricantes dos equipamentos espe‑
ram de um lubrificante tendo já sido aprovado
pela Hansen. Com este lubrificante, os seus
A SKF assinou um contrato multimilionário, de componentes podem funcionar com o mais
3 anos, com a BP para fornecer serviços de alto nível de eficiência e serão efetivamente
monitorização da condição para os seus ati‑ protegidos por uma vida útil prolongada.
vos no exterior do Reino Unido. Além de reco‑ A nova gama de termossifões, lançada recen‑
lher dados de diversos equipamentos rotativos, temente pela marca, mantém os níveis de
incluindo ventiladores, motores e geradores, a qualidade, fiabilidade e os elevados padrões
SKF fornecerá análises, relatórios e recomen‑ estéticos mas apresenta um nível de perfor‑ ELECOLORS: a sua mais-valia
dações para melhor apoiar as decisões da BP mance superior à gama anterior e destaca-se REIMAN, Lda.
sobre o uso eficiente e eficaz dos seus equi‑ por incorporar o único sistema de produção Tel.: +351 229 618 090 � Fax: +351 229 618 001
pamentos. Evidências sugerem que apenas 1% de água quente 100% ecológico, recorrendo comercial@reiman.pt � www.reiman.pt
das operadoras offshore usam o vasto volume à totalidade da energia solar e gerando pou‑
de dados que recolhem para apoiar o seu pro‑ panças ainda maiores. A procura constante de
cesso de decisão. O contrato já está a recolher soluções ligadas à sustentabilidade tem sido fun‑
e documentar ganhos significativos de eficiência damental para aumentar a reputação da marca
através de uma colaboração próxima entre as e para obter algumas distinções, como o pré‑
equipas da BP e da SKF. mio Marca de Confiança 2018, ou o selo Marca
Ian Peverill, Diretor de Serviços da SKF disse: “usar de Confiança Ambiente na categoria de equi‑
dados precisos para orientar a tomada de deci- pamentos/sistemas de aquecimento de água,
sões e evitar problemas repetidos é bom para os recentemente atribuído à Vulcano.
nossos clientes e para o setor como um todo. Em
última análise, isto ajuda a eliminar o desperdício A  ELESA+GANTER oferece a possibilidade
e aumenta a fiabilidade”. “Recentemente, a nossa de personalizar elementos normalizados com
tecnologia foi capaz de detetar a causa subjacente Novo lubrificante para turbinas as cores da sua bandeira, seja integralmente
da vibração do rolamento e fornecer recomendações eólicas ou através de encastre. A gama ELECOLORS
para evitar a falha de um motor crítico. O nosso soft- SINTéTICA garante a compatibilidade estética entre os
ware de análise de dados pode até propor soluções Tel.: +351 256 588 188 � Fax: +351 256 582 055 componentes e os mecanismos em que estão
alternativas que seriam mais duradouras e mais info@sintetica.pt � www.sintetica.enilubes.com aplicados, reforçando a perceção do seu valor
adequadas às condições.” Embora o contrato /eni.sintetica e qualidade. O  recurso à cor sinaliza a loca‑
entre a BP e a SKF abranja uma lista de equipa‑ lização do elemento normalizado em causa,
mentos definidos, a SKF também pode fornecer Entre as diferentes fontes que estão a ser estu‑ permitindo, por outro lado, adequar os equi‑
serviços “não-rotineiros” à BP sob pedido - como dadas para a produção de energias renová‑ pamentos e máquinas à identidade corporativa
monitorização de motores elétricos ou equilibra‑ veis, o vento é uma daquelas que tem tido uma de quem os desenvolve ou adquire, sem des‑
gem dinâmica de equipamentos rotativos. maior importância. Na verdade, há vários anos curar os requisitos mais exigentes no que diz

24
notícias

respeito à qualidade dos materiais, ergonomia GENERA 2018 com balanço positivo como no fluxo profissional que, nesta ocasião,
e vida útil. As tonalidades disponíveis são RAL IFEMA foi estimado em 10 848 visitantes.
2004 (pure orange), RAL 7035 (light grey), RAL GENERA  O alcance geográfico da GENERA foi abran‑
1021 (colza yellow), RAL 5024 (pastel blue), Tel.: +34 902 221 515 � Fax: +34 917 225 788 gente, sendo que quase metade dos profissio‑
RAL 3000 (flame red), RAL 7021 (jet black) e genera@ifema.es � www.genera.ifema.es nais que visitaram a feira, foram de fora de
abrangem elementos tão variados como volan‑ Madrid, com uma grande representatividade
tes, manivelas, manípulos, pegas (em U, com da Andaluzia, Valência, Castela, La Mancha e
bloqueio, ajustáveis, de segurança e encastrá‑ Catalunha. Soma-se a estes dados a assistên‑
veis), punhos e bases para tubos. cia de profissionais internacionais de 40 países,
O compromisso da ELESA+GANTER em for‑ representando 5,6%.
necer elementos normalizados de qualidade No que respeita ao perfil dos visitantes de
também se encontra presente nesta gama, acordo com sua atividade, vale destacar a
com as cores a serem controladas ao nível da visita de profissionais ligados ao mundo do
colorimetria para garantir consistência e repe‑ design e desenvolvimento de projetos, consul‑
titibilidade, tanto na produção como durante torias e engenharia, que representaram 15,3%,
a vida útil dos elementos em causa. Relativa‑ além de representantes de empresas de insta‑
mente à utilização de elementos normalizados lação e manutenção, com 14%. Além disso, a
no exterior, e após testes de envelhecimento Entre os dias 13 e 15 de junho de 2018 a feira recebeu um número significativo de pro‑
com exposição a raios UV, aqueles não apre‑ GENERA, Feira Internacional de Energia e dutores e distribuidores de energia.
sentaram alterações na sua resistência mecâ‑ Ambiente, recebeu no pavilhão 8 da Feria de Com resultados positivos destacaram-se igual‑
nica. Caso necessite de mais informação ou Madrid, os mais recentes avanços e desenvol‑ mente o programa de Conferências Técnicas
pretenda estudar a aplicabilidade de acaba‑ vimentos no setor das energias renováveis, desta edição, que reuniu 1400 participantes ao
mentos resistentes a raios UV disponibilizados eficiência energética e sustentabilidade. Orga‑ longo das suas 21 sessões, e ainda um total de
pela ELESA+GANTER, não hesite em contac‑ nizada pelo IFEMA, o balanço foi positivo, 103 reuniões em que participaram 94 profis‑
tar a REIMAN, o representante exclusivo da tanto em termos de participação, que cresceu sionais, no âmbito das reuniões bilaterais orga‑
ELESA+GANTER em Portugal. 38% com a presença direta de 105 empresas, nizadas pela Fundação Madri+d.
PUB.

25
dossier solar fotovoltaico na Administração Pública

o caso da Universidade
de Trás-os-Montes e Alto Douro
Amadeu Borges

parque fotovoltaico
no Hospital de Santa Maria
Nuno Jorge

PO SEUR – Programa Operacional


Sustentabilidade e Eficiência no Uso
de Recursos
energia fotovoltaica
POSEUR - Programa Operacional Sustentabilidade
e Eficiência no Uso de Recursos

na Administração Pública
em Cabo Verde
Claudino Mendes e Alexsandro Baptista

o papel da Certificação Energética


e da Regulamentação
na Eficiência Energética
João Correia Bernardo

solar fotovoltaico
na Administração Pública
Jorge Borges de Araújo

solar fotovoltaico
na Administração
Pública
26
dossier solar fotovoltaico na Administração Pública

o caso da Universidade
de Trás-os-Montes e Alto Douro

Situada no norte-oriental da cidade de Vila Real, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro


(UTAD) foi criada em 1973 como um Instituto Politécnico, e tornou-se Universidade Pública em 1986.
A UTAD é uma das mais jovens universidades de Portugal. Ao escolher áreas de ensino e campos
de investigação que respondiam às necessidades nacionais e que ainda não estavam esgotadas
no mercado de trabalho, a universidade também foi fundamental para o desenvolvimento da região
onde está localizada, gerando emprego e proporcionando formação voltada para as necessidades
da região e da sua população.
Amadeu Borges
amadeub@utad.pt

O Campus Universitário (Figura 1) foi construído no local de uma série de seu plano estratégico, de preocupações redobradas com a qualidade e com
antigas propriedades rurais, e está localizado perto do centro da cidade, a sustentabilidade dos espaços ocupados nas diferentes áreas de atuação.
possuindo ligações de autocarro para qualquer parte da cidade. No inte‑ Desde o primeiro momento que a UTAD escolheu o lema “A Caminho de
rior da cidade estão localizados os edifícios residenciais, divididos entre o uma Eco Universidade”.
Complexo de Codessais e o Complexo de Além-Rio. Caraterizado por um vasto e diverso grupo de recursos naturais, o Cam-
pus da UTAD é composto por um conjunto diversificado de sistemas eco‑
lógicos que promovem a ocorrência de um elevado número de espécies,
as quais se torna vital preservar. O uso sustentável do recurso natural é o
instrumento determinante para edificar uma economia saudável, genuína
e resistente.
Consciente da necessidade de incorporar a ética ambiental na sua ativi‑
dade, a UTAD decidiu apostar na criação de um eco campus e assumir o
compromisso com a sustentabilidade ecológica mediante operações físicas,
programas académicos e de investigação, bem como na vertente despor‑
Complexo Residencial tiva, cultural e tecnológica do Campus.
de Codessais Neste quadro importa promover uma política e uma agenda de susten‑
tabilidade ambiental, envolvendo toda a comunidade académica e os uten‑
tes do Jardim Botânico em práticas de melhoria contínua de desempenho
ambiental, apostando no cumprimento dos seguintes compromissos: planea‑
mento e ordenamento do Campus; nova construção sustentável; eficiência
energética, fontes de energia renovável e qualidade do ar; gestão de recur‑
Campus Universitário da Quinta de Prados
Complexo Residencial sos e de resíduos; conservação da água e gestão de efluentes; gestão de trá‑
de Além-Rio
fego automóvel; garantia de circulação pedonal ou não poluente; alimentação
e serviços de alimentação; gestão dos espaços verdes; saúde, bem-estar e
Figura 1 Campus Universitário da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. segurança; formação ambiental e participação da comunidade académica.
Nos últimos anos têm sido tomadas medidas conducentes à redução da
pegada de carbono das instalações universitárias. Embora se trate de um
1. Enquadramento Institucional plano plurianual representa uma medida estrutural para a UTAD. Um dos
O Campus da UTAD abrange uma área de mais de 130 ha, com mais de objetivos a curto prazo (já em preparação) é o reconhecimento do Cam-
30 edifícios, dedicados ao ensino, à investigação e à prestação de serviços. pus Universitário ao nível das normas ISO 14001 e 50001. Neste sentido
Estes apresentam cuidados ambientais que requerem monitorização ao têm sido dados passos importantes, quer ao nível da redução da fatura
nível das condições da qualidade do ar, do conforto térmico e da habita‑ energética, quer ao nível da gestão da água e dos resíduos. No decorrer
bilidade. Possui, ainda, o maior Jardim Botânico da Península Ibérica, aberto de 2017 foi obtida a certificação energética, no âmbito do Decreto-Lei
à comunidade, coexistindo de forma harmoniosa com a atividade normal n.º 118/2013, de 23 edifícios dedicados ao ensino, investigação e aos ser‑
de uma Universidade. É, neste contexto, que a UTAD tem evidenciado, no viços da Universidade.

27
dossier solar fotovoltaico na Administração Pública
O CASO DA UNIVERSIDADE DE TRÁS‑OS‑MONTES E ALTO DOURO

2. Caraterização das instalações e sistemas para o funcionamento dos edifícios, assim como a custos de funcionamento
Ao longo dos últimos 40 anos, o número de edifícios no Campus Univer‑ crescentes. Em última análise, os edifícios acabarão por ser desativados, con‑
sitário foi crescendo e aspetos como manutenção ou requalificação do duzindo à degradação total de património edificado, como se verifica, aliás,
edificado existente não acompanharam o crescimento nem a evolução tec‑ um pouco por todo o país.
nológica, capazes de, por si só, não só de garantir maior sustentabilidade à Tratando-se de instalações escolares, de grande ocupação, onde os
universidade, como também de criar, ao mesmo tempo, melhores condi‑ ocupantes permanecem durante períodos elevados de tempo parados,
ções para os utilizadores das instalações (alunos, trabalhadores docentes e as condições de conforto térmico e de habitabilidade são absolutamente
não docentes, investigadores, visitantes e prestadores de serviços). fundamentais.
Chegados ao dia de hoje são observadas situações de reduzida eficiên‑
cia no consumo de energia, que requerem montantes avultados de investi‑
mento para serem contrariadas.
Das várias situações em que o consumo de energia é quantificado com
reduzida eficiência, destacam-se os sistemas de iluminação e os sistemas
de climatização. Assim, na UTAD, as medidas de melhoria da Eficiência
Energética foram agrupadas em 3 grandes grupos: sistemas de iluminação,
envolventes opacas e envidraçadas e sistemas de climatização. Foi ainda
considerada uma outra vertente de melhoria da eficiência energética, que
se prende com a produção de energia a partir de fontes de energia reno‑
vável: biomassa e solar fotovoltaica.
Na Figura 2 são ilustrados alguns dos sistemas de iluminação em uso,
muitos deles fazendo recurso a tecnologias que em nada contribuem para
o conforto dos ocupantes dos edifícios. Aspetos como fraca distribuição da
iluminação, tecnologia obsoleta (incandescente e ferromagnética) e siste‑
mas de iluminação de baixa eficiência conduzem, naturalmente, ao aumento
da fatura energética e à redução do conforto das instalações. Figura 3 Envolventes opacas e envidraçadas existentes em alguns edifícios da UTAD.

Figura 2 Sistemas de iluminação em uso em alguns edifícios da UTAD. Figura 4 Sistemas de climatização obsoletos e encontrados nas instalações da UTAD.

Na Figura 3 são evidenciados aspetos que contribuem para a baixa efi‑ A alternativa ao investimento na melhoria da eficiência energética será,
ciência energética dos edifícios e relacionados com as envolventes opacas e naturalmente, o aumento da fatura energética para se manter o edifício em
envidraçadas. É de realçar que a maioria das coberturas é em fibrocimento funcionamento, embora com uma eficiência energética cada vez menor. Em
que, além dos aspetos inerentes à fatura energética, têm associados, tam‑ busca do conforto térmico, funcionários e alunos vão procurar o necessá‑
bém, aspetos ambientais e de saúde pública. No âmbito das envolventes rio conforto térmico em aquecedores de baixa eficiência, ventoinhas para
opacas e envidraçadas destacam-se os problemas relacionados com cober‑ arrefecimento, sistemas de iluminação de secretária com recurso a lâmpa‑
turas sem isolamento térmico e de fraca impermeabilização (fraca QAI), das de baixa eficiência, entre outras consequências nefastas para a fatura
envidraçados simples de vidro simples e caixilharia de madeira, com fendas energética.
de dimensão apreciável.
Na Figura 4 são ilustrados alguns detalhes indicadores da baixa eficiência
energética dos sistemas de climatização. Neste âmbito merecem destaque, 3. Implementação de medidas de melhoria de Eficiência
pela negativa, os sistemas de climatização obsoletos, de baixa eficiência e Energética
baseados em R22, com elevada potência instalada em sistemas de aqueci‑ Tendo em conta as muitas deficiências detetadas ao nível da eficiência ener‑
mento por resistência e isolamentos térmicos degradados ou inexistentes. gética de edifícios e de sistemas, facilmente se pode concluir que as institui‑
Em face do exposto, muito por conta da ausência de manutenção no ções não têm capacidade de investimento para as colmatar. Assim acontece
passado e da idade dos edifícios, a ausência de investimento e, consequen‑ com a UTAD que, para fazer face aos problemas identificados e à incapaci‑
temente, a não implementação de medidas de melhoria, conduzirá à ine‑ dade de investimento, apesar das muitas melhorias verificadas nos últimos
xistência de condições mínimas de conforto térmico e de habitabilidade anos, preparou 14 candidaturas (12 das quais entretanto aprovadas) para

28
dossier solar fotovoltaico na Administração Pública

o mesmo número de edifícios, ao aviso POSEUR-03-2016-65, destinado à Número de edifícios apoiados 12


promoção da eficiência energética nos edifícios da Administração Pública Redução anual do consumo de energia 1530 629,00 kWh
Central. Na Figura 5 são evidenciados os edifícios apoiados pelo programa. Diminuição anual estimada das emissões de GEE 969,26 Ton CO2eq
A implementação dos projetos aprovados neste âmbito, financiados pelo Área útil dos edifícios 52 872,94 m2
Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos Área de isolamento térmico aplicado na envolvente opaca 34 848,37 m2
(POSEUR), torna-se, assim, crucial para o cumprimento dos objetivos da Área de janelas eficientes 311,63 m2
UTAD em torno da sustentabilidade, mas, acima de tudo, para a melhoria 148,83 kW
Potência instalada em sistemas de produção de energia
das condições que são oferecidas aos ocupantes dos edifícios. elétrica (FER)
Diminuição da potência instalada em iluminação 443,19 kW
Número de sensores de movimento associados à iluminação 341
Número de lâmpadas substituídas 11 269
Redução do consumo de energia primária 307,36 Tep
Potência instalada em novos sistemas a biomassa 2150,00 kW
Potência instalada em novos equipamentos de climatização 1488,70 kW
Custo total de investimento 3067 205,09 €

Complexo Residencial Tabela 1 Resumo dos projetos aprovados.


de Codessais

a combustíveis renováveis ou recurso a tecnologia de elevado desempenho


energético para o aquecimento ambiente), quer a nível global.
Com a implementação das medidas de eficiência energética também se
convergirá para os objetivos estratégicos da UTAD, nomeadamente os que
Campus Universitário da Quinta de Prados
Complexo Residencial dizem respeito ao tema “A caminho de uma Eco-Universidade”, contribuindo,
de Além-Rio
também, para uma gestão mais eficaz dos recursos públicos.
Espera-se, para além dos resultados obtidos com a concretização das
Figura 5 Edifícios da UTAD apoiados pelo POSEUR. presentes medidas de eficiência energética, que esta iniciativa seja um estí‑
mulo para continuar a melhorar a eficiência energética nas instalações
públicas e, em particular, na UTAD, garantindo não só a redução da fatura
As medidas de eficiência energética aprovadas e que serão implementa‑ energética, mas, também a melhoria das condições de ocupação, tornando
das inserem-se no âmbito dos sistemas de iluminação que serão sumaria‑ a instituição mais apelativa à comunidade académica, à investigação e, tam‑
mente substituídos por sistemas baseados em tecnologia LED, na substituição bém, mais produtiva. As poupanças geradas com a redução da fatura ener‑
dos materiais das coberturas por materiais ecologicamente corretos e con‑ gética serão a alavanca necessária para novos investimentos que visem a
ducentes à melhoria do desempenho energético dos edifícios, à substitui‑ melhoria da classificação do Certificado Energético do edificado existente.
ção de envidraçados de vidro simples por janelas eficientes e à substituição De forma inerente deu-se, também, cumprimento ao Decreto-Lei
dos sistemas de climatização obsoletos e baseados em R22. Além destas n.º  118/2013 no que diz respeito à Certificação Energética de Edifícios,
melhorias merecem destaque as medidas de melhoria no âmbito das fon‑ com 23 edifícios certificados em 2017.
tes de energia renovável, recorrendo à biomassa para a preparação de água Em resumo, a implementação deste projeto vai traduzir-se por:
quente para o aquecimento ambiente e à instalação de sistemas eletropro‑ • maior eficiência no consumo da energia;
dutores fotovoltaicos. • melhor conforto térmico e ocupacional;
Na Tabela 1 é apresentado um resumo dos projetos aprovados, bem • produção renovável de energia para autoconsumo;
como alguns indicadores em termos de realização, onde se destaca a potên‑ • recurso a biocombustíveis para a preparação de água quente;
cia de 148,83 kW a instalar em sistemas fotovoltaicos e a potência de • melhor qualidade do ar interior e exterior (redução do consumo de
2150,00 kW a instalar em sistemas a biomassa. combustíveis fosseis);
Em resumo, a implementação destas medidas de eficiência energética vai • redução da fatura energética;
traduzir-se numa redução de 21,41% no consumo de energia, uma redução • eliminação de materiais pouco amigos do ambiente (R22 e materiais
de 75,56% nas emissões de Gases de Efeito de Estufa (GEE) e em 49,91% com amianto);
no consumo de energia primária. • contributo para a redução nas emissões de Gases de Efeito de Estufa
(GEE).

4. Conclusão Um último aspeto a destacar é a importância da sensibilização da comu‑


Com a implementação das medidas de melhoria da eficiência energética nidade académica para a temática da sustentabilidade, em particular no que
aprovadas pretende-se contribuir para a melhoria da eficiência dos edifí‑ diz respeito à eficiência energética. Neste sentido pretende-se manter uma
cios, ao mesmo tempo que se contribui para a melhoria do conforto dos política de informação regular com os utentes e trabalhadores da UTAD,
ocupantes na realização das suas atividades. É de realçar que a implementa‑ assim como com os visitantes, de forma a permitir uma publicitação das
ção destas medidas de eficiência energética garante, no mínimo, a subida de medidas adotadas tendo em vista a melhoria da eficiência energética e da
duas classes na certificação energética de cada um dos edifícios apoiados. sustentabilidade do Campus. As melhorias introduzidas por este conjunto
Numa perspetiva de utilização responsável da energia também se pode de medidas no dia-a-dia do Campus, assim como a promoção dos resulta‑
afirmar que a implementação das medidas de eficiência energética vai con‑ dos ambientais e económicos alcançados, serão um instrumento eficaz e
tribuir, de forma decisiva, para a redução das emissões de Gases de Efeito eficiente para a prossecução de uma melhor sustentabilidade para todos,
de Estufa (GEE), quer a nível local (produção de água quente com a recurso através da sensibilização de todos.

29
dossier solar fotovoltaico na Administração Pública

parque fotovoltaico
no Hospital de Santa Maria

Inicialmente com o nome de “Hospital Escolar de Lisboa”, o Hospital de Santa Maria foi construído
mediante uma autorização publicada no Decreto-Lei n.º 22917 de 31/07/1933.
Nuno Jorge
Diretor do Serviço de Instalações e Equipamentos
Hospital de Santa Maria

Foram elaborados 12 anteprojetos de arquitetura entre 1936 e 1939, Eficiência energética


tendo sido aprovado o projeto de arquitetura em 1939, sob a responsabi‑ Em 2016, o Hospital de Santa Maria candidatou-se ao POSEUR – Programa
lidade do arquiteto alemão Hermann Distel. Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, tendo sido
Em 1940 iniciou-se a construção do hospital e o mesmo foi inaugurado aprovado o financiamento de cerca de 15 M€ para a implementação de 4
a 27 de abril de 1953. medidas de melhoria, referenciadas na imagem em baixo.

Figura 2 Investimento no âmbito do POSEUR.

Figura 1 Vista aérea – fachada principal, 1952.


Com esta implementação, este edifício irá permitir uma redução de 44%
do consumo de energia elétrica, prevendo-se uma poupança anual de 1M€
Com uma planta longitudinal composta pela articulação de vários retân‑ e a subida de 3 letras no Certificado Energético, passando de D para a
gulos, em “H”, o edifício apresenta uma volumetria paralelepipédica, com letra B.
uma cobertura em terraço, com 11 andares (sendo 2 subterrâneos e 9
elevados), 2 corpos longitudinais rematados nos extremos por 4 torreões.
O Hospital dotado inicialmente para 1457 camas, com uma implantação Parque fotovoltaico para autoconsumo
de 34 000 m2, e com uma área de construção de 128 000 m2, uma frente A central fotovoltaica será instalada sobre uma estrutura metálica de esta‑
com 260 metros de comprimento, 4500 portas, 5400 janelas, redes de cionamento, localizada no parque sul do Hospital (Figura 3).
águas com 60 km e 350 km de rede elétrica, com um valor de obra de
330 000 contos (330 000 000$00). Dados básicos da instalação fotovoltaica
O edifício foi concebido tendo como principal recurso de energia a Localização: Hospital de Santa Maria
eletricidade, tudo era elétrico. Inclinação: entre 7º e 12º
Ao longo dos anos existiram várias intervenções em termos de insta‑ Orientação: Sul
lações técnicas, instalação de chillers, instalação de ar-condicionado (Splits), Potência nominal da central fotovoltaica: 900 000 W
instalação de gás natural, entre outras. Potência pico da central fotovoltaica: 980 100 W

30
dossier solar fotovoltaico na Administração Pública

Módulos fotovoltaicos
Os painéis considerados no projeto são
constituídos por 60 células, monocristalino,
com moldura de alumínio preto e fundo
preto. As suas dimensões são de 1650 x
990 x 30 mm (A x L x P) e o seu peso é
de 17 kg.
A garantia deverá ser superior a 10 anos
contra defeito de fabrico, bem como a sua
garantia de produção ser superior a 80% ao
fim de 25 anos de utilização.

Inversor
Figura 3 Localização da central fotovoltaica a implementar. Os inversores fotovoltaicos com as caraterísticas referidas no projeto são
equipamentos altamente compactos, desenvolvidos a fim de assegurarem
uma elevada eficiência durante a sua operação em centrais fotovoltaicas
Equipamento principal: de grande potência. O seu desempenho garante a otimização da produção
Potência pico módulos (W): 300 Wp energética e assegura o retorno do investimento da central.
Número de módulos: 3267 O inversor deverá permitir uma ligação de séries de módulos fotovoltai‑
Número de inversores: 1 cos até 1000 VDC, que juntamente com as entradas independentes pro‑
Potência total do inversor: 900 000 W tegidas por um fusível garante uma otimização da instalação fotovoltaica.
Tipo de ligação elétrica: trifásica Estará preparado para trabalhar à sua potência nominal com tempera‑
turas ambiente entre -10ºC até 50ºC, assegurando a produção máxima de
A produção de energia elétrica em baixa tensão vai realizar-se através energia mesmo nas condições mais adversas.
de uma central fotovoltaica com 3267 módulos fotovoltaicos, formada por O inversor disponibiliza um conjunto de comandos de controlo de
1 inversor. potência e de suporte à rede elétrica que permite o controlo da energia
A central ficará instalada sobre uma estrutura metálica fixa de estacio‑ ativa e reativa produzida. Estes comandos asseguram o cumprimento dos
namento, com inclinação a variar entre os 7º e os 12º, ficando com a orien‑ mais exigentes requisitos de ligação à rede.
tação a Sul. Dispõe de protocolos de comunicação abertos (exemplo: Modbus TCP),
que permite uma integração com uma solução de monitorização, uma
monitorização de centrais fotovoltaicas ou outros sistemas de supervisão
Estrutura sombreadora fotovoltaica.
A estrutura sombreadora, apresentada neste projeto, consiste numa estru‑
tura formada basicamente por aço, com duas bases ou mais velas, e uma ou
mais secções de vigas. As vigas são suportadas entre as velas, que formam a Múltiplas entradas DC para uma maior flexibilidade
base do sombreador, onde os módulos solares fotovoltaicos são montados. O inversor deverá conter uma flexibilidade adicional para o projeto de
centrais fotovoltaicas, permitindo ligar, de forma independente, múltiplas
séries de módulos protegidas por fusível e com uma medida individual de
corrente. As medidas de corrente estão acessíveis através do protocolo de
comunicações e o número de entradas pode ser configurável.
Esta caraterística permite uma otimização de custos de uma central foto‑
voltaica, pois permite uma redução do número de caixas de junção e uma
simplificação do sistema de monitorização.

Figura 4 Sistema sombreador.

Figura 5 Sombreador simples com vela até 5 metros de comprimento e 12º de inclinação e
sombreador duplo com vela até 10 metros de comprimento e 7º de inclinação. Figura 6 Inversor fotovoltaico – Múltiplas entradas DC.

31
dossier solar fotovoltaico na Administração Pública
PARQUE FOTOVOLTAICO NO HOSPITAL DE SANTA MARIA

Fonte de alimentação ininterrupta (UPS) assegura


o controlo sob o equipamento
Cada inversor está equipado com uma UPS que garante alimentação de
todos os serviços auxiliares do equipamento em caso de falha de alimenta‑
ção externa, para garantir uma operação estável e fiável dos equipamentos.
Com esta funcionalidade garante-se sempre uma sequência de shutdown
correta e em segurança da central fotovoltaica em caso de falha dos auxi‑
liares, evitando quedas abruptas da potência injetada na rede, contribuindo
para uma maior estabilização da rede elétrica e da central fotovoltaica.

Controlo de potência e funções de suporte à rede


As funções de interface com a rede no inversor são um conjunto de coman‑
dos que permitem o controlo da energia ativa e reativa, produzida pelos
equipamentos. Estas funções permitem o controlo automático da energia
ativa versus controlo da frequência, controlo da tensão por referência ou Edifício do inversor
dinâmico em caso de um abaixamento da tensão abrupto (LVRT – Low
Voltage Ride Through).Também é possível definir um conjunto de referências Posto de transformação existente (ponto de injeção)
máximas para a potência reativa e potência ativa.

Ligação da central à instalação elétrica


Display HMI e relação custo-benefício da monitorização Como já foi referido anteriormente, a central fotovoltaica constituída por
do inversor 3267 módulos fotovoltaicos, distribuídos por vários quadros elétricos e por
O inversor deverá estar equipado com um display gráfico (HMI – Human- 1 inversor, poderá fornecer até 980 kWp à instalação de utilização.
-Machine Interface), disponibilizando ao operador da central fotovoltaica Toda a energia produzida pela central fotovoltaica terá como ponto de
informação importante sobre o estado em tempo real da máquina e o injeção, numa fase inicial, o Posto de Transformação existente, que conta
histórico de operação. com um transformador de 1 MVA e respetivas celas de proteção.

Variações de tensão e frequência na rede


O inversor realizará, de forma automática, mediante um relé eletrónico, o
corte e a religação da produção fotovoltaica, no caso de existir quebra de
tensão ou da frequência da rede, bem como oscilações que comprometam
os parâmetros pré-registados no equipamento.

Postos de carregamento de veículos elétricos


O parque de estacionamento irá contar com 12 lugares reservados para o
carregamento de veículos elétricos, dotado com 6 postos de carregamento
e respetivas infraestruturas, cabos e Quadro de Proteção. Cada carregador
permitirá carregar 2 veículos em simultâneo a uma potência máxima de
22 kW a 400 V cada.
Numa fase inicial terá apenas 2 carregadores instalados, ficando tudo
preparado para receber a totalidade dos 6. Prevemos que estes tipos de
carregamentos possam ser gratuitos, com prioridade, a carros 100% elé‑
O display HMI permitirá conetar um sistema de monitorização através tricos.
de um protocolo standard onde são disponibilizadas medidas elétricas fei‑
tas pelo inversor, tal como a corrente e tensão DC e AC em tempo real,
potência ativa e reativa, energia gerada, entre outras informações.
Também estará disponível o acesso ao estado do inversor, a mensagens
de alarmes e geração diária de relatórios de produção.

Dimensionamento AC
A potência à saída do inversor será transportada em AC, desde o edifício
do inversor até ao Posto de Transformação existente e definido como
ponto de injeção, até que a futura central térmica esteja construída (figura
da coluna seguinte).
Para transportar os 980 kWp do inversor até ao Posto de Transforma‑
ção, num percurso de 130 metros aproximadamente, calcularam-se 6 cabos
LXV de 240 mm2, por fase e neutro, de forma a cumprir a queda de tensão
admissível, inferior a 1,5%.

