You are on page 1of 8

TABELA DE DESCRIÇÃO QUALITATIVA

DE ACORDO COM O TOTAL OBTIDO POR REFERÊNCIA AO PERCENTIL


(autorizado o copy paste para relatório)

1. MATURIDADE PERCETIVA
Percentil Estádio Qualitativo
10 a 19 A criança não demonstra ter feito as aquisições necessárias ao nível da maturidade percetiva. Não é capaz de
perceber o que a rodeia a partir de dados captados pelos sentidos. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas na área da
maturidade percetiva: auditiva; visual; dominância lateral e reconhecimento da dominância lateral.
20 a 29 A criança demonstra ter feito poucas aquisições ao nível da maturidade percetiva no limite inferior, para
perceber o que a rodeia a partir de dados captados pelos sentidos. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas na área da
maturidade percetiva.
30 a 49 A criança demonstra ter feito algumas aquisições ao nível da maturidade percetiva. É capaz de perceber o
que a rodeia a partir de dados captados pelos sentidos. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que
é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas na área da maturidade percetiva.
50 a 69 A criança revela ter feito aquisições de nível médio ao nível da maturidade percetiva. É capaz de perceber o
que a rodeia a partir de dados captados pelos sentidos. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que
é crucial desenvolver estratégias interventivas para combater as dificuldades encontradas.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da maturidade percetiva. É
capaz de perceber o que a rodeia a partir de dados captados pelos sentidos. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento crível e consolidado de maturidade percetiva.
91 a 100 A criança revela ter feito a aquisição desejável ao nível da maturidade percetiva. É capaz de perceber
claramente o que a rodeia a partir de dados captados pelos sentidos. Encontra-se no estágio de
desenvolvimento máximo de maturidade percetiva.
a) Auditiva
Percentil
Estádio Qualitativo
10 a 19 A criança não demonstra ter feito as aquisições necessárias ao nível da perceção auditiva. Não possui a
capacidade necessária para perceber os estímulos e sons do meio exterior através do sentido auditivo. Revela
grandes dificuldades em perceber pequenas diferenças entre fonemas e palavras, em sequenciar sílabas e
frases, memorizar estímulos sonoros e em organizar cadências rítmicas. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas
identificadas.
20 a 29 A criança adquiriu poucas competências ao nível da perceção auditiva no limite inferior para perceber os
estímulos e sons do meio exterior através do sentido auditivo. Revela alguma dificuldade em perceber
pequenas diferenças entre fonemas e palavras, em sequenciar sílabas e frases, memorizar estímulos e sons
e em organizar cadências rítmicas. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial
desenvolver estratégias interventivas de forma a colmatar as lacunas nesta subárea.
30 a 49 A criança fez algumas aquisições ao nível da maturidade percetiva auditiva. Percebe os estímulos e sons do
meio exterior através do sentido auditivo. Revela uma certa dificuldade em perceber pequenas diferenças
entre fonemas e palavras, em sequenciar sílabas e frases, memorizar estímulos e sons e em organizar
cadências rítmicas. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias
interventivas de forma a colmatar as lacunas nesta subárea.
50 a 69 A criança fez aquisições de nível médio ao nível da maturidade percetiva auditiva. Percebe os estímulos e
sons do meio exterior através do sentido auditivo. Percebe pequenas diferenças entre fonemas e palavras,
sequencia sílabas e frases, memoriza estímulos e sons e organiza cadências rítmicas. Encontra-se num estágio
de desenvolvimento em que é importante desenvolver estratégias interventivas de forma a colmatar as
lacunas nesta subárea.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da maturidade percetiva
auditiva. Com muita facilidade, percebe os estímulos e sons do meio exterior através do sentido auditivo.
Percebe as diferenças entre fonemas e palavras, sequencia sílabas e frases, memoriza estímulos e sons e
organiza cadências rítmicas. Encontra-se num estágio de desenvolvimento crível e consolidado de
maturidade de perceção auditiva.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis no campo da maturidade percetiva auditiva. Percebe
claramente os estímulos e sons do meio exterior através do sentido auditivo. Percebe as diferenças entre
fonemas e palavras, sequencia sílabas e frases, memoriza estímulos e sons e organiza cadências rítmicas.
Encontra-se no estágio de desenvolvimento máximo de maturidade de perceção auditiva essencial à
aprendizagem da leitura e da escrita.
b) Visual
Percentil Estádio Qualitativo
10 a 19 A criança não fez as aquisições necessárias ao nível da perceção visual. Não possui a capacidade necessária
para perceber estímulos e pormenores do meio envolvente através do sentido da visão. Revela grandes
dificuldades em diferenciar, estruturar e reter informações visuais. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas de forma a colmatar as lacunas nesta
subárea.
