You are on page 1of 11

2. A imagem seguinte representa alguns aspetos da morfologia dos fundos oceânicos.

Fig. 2

Seleciona a opção que avalia corretamente as afirmações I, II e III.


I. Na figura 2 não está representado um rifte nem uma dorsal oceânica.
II. As letras A e B representam planícies abissais e ilhas vulcânicas, respetivamente.
III. A letra C representa uma fossa oceânica.

A. Todas as afirmações são verdadeiras.


B. As afirmações I e II são verdadeiras, III é falsa.
C. As afirmações II e III são verdadeiras, I é falsa.
D. A afirmação I e III são verdadeiras, II é falsa.

3. O campo magnético terrestre…


A. … não sofreu modificações desde a formação do planeta.
B. … tem variado no tempo, ficando registado em minerais magnéticos.
C. … tem variado ao longo do tempo, mas não fica registado nas rochas.
D. … tem variado no tempo, ficando registado em qualquer tipo de minerais.

4. O estudo do paleomagnetismo do fundo oceânico detetou rochas com anomalias…


A. … negativas, correspondentes à orientação do campo magnético aquando da formação
do planeta Terra.
B. … positivas e negativas, o que prova que não houve formação de crusta oceânica.
C. … positivas e negativas, o que prova que não houve formação de crusta continental.
D. … positivas, correspondentes à orientação atual do campo magnético.

5. Relativamente à crusta oceânica, podemos afirmar que é…


A. … mais antiga na zona próxima do rifte.
B. … sempre mais antiga que a crusta continental.
C. … mais recente na zona próxima do rifte.
D. … da mesma idade que a crusta continental.

6. Relaciona a expansão dos fundos oceânicos com a Teoria da Deriva dos Continentes
proposta por Alfred Wegener.

1
Grupo II

No continente africano existe um rifte continental, o Vale do Rifte Africano, que está
atualmente a dividir o continente e que poderá conduzir à formação de um novo mar.

Fig. 3
1. Classifica o tipo de limite entre as placas litosféricas representadas na figura.

2. Estabelece a correspondência entre as afirmações e a chave.


Afirmações Chave
a) Ocorre subducção das placas litosféricas.
1. Limite convergente
b) As placas litosféricas tendem a afastar-se.
2. Limite divergente
c) São característicos das fossas oceânicas.
3. Limite transformante
d) Os sismos são frequentes.
4. Limites convergentes e
e) Ocorre atividade vulcânica. divergentes
f) Ocorre destruição de placa litosférica. 5. Limites convergentes,
g) Há produção de placa litosférica. divergentes e transformantes
h) As placas deslizam lateralmente uma em relação
à outra.

3. Relaciona os movimentos de convecção do manto com o fenómeno que está a ocorrer


atualmente no Vale do Rifte Africano.

4. A formação contínua de crusta oceânica implicaria a expansão do planeta como um balão,


uma vez que aumentaria a sua superfície. Explica por que razão tal não se verifica.

2
Grupo III

O movimento das placas tectónicas é responsável pela deformação das rochas e pela formação
de montanhas, entre outros. As deformações que ocorrem nas rochas resultam da ação de
diferentes tipos de forças e da forma como as rochas reagem a essas forças.
Observa as imagens e os esquemas da figura 4.

I II

III IV V
Fig. 4

1. Classifica como verdadeira (V) e falsa (F) cada uma das afirmações, relativas à figura 4.
A – Na imagem I observam-se dobras.
B – O esquema III representa uma falha normal.
C – O esquema V representa uma falha inversa.
D – Na figura II é visível uma deformação frágil.
E – O esquema V representa uma deformação plástica.
F – O esquema IV representa a ação de forças de cisalhamento.
G – A deformação representada no esquema III resultou da ação de uma força de distensão.
H – Nos esquemas não estão representadas deformações associadas a forças compressivas.