32
PUB.
dossier solar fotovoltaico na Administração Pública

PO SEUR – Programa Operacional


Sustentabilidade e Eficiência
no Uso de Recursos
O Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR)
é uma estrutura de missão que gere o Fundo de Coesão, proveniente da União Europeia.
Pretende apoiar ações estruturais e estruturantes em todo o território nacional na área do ambiente,
desenvolvimento sustentável e na promoção da correta e consciente utilização dos recursos, sendo
que as possibilidades de apoio se encontram estruturadas em três grandes eixos de financiamento.
POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade
e Eficiência no Uso de Recursos

O Eixo 1, que visa apoiar a transição para uma economia com baixas emis‑ Apoio a sistemas de produção de energia elétrica
sões de carbono em todos os setores, é correntemente apelidado de “eixo para autoconsumo
da energia”, prevendo, entre outros, a disponibilização de 200 milhões de Incluído nestes projetos, está também previsto o apoio à produção de
euros de Fundo de Coesão para apoiar a promoção da eficiência energé‑ energia elétrica para autoconsumo através de fontes de energia renováveis.
tica nos edifícios da Administração Pública Central. Neste campo, as intervenções devem cumprir, sempre que aplicável, com
os requisitos do Decreto-Lei n.º 153/2014 de 20 de outubro: no caso de
sistemas de produção de energia elétrica para autoconsumo, só são ad‑
102 projetos aprovados no âmbito da Eficiência Energética mitidas como elegíveis Unidades de Produção de Autoconsumo (UPAC)
nos edifícios da A.P.Central tal como definido no normativo legal aplicável. Estas unidades devem ser
No âmbito da promoção da eficiência dimensionadas de forma a garantir a aproximação da energia elétrica pro‑
energética e utilização de energias re‑ duzida com a quantidade de energia elétrica consumida na instalação elé‑
nováveis nos edifícios, o PO SEUR lan‑ trica de utilização, sem prejuízo da possibilidade legal de ligar à rede e
çou em 2016 um Aviso-Concurso para exportar para a RESP a energia elétrica produzida remanescente, a qual
apresentação de candidaturas, dirigido pode ser objeto de contrato de venda com o comercializador de último
aos Organismos da Administração Públi‑ recurso, nas condições definidas nos termos do artigo 23.º do Decreto-Lei
ca Central. Como resultado, foram apro‑ n.º 153/2014. Por outro lado, refira-se quem em matérias de apoio a atri‑
vadas em 2017 um total de 102 opera‑ buir a este componente de investimento, a despesa elegível em sistemas
ções, que representam um investimento de produção de energia elétrica está condicionada à aplicação dos custos‑
na ordem dos 150 milhões de euros por -padrão por tecnologia, definidos pela DGEG, bem como a 30% do custo
parte das entidades promotoras e que total elegível (a cofinanciamento) do projeto apresentado. Ultrapassado
vão contribuir para uma redução anual estimada de cerca de 23 mil tonela‑ esse limiar, o excedente será suportado pelo beneficiário do apoio. Refi‑
das equivalentes de petróleo (tep) no consumo de energia primária, e uma ra-se contudo que estas regras à determinação da despesa elegível não se
consequente diminuição da fatura do Estado com os gastos em energia de revelaram um impedimento ao investimento em sistemas de produção de
cerca de 11 M€. Nestas operações incluem-se entidades como os hospitais energia elétrica. Prova disso são as 92 candidaturas, em 102 candidaturas
e as instituições de ensino superior, entre outros tipos de edifícios que, con‑ aprovadas, que preveem a colocação de sistema solar fotovoltaico com o
siderando a permanência de serviço público, são consumidores intensivos intuito de produzir energia para o seu próprio consumo. No total serão
deste precioso recurso que é a energia. instalados, nestes edifícios de utilização publica, 13 886 kW de potência em
Assim, o PO SEUR atribuirá às ditas entidades, durante estes próximos sistemas solares fotovoltaicos.
3 anos, 136 milhões de euros de Fundo de Coesão, cofinanciando em 95% Em termos financeiros, o investimento para produção de energia elétrica
as despesas consideradas elegíveis para apoiar a transição para uma eco‑ para autoconsumo através de fontes renováveis, promovido pelo Aviso
nomia com baixas emissões de carbono neste setor. O apoio recebido por POSEUR-03-2016-65, corresponde a 22 M€. Deste, foi considerado ele‑
cada entidade deverá ser posteriormente devolvido à Agência para o De‑ gível um montante de 20,6 milhões de euros, após a limitação da despesa
senvolvimento e Coesão, de forma faseada, correspondendo os encargos elegível a um cofinanciamento a um máximo de 30% do valor total elegível
anuais de cada entidade a cerca de 70% das poupanças de energia estima‑ da candidatura, bem como por aplicação dos custos-padrão, que serão
das em sede de candidatura. cofinanciados a 95%.

34
PUB.
2.º Aviso do PO SEUR destinado à Eficiência
Energética na A.P. Central: 50 M€ de Fundo
de Coesão disponíveis
O PO SEUR lançou muito recentemente um novo Aviso, com o
código POSEUR-03-2018-07, dirigido à Administração Central com
o propósito de apoiar mais entidades nesta missão que é manter os
níveis de serviço dos seus edifícios, reduzindo os consumos energé‑
ticos e emissões de CO2.
À semelhança do anterior Aviso, poderão ser apoiadas interven‑
ções nas envolventes opaca e envidraçada dos edifícios, como a co‑
locação de isolamento térmico nas paredes, pavimentos e coberturas
ou a substituição de caixilharia e/ou vidros pouco eficientes. Poderão
ser apoiados investimentos em sistemas técnicos instalados que in‑
crementem o seu nível de eficiência ou a substituição de equipamen‑
tos por outros mais eficientes. Poderão ser apoiados investimentos
na iluminação interior e exterior, com exceção da iluminação pública,
sempre com vista a uma maior eficiência em termos de consumos
de energia. Poderão ser apoiados sistemas e equipamentos que per‑
mitam a gestão de consumos de energia, promovendo economias.
Também à semelhança do anterior Aviso, as candidaturas pode‑
rão prever ações que promovam a utilização de energias renováveis,
desde que façam parte de soluções integradas que visem a eficiência
energética. Assim, poderá ser apoiada a instalação de sistemas solares
térmicos para produção de água quente sanitária e climatização, bem
como ainda a instalação de sistemas de produção de energia para au‑
toconsumo a partir de fontes de energias renováveis, mantendo-se a
limitação à despesa elegível nesta rúbrica a um máximo de 30% face
ao total elegível da candidatura, e sujeita á aplicação de custos-padrão
definidos pela DGEG.
No âmbito do Aviso poderão ser apoiadas auditorias, estudos ou
análises energéticas necessárias à realização do investimento e desde
que não sejam obrigatórias por lei.
As entidades deverão submeter uma candidatura por Certificado
Energético e só poderão ser apoiadas as que demonstrem que con‑
seguem reduzir o consumo de energia primária em, pelo menos, 30%,
face à situação atual.
Com a alteração do texto do PO SEUR e do Regulamento Especí‑
fico (RE SEUR), os beneficiários podem agora escolher se pretendem
obter um apoio reembolsável, cujas despesas elegíveis serão cofinan‑
ciados a 95%, à semelhança do anterior Aviso, ou se pretendem optar
por um apoio não reembolsável (que não têm que devolver), com
uma taxa de cofinanciamento de 25%, que poderá ser majorada até
50%, caso a realização do investimento garanta uma classe energética
A ou A+ do edifício a intervencionar.
A receção de candidaturas ao Aviso POSEUR 03-2018-07 decorre‑
rá em duas fases, cada uma com uma dotação máxima de 25 milhões:
• 1 .ª Fase: De 22 de maio de 2018 às 23:59 horas do dia 7 de
setembro de 2018;
• 2.ª Fase: Das 00:00 horas do dia 8 de setembro de 2018 às 18:00
horas do dia 7 de dezembro de 2018.

A realização destas ações é essencial para uma existência mais


amiga do ambiente e para a diminuição da pegada ecológica dos
edifícios que todos utilizamos. O seu apoio, através dos Fundos da
União Europeia, tem-se revelado fundamental, sustentado pelo nú‑
mero de candidaturas apresentadas ao primeiro Aviso do PO SEUR
neste âmbito: 130.
Em 2023 o PO SEUR almeja ter contribuído para a redução de
85 mil toneladas equivalentes de petróleo no consumo de energia
primária na Administração Central, face a 2010. Pretende-se passar
de um consumo de 283 138 para 198 196 Tep correspondendo esta
redução a 30%.
dossier solar fotovoltaico na Administração Pública

energia fotovoltaica
na Administração Pública
em Cabo Verde

Face ao atual cenário do setor elétrico nacional, onde se registam uma forte dependência externa
dos combustíveis fósseis, elevado nível de perdas elétricas, carências na regulamentação e um elevado
custo da energia elétrica, o governo de Cabo Verde estipulou algumas metas para tentar driblar
esses constrangimentos.
Eng.º Claudino Mendes
Docente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UniCV
Eng.º Alexsandro Baptista
Técnico da Universidade de Cabo Verde

A principal meta é a redução do custo de energia para as famílias em 25%


até 2021. Para tal pretende implementar programas e tecnologias para
a redução das perdas elétricas dos atuais 25% para 16% a nível nacional,
bem como integrar o máximo da energia renovável, até onde for tecni‑
camente possível e economicamente viável. Neste contexto, a integra‑
ção de energia renovável no sistema elétrico público poderá ser uma das
formas de contribuição para alcançar essa meta. Efetivamente, ter um sis‑
tema de produção elétrica que utiliza o recurso energético endógeno e
renovável, limpo e abundante, parece ser uma opção bastante atrativa.
Não apenas pelos benefícios ambientais, mas também pela possibilidade
de produzir energia elétrica a um custo acessível e não sujeito a flutua‑
ções do mercado, e ainda contribuir para a diminuição da dependência
externa dos combustíveis.
Cabo Verde tem um excelente potencial para o aproveitamento do
recurso renovável, quer solar e quer eólica, devido à sua localização geo‑
gráfica na zona do Sahel. A disponibilidade do recurso eólico na região
possibilita que a nível nacional haja uma predominância do vento, com
uma velocidade média de 9 metros/segundo a 30 metros de altura. Por

Figura 1 Mapa de radiação global de Cabo Verde.

outro lado, grande parte do seu território apresenta uma radiação global
entre 1800 a 2000 kW/m2 /ano, e mais de metade desse território apre‑
senta um potencial de 3750 horas/ano de insolação.

Políticas de incentivos
As políticas de incentivo para a integração de produção de renováveis na
legislação atual (Decreto-Lei n.º 1/2011) estão em alinhamento com o pro‑
grama do governo, na medida que contribuem para a redução dos custos
com a energia, bem como pelo incentivo para a substituição da energia
de origem fóssil pela renovável. O diploma estabelece um conjunto alar‑
gado de incentivos às energias renováveis, cuja atividade de produção se

36
PUB.
Os edifícios da administração do estado contribuem
com uma boa fatia da demanda elétrica nacional,
cerca de 15% da energia consumida. Neste sentido
a redução dos custos com a energia tornou‑se
num desafio para a gestão e funcionamento
desses edifícios públicos.

resume a 3 regimes: Regime Geral, Regime Especial para Microprodu‑


ção e o Regime Simplificado para a Eletrificação Rural Descentralizada.
Em termos fiscais, está prevista a isenção aduaneira e a redução de
impostos sobre o rendimento das empresas produtoras de energia
renovável. Para o regime geral, o promotor pode vender toda a ener‑
gia produzida/contratada a um preço máximo do custo evitado com
os combustíveis fósseis do sistema público, onde o principal incen‑
tivo é a estabilidade do preço do kWh injetado por um período de
15 anos. Para a microprodução, o diploma estabelece um regime de
autorização simplificado mediante registo prévio e uma posterior ins‑
peção para a validação da respetiva conformidade com os requisitos
estabelecidos na legislação aplicável.
A unidade de autoprodução não pode ter uma potência de liga‑
ção à rede superior ao menor dos seguintes valores: de 100 kW; 85%
do consumo anual por 1800 horas; ou 25% da potência máxima de
consumo nos termos do contrato de compra em vigor. A nível remu‑
neratório, o regime especial para a microprodução tem o direito de
vender ao mesmo preço de compra da energia, ou seja o modelo
de netmetering.
• Os consumidores só precisam pagar pela energia líquida consumida;
• Nenhum valor será pago pelo excesso de eletricidade produzida;
• O excesso de energia produzido será transportado para a pró‑
xima fatura.

A compensação da concessionária da rede pela permanente dis‑


ponibilidade de recebimento da produção renovável decorrente da
microprodução, será feita através de benefícios ambientais, para além
de lhe ser atribuído os excedentes de produção gerados pela micro‑
produção, após o período acordado. O  principal incentivo para o
cliente com microprodução é a disponibilidade de potência e a dis‑
ponibilidade da rede pública para armazenar energia para posterior
consumo, o que corresponde a uma redução de custo equivalente
ao investimento em baterias num sistema isolado.

Contribuição dos edifícios da Administração Pública


na produção com renováveis
Os edifícios da administração do estado contribuem com uma boa
fatia da demanda elétrica nacional, cerca de 15% da energia consu‑
mida. Neste sentido a redução dos custos com a energia tornou-se
num desafio para a gestão e funcionamento desses edifícios públicos.
Para enfrentar esse desafio, os serviços do estado, utilizando os
incentivos da política dos renováveis, poderiam ter duas abordagens:
uma mais centralizada, utilizando o regime geral, onde se concen‑
tra a produção renovável numa central de produção independente,
vendendo toda a energia produzida/contratada, e descontar esse
valor nos consumos dos diversos edifícios da Administração Pública;
ou outra abordagem mais descentralizada, utilizando o regime espe‑
cial para a microprodução, onde cada edifício tem uma unidade de
autoprodução para a redução dos custos locais.
Embora o regime geral parece ser atrativa, é preciso alguma pru‑
dência, pelas seguintes razões:
dossier solar fotovoltaico na Administração Pública
ENERGIA FOTOVOLTAICA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM CABO VERDE

certa ausência de obrigatoriedade tem estado a atrasar o crescimento


desses sistemas, principalmente na Administração Pública. Acredita-se
que na posse dessas informações e de ferramentas adequadas, os clien‑
tes teriam a compreensão necessária para assumir o controlo do seu
consumo, passando de consumidores tradicionais a prosumers, em que
para além de consumir, podem produzir e controlar o seu próprio uso
de energia. No entanto, essa nova abordagem implicaria necessaria‑
mente o rompimento com o modelo convencional, em que a ener‑
gia flui num único sentido, do provedor ao consumidor, passando para
uma nova era de gestão de energia bidirecional, em que o cliente tam‑
bém participa na gestão do sistema elétrico, através dos excedentes
produzidos pelos seus sistemas de microprodução e através do deslo‑
camento dos seus consumos para horas de vazio, diminuindo os encar‑
gos da concessionária com a satisfação das pontas. Neste sentido, a
Administração Pública leva uma pequena vantagem, pois se analisar‑
mos em função da correlação entre o ciclo de produção solar e a curva
de consumo energético do consumidor, normalmente há uma maior
sobreposição com a curva de consumo das instituições públicas do que
• Implica mais uma atividade fora do core business da Administração dos consumidores residenciais (Figura 2), o que torna a utilização dessa
Pública; tecnologia nos edifícios públicos ainda muito mais atrativa e vantajosa.
• O valor, feed in, ou o preço de venda é muito inferior as tarifas finas
nos diversos edifícios da administração;
• Além do mais, não é a intenção do estado concorrer com os priva‑
dos neste regime.

Na opção centralizada pode-se optar por energia eólica ou fotovol‑


taica. Em caso da tecnologia eólica justifica-se sempre que haja um espaço
adequado à sua implementação, pois apesar de ocupar menor espaço, o
seu impacto visual e sonoro pode causar algum constrangimento.
Na opção descentralizada, devido à densidade dos edifícios públicos
urbana, normalmente a qualidade e velocidade do vento não é a mais
indicado, neste caso a opção pela tecnologia solar fotovoltaico pode ser a
mais rentável. Grande parte dos sistemas de microprodução na Adminis‑
tração Pública em Cabo Verde são sistemas fotovoltaicos, instalados em
escolas, centros de formação, instituições governamentais e municipais, e
hospitais e centros de saúde. Um dos casos de sucesso é o sistema foto‑
voltaico de 120 kWp instalada no Palácio do governo, onde a sua produ‑
ção cobre mais de um terço da demanda enérgica da instalação e todo o
excedente da produção é injetado na rede pública. O sistema, para além
da produção elétrica, é utilizado como cobertura do parque de estacio‑
namento da instalação. Futuramente a mesma estrutura poderá ser uti‑
lizada como um incentivo à mobilidade elétrica, servindo de posto de Figura 2 Consumo residencial e nas instituições públicas.
abastecimento para veículos elétricos.

Conclusão
De consumidores a Prosumers A oposta na utilização de sistemas fotovoltaicos nos edifícios públicos,
Apesar das condições climatéricas favoráveis, apenas 19% do total da revela-se totalmente viável, sustentável e de fácil replicabilidade, servindo
sua produção elétrica nacional advém das fontes de energias renová‑ de exemplo para outros setores da sociedade como comércio, indústria
veis, sendo que a microprodução contribui com quase 1% desse total. e residências, pois esses sistemas permitem diminuir o impacto ambien‑
Entretanto a tendência é de crescimento, estima-se que do ano 2015 tal e colmatar grande parte das necessidades energéticas desses setores,
a 2017, a capacidade instalada em sistemas de microprodução renová‑ para além de ser um auxílio à rede pública na gestão da dependência dos
veis tenha duplicado, passando de pouco menos de 1 MW para mais combustíveis fosseis. Entretanto, a quantidade das instalações que utili‑
de 2 MW. Os sistemas instalados nos edifícios de Administração Pública zam o sistema de microprodução fotovoltaico está muito aquém do que
contribuem entre 15% a 18% desse valor, sendo o restante distribuído o país ambiciona. Neste sentido depreende-se que a principal lacuna está
pelas indústrias, iluminação pública e sistemas de bombagem. Mais de relacionada com o entendimento e a implementação efetiva das políticas
90% dos sistemas de microprodução em Cabo Verde utilizam tecnolo‑ energéticas, uma vez que há incentivo e há políticas coerentes, faltando
gia solar fotovoltaica, impulsionada pelo aumento do rendimento dos apenas a boa vontade e a coordenação entre as instituições com respon‑
painéis solares, pela redução nos preços de tecnologia, e pelo aumento sabilidade na matéria. Assim recomenda-se que as políticas e medidas de
de instaladores. Os sistemas fotovoltaicos têm-se revelado como uma incentivo à microprodução com enfoque nos edifícios da Administração
grande oportunidade na gestão do consumo elétrico, possibilitando Pública, incidam sobre o regime especial de microprodução, numa ótica
reduzir os custos operacionais na Administração Pública. No entanto, de redução dos custos com a energia, e numa clara troca de kWh fósseis
a carência de informações e falta de incentivos financeiros, ou até uma para kWh renovável e amiga do ambiente.

38
PUB.
dossier solar fotovoltaico na Administração Pública

o papel da Certificação Energética


e da Regulamentação
na Eficiência Energética

A eficiência energética está finalmente na moda. Os dados disponibilizados pela Agência Internacional
de Energia (AIE)1 não deixam dúvidas.
João Correia Bernardo
Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG)

A  eficiência energética é hoje um negócio que vale 231 mil milhões de fácil de entranhar nos utilizadores de energia. Todos sabem que o dimen‑
dólares por ano em todo o mundo, com um crescimento de 9% entre sionamento de qualquer sistema deve iniciar-se pelo conhecimento das
2015 e 2016, mesmo num cenário de baixos preços de energia. Contra‑ suas necessidades, de forma a garantir o seu pleno funcionamento numa
riamente todos os outros setores da energia estagnaram ou regrediram2 o ótica de custo ótimo. Não faz sentido, do ponto de vista da racionali‑
seu volume de negócios. dade financeira, planear novos investimentos em infraestruturas de pro‑
dução, transporte ou distribuição, sem previamente se terem identificado
e avaliado as medidas de melhoria para reduzir os consumos energéticos.
Corre-se o risco, para colmatar falhas de mercado, de investir na produ‑
ção, sobredimensionando os sistemas a montante sem qualquer necessi‑
dade efetiva.
As razões técnicas para este erro recorrente, a meu ver, são essencial‑
mente duas:
1. Os ganhos de eficiência energética são, muitas vezes, difíceis de medir
e quantificar e apesar de proporcionarem retornos interessantes, não
são encarados como receitas, à imagem do que se passa com a pro‑
dução renovável vendida à rede ou as tarifas de acesso às redes, por
exemplo;
2. O consumo de energia não é o core business dos utilizadores de ener‑
gia, sejam empresas ou particulares, que perseguem outros fins e para
os quais a energia é apenas um meio para os atingir. Não há consumi‑
dores de energia profissionais, ao contrário do resto da fileira energé‑
tica, altamente profissionalizada desde a produção à comercialização.

Da conjugação destas razões resulta uma relação desequilibrada entre


os que produzem e vendem energia e quem a consome. Quem vende não
está obviamente interessado em reduzir aquilo que fornece. No máximo
Esta aposta corresponde à constatação que vários especialistas vêm pode pensar em investir na melhoria da qualidade do produto ou nos ser‑
defendendo há anos e que só recentemente se tornou evidente para os viços associados ao fornecimento. Por outro lado, quem consome serviços
decisores políticos, empresas e cidadãos em geral, de que a eficiência ener- de energia está essencialmente preocupado com o seu custo. As oportu‑
gética, no âmbito do setor energético, é o investimento que proporciona o nidades para reduzir esses consumos são geralmente ignoradas, sobretudo
maior retorno, quer se trate de diminuir os custos com a energia ou as emis- se não houver um conhecimento técnico especializado da gestão dos con‑
sões do setor energético. A razão, aparentemente simples de explicar, não é sumos energéticos. Mesmos nas grandes empresas consumidoras intensivas,
onde a energia chega a representar um peso entre os 10 e os 50% dos cus‑
tos totais operacionais, os consultores e especialistas em gestão de ener‑
gia são geralmente externos à empresa. Como resultado verifica-se que o
1
“World Energy Investment 2017”, IEA.
fundamental das negociações à volta do consumo de energia restringe-se
2
O volume de negócios nos setores do petróleo, gás e carvão recuou cerca de 25%, entre 2015 à tarifa e aos escalões de consumo, os quais privilegiam, como é óbvio, os
e 2016, em termos de volume de investimentos. grandes consumidores.

40
dossier solar fotovoltaico na Administração Pública

As vantagens óbvias mas ignoradas da Eficiência


Energética Quem consome serviços de energia está essencialmente
Existe em Portugal uma divergência significativa entre o discurso político e preocupado com o seu custo. As oportunidades para reduzir
as respetivas políticas públicas quando se trata de promover e dar priori‑ esses consumos são geralmente ignoradas, sobretudo
dade à eficiência energética. Este distanciamento contagia o comportamento se não houver um conhecimento técnico especializado
dos agentes e operadores do mercado de energia, incluindo os consumido‑ da gestão dos consumos energéticos.
res, que se distraem a discutir tarifas e condições de fornecimento, em vez de
darem prioridade às oportunidades de redução de consumos e à utilização
racional da energia. c. Maior disponibilidade orçamental para novos investimentos e outras
Na realidade, se analisarmos factualmente os grandes impulsos na promo‑ despesas operacionais;
ção da eficiência energética nos últimos 50 anos, facilmente se verifica que d. Redução da pegada ecológica;
tiveram quase sempre origem em crises energéticas, na maioria relacionadas e. Redução das emissões e dos custos associados às emissões de
com conflitos em regiões geoestratégicas para a exploração e produção de gases com efeito de estufa (GEE);
petróleo e gás natural, levando frequentemente a aumentos repentinos nos f. Melhoria da conformidade com a certificação ambiental e energética.
produtos energéticos. O preço tem sido, pois, o maior fator de desincentivo
ao aumento do consumo de energia. 2. Ao nível macro (países e sociedade em geral):
Dado que a energia é um fator imprescindível ao funcionamento da eco‑ a. Aumento do período de vida útil dos recursos energéticos;
nomia, cada vez mais competitiva à escala global, têm sido sucessivamente b. Melhoria da garantia de abastecimento;
desenhadas políticas públicas, medidas e instrumentos, destinados a reduzir o c. Redução das importações de produtos energéticos;
impacto da variação dos preços e da oferta dos produtos energéticos. Neste d. Diminuição da dependência energética;
sentido, a promoção da eficiência energética tem sido uma das medidas mais e. Melhoria da balança comercial;
acarinhadas pelos decisores políticos esclarecidos, uma vez que permite atin‑ f. Aumento da competitividade e capacidade exportadora nacional;
gir simultaneamente um conjunto muito vasto de objetivos, nomeadamente: g. Redução das emissões de CO2 e de outros GEE;
1. Ao nível micro (empresas e particulares): h. Preservação da biodiversidade;
a. Redução dos custos com energia; i. Impacto positivo na saúde pública e na diminuição dos custos
b. Aumento da competitividade; associados;
PUB.

41
dossier solar fotovoltaico na Administração Pública
O PAPEL DA CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA E DA REGULAMENTAÇÃO NA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

j. C
 riação de oportunidades em novos produtos e serviços associa‑
dos à eficiência energética; A certificação torna mais fácil a determinação
k. Criação de novos empregos e postos de trabalho; dos custos de funcionamento envolvidos que,
l. Novas oportunidades e novos investimentos na inovação e desen‑ juntamente com os respetivos custos de investimento,
volvimento tecnológico. possibilita calcular períodos de retorno e taxas
internas de rentabilidade que ajudam a tomar
Apesar destas vantagens, a aposta na eficiência energética continua a decisões esclarecidas numa base custo-benefício.
ser feita de uma forma conservadora, sendo mesmo ignorada em alguns
contextos. É preciso não esquecer que num ambiente económico globali‑
zado e altamente concentrado em grandes grupos económicos, a compe‑ observadas as regras e as melhores práticas disponíveis nesta matéria,
titividade das empresas disputa-se ao cêntimo onde a eficiência energética como é o caso das normas da família ISO 50001.
pode fazer toda a diferença. Do ponto de vista de políticas públicas, as certificações de conformidade
energética são instrumentos que se destinam a educar os consumidores sobre
o desempenho dos produtos e serviços utilizadores de energia, proporcio‑
Regulamentação e Certificação Energética nando o conhecimento de standards ou boas práticas que induzam mudan‑
A regulamentação e a certificação têm constituído, neste aspeto, impor‑ ças no seu comportamento e padrão de consumo. Idealmente a iniciativa da
tantes mecanismos de apoio à promoção da eficiência energética, através certificação deveria partir da procura, uma vez que a mesma é mais vantajosa
do aumento da visibilidade do seu impacto e da obrigação de adoção de para os consumidores do que para os restantes agentes públicos ou privados.
medidas de eficiência energética em vários setores de atividade económica. A certificação torna mais fácil a determinação dos custos de funcionamento
A regulamentação tem-se revelado uma opção muito eficaz ao estabe‑ envolvidos que, juntamente com os respetivos custos de investimento, possi‑
lecer conjuntos de regras, aplicáveis à conceção, construção e produção bilita calcular períodos de retorno e taxas internas de rentabilidade que aju‑
de bens e serviços, que implicam o estabelecimento de requisitos mínimos dam a tomar decisões esclarecidas numa base custo-benefício.
e a aplicação de boas práticas no que respeita ao consumo e à gestão de Nesta aceção, a certificação energética, conjugada com a regulamenta‑
energia desses bens e serviços. ção, parece-me que terá de emergir cada vez mais como uma exigência de
A  regulamentação mais conhecida nesta área foi introduzida a nível consumidores esclarecidos, mesmo que as iniciativas formais sejam captura‑
comunitário em 2005 através da Diretiva Ecodesign3, com o objetivo de das e plasmadas em opções de política energética ou ambiental. É perfeita‑
criar um quadro para a definição dos requisitos comunitários de conce‑ mente natural que os consumidores finais de energia não estejam dispostos
ção ecológica dos produtos relacionados com o consumo de energia. a pagar, nos bens e serviços que adquirem, as ineficiências da sua produção,
Esta regulamentação abrange um conjunto vasto de produtos e equipa‑ transporte e distribuição, sobretudo se estiverem disponíveis medidas, téc‑
mentos consumidores de energia (desde lâmpadas a eletrodomésticos, nica e economicamente, viáveis para as ultrapassar.
passando por equipamentos de produção de energia) e promove a colo‑
cação no mercado de produtos abrangidos por medidas de execução
se cumprirem essas medidas e ostentarem a marcação CE. Simultanea‑
mente promove a retirada, de forma faseada, de produtos que não cum‑ Um exemplo fácil de compreender é imaginar que um determinado
pram esses requisitos. produto que é vendido a 100 euros a unidade, é produzido numa insta-
Outro tipo de regulamentação, como o Regulamento de Desempenho lação industrial onde a energia representa um fator de custo da produ-
Energético dos Edifícios de Habitação (REH) e do Comércio e Serviços ção com um peso de 30%, e com uma ineficiência energética de 40%.
(RECS), aplica-se ao projeto e construção de edifícios (técnicas construti‑ Em termos simplificados isto significava que o mesmo produto poderia
vas, materiais de construção e equipamentos), ou mesmo à utilização final ser vendido no mercado, com as mesmas margens de lucro, a 88 euros
de energia, como é o caso do Regulamento de Gestão do Consumo de a unidade, caso não existissem as referidas ineficiências.
Energia para o Setor dos Transportes (RGCEST) ou o Sistema de Gestão
dos Consumos Intensivos de Energia (SGCIE).
No caso da certificação, a perspetiva já é diferente. Aqui o objetivo já
não é o de melhorar a forma como é gerida e consumida a energia, mas Naturalmente que, com o tempo, o mercado encarregar-se-á de fazer a
sim o de informar sobre o desempenho energético dos produtos, equi‑ sua própria seleção, no caso de produtos e serviços em livre concorrên‑
pamentos ou sistemas, sejam eles eletrodomésticos, sistemas de climati‑ cia e não sujeitos a monopólios naturais em que, infelizmente e apesar das
zação, edifícios ou unidades industriais. A  certificação energética é uma “liberalizações”, o setor energético é fértil.
declaração de conformidade com determinado padrão de desempenho Em Portugal, apesar do panorama não ser muito mau nesta matéria, esta‑
energético, determinada de acordo com um procedimento estabelecido mos muito longe dos esforços e dos investimentos que estão a ser desenvol‑
(consagrado em diploma legal ou norma técnica), atestado por uma enti‑ vidos nesta área (só na Europa, ascendem a cerca de 60 mil milhões de euros
dade com estatuto e competências reconhecidas para essa averbação. anuais, mais 55 mil milhões de euros na China e perto de 35 mil milhões de
No fundo é uma fotografia do que existe, podendo conter indicações euros nos Estados Unidos). É necessário levar a eficiência energética mais a
de eventuais melhorias, como é o caso do Sistema de Certificação do sério, sobretudo em setores como a indústria e os transportes4. Nos edifícios,
Desempenho de Edifícios (SCE), ser meramente informativa do consumo mesmo considerando que as condições climáticas com que fomos bafejados
específico ou do desempenho de determinado bem ou serviço, como reflitam necessidades de aquecimento e arrefecimento mais modestas e não
é o caso da Etiquetagem Energética, ou ter o papel de assegurar a veri‑ nos obriguem a consumos tão energívoros, devemos caminhar decisivamente
ficação de um conjunto de pressupostos que garantam que estão a ser para edifícios autossuficientes em termos energéticos.

3
Diretiva 2009/125/CE do Parlamento Europeu e do Conselho de 21 de outubro de 2009,
relativa à criação de um quadro para definir os requisitos de conceção ecológica dos produtos 4
No setor da habitação e dos serviços têm sido desenvolvidos esforços interessantes, essen‑
relacionados com o consumo de energia (reformulação). cialmente através dos fundos do Portugal 2020 e do apoio do EIB (European Investment Bank).

42
dossier solar fotovoltaico na Administração Pública

solar fotovoltaico
na Administração Pública

Após um período de adaptação do mercado a esta nova possibilidade do consumidor poder


produzir energia para consumo próprio, verifica-se que a procura desta solução está a crescer
e que depois de um longo período sem investimento na Administração Pública, começa agora
a ser uma necessidade inadiável.
Jorge Borges de Araújo
CEO
Smartwatt, S.A.