20 a 29 A criança demonstra ter feito poucas aquisições essenciais ao nível da perceção visual no limite inferior para
perceber estímulos e pormenores do meio envolvente através do sentido da visão. Revela alguma dificuldade
em diferenciar, estruturar e reter informações visuais. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que
é crucial desenvolver estratégias interventivas de forma a colmatar as lacunas.
30 a 49 A criança demonstra ter feito algumas aquisições essenciais ao nível da maturidade percetiva visual. Percebe
os estímulos e pormenores do meio exterior através do sentido da visão. Revela uma certa dificuldade em
diferenciar, estruturar e reter informações visuais. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é
crucial desenvolver estratégias interventivas de forma a colmatar as lacunas.
50 a 69 A criança fez aquisições de nível médio no campo da maturidade percetiva visual. Percebe os estímulos e
pormenores do meio exterior através do sentido visual. É capaz de diferenciar, estruturar e reter informações
visuais. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas
de forma a colmatar as lacunas verificadas.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da maturidade percetiva
visual. Com muita facilidade, percebe os estímulos e pormenores do meio exterior através do sentido visual.
É capaz de diferenciar, estruturar e reter informações visuais. Encontra-se num estágio de desenvolvimento
crível e consolidado de maturidade de perceção visual.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis no campo da maturidade percetiva visual. Percebe claramente
os estímulos e pormenores do meio exterior através do sentido visual. É capaz de diferenciar, estruturar e
reter informações visuais. Encontra-se no estágio de desenvolvimento máximo de perceção visual essencial
à aprendizagem da leitura e da escrita.
c) Dominância Lateral
Estádio Qualitativo
10 a 19 A criança demonstra não ter feito as aquisições essenciais ao nível da dominância lateral. Não possui uma
maturidade percetiva de consciencialização integrada de ambos os lados do corpo, de orientação
relativamente aos objetos, imagens e símbolos. Apresenta uma dominância lateral manual, pedal, ocular e
auditiva muito deficitária. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver
estratégias interventivas de forma a colmatar as lacunas.
20 a 29 A criança demonstra ter feito poucas aquisições essenciais de dominância lateral no limite inferior de
consciencialização integrada de ambos os lados do corpo, de orientação relativamente aos objetos, imagens
e símbolos. Apresenta uma dominância lateral manual, pedal, ocular e auditiva pouco desenvolvida.
Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas de
forma a colmatar as lacunas verificadas.
30 a 49 A criança demonstra ter feito algumas aquisições ao nível da dominância lateral; de consciencialização
integrada de ambos os lados do corpo, de orientação relativamente aos objetos, imagens e símbolos. Revela
uma certa dificuldade de dominância lateral manual, pedal, ocular e auditiva. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas de forma a colmatar as dificuldades.
50 a 69 A criança revela ter feito aquisições de nível médio ao nível da dominância lateral. Possui uma
consciencialização integrada de ambos os lados do corpo, de orientação relativamente aos objetos, imagens
e símbolos e uma dominância lateral manual, pedal, ocular e auditiva, médias. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas de forma a colmatar as lacunas nesta
subárea.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da dominância lateral.
Encontra-se num estágio de desenvolvimento crível e consolidado de dominância lateral. Possui uma
consciencialização integrada de ambos os lados do corpo, de orientação relativamente aos objetos, imagens
e símbolos e dominância lateral manual, pedal, ocular e auditiva bastante desenvolvida.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis ao nível da dominância lateral. Possui uma consciencialização
integrada de ambos os lados do corpo, de orientação relativamente aos objetos, imagens e símbolos e
dominância lateral manual, pedal, ocular e auditiva plenamente desenvolvidas, Encontra-se num estágio de
desenvolvimento máximo de dominância lateral, determinante na aprendizagem da leitura e da escrita.

d) Reconhecimento da dominância lateral


Percentil Estádio Qualitativo
10 a 19 A criança revela não ter feito as aquisições essenciais ao nível do reconhecimento da dominância lateral.
Possui uma identificação e reconhecimento da dominância lateral em si mesmo, no outro e no espaço gráfico
muito deficitária. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias
interventivas de forma a colmatar as dificuldades.
20 a 29 A criança demonstra ter feito poucas aquisições ao nível do reconhecimento da dominância lateral no limite
inferior de identificação e reconhecimento da dominância lateral em si mesmo, no outro e no espaço gráfico.
Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas de
forma a colmatar as lacunas apontadas.
