You are on page 1of 87

NOÇÕES BÁSICAS

AGRICULTURA

11º ANO
Espaço rural Espaço agrário Espaço agrícola
. Tudo o que não é . Armazéns, moinhos . Campos de cultivo
cidade . Habitações dispersas . prados
. Características, pg 8 . Caminhos
. Estufas
. Campos de cultivo,
prados
. Canais de rega
. Incultos
. floresta
ESPAÇO AGRÁRIO
Engloba tudo o que é visível no campo e
que está ligado à atividade agrícola (
parcelas cultivadas, unidades pecuárias,
habitações, áreas florestais, estufas …

ESPAÇO AGRÍCOLA
Limita-se aos espaços destinados às
atividades agrícolas, como as parcelas
cultivadas, os campos com gado.
ESPAÇO RURAL
• Baixa densidade populacional
O que não é
• Existe uma grande componente de trabalho agrícola
cidade
• Maior apego às tradições e crenças – Porquê?
• Grande ajuda mútua entre a população local… Porquê?
HECTARE ….????

1ha = 10 000 m2

100m x 100m
10m x 1000m

Mata de Bombarral= 4 hectares


madeira . Baixa altitude (culturas de maior rendimento: frutos tropicais
- banana, anona, maracujá, vinha)
. Espaço intermédio (cult. Mediterrânea: batata, feijão, trigo e
milho
. Topo da serra ( pastos pinhais e bosques)
açores . <400m: Junto ao mar (Fajã) : vinha, inhame, milho (até aos
400m)
. > 400m: topo no interior: pastagens permanentes ( elevado
rendimento), bosque de eucalipto
centeio

Relacione as seguintes características com o tipo de produção:

. Muito exigente em água


. Adapta-se bem aos solos pobres
. Resistente às médias / grandes amplitudes térmicas
. Para germinar a temperatura do solo deve ser superior a 10⁰C
. Ciclo vegetativo entre os 80-150 dias (2,5-5 meses)
. Ciclo vegetativo superior a 180 dias ( + 6 meses)
. Requer calor e secura no final do ciclo vegetativo
CONDIÇÕES FÍSICAS DE
PORTUGAL Barreira de
Vales condensação

. Montanhas
V . Planaltos
Planície . Vales estreitos
Aluvial (a)
M

Meses
secos
T

São terrenos S
Planície
a) Planície formada pelo baixos e planos
Aluvial (b)
rio Vouga e Mondego. junto aos cursos
de água.

b) Planície formada pelo S


rio Tejo, Sorraia e Sado.

Nota: Temos poucos solos férteis, Área aplanada , peneplanície


resultante do
só 26% do território está apto desgaste e da
para a prática agrícola rentável. acumulação de
sedimentos.
FATORES QUE CONDICIONAM A ATIVIDADE AGRÍCOLA

Fatores naturais Fatores humanos

1. CLIMA 1. Densidade populacional


(minifúndios – latifúndios)
. Temperatura (Máximo – mínimo)
. Humidade (plantas carente – plantas xerófilas) 2. TÉCNICAS DE TRABALHO
. Insolação (nº de horas de luz – fotossíntese) (mecanizada – manual)
2. SOLO
. ricos em matéria orgânica 3. GRAU DE FORMAÇÃO DOS
. ricos em água (porosos) mas permeáveis AGRICULTORES
( empresários agrícolas – camponeses)

3. RELEVO 4. SISTEMA ECONÓMICO E


. exposição das vertentes (umbria – soalheira ) POLÍTICO
(iniciativa privada – estatal ….?)
. o grau de inclinação das vertentes (socalcos)
. altitude
FATORES QUE CONDICIONAM A ATIVIDADE AGRÍCOLA

FORMAÇÃO DE UM SOLO
(chuva)

Solo fértil
Como é que as chuvas ajudam a formar os solos? Que solo preferia
ter na sua exploração, o primeiro uo último?
FORMAÇÃO DE UM SOLO
Como explica que
, Solo de regiões a árvore seja
de altitude maior no solo
. Solo de regiões maduro?
secas

.solo existente
nas planícies
aluviais
. Solo existente
nos vales largos

Solo esquelético Solo profundo


FATORES QUE CONDICIONAM A ATIVIDADE AGRÍCOLA

Que tipo de solo


Rio Tejo existe aqui?