Para as empresas que têm área disponível e consumos relevantes de ener‑


gia, designadamente no período diurno, a opção de investir numa UPAC Qualquer euro investido numa UPAC no âmbito das
(unidade de produção para autoconsumo) é, sem dúvida, uma excelente instalações da Administração Pública, terá sempre
forma de se tornarem também por esta via, empresas mais competitivas. uma taxa de rentabilidade média superior a 20%,
Produzir a energia que se vai consumir é, hoje, uma opção rentável e com um prazo de retorno abaixo dos 5 anos,
com variadíssimas soluções em termos de investimento e de acesso ao para uma instalação que durará mais de 25 anos.
financiamento.
Há empresas que podem reduzir o seu consumo de energia proveniente
da rede em mais de 40 ou 50%, sendo interessante de relevar que em ter‑ local tem, qual o consumo que tem ao longo do dia e a que hora do dia,
mos da redução na fatura essa seja ainda maior. Ou seja é normal que uma pelo período mínimo de um ano de referência, tendo também relevância
redução do consumo proveniente da rede na ordem dos 40%, provoque os consumos durante o fim-de-semana.
uma redução na fatura acima de 40%, pelo facto da energia produzida Salienta-se que a produção de energia de uma instalação solar fotovol‑
para autoconsumo ocorrer, normalmente, quando a energia proveniente taica só acontece quando há sol. Neste sentido será necessário avaliar se
da rede é mais cara, isto é, nos períodos tarifários mais elevados. quando há sol há também consumo, pois o que é produzido é imediata‑
Já na Administração Pública esta redução na fatura em termos compa‑ mente consumido (ou injetado na rede). Uma vez que o que se pretende,
rativos será ainda maior, pois normalmente os edifícios e equipamentos da para maximizar o investimento, é que seja autoconsumida toda a energia
Administração Pública predominantemente funcionam num turno, normal‑ que é produzida (ou pelo menos grande parte dela), será necessário fazer‑
mente durante o dia, onde a produção fotovoltaica ocorre. -se uma análise técnica criteriosa.
No entanto, será de alertar para o facto de que sendo um bom inves‑ Na Administração Pública o investimento em UPAC pode ser tam‑
timento, só o será efetivamente se a análise técnica e económica for feita bém feito através de financiamento via POSEUR, sendo este programa no
com rigor. Esta análise deverá ser realizada por uma empresa de serviços âmbito do P2020 aquele que prevê o investimento em Eficiência Energé‑
de energia com técnicos capazes de conceber a instalação que melhor se tica e, simultaneamente, em sistemas de produção de energia para auto‑
adequa à tipologia de consumo de uma determinada instalação da Adminis‑ consumo onde o solar fotovoltaico se enquadra. Existem constrangimentos
tração Pública, como por exemplo escolas, hospitais, piscinas, edifícios admi‑ neste programa, pois só é possível instalar uma UPAC num valor até 30%
nistrativos, entre outros. Essa conceção implica avaliar o tarifário que esse do investimento global previsto para o projeto de eficiência energética.
Por outro lado, o espaço muitas vezes disponível nos edifícios da Admi‑
nistração Pública são limitativos em termos de possibilitar instalar a potên‑
cia que seria desejável para reduzir ao máximo os custos com a energia.
Não obstante estes constrangimentos, qualquer euro investido numa
UPAC no âmbito das instalações da Administração Pública, terá sempre
uma taxa de rentabilidade média superior a 20%, com um prazo de retorno
abaixo dos 5 anos, para uma instalação que durará mais de 25 anos.
Tendo em consideração todos estes fatores, de que esperam os nossos
governantes para que a Administração Pública comece a poupar, de forma
massiva, nos custos com a energia? A tecnologia existe, os mecanismos
legais estão definidos, as empresas estão preparadas, a poupança é garan‑
tida, o que é que falta?
Um euro que não se poupa hoje com os custos de energia é um euro
que nunca mais será poupado!

43
nota técnica

os três pilares
da transição energética

A transição energética não é uma obrigação mas uma necessidade, para cumprir com os objetivos
climáticos devemos ir ao encontrar de um modelo energético sustentável que potencie a utilização
de fontes de energia renováveis.

CIRCUTOR, S.A.

Os países industrializados geram a maioria da sua eletricidade a partir de tempo reduzido.Também proporciona uma grande vantagem ao sistema
centrais elétricas convencionais, como por exemplo as de carvão, gás ou de operação, mantendo a flexibilidade da sua capacidade total, e aumen‑
nucleares. Estas unidades proporcionam um enorme benefício económico tando ou diminuindo o número de módulos. A GD reduz as perdas de
às empresas geradoras, onde os utilizadores pagam as suas necessidades energia nas redes de distribuição e transporte.
energéticas comprando eletricidade e combustível às empresas de servi‑
ços públicos pertinentes. Este modo de abastecimento, fácil de utilizar, acar‑ • Económico
reta custos elevados e, do ponto de vista da utilização racional da energia, Evita custos de investimento em transmissão e distribuição, gerando um
bastante ineficiente. menor custo em infraestruturas elétricas, e conseguindo assim, poupan‑
A transição energética é difícil mas não é impossível, em que o primeiro ças de operação e manutenção. Reduzir os custos de combustível devido
passo é alterar a forma de geração da energia. Para tal é necessário des‑ à melhoria da eficiência no caso das aplicações de cogeração. Estes sis‑
centralizar os pontos de geração. Este modelo energético é conhecido temas utilizam o calor residual para a sua reutilização em aquecimento,
como Geração Distribuída (GD), um sistema que se baseia na geração de refrigeração ou para aumentar a sua eficiência através da geração de ele‑
energia no mesmo ponto onde se vai consumir, reduzindo, diretamente, as tricidade, poupando energia primária.
perdas de rede, facto que contribui para a preservação do meio ambiente
através da utilização de fontes de energia renováveis. • Ambiental
A  Geração Distribuída  tem várias vantagens relativamente ao sistema Reduz a emissão de contaminantes. A GD potencia o autoconsumo uti‑
convencional. Supõe benefícios tanto ao nível técnico, económico como lizando sistemas de geração in situ, e assim consegue-se reduzir o con‑
do meio ambiente: sumo de energia primária de fontes convencionais através da geração
de energia mais limpa como a de um sistema fotovoltaico, além de evi‑
• Técnico tar as emissões geradas devido às perdas de transmissão das centrais
Melhora a qualidade do serviço técnico porque diminui a probabilidade para as cidades.
de falha devido a queda de linhas de alta tensão, ao ser reduzida a per‑
centagem de utilização das linhas. Estes sistemas podem compreender vários sistemas de geração e arma‑
Os sistemas DG são modulares e proporcionam flexibilidade ao sis‑ zenamento, permitindo deslocar a geração dos sistemas convencionais
tema de distribuição elétrica, o que implica uma instalação simples num para a geração solar ou eólica. Não obstante, para conseguir alcançar uma

44
nota técnica

transição energética não-base descentralizar os pontos de geração e utilizar Um motor elétrico tem um rendimento de cerca de 95% enquanto um
fontes de energia limpa sem que também se tenha que alterar a forma de motor térmico de 30%, ou seja para percorrer 100 km, a energia que con‑
consumir. Portanto, o êxito assenta em mudar a consciência do consumidor some um carro elétrico é três vezes menos do que um veículo convencional.
e em fazer uma utilização racional dos recursos energéticos. Partindo da premissa de que a energia utilizada por veículos elétricos
A redução do consumo energético baseia-se em 3 pilares fundamentais: pode advir de fontes limpas, enquanto uma convencional só pode vir de
fontes fósseis.
• Eficiência energética elétrica
É a redução das potências e energias exigidas ao sistema elétrico sem • Edifícios de consumo quase zero (NZEB)
afetar as atividades normais realizadas em edifícios, indústrias ou qualquer O consumo em edifícios supõe 40% da energia total da Europa. Reduzir
processo de transformação. Uma instalação eletricamente eficiente per‑ o consumo em edifícios supõe um dos principais pontos de atuação para
mite a sua otimização técnica e económica, ou seja, a redução dos cus‑ reduzir a dependência energética e, assim, cumprir com acordos interna‑
tos técnicos e económicos de exploração. cionais para travar as alterações climáticas.
Definitivamente, a eficiência energética abarca 3 objetivos: ajudar Por isso nasce a Diretiva Europeia 2010/31/UE relativa à eficiência
a sustentabilidade do sistema e do meio ambiente através da redu‑ energética dos edifícios, segundo a qual todos os estados membros deve‑
ção de emissões de CO2 através da otimização da procura de energia; rão tomar medidos para que, a partir de 2020, todos os edifícios da nova
melhorar a gestão técnica das instalações aumentando o seu rendi‑ unidade sejam de consumo energético quase nulo (ano 2018 para edi‑
mento e evitando paragens de processos produtivos e evitando pos‑ fícios públicos).
síveis avarias; e reduzir o custo económico da energia e da exploração Os edifícios de consumo de energia quase nulo nZEB (nearly Zero-
das instalações. -Energy Building) têm um nível muito alto de eficiência energética e con‑
forto, além de um consumo de energético muito baixo, procedendo, na
• Mobilidade elétrica sua maioria, fontes renováveis in situ ou do ambiente.
A transição energética não tem lógica sem a mobilidade elétrica, uma
vez que o veículo elétrico é o futuro. A transição para o veículo elétrico Definitivamente, a transição energética supõe uma série de desafios
supõe uma redução drástica das emissões de Gases com Efeito de Estufa complexos a tratar, mas se se gerarem, de forma adequada, os benefícios
(GEE). Basta simplesmente pensar na diferença de rendimento entre um que supõe o novo modelo energético, permitirá travar as alterações climá‑
motor de combustão e um elétrico. ticas e melhorar a qualidade de vida de todos.
PUB.

45
case study

analisadores de rede da Weidmüller

Monitorização da qualidade energética (Power Quality Monitoring) em sistemas fotovoltaicos e eólicos,


de confiança e com uma certificação de classe A (IEC 61000-4-30). Máxima transparência relativa
ao consumo de energia e qualidade da energia elétrica através do analisador de qualidade energética
classe A, com uma medição de corrente diferencial residual.

Weidmüller – Sistemas de Interface, S.A.

A qualidade da alimentação elétrica está dire‑ distribuição da rede de média tensão são opera‑
tamente relacionada com uma segurança de dores de redes de distribuição (ORDs). O operador de rede deve manter
fornecimento permanente, ou seja, a ausên‑ É de notar que os sistemas de produção estão a energia elétrica e a frequência
cia de interrupções percetíveis. Os causadores diretamente ligados à rede de média tensão o mais constantes possível, e só
de perturbações e danos são frequentemente (RMT) e nesta se alimentam. A responsabilidade assim se permite que consumidores
harmónicas e transitórios. Uma operação de operacional pelas redes de média tensão está e sistemas de produção de energia
confiança dos sistemas com os seus consumi‑ nas mãos dos operadores de rede de distribui‑ funcionem adequadamente.
dores eletrónicos como processadores eletró‑ ção (ORD).
nicos de dados ou controladores industriais,
para além de um fornecimento fiável, requer
também uma boa qualidade da energia elétrica, podem influenciar a regulação da energia elé‑
o que é de importância crucial. Para conseguir trica e causar flutuações anormais de voltagem
uma máxima transparência sobre o consumo e frequência.
de energia e a qualidade da energia elétrica As DNOs são responsáveis pelo desempenho
é, por sua vez, necessária uma análise e docu‑ do sistema energético e atualmente, os objetivos
mentação precisas com procedimentos certi‑ de qualidade tornaram-se cada vez mais explíci‑
ficados. A Weidmüller disponibiliza, para isso, tos tanto na forma de contratos negociados com
o analisador de qualidade da energia elétrica os clientes como na forma de objetivos defini‑
Energy Analyser 750. Para além do registo contí‑ dos com o regulador.
nuo do consumo, o dispositivo possibilita tam‑ O distribuidor é responsável independen‑
bém a monitorização de correntes diferenciais temente da falha! O operador de rede deve
residuais. Deteta e analisa perturbações como manter a energia elétrica e a frequência o mais
harmónicas, assimetrias, transitórias, oscilações, constantes possível, e só assim se permite que
potência reativa e muito mais. A gama de ser‑ consumidores e sistemas de produção de ener‑
viços possibilita uma deteção de erros abran‑ Figura 1 Rede inteligente. gia funcionem adequadamente. De facto, vários
gente. O Energy Analyser 750 funciona em reguladores já definiram (ou planeiam estabe‑
conformidade com as normas habituais, como lecer) objetivos da qualidade de energia (como
EN 50160, IEEE5 19 ou IEC 61000-2-4 e pode Os consumidores, especialmente nos seto‑ por exemplo: continuidade no fornecimento e
ser integrado de forma económica na maioria res comercial e industrial, encaram com preocu‑ qualidade da energia) que podem ser garanti‑
das arquiteturas de comunicação, através dos pação os seus sistemas e controlos eletrónicos dos pelos DNOs. Em alguns países, os regula‑
seus interfaces. integrados. Encontram-se em todos os setores e dores podem até impor penalizações caso não
A qualidade da energia elétrica é relevante para cada vez mais na área dos sistemas. No processo sejam cumpridos os objetivos da qualidade de
um círculo crescente de fornecedores e consu‑ constatam que são, frequentemente, a própria energia.
midores, como também para fontes de energia causa de perturbações. Os conversores de fre‑
renováveis. Os sistemas fotovoltaicos e eólicos quência e as lâmpadas economizadoras são ape‑
têm sido, ao longo da última década, cada vez nas dois exemplos de cargas não lineares, que Procura das causas
mais associados à rede de média tensão. Os sub‑ podem causar perturbações graves. Os proble‑ Os operadores de rede têm um grande inte‑
sídios existentes para o cumprimento dos objeti‑ mas também podem, no entanto, causar uma resse em monitorizar a qualidade da energia no
vos reguladores (por exemplo 20-20-20 da UE), carga desequilibrada totalmente trivial na rede ponto de conexão dos sistemas, particularmente
bem como o rápido desenvolvimento da tecno‑ trifásica. Do ponto de vista técnico, esses siste‑ em sistemas fotovoltaicos e eólicos. Para a moni‑
logia disponível foram dois fatores fundamen‑ mas de produção de energia diretamente ligados torização são idealmente adequados os dispositi‑
tais para justificar este enorme crescimento da à rede de média tensão (Distributed Generation) vos de análise de energia de classe A. A conexão
energia renovável. Aqueles diretamente ligados à são um desafio para os operadores da rede. Eles de dispositivos certificados de classe A ocorre,

46
case study

paralelamente, com os contadores para fatu‑ com a oscilação base no sistema trifásico, todas Métodos de medição padronizados
ração. Somente um analisador certificado de as harmónicas ímpares no condutor neutro não da qualidade da energia elétrica
classe A garante que os resultados são confiá‑ se anulam, mas somam-se. Isto pode levar a uma Os efeitos indicados são apenas determináveis
veis, reproduzíveis e equiparáveis. carga de corrente indevidamente alta do condu‑ com grande esforço, além disso, a resolução
Não importa se deseja responsabilizar os tor neutro. Os geradores de harmónicas típicos temporária e a tolerância de medição do anali‑
“culpados” por qualquer dano resultante, ou se são os conversores de frequência já menciona‑ sador de qualidade de energia elétrica desem‑
quer pedir o respetivo dinheiro ou se gostaria dos. As sobrecargas das operações de comuta‑ penham um papel decisivo na documentação.
de identificar e neutralizar as fontes de pertur‑ ção são também comuns. Especialmente em áreas nas quais a qualidade
bação por precaução: são necessários, para isso, da energia elétrica, ou uma limitação de pertur‑
valores de medição fiáveis e documentados que, bações são elementos do contrato, o método
em caso de dúvida, são válidos mesmo perante de medição é de importância crucial. Os par‑
o tribunal. Aqui são úteis os registos dos analisa‑ ceiros contratuais devem definir as caraterísti‑
dores de qualidade de energia elétrica, como os cas da energia elétrica, bem como o método de
que a Weidmüller comercializa há anos. As suas medição e a qualidade dos dispositivos de medi‑
amplas ferramentas de análise e documentação ção. A tentação de amplamente ignorar possí‑
permitem uma visão abrangente e detalhada de veis perturbações através de dispositivos menos
um sistema. Além dos valores básicos como nível eficazes seria grande. Muito embora nenhuma
de tensão, frequência e forma da curva, regis‑ intenção seja assumida, há muito tempo que é
tam todo o tipo de perturbações. Essas podem difícil comparar dispositivos de diferentes fabri‑
ser efeitos de oscilações ou também breves cantes. Para uma comparação precisa devem
quedas de energia elétrica, tais como as típi‑ ser desenvolvidas normas vinculativas e proce‑
cas da ligação automática após curtos-circui‑ dimentos para avaliar a medição – não estavam
tos do arco elétrico. Um outro clássico são as disponíveis anteriormente. O utilizador teve de
harmónicas causadas por cargas não lineares e se debater não apenas com a medição real, mas
que podem afetar significativamente o funcio‑ possivelmente também com os algoritmos de
namento de outros dispositivos. Em contraste Figura 2 Medição da qualidade da energia elétrica. medição e procedimentos do fabricante. Para
PUB.

47
case study
ANALISADORES DE REDE DA WEIDMÜLLER

criar uma segurança jurídica, os fornecedores e elétrica, a análise de harmónicos em caso de medição secundários sem uma interface de
clientes teriam que incluir no contrato cláusulas problemas da rede, a verificação da rede elétrica Ethernet. Para a utilização na comunicação de
do tamanho de páginas sobre os dispositivos de interna de acordo com a Norma EN 61000-4-7, edifícios está integrado o protocolo BACnet. 
medição utilizados. EN 6100-4-15, EN 61000-4-30, entre outros. O dispositivo fornece, entre outros, um con‑
Felizmente, existe há alguns anos a norma IEC O Energy Analyser 750 foi concebido para versor A/D muito rápido, com uma alta taxa de
61000-4-30 Classe A. Ela fornece especificações a recolha de grandes quantidades de dados, amostragem (25,6 kHz), uma entrada de tem‑
detalhadas que um analisador de qualidade de como é o caso da sua alta taxa de amostra‑ peratura, duas entradas de medição por RCM e
energia elétrica deve cumprir, para que os resul‑ gem de 25  600 Hz ou da constante medição como também uma interface RS485 separada, de
tados também possam ser consultados em lití‑ do valor efetivo real (True RMS). Para que esta 3 pólos, com resistência de terminal alternável.
gios. A norma define os parâmetros necessários, quantidade de valores de medição seja mantida Os valores efetivos de meia onda True RMS para
os métodos de medição adequados, a precisão mesmo no caso de uma falha da rede de dados, tensão, corrente, potência real, potência rea‑
e as larguras de banda, permitindo reproduzir e esta dispõe de uma grande memória interna de tiva e frequência estão disponíveis, simultanea‑
comparar resultados, sem problemas. dados de medição com 256 MB. Como resul‑ mente, para fase/fase e fase/terra. O tempo de
Como exemplo, um dos requisitos obrigató‑ tado, as funções do CLP podem também ser gravação de ocorrências e transitórios foi pro‑
rios do TEDAS (regulador turco para DNOs) implementadas por meio de uma interface Jasic, longado. As ocorrências podem também ser exi‑
para qualquer instalação de geração de energia isto é, uma inteligência local. Juntamente com bidas em forma de onda. O tempo de gravação
conetada ao MV Grid na Turquia, ao instalar um a gestão de alarmes incluída no Weidmüller de ocorrências e transitórios foi drasticamente
analisador de energia de classe A no ponto de Energy Suite, as perturbações podem frequen‑ aumentado, sendo registados, adicionalmente,
ligação. Este analisador de classe A está sempre temente ser detetadas e corrigidas atempada‑ um minuto de pré-gravação e 10 minutos de
conetado à Unidade Terminal Remota (RTU) da mente. O acesso às muitas funções e pontos de pós-gravação. Além disso, os valores efetivos de
instalação, para enviar remotamente ao TEXAS medição é simplificado ao usar o grande e intui‑ meia onda estão acessíveis em V, A, kW, kvar e
SCADA todos os parâmetros de qualidade de tivo visor gráfico a cores. Os valores de medi‑ Hz para estrela e triângulo.
energia. ção e as ocorrências podem ser exibidos não
No entanto, as medições de qualidade de só de forma numérica, mas também como grá‑
energia nas instalações fotovoltaicas/eólicas não fico de barras ou gráfico de linhas. Para a cor‑ Complemento com medição
devem ser apenas importantes para os DNOs. rente e tensão é possível uma representação na de corrente diferencial residual
Estas medições também podem ser muito úteis forma de onda. O Energy Analyser 750 tem duas entradas de
para os proprietários das instalações, uma vez RCM para a medição de corrente diferencial
que estarão em condições de: residual (Residual Current Monitoring) que, junta‑
• Recuperar informações valiosas sobre a sua mente com a gestão de alarmes do Weidmüller
própria instalação para fins internos; Energy Suite, proporcionam uma segurança adi‑
• Responder/reclamar ao DNO sempre que cional. No caso da monitorização contínua das
a instalação for desconetada do MV Grid correntes diferenciais residuais de um sistema
devido a qualquer falha ou distúrbio. elétrico é definida, por exemplo, uma saída digi‑
tal no caso de excesso de um valor de resposta
Deve-se observar que, para o proprietá‑ ou é enviado um email. O operador do sistema
rio da instalação, não é necessário monitorizar pode reagir atempadamente, antes que um dis‑
continuamente estas medições de qualidade de positivo de proteção atue. Isto é especialmente
energia de classe A, uma vez que habitualmente importante em sistemas que precisam de garan‑
possuem uma grande memória para armazenar tir uma disponibilização muito alta.
eventos.

Conclusão
Dispositivos certificados É importante prestar uma atenção reforçada à
Existem muitos analisadores de qualidade de qualidade da energia elétrica, já que é essencial
energia elétrica no mercado, no entanto, segu‑ para um fornecimento fiável da gestão. A Weid‑
ramente nem todos são certificados. Isto é dife‑ müller oferece, para isso, dispositivos adequados
rente no caso do analisador de qualidade de que são certificados de acordo com as nor‑
energia elétrica da Weidmüller. O Energy Analy- Figura 3 Perspetiva do EA 750. mas aplicáveis e, assim, garantem a segurança
ser 750 é certificado e funciona de acordo com jurídica. Com a certificação IEC 61000-4-30,
as normas e disposições atualmente aplicáveis. o Energy Analyser 750 proporciona uma segu‑
Assim, é proporcionada uma referência fiável Além disso, o software ecoExplorer go está rança adicional à relação entre cliente e forne‑
também em litígios: para a documentação da incluído no conteúdo da entrega, o que também cedor. A Weidmüller desenvolve o pacote global
qualidade de energia elétrica para clientes finais, facilita a avaliação e a documentação. constantemente. Assim, a nova homepage dos
para a documentação em empresas de forneci‑ Também a arquitetura de comunicação é dispositivos disponibiliza uma função de semá‑
mento de energia, para autoridades reguladoras adaptada às muitas possibilidades de aplicação foro, que assinala visivelmente se a EN 50160 é
ou para a análise concreta de erros no caso de e às grandes quantidades de dados. Graças a cumprida.
problemas de qualidade de energia elétrica no diversos protocolos de Ethernet é possível, por
abastecimento energético. exemplo realizar, de modo económico, a moni‑
Weidmüller – Sistemas de Interface, S.A.
O Energy Analyser 750 da Weidmüller domina torização remota de processos críticos. Como
Tel.: +351 214 459 191 � Fax: +351 214 455 871
todas as disciplinas do seu campo, tais como a o gateway de Modbus, o Energy Analyser 750
weidmuller@weidmuller.pt � www.weidmuller.pt
monitorização contínua da qualidade da energia pode integrar, a baixo custo, os dispositivos de

48
case study

como escolher a solução correta


para a monitorização
da condição em turbinas eólicas
Quase todos os indicadores corporativos - desde segurança e desempenho ambiental a solidez
financeira – melhoram se estabelecermos a fiabilidade como um valor organizacional central.
Embora isto se aplique em todas as áreas de negócio, a fiabilidade é, sem dúvida, mais importante
para empresas que operam equipamentos com partes móveis – como parques eólicos, por exemplo.

SKF Portugal – Rolamentos, Lda.

Quanto mais exigentes forem as condições de quando a aplicação falha, como também ajuda a da aplicação, necessário para melhorar a fiabili‑
funcionamento e mais antigo for o equipamento, manter a eficiência energética e a otimizar a pro‑ dade do ativo. Mais ainda, a SKF oferece projeto
menos fiável este tende a ser. É aqui que a moni‑ dutividade da máquina, economizando ainda mais. e desenvolvimento de rolamentos, vedações, sis‑
torização da condição (CM) pode fazer uma dife‑ Mas os seus benefícios não param por aqui… temas de monitorização da condição e sistemas
rença positiva significativa. Os benefícios da CM A CM também pode ajudar a prolongar a vida útil de lubrificação que permitem uma geração de
em qualquer equipamento com componen‑ dos componentes, aumentar os intervalos de manu‑ energia eólica mais económica.
tes rotativos são notáveis, mas as vantagens são tenção, melhorar a segurança, reduzir o tempo de Ao trabalhar com fabricantes de equipamen‑
particularmente atrativas em aplicações de tur‑ reparação e aumentar a vida útil da turbina eólica. tos originais e operadores de parques eólicos, os
binas eólicas, especialmente quando combina‑ É realmente uma escolha óbvia, no entanto, levanta engenheiros da SKF podem fornecer soluções
das com monitorização e diagnóstico remotos. uma questão fundamental: como é que um opera‑ customizadas que podem otimizar a fiabilidade
A CM é essencialmente uma estratégia que dor de parque eólico pode realizar a CM efetiva‑ e o desempenho de projetos novos e existentes
monitoriza a condição de um ativo para deci‑ mente? A resposta é mais simples do que imagina! de turbinas eólicas.
dir que manutenção precisa ser feita com base A primeira questão a considerar é a complexi‑ Sensores para aplicações de turbinas eólicas
em sinais de desempenho decrescente ou falha dade da aplicação. Se tiver um equipamento sim‑ podem ser conetados ao sistema IMx-8, que
iminente. Normalmente, envolve parâmetros de ples, a tecnologia CM simples deve ser suficiente. mede os níveis de vibração de turbinas eólicas
medição da máquina, como vibração e tempe‑ Se for mais complexo, necessitamos de um sis‑ 24/7 para antecipar quaisquer problemas mecâni‑
ratura. Ao alertar a equipa de manutenção para tema de CM mais sofisticado. cos que possam ocorrer no futuro. O sistema de
alterações significativas num ou mais desses parâ‑ O segundo ponto é considerar a rapidez com registo, em seguida, mede e armazena os dados,
metros (que são indicativos de desenvolvimento que a degradação pode ocorrer. Se a falha se para que uma equipa dedicada da SKF possa ava‑
de falha), a CM pode praticamente eliminar o desenvolver lentamente, terá tempo de fazer liar que ações tomar, quando ocorre um alarme.
tempo de paragens não programadas, causado medições e agir. No entanto, caso a degrada‑ O IMx-8, do tamanho de um livro, faz interface
por falha inesperada do equipamento. ção ocorra rapidamente, a falha catastrófica é com dispositivos móveis e laptops para fácil moni‑
Em aplicações de turbinas eólicas, a CM pode possível. Nestas circunstâncias, faz sentido insta‑ torização e configuração. Pode conetar-se ao ser‑
levar a grandes poupanças, permitindo que o ope‑ lar medidas de CM permanentes ou online que viço Cloud da SKF para armazenar e partilhar dados,
rador do parque eólico repare os componentes possam detetar uma falha antes que esta ocorra. bem como ao serviço de monitorização remota da
da torre no local, em vez de ter que desmontá-los O terceiro ponto é a acessibilidade. No caso SKF. Este serviço de monitorização remota significa
e levá-los para uma oficina, a fim de serem repa‑ de uma turbina eólica, se alguém tiver que subir que qualquer empresa com acesso à Internet pode
rados. É, igualmente, muito menos dispendioso cada vez que for preciso fazer medições, isto cria implementar um programa de manutenção predi‑
corrigir falhas e/ou danos num estágio inicial de exposição a riscos desnecessários. Neste caso, faz tiva para monitorizar os seus ativos críticos. A SKF
degradação, em vez de posteriormente, quando sentido instalar um sistema “inteligente” que faça pode gerir todo o programa de CM ou desenvol‑
os componentes precisarem ser substituídos. medições somente quando o equipamento esti‑ ver uma infraestrutura personalizada como um sis‑
Da mesma forma, a CM garante que as turbinas ver a funcionar num nível de carga definido, e que tema pronto a usar, para que a empresa o faça.
estão a funcionar no seu nível ideal de desempe‑ possa ser lido remotamente.
nho e faz com que certos serviços sejam execu‑ Para ser verdadeiramente eficaz, a CM exige
SKF Portugal – Rolamentos, Lda.
tados somente quando o equipamento realmente um fluxo regular de dados. A SKF, por exem‑
Tel.: +351 214 247 000 � Fax: +351 214 173 650
precisa de intervenção. Assim, a CM não só é plo, oferece um sistema completo de monito‑
skf.portugal@skf.com � www.skf.pt
menos dispendiosa do que tomar medidas apenas rização, análise e diagnóstico e o conhecimento

49
case study

inimigos do fotovoltaico: o hotspot

O presente e o futuro trazem grandes desafios à tecnologia fotovoltaica em termos de qualidade


do material, instalação, operação e, finalmente, desmontagem. A energia fotovoltaica é uma tecnologia
madura, mas somente se o setor responder adequadamente aos requisitos de fornecimento seguro
e fiável, é que pode ser estabelecida como a principal fonte de eletricidade em larga escala.

Gerhard Meyer
Responsável de qualidade na AS Solar Ibérica
Auditor fotovoltaico certificado pela TÜV Rheinland

A AS Solar dedica-se, desde o seu início há 17


anos, ao fornecimento de material e serviços de Um hotspot é uma zona dentro
qualidade, e é por isso que somos obrigados a de um módulo fotovoltaico que
formar e informar sobre os riscos que podem se aquece excessivamente, podendo
ocorrem em sistemas fotovoltaicos, bem como ocasionar a destruição deste
as formas de preveni-los ou reduzi-los. Neste ou até um incêndio.
artigo aprofundaremos sobre um defeito grave
que podemos encontrar em módulos fotovol‑
taicos devido a má qualidade dos materiais e/ou procedentes do ambiente. Os sombreamentos
manipulação: o hotspot ou ponto quente. podem ser pontuais (sujidade, excrementos…)
ou permanentes (árvores, chaminés ou outros Figura 3 Eletroluminescência, as zonas escuras são inati-
elementos que criem sombras temporais sobre vas, devido a microrroturas (Fonte: M. Diehl).
O que é um hotspot? o gerador).
Um hotspot é uma zona dentro de um módulo Vejamos alguns exemplos:
fotovoltaico que se aquece excessivamente, • Soldadura partida. O uso de uma pasta de • Sombreamento. Provocado por elemen‑
podendo ocasionar a destruição deste ou até união inadequada para os interconetores ou tos do ambiente (plantas, ramos, antenas…)
um incêndio (Figura 1). processos de soldadura deficientes, pode cria-se um sobreaquecimento da zona som‑
levar à rotura destes. Também pode ocor‑ breada (Figura 4);
rer durante o transporte ou manipulação • Sujidade. A persistência de sujidade devido
Como se origina um hotspot? do módulo em questão (Figura 2); a uma deficiente manutenção pode gerar
O hotspot produz-se devido a uma elevada • Rotura de células. As células fotovoltaicas hotspots (Figuras 5 e 6).
resistência numa zona concreta do módulo têm uma grossura aproximada de 200‑300
fotovoltaico. A zona afetada converte-se num micrómetros, o que indica que são extrema‑
consumidor de eletricidade que gera calor, supe‑ mente frágeis e que se podem criar fissuras Processo de criação de um hotspot:
rando até os 200ºC. A resistência origina-se durante a produção, transporte ou instala‑ cadeia incendiária
por defeitos internos ou por sombreamentos ção (Figura 3); A partir dos defeitos anteriormente citados, enca‑
deiam-se uns processos irreversíveis que, depen‑
dendo da duração do efeito, podem abarcar
desde a perda até à destruição do módulo ou
ainda o incêndio:

Figura 4 Efeito de ponto quente (hotspot) provocado por


Figura 1 Imagem termográfica de um hotspot (Fonte: Flir). Figura 2 Interconexão de células partidas (Fonte: Firstgreen). um pequeno sombreamento (Fonte: M. Diehl).

50
case study

Se o transporte e o manuseamento
durante a instalação não
são adequados, as probabilidades
de que apareçam hotspots ao longo
da vida útil da instalação aumentam.

para mencionar duas condições básicas de


transporte;
• Durante a instalação do material procurar
Figura 5 Impureza arenosa em módulos fotovoltaicos (Fonte: que não se pisem os módulos, para além
Photovalía Solar Services). de se seguir as instruções de montagem do
fabricante;
• Limpar os módulos, conforme as circunstân‑
cias da instalação do respetivo lugar requei‑
ram. Por exemplo: num local de pouca chuva
Figura 9 Hotspot estendido (Fonte: M. Diehl). e de módulos instalados com pouca inclina‑
ção, a limpeza deve ser feita mais frequente‑
mente. E isso não é apenas para aumentar
o rendimento do sistema, mas assim se evita
também o aparecimento de hotspots;
• Rever regularmente o sistema. Para além de
se monitorizar o sistema permanentemente,
Figura 6 Excremento de pássaro sobre módulo fotovoltaico convém levar a cabo, pelo menos uma vez
(Fonte: Homepower). por ano, uma revisão visual e com equipa‑
mentos especiais de medição.