30 a 49 A criança revela ter feito algumas aquisições ao nível do reconhecimento da dominância lateral, de
identificação e reconhecimento da dominância lateral em si mesmo, no outro e no espaço gráfico. Encontra-
se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas de forma a
colmatar as lacunas.
50 a 69 A criança demonstra ter feito aquisições de nível médio ao nível do reconhecimento da dominância lateral,
de identificação e reconhecimento da dominância lateral em si mesmo, no outro e no espaço gráfico.
Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas de
forma a colmatar as lacunas.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível do reconhecimento da
dominância lateral. Encontra-se num estágio de desenvolvimento crível e consolidado de identificação e
reconhecimento da dominância lateral em si mesmo, no outro e no espaço gráfico.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis ao nível do reconhecimento da dominância lateral. Encontra-
se num estágio de desenvolvimento máximo de reconhecimento da dominância lateral, determinante na
aprendizagem da leitura e da escrita.
2. MEMÓRIA
Percentil Estádio Qualitativo
10 a 19 A criança não demonstra ter a área da memória dentro da maturidade esperada. Não é capaz de responder
a estímulos de modo repetido e continuado nem de manter um padrão continuado de resposta face ao
estímulo na presença de outros distratores. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial
desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas na área da memória, pois esta ausência
dificulta a capacidade de atenção.
20 a 29 A criança demonstra ter feito poucas aquisições ao nível da memória, no limite inferior, para reter o que a
rodeia a partir de dados captados pelos sentidos e formar as memórias. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas na área da
memória.
30 a 49 A criança demonstra ter feito algumas aquisições ao nível da memória. É capaz de perceber o que a rodeia e
criar memórias a partir de dados captados pelos sentidos. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em
que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas na área da memória.
50 a 69 A criança revela ter feito aquisições de nível médio ao nível da memória. É capaz de perceber o que a rodeia
formando memórias e de responder a partir de dados captados pelos sentidos. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial ainda desenvolver estratégias interventivas para combater as dificuldades
encontradas.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da memória. É capaz de
perceber o que a rodeia a partir de dados captados pelos sentidos. Apresenta capacidade de resposta a
estímulos de modo repetido e continuado mantendo um padrão estável de resposta face ao estímulo na
presença de outros distratores. Encontra-se num estágio de desenvolvimento crível e consolidado de
memória, revelando uma capacidade atencional acima do razoável.
91 a 100 A criança demonstra ter feito a aquisição na totalidade das competências ao nível da memória. É capaz de
perceber o que a rodeia a partir de dados captados pelos sentidos. Apresenta capacidade de resposta a
estímulos de modo repetido e continuado mantendo um padrão estável de resposta face ao estímulo na
presença de outros distratores. Encontra-se num estágio de desenvolvimento total de memória, indiciando
uma excelente capacidade atencional.
a) Auditiva
Totais obtidos Estádio Qualitativo

10 a 19 A criança não demonstra ter feito as aquisições necessárias ao nível da memória auditiva. Não possui a
capacidade necessária para reter os estímulos e sons do meio exterior através do que recebe da perceção
auditiva. Revela grandes dificuldades em memorizar estímulos sonoros. Não apresenta capacidade de
retenção de estímulos auditivos de modo repetido e continuado, não mantendo um padrão estável de
resposta face ao estímulo auditivo. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial
desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas identificadas.
20 a 29 A criança adquiriu poucas competências ao nível da memória auditiva no limite inferior para reter os
estímulos e sons do meio exterior através do que recebe da perceção auditiva. Revela alguma dificuldade em
memorizar estímulos sonoros. Não apresenta capacidade de retenção de estímulos auditivos de modo
repetido e continuado, não mantendo um padrão de resposta face ao estímulo auditivo. Encontra-se num
estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas de forma a colmatar as
lacunas nesta subárea.
30 a 49 A criança fez algumas aquisições ao nível da memória auditiva. Percebe e retém os estímulos e sons do meio
exterior através do sentido auditivo, criando memórias auditivas razoáveis. Revela ainda uma certa
dificuldade na amplitude da memória auditiva. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial
desenvolver estratégias interventivas de forma a colmatar as lacunas nesta subárea.
50 a 69 A criança fez aquisições de nível médio no âmbito da memória auditiva. Percebe e retém os estímulos e sons
do meio exterior através do sentido auditivo, memorizando-os. Encontra-se num estágio de desenvolvimento
em que é importante ainda desenvolver estratégias interventivas de forma a colmatar algumas lacunas nesta
subárea.
