You are on page 1of 8

União Espírita Deus Amor E Caridade

Rua Índio Piragibe, 182, Fone (83)3221-8000 – João Pessoa/PB


Estudo Do Evangelho Segundo O Espiritismo – ESE*
Cap. VI, Itens 1 a 2

27º Roteiro – O Julgo Leve

Objetivos

Esclarecer em que consiste o jugo leve a que Jesus se refere e de que forma
ele traz o consolo aos homens.

O Julgo Leve
1 – Vinde a mim, todos os que andam em sofrimento e vos achais
carregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim,
que sou manso e humilde de coração, e achareis descanso para as vossas almas.
Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve. (Mateus, XI: 28-30)
2 – Todos os sofrimentos: misérias, decepções, dores físicas, perdas de
seres queridos, encontram sua consolação na fé no futuro, e na confiança na
justiça de Deus, que o Cristo veio ensinar aos homens. Sobre aquele que, pelo
contrário, nada espera após esta vida, ou que simplesmente duvida, as aflições
pesam com todo o seu peso, e nenhuma esperança vem abrandar sua amargura.
Eis o que levou Jesus a dizer: “Vinde a mim, vós todos que estais fatigados, e eu
vos aliviarei”.
Jesus, entretanto, impõe uma condição para a sua assistência e para a
felicidade que promete aos aflitos. Essa condição é a da própria lei que ele
ensina: seu jugo é a observação dessa lei. Mas esse jugo é leve e essa lei é
suave, pois que impõe como dever o amor e a caridade.
(O Evangelho Segundo o Espiritismo por ALLAN KARDEC – Tradução de José Herculano Pires)

Fontes Complementares

Assim falou Jesus


( Livro: O Espirito da Verdade – Espirito, Diversos – Chico Xavier )

Disse o Mestre: “Buscai e achareis.”


Mesmo nos céus, você pode fixar a atenção na sombra da nuvem ou no brilho da
estrela.
Afirmou o Senhor: “Cada árvore é conhecida pelos frutos.”
Alimentar-se com laranja ou intoxicar-se com pimenta é problema seu.

1
Proclamou o Cristo: “Orai e vigiai para não entrardes em tentação, porque o
espírito, em verdade, está pronto, mas a carne é fraca.”
O espírito é o futuro e a vitória final, mas a carne é o nosso próprio passado,
repleto de compromissos e tentações.
Ensinou o Mentor Divino: “Não condeneis e não sereis condenados.”
Não critique o próximo, para que o próximo não critique a você.
Falou Jesus: “Quem se proponha conservar a própria vida, perdê-la-á.”
Quando o arado descansa, além do tempo justo, encontra a ferrugem que o
desgasta.
Disse o Mestre: “Não vale para o homem ganhar o mundo inteiro, se perder
sua alma.”
A criatura faminta de posses e riquezas materiais, sem trabalho e sem
proveito, assemelha-se, de algum modo, a pulga que desejasse reter um cão
para si só.
Afirmou o Senhor: “Não é o que entra pela boca que contamina o homem.”
A pessoa de juízo são, come o razoável para rendimento da vida, mas os
loucos ingerem substâncias desnecessárias para rendimento da morte.
Ensinou o Mentor Divino: “Andai enquanto tendes luz.” O corpo é a máquina
para a viagem do progresso e todo relaxamento corre por conta do maquinista.
Proclamou o Cristo: “Orai pelos que vos perseguem e caluniam.” Interessar-
se pelo material dos caluniadores é o mesmo que se adornar 1 você, deliberada-
mente, com uma lata de lixo.
Falou Jesus: “A cada um será concedido segundo as próprias obras.”
Não se preocupe com os outros, a não ser para ajudá-los; pois que a lei de
Deus não conhece você pelo que você observa, mas simplesmente através
daquilo que você faz.
André Luiz
Lágrimas
( Livro: Caminho, Verdade e Vida – Espírito, Emmanuel – Chico Xavier )

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.”