2. As cadeias montanhosas podem formar-se em diferentes contextos tectónicos. Para cada


um dos contextos tectónicos seguintes, indica um exemplo de uma cadeia montanhosa:
A – Cadeias de subducção
B – Cadeias de colisão
C – Cadeias montanhosas intracontinentais

Um supercontinente
Um atlas de há 250 milhões de anos seria praticamente irreconhecível, com o supercontinente
Pangeia a estender-se do Polo Norte ao Polo Sul. Rodeado pelo oceano Pantalassa, a divisão
do supercontinente levou à formação dos atuais continentes e oceanos.
A litosfera terrestre está dividida em placas que se movimentam muito lentamente umas em
relação às outras. Por baixo, correntes de convecção são responsáveis pelo movimento das
placas litosféricas e, consequentemente, dos continentes.
Entre as primeiras provas da deriva dos continentes contam-se os vestígios de plantas e
animais idênticos ao longo das costas da América do Sul e de África, agora separadas pelo
oceano Atlântico. Tais espécies ter-se-ão dispersado pela Pangeia antes da sua fragmentação.
O recorte coincidente das costas da América do Sul e de África é outro sinal de que, outrora,
terão estado juntas.

3
Com o desenvolvimento científico e tecnológico foi possível obter um conhecimento mais
aprofundado da morfologia dos fundos oceânicos (fig. 1), fundamental para a compreensão da
mobilidade dos continentes.
Adaptado da revista Quero Saber – Especial Ambiente, 2012

Fig. 1. Esquema representativo da morfologia do fundo dos oceanos.

Nas questões de 1 a 8, transcreve a letra da opção correta.


1. A Pantalassa foi um
(A) oceano que rodeava um supercontinente há cerca 250 milhões de anos.
(B) oceano que rodeava a Pangeia há cerca de 200 mil anos.
(C) oceano que rodeava a América do Sul e a África há cerca de 65 milhões de anos.
(D) supercontinente que estava rodeado por um oceano chamado Pangeia.

2. A teoria da deriva dos continentes foi proposta por


(A) Wegener e a existência de correntes de convecção no manto por Frank Taylor.
(B) Wegener e a existência de correntes de convecção no manto por Arthur Holmes.
(C) Frank Taylor e a existência de correntes de convecção no manto por Wegener.
(D) Arthur Holmes e a existência de correntes de convecção no manto por Frank Taylor.

3. No penúltimo parágrafo do texto são referidos argumentos


(A) morfológicos e litológicos que apoiaram a teoria da deriva dos continentes.
(B) morfológicos e paleontológicos que fragilizaram a teoria da deriva dos continentes.
(C) paleontológicos e morfológicos que apoiaram a teoria da deriva dos continentes.
(D) paleontológicos e litológicos que fragilizaram a teoria da deriva dos continentes.

4. O conhecimento mais pormenorizado do fundo dos oceanos deve-se


(A) ao surgimento da teoria da tectónica de placas.
(B) ao surgimento da teoria da deriva continental.
(C) ao desenvolvimento da ciência e da tecnologia.
(D) à descoberta de fósseis de animais marinhos em vários locais do planeta.

5. A legenda dos números 1, 3, 4 e 5 da figura 1 é, respetivamente,


(A) planície abissal, dorsal oceânica, talude continental e rifte.
(B) dorsal oceânica, rifte, planície abissal e talude continental.
(C) dorsal oceânica, rifte, planície abissal e fossa oceânica.
(D) rifte, dorsal oceânica, plataforma continental e talude continental.

6. Na figura 1, o número 3 corresponde a um limite ________ de placas e o número 8 a um


limite ________.
(A) convergente … divergente
(B) divergente … convergente
(C) transformante … convergente
(D) divergente … transformante

7. A rocha assinalada na figura 1 com o número 2


(A) é mais antiga do que a rocha assinalada pelo número 4, pois encontra-se mais próxima
da fossa.

4
(B) é mais antiga do que a rocha assinalada pelo número 4, pois encontra-se mais afastada
do continente.
(C) é mais recente do que a rocha assinalada pelo número 4, pois encontra-se mais próxima
do rifte.
(D) tem a mesma idade da rocha assinalada pelo número 4, pois ambas se formaram no
fundo do mar.

8. Nos limites convergentes das placas tectónicas ocorrem _________, enquanto nos limites
transformantes ocorrem _________.
(A) apenas sismos … sismos e erupções vulcânicas
(B) apenas erupções vulcânicas … sismos e erupções vulcânicas
(C) sismos e erupções vulcânicas … apenas erupções vulcânicas
(D) sismos e erupções vulcânicas … apenas sismos

9. Indica o número da figura 1 onde ocorre a:


9.1. formação do fundo oceânico.
9.2. destruição do fundo oceânico.