80 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da memória auditiva. Com
muita facilidade, percebe e retém os estímulos e sons do meio exterior através do sentido auditivo. Percebe
as diferenças sonoras identificando-as. Encontra-se num estágio de desenvolvimento crível e consolidado de
memória auditiva.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis no campo da memória auditiva. Percebe claramente os
estímulos e sons do meio exterior através do sentido auditivo, criando memórias. Memoriza estímulos e sons
percebendo as suas diferenças, organiza cadências rítmicas e apresenta capacidade de resposta de modo
repetido e continuado mantendo um padrão de resposta face ao estímulo na presença de outros distratores.
Encontra-se no estágio de desenvolvimento máximo de memória atencional auditiva, essencial à
aprendizagem da leitura e da escrita.
b) Visual
Percentil Estádio Qualitativo
10 a 19 A criança demonstra não ter feito as aquisições necessárias ao nível da memória visual. Não possui a
capacidade necessária para reter os estímulos do meio exterior através do que recebe da perceção visual.
Revela grandes dificuldades em memorizar estímulos visuais. Não apresenta capacidade de retenção de
estímulos visuais de modo repetido e continuado, não mantendo um padrão estável de resposta face ao
estímulo visual. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias
interventivas para colmatar as lacunas identificadas.
20 a 29 A criança adquiriu poucas competências ao nível da memória visual no limite inferior para reter os estímulos
visuais do meio exterior através do que recebe da perceção visual. Revela alguma dificuldade em memorizar
estímulos neste âmbito. Não apresenta capacidade de retenção de estímulos visuais de modo repetido e
continuado, não mantendo um padrão continuado de resposta face ao estímulo visual. Encontra-se num
estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas de forma a colmatar as
lacunas nesta subárea.
30 a 49 A criança fez algumas aquisições ao nível da memória visual. Percebe e retém os estímulos do meio exterior
através do sentido visual, criando memórias visuais razoáveis. Revela uma certa dificuldade na amplitude da
memória visual. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias
interventivas de forma a colmatar as lacunas nesta subárea.
50 a 69 A criança fez aquisições de nível médio ao nível da memória visual. Percebe e retém os estímulos do meio
exterior através do sentido visual. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é importante
desenvolver estratégias interventivas de forma a colmatar algumas lacunas nesta subárea.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da memória visual. Com muita
facilidade, percebe e retém os estímulos do meio exterior através do sentido visual. Percebe as diferenças
visuais identificando-as. Encontra-se num estágio de desenvolvimento crível e consolidado de memória
visual.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis no campo da memória visual. Percebe claramente os estímulos
do meio exterior através do sentido visual, criando memórias. Memoriza o que perceciona visualmente,
percebendo as suas diferenças e apresenta capacidade de resposta de modo repetido e continuado
mantendo um padrão de resposta face ao estímulo na presença de outros distratores. Encontra-se no estágio
de desenvolvimento máximo de memória atencional visual essencial à aprendizagem da leitura e da escrita.
3. ESQUEMA CORPORAL / ORIENTAÇÃO ESPACIO TEMPORAL
Percentil Estádio Qualitativo
10 a 19 A criança demonstra não ter feito as aquisições essenciais ao nível do esquema corporal/orientação espácio-
temporal. Não desenvolveu a capacidade de discriminar e organizar as partes do corpo e de sustentar os
gestos sobre si e sobre os objetos na execução de uma tarefa. Não possui o conhecimento das dimensões
corporais no espaço do corpo e no espaço circundante, nem a consciência do tempo que se estrutura sobre
as mudanças percebidas, da ordem, distribuição cronológica e duração dos acontecimentos. Não
desenvolveu a habilidade de avaliar com precisão a relação entre o corpo e ambiente sobre si mesma, o outro
e espaço gráfico. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias
interventivas de forma a colmatar as lacunas.
20 a 29 A criança demonstra ter feito algumas aquisições essenciais ao nível do esquema corporal/orientação
espácio-temporal no limite inferior de discriminação e organização das partes do corpo e de sustentar os
gestos sobre si e sobre os objetos na execução de uma tarefa. Possui um conhecimento muito débil das
dimensões corporais no espaço do corpo e no espaço circundante e na consciência do tempo que se estrutura
sobre as mudanças percebidas, da ordem, distribuição cronológica e duração dos acontecimentos. Pouco
desenvolveu a habilidade de avaliar com precisão a relação entre o corpo e ambiente sobre si mesma, o outro
e espaço gráfico. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias
interventivas para colmatar as lacunas.