Solos profundos, férteis


FATORES QUE CONDICIONAM A ATIVIDADE AGRÍCOLA
O Gaia-Pocinho acabado de sair do túnel do
Cachão da Valeira (comboio)

Que tipo de solo


existe aqui?

Solo pobre
rochoso
Planície nas margens do rio Mondego

Solo fértil
TIPOS DE SOLOS
SOLO HUMÍFERO / SOLO NEGRO
. Este tipo de solo apresenta uma quantidade muito superior de húmus em relação aos outros.
. É um solo geralmente fértil, ou seja, um solo onde as plantas encontram melhores condições para
se desenvolverem ( nutrientes, humidade suficiente e microrganismos para arejar a terra).

NOTA: Os solos mais férteis localizam-se :


. Nas planícies formadas por rios
. Nos vales largos (rio ou ribeiro)
Correção

TIPO DE GRAU DE LOCALIZAÇÃO ÁREA


SOLOS FERTILIDADE OCUPADA
Origem elevada ilhas reduzida
vulcânica
De aluvião elevada Foz: Tejo, Sado,Vouga reduzida
Sorraia, Mondego.
Xistosos reduzida Norte, centro, Alentejo Grande

Graníticos elevada Serras do norte e reduzida


centro (problema)
SOLOS DE ALUVIÃO

Junto aos rios que escoam


em planície …

O que têm estas


áreas em comum?
• Rios largos
• Planícies aluviais
• Abundância de água
• Solos profundos e muito
férteis

NOTA: No Alentejo os solos são


profundos, o problema é a falta
de água.
VALE DA VILARIÇA

• Não tem um grande rio


• É uma depressão tectónica dando origem a uma área plana, APROVEITADO
POR UMA RIBEIRA QUE INUNDA O VALE QUANDO HÁ CHEIAS NO RIO
DOURO.
• Solo fértil
COVA DA BEIRA

O clima na região da Cova da Beira


é influenciado pela sua posição entre as
montanhas da Serra da Gardunha, Estrela e Malcata.
Esta localização proporciona uma quantidade
significativa de frio de inverno ,uma primavera
suave, proteção contra os ventos e verão quente.
Solo fértil. De onde vem a água necessária?
COVA DA BEIRA

TRANSVASE
COMO EXPLICA O FACTO
COVA DA BEIRA PRESENTE NO GRÁFICO?
ha

Deve à estrutura de minifúndio existente, à idade elevada dos beneficiários,


conjuntamente com o fenómeno da imigração da década de 70 e em 2011 e 2012
…, à não reconversão da cultura do olival para culturas de regadio e, também, à
não existência de hábitos de rega.
. Indústria florestal
Sobreiros, azinheiras, pinheiros, carvalhos, (serrações, mobiliário …)
nogueiras, amendoeiras, alfarrobeira, . Turismo
castanheiros … . Produção de cortiça
. Produção de frutos secos

Para que serve a floresta? Que rendimento


nos dá?
TÉCNICAS
AGRÍCOLAS
TÉCNICAS AGRÍCOLAS
Douro vinhateiro

SOCALCOS

VANTAGENS:

• Retém as terras
• Acumulam-se sedimentos (solos férteis)
• Facilita o trabalho agrícola
• Facilita a infiltração da água da chuva
TÉCNICAS AGRÍCOLAS Afolhamento trienal

POUSIO - terreno agrícola não


cultivado ( folha em descanso).

VANTAGENS:

. Prática agrícola comum entre os pequenos


agricultores:
.. é um meio de controlo das ervas daninhas
.. recupera a estrutura biológica do solo
.

ROTAÇÃO DE CULTURAS – consiste em alternar, anualmente, espécies vegetais na


mesma área agrícola.

. Evita a proliferação de pragas


. Recupera solos degradados uma vez que são fornecidos novos
VANTAGENS: nutrientes.
. Aumenta a produção
. Evita a erosão (raízes das plantas seguram o solo quando chove)
PERDA DE SOLO ARÁVEL
CUMULONIMBOS = chuva intensa

Solo em pousio

Solo em pousio , alagado

Perda de solo = erosão do solo


Porquê?
TÉCNICAS AGRÍCOLAS

Abolição do pousio –
Porquê?