10. Classifica cada uma das afirmações seguintes em verdadeira (V) ou falsa (F).
A – Duas rochas do fundo do mar que se encontrem a igual distância do mesmo rifte registam
a mesma direção do campo magnético terrestre.
B – A mobilidade das placas tectónicas deve-se às correntes de água existentes no mar.
C – Uma placa tectónica é constituída por uma porção de litosfera.
D – Na figura 1 é possível identificar, no máximo, duas placas tectónicas diferentes.
E – A ocorrência de vulcões e a expansão dos fundos oceânicos são evidências que
fundamentam a teoria da tectónica de placas.
F – O movimento das placas tectónicas pode levar à ocorrência de sismos e à formação de
grandes cadeias montanhosas.

10.1. Justifica a tua opção:


10.1.1. na afirmação A.

10.1.2. na afirmação D.

11. Comenta a seguinte afirmação: “O volume da Terra tem vindo a aumentar devido à
expansão do fundo dos oceanos”.

5
12. Faz corresponder a cada uma das imagens da figura 2 (na coluna A) duas das expressões
da coluna B, de modo a estabeleceres uma relação correta.

Coluna A Coluna B

A B

(1) Falha transformante


(2) Falha normal
(3) O teto sobe relativamente
ao muro
(4) Dobra
(5) Resulta da ação de forças
de distensão
C D
(6) Falha inversa
(7) Resulta de forças de
cisalhamento
(8) Apresenta um
comportamento dúctil

Fig. 2

13. Explica a deformação da rocha A da figura 2, tendo em conta o tipo de forças e o


comportamento do material.

14. As setas abaixo ilustram um tipo de forças que atuam sobre as rochas.

14.1. Identifica o tipo de forças que as setas pretendem representar.

14.2. Indica as deformações da figura 2 que resultaram da ação deste tipo de forças.

15. Relaciona a deformação das rochas com a formação de cadeias montanhosas.

6
Formação de montanhas
As montanhas são enormes formas de relevo que se erguem acima da superfície da Terra.
Compõem cerca de 25% da massa terrestre e mais de 60% encontram-se na Ásia. Albergam
12% da população da Terra e não garantem apenas beleza e diversão. Mais de metade das
pessoas na Terra depende da água doce que flui das montanhas para alimentar riachos e rios.
Apresentam ainda uma biodiversidade incrível, com ecossistemas únicos dependentes da sua
elevação e clima.
As montanhas são originadas por um ou mais processos geológicos. As que resultam da
atividade associada às placas litosféricas (fig.1A) apresentam rochas deformadas (fig. 1B e 1C)
e formam-se muito lentamente, ao longo de milhões de anos. Embora nos pareçam sólidas e
imóveis, as montanhas estão em permanente alteração. Em muitos casos, as placas que
inicialmente interagiram para formar as montanhas continuam a elevá-las até 2 cm por ano. Os
Himalaias (fig. 1A), por exemplo, crescem cerca de 1 cm por ano.
Adaptado da revista Quero Saber – Especial Ambiente, 2012

Fig. 1. A – Cadeia de montanhas dos Himalaias e movimento entre as placas litosféricas Indo-Australiana
e Euro-Asiática; B e C – Deformações das rochas.

Nas questões de 1 a 9, transcreve a letra da opção correta.

1. A formação de montanhas, como os Himalaias, é uma evidência que


(A) comprova a ação dos agentes geológicos externos sobre as rochas.
(B) comprova o aumento do volume da Terra.
(C) apoia a existência do paleomagnetismo terrestre.
(D) apoia a Teoria da Tectónica de Placas.

7
2. Na figura 1B observam-se _____ e na figura 1C _____.
(A) dobras … uma falha inversa
(B) dobras … uma falha normal
(C) dobras … também
(D) falhas normais … uma falha inversa

3. O “motor” da mobilidade das placas litosféricas Indo-Australiana e Euro-Asiática são


(A) os ventos fortes e as tempestades.
(B) as subidas das marés.
(C) as forças de atração entre a Lua e a Terra.
(D) as correntes de convecção do manto.