30 a 49 A criança demonstra ter feito algumas aquisições ao nível do esquema corporal/orientação espácio-temporal,
de discriminação e organização das partes do corpo e de sustentar os gestos sobre si e sobre os objetos na
execução de uma tarefa, bem como das dimensões corporais no espaço do corpo e no espaço circundante,
na consciência do tempo que se estrutura sobre as mudanças percebidas, da ordem, distribuição cronológica
e duração dos acontecimentos. Não desenvolveu suficientemente a habilidade de avaliar com precisão a
relação entre o corpo e ambiente sobre si mesma, o outro e espaço gráfico. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas de forma a colmatar as dificuldades.
50 a 69 A criança revela ter feito aquisições de nível médio ao nível do esquema corporal/orientação espácio-
temporal, de discriminação e organização das partes do corpo e de sustentar os gestos sobre si e sobre os
objetos na execução de uma tarefa, bem como das dimensões corporais no espaço do corpo e no espaço
circundante, na consciência do tempo que se estrutura sobre as mudanças percebidas, da ordem, distribuição
cronológica e duração dos acontecimentos. Não desenvolveu satisfatoriamente a habilidade de avaliar com
precisão a relação entre o corpo e ambiente sobre si mesma, o outro e espaço gráfico. Encontra-se num
estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas de forma a colmatar as
lacunas.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível do esquema
corporal/orientação espácio-temporal, de discriminação e organização das partes do corpo e de sustentar os
gestos sobre si e sobre os objetos na execução de uma tarefa, bem como das dimensões corporais no espaço
do corpo e no espaço circundante, na consciência do tempo que se estrutura sobre as mudanças percebidas,
da ordem, distribuição cronológica e duração dos acontecimentos. Desenvolveu a habilidade de avaliar com
precisão a relação entre o corpo e ambiente sobre si mesma, o outro e espaço gráfico. Encontra-se num
estágio de desenvolvimento crível e consolidado.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis ao nível do esquema corporal/orientação espácio-temporal.
Desenvolveu claramente a habilidade de avaliar com precisão a relação entre o corpo e ambiente sobre si
mesma, o outro e espaço gráfico, de discriminação e organização das partes do corpo e de sustentar os gestos
sobre si e sobre os objetos na execução de uma tarefa, bem como das dimensões corporais no espaço do
corpo e no espaço circundante, na consciência do tempo que se estrutura sobre as mudanças percebidas, da
ordem, distribuição cronológica e duração dos acontecimentos. Encontra-se no estágio de desenvolvimento
máximo, essencial à aprendizagem da leitura e da escrita.
a) Identificação em Si
Percentil Estádio Qualitativo

10 a 19 A criança demonstra não ter feito as aquisições essenciais ao nível da consciência do próprio corpo definida
e não desenvolveu a representação mental de si mesma como pessoa. Essa falta de consciência não lhe
permite localizar-se no espaço e no tempo, impossibilitando uma estruturação espácio-temporal adequada
sobre si mesma. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias
interventivas para colmatar as lacunas.
20 a 29 A criança revela ter feito algumas aquisições essenciais no limite inferior ao nível da consciência do próprio
corpo e de representação mental de si mesma como pessoa. Essa ténue consciência não lhe permite localizar-
se devidamente no espaço e no tempo, impossibilitando uma estruturação espácio-temporal adequada sobre
si mesma. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias
interventivas para colmatar as lacunas detetadas.
30 a 49 A criança adquiriu algumas competências ao nível da consciência do próprio corpo e de representação mental
de si mesma como pessoa. Essa consciência ainda ténue não lhe permite localizar-se com segurança no
espaço e no tempo, impossibilitando uma estruturação espácio-temporal adequada sobre si mesma.
Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para
colmatar as lacunas.
50 a 69 A criança adquiriu competências de nível médio ao nível da consciência do próprio corpo e de representação
mental de si mesma como pessoa. Essa consciência permite localizar-se no espaço e no tempo, embora com
alguma insegurança, para uma estruturação espácio-temporal adequada sobre si mesma. Encontra-se num
estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas.
80 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da identificação em si, de
consciência do próprio corpo e de representação mental de si mesma como pessoa. Essa consciência permite
localizar-se no espaço e no tempo para uma estruturação espácio-temporal adequada sobre si mesma.
Encontra-se num estágio de desenvolvimento crível e consolidado.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis de consciência do próprio corpo e de representação mental
de si mesma como pessoa. Essa consciência permite localizar-se de forma correta no espaço e no tempo para
uma estruturação espácio-temporal adequada sobre si mesma. Encontra-se no estágio de desenvolvimento
máximo propício à aprendizagem da leitura e da escrita.
b) Identificação no outro
Percentil Estádio Qualitativo
10 a 19 A criança demonstra não ter feito as aquisições essenciais ao nível da consciência do corpo e representação
mental do outro. Essa falta de consciência não lhe permite localizar no espaço e no tempo, impossibilitando
uma estruturação espácio-temporal adequada sobre o outro. Encontra-se num estágio de desenvolvimento
em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas verificadas.