Com todas as medidas aplicadas pode-se


combater eficazmente o hotspot e muitos outros
defeitos. O custo de reparar defeitos cresce
exponencialmente quanto mais tarde se descu‑
bram, pelo que cada cêntimo investido na qua‑
lidade do material, instalação e revisões tem um
benefício económico assegurado.
Figura 10 Incêndio num sistema fotovoltaico (Fonte: TÜV
Rheinland).

• Aquecimento lento e contínuo, inflamação


Figura 7 Processo de criação de um hotspot (Fonte: M. de materiais à sua volta (Figura 9);
Diehl). • Possível arco elétrico, permanência da chama
depois de se apagar o arco elétrico no mate‑
rial circundante (Figura 10).

Como evitar um hotspot?


O hotspot é um defeito que pode aparecer em
qualquer momento da vida útil do módulo, pode
ser induzido devido a um defeito de fabrico do
módulo. Por outro lado, se o transporte e o
manuseamento durante a instalação não são ade‑
quados, as probabilidades de que apareçam hots-
pots ao longo da vida útil da instalação aumentam.
Figura 8 Queimadura na backsheet (Fonte: M.Diehl). Para prevenir hotspots recomenda-se:
• Comprar material de marcas conhecidas
e comprovadas, com processos de fabrico
• Resistência elevada/aquecimento do ponto certificados e transparentes;
de contacto (Figura 7); • Assegurar um transporte à obra com as
AS Solar Ibérica de S.E.A., S.L.
• Rutura de pontos de contacto e aqueci‑ máximas precauções. Os módulos são equi‑
Tel.: +351 234 041 419
mento e amolecimento do material isolante pamentos delicados e devem ser transpor‑ info-pt@as-iberica.com � www.as-iberica.com
(Figura 8); tados em paletes e sem pesos em cima,

51
case study

REDUÇÃO ATÉ 40% NO CONSUMO

ventilação de alta eficiência


numa casa passiva

Reabilitação passiva de uma habitação de 1918 em Barcelona, a “casa eficiente Mz”, diminuindo
o consumo energético de 171 kWh/m2a para 17 kWh/m2a, utilizando um sistema de ventilação
com recuperação de calor de muito alta eficiência da Zehnder.

Zehnder Group Ibérica Indoor Climate, S.A.

Para o arquiteto, este projeto representou o desa‑ modelo ComfoAir 200, certificado pelo Passiv­ que extraímos da habitação por bocas de extra‑
fio de reabilitar uma habitação construída em Haus Institute com 92% de eficiência. ção situadas nas zonas húmidas, e o ar fresco
1918, conservando a volumetria e a fachada origi‑ Trata-se de um sistema completo em que exterior que se introduzirá na habitação através
nal para a rua, mas melhorando as suas caraterís‑ todas as referências e acessórios são standards das condutas de impulsão que distribuem o ar
ticas em termos de conforto térmico e acústico. e normalizados para a Zehnder, de maneira que até às bocas de impulsão nas zonas secas (sala
Os sistemas de construção e materiais utiliza‑ todos os elementos do sistema são compatíveis de estar, quartos, entre outros).
dos na reabilitação permitiram atingir o objetivo, entre si, garantindo uma estanqueidade e eficiên‑ Existe uma infinidade de recuperadores de
reduzindo ao mesmo tempo o consumo ener‑ cia do sistema que dificilmente seriam alcançadas calor para ventilação, mas os permutadores mais
gético de 171 kWh/m2a para 17 kWh/m2a (rea‑ com um sistema de conduta de painel ou chapa. eficientes e indispensáveis para uma habitação
bilitação energética de fator 10), transformando O recuperador de calor contém, no seu inte‑ passiva, são os permutadores de fluxo em con‑
uma edificação tradicional existente numa casa rior, um permutador de calor onde se produz a tracorrente, que obtêm eficiências que chegam
passiva em apenas 120 dias. permuta entre o ar interior carregado de energia, a superar os 90-95%.
Um dos fatores-chave para efetuar numa habita‑
ção passiva é incorporar um sistema de ventilação
com recuperação de calor de elevada eficiência.
A obrigatoriedade de ventilar uma habitação
passiva é lógica. Ao falarmos de uma construção
que procura reduzir 10 vezes o consumo ener‑
gético, com isolamentos tão exigentes e uma
hermeticidade tão elevada que praticamente
não permite nenhuma infiltração de ar natural,
temos de garantir, através de um sistema mecâ‑
nico, a correta ventilação interior. Como é nor‑
mal, essa ventilação deve ser feita através de um
sistema de recuperação de calor que permita
ventilar sem que isso implique qualquer custo
energético.

Sistema de ventilação utilizado


No projeto da casa eficiente Mz, instalou-se um
sistema completo de ventilação com recupera‑
ção de calor Zehnder. O sistema de ventilação
completo inclui todo o sistema de distribui‑
ção de ar ComfoFresh. Também inclui os siste‑
mas silenciadores do ar ComfoWell, e tudo isso Figura 1 Esquema de distribuição em estrela da ventilação nos dois andares da habitação reabilitada e localização do recu-
passando através dos recuperadores de calor perador de calor.

52
PUB.
Vantagens em termos de poupança energética
A perda térmica por ventilação é a perda de calor mais importante
que tem, hoje em dia, uma habitação standard construída segundo as
exigências do Código Técnico de Edificação (CTE) atual, já que este
obriga a ventilar de forma considerável e contínua as habitações, o
que pressupõe uma perda térmica exagerada.
Segundo a norma passiva, a ventilação de uma habitação dever ser
aproximadamente 3 vezes inferior ao que se exige no CTE, uma vez
que assim se reduz imenso a perda térmica por ventilação. De qualquer
forma, o resto das perdas térmicas (transmissões, pontes térmicas, entre
outros) são tão reduzidas que inclusive a ventilação requerida pela norma
passiva adquire uma importância excecional. Na casa eficiente Mz, 36%
do consumo de aquecimento deriva das necessidades de ventilação.

Figura 2 Fotografia do interior da habitação terminada, onde apenas se pode apre-


ciar uma grelha de impulsão de ar branca na parte superior direita da imagem.

Figura 3 Fotografia da fachada interior da habitação. Trata-se de uma fachada ven-


tilada de madeira, atrás da qual se situam as tomadas externas de impulsão e extra-
ção do sistema de ventilação.

No caso deste projeto em concreto, a carga térmica total da habi‑


tação reduz-se de 2150 W a 1300 W, 38% graças ao sistema de recu‑
peração de calor de 90%, conseguindo, por conseguinte, reduzir o
consumo de aquecimento de 27 W/m2 para 17 W/m2.
O objetivo nesta habitação é chegar a um consumo de 14 W/m2,
melhorando ainda alguns aspetos. De qualquer modo seria impossí‑
vel alcançar este consumo sem uma ventilação com recuperação de
calor de elevada eficiência.

Zehnder Group Ibérica Indoor Climate, S.A.


Tel.: +34 902 106 140 � Fax: +34 902 090 163
info@zehnder.es � www.zehnder.es
reportagem

Rittal apresenta o VX25, um sistema


de armários “mais do que perfeito”
Foi no Europarque em Santa Ao longo da sua história, a Rittal contou com a gente nem todas as empresas que podem ter
Maria da Feira, no dia 7 de alguns marcos de grande importância. Inicial‑ essa coragem”, afirmou Jorge Mota, sublinhando
mente, em 1961, com o lançamento da 1.ª caixa que neste dia se apresentava “o que será, a par-
junho de 2018, que a Rittal standard do mercado. Mais tarde, o lançamento tir de agora, o sucessor oficial do sistema de armá-
celebrou um “marco na história” do 1.º armário standard de grandes dimensões, rios TS8, o VX25”.
o PS, depois o lançamento do 1.º ar-condicio‑ O VX25 encontra-se já a ser produzido nas
da empresa com o “lançamento nado para quadros elétricos e mais tarde o lan‑ fábricas da Rittal e é o resultado de um investi‑
daquele que é o produto mais çamento da família de armários modulares, TS8. mento de 550 milhões de euros em desenvolvi‑
emblemático e importante da O TS8 tornou-se o standard do mercado a nível mento do produto e construção de fábricas para
mundial e, segundo o Diretor-Geral da Rittal, a sua produção.
Rittal”. As palavras de Jorge “continua a ser o armário mais vendido no mundo”,
Mota, Diretor-Geral da Rittal tendo a empresa vendido 15 milhões de armá‑
Portugal, deram o mote rios em 20 anos, produzindo atualmente 3300 Novidades Rittal
armários por dia, apenas numa fábrica. Cláudio Maia, Account Manager na Rittal Portugal,
para o início do evento de “É preciso ter um grande arrojo, uma grande tomou a palavra para apresentar as novidades de
apresentação do novo sistema coragem e visão de futuro para, quando se tem 2018 e, de entre as várias áreas de negócio da
de armários VX25, evento que um produto que está no pico de vendas, anunciar Rittal, centrou-se nos armários, climatização, dis‑
o seu fim e lançar algo que o substitui. Não é toda tribuição de energia, softwares de configuradores
juntou da parte da manhã os e sistemas de maquinação.
distribuidores e da parte da Para o interface homem-máquina, para as cai‑
tarde cerca de 140 pessoas xas de comando, controlo e processo de máqui‑
nas a Rittal desenvolveu o novo braço articulado,
entre instaladores, integradores um suporte ajustável em altura com capacidade
e clientes finais. de carga máxima de 60 kg.
Na área da climatização a empresa ampliou
a oferta e concebeu o novo ar-condicionado
texto e fotos por André Manuel Mendes Blue e+ de 1600 W, “único no mundo com uma
poupança energética na ordem dos 75% compa-
rativamente às unidades standard”, bem como
os novos ares-condicionados de teto. Paralela‑
mente a Rittal atualizou o software RiDiag, um
software de gestão, diagnóstico e parametrização
onde é possível sincronizar o novo ar-condicio‑
nado com o telemóvel ou localmente através de

54
PUB.
O VX25 encontra-se já a ser produzido nas fábricas
da Rittal e é o resultado de um investimento de
550 milhões de euros em desenvolvimento do produto
e construção de fábricas para a sua produção.

cabo. Ainda na área da climatização apresentaram os novos chillers


Blue e+ com capacidade de refrigeração de 0,8 a 5,3 kW.
Uma das grandes novidades neste setor é o novo interface IoT da
Rittal que permite ligar todos os ares-condicionados possibilitando
a receção de toda a informação e armazenamento de todo o histo‑
rial dos equipamentos. “Com isto geramos uma cadeia de valor neste
tipo de equipamentos de climatização, que vai desde o planeamento,
com configurações online, encomenda online, a nível de logística, insta-
lação, interface, manutenção e serviços”, afirmou Cláudio Maia.
Na área de distribuição de energia, as grandes novidades são o Rline
Compact, um sistema de barramento compacto até 125 A, o sistema
Ri4Power (barramento até 185 A), novos adaptadores de aparelhagem
até 1600 A, novos seccionadores da Rittal NH slimline e o novo borne
de conexão para barra de terra e neutro.
Em softwares de configuradores tiveram destaque o Ritherm 6.5,
software de dimensionamento de ares-condicionados e o Power Enge‑
neering, ferramenta de configuração e dimensionamento de quadros
elétricos de energia para os sistemas da Rittal que vão até 5500 A.
No que respeita aos sistemas de maquinação, a Rittal iniciou há
dois anos uma nova área de negócio de ferramentas manuais e auto‑
máticas para a indústria de fabricação de quadros elétricos. Com
uma evolução para os centros de maquinação, atualmente apresenta
novos produtos, novas máquinas móveis ou estáticas para maquina‑
ção de cobre.

VX25, o armário “mais do que perfeito”


“A Rittal decidiu lançar este novo sistema de armários quando o atual
TS8 está a bater todo os recordes de vendas a nível mundial”, come‑
çou por afirmar Ceferino Almeida, Account Manager na Rittal Por‑
tugal, dando o mote para a apresentação central da tarde, o novo
armário VX25.
“O novo sistema de armários VX25 é uma sofisticada peça de enge-
nharia mecânica que tem um grande impacto na qualidade das obras
e nos custos finais das mesmas, tornando-as mais económicas”, disse,
explicando o significado das siglas, sendo que o V significa versátil, o X
representa a variável matemática que representa os diferentes requi‑
sitos dos clientes e o 25 que sublinha os 25 mm da furação 100%
simétrica quer na estrutura vertical como na horizontal.
No desenvolvimento e conceção do VX25, a Rittal centrou-se
em 5 pontos fundamentais: mais digitalização, mais robustez, mais
simples, menos acessórios e menos tempo.
Com este novo sistema de armários os instaladores, integrado‑
res e clientes finais poderão contar com: maior robustez, facilidade
de montagem, com dois níveis de instalação (interno e externo);
simetria da estrutura com a furação de 25 mm garantida, quer na
horizontal como na vertical; menos tempo de montagem em por‑
tas e painéis; um novo sistema de fecho com facilidade de instala‑
ção; fácil substituição de portas; dobradiça de 180º plug&play sem
furações; união mais simples dos componentes; um novo sistema
de fecho de portas duplas; junção compatível entre um VX25 e
um TS8.
Paralelamente uma das novidades no caminho da digitalização é a
monitorização digital através do código QR, bem como a integração
reportagem
RITTAL APRESENTA O VX25, UM SISTEMA DE ARMÁRIOS “MAIS DO QUE PERFEITO”

Estes armários foram desenvolvidos


com o objetivo de melhorar
a facilidade de eletrificação
e de instalação, melhorar
a robustez, a durabilidade
da solução (...), oferecendo
mais aos seus clientes finais.

tiveram uma intervenção para falar sobre inte‑


gração dos equipamentos da Rittal e a plataforma
EPlan, através de uma aplicação específica para a
construção mecânica e prototipagem virtual do
armário, em particular do novo sistema de armá‑
rios VX25 onde há capacidade de modularização e
preparação dos armários dentro da própria aplica‑
ção, o que é uma mais valia na poupança de tempo.
desse código no fluxo de trabalho. Todas as par‑ Direcionado aos projetistas, toda a informa‑ No final das apresentações das novidades da
tes planas do armário contam com um código ção CAD estará disponível através do configu‑ Rittal, principalmente da nova gama de armários
QR que identifica a peça e inclui toda a infor‑ rador EPLAN, sendo que há a possibilidade de, para automação industrial e distribuição de ener‑
mação sobre o armário a que pertence e qual através do Pro Panel, transformar o projeto que gia VX25, Jorge Mota, Diretor-Geral da Rittal Por‑
o projeto em que está inserido, impedindo que estiver em TS8 automaticamente em VX25. tugal, em entrevista à revista “o electricista”, fez
haja troca de elementos na fase de assemblagem Para concluir a apresentação do novo sistema um balanço do evento e falou sobre as principais
do quadro elétrico, isto tudo integrado com o de armários VX25, José Meireles, Sócio-Gerente novidades da empresa para o mercado nacional
software de projeto elétrico EPLAN. da M&M Engenharia Industrial, e David Santos e internacional.

“renováveis magazine” (rm): Como que, hoje, o sistema esteja mais bem pre‑
analisa o evento de lançamento dos novos parado do que era o nosso sistema já per‑
armários VX25? feito, o TS8.
Jorge Mota (JM): Estamos a fazer a apre‑
sentação em Portugal deste novo sistema rm: A Rittal Portugal está satisfeita com
de armários. Fizemo-lo de manhã exclusiva‑ o evento, com as novas soluções e com
mente para os nossos distribuidores porque a recetividade por parte dos parceiros e
consideramos que estes são uma extensão público em geral?
de nós próprios, fazem parte da nossa famí‑ JM: A Rittal Portugal está muito satisfeita
lia e, portanto, quisemos informá-los antes eletrificação se possam tornar mais competi‑ porque temos um conjunto de 25 distribui‑
daquilo que íamos apresentar. Da parte da tivas, oferecendo mais aos seus clientes finais. dores e que são os principais distribuido‑
tarde fizemos a apresentação para o mer‑ Tudo isto articulado, diria que é uma equa‑ res de mercado elétrico português, e todos
cado em geral onde estiveram cerca de 140 ção que não é fácil de resolver, e que levou estavam cá e satisfeitos com aquilo que
instaladores, integradores, clientes finais, anos para a Rittal resolver. A Rittal encontra‑ estavam a ver. Da parte da tarde tivemos
pessoas da indústria, da engenharia, a quem -se há 5 anos a investigar para desenvolver esta aqui cerca de 140 pessoas entre instalado‑
nós queríamos comunicar o que estamos a nova plataforma, mas de facto atingiu aquilo res, integradores, clientes finais, e pudemos
fazer, e quais as mais-valias para eles e para que consideramos, ao dia de hoje, o limite ver também o grau de satisfação destes
o seu negócio, e mais importante de tudo, daquilo que era possível fazer para cumprir com aquilo que apresentamos. Reunir todas
dizer-lhes que estamos a apresentar um sis‑ todos os objetivos com os nossos parceiros e estas pessoas, numa quinta feira, para falar
tema para os próximos 25 anos. clientes finais. de um sistema de armários, não é uma coisa
Aquilo que distingue esta nova plataforma displicente e que se faça facilmente, e isto
rm: A anterior gama, que continua a ser da anterior, que nós considerávamos perfeita, demonstra o interesse que o mercado tem
uma referência no mercado, foi substituída e que agora dizemos que esta é mais do que por aquilo que a Rittal tem para lhes dizer.
pela nova gama VX25. Quais as principais perfeita, são a capacidade de instalar mais equi‑ Sinto-me honrado e orgulhoso com o
caraterísticas que distinguem estes armá- pamentos de forma mais robusta no mesmo facto de sermos hoje uma empresa em Por‑
rios no mercado? espaço, a possibilidade de fazer isso em menor tugal que tem um marketshare muito forte
JM: Estes armários foram desenvolvidos tempo, com menor recurso a ferramentas, no mercado dos armários para automa‑
com o objetivo de melhorar a facilidade aumentar a robustez da solução, porque cada ção e distribuição de energia, e ver que o
de eletrificação e de instalação, melhorar vez mais colocamos dentro dos armários com‑ mercado está interessado em escutar-nos.
a robustez, a durabilidade da solução e adi‑ ponentes com peso maior. Tudo isto representa O mercado tem uma grande confiança no
cionalmente permitir que todas as pessoas uma poupança muito grande para os nossos que dizemos e fazemos, e essa confiança foi
que trabalham com eles e vão fazer a sua parceiros. Todas estas diferenças fazem com conquistada ao longo dos últimos 15 anos.

56
PUB.
reportagem

FEIRA DE ENGENHARIA 4.0

EPLAN e Cideon abriram


as portas virtuais
O formato bem-sucedido de uma feira virtual esteve de volta numa versão melhorada.

No dia 15 de maio, a EPLAN e a sua afiliada foi integrada no evento virtual. Clientes e poten‑
Cideon abriram as portas da terceira feira virtual ciais clientes tiveram a oportunidade de assistir A EPLAN e a Cideon
alusiva a tendências da engenharia orientadas a fascinantes apresentações ao vivo sobre enge‑ disponibilizaram aos participantes
para o futuro. As novidades? O stand da feira vir‑ nharia eficiente, de se familiarizarem com novas uma plataforma digital para
tual incluiu uma representação digital da presença funções durante as demonstrações de software e ficarem a par dos mais recentes
conjunta na Feira de Hannover deste ano. Os de obter dicas úteis ao conversar com especialis‑ desenvolvimentos em engenharia
interessados de todo o mundo puderam fazer tas ou outros utilizadores. A feira virtual teve uma e explorarem projetos conjuntos.
uma visita virtual pelas estações individuais. Os duração total de 11 horas de forma a abranger o
elementos bem-sucedidos nas feiras dos últimos máximo de fusos horários e o idioma falado foi o
2 anos continuaram presentes: apresentações inglês. Estiveram online especialistas da EPLAN e No que diz respeito aos tópicos das demons‑
informativas, demonstrações ao vivo das versões da Cideon de todo o mundo, que puderam pres‑ trações ao vivo e das palestras, o principal foco
de software mais recentes e ainda a oportunidade tar um aconselhamento personalizado em muitos da feira deste ano foi a nova versão 2.8 da Pla‑
de conversar com especialistas de todo o mundo idiomas nacionais comuns.  taforma EPLAN, agora mais perto da nuvem
e de estabelecer ligação com outros utilizadores. com um serviço recentemente desenvolvido.
“Ligação para a sua engenharia digital” foi o slo- As inovações nos componentes individuais da
gan da EPLAN para a Feira de Hannover deste Colaboração com parceiros Plataforma EPLAN e as vantagens de aplicações
ano e foi também o lema para a feira virtual que se e comunicação entre utilizadores baseadas em nuvem foram analisadas pormeno‑
realizou no dia 15 de maio. A EPLAN e a Cideon De modo a proporcionar aos participantes uma rizadamente. Os visitantes puderam ainda assistir
disponibilizaram aos participantes uma plata‑ estrutura para os diversos tópicos a abordar, o a interessantes apresentações de produtos com
forma digital para ficarem a par dos mais recentes stand de 420 m2 da EPLAN e da Cideon na Feira relevância prática, por exemplo sobre soluções
desenvolvimentos em engenharia e explorarem de Hannover foi filmado e processado digital‑ orientadas para o futuro como o EPLAN Cogi‑
projetos conjuntos. A EPLAN, a empresa forne‑ mente. Quem não pôde visitar fisicamente a neer, Syngineer e Eplan Data Portal.  Juntamente
cedora de soluções sediada em Monheim, na Ale‑ Feira de Hannover, ou quem pretendeu receber com exemplos de formas inovadoras de utilizar
manha, e a Cideon, sua afiliada em Munique, estão informações mais aprofundadas, pôde explorar o software EPLAN, a feira virtual também ofere‑
em total harmonia com as tendências do setor muito facilmente a simulação de 360 graus do ceu aos clientes e parceiros muito espaço para
e criaram, pela primeira vez, uma réplica digital stand a partir dos seus próprios computadores, o estabelecimento de ligações e para conversas
do seu stand conjunto da Feira de Hannover que tablets ou smartphones. profissionais.

58
PUB.
reportagem

no mundo da deteção automática


com a Steinel
A Steinel apresentou ao Carlos Gonçalves, CEO da F.Fonseca, deu o
mercado um mundo novo mote para o início da apresentação da empresa,
mostrando-se feliz por ser o representante da
onde os sentidos tomam a conceituada marca alemã de sensores e indi‑
dianteira, sendo guiados pelos cou que o mercado está cada vez mais rece‑
inovadores sensores da marca tivo às novidades da Steinel. Ditou que a Steinel
é uma marca de futuro e feita, continuamente,
alemã. A sua representante de produtos inovadores destinados ao mercado
em Portugal, a F.Fonseca, de controlo automático de iluminação. Explicou
mostrou as últimas inovações que a relação da F.Fonseca com a Steinel está
cada vez mais consolidada porque a Steinel é
no passado dia 5 de junho uma marca robusta e que está continuamente a
nas suas instalações, em Aveiro apostar em inovações e soluções que facilitem a
num evento que recebeu nossa vida diária. da Steinel, passando pelas tecnologias de dete‑
Com esta parceria com a Steinel, a F.Fonseca ção Infravermelhos, Alta Frequência, Ultrassons e
distribuidores parceiros ficou mais forte no suporte a projetos que são, Sensores Câmara com as caraterísticas subjacen‑
da marca. sempre e invariavelmente, um sucesso. Poupar tes a cada um. João Toito lembrou que a tecnolo‑
energia com a tecnologia de sensores inteligente gia Alta Frequência pode ser utilizada nas casas de
é um ponto obrigatório, revelou de imediato banho uma vez que consegue passar por corpos
por Helena Paulino Sven Liestman, Diretor Comercial da Steinel. sólidos. Na tecnologia de deteção por Ultrassons
Importante lembrar que em maio de 2017, a existe uma antena emissora, haste ou tipo patch,
F.Fonseca divulgava, orgulhosamente que resta‑ que permitem enviar e receber os sinais eletro‑
beleceu a parceria com a marca alemã Steinel, magnéticos, já a tecnologia por Alta Frequência
12 anos depois. consegue detetar o mínimo movimento mesmo
sendo integrada nas luminárias ou instalada por
cima dos tetos falsos. Com todos os acessórios
Tecnologias inovadoras Steinel para este tipo de instalação invisível, a Steinel é a
João Toito, Gestor de Produto de tecnologias de marca favorita dos designers e arquitetos.
edifícios, abordou as tecnologias da Steinel, dando João Toito deu como exemplo um escritório
um maior destaque às novidades da marca apre‑ para apresentar uma das inovações Steinel apre‑
sentadas na Light & Building 2018, que se reali‑ sentadas na Light & Building 2018: HDP2 Sensor
zou de 18 a 23 de março em Frankfurt am Main. câmara com deteção por alta frequência inteli‑
Os produtos mais abordados foram os dete‑ gente. Com a utilização de mais sensores, con‑
tores de presença e os detetores de movimento segue mapear em 3D a área de deteção e assim

60
reportagem

conseguimos saber, com exatidão, a localização


das pessoas. É importante reter que este dete‑ Um dos produtos inovadores é
tor não reage a massas pequenas como ani‑ a CamLight (...), que é um candeeiro
mais, sendo esta mais uma inovação garantida automático que inclui também uma
pelo sensor iHF embutido no detetor. A tecno‑ câmara, com luz de presença integrada
logia iHF é imune à temperatura, sendo também e altifalante, que deve ser colocada na
muito precisa na deteção de movimentos na sua entrada de uma habitação e que tem
zona de monitorização. olhos e ouvidos a atuar em simultâneo.

Tecnologia de infravermelhos,
ultrassons e alta frequência Para as escadarias recomenda o detetor HF
Outra das inovações da Steinel é a deteção por 360, o HF 180, e o HF 3360, e ainda a armadura
ultrassons, semelhante a um alarme de um carro. RS PRO LED Q1, automática e com um detetor
Esta tecnologia não é sensível à temperatura, de movimento por alta frequência. Para as casas
mas apenas ao movimento, e tomando como de banho são adequados os detetores de pre‑
exemplo uma sala fechada como um escritório, sença HF 360, o detetor de movimento IS D 360
esta tecnologia permite detetar o mais pequeno pode ser aplicado no exterior como no interior. e o RS PRO LED P1. Nos escritórios open space
movimento. No final, João Toito comparou as 3 O alcance de deteção é ajustável em 4 direções o mais adequado é o IR Quattro HD e o Dual
tecnologias que apresentou – IR (infraverme‑ (de 2 a 8 metros), e pode haver uma interligação Tech, ao passo que nos escritórios fechados reco‑
lhos), AF (alta frequência) e US (ultrassons). entre eles até 10 unidades. Por isso, Sven Liest‑ menda-se o IR Quattro Slim e o US 360. João
Foi dado novamente grande destaque à tec‑ man ditou que esta era uma ótima solução para Toito falou ainda de muitas outras aplicações e
nologia de deteção por sensores Câmara HDP2. um corredor, por exemplo. A gama True Presence respetivos produtos como quartos de hospital
Falamos de um sensor ótico que está sempre permite detetar até mesmo o movimento de res‑ com o True Presence e nos corredores o True
a analisar e a comparar imagens, tendo neces‑ pirar. Esta é uma tecnologia de alta frequência digi‑ Presence Hallway, nas salas de aula o IR Quat‑
sidade de ter muita memória e capacidade de tal e com um ajuste preciso da zona de deteção. tro HD, para os armazéns o IS 345 MX High‑
análise. Este detetor tem funcionalidades que lhe O Diretor Comercial da Steinel ainda apre‑ bay (corredores com alturas elevadas), RS PRO
permitem dividir a área de deteção em várias sentou a série P, que se direciona para a ilumina‑ Connect 5100 LED e para o exterior o XLED
zonas individuais e analisar os espaços de forma ção interior e permite interligar várias luminárias. PRO Wide/Square. Nos pavilhões recomenda‑
individual. O processamento da imagem é feito A série RS PRO 5100 LED Connect são arma‑ -se o IS 3360 MX Highbay, nos balneários o RS
no sensor que reconhece a fisionomia humana, duras lineares para estacionamentos halls e PRO LED S1 com o IP65, nos espaços comer‑
deteta e conta as pessoas. armazéns, configurável via app, e que permite ciais o HPD2 para as lojas e o NightMatic 5000
a ativação de grupos vizinhos e o ajuste da ilu‑ para as montras.
minação principal, sendo ideal para aeroportos Depois do almoço foi organizada uma visita
Novidades de deteção e iluminação e para o estacionamento de centros comerciais. à sala de convívio e ginásio da F.Fonseca, onde
automática Outros dos produtos em destaque e res‑ os participantes num ambiente de muita des‑
Sven Liestman iniciou a sua apresentação expli‑ petivas aplicações são o IS345 que podem ser contração jogaram matraquilhos, bilhar e jogo
cando que a Steinel quer tornar todas as casas aplicados em corredores tendo a deteção de de setas. Algum tempo depois os participantes
inteligentes – tanto no interior como no exte‑ movimento por infravermelhos; o Dual US, um foram conhecer o showroom com as novidades
rior – e por isso cria produtos que atuam como detetor de presença por ultrassons que permite Steinel, onde puderam comprovar in loco e de
os nossos sentidos: audição, visão e sempre com contornar objetos e deve ser aplicado nos cor‑ uma forma mais prática, todos os produtos que
inteligência. redores de hotel. tinham sido abordados da parte da manhã no
Um dos produtos inovadores é a CamLight seminário técnico. João Toito mostrou o funcio‑
outra das inovações da Steinel apresentada na namento de cada produto, e relembrou algumas
Light & Building 2018, que é um candeeiro auto‑ Detetor de presença versus detetor das aplicações dos referidos produtos. O dia ter‑
mático que inclui também uma câmara, com luz de movimento minou com uma visita a Aveiro num mini-com‑
de presença integrada e altifalante, que deve ser Edwina Leonhard, responsável pelo mercado boio turístico.
colocada na entrada de uma habitação e que tem português da Steinel, questionou os presentes
olhos e ouvidos a atuar em simultâneo: alguém sobre as principais diferenças entre os detetores
toca a campainha e a câmara dá-nos (através do de presença e os detetores de movimento. Indi‑
telemóvel ou do tablet, onde instalemos a app cou alguns produtos e as suas respetivas aplica‑
associada a este produto) a imagem e o som de ções: Dual HF para os corredores de um hotel
quem está à porta de nossa casa. E ainda permite por ser um detetor de presença por alta fre‑
que comuniquemos, exatamente como um inter‑ quência, o RS PRO Connect 5100 LED para os
comunicador, com a pessoa que está do outro parques de estacionamento tal como o IS 3360;
lado sem que tenhamos de abrir a porta. Tem o HPD2 para as salas de eventos e de reuniões
ainda integrado um cartão SD de 8 GB que está que tem sensores que permitem detetar quan‑
permanentemente a gravar todos os movimen‑ tas pessoas estão presentes e qual a tempera‑
tos dentro da sua área de alcance. tura que está no local. Edwina Leonhard falou
A armadura DL Vario Quattro PRO deteta pre‑ ainda do US 360, o detetor de presença por
cisamente onde é necessário, tendo sensores infra‑ ultrassons, o IR Quattro HD, o detetor de pre‑
vermelhos invisíveis, lentes integradas no difusor e sença, e o IR Quattro HD DALI Plus.

61
informação técnico-comercial

o que nos trará o futuro imediato


da energia fotovoltaica?

Mais um ano e a equipa da AS Solar Ibérica mudou-se para Munique para conhecer as últimas
novidades, tendências e soluções do mercado solar fotovoltaico na Intersolar 2018. A nossa equipa
técnica trabalhará com os melhores fabricantes do setor, de forma a traduzir as últimas inovações
em ferramentas e funções aplicáveis ao mercado espanhol.
AS Solar Ibérica de S.E.A., S.L.