Jesus. (MATEUS, capítulo 11, versículo 28.)
Ninguém como Cristo espalhou na Terra tanta alegria e fortaleza de ânimo.
Reconhecendo isso, muitos discípulos amontoam argumentos contra a lágrima e
abominam as expressões de sofrimento.
O Paraíso já estaria na Terra se ninguém tivesse razões para chorar.
Considerando assim, Jesus, que era o Mestre da confiança e do otimismo, chama-
va ao seu coração todos os que estivessem cansados e oprimidos sob o peso de
desenganos terrestres.
Não amaldiçoou os tristes: convocou-os à consolação.
Muita gente acredita na lágrima sintoma de fraqueza espiritual. No entanto,
Maria soluçou no Calvário; Pedro lastimou-se, depois da negação; Paulo
mergulhou-se em pranto às portas de Damasco; os primeiros cristãos choraram
nos circos de martírio... mas, nenhum deles derramou lágrimas sem esperança.

2
Prantearam e seguiram o caminho do Senhor, sofreram e anunciaram a Boa Nova
da Redenção, padeceram e morreram leais na confiança suprema.
O cansaço experimentado por amor ao Cristo converte-se em fortaleza, as
cadeias levadas ao seu olhar magnânimo transformam-se em laços divinos de
salvação.
Caracterizam-se as lágrimas através de origens específicas. Quando nascem
da dor sincera e construtiva, são filtros de redenção e vida; no entanto, se
procedem do desespero, são venenos mortais.

Consegues Ir?
( Livro: Fonte Viva – Espirito, Emmanuel – Chico Xavier )

"Vinde a mim..." - Jesus. (MATEUS, 11 :28.)


O crente escuta o apelo do Mestre, anotando abençoadas consolações. O
doutri-nador repete-o para comunicar vibrações de conforto espiritual aos
ouvintes.
Todos ouvem as palavras do Cristo, as quais insistem para que a mente
inquieta e o coração atormentado lhe procurem o regaço refrigerante...
Contudo, se é fácil ouvir e repetir o "vinde a mim" do Senhor, quão difícil é,
ir para Ele!.
Aqui, as palavras do Mestre se derramam por vitalizante bálsamo,
entretanto, os laços da conveniência imediatista são demasiado fortes; além,
assinala-se o convite divino, entre promessas de renovação para a jornada
redentora, todavia, o cárcere do desânimo isola o espírito, através de grades
resistentes; acolá, o chamamento do Alto ameniza as penas da alma desiludida,
mas é quase impraticável a libertação dos impedimentos constituídos por pessoas
e coisas, situações e interesses individuais, aparentemente inadiáveis.
Jesus, o nosso Salvador, estende-nos os braços amoráveis e compassivos.
Com ele, a vida enriquecer-se-á de valores imperecíveis e à sombra dos
seus ensinamentos celestes seguiremos, pelo trabalho santificante, na direção da
Pátria Universal...
Todos os crentes registram-lhe o apelo consolador, mas raros se revelam
suficientemente valorosos na fé para lhe buscarem a companhia. Em suma, é
muito doce escutar o: vinde a mim....
Entretanto, para falar com verdade, já consegues ir?

Onde estão?
( Livro: Pão Nosso – Espirito, Emmanuel – Chico Xavier )

“Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e
humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.” –
Jesus. (MATEUS, CAPÍTULO 11, VERSÍCULO 29.)

Dirigiu-se Jesus à multidão dos aflitos e desalentados proclamando o divino


propósito de aliviá-los.

3
– “Vinde a mim! – clamou o Mestre – tomai sobre vós o meu jugo, e
aprendei comigo, que sou manso e humilde de coração!”
Seu apelo amoroso vibra no mundo, através de todos os séculos do
Cristianismo.
Compacta é a turba de desesperados e oprimidos da Terra, não obstante o
amorável convite.
É que o Mestre no “Vinde a mim!” espera naturalmente que as almas
inquietas e tristes o procurem para a aquisição do ensinamento divino. Mas nem
todos os aflitos pretendem renunciar ao objeto de suas desesperações e nem
todos os tristes querem fugir à sombra para o encontro com a luz.
A maioria dos desalentados chega a tentar a satisfação de caprichos
criminosos com a proteção de Jesus, emitindo rogativas estranhas.
Entretanto, quando os sofredores se dirigirem sinceramente ao Cristo, hão
de ouvi-lo, no silêncio do santuário interior, concitando-lhes o espírito a desprezar
as disputas reprováveis do campo inferior.
Onde estão os aflitos da Terra que pretendem trocar o cativeiro das próprias
paixões pelo jugo suave de Jesus Cristo?
Para esses foram pronunciadas as santas palavras “Vinde a mim!”,
reservando-lhes o Evangelho poderosa luz para a renovação indispensável.