20 a 29 A criança demonstra ter feito algumas aquisições no limite inferior ao nível da consciência do corpo e
representação mental do outro. Essa ténue consciência não lhe permite localizar no espaço e no tempo,
impossibilitando uma estruturação espácio-temporal adequada sobre o outro. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias para colmatar as lacunas detetadas.
30 a 49 A criança adquiriu algumas competências ao nível da consciência do corpo e representação mental do outro.
Essa consciência ainda ténue não lhe permite localizar com segurança no espaço e no tempo, impossibilitando
uma estruturação espácio-temporal adequada sobre o outro. Encontra-se num estágio de desenvolvimento
em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas.
50 a 69 A criança adquiriu competências de nível médio ao nível da consciência do corpo e representação mental do
outro. Essa consciência permite localizar no espaço e no tempo, embora com alguma insegurança, uma
estruturação espácio-temporal adequada sobre o outro. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em
que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da identificação no outro, de
consciência do corpo e representação mental do outro. Essa consciência permite localizar no espaço e no
tempo uma estruturação espácio-temporal adequada sobre o outro. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento crível e consolidado.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis ao nível da consciência do corpo e representação mental do
outro. Essa consciência permite localizar de forma correta no espaço e no tempo uma estruturação espácio-
temporal adequada sobre o outro. Encontra-se no estágio de desenvolvimento máximo, essencial à
aprendizagem da leitura e da escrita.
c) Posição no Espaço Gráfico
Estádio Qualitativo
10 a 19 A criança demonstra não ter feito as aquisições essenciais ao nível da consciência espacial, que não lhe
permite um posicionamento e uma estruturação espácio-temporal adequada no espaço gráfico. Encontra-se
num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as
lacunas.
20 a 29 A criança revela ter feito a aquisição de algumas competências essenciais no limite inferior de consciência
espacial, influenciando negativamente o posicionamento e a estruturação espácio-temporal no espaço
gráfico. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas
para colmatar as lacunas detetadas.
30 a 49 A criança adquiriu algumas competências ao nível da consciência espacial, influenciando negativamente o
posicionamento e a estrutura espácio-temporal no espaço gráfico. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas.
50 a 69 A criança adquiriu competências de nível médio ao nível da consciência espacial, influenciando o
posicionamento e a estrutura espácio-temporal no espaço gráfico. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da posição no espaço gráfico,
de consciência espacial, influenciando o posicionamento e a estrutura espácio-temporal no espaço gráfico.
Encontra-se num estágio de desenvolvimento crível e consolidado.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis de consciência espacial, determinando positivamente o
posicionamento e a estrutura espácio-temporal no espaço gráfico. Encontra-se no estágio de
desenvolvimento máximo, essencial à aprendizagem da leitura e da escrita.
4. DESENVOLVIMENTO MOTOR
Percentil Estádio Qualitativo
10 a 19 A criança não adquiriu as competências essenciais ao nível do desenvolvimento motor. Não é capaz de
realizar movimentos de natureza diversificada, que constituem padrões de movimento de precisão de
controlo e destreza. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias
interventivas para colmatar as dificuldades detetadas.
20 a 29 A criança revela ter feito algumas aquisições essenciais ao nível do desenvolvimento motor no limite inferior
de realização de movimentos de natureza diversificada, que constituem padrões de movimento de precisão
de controlo e destreza. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver
estratégias interventivas para colmatar as lacunas detetadas.
30 a 49 A criança adquiriu algumas competências ao nível ao nível da capacidade de realização de movimentos de
natureza diversificada, que constituem padrões de movimento de precisão de controlo e destreza. Encontra-
se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as
lacunas.
50 a 69 A criança adquiriu competências de nível médio ao nível da capacidade de realização de movimentos de
natureza diversificada, que constituem padrões de movimento de precisão de controlo e destreza. Encontra-
se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as
lacunas.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da capacidade de realização
de movimentos de natureza diversificada, que constituem padrões de movimento de precisão de controlo e
destreza. Encontra-se num estágio de desenvolvimento crível e consolidado.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis ao nível da capacidade de realizar movimentos de natureza
diversificada, que constituem padrões de movimento de precisão de controlo e destreza, essenciais à
aprendizagem da leitura e da escrita. Encontra-se no estágio máximo de desenvolvimento.
a) Motricidade Fina
Percentil Estádio Qualitativo

10 a 19 A criança demonstra não ter feito a aquisição necessária ao nível da motricidade fina. Não revela capacidade
de coordenação motora para executar movimentos finos de controlo e destreza no uso das mãos. Não possui
a precisão necessária nos seus movimentos na concretização de tarefas. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as dificuldades
detetadas.