A tecnologia mono-PERC
é uma realidade
O módulo fotovoltaico, como base da energia
fotovoltaica, ocupou 2 Pavilhões completos da
Intersolar Europe, onde as grandes marcas se
mostraram de uma forma mais inovadora e onde
se denotou a tendência indiscutível do mercado
para a tecnologia Mono-PERC.
Tendo em conta esta inclinação do mercado
perante a tecnologia Mono-PERC, o gigante asiá‑
tico Hanwha-Qcells também introduziu a combi‑
nação entre a tecnologia Q-Antum e o Dual-Cell Figura 4 Módulos fotovoltaicos Mono-PERC no stand da JA
no seu novo modelo Q.Peak Duo G5, permitin‑ Figura 1 Módulo fotovoltaico REC N-Peak. Solar.
do-lhes ganhar o prémio Intersolar 2018 na cate‑
goria de módulos fotovoltaicos.
O módulo Q.Peak Duo G5, com uma potência
de 330 Wp e 19,9% de eficiência, consegue redu‑
zir as perdas resistivas graças à utilização de células
divididas pela metade. Esta caraterística provocará,
como consequência, a divisão do barramento da
mesma, reduzindo a intensidade que circula por
este e, portanto, as perdas (Perdas = Resistência
x Corrente^2). O corte liso destas células pro‑
porcionará ainda uma maior estabilidade mecâ‑
nica devido a um menor comprimento de célula. Figura 2 Módulo fotovoltaico LG Neon R Prime. Figura 5 Dispositivo SMA Datamanager by EnnexOS. Fonte:
Seguindo a tendência Dual-Cell, o Grupo Rec SMA Solar Technology.
aposta na célula N-Type no seu novo modelo
N-Peak Série, onde 330 Wp de potência e um
coeficiente de temperatura de -0,35% / ºC, o que
fazem dela uma das grandes apostas do mercado.
A LG Solar continua a apostar na qualidade e
estética dos seus produtos. Este ano a AS Solar
apresentou o seu novo modelo LG Neon R com
uma potência de 370 Wp (60 células) e 21,4%
de eficiência, convertendo-se num dos módulos
mais eficientes do mercado. Aparece, além disso,
uma variante deste modelo para ganhar uma
posição no mercado residencial mais requintado,
onde o LG Neon R Prime Full-Black irá encantar
os mais exigentes. Figura 3 Módulo fotovoltaico AUO Sunbravo. Figura 6 Inversor trifásico SMA Sunny Tripower.

62
informação técnico-comercial

Figura 7 Equipamentos compatíveis com baterias BYD. Figura 9 Inversor monofásico híbrido Kostal Piko MP Plus. Figura 11 Inversor descentralizado Sunny Highpower Peak 3.

Figura 12 Sistema Schletter para uma cobertura plana


Figura 8 Inversor monofásico híbrido Fronius. Figura 10 Microinversor Enphase IQ7. Fixgrid 2018.

A já conhecida tecnologia Multi-Busbar chegou modelos trifásicos Sunny Tripower de potências terão a possibilidade de usar módulos de 96 célu‑
de novo ao mercado pela mão de AUO com o de 3,0 / 4,0 / 5,0 / 6,0 kW que integram a comu‑ las de fabricantes como Panasonic ou LG.
seu módulo Sunbravo, onde os 12 barramentos nicação com os microinversores Tigo e os mode‑ Naturalmente que os inversores para as gran‑
permitem encurtar o caminho que deve percor‑ los monofásicos Sunny Boy Storage de potências des instalações também ocupam um lugar de
rer a corrente e, por isso, reduzir as perdas elé‑ superiores: 3,7 / 5,0 / 6,0 kW. destaque neste evento. Deste modo encontra‑
tricas e melhorar o rendimento para conseguir De acordo com a importância da gestão de mos inversores de 1500 V com multi entradas de
320 Wp no seu modelo de 60 células. energia encontramos na Intersolar as grandes MPPTs para descentralizar instalações acima de
Por sua vez, os principais produtores de células inovações com inversores híbridos, os quais 5 MW, reduzindo assim os riscos e os tempos de
Mono-PERC, JA Solar e Longi, continuam a apos‑ permitem conetar, num mesmo equipamento, substituição. Desta forma é importante destacar a
tar nesta tecnologia com uma ampla gama de pro‑ tanto a instalação fotovoltaica como o sistema SMA Sunny Highpower Peak 3 com uma potência
dutos com diferentes estéticas e com uma ótima de baterias de lítio de alta tensão. Neste sen‑ de 150 kW e 1500 V de entrada.
relação qualidade-preço. Colocados no topo da tido destacam as baterias BYD HV devido à sua
lista Tier 1, estes fabricantes dizem-nos que a tec‑ flexibilidade e modularidade, podendo ampliar
nologia Mono-PERC está a dominar o mercado a capacidade em função das necessidades ao Mais segurança e maior rapidez na
uma vez que já provou atingir um valor muito longo da vida útil de uma instalação. montagem de estruturas
baixo de LCOE (custos normalizados de produ‑ A Fronius, por seu lado, anunciou a compatibili‑ Por último é imprescindível destacar as grandes
ção de energia) realmente baixos, convertendo-se dade do já conhecido equipamento Symo Hybrid inovações nos sistemas de estruturas uma vez
na aposta segura para o mercado comercial, indus‑ com as baterias LG Chem Resu H e BYD B-Box que, no final de contas, são elementos que cons‑
trial, de utilidade pública e, até mesmo, residencial. HV. Além disso aparece um novo modelo híbrido tituem o maior tempo de montagem numa insta‑
monofásico realmente interessante para o mer‑ lação fotovoltaica. A Scheltter aposta no seu novo
cado residencial espanhol. A acumulação de ener‑ sistema Fixgrid para substituir o bem-sucedido
Os inversores e a Internet das Coisas gia, seja eletricamente usando este tipo de bateria Alugrid em instalações planas, permitindo uma
No que diz respeito aos inversores fotovoltaicos ou usando termicamente o dispositivo Ohmpi‑ montagem ainda mais simples e rápida. Além disso
é importante destacar que a tecnologia destes lot, posiciona a Fronius como uma referência no o sistema é capaz de suportar cargas de vento e
equipamentos tem chegado a valores máximos aproveitamento dos excedentes fotovoltaicos. neve mais elevadas, por isso até é mesmo reco‑
de eficiência (>98% habitualmente). Deste modo Por outro lado, a Kostal desenvolveu os equi‑ mendável para locais expostos a condições clima‑
o já conhecido conceito de Internet of Things con‑ pamentos híbridos Plenticore Plus (trifásico) e téricas extremas.
segue assumir os laboratórios de I+D da grande Piko MP Plus (monofásico), disponíveis a partir Com tudo isto, na AS Solar comprometem‑
maioria dos fabricantes. Neste sentido, a SMA de julho de 2018, os quais incluem uma entrada -se a trabalhar de mãos dadas com os melho‑
como líder indiscutível, obteve o prémio smarter CC que fornecerá flexibilidade para trabalhar res fabricantes do setor para poder relacionar
E AWARDER pela sua plataforma EnnexOS que com painéis fotovoltaicos, as baterias de alta estas inovações com a procura de mercado e
permitirá a integração, comunicação e otimiza‑ tensão (BYD, Kreisel ou SONY) e até mesmo, a assegurar a qualidade dos produtos instalados na
ção da energia dos diferentes agentes presentes combinação de ambos. Península Ibérica, um mercado que já começou a
numa instalação industrial ou comercial. Relativamente à tecnologia de microinverso‑ aumentar.
No que diz respeito ao mercado residencial, a res Enphase, como líder indiscutível, apresentou
SMA continua a apostar na utilização de inverso‑ o seu novo equipamento IQ-7, no qual um novo
AS Solar Ibérica de S.E.A., S.L.
res independentes para o mercado fotovoltaico conceito de ligação permite adaptar a integração
Tel.: +351 234 041 419
e gestão de baterias, muito recomendáveis para dos módulos às necessidades específicas de cada
info-pt@as-iberica.com � www.as-iberica.com
instalações já existentes. Encontramos os novos cobertura. Além disso estes novos equipamentos

63
informação técnico-comercial

Fuji Electric tem disponível


uma solução para bombagem solar
de elevado rendimento
Porquê bombagem solar? Sabendo que os meses de maior radiação solar coincidem com os de maior
necessidade de regadio e dispondo de um solução que produz energia elétrica de forma gratuita
e limpa, porque não utilizá-la e reduzir substancialmente os custos relacionados com a rega?

Bresimar Automação, S.A.

A solução é simples. Consiste na substituição da climatéricas, função para maximizar o caudal de


rede elétrica ou do grupo gerador, por painéis água bombeada e adaptação a alterações bruscas
solares que alimentam diretamente um variador, na irradiação solar (passagem de nuvens).
que por sua vez controlará de forma autónoma Além das funções de funcionamento silen‑
um motor que aciona uma bomba de água. cioso e automático, destacam-se ainda a sim‑
A Fuji Electric, representada em Portugal pela plicidade em termos de expansão da solução
Bresimar Automação, tem disponível novas solu‑ FRENIC-Ace. Vantagens também valorizadas
ções para bombagem através de energia solar. pelos utilizadores são, o simples processo de ins‑
A nova serie de variadores FRENIC SOLAR talação, a fácil inicialização do sistema, a reduzida
-ACE, possibilita uma economia significativa no manutenção necessária, a possibilidade de moni‑
custo de energia necessária para bombagem, torização remota, a capacidade de programar e
por exemplo, em instalações agrícolas, onde para automatizar o sistema e a compatibilidade com
além do baixo valor relacionado com despesas todas as marcas de bombas.
de operação e manutenção, os utilizadores con‑ Aposte na independência energética através
tribuem ainda com um elevado fator de susten‑ de uma solução com uma rápida amortização.
tabilidade ambiental. Para mais detalhes ou informações, contacte a
Com uma elevada fiabilidade e extensa vida Bresimar Automação.
útil do equipamento, destacam-se ainda carate‑
rísticas como, busca automática do ponto ótimo • Controlo MPPT integrado;
de funcionamento, deteção de “poço seco”, dete‑ Porquê a bombagem solar? • Inclui funções específicas para maximizar o
ção de nível máximo de água no depósito, ponto • Representa uma poupança importante, os cus‑ caudal da água bombeada;
ótimo de arranque dependendo das condições tos são estáveis e conhecidos; • Sistema totalmente autónomo sem supervisão
• Proporciona independência energética; humana. Possui funções específicas para asse‑
• Alta fiabilidade e grande tempo de vida útil; gurar sempre o funcionamento em automático;
• Funcionamento silencioso e automático; • Função de deteção de Poço Seco;
• Fácil de expandir; • Sistema para funcionar com motores AC de
• Manutenção mínima; Indução e de Ímanes Permanentes;
• Fácil de instalar e de fazer o arranque. • Função de funcionamento em sistema isolado
(apenas com solar), comutado (entre solar e
rede/gerador) e assistido (solar e rede/gerador
Sistema simples e autónomo: em simultâneo);
• O programa de controlo da bomba incor‑ • Gama disponível desde 0,4kW até 280kW.
porado no variador, permite a ligação de um
sensor de pressão (até 3 valores de pressão)
e sonda de nível;
Bresimar Automação, S.A.
• Não necessita de elementos adicionais para
Tel.: +351 234 303 320 � Tlm.: +351 939 992 222
ligação dos painéis solares ao variador e do bresimar@bresimar.pt � www.bresimar.pt
variador à bomba;

64
PUB.
informação técnico-comercial

estudo indica quais os hábitos


de conforto em casa

Zehnder patrocina um relatório sobre o papel do utilizador e a sua relação com os edifícios
de balanço energético quase nulo.

Zehnder Group Ibérica Indoor Climate, S.A.

Sete entidades do setor Passive House patrocinaram o estudo “Adaptação


do utilizador aos edifícios de balanço energético quase nulo-Passive House O Zehnder Group desenvolve, produz e comercializa radia‑
(NZEB, nas suas siglas em inglês-PH)” para identificar quais os hábitos das dores com design, sistemas de ventilação, soluções de climatiza‑
pessoas em casa. O relatório irá permitir abordar, com sucesso, a imple‑ ção radiante e de purificação de ar. É  líder nos seus segmentos
mentação das novas normas sobre eficiência energética na construção. de mercado. O Zehnder Group conta com 13 fábricas em todo o
A  IFEMA  foi o cenário da apresentação, e Zehnder, Griesser, Knauf mundo e sociedades comerciais em toda a Europa, EUA, Canadá
Insulation, Inn-Solutions, Roto Frank, ePower & Building e Passivhaus Con- e China. No mercado espanhol opera com as suas marcas Run‑
sulting foram as empresas promotoras do projeto. Conhecer a fundo tal e Zehnder.
como se adaptam os utilizadores às novas tecnologias das casas passi‑
vas, os seus hábitos atuais e a sua confiança em relação às instituições Runtal, marca de gama alta do Zehnder Group, é sinónimo de
e empresas líderes em eficiência energética e poupança são os objeti‑ design, inovação tecnológica e assistência de qualidade. Comercia‑
vos da iniciativa. liza radiadores com design para interiores exigentes e espaços pro‑
fissionais e comerciais avançados.

Como será a transição para as casas de consumo Zehnder, marca de excelência técnica em soluções de clima inte‑
energético quase nulo? rior saudáveis, confortáveis e energeticamente eficientes.
Segundo o Diretor de Passivhaus Consulting, Luis Martínez, “o estudo parte
de duas preocupações: para quem estamos a construir edifícios passivos e
como é que os nossos materiais serão usados nos mesmos?” Os resultados
permitem identificar quais as práticas do utilizador em sua casa no que O trabalho divide-se em 4 capítulos. No primeiro aborda-se o quadro
concerne à sua adaptação aos NZEB. Realizaram 1100 inquéritos em geral da investigação e a visão segundo a qual esta analisará os dados, os
toda a Espanha. O foco metodológico tem como objetivo determinar de resultados e as conclusões. O segundo está orientado para a análise do
que modo o NZEB-PH altera as práticas de poupança e eficiência ener‑ inquérito e a sua relação com os aspetos-chave do estudo. O terceiro
gética, partindo dos hábitos atuais. propõe resultados com base nas principais necessidades. O quarto capí‑
tulo determina os conceitos-chave da transição de umas práticas próprias
dos edifícios convencionais para os NZEB-PH.

O clima, elemento primordial do conforto


A análise deteta que o clima é o elemento que rege a relação entre o
utilizador e o espaço que habita. É, portanto, um dos fatores que mais
incide na sensação de conforto. O desafio dos edifícios de balanço ener‑
gético quase nulo consiste em estabelecer uma relação equilibrada entre
aquilo que o utilizador exige da sua casa e o que a sua casa pode fazer.
Segundo os resultados, o utilizador intervém constantemente na casa
para sentir conforto; abre e fecha janelas, arrefece e aquece consoante a
temperatura interior, acostuma-se a certos ruídos nas instalações, entre
outros, tem a sensação de que se não agir ativamente, a casa não responde.
Os NZEB proporcionam um novo cenário para os habitantes, visto
que a casa passiva trabalha permanentemente sem a necessidade da
intervenção do utilizador para alcançar uma temperatura confortável.

66
PUB.
O utilizador intervém constantemente na casa
para sentir conforto; abre e fecha janelas,
arrefece e aquece consoante a temperatura interior,
acostuma-se a certos ruídos nas instalações,
entre outros, tem a sensação de que se não
agir ativamente, a casa não responde.

76,27% dos utilizadores abrem as janelas


para ventilar
A grande maioria das pessoas ventila a sua casa todos os dias por‑
que relaciona esta ação com um maior bem-estar e conforto.
Contudo, o estudo evidencia que custa discernir entre ventilação
(qualidade do ar) e temperatura (frio/calor). Num edifício conven‑
cional, a qualidade do ar obtém-se através da abertura das janelas,
enquanto a temperatura de conforto se alcança através de siste‑
mas convencionais de ar. Frequentemente, estes sistemas consis‑
tem em ventiloconvetores, convetores, splits, entre outros, e não
contribuem para gerar uma sensação de conforto, já que produzem
correntes, pó, ruído e temperaturas desiguais. Pelo contrário, nos
NZEB utiliza-se uma lógica diferente: a qualidade do ar obtém-se
com sistemas de ventilação com recuperação de calor e a tempera‑
tura de conforto deriva do uso de vedações/isolamentos passivos.

76,27% dos utilizadores abrem as janelas para ventilar e obter um


ar interior saudável. Portanto, é importante reforçar a ideia de que
a ventilação natural pode fazer-se também através dos sistemas de
ventilação mecânica (VMC) e que, estes últimos, são não só mais
ecológicos – dado que ao não abrir janelas não há oscilações térmi‑
cas e, consequentemente, gasto energético – como também mais
eficientes e saudáveis. Esta mudança de paradigma que consiste em
entender um sistema mecânico como algo natural e fiável é um dos
desafios importantes a que o setor da construção de NZEB tem de
fazer face. Tal como comenta o Diretor Técnico, Josep Castellà, “os
peritos e conhecedores dos NZEB reconhecem a VMC como uma das
estratégias-chave de uma casa passiva.”
A  incorporação dos sistemas de ventilação e climatização efi‑
cientes conseguem um nível de conforto estável (visto que não
geram ruídos incómodos e mantêm uma temperatura constante na
vivenda), são saudáveis (não há correntes de ar, filtram o ar evitando
alergias e controlam os níveis de CO2. Segundo Josep Castellà, “estes
sistemas oferecem-nos a possibilidade de termos sempre uma janela
aberta para o exterior, que se tornará o pulmão da casa.”

Zehnder Group Ibérica Indoor Climate, S.A.


Tel.: +34 902 106 140 � Fax: +34 902 090 163
info@zehnder.es � www.zehnder.es
informação técnico-comercial

ligação: engenharia digital


do futuro

EPLAN e CIDEON em Hannover.


M&M Engenharia Industrial, Lda.

Com o slogan “Ligação para a sua engenharia digi- nuvem com aplicações e os respetivos componen‑
tal”, a EPLAN apresentou na feira de Hannover tes. A API (Application Programm Interface – Inter-
casos inovadores de utilização com as empre‑ face de Programação de Aplicações) suportada
sas PTC e Lenze que surpreenderam os visitan‑ pela EPLAN transfere informação relevante dos
tes. O  exemplo demonstrado pela PTC deu a equipamentos, desde a nuvem onde estão localiza‑
conhecer uma aplicação de realidade aumentada dos os Projetos EPLAN de uma forma estruturada
que apresenta aos serviços técnicos, importantes para uma versão de gestão de ativos. Ao mesmo
dados MCAD e ECAD via tablet/iPad/computa‑ tempo, para ocorrer uma determinada poupança
dor. Com a Lenze, um novo serviço de nuvem de tempo, também elimina associações/designa‑
(cloud) foi desenvolvido para futuras utilizações na necessário é um computador ou um tablet: ções erradas nos equipamentos.
área da engenharia, mais concretamente na área tocando no respetivo equipamento eletromecâ‑
da gestão de ativos. Por último, mas não menos nico no ecrã que está ligado com um objeto físico,
importante, a EPLAN encontra-se também a dar automaticamente irão abrir as devidas documen‑ Antevisão: EPLAN Cogineer Advanced
um passo importante nesta área, transportando o tações em EPLAN. Na Feira de Hannover 2018, a EPLAN também
Projeto EPLAN para nuvem. Crimes de cópia não Estas documentações mostram-nos, por exem‑ apresentou um primeiro olhar para a próxima
são bem-vindos. plo, um motor em esquemas ECAD, com todas as fase de expansão para o EPLAN Cogineer – com
Com um novo design que assentou sobre parametrizações e lógicas cabladas associadas. Cli‑ o Cogineer Advanced, a EPLAN oferecerá um soft-
uma área de 420 metros quadrados e uma cen‑ car sobre outro componente do sistema é tudo ware de automação exclusivamente como uma
tral focada na ligação, entreajuda e colaboração, a aquilo que é necessário realizar para voltar para solução de nuvem (software como um serviço). As
EPLAN apresentou as últimas novidades na área a vista MCAD. No futuro, o Projeto EPLAN será duas áreas funcionais, Designer e Project Builder, esta‑
da engenharia e soluções complementares basea‑ entregue em bases de dados digitais diretamente rão assim exclusivamente disponíveis como solu‑
das em tecnologia de nuvem que são originárias da nuvem. As informações sobre os dispositivos ções baseadas em nuvem, com licenças separadas.
da plataforma EPLAN, na futura versão 2.8. Desta podem ser incorporadas através da plataforma
vez, a tecnologia de realidade aumentada foi utili‑ EPLAN Data Portal.
zada no inovador stand localizado em Hannover. EPLAN Data Portal: cerca
Os visitantes tiveram a oportunidade de utilizar de 1 milhão de downloads mensais
tablets na galeria de cima para experimentar uma A caminho da nuvem Desde o SPS IPC Drives, 18 novos fabricantes
dimensão virtual adicional. Vários casos de exem‑ “A EPLAN já se baseia em várias ferramentas de foram integrados no EPLAN Data Portal –
plos das últimas tendências destacaram um tema: engenharia baseadas em nuvem”, refere o Dire‑ o número total de empresas participantes aumen‑
soluções em rede que trazem vida ao tema da tor-Geral da EPLAN Haluk Menderes. “Com uma tou, assim, para 224. O número de downloads
Indústria 4.0. A EPLAN e a CIDEON colaboraram solução em casa baseada no Microsoft Azure, esta- mensais é ainda mais impressionante, rondando
com parceiros da indústria, como a PTC e a Lenze mos a dar um primeiro passo importante para trazer agora o número do milhão. Além disso, o número
para avançar com as aplicações dos clientes com o projeto EPLAN para a nuvem”. Os benefícios de de utilizadores no portal é bastante notável: mais
a ajuda de tecnologias de ponta, incluindo a reali‑ um foco maior em soluções de nuvem são óbvios de 170 000 utilizadores estão registados, e com
dade aumentada e a nuvem.  para Menderes: “Os utilizadores têm sempre um cerca de 820 000 dispositivos de dados, cada um
acesso seguro aos conjuntos de dados mais atualiza- deles pode rapidamente encontrar o compo‑
dos na nuvem – a qualquer momento, entre regiões nente adequado para os seus projetos.
Engenharia Mecatrónica 4.0 e departamentos, independentemente do dispositivo.
Utilizando a plataforma de realidade aumen‑ Isso resulta em economias de tempo mensuráveis e
tada PTC ThingWorx, os componentes de enge‑ num notável aumento da eficiência na engenharia.”
nharia provenientes da construção digital de As novas possibilidades na nuvem abrem, igual‑ M&M Engenharia Industrial, Lda.
Tel.: +351 229 351 336 � Fax: +351 229 351 338
uma máquina baseada em modelos 3D MCAD mente, inovadoras oportunidades para os espe‑
info@mm-engenharia.pt � info@eplan.pt
irão obter a devida correspondência em esque‑ cialistas em automação na Lenze para que,
www.mm-engenharia.pt � www.eplan.pt
mas ECAD da EPLAN. Tudo aquilo que irá ser automaticamente, completem a sua própria

68
informação técnico-comercial

caixa de contador EB_BOX ECCE


– QUITÉRIOS

Caixas para instalação da nova geração de contadores de energia residenciais – Redes Inteligentes.

QUITÉRIOS – Fábrica de Quadros Eléctricos, Lda.

A aplicação dos contadores da nova geração em


instalações residenciais tem vindo a ser feita de Os avanços tecnológicos na nova
forma generalizada em todo o território nacio‑ geração de contadores de energia
nal, em habitações novas e existentes. elétrica (contadores inteligentes)
No que diz respeito às instalações existentes, foram determinantes para que
assistimos a uma verdadeira luta contra o tempo, a QUITÉRIOS desenvolvesse uma
na substituição dos contadores para dar cum‑ solução que permitisse uma interação
primento às metas estabelecidas pela Comissão entre o consumidor e o contador.
Europeia – até 2020 todos os contadores ins‑
talados devem ser dotados de tecnologia (rede
inteligente) que permita ao consumidor, conhe‑ intervenção e garante a inacessibilidade aos
cer e controlar os seus consumos. condutores ativos;
Os avanços tecnológicos na nova geração • Garantia de segurança contra contactos
de contadores de energia elétrica (contado‑ indiretos – invólucro da Classe II de Iso-
res inteligentes) foram determinantes para que lamento;
a QUITÉRIOS desenvolvesse uma solução que •A  cesso à Porta Ótica por parte do dis- • Cumprimento das especificações definidas
permitisse uma interação entre o consumidor tribuidor de energia, permitindo a recolha pela rede de distribuição na 2.ª edição da
e o contador. de dados, configurações do equipamento e DMA-C62-805/N.
No desenvolvimento da caixa de contador upgrade de firmware.
EB_BOX ECCE (Equipamento de Contagem e • Garantia de acesso restrito à área em tensão Para mais informações consulte o folheto pro-
Controlo de Energia), a QUITÉRIOS garantiu através da selagem da placa de montagem mocional que acompanha esta revista.
os seguintes requisitos: ECCE (encaminhamento dos condutores de
• Acesso ao contador por parte do con- entrada e saída do contador);
sumidor, no caso de haver necessidade de • Garantia de segurança contra contac-
rearmar o contador, na medida em que este tos diretos – placa de montagem ECCE
possui uma função de Interruptor de Con- em policarbonato transparente que per‑
trolo de Potência (ICP). mite uma inspeção visual antes de qualquer

QUITÉRIOS – Fábrica de Quadros Eléctricos, Lda.


Tel.:+351 231 480 480 � Fax: +351 231 480 489
quiterios@quiterios.pt � www.quiterios.pt

69
informação técnico-comercial

Viessmann lança packs de energia


solar fotovoltaica com bomba
de calor
A eletricidade do futuro disponível já hoje.

Viessmann, S.L.

O aumento contínuo dos custos de eletrici‑


dade, nos últimos anos, resultou numa procura A combinação da tecnologia solar
cada vez maior por parte dos consumidores fotovoltaica com bombas de calor,
em adquirir sistemas renováveis para a produ‑ são a solução ideal para conseguir
ção da sua própria eletricidade. elevadas taxas de autoconsumo.
A combinação da tecnologia solar fotovol‑
taica com bombas de calor, são a solução ideal
para conseguir elevadas taxas de autocon‑
sumo. A Viessmann oferece painéis fotovoltai‑
cos de elevado nível de qualidade, eficientes e
de longa vida útil.

Painéis fotovoltaicos Vitovolt 300:


qualidade e segurança
A gama fotovoltaica Vitovolt 300 inclui pai‑
néis monocristalinos com design “allblack“ até A bomba de calor funciona com a eletrici‑
305  Wp de potência e painéis policristalinos dade produzida pelo sistema fotovoltaico e
com 60 células e uma potência até 285 Wp. multiplica o rendimento energético dos módu‑
Esta gama de painéis fotovoltaicos da Viess‑ los solares ao produzir, aproximadamente,
mann convence pelos seus elevados valores quatro vezes mais energia a partir de cada qui‑
de potência, qualidade e garantia: 10 anos de lovátio/hora de eletricidade e de calor prove‑
garantia para o equipamento e 25 anos de niente do ar exterior. Deste modo, a energia é
garantia de rendimento. Todos os painéis possuem uma tolerância de utilizada no sistema de aquecimento, refrigera‑
rendimento positiva em estado de funciona‑ ção e produção de água quente sanitária.
mento, o que significa um aumento da potên‑ Durante as horas de sol, por exemplo, a
cia até 5 Wp. Os painéis fotovoltaicos são ideais bomba de calor, a iluminação e outros eletro‑
tanto para moradias como para prédios. domésticos podem funcionar com eletricidade
autoproduzida, sendo a eletricidade pública
apenas necessária para cobrir os picos de maior
Novos packs para autoconsumo consumo. Assim é possível baixar, considera‑
Viessmann velmente, os custos de eletricidade da rede
Os sistemas fotovoltaicos potentes oferecem pública para os consumos de climatização e
a possibilidade de utilizar a energia gratuita e água quente.
inesgotável do sol de maneira fiável, sustentá‑
vel e rentável. Graças à sua tecnologia de oti‑
mização da energia fotovoltaica disponível nas
Viessmann, S.L.
bombas de calor Vitocal da Viessmann, o com‑
Tel.: +351 219 830 886
pressor apenas consome a energia fotovoltaica info@viessmann.pt � www.viessmann.pt
excedente.

70
PUB.
informação técnico-comercial

tecnologia PLCnext

Tecnologia preparada para os desafios presentes e futuros.


Andre Brand e Andreas Weichelt
Phoenix Contact Electronics GmbH
Carlos Coutinho, Phoenix Contact S.A.

Quando optamos por uma nova tecnologia ou preferidos, como é o caso do Eclipse ou do
um novo equipamentos, esperamos que seja Visual Studio. Plug-ins para estes softwares estão
fácil de utilizar e que esteja orientado para o gratuitamente disponíveis, fazendo com que o
futuro. É exatamente o que esperar da tecnolo‑ código C++ ou C# seja importado para o PC
gia PLCnext. Os programadores podem conti‑ Worx Engineer sob a forma de uma biblioteca
nuar a utilizar as suas linguagens de programação ou que seja enviado diretamente para o autó‑
de automação preferidas, em que programas fei‑ mato a partir daqueles softwares.
tos numa linguagem de alto nível são executados O programa do autómato pode ser consti‑
sincronamente e em tempo real. E a tecnolo‑ tuído, simultaneamente, por código feito por lin‑
gia PLCnext não pára aqui! Há muitas mais fun‑ guagens IEC 61131-3 e por C++ ou C#. O PC
cionalidades orientadas para o futuro que estão Worx Engineer instancia as parcelas de código a
descritas neste artigo. tarefas de execução pelo processador do autó‑
Para além das linguagens de programação mato, cujo Gestor de Execução e de Sincronismo
clássicas IEC 61131-3 (Diagrama de Blocos de (Execution and Synchronization Manager – ESM)
Função FBD, Diagrama de Contactos LD, Gráfico executa em tempo real. A tecnologia PLCnext
de Operação Sequencial SFC e Texto Estrutu‑ Figura 1 O novo autómato AXC F 2152 permite que os códigos feitos em IEC 61131-3 e
rado ST), os autómatos serão programados cada C++/C# sejam combinados e executados numa
vez mais por linguagens de alto nível, tais como única tarefa (Figura 3).
C++ e C#, assim como por linguagens baseadas e executadas no autómato para mostrar variá‑
em modelos, como o Matlab Simulink. veis do programa do autómato, através de uma
Os engenheiros de automação não devem consola web ou de um navegador de Internet Ligação de todos os autómatos
apenas ter estas linguagens (que não mui‑ (Figura 2). PLCnext à Proficloud
tas vezes são novas para eles) em conside‑ Para linguagens de programação de alto nível, O Espaço de Dados Global (Global Data Space
ração. Devido à Indústria 4.0 e à Internet das como o C++ e o C#, a Phoenix Contact desen‑ – GDS) executa as tarefas de transmissão de
Coisas devem também ter noção dos requisi‑ volveu uma forma dos programadores continua‑ dados entre instâncias de programas. A  comu‑
tos adicionais no domínio da conetividade, sem rem a utilizar os seus softwares de programação nicação é síncrona, graças à lógica de buffers
ignorar a importância cada vez maior da segu‑
rança das comunicações. Para responder a estes
novos desafios, a Phoenix Contact desenvol‑
veu a plataforma da tecnologia PLCnext, a par‑
tir da qual uma nova geração de autómatos está
a surgir. O primeiro autómato é o AXC F 2152
(Figura 1), o qual foi apresentado na Feira SPS
IPC Drives, em novembro de 2017.

Execução de código combinado


em tempo real
O PC Worx Engineer é o software de programa‑
ção dos novos autómatos da tecnologia PLC‑
next. Permite aos programadores continuarem
a desenvolver código de acordo com as lingua‑
gens de programação IEC 61313-3 (FBD, LD,
SFC, ST), assim como configurar o autómato e
a rede de campo (por exemplo, Profinet). Adi‑
cionalmente, as páginas web podem ser criadas Figura 2 O PC Worx Engineer é o software de programação dos autómatos da Tecnologia PLCnext.