Perguntas

01 A quem, em especial, é dirigido o convite de Jesus?



02 Por que Jesus promete o alívio e não a cura de nossos males?

03 Como podemos conseguir a libertação dos nossos sofrimentos?

04 O que devemos entender com a expressão “repouso de vossas

almas”, contidas neste item?
05 – Onde encontramos a consolação para os nossos sofrimentos?
06 – Que quis Jesus dizer com a expressão: “ Meu julgo é suave e leve é o
meu fardo”?

Conclusão

Jesus promete alívio aos aflitos, desde que se submetem ao seu jugo. Esse
jugo é a observância da lei por Ele ensinada, que, se bem cumprida, propicia
alivio dos sofrimentos, através da fé no futuro e da confiança na justiça de Deus.

Próximo Tema

O Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. VI, Item 1 e 2.

Textos Complementares

4
Respostas das perguntas anteriores – 26º Roteiro

1º Resposta: Não há diferença alguma, portanto Deus, o que vale é a


intenção. E, uma vez que, em qualquer dos casos citados, o propósito da
criatura é o mesmo – suicidar-se - , ambos têm a mesma reprovação de
Deus.
“ A vida nos foi concedida por Deus, a quem, unicamente, compete tirá-
la.

2º Resposta: Conforme já se viu na questão anterior, a Deus vale a


intenção. Aqui, também, o que prevalece é o propósito de se extinguir a
própria vida. Se a vontade maior da criatura é a de servir a seu país, há
outras tantas formas de fazê-lo sem ter que expor sua vida.
“(...)buscar a morte com premeditada intenção, expondo-se a um perigo,
ainda que para prestar serviço, anula o mérito da ação.”

3º Resposta: Sem desconsiderar a prudência e o dever que cada ser


humano tem de preservar a vida, poderá haver casos em que alguém
tenha mérito por haver se exposto á morte; quando esta lhe advenha de
atitude voltada unicamente em beneficio da vida do próximo, sem
nenhuma intenção premeditada de morrer, mínima que seja

4º Resposta: Essas situações nos são colocadas á frente pela providência


divina, a fim de pôr em prova o nosso devotamento e abnegação em
relação ao próximo.
“Pode muitas vezes dar-se que ela queira levar ao extremo limite a prova
da resignação e, nesse caso, uma circunstancia desvia o golpe fatal.”

5º Resposta: Uma vez que desconhecemos os desígnos de Deus, nunca


podemos afirmar que um acontecimento qualquer possa ser fatal para
alguém. Portanto, em toda e qualquer circustância, a nossa boa vontade
de servir ao próximo deve estar a frente, visto ser isso o que importa ao
Pai.
“Jesus, ao nos prescrever a lei do amor, não acrescentou condição
alguma para a sua prática”

6º Resposta: Não. O Sofrimento, para ser proveitoso tanto para aquele


que lhe padece os efeitos como para os outros, tem que ser resignado e
submissão ás leis divinas, além de ser apoiado na confiança em Deus e
na vida futura.
“O sofrimento acompanhado de lamento e revolta perante Deus não traz
benefício algum e tende a aumentar o débito daquele que sofre.”

5
7º Resposta: Podem esses sofrimentos ser de proveito para outrem,
material e moralmente: materialmente se, pelo trabalho, pelas privações
e pelos sacrifícios que tais criaturas se imponham, contribuem para o
bem-estar material de sua submissão á vontade de Deus.
“Muitas pessoas se recuperam moral e materialmente apenas se valendo
do exemplo de outras que, em circunstâncias parecidas, se reergueram e
venceram os obstáculos.”
*Todo o roteiro deste estudo se encontra no livro “Roteiro Sistematizado, para estudo do livro ‘O Evangelho Segundo O
Espiritismo’, Da editora Boa Nova, 3ª Edição de dezembro de 2005.
*Duvidas e sugestões contatar; reinaldodosan@hotmail.com

Glossário
1 – adonar
:entre os hebreus, um dos nomes de Deus no Velho Testamento, designando-o a partir de seu atributo de senhor
:o poder que de Deus emana.

6
Anotações

7
8