4. Um dos argumentos paleontológicos apresentados por Wegener para defender a Teoria da


Deriva Continental foi
(A) a distribuição de fósseis de Mesosaurus em regiões hoje totalmente separadas.
(B) a semelhança de encaixe entre as margens dos continentes.
(C) a reconstituição dos climas do passado.
(D) a existência de rochas semelhantes em continentes diferentes.

5. O tipo de limite entre as placas litosféricas Indo-Australiana e Euro-Asiática é


(A) transformante.
(B) convergente.
(C) divergente, com reduzida ocorrência de sismos.
(D) divergente, com grande ocorrência de sismos.

6. O facto de Wegener nunca ter conseguido explicar qual era a força que fazia movimentar os
continentes
(A) fragilizou a Teoria da Tectónica de Placas.
(B) fragilizou a Teoria da Deriva dos Continentes.
(C) foi essencial para mais tarde se perceber a formação das montanhas.
(D) foi essencial para mais tarde se perceber a morfologia dos fundos oceânicos.

7. As deformações nas rochas ilustradas na figura 1B e 1C resultaram da ação de forças


(A) compressivas e distensivas, respetivamente.
(B) compressivas e de cisalhamento, respetivamente.
(C) distensivas e compressivas, respetivamente.
(D) compressivas.

8. O desenvolvimento dos navios oceanográficos permitiu aos cientistas propor que os fundos
oceânicos se formavam continuamente. Esta afirmação é
(A) falsa, pois os fundos oceânicos não se formam continuamente.
(B) falsa, pois os navios oceanográficos são utilizados apenas para estudar os seres vivos
dos oceanos.
(C) verdadeira, pois o desenvolvimento tecnológico foi essencial para o conhecimento da
expansão dos fundos oceânicos.
(D) verdadeira, pois sabe-se hoje que os fundos oceânicos se formam continuamente a
partir das fossas.

9. A formação da cadeia de montanhas dos Himalaias foi um processo


(A) muito lento, na ordem dos milhões de anos.
(B) muito lento, na ordem dos 100 a 200 anos.
(C) muito lento, na ordem dos 40 a 50 anos.
(D) lento, na ordem de uma dezena de anos.

10. Transcreve do texto uma frase que evidencie a existência do dinamismo interno da Terra
na atualidade.

8
11. Refere três evidências que fundamentam a Teoria da Tectónica de Placas.

12. O esquema da figura 2 pretende representar a morfologia do fundo dos oceanos, mas está
incompleto.

Fig. 2. Morfologia do fundo dos oceanos.

12.1. Copia e completa, na tua folha de prova, o esquema da figura 2, de modo a representares
corretamente a morfologia do fundo dos oceanos.
12.2. Faz a legenda do esquema que desenhaste, utilizando os termos. Segue o exemplo.
– Plataforma – Planície
– Continente – Talude – Fossa – Rifte
continental abissal

13. Comenta a seguinte afirmação: “No oceano Atlântico, as rochas que se encontram a 200
km do rifte são mais antigas do que as que se encontram a 400 km.”

14. Faz corresponder a cada contributo da coluna A o respetivo cientista que consta na coluna
B. Utiliza cada número e cada letra apenas uma vez.

Coluna A Coluna B
(a) Hipótese de que os continentes se deslocavam das altas
para as baixas latitudes, devido ao movimento de rotação da (1) Arthur Holmes
Terra. (2) Jason Morgan e Dan McKenzie
(b) Hipótese dos fundos oceânicos serem formados nas dorsais.
(c) Hipótese de que no passado geológico existiu um único (3) Harry Hess
continente (Pangeia) rodeado por um único oceano (4) Frank Taylor
(Pantalassa).
(d) Primeiro modelo explicativo do movimento das placas (5) Alfred Wegener
litosféricas.

15. Classifica cada uma das afirmações seguintes em verdadeira (V) ou falsa (F).
(A) Uma placa é uma enorme porção de litosfera.
(B) O aumento do volume da Terra deve-se à expansão do fundo dos oceanos.
(C) Nos limites transformantes, ocorre grande atividade vulcânica.
(D) A formação de novos fundos oceânicos ocorre nos riftes.
(E) A deformação das rochas ilustradas nas imagens 1B e 1C está relacionada com o
movimento das placas litosféricas.
(F) A deformação visível na imagem 1C evidencia um comportamento dúctil da rocha.