72
informação técnico-comercial

transição digital. Sendo uma plataforma Inter‑ entidades terceiras porque não serão capazes de
net das Coisas (Internet of Things – IoT) aberta e assinar os componentes de firmware e, portanto,
modular, a Proficloud oferece serviços de nuvem assegurando que não serão executados.
e ferramentas de análise de dados, para além
da oferta de tecnologia de rede de comunica‑
ções globais. Adicionalmente, um elevado nível Adição de mais programas e blocos
de segurança dos dados é assegurada perma‑ de software ao sistema operativo
nentemente. Estas funcionalidades potenciam as Os autómatos da tecnologia PLCnext têm um
empresas de engenharia a desenvolver soluções sistema operativo Linux Embedded, o qual
com o benefício de uma plataforma segura e dis‑ tem capacidade de execução em tempo real
ponível globalmente. graças à já provada extensão de software for‑
necida pela associação OSADL (Open Source
Figura 3 Há vários domínios de programação para um Automation Development Lab). Por esta razão,
único autómato PLCnext. Acesso ao autómato com o Linux pode credivelmente executar tarefas
autenticação correta de controlo automático. Lacunas de software,
Não são apenas os servidores e os computado‑ após serem detetadas e identificadas, são cor‑
inteligentes. O valor de uma variável é calculada res pessoais que têm sido o alvo dos hackers nos rigidas em tempo útil pela cada vez mais vasta
numa instância de uma tarefa prioritária e rápida últimos anos, mas também os autómatos e simi‑ comunidade Linux, sobretudo antes de hackers
(por exemplo, prioridade 1 e tempo de ciclo de lares, pelo que a Phoenix Contact colocou uma terem conhecimento da sua existência e explo‑
10 ms) e depois lida por uma instância de uma ênfase especial no tema da segurança das comu‑ rá-las para possíveis ataques. Assim, a Phoenix
tarefa de menor prioridade e lenta (por exem‑ nicações durante o desenvolvimento da tecno‑ Contact colocará à disposição dos utilizadores
plo, prioridade 2 e tempo de ciclo de 100 ms) logia PLCnext. Ninguém acederá ao autómato as atualizações do sistema operativo (patches)
não é alterado na instância da tarefa de menor sem credenciais corretas! Ao colocar em ser‑ quase imediatamente após estas ameaças serem
prioridade. A tecnologia PLCnext assegura que o viço um autómato com parâmetros de fábrica, conhecidas.
valor da variável ao início da execução da tarefa o programador deve definir primeiro, através da
lenta não seja alterado pela tarefa rápida, mesmo página web do autómato, as suas credenciais e
que tenha uma prioridade superior (Figura 4). os outros utilizadores, se for o caso, e os res‑
A tecnologia PLCnext inclui também um data- petivos direitos. Para tal, o programador “entra”
logger que periodicamente guarda dados por si com a palavra-passe que está impressa numa das
só ou na sequência da execução de tarefas. Os faces do autómato e, depois, define as creden‑
valores são guardados na memória do autómato ciais dos utilizadores de acordo com o procedi‑
ou num cartão de memória SD. Em ambos os mento RBAC (Role Based Access Control).
casos, os dados podem ser transferidos para um Todo o sistema de segurança de acesso é
PC. Adicionalmente, é possível guardar os dados baseado num módulo TPM (Trusted Platform
num buffer “de anel”, em que a gravação por ser Module), um clip integrado no autómato que
terminada por um trigger, de modo que possa introduz funções de segurança essenciais. A esta
ser avaliada a evolução dos dados antes e depois “segurança” é atribuído um certificado único
do trigger. durante a produção do autómato. É assegu‑
Outra funcionalidade da tecnologia PLCnext rado, portanto, que só componentes de firm­
é a ligação dos autómatos à Proficloud. A  Profi- ware assinados pela Phoenix Contact, assim
cloud é uma nuvem desenvolvida pela Phoenix como o bootloader, por ser iniciados. Este meca‑
Contact para apoiar empresas de engenharia na nismo exclui as hipóteses de manipulação por

Outro componente integral da Tecnolo‑


gia PLCnext é o servidor OPC UA (OPC Uni-
fied Architecture). Este reside no autómato e
comunica diretamente com clientes OPC UA
(normalmente softwares de supervisão). Com
OPC UA é possível também que os autóma‑
tos comuniquem entre si ou com quaisquer
outros equipamentos que suportem OPC UA.
A transmissão de dados por OPC UA assegura
segurança das comunicações visto que apenas
utilizadores autorizados podem aceder aos equi‑
pamentos.

Phoenix Contact, S.A.


Tel.: +351 219 112 760 � Fax: +351 219 112 769
www.phoenixcontact.pt
Figura 4 A plataforma tecnológica inclui um Espaço de Dados Global (GDS) e um Gestor de Execução e de Sincronização (ESM).

73
informação técnico-comercial

TDK-Lambda – novidades
FONTES DE ALIMENTAÇÃO COM CORRENTE CONSTANTE
PARA SISTEMAS DE ARMAZENAMENTO DE ENERGIA – SERIE EVS

A TDK Corporation é uma empresa líder de material eletrónico sediada em Tóquio, no Japão.
Foi lançado no mercado em 1935 para comercializar ferrite, um dos materiais chave
em produtos eletrónicos e magnéticos.
LusoMatrix – Novas Tecnologias de Electrónica Profissional

O seu portefólio inclui componentes eletróni‑


cos, módulos e sistemas comercializados sob
as marcas de produtos TDK, Micronas, Tronics,
EPCOS e TDK-Lambda, tais como condensado‑
res cerâmicos, eletrolíticos e de fio de alumínio,
ferrites e indutores, produtos de alta frequência
e componentes de proteção, bem como senso‑
res e sistemas de sensores e fontes de alimen‑
tação. Atualmente a Lusomatrix é o distribuidor
oficial da TDK-Lambda. com refrigeração por ar forçado/ventoinha e
A TDK-Lambda Corporation, tal como ante‑ 300 W com refrigeração por convecção. Estas A TDK-Lambda anunciou a introdução
riormente referido, é uma empresa do grupo fontes de alimentação compactas são adequa‑ da garantia de 5 anos para a série EVS,
TDK Corporation, uma empresa líder mundial das para sistemas de purificação de água ou que se carateriza por oferecer fontes
no fornecimento de fontes de alimentação alta‑ para carregar baterias para o armazenamento de alimentação de corrente constante.
mente fiáveis para equipamentos industriais em de energia, sendo uma boa opção para parques
todo o mundo. A TDK-Lambda Corporation res‑ eólicos/energias renováveis.
ponde às diversas necessidades dos clientes com Operando a partir de uma entrada de tensão
toda a sua gama de atividades, desde pesquisa e com uma ampla faixa de valores: 85 a 265 Vac, disponível com ou sem um suporte de monta‑
desenvolvimento até à fabricação, vendas e ser‑ a série EVS está disponível com saídas de 18 V gem, medindo 50 x 26 x 77,5 mm e 60 x 32 x
viços através dos seus escritórios sediados em (300 W apenas), 36 V e 57 V para carregar bate‑ 93,5 mm, respetivamente.
cinco áreas estratégicas, abrangendo o Japão, rias de 12 V, 24 V e 48 V, incluindo baterias de Todos os modelos/referências dispõem de
Europa, América, China e Ásia. lítio, hidreto de níquel e chumbo-ácido. A tensão certificados de segurança IEC/EN/UL 60950-1
Neste presente artigo iremos apresentar a de flutuação e a corrente de carga podem ser com marcação CE segundo as diretivas de baixa
série EVS da nossa representada TDK-Lambda. ajustadas pelo utilizador. tensão e RoHS2. As fontes de alimentação EVS
Recentemente, a TDK-Lambda anunciou a Estas fontes operam em temperaturas também estão em conformidade com as emis‑
introdução da garantia de 5 anos para a série ambiente de -20°C a +70°C, no entanto, depen‑ sões EN 55011-B e EN 55022-B (conduzidas e
EVS, que se carateriza por oferecer fontes de dendo do modelo, poderão sofrer algumas limi‑ irradiadas) e atendem aos padrões para corren‑
alimentação de corrente constante. Nesta série, tações acima dos +45°C a +60°C. As dimensões tes harmónicas EN 61000-3-2 (com a garantia
dois níveis de potência são oferecidos; 600 W gerais são 84 x 42 x 180 mm (L x A x P), para de que não vão deteriorar a qualidade da energia
300 W e 120 x 61 x 190 mm para a de 600 W. AC além dos limites especificados) e imunidade
As opções incluem uma montagem de cober‑ IEC 61000-4 (métodos de teste recomendados
tura (padrão para o 600 W) e uma função de para equipamentos sujeitos a distúrbios magné‑
ligar/desligar remota para os níveis de potência ticos oscilatórios e amortecidos relacionados a
de 300 W e 600 W. subestações de Média e Alta Tensão).
Esta série disponibiliza, ainda, um módulo
de proteção inversa de 20 A para evitar que a
corrente flua da bateria de volta para a fonte
de alimentação. O EVS-RP6020 é classificado LusoMatrix – Novas Tecnologias
de Electrónica Profissional
para operar com tensões de 7 a 60 Vcc e usa
Tel.: +351 218 162 625 � Fax: +351 218 149 482
um FET RDSon para minimizar a queda de ten‑
www.lusomatrix.pt
são para menos de 200 mV. Este módulo está

74
PUB.
informação técnico-comercial

casa mais inteligente


com a nova app da Smappee

Está preparado para saber, em qualquer local e a todo o instante, o que se passa na sua habitação
e ter o controlo absoluto sobre isso mesmo?
QKSOL – Energy Solutions

Agora é possível graças ao ecossistema da Sma‑ eletrodomésticos mais importantes da sua habi‑
ppee e à nova app Smappee! Descarregue a nova tação. E assim que a app descobre novos dispo‑
app Smappee Energy Monitor 2.0 através do sitivos eletrónicos, coloca-os na linha do tempo.
Google Play ou iTunes, ligue-se e descubra esta
inovação.
2. Poupa na fatura elétrica
A app também indica qual é o consumo de ener‑
1. Controle o seu consumo de energia gia e a sua produção ao longo do tempo, e assim
com um simples olhar há uma maior consciencialização de como a ener‑
Abra a app e rapidamente verá, em tempo real, gia é consumida naquela habitação. Isto não signi‑
os fluxos de energia da sua habitação, tanto da fica que temos de colocar a casa numa espécie
energia como dos seus painéis fotovoltaicos, gás de “dieta energética”, mas simplesmente torná-la
e água. Na bola amarela é mostrado o consumo mais eficaz com um determinado consumo ener‑
energético em tempo real. A bola verde indica gético, e assim conseguimos poupar sem colocar de energia que os dispositivos consumem. Além
a quantidade de energia produzida pelos painéis em causa o conforto. disso pode operar o termóstato remotamente
fotovoltaicos, e no mesmo ecrã será mostrada Clique na bola e verá os gráficos do seu con‑ graças à integração com o Nest Thermostat™.
a quantidade de água e gás consumido durante sumo energético. Também pode verificar esses E ainda há o mundo da “Casa Conetada”.
aquele dia. dados para a eletricidade, a energia solar, o gás e a Observe a Smappee Scenes e deixe que os seus
Tem curiosidade em saber a quantidade de água, tanto durante um dia, uma semana, um mês dispositivos conversem entre si, e assim alguns
energia consumida pelos eletrodomésticos que ou durante um ano. processos decorrerão de forma automática, para
estão sempre ligados? Também há um cálculo do E como um autêntico detetive de energia, a tornar a sua vida mais fácil. Com apenas um par de
consumo oculto em watts e percentagens quando app também descobre os custos dos eletrodo‑ Smappee Scenes, a sua habitação será muito mais
comparado com o consumo total. Quanto custa? mésticos mais importantes. Pode selecionar o inteligente, mas isto apenas se… você for a pes‑
Se olhar para a sua habitação no geral, também mês ou o ano que lhe interessa e terá uma aná‑ soa mais inteligente da casa. Além disso, o Sma‑
perceberá qual o consumo de energia em termos lise dos custos que indicam quanto custa a ener‑ ppee é compatível com várias plataformas IoT
económicos, através desta aplicação inteligente. gia consumida pelos eletrodomésticos que a app com as quais pode automatizar ainda mais, como
E na linha do tempo localizada na app estão reconheceu. IFTTT, Conrad Connect, Stringify, entre outros.
os dispositivos eletrónicos utilizados durante Além de oferecer um resumo detalhado e con‑ E pode falar com a sua casa! Com o Ama‑
o dia. Mas não se esqueça de que são necessá‑ fortável, por vezes a app também dará algumas zon Echo e os Smappee Switches, os dispositi‑
rias cerca de 6 a 8 semanas para conhecer os dicas para economizar a curto e a longo prazo. vos reconhecem a sua voz. Ou seja, além de ser o
A app é quase um personal trainer de energia seu detetive e personal trainer de energia, o Sma‑
pessoal. ppee também pode ser o seu centro de controlo
da sua casa inteligente.
Conselho: crie um Smappee Scene com impor‑
3. Automatiza e controla tação ou exportação e carregue o seu carro elé‑
a tua habitação trico com o excedente de energia solar.
Com esta app há uma ferramenta inteligente para
controlar o seu consumo de energia mas tam‑
bém pode ligar outras ferramentas inteligentes ao 4. Controla o teu consumo oculto
ecossistema de Smappee en Control. Pode ligar Menos de 24 horas depois da instalação e já sabe‑
o seu Smappee Switch e gerir os seus dispositivos mos qual é o consumo oculto. Os dispositivos que
de forma remota, e assim confirma a quantidade não utiliza também consomem eletricidade em

76
informação técnico-comercial

standby. Com a app Smappee verá os cálculos de E ainda há mais: pode ajudar o Smappee ao
consumo oculto expressos em watts e em per‑ indicar se detetou um dispositivo ou não. Cometi
centagens quando comparados com o consumo um erro? Deslize o dispositivo que detetou por
total. Se o seu consumo oculto é maior do que o engano para a esquerda na sua lista de eventos. Já
habitual, a app chamará a sua atenção e também o detetou bem? Então deslize para a direita.
lhe dirá se o consumo oculto é bom e quando Clique em cada dispositivo para ver quanto
este baixar. consume ou classificá-lo como os “mais usa-
Conselho: desliga tudo do escritório quando dos”. Aprenderá muito e também poupará muito.
sair de casa? É possível? Se a geolocalização do teu Organize os seus dispositivos por “maiores consu-
Smappee Scene me diz que estás a mais de 200 midores” para descobrir os maiores consumido‑
metros de casa pode desligar automaticamente o res de energia, e altere-os por dispositivos com
seu escritório de casa com a ajuda de um Sma‑ um consumo mais baixo (geralmente são máqui‑ o consumo de energia do seu frigorífico ou arca
ppee Switch. nas de lavar roupa e de secar roupa, arcas conge‑ congeladora muda radicalmente. Pode aconte‑
ladoras e frigoríficos). O Smappee alerta quando cer que tenha deixado a porta aberta ou mal
fechada? Ou pode ter chegado a hora de com‑
5. Encontre os grandes fornecedores prar um novo frigorífico ou arca congeladora que
de energia consumam menos energia.
Clique em “Dispositivos” e descubra tudo o que Conselho: coloque os seus grandes consumido‑
há para descobrir sobre os seus mesmos. Aqui res de energia em dieta com um Smappee Switch.
poderá encontrar os dispositivos detetados den‑ Pode dar-lhe a energia correta que eles necessi‑
tro de 6 a 8 semanas, ou seja, os que são moni‑ tam.
torizados através do Smappee Switch, Smappee
Plus ou Smappee Pro. E agora também pode
QKSOL – Energy Solutions
detetar melhor os dispositivos com longos pro‑
Tel.: +34 93 480 84 66
gramas como a sua máquina de lavar, o secador, info@qksol.com � www.qksol.com
entre outros, graças à tecnologia NILM.
PUB.

77
informação técnico-comercial

sobretensões: uma causa


subestimada de danos

As sobretensões causadas por relâmpagos ou por operações de comutação são uma das causas
mais comuns de danos em equipamentos elétricos.

INOVASENSE – Automação, Energia e Visão Artificial, Lda.

Os processos industriais estão, por conseguinte,


vulneráveis uma vez que estes eventos súbitos
podem causar danos devastadores: desde incên‑
dios, destruição de componentes e máquinas
dispendiosas, paragem ou inutilização de siste‑
mas completos de automação, sem contabilizar
os riscos humanos.Torna-se, pois, imperativo ins‑
talar proteções contra sobretensões capazes de
proteger equipamentos, instalações e fábricas
contra este tipo de fenómenos.
Com base em mais de 20 anos de experiên‑
cia, a Pepperl+Fuchs adquiriu conhecimento sig‑
nificativo em proteções contra sobretensões.
Combinando a experiência acumulada, com a
tecnologia analógica e os módulos de interface, a
Pepperl+Fuchs desenvolveu o sistema de prote‑ A maneira mais simples de proteger funcionalidade de desconexão da malha. Esta
ção contra sobretensões M-LB-5000 de 6,2 mm os equipamentos da fábrica funcionalidade de desconexão permite tes‑
de largura que oferece muito mais do que a fun‑ tar isolamentos, assim como a monitorização
ção de proteção pura. Verificar a integridade do módulo de proteção de malhas durante o período de comissiona‑
A INOVASENSE vem, assim, apresentar um contra sobretensões mento.
novo nível de proteção em termos de fiabili‑ Os 3 LEDs a cores (vermelho, amarelo e
dade e desempenho no que se refere a prote‑ verde) fornecem uma informação rápida e de Atualização de equipamentos existentes
ções contra sobretensões! fácil interpretação sobre o seu estado. Atra‑ Aquando da atualização de equipamentos exis‑
vés do módulo de alimentação com formato de tentes, o seu formato compacto permite facil‑
calha DIN, essa informação poderá ser enviada mente a troca de bornes de terminais por
para um nível de controlo. Os responsáveis proteções contra sobretensões uma vez que o
de processo e de manutenção podem confe‑ espaço ocupado é semelhante. Estes módulos
rir, em tempo real, o estado do módulo sem possuem mecanismos simples, tornando des‑
a necessidade de utilizar quaisquer ferramen‑ necessária a cablagem adicional.
tas, mesmo sem aceder ao quadro elétrico ou
entrar sequer nas instalações da fábrica.
Benefícios
Troca de módulos durante o estado de operação
O novo sistema de proteção contra sobre‑ Diagnóstico credível integrado
tensões inclui uma base onde os módulos são A monitorização interna em contínuo e junta‑
encaixados. Este sistema permite aos utiliza‑ mente com os LEDs de estado disponibilizam
dores a troca de módulos durante o estado aos utilizadores a informação necessária sobre
de operação. Sempre que um módulo é reti‑ quando devem trocar o módulo. Esta carate‑
rado e introduzido no seu lugar um módulo rística permite que seja feita uma manuten‑
Figura 1 M-LB-5000 – sistema de proteção contra sobre- novo incorretamente (rotação de 180º), o cir‑ ção preditiva enquanto permite reduzir custos
tensões. cuito do sinal é interrompido através de uma operacionais.

78
PUB.
O novo sistema de proteção contra sobretensões
inclui uma base onde os módulos são encaixados.
Este sistema permite aos utilizadores a troca
de módulos durante o estado de operação.

Sistema de encaixe
O desenho modular do sistema M-LB-5000 permite aos utilizadores
substituírem rapidamente os módulos de proteção durante a opera‑
ção da instalação sem a interrupção de circuitos, isto é, sem necessi‑
dade de desligar processos ou máquinas. Trata-se de um sistema de
encaixe simples que se traduz numa rápida substituição dos módulos,
sem necessidade de utilizar ferramentas específicas, paragens, comis‑
sionamento ou procedimentos de manutenção.

Desenho compacto possibilita a poupança de espaço no quadro


Dadas as suas dimensões serem reduzidas (6,2 mm de largura), os
novos módulos do sistema M-LB-5000, possibilitam uma elevada den‑
sidade de sinais no quadro elétrico, o espaço mínimo necessário à
sua instalação é assim diminuto e aumenta o espaço livre no qua‑
dro elétrico.

Certificação internacional
O sistema de proteção contra sobretensões M-LB-5000 foi desen‑
volvido, tendo por base requisitos atuais e futuros do mercado. Este
sistema está certificado de acordo com normas internacionais, o
que possibilita a sua instalação em qualquer parte do mundo com
facilidade.

Factos e números
• No mundo inteiro ocorrem cerca de 40 a 50 relâmpagos por
segundo ou cerca de 1,4 biliões por ano;
• Os relâmpagos atingem, com regularidade, o mesmo local por
diversas vezes. O edifício do Empire State Building é atingido em
média 23 vezes a cada ano;
• Os relâmpagos podem causar diferenças perigosas de tensão
até 2 km de distância do ponto de impacto;
• Os danos provocados pelos relâmpagos causam um custo
anual em termos de indemnizações, pagas pelas seguradoras,
superior a 1 bilião de euros;
• A temperatura de um relâmpago é ultra elevada. Um relâm‑
pago chega a aquecer o ar ao seu redor 5 vezes mais do que a
temperatura média da superfície solar.

INOVASENSE – Automação, Energia e Visão Artificial, Lda.


Tel.: +351 234 247 550 � Fax: +351 234 247 559
geral@inovasense.pt � www.inovasense.pt
informação técnico-comercial

avançar para uma maior


rentabilidade e um menor risco

O sistema de monitorização BLADEcontrol® demonstrou ser essencial para garantir uma ótima
produção das turbinas eólicas, e conquistou vários utilizadores em todo o mundo.
Weidmüller – Sistemas de Interface, S.A.

As pás do rotor são uns dos componentes sujei‑ Ação ao invés de reação
tos a uma maior tensão nas turbinas eólicas. As O BLADEcontrol® transmite todos os danos
rajadas de vento, as tempestades, o gelo e as des‑ detetados na turbina, normalmente através do
cargas atmosféricas podem causar danos menores Modbus TCP.“Em princípio, o BLADEcontrol® admite
que, normalmente, apenas são detetados durante todos os tipos de protocolos standard”, acrescenta
as verificações de rotina. Em casos mais graves, os Reimers. O protocolo garante ao BLADEcon‑
defeitos podem ser tão importantes que deverá trol® informação relevante, como a velocidade do
levar-se a cabo uma substituição dispendiosa das vento e o ângulo de inclinação da pá do rotor, o
pás do rotor. Consequentemente, a instalação que permite determinar a área operacional onde
permanecerá parada durante semanas, para evitar existe um desvio e tirar conclusões sobre a causa
mais danos nenhuma energia será gerada. É aqui deste desvio, caso seja necessário. O  centro de
que a manutenção preditiva entra em ação. monitorização também pode comunicar com
irregularidade ou desvio destes dados. No caso de a instalação e transmitir dados adicionáis para
existir gelo, a frequência de vibração da pá do rotor serem analisados num processamento posterior.
é reduzida ligeiramente devido ao peso adicional. O sistema também pode transmitir notificações
Dependendo da distribuição do gelo, a BLADE‑ de danos sérios diretamente à turbina.
control® pode alcançar uma resolução da medi‑ Os especialistas do centro de monitorização res‑
ção da espessura do gelo numa faixa milimétrica. pondem, de imediato, aos desvios detetados pelos
sistemas. O primeiro passo consiste em registar
um serviço de assistência técnica para a turbina
Identificar o momento em que afetada no sistema de pedido de ajuda. Em seguida,
uma situação passa a ser crítica o cliente receberá uma notificação detalhada por
O momento-chave do sistema Weidmüller é o email. Para garantir que as informações relevantes
sensor de aceleração bidimensional com o seu sejam recebidas, de imediato, no caso de ocorre‑
próprio canal de medição da temperatura. A BLA‑ rem danos sérios, também se realizará uma cha‑
Excelente trabalho de investigação DEcontrol® recolhe os dados das pás do rotor mada telefónica para informar o cliente dos danos.
O BLADEcontrol® da Weidmüller regista, de no casquilho e transfere-os para a nacele. Uma
forma contínua, o estado de cada pá do rotor unidade de avaliação que pode ser instalada, por
em separado e deteta, inclusivamente, as peque‑ exemplo, na base da torre, analisa os dados, classi‑ 4000 anos/máquina de experiência
nas mudanças, como peças soltas ou a rutura da fica qualquer dano em função da gravidade, trans‑ “Graças aos nossos 4000 anos/máquina de expe-
cobertura da superfície aerodinâmica. Os danos na mite essa informação e indica as recomendações riência na monitorização, contamos com uma
estrutura de suporte da pá constituem um dano para a unidade de controlo. No caso de ocor‑ enorme quantidade de dados e com os conheci-
crítico. Se estes danos não são detetados a tempo, rer um risco, a unidade de controlo da instalação mentos empíricos correspondentes para poder
aumentam os possíveis custos de reparação e o lança de imediato uma paragem. Se houver gelo propor recomendações para a ação e resolver pos-
risco de colisão com a torre ou a rutura da pá. nas pás do rotor, o sistema deteta o momento síveis erros”, afirmou Daniel Brenner, Diretor de
Para detetar mudanças, o BLADEcontrol® em que não há níveis de espessura críticos, até Supervisão da Weidmüller Monitoring Systems.
regista o comportamento natural da vibração mesmo quando a instalação está inativa, e envia Em todo o mundo existem mais de 1600 siste‑
da pá do rotor e realiza medições comparativas um sinal para reiniciar a instalação. “Isto permite- mas online e mais de 2000 já foram vendidos.
junto de uma ligação anterior e posterior da pá -nos alcançar uma disponibilidade muito melhor da
e, além disso, sobre a superfície da mesma. instalação, o que implica um aumento notável de
Weidmüller – Sistemas de Interface, S.A.
Também se registou o som originado pela maior produção a longo prazo”, explicou John Rei‑
Tel.: +351 214 459 191 � Fax: +351 214 455 871
estrutura de toda a pá. São utilizadas diversas mers, Diretor de Marketing e Vendas dos Sistemas weidmuller@weidmuller.pt � www.weidmuller.pt
abordagens algorítmicas para filtrar qualquer de Monitorização da Weidmüller.

80
informação técnico-comercial

Rittal com novo sistema


de armários VX25

Como transformar o melhor em algo ainda melhor? Esta foi a questão que a Rittal colocou
a si mesma quando começou a desenvolver um novo sistema de armários.
Rittal Portugal

“O mercado precisa de um armário que reduza o tempo de engenharia e mon-


tagem, reduza a complexidade e encontre um lugar para si mesmo como um O VX25 representa a versatilidade das opções,
módulo completo na megatendência da digitalização”, disse Thomas Steffen, a satisfação dos requisitos do cliente X e a perfeita
Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Rittal. Acrescentou ainda que simetria através de um padrão consistente
“o novo armário de grandes dimensões da Rittal tornou-se agora 100% com- de inclinação de 25 mm.
patível com a Indústria 4.0. Com a combinação de um armário real e o seu
gémeo digital, o novo empreendimento atenderá a todas as necessidades futu-
ras de digitalização – da configuração online e engenharia à montagem, além O  desenvolvimento culminou no novo sistema de armários VX25.
de automação, logística e manutenção. ” O VX25 representa a versatilidade das opções, a satisfação dos requisi‑
O  diálogo intensivo com os clientes da Rittal foi crucial no desenvol‑ tos do cliente X e a perfeita simetria através de um padrão consistente de
vimento do novo sistema de armários de grandes dimensões. Durante inclinação de 25 mm. “A grande novidade é que nenhum sistema de armários,
um estudo de usabilidade de larga escala, com base científica, os pesqui‑ jamais foi desenvolvido de forma tão consistente e sistemática para garantir o
sadores usaram palavras, imagens e filmes para documentar a vida quoti‑ máximo benefício para o cliente. O VX25 combina a maneira como o fabricante
diana dos fabricantes de equipamentos de controlo e distribuição, cobrindo de equipamentos de monitorização e distribuição pensa e trabalha - tanto em
10 empresas na Alemanha, 8 nos EUA e 6 na China, incluindo pequenas, funções quanto em processos”, acrescentou o Thomas Steffen.
médias e grandes empresas. “Essa análise de utilizadores foi uma grande sur- O benefício para o cliente ao longo de toda a cadeia de valor de moni‑
presa. Em alguns casos identificamos problemas que os próprios clientes ainda torização e distribuição pode ser resumido em 3 pontos principais: máxima
não identificaram”, afirmou o Thomas Steffen. Como resultado, 150 registos qualidade e fornecimento constante de dados, redução de complexidade e
de melhorias específicas para um novo armário surgiram, fornecendo aos economia de tempo, bem como montagem segura.
developers and product managers um guia robusto para o trabalho e desen‑ O coração da inovação é a nova moldura interna recentemente desen‑
volvimento atual. A Rittal também usou as sugestões e conselhos dos clien‑ volvida. Determina o espaço de instalação, a eficiência em engenharia e
tes para complementar isto. Mais tarde, durante a fase de desenvolvimento, montagem, as opções de expansão, a estabilidade e, portanto, a fiabili‑
a Rittal nunca desistiu de nenhum ponto essencial. dade e flexibilidade no espaço de trabalho do cliente. Com o novo sistema
de armários de grandes dimensões, foi possível manter todos os recursos
importantes e estabelecidos do sistema de armários TS 8 existentes em
todo o mundo e expandi-los, significativamente, com uma infinidade de
novas funções e benefícios para o cliente. Mais de 25 aplicações e patentes
de marca registadas demonstram o alto nível de inovação do VX25.
Para a Rittal, o SYSTEM PERFECTION também inclui o fabrico de alta
tecnologia. Investiu em novas instalações de produção de última geração
para fabricar a nova estrutura interna do VX25. As novas, e totalmente
automáticas, linhas de produção de sistemas de perfil, com um total de
31 robots de soldadura, são testemunhas da qualidade máxima combi‑
nada com precisão e estabilidade. O  resultado é que a nova estrutura
interna do VX25, que tem um padrão perfurado consistente de 25 mm, é
claramente mais estável que o seu antecessor TS 8, embora o peso seja
o mesmo.

Rittal Portugal
Tel.: +351 256 780 210 · Fax: +351 256 780 219
info@rittal.pt � www.rittal.pt

81
produtos e tecnologias

Bateria de iões de lítio para alimentar um streamliner estável da base e com o auxílio da porca integrada na peça de canto, sim‑
elétrico plificando assim todo o processo de aparafusamento.
QKSOL – Energy Solutions Os painéis de acabamento em chapa de aço podem ser facilmente encai‑
Tel.: +34 93 480 84 66 xados, e se o armário for levantado, por exemplo, com um empilhador,
info@qksol.com � www.qksol.com estes podem também ser removidos novamente. Os painéis de encaixe
Clip-in permitem um acesso simples e rápido ao armário para uso indivi‑
21 engenheiros franceses, dual, por exemplo como um compartimento de cabos. Graças às peças
estudantes de aeronáutica de canto totalmente simétricas, e fazendo uso dos painéis de base equi‑
do Grupo Estaca, tiveram librados em largura e profundidade, o sistema permite inúmeras novas
um sonho: participar na aplicações. Por exemplo, os painéis de guarnição ventilados e os painéis
semana da velocidade de de acabamento com tiras de escova, disponíveis como acessórios, podem
Bonneville com um veí‑ agora ser opcionalmente fixados nas laterais ou trocados pelos painéis de
culo atípico… streamliner acabamento dianteiro\traseiro. Todos os painéis de acabamento podem,
(carro de corrida) elétrico, opcionalmente, ser presos na peça de canto ou aparafusados de forma
e conseguiram. segura. As porcas pré-montadas garantem uma união rápida e simples.
Apesar de não conseguir ultrapassar o recorde de 345 km/h, consegui‑ Dependendo da aplicação, os utilizadores podem dispensar os painéis de
ram alcançar quase 250 km/h com o seu streamliner elétrico no lago sal‑ acabamento entre conjuntos de armários com compartimentos ou um pai‑
gado de Bonneville, Utah, EE.UU. O carro de corrida estava equipado com nel de acabamento de 100 mm de altura pode ser usado para estabilizar
os motores de E-fórmula 1 de última geração e uma bateria de fosfato de as peças de canto da base.
lítio-ferro de elevada potência, concebida e fabricada por PowerTechSys‑
tems. Como estavam bem preparados, chegaram muito perto do recorde
de velocidade de um carro elétrico de corrida. O streamliner, de 7 metros
de comprimento, deu muito que falar, renovando o interesse e a curiosi‑ Peça uma demonstração à F.Fonseca do detetor de fugas
dade pelas tecnologias do futuro. de ar LKS1000 da Synergys-Technologie
F.Fonseca, S.A.
Tel.: +351 234 303 900 � Fax: +351 234 303 910
ffonseca@ffonseca.com � www.ffonseca.com
Nova base/sistema rodapé /FFonseca.SA.Solucoes.de.Vanguarda
Rittal Portugal
Tel.: +351 256 780 210 � Fax: +351 256 780 219 O detetor de fugas de ar LEAKSHOO‑
info@rittal.pt � www.rittal.pt TER LKS1000 foi desenvolvido para visua‑
lizar em tempo real a localização de fugas
A  nova base/plinth sys- de gás/ar com um alvo visual dinâmico em
tem VX25 da Rittal foi tempo real. O alvo dinâmico muda o seu
projetada para o novo tamanho e cor de acordo com a dimen‑
sistema de armários são da fuga de amarelo para vermelho,
de grandes dimensões enquanto os valores dB RMS e valo‑
V X25, mas também res MAX são continuamente medidos
para ser o rodapé stan- e exibidos num gráfico de barras digital.
dard para todas as res‑ Existe a possibilidade de captar até 1000
tantes soluções de imagens, armazená-las e fazer o  down-
armários já existentes TS, TS IT, SE, CM, PC, IW, TP e TE. O novo sis‑ load para PC. O ar comprimido (e outros
tema combina todas as funções e benefícios das bases/rodapés Flex‑ gases) são um grande custo para o orçamento de uma empresa a cada ano.
-Block e TS o que levará à substituição destes num futuro próximo. É, portanto, imperativo inspecionar continuamente as instalações de ar,
Juntamente com a sua extensa gama de acessórios, e graças à sua com‑ vácuo ou gás das empresas. Um teste de fuga pode prevenir problemas
patibilidade com os acessórios do armário, o sistema de base/plinth sys- mais graves com custos avultados.
tem oferece possibilidades quase infinitas em termos de localização, O  LKSFLEX é um acessório muito útil quando são utilizados peque‑
transporte, roteamento de cabos, fixação de cabos e configuração da nos conetores ou quando existe uma dificuldade de acesso a um cone‑
base. Um padrão perfurado de 25 mm é mantido consistentemente em tor, pois este sensor flexível de 400 milímetros pode ser usado tanto
toda a base, portanto, as peças de montagem do armário, como sec‑ com função AUTO  como MANUAL. O  detetor de fugas de ar  Lea‑
ções e trilhos perfurados, também podem ser usadas na base. Por exem‑ kshooter  LKS1000  tem incluído auscultador para ajudar o utilizador
plo, além de instalar suportes de junção e trilhos de fixação de cabos, a abstrair-se do ruído ambiente e focar-se no som da fuga que procura.
os cabos roteados podem ser fixados e segurados de forma fácil e efi‑ Quando se coneta a câmara ao PC através do interface USB, há uma pos‑
ciente na base. sibilidade de descarregar os dados adquiridos diretamente para o PC sem
Este sistema de rodapé é constituído por peças de canto resistentes e a necessidade de qualquer software e, ao mesmo tempo carregar a bateria.
painéis de acabamento na parte dianteira, traseira e nas laterais. Está dis‑ O ar comprimido é amplamente utilizado e é um propulsor muito eficaz
ponível em alturas de 100 ou 200 mm. As peças de canto, como os pai‑ para muitos tipos de máquinas utilizadas em vários locais dentro de muitas
néis de acabamento, são feitos de chapa de aço e – devido a um auxiliar indústrias, como a indústria automóvel, serviço hospitalar, laboratórios, trans‑
de centralização integrado pré-montado no quadro do VX25 – os utili‑ porte, fábricas de engenharia pesada, entre outros. As aplicações podem ser
zadores sentirão facilidade ao posicionar exatamente o armário na base instalações com ar comprimido, oxigénio, nitrogénio e vapor. Por outro lado,
e ao instalar as peças de canto. Outra novidade é a capacidade de fixar também pode ser usado em sistemas de vácuo, descargas elétricas parciais,
a base diretamente ao armário a partir de cima, através da estrutura efeitos de corona, controlo elétrico, isolamentos e teste de estanqueidade.