Vantagens:

. renova a terra, alternando as trevo


colheitas de cereais com as de
leguminosas e plantas forrageiras
como o nabo e o trevo

. Evita a erosão do solo (raízes das


plantas)

Nota: As forragens são cultivadas


essencialmente para aproveitar os solos e
para alimentar os animais.
Leguminosas (plantas que dão vagens. Ex. fava; tremoceiro…)
Ex: Tremoceiro

azoto

POUSIO

. O tremoço é um excelente adubo em verde quando enterrado nas terras porque tem a faculdade de
fixar o azoto do ar, absolutamente necessário para o crescimento de novas plantas .
. As suas raízes conseguem descompactar e reduzir a erosão dos solos, ajudando à infiltração de água.
. É ótimo para melhorar a estrutura física dos solos.
.É resistente às geadas e suporta verões quentes.
TÉCNICAS AGRÍCOLAS

é uma técnica de cultivo, seguindo as cotas


CURVAS DE NÍVEL altimétricas da região em questão.

VANTAGENS:

. Quebra a velocidade da água


da chuva quando escorre.
. Retém o solo quando chove.
Evita a erosão do solo
Aumenta a
escorrência.
SEBES
(CORTA VENTO)

• Protege o solo da
elevada evaporação
que ocorre quando há
muito vento.

• Evita que as plantas


percam folhas e ramos
com o vento e, deste
modo, seja reduzida a
produção agrícola.

• Protege o solo das


ventanias que
levantam o solo e o
levam … (isto ocorre
quando o solo não está
bem compactado).
TÉCNICAS AGRÍCOLAS

HERBICIDAS - é um produto químico


utilizado na agricultura para o controle de
ervas daninhas.
PESTICIDAS - todas as substâncias ou misturas
químicas que têm como objetivo impedir, destruir, repelir
qualquer praga (insetos, ervas daninhas, pássaros,
micróbios …)
PROBLEMAS ASSOCIADOS AO USO DOS QUÍMICOS

. O uso intenso de agrotóxicos pode levar à degradação dos recursos naturais, em alguns casos de
forma irreversível, levando a desequilíbrios biológicos e ecológicos (contaminação dos lençóis
freáticos e do solo).

. O uso intenso provoca mutações genéticas nos insetos e micróbios agravando as pragas.

. A exposição aos pesticidas pode provocar problemas de saúde


(dificuldades respiratórias, problemas na pele, cancro).

. Os alimentos apresentam resíduos destes químicos.


TÉCNICAS AGRÍCOLAS
Melão casca de Melão Branco
carvalho

Sementes híbridas – são


sementes que resultaram do
cruzamentos com outras
sementes da mesma espécie.

VANTAGENS DOS Misturam-se


as sementes
HÍBRIDOS:
. Maior variedade de espécies
. Espécies mais resistentes:
.. às doenças
.. à secura
.. amplitude térmica ….
Animais híbridos MULA / MACHO

Nº de cromossomas:
Burra – 62
Cavalo - 64

MULA / MACHO – 63 cromossoma (um dos


cromossomas não tem par na divisão
celular, logo, são animais estéreis).
Alimentos transgénicos (OGM)
Desde 2004, após seis anos de proibição, a União Europeia
autorizou a importação de produtos transgénicos. No dia 2 de
março de 2010, a União Europeia aprovou a plantação de
batata e milho transgénicos no continente, após solicitações
dos Estados Unidos.
A batata transgénica terá como destino o fabrico de pasta de
papel, adesivos e indústria têxtil.
O milho atenderá a indústria alimentar.

Problemas:
• Elevado risco para o ambiente ( perda da biodiversidade;
destroem as espécies autóctones)
• Elevado risco para a saúde (aumento da infertilidade;
aumentam as alergias alimentares; destruição dos órgãos
internos)
• Monopólio das sementes pela MONSANTO (multinacional - o
que implica uma excessiva concentração de capital; sem
concorrência)
• Não aumenta a produtividade/ produção
Milho transgénico dizimou as
Borboletas Monarca

Milho transgénico está a dizimar as


abelhas na Polónia

(EUA - soja, milho, algodão e canola)


TÉCNICAS
AGRÍCOLAS
TIPOS DE REGA

Carência Tradicional

Técnicas
Necessidade utilizadas
de água

Abundância Moderna
TIPOS DE REGA
Carência . Nos meses secos em que não chove para não se perder a produção.

(Quanto à Verão
necessidade de água)

Abundância . Nos meses em que, apesar de chover, os agricultores regam para aumentar
a produção.

