You are on page 1of 10

INSTAGRAM

COMO SURGIU

O brasileiro Michael Krieger estudava em uma universidade americana em Palo


alto na Califórnia e foi em uma das festas do Mayfield Fellows - um programa de
estudos que escolhe os melhores estudantes para terem contato com o
empreendedorismo- que ele conheceu o seu futuro sócio, o americano Kevin
Systrom.

Os dois rapazes tinham um propósito, montar um negócio. Kevin conversou com


Michael e propôs uma parceria para a criação do Instagram.

Depois de algumas investidas, o aplicativo começou a funcionar em 6 de


outubro de 2010 apenas para a plataforma Apple.

No primeiro dia do lançamento do instagram, cerca de 25 mil pessoas baixaram


o aplicativo na Apple Store.

O excesso de usuários exigiu que os sócios virassem a noite para solucionar


problemas com o a queda do sistema por excesso de usuários.

Dois anos depois do lançamento do aplicativo, ele foi liberado para o uso no
sistema andróide, ampliando ainda mais o numero de acessos.

A VENDA DO APLICATIVO PARA O FACEBOOK

Em 2012, o número de usuários chegaria a 30 milhões foi quando os sócios


receberam uma proposta irrecusável e decidiram vender o Instagram para o
Facebook pelo valor fenomenal de US$ 1 bilhão de dólares.

Michael com apenas 26 anos de idade na época, levou 10% desse valor, ou seja
100 milhões de dólares. O restante foi dividido entre investidores e o co-
fundador, o americano Kevin Systrom.

MUDANDO O FOCO

O instagram, foi criado para compartilhar fotos que permitiam a edição com o
uso de filtros, mas depois de estar sob nova direção, passou por muitas
mudanças.

Uma mudança polêmica foi em relação aos algoritmos. A exibição que era feita
pela ordem cronológica de postagem, passou a ser feita de acordo com os
interesses dos usuários com base em cada perfil e sua interatividade.
Outra mudança foi o reconhecimento da plataforma como um espaço para se
fazer negócios.

Em setembro de 2015 abriu espaço para a venda de anúncios e em fevereiro de


2016 já possuía mais de 200 mil empresas ao redor mundo, anunciando na
rede.

O uso da ferramenta Instagram Followers analytics que geram relatórios


capazes de ajudar na segmentação do público alvo para exibição de
determinado anúncio, trouxe vários benefícios para as empresas.

O INSTAGRAM STORIES

O aplicativo adotou também o Instagram Stories, funcionalidade similar a que


já era utilizada pelo aplicativo Snapchat e que permite o compartilhamento de
fotos e vídeos com textos e efeitos especiais.

As imagens podem aparecer juntas em uma sequência, como se fosse um


filme. A história publicada é eliminada do Instagram em 24 horas podendo ser
armazenada no aplicativo para consulta posterior do usuário.

O uso do stories passou a ser estudado pelas empresas para elas pudessem
entender como poderiam agregar valor à marca com o uso dessa ferramenta.
Hoje é utilizado por veículos como Washington Post, NY Times, USA Today,
Huffpost com a publicação de histórias incríveis.

Contas com mais de 10 mil seguidores podem ter vantagens adicionais como a
permissão para colocação de links para outras páginas.

O FACEBOOK NO BRASIL

No Brasil, uma experiência de sucesso é relatada por Mateus Camilo, jornalista


e editor do Instagram do jornal Folha de São Paulo que chegou a editar um
Manual de Storiestelling para que criadores de conteúdos pudessem aproveitar
os recursos do Instagram.

Segundo Mateus se o nome da ferramenta é stories ele compreende que precisa


postar histórias com começo, meio e fim.