82
produtos e tecnologias

Módulo multimodo LTE-M/NB-IoT da Nordic parede pode ser instalada em casas ou escritórios. É particularmente ade‑
na RUTRONIK quado para as empresas que desejam fornecer facilidades de carregamento
RUTRONIK Elektronische Bauelemente GmbH noturno para os clientes, como ocorre na hotelaria.
Tel.: +351 252 312 336 � Fax: +351 252 312 338 Fabricado com um invólucro robusto e resistente a todo o tipo de clima,
rutronik_pt@rutronik.com � www.rutronik.com para uso interno e externo, a Wallbox AC está disponível em diferentes
versões, oferecendo um carregamento de 4,6 e 11 kW, bem como um
A  série nRF91 da Nor‑ carregamento trifásico de 22 kW CA. Tal como acontece com todos os
dic Semiconductor per‑ produtos da ABB, a assistência especializada com montagem e manuten‑
mite que as aplicações ção está apenas à distância de uma chamada telefónica, através dos ser‑
IoT sejam conetadas viços de assistência técnica global. Compatível com o protocolo Open
de forma fácil e segura Charge Point Protocol (OCPP), a Wallbox AC é à prova do futuro e habili‑
através dos padrões tada para a autenticação e gestão de carga. Para uma maior flexibilidade,
de comunicação móvel a Wallbox AC oferece uma variedade de tipos de conetores, incluindo a
LTE-M e NB-IoT, projeta‑ tomada de tipo 2, tomadas tipo 2 com obturador e cabos com tomada
dos especificamente para tipo 1 e 2. Para locais onde a montagem na parede é difícil, está disponível
IoT. Com as suas pequenas dimensões, altos padrões de segurança e baixo uma gama de pedestais, incluindo a versão para um carregador, dois carre‑
consumo de energia, o módulo multimodo é a solução adequada para dis‑ gadores costas com costas ou dois carregadores num ângulo de 90 graus.
positivos que precisam de uma conexão móvel alimentada por bateria. As Wallbox AC também estão disponíveis com ou sem medidor de ener‑
O SIP (Integrated System-in-Package) LTE-M/NB-IoT integrado é fornecido gia, gestão de carga, integração de backoffice e modem UMTS/3G. Outros
com um processador ARM Cortex-M33, um IP de segurança ARM Crypto‑ recursos opcionais incluem a identificação por radiofrequência (Radio-
Cell 310 e um GPS assistido. Além disso implementa o modem, o transcep‑ -Frequency Identification RFID) e autorização com código para uma maior
tor, o front end de RF, um processador de aplicativos dedicado, a gestão de segurança; modelos de cartões SIM para a comunicação de dados; soft-
energia da memória flash, componentes de cristal e passivos num pacote. ware de limitação de corrente de entrada para corresponder aos requi‑
A  série nRF91 combina assim todas as vantagens dos módulos móveis sitos do local de instalação; interface de comunicação para carregamento
tradicionais, incluindo certificações telerreguladoras e móveis, com facili‑ controlado e ferramentas da web para estatísticas, configuração e gestão
dade de utilização, integração sem precedentes e um fator de forma muito de acesso.
pequeno, com dimensões de apenas 10 x 16 x 1,2 mm. Combinando um
modem LTE-M e um NB-IoT, é suficiente uma única variante nRF91 para
uma operação global. Devido ao transcetor sem SAW e ao front end RF
desenvolvido da Qorvo, a família nRF91 é adequada para uma utilização Zehnder ComfoAir Q: tecnologia e inovação ao serviço
em massa. Os padrões NB-IoT e LTE-M são projetados especificamente da saúde e do conforto
para aplicações IoT e têm baixas taxas de transmissão de dados, redu‑ Zehnder Group Ibérica Indoor Climate, S.A.
zindo assim o consumo de energia. Para uma conexão estável, o módulo Tel.: +34 902 106 140 � Fax: +34 902 090 163
procura automaticamente as redes LTE-M e NB-IoT disponíveis e alterna info@zehnder.es � www.zehnder.es
entre elas. O roaming garante uma conexão contínua entre as fronteiras
nacionais. O processador ARM Cortex-M33 integrado e o IP de segurança A  multinacional suíça
ARM CryptoCell-310 garantem a proteção do aplicativo. O processador Zehnder lançou no mer‑
integrado com TrustZone para Armv8-M contribui para a segurança dos cado as novas unidades
dados, firmware e periféricos da aplicação, usando um ambiente de execu‑ de ventilação com recu‑
ção isolado e fiável na CPU e no sistema. Os protocolos TLS e SSL garan‑ peração de calor de alto
tem a transmissão de dados segura. rendimento – até 96% –
que garantem um ar de
qualidade, sem pó e com
uma humidade adequada.
ABB lança solução de carregamento mais económica Destacam-se pelo design elegante e tecnologia inteligente, sendo mais efi‑
para veículos elétricos cazes, mais silenciosas e capazes de alcançar os níveis máximos de eficiên‑
ABB, S.A. cia energética: até 25% mais eficientes.
Tel.: +351 214 256 000 � Fax: +351 214 256 247 Estão disponíveis em 3 modelos diferentes, que variam em função da
comunicacao-corporativa@pt.abb.com � www.abb.pt superfície a ventilar. Zehnder ComfoAir Q350 para espaços até 160 m2,
Zehnder ComfoAir Q450 até 180 m2 e Zehnder ComfoAir Q600 até
O  novo por tefólio de 230 m2. Estes modelos podem ser instalados tanto em residências de nova
Wallbox AC, com 52 construção como em reabilitações. Graças aos seus 3 caudais de ventila‑
tipos diferentes no total, ção, o ComfoAir Q permite uma ampla variedade de aplicações, desde
fornece um posto de habitação residencial até hotéis e escritórios. A  Zehnder ComfoAir Q
carregamento de carro alcançou os mais altos níveis de eficiência energética no setor da venti‑
elétrico de alta quali‑ lação. Este produto adapta-se a todas as normas do mercado europeu e
dade e económico para foi distinguido com o Certificado Passive House Component. Este certifi‑
uso privado e comercial. cado emitido pelo Passive House Institute (PHI) garante que todos os com‑
A  mais recente adição ponentes destas unidades de ventilação cumprem as normas Passivhaus,
fortalece o abrangente portefólio da ABB de soluções para edifícios mais sendo aconselhável a sua instalação em casas e edifícios de consumo
inteligentes, desde iluminação a aquecimento, música, segurança e carrega‑ quase nulo. Obter esta certificação foi possível graças às novas patentes
mento de carros. Com um design compacto de 50 por 25 cm2, a caixa de da Zehnder: o permutador em forma de diamante, o bypass modulador

83
produtos e tecnologias

em linha, a nova tecnologia de ventiladores FlowGrid e de fluxo constante Bresimar Automação apresenta unidade
FlowControl, entre outras. de carregamento VersiCharge para viaturas elétricas
São várias as razões pelas quais Zehnder ComfoAir Q é considerada a gera‑ Bresimar Automação, S.A.
ção mais eficiente de unidades de ventilação. Uma delas passa pelo permu‑ Tel.: +351 234 303 320 � Tlm.: +351 939 992 222
tador de calor em forma de diamante, patente da Zehnder, permite um uso bresimar@bresimar.pt � www.bresimar.pt
eficiente do espaço interior. Esta nova forma – que substitui a anterior, hexa‑
gonal – é entre 20% e 30% maior. O ar circula pelo interior do permutador A  Bresimar Automa‑
de calor através de ranhuras de diferentes alturas. Estes canais facilitam a ção complementou o
passagem de ar em contracorrente, assegurando um fluxo constante e uma seu por tefólio com as
perda de pressão inferior, permitindo que haja uma resistência de ar menor novas unidades de car‑
e um nível de eficácia superior. A somar a isso existe a nova tecnologia de regamento para viatu‑
ventiladores (FlowGrid) e sistema de pressão constante (FlowControl) que ras elétricas VersiCharge
garante uma unidade mais eficiente e silenciosa. A grelha (FlowGrid) otimiza da Siemens. A  unidade
o fluxo de ar no ventilador e reduz a poluição acústica. A forma e a colo‑ de carregamento Ver‑
cação da carcaça em espiral alinhada com os ventiladores possibilitam uma siCharge é compatível
resistência muito reduzida. A grelha dirige e otimiza a condução de ar para o com todos os veículos elétricos plug-in. O seu cabo de carga extra longo,
ventilador, para uma menor corrente turbulenta e um menor nível de ruído. com até 7 metros, permite o carregamento do veículo elétrico com saída
Um novo sistema de pressão por fluxo constante (FlowControl) garante a de energia que pode ser ajustada para corresponder à capacidade da ins‑
máxima recuperação do calor e um fornecimento equilibrado do ar. A velo‑ talação. Os diferentes modelos variam de 4,6 kW até 22 kW. O equipa‑
cidade é ajustada automaticamente através de sensores, o que equilibra os mento encontra-se preparado para a instalação em ambientes internos e
volumes de ar. Uma nova forma de equilibrar as correntes para alcançar um externos, com um Índice de Proteção IP56.
maior conforto e uma eficiência energética superior.
O sistema de conforto adaptável ao clima e de pré-aquecimento modular
é outra caraterística, uma vez que os graus de temperatura interior con‑
fortável não são os mesmos se o dia anterior foi frio ou quente. Se os Banhos portáteis para calibração de temperatura
dias anteriores tiverem sido nublados e frios, uma temperatura de 18ºC – Promoções (6.º aniversário)
será a adequada, enquanto se os dias anteriores tiverem sido soalheiros e ALPHA ENGENHARIA - Equipamentos e Soluções Industriais
quentes, iremos necessitar de 20ºC para ter uma temperatura confortável. Tel.: +351 220 136 963 � Tlm.: +351 933 694 486
O novo sistema de bypass modulador em linha permite obter uma infor‑ info@alphaengenharia.pt � www.alphaengenharia.pt
mação contínua do clima exterior e interior através de sensores de humi‑
dade, e assim é possível adaptar o clima interior das divisões em função da O  banho por tátil para
média das leituras obtidas ao longo dos dias anteriores. Graças ao sistema calibração da Leyro, com
de pré-aquecimento modular, é possível um controlo da temperatura de uma profundidade de
entrada do ar e otimizar assim o seu fornecimento, reduzindo as perdas de imersão de 190 mm e
pressão e o consumo de eletricidade. um diâmetro de 60 mm,
permite uma gama de
temperatura = -30ºC …
225°C.
Configure individualmente a sua solução PTFIX O banho para calibração
Phoenix Contact, S.A. da Leyro Instruments tem um ótimo desempenho, mesmo nas calibrações
Tel.: +351 219 112 760 � Fax: +351 219 112 769 mais exigentes. Graças ao seu agitador magnético, ajustável com um poten‑
www.phoenixcontact.pt ciómetro, pode homogeneizar a sua área de calibração e, por isso, é um
dos equipamentos mais fiáveis do mercado graças à sua alta estabilidade
Os blocos de distribuição de 0,05°C e à sua ótima uniformidade de 0,03ºC. Aproveite as promoções
de potencial com tecno‑ do 6.º aniversário e faça de imediato o download do folheto – https://goo.
logia de ligação Push-In, gl/B3jxTp ou se preferir pode visitar o website, www.alphaengenharia.pt.
PTFIX, da Phoenix Con‑
tact estão agora dispo‑
níveis para condutores
de 4 mm². Os blocos Macros para a domótica
podem ser combina‑ M&M Engenharia Industrial, Lda.
dos entre si, facilitando a Tel.: +351 229 351 336 � Fax: +351 229 351 338
montagem. Existem versões com 6, 12 e 18 pólos que estão disponíveis info@mm-engenharia.pt � info@eplan.pt
em 11 cores diferentes. Além do encaixe clássico em calha DIN de 35 ou www.mm-engenharia.pt � www.eplan.pt
15 mm, existem flanges de suporte para uma montagem direta em platine
ou por adesivo universal. Para um projeto, os dados globais são como o óleo para um motor. Com
Agora também pode utilizar bornes de passagem de 2,5 mm² da mesma estes dados, os processos funcionam de forma mais harmoniosa – e sim‑
família, tendo todas as funcionalidades dos blocos em termos de montagem plesmente melhor. Os utilizadores poupam imenso tempo quando podem
e acessórios. Estes bornes ou blocos de duas ligações podem ser combi‑ utilizar macros completas e não as têm que criar do zero. A partir da ver‑
nados livremente com a restante família. Experimente o novo configura‑ são 2.8, o fornecedor de soluções EPLAN oferece um conjunto de macros
dor online da família PTFIX, onde pode construir a sua solução incluindo: agrupadas para o setor da domótica. Estes dados gratuitos aumentam as
número de posições, opções de montagem, cores e marcações. vantagens para os utilizadores e complementam o enorme conjunto de

84
produtos e tecnologias

dados de dispositivos primeiras fases dos processos de engenharia. Na fase de pré-planeamento


no EPLAN Data Portal. dos projetos são estabelecidos os conceitos para os aspetos técnicos dos
As par tes interessadas sistemas e estimados os números iniciais e as estruturas de quantidade.
puderam ver estes con‑ O objetivo é determinar a solução mais vantajosa do ponto de vista téc‑
juntos em primeira mão nico e definir as especificações para o planeamento de detalhes subse‑
na feira Light & Building quente. A criação de esquemas e o planeamento de detalhes subsequente
em Frankfur t. A  Plata‑ para os sistemas podem ser efetuados mais tarde com base no pré-planea‑
forma EPLAN, Versão mento. Com o projeto de macros para a Plataforma EPLAN, Versão 2.8,
2.8, que será lançada com o lançamento previsto para setembro de 2018, o fornecedor de solu‑
em setembro de 2018, chamará a atenção dos utilizadores nas áreas de ções EPLAN está a dar o primeiro passo na direção de mais dados globais
controlo climático, de aquecimento e de ventilação. Pela primeira vez, a na área da domótica.
EPLAN vai oferecer um projeto de macros com diagramas de sistemas
para domótica, o que permitirá simplificar consideravelmente os proces‑
sos de trabalho necessários para desenhar esse tipo de sistemas. As macros
são compostas por esquemas ou diagramas de tubagens e instrumentação Alumínio técnico wolweiss para estruturas fotovoltaicas
completos e podem ser utilizadas para uma ampla variedade de aplicações. REIMAN, Lda.
Estas chamadas macros de janela são fornecidas gratuitamente num for‑ Tel.: +351 229 618 090 � Fax: +351 229 618 001
mato EPLAN – a EPLAN disponibilizará brevemente um website com comercial@reiman.pt � www.reiman.pt
especificações. As macros de página, que incluem ciclos de lógica PCT
entre outras coisas, respeitam ambas as normas válidas atuais – DIN O sistema wolweiss é um sistema de perfil de alumínio extrudido com
EN ISO 16484-3 e VDI 3813/3814. Os utilizadores do setor da domó‑ acabamento superficial anodizado, em conformidade com a Norma DIN
tica podem, assim, trabalhar de forma consideravelmente mais rápida com EN 12020. O alumínio constitui uma das melhores, mais flexíveis e económi‑
estes dados globais adicionais. Estima-se que são conseguidas poupanças cas formas de criar estruturas para painéis solares, apresentando uma forte
de tempo na ordem dos 50 a 70% na criação de esquemas. Como parte afinidade com o oxigénio, dando origem à formação da alumina que, por sua
do pré-planeamento, os utilizadores podem iniciar atividades de planea‑ vez, lhe confere particular resistência às intempéries e à oxidação mais pro‑
mento na plataforma EPLAN no que diz respeito aos aspetos técnicos nas funda. Por outro lado, o revestimento por anodização (superior a 11 µm)
PUB.

85
produtos e tecnologias

potencia a proteção da série PRO RM são cara‑


alumina, fazendo do per‑ terizados pelo elevado
fil técnico uma solução desempenho em espa‑
ótima para a conceção ços confinados; a sua
de estruturas fotovoltai‑ relação de eficiência é
cas, com provas dadas superior a 98%. Podem
no que diz respeito à ser utilizados em todo o
durabilidade. mundo, graças às apro‑
O  sistema wolweiss tira vações internacionais.
o maior partido da sua flexibilidade e facilidade de montagem reduzindo, As fontes de alimentação de modo comutado são adequadas para o for‑
portanto, tempos de instalação e custos com mão-de-obra. Aliado a isto, necimento de energia a controlos e a outros dispositivos semelhantes
o facto de a sua densidade ser bastante baixa (2,7 g/cm3), faz com que o localizados nos painéis. Com a sua relação de eficiência bem superior a
peso próprio das estruturas seja reduzido, o que permite que a resistên‑ 90% e uma longa vida útil, poupam energia e custos. Os dispositivos de
cia das montagens possa estar concentrada na aplicação e não no suporte alta qualidade para aplicações industriais e centros de dados, como os da
das mesmas. A marca integrou, recentemente, o catálogo de representa‑ Weidmüller, oferecem tempos MTBF (Tempo Médio Entre falhas) supe‑
ção da REIMAN, que alia às potencialidades do produto o know-how da sua riores a 1000 000 horas e uma vida útil acima dos 20 anos. A integração
equipa dedicada. das redundâncias pode aumentar, significativamente, a disponibilidade do
equipamento para sistemas particularmente importantes, como linhas de
produção da indústria automóvel ou processos nas indústrias química,
farmacêutica e de processamento. Nesses casos são ligadas várias fontes
Sistema de proteção contra sobretensões M-LB-5000: de alimentação em paralelo, para garantir o funcionamento mesmo no
inteligente, pequeno e único caso de falha de uma fonte. As fontes de alimentação de modo comu‑
INOVASENSE – Automação, Energia e Visão Artificial, Lda. tado apresentam um problema inerente ao sistema: quando vários cir‑
Tel.: +351 234 247 550 � Fax: +351 234 247 559 cuitos secundários são ligados diretamente em paralelo, uma influência
geral@inovasense.pt � www.inovasense.pt negativa oposta pode afetar o circuito individual que, no pior dos cená‑
rios, pode levar à destruição dos dispositivos. Mas este problema pode
A  INOVASENSE já tem ser evitado de forma fácil e fiável com os módulos de redundância da
disponível um novo nível Weidmüller (módulos de díodo). Estes são posicionados entre as saídas
de proteção em termos das fontes de alimentação e o equipamento a alimentar, e assim a fonte
de fiabilidade e desem‑ de alimentação é desacoplada e um curto-circuito deixa de ter qualquer
penho no que se refere à efeito na carga. Além disso, oferecem proteção contra a recuperação de
proteção contra sobreten‑ energia. Estes módulos são também adequados para operações redun‑
sões, o novo M-LB-5000 dantes no abastecimento de componentes críticos, como duplicação de
de 6,2 mm de largura. saídas de energia.
Os módulos do sistema A Weidmüller disponibiliza 3 novos módulos de redundância: o PRO RM 10
M-LB-5000 protegem, eficientemente, os componentes de elevado valor e para correntes de entrada até 2 x 12 A e uma corrente de saída perma‑
equipamentos das fábricas contra sobretensões e picos de corrente. Pela nente de 24 A, o PRO RM 20 até 2 x 24 A (entrada) e 48 A (saída) e o
primeira vez, estes módulos oferecem uma combinação única no que se PRO RM 40 até 2 x 48 A (entrada) e 96 A (saída). A tensão de entrada
refere ao diagnóstico, modularidade e num formato pequeno. A instalação pode situar-se entre 10 e 32 V CC. Os dispositivos da série PRO RM são
deste sistema facilita a proteção contra sobretensões, picos de corrente e, caraterizados pelo elevado desempenho num espaço confinado; a sua rela‑
em simultâneo, assegura ao processo produtivo e equipamentos elétricos ção de eficiência é superior a 98%. Podem ser montados horizontalmente e
importantes da sua fábrica, uma eficiência superior, um incremento em ter‑ lado a lado na calha do terminal, sem qualquer espaço entre si. Um espaço
mos de flexibilidade e a garantia de uma máxima disponibilidade. Com mais de 50 mm na parte superior e na parte inferior é suficiente para permitir
de 20 anos de experiência, a Pepperl+Fuchs adquiriu um conhecimento o fluxo de ar. Graças a um ecrã LED e um relé de estado, oferecem uma
significativo em proteções contra sobretensões. Combinando a experiên‑ monitorização permanente e um rápido diagnóstico do estado, facilitando
cia acumulada com a tecnologia analógica e os módulos de interface, a a manutenção e assegurando um funcionamento fiável. O PRO RM pos‑
Pepperl+Fuchs desenvolveu o sistema de proteção contra sobretensões sui várias certificações de aprovação internacionais, como cULus, Classe I,
M-LB-5000, com um novo nível de proteção em termos de fiabilidade e Div. 2. É a solução para várias e diferentes aplicações de automatização.
desempenho que está agora ao dispor de todos.

Rittal VX25 Blue e+ solução integrada


Módulos de díodo PRO RM da Weidmüller Rittal Portugal
Weidmüller – Sistemas de Interface, S.A. Tel.: +351 256 780 210 � Fax: +351 256 780 219
Tel.: +351 214 459 191 � Fax: +351 214 455 871 info@rittal.pt � www.rittal.pt
weidmuller@weidmuller.pt � www.weidmuller.pt
A nova solução integra uma unidade de climatização com uma saída de
Com os módulos de díodo PRO RM, a Weidmüller apresenta 3 novos refrigeração de 1,5 kW e tecnologia Blue e+ num sistema de integração
módulos de redundância para desacoplamento das saídas de fontes de VX25 com dimensões de 800 x 2200 x 600 mm (L x A x P). A unidade
alimentação de modo comutado paralelo. A  comutação paralela per‑ de climatização é instalada na secção superior do armário e pode ser ope‑
mite um conceito de abastecimento de energia redundante, resultando rada, confortavelmente, a partir do exterior por meio de um display sen‑
na mais elevada disponibilidade do equipamento. Os dispositivos da sível ao toque. Esta solução combina todos os benefícios do novo sistema

86
PUB.
de armários de grandes dimensões
VX25 e da eficiência energética da
unidade de climatização Blue e+
numa única solução.
A  Rittal fornece o produto, in‑
cluindo os interruptores e os ca‑
bos, totalmente configurados num
único modelo. Consequente‑
mente, o trabalho desenvolvido na
instalação da unidade de refrigera‑
ção é eliminado completamente,
permitindo que os instaladores
comecem a configurar o interior
de imediato, o que elimina com eficácia a possibilidade de erros
de maquinação e o risco de cortes defeituosos, que geralmente
ocorrem quando a unidade de climatização externa é adaptada.
Como resultado, a categoria de proteção IP55 do armário é man‑
tida, o que, até agora, nunca foi uma tarefa fácil ao instalar a uni‑
dade de controlo climático no armário. No final, os utilizadores
podem ter a certeza de que receberão um sistema geral funcio‑
nal e não precisarão de se preocupar com o controlo climático.
Como a unidade de climatização integrada funciona com a nova
tecnologia Blue e+, esta fornece a mesma quantidade de refrige‑
ração necessária em cada momento. A climatização passiva atra‑
vés do tubo de calor pode ser suficiente com uma baixa perda de
calor ou em temperaturas ambiente frias. Para fins de manuten‑
ção, a unidade de climatização pode ser facilmente retirada (em
trilhos) pela frente, para que todos os componentes possam ser
facilmente acessíveis.
Para garantir um planeamento eficiente, o digital twin da solução de
integração Blue e+ está disponível no EPLAN Data Portal. Esta fer‑
ramenta EPLAN Pro Panel ajuda os utilizadores a mapear a configu‑
ração virtual em 3D. Se tiverem alguma dúvida sobre problemas de
controlo climático podem ser auxiliados pela “Thermal Design Inte-
gration”, um recurso implementado no EPLAN Pro Panel, ajudando
a produzir uma exibição gráfica das zonas de exclusão ditadas pelos
requisitos de ventilação, a área com um controlo de temperatura
ideal e pontos de acesso. A elevada qualidade de dados com layout
3D profissional, combinada com a “Integração de Design Térmico”, leva
a um plano fiável e eficiente. A interface IoT, opcional, permite que
a unidade de climatização, seja facilmente incorporada numa grande
variedade de aplicações IoT (Internet of Things). Por exemplo, as
várias opções permitirão a otimização futura da manutenção e ser‑
viço de soluções de controlo climático, reduzindo os custos opera‑
cionais. Uma análise de dados operacionais históricos também pode
ser realizada por um sistema de nível superior, graças à capacidade
de comunicação da solução integrada, as aplicações típicas da Indús‑
tria 4.0, como a manutenção inteligente ou preditiva, também serão
possíveis no futuro.

F.Fonseca apresenta o sensor de segurança


sem contacto com bloqueio MLP1 da Sick
F.Fonseca, S.A.
Tel.: +351 234 303 900 � Fax: +351 234 303 910
ffonseca@ffonseca.com � www.ffonseca.com
/FFonseca.SA.Solucoes.de.Vanguarda

O MLP1 é um fim de curso de segurança baseado em transponder


com bloqueio magnético, que assegura a proteção fiável do processo
em sistemas de produção parcial ou completamente automático.
produtos e tecnologias

Funciona com um atua‑ com perno roscado; e o DVF.7-SST com face em aço inoxidável AISI 304,
dor sem contacto e é com furo roscado.
usado em proteções Os sinoblocos são particularmente concebidos para anular vibrações,
físicas móveis. Graças à choques e ruídos decorrentes de elementos em movimento que, em
monitorização fiável da último caso, podem conduzir à existência de ruído e à redução do
porta (Performance Level tempo útil do elemento em causa ou de outros elementos adjacentes.
e), o MLP1 assegura um A ELESA+GANTER é representada em Portugal pela REIMAN.
elevado nível de segu‑
rança das máquinas, pre‑
venindo um acesso não autorizado e, deste modo, garante a inexistência
de interrupções não planeadas. Inversor solar TRIO-TM da ABB é modular e fiável
O fim de curso de segurança com uma função de bloqueio magné‑ ABB, S.A.
tico é a solução eficiente para aplicações que requerem proteção do Tel.: +351 214 256 000 � Fax: +351 214 256 247
processo em adição à função de segurança. Este fim de curso baseia‑ comunicacao-corporativa@pt.abb.com � www.abb.pt
-se na tecnologia transponder e usa saídas a semicondutor autotesta‑
das que garantem a máxima segurança na monitorização das portas. A  mais recente adi‑
Por outro lado, um poderoso magneto assegura que a porta se man‑ ção à linha de produtos
tem fechada e o processo de produção não é interrompido. A combi‑ comerciais trifásicos da
nação destas duas tecnologias com muito pouco desgaste proporciona ABB é o TRIO-TM-60,
uma elevada tolerância nas portas, aumentando a disponibilidade da com disponibilidade ime‑
máquina. O  conceito inovador de instalação e o atuador plano de diata. Esta versão três
pequena dimensão permitem uma integração na máquina inigualável. de MPPT’s (Maximum
Este sensor de segurança sem contacto e com bloqueio MLP1 da Sick é Power Point Tracking) pos‑
indicado para diversas aplicações, nomeadamente a de embalamento, sui potências nominais
solar e eletrónica. até 60 kW e foi concebida com uma flexibilidade melhorada, tendo em
conta a maximização da RDI em grandes sistemas. A modularidade deste
inversor é disponibilizada com compartimentos CC e CA separados, que
estão disponíveis em múltiplas versões para conceções utilitárias peque‑
ELESA+GANTER: alargamento da gama de sinoblocos nas e comerciais grandes.
REIMAN, Lda. O invólucro é o NEMA 4X, o que reduz o número de partículas que pene‑
Tel.: +351 229 618 090 � Fax: +351 229 618 001 tram nos compartimentos eletrónicos, ao mesmo tempo que o arrefeci‑
comercial@reiman.pt � www.reiman.pt mento por ar forçado aumenta a fiabilidade durante o tempo de vida útil
do inversor. “O TRIO-TM-60 é um inversor de strings robusto capaz de respon-
A  ELESA+G ANTER der a exigências de conceções maiores, bem como adaptar-se aos requisitos
alargou a sua oferta de menores de potência comercial com base nas suas múltiplas configurações,”
elementos antivibração, ditou Mario Thomas, Product Manager da área solar da ABB nos EUA.
lançando 4 modelos “A modularidade, os canais MPPT e a permissão de cadeias independentes
diferentes: DVB, DVC, oferece aos designers um inversor solar flexível e fiável, enquanto que a inter-
DVE e DVF. Os mode‑ face de utilizador proporciona uma vasta gama de protocolos de controlos e
los DVB e DVC são ele‑ aplicações para satisfazer os requisitos dos clientes.”
mentos revestidos a O novo inversor de strings digital da ABB está preparado para as aplica‑
borracha natural (NR) ções de rede inteligente da próxima geração e é compatível com as nor‑
de cor preta, com durezas que variam entre 40, 55 e 70, SHORE A. mas Rule 21 e UL1741SA. As suas capacidades inteligentes incluem uma
Por outro lado, o modelo DVE, também ele revestido a borracha natu‑ interface de multi-comunicações integradas (2 Ethernet, Wi-Fi e 2 RS-485)
ral (NR) de cor preta, apresenta uma dureza que varia entre os 40 e 60, e um amplo conjunto de funções de controlo que permitem um suporte
SHORE A. Finalmente, a versão DVF é revestida a silicone branco RAL completo da rede e a monitorização remota livre. A colocação em funcio‑
7040 e apresenta uma dureza de 55 SHORE A, suportando temperatu‑ namento fácil e rápida é verificada com uma interface de utilizador da web
ras entre -50ºC e 200ºC. através de qualquer dispositivo WLAN.
Os modelos e as caraterísticas respetivas são: DVB.6 com face em aço
zincado, com perno roscado; o DVB.6-SST com face em aço inoxidável,
com perno roscado; o DVB.7 com face em aço zincado, com furo ros‑
cado; o DVB.7-SST com face em aço inoxidável AISI 304, com furo ros‑ SEW-EURODRIVE apresenta ECDriveS®: acionamentos
cado; o DVC.1 com pino roscado em aço zincado; o DVC.1-SST com para transportadores de rolos
pino roscado em aço inoxidável AISI 304; o DVC.2 com pino roscado SEW-EURODRIVE Portugal
e face em aço zincado, com furo roscado; o DVC.2-SST com pino ros‑ Tel.: +351 231 209 670
cado e face em aço inoxidável AISI 304, com furo roscado; o DVC.3 com infosew@sew-eurodrive.pt � www.sew-eurodrive.pt
faces em aço zincado, com furos roscados; o DVC.3-SST com faces em
aço inoxidável AISI 304, com furos roscados; o DVE-A com flange oval O ECDriveS® é a mais recente solução para transportadores de rolos de
em aço zincado e furo roscado; o DVE-SST-A com flange oval em aço cargas ligeiras. A SEW-EURODRIVE disponibiliza aos seus parceiros uma
inoxidável e furo roscado; o DVE-B com flange quadrada em aço zin‑ solução simples para a realização de um sistema integrado, constituído
cado e furo roscado; o DVE-SST-B com flange quadrada em aço inoxi‑ por mecânica e eletrónica de controlo. O sistema foi otimizado para a
dável AISI 304 e furo roscado; o DVF.6-SST com face em aço inoxidável, movimentação de materiais leves e contempla soluções anticolisão, assim

88
produtos e tecnologias

como a possibilidade sejam comissionados automaticamente – não existe outro sistema que
de posicionamento. seja tão fácil e rápido neste processo. O motor pode ser controlado via
O ECDriveS®, acrónimo PROFINET IO, Ethernet IP, Modbus TCP, EtherCAT® ou por controlo
para Sistema de Acio‑ binário. Os módulos I/O podem ser utilizados para expandir o sistema
namento Elétrico com de acionamentos.
Controlo Comutado, é
dotado de um motorre‑
dutor de corrente con‑
tínua sem escovas que Novo grupo de microcontroladores Renesas
garante uma solução simples, eficiente e de baixo custo para transporta‑ na RUTRONIK
dores de rolos. O motorredutor e a eletrónica de controlo estão separa‑ RUTRONIK Elektronische Bauelemente GmbH
dos, garantindo o desacoplamento térmico do sistema. Esta caraterística Tel.: +351 252 312 336 � Fax: +351 252 312 338
resulta num aumento de potência até 25% e até 60% de aumento na rutronik_pt@rutronik.com � www.rutronik.com
capacidade de sobrecarga, algo que não se encontra disponível nas
outras soluções disponíveis no mercado. A robustez aprimorada do sensor de
Na fase de elaboração do projeto, a filosofia modular deste acionamento toque faz com que a nova família de
permite poupanças até 50%. Possui um encoder incremental, o que torna microcontroladores RX130 da Rene‑
a aquisição de sensores adicionais desnecessária em aplicações como sas seja adequada para uma utilização
cantos de transferência e mesas rotativas. Este é um benefício que reduz em ambientes húmidos, como cozi‑
os custos de instalação em cerca de 30%. A nova tecnologia ECDriveS® nhas ou casas de banho. O  sensor
tem 40 W de potência disponível com uma capacidade de sobrecarga de toque capacitivo recém-integrado
superior a 250%. Este sistema combina a robustez dos redutores plane‑ apresenta uma melhor sensibilidade
tários com a eficiência de um motor de ímanes permanentes (BLDC). e imunidade ao ruído e opera melhor
A proteção do motor é feita através de termístor, o que significa que o em condições húmidas. Dessa forma
utilizador pode conhecer a qualquer momento a temperatura o motor. oferece maior capacidade de resposta para aplicativos baseados em
A  chapa de caraterísticas eletrónicas permite que os acionamentos toque e, ao mesmo tempo, permite o uso de teclas sensíveis ao toque
PUB.