Primavera Outono
TIPOS DE REGA
.. Por gravidade
Tradicional .. Regos feitos pelo
agricultor
(Quanto às técnicas ) .. Levadas

Madeira: nos princípios do seculo XX, havia cerca de 200


destas levadas, serpenteando por mais de 1000km. levam
água aos lugares mais carenciados.
TIPOS DE REGA
. Sistema pivot Vantagens dos sistemas de rega
modernos:
Moderna . Sistema de aspersão
. Sistema gota-a-gota . As plantas absorvem mais água porque a rega é
(Quanto às técnicas ) mais parecida com a chuva(miudinha e persistente)

. Permite uma poupança de água porque tem maior


alcance e gasta-se menos água.

Vantajoso para 50-150 ha;


mais eficiente

Vantajoso para áreas com


árvores / arbustos ou
Vantajoso para grandes áreas jardins
com plantas herbáceas
TÉCNICAS AGRÍCOLAS
MÁQUINAS AGRÍCOLAS :

CEIFEIRA-DEBULHADORA

• Menos desperdícios
VANTAGENS: • Menos horas de trabalho (elevada produtividade)
• Menos gastos em mão-de-obra (não tiram férias …)
• Acelera o processo económico (maior rapidez …)
O que é a agricultura de precisão (AP)?

É um sistema de gestão que organiza um grande volume de dados das propriedades


agrícolas. Os dados da lavoura passam a ser coletados e armazenados com coordenadas
geográficas ano a ano possibilitando o manejo localizado como as aplicações de fertilizantes
em taxa variada.

Maior fertilidade

Menor fertilidade
VANTAGENS:
• Diagnóstico preciso do solo
• Colocar no solo a quantidade de químicos de acordo com as
reais necessidades
• Reduz os custos de produção
• Redução da degradação ambiental
O QUE É UMA EXPLORAÇÃO
AGRÍCOLA ?
EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA

Consiste em unidades de produção submetida a uma gestão única.

• 1 agricultor = gestor

• 3 blocos agrícolas

• 1 exploração agrícola
Exploração Agrícola de um Blocos agrícolas
agricultor (unidade básica de produção)=A (parte de terra de uma exploração não contígua)
Exploração A=3 blocos
RENDIMENTO AGRÍCOLA – relação entre a produção obtida e a superfície
cultivada (kg/ha ou t/ha)

Exploração B = 1ha t
Exploração A = 1ha
t
t

t t

Maior rendimento ??? B


PRODUTIVIDADE AGRÍCOLA – mede a relação entre a produção e o número
de trabalhadores (Kg/capita ou t/capita )

Exploração A = 1ha Exploração B = 1ha


t
t

t
t

Maior A
Produtividade
???

1t = 1000 kg
Silvicultura - plantação, tratamento e exploração de árvores. Os agricultores vendem a produção
e as árvores.

- As espécies mais importantes em Portugal: pinheiro, eucalipto, sobreiro, castanheiro e carvalho.

- Utilização:
. Madeira: indústria florestal (serrações) e indústria do mobiliário.
. Resina: tinta, cola e verniz
. Cortiça: rolhas e revestimentos
. O fruto: bolota, pinhão …

Nota: 59% do solo


português está apto
para esta produção.
FORMAS DE EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA

EXPLORAÇÃO POR CONTA EXPLORAÇÃO POR ARRENDAMENTO


PRÓPRIA
• Tem pouca expressão
Em Portugal = 72% • Açores = 48% (emigrantes alugaram os terrenos)
Madeira , Algarve ; Norte > 80% • Alentejo = 28% ( grandes proprietários que não
vivem na região)
Problemas do - Não favorável à inovação e ao investimento
arrendamento (arrendatário pretende o máximo lucro com o
menor investimento)
Problemas da - Proprietários com baixos rendimentos, não existe
conta própria dinheiro para investir e os meios técnicos são
escassos.
Estrutura fundiária

Minifúndio latifúndio Explorações médias

Domina:
Domina: Domina:
. NUT II norte
. NUT II Alentejo . NUT II centro ( litoral)
.NUT II algarve
. Açores
. NUT II centro interior

. R.A. Madeira
(MICROFÚNDIO)

. R.A. Açores
MINIFÚNDIO
. é uma propriedade fundiária de pequena dimensão ( <10ha)
. Pode ter técnicas avançadas, alguns minifundiários conseguem bons lucros ao aproveitar ao máximo o
espaço, através do plantio de hortaliças, apicultura, criação de aves, fruticultura …