Por enquanto não é possível saber até onde o Instagram irá chegar, mas
certamente se depender do estilo de Mark Zuckerberg e o exemplo do
Facebook, a ferramenta deve seguir pelo mesmo caminho, agregando
inovações capazes de mantê-lo competitivo por bastante tempo.
USO DOS APLICATIVOS PELOS BRASILEIROS

Uma nova pesquisa feita pelo Kantar , portal voltado para jornalistas e análise
de dados, apontou que o Instagram está em alta e que usuários do aplicativo
representavam 32% dos usuários globais de internet em 2014 e hoje já são
42%.

A surpresa da pesquisa foi que embora as gerações mais novas sejam a maior
parcela de usuários de mídias sociais em todas as plataformas, uma faixa etária
mais velha tem ganhado espaço: 1 em cada 5 usuários de internet entre os 55 e 65
anos estão usando o Instagram, um salto de 47% em relação ao ano passado.

No Brasil, o uso dessas plataformas de redes sociais é ainda maior do que a média
global. Em 2015, dentre os usuários brasileiros de internet, 55% usavam o
Instagram e 23% estavam no Snapchat, números que saltaram neste ano para 75%
e 57%, respectivamente.

Segundo a pesquisa, Isso acontece porque o Brasil é um país muito social, e existe
uma grande penetração de smartphones. Esses dois fatores, quando combinados,
levam a um alto percentual de uso de mídias e aplicativos.
POSTS INSTAGRAM

Fonte: http://sunil-joseph.com/

“O uso do Instagram traz novas possibilidades para a narrativa jornalística.” O


desafio atual para os jornalistas é ousar imaginar o que eles poderiam ser no
futuro, em vez de ficarem presos aos mitos do seu passado. (Castells, 2012).
Fonte: Canva

Com ferramentas exclusivas e próprias na plataforma, o trabalho desenvolvido


por profissionais de marketing digital para empresas será otimizado e
qualificado, pois as possibilidades de atuação serão muito maiores.

“O fato do stories permitir a postagem de histórias curtas com o uso de fotos e


vídeos, torna o formato interessante e mais atrativo.”
Fonte: Free Image

O uso da imagem com uma narrativa faz o uso do Instagram ter muito mais sentido,
diferente da dinâmica de jogar a imagem solta, sem contexto. Segundo Castells,
poderíamos começar a olhar para novas práticas no jornalismo nas seguintes
categorias: a coleta de dados, interpretação, narração e distribuição. Assim, o Instagram
parece ser uma nova prática a ser adotada como forma de distribuição de conteúdo
jornalístico.
Fonte: Créditos: Photo by Nigel Tadyanehondo

O fato de permitir o uso de vídeos, fotos e textos, o uso do Instagram requer


criatividade. Segundo Castells (2012), a Literacia visual é importante para os jornalistas,
para melhor compreensão e uso de imagens necessárias que irão veicular a
informação.
Também fazemos postagens sem imagem pensando no usuário de internet
móvel pré paga, que têm limitações de acesso aos dados. Assim ele consegue
abrir o instagram sem precisar de muitos dados.
Photo by rawpixel on Unsplash

A estratégia de não utilizar muitos links é pelo fato de que o usuário pode
facilmente sair da página e não retornar. Caso seja necessário, a mesma é
colocada ao final da stories.

Saiba mais:

Fontes de pesquisa:

https://exame.abril.com.br/tecnologia/conheca-a-historia-do-brasileiro-que-criou-o-instagram/

https://br.kantar.com/tecnologia/comportamento/2016/dezembro-aumenta-uso-de-snapchat-e-
instagram,-inclusive-entre-p%C3%BAblico-mais-velho/

https://postcron.com/pt/blog/instagram-stories/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Instagram

http://www.marknet.com.br/blog/mudancas-no-instagram-impactar-negocio/

https://catracalivre.com.br/geral/criatividade/indicacao/20-segredos-no-instagram-stories-que-
voce-nao-sabia/

https://ijnet.org/pt-br/blog/dicas-para-jornalistas-que-usam-instagram-stories

https://revistapegn.globo.com/Administracao-de-empresas/noticia/2016/05/instagram-testa-nova-
pagina-de-perfil-para-empresas.html