16. Explica os acontecimentos que originaram a deformação da rocha ilustrada na figura 1B.

9
Proposta de resolução

2. Opção A
3. Opção B
4. Opção D
5. Opção C
6. A expansão dos fundos oceânicos, com a formação de crusta oceânica nas zonas de rifte e a
sua destruição nas zonas de subducção, permite explicar a fracturação e mobilidade dos
continentes defendida inicialmente por Wegener, quando apresentou a Hipótese da Deriva
dos Continentes.

GRUPO II

1. Limite divergente.
2. a – 1; b – 2; c – 1; d – 5; e – 4; f – 1; g – 2; h – 3
3. Os movimentos de convecção do manto são o motor do dinamismo das placas tectónicas,
ocorrendo ascensão de material mantélico, que pode ser libertado nas zonas de rifte
originando o afastamento das placas tectónicas. Este afastamento poderá conduzir à
abertura de um novo mar, como está a acontecer no Vale do Rifte Africano.
4. A expansão do planeta não se verifica porque há destruição de placa litosférica nas zonas
de subducção, permitindo a compensação entre a placa litosférica que se forma nos riftes e
a que é destruída nas fossas.
GRUPO III
1. A – V; B – F; C – F; D – V; E – F; F – V; G – F; H – F
2. A – Andes; B – Himalaias; C – Alpes
Proposta de resolução
1. (D)
2. (C)
3. (A)
4. (D)
5. (C)
6. (B)
7. (D)
8. (A)
1. (A)
2. (B)
3. (C)
4. (C)
5. (B)
6. (B)
7. (C)
8. (D)
9.1. Três.
9.2. Oito.
10. A – V; B – F; C – V; D – F; E – V; F – V.
10.1.1. A afirmação é verdadeira, pois estando as duas rochas à mesma distância do rifte significa
que se terão formado na mesma altura, logo os minerais magnéticos que as constituem
vão apresentar a mesma orientação do campo magnético terrestre.
10
10.1.2. A afirmação é falsa, pois na figura 1 é possível identificar três placas tectónicas diferentes.
A fossa e o rifte da figura marcam os limites entre as placas.
11. A afirmação é falsa pois a expansão do fundo dos oceanos a partir dos riftes, é compensada
pela destruição dos fundos oceânicos que ocorre nas fossas, o que mantém a constância
do volume da Terra.
12. (A) (6) (3); (B) (1) (7); (C) (4) (8); (D) (2) (5).
13. A deformação da rocha A da figura 2 ocorreu devido à ação de forças compressivas que, ao
atuarem sobre a rocha com comportamento frágil, originaram a falha inversa.
14.1. Forças compressivas.
14.2. Deformações A e C.
15. A movimentação das placas tectónicas pode ocasionar a colisão entre continentes. Nestes
casos, as rochas sofrem sucessivas deformações, levando à formação de cadeias
montanhosas.
1. (D) 5
2. (B) 5
3. (D) 5
4. (A) 5
5. (B) 5
6. (B) 5
7. (A) 5
8. (C) 5
9. (A) 5
10. “Em muitos casos, as placas que inicialmente interagiram para formar as montanhas
continuam a elevá-las até 2 cm por ano.” 6

11. A ocorrência de vulcões, a ocorrência de sismos e a formação de cadeias 6


montanhosas, por exemplo. (3 x 2)
12.1. e 12.2. Por exemplo.

10
(5 + 5 x 1)

13. A afirmação é falsa, pois é a partir do rifte que as rochas dos fundos dos oceanos se
formam, o que significa que quanto mais próximas do rifte estiverem as rochas mais 8
jovens elas são.
8
14. (a) (4); (b) (3); (c) (5); (d) (2).
(4 x 2)
9
15. (A) V; (B) F; (C) F; (D) V; (E) V; (F) F.
(6 x 1,5)
16. A deformação da rocha da figura 1B resulta da ação de forças compressivas sobre a
8
rocha que, tendo um comportamento dúctil, deforma sem fraturar, originando uma dobra.

11