PROBLEMAS: . Dificulta a mecanização


. Parte da superfície agrícola está ocupada por muros de pedra e caminhos
. Não usufrui da economia de escala
. Obj (mais frequente) : autoconsumo

(Microfúndio < 1ha)


LATIFÚNDIO
. é uma propriedade agrícola de grande extensão (+ 50ha) pertencente a uma única pessoa, uma
família ou empresa e que se caracteriza pela exploração insuficiente de seus recursos.
. facilita a redução de custos de produção através da economia de escala
. facilita a mecanização da agricultura.

PROBLEMAS: . Está sujeito a crises de superprodução – pode levar à falência da empresa e ao


aumento do desemprego
.provoca gastos ao Estado - para não deixar falir estas empresas promovem-se
linhas de crédito facilitadoras.
Dimensão média das
explorações em Portugal

BI?
RO?
MADEIRA?
Açores?
ALE?
1989
1999
Rib e
Oeste:
4,6 – 7,3

B.
Interior: :
7,2 – 8,7
Porque temos tantos minifúndios em
Portugal?
Porque se localizam os latifúndios no
Alentejo e nos Açores?

P 19
minifúndios - Resultam da divisão excessiva da propriedade
latifúndio - Alentejo: área pouco povoada e com muitas guerras de
reconquista
- Açores: terenos comprados pelos emigrantes que estão
nos EUA.
EMPARCELAMENTO
BLOCOS

A
C
B

Emparcelamento simples consiste na associação de pequenas explorações (por venda ou troca),


de forma a se obter parcelas de maior dimensão, que possibilitem a utilização rentável das modernas
tecnologias agrícolas.

Emparcelamento integrado, para além da fusão das parcelas ou pequenas explorações, engloba
a reconversão das culturas, a melhoria do acesso às explorações (através da destruição, melhoramento
dos caminhos ou construção de outros), a construção ou melhoramento dos sistemas de rega, a criação
de áreas de lazer, obras para melhorar as povoações rurais, etc.
EMPARCELAMENTO
DIFICULDADES

. Problema social/ cultural: resistência


oferecida pelos pequenos agricultores,
normalmente de idade avançada, que, em
nome da chamada tradição familiar, não
querem ficar sem as suas terras, desejam
transmiti-las para os seus descendentes.

VANTAGENS
- aumento da produtividade e do rendimento;
- introdução de novas culturas e de novas tecnologias;
- rejuvenescimento da população agrícola;
- diminui o tempo e o esforço empregue
na agricultura;
- diminui os custos de produção
(economias de escala);
- melhoria das condições de vida dos agricultores.
PLURIATIVIDADE? O agricultor tem outra atividade profissional (principal –
setor, II ou III) pela qual é remunerado. A agricultura é
praticada nas horas livres e aos fins-de-semana.

PLURIRRENDIMENTO? O agricultor tem outra fonte de rendimento que está


associada ao trabalho agrícola na exploração (apicultura,
silvicultura, pecuária, pastorícia …).
EXPLORAÇÃO MÉDIAS (10ha – 50ha)
Plurirrendimento
- Conceito promovido pela U.E. ou pluriatividade???
-Vantagens:
. Evita crises de superprodução (reduz o preço do produto agrícola no mercado mundial, levando a
elevados prejuízos para o agricultor)
. Evita crises financeiras que muitas vezes têm de ser suportadas pelos Estados ( dificuldade em realizar
empréstimos)
. Promove a diversificação do rendimento do agricultor para superar situações de crise económica.
. Desenvolve o empreendedorismo.
Horta familiar(2) Turismo no espaço
EXEMPLO DE UMA EXPLORAÇÃO (20ha)
(mercado local) rural(2ha)

Mercado externo
(12ha)

Mercado interno (4ha)


PLURIATIVIDADE ( P 22):

VANTAGENS PROBLEMAS
- Não existe o abandono - Pouco investimento da
total da agricultura agricultura (técnicas)
- Menos campos incultos
- Aumenta o rendimento da - Fraca formação dos
família agricultores
- Reduz a emigração
Plurirrendimento ( P 22):