89
produtos e tecnologias

em ambientes húmidos e em materiais não tradicionais, como madeira. Com  este contrato, a
Equipados com um novo núcleo RX v2, os 38 novos MCUs RX130 pro‑ Efacec reforça o seu
metem um maior desempenho com menos consumo de energia do que posiciona m e nto no
os modelos anteriores. Outros recursos de hardware incluem um código mercado solar em Por‑
aprimorado de memória flash, recursos de segurança incorporados, tugal, com um player
suporte a IHM e uma grande memória de utilizador. A tensão máxima impor tante no mer‑
de alimentação é de 5,5 V e são totalmente compatíveis com os MCUs cado das energias reno‑
de toque RX231/RX230 da empresa. O grupo RX130 MCU está em váveis. Os 2 contratos
conformidade com a Norma de segurança IEC/UL60730 para produtos incluem o fornecimento
eletrónicos de consumo e, portanto, especialmente adequado para ele‑ de engenharia, design, procurement, construção, comissionamento e
trodomésticos com painéis de toque, mas também pode ser aplicado no garantias de máquinas e equipamentos elétricos associados. De referir,
setor industrial. que entre os principais equipamentos das centrais solares encontram-se
A Renesas fornece dois kits para os MCUs: o kit inicial que permite a equipamentos Efacec. Tendo em conta que uma habitação em Portu‑
avaliação completa do controlador e possui um depurador E2 integrado gal consome, em média, 3700 kWh/ano é possível concluir que as cen‑
no chip, com controlos deslizantes e teclas de toque capacitivo; e o sis‑ trais solares fotovoltaicas terão capacidade para fornecer, anualmente,
tema de avaliação de toque capacitivo que permite a avaliação precisa energia elétrica a mais de cerca de 19 000 casas, resultando numa pou‑
de várias funções de toque, por exemplo o teste de botões, controlos pança de cerca de 3,3 ton CO2 /ano. Estes parques contribuem, assim,
deslizantes, rodas, chaves de matriz e sensores de proximidade. O kit de forma significativa, para Portugal alcançar metas sustentáveis e obje‑
pode ser utilizado como uma ferramenta de referência no desenvolvi‑ tivos Portugal2020.
mento de placas ou software e permite a criação de protótipos simples. No que concerne a energias renováveis, a Efacec desenvolve soluções
para sistemas solares, incluindo autoconsumo, sistemas híbridos e par‑
que de grande escala em regime de chave-na-mão. Com uma cadeia
de valor abrangente, a Efacec atua na geração, distribuição e transmis‑
Desidratador Solar Chatron aplicado com sucesso são de energia; design, engenharia, construção e manutenção de sis‑
à secagem de sal no “L’Atelier du Sel – Guérande – França” temas integrados (EPC – Engineering, Procurement and Construction)
Chatron, Lda. para os setores da energia, ambiente, indústria e transportes; e desen‑
Tel.: +351 256 472 888 � Fax: +351 256 425 794 volvimento de soluções de Mobilidade Elétrica e a sua comercializa‑
www.chatron.pt ção. O Grupo Efacec está presente em mercados estratégicos como a
Europa, os Estados Unidos da América, a América Latina, Ásia, Médio
Mais uma referência impor‑ Oriente, Magrebe e África do Sul.
tante da secagem solar da
empresa portuguesa Cha‑
tron no mercado francês e
mais um cliente muito satis‑ SKF oferece ferramenta avançada de engenharia
feito. O “Atelier du Sel” está SKF Portugal – Rolamentos, Lda.
a secar muito mais rapida‑ Tel.: +351 214 247 000 � Fax: +351 214 173 650
mente o seu sal e a custo skf.portugal@skf.com � www.skf.pt
zero durante todo o dia.
Obedecendo a todas as caraterísticas requisitadas pelo cliente, nomeada‑ O software de simulação avançado da SKF oferece aos clientes acesso a uma
mente ao nível da temperatura e da humidade relativa, a construção do poderosa ferramenta de engenharia usada pelos seus próprios engenheiros.
desidratador solar foi feita com recurso aos novos painéis Twin Solar da O SKF SimPro Expert é uma ferramenta avançada de software de simulação,
Chatron. Atualmente a Chatron já tem em produção um novo desidrata‑ desenvolvida internamente pela SKF para maximizar o suporte e a coopera‑
dor solar para França desta feita para a secagem de algas. Outras estão na ção com os seus clientes. O SimPro Expert oferece aos clientes uma maior
calha nos mais diversos países. liberdade de escolha e flexibilidade ao incorporar os rolamentos da SKF nos
seus projetos de máquinas mas, mais ainda, dá-lhes a possibilidade de avaliar
o desempenho dos arranjos de rolamentos da SKF em detalhe, para uma
ampla gama de aplicações e condições de serviço, de forma virtual.
Efacec constrói centrais solares em Santiago do Cacém Colocando, efetivamente, o conhecimento de engenharia da SKF nas
e Castelo de Vide mãos do cliente, o SimPro Expert dá ao utilizador um meio muito pre‑
Efacec Power Solutions, SGPS. S.A. ciso de avaliar o desempenho do rolamento, em qualquer modelo de
Tel.: +351 229 562 300 � Fax: +351 229 562 740 equipamento. As capacidades de modelação de aplicações melhoradas, a
sgps@efacec.com � www.efacec.com geometria detalhada do rolamento SKF, e os dados de desempenho, em
combinação com mais de 100 anos de desenvolvimento de teorias de
A Efacec foi a empresa escolhida para a implementação dos primeiros rolamentos verificadas e validadas pelas extensas capacidades de teste
parques solares do país em regime de mercado livre, localizados em e experiência de campo real da SKF, proporcionam ao utilizador uma
Santiago do Cacém e Castelo de Vide. Ocupando uma área combinada ótima ferramenta de engenharia. Como o software é praticamente o
de cerca de 70 hectares, estas infraestruturas têm uma capacidade de mesmo usado pelos engenheiros da SKF, o SimPro Expert permite uma
produção de mais de 70 GWh por ano. A operação das centrais solares boa interação entre o cliente e a equipa de Engenharia de Aplicações da
está prevista para começar ainda em 2018. SKF. Além disso, incentiva o cliente a enfrentar desafios de engenharia
A  EXUS Management Par tners atribuiu à Efacec 2 contratos para mais complexos, confiante no conhecimento que o suporte e a orienta‑
as centrais solares fotovoltaicos de Casa Nova (12 MWp) e Tendei‑ ção a Engenharia de Aplicações da SKF está pronta a entregar. Com esta
ros (24 MWp), em regime chave-na-mão (EPC completo com O&M). ferramenta os clientes ganham maior flexibilidade nos seus processos

90
PUB.
de design e a capa‑
cidade de traba‑
lhar mais rápido
e com mais preci‑
são num projeto
específico. Após o
modelo ser criado
pelo cliente e algu‑
mas simulações
iniciais serem realizadas, este pode ser partilhado com a Engenha‑
ria de Aplicações da SKF para discussão e refinamento adicionais.
O SimPro Expert cobre muitos aspetos diferentes dos rolamen‑
tos no design da máquina e é capaz de simular uma ampla gama
de parâmetros de operação do rolamento e condições em ser‑
viço, incluindo desalinhamento, carga e momento, fricção, ten‑
sões de contacto da pista, vida de fadiga, lubrificação e muito
mais. O software cria modelos que levam em consideração a tem‑
peratura, velocidade, tipo de lubrificação, níveis de contamina‑
ção, propriedades do material e assim por diante. Da mesma
forma permite ao cliente executar animações 3D desses mode‑
los. O  SimPro Expert é um poderoso software para o projeto
de equipamentos, que fornece acesso a décadas de conheci‑
mento acumulado de engenharia da SKF, onde é necessário, e no
momento em que é necessário.

Invólucros para eletrónica para o exterior


Phoenix Contact, S.A.
Tel.: +351 219 112 760 � Fax: +351 219 112 769
www.phoenixcontact.pt

A  Phoenix Con‑
tact apresenta uma
nova gama de invó‑
lucros para eletró‑
nica, especialmente
concebida para
aplicações em am‑
bientes exigentes.
A  gama ECS com
um IP69 suporta uma generosa amplitude de temperaturas, -40°C a
+100°C, garantindo a proteção da eletrónica às influências externas.
Estes invólucros são adequados para aplicações externas podendo,
no entanto, também ser utilizados em aplicações industriais de ele‑
vada exigência de proteção. Ligações padronizadas como a tecnolo‑
gia de fichas circulares M12 em conjunto com vários acessórios de
montagem em postes ou em parede, alargam o espetro de aplicabi‑
lidade da sua solução de eletrónica.

Smappee & Nest: uma combinação vencedora


de energia inteligente para o lar
QKSOL – Energy Solutions
Tel.: +34 93 480 84 66
info@qksol.com � www.qksol.com

E se você conseguir gerir a utilização de energia dos eletrodomésti‑


cos da sua casa e controlar o seu termóstato inteligente a partir de
um dispositivo? Ao fazer isto, o que aconteceria se pudesse redu‑
zir, significativamente, a sua conta de eletricidade e a sua pegada
produtos e tecnologias

ambiental? Já não é uma na construção do quadro. O software é intuitivo graças a uma interface
questão “E se…?”, é autoexplicativa e à funcionalidade de arrastar e soltar. Além disso, o
mais bem “Do que está Weidmüller Configurator inclui uma base de dados de soluções de melho‑
à espera?” O  Smappee res práticas para projetos padronizados. Se necessário, o cliente receberá
y Nest, duas referên‑ um orçamento individual para o Serviço de Entrega Rápida através do
cias na gestão de energia “Botão” integrado no software. Depois de aceitar o orçamento, a régua
inteligente em casa, uni‑ de bornes individualmente montada estará pronta a instalar em 4 dias
ram esforços para ajudar úteis, mais um dia de entrega no caso da Alemanha. O software está dis‑
a transformar as casas ponível para transferência gratuita em www.weidmueller.de/configurator.
em habitações inteligentes e eficientes no que à energia diz respeito. A construção de quadros consiste num negócio baseado em projetos,
A aplicação de gestão de energia para uma habitação inteligente Sma‑ com tudo o que lhe é inerente: encomendas, prazos apertados e altera‑
ppee juntou-se ao ecossistema “Works with Nest”, o que significa que ções de design de última hora são a regra. Para garantir entregas pontuais
agora tanto podem utilizar o monitor de energia inteligente de Sma‑ e sem erros, apesar do aumento da complexidade, o cliente deve poder
ppee como o Nest Learning Thermostat, através da aplicação Smappee, contar com parceiros capazes de responder aos requisitos em perío‑
de forma facilitada. Pense na aplicação Smappee como um centro de dos de tempo reduzidos. Além disso, pequenos lotes não podem ser
comando e controlo virtual para a utilização da energia na habitação. rejeitados como antieconómicos. O perfil de requisitos constituiu para
O aplicativo monitoriza o consumo de energia na habitação e oferece a Weidmüller uma razão decisiva para estabelecer e fornecer o “Serviço
informação sobre onde se podem reduzir os custos energéticos ocultos de Entrega Rápida” para réguas de bornes montadas. O serviço inovador
e rastrear o fluxo completo da eletricidade a partir de todo o tipo de dis‑ tem várias vantagens: o cliente elimina elevados custos fixos da capaci‑
positivos, incluindo os painéis solares, baterias, bombas de calor e outros dade de produção, que é mantida livre, um fornecimento constante de
dispositivos. Os utilizadores da Smappee poupam cerca de 30% nas suas espaço de armazenamento e a compra de componentes individuais. Esta
faturas energéticas. nova caraterística do Weidmüller Configurator (Configurador Weidmüller
O  Nest Learning Thermostat ajuda as famílias a operar os seus sis‑ – WMC) assegura totalmente o fornecimento de réguas de bornes indi‑
temas de aquecimento e ar condicionado de uma forma inteligente. viduais e prontas a instalar em apenas 5 dias úteis. Depois de concluir a
Por exemplo quando ninguém está em casa, o Nest automaticamente configuração intuitiva usual com um sistema ECAD e o WMC, o cliente
mantém a temperatura desejada ao invés de a ligar e desligar alea‑ realiza o pedido e recebe um orçamento automatizado, incluindo todos
toriamente. O termóstato inteligente também sabe quando o tempo os números de itens, em alguns minutos.
fica mais frio ou quente, e regula os níveis de temperatura segundo A partir do momento em que a encomenda é realizada, a Weidmüller
a temperatura. A  união da Smappee e Nest também ajuda as famí‑ conclui a seleção do componente em 4 dias, com base nos dados sub‑
lias a monitorizar a utilização de gás e água segundo os hábitos dos metidos do WMC. Posteriormente e como regra, a expedição ocorre
membros da família. A aplicação Smappee adverte quando se utiliza num prazo de entrega de um dia na Alemanha. Decorridos em apenas 5
demasiado gás ou água, uma caraterística útil quando a habitação está dias úteis, no caso da Alemanha, o cliente tem em sua posse a régua de
vazia. O Smappee também garante uma rede inteligente de segurança bornes pronta a instalar. Para que os projetos mais pequenos, bem como
doméstica através da sua integração com o detetor de monóxido de requisitos individuais, possam ser tratados economicamente, as enco‑
carbono Nest Protect. mendas envolvendo quantidades únicas são possíveis através do “Serviço
de Entrega Rápida”.

Weidmüller Klippon® Connect


Weidmüller – Sistemas de Interface, S.A. RT1 – novo sistema inteligente de monitorização
Tel.: +351 214 459 191 � Fax: +351 214 455 871 de painéis fotovoltaicos
weidmuller@weidmuller.pt � www.weidmuller.pt Vórtice – Equipamentos Científicos, Lda.
Tel.: +351 218 683 559 � Fax: +351 218 682 946
Os processos de enge‑ geral@vortice-lda.pt � www.vortice-lda.pt
nharia devem tornar-se
ainda mais rápidos, pre‑ A  quantidade de radia‑
cisos e económicos, o ção solar incidente e a
que requer ferramentas temperatura dos pai‑
adequadas que supor‑ néis solares são os parâ‑
tem o complexo pro‑ metros críticos para
cesso de planeamento, monitorizar o desem‑
como o Weidmüller penho de uma instala‑
Configurator (Configurador Weidmüller – WMC) inteligente e fácil de ção fotovoltaica. A Kipp
utilizar. A poderosa solução de software acelera a seleção, configuração & Zonen, referência do
e encomenda de componentes de réguas de bornes da gama Weidmül‑ mercado em soluções de medição de radiação solar, e conhecida pelos
ler. A ferramenta suporta o fluxo de trabalho de engenharia integrado, seus piranómetros da série CMP e SMP, desenvolveu um produto inova‑
desde o planeamento com sistemas ECAD até à documentação. O fun‑ dor especificamente para esta aplicação.
cionamento simples, o design e a integração no respetivo sistema de O sistema de monitorização RT1 é montado de um modo simples num
engenharia tornam a configuração das réguas de bornes simples, segura painel fotovoltaico, sem necessidade de ferramentas. Ele mede a radiân‑
e cómoda. Os dados do produto podem ser totalmente integrados em cia solar no plano do conjunto de painéis, e inclui um sensor de tempe‑
todas as ferramentas comuns de engenharia, como ePlan P8 ou Zuken ratura com uma fixação fácil na parte posterior do painel. Esta solução
E3. As vistas 3D facilitam o dimensionamento, a cablagem e a marcação comunica digitalmente através do protocolo Modbus ®, para uma fácil

92
produtos e tecnologias

integração com sistemas de monitorização de energia solar. O sistema iluminação 24 horas com o mesmo nível de lux interior, graças ao sistema
RT1 é selado e resistente à sujidade, sem necessidade de uma manuten‑ light controller da Chatron. Mais uma aplicação e mais um cliente satisfeito
ção regular, e tem uma garantia de 5 anos. As medições de desempenho com a eficiência energética associada.
de qualidade estão agora disponíveis para os utilizadores de instalações
fotovoltaicas a um preço atraente.

Bresimar Automação tem disponível um novo Built-in


Panel PC da Beckhoff
Tubos solares Chatron equipam armazém industrial Bresimar Automação, S.A.
em Barcelona Tel.: +351 234 303 320 � Tlm.: +351 939 992 222
Chatron, Lda. bresimar@bresimar.pt � www.bresimar.pt
Tel.: +351 256 472 888 � Fax: +351 256 425 794
www.chatron.pt A  Bresimar Automação já
tem disponível o novo Panel
156 tubos solares Cha‑ PC da Beckhoff, uma solu‑
tron, tecnologia por tu‑ ção adequada para a apli‑
guesa, equiparam um cação em construção de
armazém industrial em máquinas, otimizado para
Sant Boi de Llobregat, o software de automação
em Barcelona. A  par tir TwinCAT 3 em Windows
de agora é possível eco‑ Embedded Compact 7. Das
nomizar energia com suas caraterísticas destacam-se um processador ARM Cortex™ – A8 a 1 GHz
a iluminação diurna do com 1GB DDR3 de RAM, touchscreen de 10,1” (1024 x 600 WSVGA), co‑
armazém, através da iluminação solar natural, sem transmissão de calor ou municação EtherCAT, proteção frontal IP54, alimentação 24V DC e tempera‑
frio e com a qualidade e o conforto que só a iluminação natural permite. tura de funcionamento até 55°C. O Panel PC CP6600 é um equipamento de
O  sistema Ledin Chatron, incorporado nos tubos solares, permite a elevado desempenho que apresenta uma ótima relação qualidade/preço.
PUB.

93
bibliografia

Curso Técnico Instalador de Energia Solar Fotovoltaica – 2.ª Edição

Este manual resulta da necessidade de preencher uma lacuna no domínio da formação em energias renováveis. Segue
os referenciais da Associação Nacional das Qualificações (ANQ) e do Instituto do Emprego e Formação Profissional
PVP
(IEFP) e vem responder às necessidades dos seguintes cursos: Curso Profissional “Técnico de Energias Renováveis” –
39,90€ Variante Solar; 522212 – Técnico/a Instalador/a de Sistemas Solares Fotovoltaicos.
Preço Booki A obra permitirá que os formandos destes cursos procurem, de forma autónoma e crítica, o saber e os conhecimen‑
35,91€ tos relativos a esta área específica das indústrias, consolidando e sedimentando as competências necessárias para a
Poupa sua correta aplicação.
3,99€

Autores: Filipe Alexandre de Sousa Pereira,


Índice: Energia Solar. Sistemas Solares Fotovoltaicos. Módulos Solares Fotovoltaicos. Projeto de Sistemas Solares Fotovoltaicos – Seleção e
Manuel Ângelo Sarmento de Oliveira
ISBN: 9789897230820 Dimensionamento. Projeto de Sistemas Solares Fotovoltaicos – Construção. Projetos de Sistemas Solares Fotovoltaicos – Instalação. Hiperli‑
Editora: PUBLINDUSTRIA gações para Software de Sistemas FV. Bibliografia.
Número de Páginas: 400
Edição: 2015
Idioma: Português
Venda online em www.booki.pt

El Universo de las Energías Renovables

As energias renováveis requerem não só uma promoção social mas também uma formação a diferentes níveis, desde
a busca por locais de estabelecimento, a instalação, a exploração e a manutenção. Este livro pretende apresentar todos
PVP estes procedimentos para que os interessados conheçam os fundamentos tecnológicos, as aplicações, e as repercus‑
25,30€
sões ambientais da gestão das mesmas, fomentando a formação sobre o mundo científico, técnico, social, assim como
Preço Booki
sobre cada energia renovável.
22,77€
Poupa
2,53€ Índice: Mudanças Climáticas: Situação e Perspetivas. Captura e Aproveitamento do CO2. Energias Renováveis: Procedimentos. Repercussões
Económicas e Ambientais. Condições Físicas da Luz e do Vento. Procedimento Fotovoltaico. Procedimento Eólico. Procedimento Térmico de
Autor: Tomás Perales Benito
ISBN: 9788426717764 Baixa Temperatura. Procedimento Térmico de Alta Temperatura. Procedimento Hidráulico e Marinho. Procedimento Geotérmico. Hidrogénio.
Editora: MARCOMBO Biomassa. Instrumentos de Medida, Análise e Gestão.
Número de Páginas: 244
Edição: 2012
Idioma: Português
Venda online em www.booki.pt

Energia Solar em Edifícios

Ao longo de 16 capítulos é dada a informação necessária aos profissionais que trabalham no domínio das instalações
solares, mas que também é relevante para todos os que se interessam pelas questões que envolvem a utilização da
PVP energia solar como fonte energética alternativa. Sequencialmente são tratados os aspetos gerais relativos aos diferen‑
38,37€
tes tipos de sistemas solares existentes, os aspetos específicos dos sistemas solares térmicos e os aspetos específicos
Preço Booki
34,53€ dos sistemas solares fotovoltaicos. Ao longo do livro são indicadas as caraterísticas bem como as vantagens e incon‑
Poupa
venientes dos diferentes componentes e fluidos térmicos constituintes de um sistema, de forma ao leitor poder ins‑
3,84€ talar o sistema solar ou fotovoltaico adequado ao fim em vista.

Autores: Luís Roriz, João Rosendo, Fernando


Índice: Captação da Energia Associada à Radiação Solar. A Evolução no Solar Térmico. A Evolução no Solar Fotovoltaico. Fundamentos para o
Lourenço, Kathrin Calhau
ISBN: 9789728620158 Aproveitamento da Radiação Solar. Tipo de Painéis Solares Térmicos. Principais Conceções de Sistemas Solares Térmicos. Determinação do
Editora: ORION Calor captado num Sistema Térmico Solar. Controlo da Qualidade da Água. Instalação e Manutenção de Instalações Solares Térmicas. Funda‑
Número de Páginas: 566
Edição: 2010 mentos da Transformação da Energia Solar em Energia Elétrica.Tipo de Células Fotovoltaicas. Painéis Fotovoltaicos. Sistemas Fotovoltaicos. Ins‑
Idioma: Português talação e Manutenção de Sistemas Fotovoltaicos. Micro Geração e Produção em Regime Especial. Determinação da Energia obtida num Painel
Venda online em www.booki.pt
Solar Fotovoltaico. Transmissão de Calor em Regime não Estacionário. Soluções Aquosas. Ciclos Termodinâmicos de Conversão de Energia.

94
bibliografia

Sistemas Integrados de Gestão – Qualidade, Ambiente e Segurança – 3.ª EDIÇÃO

Este livro é resultado da experiência de 17 coautores, de entre académicos e profissionais de engenharia e gestão.
Na atualidade, as organizações que procuram o desenvolvimento sustentável e o sucesso sustentado, alinham o seu
PVP
propósito e a sua orientação estratégica com os diversos requisitos normativos de normas internacionais, tais como, as
33,00€ Normas ISO 9001 (Sistemas de Gestão da Qualidade), ISO 14001 (Sistemas de Gestão Ambiental), ISO 45001 (Sis‑
Preço Booki temas de Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho), de entre várias outras. Neste sentido, a implementação de um
29,70€ Sistema Integrado de Gestão da Qualidade, Ambiente, Segurança, é visto como uma ferramenta extraordinária que
Poupa permite implementar os princípios do Desenvolvimento Sustentável na cadeia de valor da organização.
3,30€

Autores: Gilberto Santos (coordenação), Luis


Manuel Meneses Guimarães Almeida, Delfina
Índice: Prefácio à 3.ª Edição, por Mira Amaral. Introdução. Implementação do Sistema de Gestão da Qualidade. Sistema de Gestão Ambien‑
Gabriela Garrido Ramos, Filipe José da tal. Implementação do Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho. Sistemas de Gestão de Segurança da Informação. Sistema de
Fonseca Carvalho, outros Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI). Guia Geral de Revisão Sistemática para Sistemas Integrados de Gestão. Sistemas
ISBN: 9789897232732
Editora: PUBLINDUSTRIA Integrados de Gestão – Qualidade, Ambiente, Segurança e outros Sistemas de Gestão. Desenvolvimento Sustentável e Sucesso Sustentado
Número de Páginas: 486 das Organizações. Alinhamento dos Sistemas Integrados de Gestão com a Cultura Organizacional e a Estratégia Empresarial das Organiza‑
Edição: 2018
ções. Auditoria Interna a Sistemas de Gestão. Energia e Eletricidade. Conceitos Básicos. Células e Módulos Fotovoltaicos. Sistemas Fotovoltai‑
Idioma: Português
Venda online em www.booki.pt cos Autónomos. Sistemas Fotovoltaicos Conectados à Rede Elétrica.

Energia solar fotovoltaica – Conceitos e aplicações

Com linguagem didática e acessível, este livro foi planeado para proporcionar uma aprendizagem objetiva e didática
dos principais temas que norteiam a energia solar fotovoltaica. Inicia-se com uma introdução sobre energia e eletrici‑
PVP dade, seguindo-se a abordagem de exemplos de energias renováveis, geração distribuída de energia elétrica, a energia
35,01€ solar fotovoltaica no Brasil, as suas normas, benefícios e conceitos básicos, caraterísticas, funcionamento e conexões
Preço Booki das células e módulos fotovoltaicos, e abrangendo depois os componentes e as aplicações dos sistemas autónomos e
31,51€
exemplos de dimensionamento, o uso de baterias, os tipos existentes e controlador de carga, as principais caraterísti‑
Poupa
3,50€
cas dos inversores e os sistemas fotovoltaicos conetados à rede.
Autor: Marcelo Gradella Villalva
ISBN: 9788536514895 Índice: Energia e Eletricidade. Conceitos Básicos. Células e Módulos Fotovoltaicos. Sistemas Fotovoltaicos Autónomos. Sistemas Fotovoltai‑
Editora: ÉRICA cos Conectados à Rede Elétrica.
Número de Páginas: 224
Edição: 2015
Idioma: Português (do Brasil)
Venda online em www.booki.pt

Integración de la Energía Fotovoltaica en Edificios

A integração da energia solar fotovoltaica em edifícios terá um papel importante na substituição das fontes de ener‑
gia convencionais, já que apresenta grandes vantagens face à instalação em subsolo. As melhores técnicas, a redução
PVP de custos e a aceitação social encaminham-se para esta direção. Este livro pretende esclarecer a técnica de conjunção
22,26€ dos painéis fotovoltaicos com os restantes elementos habituais na construção, ressaltando-os como geradores elétri‑
Preço Booki cos e como elementos construtivos.
20,03€
Poupa
2,23€ Índice: A Energia Fotovoltaica na Construção. Normas Legais em Espanha. Descrição de um Sistema Fotovoltaico. Revisão das Tecnologias
Fotovoltaicas. Desenho do Módulo FV para a Integração Arquitetónica. Aplicações Arquitetónicas da Integração Fotovoltaica. Diretrizes de
Autor: Nuria Martín
Desenho e Operação. Referências e Bibliografia.
ISBN: 9788495693686
Editora: PROGENSA
Número de Páginas: 66
Edição: 2011
Idioma: Espanhol
Venda online em www.booki.pt
links

Associação Portuguesa de Empresas


do Setor Fotovoltaico
A APESF é uma associação sem fins lucrativos que se dedica a promover
o desenvolvimento e a dinamização do mercado da energia fotovoltaica em Portugal,
de forma a acompanhar o desenvolvimento que carateriza o setor.

www.apesf.pt

Solar Power Europe


A Solar Power Europe é uma associação liderada por membros que representam
organizações ativas, cujo objetivo é moldar o ambiente legislativo e aumentar
as oportunidades de negócio para a energia solar na Europa.

www.solarpowereurope.org/home/

ENERCOUTIM – Associação Empresarial


de Energia Solar de Alcoutim
Esta associação procura fomentar o desenvolvimento económico-social rural através
da otimização dos recursos locais, apoiando projetos multidisciplinares e de base
tecnológica nos setores das energias limpas e da sustentabilidade.

www.enercoutim.eu

Sociedade Internacional de Energia Solar


Durante mais de 60 anos, os membros da Sociedade Internacional de Energia Solar (ISES) realizaram
a pesquisa de produtos que ajudou a indústria de energia renovável a crescer. E a ISES tem programas
de partilhas de conhecimento e construção de comunidades, onde ajuda os seus membros a
fornecerem respostas técnicas para acelerar a transformação para 100% de energia renovável.

www.ises.org/

EnergizAIR indicadores para as médias de abril a junho de 2018

SOLAR SOLAR EÓLICA


FOTOVOLTAICO TÉRMICO
Para mais informações
Portugal Continental sobre cada um dos indicadores
Lisboa: 169% Lisboa: 94% 2 725 462 habitações http://energizair.apren.pt

96
n.° 34 · 2.º trimestre de 2018 · ano 9 · 9.00 € · trimestral · ISSN 1647-6255 · www.renovaveismagazine.pt · Diretor: Amadeu Borges

34 34

n.° 34 · 2.º trimestre de 2018 · ano 9

dossier solar fotovoltaico na Administração Pública


› o caso da Universidade de�Trás-os-Montes e Alto Douro › energia fotovoltaica na�Administração Pública em Cabo Verde
› parque fotovoltaico no Hospital de Santa Maria › o papel da Certificação Energética e da Regulamentação
› PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade na�Eficiência Energética
e Eficiência no�Uso de Recursos › solar fotovoltaico na�Administração Pública