You are on page 1of 5

Universidade Estadual de Londrina

Centro de Ciências da Saúde


Departamento de Patologia, Análises Clínicas e Toxicológicas
Disciplina: Toxicologia Geral (6LAC011) / 1ª Avaliação teórica

Nome:___________________________________ Data: 14/06/16 Nota:___________

1) A figura abaixo, refere-se à abscissa (dose) e na ordenada (resposta em


porcentagem).

Certa vez, numa aula de Toxicologia um Professor falou: “a dose importa, as pessoas
são diferentes e as coisas mudam”... De acordo com a figura acima, tomando-se um
exemplo, explique o axioma.
2) O artigo de Fuga et al., 2007 se refere ao uso de espécies de liquens como
bioindicadores.

a) Por definição, bioindicador é:


b) Como a espécie de liquem é utilizada na correlação da exposição aos metais
Bromo e Zinco.
3) O esquema ilustra a biotransformação do benzeno. Há dois principais
compostos desta rota de metabolismo que estão envolvidos como possíveis
Indicadores Biológicos de Exposição (IBE´s). Sabe-se que uma das moléculas se
refere à interpretação de valor referencial tecnológico (VRT) e, ainda, à avaliação
da exposição a baixas doses.

a) Qual o composto utilizado como bioindicador na exposição ao benzeno?

b) Há necessidade de considerar o eventual hábito de fumar. Justifique.


4) De acordo com o comitê olímpico internacional, o atleta que se envolve em caso
de doping por droga de abuso é punido com suspensão por meses ou anos,
dependendo da substância. Um indivíduo, jogador de futebol, que participou de
jogo na cidade de Bogotá, Colômbia, foi acusado de doping por consumo de
cocaína, com valor de metabólico benzoilecgonina igual a 500 ng/mL. Segundo
relatos, o jogador havia tomado “chá de coca”...

Pergunta-se:

a) Tomando-se as ilustrações acima, justifique o emprego da coleta urinária para a


investigação de uso de substâncias classificadas para a dopagem no esporte?
b) Qual o limite ou “cut off” para a determinação do metabólito na urina e qual é o
método confirmatório?
c) O relato do jogador pode justificar o achado na matriz biológica. Caso sim, em
que circunstâncias?

• 2008 – FIFA – International Footbaal Association;


• Agência Mundial Anti-doping (AMA) - vigência a partir de 2005:
• Comissão Médica do Comitê Olímpico Internacional (COI) -
controle anti-dopagem no esporte, lista de substâncias de uso
proibido aos atletas;
• Brasil - Conselho Nacional do Desporte - Resolução n. 2 de 05 de
maio de 2004 – Ministério do Esporte.
5) Recentemente, a ANVISA liberou, mediante prescrição médica, o uso de óleo de
canabidiol (CBD) em pacientes com crises convulsivas severas. Diferencie o
canabidiol (CBD) do tetrahidrocanabinol (THC) a cerca dos potenciais de uso
clínico, dependência e abuso.

http://drauziovarella.com.br/noticias/cannabis-esperanca-contra-convulsoes/

http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-
permanentes/cssf/seminario-e-outros-eventos/seminarios-2014/uso-medicinal-do-
canabidiol-cbd/apresentacao-1

http://www.portalmedico.org.br/resolucoes/CFM/2014/2113_2014.pdf