VANTAGENS (igual …) PROBLEMAS


- Não existe o abandono - Vem das pensões,
total da agricultura reformas, rendimento
- Menos campos incultos mínimo … não incentiva ao
- Aumenta o rendimento da investimento
família - Agricultores sem acesso
- Reduz a emigração financeiro à formação
AGROINDÚSTRIA
É uma indústria que tem como matéria-prima os produtos agrícolas, pecuários e florestais.
Vantagens:
. Desenvolve a agricultura / pecuária uma vez que utiliza como matéria-prima a produção dos
agricultores e dos criadores de gado.
. Cria postos de trabalho a montante, no setor industrial e a jusante.
. Promove o desenvolvimento dos setores primário e terciário (comércio e serviços).
. Fixa a população no espaço rural.
. Reduz a dependência externa alimentar.

MONTANTE JUSANTE

TRANSPORTES

Refere-se à primeira transformação.


M-P
COMÉRCIO
REGIÕES
AGRÁRIAS
(2009)
S.A.U. .

Superfície Agrícola Utilizada


3. TERRA
SUPERFÍCIE AGRÍCOLA UTILIZADA ( S.A.U.): ARÁVEL
. Culturas
1. PASTAGENS temporárias
PERMANENTES

. prados

4. HORTA
2. CULTURAS FAMILIAR
PERMANENTES .culturas para
autoconsumo
. Culturas com
árvores
Onde predominam : Cultura temporária
- Cult permanente? (terra arável)
- Cult. Temporária ?
- Pastagens?
- TM?
- ALE?
- Açores?
- Madeira? Cultura permanente
- Oeste?
- ALG?

Pastagens permanentes
SISTEMA AGRÁRIO
SISTEMA DE CULTURAS
MORFOLOGIA AGRÁRIA

ASSOCIAÇÃO DE
policultura POVOAMENTO

CULTURA
monocultura
PARCELAS

Campos abertos CONCENTRADO

Campos fechados
DISPERSO

APROVEITAMENTO DO
Sistema
extensiva MISTO
GRAU DE

Minifúndios SOLO Sistema


ESTRUTURA
FUNDIÁRIA

intensiva
Latifúndios

Explorações médias
HUMIDADE

sequeiro
GRAU DE

regadio
SISTEMA AGRÁRIO
MORFOLOGIA AGRÁRIA
Campos abertos Campos fechados
(Openfield) (bocage)
Estrutura fundiária latifúndio minifúndio
Forma das parcelas regulares irregulares
delimitação ….. muros, sebes
SISTEMA AGRÁRIO
SISTEMA DE CULTURAS

1-Associação de culturas

. Monocultura (uma única cultura /ano com o objetivo de maximizar a produção ao mínimo custo)
. Policultura (várias culturas /ano na mesma propriedade agrícola em simultâneo ou por rotação
de culturas (mais usual na agricultura de subsistência)
MONOCULTURA:

VANTAGENS PROBLEMAS
. Grande quantidade produzida (melhores . Mais pragas ligadas às ervas daninhas
condições de vida dos agricultores) (predadores têm dificuldade em se
reproduzirem devido a um alimentação pouco
. Maior capacidade de investimento (sistema variada)
de rega; formação do agricultor)
. Mais herbicidas
. Grande abastecimento das cidades (grandes
centros de consumo) . Solos mais desequilibrado (perda de solo
arável)
. Beneficia da economia de escala
. Crises de super produção
POLICULTURA :

VANTAGENS PROBLEMAS
. Sistema imunológico das plantas mais . Sem economia de escala, logo, os produtos
fortalecido ficam mais caros

. Maior conservação do solo (uma planta . Necessidade de maior formação ( mais


dará ao solo os nutrientes que a anterior custos)
retirou)
. Domina o autoconsumo (aumenta a
importação de alimentos)
SISTEMA AGRÁRIO
SISTEMA DE CULTURAS
2-Aproveitamento do solo
. Sistema intensivo - a terra é cultivada continuamente recorrendo-se à rega e adubação. . . para obter
o máximo lucro; mais do que uma cultura por ano.

. Sistema Extensivo – solo parcialmente utilizado( pousio) com rotação de culturas: não se pretende
utilizar o solo ou o solo é pouco fértil e necessita de descanso (uma cultura por ano).