20 a 29 A criança revela ter feito a aquisição de algumas competências ao nível da motricidade fina no limite inferior
de capacidade de coordenação motora para executar movimentos finos de controlo e destreza no uso das
mãos. Revela uma certa imprecisão nos seus movimentos na concretização de tarefas. Encontra-se num
estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as
dificuldades detetadas.
30 a 49 A criança adquiriu algumas competências ao nível da capacidade de coordenação motora para executar
movimentos finos de controlo e destreza no uso das mãos. Revela alguma imprecisão nos seus movimentos
na concretização de tarefas. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver
estratégias interventivas para colmatar as dificuldades detetadas.
50 a 69 A criança adquiriu competências de nível médio ao nível da capacidade de coordenação motora para executar
movimentos finos de controlo e destreza no uso das mãos. Revela uma certa imprecisão nos seus
movimentos na concretização de tarefas. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial
desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas verificadas.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da motricidade fina, de
capacidade de coordenação motora para executar movimentos finos de controlo e destreza no uso das mãos.
Revela precisão nos seus movimentos na concretização de tarefas. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento crível e consolidado.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis na motricidade fina, de capacidade de coordenação motora
para executar movimentos finos de controlo e destreza no uso das mãos. Revela total precisão nos seus
movimentos na concretização de tarefas. Encontra-se no estágio de desenvolvimento máximo.
5. LINGUAGEM
Percentil Estádio Qualitativo
10 a 19 A criança revela não ter feito a aquisição das competências ao nível da linguagem. Não desenvolveu o
processo de linguagem oral de acordo com a sua faixa etária. Não domina as estruturas da língua, não possui
uma compreensão correta auditiva, visual e tátil da linguagem; dos sons, do significado da palavra e do uso
das regras gramaticais. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver
estratégias interventivas para colmatar as dificuldades detetadas.
20 a 29 A criança demonstra ter feito a aquisição de algumas competências essenciais na área da linguagem no limite
inferior. Revelou alguma dificuldade na aquisição do processo de linguagem oral e no domínio das estruturas
da língua. Possui uma débil compreensão auditiva, visual e tátil da linguagem; dos sons, do significado da
palavra e do uso das regras gramaticais. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial
desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas detetadas.
30 a 49 A criança adquiriu algumas competências na área da linguagem ao nível do processo de linguagem oral e no
domínio das estruturas da língua. Possui ainda uma débil compreensão auditiva, visual e tátil da linguagem;
dos sons, do significado da palavra e do uso das regras gramaticais. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas apontadas.
50 a 69 A criança adquiriu competências de nível médio ao nível da aquisição do processo de linguagem oral e no
domínio das estruturas da língua. Possui ainda uma débil compreensão auditiva, visual e tátil da linguagem;
dos sons, do significado da palavra e do uso das regras gramaticais. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as dificuldades
apuradas.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da linguagem, de aquisição
do processo de linguagem oral e no domínio das estruturas da língua. Possui uma compreensão auditiva,
visual e tátil da linguagem; dos sons, do significado da palavra e do uso das regras gramaticais bastante
satisfatória. Encontra-se num estágio de desenvolvimento crível e consolidado.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis na área da linguagem ao nível do processo de linguagem oral
e o domínio das estruturas da língua. Possui uma excelente compreensão auditiva, visual e tátil da linguagem;
dos sons, do significado da palavra e do uso das regras gramaticais. Encontra-se no estágio de
desenvolvimento máximo, fundamental à aprendizagem da leitura e da escrita.
a) Compreensão Oral
Percentil Estádio Qualitativo

10 a 19 A criança não adquiriu as competências essenciais. Não possui uma adequada compreensão oral auditiva, de
significado da palavra e de retenção da informação. Não descodifica nem manipula os sons da fala
corretamente. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias
interventivas para colmatar as dificuldades detetadas.
20 a 29 A criança adquiriu algumas competências essenciais nesta subárea no limite inferior de compreensão oral
auditiva, de significado da palavra e de retenção da informação. Apresenta dificuldades no processo de
descodificação e manipulação dos sons da fala. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é
crucial desenvolver estratégias interventivas para combater as debilidades.
30 a 49 A criança adquiriu algumas competências ao nível da compreensão oral auditiva, de significado da palavra e
de retenção da informação, bem como no processo de descodificação e manipulação dos sons da fala.
Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para
colmatar as dificuldades detetadas.