O MAR DE PLÁSTICO - ESTUFAS

extensivo

Almeria – Espanha
VANTAGENS DAS ESTUFAS:
• Contorna as dificuldades climatéricas (evita geadas, granizo, grandes variações térmicas)

• Permite o fornecimento estável de produtos alimentares no mundo, em qualquer época


do ano
• Permite produzir frutas ou legumes antes de época a preços superiores, já que a oferta
é diminuta (primores)
• Permite culturas sucessivas, sem descanso do solo (cenouras, alfaces…)

Mirtilos, cogumelos, beterrabas, pimentos e


Exporta para o R.U. piripiri …
Flores, legumes e frutas
Problemas
das estufas:
. Uso excessivo de químicos
. Dificuldade em combater pragas
devido à elevada humidade e calor.
SISTEMA AGRÁRIO
SISTEMA DE CULTURAS
2- Grau de humidade
. Cultura de Sequeiro - a cultura cresce com a água da chuva, ou seja, não é regada.
. Cultura de Regadio – a cultura cresce e produz mais com o uso da rega de carência e/ou e abundancia

regadio

sequeiro
SISTEMA AGRÁRIO
POVOAMENTO

Concentrado – Aldeias distanciadas umas das outras (Alentejo).


Disperso – As habitações encontram-se espalhadas um pouco por todo o espaço. No entanto, dão
uma certa continuidade ao povoamento.
Misto – aldeias grandes e “casais” ou “monte”
Linear – conjunto de casas que acompanham uma estrada
PECUÁRIA

INTENSIVA EXTENSIVA

• RECINTOS FECHADOS • ESPAÇOS ABERTOS (GRANDE PARTE


PRATICAMENTE TODO O ANO DO ANO)
• ELEVADO Nº DE EFETIVOS • BAIXO Nº DE EFETIVOS
• RAÇÕES/ FORRAGENS • FORRAGENS E PASTAGENS
• HORMONAS DE • SÃO VACINADOS
CRESCIMENTO

• SÃO ADMINISTRADOS
MEDICAMENTOS
PECUÁRIA INTENSIVA –
quando os animais estão em
estábulos e são alimentados
essencialmente por rações.

São dados
medicamentos para
evitar o contágio de
doenças

aviário
cunicultura
PECUÁRIA EXTENSIVA - quando os animais estão, numa parte do ano, nas pastagens em regime de
pastoreio.
O MONTADO 63

O montado (Alentejo), é um ecossistema muito


particular, criado pelo homem:

. São florestas de sobreiros de equilíbrio muito


delicado e que subsistem apenas no Mediterrâneo,
sobretudo nas regiões a sul da Península Ibérica.
. Portugal é o país com a maior extensão de sobreiros
do mundo (33% da área mundial)
. O montado é legalmente protegido, sendo proibido o
seu abate e incentivada a exploração, transformando
Portugal no principal exportador mundial
de cortiça e no fabrico de rolhas.
Por outro lado, a sua bolota serve para
alimentar o porco preto.
AS DEBILIDADES DO SETOR
AGRÍCOLA
AS DEBILIDADES DO SETOR AGRÍCOLA
Condicionantes naturais Condicionantes humanas
- Predomínio de solos pobres - Minifúndios /microfúndios
/ delgados (só 26% dos solos - Elevado nº de blocos agrícolas
é que são muito férteis) - Muros que retiram uma parte substancial da
S.A.U.
- irregularidade do relevo - As características da mão de obra …
com vales pouco largos
- O desajuste entre a aptidão do solo agrícola e a
- Irregularidade da cultura nele praticada (ex: milho em TM) –origina
precipitação, elevado nº de baixos rendimentos
meses secos
- O uso excessivo de químicos (sistemas intensivos)
- Rochas pouco permeáveis - O uso de pousios absolutos
(xisto, granito) - A ocupação urbana dos solos férteis
- Poucas agroindústrias
- Falta de ordenamento florestal
- Falta de cadastro rústico atualizado
MÃO-DE-OBRA AGRÍCOLA
(p20)
idade Grau de instrução Qualificação profissional

73% ( + de 50 anos) 22% (sem instrução) Baixo


3% (menos de 40) 71% (tem o ensino básico) Poucos fazem formação
adicional

Problemas:
• Faltam jovens o que leva ao abandono dos campos e à falta de adesão às novas
técnicas agrícolas
• Grande quebra na produção agrícola (aumento da importação de alimentos)
• Fraco emparcelamento (norte, centro)
• Produção para autoconsumo
• Fraco empreendedorismo agrícola/ Falta de inovação