50 a 69 A criança adquiriu competências de nível médio ao nível da compreensão oral auditiva, de significado da
palavra e de retenção da informação, bem como no processo de descodificação e manipulação dos sons da
fala. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas
para colmatar as lacunas identificadas.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da compreensão oral, de
compreensão oral auditiva, de significado da palavra e de retenção da informação, bem como no processo
de descodificação e manipulação dos sons da fala. Encontra-se num estágio de desenvolvimento crível e
consolidado.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis, de compreensão oral auditiva, de significado da palavra e de
retenção da informação, bem como no processo de descodificação e manipulação dos sons da fala. Encontra-
se no estágio de desenvolvimento máximo fundamental à aprendizagem da leitura e da escrita.
b) Consciência Fonológica
Percentil Estádio Qualitativo
10 a 19 A criança não adquiriu as competências essenciais necessárias ao nível do conhecimento da estrutura sonora
metalinguística, de consciência das particularidades e caraterísticas formais da linguagem. Não desenvolveu
a consciência da palavra, silábica e fonémica. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial
desenvolver estratégias interventivas para colmatar as dificuldades apuradas.
20 a 29 A criança adquiriu algumas competências essenciais no limite inferior de conhecimento da estrutura sonora
metalinguística, de consciência das particularidades e caraterísticas formais da linguagem. Necessita
desenvolver a consciência da palavra, silábica e fonémica. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em
que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas existentes.
30 a 49 A criança adquiriu algumas competências ao nível do conhecimento da estrutura sonora metalinguística, de
consciência das particularidades e caraterísticas formais da linguagem. Necessita desenvolver a consciência
da palavra, silábica e fonémica. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver
estratégias interventivas para colmatar as dificuldades apuradas.
50 a 69 A criança adquiriu competências de nível médio ao nível do conhecimento da estrutura sonora
metalinguística, de consciência das particularidades e caraterísticas formais da linguagem. Necessita ainda
desenvolver a consciência da palavra, silábica e fonémica. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em
que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as dificuldades encontradas.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da consciência fonológica ao
nível do conhecimento da estrutura sonora metalinguística, de consciência das particularidades e
caraterísticas formais da linguagem. Desenvolveu a consciência da palavra, silábica e fonémica. Encontra-se
num estágio de desenvolvimento crível e consolidado.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis ao nível do conhecimento da estrutura sonora metalinguística,
de consciência das particularidades e caraterísticas formais da linguagem. Desenvolveu a consciência da
palavra, silábica e fonémica eficientemente. Encontra-se no estágio de desenvolvimento máximo, essencial
à aprendizagem da leitura e da escrita.
c) Expressão Oral
Estádio Qualitativo
10 a 19 A criança demonstra não ter feito a aquisição das competências essenciais. Não revela formas de expressão
oral adequadas à situação e ao contexto. Não comunica ações, sentimentos e objetos de forma ajustada.
Revela um grande défice nas capacidades de saber escutar e falar. Encontra-se num estágio de
desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias interventivas para colmatar as dificuldades
apuradas.
20 a 29 A criança adquiriu algumas competências essenciais no limite inferior de adequação da expressão oral à
situação e ao contexto. Comunica ações, sentimentos e objetos embora de forma ainda desajustada. Revela
alguma capacidade de saber escutar e falar. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial
desenvolver estratégias interventivas para colmatar as lacunas detetadas.
30 a 49 A criança adquiriu algumas competências ao nível da adequação da expressão oral à situação e ao contexto.
Comunica ações, sentimentos e objetos embora de forma ainda desajustada. Revela alguma capacidade de
saber escutar e falar. Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias
interventivas para colmatar as dificuldades.
50 a 69 A criança adquiriu competências de nível médio ao nível da adequação da expressão oral à situação e ao
contexto. Comunica ações, sentimentos e objetos e revela capacidade de saber escutar e falar sem grandes
dificuldades Encontra-se num estágio de desenvolvimento em que é crucial desenvolver estratégias
interventivas para colmatar as lacunas identificadas.
70 a 90 A criança demonstra ter feito a aquisição da maioria das competências ao nível da adequação da expressão
oral à situação e ao contexto. Comunica ações, sentimentos e objetos e revela capacidade de saber escutar
e falar. Encontra-se num estágio de desenvolvimento crível e consolidado.
91 a 100 A criança adquiriu as competências desejáveis de adequação da expressão oral à situação e ao contexto.
Comunica ações, sentimentos e objetos e revela capacidade de saber escutar e falar. Encontra-se no estágio
de desenvolvimento máximo, fundamental à aprendizagem da leitura e da escrita.